Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3375 | 03 de Julho de 2014

G7: Lideranças discutem questões portuárias com ministro, em Brasília

g7 03 07 2014Lideranças do G7 estiveram reunidas, nesta quarta-feira (02/07), em Brasília (DF), com o ministro da Secretaria Especial dos Portos (SEP), César Borges, para tratar de questões relacionadas aos portos paranaenses. Participaram do encontro os presidentes da Ocepar e coordenador do G7, João Paulo Koslovski, e da Faciap, Rainer Zielasko; a senadora Gleisi Hoffmann; o ex-ministro da SEP, Antonio Henrique Silveira, e o secretário de política portuária, Guilherme Penin. O G7 solicitou ao ministro a publicação de decreto redefinindo a poligonal do Porto de Paranaguá e o destravamento do processo de arrendamento de áreas para novos terminais.

Investimento - De acordo com as lideranças paranaenses, as duas medidas criarão, em um curto prazo, condições para investimentos em projetos na ordem de R$ 5 bilhões, em modernização das estruturas portuárias. O ministro afirmou que o decreto para a realização de uma consulta pública sobre a redefinição da poligonal de Paranaguá deverá ocorrer em outubro. Já em relação ao arrendamento de áreas, ele explicou que interpelações do Tribunal de Contas da União (TCU) influenciaram na condução do processo, que poderá ser retomado ainda neste mês, logo após o julgamento do TCU, com o lançamento de um novo edital.

Dragagem de aprofundamento– Os paranaenses solicitaram ainda a publicação de edital para possibilitar a dragagem de aprofundamento em Paranaguá, que já possui licença prévia e reúne todas as condições para contratação. O ministro afirmou que o edital será publicado ainda neste mês e, em relação à ferrovia que vai ligar Maracaju, no Mato Grosso do Sul, a Paranaguá, no Paraná, outro tema tratado durante o encontro, Borges informou  que o projeto será colocado como Proposta de Manifestação de Interesse (PMI).

Agendamento – A audiência na SEP ocorreu em consequência de reunião realizada no dia anterior no gabinete da senadora Gleisi Hoffmann, com a presença de João Paulo Koslovski, Rainer Zielasko e do presidente da Fecomércio, Darci Piana. A senadora comprometeu-se ainda a agendar um encontro com a ministra do Planejamento, Mirian Belchior, e dos Transportes, Paulo Sérgio Oliveira Passos, para que os pleitos do Paraná no setor de infraestrutura sejam apresentados e discutidos com as autoridades do governo federal.

G7 - As entidades do setor produtivo paranaense que integram o G7 são a Federação do Comércio do Estado do Paraná (Fecomércio), Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Associação Comercial do Paraná (ACP), Federação da Indústria do Estado do Paraná (Fiep), Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), Federação das Empresas de Transportes de Cargas do Estado do Paraná (Fetranspar)e Federação das Associações Empresariais e Comerciais do Estado do Paraná (Faciap).

Clique aqui e confira na íntegra o documento entregue ao ministro da SEP, César Borges

 

AUTOGESTÃO: Visita técnica é realizada em cooperativas do oeste paranaense

A Gerência de Desenvolvimento e Autogestão do Sescoop/PR está realizando uma série de visitas técnicas às cooperativas do Oeste do Estado nesta semana. Na tarde desta quarta-feira (02/07), ela aconteceu na C.Vale, em Palotina. Participaram do encontro 34 pessoas, entre membros do Conselho de Administração, Conselho Fiscal, diretores e gestores da cooperativa. O Sistema Ocepar foi representado pelo gerente de Desenvolvimento e Autogestão, Gerson José Lauermann, e pelo analista técnico especializado, Alfredo Benedito Kugeratski Souza.

Apresentação – Inicialmente, foi apresentado o desempenho do cooperativismo paranaense e do ramo agropecuário, destacando-se o crescimento da movimentação financeira, número de cooperados e funcionários e geração de sobras. Na avaliação de Lauermann, 2013, foi o melhor ano para o cooperativismo paranaense, demonstrando sua importância econômica e social.

Sequência - Na sequência, houve a apresentação dos números da C.Vale, com destaque para a movimentação financeira superior a 4 bilhões de reais obtida em 2013. A cooperativa possui aproximadamente 15 mil associados e mais de 6 mil colaboradores, atuando nos estados do Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Para a C.Vale, 2013 foi o melhor ano em relação ao desempenho de sua história, quando completou 50 anos.

Reunião - Após a visita técnica, os conselheiros de administração e fiscal se reuniram para tratar sobre diversos assuntos, entre eles, o desempenho do primeiro semestre deste ano.

Outras visitas– A agenda de visitas técnicas da Gerência de Desenvolvimento e Autogestão  no oeste paranaense inclui ainda as cooperativas Copagril, Copacol e Primato.

{vsig}noticias/2014/07/03/autogestao/{/vsig}

COOPERATIVISMO: Presidente do Sistema OCB fala sobre o Dia Internacional

cooperativismo 03 07 2014Nesta semana, o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, concedeu entrevista sobre o Dia Internacional do Cooperativismo, celebrado mundialmente, sempre, no primeiro sábado do mês de julho. Neste ano, o tema que marca a data é: “Cooperativas conquistam desenvolvimento sustentável para todos”. Segundo Márcio Freitas, o cooperativismo é sinônimo de sustentabilidade, gerando resultados econômicos e qualidade de vida a seus cooperados. Além de discorrer sobre o panorama nacional do setor, ele também define a expansão dos mercados e o fortalecimento do quadro social como os principais desafios internos do setor.

OUÇA A ENTREVISTA. (Informe OCB)

 

INTERCOOPERAÇÃO: Parceria entre Aerotaxi e Sicoob beneficia taxistas

intercooperacao 03 07 2014Entre duas cooperativas nasceu uma parceria que atualmente beneficia 158 taxistas. De um lado está o Sicoob, a maior cooperativa financeira do Brasil, com seu posto de atendimento em São José dos Pinhais, e do outro lado está a Cooperativa Aerotaxi dos Motoristas Profissionais Autônomos do Aeroporto Afonso Pena, na mesma cidade, que hoje tem o Sicoob como o principal parceiro financeiro. Nesta ação conjunta, o Sicoob oferece financiamento para renovação da frota de taxis, por meio da Fomento Paraná, redução dos custos de movimentação das contas e a redução dos custos de movimentação das maquinetas de cartão de crédito, por meio da Cielo.

