Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3362 | 13 de Junho de 2014

SISTEMA OCEPAR: Koslovski participa de reunião do Conselho Fiscal

O presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, fez a abertura da 9ª reunião ordinária do Conselho Fiscal, na manhã desta sexta-feira (13/06), na sala de reunião da diretoria, em Curitiba. Participaram os três conselheiros efetivos, Paulo Roberto Fernandes Faria, presidente da Unimed Paraná, Lauro Osmar Schneider, presidente da Sicredi Campos Gerais, e José Rubens Rodrigues dos Santos, diretor da cooperativa Bom Jesus. Também estiveram presentes José Roberto Ricken, superintendente Sistema Ocepar, Claudiomiro Rodrigues, coordenador financeiro da Ocepar e o coordenador de comunicação, Samuel Milléo Filho.

Agradecimento– Koslovski aproveitou para agradecer o importante trabalho realizado pelo conselho. “Em nome, não só do Sistema, mas de todas as cooperativas filiadas, quero fazer um agradecimento pela dedicação deste tempo, que sabemos ser precioso, em acompanhar toda a prestação de contas mensal da Ocepar. Sabemos que cada um tem suas atribuições nas suas próprias cooperativas, mas a presença e o trabalho realizado nos deixa tranquilos para seguirmos adiante”, lembrou.

Demandas- Ele também fez um relato sobre a última reunião da diretoria do Sistema Ocepar, realizada na segunda-feira (09/06), que contou com a presença da senadora Gleisi Hoffmann. “Posicionamos a senadora paranaenses sobre as principais demandas do setor junto ao governo federal”, disse. Entre os assuntos relatados aos conselheiros estava a discussão sobre a Lei Cooperativista que tramita no Senado, Ato Cooperativo, na Câmara dos Deputados, questões tributárias, G-7, Sebrae Paraná, infraestrutura e logística (Porto de Paranaguá). Segundo Koslovski, todas as demandas tiveram o comprometimento direto da senadora em dar um retorno o mais breve possível. “Em alguns casos, Gleisi ligou imediatamente para Brasília. Isso ocorreu, por exemplo, para levantar o motivo da não inclusão do Porto de Paranaguá pela Secretaria dos Portos na Consulta Pública anunciada recentemente. Ela nos disse que foi informada de que nesta Portaria apenas constam aqueles 17 Portos que não tinham decretos, ou seja, que estavam irregulares em relação a poligonal. “No caso do Paraná, a SEP disse que vai colocar em consulta pública o pedido de mudança para que a comunidade possa se manifestar e depois vire um decreto apropriado”, lembrou Koslovski.

Expocoop – O superintendente José Roberto Ricken também agradeceu o apoio recebido pelas cooperativas para a realização da Expocoop, feira internacional do cooperativismo, realizado entre os dias 15 e 17 de maio, na Expo Unimed, em Curitiba, e que contou com a presença de mais de 4 mil participantes e de 16 países. “Foi um evento importante para mostrarmos a força das nossas cooperativas e que lá estavam representadas”. Os conselheiros fiscais também manifestaram opiniões a respeito e disseram que a feira foi um sucesso graças ao empenho realizado tanto pela Ocepar como pela OCB. O coordenador de comunicação, Samuel Milléo Filho, fez um relato também sobre a entrega da décima edição do Prêmio Ocepar de Jornalismo, durante a Expocoop. “Neste ano, tivemos uma participação recorde, com 119 trabalhos inscritos e que, graças ao apoio do Sicredi e da Unimed Paraná, conseguimos chegar nesses 10 anos de história”.  A reunião continuou com a apresentação da prestação de contas da Ocepar pelo coordenador administrativo e financeiro, Claudiomiro Rodrigues.

{vsig}noticias/2014/06/13/reuniao_conselho_fiscal/{/vsig}

RAMO SAÚDE Unimed fará revisão de suas diretrizes estratégicas no Paraná

O presidente da Federação Unimed Paraná, Paulo Roberto Fernandes Faria, visitou, na manhã desta sexta-feira (13/06), a sede do Sistema Ocepar, em Curitiba. O dirigente foi recebido pelo presidente João Paulo Koslovski e pelo superintendente José Roberto Ricken. Durante o encontro, Faria fez um relato sobre as ações que serão prioridades na Unimed em 2014. “Repassei informações sobre como está o setor de saúde no estado e também a respeito dos nossos próximos passos na gestão da Unimed, dentre os quais a revisão e atualização de nossas diretrizes estratégicas estaduais. Faremos eventos regionais para ouvir a todos os cooperados e conhecer as propostas que servirão como plano diretor para os próximos anos no Sistema, servindo também de alicerce para o planejamento estratégico de cada singular”, explicou. O dirigente aproveitou a visita para agradecer a participação do presidente Koslovski na 22ª edição do Simpósio das Unimeds do Estado do Paraná (Suespar), que ocorreu em Foz do Iguaçu de 29 de maio a 1º de junho.

Prioridades - Segundo Faria, os eventos de discussão sobre a revisão de diretrizes começam no dia 28 de maio, em Curitiba, e prosseguirão em cidades polos regionais até o fim de agosto. “As prioridades abrangem várias dimensões como, por exemplo, a voltada aos cooperados, a da rede prestadora, a política e a dimensão assistencial”, disse. “Um dos desafios constantes que temos é o de resgatar os cooperados que, às vezes, se distanciam da cooperativa. Buscamos incentivar um relação de proximidade e pertencimento dos associados, não uma relação de dono, mas de sócio, com direitos mas também deveres com a cooperativa”, prosseguiu. “Queremos ouvir nossos cooperados para revisão das diretrizes estratégicas. Temos muito trabalho pela frente”, concluiu. No Paraná, a Unimed congrega 9.500 cooperados e possui cerca de 1,5 milhão de beneficiários, ou 13% da população do estado.

{vsig}noticias/2014/06/13/unimed/{/vsig}

JOVEMCOOP: Debates sobre protagonismo juvenil vão reunir 300 jovens em Mandaguari

jovemcoop 13 06 2014“Somos responsáveis pelas mudanças que queremos”. Esse é o tema central da 23ª edição do Encontro Estadual da Juventude Cooperativista Paranaense (Jovemcoop) que o Sistema Ocepar promove, dias 24 e 25 de julho, na Associação Atlética da Cooperativa Cocari, em Mandaguari, no Noroeste do Paraná. A expectativa é reunir 300 rapazes e moças de 12 cooperativas paranaenses. Segundo o coordenador estadual do Jovemcoop, Guilherme Cabral Gonçalves, a programação do evento contempla a apresentação de palestras e a realização de oficinas, que serão conduzidas pelos próprios jovens. Os preparativos para o encontro tiveram início nos dias 15 e 16 de abril, no Encontro da Liderança Cooperativista (Elicoop Jovem), também realizado em Mandaguari.

