Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3323 | 16 de Abril de 2014

SISTEMA OCEPAR: Plano de metas para 2014 é entregue ao presidente Koslovski

O presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, recebeu, na manhã desta quarta-feira (16/04), o plano de metas para 2014, documento com as diretrizes que vão nortear as atividades das três entidades que integram o Sistema Ocepar – Ocepar, Sescoop/PR e Fecoopar. “Acredito que este foi o planejamento de atividades mais discutido dentro da casa, especialmente em relação aos detalhes. É um trabalho importante pois, se nós não nos planejarmos, não saberemos aonde vamos chegar”, disse Koslovski ao abrir a reunião, que contou com a presença de todos os colaboradores do Sistema.

Desafios - O presidente lembrou ainda que, ao longo do ano, o documento deverá sofrer ajustes devido aos rumos que a economia nacional está tomando, com alta da inflação e dos juros, por exemplo. A realização da Copa do Mundo e das eleições também tornam o ano atípico e deverão influenciar na execução das atividades das três entidades. “Estes desafios de 2014 serão vencidos com unidade, de forma simples e prática. É dentro dessa linha queremos conduzir esse processo. Vamos, assim, juntos, executar o que foi planejado e, certamente, iremos chegar ao final desse exercício com bons resultados”, acrescentou Koslovski. Ele destacou ainda que todo o trabalho realizado pelo Sistema Ocepar tem como finalidade atender aos anseios e necessidades das cooperativas paranaenses. De acordo com ele, os resultados positivos obtidos pelo cooperativismo no ano passado devem-se a uma somatória de fatores, entre os quais o esforço imprimido pelos colaboradores do sistema. “Cada um de vocês teve participação nas atividades. A obra individual pode ser boa, mas a obra coletiva irradia mais e é tomada de maior responsabilidade. Além disso, foi muito bem feita”, afirmou.

Processo – O superintendente José Roberto Ricken lembrou que o plano de metas 2014 do Sistema Ocepar começou a ser construído já no ano passado, a partir das demandas levantadas pelas cooperativas nos Encontros de Núcleos Cooperativos. No final do ano passado, os colaboradores do Sistema Ocepar realizaram um balanço das atividades de 2013, já projetando as próximas ações. No início do ano, eles definiram as ações que pretendem desenvolver ao longo de 2014 e cujas informações foram submetidas à apreciação da diretoria do Sistema Ocepar, em março, e ao plenário da Assembleia Geral Ordinária, no último dia 1º de abril. Em agosto, está prevista uma reunião de replanejamento, com o objetivo de realizar as adequações necessárias ao plano de metas. A avaliação final será realizada no mês de dezembro.

Planejamento nacional – O encontro dessa manhã foi acompanhado por Karla de Oliveira, gerente geral do Sescoop Nacional, Emanuel Malta Falcão Caloete, da Gerência de Planejamento da OCB, Aldo Francisco Guedes Leite, do setor de licitações do Sescoop Nacional, e Ricardo Miranda, analista de sistemas da OCB. Na sequência, eles se reuniram com o superintendente José Roberto Ricken, gerentes, coordenadores de área e colaboradores do setor administrativo do Sistema Ocepar. “O Paraná quer estar em sintonia com o planejamento de atividades do Sistema OCB. Para tanto, vamos ajustar as nossas metodologias”, disse Ricken. 

{vsig}noticias/2014/04/16/sistema_ocepar/{/vsig}

MESTRADO: Roberto Rodrigues ministra aula magna no dia 25

mestrado 16 04 2014O ex-ministro da Agricultura, professor de economia rural da Unesp, de Jabotical, e coordenador do Centro de Agronegócio da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Roberto Rodrigues, vai ministrar uma aula magna para os alunos do curso de Mestrado Profissional em Gestão de Cooperativas. Será no dia 25 de abril, às 15h30, no Café da FTD Digital, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), campus Prado Velho, em Curitiba. Ele vai abordar o tema “Cooperativismo no século XXI”. Rodrigues já foi presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e da Aliança Cooperativa Internacional (ACI).

O curso- O Mestrado Profissional em Gestão de Cooperativas é uma iniciativa da Escola de Negócios da PUCPR que conta com o apoio do Sistema Ocepar. Trata-se de uma pós-graduação na modalidade “stricto sensu”, lançada no ano passado e cujas aulas iniciaram no dia 14 de março. O curso oferece duas linhas de pesquisa: Cooperativismo e Sustentabilidade e Gestão Estratégica de Entidades Cooperativas. O programa contempla 24 créditos, com cinco disciplinas obrigatórias e três eletivas, mais uma dissertação. As aulas são quinzenais. “A missão do curso é gerar conhecimento que possa contribuir com o desenvolvimento de profissionais de alto desempenho para o setor cooperativista, capazes de pesquisar, identificar e encontrar soluções para problemas complexos existentes nas cooperativas”, explicou o professor Eduardo Damião da Silva, decano da Escola de Negócios da PUCPR.

 

COCARI: Cooperativa é anfitriã do Elicoop Jovem

A Cocari é a anfitriã do Encontro da Liderança Cooperativista (Elicoop Jovem), que teve início nesta terça-feira (15/04), em Mandaguari, Noroeste do Estado, e se estende até esta quarta-feira (16/04). O evento, que reúne os jovens líderes das cooperativas do Paraná, é promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR). O vice-presidente da Cocari, Marcos Trintinalha, e o diretor executivo, João Carlos Obici, deram as boas-vindas aos 34 representantes da juventude cooperativista paranaense.

