Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3366 | 20 de Junho de 2014

TRIGO: Ocepar contesta informações de que qualidade do trigo do Paraná será inferior

O Sindicato e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) contesta as informações publicadas no Diário do Comércio Indústria & Serviços (DCI), no dia 18 de junho, de que a produção de trigo no Paraná terá uma qualidade menor na safra 2014/2015. “Ao contrário do que foi divulgado não faltou semente de trigo da classe pão e, mesmo com os problemas de clima do ano passado, não houve necessidade de ampliar a quantidade de sementes que, tradicionalmente, o Paraná compra do Rio Grande do Sul”, afirma o gerente Técnico e Econômico da Ocepar e presidente da Câmara Setorial do Trigo, Flávio Turra.

Produção própria– De acordo com o Turra, as duas situações acima se justificam porque no Paraná mais de 90% da safra de trigo é realizada com sementes. “E na última safra, foram colhidas cerca de 2,8 milhões sacas de sementes de trigo, volume suficiente para atender a demanda interna, ou seja, não houve necessidade de compras adcionais de outros estados. Segundo Turra, as exceções no plantio com sementes compradas de fora envolvem a produção contratual entre algumas empresas e moinhos que atendem a mercados específicos. “Ou seja, as compras, quando ocorrem, são programadas e acontecem para atender a mercados específicos, os quais, por sua vez, são exigentes em termos de qualidade. Portanto, temos aqui três situações: as sementes que, eventualmente são compradas de outros estados, atendem aos requisitos industriais para a produção a qual se destinam, ou seja, não se pode colocar em dúvida a questão da qualidade; o volume adquirido é muito pequeno; e a maior parte do que foi comprado é de trigo da classe pão.  Então, é totalmente errado classificar toda a produção como de qualidade inferior, já que as sementes adquiridas atendem a uma demanda previamente estabelecida e visam atender a uma parcela pequena do mercado”,  frisou Flávio Turra.

Trigo para pão – Em relação a informação de que “faltou sementes para trigo pão”, Flávio Turra também afirma que isto não aconteceu. “Por conta das geadas, o Ministério da Agricultura autorizou a inscrição de novos campos de produção de sementes. Isto permitiu que as empresas produtoras reprogramassem a sua produção de forma a atender a demanda de cada região, inclusive, aumentando significativamente a produção de sementes em relação à safra anterior. A semente produzida, nessa nova modalidade, atenderam a todos os requisitos estabelecidos pelo Ministério da Agricultura, ou seja, não houve falta de sementes e não houve prejuízos quanto a qualidade”, disse.

Clima – Por último, sobre a questão de que o “clima irá afetar a qualidade da produção”, Flávio Turra disse que isto também é questionável, porque se isto ocorrer será na fase de colheita, porém, ainda é muito cedo para fazer essa previsão. “O El Nino, fenômeno que se caracteriza pelo aquecimento das águas do Oceano Pacífico, promete um ano de chuvas acima da média e bem distribuídas, o que é favorável para o desenvolvimento das lavouras e para uma safra normal. Pode ser que, na época da colheita, o excesso de chuva atrapalhe, porém, ainda é cedo para afirmar isso”, ressalta Turra. Por enquanto, completa Turra, o que está acontecendo é um desenvolvimento normal das lavouras, o que significa que estão mantidas as estimativas quanto a produção e qualidade do trigo paranaense. “Atualmente, 75% da safra de trigo do Paraná está plantada, sendo que a estimativa é colher 4 milhões de toneladas. A estimativa é que 90% dessa produção seja de trigo da classe pão e superior”, conclui Turra.  

 

{vsig}noticias/2014/06/20/Trigo/{/vsig}

VISITA: Professores da Universidade de Uberlândia querem estreitar parcerias com as cooperativas paranaenses

Os coordenadores do Núcleo de Estudos e Gestão na Indústria e no Agronegócio, da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Minas Gerais, Carlos Roberto Domingues e Janaína Maria Bueno, visitaram na última quarta-feira (18/06), a sede do Sistema Ocepar, em Curitiba. Foram recebidos pelo superintendente, José Roberto Ricken, pelo gerente técnico e econômico, Flávio Turra e pelo coordenador de comunicação, Samuel Milléo Filho. Tanto Carlos como Janaína, trabalharam na cooperativa Castrolanda e hoje são professores em Uberlândia com doutorado em administração. “Nossa vinda aqui é com o intuito de estreitarmos laços com a Ocepar e as cooperativas paranaenses, no sentido de podermos realizar um trabalho voltado para estratégias de gestão empresarial com foco no modelo cooperativista implantando no Paraná”, lembra Carlos Roberto.