 

 

JOVEM APRENDIZ: Novas turmas começam a receber capacitação a distância

jovem aprendiz 13 06 2014Novas turmas de jovens aprendizes de sete cooperativas paranaenses começam a ser capacitadas por meio da modalidade ensino a distância (EAD), desenvolvida pelo Sescoop/PR em parceria com o Senac. A partir de 28 de julho, os jovens iniciam o curso, acessando o conteúdo pela internet. Ao todo serão mil horas de aprendizado, incluindo a parte teórica e a prática. As cooperativas que ainda tiverem interesse em participar têm até o dia 20 de junho para efetivar as inscrições, entrando em contato com o analista de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Guilherme Cabral Gonçalves (41-3200 1167/guilherme.gonçalves@sistemaocepar.coop.br).

Formatura – O curso a distância para jovens aprendizes cooperativos teve início no ano passado. Os 39 primeiros formandos da Coagru, Coasul, Cocafé e Nova Produtiva vão receber os certificados na sede das cooperativas, em data a ser confirmada.

O Jovem Aprendiz – No Paraná, o Sescoop/PR desenvolve o Jovem Aprendiz desde 2005. A aprendizagem é feita em parceria com instituições de ensino nas regiões em que as cooperativas atuam. É uma iniciativa que visa atingir dois objetivos: primeiro, atender à Lei 10.097, que determina a contratação, na condição de aprendiz, de pessoas entre 14 e 24 anos, matriculadas em programas de aprendizagem profissional. O segundo é formar jovens para a cultura da cooperação e o  exercício das atividades das cooperativas. Em 2013, o programa contemplou 35 cooperativas, 1.400 jovens aprendizes em 38 turmas nas áreas administrativa e industrial. 

 

SICOOB PR I: Conselheiros voltam para a sala de aula

sicoob I 13 06 2014Até outubro, os conselheiros das cooperativas singulares do Sicoob PR voltam para a sala de aula para obterem a Certificação de Conselheiros Cooperativos. O Programa tem como objetivo aprimorar e desenvolver competências para proporcionar uma visão estratégica que auxilie na construção de novos cenários cooperativos, assim como, fortalecer conhecimentos sobre as atribuições e responsabilidades do Conselho e seus membros.

Programa - O Programa é oferecido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), em parceria com o Instituto Superior de Administração e Economia (Isae/FGV) e faz parte da certificação oficial exigida pelos estatutos das cooperativas filiadas.

Reciclagem de conhecimento- “A força, bem como a expansão do Sistema Sicoob PR depende também da competência de seus conselheiros, além da participação dos associados. Por isso, temos que constantemente reciclar os conhecimentos destes, para manter a instituição na vanguarda do cooperativismo de crédito”, destaca o presidente do Conselho de Administração do Sicoob PR, Jefferson Nogaroli.

Participação - Participam conselheiros de 15 cooperativas singulares do Sistema Sicoob PR, bem como também da Central PR, divididos em duas turmas: em Maringá e Cascavel. Ao todo, serão certificados 60 conselheiros. (Imprensa Sicoob PR)

 

SICOOB PR II: Evento da Cacispar tem patrocínio do sistema

sicoob II destaque 13 06 2014No dia 17 de julho, com patrocínio do Sicoob PR, lideranças empresariais do Sudoeste do Estado, se reunirão em Francisco Beltrão (PR), para a XII Convenção Empresarial da Cacispar, promovido pela Coordenadoria das Associações Comerciais e Empresariais do Sudoeste do Paraná. Convenções como está contribuem para dar direcionamentos para a economia local. “Estar presente em encontros de lideranças empresariais, como este, em que buscam o bem da comunidade, é uma forma que o Sicoob tem de mostrar que pode fazer parte deste movimento e contribuir para o desenvolvimento local por meio do cooperativismo”, confirma o presidente do Conselho de Administração do Sicoob PR, Jefferson Nogaroli.

Unioeste - A XII Convenção Empresarial da Cacispar ocorrerá na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). (Imprensa Sicoob PR)

 

INTEGRADA: 10º Encontro de Integração Feminina discute família e cooperativismo

integrada 13 06 2014O Encontro de Integração Feminina da Cooperativa Integrada chegou à décima edição e esse ano teve como tema a “Família”. Cooperadas, esposas e filhas de cooperados de toda área de atuação da Integrada participaram do encontro, que foi realizado na última quarta-feira (11/06), em Londrina. Realizado anualmente, o Encontro de Integração Feminina é um momento onde todas as mulheres que fazem parte das atividades da Integrada, de todas as 13 regionais da cooperativa, podem se reunir para assistir a palestras, trocar experiências e participar de um dia de descontração.

Sugestão - “O tema do encontro desse ano foi sugerido pelas lideranças dos Núcleos Femininos da Integrada. Nessa edição, discutimos a participação feminina no contexto familiar e do cooperativismo, além de apresentar todos os benefícios que a cooperativa oferece para toda a família cooperada”, explicou Lívia Favoreto, assessora de cooperativismo da Integrada.

Programação - A programação teve início pela manhã, com a palestra “Ame-se e seja amada: em busca do sucesso como mulher, mãe e profissional”, a ser ministrada pelo psicólogo e mestre em educação, Marcos Meier. O palestrante, que tem uma coluna semanal sobre educação familiar no programa Bom dia Paraná, da Rede Globo, destacará assuntos ligados a autoestima e a importância da mulher nos negócios da família e no cooperativismo.

Apresentação - No período da tarde, integrantes da equipe da Divisão Regional e Industrial da Integrada apresentaram os benefícios que a cooperativa oferece para toda a família cooperada. Na sequência, o palestrante João Carlos de Oliveira animou o público feminino com uma apresentação com o tema “Família feliz coopera”. Especialista em educação e liderança de equipes, o palestrante é consultor empresarial na área motivacional e de qualidade de vida.

Grande família- A abertura oficial do encontro ficou por conta do presidente da Integrada, Jorge Hashimoto. “Anualmente a Cooperativa Integrada tem feito esse evento, pois nós acreditamos e incentivamos a participação das mulheres na atividade agrícola da família e também no dia a dia da cooperativa. Queremos mostrar para todas as participantes como é bom fazer parte dessa grande família que é a Cooperativa Integrada”, destacou Hashimoto. (Imprensa Integrada)

 

COCAMAR: Umuarama terá dia de campo sobre ILPF no próximo dia 25

Cocamar e Instituto Emater promovem um dia de campo sobre integração lavoura, pecuária e floresta (ILPF), no próximo dia 25, a partir das 13h30, em Umuarama (PR), na propriedade do agropecuarista Abílio Fernandes Lopes. A iniciativa conta com o apoio do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e a previsão é que participem cerca de 200 pecuaristas da região e técnicos. A ILPF é apresentada como solução para revitalizar as pastagens e ampliar a produtividade da pecuária de corte, ao mesmo tempo em que a propriedade passa, também, a produzir grãos durante o verão. 

