Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3191 | 01 de Outubro de 2013

G7: Organizadores da Expo Paraguai Brasil apresentam evento a lideranças

Uma feira de negócios será realizada dias 24 e 25 de outubro, no Centro de Convenções Mariscal López, em Assunção, no Paraguai. Trata-se da Expo Paraguay Brasil 2013, que vai reunir representantes dos dois países com atuação em diferentes setores, visando o estreitamento de relações empresarias e a possibilidade de realização de novas parcerias. A participação das entidades que integram o G7 no evento foi discutida na manhã desta terça-feira (01/10), na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba. A apresentação sobre a Expo Paraguay Brasil 2013 foi realizada pelo diretor do Foro Brasil Paraguai, que organiza o evento, Junio Dantas. O primeiro-secretário e chefe do setor de Promoção de Comércio e Turismo da Embaixada do Brasil no Paraguai, Carlos Ribeiro Santana, fez um relato das possibilidades de investimentos existentes no país vizinho. Já o diretor da Itaipu Binacional, Herlon Almeida, enfatizou a importância da participação do setor produtivo na feira. Também estava acompanhando o grupo, o assessor da diretoria geral da Itaipu, Joel de Lima.

Programação - A programação da feira contempla um ciclo de conferências com palestras sobre os incentivos para investimento no setor industrial, Mercosul, integração entre Paraguai e Brasil, parcerias público-privadas, perspectivas da economia paraguaia, linhas de financiamentos existentes nos dois países, entre outros temas. Haverá ainda atividades paralelas, como rodadas de negócios, seminários, apresentação de produtos e eventos culturais. “Nós nos propusemos a motivar as entidades a participar da exposição. Vamos estudar a possibilidade de otimizar a utilização do espaço do Sebrae no evento ou montar um estande do Paraná, abrigando todas as entidades paranaenses que estarão presentes no evento”, informou o coordenador do G7 e presidente da Ocepar, João Paulo Koslovski.

G-7– O G7 é formado por federações e associações do setor produtivo paranaense: Federação do Comércio do Estado do Paraná (Fecomércio), Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Associação Comercial do Paraná (ACP), Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap), Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Estado do Paraná (Fetranspar), Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar/Fecoopar).

Mais sobre a Expo Paraguay Brasil– Mais informações sobre a Expo Paraguay Brasil 2013 no site www.expoparaguaybrasil.com .

{vsig}noticias/2013/10/01/G7/{/vsig}

FÓRUM DOS EXECUTIVOS: Evento superou expectativas, avaliam organizadores

Promover maior aproximação entre o cooperativismo e o Poder Judiciário e ampliar o conhecimento sobre a atuação da Justiça. Esses foram os objetivos do Fórum dos Diretores Executivos das Cooperativas Paranaenses, evento que ocorreu nos dias 26 e 27 de setembro, em Curitiba. Organizado pelo Sistema Ocepar, com a parceria do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), o Fórum fez parte das atividades do Programa Internacional de Formação de Executivos e Líderes Cooperativista. No encerramento, houve entrega de certificado aos participantes. Para o superintendente da Ocepar, José Roberto Ricken, o evento teve resultados positivos e abre caminho para que novas parcerias possam acontecer entre os organizadores, buscando a aproximação e a geração de conhecimento. “Os participantes conheceram com mais profundidade a atuação do Poder Judiciário e a atribuição dos diferentes tribunais. O Fórum foi também uma oportunidade para aproximar o cooperativismo dos magistrados, mostrando o alcance social e econômico das cooperativas no Paraná”, afirma.

Aperfeiçoamento - Para o desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) Paulo Habith, um dos organizadores do evento, o Fórum superou as expectativas e demonstrou a importância do estímulo ao constante aperfeiçoamento. “Fiquei satisfeito com a parceria com a Ocepar e o resultado do Fórum, sobretudo porque foi um evento que disseminou conhecimento. Penso que temos que ter esse interesse constante, para que essa formação, inclusive, possa abrir caminho para que mais pessoas passem por esse programa e recebam a mesma instrução. Temos que preparar cada vez mais os cooperativistas, principalmente os jovens, para que o cooperativismo se fortaleça ainda mais”, afirmou. O desembargador Habith é um dos fundadores da Credjuris – Cooperativa de Crédito de Juízes e Promotores.

Formação - O Fórum contou com a presença dos integrantes das quatro turmas do Programa Internacional de Formação de Executivos e Líderes Cooperativistas. Na quinta-feira (26/09), o desembargador Paulo Habith fez a primeira palestra apresentando o funcionamento das Câmaras de Julgamento do TJPR. Na sexta-feira, o programa foi iniciado pelo desembargador Carvilio da Silveira Filho, que fez palestra com o tema “Poder judiciário brasileiro – sua estrutura”. Houve ainda a explanação do desembargador Jurandyr Souza Júnior sobre “atos cooperativos”, com enfoque para o enfrentamento pelo Poder Judiciário. Já o pró-reitor acadêmico da PUCPR, professor Eduardo Damião da Silva, tratou de estratégias corporativas e forneceu informações sobre o mestrado profissional em cooperativismo que a entidade vai iniciar em 2014, em parceria com o Sistema Ocepar.

{vsig}noticias/2013/10/01/forum_executivos{/vsig}

PARANÁ EM FOCO: Jornal destaca participação das cooperativas nas exportações

O jornal Paraná em Foco traz, em sua última edição, uma matéria sobre o desempenho do Paraná nas exportações, que devem encerrar o ano registrando crescimento em volume e valores. O analista técnico e econômico da Ocepar, Robson Mafioletti, foi uma das fontes consultadas pelo jornalista Sílvio Oricolli, autor do texto. Mafioletti ressalta que as cooperativas do Paraná devem responder por 29% das exportações realizadas pelo cooperativismo brasileiro. Ele lembra ainda que, entre as 40 maiores empresas exportadoras do Paraná, estão as cooperativas Coamo, C.Vale, Copacol, Agrária, Lar, Cocamar e Coopavel. O técnico da Ocepar também faz comentários sobre os preços das commodities e mercado. Clique aqui e acesse a matéria na íntegra

Paraná em Foco – O Paraná em Foco é uma publicação semanal, em formato tabloide, com circulação estadual. Lançado este ano, tem tiragem de 50 mil exemplares. 

