Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 2882 | 05 de Julho de 2012

COOPERATIVISMO: Ocepar divulga mensagem do Dia Internacional

JPK 2010Small

90º DIA INTERNACIONAL DO COOPERATIVISMO

Mensagem do presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski 

 

Cooperativas constroem um mundo melhor

No próximo dia 7, celebraremos o Dia Internacional do Cooperativismo, comemorado em todo mundo sempre no primeiro sábado do mês de julho. Mas neste ano, temos algo a mais para comemorar, afinal, no dia 18 de dezembro de 2009, por meio da Resolução 64/136, a Organização das Nações Unidas (ONU), declarou que 2012 seria o Ano Internacional das Cooperativas, e sugeriu como slogan “Cooperativas constroem um mundo melhor”.

Este reconhecimento, por uma instituição como a ONU, permite ampliar o número de pessoas interessadas em saber o que são e o que fazem as cooperativas. No Paraná, estamos sentindo o interesse manifesto pela sociedade por meio de escolas que nos procuram para obter mais informações sobre o cooperativismo e pelas homenagens prestadas por parte do executivo e do legislativo. São apenas alguns exemplos que expressam muito bem a afirmação do secretário geral da ONU, Ban Ki-Moon, sobre o papel relevante que desempenham as cooperativas quando diz: “Cooperativas existem para mostrar à comunidade internacional que é possível buscar viabilidade econômica com responsabilidade social”.

Todos aqueles que fazem da cooperação um meio de vida e que veem as transformações provocadas pelo cooperativismo na viabilização dos negócios dos cooperados; na melhoria do bem-estar das pessoas; na inserção sociocultural da família; na formação e educação e, principalmente, na justiça social com forte distribuição da renda, estão contribuindo para um mundo melhor.

Nós, paranaenses, podemos comemorar o Ano Internacional das Cooperativas com muito orgulho, afinal, o cooperativismo apresentou avanços altamente expressivos nos últimos anos.

Nossas cooperativas atuam em diferentes setores da economia como: crédito, saúde, agropecuária, infraestrutura, transporte, educação, trabalho, turismo, dentre outros, proporcionando melhores condições de vida a mais de 2,5 milhões de paranaenses que dependem das ações da cooperação em nosso Estado.

Com mais de R$ 32 bilhões de movimentação econômica, com a participação de mais de 38% das exportações das cooperativas brasileiras, com 1,5 milhão de postos de trabalho gerados, com mais de R$ 10,4 bilhões de ativos administrados pelas cooperativas de crédito, com mais de 1,8 milhão de usuários das cooperativas da saúde e com forte atuação no transporte de cargas e passageiros, na educação, infraestrutura e turismo, nossas cooperativas representam 13% do PIB do Paraná, numa demonstração da nossa importância como agentes de desenvolvimento das pessoas e do Estado.

Cooperar deveria ser um verbo conjugado no dia a dia das escolas pois, certamente, teríamos crianças e jovens mais preparados, não apenas para o cooperativismo, mas para a sociedade. Cidadãos formados pela cooperação que poderiam desempenhar suas atividades com uma visão diferente, mais humana, mais solidária e mais cooperativa.

Vamos aproveitar esta oportunidade de comemorações para cobrar das autoridades, constituídas em todos os níveis, ações mais efetivas de apoio e reconhecimento pelo importante trabalho que as cooperativas realizam, tanto no campo econômico como no social. Cada um de nós tem a responsabilidade, neste dia 7 de julho, de promover ações locais e regionais para mostrar à sociedade o quão valioso é o trabalho desenvolvido pelas cooperativas nas comunidades e o quanto elas estão comprometidas com as ações comunitárias.

Aproveitar também esse momento para agradecer aos 735 mil cooperativistas que integram o sistema no Paraná, para agradecer o trabalho que realizam em benefício dos paranaenses e dos brasileiros.

Sabemos que desafios existem e o principal deles é continuar ampliando a percepção da sociedade e dos governantes sobre a prática da cooperação como instrumento pleno de democracia, distribuição de renda, valorização das pessoas e viabilização dos negócios de significativa parcela da sociedade.

Vamos cooperar para fazer um mundo melhor e pessoas ainda mais felizes.

