Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3193 | 03 de Outubro de 2013

ENCONTRO DE NÚCLEOS: Próximo evento acontece em Mandaguari, com convidados especiais

encontro nucleos 03 10 2013A cidade de Mandaguari, no Noroeste do Estado, vai sediar a segunda edição dos Encontros de Núcleos Cooperativos de 2013. Será no dia 24 de outubro, na Associação Atlética da Cocari, a partir das 8h30. A iniciativa é do Sistema Ocepar e visa reunir lideranças cooperativistas de todas as regiões do Estado para debater assuntos de interesse do setor, com a presença de convidados especiais. O secretário estadual da Agricultura, Norberto Ortigara, e o secretário-chefe da Casa Civil, Reinhold Stephanes, participam de u painel sobre as ações estruturantes para o desenvolvimento do Paraná. O presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes de Freitas, vai falar sobre atuação do Sistema, juntamente com o presidente da Ocepar e diretor da OCB, João Paulo Koslovski.

Mais apresentações – Koslovski também fará uma avaliação das ações do Sistema Ocepar referentes ao ano de 2013, com o superintendente José Roberto Ricken. O presidente da Cocari, Vilmar Sebold, apresenta dados sobre a cooperativa. O evento encerra com visita às instalações da Cocari.

O evento – Os Encontros de Núcleos Cooperativos vêm sendo realizados há 22 anos de forma ininterrupta no Paraná. São duas rodadas anuais. A primeira de 2013 aconteceu de forma descentralizada, entre os dias 3 e 6 de junho, em Carambeí, Toledo, Pato Branco e Ubiratã, reunindo 300 pessoas, entre presidentes, dirigentes, líderes, cooperados, funcionários das cooperativas paranaenses e convidados. “Desde que foram implantados, os Encontros de Núcleos se tornaram um dos mais importantes fóruns de discussões e de integração das lideranças do cooperativismo paranaense. A importância desse evento está exatamente em buscar, junto à base, aquilo que efetivamente as cooperativas precisam para o aperfeiçoamento de seu trabalho. Além disso, têm servido para que possamos levar informações do trabalho executado pelo Sistema Ocepar em suas diferentes áreas”, afirma o presidente João Paulo Koslovski. 

 

encontro nucleos outubro 2013

 

PRESTAÇÃO DE CONTAS: Conselheiros fiscais da Ocepar participam de 6ª reunião ordinária

Os membros do Conselho Fiscal da Ocepar participaram, na manhã desta quinta-feira (03/10), da 6ª Reunião Ordinária da gestão 2012/13, que teve a presença do superintendente José Roberto Ricken. O coordenador administrativo da Ocepar, Claudiomiro Rodrigues, fez a prestação de contas de junho a agosto aos conselheiros Paulo Roberto Fernandes Faria, da Unimed Federação; José Rubens Rodrigues dos Santos, da Bom Jesus, e Lauro Osmar Schneider, do Sicredi Campos Gerais. Houve ainda a apresentação do relatório da auditoria independente, feita pela CSS auditoria, referente aos sete primeiros meses do ano. 

{vsig}noticias/2013/10/03/prestacao_contas/{/vsig}

LEGISLATIVO: Senado aprova MP 619 e assegura benefícios para os ramos agropecuário e crédito

legisltativo I 03 10 2013O Senado Federal aprovou, na noite de terça-feira (01/10), a Medida Provisória nº 619/2013, que possui importantes pleitos do Sistema OCB e que beneficiam diretamente as cooperativas brasileiras. A MPV segue agora para a sanção da presidente Dilma Rousseff e, por isso, o Sistema OCB continuará atuando para que esses pontos importantes sejam mantidos. Conheça abaixo as principais conquistas para o setor:

FGCOOP – A provação da MPV nº 619/13, no Senado, é um grande passo rumo à instituição do Fundo Garantidor de Créditos das Cooperativas de Crédito (FGCoop). O texto da MPV, em seu artigo 55, isenta o FGCoop da incidência do Imposto de Renda, inclusive sobre suas aplicações de renda fixa e variável,  bem como da contribuição social sobre o lucro líquido (CSLL).

Reconhecimento - A concepção do FGCoop é vista por todo o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo como um reconhecimento, por parte do Estado, de que o cooperativismo é sistema competitivo, sólido e que reduz os desequilíbrios sociais, impulsionando a inclusão financeira e desenvolvendo os arranjos locais.

Empenho - “Necessário se faz salientar que esse ganho só foi possível pelo empenho das equipes do Sistema OCB, representantes do Conselho Consultivo de Crédito (CECO), seu grupo técnico, Casa Civil e do Banco Central do Brasil. Esse grupo de atores vem atuando em harmonia uns com os outros para fortalecer, cada vez mais, essa ferramenta de desenvolvimento econômico e social: o crédito cooperativo”, enfatiza Márcio Lopes de Freitas.

Armazenagem - Sempre atento às questões que dizem respeito aos pleitos do cooperativismo, o Sistema OCB participou ativamente da construção da proposta de renegociação do estoque de dívidas do setor armazenador brasileiro (armazéns, pessoas físicas e cooperativas). Algumas dessas dívidas têm cerca de 20 anos. As reuniões aconteceram no âmbito da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O intenso trabalho resultou na proposta de negociação das dívidas, contida na MPV 619/2013.