Benefícios - Para a presidente da Aerotaxi, Iara Diná Follador Thomaz, a diminuição do custo bancário contribuiu muito para os taxistas e outro ponto importante foi poder usar o Sicoob como intermediário nos financiamentos, do Fomento Paraná, para a troca da frota, isto sempre feito com agilidade, e também com assessoramento para a contratação da apólice de seguro para estes carros conforme foi exigido.

Otimização - A Aerotaxi foi criada em 1953, com 25 taxistas. No Paraná, o Sicoob está presente com 144 postos de atendimento, em 95 cidades, somando mais de 130 mil cooperados. Por ambas as instituições serem cooperativas, compreender os valores por trás do Sicoob, ficou mais fácil para os taxistas da Aerotaxi, que encontraram na essência e características do Sicoob um grande diferencial em relação a outras instituições financeiras. “Além disto, conseguimos otimizar o custo financeiro com um parceiro que está bem localizado e que nos atende com agilidade e exclusividade”, explica Iara. (Imprensa Sicoob PR)

 

SICOOB VALE DO IGUAÇU: Planalto ganha PA reformulado

Na última segunda-feira (30/06), o Sicoob Vale do Iguaçu reinaugurou o Posto de Atendimento (PA) de Planalto, no Paraná. Com novas instalações, o novo PA também mudou de endereço, para a avenida Rio Grande do Sul, nº 1254. Esta é uma série de reformulações que os postos de atendimento do Sicoob Vale do Iguaçu estão passando. “As reformas propiciam melhoria na estrutura das unidades e melhor localização na cidade para atender o cooperado”, explica Roberto Schiavini, diretor superintendente do Sicoob Vale do Iguaçu. Já foi reinaugurado o posto de atendimento de São Jorge D’Oeste e Cruzeiro do Iguaçu. A cooperativa também contará com um novo posto de atendimento em Pinhal de São Bento. (Imprensa Sicoob PR)

SICOOB INTEGRADO: Candói ganha unidade

sicoob candoi

Nesta quarta-feira (02/07), o Sicoob Integrado inaugurou o Posto de Atendimento de Candói (PR), a primeira unidade do Sicoob na cidade, que fica na rua Genésio Hitoshi Doy, nº 322. Agora, o Sicoob Integrado está presente em 10 cidades, com 11 Postos de Atendimento. "Temos muito a crescer na nossa área de abrangência, na qual podemos estar presentes em 20 municípios”, acrescenta Clevi Deitos, diretor executivo do Sicoob Integrado. A cooperativa ainda prevê a instalação de mais uma unidade, o primeiro posto de atendimento em União da Vitória (PR). (Imprensa Sicoob PR)

 

 

 

 

OCB: Processos da Cocamar são apresentados à equipe do Sistema

ocb 03 07 2014Um grupo do Sistema OCB realizou, nesta quarta-feira (03/07) uma visita técnica à Cooperativa Agroindustrial (Cocamar), sediada na cidade de Maringá/PR, com o intuito de conhecer o funcionamento do escritório de processos e as áreas de Controladoria e Monitoramento de suas unidades. A comitiva é composta pela gerente geral do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), Karla Oliveira, pelo gerente de Controladoria do Sistema OCB, Antonio Feitosa, e pela analista de Processos organizacionais, Luciana Peres.

Positiva - De acordo com Karla, a visita foi avaliada como muito positiva, pois possibilitou o aprofundamento da visão geral da área de Controladoria, criada em 2009, pela diretoria da cooperativa. O grupo também conheceu os processos envolvendo as áreas de Orçamento, Financeira, Contabilidade e Tributária. Na parte da manhã, a equipe do Sistema OCB participou de uma apresentação institucional, realizada pela coordenadora Fernanda Volpato e pela analista Juliana Antuniazi. Logo em seguida, a equipe se reuniu com o coordenador Marcel Luiz dos Santos (Administração). À tarde, a programação incluiu uma reunião com os gestores da área de Controladoria Sérgio de Oliveira e Sandra, que falaram sobre sua área. (Informe OCB)

 

COCAMAR: Ivatuba, na região de Maringá, recebe nova unidade

No final da tarde desta quarta-feira (02/07), dezenas de produtores cooperados, autoridades locais e dirigentes da Cocamar participaram da solenidade de inauguração de uma nova unidade no município de Ivatuba, a 40 quilômetros de Maringá. A estrutura foi construída às margens da rodovia Prefeito Adolfo Semprebom, na entrada da cidade. Além de uma modernas instalações para o recebimento de grãos, o imóvel possui área administrativa, loja de insumos agropecuários, depósito e amplo pátio e espaço para futuras ampliações, totalizando mais de 3.200 metros construídos.

Localização - Para o agricultor Nivaldo Cavichioli, a unidade ficou bem localizada. “Esse investimento reforça a presença da cooperativa em nossa região, o que vai trazer facilidades para os agricultores”, comentou. Quem também elogiou a nova casa da Cocamar foi o cooperado Valdir Waterkemper. Ele planta 29 alqueires com culturas de grãos. “Sou cooperado desde 1982 e agora vai ficar bem ágil para a gente entregar a produção, sem contar que a sede administrativa ficou muito bonita e confortável”, citou.

Comprometimento - Para o prefeito de Ivatuba, Robson Ramos, os investimentos mostram o comprometimento da cooperativa com a região. “Ficamos felizes com a nova estrutura em nossa cidade”, disse.

Casa do produtor- O presidente do Conselho de administração da Cocamar, Luiz Lourenço, classificou a unidade da cooperativa como a segunda casa dos produtores. “É aqui que eles vêm para tomar um café, buscar informações e, principalmente, fazer negócios. Conseguimos oferecer uma unidade mais estruturada para os cooperados. Além de agilizar o recebimento, os serviços vão ter mais qualidade”, completou.

Atuação- A Cocamar atua em Ivatuba desde meados da década de 1980 e há tempos vinha se organizando para investir em uma estrutura de atendimento mais moderna. A região é importante produtora de soja e milho. A cooperativa possui 56 unidades de atendimento espalhadas pelas regiões noroeste e norte do Paraná, além de uma em Presidente Prudente (oeste paulista) e outra em Nova Andradina (sudoeste do Mato Grosso do Sul). (Imprensa Cocamar)

{vsig}noticias/2014/07/03/cocamar/{/vsig}

UNIMED MARINGÁ: Lideranças prestigiam, no sábado, inauguração da nova sede

unimed maringa 03 07 2014No próximo sábado (05/07), Dia Internacional do Cooperativismo, a Unimed Maringá inaugura sua nova sede com a presença das principais lideranças do segmento cooperativista médico no Brasil e no Estado. Na solenidade, prevista para começar às 8h, estão confirmados o presidente e o vice-presidente da Unimed Brasil, respectivamente Eudes de Freitas Aquino e Orestes Barrozo Medeiros Pullin, e o presidente da Federação das Unimeds do Paraná, Paulo Roberto Fernandes Faria.