 

SISTEMA OCEPAR: Colaboradores discutem planejamento de atividades

reuniao colaboradores 05 07 2012Os 75 colaboradores do Sistema Ocepar estão discutindo, nesta quinta-feira (05/07), o planejamento das atividades de cada setor, contemplando a avaliação do primeiro semestre e o cumprimento das metas estabelecidas para o ano. O evento foi aberto às 8h30 pelo superintendente José Roberto Ricken. Na sequência, o professor do ISAE/FGV, Antônio Raimundo dos Santos, ministrou palestra com o tema “As adaptações e transformações necessárias para o crescimento sustentado”.

PEDC – Os gerentes de Desenvolvimento e Autogestão, Gerson Lauermann, e de Desenvolvimento Humano, Leonardo Boesche, apresentaram os avanços obtidos com o modelo de Planejamento Estratégico de Desenvolvimento Cooperativo (PEDC), uma nova ferramenta de análise de desempenho desenvolvida pelo Sescoop/PR.

Avaliação – A programação da manhã foi encerrada com trabalho em grupo, com a avaliação dos planos individuais de cada área de atuação. À tarde, serão apresentados os resultados dessa atividade.

JORNALISMO: Inscrições ao Prêmio Ocepar encerram dia 10 de julho

Informe Premio Destaque 2012As inscrições ao 9º Prêmio Ocepar de Jornalismo terminam no dia 10 de julho. Serão aceitos trabalhos veiculados entre 1º de agosto de 2011 e 10 de julho de 2012. Os vencedores serão conhecidos durante jantar comemorativo ao Dia Internacional do Cooperativismo, no dia 30 de julho, em Curitiba. Haverá a distribuição de R$ 53 mil em premiações.

Tema - Neste ano, foi adotado o mesmo tema escolhido pela Organização das Nações Unidas (ONU) para comemorar o Ano Internacional das Cooperativas, “Cooperativas constroem um mundo melhor”. A novidade desta edição é a criação de uma nova categoria em disputa: a Universitário. Estudantes de Jornalismo poderão participar com matérias ou reportagens veiculadas em jornais, rádios, internet ou TV das próprias instituições de ensino e que abordem assuntos relacionados às cooperativas do Ramo Crédito; o melhor material receberá R$ 2 mil.

Outras categorias - Nas demais categorias - Jornalismo Impresso, Radiojornalismo, Telejornalismo e Mídia Cooperativa - a premiação continua a mesma das edições anteriores. Os três melhores trabalhos vão receber R$ 6 mil (primeiro lugar); R$ 3 mil (segundo lugar) e R$ 2 mil (terceiro lugar). As duas categorias especiais, Ramo Crédito e Ramo Saúde, terão prêmios de R$ 3.500 para cada uma das matérias vencedoras.

Promoção – O Prêmio Ocepar de Jornalismo é promovido pelo Sistema Ocepar com apoio financeiro do Sicredi e Federação Unimed. Mais informações pelo fone (41) 3200-1150, email: imprensa@ocepar.org.br ou pelo site: paranacooperativo.coop.br.

FÓRUM DE MERCADO: Evento discute principais medidas do PAP 2012/13

O diretor do departamento de Economia Agrícola do Ministério da Agricultura, Wilson Vaz de Araújo, é um dos convidados do Fórum de Mercado das Cooperativas que o Sistema Ocepar promove nesta sexta-feira (06/07), no auditório da Cooperativa Cocamar, em Maringá, Noroeste do Paraná. Ele vai falar sobre as principais medidas de apoio aos produtores e às cooperativas contidas no Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2012/13, anunciado semana passada pelo governo federal.

Outros temas – No fórum também estarão em debate as perspectivas de preços e mercado para comercialização da safra de grãos, diante dos problemas que vem ocorrendo no desenvolvimento das lavouras de soja e milho nos Estados Unidos, prejudicadas pela estiagem. O tema será tratado pelo analista da Safras & Mercados, Paulo Molinari. Já o gerente de serviços em commodities da BM&Bovespa, Luiz Cláudio Caffagni, vai discorrer sobre as operações no mercado de futuros e opções e sobre o novo contrato de soja da BM&Bovespa.