Alterações - Entretanto, quando o relatório foi publicado em meados do mês passado, algumas alterações foram feitas e, em função disso, as cooperativas não poderiam ser contempladas. Um bom exemplo dessa restrição era o prazo de reembolso de 5 anos e a taxa de juros de 6% ao ano, com a possibilidade de prorrogação para 8 anos e taxa de juros de 9% ao ano. Neste cenário, o valor de uma dívida contraída em agosto de 1994 cresceria aproximadamente 1.083%.

Negociações - A partir de negociações junto ao Congresso Nacional, o Sistema OCB garantiu a flexibilização dos prazos de reembolso – agora para 15 anos – e taxa de juros de 3,5% ao ano. “Com isso, abre-se a possibilidade de aumento significativo dos cadastramentos dos armazéns, oportunizando a política do governo de ampliação da capacidade estática de armazenagem brasileira, além da quitação de dívidas que representavam um elevado passivo”, analisa o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas. (Informe OCB)

 

TREINO&VISITA: Técnicos discutem controle de doenças e pragas da soja, em Londrina

Teve início, nesta quarta-feira (02/10), em Londrina, a 51ª reunião do grupo Treino&Visita, com a participação de 45 profissionais da assistência técnica das cooperativas Nova Produtiva, Cofercatu, Cocari, Cocamar, Coamo, Cvale, Coagru, Copacol, Coodetec e Coopavel, além de técnicos da Emater, Iapar, empresas de planejamento e pesquisadores da Embrapa Soja. Entre os temas discutidos estiveram o prognóstico climático para a safra 2013-14 e ferramentas de monitoramento das lavouras de soja atingidas pela ferrugem da soja. Técnicos das cooperativas também fizeram um relato dos problemas ocorridos neste início de safra no controle da buva. Ao final, foram apresentados os resultados de pesquisa do consórcio anti-ferrugem dos defensivos utilizados no controle da ferrugem asiática e mancha alvo.

Novos produtos - “Houve ainda uma discussão sobre o novo produto à base de carboxamida da Basf, que foi registrado no Ministério da Agricultura na semana passada. Na segunda-feira, a Ocepar participou de reunião em Curitiba, na Seab, solicitando agilidade no cadastro do produto para que ele possa ser utilizado ainda nesta safra, o que deve ocorrer até 11 de outubro. Há também as carboxamidas de outras empresas que estão em fase de registro no governo federal”, afirmou o analista técnico e econômico da Ocepar, Robson Mafioletti, que acompanha a reunião. O encontro prossegue nesta quinta-feira (03/10), com debates sobre manejo e conservação de solos, com pesquisadores da Embrapa trigo e soja.

{vsig}noticias/2013/10/03/treino_visita/{/vsig}

AGRÁRIA: Wintershow será realizado de 16 a 18 de outubro, em Entre Rios

agraria 03 10 2013De 16 a 18 de outubro, a Cooperativa Agrária promove mais uma edição do Wintershow, no distrito de Entre Rios, em Guarapuava, na região Centro-Sul do Paraná. De cunho técnico, o evento deve receber mais de 2.000 pessoas. Nos dois primeiros dias, seis pesquisadores da Fapa (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária) vão expor a excelência das tecnologias desenvolvidas para trigo, cevada, canola, aveia, fertilidade, fitopatologia e mecanização agrícola. Quatro especialistas, sendo três nacionais e um convidado da Alemanha, apresentarão temas relacionados às novidades do mercado agrícola, manejo de doenças, influências climáticas e melhoramento de cevada.

Referência - Referência em tecnologias de cereais de inverno no Brasil, o Wintershow 2013 repete o formato do ano passado, sendo todo realizado nos campos da Fapa. “O distrito de Entre Rios é um polo regional de difusão de tecnologia de cereais de inverno”, frisou o presidente da Agrária, Jorge Karl. “As novidades e tecnologias desenvolvidas estarão novamente presentes no Wintershow”, acrescentou.

Programação - A programação inicia às 9h do dia 16 de outubro, com o palestrante convidado André Pessoa, da Agroconsult, que abordará o tema “Perspectivas de mercado agrícola de cereais de inverno e verão”. Em seguida, o especialista Dauri José Tessmann, da UEM (Universidade Estadual de Maringá), falará sobre “Manejo de doenças em cereais de inverno”.

Clima e melhoramento de cevada - No dia 17, o meteorologista do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), Renato Lazinski, discorrerá, a partir das 9h, sobre a “Influência do clima nas produtividades das culturas de inverno e verão”. E, às 11h, terá lugar a palestra internacional com o pesquisador e melhorista alemão Markus Herz, da LfL (Bayerische Landesanstalt für Landwirtschaft - centro de pesquisa agrícola do Estado da Baviera), o qual apresentará “Avanços e perspectivas do melhoramento de cevada na Alemanha”.