Local - O prédio já está funcionando na Avenida Bento Munhoz da Rocha Neto, mesmo local onde fica o Centro Integrado de Assistência à Saúde Unimed (Ciasu), um ambiente com instalações modernas, projetadas para proporcionar mais conforto e qualidade no atendimento aos clientes, cooperados e colaboradores. Com isso, a empresa integra colaboradores de diversos setores. Uma mudança que vai se refletir, ainda, em melhoria nas condições de trabalho e redução de custos. “Do ponto de vista humano, a estrutura será ainda mais coesa”, afirma o presidente da cooperativa, Daoud Nasser.

Ganho - “O grande ganho é a qualidade no trabalho e atendimento gerado por este novo modelo integrado. Com as áreas trabalhando juntas, temos um controle preciso sobre os processos, sem contar que, estando mais próximo das áreas, é possível cobrar mais resultados e envolver os colaboradores no que é estratégico para a Cooperativa. Estaremos, também, mais próximos dos nossos clientes que utilizam o Ciasu e, com isso, vamos oferecer serviços com mais qualidade”, destaca o gerente geral da Unimed Maringá, Evandro Garcia.

Setores mais integrados- Praticamente todos os departamentos foram transferidos da antiga sede, que funcionava no Centro Comercial Paraná, situado na confluência das avenidas Paraná e Tiradentes, para o novo local, que conta com quatro pavimentos. No térreo funcionam os setores de Atendimento ao Cliente, Compras e Almoxarifado, Suporte Administrativo, Pronto-Atendimento, SOS, Atendimento Domiciliar, Central de Medicamentos e Administração dos Recursos próprios.

Primeiro andar- O 1º andar concentra o Centro de Oncologia, Central de Relacionamento com o Cliente, Tecnologia da Informação, Diretoria e e Relacionamento com o Cooperado.

Segundo andar- No 2º andar foram instalados os setores administrativos: Contas Médicas, Intercâmbio, Relacionamento de Saúde, Auditoria de Contas, Financeiro, Cadastro, Faturamento, Comercial, Relacionamento Empresarial, Marketing, Escritório de Projetos, Assessoria Jurídica, Controladoria, Núcleo de Inteligência de Negócio, Gestão de Pessoas, Departamento Pessoal e Responsabilidade Social.

Terceiro andar- O 3º andar recebeu o setor de Clínicas com as especialidades Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição e Psicologia.

Ponto de comercialização- Mesmo com a mudança, o ponto de comercialização e o setor de entrevista qualificada continuarão funcionando no antigo prédio normalmente. A Unimed Maringá conta com 580 colaboradores, dos quais 552 trabalham no Ciasu. (Imprensa Unimed Maringá)

 

COPACOL: Colheita do milho safrinha está entre 15 e 20% da área plantada

Com expectativa de receber cerca de 6,9 milhões de sacas, os produtores associados à Copacol estão a campo colhendo o milho safrinha que até o momento está entre 15% e 20% da área colhida. Mesmo com área inferior a cultivada no ano passado, o volume de produção registrado até o momento é considerado muito bom, bem como a qualidade do grão que, apesar do excesso de chuva no início do mês de junho, se apresenta em boas condições.

Recomendação - De acordo com o engenheiro agrônomo, Jocimar Bortoluzzi, os produtores devem realizar a colheita no momento ideal, sem excesso de umidade e com uma boa regulagem das colheitadeiras para que não haja desperdiço do grão, o consequentemente que acarreta em prejuízos ao produtor.

Resultado - O cooperado de Nova Aurora, Nelson Manzano Costa, que nesta safra semeou 50 alqueires, diz que o volume de produção até o momento é bom, mas o que não anima o produtor é o mercado, uma vez que os preços estão baixo do esperado. Mesmo com previsão de receber 6,9 milhões de sacas, o volume não é suficiente para atender toda a demanda da cooperativa, que tem no milho a principal matéria prima utilizada nas fábricas de rações. (Imprensa Copacol)

{vsig}noticias/2014/07/03/copacol/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Cooperativa participa da 41ª Eapic no interior de São Paulo

Enquanto no Paraná a instituição já esteve, no primeiro semestre, nas principais exposições agropecuárias promovidas em sua região (a ExpoParanavaí, em Paranavaí, a ExpoLondrina, em Londrina, e a Expoingá, em Maringá), a programação agora contempla também o interior paulista. A partir desta sexta-feira (04/07), a cooperativa será um dos destaques da 41ª Eapic (Exposição Agropecuária, Industrial e Comercial) de São João da Boa Vista, que vai até o dia 13 de julho no Recinto de Exposições José Ruy de Lima Azevedo.

Estande temático- A cooperativa de crédito estruturou sua presença com um estande temático, o “Café com o Sicredi”, no qual durante todos os dias vão ser sorteadas poupanças entre os visitantes do espaço, no valor de R$ 100,00. Ao final da edição, haverá o sorteio de uma motocicleta. De acordo com a área de Comunicação e Marketing da instituição, o estande vai lembrar uma cafeteria, na qual cada café será nomeado com um produto do Sicredi. Haverá, por exemplo, o Café “Seguro” e o Café “Consórcio”, servidos por um barista durante toda a feira.

Reforço - "Por ser um evento tradicional e de abrangência regional, participar da Eapic é uma forma de reforçar nosso posicionamento como instituição financeira da comunidade. Ao mesmo tempo, estamos valorizando as manifestações populares locais", destaca Constantino Junior, diretor de negócios da Sicredi União PR/SP na regional Centro Leste Paulista. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

CAMISC: Novo módulo de programa feminino aborda comunicação e expressão

Associadas e esposas de cooperados da Camisc participaram nos últimos dias 25 e 26 de junho, na comunidade Christus Dominus, em Mariópolis, do III Módulo do Curso de Cooperativismo – Programa Modular Feminino, que faz parte das atividades do Camisc Mulher. O III Módulo, com o tema “Comunicação e Expressão”, foi trabalho em duas etapas. No primeiro dia, sob a coordenação da gerente administrativa da Camisc, Rita Vazzata De Bortoli, foram realizados trabalhos em grupos de estudo com apresentação do Estatuto Social da cooperativa e apresentação detalhada com esclarecimentos das informações e demonstrações contábeis da cooperativa.