 Pesquisa – Os professores relataram que o Núcleo já realiza pesquisa em três cooperativas do Triângulo Mineiro nas culturas de café, leite e feijão. “Buscamos conhecer melhor as características de cada uma das cooperativas e oferecer ferramentas para a melhoria da sua gestão, com indicadores de estratégias focados no negócio dela e de seus cooperados”, lembram os professores. Para Janaína, o fato de ter trabalhado numa cooperativa do estado, facilita e muito. “Durante o período que atuamos na Castrolanda pudemos acompanhar o excelente trabalho realizado pela Ocepar na coordenação das principais demandas do setor, não só aqui no Paraná mas em nível de Brasil, devido a este conhecimento é que resolvemos procurar a entidade para, primeiro, conhecer o trabalho que vem sendo feito e onde é que poderíamos contribuir neste processo”, lembrou ela.

{vsig}noticias/2014/06/20/visita/{/vsig}

SISTEMA OCB: Ramo Consumo terá Diagnóstico divulgado em agosto

diagnostico 20 06 2014As cooperativas do ramo Consumo têm até o dia 30/6 para responder ao questionário que servirá de base para a elaboração do diagnóstico do setor. A distribuição do questionário foi feita pelas unidades estaduais do Sistema OCB ainda no dia 19/5. O objetivo da pesquisa é conhecer a realidade destas cooperativas, seus produtos, serviços e gargalos que impactam no seu desenvolvimento e fortalecimento. Para o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, a participação de todas as cooperativas desse ramo é fundamental para se obter um raio-X real do setor. “O questionário foi elaborado de forma que as cooperativas traduzam sua realidade para que, desta forma, possamos elaborar estratégias para atuação junto aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário”, argumenta Márcio Freitas.

Planos de trabalho- Os dados obtidos também servirão de fonte para que o ramo possa formular seus planos de trabalho. “O engajamento das cooperativas nesse trabalho é essencial. Somos carentes de informações, que serão fundamentais para embasar nossos pleitos e subsidiar nossos planos de trabalho”, comenta o coordenador Nacional do ramo Consumo, Márcio Valle. O questionário é composto por 52 perguntas que podem ser respondidas em meio digital. Para isso, basta que a cooperativa acesse aqui para responder ao questionário ou aqui, para seguir o passo a passo. No total, 112 cooperativas do ramo Consumo estão registradas no Sistema OCB. A expectativa é de que todas participem desta ação que visa o seu desenvolvimento e fortalecimento.

Diagnóstico – De acordo com a Gerência Técnica, esse diagnóstico será implementado em uma única etapa que identificará o perfil do respondente e da cooperativa, as políticas voltadas ao cooperativismo de Consumo, o acesso às linhas de financiamento, a operação tributação e a atuação fiscal. A previsão é que o Diagnóstico seja divulgado no mês de agosto. (Informe OCB)

 

CHUVAS: O Paraná ainda tem 10 pontos de interdição total nas rodovias federais e estaduais

São três pontos nas rodovias federais e sete nas estaduais. Outros 15 locais ainda apresentam algum tipo de restrição: cinco nas BRs e dez nas PRs. A BR-153, em Imbituva, está totalmente interditada no Km 328 por causa de defeito na pista. No Km 353, em Rebouças, há outra interdição total. Na BR-373, em Candói, um defeito na pista interdita o tráfego no Km 423.  Nas rodovias estaduais, na Região de Curitiba há três pontos de interdição total e outros três de interdição parcial. A região de Ponta Grossa tem três interdições totais e uma parcial. Já em Cascavel, existe apenas a restrição para veículos pesados na PR-473 entre Quedas do Iguaçu e Cruzeiro do Iguaçu. A região de Pato Branco apresenta cinco pontos de interdição parcial. Já na região de Maringá, não há nenhuma restrição nas estradas.

 Recursos – Na última terça-feira (17/06), a presidente Dilma Rousseff visitou a cidade de União da Vitória em companhia do governador Beto Richa e da senadora Gleisi Hoffmann, quando anunciou a liberação imediata de R$ 3,9 milhões em recursos para as cidades paranaenses afetadas pelas chuvas das últimas semanas.  Durante encontro na Câmara de Vereadores da cidade, Dilma disse que os recursos vão ser distribuídos em três eixos: emergência, reconstrução e prevenção.