Presenças – Estão participando do encontro o coordenador da Gerência de Desenvolvimento Humano do Sescoop/PR, Humberto Bridi, o coordenador do Jovemcoop, Guilherme José Cabral Gonçalves, e também o professor da Universidade Federal de Viçosa, Alair Freitas. Representando a Cocari, estão participando os jovens Eliezer Shigueo Takahashi Luciano e Wilson Alves de Oliveira, além da assistente de cooperativismo, Elisabete Segalli.

Papel dos jovens– O objetivo do encontro é conscientizar os jovens de seu papel na cooperativa e na sociedade, preparando-os para que, como futuros cooperados, possam dar continuidade aos trabalhos nas propriedades. Estão reunidos na Associação Atlética Cocari representantes da liderança jovem de doze cooperativas: Cocari, Bom Jesus, C.Vale, Coagru, Cocamar, Copagra, Copagril, Copacol, Coopavel, Integrada, Lar e Nova Produtiva.

Atividades – As dinâmicas de grupo e oficinas realizadas nos dois dias do Elicoop Jovem estão sendo conduzidas pelos instrutores João Carlos e Carmen Lúcia de Oliveira. As atividades têm como pano de fundo a preparação para o Jovemcoop Estadual, que será sediado pela Cocari, nos dias 24 e 25 de julho. Para tanto, a palavra de ordem neste primeiro dia do encontro é: planejamento, que envolve a capacidade de mobilização da Liderança no tocante à organização de tempo, espaço e recursos disponíveis. (Imprensa Cocari)

{vsig}noticias/2014/04/16/cocari/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Coordenador jurídico da Ocepar participa de curso de certificação de conselheiros

Integrantes dos conselhos de Administração e Fiscal, bem como coordenadores de núcleos da Sicredi União PR/SP, participaram na terça-feira (15/04), em Maringá (PR), da segunda etapa do curso de certificação, iniciado em março último, que terá a duração de 144 horas e vai se estender até novembro deste ano. As aulas são ministradas por especialistas do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) e do Instituto Superior de Administração e Economia (ISAE). Desta vez, o palestrante foi o coordenador jurídico do Sistema Ocepar, Paulo Roberto Stöberl, que fez uma abordagem sobre a constituição da estrutura cooperativa. O grupo é formado por conselheiros experientes e também por novos participantes. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

SICREDI VALE DO PIQUIRI I: Unidade de atendimento é inaugurada em Juranda

A inauguração da unidade de atendimento em Juranda reuniu associados, diretores da cooperativa de crédito, lideranças cooperativistas e políticas, colaboradores da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP e convidados da comunidade, na noite de segunda-feira (14/04). A Sicredi inicia a atividade na cidade com 187 associados, que já operam com a cooperativa de crédito via outras unidades de municípios vizinhos.

Acesso - Com a instalação da unidade de atendimento, a cooperativa de crédito torna acessível a população de 7.600 habitantes, os mais de 120 produtos e serviços bancários disponíveis, oferecendo conforto e comodidade no atendimento aos associados. A estrutura, com área de 250 m², é uma conquista de todos que, ao longo dos anos, solicitam e acreditam neste empreendimento, que é a cooperativa de crédito. “A Sicredi chega a Juranda com o objetivo de auxiliar no desenvolvimento da sociedade onde está inserida, fortalecendo a característica cooperativa no município”, comenta o presidente Jaime Basso.

Reivindicação - O prefeito de Juranda, Bento Batista da Silva, participou da solenidade de inauguração e comentou a expectativa da população ao receber a Sicredi, como instituição financeira. “A Sicredi chega, atendendo a uma antiga reivindicação das lideranças locais. A partir de agora contamos com a cooperativa de crédito como alternativa para realizar os serviços bancários”, avaliou. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP)

{vsig}noticias/2014/04/16/sicredi_vale_piquiri_I/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI II: Treinamento de oratória para líderes tem 60 participantes

Os líderes de núcleos da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP participam do curso de oratória. O tema foi abordado pela fonoaudióloga pela Universidade Federal de São Paulo, Rosana Benine, que se utiliza da metodologia baseada nos conceitos da educação de laboratório, onde a aprendizagem se dá por meio da compreensão cognitiva e da aplicação prática. O programa visa encorajar o participante a olhar para si mesmo e a experimentar comportamentos diferentes do seu padrão costumeiro, favorecendo a autoconfiança e a superação da timidez.  “Assim, os participantes do grupo aprendem e, ao mesmo tempo, ensinam com suas ações, reflexões e contribuições”, enfatiza.

Auxílio - A abertura do treinamento, em Palotina, foi feita pelo presidente Jaime Basso, que ressaltou a importância em aprender sempre. “Ao disponibilizar o curso de oratória aos líderes, a cooperativa auxilia para o desenvolvimento destes associados que se colocaram a disposição para auxiliar na gestão do empreendimento cooperativo”, argumenta.

Participantes - Nesta primeira etapa do programa, participam em torno de 60 pessoas, distribuídas em duas turmas, uma em Palotina, outra em Goioerê. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP)

{vsig}noticias/2014/04/16/sicredi_vale_piquiri_II/{/vsig}

SICREDI PARANAPANEMA: Associado é premiado pelo Sicredi Seguros

O associado Reginaldo Naves de Souza, da unidade de atendimento de Rancho Alegre, recebeu, no último dia 11, um prêmio de aproximadamente R$ 50 mil (valor bruto), referente ao sorteio semanal oferecido pelo Seguro de Vida do Sicredi, realizado pela loteria federal. Estiveram presentes na entrega simbólica da premiação os representantes da Icatu Seguros, Adão Vilmar de Oliveira e Sandro Augusto Firmino, os diretores da cooperativa André Dall’Oglio e Bruno Petrelli Schultz, a assessora de seguros Neliza Binelli Zanatta, além de toda a equipe de colaboradores da unidade de atendimento de Rancho Alegre.

