Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3305 | 21 de Março de 2014

VISITA: Reitor da Universidade Positivo conhece programa de gestão das cooperativas

O reitor da Universidade Positivo (UP), José Pio Martins, realizou, na última quarta-feira (19/03), uma visita à sede do Sistema Ocepar, acompanhado do diretor de desenvolvimento de negócios, Manoel Knopfholz. Eles foram recebidos pelo presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, e pelo superintendente José Roberto Ricken. A finalidade foi conhecer um pouco mais sobre as demandas das cooperativas paranaenses nas áreas de gestão e o que a universidade pode contribuir para o estreitamento de parcerias neste ano de 2014. Pio Martins, que iniciou suas atividades profissionais na Valcoop, cooperativa que tinha sede em Londrina, afirmou que “o sistema cooperativista é uma força importante na economia do nosso estado e cada vez mais precisa estar preparada para os desafios que são postos, tanto no mercado externo como interno, e isto passa pela melhoria do processo de gestão. Temos muito a contribuir neste sentido”, frisou ele.

Modelo - José Roberto Ricken fez uma rápida apresentação sobre os principais números do cooperativismo no Paraná e destacou que hoje quase 60% do que se produz no Paraná passa pelas cooperativas. “A nossa responsabilidade é muito grande a tendência é que aumente na medida em que os produtores percebam que o modelo já deu certo e que este é o caminho para agregar valor ao produto primário. Hoje, mais de 42% da produção é agroindustrializada e queremos alcançar 50% até 2015”.

Parcerias - Ricken disse que o Sistema Ocepar, por meio do Sescoop/PR, vem realizando um papel importante para a melhoria da gestão das cooperativas, através da realização de cursos, seminários, graduações e pós-graduações. “Neste ano, iniciamos em parceria com a PUCPR um mestrado em gestão de cooperativas, onde mais de 90 candidatos disputaram as 25 vagas disponíveis, o que demonstra o interesse dos profissionais do setor em atualizar cada vez mais o conhecimento”, lembrou. Parcerias semelhantes também acontecem com outras instituições de ensino, como a UFPR, Isae, FGV e a própria Universidade Positivo, com a realização de algumas pós in company.

Programa - Durante a visita, o gerente de Desenvolvimento e Autogestão, Gerson Lauermann, fez uma explanação sobre o Programa Estratégico de Desenvolvimento de Cooperativas (PEDC), ferramenta desenvolvida de forma integrada pelas áreas de Desenvolvimento Humano e de Autogestão do Sescoop/PR, e que tem por finalidade otimizar as ações de capacitação do setor cooperativo. Com uma base de dados financeiros de diversas cooperativas desde 1999, o programa fornece às cooperativas uma radiografia da gestão e o que precisar ser focado em treinamentos para que os recursos aplicados retornem como resultados. A visita foi acompanhada também pelo superintendente adjunto, Nelson Costa, pelo gerente técnico econômico, Flávio Turra, coordenador da gerência de desenvolvimento humano, Humberto Bridi e pelo coordenador de comunicação, Samuel Milléo Filho.

{vsig}noticias/2014/03/21/visita/{/vsig}

SISTEMA S: Grupos de trabalho discutem propostas de ações integradas

Representantes das nove entidades que integram o Sistema S no Paraná (Sebrae, Senac, Sesc, Sesi, Senai, Sest, Senat, Senar e Sescoop) estiveram reunidos, na sexta-feira da semana passada (14/03), na sede do Sebrae/PR, em Curitiba, quando conheceram a proposta de funcionamento dos chamados Grupos de Trabalho das seis áreas prioritárias definidas pelo Comitê de Superintendentes. O encontro foi coordenado por Fábio Hideki Ono, gerente de Gestão Estratégica e do consultor Marlon Vaz, consultor do Sebrae/PR.

Metas – Durante a reunião, Fábio Ono falou que a iniciativa “além de estreitar o relacionamento dos profissionais das entidades do Sistema S, tem a meta de construir, de forma consensual, uma agenda única para 2014, buscando uma maior sinergia entre os vários níveis hierárquicos das instituições e, assim, com propostas objetivas, contribuir de foram integrada para o desenvolvimento econômico e social do Paraná”.

Prioridades- Os superintendentes que integram o Comitê apontaram para este primeiro momento seis temas principais e que deverão compor os Grupos de Trabalhos: 1. Educação – que deve estabelecer um planejamento de longo prazo para as ações de educação do Sistema S (considerando cenários e perfis demográficos, socioeconômicos, etc.). Integrar nas propostas educacionais o tema empreendedorismo inovador; 2. Setores Estratégicos - Definição conjunta de setores estratégicos para a competitividade da economia paranaense; 3. Pesquisas e Conjuntura - Sinergia entre pesquisas conjunturais, avaliação abrangente de indicadores de economia paranaense, realização de alertas para empresários; 4. Defesa Institucional e Política do Sistema S - Fazer uma nova comunicação, pensar em meios como rádio e TV, buscar depoimentos dos clientes afirmando que as nossas instituições são importantes; 5. Licitações - Fazer registro comum de preços ou utilizar a ata de outras instituições. Ex. compra de carros, serviços, compartilhar boas práticas na execução de obras e 6. Estrutura Física de Atendimento - Mapear os ativos das instituições do Sistema S no Paraná, compartilhando espaços (ex. salas, auditórios) que poderiam estar ociosos em determinados momentos.

Sescoop/PR – Profissionais de diversas áreas do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Paraná (Sescoop/PR) e da Ocepar participaram deste encontro: Nelson Costa, superintendente adjunto; Leonardo Boesche, gerente de desenvolvimento humano; Samuel Zanello Milléo Filho, coordenador de comunicação; José Ronkoski, coordenador administrativo e financeiro; Humberto Bridi, coordenador de desenvolvimento humano e Gilson Martins, analista técnico e econômico.

Comunicação – Nesta quinta-feira (20/03), os profissionais que integram o Grupo de Trabalho da Comunicação do Sistema S se reuniram na sede da Fiep, no Campus do Trabalhador. O grupo, que é coordenado pela assessora da Fiep, Adriana Brandão,  e contou também com o apoio do consultor do Sebrae, Marlon Vaz, discutiu uma proposta de trabalho a curto, médio e longo prazo e que será apresentada na segunda-feira (24/03) pelo coordenador de comunicação do Sescoop/PR, Samuel Zanello Milléo Filho para o Comitê de Superintendente,s durante reunião na sede do Sebrae/PR. “No ano passad, realizamos um trabalho conjunto com todos os assessores e que resultou na elaboração de um encarte com 24 páginas, mostrando a presença do Sistema S no comércio, indústria, agricultura, cooperativismo, transporte e pequenas empresas. Este material foi encartado num jornal de grande circulação estadual e deu uma boa repercussão”, lembrou Adriana. “A sugestão dos superintendentes é que neste ano de 2014 isto seja ampliado para outras formas de comunicação”, destacou Marlon Vaz.

Presenças – Além de Adriana Brandão e Marlon Vaz, participaram desta reunião do Grupo de Trabalho de Comunicação, Elvira Fantin, Raquel Cicarelli e Adriane Pasa Gonçalves, do Sistema Fiep; Paulo Afonso Ferreira Silveira, do Sest e Senat; Samuel Zanello Milléo Filho, Sistema Ocepar; Leandro Donatti, do Sebrae/PR e  Cesar Luiz Gonçalves e Rosane Guarise, do Sistema Fecomércio.

{vsig}noticias/2014/03/21/Sistema S/{/vsig}

OCB: Presidente do Sistema participa de seminário na OEA

ocb 21 03 2014O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, participou nesta quinta-feira (20/03), em Washington (EUA), do seminário “As Cooperativas das Américas Impulsionando o Desenvolvimento Econômico com Inclusão Social”. O evento foi realizado na sede da Organização dos Estados Americanos (OEA), e contou com a presença de representantes dos movimentos cooperativistas dos 22 países-membros da Aliança Cooperativa Internacional para as Américas.