C.VALE: Cooperativa é premiada por produção de alimentos

cvale 01 10 2013A C.Vale recebeu, pelo segundo ano seguido, o prêmio Lide como destaque no setor de alimentos. A homenagem foi prestada durante o 2º Fórum Nacional de Agronegócios, no dia 20 de setembro, em Campinas (SP). A premiação é concedida às empresas e instituições de 15 segmentos que estejam comprometidas com o desenvolvimento sustentável, com a utilização de ferramentas inovadoras de tecnologia e gestão, e que tenham visão e atuação socioeconômica para disputar de forma competitiva os mercados globais.

Inovações tecnológicas e gestão - O presidente Alfredo Lang representou a C.Vale, vencedora no segmento Indústria de Alimentos, e recebeu o prêmio ao lado de Júlio Campos, da Unilever, e de Neivor Canton, da Cooperativa Aurora (SC). Para Lang, homenagem é um reconhecimento às inovações tecnológicas e de gestão utilizadas pela C.Vale na produção de carne de frango, entre as quais a climatização de aviários e o rateio de ICMS.

O Prêmio - O Prêmio Lide é uma iniciativa do Grupo de Líderes Empresariais, que responde por 47% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Participaram da entrega da premiação o ex-ministro da Agricultura e presidente do Lide Agronegócios, Roberto Rodrigues, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, entre outras autoridades. (Imprensa C.Vale)

 

BATAVO: Olivier Anquier comanda homenagem às mulheres cooperativistas

Uma homenagem especial às mulheres cooperativistas foi preparada pela Comissão Organizadoras do 21º Encontro, em Carambeí. Numa realização da Batavo Cooperativa Agroindustrial e apoio da marca Frísia, o grande dia aconteceu na última quinta-feira (26/09), no Clube Social Carambeí, com participação especial do boulanger Olivier Anquier, que apresentou a palestra e aula show “Os segredos culinários de Olivier”. De acordo com um dos idealizadores do evento e responsável para área de marketing, Luciano Tonon, foi um dia inteiro de palestras com muito conteúdo, interação entre as participantes e histórias inspiradoras, atraindo um público de quase 350 participantes.

Momento gastronômico - Uma receita típica francesa remeteu Olivier Anquier à sua origem. O chef francês, que também apresenta o reality show culinário no canal a cabo GNT, arregaçou as mangas e ensinou a elaborar o famoso crepe suzette. Não poderia deixar de ser diferente, como ele mesmo comentou, fazer uma receita tão típica com ingredientes regionais. E o principal deles foi o leite utilizado, da marca intercooperativas, o Colônia Holandesa. Todo aquele cheirinho especial e gosto saboroso que saem das famosas cozinhas dos chefes de gastronomia foram trazidos ao palco do evento. De uma forma irreverente e improvisada, Olivier chamou ao cenário uma participante jovem nem um pouco familiarizada com o universo gastronômico. Desta forma, foi ensinando ao vivo todos os truques culinários do original crepe suzette, contando sua história ao longo da aula show, surpreendendo a todas.

Outros profissionais - O encontro também contou com a presença de outros grandes profissionais de mercado, abordando assuntos direcionados às mulheres atuais. Segundo a Comissão Organizadora, o principal objetivo foi proporcionar uma programação abordando aspectos tão em voga ultimamente, como Comportamento, Gestão de Tempo e Novas Tendências de um jeito simples, descomplicado, mas com muito significado para um público feminino exigente. Desta forma, as palestras foram bem abrangentes.

Gestão do Tempo - A primeira palestra tratou do assunto organização. Trazido pela Personal Organizer Irene Loureiro, da OZ! Marketing, a apresentação mencionou o tema de uma maneira prática e acessível, mas que resulta numa melhoria da qualidade de vida através de soluções inovadoras neste quesito, ensinando a gerenciar melhor as tarefas e ferramentas de produtividade, potencializando o tempo.

Mídias Sociais - Outro tema relevante e atual contou com a participação de Cecile Krüger, diretora do Grupo Excom. De maneira bem acessível, foram apresentados os tipos de mídias sociais e sua importância no contexto social atual, bem como dicas sobre cuidados que devemos ter na exposição pessoal e gerenciamento nestes tipos de mídia.

Comunicação e Imagem Pessoal - As primeiras apresentações do período da tarde foram focadas na postura e hábitos de comunicação, e sua relação com a imagem pessoal. Para a palestrante e fonoaudióloga Cida Stier, a polidez no dia a dia, em casa, nas reuniões sociais e no relacionamento profissional precisa ser bem observada, pois é a marca registrada de cada um, abrindo portas na sociedade e no trabalho de forma positiva. Para finalizar as palestras da tarde, a Personal Stylist Débora Gaudêncio apresentou a melhor forma de se vestir em reuniões sociais, de negócios e em situações formais e informais do dia a dia, valorizando o próprio estilo. Uma aula prática de etiqueta à mesa concluiu o tema de maneira divertida, com a participação da plateia, que pode desmistificar certas questões, como a de saber lidar em situações constrangedoras da forma mais natural possível.

Essência e valores - Para a integrante da Comissão Organizadora, Meire Hoogerheide, ao ler a carta de boas-vindas, o essencial para as mulheres atuais é não perder a essência e seus valores. “Tudo muda no mundo, muitas vezes mais rápido do que podemos perceber, mas nossos princípios, nossos valores devem permanecer, ou talvez se tornar mais fortes ao passar dos anos. Neste sentido, precisamos distinguir o que é válido para cada situação, nos organizando numa sociedade que muda constantemente. A família, por exemplo, não deve ser ignorada e deixada de lado. Ao contrário, temos que inseri-la cada vez mais de forma sadia no contexto atual. O mesmo deve acontecer com nós, mulheres, valorizando nossa estima”. Já para a outra integrante da Comissão, Nádia Vriesman, ao ler a carta de encerramento, o importante é que a mulher nunca deixe de lado sua feminilidade diante de tantas mudanças. “Com tantas evoluções, revoluções, satisfações e reprovações, é imprescindível saber ser mulher diante de tudo isso, não perdendo a essência e o jeito feminino de ser, muitas vezes desafiando nossa própria estrutura emocional, e, quase sempre, contradizermos o que sempre foi dito de que a mulher é sexo frágil. Mulheres sábias são as que percebem que podem juntar a força e autonomia adquirida ao longo das experiências, sem se quer perder a essência: a alma feminina! Sendo assim, fica a mensagem, apelo e desafio às mulheres: sejam sempre versáteis com muita competência em tudo o que fazem, contribuindo para uma sociedade sem preconceito e com justiça”.