Dinâmicas - Durante a tarde, ocorrerão as palestras simultâneas dos seis pesquisadores da Fapa, a partir das 13h30. Também haverá espaço destinado à dinâmica de máquinas agrícolas e test drive de pick-ups, com apresentação de novidades tecnológicas por parte de empresas expositoras. Produtores e interessados em adquirir equipamentos terão a oportunidade de avaliá-los com maior acuidade durante o balcão de negócios, que será realizado no dia 18. “O visitante poderá discutir detalhes com nosso pesquisador de mecanização agrícola”, explicou o coordenador da Fapa, Leandro Bren.

Produtividades acima da média - As pesquisas desenvolvidas pela Fapa possibilitam, aos cooperados da Agrária, materiais com produtividades acima da média brasileira, além de atender as demandas por qualidade exigidas pelos clientes das indústrias de malte, trigo, rações e óleo e farelo de soja da cooperativa. “A pesquisa na Agrária é o nosso norte em relação à atividade agrícola”, destacou Jorge Karl. “Estamos presentes em todos os elos da cadeia produtiva, desde a pesquisa até o fornecimento do produto final aos nossos clientes. E isso é apresentado no Wintershow”.

Recordes - O resultado da pesquisa, aliada às recomendações da assistência técnica específica, geraram produtividades recordes dos cooperados da Agrária, os quais chegaram a colher, em média, 4.400 kg/ha de cevada e 3.800 kg/ha de trigo (em 2011). Orientações agronômicas, como a época preferencial de plantio evitaram perdas, mesmo com as intensas geadas registradas em 2013.

Detalhes - A programação completa e demais detalhes estão disponíveis no site: www.wintershow.com.br. (Imprensa Agrária)

 

folder inter 2013 menor

SICOOB NOROESTE: Cooperativa comemora 10 anos

O Sicoob Noroeste, com sede administrativa em Paranavaí (PR), completou 10 anos no dia 3 de setembro. A celebração aconteceu no dia 20 de setembro, com a presença dos sócios fundadores, autoridades regionais e lideranças cooperativistas em um evento onde também foi apresentado o livro "A Face Humana do Capital" e a revista Sicoob Noroeste 10 anos, ambas publicações comemorativas. Para o presidente do Sicoob Noroeste, Hélio Nakatani, a cooperativa faz questão do bom atendimento e de beneficiar o maior número de pessoas na comunidade. "Números são importantes para as melhores soluções financeiras, em produtos e serviços bancários. Mas, todas as atitudes levam em conta o aspecto humano", frisa.

Postura ética - Segundo o primeiro presidente, por oito anos, do Sicoob Noroeste e atual vice-presidente, Rafael Benjamin Cargnin Filho, a postura ética é o diferencial da cooperativa de crédito. "Essa conduta confere credibilidade à marca", completou.

Números - O Sicoob Noroeste chega aos 10 anos com oito pontos de atendimento nas cidades de Paranavaí, Nova Esperança, Rondon, Loanda, Terra Rica e São Carlos do Ivai e aproximadamente sete mil cooperados, que movimentam mais de R$ 120 milhões. Além disso, conta com 115 colaboradores diretos e administra mais de R$ 91 milhões em recursos. (Informativo Sicoob Paraná)

SICOOB PARANÁ: Sistema adere à campanha de prevenção ao câncer de mama

Durante o mês de outubro, todos os pontos de atendimento do Sicoob Paraná estarão de rosa em prol da campanha de prevenção do câncer de mama, Outubro Rosa. Idealizada pelo Conselho de Administração do Sicoob Paraná, com o apoio do Instituto Sicoob Paraná, foi denominada Sicoob Rosa. Durante todo o mês, os funcionários de todo o Estado utilizarão, duas vezes por semana, camisetas com os motivos da campanha, além de distribuírem laços cor-de-rosa e materiais informativos sobre o combate à doença. (Informativo Sicoob Paraná)

INTEGRADA: Cooperativa participa do Outubro Rosa

outubro rosa Integrada 03 10 2013A Cooperativa Integrada abraçou a causa do combate ao Câncer de Mama e também está promovendo as ações do Outubro Rosa em suas regionais. O movimento Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Este movimento começou nos Estados Unidos, no final dos anos de 1990, quando o laço cor-de-rosa foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York.

Prevenção - As ações são direcionadas à conscientização da prevenção pelo diagnóstico precoce.  Na Integrada, um evento realizado nesta quarta-feira (02/10), em Goioerê, reuniu dezenas de agricultoras cooperadas, esposas e filhas de associados, além de colaboradoras da unidade regional.

Programação - A programação contou com palestra sobre câncer de mama e câncer de colo de útero, ministrada pela enfermeira da Secretaria de Saúde do Município, Leia Grejanin. A especialista abordou questões ligadas aos fatores de risco, sintomas das doenças, dicas de auto exame e prevenção. Além disso, o evento também contou com a participação da psicóloga e palestrante Helen Messias Guzman, que falou sobre felicidade e aspectos comportamentais para busca de mais qualidade de vida.