Público alvo – O evento é destinado a profissionais dos departamentos comercial, financeiro e operacional das cooperativas do Paraná e cooperados. Mais informações com Flávio, Robson ou Aline pelo fone (41) 3200 1100 ou por meio do endereço eletrônico aline@ocepar.org.br

Clique aqui para conferir a programação do Fórum de Mercado 2012

SESCOOP/PR: Auditores internos serão capacitados em Curitiba

Melhorar o controle dos processos e de inovações nas cooperativas paranaenses. É com esse propósito que o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) realiza o Curso de Auditores Internos, dias 16 e 17 de julho, na sala de treinamentos I do Sistema Ocepar, em Curitiba. A capacitação é dirigida aos profissionais da área de auditoria interna das cooperativas do Paraná e terá como instrutores José Reinaldo Theiss e Manfredo Krieck, da Learned Consultores Associados. As inscrições devem ser feitas por meio dos agentes de Desenvolvimento Humano até o dia 12 de julho, pelo site www.paranacooperativo.coop.br. Mais informações com Anderson Helpa ( anderson.helpa@sescooppr.org.br / 41 3200-1149).

Programação – A programação do curso contempla a abordagem de temas como a criação de padrões de controle interno, análise e gestão de riscos corporativos e planejamento estratégico. A auditoria interna como suporte de gestão e marketing para auditores internos serão outros pontos tratados pelos instrutores.

SICREDI CAMPOS GERAIS: Registro já conta com nova unidade

Sicredi campos gerais unidade Registro 05 07 2012Small2Foi inaugurada, no último dia 29 de junho, uma nova unidade de atendimento da Sicredi Campos Gerais em Registro (SP). O novo prédio, localizado no centro da cidade, tem mais de 300 m² e quatro caixas de autoatendimento. Agora, a cidade conta com dois pontos de atendimento do Sicredi, já que a antiga unidade, localizada na Praça dos Expedicionários, 19, continua funcionando.

Presença - O Sicredi está presente em Registro desde 1999. Em 1 de julho de 2010, tornou-se uma cooperativa de livre admissão, passando a ter todos os produtos e serviços financeiros à disposição de pessoas físicas e jurídicas da cidade e região. “Nestes dois anos, tivemos um grande desenvolvimento aqui na cidade. Chegamos a marca de R$ 4 milhões em recursos concedidos à população de Registro e R$ 9 milhões em recursos captados. E por isso precisávamos de um novo espaço para poder ampliar ainda mais o atendimento”, disse o superintendente regional da Sicredi Campos Gerais, Márcio Zwierewicz.

Apoio - O gerente da unidade, Reinaldo Fernandes de Oliveira, apresentou a equipe de colaboradores e solicitou apoio da comunidade. “Quanto mais fazermos pela nossa cooperativa, mais estaremos fazendo por nós mesmo, já que todos somos donos do negócio”, destacou ele. O presidente da cooperativa, Lauro Osmar Schneider, enfatizou que “ninguém é mais forte sozinho do que todos nós juntos. A comunidade faz do Sicredi do tamanho que ela quer. Por isso estamos inaugurando este novo espaço aqui em Registro. Queremos continuar contribuindo para o crescimento da cidade porque o dinheiro que vem para o Sicredi não sai da cidade, fomentando o desenvolvimento”. (Imprensa Sicredi Campos Gerais)

Sicredi campos gerais unidade Registro 05 07 20121

C.VALE: Associadas passam por treinamento

Oitenta integrantes dos Núcleos Femininos da C.Vale de Palotina, Assis Chateaubriand, Maripá e Terra Roxa participaram, no dia 03 de julho, de um encontro de integração. O presidente da C.Vale Alfredo Lang fez a abertura do evento, destacando o papel da mulher no sistema cooperativo. “Elas tem que estar preparadas para administrar os negócios da família e da cooperativa”, pontuou.  As mulheres aproveitaram o encontro, na Asfuca de Palotina, para prestar homenagem de aniversário ao presidente da cooperativa, com música, mensagem e entrega de produtos coloniais.

Palestra motivacional - Ainda no período da manhã, as participantes assistiram a uma palestra motivacional sobre felicidade, com a psicóloga Helen Messias Gusman.  Ela destacou que a felicidade não é um estado permanente, mas construída por pequenas atitudes.  A terapeuta defende três elementos como sendo à base da felicidade: o prazer, o engajamento e o significado. “Fazer o que gosta, comprometer-se com aquilo que faz e principalmente ter uma vida que tenha sentido, gera felicidade”.