Amor - Já no segundo dia, a palestra foi conduzida pelo locutor e apresentador Baldoino Rech. Em sua fala, Baldoino destacou que é preciso fomentar o amor, seja no trabalho ou em casa. “Estamos na busca constante pela felicidade e só alcançamos ela quando estamos em paz com a gente e prontos para dar e receber amor”.

Harmonização de conflitos- Baldoino falou também sobre as maneiras de harmonizar os diversos conflitos aos quais estamos sujeitos. Segundo ele, quando nos sentimos incomodados com algo devemos sempre falar. “Nada nos machuca mais do que guardarmos um ressentimento, uma mágoa, algo que não nos faz bem. Se alguma coisa não te deixa feliz, fale e deixe transparecer. Só assim nossa convivência passará a ser melhor”.

Desenvolvimento pessoal e profissional- Para Rita, os modulares têm sido fundamentais para o desenvolvimento pessoal e profissional das participantes. “O estudo e conhecimento mais aprofundado do Estatuto Social da Cooperativa e das informações contidas no Relatório Anual é parte fundamental de um dos objetivos do curso, a formação cooperativista”, destaca Rita destacando que em cada reunião é perceptível o crescimento de cada participante.

Positivos - Na avaliação das integrantes do Camisc Mulher, os encontros têm sido momentos positivos. “Estar aqui, entre amigas, nos faz super bem. Em cada palestra, cada encontro, nos sentimos incentivadas a buscar a felicidade”, afirma Leandra Miglioranza. “O ambiente é excelente, estamos entre amigas e isso contribui para que possamos buscar conhecimentos e desenvolver nossas qualidades”, completa Márcia Centenaro.

Próximos - Os próximos modulares do Camisc Mulher acontecem nos dias 15 e 16 de julho. (Imprensa Camisc)

{vsig}noticias/2014/07/03/camisc/{/vsig}

PRIMATO: Supermercado de Vera Cruz do Oeste realiza posse da Cipa

No dia primeiro de julho, o Supermercado Primato de Vera Cruz do Oeste, realizou a posse dos membros da Comissão interna de prevenção de acidentes – Cipa que irá atuar durante a gestão de 2014/2015. A Cipa é composta por duas representações: dos colaboradores (membros eleitos pelos colaboradores) e os representantes da cooperativa (membros escolhidos pela cooperativa).

Atribuições - Para o técnico de segurança no trabalho da Primato, Waldemar de Sá, entre as principais atribuições da Cipa está a divulgação aos servidores de informações relativas à segurança e saúde no seu local de trabalho. “Além de divulgar e promover o cumprimento das normas regulamentadoras, é preciso fazer um trabalho vigilante de prevenção de acidentes, proporcionando um ambiente salubre para a preservação da saúde do trabalhador”, ressaltou Sá.

"É um privilégio ter sido escolhido presidente da Cipa nesta gestão. E com a colaboração de todos, iremos realizar uma gestão de qualidade com a missão de orientar e mostrar estratégias e ações na prevenção de acidente do trabalho'', afirmou Aldemir Padilha de Lima, presidente da Cipa.

Ferramenta fundamental- O presidente da Primato, Ilmo Werle Welter, agradeceu a todos os membros empossados e ressaltou da importância da Cipa, que é uma ferramenta fundamental na prevenção de acidentes, pois irá auxiliar a cooperativa a realizar ações preventivas, promovendo maior segurança e qualidade de trabalho para os colaboradores.

Empossados - Tomaram posse seis colaboradores que receberam o pin da Cipa, sendo que os representantes da cooperativa são: Aldemir Padilha de Lima – presidente, e Robson Luiz Elvidio- suplente. E os representantes dos colaboradores são: Leda Aparecida da Silva- vice presidente, Aldair Casagrande como suplente, Elenice Furlanetto Althaus- secretária e Michel Trentin da Silva, substituto da secretária. (Imprensa Primato)

{vsig}noticias/2014/07/03/primato/{/vsig}

EXPEDIÇÃO SAFRA: Roraima encerra roteiro pelo Arco Norte

expedicao safra 03 07 2014Enquanto os portos brasileiros exportam a soja colhida no primeiro trimestre do ano, no extremo Norte do país as lavouras da oleaginosa estão na fase inicial de desenvolvimento ou perto da metade do ciclo. Em Roraima, a Expedição Safra Gazeta do Povo conferiu de perto o potencial e as condições das áreas de cultivo do grão, que respeitam o mesmo calendário agrícola dos Estados Unidos e estão com 30 ou 60 dias de plantio. A região onde está concentrada a produção de soja fica no Hemisfério Norte do Brasil, último destino da equipe de técnicos e jornalistas, que na última semana percorreram ainda os estados do Amazonas e Pará.

Chuva - Neste ano, faltou chuva para a largada da safra de verão. O plantio foi atrasado em quase um mês, contam os produtores entrevistados. Apesar disso, maior parte dos campos está em boas condições de desenvolvimento. “Espero que o atraso no plantio não prejudique as minhas médias de produtividade. O maior perigo é no final do ciclo, de um corte antecipado das chuvas”, conta Afrânio Vebber, o maior produtor de soja em Roraima.

Rendimento médio- Nos 1,1 mil hectares plantados com a oleaginosa ele conseguiu alcançar rendimento médio de 53 sacos por hectare no ano passado. Para a temporada atual, espera elevar a marca a 55 sacos por hectare. Além das áreas de sequeiro, ele conta com pivôs de irrigação que cobram 900 hectares, de onde tirou da terra mais de 60 sacos por hectare no ciclo passado.

Área cultivada- Na safra atual, Roraima destina cerca de 18 mil hectares à oleaginosa. Todo o terreno é cultivado com variedades convencionais

Mais - Leia mais sobre a viagem da Expedição Safra pelo Arco Norte na edição de terça-feira (08/07). (Gazeta do Povo)

 

SANIDADE I: Estados do Sul definem ações para certificação de zona livre da peste suína clássica

sanidade I 03 07 2014Os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul definiram medidas e ações conjuntas para a conquista de certificação como zona livre de peste suína clássica junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). A questão foi tratada em encontro em Florianópolis, na segunda-feira (30/06), com a participação dos secretários estaduais de Agricultura e de diretorias de defesa agropecuária do sul do país.

Diferencial - “Será a primeira vez que países, ou regiões, serão reconhecidos pela OIE como livres da doença. Isso pode ser um importante diferencial na manutenção de mercados de carne suína já existentes, assim como a ampliação e conquista de novos mercados internacionais para o setor”, afirma Norberto Ortigara, secretário da Agricultura e do Abastecimento do Paraná.