Regionais - As palestras do Outubro Rosa também serão realizadas nas regionais de Mauá da Serra, no dia 9, e em Londrina, no próximo dia 10. "O sistema cooperativista se preocupa com toda a família e, com o Outubro Rosa, queremos despertar no nosso quadro social a preocupação com essa doença que atinge milhões de mulheres todo ano no Brasil e no mundo", comenta a assessora de cooperativismo da Integrada, Lívia Favoreto. (Imprensa Integrada)

{vsig}noticias/2013/10/03/integrada/{/vsig}

 

LAR: Auditor recomenda a manutenção da certificação ISO 9001

lar 03 10 2013Na última sexta-feira (27/09), foram apresentados os resultados da auditoria da certificação ISO 9001, realizada na Cooperativa Lar por profissionais da Bureau Veritas, entre os dias 23 e 27 de setembro. O auditor Gustavo Costalunga Lima conduziu a explanação, que teve a presença dos colaboradores das unidades e áreas auditadas. “O sistema de gestão da Cooperativa Lar está muito bem implementado e gerenciado e, mesmo apresentando situações pontuais para melhoria, recomendamos a manutenção da certificação” disse o auditor. Presente ao evento, o diretor-presidente Lar, Irineo da Costa Rodrigues, enalteceu o trabalho. “Temos alguns pontos a melhorar, o que significa que precisamos nos aperfeiçoar continuamente. A recomendação nos deixa muito feliz, pois é a coroação do trabalho dedicado de toda a equipe”, declarou.

Sistema de gestão - O ISO 9001 é um sistema de gestão de processos que proporciona aos gestores um conjunto de ferramentas para o planejamento, monitoramento e tomada de ações preventivas e corretivas. Implantado há 11 anos na Lar, o trabalho foi iniciado pela Unidade Industrial de Mandioca e hoje se estende a todas as unidades industriais e também à área corporativa. (Com informações da Imprensa Lar)

 

RECONHECIMENTO: Unimeds do Paraná são premiadas na Convenção Nacional

reconhecimento 03 10 2013As Unimeds do estado do Paraná foram premiadas durante a 43ª Convenção Nacional Unimed, que aconteceu entre os dias 17 e 20 de setembro, em Belo Horizonte, cuja temática principal foi a discussão sobre a melhor forma de desenvolver um modelo sustentável. Entre os prêmios divulgados na Convenção, o Alberto Urquiza Wanderley de Comunicação, no qual a Unimed Paraná foi premiada na categoria Jornal Mural, com a TV U; Nilo Marciano de Oliveira de Marketing, que teve entre os premiados a Unimed de Londrina na categoria Ações/Programas de Relacionamento com o Cooperado, Prêmio de TI, em que a Federação também levou a premiação; e II Selo de Governança Nacional Unimed de Governança Cooperativa, no qual a Unimed Costa Oeste recebeu Selo Prata e as Unimeds Apucarana, Cascavel, Francisco Beltrão, Londrina, Paraná; Paranavaí, Ponta Grossa, Regional Maringá e Noroeste do Paraná receberam Selo Ouro. (Imprensa Unimed Paraná)

 

UNIMED MERCOSUL: Inscrições abertas para o II Encontro de Atenção Integrada em Saúde

Pelo segundo ano, a Unimed Mercosul está promovendo o Encontro de Atenção Integral em Saúde. O evento tem por objetivo trazer ao debate um dos temas mais importantes da atualidade: a atenção de forma integral à saúde. A temática será: “Práticas e perspectivas de um novo modelo” que destaca a implantação de um novo modelo de atenção primária em saúde. O evento será realizado no dia 25 de outubro, no Hotel Majestic, em Florianópolis/SC. Não perca a oportunidade de se aperfeiçoar, trocar experiências e conhecer ainda mais o Sistema Unimed. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail eventos@unimedmercosul.com.br ou pelo telefone (48) 3221-4400, com Letícia. (Unimed Mercosul)

SESCOOP: Banca julgará cooperativas inscritas ao Prêmio Excelência de Gestão

premio gestao 03 10 2013Acontece, nesta quinta-feira (03/10), o julgamento das cooperativas que concorrem à primeira edição do Prêmio Sescoop Excelência de Gestão, realizado pelo Sistema OCB, em parceria com a Fundação FNQ. O julgamento está marcado para acontecer na Casa do Cooperativismo, em Brasília. Já a divulgação dos vencedores será no dia 19/11. Os responsáveis pela escolha das cooperativas com maior nível de excelência em gestão são: André Luis da Silva Dantas, do Sebrae; Jairo Martins da Silva, da FNQ; Ronaldo Vieira da Silva, do Banco Central do Brasil; Roberto Rodrigues, Embaixador da FAO, e Marcos Vasconcelos, da Fundação Getúlio Vargas.

Idealização - Idealizada pelo Sescoop – entidade do Sistema “S” responsável pela formação, monitoramento e promoção social do cooperativismo brasileiro – a premiação reconhecerá, a cada dois anos, as cooperativas que adotarem as melhores práticas de gestão e de governança, incentivando a busca pela excelência da gestão e o aumento da competitividade do setor.

Comitê - E, para subsidiar o julgamento da banca, nestas terça e quarta-feira, o comitê gestor do prêmio, cujos membros foram indicados pelas unidades estaduais, está confrontando e validando as informações de dois questionários. O primeiro deles foi respondido pelas cooperativas, no ato da inscrição, e possui questões que envolvem a gestão e a governança das cooperativas. O segundo questionário foi preenchido por avaliadores. “Essas pessoas tiveram a missão de visitar as cooperativas, ao longo dos meses de agosto e setembro, para evidenciar as respostas dadas pelas cooperativas”, comenta a gerente de Monitoramento e Desenvolvimento de Cooperativas do Sistema OCB, Susan Miyashita Vilela.