Apresentação - O presidente fez uma apresentação sobre o forte crescimento do movimento cooperativista no Brasil e seus principais desafios. Márcio Freitas falou, ainda, sobre o perfil das cooperativas agropecuárias localizada no hemisfério. Ele frisou que o número de cooperados no Brasil cresceu 11% em 2013 e que as cooperativas de crédito cresceram mais de 20% no ano passado. “Esses números posicionam as cooperativas, no Brasil, como fomentadoras de desenvolvimento econômico e social”, reforça o presidente.

Evento – O seminário foi a primeira iniciativa da OEA destinada às cooperativas e contou com a participação do Secretário Geral Adjunto da OEA, Albert Ramdin, da Representante Permanente dos Estados Unidos junto à organização, Carmen Lomellin, e de chefes de estado dos países da região.

OEA – A Organização dos Estados Americanos é a entidade internacional que agrega os países das Américas. Fundada em abril de 1948, é uma das organizações mais antigas do planeta. Sua sede está em Washington e tem como missão a integração regional, a manutenção da paz e o desenvolvimento econômico.

Saiba mais– O cooperativismo é muito forte e crescente na maioria dos países americanos. Nos Estados Unidos, as cooperativas de infraestrutura, especialmente as de eletrificação rural, tiveram papel de suma importância no desenvolvimento das áreas rurais. Na década de 30, o governo incentivou a criação de cooperativas para fazer a eletrificação. Como resultado, hoje 75% das redes de transmissão e 12% de toda energia consumida nos EUA vêm de cooperativas.

Exemplos - Exemplos de sucesso e expansão do movimento são vistos em muitos países. No México, por exemplo, as cooperativas concentram 85% da produção de leite e produtos lácteos. No Paraguai, atualmente, as cooperativas de crédito já somam 25% do mercado financeiro.

Nesta sexta- A comitiva brasileira se encontrará nesta sexta-feira (21/03) com o Embaixador do Brasil em Washington, Mauro Vieira, e com parlamentares americanos. O objetivo da reunião com o diplomata brasileiro é trazer à atenção da Chancelaria à força do movimento cooperativista no país e sua expansão global. Também está prevista uma reunião com deputados ligados à base cooperativista americana, para conhecer a atuação parlamentar em prol das cooperativas, fator que trouxe grande força e respeito ao movimento cooperativista nas Américas. (Informe OCB)

 

ENERGIA ELÉTRICA: Sistema OCB trabalha temas regulatórios com Aneel

aneel 21 03 2014Representantes do Sistema OCB se reuniram na quarta-feira (20/03) à tarde, em Brasília, com técnicos das superintendências de Regulação Econômica, responsável pela construção da metodologia de revisão tarifária imposta às cooperativas, e de Concessões, Permissões e Autorizações de Transmissão e Distribuição da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Cronograma de atividades- A reunião faz parte de um cronograma de atividades que visam melhorar o conhecimento entre as partes, objetivando o aprimoramento dos atos normativos e a construção do pleno entendimento a respeito das resoluções da Agência, e foi o primeiro contato técnico com as áreas responsáveis pela construção das normas que impactam o dia a dia das cooperativas de eletrificação, após a indicação de Antonio Erthal como interlocutor do cooperativismo.

Confirmação - Ao final da reunião, Erthal confirmou a próxima atividade deste processo de aproximação entre as entidades: o workshop “Encontro da Aneel com as Permissionárias de Distribuição de Energia”, que está programado para os dias 7 e 8 de abril.

Enquadramento – Outra ação do Sistema OCB, com vistas ao desenvolvimento do setor, será reunir as cooperativas em processo de enquadramento como permissionárias, visando a obter assim, as informações que subsidiem a ampliação dos limites de tarifa estabelecidos pela Aneel para obtenção da permissão. (Informe OCB)

 

SICREDI CENTRAL: Sistema realiza Assembleia Geral em Curitiba

sicredi central 21 03 2014A Central Sicredi PR/SP/RJ promoveu, na noite desta quinta-feira (20/03), a sua Assembleia Geral Ordinária (AGO) destinada à prestação de contas do exercício de 2013, no Hotel Four Points by Sheraton, em Curitiba. O encontro foi prestigiado pelo presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski. De acordo com os membros Conselho de Administração, 2013 foi um ano diferenciado para a Central Sicredi PR/SP/RJ. “A viabilização do apoio das cooperativas do Paraná para a ampliação da rede de unidades de atendimento em São Paulo e a inserção da livre admissão em regiões como o Vale do Paraíba, ABCD, Jundiaí, Limeira e na capital paulista dão um significado relevante para o processo de expansão e consolidação da marca Sicredi neste estado”, salientam em mensagem publicada no Relatório Anual 2013. Ainda de acordo com eles, novos projetos devem abranger as regiões de Indaiatuba, Barretos, Sorocaba e Ribeirão Preto, ampliando ainda mais a visibilidade do sistema.

Cooperados – Segundo o Conselho de Administração, outro fato relevante no campo estratégico foi a acolhida da Unicredi Rio ao Sicredi, como Sicredi Rio, e a ampliação da área de responsabilidade para aquele estado, inaugurando a terceira onda do planejamento estratégico da Central. No ano passado, também houve o registro de aumento no número de cooperados, com o ingresso de 89,7 mil novos sócios nas cooperativas ligadas ao Sicredi, crescimento de ativos em 23,8% e do patrimônio líquido em 26,99%.

Fato importante – Outro fato destacado como importante pela Central Sicredi PR/SP/RJ foi a criação, por parte das cooperativas de crédito brasileiras, do FGCoop – Fundo Garantidor de Depósitos exclusivo das cooperativas, igualando a referência ao FGC dos bancos. 

 

SICREDI: Campeonato Brasileiro de Turismo ganha novos patrocinadores

sicredi racing 21 03 2014O Sicredi, a Icatu e a Mapfre - seguradoras parceiras da Corretora de Seguros Sicredi - são os mais novos patrocinadores do Campeonato Brasileiro de Turismo, categoria de acesso à Stock Car. A competição ocorre em oito das 12 etapas da Stock Car e é a base da formação de pilotos que pretendem competir na maior categoria de automobilismo nacional. Márcio Campos, piloto da equipe Sicredi Racing que participou como convidado da Motortech na última etapa de 2013, também estreia no Campeonato Brasileiro de Turismo. A primeira etapa será disputada com rodada dupla no autódromo de Interlagos, em São Paulo, nos dias 22 e 23 de março.

Decisão estratégica - Para o diretor-executivo de Produtos e Negócios do Banco Cooperativo Sicredi, Edson Nassar, o patrocínio ao Campeonato Brasileiro de Turismo é uma decisão estratégica que atende a três propósitos: ampliar a visibilidade da marca, atuar como instrumento de engajamento com o público interno e incrementar negócios. “Estamos em busca de novas conquistas para o Sicredi e para a equipe Sicredi Racing. Um novo campeonato é fundamental para isso. Vamos massificar ainda mais nossas iniciativas de marketing esportivo. Os desafios serão maiores, mas já temos experiência para enfrentá-los”, acrescenta Nassar.

Foco diferente - O piloto Márcio Campos afirmou que, neste ano, o foco será diferente do que tinha até 2013, quando conquistou o terceiro título consecutivo no Mercedes-Benz Grand Challenge. “Lá eu sabia praticamente tudo do carro, havia uma espécie de zona de conforto. Aqui tudo é novidade. O carro, a tração, o motor, o câmbio. Esse novo momento me trouxe muita motivação, eu me sinto animado de verdade para correr atrás desse aprendizado”, ponderou. João Campos, pai do piloto, segue como estrategista da equipe. A Sicredi Racing continua com os patrocínios das seguradoras parceiras da Corretora de Seguros Sicredi, Icatu e Mapfre, para a temporada 2014.

Transmissão - O Campeonato Brasileiro de Turismo é transmitido ao vivo pelo Portal R7, com reprise pela Rede TV!. Mais informações estão disponíveis no site brasileirodeturismo.com.br.