Papel histórico - Para o presidente da Cooperativa Batavo, Renato Greidanus, a mulher tem um papel atuante histórico no cooperativismo. “As mulheres são o pilar fundamental na construção da sociedade e da cooperativa. A cada época, sempre foram coadjuvantes nos processos significativos que contribuíram para o desenvolvimento do agronegócio, seja na própria propriedade rural, na família, ou para um cooperativismo forte e atuante. Se estamos passando por um processo marcante de crescimento, isto se deve em grande parte ao papel atuante da mulher”, relatou o presidente em seu discurso.

Contribuição - A Batavo Cooperativa Agroindustrial e Frísia, mais uma vez, contribuem através de ações importantes, se dispondo a ajudar as mulheres cooperativistas no processo de solidificação de uma sociedade plena, reconhecendo e também admirando a evolução pela qual contribuem num papel primordial. (Imprensa Batavo)

{vsig}noticias/2013/10/01/batavo/{/vsig}

COPACOL: Premiação marca encerramento dos Jogos do Cinquentenário

Integração, união e o espírito esportivo foram os ingredientes que marcaram os Jogos do Cinquentenário, realizado em comemoração aos 50 anos da Copacol, no último sábado (28/09), na Aercol de Cafelândia. Os atletas finalistas se reuniram para as disputas de 1º e 3º lugar. Além dos competidores, várias pessoas estiveram presentes para acompanhar e torcer, o que totalizou um público de cerca de 1.500 pessoas.A competição que começou no mês de julho foi realizada inicialmente com jogos em cada unidade, os classificados seguiram na competição na fase geral e os finalistas deram show na competição no último fim de semana do mês de setembro.

Equipes - Várias equipes em diversas modalidades marcaram presença, na grande final as disputas foram bastante acirradas a exemplo do jogo de futebol sete feminino, onde a equipes de Jesuítas levou o primeiro lugar. “Fomos campeãs invictas, conseguimos no último jogo uma vitória sofrida nos pênaltis mais saímos felizes com o primeiro lugar. Foi um campeonato excelente, com times bons que demonstraram muita capacidade”, afirma a goleira Sabrina Cinti. “Foi uma competição muito legal, e o que marcou os jogos foi essa união das famílias todos torcendo e participando”, conta o associado da unidade de Formosa do oeste Armando Roque, que levou o terceiro lugar no truco.

Avaliação positiva - O capitão da equipe São José, campeã na modalidade futebol sete novos, fez uma boa avaliação de todo o campeonato. “É uma competição realizada para integração dos associados muito boa e a cada jogo eu pude encontrar um amigo diferente nas unidades. A Copacol está de parabéns por este incentivo”, afirma Cristiano Motter.

Agradecimento - Na cerimônia, os três melhores colocados foram premiados e o diretor presidente, Valter Pitol, agradeceu a participação de cada um no evento, além de fazer o anúncio do show que vai marcar o encerramento das comemorações alusivas ao cinquentenário da cooperativa. “Colocamos em prática os valores do respeito ao próximo e vestimos a nossa camisa, a camisa do cooperativismo. Parabéns a todos os associados e familiares que participaram ativamente das diferentes modalidades esportivas e também a todos que contribuíram com o seu trabalho e também com a sua torcida. E com muita alegria que convidamos todos para o encerramento das comemorações do cinquentenário da Copacol, com a grande festa que irá acontecer com o show da dupla Chitãozinho e Xororó”, conclui Pitol.

Aberto ao público - O show que será aberto para o público acontece no dia 26 de outubro, a partir das 22 horas, na estrutura que dá acesso ao complexo industrial da Copacol em Cafelândia. (Imprensa Copacol)

Clique aqui para conferir a lista completa dos vencedores dos Jogos dos Cinquentenários da Copacol

{vsig}noticias/2013/10/01/copacol/{/vsig}

SICREDI PARANAPANEMA: Evento em Cândido Mota (SP) incentiva a cooperação

O dia 28 de setembro ficará registrado na história do cooperativismo do sul do estado de São Paulo, principalmente para o município de Cândido Mota. Um dia de muitas atrações, brincadeiras, teatro, prevenção e shows, divertiu a população. O evento intitulado “Coopero por um mundo melhor” foi promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado de São Paulo (Sescoop/SP), com apoio das cooperativas Sicredi Paranapanema PR/SP, Coopermota, Sicoob Credimota, Unimed Assis, Crediassis e Uniodonto de Marília. Foram organizadas atrações para todas as idades com a proposta de reunir toda a família para um dia de lazer e recreação. A garotada, por exemplo, participou de atrações especiais como oficinas, pintura e intervenções artísticas.

Atendimento institucional - Durante todo o dia as cooperativas parceiras também fizeram atendimento institucional para os participantes. O evento disponibilizou ainda o Espaço Saúde, que ofereceu para o público a possibilidade de aferir a pressão arterial, além de receber dicas e orientações para uma vida mais saudável. Na parte da tarde, as atrações continuaram com a apresentação da Banda Estralo com o show Histórias de Cantar.

Encerramento - O compositor e cantor Renato Teixeira encerrou a festa com um show gratuito a partir das 21h. Consagrado artista da MPB e reconhecido por sucessos como “Romaria”, Renato fez sua estreia no Festival da Record de 1967, com a música “Dada Maria”, defendida por Gal Costa e Silvio César. Trabalhou com grandes nomes da MPB e continua produzindo sucessos de crítica e de público. 

Relevância - Claudinei Angelin, presidente da Sicredi Paranapanema PR/SP, destacou a relevância do evento para a região e ressaltou a importância do trabalho realizado pelas cooperativas. “Atualmente as cooperativas ocupam papel fundamental no desenvolvimento econômico e sustentável das comunidades onde estão inseridas, pois distribuem renda e promovem a coletividade, além de atender as necessidades dos seus cooperados com produtos e serviços de alta qualidade e com preços competitivos”. Angelin disse ainda que é uma grade satisfação para o Sicredi poder participar desse grande movimento em prol do cooperativismo. Os cofrinhos do Poupedi Sicredi fizeram grande sucesso entre as crianças.

Modelo de negócio - Com a mobilização “Coopero por um Mundo Melhor”, o Sescoop/SP buscou chamar a atenção para a importância das cooperativas como modelo de negócio capaz de promover o desenvolvimento mais equilibrado e sustentável das comunidades. Além de eventos abertos à população, a campanha também prevê a divulgação dos benefícios do cooperativismo por meio das redes sociais (facebook.com/cooperoporummundomelhor e twitter.com/cooperomundo).