Área - O coordenador de ILPF na Cocamar, agrônomo Rafael Franciscatti dos Reis, conta que o sistema totalizou 42,6 mil hectares na safra 2013/14 na região noroeste do Estado, dos quais 9,3 mil com cultura de soja, registrando aumento expressivo em comparação ao período 2012/13, quando foram totalizados 29,5 mil hectares (5,6 mil de soja). “O crescimento da integração vem acontecendo rapidamente, em razão das vantagens econômicas que oferece”, afirma o coordenador, lembrando que no ciclo 2010/11 eram 9,3 mil hectares (1,6 mil com soja).

Transformação - O proprietário Abílio Fernandes Lopes diz que encantou-se ao conhecer o modelo de ILPF ao participar, há três anos, de uma viagem organizada pela Cocamar à Fazenda Santa Brígida em Ipameri (GO). Ao retornar, resolveu investir na transformação da propriedade de 200 alqueires, cujos pastos estavam degradados. Lopes lembra ter observado, também, as mudanças que vinham acontecendo em propriedades nas imediações de Umuarama, após adotarem a integração.

Proteção do solo- Pelo sistema, a área de pasto é dessecada na primavera após receber adubação e ter o relevo corrigido, para possibilitar o plantio direto da soja. Com o solo protegido pela palha, a oleaginosa encontra melhores condições para desenvolver-se durante o verão, suportando períodos de curtos veranicos. Após a colheita da soja, o proprietário efetua o plantio de capim braquiária, garantindo alimento de qualidade e em abundância para o gado no inverno. A Cocamar mantém equipe especializada para prestar orientação técnica.

Mudança de mentalidade- “A ILPFrepresenta uma completa mudança de mentalidade em relação ao modelo convencional”, explica Rafael, mencionando que o proprietário passa a faturar com a produção de soja no verão e aumenta em pelo menos duas ou três vezes a ocupação dos pastos no inverno. Além disso, o sistema é sustentável, ambientalmente correto por preservar os recursos naturais e pode ser complementado pelo cultivo de eucalipto em espaços intercalares, oferecendo uma receita extra. (Imprensa Cocamar)

COAMO: Inovação marca parceria entre Alimentos Coamo e Globo.com

Os Alimentos Coamo realiza, desde quinta-feira (12/06), uma ação inédita com o portal de notícias e entretenimento Globo.com. Na página de entretenimento deste portal, onde estão os link’s das novelas 'Em Família', 'Geração Brasil' e 'Meu pedacinho de chão', haverá um banner animado de cinco segundos com o resumo da cena mais marcante do filme da campanha “É Bom Evoluir”, referente ao relançamento das margarinas Coamo Família, Coamo Extra Cremosa e Coamo Light. Além disso, com um clique, este banner remeterá o internauta ao site dos Alimentos Coamo, onde será possível assistir o filme na integra e navegar por todo o conteúdo do site.

É bom evoluir- A campanha das margarinas Coamo que está sendo divulgada, apresenta mudanças importantes nas três margarinas da cooperativa conforme explica o gerente Comercial de Alimentos, Domingos Marzulli. “A margarina Coamo Família está com nova embalagem mais atrativa e cores marcantes, tem nova fórmula, com aroma e sabor para quem procura um produto de sabor intenso. Com ótima cremosidade e espalhabilidade, textura macia e ótima performance. Com relação a margarina Coamo Extra Cremosa, sua formulação recebeu um toque especial para realçar o novo sabor, aroma, textura e cremosidade, com múltiplas finalidades resultando num produto diferenciado e com preço atrativo.  Já a margarina Coamo Light teve o aroma e o sabor realçados e com textura e cremosidade macia, sem perder as características de um produto que atende a saudabilidade e qualidade de vida do consumidor. As embalagens foram modernizadas e possuem fácil identificação de suas características e categorias.”

Campanha - Para apresentar a nova fórmula e o novo visual da família de margarinas Coamo, foi desenvolvida uma campanha com o conceito de evolução. Quando se fala em evolução, a primeira imagem que vem à cabeça, provavelmente, é a teoria de Darwin, com o macaco chegando ao homo sapiens. Neste caso, para surpreender o público, o filme da campanha conta com a presença de um gorila. Mas, o que parecia ser um gorila tomando café da manhã é, na verdade, uma criança na companhia de sua mãe. Afinal, nada mais família que uma criança fantasiada e uma mãe que entra na brincadeira. Quanto a assinatura da campanha, "Experimente essa evolução", reforça o conceito e incentiva os consumidores a experimentarem o novo sabor e aroma. Além disso, foram produzidas peças para rádio, televisão, revista e jornal.

Jingle - Além disso, foi criado um jingle para campanha com o objetivo de transmitir o seu conceito e as novidades da nova família de margarinas Coamo de forma diferenciada para o público. O jingle utiliza a expressão “tá que ta” para descrever a evolução das margarinas e conta com uma melodia que envolve o consumidor e ajuda na memorização da mensagem.

Compromisso - De acordo o superintendente Comercial da Coamo, Alcir José Goldoni, as mudanças que vêm sendo realizadas na linha alimentícia da cooperativa marcam o respeito com o consumidor e essa parceria com a Globo.com é um importante meio que objetiva ampliar a divulgação da campanha. "Ano após ano recebemos diversas premiações que marcam o reconhecimento do cliente dos Alimentos Coamo. Em contrapartida, procuramos acompanhar as tendências de um mercado que está cada vez mais exigente e sempre esperando um produto com origem, qualidade e sabor", afirma Goldoni. (Imprensa Coamo)

ABAG: Congresso Brasileiro do Agronegócio discutirá futuro do setor

abag 13 06 2014Um dos eventos mais importantes do país, voltados à agropecuária nacional, é o Congresso Brasileiro do Agronegócio, que está na sua 13ª edição. Realizando anualmente, o evento, cujas inscrições estão abertas desde quinta-feira (12/06), é promovido pela Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), com apoio do Sistema OCB.