Satisfação - Para André Dall’Oglio, Diretor Executivo da Sicredi Paranapanema PR/SP, é satisfatório proporcionar momentos como esse para os cooperados. "Além de oferecer serviços financeiros de qualidade, o Sicredi agrega benefícios que valorizam as escolhas dos associados e contribuem com a melhoria da qualidade de vida das pessoas, além de fortalecer a economia local”, frisou.

Alegria - O diretor comercial da Icatu Seguros, Adão Vilmar de Oliveira, demonstrou muita alegria em premiar o associado da cooperativa e frisou que a parceria entre Sicredi e Icatu já distribuiu mais de R$ 22 milhões em prêmios. "Os seguros existem para garantir uma maior tranquilidade aos consumidores em momentos de dificuldade ocasionados por algum sinistro, e isso é muito relevante para as pessoas que precisam deste suporte. Além disso existe a possibilidade de usufruir dos valores em vida, e foi o que aconteceu com o Reginaldo", explicou.

Agradecimento - O associado comemorou seu prêmio e agradeceu a cooperativa pela ótima surpresa. "Só tenho a agradecer o Sicredi por essa oportunidade. Certamente vou utilizar o recurso da melhor forma possível”, disse Reginaldo.

Sicredi Paranapanema PR/SP - É uma das 100 cooperativas que integram o sistema Sicredi. Fundada em 1985, tem uma história marcada pela expressiva expansão, fortalecendo as comunidades e associados de toda a região do norte do Paraná e sul de São Paulo. Atualmente presente em 23 municípios, tem aproximadamente 31 mil associados e cerca de R$ 230 milhões em recursos administrados. (Imprensa Sicredi Paranapanema PR/SP)

{vsig}noticias/2014/04/16/sicredi_paranapanema/{/vsig}

CAMISC: Colaboradores são orientados sobre prevenção e combate a incêndios

Preparar e orientar profissionais para que estes saibam como agir em situações de risco. Este foi o objetivo principal do treinamento da Brigada de Incêndio realizado durante os dias 09 e 10 de abril, na Camisc. O curso contemplou aulas teóricas e práticas sobre a prevenção e combate a incêndios, além de exemplos práticos em primeiros socorros.

Temas - Com duração de 08 horas, a capacitação abordou questões sobre a teoria do fogo, abandono de área, conteúdo presente na legislação e ainda, explanações sobre os pontos que oferecem mais riscos. Na parte prática, os participantes visitaram as instalações da cooperativa, onde realizam simulações com extintores e com a rede de hidratantes.

Procedimentos - “A finalidade é treinar brigadistas para que estes saibam os procedimentos a serem tomados em situações reais de incêndio”, explica o instrutor do curso, Antônio Adonir Portella, da empresa Anjos do Treinamento. O curso reuniu mais de 20 participantes de todas as unidades, o mesmo é necessário para que a cooperativa continue exercendo suas atividades de maneira segura.

Certeza - De acordo com a gerente de Recursos Humanos da Camisc, Adriana Cassol, o treinamento além de capacitar os colaboradores, permite a eles ter a exata orientação em possíveis situações de sinistro. “É fundamental que tenhamos a plena certeza do que fazer em casos reais, onde temos que tomar decisões e agir de maneira rápida para evitar danos maiores”, afirma.

Outras situações- Segundo Portella, o conhecimento adquirido durante o treinamento poderá ser usado em outras situações. “Acima de tudo, o curso visa passar aos participantes princípios básicos de prevenção e estabelecer um padrão de comportamento adequado, promovendo até mesmo a segurança no ambiente domiciliar”. Ao final da capacitação, a cooperativa e os participantes receberam seus certificados de conclusão de curso, que tem validade de um ano. (Imprensa Camisc)

{vsig}noticias/2014/04/16/camisc/{/vsig}

AGRÁRIA: Fundação Cultural promove Festa da Árvore de Maio

A Fundação Cultural Suábio-Brasileira prepara, para o dia 1º de maio, uma das comemorações mais tradicionais da cultura suábia: a Festa da Árvore de Maio. Além da colocação da árvore comemorativa, o dia terá atrações como apresentações culturais, doces e salgados. Os cartões para o almoço, Schnitzel (bife à milanesa) com salada de batata, podem ser comprados antecipadamente pelo valor de R$ 13 no Centro Cultural Mathias Leh, Bazar de Artesanato e Posto Vitória, na Colônia Vitória, em Entre Rios. O público é aguardado a partir das 10h30 na Praça Nova Pátria. (Imprensa Agrária)

SERVIÇO:

Festa da Árvore de Maio

1º de maio

Praça Nova Pátria

A partir das 10h30

Trazer pratos e talheres

Cartaz Maibaum 2014 (Large)

COAMO: Ricardo Calderari é Cidadão Honorário de Campo Mourão

O agricultor e engenheiro agrônomo Ricardo Accioly Calderari recebe, na noite desta quarta-feira (16/04) à noite em sessão solene da Câmara de Vereadores o título de Cidadão Honorário do Município de Campo Mourão - a maior condecoração oficial outorgada pelo Município. Calderari é diretor-secretário da Coamo e diretor Operacional da Credicoamo. Nasceu na Lapa (PR), é casado com Maria Joana Titton Calderari e pai de três filhas (Mirele Calderari John, Graziela Calderari e Ivone Calderari Patrão).