Transparência – Palavras como ética, transparência e confidencialidade têm marcado o Prêmio Sescoop de Excelência de Gestão. De acordo com o gerente de monitoramento do Sescoop/PR, Gerson Lauermann, desde o início, as pessoas envolvidas têm se comprometido com a lisura do processo. “Os avaliadores foram indicados pelas unidades estaduais e não puderam visitar as cooperativas de seus estados; as cooperativas inscritas receberam um código de identificação, ou seja, os membros do comitê não sabem o nome e nem informações que possam identificar as cooperativas. Tudo foi muito bem planejado para garantir que as cooperativas campeãs sejam, de fato, referência no cooperativismo”, explica Gerson Lauermann.

Números – No total, 316 cooperativas se inscreveram. As inscrições de cooperativas mineiras superaram a média. O número de mineiros inscritos foi 162. A Bahia ficou em segunda colocação no ranking de inscritos, realizando 27 inscrições. (Informe OCB)

 

 

GOIÁS: Sistema OCB-GO comemora 57 anos

goias 03 10 2013O Sistema OCB/GO chegou aos 57 anos nesta quarta-feira (02/10). Numa pequena sala da Rua 8, no Centro de Goiânia, começou a história de representação política e institucional do cooperativismo em Goiás. Um grupo de líderes cooperativistas assinou as bases da representação de um movimento que já se espalhava por diversas partes do estado.

Origem - A então União das Cooperativas do Estado de Goiás (UCG) foi o embrião de um processo que deu origem ao atual Sistema OCB/Sescoop-GO, a Casa do Cooperativismo em Goiás. Uma entidade que une a defesa sindical e política das cooperativas ao processo de formação humana dos cooperativistas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado de Goiás (Sescoop/GO).

Imigrantes - Segundo estudos do economista e historiador Luís Estevam, as primeiras cooperativas de Goiás foram constituídas por imigrantes italianos e poloneses na região Sudoeste do estado. Hoje o setor é forte em diversos ramos da atividade econômica em que cooperativismo atua. O Sistema OCB/Sescoop-GO congrega e representa um universo de mais de 170 mil pessoas em 229 cooperativas de 11 dos 13 ramos em que o setor atua.

Honra - “Temos a honra de integrar um sistema que é reunião de gente, de pessoas e não de capital. Assim, ficam nítidas na história do cooperativismo de Goiás, como de resto de qualquer lugar, as marcas de um movimento construído de forma coletiva, com a participação de homens e mulheres que privilegiam o trabalho conjunto trazendo dividendos a si e às suas comunidades. Agradecemos a todos que acreditam nos ideais do cooperativismo em nosso estado e que possamos seguir juntos por muitos e muitos anos”, diz o presidente do Sistema OCB/GO em mensagem a dirigentes, cooperados e colaboradores das cooperativas de Goiás. (Informe OCB)

 

EXPOCOOP 2014: Brasil apresenta propostas para o evento

expocoop 03 10 2013O ano de 2014 não será apenas de Copa do Mundo no Brasil. No mês de maio do próximo ano, o país do futebol se transforma em país do Cooperativismo, com a 9º edição da Feira Mundial do Cooperativismo – Expocoop 2014. O evento, que acontecerá em Curitiba, reunirá cooperativas de mais de 20 países. Expocoop é uma feira profissional destinada a promover produtos e serviços de cooperativas de todos os setores. O objetivo principal é fornecer às cooperativas a oportunidade de mostrar suas mais recentes inovações e criar uma plataforma de negócios entre os produtores e o mercado consumidor internacional.

Reunião preparatória - A reunião preparatória para a feira acontecerá nesta sexta-feira (04/10), em Curitiba. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio de representantes da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDC), participará da reunião da Comissão Organizadora da Expocoop levando propostas para a organização da feira. Na ocasião, o Mapa irá discutir a possibilidade de realizar um evento em comemoração a uma década do Programa Coopergênero, assim como a realização de um painel da Reunião Especializada de Cooperativas do Mercosul (RECM) para a integração do Cooperativismo latino-americano. Há também o indicativo de lançamento do Centro Brasileiro de Documentação e História Oral do Cooperativismo.

Oportunidade - De acordo com o secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo do Mapa, Caio Rocha, o evento representa uma excelente oportunidade para a troca de informações e experiências, públicas e privadas, com o setor do cooperativismo mundial. “A SDC tem a responsabilidade de apoiar, fomentar e promover o cooperativismo no Brasil. No âmbito de suas linhas de atuação, um dos departamentos, o Denacoop, estimula o cooperativismo brasileiro a uma maior participação no mercado internacional. A Expocoop Brasil só vem ao encontro deste interesse do Ministério”, enfatiza.