Políticas públicas- A intenção é debater as políticas públicas para os principais temas das cadeias produtivas: desenvolvimento sustentável, competitividade, orientação a mercados, segurança jurídica, governança institucional, infraestrutura e logística e seguro rural. Neste ano, o evento será realizado no dia 4 de agosto, em São Paulo e terá uma relevância ainda maior, pois contará com a participação – em vídeo – dos candidatos à Presidência da República, falando sobre suas propostas para o agronegócio brasileiro.


Perfil - Na quarta-feira (11/06), durante a apresentação do Índice de Confiança do Agronegócio (ICAgro), o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, fez questão de frisar o perfil do Brasil diante do mercado mundial. “O Brasil está caminhando para ser o maior produtor de alimentos, fibras e energias renováveis do mundo. Utilizando os dados do ICAgro – levantados trimestralmente – podemos construir um plano estratégico que garanta a nossa participação no mercado mundial de forma sustentável”, comenta o presidente.

Estimativas - Segundo estimativas da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em 20 anos, o Brasil será responsável por produzir 40% de tudo que é exportado no mundo. “Diante deste horizonte, é preciso construir um planejamento de longo prazo que contemple uma visão de futuro, pois do contrário, não teremos condição de participar de forma sustentável desse mercado”, analisa Márcio Freitas.

Necessidade - O presidente da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), Luiz Carlos Corrêa Carvalho, concorda com o presidente do Sistema OCB. “O Brasil é reconhecido como um dos principais players mundiais no fornecimento de alimentos, fibras e energia renovável. Apesar dessa notável reputação, o setor se ressente de um plano estratégico nacional para contribuir com o desenvolvimento econômico e social. Para termos protagonismo e valorização, precisamos governar e liderar”, reforça.

O evento- O Congresso Brasileiro do Agronegócio também terá um painel que abordará o tema das Novas Mídias e o Agronegócio, além da participação interativa com a plateia e a apresentação de uma pesquisa inédita sobre a percepção da população brasileira sobre a importância e os desafios do agronegócio nacional para o país e para o mundo. 

2013 - Em 2013 o Congresso Brasileiro do Agronegócio contou com a presença de aproximadamente 700 participantes na plateia e 90 jornalistas de todo o país. Com o objetivo de possibilitar a propagação dos debates, a Abag transmite o evento, ao vivo pela internet, para todo o Brasil e países vizinhos. Cerca de 8 mil pessoas assistiram aos painéis e participaram dos debates.FAÇA SUA INSCRIÇÃO. (Informe OCB)

 

EBCP: Trabalhos a serem apresentados no III Encontro já podem ser inscritos

Os interessados – alunos, professores, cooperados – em submeter seus trabalhos acadêmicos ou suas boas práticas à banca que definirá a apresentação dos cases durante o III Encontro Brasileiro de Pesquisadores em Cooperativismo (EBPC), já podem se inscrever. Todas as informações a respeito da forma e do que inscrever estão no REGULAMENTO.
 
Realização - O III EBPC é uma realização dos Sistemas OCB e OCB/TO, promovido pela Rede Brasileira de Pesquisadores em Cooperativismo (RBPC), com o apoio da Universidade Federal do Tocantins (UFT). O encontro será realizado entre os dias 20 e 22 de outubro, no campus da UFT, em Palmas. O tema da terceira edição é “Cooperativismo como Modelo de Negócios: as cooperativas conquistam desenvolvimento sustentável para todos”.

Intenção - O Sistema OCB visa a aproximar a área acadêmica da real necessidade das cooperativas, propondo debates fundamentados em pontos definidos pela Aliança Cooperativa Internacional (ACI) como essenciais ao desenvolvimento do setor e à sua consolidação nos próximos 10 anos, na chamada “Década do Cooperativismo”.

Oportunidade - Além da apresentação dos trabalhos haverá palestras e mesas-redondas, que representam grande oportunidade de “networking” social e profissional em questões estratégicas à competitividade e à permanência das cooperativas no mercado global.

Atenção - Será aceita a inscrição de trabalhos nas modalidades: artigo, artigo de iniciação científica e/ou trabalho de conclusão de curso e relato de práticas. Os interessados podem CLICAR AQUI para obter todas as informações sobre como se inscrever. (Informe OCB)

Ficha de Inscrição

Exemplo de Artigo

Exemplo de Relato de Prática

Exemplo de Artigo IC_TCC

Lista de revistas para o Fast Track

ACI: Evento internacional na Croácia vai discutir cooperativismo no mundo

Será realizada na cidade de Pula, na Croácia, de 25 e 28 de junho, a Conferência Internacional do Comitê de Pesquisa da Aliança Cooperativa Internacional (ICA CCR). O evento reunirá profissionais cooperativistas, pesquisadores e estudantes ligados ao setor e à economia social, bem como outros campos de investigação em cooperativismo. No site do evento, o interessado poderá encontrar a lista de campos de estudo contemplados na conferência. Os trabalhos apresentados poderão ser publicados em edição especial do Journal of Co-operative Organization and Management (Elsevier Science).

Interesse - A Gerência de Relações Institucionais do Sistema OCB estará à disposição das unidades estaduais que tiverem interesse em se inscrever, esclarecendo dúvidas e auxiliando com informações adicionais. Para isso, basta que a Unidade Estadual entre em contato por meio do e-mail:  relacoesinstitucionais@ocb.coop.br. (Informe OCB)

TRABALHO: CNCoop alerta sobre novas regras para contrato temporário

A partir do dia 1º de julho entra em vigor a Portaria nº 789/14 do Ministério do Trabalho e Emprego, alterando o prazo de contrato de trabalho temporário. O texto foi publicado no último dia 3 de junho, no Diário Oficial da União. O alerta é da Confederação Nacional das Cooperativas (CNCoop). Segundo a portaria, os contratos de trabalho temporário poderão durar até nove meses, além dos três habituais conforme prevê a Lei nº 6.019/89, desde que ocorram circunstâncias e motivos que justifiquem a prorrogação e vale exclusivamente na hipótese de substituição de pessoal regular e permanente.

Autorização - A autorização deverá se dar por meio de empresa de trabalho temporário, solicitando a autorização por meio da página eletrônica do MTE, conforme  instruções previstas no Sistema de Registro de Empresa de Trabalho Temporário (SIRETT), disponível no site do MTE, com antecedência mínima de cinco dias do início do contrato (para contratação nova com prazo superior a três meses e de até nove meses) ou até cinco dias antes do termo final inicialmente previsto (no caso de prorrogação, observado o prazo máximo de nove meses). A concessão da autorização se dará com base na análise formal e objetiva da documentação e das declarações prestadas. (Informe OCB)

SEBRAE/PR I: Sexta SGC paranaense deve entrar em operação em 2015

O diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vítor Roberto Tioqueta, anunciou durante o 4º Fórum Brasileiro de Garantias de Crédito para MPE, realizado na semana passada em Foz do Iguaçu, que, em 2015, deverá entrar em operação uma nova Sociedade de Garantia de Crédito (SGC) no Paraná.