Maior produção- No encontro foram apresentadas e discutidas as ações de cada estado no controle e erradicação da peste suína clássica, bem como a realidade do setor e os números de produção. Juntos os três estados da Região Sul são responsáveis por 66% da produção, e de 72% da exportação de carne suína do país.

Reconhecimento internacional- O reconhecimento internacional poderá favorecer o acesso do produto aos mercados mais competitivos do mundo. “Dando continuidade às políticas sanitárias e de controle que já estamos realizando, através dos nossos órgãos de defesa sanitária animal, podemos ser a primeira área livre do mundo sem a peste suína clássica”, avalia o secretário Norberto Ortigara.

Em 2015- A intenção é entregar esse pedido ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento até setembro deste ano para que possa ser avaliada pelo OIE até maio de 2015.

“Criaremos um grupo de trabalho formado por técnicos do setor público e privado, para que todos os requisitos nesse sentido sejam preenchidos”, disse Airton Spies, secretário da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina.

Definição - O grupo será definido durante a reunião da Regional Sul do Fórum Nacional dos Executores de Sanidade Agropecuária (Fonesa), que acontecerá na capital catarinense no dia 14 deste mês. Os três estados do sul deverão comprovar que estão livres da doença e também cumprir uma série de procedimentos que garanta a sanidade dos rebanhos. “Estamos dispostos a fazer os investimentos necessários para garantir que temos condições de oferecer um produto de qualidade para o mundo, sem expor os consumidores a riscos”, afirmou Ortigara.

Mais Convincente- O médico veterinário e diretor presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Inácio Afonso Kroetz lembra que a certificação dos estados do sul será mais convincente para os mercados consumidores. “Serão três estados unidos e capazes de resistir a possíveis ameaças da doença. Faremos um esforço e uma mobilização política setorial e econômica muito maior para identificar e eliminar algum foco que possa aparecer”, afirma Kroetz.

Sem vírus- Outro fator importante que contribui para a conquista dessa certificação diz respeito aos trabalhos que já vêm sendo realizados pelo setor de defesa agropecuária dos estados do sul do país. “Há 20 anos não temos a circulação do vírus da peste suína clássica nessa região, mesmo sem vacinação. Estamos muito seguros do que estamos propondo”, diz Inácio Afonso Kroetz.

Ações - Entre as ações realizadas permanentemente pela Adapar, empresa vinculada à Seab, estão a vigilância ativa e passiva nas propriedades produtoras de suínos; a educação sanitária junto aos produtores rurais sobre peste suína clássica; investimentos na área técnica, incluindo a realização de cursos e treinamentos aos servidores, além de ações de supervisão interna referente às atividades específicas do Programa Estadual e Nacional de Sanidade Suídea.

Monitoramento - “Realizamos monitoramentos sorológicos em animais oriundos de granjas comerciais de suínos, granjas de reprodutores, e em matrizes e reprodutores de descarte enviados ao abate. Também desde 2010, o Paraná executa inquéritos soroepidemiológicos bienais direcionados para pontos de risco em propriedades que produzam suínos para subsistência, os criatórios”, explica o presidente da Adapar.

Participação efetiva- Ele destaca, também, a participação efetiva nesse controle tanto dos criadores, como de suas entidades representativas, seja no setor produtor, como também industrial.

Portaria - A portaria 189, do Ministério da Agricultura reconhece os três estados do Sul como livres de peste suína clássica desde 1994, em nível nacional.

Rebanho paranaense- O Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e Abastecimento informa que o rebanho paranaense é de 5,5 milhões de cabeças - 15% do total nacional, que é de 38,7 milhões de cabeças. O Paraná possui o terceiro maior rebanho, enquanto o Rio Grande do Sul é o segundo com 17% - cerca de 6,2 milhões, e Santa Catarina possui o maior rebanho representando 20% (7,5 milhões de cabeça). Conforme o Deral e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Paraná produziu no último ano 613 mil toneladas de carne suína, representando 20% do total nacional que é de 3,1 milhões de toneladas.

Concentração - A produção paranaense concentra-se na região de Toledo, no Oeste do Estado (39%), vindo depois as regiões de Cascavel (18%), Ponta Grossa (14%), e Francisco Beltrão (9,5%). “No Paraná existem torno de 31 mil criadores comerciais de suínos, a maioria integrado à indústria, o que mostra o bom índice de eficiência e qualidade do rebanho paranaense”, diz Ortigara. Já o número de produtores ocasionais, ou para consumo próprio fica próximo a 100 mil. Outro número destacado pelo secretário da Agricultura e Abastecimento do Paraná, diz respeito a geração de empregos do setor.

Empregos - “A suinocultura paranaense gera em torno dos 200 mil empregos diretos e outros 300 mil indiretos. A conquista do reconhecimento internacional como zona livre de peste suína clássica, certamente irá impulsionar ainda mais a produção do estado, e por extensão do país, ao mercado internacional. Teremos também importantes ganhos na nossa economia”, avalia Norberto Ortigara.

Histórico - Atualmente o país possui 16 estados como área livre de peste suína clássica com reconhecimento pelo Ministério da Agricultura, todos com a vacinação suspensa desde março de 2004. Nos demais estados que ainda não possuem essa classificação, o rebanho suíno poderá ser vacinado se for notificada a enfermidade. A peste suína clássica atinge apenas os animais e causa grande mortalidade. (Agência de Notícias do Paraná)

 

SANIDADE II: Norma estabelece requisitos para adesão ao Suasa Vegetal

Foi publicada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no Diário Oficial da União desta quarta-feira (02/07), a Instrução Normativa nº 20, que estabelece os requisitos e procedimentos para adesão dos Estados e do Distrito Federal ao Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária Aplicado às Cadeias Produtivas dos Produtos de Origem Vegetal (Suasa Vegetal).

Controle- Um dos objetivos do sistema é fazer o controle dos produtos de origem vegetal desde a fazenda até a mesa do consumidor. “O Suasa vai nos permitir mapear o produto. Vamos saber quem está produzindo, que cuidados foram tomados na produção, que época foi feita a colheita, para onde foi distribuído o produto, que tipo de agrotóxico foi usado, entre outros”, afirmou o diretor do Departamento de Produtos de Origem Vegetal (Dipov/Mapa), Ricardo Cavalcanti.

Garantia - Por meio desse controle, os produtores poderão ser registrados e sairão da informalidade. “O sistema beneficiará a todos, dando maior garantia ao produto final. Entre os beneficiados estão o próprio produtor rural – que produzirá com segurança e higiene, o consumidor e o governo – que adquirem produtos para merenda escolar, presídios e hospitais”, afirmou Ricardo.