Sicredi Racing Carbono Zero - O projeto permanece nesta temporada. O objetivo é compensar todas as emissões de gases de efeito estufa nos deslocamentos, nos treinos, nas provas da equipe e da torcida Sicredi. A neutralização começou no final de 2013 com o plantio de 673 mudas de árvores nativas distribuídas nos Estados do Paraná, São Paulo e Rio Grande do Sul. (Imprensa Sicredi)

 

SICREDI PARANAPANEMA: Assembleia itinerante de consórcio é realizada em Cambará

A cooperativa Sicredi Paranapanema PR/SP, com o apoio da Administradora de Consórcios Sicredi, realizou na terça-feira (18/03) a assembleia nacional itinerante do segmento caminhões, tratores e utilitários. O evento aconteceu no Clube Norte, em Cambará, e contou com a presença de mais de 500 participantes.

Contemplados - Ao todo foram contemplados 21 consorciados, pertencentes a quatro grupos, distribuindo mais de R$ 4,18 milhões em créditos. Os benefícios e diferenciais do consórcio foram apresentados por Kátia Luiza Trein, Coordenadora de Mercado da Administradora de Consórcios Sicredi, que também anunciou os consorciados contemplados na assembleia.

Oportunidade - As assembleias itinerantes, que acontecem nacionalmente, permitem ao consorciado, além de ter a chance de ser contemplado no próprio evento, entender o funcionamento de uma assembleia de consórcios e conferir a prestação de contas de seu grupo. Mensalmente, a assembleia de consórcios é realizada na cidade da cooperativa que candidatou-se a recebê-la, prestigiando sua dedicação por meio dos colaboradores e consorciados. São realizadas assembleias dos segmentos de imóveis, automóveis, motocicletas, caminhões, tratores e utilitários e serviços.

Ranking - No ranking do Banco Central do Brasil (Bacen), o Sicredi está atualmente na 11ª posição, com 113,7 mil cotas ativas, das quais 49% já foram contempladas. Deste montante, 3.233 cotas pertencem à Cooperativa Sicredi Paranapanema PR/SP, com um total em carteira de créditos de mais de R$ 102 milhões.

Informações - Mais informações sobre a assembleia e os planos de consórcio disponíveis no Sicredi, podem ser obtidas nas Unidades de Atendimento da Sicredi Paranapanema PR/SP.

Sicredi Paranapanema PR/SP - É uma das 100 cooperativas que integram o sistema Sicredi. Fundada em 1985, tem uma história marcada pela expressiva expansão, fortalecendo as comunidades e associados de toda a região do norte do Paraná e sul de São Paulo. Atualmente presente em 23 municípios, tem aproximadamente 31 mil associados e cerca de R$ 220 milhões em recursos administrados. (Imprensa Sicredi Paranapanema PR/SP)

{vsig}noticias/2014/03/21/sicredi_panapanema/{/vsig}

SICREDI FRONTEIRAS: Sorte em Campo contempla associado de Boa Vista da Aparecida

sicredi fronteiras 21 03 2014O associado da cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, José Eliseu Moreira da Silva, de Boa Vista da Aparecida, foi um dos contemplados no 5º sorteio da Promoção Sorte em Campo Sicredi. A instituição financeira cooperativa vai distribuir, por meio da promoção, 25 prêmios semanais de R$ 30 mil e um prêmio final de R$ 250 mil a pessoas físicas e jurídicas. Ao todo, os prêmios somam R$ 1 milhão até o encerramento, em agosto.

Participação - Para participar, basta o associado ter investimento em poupança, depósito a prazo (RDC/Sicredinvest), fundos de investimento e capital social ou indicarem amigos e familiares que se associem, conforme estabelecido em regulamento. Os números da sorte serão atribuídos aos associados pelas cooperativas de crédito de forma eletrônica, sem a necessidade de cadastro do participante. Os associados podem consultar os números e o regulamento por meio do site da promoção: www.sorteemcamposicredi.com.br, nas unidades de atendimento ou pelo SAC Sicredi (0800-724-7220).

Sobre o Sicredi- O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa com mais de 2,5 milhões de associados e 1.258 pontos de atendimento, em 10 Estados* do País. Organizado em um sistema com padrão operacional único conta com 100 cooperativas de crédito filiadas, distribuídas em quatro Centrais Regionais acionistas da Sicredi Participações S.A.  uma Confederação, uma Fundação e um Banco Cooperativo que controla uma Corretora de Seguros, uma Administradora de Cartões e uma Administradora de Consórcios. Mais informações no site sicredi.com.br.

* Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Pará, Rondônia e Goiás.

 

LAR: Inauguração do Centro Administrativo é o ponto alto na festa de 50 anos

Mais de 2.500 pessoas participaram, em Medianeira, Oeste do Paraná, da inauguração do novo Centro Administrativo da Cooperativa Agroindustrial Lar, na noite de quarta-feira (19/03), ponto culminante das festividades alusivas ao 50º aniversário da cooperativa, cujo faturamento estimado é de 3 bilhões de reais para 2014. “Temos a responsabilidade de melhorar a renda dos nossos cooperados e melhor remunerar nossos colaboradores. A Lar possui visão social e está comprometida com a região que está instalada. Chegamos em 2014 sendo a terceira maior cooperativa do Paraná”, afirmou o diretor-presidente, Irineo da Costa Rodrigues.

Cooperativismo - Presente ao evento, o governador Beto Richa disse que “o Paraná deve muito ao sistema cooperativista pelos bons resultados que apresenta anualmente”. Segundo ele, o setor cooperativista é fundamental para o bom desempenho da economia do Paraná, que cresceu 5% em 2013, mais do que o dobro dos 2,3% do PIB brasileiro. “O setor movimentou R$ 46 bilhões, o que representa 56% do PIB agropecuário do Paraná. São 983 mil cooperados, 72 mil funcionários e mais de R$ 1,2 bilhão de impostos recolhidos”, disse Beto Richa.

Atuação - Fundada em 19 de março de 1964 por 55 agricultores, em um processo que determinou a criação do município de Missal, a Cooperativa Lar atua nos estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina, além do Paraguai, através da comercialização e armazenagem de cereais, beneficiamento de sementes, venda de insumos agropecuários, abate de aves, produção de pintainhos, fecularia, industrialização de carnes, fábrica de ração, esmagamento de soja e suinocultura.

Estrutura - Irineo Rodrigues lembrou que a Lar tem 10 indústrias próprias e compartilha de outras cinco com cooperativas da região, mantendo negócios com mais de 50 países. Disse também que o governo do Paraná sempre foi parceiro, oferecendo crédito e investindo nos municípios. “Sentimos o empenho de apoiar o cooperativismo estadual”, registrou.

Qualificação profissional- Falando em nome dos funcionários, o gerente Jair Meyer destacou o contínuo processo de qualificação profissional nas diversas unidades e setores. O presidente do sistema Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), João Paulo Koslovski, destacou que o BRDE tem sido fundamental para que as cooperativas construam novas unidades e agreguem valor aos produtos.

Pioneiro - O pioneiro e ex-presidente Ignácio Aloysio Donnel citou aspectos históricos e defendeu união em torno do projeto de reabertura da Estrada do Colono, que liga as regiões Oeste e Sudoeste, através do Parque Nacional do Iguaçu. Ricardo Endrigo, prefeito de Medianeira, agradeceu ao governador pela atenção dispensada à região Oeste. “Este é um governo muito próximo dos prefeitos, que atende todos os municípios, independente de partido”, afirmou.

História - Para Jorge Samek, diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, “qualquer historiador que vier a escrever sobre o Oeste do Paraná terá que dedicar muitas páginas à Cooperativa Lar, que comanda este processo de transformação regional”. Os deputados federais Dilceu Sperafico (PP) e Osmar Serraglio (PMDB) também se enalteceram a importância da Coopertativa Agroindustrial Lar. (Imprensa Lar)

{vsig}noticias/2014/03/21/lar/{/vsig}

COCARI: Projeto Olho D’Água é exemplo de gestão sustentável da agricultura

O Projeto Olho D’Água, desenvolvido pela Cocari – Cooperativa Agropecuária e Industrial, com sede em Mandaguari-PR, em parceria com a empresa Nortox, com sede em Arapongas, é destaque na segunda edição da Revista Gestão Sustentável da Agricultura, uma publicação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), lançada dia 19 de março, em Brasília. O evento de lançamento foi conduzido pela equipe do Ministério, sendo o secretário executivo, José Gerardo Fontelles; o chefe da assessoria de Gestão Estratégica, João Cruz Reis Filho; e o coordenador geral de Sustentabilidade Ambiental, Renato de Oliveira Brito.