Oficinas - No período da tarde, o instrutor João Carlos de Oliveira trabalhou com o grupo várias oficinas focadas na cooperação. Ele destacou que a motivação é a essência do sucesso. “Temos que estar motivados para alcançar nossos objetivos”. Ele defende que a transformação é viável, a mudança nem sempre. “O cooperativismo é um exemplo disso. A diversificação, a agregação de valor tem transformando a vida de vocês”.

Mulheres motivadas - As mulheres saíram motivadas do evento. Emilia Yassue, do Núcleo Feminino de Terra Roxa, disse que o evento reforçou a importância do trabalho em grupo. “A motivação e o respeito são fundamentais para nos manter felizes, ativos e unidos”. Silvia Mestriner, de Assis Chateaubriand também gostou do encontro. “Quando fazemos bem ao próximo, estamos fazendo bem a nós mesmos”. Sonia Parcianelo, de Palotina, destacou a importância de se manter atualizada. “Temos tudo para ser feliz, basta nos mantermos atualizar e focados em nossos projetos”. Segundo ela vale a penas sair de casa para compartilhar a felicidade “e leva-la para casa, para nossa família”.  Adriani e Iria Kortz, de Maripá compuseram uma música em homenagem ao presidente da C.Vale Alfredo Lang pela passagem de seu aniversário. “O que fazemos de coração sempre fica bonito”, finalizou Adriani. (Imprensa C.Vale)

{vsig}noticias/2012/julho/05/cvale/{/vsig}

 

COPAGRA: Cooperativa adere ao domínio “coop”

Seguindo a tendência mundial, a Copagra – Cooperativa Agroindustrial do Noroeste Paranaense – aderiu ao domínio de topo na internet, exclusivo para as cooperativas. O “coop” junta a Copagra às demais num só espaço na internet e pretende ajudar os internautas e consumidores a encontrá-las online e distinguir a atividade comercial.

Marca - Para o presidente da Copagra, Jonas Keiti Kondo, o novo domínio proporciona maior viabilidade, contribuindo para promover e criar uma marca Cooperativa reconhecida em âmbito global. O site da Copagra oferece vídeo, fotos e textos que evidenciam o compromisso que ela tem com as comunidades nas áreas em que atua. Ele é atualizado diariamente com informações do agronegócio, como eventos, palestras, dias de campo, cursos de capacitação e qualificação, informações sobre mercado.

Primeira novidade - O novo domínio é apenas a primeira novidade, dentro do projeto melhorias que a cooperativa pretende implantar em breve. Ainda constam novas ferramentas de comunicação social, novo site e reativação da intranet – que irá convergir os sistemas de gerenciamento, canais de comunicação e entretenimento entre os colaboradores.

Realce - Os projetos estão sendo planejados para realçar os aspectos de aprimoramento de comunicação institucional e comercial da Copagra em seu canal online, enfatizando o posicionamento de uma instituição especializada no atendimento dos interesses de seus associados. Acesse www.copagra.coop.br e saiba mais sobre a atuação da Copagra. (Imprensa Copagra)

MTE: Ato cooperativo é discutido no Ministério do Trabalho e Emprego

O Sistema OCB participou na última terça-feira (03/07) do seminário “Pensando o Direito: marco jurídico do cooperativismo e economia solidária”, promovido pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O encontro também contou com a presença de representantes da Receita Federal, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e de entidades representativas da economia solidária.

Desmistificação - Durante o encontro, o assessor Jurídico da OCB, Adriano Alves, desmistificou a diferença existente entre o regime tributário conferido às cooperativas e o regime tributário conferido às organizações empresariais optantes pelo Supersimples. Alves também defendeu que o Governo deve se ater em diferenciar o marco jurídico do cooperativismo e da economia solidária, exatamente por serem formas diferentes de organização.

Insegurança jurídica - Segundo Adriano Alves, a insegurança jurídica que ainda cerca o ato cooperativo é, por vezes, ocasionada pela indefinição estatutária das cooperativas no que diz respeito ao seu objetivo social. “A Lei Geral do Cooperativismo (Lei nº 5.764/1971) já define o ato cooperativo como aquele praticado entre as cooperativas e seus associados, entre estes e aquelas e pelas cooperativas entre si quando associados, para a consecução dos objetivos sociais. Porém, o que ocorre, ocasionalmente, é a falta de definição desses objetivos”.