Adesão - A adesão ao sistema deve ser realizada por iniciativa do governador do Estado endereçada ao ministro da Agricultura, desde que os órgãos de defesa agropecuária dos estados ou do DF possuam qualificação adequada, devidamente comprovada, para atuarem na atividade. Os interessados que optarem por aderir ao Suasa Vegetal deverão adaptar seus processos e procedimentos de inspeção e fiscalização à legislação federal, ou dispor de regulamentos equivalentes.

Procedimento - Desta forma, o procedimento para adesão ao sistema compreende manifestação do interesse na adesão, concordância com as normas, atendimento aos requisitos de adesão e parecer técnico favorável do Ministério da Agricultura. Para fazer o pedido, os interessados deverão possuir infraestrutura operacional e administrativa e, por último, apresentar um plano de trabalho, no qual deverá conter ações de capacitação dos produtores rurais e estabelecimentos envolvidos na cadeia produtiva. 

Suspensão - O descumprimento de normas legais e das atividades e metas previstas no plano de trabalho que comprometam os objetivos do Suasa Vegetal, a falta de alimentação e atualização dos registros auditáveis e o não atendimento das recomendações do Mapa implicará a suspensão da adesão, até a correção das informalidades detectadas. (Mapa

Clique aqui para acessar a Instrução Normativa nº 20

IAP: Cresce a emissão de licenciamentos ambientais no Paraná

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) emitiu mais de 25 mil licenças, autorizações e dispensas de licenciamento ambiental em 2013, um aumento de 21,81% em comparação ao ano anterior quanto à emissão de documentos para empreendimentos no Estado. Em 2011 foram mais de 18 mil emissões destes documentos e, em 2012, o número passou de 21 mil emissões. Até 30 de junho de 2014, o Instituto já emitiu mais de 12 mil licenciamentos.

Desenvolvimento - “Os números mostram que o Estado vem se desenvolvendo, mas sem deixar de se preocupar com o meio ambiente. Se temos atraído muitos investimentos para o Paraná, não podemos deixar de destacar que muito se deve ao trabalho ágil para licenciar os novos empreendimentos”, destacou o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto.

Grandes empreendimentos- Entre os licenciamentos ambientais analisados pelo IAP para grandes empreendimentos, desde 2011, está a nova fábrica da Klabin, em Ortigueira; a Cargil, em Castro; a Sumitomo, em Fazenda Rio Grande; ampliação da Cattalini, em Paranaguá; entre outros. O Instituto também atuou no licenciamento ambiental de diversas Pequenas Centrais Hidrelétricas, Centrais Geradoras de Energia e Usinas Hidrelétricas, entre elas a Usina de Mauá, em Telêmaco Borba e Ortigueira, e a Usina Baixo Iguaçu, em Capanema e Capitão Leônidas Marques.

Habitação – O IAP também atuou de forma ágil e transparente no licenciamento ambiental para conjuntos habitacionais. Desde o início da gestão, em 2011, já foram emitidas mais de mil licenças ambientais para a construção de casas em todo o Estado. O presidente da Cohapar, Mounir Chaowiche, destacou a agilidade do trabalho do IAP. “Antigamente as licenças demoravam muito e isso atrasava o início das obras, mas desde 2011 temos no IAP um grande parceiro, que trabalha de forma rápida e sempre atende as nossas solicitações prontamente”, disse.

Desempenho - O Paraná tem hoje o maior programa de habitação do País e é o Estado com melhor desempenho do programa Minha Casa Minha Vida, com projetos habitacionais nos 399 municípios. A meta do Governo do Paraná é atender 110 mil famílias com moradias no campo e na cidade. O programa de construção de moradias rurais também é o maior em andamento no Brasil. A meta de atender 10 mil famílias do campo em quatro anos foi superada com um ano de antecedência. Estão sendo atendidas 12 mil famílias, em 373 municípios.

Transparência – Desde 2011 a população pode acessar todos os licenciamentos e autorizações ambientais vigentes no Estado no site do IAP (www.iap.pr.gov.br), no link “Transparência Pública”. A medida obedece às normas de transparência do Instituto e atende à lei federal nº 10.650 de 2003 (Lei sobre Acesso à Informação Ambiental), que exige a divulgação de dados e informações existentes nos órgãos e entidades ambientais integrantes do Sistema Nacional de Meio Ambiente (Sisnama).

Licenciamento – O licenciamento ambiental é uma ferramenta utilizada pela administração pública para o controle das atividades humanas que interferem no meio ambiente. No Paraná, o IAP é o órgão responsável pela autorização ambiental da localização, implantação e operação de atividades e projetos que envolvem recursos ambientais considerados poluidores ou que podem causar danos ambientais. (Agência de Notícias do Paraná)

TCU: Tribunal adia decisão sobre licitação de portos

tcu 03 07 2014O Tribunal de Contas da União (TCU) não liberou a publicação dos editais para a licitação dos portos de Santos (SP), Santarém e Vila do Conde, no Pará, além dos terminais de Outeiro e Miramar, também no Pará. Após apresentação do relatório do ministro Aroldo Cedraz, favorável à liberação, o ministro Raimundo Carreiro pediu vistas do processo, e a decisão foi adiada. Não há data para nova apreciação da matéria.

Concordância - Na sessão desta quarta-feira (02/07), os ministros concordaram com o pedido do governo para que não seja obrigatório o estabelecimento de tarifa-teto para todas as licitações. A ideia da Secretaria Especial de Portos e da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) é usar o critério de metas de capacidade de movimentação para licitar terminais de cadeias integradas, como as de agronegócios e de movimentação de granéis, o que não necessita do estabelecimento de tarifa-teto. O critério de menor tarifa deverá ser usado para licitações de terminais de contêineres.

Opção - Em seu voto, o ministro Cedraz argumentou que a tarifa-teto é apenas uma das opções de modelagem dos arrendamentos a serem leiloados. Ele também considerou constitucional e legal a opção pela modelagem de licitação adotada pelo governo, em especial com o julgamento pela maior capacidade de carga movimentada, com tarifa negociada entre arrendatário e beneficiário.

Exigência - No final do ano passado, o TCU havia exigido o cumprimento de 19 condições para a aprovação do edital. No mês passado, a ministra Ana Arraes aceitou as respostas da União sobre 15 questionamentos, mas a Secretaria de Portos pediu o reexame de quatro determinações do tribunal, que diziam respeito à obrigação de estabelecer tarifas-teto para todos os portos.