Formação - Fez os cursos ginasial e Normal, e prosseguiu seus estudos em Curitiba, onde formou-se em Agronomia pela Universidade Federal do Paraná. Foi professor primário concursado da rede estadual e líder estudantil. É sócio-fundador e ex-presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos – Núcleo Regional de Campo Mourão, e do Rotary Campo Mourão Verdes Campos. Foi vice-presidente da Santa Casa de Campo Mourão por cinco mandatos.

Projeto - O projeto de resolução para a outorga do título de Cidadania Honorária a Ricardo Calderari é de autoria Edilson Martins (PSD), subscrito por outros 11 vereadores. O novo cidadão honorário de Campo Mourão ocupa o cargo de diretor-secretário na diretoria da Coamo, faz parte da diretoria da Associação Comercial e Industrial (Acicam) e do Sindicato Rural. Atuou no Conselho de Administração da Faculdade Estadual de Ciências e Letras (Fecilcam), foi vice-presidente da Confederação das Federações dos Engenheiros Agrônomos do Brasil por dois mandatos, homenageado como um dos pioneiros na utilização do plantio direto na região de Campo Mourão e também recebeu o título de “Filho Ilustre da Lapa”. (Imprensa Coamo)

AGENDA PARLAMENTAR: CCJC pode analisar projeto importante para o ramo saúde

agenda parlamentar 16 04 2014A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) poderá analisar, nesta quarta-feira (16/04), uma das principais pautas para o ramo saúde, integrante da Agenda Legislativa do Cooperativismo - o Projeto de Lei (PL) 6964/2010, que visa tornar obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras de planos de saúde e profissionais de saúde, na qualidade de pessoa física, ou estabelecimento de saúde, na qualidade de pessoa jurídica. O Sistema OCB apoia a matéria e o parecer do deputado Fábio Trad (MS), visto que as alterações propostas à Lei nº 9.656 vão ao encontro da necessidade de trabalhar com o devido regramento legal, de modo a estabelecer um relacionamento menos conflituoso entre prestadores de serviços de saúde e operadoras de planos e seguros privados de assistência à saúde.

Senado Federal - Consta na pauta do Plenário do Senado Federal  o Projeto de Decreto Legislativo (PDS) 787/2009, de autoria do senador Magno Malta (ES), que obriga as concessionárias de energia elétrica a instalarem, sem ônus adicional, relógios de dupla tarifação para produtores rurais. O Sistema OCB acredita que a aprovação deste projeto representará uma diminuição dos custos da produção, visto que atualmente a instalação desses equipamentos é de responsabilidade do próprio produtor, diferentemente do que é aplicado nos centros urbanos.

Congresso Nacional - Estava agendada, para esta terça-feira (15/04), sessão deliberativa do Congresso Nacional para apreciação de vetos. Dentre os quais, consta o Veto Total 56/2013 aplicado ao PL 7.416/2010, que inclui a carne suína na pauta de produtos amparados pela Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM). Para o Sistema OCB, a PGPM, lançada em 1966, exerce papel relevante na política agrícola brasileira e, portanto, nas decisões do produtor, atenuando as oscilações de preços, que são característica do mercado agrícola. A inserção da carne suína em tal política é importante para o suinocultor por ser um instrumento criado para garantir a remuneração mínima do custo de produção, através da aquisição dos produtos pelo Governo Federal e formação de estoques públicos, evitando assim quedas acentuadas de preços e mitigando a elevada volatilidade e, consequentemente, a degradação da renda do produtor rural. (Blog OCB no Congresso)

Para acessar a Agenda da Semana completa, clique aqui.

 

 

SEBRAE/PR: Palestra em parceria com a Aciap é promovida em Paranaguá

Os empresários de Paranaguá poderão participar, nesta quarta-feira (16/04), da palestra informativa “Estratégias de sustentabilidade econômica para sua empresa”. A capacitação é promovida pelo Sebrae/PR, em parceria com a Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Paranaguá (Aciap). O objetivo é mostrar aos empresários os principais elementos e relações existentes na gestão econômico-financeira de uma empresa, para aumentar a rentabilidade e o valor do empreendimento. A palestra será realizada na sede da Associação, a partir das 19 horas e terá duração de 3 horas. (Assessoria de Imprensa do Sebrae/PR)

ADAPAR I: Consulta pública sobre inspeção industrial e sanitária vai até 29 de abril

adapar logo 16 04 2014Está aberta, até o dia 29 de abril, a consulta pública sobre a proposta de portaria que trata das Normas de Credenciamento de Pessoas Jurídicas à Realização da Inspeção Industrial e Sanitária de Estabelecimentos de Produtos de Origem Animal Registrados na Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). As críticas e sugestões podem ser encaminhadas para o endereço abaixo ou pelo e-mail  consulta.publica@adapar.pr.gov.brClique aqui para conferir na íntegra a proposta da portaria.