Programação - A 9º edição do Expocoop terá na programação dois dias dedicados aos profissionais do cooperativismo e um dia ao público em geral. Aproximadamente seis mil pessoas são esperadas em três dias de evento, que ocorre de 15 a 17 de maio de 2014, na Expo Unimed Curitiba. (Mapa)

 

INFRAESTRUTURA I : Governo libera recursos para pavimentar 84 quilômetros de estradas rurais

infraestrutura 03 10 2013O Governo do Paraná liberou R$ 16,5 milhões para obras de calçamento de 84 quilômetros de estradas rurais, em 12 municípios. Os recursos fazem parte do programa Caminhos das Pedras, que recupera mais de 1.200 quilômetros de estradas rurais até o fim de 2014. Serão investidos mais de R$ 219 milhões, em repasses para 195 municípios. Foram atendidos seis municípios pela Secretaria de Agricultura e do Abastecimento e mais seis municípios pela Secretaria de Infraestrutura e Logística. Em média, cada prefeitura recebeu R$ 1,1 milhão e será responsável pela contratação das empresas que farão o calçamento. A previsão do governo é que o programa crie mais de 8 mil empregos diretos e indiretos no Interior do Paraná.

Pequenos e médios agricultores - “A agricultura paranaense é 86% composta por pequenos e médios agricultores, famílias que fazem da atividade no campo o seu sustento, contribuindo para o desenvolvimento da economia do Estado. A pavimentação e manutenção das estradas permite o transporte dos insumos produzidos e o escoamento da produção de forma adequada”, explica o secretário da Agricultura, Norberto Ortigara.

Social - O secretário da Infraestrutura, José Richa Filho, diz que o programa tem também caráter social ao melhorar a trafegabilidade entre o campo e as zonas urbanas. “Pelo mesmo caminhos que passa a safra, passa também o transporte escolar, a segurança e os serviços de saúde”. Somente neste ano, a Secretaria de Infraestrutura formalizou 56 convênios que vão beneficiar mais de 1 milhão de pessoas, com a recuperação de 336 quilômetros de estradas rurais.

Liberação - Neste ano, serão liberados mais de R$ 60 milhões em obras de calçamento de estradas rurais. Os R$ 159 milhões restantes serão pagos em 2014, de acordo com o andamento das obras.“É um esforço do Governo do Estado para que as comunidades rurais continuem se desenvolvendo e aumentem sua qualidade de vida”, destaca Ortigara.

Convênios - O secretário Norberto Ortigara recebeu, nesta terça-feira (01), prefeitos de Ivaiporã, Cruzeiro do Iguaçu, Bom Sucesso do Sul, Bom Jesus do Sul, Coronel Vivida e Assis Chateaubriand, para assinatura dos convênios. O deputado estadual Ademar Traiano também acompanhou a reunião. Na Secretaria da Infraestrutura foram firmados os convênios com Sulina, Virmond, Janiópolis, São João, Cruzeiro do Iguaçu e Itaperuçu. “Estamos agilizando os processos administrativos para que as prefeituras possam usufruir dos recursos o quanto antes”, comenta Ortigara. (Agência de Notícias do Paraná)

 

INFRAESTRUTURA II: União avalia transferir mais aeroportos para o setor privado em 2014

O ciclo de privatizações de aeroportos, que o mercado julgava estar terminando com o leilão do Galeão (RJ) e de Confins (MG), pode não ter chegado ao fim. A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, reconheceu ontem, pela primeira vez, que o governo avalia transferir mais aeroportos à iniciativa privada. "Estamos estudando a possibilidade de ter mais concessões", disse Gleisi ao Valor PRO, serviço de informação em tempo real do Valor.

Discussões preliminares - Segundo ela, as discussões ainda são preliminares, mas não se descarta a hipótese de incluir outros aeroportos "no horizonte" do governo em 2014. A ministra não quis antecipar quais terminais estão no foco, mas elencou uma série de critérios que merecem análise. "Temos que fazer um cálculo do tráfego aéreo, saber se pode servir de 'hub', se existe um potencial para carga." Também disse ser importante que seja mantido o equilíbrio das contas da Infraero.

Atrativa - "A concessão tem que ser atrativa", disse Gleisi. Ela fez questão de notar, porém, que os preparativos para as concessões de aeroportos têm sido menos conflituosos do que em outros eixos de transporte - rodovias, ferrovias e portos. E atribui isso ao fato de que o potencial de exploração comercial nos aeroportos é "muito grande", gerando receitas alternativas às concessionárias, o que põe em segundo plano aspectos como a taxa interna de retorno dos projetos. "São shopping centers com estacionamento para aviões", disse.

Diagnóstico inicial - O Valor apurou que um diagnóstico inicial dos técnicos aponta terminais com movimentação anual superior a 5 milhões de passageiros por ano como viáveis, em tese, para concessões ao setor privado. Enquadram-se na lista aeroportos como Salvador (8,8 milhões em 2012), Porto Alegre (8,2 milhões), Curitiba (6,8 milhões), Recife (6,4 milhões) e Fortaleza (5,9 milhões). Manaus teve apenas 3,3 milhões de passageiros no ano passado, mas o terceiro maior volume de carga aérea do país.

Congonhas e Santos Dumont - Congonhas e Santos Dumont também ultrapassam facilmente esse patamar, mas são aeroportos lucrativos para a Infraero e sem grandes possibilidades de expansão, nem exigem investimentos multibilionários em obras. Portanto, não haveria muito sentido em privatizá-los, segundo autoridades do setor.