União da Vitória – A cidade de União da Vitória foi a única do estado a declarar estado de calamidade pública. No total, 147 municípios paranaenses tiveram de decretar situação de emergência. As chuvas que atingiram o Paraná nos últimos dois fins de semana afetaram 774.047 pessoas, conforme relatório da Defesa Civil divulgado às 12 horas desta terça-feira. O balanço também mostra que 32.456 moradores de 163 cidades afetadas continuam desalojados, e que 3.605 estão desabrigados. O número de mortos se manteve em 11, e desde sexta-feira (13/06) não há mais registros de desaparecidos. (Gazeta do Povo)

 

   

Rodovia

Km

Localização

Tráfego

Problema

   
             
             
 

FEDERAIS

         
 

BR-153

328

Imbituva

interditado

Defeito na pista

 
 

BR-153

331

Irati

interdição parcial

Reparos na pista

 
 

BR-277

308

Guarapuava

interdição parcial

Reparos na pista

 
 

BR-277

333.5

Guarapuava

interdição parcial

Reparos na pista

 
 

BR-373

423

Candói

interditado

Defeito na pista

 
 

BR-158

359

Candói

interdição parcial

Defeito na pista

 
 

BR-158

365

Candói

interdição parcial

   
 

BR-280

226

Irineópolis (SC)

interditado

   
 

BR-153

353

Rebouças

interditado

Cabeceira da ponte

 
             
 

ESTADUAIS

         
 

Região de Curitiba

         
 

PR-151

439

São João do Triunfo

interdição parcial

água levou parte da pista

 
 

PR-170

479

Bituruna–Pinhão

interdição parcial

   
 

PR-447

24

União da Vitória–Cruz Machado

interdição parcial

   
 

PR-836

 

União da Vitória

interditado

alagamento

 
 

PR-466

 

União da Vitória

interditado

   
 

PR-280

 

União da Vitória

interditado

alagamento

 
 

Região de Cascavel

         
 

PR-484

 

Boa V. da Ap.–Cap. L. Marques

parcial com desvio local

pista danificada

 
 

PR-475

 

Nova Aurora

liberada

   
 

PR-473

 

Quedas do Iguaçu- São Jorge Oeste

liberada

   
 

PR-473

 

Quedas do Iguaçu-Cruzeiro do Iguaçú

liberada automóveis

   
 

Região de Maringá

         
             
 

Região de Ponta Grossa

         
 

PR-170

415

Pinhão

interditado

afundamento de pista

 
 

PR-170

383

Guarapuava

em meia pista

afundamento de pista

 
 

PR-487

254

Manoel Ribas-Nova Tebas

interditado

afundamento de pista

 
 

PR-364

376

Goioxim

interditado

queda de ponte

 
 

Região de Pato Branco

         
 

PR-459

34 a 39

Mangueirinha

proibido carretas

   
 

PR-592

18

Nova Prata do Iguaçu

meia pista

pista danificada

 
 

PR-592

19

Nova Prata- Salto Caxias

meia pista

pista danificada

 
 

PR-484

80

Boa Vista da Aparecida

meia pista

cabeceira de ponte danificada

 
 

PR-484

97

Boa Vista da Aparecida

meia pista

cabeceira de ponte danificada

 

{vsig}noticias/2014/06/20/chuvas/{/vsig}

COAMO: Ivaiporã sedia domingo a última regional dos Jogos dos Funcionários

Mais de 800 pessoas entre atletas, dirigentes e funcionários, estarão participando neste domingo (22/06), em Ivaiporã, da Regional X dos Jogos InterUnidades da Coamo, o conhecido JIU, realizado a cada dois anos e considerado o maior evento poliesportivo dos funcionários. Em 2014 o evento, que já foi promovido em outras oito regionais, faz parte das atividades comemorativas dos 40 anos da Associação Recreativa dos Funcionários da Coamo (Arcam).

Unidades - Em Ivaiporã, na região Centro-Norte do Paraná, funcionários das Unidades de Manoel Ribas, Pitanga, Peabiru, São João do Ivaí, Faxinal e Marilândia do Sul estarão em ação na disputa das modalidades de bilhar dupla, futebol suíço principal, vôlei de areia 4×4, tênis de mesa individual, no masculino; tênis de mesa individual, vôlei de areia 4X4 e livre, no feminino, e na categoria livre a tranca e truco (dupla).