 

Agência de Defesa Agropecuária do Paraná – Adapar

Diretoria de Defesa Agropecuária - DDA

Rua dos Funcionários, nº 1559, térreo, bairro Cabral

CEP 80.035-050 – Curitiba – PR

 

ADAPAR II: Curso vai habilitar profissionais para emissão de Certificado Fitossanitário

Capacitar engenheiros agrônomos e florestais em suas respectivas áreas de competência profissional, visando à habilitação para emissão de Certificado Fitossanitário de Origem e Consolidado (CFO/CFOC) de acordo com a IN Mapa 55/07. Este é o objetivo do curso que a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) realiza de 19 a 23 de maio, em Londrina. Serão abordados temas relacionados à legislação fitossanitária federal e estadual, e repassadas orientações específicas  para certificação em culturas como pinus, soja, café, tomate, batata, pimentão, fumo, citros, uva, maracujá, banana e abacate. Os profissionais aprovados no curso poderão se credenciar no Paraná e/ou outras Unidades da Federação, para emitir Certificado Fitossanitário de Origem e Consolidado (CFO/CFOC) para as culturas e produtos de acordo com os temas cursados.

Serviço – O curso acontecerá das 8h às 18h, no Instituto Agronômico do Paraná – Iapar - Rodovia Celso Garcia Cid, Km 375, Londrina.  As inscrições podem ser feitas na página da Adapar na internet (www.adapar.pr.gov.br), bastando para isso clicar no banner  “Cursos CFO/CFOC” à direita da tela, onde também estão disponíveis mais informações sobre o evento. Informações com Juliano Farinacio Galhardo, fiscal de Defesa Agropecuária –  julianogalhardo@adapar.pr.gov.br / fone: (43) 2104-7900.

COEP: Oficina vai debater avanços e desafios no combate à pobreza

São inegáveis os avanços obtidos pelo Brasil no combate à pobreza nos últimos 20 anos, especialmente no que diz respeito à melhoria da renda dos mais pobres, segurança alimentar e nutricional e fomento à agricultura familiar. Mas, permanecem ainda muitos obstáculos a serem superados, especialmente no que diz respeito à melhoria da qualidade e garantia a todos dos direitos básicos de cidadania, como saúde, educação, saneamento, transporte e moradia.

Oficina - Diante desse cenário, a Rede Mobilizadores Coep vai promover, de 22 a 30 de abril, a oficina Combate à pobreza no Brasil: conquistas e desafios. O objetivo é apresentar aos participantes informações sobre diversos avanços nos indicares sociais nos últimos 20 anos, no que se refere ao combate à pobreza, estimulá-los a apontar as conquistas que consideram relevantes e, a partir dessa reflexão, elencar os principais desafios para os próximos cinco anos.

Políticas e programas- Desde 1993, foram implantadas diversas políticas e programas que ajudaram o Brasil a melhorar seus indicadores sociais e a tornar-se referência mundial no combate à pobreza. No período de 2002 a 2012, o país reduziu a pobreza, de 24,25% para 8,55. E a extrema pobreza caiu de 8,8% para 3,5%, no mesmo período. Entre 2003 e 2011, cerca de 40 milhões de brasileiros tiveram um incremento em seu nível de renda, passando a integrar a chamada nova classe média.

Brasil Sem Miséria- O Plano Brasil Sem Miséria, os programas de transferência de renda, como o Bolsa Família, aliado a políticas de segurança alimentar e nutricional; ao incentivo à agricultura familiar; às políticas afirmativas, entre outras; têm contribuído fortemente para estes avanços. O Brasil superou, com três anos de antecedência, a meta dos Objetivos do Desenvolvimento do Milênio (ODM) da Organização das Nações Unidas (ONU) de reduzir a mortalidade infantil em dois terços.

Desafios - No entanto, os desafios persistem. Quais os principais obstáculos a serem superados para que tenhamos um desenvolvimento humano sustentável? Como avançar na inclusão social e na redução das desigualdades? De que forma incluir as pessoas que não são assistidas pelas políticas sociais? Como assegurar a universalização da saúde e da educação? Essas são apenas algumas das muitas questões a serem respondidas.

Série de oficinas - Esta oficina é a primeira de uma série que a Rede Mobilizadores vai promover no primeiro semestre de 2014, todas tendo como foco a mobilização para participação social. As próximas vão debater as conquistas e os desafios em relação a direitos, participação e cidadania; e meio ambiente, clima e vulnerabilidades.

Estratégia - Essas oficinas são parte da estratégia de mobilização “Coep 20 anos: das ruas às redes”, que está sendo realizada em comemoração aos 20 anos de criação do Coep. Estão sendo organizadas várias outras atividades, a distância e presenciais, em diversos locais do país. A secretária-executiva do Coep Nacional, Gleyse Peiter, explica que o objetivo dessa grande estratégia de mobilização é “contribuir para um olhar sobre a redução das desigualdades e construir, de modo participativo, uma agenda de mobilização social que irá nortear a atuação da rede nos próximos cinco anos”.

Apoio - Esta oficina está sendo realizada com apoio da Eletronuclear, Fiocruz e Itaipu Binacional.

Inscrições e informações- Acesse aqui e faça sua inscrição. As vagas são limitadas. Mais informações no site (www.mobilizadores.org.br) ou pelo telefone: (21) 2528-3352. Quem ainda não é mobilizador deve se cadastrar no site em "Inscreva-se Aqui" (Coep Nacional)

Aprovado edital de leilão que pode gerar economia de R$ 10, 5 bi para o setor

energia eletrica 16 04 2014O leilão do governo para salvar as contas do setor elétrico em 2014 pode gerar economia de até R$ 10,5 bilhões se for bem-sucedido, conforme as tarifas máximas estipuladas nesta terça-feira (15/04) pelo Ministério de Minas e Energia. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o edital do certame, marcado para o dia 30 de abril, que tem como objetivo eliminar ou reduzir o volume de eletricidade que está descontratado pelas distribuidoras. Para atrair as geradoras, o governo fixou um preço-teto que foi recebido favoravelmente pelo mercado, embora sem entusiasmo. Há apostas de forte participação das estatais, como a Petrobras, mas não se sabe ainda se isso será suficiente para garantir o êxito completo do leilão.