Sede - A nova SGC será sediada na capital paranaense e está sendo articulada, há mais de um ano, para atender micro e pequenas empresas instaladas em municípios da Região Metropolitana de Curitiba e região leste do Estado. “No ano que vem, esperamos operar com seis SGC e, assim, o Paraná deverá se consolidar como o estado brasileiro com maior número de sociedades garantidoras”, disse Tioqueta.

Ponto de sucesso- O diretor-superintendente ressaltou que o crédito, aliado ao planejamento, é um dos principais pontos de sucesso dos pequenos negócios. “Com as sociedades garantidoras, dando aval para que os empresários possam ter acesso ao crédito, nós alavancamos a economia, geramos mais emprego e renda e fazemos com que essas empresas tenham uma longevidade maior.”

Ampla articulação- Tioqueta avaliou ainda que o sucesso das SGC paranaenses “se deve a uma ampla articulação e envolvimento de empresários, parceiros e apoiadores das SGC”. Essa base, no seu entendimento, tem dado sustentação e operação à ideia. “Inúmeros estados se espelham no modelo paranaense para planejar seus sistemas de garantia de crédito e seus representantes ficam impressionados com a mobilização conquistada no Paraná.”

Parcerias - Para o diretor-superintendente, sem parcerias como as construídas entre o Sebrae; o Sistema Faciap; o Sicoob; as instituições financeiras, como a Fomento Paraná, BRDE e BNDES; e as próprias SGC e empresas paranaenses, o sistema de garantia de crédito no Estado não teria avançado. “Hoje, as SGC são a melhor opção para empresários que buscam garantia para a concessão de crédito junto às instituições financeiras. Um problema a menos para os empreendedores que desejam o sucesso”, reforçou.

Cobertura - O diretor-superintendente do Sebrae/PR lembrou que, desde 1995, a entidade contribui nacionalmente para a melhoria do ambiente de garantias. Primeiro, foi com a criação do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (FAMPE), criado para dar garantias às instituições financeiras em favor dos pequenos negócios. Em 2005, começou a articulação com a Itália, mais especificamente com a Região da Emilia-Romagna, quando o confide italiano foi identificado como modelo interessante para se instituir no Brasil um sistema de garantia de crédito para atender micro e pequenas empresas. Em 2006, começou a operar a GarantiSerra, a primeira Sociedade de Garantia de Crédito (SGC) brasileira.

Chamada pública- “Em 2008, o lançamento, pelo Sebrae Nacional, de uma chamada pública para identificar regiões com interesse em SGC, abriu espaço para as SGC paranaenses.” Assim nasceram a Garantioeste, com sede em Toledo; a Noroeste Garantias, em Maringá; a Garantisudoeste, em Francisco Beltrão; a Garantinorte, em Londrina; e a Centro-Sul, em Guarapuava. Desde 2006, com a parceria do Sebrae Nacional, elas já reuniram 1.100 empresas, emitiram R$ 22 milhões em garantias, que permitiram R$ 32 milhões em financiamentos.

Desafios e oportunidades - O 4º Fórum Brasileiro de Garantias de Crédito para MPE, encerrado na última sexta-feira, dia 6, em Foz, foi marcado por um amplo debate sobre os desafios e as oportunidades na busca de soluções para as micro e pequenas empresas, com foco em sua maior competitividade e na concessão de garantias. Organizado pelo Sebrae Nacional, o evento contou com aproximadamente 230 participantes, entre autoridades públicas, agentes do sistema financeiro, lideranças empresariais, dirigentes de sociedades garantidoras e especialistas em serviços financeiros do Brasil, Europa e América Latina. (Assessoria de Imprensa do Sebrae/PR)

SEBRAE/PR II: Cachaças apoiadas pela entidade são premiadas em concurso mundial

sebrae II 13 06 2014Três produtores de cachaça de Morretes, no litoral paranaense, apoiados pelo Sebrae/PR, foram destaque no Concurso Mundial de Bruxelas – Spirits Selection, realizado em Florianópolis, Santa Catarina, entre os dias 6 e 8 de junho. O concurso, reconhecido internacionalmente pela reputação e rigor técnico, aconteceu pela primeira vez na América Latina e rendeu várias medalhas ao Brasil e, principalmente, a pequenas destilarias.

Medalhas - As marcas Porto Morretes, Casa Poletto e Boa Brasil, administradas pelos produtores Fulgêncio Torres, Sadi Poletto, e Sergio Pignanelli, respectivamente, conquistaram sete medalhas ao todo, em diversas categorias de premiação a cachaças. Somente a Porto Morretes, da Agroecológica Marumbi, levou cinco medalhas, dentre elas uma na categoria Grande Medalha de Ouro, prêmio que já havia recebido também na edição do Concurso realizada em 2012. A Casa Poletto, foi premiada na categoria Ouro e a Boa Brasil, na categoria Prata.

Boas práticas- Em comum, além de produzirem cachaças com elevado padrão de qualidade, os produtores paranaenses premiados participam de um projeto do Sebrae/PR com foco em boas práticas de produção, fabricação e distribuição. Voltado para todos os elos da cadeia produtiva de hortifrutigranjeiros, a proposta do Sebrae/PR também se estende a pequenas destilarias e cervejarias, para as quais são oferecidas consultorias e soluções no desenvolvimento de produtos.

Parceria - “Ao longo do tempo, o Sebrae sempre foi nosso parceiro. Duas das cinco medalhas conquistadas no Concurso são frutos do apoio direto concedido pela entidade na criação de novos produtos, de forma inovadora”, diz Fulgêncio Torres. O produtor relata que, por meio do Sebraetec – Serviços em Inovação e Tecnologia – Modalidade Diferenciação, solução da entidade que subsidia projetos de inovação, a Porto Morretes desenvolveu cachaças diferenciadas.

Teste - Durante aproximadamente um ano, Fulgêncio Torres, com o suporte do Sebraetec e conhecimento adquirido com as consultorias em boas práticas de fabricação que vinha recebendo há mais tempo pelo Projeto da Cadeia Produtiva de Hortifrutigranjeiros da Região Metropolitana de Curitiba, testou o uso de barris feitos com madeiras brasileiras, para armazenar a bebida. Tradicionalmente, o carvalho - americano ou francês - é o mais indicado.