Final - Após a regional Ivaiporã, caberá a regional I-Sede definir seus campeões na final programa para 5 de julho em Campo Mourão. A festa com todos os campeões regionais do JIU 2014 será dia 19 de julho, nas dependências da Arcam, em Campo Mourão, tendo como primeira atração o cerimonial de abertura com o desfile das delegações e apresentações.

Roncador e Tupãssi - Com uma boa organização, criatividade, alegria, envolvimento e participação, foram realizadas domingo (15/06), as regionais do JIU em Roncador e Tupãssi. Desde a abertura até o encerramento das regionais, o que se viu foi uma grande festa de integração, amizade, congraçamento, esporte e lazer da família Coamo.  Os jogos movimentaram centenas de associados nas duas unidades. Na Regional Roncador, o campeão foi Luiziana/Campina do Amoral/Corumbataí do Sul com 58 pontos, dois a mais que Palmital. Em terceiro ficou Mamborê (51) e, na sequência, Juranda/Altamira do Paraná (48) e Iretama (39).  Em Tupãssi, a regional premiou com o troféu de primeiro lugar a unidade de Vila Nova com 52 pontos. Na sequência, Toledo (49), Bragantina e Nova Santa Rosa (47), São Pedro do Iguaçu/Ouro Verde do Oeste (46) e Brasilândia do Sul/Paulistânia (39).

Integração – "Os objetivos dos Jogos dos Funcionários estão sendo cumpridos plenamente", avaliou o presidente da Coamo e de Honra do JIU, José Aroldo Gallassini. “O JIU é a nossa Copa Coamo dos Funcionários realizada a cada dois anos. O objetivo é integrar e desenvolver os funcionários com espírito de equipe e motivação através do esporte e do lazer, em perfeita harmonia, amizade e descontração. É uma grande festa muito esperada e comemorada por milhares de pessoas”, considerou. (Imprensa Coamo)

{vsig}noticias/2014/06/20/coamo_jogos/{/vsig}

COCAMAR: Cocamar deve ampliar produção de óleos em 18% neste ano

A meta da Cocamar é atingir este ano uma produção de 7,9 milhões de caixas de óleos, volume 18% a mais em comparação às 6,7 milhões de caixas totalizadas em 2013. Como cada caixa acondiciona 20 frascos de 900 ml, serão nada menos que 160 milhões de embalagens, número que faz do óleo de soja Cocamar – que representa 95% do total produzido – um dos cinco mais vendidos do Brasil. Além do derivado de soja, a cooperativa oferece ao mercado óleos de milho, girassol e canola.

Eficiência - Operando em três turnos com uma equipe enxuta, de apenas 40 colaboradores, a unidade de envase tem alcançado índices de eficiência tidos como satisfatórios, de acordo com modernos padrões industriais. Para uma capacidade total de produção de 37.200 caixas/dia, a média tem ficado entre 29.700 a 30.000 caixas/dia, o que confere à indústria um grau de eficiência de 79 a 80%. Não raro, entretanto, esse índice alcança picos que podem chegar a 89%, como se viu no último dia 5 de maio, quando foram produzidos 33.265 caixas.

 “A menina dos olhos” - O ritmo diário de produção está sujeito a variações causadas por eventuais paradas, o que é inevitável em uma indústria, e por diversos motivos, conforme explica o gerente industrial Valdemar Roberto Cremoneis. Segundo ele, o envase da Cocamar opera próximo a níveis de excelência e, para se ter uma ideia, o índice tido como “a menina dos olhos” das indústrias que investem em eficiência, é de 85%. O envase aprimora seus números graças ao incremento contínuo da produtividade. “É uma luta diária para a superação de metas”, afirma Cremoneis, informando que, todos os dias, se faz a medição da performance. As estratégias para continuar avançando são discutidas em reuniões com a equipe e todo o trabalho é avaliado passo a passo. “Sabemos que nossos índices, embora satisfatórios, precisam continuar evoluindo”, acrescenta o gerente. (Imprensa Cocamar)