Mercado de curto prazo- Para completar o suprimento de energia aos seus consumidores, as distribuidoras têm recorrido ao mercado de curto prazo, onde o megawatt-hora é negociado com preço recorde de R$ 822,83 desde o início de fevereiro. É o que se chama de "exposição involuntária" das distribuidoras. A grande incógnita do leilão - o preço-teto do megawatt-hora a ser vendido pelas geradoras - foi resolvida ontem: a Aneel, por determinação do ministério, fixou esse valor em R$ 271 para os contratos por quantidade (que são contínuos) e em R$ 262 para os contratos por disponibilidade (as usinas só precisam estar disponíveis quando chamadas a operar).

Tarifa máxima- Em dezembro, no último leilão de energia realizado, o governo havia fixado a tarifa máxima em R$ 192 por megawatt-hora. Esse preço não foi capaz de seduzir os donos de usinas e provocou um "buraco" de 3,3 mil megawatts médios, que as distribuidoras precisam fechar indo ao mercado "spot".

Economia - Caso o leilão seja bem-sucedido e consiga contratar todo esse volume, a economia das distribuidoras - cujas despesas têm sido arcadas por aportes do Tesouro e empréstimos da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) - pode chegar a R$ 10,5 bilhões neste ano. É a diferença, apenas no que resta de 2014, entre os preços pagos atualmente no mercado de curto prazo e a tarifa-teto do novo leilão. Os contratos oferecidos para as geradoras que entrarem na disputa têm duração de cinco anos e oito meses (até o fim de 2019).

Atratividade - Para o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, a tarifa máxima dá "um nível de atratividade suficiente" às geradoras. "O governo analisou todas as variáveis e entendeu que esse preço atrai os vendedores", afirmou. Ele não quis prever se toda a demanda das distribuidoras será realmente contratada no leilão. Mas lembrou que, quanto mais bem-sucedido for o certame, menor será a necessidade de novos aportes do Tesouro ou de empréstimos da CCEE para fechar as contas deste ano.

Preço-teto- O presidente da Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Energia Elétrica (Apine), Luiz Fernando Vianna, acredita que o preço-teto do leilão representa um "avanço" e fez uma avaliação positiva da duração dos contratos. "Eu diria que dá para contratar, com grande probabilidade, de 50% a 60% das necessidades. Para o restante, cada gerador vai fazer sua análise."

Adesão - "Prevemos uma boa adesão de quem tem energia disponível", diz o analista Marcos Severine, do J. P. Morgan, que tem se dedicado à análise do leilão. Para ele, usinas térmicas devem ter grande participação na oferta.

Dúvida - Uma das maiores dúvidas do mercado é sobre a disponibilidade de energia da Petrobras. Comenta-se no setor que a estatal teria algo entre mil MW e 1,6 mil MW de térmicas bicombustíveis (movidas a gás natural ou a óleo) descontratadas. Outra aposta é na entrada da Tractebel, que teria cerca de 250 MW descontratados, incluindo a produção da usina a gás William Arjona, em Mato Grosso do Sul.

Venda - A CPFL também deve colocar à venda boa parte da energia da hidrelétrica de Serra da Mesa, no rio Tocantins, que tem 1.275 MW de potência instalada. Na semana passada, a Aneel garantiu o direito de a CPFL de ficar com 51% da eletricidade da usina, em disputa travada com Furnas.

Pressão - Fontes do setor comentam reservadamente que tem havido pressão do governo, nos bastidores, para a participação das empresas privadas. Um dos aspectos temidos pelas empresas é que haja mudanças no PLD, o preço de liquidação das diferenças, que serve de referência no mercado de curto prazo. Muitos apostam na abertura de um processo de revisão da fórmula de preços, em 2015, que possa jogar para baixo o valor do megawatt-hora no mercado "spot". Isso pesa a favor de assegurar preços menores no leilão, mas com garantia de compra até 2019.

Sutilezas - Nivalde de Castro, coordenador do grupo de estudos do setor elétrico da UFRJ, lembra que há sutilezas a considerar na balança de vantagens e desvantagens para as geradoras. Reposição - Caso haja problemas nos reservatórios que forcem as hidrelétricas a gerar menos energia, elas serão obrigadas a repor os volumes contratados no leilão. Por esse e outros fatores de risco, ele classifica com precisão o clima do certame: "É ótimo para quem gosta de tirar férias em Las Vegas". (Valor Econômico)

 

PARANÁ: Comércio registra crescimento de 6,6% no acumulado de doze meses

parana 16 04 2014O faturamento real (descontada a inflação) dos estabelecimentos comerciais de varejo paranaense, na definição ampliada (que contempla, além do varejo, as atividades de veículos, motos, partes e peças e de materiais de construção) expandiu 5,3% em fevereiro de 2014, na comparação com fevereiro de 2013, frente crescimento de 8,4% para o Brasil, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Renda e mercado regional- De acordo com a economista Patrícia Adriana Ostapechen Krüger, do Núcleo de Macroeconomia e Conjuntura do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), a expansão assinalada pelo comércio do Paraná exprime a maior disponibilidade de renda da população e o aquecimento do mercado de trabalho regional, que mantém a geração de empregos mais nobres (com maiores rendimentos), em sua maioria no interior do Estado.