Presenças - Prestigiaram a solenidade autoridades representantes de órgãos públicos e privados, imprensa e demais convidados de representações diplomáticas. O superintendente da Organização das Cooperativas Brasileiras, Renato Nobile, também prestigiou o lançamento. A Cocari foi representada pelo presidente Vilmar Sebold e pela assessora de Comunicação da cooperativa, Cláudia Carvalho.

Bons exemplos de sustentabilidade- De acordo com o Mapa, a revista é uma forma encontrada para reunir e tornar conhecidos os bons exemplos de inclusão e prática da sustentabilidade ambiental, tanto da parte de organizações com vínculo com a agricultura brasileira, quanto de produtores rurais. Nesta edição, a Cocari é a única cooperativa brasileira a fazer parte da publicação, fato que gerou admiração dos participantes do lançamento. Inclusive, o chefe da assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, João Cruz Reis Filho, reforçou isso em entrevista exclusiva à assessora Cláudia Carvalho.

Gratificante - “É muito gratificante ter uma cooperativa selecionada, porque a gente sabe a importância do cooperativismo para o Brasil. O cooperativismo representa uma parcela muito importante da produção agropecuária, é uma forma fantástica de organização dos produtores, e isso tem de ser estimulado. A Cocari está aqui, primeiro por mérito dela e de seus associados, mas também porque na Comissão de Seleção nós enfatizamos que era importante a presença de uma cooperativa, assim como de uma empresa pública, que é o caso da Embrapa, para mostrar que essas iniciativas de sustentabilidade estão se espalhando pelo país. Obrigado à Cocari por terem nos prestigiado com a participação em nossa edição”, agradeceu Reis Filho.

Outros cases- Além da Cocari, tiveram seus cases publicados as empresas: Andef, Fundação Espaço ECO, Banco do Brasil, Embrapa Trigo, Fibria, Korin Agropecuária e inpEV.

Ideias em prática- Vilmar Sebold cumprimentou o Mapa pela iniciativa da publicação. “Cumprimento pela ideia, e por colocá-la em prática, porque sabemos que ideias não colocadas em prática são só sonhos”, disse o presidente. “E esse projeto começou como um sonho, porque naquele primeiro momento existia uma preocupação muito grande dos produtores em função da fiscalização do Estado, de que em área de nascente não se podia mexer de qualquer forma, não se podia causar nenhum tipo de mudança naquilo. Hoje é um grande sucesso e está sendo expandido para o Brasil inteiro, e isso, para nós, é motivo de muito orgulho”, disse.

Lema - “No cooperativismo nós temos um lema no Paraná que é muito forte e diz o seguinte: Nenhum de nós é tão bom, quanto todos nós juntos”, justificou, falando também da parceria fundamental com a Nortox. “Fomos desafiados anos atrás pela Nortox para, em parceria, colocarmos esse projeto em operação, para a proteção das nascentes. E já estamos com 408 minas recuperadas”, destacou Sebold.

Projeto similar- Ele falou sobre a parceria da Cocari e Prefeitura de Maringá no lançamento de projeto similar ao Olho D’Água, que deu início à recuperação de nascentes no Parque do Ingá, onde outras nove minas foram identificadas para também receber a proteção. “Temos um orgulho muito grande de dizer que já temos a Prefeitura de Maringá como parceira nossa, o Parque do Ingá, que é considerado o cartão postal de Maringá para turismo, nós fizemos a recuperação daquelas nascentes, ou seja, a proteção de tal forma que elas não tenham nenhum tipo de contaminação”, salientou. “Se nós conseguirmos, dentro de um projeto, claro, cada vez maior, proteger as nascentes do país, nós teremos rios com águas mais potáveis, rios com águas mais limpas e é óbvio que a sociedade, como um todo, será beneficiada. Esse é o desafio”, completou o presidente da Cocari.

Outras responsabilidades - Sebold fez um breve resumo sobre as atividades da Cocari no Paraná e em Goiás, sobre os demais projetos socioambientais desenvolvidos pela cooperativa e do reconhecimento que isso tem dado à Cocari. “A Cocari é uma cooperativa com foco nos resultados, mas com uma preocupação grande no lado social também”, afirmou. “Temos diversos programas e inscrevemos esse não para participar e ganhar. Fizemos um programa, em parceria com a Nortox, no sentido de termos responsabilidade sobre isso, como acontece com todos os outros. Temos orgulho de por três anos consecutivos termos sido laureados com a Certificação Chico Mendes de Responsabilidade Socioambiental. E para nós, que trabalhamos no agronegócio, ter o reconhecimento do Instituto Chico Mendes é realmente relevante”, frisou Sebold.

Parceria dá bons frutos - O diretor executivo da Nortox, Humberto Amaral, fez questão de acompanhar o presidente da Cocari ao lançamento. Ele falou da importância da parceria com a cooperativa e desse momento para a Nortox. “A Nortox agradece a oportunidade de estar aqui. A Cocari é muito importante para a Nortox. Quando houve essa iniciativa, nós procuramos a Cocari, porque achamos que seria uma empresa de fácil acesso, que poderíamos começar um projeto desse próximo da nossa região e que isso iria se multiplicar e dar bons frutos. As minas vêm sendo recuperadas e nós vamos ser parceiros em Goiás também”, informou.

Avanço da agricultura e da sustentabilidade - O secretário executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Gerardo Fontelles, parabenizou as empresas pelas iniciativas publicadas, falando da evolução da política agrícola nos últimos 40 anos e dos avanços tecnológicos que permitiram tal evolução. “Essa etapa de sustentabilidade nada mais é do que a sequência e a consequência do aperfeiçoamento e da integração da sociedade brasileira na agricultura. Evoluímos tecnologicamente, do ponto de vista de produção e produtividade e, na mesma magnitude, no sentido da sustentabilidade”, analisou o secretário executivo. “Parabéns para vocês, por darem continuidade ao trabalho que vêm se desenvolvendo ao longo dos anos, e essa é a ponta da equação entre a produção e o equilíbrio, através da sustentabilidade”, frisou José Gerardo Fontelles.

Equação fácil - O chefe da assessoria de Gestão Estratégica do Mapa, João Cruz Reis Filho, falou em nome do ministro Neli Geller, da satisfação do Ministério da Agricultura, em estimular práticas sustentáveis. “Costumamos encontrar algumas críticas da capacidade da agricultura de produzir com sustentabilidade, e para nós é uma equação bastante fácil de ser solucionada. É possível sim, e pela segunda vez abrimos um edital para identificar essas iniciativas bem sucedidas de sustentabilidade, para análises públicas, e mostrar que podemos, de fato, ter uma agricultura cada vez melhor, que a regra é a agricultura sustentável, e não há exceção”, observou. 

Referência - Reis Filho comentou o processo de abertura do edital para publicação. “Foi aberto um edital, que tinha prazo para inscrição das propostas, constituímos uma comissão julgadora, com especialistas do Mapa, tanto da nossa área como da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo, que é parceira nesta iniciativa. Foram selecionados os relatos, fizemos reunião, tomamos a decisão de ser uma edição bilíngue, porque como a agricultura brasileira é líder mundial, é importante para que nossos clientes, nossos competidores tenham conhecimento do que se faz, e que se faz bem feito aqui no Brasil. Hoje temos a grata satisfação de estar lançando essa publicação”, anunciou.

Objetivos - Ele destacou a importância de publicar as iniciativas praticadas pelas empresas. “Temos de divulgar, cada vez mais, os casos de sucesso dessa gestão sustentável no agronegócio, isso serve para ser referência, sensibilizar e orientar tanto produtores quanto entidades a adotarem a sustentabilidade nas suas atividades”, explicou. “Outro objetivo também é ampliar os canais de diálogo entre o Mapa, os setores e a sociedade, as nossas equipes das câmaras setoriais fazem isso muito bem, foram nossos parceiros na divulgação. Com isso vamos construindo as parcerias do setor público com o privado”, afirmou o chefe da assessoria de Gestão Estratégica do Mapa.