PLP 271 - Para trazer segurança jurídica ao tema, Adriano defendeu a aprovação do Projeto de Lei Complementar (PLP) 271/2005, que visa dar o adequado tratamento tributário ao ato cooperativo, conforme o preceito constitucional do art. 146, III, “c”, da Constituição Federal. “Se os tributos incidem sobre o faturamento, receita ou lucro do empreendimento mercantil, na cooperativa isso não é adequado, pois não se trata de receita, faturamento ou lucro da cooperativa, mas sim do cooperado. Por essa razão, as cooperativas não buscam uma isenção ou imunidade, mas o reconhecimento de sua atipicidade na esfera tributária em vigor.”

Cooperativas de trabalho - Durante o encontro, os participantes também ressaltaram a necessidade de se fazer um amplo trabalho de divulgação, junto às cooperativas, ao Ministério Público e ao Poder Judiciário, sobre a regulamentação das cooperativas de trabalho, tema aprovado recentemente na Câmara dos Deputados (PL 4.622/2004).  (Blog OCB no Congresso)

ANO INTERNACIONAL: Exposição no Congresso Nacional homenageia o cooperativismo

O Sistema OCB lançou na manhã desta quarta-feira (04/07) a exposição “Cooperativas constroem um mundo melhor”, alusiva ao Ano Internacional das Cooperativas – 2012, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU). Localizada no espaço Mário Covas, da Câmara dos Deputados, a mostra tem o objetivo de celebrar o reconhecimento por parte da ONU da importância do movimento para o desenvolvimento e crescimento da economia mundial.

Força transformadora - “O cooperativismo tem uma força transformadora muito grande, de inserção das pessoas na sociedade. Nada melhor, portanto, que comemorar esse marco no local onde muitas dessas transformações nascem e ganham representação”, declarou o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas. A abertura contou com as presenças do senador Waldemir Moka (MS) – presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop); e dos deputados federais Paulo Piau (MG) – vice-presidente da Frencoop e Marcos Montes (MG) – requerente da exposição na Câmara.

Reconhecimento - Durante o lançamento, o presidente Freitas destacou que a escolha de 2012 como Ano Internacional das Cooperativas é um reconhecimento por parte da ONU de que as cooperativas realmente podem fazer um mundo melhor. “Não foi só para fazer um regalo ao movimento cooperativista, mas acima de tudo porque as cooperativas, no momento da crise econômica iniciada em 2008, tiveram um papel fundamental no mundo inteiro. Onde se tem a presença de cooperativas, em qualquer que seja o ramo, os efeitos da crise foram extremamente mitigados”, enfatizou.

Aliadas - O dirigente enalteceu, ainda, que empresas cooperativas bem geridas tornam-se significativamente boas parceiras e aliadas do governo, ajudando no desenvolvimento de toda a comunidade. “Por isso estamos fazendo esse evento comemorativo: para agradecer a cada um de vocês que lutam pelo cooperativismo aqui na casa da democracia no Brasil”, finalizou.

Caminho - O deputado requerente da exposição, Marcos Montes, discursou em nome dos demais parlamentares presentes. Ele realçou que um dos caminhos para o desenvolvimento do país é investir no cooperativismo, movimento extremamente reconhecido por países desenvolvidos. “É impressionante a força do cooperativismo em países como a Nova Zelândia, por exemplo, que possui o quinto maior IDH do planeta, baseado em ações cooperativistas”, pontuou.

Saiba mais – A exposição “Cooperativas constroem um mundo melhor” disponibiliza aos visitantes totens eletrônicos onde é possível acessar um vasto conteúdo sobre cooperativismo, vídeos institucionais, além de um Quiz: um jogo de perguntas e respostas com o objetivo de analisar o conhecimento de todos sobre o movimento.

Revista eletrônica - A revista eletrônica mensal “Histórias da Cooperação” é outro item em comemoração ao Ano Internacional das Cooperativas, disponível na exposição. Compilação das histórias publicadas diariamente no hotsite do Ano Internacional, a revista pode ser acessada nos totens interativos. Outros materiais institucionais, como folderes e edições da revista “Saber Cooperar”, produzida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), também estão disponíveis para consulta.