Produtos - O desempenho do Estado está atrelado ao aumento nas vendas de artigos de uso pessoal e doméstico (19,3%), eletrodomésticos (18,6%), combustíveis e lubrificantes (17,6%), artigos farmacêuticos e de perfumaria (10,4%), material de construção (9,4%) e tecidos, vestuário e calçados (7,5%).

Avanço - No acumulado do primeiro bimestre de 2014, o comércio paranaense avançou 5,2%, ante acréscimo de 6,5% na média nacional. As principais contribuições positivas vieram dos ramos de combustíveis e lubrificantes (14,8%), eletrodomésticos (14,3%), artigos de uso pessoal e doméstico (12,0%), material de construção (9,1%) e artigos farmacêuticos e de perfumaria (8,5%).

Doze meses- No indicador acumulado em doze meses, encerrados em fevereiro de 2014, as vendas reais do comércio regional superaram o resultado nacional, com ampliação de 6,6%, contra evolução de 3,9% para o País. Foi o segundo melhor desempenho entre os estados do Sul e Sudeste, atrás apenas do Rio Grande do Sul (7,5%). As principais contribuições vieram dos segmentos de eletrodomésticos (13,0%), combustíveis e lubrificantes (12,6%), artigos farmacêuticos e de perfumaria (10,5%) e livros, jornais, revistas e papelaria (10,1%).

Mensuração restrita- Na mensuração restrita (que não considera os ramos de veículos, motos e material de construção), o volume de vendas no Paraná expandiu de 7,7% no mês de fevereiro, 6,9% no acumulado do primeiro bimestre e 6,9% em doze meses (terminados em fevereiro). No Brasil, o faturamento comercial mostrou variação de 8,5% no mês, 7,4% no ano e 5,0% em doze meses. (Agência de Notícias do Paraná)

 

BC: Economia cresceu 0,24% em fevereiro, estima banco

A economia brasileira teve expansão de 0,24% em fevereiro, ante janeiro, feitos os ajustes sazonais, de acordo com o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br). Em janeiro, o IBC-Br subiu 2,35%, na comparação com dezembro, dado revisado de uma alta inicial de 1,26%, na série dessazonalizada.

Abaixo da projeção- A variação de fevereiro ficou um pouco abaixo da projeção média feita pelas 19 consultorias e instituições consultadas pelo Valor Data. A média dos prognósticos sugeria avanço de 0,3% em fevereiro ante janeiro. O intervalo de projeções variava entre alta de 0,1% e de 0,5%. Sobre fevereiro do ano passado o IBC-Br aponta alta de 4,04% na série sem ajuste (1,63% com ajuste). Em 12 meses o avanço da economia é de 2,57% (ou 2,41% com ajuste). No primeiro bimestre deste ano, o IBC-Br subiu 2,46% sobre o mesmo período do ano passado.

Trajetória de variáveis- O indicador do BC leva em conta a trajetória das variáveis consideradas como bons indicadores para o desempenho dos setores da economia (agropecuária, indústria e serviços). A estimativa do IBC-Br incorpora a produção estimada para os três setores, acrescida dos impostos sobre produtos. O PIB calculado pelo IBGE, por sua vez, é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país durante certo período. (Valor Econômico)

BRASIL: Governo prevê esforço fiscal menor em 2015

brasil 16 04 2014Para demonstrar compromisso fiscal e resgatar a confiança do mercado, o governo federal perseguirá em 2015 uma meta de superávit primário entre 2% e 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) para o ano que vem, divulgado ontem e que precisa ser aprovado até 30 de junho pelo Congresso Nacional.

Menor - O esforço fiscal é menor do que o fixado nos últimos anos (acima de 3%). Mas, na avaliação do governo, é o mais realista para o momento. Por isso, a proposta de LDO prevê que, se o crescimento econômico em 2015 for superior aos 3% projetados pelo governo, o superávit primário será elevado.

Compromisso - Apesar do crescente aumento das despesas, como a do setor de energia elétrica para custear o uso prolongado de termelétricas, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, não só reiterou o compromisso de economizar o equivalente a 1,9% do PIB (considerando abatimentos) em 2014 como admitiu que deverá elevar ainda mais os tributos para atingir esse objetivo.

Pis Cofins- "Vamos ter aumento de imposto sobre PIS Cofins de importação e vamos ter outras que não vamos anunciar para evitar a reação do setor", disse Mantega.

Esforço fiscal- Na PLDO, a área econômica estabelece que o esforço fiscal do setor público consolidado será de R$ 143,3 bilhões (2,5% do PIB). Se descontados os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) de até R$ 28,7 bilhões, essa economia recua para R$ 114,7 bilhões (2% do PIB). "Vamos perseguir a meta de 2,5% do PIB e, se não for possível, temos meta mínima de 2%. Não poderá ser abaixo", limitou-se a dizer Mantega, sem se comprometer com a meta cheia.

Estados e municípios- Já os Estados e municípios terão que contribuir com R$ 28,7 bilhões (0,5% do PIB). Apesar de em anos anteriores não terem cumprido a meta, Mantega espera uma atitude proativa dos governos regionais e considera que, em primeiro mandato, é natural que os governantes gastem menos. Mas, caso isso não aconteça, o governo central vai compensar a diferença.