Revista será permanente - O coordenador geral de Sustentabilidade Ambiental do Mapa, Renato de Oliveira Brito, anunciou que a revista Gestão Sustentável da Agricultura terá publicação permanente. “Essa publicação começou como um piloto dentro do Ministério, e hoje conseguimos ver como uma ação permanente se tornou uma publicação de periodicidade anual, mais instituições estão sendo envolvidas”, disse Brito, informando também que o edital para a publicação de 2015 já foi lançado, para que mais instituições possam participar. A terceira edição terá versão trilíngue (português, inglês e espanhol).

Internacionalização - “Um dos objetivos dessa publicação é justamente fortalecer o processo de internacionalização das ações do Ministério da Agricultura. As instituições já podem se inscrever, até 31 de agosto. O lançamento está previsto para o primeiro trimestre de 2015”, informou. “Agradeço aos que estão aqui, porque sem vocês essa publicação não faria sentido”, acrescentou Renato de Oliveira Brito.

Sustentabilidade é regra - João Cruz Reis Filho reforçou aos jornalistas que o objetivo central da publicação é de acelerar as práticas sustentáveis. Segundo ele, a expectativa é de aumentar ano a ano o número de cases publicados, contemplando pelo menos mais oito iniciativas. “Temos uma comissão avaliadora dessas propostas, nós vamos colocar as mais impactantes. Esperamos que no ano que vem a publicação tenha repercussão ainda maior. Queremos dar uma publicidade internacional para essas iniciativas, para mostrar que a agricultura brasileira se preocupa, sim, com a sustentabilidade”, salientou.

Motivo de orgulho - O superintendente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Renato Nobile, disse ver com orgulho o reconhecimento da Cocari, por meio da publicação do Mapa. “São exemplos e práticas das cooperativas sendo referências. Esse é um momento muito oportuno da cooperativa e nós nos inserimos com a responsabilidade de órgão de representação das cooperativas, irmanados com a Ocepar e aqui no sistema nacional”, apontou. “É uma oportunidade maravilhosa de mostrar para esse público, que é o grande formador de opinião dos processos produtivos e de comercialização do agronegócio, esse exemplo praticado pela Cocari”, enfatizou Nobile.

Iniciativa - A Revista Gestão Sustentável da Agricultura é uma iniciativa da Coordenação-Geral de Sustentabilidade Ambiental (CGSA), da Assessoria de Gestão Estratégica (AGE). A obra reúne casos bem sucedidos de instituições privadas, públicas e de produtores ligados à agricultura, que tenham a gestão sustentável inserida e exercitada em suas atividades.

Impressão - Foram impressas 5 mil exemplares da revista. Cada instituição participante receberá 150. Universidades, centros de pesquisa, iniciativa privada, outras instituições públicas também receberão a publicação, que será disponibilizada ainda em PDF para download. A primeira edição teve mais de 20 mil acessos solicitando a versão em PDF.

Olho D’Água: resultado de ações simples - O Projeto Olho D’Água é uma aposta da Cocari na qualidade de vida dos cooperados e das futuras gerações. A proposta é restaurar as nascentes nas propriedades dos cooperados, melhorando a qualidade de vida e conscientizando os produtores do cuidado com o meio ambiente. Lançado em 2009, o projeto já recuperou mais de 400 minas e o cadastro de espera não para de crescer. A Cocari pretende que cada propriedade de sua área de ação, mais de 20 municípios no Paraná e em Goiás, tenha sua nascente com água pura, boa para o consumo humano e para o uso nas atividades rurais.

Mais de quatrocentas- A 408ª mina recuperada pelo Projeto Olho D’Água está localizada em Mandaguari, na propriedade do cooperado José Hélio Ribeiro de Carvalho. Ele tem duas minas na propriedade e conta que a vazão é muito boa, mas que a falta de proteção tornava a água suja, principalmente em dias de chuva. “Quando chovia não dava para usar, a água ficava barrenta”, esclarece. “E a água é usada para tudo. Tanto em casa, quanto para o gado”, reforça. O produtor disse ainda que em períodos de seca, as minas da vizinhança ficavam sem água e ele acaba fornecendo água para os produtores vizinhos, tão boa é a vazão da mina de sua propriedade. E agora, restaurada, não mais apresentará risco de sujeira ou contaminação. 

Multiplicadora – Essa iniciativa chamou a atenção de prefeituras e a Cocari, certa de que boas ideias devem ser disseminadas, passou a atuar também como multiplicadora, apoiando e treinando funcionários dos municípios interessados: Maringá-PR; São Pedro do Ivaí-PR; Jandaia do Sul-PR; Lunardelli-PR; Mandaguari-PR; e Lorena-SP. (Imprensa Cocari)

{vsig}noticias/2014/03/21/cocari/{/vsig}

C.VALE: Professores de Palotina são qualificados no Projeto Atlas Ambiental Mata Viva

Em setembro de 2013, foi lançado o Atlas Ambiental Mata Viva de Palotina, que beneficiará 3.899 alunos de 22 escolas públicas e particulares do ensino fundamental do município. O material, uma iniciativa da Basf, implementada pela Fundação ECO, com apoio da C.Vale e Prefeitura de Palotina, agora chega aos professores.  Entre os dias 20 e 21 de março, 44 professores participaram do primeiro módulo da qualificação para trabalhar com o material em sala de aula. Estão previstos outros três encontros para os meses de maio, agosto e setembro, totalizando 64 horas/treinamento.

Ferramenta - Para o presidente da C.Vale, Alfredo Lang, o Atlas Ambiental Mata Viva é mais uma ferramenta de aprendizado à disposição dos alunos e professores. “Essa parceria entre a C.Vale, prefeitura e BASF está colocando a sustentabilidade à disposição da comunidade de forma prática, fácil e com muita didática”.

Qualidade do material- O prefeito de Palotina Jucenir Stentzler também participou da abertura do treinamento dos professores e destacou a qualidade do material. “O município de Palotina está recebendo um presente. O Atlas Ambiental Mata Viva será uma grande fonte de pesquisa e conhecimento para os nossos alunos”.

Preocupação - Luis Giacon, consultor de Contas Especiais da Unidade de Proteção de Cultivos da BASF, destacou a preocupação da organização e de seus parceiros na formação das atuais e futuras gerações. “Presenteamos Palotina com o fornecimento de um material didático para as escolas, mas também para que cada cidadão possa contribuir a partir de sua cidade, sendo um agente mobilizador para melhorar a qualidade de vida”.

Conteúdo - O Atlas Ambiental Mata Viva é composto por textos, infográficos e imagens de satélite que retratam questões ligadas à história, geografia, economia e temas socioambientais de Palotina, do Paraná e do Brasil. O projeto visa criar novos multiplicadores da sustentabilidade em cada região, promovendo, além da capacitação dos professores, um aprendizado a alunos das escolas públicas sobre as características ambientais da região em que vivem, apresentando uma nova perspectiva das ações locais e seu impacto global. (Imprensa C.Vale)

{vsig}noticias/2014/03/21/cvale/{/vsig}

COAPROCOR: Venda de frutas para a merenda escolar transforma a vida em Corumbataí do Sul

As terras que abrigam as plantações em Corumbataí do Sul, no Centro-Oeste do Paraná, nunca estiveram tão produtivas como agora. As frutas colhidas pelos pequenos agricultores do município seguem direto para as 2,5 mil escolas estaduais e conveniadas do Paraná. Desde 2012, a pequena cidade - que fica próxima a Campo Mourão e tem 4 mil habitantes - fornece frutas e polpas de frutas orgânicas para a merenda escolar do Estado.

Mudança - A entrega dos alimentos para as escolas mudou a história dos habitantes e da própria cidade com a criação de novos empregos. A renda dos pequenos agricultores aumentou e eles e conseguiram diversificar a produção, após participarem das chamadas públicas para oferta dos alimentos da agricultora familiar realizadas pela Secretaria de Estado da Educação.

Cooperativa - Todos estão organizados na Cooperativa Agroindustrial de Corumbataí do Sul (Coaprocor), que reúne também associados de outros 25 municípios do Paraná. São mil pequenos produtores ligados à cooperativa.