Sicredi Paranapanema PR/SP -  A Sicredi Paranapanema PR/SP é uma das 108 cooperativas que integram o sistema Sicredi. Fundada em 1985, tem uma história marcada pela expressiva expansão, fortalecendo as comunidades e associados de toda a região do norte do Paraná e sul de São Paulo. Atualmente presente em 23 municípios, tem aproximadamente 30 mil associados e cerca de R$ 220 milhões em recursos administrados.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa com mais de 2,3 milhões de associados e 1.232 pontos de atendimento, em 10 Estados* do País. Organizado em um sistema com padrão operacional único conta com 108 cooperativas de crédito filiadas, dentre elas a Sicredi Paranapanema PR/SP, distribuídas em quatro Centrais Regionais – acionistas da Sicredi Participações S.A. - uma Confederação, uma Fundação e um Banco Cooperativo que controla uma Corretora de Seguros, uma Administradora de Cartões e uma Administradora de Consórcios. Mais informações no site sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Paranapanema PR/SP)

* Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Pará, Rondônia e Goiás.

{vsig}noticias/2013/09/01/sicredi/{/vsig}

SICREDI AGROEMPRESARIAL: Colaboradores vivenciam metodologia do Programa A União Faz a Vida

Aproximadamente 80 pessoas, entre as quais, o presidente, conselheiros de administração e fiscal, diretores e colaboradores, participaram, sábado (28/09), no Parque da Pedreira em Mandaguari, da “Formação Vivencial do Programa A União Faz a Vida”, promovida pela Sicredi Agroempresarial PR. O encontro foi conduzido pelo assessor pedagógico Sérgio Vale da Paixão e proporcionou aos colaboradores das Unidades de Atendimento das cidades onde o Programa está implantado, vivenciarem na prática a metodologia e as ações de cooperação e cidadania desenvolvidas pelo Programa.

Responsabilidade social - O presidente da cooperativa, Agnaldo Esteves, destacou a importância do Programa em relação à responsabilidade social da instituição. “Temos um compromisso muito forte com a comunidade. Por esse motivo, conhecer e praticar a filosofia do programa é um diferencial muito importante para cultivarmos os valores do cooperativismo”, afirmou.

Essencial - O diretor executivo da cooperativa, Marcelo Filinberti de Bortoli também lembrou que “investimento em educação é essencial para que possamos formar cidadãos melhores a cada dia. É necessário fazermos a nossa parte e ajudar na construção de um mundo melhor a partir do ambiente escolar”.

Aproveitamento - Na avaliação do assessor pedagógico Sérgio Vale, o público soube aproveitar o conteúdo. “Houve uma participação muito boa. Eles interagiram e souberam a partir da boa pergunta, investigar o ambiente, apontar o que poderia ser melhorado e como, além de construírem projetos assim como em sala de aula”.

Condições - Ao final da formação, o presidente Agnaldo Esteves parabenizou aos participantes pela integração que tiveram durante o dia. “Com certeza a partir de agora, com esse conhecimento, teremos ainda mais condições de continuarmos desenvolvendo o Programa onde já se encontra em andamento, de levá-lo a outros municípios de nossa área de atuação e de manter o envolvimento com a comunidade como um dos grandes diferenciais do Sicredi”.

A Sicredi Agroempresarial - A Sicredi Agroempresarial PR, com sede em Mandaguari, possui o Programa A União Faz a Vida implantado em quatro municípios de sua área de atuação: Mandaguari, Itambé, Ortigueira e Apucarana. Ao todo são 2000 mil alunos e 150 educadores envolvidos. (Imprensa Sicredi Agroempresarial PR)

{vsig}noticias/2013/10/01/sicredi_agroempresarial/{/vsig}

CAMISC: Curso orienta agricultoras sobre uso da carne de frango

Em mais uma parceria que visa auxiliar o produtor rural, a Camisc, o Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e o Sindicato Rural de Galvão (SC), promoveram, nos dias 18 e 19 de setembro, o curso ‘Cortes, Assados e Empanados de Frango’. A capacitação foi realizada na comunidade de Linha Saudadinha. O curso foi gratuito. Durante aproximadamente 16 horas, o curso contou com a presença de 10 mulheres dispostas não apenas em aprender, mas também em levar os conhecimentos adquiridos adiante. A ação foi um incentivo e uma alternativa de produção ofertada para as pequenas propriedades rurais.

Teoria e prática - Divido entre momentos teóricos e práticos, a instrutora Simone Croda Bazzo abordou no curso diversos assuntos como cortes de frango, frango desossado recheado, bife de frango empanado moído, frangetts, espetinho de frango, medalhões de frango, almôndega de frango e hambúrguer de frango. Durante as aulas teóricas, a legislação, segurança e saúde no trabalho, bem como a higiene na manipulação de alimentos foram alguns temas trabalhados.

Aprendizado - Para a participante Marcia Fabris, o curso trouxe conhecimentos novos. “Para nós foi uma oportunidade de aprendermos novas formas de cozinhar a partir dos derivados de frango. Tudo que nos foi repassado nos possibilitará treinar novas receitas e aprimorar nosso cardápio”. A produtora Iracema Grigolo deu nota 10 para o curso. “Ao longo do curso recebemos várias dicas que mudaram nosso jeito de cozinhar, deixando os pratos que fazemos ainda mais bonitos e saborosos”, afirma a agricultora.

Motivação - De acordo com a coordenadora de Desenvolvimento Humano da Camisc, Adriana Cassol, o projeto é uma forma de motivar o agricultor. “Acima de tudo, o curso visa à melhora da qualidade de vida do produtor e sua família, agregando maior qualidade no que é produzido na propriedade e incentivando a busca pelo conhecimento”. (Imprensa Camisc)

{vsig}noticias/2013/10/01/camisc/{/vsig}

SAFRA 2013/14 I: Soja sul-americana domina dois terços do comércio global

safra 2013 14 01 10 2013O expressivo aumento da produção de soja na América do Sul tem dado aos países do continente importante missão no abastecimento global da commodity. Os campos de Brasil, Argentina, Paraguai, Bolívia e Uruguai devem saciar 66% das exportações mundiais do complexo soja (grão, óleo e farelo) na safra 2013/14, que acaba de começar, mostram números do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda, na sigla em inglês). No ano passado, o quinteto do Cone-Sul foi responsável por atender 62% das vendas externas.