Elevação - Mantega ressaltou que o PLDO de 2015 estabelece que a meta de superávit primário poderá ser elevada se o avanço do PIB superar as expectativas. Mas, se confirmadas as estimativas de mercado, isso será difícil de acontecer, pelo menos, no curto prazo. A previsão do Boletim Focus, por exemplo, é de expansão de 2% em 2015. Mantega ponderou, no entanto, que prefere se "alinhar" com as projeções internacionais que apontam para uma retomada substancial com a economia mundial. "Acabo de voltar de vários debates onde é unânime que tem recuperação, que a crise está sendo superada. A dúvida é o ritmo dessa recuperação", acrescentou Mantega.

Presidente Dilma- O ministro fez questão de dizer ainda que esse é o compromisso fiscal da presidente Dilma Rousseff, caso seja reeleita. "Esse é um compromisso da presidente Dilma para o futuro. O que está sendo dito aqui é que haverá superávits fiscais mais realistas", frisou ele.

Crescimento econômico- Para atingir a meta de superávit primário, o governo considera que um crescimento econômico de 3% em 2015 e controle rigoroso de gastos, com redução de subsídios e revisão do abono salarial e outras despesas. Mantega acrescentou que o Brasil deverá voltar a crescer 4% ao ano em 2016 e 2017 e assim será possível o governo retomar o superávit primário de 3,1% do PIB como no passado. Mas deixou claro que o superávit primário de 2015 é compatível com a trajetória de queda da dívida líquida e bruta. A previsão é de que a dívida líquida encerre 2014 representando 33,6% do PIB. Esse valor cairá para 33% em 2015 e 31,1% em 2017.

Expectativa inflacionária- Para o ministro, um superávit primário mais alto ajuda a ancorar as expectativas inflacionárias. A expectativa de Mantega é de que a inflação atual ceda, passado o choque do aumento dos preços de alimentos, causado por problemas climáticos. "Estamos projetando inflação de 5% [na LDO de 2015], considerando que ela pode ser menor ano que vem principalmente se não houver uma inflação de alimentos como temos nesse momento", afirmou. Além disso, ele espera que a desvalorização cambial - que foi de 35% no acumulado de 2012 para 2013 - não seja motivo de pressão em 2015.

Medidas - Segundo Mantega, o Banco Central está tomando medidas adequadas para controlar a inflação. "O BC está fazendo política monetária contracionista e temos taxa de juros elevada, que está combatendo a inflação e as expectativas. É o que eu tenho a dizer sobre juros, o que BC está fazendo é adequado para manter inflação sobre controle", disse.

Setor elétrico- Durante a apresentação da proposta de LDO de 2015, que contou ainda com a presença da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, Mantega destacou que o setor elétrico passa pelo seu pior período neste ano, por causa da forte escassez de chuvas. Mas ele garantiu, de novo, que a situação "está sob controle". (Valor Econômico)

 

CHINA: PIB cresce 7,4% ao ano no 1º tri, acima da expectativa de 7,3%

O PIB da China cresceu 7,4% ao ano no 1º trimestre, um pouco acima da expectativa de 7,3% apontada em levantamento do “The Wall Street Journal” junto a 16 economistas. Os dados oficiais sobre o PIB do período, divulgados nesta quarta-feira (na Ásia) pelo Instituto Nacional de Estatística, indicam uma redução do ritmo de atividade ante os 7,7% de crescimento verificados no quarto trimestre de 2013. Ante o trimestre anterior, o crescimento chinês no primeiro trimestre de 2014 foi de 1,4%, com ajuste sazonal.

Produção industrial- O instituto divulgou também que a produção industrial da China cresceu 8,8% em março ante o mesmo mês do ano passado. Houve aceleração do desempenho ante o resultado do bimestre janeiro-fevereiro, quando a produção industrial havia crescido 8,6% ante o mesmo período do ano passado - os dados de janeiro e fevereiro são divulgados em conjunto, devido ao efeito estatístico do Ano Novo Lunar, comemorado nessa época.

Abaixo da mediana- O desempenho de março, contudo, veio abaixo da mediana das estimativas de 16 economistas ouvidos por “The Wall Street Journal”, que apontava crescimento de 9,0% para o mês passado. Ante fevereiro, o crescimento em março foi de 0,81%, após uma expansão de 0,61% em fevereiro ante o mês anterior.

Vendas do varejo- Outro dado anunciado pelo instituto chinês foi o de vendas do varejo, quem em março cresceram 12,2% ante o mesmo mês do ano passado, acelerando-se ante o ritmo de 11,8% verificado no bimestre janeiro-fevereiro - os dados de janeiro e fevereiro são divulgados em conjunto, devido ao efeito estatístico do Ano Novo Lunar, comemorado nessa época.

Crescimento - Ante fevereiro, as vendas em março cresceram 1,23% na China, após uma expansão de 0,71% em fevereiro ante janeiro.

Ativos - Os investimentos em ativos fixos nas áreas não-rurais da China cresceram 17,6% no período janeiro-março ante o mesmo período de 2013,  de acordo com dados divulgados pelo instituto.

Anterior - O resultado foi inferior à  mediana das estimativas de 16 economistas ouvidos por "The Wall Street Journal", que apontava crescimento de 18,0% para o período e também à expansão de 17,9% verificada no bimestre janeiro-fevereiro. (Dow Jones Newswires / Valor Econômico)


Versão para impressão


Expocoop 2014

Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br