Primeiro - Este será o primeiro arrendamento de portos sob o novo marco regulatório que foi aprovado no primeiro semestre do ano passado. O governo pretende licitar 29 áreas, nove em Santos e 20 no Pará. No total, o Programa de Arrendamentos Portuários inclui a licitação de 159 áreas dentro dos portos organizados. (Agência Brasil)

 

INFRAESTRUTURA I: Porto de Antonina poderá receber navios com maior calado

infraestrutura I 03 07 2014Uma nova ordem de serviço, publicada esta semana pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, divulga aumento na profundidade para as operações portuárias em Antonina. A partir de agora, os navios podem atracar com 7,80m de profundidade, 30 centímetros a mais do que era permitido.

Carregamento maior– “Na prática isso significa que cada embarcação poderá carregar cerca de 1.500 toneladas a mais de produto. Isso garante mais competitividade do Porto de Antonina e permitirá maior movimentação de mercadorias pelo nosso porto”, explica o diretor Luis Carlos de Souza.

Anuência - O aumento da profundidade foi obtido com anuência da autoridade marítima responsável. “Conseguimos chegar a este estágio graças ao trabalho de dragagem que vem sendo realizada em todo o canal de acesso. Desde maio, a draga tem trabalhado no canal de Antonina e conseguimos recuperar parte da profundidade. O trabalho ainda está em andamento e nosso intuito é, em breve, conseguir melhorar ainda mais as condições de atracação em Antonina”, avalia do superintendente dos Portos do Paraná, Luiz Henrique Dividino.

Comprimento dos navios- Outra medida anunciada pela mesma Ordem de Serviço é o aumento do comprimento dos navios permitidos na área de fundeio número três, que também atende o Porto de Antonina. Agora navios com até 200 metros de comprimento podem chegar até a bacia de evolução. Antes, o limite era para embarcações de até 180 metros.

Inflamáveis – O berço interno utilizado pela Cattalini também teve a profundidade aumentada de sete para oito metros. Com isso, as embarcações que utilizam o berço poderão carregar até quatro mil toneladas a mais de produtos.

Movimentação - De janeiro a maio deste ano, o Porto de Antonina movimentou 782,8 mil toneladas de produtos – um aumento de 27% em relação ao mesmo período do ano passado –, sendo que a maior parte é relativa à importação de fertilizantes. Já no que se refere aos granéis líquidos, o Porto de Paranaguá já movimentou, até maio, 1,8 milhão de toneladas de produtos, o que representou alta de 8% em relação ao mesmo período do ano passado. (Agência de Notícias do Paraná)

 

INFRAESTRUTRURA II: Começa a fundação do novo terminal do aeroporto de Cascavel

Começaram as obras de fundação do novo terminal de passageiros do aeroporto de Cascavel. As equipes contratadas estão fazendo as armações dos futuros pilares, que serão perfurados na próxima semana. O investimento da obra é de R$ 5 milhões, com recursos estaduais e federais, e irá dobrar a capacidade de passageiros, passando de 200 mil/ano para 400 mil.

Polo - “A obra é importante para o Paraná, pois Cascavel é um polo importante de comércio. O novo terminal trará mais turistas à região e com isso a economia será aquecida em toda região”, afirma o secretário estadual de Infraestrutura José Richa Filho. Com o início da fundação, também serão colocados os pilares do novo terminal. Ele terá 2,5 mil metros quadrados e o projeto inclui sala de embarque com capacidade para 150 passageiros sentados, além de um novo sistema de esteira de bagagens, lojas, área de check-in e praça de alimentação, entre outras melhorias.

Obra estruturante- Essa é a segunda obra estruturante da qual o governo estadual participa no aeroporto de Cascavel. O Estado repassou recursos para ampliação da pista, que foi inaugurada em outubro. A obra teve investimento de R$ 8 milhões e agora permite que a cidade receba qualquer tipo de aeronave. A expectativa é que, com a obra finalizada, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). “Nossa expectativa é que, com a obra finalizada, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aumente a categoria do aeroporto”, finaliza Richa Filho. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}noticias/2014/07/03/infraestrutura/{/vsig}

MAPA: Lançado Guia de Comércio Exterior e Investimento

mapa 03 07 2014Foi lançado pelo governo federal, nesta quarta-feira (02/07), em cerimônia no Palácio do Itamaraty, o Brasil Export – Guia de Comércio Exterior e Investimento, site que visa consolidar os dados relacionados à busca de novos parceiros comerciais e de diversificação da pauta de exportação e captar investimentos estrangeiros para o Brasil. O site, disponível em inglês, espanhol e português, reúne informações de mais de dez portais relacionados ao comércio exterior e investimento.

Iniciativa - O guia é uma iniciativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Na cerimônia, os ministros de estado Neri Geller (Mapa), Mauro Borges (MDIC) e Luiz Alberto Figueiredo (MRE) assinaram um acordo de cooperação entre as pastas.

Ferramenta - Para o ministro da Agricultura, Neri Geller, o site será uma importante ferramenta para que as informações cheguem aos empresários de forma desburocratizada. “A agricultura e pecuária do nosso país avançam a passos largos e é preciso cada vez mais se organizar. Com o site, as informações chegarão aos nossos empresários de forma simples e eles terão a visão exata de que podemos crescer muito com o apoio governamental”, afirmou.

Evolução - Segundo o ministro, nos últimos doze anos a produção do Brasil passou de 96 milhões de toneladas para 200 milhões de toneladas e a exportação passou de US$ 24 bilhões para US$ 100 bilhões. “Por meio do guia nós vamos mostrar ao mercado internacional que o Brasil está preparado para avançar ainda mais na produção e garantir segurança do mercado no mundo inteiro”, afirmou.

Vantagem - Para o secretário de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura, Marcelo Junqueira, a maior vantagem do site é a reunião das informações de vários órgãos diferentes em um único lugar. “Cada órgão tratava de forma separada os assuntos voltados para seu público. Agora, a vida do usuário será facilitada, pois terá apenas uma fonte de informação, no que compete ao comércio exterior e investimento”, comentou. 