 {vsig}noticias/2014/06/20/cocamar/{/vsig}

SICOOB: Instituto Sicoob participa do 1º Seminário de Educação Empreendedora, Financeira e Cooperativista

sicoob 20 06 2014Ocorreu nos dias 29 e 30 de Maio, o 1º Seminário de Educação Empreendedora, Financeira e Cooperativista, na cidade mineira São Roque de Minas. O evento contou com cerca de 350 participantes, entre secretários de educação de 19 municípios, educadores e lideranças do Sistema de Cooperativismo de Crédito de Minas Gerais, principalmente da região da Serra da Canastra e do noroeste do Estado. O evento foi realizado com a parceria do Sebrae Minas e do Sicoob Saromcredi. Profissionais do Sistema Financeiro Nacional e de instituições de educação financeira marcaram presença, entre eles, Luiz Edson Feltrim, Diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do Banco Central, e Silvia Morais, Superintendente da Associação Brasileira de Educação Financeira. O seminário tem como intuito, apresentar a importância da educação empreendedora na formação das novas gerações.

Exemplos - No evento, foram expostas as  experiências de educação cooperativista empreendedora em diversas cidades mineiras. O evento destacou principalmente que atualmente, os jovens têm sido educados para serem trabalhadores, e não para aflorarem o espírito empreendedor, o que traria grandes modificações para toda uma geração. Mesmo com a ausência de incentivo às crianças e jovens quanto ao empreendedorismo, pesquisa daGlobal Entrepreneurship Monitor (GEM/2013), aponta que 50% dos empreendedores com até três anos e meio de atividade têm entre 18 e 34 anos. Ou seja, o empreendedorismo abre um enorme leque de oportunidades a quem se prepara devidamente desde os primeiros passos.

Ações - O Instituto Sicoob foi convidado a participar e prestigiar o evento.  Marcando presença, expos as ações já realizadas em diversas cidades, o empenho dos voluntários, a participação ativa do público, e ainda agregou conhecimento aos planos em desenvolvimento nas cooperativas. Durante o seminário, o Instituto também pode avaliar que cursos e ações como o Expresso Instituto Sicoob, Educação Financeira e a Educação Cooperativista, que estão movimentando nacionalmente escolas, empresas e instituições, são realmente a chave para conduzir a sociedade, em todos os sentidos, para um futuro promissor.

No caminho certo - Solange Martins Pinzon, Vice Presidente de Responsabilidade Cultural do Instituto Sicoob e Diretora do Sicoob Oeste, também palestrante do Seminário, ministrou sobre as experiências com Educação Cooperativista do Instituto Sicoob. Ela afirma que o Sebrae está fazendo grande força em movimentações para alavancar o espírito empreendedor nos jovens e, dentro desse contexto, o Instituto está alcançando as expectativas. “Nós estamos no caminho certo. Sabemos que ele é árduo e longo, mas nós, por meio de todas as ações que realizamos, estamos já fazendo o que para alguns, ainda são apenas planos. Ainda existe a necessidade de unir ainda mais o cooperativismo, a educação financeira e o espírito empreendedor. Por meio dessa união, poderemos melhorar o que já está sendo feito”, explica a palestrante. (Instituto Sicoob)

 

ANIVERSÁRIO: BRDE comemora 53 anos com r$ 90 bilhões injetados no sul

BRDE 20 06 2014O BRDE - Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo-sul completou nesta semana 53 anos de atuação. O diretor financeiro da instituição, que atua nos Estados do Sul do Brasil, Renato Vianna, informou que neste período o Banco trouxe mais de R$ 90 bilhões de recursos para a Região Sul. O número é do relatório analítico da Austin Rating que classifica o rating de longo prazo do Banco como “brA”, de “solidez financeira intrínseca boa”. O patrimônio líquido do BRDE acumulava R$ 1,78 bi, em maio. O BRDE é uma importante parceira do setor agropecuário e das cooperativas no Estado de SC, mantendo inclusive convênio para repasse de recursos para o Sistema Sicoob e Sicredi. (BRDE/Fecoagro)

 

ARGENTINA: Colheita de soja atingiu 88,1% da área total

soja 20 06 2014Segundo a Bolsa de Cereais, a colheita de soja na Argentina atingiu 88,1% da área total para a safra 2013/2014. O avanço foi de 7,5 pontos percentuais em uma semana, mas os trabalhos ainda estão 10,8 pontos percentuais atrasados frente à safra 2012/2013. Até o momento o país colheu 50,6 milhões de toneladas da oleaginosa. A única região que finalizou a colheita foi o Núcleo Norte, que abrange o Leste de Córdoba, o Centro-Sul de Santa Fé e o Sudoeste de Entre Rios. A Bolsa manteve a projeção de produção de soja em 55,5 milhões de toneladas. (Scot Consultoria)