Tecnologia - A compra dos alimentos por parte do Governo do Paraná para a merenda escolar permitiu que a cooperativa investisse em tecnologia. Hoje, os pequenos agricultores têm uma agroindústria à disposição. Lá eles observam seus produtos serem transformados para conseguirem um maior valor agregado.

Avanço - A cooperativa produz cerca de 70 mil quilos de frutas e polpas de frutas por mês. Segundo o presidente da Coaprocor, Gerson Rodrigues da Cruz, a venda dos produtos para a merenda escolar trouxe uma mudança radical na cidade. “Tivemos um avanço de mais de 60% nos preços dos produtos e isso dá mais segurança para os pequenos agricultores. Quando iniciamos a cooperativa, o único produto comercializado era o maracujá. A compra dos produtos pelo Governo do Estado abriu um leque de diversificação para novas culturas”, disse Gerson.

Geração de empregos- Com a agroindústria, a cooperativa passou a empregar 30 funcionários que moram em Corumbataí do Sul. A média de produção é de 5 mil a 6 mil quilos de polpa de frutas orgânicas por dia. Carlos Rosa Alves, prefeito de Corumbataí do Sul, comemora a criação de novos empregos na cidade, resultado direto da destinação das frutas para a merenda escolar. “Melhorou a questão da criação de empregos na nossa cidade e também a geração de mais renda. O aumento do poder aquisitivo dos pequenos agricultores faz a economia da cidade crescer junto”, explicou o prefeito.

População - A garantia de que a produção colhida será comercializada também fez com que a população de Corumbataí do Sul não diminuísse. Antes de fornecer os alimentos para a merenda escolar, os produtores vendiam para os mercados comuns. Como a disputa com grandes produtores é difícil, muitos agricultores pensaram em abandonar Corumbataí para tentar a vida em uma cidade maior.

Dificuldade superada- Carlos Cezar Matesco, de 49 anos, já pensou em arrancar todos os pés de laranja que produz e ir para Indaiatuba-SP. “Eu ia abandonar a roça. Teve bastante gente que largou tudo e saiu daqui. Em 2011 perdi cerca de 200 caixas de laranja, estava muito difícil de continuar, dependíamos de entregar para o mercado, era longe e difícil”, explicou Matesco.

Diversificação - Hoje, com a entrega dos produtos para a merenda escolar, o agricultor pensa em diversificar a plantação. “Em 2013 consegui entregar toda a minha produção para a merenda. Foi ótimo. Agora quero plantar outras variedades de fruta também. Posso me planejar porque sei que entrego a produção e vou receber por isso”, comemorou o agricultor.

Segurança - O produtor Nelson Marques de Neira, 51 anos, conta que a compra dos produtos da agricultura familiar para a merenda escolar trouxe um novo ânimo para a região. “É muito interessante esse sistema da compra da merenda escolar, essa parceria do governo para manter os pequenos agricultores no campo. Antes a gente vivia na mão dos atravessadores e nosso produto não tinha valor”, explicou.

Aquisição - Com a renda das duas colheitas de caqui que já entregou para a merenda escolar, o produtor João Batista Campos, 46 anos, comprou uma moto nova para se deslocar do sítio para a cidade. “Antes eu vendia a caixa de caqui por R$ 15, R$ 16 para o mercado normal. O preço agora está girando em torno de R$ 40. A vantagem é que entregamos toda a mercadoria para a merenda escolar e não há perda, como acontecia com os mercados”, afirmou.

Quantidade maior- O agricultor Olavo Aparecido Luciano, 46 anos, confirmou que agora é possível entregar uma quantidade maior de produtos. “Graças à cooperativa conseguimos fazer esse trabalho. Antes a gente trabalhava mais com a monocultura, mas agora diversificamos a produção e temos um preço melhor. Podemos arriscar em todos os sentidos. Se diversificarmos a produção, temos a garantia de comercialização, vamos saber que teremos produção e entrega o ano inteiro”, definiu Olavo.

Avanços – Em 2014, o Governo do Paraná já comprou R$ 47 milhões de alimentos de pequenos produtores. O Estado é o único Estado do Brasil que supera a meta de comprar 30% de produtos da agricultura familiar para a merenda. Atualmente, 50% dos produtos servidos nas escolas estaduais são da agricultura familiar.

Salto qualitativo- Em 2014 serão servidas 15 mil toneladas de alimentos produzidos por agricultores que integram 136 cooperativas em todo o Estado. “O Paraná deu um grande salto quantitativo na compra de alimentos sem agrotóxicos. Em 2011, eram adquiridas nove toneladas de alimentos orgânicos. Hoje, são mais de 2.500 toneladas de alimentos da agricultura orgânica em nosso Estado. Isso significa que nossos alunos estão se alimentando mais e melhor”, afirmou o vice-governador e Secretário da Educação, Flávio Arns.

Agroindústria - O gerente da Coaprocor, Carlos Alves de Souza, disse que graças à venda dos produtos para a merenda escolar foi possível construir a agroindústria em Corumbataí do Sul. O que antes tinha que ser vendido fora da cidade, e acabava não criando empregos no município, agora é transformado em Corumbataí do Sul, onde as frutas viram polpa.

Agregação de valor- “Isso agrega valor e renda. Esse apoio do governo estadual ao cumprir essa política de comprar mais de 30% da agricultura familiar é muito importante para nós aqui do campo. Beneficia várias famílias e complementa a renda de todos. A agricultura familiar do Paraná tem ganhado muito com o fornecimento dos alimentos para a merenda escolar”, disse Carlos Souza. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}noticias/2014/03/21/coaprocor/{/vsig}

ALEP: Deputados aprovam projeto que amplia atuação dos dentistas nos hospitais

alep 21 03 2014Os deputados aprovaram na sessão de terça-feira (18/03), da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), 33 projetos de lei. Entre as matérias que passaram pelo Plenário está o projeto de lei nº 46/13, da deputada Luciana Rafagnin (PT), que dispõe sobre a obrigatoriedade da presença de cirurgiões dentistas nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Modificação - O projeto propõe modificar o artigo 1º e respectivo parágrafo único da Lei nº 16.786/11, originária de uma proposta de autoria da própria Luciana Rafagnin, e que trata da obrigatoriedade da presença de profissionais de Odontologia nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). A deputada assinala que o objetivo é inserir a presença de dentistas em todas as equipes multidisciplinares existentes no ambiente hospitalar, ampliando a abrangência de atuação deste profissional.

Cuidado especial- “Estender a todo ambiente hospitalar a presença de cirurgião dentista é levar aos pacientes internados um cuidado essencial para prevenção e tratamento de doenças. Com a complementação da lei nesse sentido, estamos diante da oportunidade de definir um padrão de atendimento que pode vir a ser referência para outros estados”, argumenta a autora da proposição.

Imóveis – Também passaram pelo Plenário, em primeira discussão, três projetos de decreto legislativo (de números 03/2013, 04/2013 e 05/2013), todos de autoria dos deputados Valdir Rossoni (PSDB) e Plauto Miró (DEM), que versam sobre autorização ao Poder Executivo para a alienação de diferentes imóveis.

Segunda discussão- Já em segunda discussão os deputados aprovaram o projeto de resolução nº 01/14, de autoria da Comissão Executiva, que denomina como “Espaço Affonso Camargo” a sala de entrada no piso térreo do Edifício Tancredo Neves – prédio anexo do Legislativo estadual onde estão localizados os gabinetes dos deputados, no Centro Cívico, em Curitiba.

Utilidade pública- A maioria das demais proposições que passaram também nesta sessão plenária revoga ou altera leis que concedem títulos de utilidade pública a entidades diversas que não desenvolvem mais as suas atividades, e de outras que apresentam algum tipo de irregularidade. (Assessoria de Imprensa da Alep)

 

SEBRAE/PR: Nona edição do Varejo Mais é lançada em Curitiba

O ano de 2013 foi decisivo para os negócios da empresária Aline Kulczynski. Ela trabalha no ramo de venda de calçados desde 2010 e, recentemente, abriu duas filiais. “Com mais funcionários, mais estoque e mais contas para pagar, a administração dos negócios ficou difícil”, conta a empreendedora. Foi nesse momento que ela decidiu investir em conhecimento para garantir o desenvolvimento de sua empresa. Aline se inscreveu para participar do Programa Varejo Mais – Mais Vendas, Mais Competitividade, uma iniciativa do Sebrae/PR e do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, e começou a capacitação em 2013.