Itens - Entre os itens encontrados no Brasil Export estão os principais dados sobre o comércio exterior e investimento, ferramentas de apoio a empresários e oportunidade de negócios, informações de sites nacionais e internacionais, link de acesso ao Portal Siscomex, que integra os diversos sistemas operacionais de exportação e importação e o Comex responde – um tira-dúvidas online que conta com o apoio de 23 órgãos que atuam na área. (Mapa)

Clique aqui para consultar o novo site Brasil Export  

 

SEBRAE/PR: Lançadas soluções exclusivas para startups

O Sebrae/PR preparou três capacitações para startups. São workshops, oficinas e atendimentos coletivos, oferecidos pela entidade para empreendedores da grande Curitiba que desejam alavancar ideias para construir a sua startup e estruturar o seu modelo de negócio. Os atendimentos coletivos são gratuitos e acontecem a partir desta quinta-feira (03/07), das 10 às 12 horas, e das 19 às 21 horas, na sede do Sebrae/PR na capital. A ideia é tirar dúvidas dos interessados em startups e mostrar como a entidade pode auxiliar em todo esse processo. “São modelos de negócios inovadores, que nascem para resolver problemas e para atender necessidades”, resume a gestora regional da linha estratégica startups do Sebrae/PR, Marielle Rieping.

Mercado e inovação- As startups, segundo ela, têm características próprias que não se confundem com modelos de negócios tradicionais. “Os empreendedores nem sempre estão aptos para perceber essa distinção. As startups trabalham com negócios escaláveis, geralmente sustentados por plataformas digitais. Ou seja, devem ser pensadas para atender, com o mesmo esforço, dez ou 10 mil clientes, independente da sua localização. O foco é o mercado e a inovação”, assinala.

Vocação - Marielle Rieping diz que a grande Curitiba tem vocação para startups, sobretudo porque são inúmeras as experiências bem-sucedidas desse modelo de negócio na região. “Aumentou o número de demandas por informações sobre o segmento. Por conta disso, e de olho no empreendedorismo, no futuro, o Sebrae/PR aposta nas startups e no desenvolvimento de seu ecossistema. Com soluções práticas, é possível tirar ideias do papel e torná-las realidade.”

Startup Trend Lab Experience - O workshop Startup Trend Lab Experience, que está programado para o dia 18 de julho, das 19 horas às 22h30, também no Sebrae/PR em Curitiba, custa apenas R$ 30 e, para a consultora do Sebrae/PR, é ideal para os empreendedores de startups e candidatos que queiram  se aprofundar em tendências de mercado e consumo. “As startups de sucesso são sempre muito testadas e conhecer o público que se pretende atingir é fundamental. O workshop permite que o participante identifique oportunidades de negócios através de análise de tendências de mercado e consumo.”

Canvas - A terceira capacitação do Sebrae/PR, exclusiva para startups, é o workshop Canvas para Startups, programado para o dia 23 de julho, nas dependências do Sebrae/PR, das 8h30 às 12 horas, e das 19 horas às 22h30, a um custo de R$ 30. A metodologia Canvas Business Model é conhecida internacionalmente pela simplicidade e flexibilidade em ajudar empreendedores a conhecer melhor seus negócios e a estruturá-los de forma pensada e organizada. Nessa capacitação, os participantes aprenderão a montar, passo a passo, um modelo de negócio através da ferramenta Canvas, e principalmente, entender o problema e o cliente.

Estratégia - Marielle Rieping lembra que as capacitações sobre startups, programadas para Curitiba, fazem parte de uma estratégia maior do Sebrae/PR para o segmento, com vistas a 2022, quando a entidade completa 50 anos de atuação. O Sebrae/PR iniciou em maio um estudo para identificar as principais regiões do Estado com potencial para o desenvolvimento de startups.

Pesquisa - A pesquisa começou por Curitiba, na região leste do Paraná, e será realizada em outras cinco regiões – centro, noroeste, norte, oeste e sudoeste – onde a entidade tem forte atuação. “Os dados serão usados para a confecção de um ‘mapa’, que ajudará a nortear as ações do Sebrae/PR para apoio e fortalecimento das startups paranaenses”, explica o coordenador estadual do Projeto Startups e consultor do Sebrae/PR, Rafael Tortato.

Passo imprescindível- Para ele, focar em startups é um passo imprescindível para o desenvolvimento econômico do Estado. “Os empreendedores paranaenses têm muito potencial e o nosso desafio é criar um ambiente favorável para que possam desenvolver suas ideias aqui, sem precisar sair do Brasil, rumo ao Vale do Silício, nos Estados Unidos, por exemplo, considerado uma região pioneira e modelo mundial na implantação de startups”, observa Rafael Tortato.

Estratégia - Para que isso aconteça, a estratégia do Sebrae/PR se baseia em dois pontos principais: melhoria do chamado ecossistema, para geração e desenvolvimento de novas empresas, e capacitação dos empreendedores que atuam ou querem trabalhar com esse modelo de negócio. “Diferente do empreendedorismo convencional, na maioria das vezes, as startups não se adéquam a ferramentas tradicionais de planejamento e validação do empreendimento.”

Oportunidade - “Os empreendedores interessados no tema não podem perder a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre startups, bem como de se preparar e planejar uma startup. As capacitações do Sebrae/PR que acontecem em Curitiba foram construídas especialmente para quem quer fazer a diferença no mercado valorizando ideias viáveis de negócios”, reforça Marielle Rieping. As inscrições, informa ela, podem ser feitas pelo 0800 570 0800 do Sebrae/PR.

Sobre o Sebrae/PR- Para quem já é ou quer ser empresário, o Sebrae/PR – Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná é a opção mais fácil e econômica de obter informações e conhecimento. Criado na década de 1970, o Sebrae apoia as decisões dos empresários, dos potenciais empresários e dos potenciais empreendedores, no campo e na cidade, porque é a instituição que entende de pequenos negócios e possui a maior rede de atendimento do País. No Paraná, conta com seis regionais e 11 escritórios. A instituição chega aos 399 municípios por meio de Pontos de Atendimento ao Empreendedor, Salas do Empreendedor e parceiros locais, como associações, sindicatos, cooperativas, órgãos públicos e privados. O Sebrae/PR oferece palestras, orientações, capacitações, treinamentos, projetos, programas e soluções empresariais, com foco em empreendedorismo e gestão; empresas de alto potencial e potencialização; educação empreendedora; startups; liderança; e ambiente de negócios. (Assessoria de Imprensa do Sebrae/PR)

PERDA: Falece o ex-chefe da Embrapa Florestas, Helton Damim da Silva

falecimento 03 07 2014Faleceu, na madrugada desta quarta-feira (02/07), em Curitiba, o pesquisador e ex-Chefe Geral da Embrapa Florestas, Helton Damin da Silva. A cerimônia de cremação aconteceu na manhã desta quinta-feira (03/07) e foi restrita à família. “Para nós, fica o exemplo de um homem aguerrido, de dedicação ímpar à família e à Embrapa”, afirmou a empresa em nota de pesar pela perda de Helton.

 


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br