 

EUA: Relatório do USDA aponta aumento nos estoques finais de milho

milho 20 06 2014O relatório de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) trouxe poucas alterações em junho. Nesta estimativa, a pequena elevação na produção mundial de milho para a temporada 2013/14 não foi totalmente absorvida pelo consumo, resultando em estoques finais maiores.  O aumento de 1 milhão de toneladas na expectativa de produção brasileira na safra 2013/14, agora estimada em 76 milhões de toneladas, foi balanceado pela elevação das exportações e dos estoques finais, ambos em 0,5 milhão de toneladas.

Exportações - Para a próxima safra apenas a estimativa de exportações mundiais apresentou leve recuo em relação ao relatório anterior, todas as demais foram aumentadas entre 0,5 e 2,35 milhões de toneladas, resultando em projeções ainda mais volumosas. Estas informações já refletem sobre o mercado internacional do cereal, impactando também nas cotações internas. Além disso, com a colheita avançando em Mato Grosso, a expectativa é de recuo nas cotações do milho à medida que a oferta da temporada 2013/14 entra no mercado, segundo dados do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Mato Grosso - Na segunda semana de junho, o milho mato-grossense da safra 2013/14 encontra-se 2,8% colhido, registrando uma oferta de 483 mil toneladas do cereal no mercado. Em decorrência deste volume o mercado já reflete negativamente sobre as cotações do milho, que recuaram 4,88% na última semana, encerrando com média de R$ 16,44/sc no Estado. Na última semana o preço do frete de Sorriso a Santos permaneceu inalterado, cotado a R$ 215,00/t. Apesar disso, a queda no preço do milho fez a relação frete/milho elevar-se 6,64% na média do Estado, aumentando os custos com o frete, que atualmente representam 79,56% do valor do cereal. 

Reflexos - Com o bom desenvolvimento da safra de milho nos EUA e em reflexo ao relatório de oferta e demanda de junho do USDA, as cotações do milho para o contrato de julho/14 na CBOT recuaram 2,60% na semana, encerrando a US$ 4,46/bushel. Safra brasileira de milho 2013/14: O relatório de junho da Conab, referente às estimativas da safra 2013/14 de milho brasileiro, apresentou um aumento de 2,69 milhões de toneladas na estimativa de produção prevista em maio, com a nova oferta nacional estimada para 77,89 milhões de toneladas. 

Demanda
- Como o consumo permaneceu o mesmo do relatório anterior, os estoques finais elevaram-se para 12,17 milhões de toneladas, o que impactou negativamente sobre a relação estoque/consumo, que foi elevada para 23%, contra a mesma relação de 18% em maio. Os novos dados podem trazer impactos negativos sobre as cotações do cereal nesta safra, uma vez que a demanda está crescendo em proporções menores que a oferta. A safra mato-grossense que já começou a ser colhida pode apresentar os mesmos fundamentos, com possibilidade de preços menores no segundo semestre do ano. (Imea)

 

OPINIÃO: Holanda, a maior exportadora de alimentos do mundo

* Por José Luiz Tejon Megido, diretor vice-presidente de Comunicação do Conselho Cientifico para a Agricultura Sustentável (CCAS)  

opiniao tejon 20 06 2014Sucesso na Copa do futebol foi a Holanda, dando de 5 X 1 na campeã do mundo Espanha e de virada venceu a Austrália por 3 x 2. E no agronegócio a Holanda é a segunda maior exportadora de alimentos do mundo. Fica somente atrás dos Estados Unidos, e ainda na frente do Brasil, vendendo cerca de 76 bilhões de euros por ano. Holanda tem apenas 33.800 quilômetros quadrados de território com 17 milhões de habitantes. Na logística dá um show com o porto de Roterdã, 40 km de porto, o maior da Europa e o quarto maior do mundo.

Agregação de valor -  A Holanda se caracteriza por produzir e vender produtos de alto valor agregado. Flores e plantas ornamentais, são os maiores em batatas, em cebolas, exportam ¼ dos tomates do mundo, altíssima qualidade em hortaliças, frutas, queijos, lácteos. Tem uma produtividade no agronegócio cinco vezes superior do que a média da Europa, são líderes em máquinas para processamento de alimentos, e contam com o segundo maior investimento mundial em pesquisa para o agronegócio. A universidade de Wageningen é reconhecidamente um dos principais centros de estudos do planeta.