Liderança - O ganho de mercado é puxado pelo Brasil, atual líder mundial em produção e exportação de soja. Sua posição no ranking, inclusive, deixou de ser contestada. Na temporada passada, a liderança brasileira era considerada temporária. Analistas afirmavam que os Estados Unidos retomariam neste ano sua produção e consequentemente o topo da tabela de oferta do produto. Mas não foi o que aconteceu. Os norte-americanos, que até o ciclo 2009/10 abasteciam mais de 30% desse mercado, terão participação reduzida a 26% neste ciclo, conforme projeção do próprio Usda. A fatia brasileira, por sua vez, tem sido cada vez maior. Neste ciclo, o país deve fornecer 32,5% de todo o volume de grão, óleo e farelo a ser movimentado pelo comércio internacional. Há quatro anos, o país abocanhava 28% das exportações.

Terras - A disponibilidade de terras agricultáveis e a ampliação das colheitas garantem mercado ao Brasil. As projeções para este ano apontam que o país poderá retirar das lavouras até 90 milhões de toneladas da oleaginosa. “O Brasil é o único país que tem conseguido ampliar a produção todos os anos. Isso lhe dá o maior potencial para manter a primeira posição nas exportações. Os Estados Unidos, apesar de terem uma safra boa, não estão conseguindo formar estoques internos. E a demanda está crescendo”, comenta o analista de gerenciamento de risco da consultoria INTL FC Stone, Glauco Monte.

Hermanos - Junto com Brasil e Argentina – os dois maiores produtores e fornecedores da América do Sul –, outros três países ampliam suas lavouras. A Bolívia ultrapassa 2 milhões, o Uruguai atinge 3 milhões e o Paraguai chega a 9 milhões de toneladas de soja por safra. São 14 milhões de toneladas em 2013/14, o dobro do volume de uma década atrás. “A Bolívia tem mais espaço que o Paraguai [quarto maior exportador, atrás apenas de Brasil, Estados Unidos e Argentina] e o mesmo potencial de produção, em torno de 10 milhões de toneladas”, avalia Monte. Produtores brasileiros estão assumindo o desafio de expandir as lavouras nas terras bolivianas, apesar de o país não contar com acesso ao mar, observa o analista Stefan Tomkiw, da cor­­­retora The Jefferies Bache.

No milho, peso do consumo mantém EUA no comando - Com uma colheita avaliada em 351,6 milhões de toneladas de milho pela frente, os Estados Unidos seguem dando as cartas no mercado do cereal. Gigante na demanda e no cultivo, o país deve produzir volume 3,5 vezes maior que o das safras de Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Bolívia somadas em 2013/14.

Mercado global - No mercado global, os norte-americanos devem vender 31 milhões de toneladas e os cinco países sul-americanos, 38 milhões (com empate de 18 milhões entre Argentina e Brasil). Porém, apesar de manterem liderança sobre os EUA nas exportações, os países sul-americanos são regidos pelo pelo mercado norte-americana, que deve absorver 320 milhões de toneladas (33% da produção mundial).

Sobe e desce - As exportações do cereal oscilam a cada safra, nos Estados Unidos e no Cone-Sul. “O milho pode ser substituído por outros produtos, como o trigo por exemplo. Quando há essa substituição, a demanda pelo grão cai”, explica o analista de mercado da Agrinvest, João Paulo Schaffer. No ano passado, quando os norte-americanos tiveram uma das maiores quebras de safra de milho da história, as cotações dispararam 50% de maio a agosto. Com isso, as exportações do cereal recuaram 20% e o Brasil ampliou sua participação nas exportações de 20,8% para 26% em um ano. Mas isso não deve acontecer de novo. A produção global de milho está aumentando e os embarques do Brasil devem cair, conforme Schaffer. (Gazeta do Povo)

 

SAFRA 2013/14 II: Expedição Safra confere colheita nos EUA

expedicao safra 01 10 2013A produtividade das lavouras norte-americanas se tornou uma incógnita nesta safra, devido à seca de mais de um mês enfrentada durante o desenvolvimento das lavouras no Corn Belt, o cinturão do milho e da soja dos Estados Unidos. A Expedição Safra Gazeta do Povo percorre o núcleo dessa região durante dez dias, a partir de sexta-feira (04/10), para conferir o resultado da temporada. A viagem marca o início das atividades de campo da Expedição Safra 2013/14, que chega a sua oitava edição consecutiva. A conferência dos resultados das lavouras norte-americanas ocorre num momento em que a América do Sul finaliza seu plano de cultivo. As informações do projeto prometem ajudar o setor na tomada de decisões sobre a temporada, incluindo comercialização e investimentos.

Produção esperada - Os Estados Unidos esperam colher 85,7 milhões de toneladas de soja – 3,7 milhões ou 4% a mais do que em 2012/13. No milho, a expansão prevista é de 77,8 milhões de toneladas ou 28% sobre a temporada passada, que foi limitada a 273,8 milhões de toneladas por uma seca histórica que reassentou o mercado internacional. O recuo foi de 12% sobre a produção de milho da temporada 2011/12 e agora a linha de crescimento tende a ser retomada.

Debate - A nova edição vai aprofundar discussões sobre o mercado global das commodities agrícolas e o potencial de expansão das lavouras. Para isso, as questões relacionadas à demanda vêm sendo constantemente abordadas. Na viagem aos Estados Unidos, o tema será abordado com produtores e analistas que acompanham o dia a dia na Bolsa de Chicago.

Sul - O roteiro traçado para acompanhar o plantio no Brasil, que começa a ser cumprido ainda em outubro, abrange as regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e a nova fronteira de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia (MaToPiBa). No início de 2014, durante a colheita sul-americana, nova sondagem será realizada nas principais regiões de cultivo do país, com trabalho estendido também as lavouras do Paraguai e da Argentina. A viagem extra de 2013/14 será para a África, continente com demanda crescente para alimentos e tecnologias de produção.

Preços refletem produtividade inicial da colheita - As cotações da soja e do milho registradas na Bolsa de Chicago no último mês mostram que, diante da demanda internacional sustentada, a colheita norte-americana vem sendo melhor do que o setor produtivo temia. Regiões que enfrentaram calor e falta de umidade ainda têm condições de render mais de 3 mil quilos da oleaginosa e de 10 mil quilos do cereal por hectare.