Inovação - Porém, a Porto Morretes decidiu inovar e armazenar parte da sua produção em barris fabricados com acabamentos em amburana, uma madeira tipicamente brasileira conhecida popularmente como cumaru-do-ceará, cumaru-das-caatingas e também como cerejeira, muito usada na fabricação de móveis finos. “A combinação deu certo e diversificamos nossos produtos. Produzimos cachaças em carvalho e também em amburana”, comemora. Nesta semana, Fulgêncio Torres recebe um grupo de bartenders (profissionais responsáveis pela mistura de bebibas e preparação de coquetéis em um bar) vindos dos Estados Unidos especialmente para conhecer, durante dez dias, sua produção.

Caminho certo - “O Sebrae Nacional teve um papel fundamental nessa conquista dos produtores de cachaças. A entidade estimulou nacionalmente a participação de pequenas destilarias no Concurso. O Brasil foi representado por 203 cachaças, sendo que a inscrição de 100 delas foi viabilizada pelo Sebrae Nacional”, afirma a consultora do Sebrae e gestora do Projeto de Hortifrutigranjeiros, Maria Isabel Guimarães.

Processo - Segundo ela, “o resultado mostra que estamos no caminho certo, razão pela qual iniciamos a discussão de um processo com o objetivo de obtermos a identificação geográfica das cachaças produzidas em Morretes”. “Os elaboradores premiados estão de parabéns, porque, além de se destacaram num concurso bastante disputado, não têm medido esforços no seu trabalho.” “Os elaboradores das cachaças Boa Brasil e Casa Poletto, assim como o da Porto Morretes, são parceiros do Sebrae/PR e confiam no trabalho em conjunto e nos consultores da entidade. Com a Boa Brasil, ajudamos no desenvolvimento de produtos. E com a Casa Poletto, sua legalização como empresa”, cita.

Alto padrão- Maria Isabel Guimarães explica que o Spirits Selection é um concurso às cegas. Ou seja, todos os elaboradores de bebidas alcoólicas do mundo, que participaram desta edição, dentre eles os de cachaças de Morretes, enviaram garrafas de suas bebibas antecipadamente. Ao júri que analisou as bebidas foram entregues pequenas amostras, sem identificar a sua origem. “Isso acabou revelando, ao final da premiação, que estamos com produtos de alto padrão, em condição de igualdade e competitividade”, avalia Maria Isabel.

Total de amostras- Ao todo, 720 amostras, entre uísques, tequilas, conhaques, grapas, piscos, cachaças, entre outros destilados, foram avaliados por 47 jurados brasileiros e estrangeiros.

Confira a lista das premiadas brasileiras que contaram com o apoio do Sebrae:

Melhor Cachaça 2014

Cachaça Famosinha de Minas (MG)

Cachaça Weber Haus Envelhecida em Amburana (RS)

Grande Medalha de Ouro

Porto Morretes Cachaça Ouro 2010 (PR)

Medalha de Ouro

Aguardente de Cana Flor da Montanha Branca 2012 (SP)

Cachaça Alma da Serra 2012 (SP)

Cachaça Belvedere Premium 3 anos (RS)

Cachaça da Quinta Amburana (RJ)

Cachaça Extra Premium Bento Albino (RS)

Cachaça Harmonie Schaps Prata 2011 (RS)

Cachaça Ouro 1 (MG)

Cachaça Rainha do Vale Classica 2012 (MG)

Cachaça Paratiana Prata 2012 (RJ)

Cachaça Salinas 2012 (MG)

Cachaça Samanaú Prata 2013 (RN)

Cachaça São Miguel Cerejeira 2012 (RJ)

Cachaça Taverna de Minas 2013 (MG)

Cachaça Tiara Rainha (MG)

Don Juan Cachaça Ouro 2013 (PR)

Ouro Cana 12 (SP)

Ouro de Morretes 2010 (PR)

Medalha de Prata

Boa Brasil (PR)

Cachaça Arte Mineira Ouro Maturada em Bálsamo (MG)

Cachaça Brejo dos Bois 2012 (AL)

Cachaça da Torre 2007 (SP)

Cachaça Dona Beja Classic 2011 (MG)

Cachaça Imperador Pedro II 2002 (SC)

Cachaça Prazer de Minas 2011 (MG)

Cachaça Sanhaçu (PE)

Cachaça Santo Mario Ouro 2012 (SP)

Cachaça Triumpho (SC)

Cachaça Vanalli (SP)

Coração de Alambique 2014 (RN)

Reserva do Nosco Envelhecida 2007 (RJ)

Lista completa- Já a lista completa dos premiados, produtores de bebidas alcoólicas no geral, pode ser acessada no site oficial do Concurso, no www.spiritsselection.com. (Assessoria de Imprensa do Sebrae/PR, com Sebrae Nacional)

 

PROINVESTE: Paraná consegue liberar financiamento de R$ 817 milhões

proinveste 13 06 2014O governador Beto Richa anunciou quarta-feira (11/06) a liberação do financiamento de R$ 817 milhões do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e Distrito Federal (Proinveste) ao Paraná. “São recursos importantes para projetos que beneficiam todos os paranaenses. Esperamos ter encerrando este longo capítulo da história dos empréstimos”.  Richa esteve no Rio de Janeiro para uma audiência com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, e recebeu a garantia de que os recursos do empréstimo estariam disponíveis para o Estado nesta quinta-feira (12/06).

Linha de crédito- O governador lembrou que o Paraná é último Estado a acessar a linha de crédito lançada pelo governo federal em 2012. Mesmo assim, foi preciso recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para ter o direito garantido. Três liminares foram concedidas em favor do governo estadual. Richa afirmou que o BNDES se comprometeu a comunicar oficialmente a  liberação do empréstimo ao Banco do Brasil. A instituição é responsável pela gestão financeira da operação, para que o valor seja depositado na conta do Governo do Paraná.

Reembolso – O secretário da Fazenda, Luiz Eduardo Sebastiani, que liderou as negociações com o BNDES, afirmou que do valor total do empréstimo, o governo estadual já aplicou cerca de R$ 420 milhões e pode ser reembolsado nesta quantia. “Há o entendimento por parte do Banco do Brasil de que o Estado pode ser reembolsado porque realizou vários projetos incluídos no Proinveste com recursos próprios do Tesouro”, disse o secretário, que acompanhou Richa na reunião no Rio de Janeiro.

Recomposição - Sebastiani disse que a restituição de parte do valor do empréstimo é importante para recompor as finanças do Governo do Paraná. “O Paraná não deixou de investir”, explicou o secretário da Fazenda.