Qualidade de vida - Ou seja, país pequeno, cheio de diques, inflação de 1,8% ao ano, um dos 10 melhores países para se viver no planeta e ainda ganha de nós, os brasileiros, no movimento sofisticado do seu setor de agroalimentação, além de um extraordinário modelo de cooperativas. - São grandes no agronegócio, um modelo de logística, qualidade e organização, mas no futebol, dá mais Brasil. 

Sobre o CCAS - O Conselho Científico para Agricultura Sustentável- CCAS é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto. O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Formação diversificada - Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas. A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça.

Acompanhe o CCAS no Facebook:  http://www.facebook.com/agriculturasustentavel

* José Luiz Tejon Megido é diretor vice presidente de Comunicação do Conselho Cientifico para a Agricultura Sustentável (CCAS).  

PESQUISA: Desigualdade de renda aumentou entre 2011 e 2010, revela OCDE

pesquisa 20 06 2014A desigualdade de renda nos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) aumentou nos últimos anos, segundo dados de 2011 divulgados nesta terça-feira pela entidade. De acordo com o estudo, naquele ano, os 10% mais ricos tinham renda 9,6 vezes superior à dos 10% mais pobres. Em 2007, essa razão era menor, de 9,3 vezes. A pesquisa mostrou ainda que os maiores níveis de desigualdade foram registradas, em 2011, no México, Chile, Turquia e EUA. Já a Dinamarca, Eslovênia, Finlândia e República Tcheca são os países com mais igualdade de renda. Fora do núcleo de 33 países que integram a Organização, o Brasil não fez parte do levantamento, assim como outros emergentes como China e Rússia, que devem passar a fazer parte do banco de dados, segundo a OCDE.

 

Mapa da desigualdade - De acordo com a pesquisa, excluindo os efeitos de programas de transferência de renda, a desigualdade aumento fortemente nas combalidas Espanha e Grécia, onde as altas no indicador em 2011 foram de 1,5 e 3 pontos percentuais, respectivamente, na comparação com 2010. No mesmo período, Austrália, Canadá, Irlanda, Israel e Suécia viram seus números caírem. Os dados mostram que os efeitos da crise financeira atingiram desigualmente as faixas de renda. Segundo a OCDE, famílias com menor renda perderam mais e se beneficiaram menos após a recuperação parcial pós-2008. Apesar da chamada renda real disponível ter estagnado entre 2007 e 2011, os 10% mais pobres viram a renda diminuir 1,6% no mesmo período. (Gazeta do Povo)

 

 

ESTATÍSTICA: VBP deve chegar a R$ 448,9 bilhões em 2014

agropecuaria 20 06 2014O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), calculado a partir dos dados da safra do ano e dos preços recebidos pelos agricultores, pode chegar a R$ 448,9 bilhões em 2014 e representa um aumento de 2,5% se comparado ao do ano passado. O VPB é uma estimativa realizada pela Assessoria de Gestão Estratégica (AGE) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento referente ao faturamento das lavouras e da pecuária. O VBP das lavouras aumentou 3,9% em relação a 2013. As lavouras de algodão, banana, batata inglesa, cacau, café, laranja, pimenta do reino, soja e trigo são as que mais têm contribuído para o bom resultado de 2014. Outros produtos como o milho, a uva e a maçã também apresentam resultados positivos. Neste ano, os valores da produção de algodão, café, cana- de- açúcar, milho e soja representam 74% do valor das lavouras, sendo que o milho e a soja juntos atingem 46% desse valor.

Pecuária - Na pecuária, os melhores resultados são da carne bovina, com aumento de 17,3%, e da carne suína, com aumento de 8,3%, se comparados aos valores do ano passado. Carne de frango, leite e ovos apresentam saldos menores que em 2013 devido à queda de preços desses produtos. Os dados regionais mostram um melhor resultado em 2014. Na região Centro-Oeste, o faturamento é de R$ 112,4 bilhões; no Sul, o valor alcançado é de R$ 108,4 bilhões; no Sudeste, R$ 107,7 bilhões; no Nordeste, R$ 42,2 bilhões e no Norte do país, R$ 17,9 bilhões. (Imprensa Mapa)

 


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br