Oscilação - Faz cinco semanas que o milho oscila abaixo de US$ 5 por bushel. A soja esteve acima de US$ 14/bu pela última vez em 3 de setembro na Bolsa de Chicago. Como os índices de dois terços das lavouras não foram aferidos, por outro lado, ainda há possibilidade de a tendência de baixas ser revertida ou amenizada. Os resultados dos cinco estados que são responsáveis por mais da metade da produção nacional – Iowa, Illinois, Nebrasca, Minnesota, Indiana – devem definir as cotações que estarão em vigor na época da colheita sul-americana. (Gazeta do Povo)

 

info-agro-2

INFRAESTRUTURA: Richa autoriza conjunto de obras de R$ 175 milhões no Porto de Paranaguá

infraestrutura 01 10 2013O governador Beto Richa assinou, nesta segunda-feira (30/09), os contratos para o início de três importantes obras no Porto de Paranaguá. Os investimentos somam R$ 175,7 milhões. Os investimentos incluem uma nova campanha de dragagem, aquisição de novos carregadores de navios e obras de recuperação das vias de acesso ao porto.

Consistentes - “São investimentos consistentes, um dos maiores que o porto já conheceu, na busca permanente, ao longo do nosso governo para modernizar e garantir mais agilidade e eficiência ao terminal”, afirmou o governador na solenidade, realizada em Paranaguá. “As melhorias nos últimos anos garantem avanços que o Paraná e o Porto de Paranaguá deixaram de conhecer em anos anteriores quando, ao contrário, houve retrocesso”, disse Richa. "Os resultados já são conhecidos na prática, desde 2011 batemos sucessivos recordes na movimentação de cargas e neste ano a expectativa é de 50 milhões de toneladas movimentadas", afirmou o governador.

Gestão - Ele disse que, aliado aos avanços materiais, há também uma nova gestão, com profissionalismo, democracia, ouvindo sindicatos, associações e colaboradores, entendendo a importância do porto para Paranaguá, para o litoral e, também, sobre os  custos de produção paranaenses. “Como resultado, o Porto de Paranaguá vem obtendo sucessivos recordes de movimentação, sem filas de caminhões”, afirmou.

Dragagem - A maior parte do investimento será destinada para a realização da dragagem de manutenção. A empresa vencedora do processo licitatório foi a DTA Engenharia. Ao todo, serão investidos R$ 115 milhões na obra, que compreende uma dragagem de manutenção dos portos de Paranaguá e Antonina: canais de acesso, bacia de evolução e berços de atracação. A obra será realizada ao longo de um ano e estima-se que sejam retirados cerca de sete milhões de metros cúbicos de sedimentos.

Navios maiores - O governador disse que, atualmente, navios grandes não podem sair carregados porque o calado (profundidade) é baixo. “Com o investimento em aprofundamento da bacia e dos berços de atracação, será possível carregar navios maiores. Eles terão embarque à plena carga”, disse Richa.

Equipamentos – O governador também assinou o contrato com a empresa Tecnologia em Movimentação, vencedora da licitação para substituição de quatro carregadores de navios (shiploaders). A Appa investirá R$ 59 milhões na compra destes shiploaders, que vão proporcionar um ganho na produtividade de carregamento do Corredor de Exportação na ordem de 33%.

Primeira remodelação de grande porte - Beto Richa disse que se trata da primeira remodelação de grande porte que o Corredor de Exportação recebe em 40 anos. “Os atuais carregadores de navios, que são dos anos de 1970, estão obsoletos. A troca por equipamentos mais modernos irá dar mais eficiência e mais agilidade no embarque e desembarque de caminhões e navios”, disse o governador.

Capacidade nominal - Os novos shiploaders têm capacidade nominal para embarcar duas mil toneladas de grãos por hora. Os equipamentos hoje existentes no Corredor têm capacidade nominal de 1.500 toneladas/hora. Além disso, os novos carregadores têm lança dez metros maiores do que os atuais, e são mais adequadas para carregar os navios cada vez maiores que atracam em Paranaguá. As substituições dos shiploaders serão feitas de maneira gradativa, obedecendo a um cronograma que evitará a paralisação das operações. O prazo total para a instalação dos quatro equipamentos é de 22 meses.

Esforço - O secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, disse que há muitos anos um governo não realizava um investimento deste porte no Porto. "É o esforço para garantir um porto eficiente, moderno e ágil que contribua para a geração de riquezas para o nosso Estado", afirmou Richa Filho. "Estamos trazendo novamente o Porto de Paranaguá para uma posição de destaque no cenário nacional", destacou o superintendente dos Portos de Paranaguá e Antonina, Luiz Henrique Dividino.

Vias de acesso – No encontro, foi assinado um acordo de cooperação entre a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA) e o município de Paranaguá para obras em vias de acesso ao Porto. Serão investidos R$ 2,4 milhões em recursos próprios para a realização das obras. "Este momento entra para a história de Paranaguá. Os investimentos anunciados pelo Governo do Estado demonstram não somente a preocupação com os trabalhadores do Porto, e sim com os toda a população do município", disse o prefeito Edison de Oliveira Kersten.

Retorno significativo - O prefeito afirmou que a restauração da região retroportuária terá retorno significativo para a cidade, pois é por onde trafega número elevado de veículos pesados, que acabam deteriorando as vias, aumentando problemas relacionados à locomoção. “O investimento no porto de Paranaguá gera mais riqueza para o município, mas aumenta ainda mais volume de tráfego pesado na cidade. O porto cresce e temos de olhar o que vai causar de comprometimento na área viária. Nossa preocupação é ter condições para receber essa ampliação, ter estrutura para esse aumento da capacidade”, afirmou Edison Kersten.

Recuperação do concreto - A Appa vai recuperar o concreto de dez vias de acesso ao porto para melhorar o tráfego de veículos. As vias que receberão manutenção foram concretadas pela Appa, em 2004, mas desde então não receberam obras de manutenção ou melhoria. Os reparos a serem realizados referem-se a trincas no piso, medidas preventivas de resselagem das juntas, limpeza dos dispositivos de drenagem (como bocas de lobo e caixas de ligação), além de recomposição das transposições de pavimentos em paver e recuperação de placas com afundamento parcial. Fica sob responsabilidade da Appa a realização e fiscalização das obras. À Prefeitura, caberá ordenar o trânsito na localidade e no entorno da obra.