Nona edição- Um ano depois, Aline estava, na última terça-feira (18/03), novamente no auditório do Sebrae/PR, em Curitiba, para o lançamento da nona edição do Programa, mas dessa vez como convidada, para contar sua experiência e o caminho que a levou ser reconhecida como uma das três empresas revelação no Programa. “Eu conquistei maturidade empresarial, sei exatamente qual a situação atual das finanças e já projeto a ampliação dos meus negócios, com a segurança de que não corro o risco de dar um passo para trás tomando essa decisão”, relata a empresária.

Outro propósito- Assim como Aline, Carolina Antochevis também fez a capacitação em 2013 e retornou para o lançamento da edição 2014, mas com outro propósito. “Eu trouxe a irmã para conhecer o Programa. A empresa dela está passando por uma crise e eu sei que o Varejo Mais vai ajudá-la a colocar a empresa no eixo”, afirma.

Esperança- Fernanda Antochevis, irmã de Carolina, tem uma papelaria, que está passando por problemas na administração. Ela conta que tem esperanças de salvar a empresa. “Vi o quanto o negócio da Carol melhorou e acho que o Varejo Mais irá me ajudar a ‘colocar a casa em ordem’”, aposta a empresária.

Resultados - Para o diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta, que participou do lançamento, o exemplo das duas irmãs é a maior prova da eficiência do Varejo Mais. “Isso só acontece, porque os resultados são efetivos. Os próprios participantes fazem a ‘propaganda’ e retornam, todos os anos, para trazer novos empresários.”

Atendimento e capacitação - Desde 2005, quando começou a parceria entre o Sebrae/PR e o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, 10.000 empresas já foram atendidas e 18.000 pessoas capacitadas. “Com o Varejo Mais, as empresas do comércio de bens e serviços passam por uma transformação. O mais, marca registrada do Programa, é uma alusão ao trabalho das duas entidades para tornar as empresas participantes mais competitivas no mercado. O Varejo Mais deixa as empresas mais preparadas, mais informadas, mais profissionais e com mais faturamento”, reforça Tioqueta.

Qualificação - O vice-presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Luiz Carlos Borges, incentivou os empresários presentes a sempre procurar qualificação. “Todos merecem os parabéns só por estarem aqui. Programas como este ajudam a manter a sustentabilidade dos negócios e o empreendedor nunca deve deixar de buscar isso”, afirma. O dirigente destacou o papel do Sistema S, formado por entidades, como o Sebrae e Fecomércio, e o trabalho desenvolvido em prol do desenvolvimento do Estado.

Presenças - O lançamento da edição 2014 do Programa Varejo Mais contou com a presença de inúmeros empresários que preencheram a ficha de inscrição, para concorrer a uma das 25 vagas disponíveis para Curitiba. Os empresários acompanharam ainda a palestra do coordenador estadual de Varejo, Bens e Serviços do Sebrae/PR, Osmar Dalquano Junior, que falou das novas tecnologias no varejo, relacionamento, engajamento, customização, dentre outros.

Competividade - A solução é ofertada desde 2005, numa parceria entre o Sebrae/PR e o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e tem como objetivo aumentar a competitividade e preparar as empresas para os desafios do mercado. A consultora do Sebrae/PR e gestora do Programa na Grande Curitiba, Fernanda Pesarini, informa que, ao final do curso, os empresários são convidados a preencher um questionário para avaliar a qualidade do Programa e informar quais resultados a empresa obteve após a participação.

Geração de empregos- Pesarini destaca a geração de empregos como um dos maiores ganhos do Varejo Mais. “Grande parte das empresas que fazem a capacitação apresenta um crescimento nos lucros e, por consequência, acaba contratando mais funcionários, o que é muito positivo para a economia”, destaca a consultora do Sebrae/PR.

Sobre o Sebrae/PR - Para quem já é ou quer ser empresário, o Sebrae/PR – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná é a opção mais fácil e econômica de obter informações e conhecimento. Criado na década de 1970, o Sebrae apoia as decisões dos empresários, dos potenciais empresários e dos potenciais empreendedores, no campo e na cidade, porque é a instituição que entende de pequenos negócios e possui a maior rede de atendimento do País. Ao todo, são 27 unidades e aproximadamente 600 postos de atendimentos espalhados de norte a sul do Brasil. No Paraná, conta com seis regionais e 11 escritórios. A instituição chega aos 399 municípios do Estado por meio de atendimento itinerante, pontos de atendimento e de parceiros locais, como associações, sindicatos, cooperativas, órgãos públicos e privados. O Sebrae/PR oferece palestras, orientações, capacitações, treinamentos, projetos, programas e soluções empresariais, com foco em desenvolvimento de empreendedores; impulso a empresas avançadas; competitividade setorial; promoção de ambiente favorável para os negócios; tecnologia e inovação; acesso ao crédito; acesso ao mercado; parcerias internacionais; redes de cooperação; e formação de líderes. (Imprensa Sebrae/PR)  

ONU: População precisará de 40% a mais de água em 2030

onu cataratas 21 3 2014Na semana em que se comemora o Dia Mundial da Água (22 de março), a Organização das Nações Unidas (ONU) prevê que, em 2030, a população global vai necessitar de 35% a mais de alimento, 40% a mais de água e 50% a mais de energia. Neste ano, as celebrações giram em torno do tema Água e Energia e a relação arraigada entre esses dois elementos foi destaque na reunião da ONU, em Tóquio, para celebrar o dia.

Desafios globais- Água e energia estão entre os desafios globais mais iminentes, segundo o secretário-geral da Organização Meteorológica Global e membro da ONU-Água, Michel Jarraud, em nota divulgada pela organização. Atualmente, 768 milhões de pessoas não têm acesso à água tratada, 2,5 bilhões não melhoraram suas condições sanitárias e 1,3 bilhão não têm acesso à eletricidade, de acordo com a ONU.

Situação inaceitável- A situação é considerada inaceitável por Jarraud. Segundo ele, outro agravante é que as pessoas que não têm acesso à água tratada e a condições de saneamento são, na maioria das vezes, as mesmas que não têm acesso à energia elétrica.

Políticas e marcos- O Relatório Global sobre Desenvolvimento e Água 2014, de autoria da ONU-Água, reforça a necessidade de políticas e marcos regulatórios que reconheçam e integrem abordagens sobre prioridades nas áreas de água e energia.

Impacto - O documento destaca como assuntos relacionados à água impactam no campo da energia e vice-versa. Um dos exemplos citados lembra que a seca diminui a produção de energia, enquanto a falta de acesso à energia elétrica limita as possibilidades de irrigação.

Destinação - Ainda de acordo com o relatório, 75% de todo o consumo industrial de água é direcionado para a produção de energia elétrica.

Topo da agenda- Energia e água estão no topo da agenda global de desenvolvimento, segundo o reitor da Universidade das Nações Unidas, David Malone, que este ano é o coordenador do Dia Mundial da Água em nome da ONU-Água, juntamente com a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (Unido).

Desenvolvimento inclusivo e sustentável- O diretor-geral da Unido, Li Yong, destacou a importância da água e da energia para um desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável. “Há um forte clamor hoje para a integração da dimensão econômica e o papel desempenhado pela indústria das manufaturas em particular, na direção das prioridades de desenvolvimento pós‐2015. A experiência mostra que intervenções ambientalmente saudáveis nas indústrias de transformação podem ser altamente efetivas e reduzir significativamente a degradação ambiental. Eu estou convencido que um desenvolvimento industrial inclusivo e sustentável será um elemento chave para uma integração bem sucedida das dimensões econômica, social e ambiental,” declarou Li, em nota da ONU.