Quebra do monopólio - Após anos de idas e vindas, o governo finalmente decidiu quebrar o monopólio da Infraero no setor e iniciar um programa de concessões, em fevereiro de 2012. Foram leiloados os aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília. Antes, já havia sido delegada a construção pela iniciativa privada do novo aeroporto de São Gonçalo do Amarante, nos arredores de Natal. Agora, estão sendo licitados o Galeão e Confins.

Goiânia e Vitória - No fim do ano passado, quando o governo estava prestes a tomar uma decisão sobre a segunda rodada de concessões no setor, lideranças estaduais chegaram a pedir ao Palácio do Planalto a inclusão de Goiânia e de Vitória na lista de aeroportos a serem leiloados. Eles tinham obras de ampliação paradas desde 2007 e 2008, respectivamente, e seus terminais estão completamente saturados.

Marasmo - Para as autoridades de Goiás e do Espírito Santo, privatizá-los era a única forma de sair do marasmo. Nos últimos meses, no entanto, a própria Infraero e a Secretaria de Aviação Civil conseguiram destravar a paralisia. Em um processo exaustivo, a estatal conseguiu aval do Tribunal de Contas da União (TCU) para retomar as obras em Goiânia, que tiveram ordem de serviço dada há duas semanas. Em Vitória, a previsão é concluir o projeto executivo de engenharia no fim deste mês e fechar um acordo com as empreiteiras responsáveis pelas obras.

Plano de outorgas - Na Secretaria de Aviação Civil, retomaram-se os estudos para elaborar um plano de outorgas dos aeroportos, o que determinaria os terminais com maior viabilidade para a iniciativa privada. O documento também é importante para transferir oficialmente à Infraero os aeroportos que continuarão sob sua administração. Hoje a estatal não pode incluir esses ativos em seus balanços, o que inviabiliza o plano de abertura de capital. (Valor Econômico)

 

PARCERIA: Entidades se unem para aumentar consumo de carne suína no Brasil

A comercialização de carne suína no Brasil ainda é inferior a dos Estados Unidos e de alguns países europeus, apesar dos brasileiros estarem entre os cinco maiores produtores do mundo. Enquanto no exterior o consumo chega a mais de 30 quilos por ano, por aqui, esse número gira em torno de 15,6 kg. Com o propósito de elevar o consumo nacional da carne suína para 18 kg por pessoa até 2015, a Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS), em parceria com o Sebrae e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), lançou nesta quarta-feira (02/10) a Semana Nacional da Carne Suína, que segue até o dia 16. A iniciativa faz parte de uma das ações estruturantes do Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura (PNDS), que tem como objetivo ampliar a compra do produto para promover a sustentabilidade do setor.

Contribuição - “Em pouco mais de três anos, essa iniciativa contribuiu para aumentar em 2,6 kg o que se consome desse tipo de carne por pessoa no Brasil”, afirma o presidente do Sebrae, Luiz Barretto. De acordo com ele, combater a ideia de que a carne suína faz mal à saúde, ressaltar seus benefícios e apresentar melhor o produto ao consumidor são os caminhos para a expansão desse mercado. O Projeto Nacional de Desenvolvimento da Suinocultura foi firmado em 2009, envolvendo as unidades do Sebrae na Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Santa Catarina. (Sebrae)

MAPA: Autoridade do Reino Unido destaca parceria com o Brasil

Com o objetivo de aprender mais sobre as práticas agrícolas no Brasil e compartilhar experiências, o ministro Adjunto do Meio Ambiente e Pesca do Reino Unido, Richard Benyon, esteve em reunião na tarde desta quarta-feira (02/10), com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade. Recentemente, o Mapa e o governo do Reino Unido estabeleceram um projeto de cooperação denominado “Agricultura sustentável para o Desenvolvimento Rural”. Tal projeto visa demonstrar aos produtores rurais tecnologias agrícolas de baixa emissão de carbono que recuperem o potencial produtivo de áreas agrícolas degradas e que permitam restaurar áreas de manutenção legal de vegetação nativa.

Contemplados - Com este projeto serão contemplados sete estados brasileiros e 70 municípios inseridos nos biomas Mata Atlântica e Amazônia. “Este projeto é o exemplo de que nós brasileiros consideramos fundamental preservar o meio ambiente e queremos desenvolver mais parcerias com o Reino Unido. A cooperação entre os dois países pode ser fortalecida porque temos interesse em melhorar cada vez mais nossa agricultura e nossa produção”, finalizou Antônio Andrade. (Mapa)

COMÉRCIO EXTERIOR: Camex discute possível retaliação aos EUA

A suspensão, pelos Estados Unidos, do pagamento da compensação mensal aos produtores brasileiros de algodão já ganhou dimensão dentro e fora do Brasil. Em reunião marcada para esta quinta-feira (03/10), os integrantes da Câmara de Comércio Exterior (Camex) podem recriar o grupo de trabalho de retaliação, com o objetivo de recalcular o valor e definir produtos para eventual retaliação do Brasil aos Estados Unidos.