Patrulha da Limpeza - O prefeito destacou que na última sexta-feira foi iniciada na região portuária a Patrulha da Limpeza, uma ação de higienização e limpeza realizada pela Appa em conjunto com a prefeitura e a câmara de vereadores. (Assessoria de Imprensa da Appa)

Confira a lista das vias que serão recuperadas (segundo termo de referência):

  1. Av. Coronel José Lobo (1.138,43 metros)
  2. Av. Portuária (2.228,79 m)
  3. Av. Governador Manoel Ribas (1.611,29 m)
  4. Rua Manoel Bonifácio (1.350,08 m)
  5. Av. Coronel Santa Rita (1.252,73 m)
  6. Rua Barão do Rio Branco (986,23 m)
  7. Rua Prof. Cleto (913,51m)
  8. Av. Portuária II  (900 m)
  9. Rua Soares Gomes (400 m)
  10. Rua Doutora Ludovica Bório (190 m)

 

BANCO CENTRAL: BC indica que juro pode alcançar os dois dígitos

banco central 01 10 2013O Banco Central sinalizou que pode encerrar o ciclo de aperto monetário com uma taxa de juros maior do que a prevista pelo mercado, de 9,75%. No relatório trimestral de inflação divulgado nesta segunda-feira (30/09) reviu para cima as projeções para a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste e nos próximos anos. O diretor de política monetária do BC, Carlos Hamilton Araújo, disse que "ainda há bastante trabalho a ser feito pela política monetária em termos de combate à inflação". Com isso, aumentam as chances de que a taxa básica volte aos dois dígitos.

Inflação - A projeção para a inflação no cenário de referência do relatório é de 5,8% em 2013, de 5,7% em 2014 e de 5,5% no período de 12 meses encerrado em setembro de 2015. Os percentuais superam o centro da meta de inflação de 4,5%, fixada para todos os anos do período.

Margem estreita - Também representa uma margem estreita em relação aos objetivos informais indicados pelo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Segundo ele, o BC age para entregar em 2013 uma inflação menor do que os 5,84% de 2012. Para 2014, o objetivo é a continuidade da queda da inflação. Não há um alvo informal definido para 2015, mas em depoimento recente no Senado Tombini disse que o BC não abandonou o objetivo de cumprir a meta de 4,5%.

Balanço de riscos - Carlos Hamilton foi questionado se o balanço de riscos para a inflação teria melhorado entre a edição dos relatórios de inflação de junho e setembro. "A dinâmica aponta inflação elevada. Acredito que ainda há riscos para a inflação", disse.

Taxas do DI - Com o relatório e a fala de Hamilton, os investidores empurraram a taxa do DI com vencimento em janeiro de 2014 para 9,36% (ante 9,31% na sexta-feira). O contrato passou a espelhar aposta em mais duas altas de 0,50 ponto percentual da taxa Selic neste ano, chegando a 10%. Após titubear, o mercado de juros futuros parece ter aceitado a tese de Selic em dois dígitos no fim do ano. (Valor Econômico)

 

ECONOMIA: Dólar e mercado de ações terminam setembro em queda

economia 01 10 2013O dólar perdeu 1,82% no último pregão de setembro e encerrou a segunda-feira (30/09) cotado a R$ 2,216 para venda. A moeda norte-americana desvalorizou-se 7,08% no mês, depois de quatro meses seguidos em alta, mas ainda mantém valorização de 8,41% no ano. Foi a maior queda mensal desde outubro de 2011, quando o dólar perdeu 9,51%.

Bolsa de Valores - O Ibovespa – principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) – também terminou o dia em queda, provocada pela instabilidade fiscal dos Estados Unidos e pelo desvalorização das ações de empresas do Grupo EBX, do empresário Eike Batista. O Ibovespa caiu 2,61%, aos 52.338 pontos, depois de fechar 934.111 negócios no valor de R$ 7,147 bilhões, mas ainda mantém valorização de 4,66% no mês. Por empresa, as maiores desvalorizações foram das ações da OGX Petróleo (-25%), da MMX Mineração (-8,82%), da LLX Logística (-7,30%), do grupo EBX, da Fibria Celulose (-4,72%) e da B2W Varejo (-4,58%). (Agência Brasil)

 

PARCERIA: Dilma e presidente paraguaio discutem integração logística entre os países

parceria 01 10 2013Grande parte da conversa entre a presidente Dilma Rousseff e o presidente paraguaio, Horacio Cartes, em reunião nesta segunda-feira (30/09) no Palácio do Planalto, teve como tema a integração logística para viabilizar custos menores para os dois países em hidrovias, ferrovias e rodovias. Após o encontro, Dilma disse, aos jornalistas, que considera "muito importante" que os dois países tenham estabelecido uma cooperação na área ferroviária, novamente reconhecendo o atraso do país em investimentos nesse setor. "Nós estamos fazendo esse esforço agora, no início do século XXI", disse a presidente ao comentar os passos dados pelo Brasil para construir uma estrutura ferroviária.

Canais de escoamento - "Tenho certeza que tanto para o Brasil quanto para o Paraguai esse esforço não vai ser em vão, porque construiremos canais de escoamento para a grande produção agroindustrial e agrícola e pecuária do Paraguai, e também para o escoamento da nossa produção", afirmou Dilma, destacando a necessidade de "um grande impulso à integração fronteiriça".

Potencial - A reunião dos dois presidentes terminou sem assinatura de atos, apesar da afirmação da presidente brasileira de que as relações e a integração entre os dois países "têm um potencial muito maior" que as mantidas atualmente. Essa ausência evidenciou o caráter político do encontro ocorrido no Palácio do Planalto. Na avaliação do governo brasileiro, a reunião revelou "uma disposição muito clara" do Paraguai de solucionar o atual impasse, com o retorno do país ao Mercosul.

Suspensão - Desde a destituição do ex-presidente Fernando Lugo, em junho de 2012, o Paraguai está suspenso do Mercosul. Ao tomar posse, em agosto, Cartes condicionou o retorno do país ao bloco a uma solução para o problema jurídico causado pelo ingresso da Venezuela sem a anuência paraguaia.

Intacto - Nesta segunda-feira (30/09), Dilma destacou que as relações entre os dois países durante esse período mantiveram-se "intactas". Segundo a presidente brasileira, "o Paraguai está em processo de volta ao Mercosul, tem o tempo deles, está no processo de retorno. O Brasil tem todo o interesse nessa volta", afirmou.