Presenças - O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Valdir Rossoni; o procurador-geral do Estado, Ubirajara Ayres Gasparin; o procurador-geral adjunto do Estado, Sérgio Botto de Lacerda; e o liquidante do Badep, Rafael Moura, também acompanharam o governador no encontro com o presidente do BNDES. “Depois de dois anos de muito esforço, a União enfim reconhece que o Paraná tem direito aos recursos do Proinveste. Apesar da determinação do STF, o governo federal insistia em bloquear o dinheiro”, disse Botto de Lacerda, que conduziu as medidas jurídicas adotadas pelo governo estadual. Ele afirmou ainda que a Procuradoria Geral do Estado entrará com ação no Supremo para liberação dos outros três financiamentos internacionais solicitados pelo Estado. “Permaneceremos lutando pelos direitos do Paraná”, afirmou o procurador-adjunto.

Aplicação – O Estado pediu o financiamento do Proinveste para obras melhorias na malha rodoviária estadual; capitalização do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) e da Fomento Paraná, para financiar obras nos municípios; e investimentos na área de segurança pública. (Agência de Notícias do Paraná)

 

DER: Paranaenses contam com mapa online das condições das rodovias

der 13 06 2014O Governo do Estado, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), agora disponibiliza um mapa que permite aos paranaenses saberem com antecedência as condições das rodovias. O Mapa Interativo da Trafegabilidade traz informações atualizadas 24 horas por dia, das condições das rodovias, mostrando pontos de bloqueios e rotas alternativas para desvios.

Ajuda - “Este programa ajuda neste momento em que várias rodovias estão interditadas por causa das chuvas, com trechos danificados ou destruídos pela força das águas”, explica o diretor-geral do DER, Nelson Leal Júnior. O programa pode ser acessado no site do DER, no link Mapa Interativo de Trafegabilidade http://sider.der.pr.gov.br/mapainterativo/webgis/map?cdSistemaAtual=104.

Acidentes e obras- O Mapa Interativo é abastecido pela Polícia Rodoviária Estadual e pelos 14 escritórios regionais do DER. Assim, cada acidente e cada obra em andamento estão registrados no mapa, permitindo que o motorista ou o morador da região clique na rodovia e saiba as condições da estrada.

Acesso - Ao acessar os dados, há também a indicação do quilômetro danificado ou bloqueado, fotos do incidente e o tempo para a recuperação. O mapa contém detalhamentos se houve desastre natural, carro danificado, afundamento ou trinca de pistas, entre outros incidentes.

Rotas - Caso as obras demorem muito, é possível verificar no link de rotas, quais são os caminhos mais curtos para percorrer a distância entre duas cidades. Outra vantagem do programa é que quando acontecem bloqueios parciais, de meia-pista, o motorista saberá que tipo de veículo poderá circular na rodovia.

Condições das rodovias- Até manhã desta quinta-feira (12/06), as equipes do DER estavam trabalhando em 31 pontos de rodovias, que estão fluindo em meia-pista. Já foram liberados 36 trechos de estradas desde o início das fortes chuvas há cinco dias. O maior trabalho tem sido de retiradas de barreiras e de recompor pavimento, que trincou ou está danificado. Há casos mais graves, como o da ponte de São João do Triunfo, que o Estado já está fazendo pré-projetos para a recuperação. Ao todo, as chuvas atingiram 92 trechos de rodovias estaduais e federais, sendo que 25 ainda estão interditadas, 31 trechos em meia-pista e 36 trechos que já foram liberados. (Agência de Notícias do Paraná)

 

BC: Índice prévio do PIB sobe 0,12% em abril, diz Banco Central

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) subiu 0,12% em abril em relação a março, após registrar queda de 0,11% entre fevereiro e março, na série com ajuste sazonal. De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira (13/06), pelo BC, o número passou de 147,14 pontos em março para 147,31 pontos em abril na série dessazonalizada.

Abaixo da mediana- A alta do IBC-Br ficou abaixo da mediana das estimativas de analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE Projeções. As previsões iam de recuo de 0,40% a crescimento de 0,60%, com a retirada dos efeitos sazonais. Neste intervalo, que contou com 40 expectativas coletadas, a mediana encontrada ficou positiva em 0,16%. Ainda em base mensal, o IBC-Br sem ajuste registrou alta de 0,66%.

Comparação - Na comparação entres os meses de abril de 2014 e 2013, houve queda de 2,29% do IBC-Br. Na série sem ajuste sazonal, o quarto mês deste ano terminou com IBC-Br em 151,09 pontos. O resultado do indicador de abril de 2014 frente a igual mês de 2013 foi pior que a mediana das expectativas, que era de queda de 1,80%, sem ajuste sazonal. As estimativas de 35 casas iam de retração de 3,10% a incremento de 0,20%.

Doze meses- Nos 12 meses encerrados em abril de 2014, o crescimento do IBC-Br é de 2,17%, na série sem ajuste. Já no acumulado dos quatro primeiros meses deste ano, o indicador tem alta de 0,78%, ante igual período de 2013, sem ajuste.

Parâmetro - O IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses e tem grande influência sobre as estimativas do mercado financeiro para o Produto Interno Bruto (PIB), divulgado a cada três meses pelo IBGE. (Agência Estado)

ECONOMIA: Receita esclarece portaria para adesão à reabertura do Refis da Crise

A Receita Federal esclareceu nesta quinta-feira (12/06) a portaria conjunta da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e da Receita Federal publicada quarta-feira (11/06) no Diário Oficial da União  que disciplina os procedimentos que deverão ser adotados para as empresas que pretendem aderir à reabertura do parcelamento do Refis da Crise.

Mais uma vez- A reabertura do parcelamento de dívidas foi determinada pela Lei n° 12.973, publicada em 14 de maio de 2014, com previsão para adesão ao parcelamento ou pagamento à vista para tributos vencidos até 30 de novembro 2008. Ou seja, a portaria reabre mais uma vez a chance de adesão ao Refis da Crise, com as mesmas condições estabelecidas em novembro do ano passado.

Expectativa - Segundo João Paulo Martins da Silva, coordenador-geral de Arrecadação e Cobrança da Receita Federal, um pequeno número de contribuintes deve aderir à renegociação nessas condições. “Não temos essa expectativa [de muitos contribuintes]. Como já foi aberto em novembro e dezembro do ano passado, quem tinha débitos em 2009, entrou no fim do ano. Deve ser alguém que perdeu o prazo no fim do ano ou algum débito que tenha aparecido que estava em julgamento ou na justiça, por exemplo, que agora o contribuinte queira entrar”, disse.

Parcelamento - A Receita informa que, no caso do parcelamento, o montante da dívida poderá ser pago em até 180 prestações. Além disso, as multas e juros dos débitos poderão ser amortizados com utilização de créditos de prejuízo fiscal e de base de cálculo negativa da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). A Receita esclarece que, em vista da reabertura do prazo, caso o contribuinte queira fazer a adesão ao pagamento à vista ou ao parcelamento, com ou sem utilização de prejuízo fiscal ou base de cálculo negativa da CSLL, o pedido deverá ser feito até o dia 31 de julho de 2014, exclusivamente nos sites da Receita ou da PGFN.