Dia Mundial- O Dia Mundial da Água foi instituído em 1992. Desde a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Eco-92, a data é referência para as discussões em busca de soluções para os conflitos existentes entre oferta e demanda de água ao redor do mundo. (Agência Brasil)

 

agua - onu 21 03 2014

 

ECONOMIA: Prévia da inflação oficial registra taxa de 0,73% em março

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15), que é a prévia da inflação oficial, registrou taxa de 0,73% em março deste ano. A taxa é superior às observadas em fevereiro deste ano (0,7%) e em março do ano passado (0,49%). O dado foi divulgado nesta sexta-feira (21/03) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O IPCA-15 acumula taxas de 2,11% no ano e 5,9% nos últimos 12 meses. A inflação em março foi influenciada principalmente pelo grupo alimentação e bebidas, que teve taxa de 1,11% no mês. Entre os produtos que mais contribuíram para a inflação, estão o tomate (28,53%), a batata-inglesa (14,59%), as hortaliças (12,72%), os ovos (3,07%) e as frutas (2,05%).

Impacto menor- Apesar de ter um impacto menor no IPCA-15, os transportes tiveram uma taxa ainda maior (1,22%), devido às altas de preços das tarifas aéreas (27,08%), tarifas de ônibus urbano (1,51%) e etanol (3,89%). Entre os grupos de despesa que compõem o IPCA-15, apenas o grupo de comunicação teve deflação (queda de preços) de 0,66% em março. (Agência Brasil)

COMÉRCIO BILATERAL: Mercosul e UE se reúnem para comparar ofertas

O Mercosul e a União Europeia (UE) vão apresentar nesta sexta-feira (21/03), em Bruxelas, os contornos das respectivas ofertas de liberalização que estão preparando, visando retomar a negociação do acordo birregional de livre comércio que já dura 14 anos e foi interrompida seis vezes. Na reunião desta sexta, cada lado deverá indicar o grau de ambição de sua oferta, e portanto o que o parceiro tende a ganhar com o acordo. Dessa vez não haverá ainda cifras precisas e sim indicação geral do que cada um está montando, segundo fontes próximas das discussões.

Barreiras - A negociação envolve remover ou reduzir barreiras para produtos agrícolas e industriais, abrir mercados para serviços, investimentos compras governamentais e inclui questões regulatórias. O Valor apurou que negociadores do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai continuavam ontem trabalhando em Bruxelas para tentar chegar a um nível maior de ambição de abertura de seus mercados, mas sem conclusão.

Debate - Até agora, a Argentina permitiu que a oferta do Mercosul liberalize 87% do intercâmbio do bloco com a UE. A discussão é como chegar a cortar as tarifas de 90% dos produtos, como acertado anteriormente com os países europeus. Representantes do Mercosul estimam que, mesmo se "faltar um pouquinho", podem apresentar hoje aos europeus uma boa faixa de abertura de seus mercados. Ou seja, dá para cada lado ter uma ideia de 'onde está o ganho com o acordo.

Troca inicial- Se depois da reunião de hoje o Mercosul e a União Europeia sentirem que há segurança de que o grau de ambição será equilibrado, a próxima etapa será marcar a data para a troca inicial de ofertas, na retomada do que pode ser a etapa final da negociação.

Participação ativa- A Argentina participa ativamente das discussões dentro do Mercosul, o que não quer dizer necessariamente que diminuiu sua resistência a uma maior abertura de seu mercado.

Setor privado- No setor privado, na Europa, o interesse é muito grande para que a negociação avance. ''A expectativa é muito alta, e esperamos que agora seja realmente o momento certo para levar a conclusão do acordo, porque os dois lados só têm a ganhar', afirma Luigi Gambardella, presidente da entidade EUBrasil. Hoje, uma sessão especial do "board" da entidade vai discutir o acordo.

Estimativa - A Comissão Europeia, braço executivo da UE, estima que nos próximos 10 a 15 anos, 90% da demanda global virá de fora da Europa. É por isso que dá prioridade a acordos em mercados com potencial. Bruxelas calcula que, se todos os acordos que negocia fossem completados hoje, acrescentaria 2,2% no PIB da UE, ou seja, cerca de € 275 bilhões.

Brasil - No Brasil, não só a Confederação Nacional da Indústria (CNI) como também a Confederação Nacional da Agricultura (CNA) querem o acordo com a Europa, antes que os europeus fechem um entendimento com os EUA. (Valor Econômico)

BID: Banco prevê crescimento anual de 3,7% para AL até 2025

Num cenário conservador, "sem grandes crises, mas também sem grandes reformas", a América Latina e o Caribe devem crescer a uma média de 3,7% ao ano até 2025, fazendo o PIB da região dobrar, atingindo a cerca de US$ 14 trilhões, estima o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A renda per capita pulará dos US$ 12 mil registrados em 2012 para a casa de US$ 22 mil, e cerca de 10 milhões de pessoas deverão chegar à classe média todos os anos, entre 2014 e 2025, levando o total desse grupo para 460 milhões.

Ideal - Os números parecem razoáveis, mas a região teria que crescer algo como 7,5% ao ano em média para eliminar a pobreza nesse período, num ambiente ainda marcado por grande desigualdade de renda, observa o BID, que apresentou os dados no evento LAC2025. A um ritmo de expansão de 3,7% ao ano, a América Latina e o Caribe serão 7% do PIB global em 2025, menos que os 8% atuais.

Foco - Com isso, os países da região precisam ter o foco no aumento da produtividade, melhorando a qualidade do capital humano e investindo em infraestrutura e em máquinas e equipamentos, segundo o BID. "O avanço nos temas de produtividade, porém, precisa ser feito junto com a inclusão social", disse o presidente da instituição, Luis Alberto Moreno. Se caminharem separados, há o risco de tensões sociais, observou ele. Moreno lembrou que, na última década, a América Latina e o Caribe conseguiram reduzir a desigualdade de renda, em grande medida devido ao crescimento econômico, ainda que não na velocidade que muitos desejariam.

Disparidade menor- A disparidade de rendimento caiu, porém, num momento em que aumentava nos países desenvolvidos, notou ele. Para superar a chamada armadilha de renda média, que faz boa parte dos países em desenvolvimento empacar num nível de rendimento intermediário, Moreno destacou a importância das nações da região avançarem em temas como educação e saúde, num quadro de maior mobilidade social.

Transformações econômicas- Moreno destacou as grandes transformações econômicas, sociais e demográficas que a região deverá viver até 2025. A parcela da população vivendo na pobreza deverá cair para 25% na região, segundo números da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal). Em 2000, esse número era de 42%. (Valor Econômico)

INTERNACIONAL: China anuncia medidas contra desaceleração

A China vai acelerar projetos de construção e outras iniciativas de apoio à economia, pois uma desaceleração da produção industrial e do crescimento dos investimentos está colocando em risco as metas de crescimento econômico estabelecidas para este ano.

Demanda doméstica - A nação vai "aproveitar o momento para implementar medidas já determinadas e que visam ampliar a demanda doméstica e estabilizar o crescimento", disse nesta quinta-feira (20/03) o Conselho de Estado (maior instância governamental do país) após uma reunião. A China vai "acelerar as obras preliminares e o trabalho de construção de projetos de investimentos importantes com a designação oportuna de recursos previstos no orçamento", disse o Conselho de Estado.

Tolerância - O comunicado sugere que o grau da desaceleração está testando a tolerância do primeiro-ministro Li Keqiang por um crescimento abaixo do que ele diz ser uma meta flexível de "cerca de" 7,5%. "Contra um cenário de pressões crescentes sobre o crescimento, os sinais pró-crescimento oriundos da reunião são muito oportunos e necessários", afirmou em uma nota Xu Gao, principal economista da Everbright Securities em Pequim. "As medidas de estabilização do crescimento vão se materializar gradualmente e provocar uma aceleração modesta da expansão", escreveu Xu, que já trabalhou no Banco Mundial (Bird).

Projeção menor - Nesta quinta, o Goldman Sachs rebaixou sua projeção anterior de crescimento para o primeiro trimestre de uma taxa anualizada de 6,7% para 5%, em comparação ao mesmo período do ano passado. O banco também reduziu sua previsão de crescimento para este ano, de 7,6% para 7,3%. (Valor Econômico)


Versão para impressão


Expocoop 2014

Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br