Cartes, por sua vez, ao agradecer o apoio recebido pelo Brasil após sua eleição, afirmou que o Paraguai não quer pedir "favores" ao Brasil, mas sentar-se "à mesa para negociação", buscando benefícios para ambos os países. "Num momento em que o Paraguai goza de um crédito que ontem não gozava, o Paraguai quer dizer ao Brasil que nós queremos sentar na mesa de negociação", afirmou, acrescentando que interessa ao país o "ganha-ganha" entre ambos os países.

Agradecimento - Dilma também destacou em comunicado à imprensa um agradecimento ao presidente paraguaio pelo tratamento dispensado à comunidade brasileira naquele país, ao comentar que quase 15 mil brasileiros foram beneficiados nos últimos quatro anos pelo programa de regularização migratória. "Esse é um exemplo que o Paraguai mostra para o mundo, de como tratar imigrantes. E o Brasil é extremamente agradecido por esse tratamento civilizado", afirmou a presidente.

Participação importante - A presidente brasileira disse considerar muito importante a participação do Paraguai no bloco regional e destacou que a capacidade de integração do Mercosul torna a região um "tecido multilateral muito mais forte". "O Brasil tem todo interesse nessa volta. Nossa relação bilateral nós mantivemos intacta. Não houve consequência nenhuma", afirmou a presidente. Ela relatou também ter discutido com Cartes "iniciativas" para o aumento do comércio bilateral, "sempre com equilíbrio".

Informações - Durante a reunião, Dilma recebeu "informações importantes" sobre o "estágio avançado" das obras de conclusão da linha de transmissão em 500 kw, que fornecerá mais energia de Itaipu para os arredores de Assunção, em Villa Hayes. Na avaliação da presidente, essa obra vai atrair investidores para o Paraguai e contribuirá também para a integração das cadeias produtivas entre os dois países, permitindo que Brasil e Paraguai se tornem "cada vez mais integrados e cooperantes". (Valor Econômico)

 

INTERNACIONAL: Taxa de desemprego na zona do euro segue em 12% em agosto

A taxa de desemprego da zona do euro ficou estacionada em 12% em agosto, o mesmo percentual de julho, informou nesta terça-feira (01/10) a agência de estatísticas da região, Eurostat. Na União Europeia, o nível de desocupação correspondeu a 10,9%, repetindo a taxa de julho. Em agosto de 2012, as taxas estavam em 11,5% na região da moeda comum e em 10,6% no bloco europeu. Em agosto, 26,595 milhões de pessoas estavam desempregadas na União Europeia, sendo 19,178 milhões na zona do euro. Em relação a julho, o total de desempregados ficou quase estável nas duas regiões. Ante agosto de 2012, o contingente de pessoas sem trabalho subiu em 882 mil no bloco europeu e em 895 mil na área da moeda comum.

Jovens - Vale destacar que 5,499 milhões de jovens, com idade abaixo de 25 anos, se encontravam desempregados na União Europeia no oitavo mês deste ano, dos quais 3,457 milhões na zona do euro. A taxa de desemprego dos jovens se situou em 23,3% e em 23,7%, respectivamente. Um ano antes, correspondia a 23,1% no bloco europeu e a 23,4% na região do euro. Entre os Estados membros, as taxas de desemprego mais baixas foram verificadas na Áustria (4,9%), Alemanha (5,2%) e Luxemburgo (5,8%). Em compensação, Espanha registrou uma das maiores taxas, de 26,2%. (Valor Econômico)

CLIMA: Outubro deverá ser chuvoso no sul do País, afirma Lazinski

As precipitações ocorridas durante o mês de setembro ficaram acima da média na maior parte do Centro-Sul do Brasil, mas apresentaram dois comportamentos bem distintos. A primeira quinzena foi marcada por volumes bem abaixo da média. Já na segunda quinzena, as precipitações apresentaram volumes muito acima da média, seguindo o comportamento dos últimos meses, com uma distribuição muito irregular. As chuvas ocorridas no final do mês contribuíram para manter a boa disponibilidade hídrica no solo da região.  Nas regiões sudeste e sul do Centro-Oeste, as chuvas voltaram a partir da segunda quinzena do mês. Nas outras áreas da região Centro-Oeste e áreas agrícolas do Nordeste, as chuvas continuam atrasadas. 

Massas de ar frias - Três massas de ar frias de forte intensidade atingiram o Sul do Brasil durante o mês de setembro, provocando geadas nas áreas mais altas do Centro-Sul do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. As temperaturas apresentaram valores dentro da média, mas as observações mostraram, mais uma vez, que os extremos de temperatura prevaleceram, ou seja, massas de ar quentes intercaladas com massas de ar muito frio, causando quedas acentuadas nas temperaturas no decorrer do mês.

Neutralidade climática - A temperatura das águas superficiais no Oceano Pacífico Equatorial, bem como os padrões de circulação de grande escala, continuam mantendo o mesmo padrão próximo à média, seguindo a tendência de neutralidade. As temperaturas da superfície do mar, nas áreas mais a leste do Oceano Pacífico, continuam apresentando valores um pouco mais baixos que o normal e, nas áreas central e oeste, mantiveram-se dentro da normalidade. As condições climáticas em escala global observadas ao longo de setembro continuam indicando uma situação de “neutralidade climática” (nem “El Niño” e nem “La Niña”) para os próximos meses.

Influência - A tendência de neutralidade climática continuará influenciando o clima para os próximos meses. O mês de outubro deve apresentar precipitações acima da média no Centro-Sul do Brasil, mas continuamos com a tendência de chuvas muito irregulares, intercalando períodos curtos que concentram chuva acima da média com períodos maiores com pouca ou nenhuma precipitação, principalmente a partir de novembro. Para a região Sudeste, as chuvas devem ficar dentro da média nos próximos meses. Nas regiões Centro-Oeste e áreas produtivas do Nordeste, as chuvas, que estão atrasadas, começam a ocorrer gradativamente a partir de outubro.  As temperaturas continuam com este comportamento, de tendência para os extremos, intercalando períodos um pouco mais quentes, com quedas acentuadas de temperaturas, a exemplo do que ocorreu no decorrer do mês de setembro, para o Centro-Sul do Brasil. Nas demais regiões do Brasil, as temperaturas seguem com os valores dentro da média.  (Luiz Renato Lazinski / meteorologista do Inmet/Mapa)


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br