Cálculo - O cálculo do valor para pagamento à vista deve ser efetuado pelo contribuinte, aplicadas as reduções instituídas, na Lei e o pagamento deve ser recolhido até o último dia do mês de julho.

Recolhimento mensal- Outra informação divulgada pela Receita é que, caso a opção seja pelo parcelamento, o contribuinte deverá calcular e recolher mensalmente o valor correspondente à fração entre o valor total da dívida consolidada e a quantidade de prestações pretendidas, respeitados os valores das prestações mínimas. O recolhimento da primeira prestação deve ser feito também até o último dia útil do mês de julho.

Primeira abertura- Os contribuintes que fizeram a opção pelo parcelamento ou pagamento à vista quando da primeira reabertura, instituída pela Lei n° 12.865, publicada em 10 de outubro de 2013, não precisam fazer novas adesões para as modalidades às quais já tenha solicitado o benefício. No entanto, podem fazer opções para modalidades que ainda não tenham aderido. (Agência Brasil)

COMÉRCIO: Móveis e eletros seguram o varejo no PR

comercio 13 06 2014As vendas no comércio varejista brasileiro crescem cada vez menos, mas no Paraná, graças às vendas de móveis e eletrodomésticos, o declínio tem sido menor. Segundo dados de abril da Pesquisa Mensal de Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), divulgados nesta quinta-feira (12/06), o varejo no país vendeu 4,9% no acumulado dos últimos 12 meses. No estado, o desempenho foi um pouco melhor – 6,9% no mesmo período –, mas acompanha a tendência nacional de queda. Nos acumulados de 2012 e 2013 até abril, o varejo cresceu no Brasil 7,2% e 6,4%, respectivamente. No Paraná, o mesmo indicador mostra um arrefecimento do comércio varejista, que passou de 10,2% em 2012 para 6,3% em 2013.

Móveis e eletrodomésticos- Já o crescimento das vendas do setor de móveis e eletrodomésticos, segundo o IBGE, vem desacelerando menos no país. Passou de 15,8% em abril de 2012 para 8,4% no mesmo mês de 2013 e depois 5,6% agora. O mesmo setor no Paraná sofreu uma queda brusca no acumulado verificado em abril entre 2012 e 2013, passando de 19,4% para 1,4% negativo, mas recuperou o fôlego em abril deste ano, alcançando uma alta de 7,8% no volume de vendas.

Aliados - O diretor de Pesquisa do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), Julio Suzuki, avalia que a situação do setor moveleiro e eletroeletrônico é parecida com a nacional. Ele explica que o desempenho positivo se deve ao consumo familiar, que está atraído pelo crédito facilitado.

Linha de crédito  - A ação do governo federal por meio do cartão Minha Casa Melhor, que abriu uma linha de crédito de até R$ 5 mil para beneficiários do programa Minha Casa Minha Vida, é uma das explicações para o aumento no volume de vendas no setor de móveis e eletrodomésticos, na visão da coordenadora de Pesquisas da Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio), Priscila Andrade Takata. O calor intenso do verão paranaense, que fez superar as médias de vendas de ventiladores e aparelhos de ar condicionado, também ajudou o setor, segundo ela.

Tendência - Para o consultor de comércio e serviço do IBGE, Nilo Lopes de Macedo, a tendência é que o varejo retome o crescimento até o final deste ano. Segundo ele, a Copa do Mundo e as eleições são fatores propícios ao aquecimento da economia devido à chegada de turistas e aos empregos temporários gerados nas campanhas. (Gazeta do Povo)

 

CONTENCIOSO: Brasil e EUA buscam saída para caso do algodão

Integrantes do governo brasileiro se reuniram na quarta-feira (11/06) em Washington com técnicos do governo americano para discutir o contencioso do algodão e trocaram propostas sobre o tema. O encontro foi considerado "produtivo", de acordo com a assessoria de imprensa do Ministério das Relações Exteriores. As propostas americanas serão agora analisadas detalhadamente. "É uma questão complexa, que demanda análise cuidadosa", informou a assessoria do Itamaraty.

Decisão - O Brasil ainda não decidiu se vai entrar com um painel de implementação na Organização Mundial do Comércio (OMC) para avaliar se a nova lei agrícola americana (a "Farm Bill") segue as regras da instituição. Segundo informações da assessoria do Ministério de Relações Exteriores, essa decisão deverá ser tomada nas próximas semanas. É necessário avaliar o alcance e as limitações da proposta americana, conforme o Itamaraty.

Autorização- Em 19 de fevereiro, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) autorizou o pedido de instalação do painel, o que o Brasil ainda não fez. Com a gradual melhora das relações bilaterais, que esfriaram no ano passado depois das revelações de que a presidente Dilma Rousseff foi espionada pelo governo americano, o país parece pouco inclinado a tomar uma decisão nesse sentido.

Ambiente melhor- Por causa das denúncias de espionagem, Dilma adiou a visita de Estado que estava marcada para outubro do ano passado. Nos últimos meses, porém, o ambiente entre os dois países melhorou. Na terça-feira, o vice-presidente Joe Biden, que estará no Brasil para ver o jogo entre EUA e Gana, em Natal, vai se encontrar com a presidente brasileira.

Lei agrícola- A nova "Farm Bill" foi aprovada em fevereiro deste ano, e substituiu os pagamentos diretos e os pagamentos anticíclicos aos cotonicultores americanos por um sistema de seguro bastante complicado - que, de acordo com o governo dos EUA, respeita as regras da OMC. A avaliação inicial dos produtores brasileiros, porém, é que o novo mecanismo poderá até ser mais distorcivo do que os anteriores, a depender das cotações internacionais do algodão.

Retaliação - Em 2009, a OMC autorizou o Brasil a retaliar os EUA em US$ 830 milhões, devido aos subsídios dados aos agricultores. O Brasil não aplicou as sanções porque houve um acordo pelo qual os EUA pagariam US$ 147 milhões por ano, em prestações mensais, aos produtores brasileiros, até a aprovação de uma legislação de acordo com as normas da OMC. Em setembro de 2013, porém, os EUA pagaram apenas 40% da parcela de US$ 12,3 milhões, e interromperam o pagamento totalmente no mês seguinte. Os produtores brasileiros querem que os EUA paguem os recursos devidos desde setembro, e também são favoráveis à flexibilização do uso dos recursos. (Valor Econômico


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br