Alerta - Ao mesmo tempo, grandes empresas americanas estão alertando os membros do Congresso que a decisão do governo de Barack Obama pode levar à perda de exportações e de empregos pelo risco de retaliação brasileira.

Disputa - A disputa começou devido à suspensão da compensação mensal que Washington se comprometeu a pagar aos produtores brasileiros de algodão, depois de perder disputa com o Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre os subsídios concedidos aos cotonicultores americanos.

Recálculo - A criação do grupo de trabalho seria uma forma de mostrar que o Brasil pode levar adiante a disputa e ganhar tempo enquanto a "farm bill" - uma nova legislação agrícola - é discutida nos Estados Unidos, segundo fonte do Ministério da Agricultura. "Não sinto clima para retaliar a curto prazo. O momento agora é de recalcular a lista, aguardar um pouco as discussões nos Estados Unidos e decidir o que fazer", disse.

Carta - Uma coalizão de grandes empresas americanas enviou carta a todos os membros do Congresso dos EUA alertando que uma retaliação por parte do Brasil no caso do algodão poderá custar mais de US$ 2 bilhões em exportações e perda de 14 mil empregos americanos. O "Brazil Trade Action Coalition", conhecido pela sigla Braztac, inclui empresas que defendem uma solução definitiva para a disputa do algodão e não querem pagar o custo de retaliação por causa de subsídios aos cotonicultores. Entre elas, estão Boeing, Alcoa, Bank of America, Visa, Cargill, Caterpillar, Lilly, FedEx, IBM e Oracle.

Aprovação - Na carta, datada de 23 de setembro, quando os americanos já tinham reduzido em 60% a compensação acertada com o Brasil, a coalizão insiste que é hora de o Congresso aprovar uma nova lei agrícola, a "Farm Bill". Estima que a nova lei precisa incluir medidas específicas para atender às queixas do Brasil sobre subsídios que foram considerados ilegais, que Washington concede a seus produtores.

Apoio - A Braztac apoiou o acordo entre EUA e Brasil, pelo qual os americanos pagavam compensação anual de US$ 147 milhoes aos cotonicultores brasileiros. A entidade estima que isso evitou US$ 2,5 bilhões em retaliações brasileiras contra produtos americanos e direitos de propriedade intelectual, durante os ultimos três anos.

TEC - A Camex também pode discutir nesta quinta uma mudança na lista de exceção à Tarifa Externa Comum (TEC) do Mercosul. A lista extra de cem produtos, que vigorou até 30 de setembro, perdeu validade. O secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Daniel Godinho, disse, na terça-feira, não saber se a questão estará na pauta da reunião desta quinta. (Valor Econômico)

ECONOMIA: Fipe reduz projeção para inflação de 2013 para 4,3%

Devido a um cenário mais confortável para a aceleração dos preços no curto prazo e surpresas para baixo nos últimos resultados, a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas cortou de 4,8% para 4,3% sua estimativa para a alta do Índice de Preços ao Consumidor da cidade de São Paulo (IPC-Fipe) em 2013. Segundo o coordenador do índice, Rafael Costa Lima, a inflação "não está indo a mil maravilhas", mas tem se mostrado mais favorável do que a expectativa da instituição de meses atrás. "Tínhamos perspectivas de que o câmbio iria pressionar mais, assim como a alta dos alimentos no atacado, mas isso acabou não batendo com força no índice."

Abaixo do esperado - Entre agosto e setembro, o IPC-Fipe ficou levemente abaixo do esperado por Lima, ao aumentar de 0,22% para 0,25%, surpresa que, de acordo com ele, ficou concentrada nos alimentos, mais especificamente nos in natura. Na passagem mensal, o grupo alimentação ficou praticamente estável, com retração de 0,01%, ante recuo de 0,02% no mês anterior, enquanto os produtos in natura ampliaram sua deflação de 0,57% para 5,03% no período.

Reversão - Para o economista da Fipe, este não é um mês de sazonalidade baixa para estes preços, mas, como eles não recuaram no momento esperado, a reversão das fortes altas observadas no início do ano ocorreu mais para frente. No acumulado de janeiro a setembro, os alimentos in natura subiram 4,41%, ao passo que, nos últimos 12 meses, o avanço foi de 2,91%. Lima ponderou, no entanto, que estes itens haviam recuado 5,19% na terceira quadrissemana deste mês e, no fechamento, a queda foi mais branda, o que sinaliza que o melhor momento para a inflação dos in natura já ficou para trás.

Outubro - Para outubro, a Fipe projeta que o IPC da cidade de São Paulo vai subir para 0,48%, puxado, principalmente, pelos alimentos, que devem registrar alta de 1%. Segundo Lima, as pressões observadas nos últimos índices do atacado devem chegar ao varejo, mas não justificam uma aceleração tão forte dos preços.

Câmbio - Além disso, acrescentou ele, a taxa de câmbio já cedeu no período recente, o que diminui a probabilidade de repasses expressivos daqui para frente.

IPC mensal - A trajetória projetada pela Fipe para o IPC mensal é de alta para o último trimestre de 2013, em função do aquecimento da demanda típico da época e também à sazonalidade mais pressionada dos alimentos. (Valor Econômico)


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br