Depoimentos - Vídeos de depoimentos gravados nesta quarta no local estarão disponíveis nos totens a partir da segunda semana da exposição, que segue até o próximo dia 13. O horário de visitação é das 9 às 18h, exceto às terças e quartas-feiras, quando se estende até as 20h. O Espaço Mário Covas fica localizado ao lado da portaria de entrada do Anexo II da Câmara dos Deputados. (Informe OCB)

PEDÁGIO: Assembleia discute tema com Tribunal de Contas e entidades

Uma audiência pública realizada no Plenarinho da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (04/07), discutiu a concessão dos pedágios no Paraná. A reunião foi proposta pelo líder da Oposição na Casa, deputado Elton Welter (PT), e contou com a participação dos parlamentares Cleiton Kielse (PMDB), Luciana Rafagnin (PT), Adelino Ribeiro (PSL) e Rasca Rodrigues (PV), do presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Fernando Augusto Melo Guimarães, e do presidente do Conselho Regional de Engenhara e Agronomia (CREA), Joel Krüger. O assessor técnico e econômico da Ocepar, Robson Mafioletti também esteve presente.

Assunto de Estado - Guimarães destacou que o pedágio precisa ser discutido como um assunto de Estado, sem politizar o tema, além de se considerar tecnicamente os imbróglios sobre as concessões. O relatório parcial do TCE, que analisa o trecho da BR-277 entre Guarapuava e Foz do Iguaçu, foi escolhido para verificação, como assegurou o conselheiro, por concentrar o maior número de praças de pedágio e de casos de acidentes com vítimas fatais. “Embora o relatório seja preliminar, temos que despolitizar a discussão e olhar sob o viés técnico. E neste sentido iniciamos este trabalho de verificação e levantamento de informações sobre o pedágio neste trecho como modelagem. Temos que tratar o assunto como sendo de Estado e não de governos”, afirmou.

Envolvimento da sociedade - Para o presidente do CREA, Joel Krüger, o envolvimento da sociedade é fundamental no debate já estabelecido por uma comissão tripartite, envolvendo o poder público, entidades de classe e concessionárias, com o intuito de exigir efetivos resultados de investimentos nas rodovias. “Que tenhamos neste ano, com ações da comissão tripartite, uma discussão efetiva do pedágio, que as rodovias sejam duplicadas e que as vidas sejam preservadas. E que as concessionárias cumpram sua função social”.

Mobilização – Os deputados presentes na audiência destacaram ainda que há uma desproporção entre a arrecadação das concessionárias com as praças de pedágio e os investimentos em melhorias nas rodovias, como no caso das duplicações. “Temos prejuízos econômicos e de vidas com os pedágios. Existe uma tratativa de falsas promessas de melhorias nas estradas. As concessionárias não fizeram nem 10% daquilo que prometeram. Acho fundamental, portanto, esta mobilização da sociedade, e tenho certeza de que vamos vencer esta batalha”, analisou o deputado Cleiton Kielse.

Força - Já o deputado Rasca Rodrigues acredita que a Assembleia Legislativa pode ter mais força no debate sobre o abuso dos pedágios com a colaboração e a participação dos paranaenses, com um movimento político vindo de fora para dentro do Parlamento. “A decisão sobre o pedágio depende da mobilização da sociedade para pressionar o poder público e para efetivamente existir uma possibilidade de atuarmos”, ponderou. (Com informações da Assessoria de Imprensa da Alep)

 

{vsig}noticias/2012/julho/05/pedagio/{/vsig}

 

CONAB: Safra 2011/12deve consolidar novo recorde, mesmo com seca

 

A safra de grãos em 2011/12 deve superar a barreira de 162,9 milhões de toneladas registrados no ciclo passado e quando foi considerada uma supersafra. Isso significa que pelo segundo período consecutivo a produção de grãos será recorde no país, apesar da estiagem em algumas regiões. Os dados são do décimo levantamento de safra divulgado nesta quinta-feira (05/07), pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em Brasília.

 

Recorde - “A safra passada foi uma supersafra e o próximo ajuste de dados deve mostrar um recorde. Isso se deve ao bom desempenho do milho segunda safra que cobrirá os prejuízos causados pela seca”, disse o diretor do departamento de Comercialização e de Abastecimento Agrícola e Pecuário do Mapa, Edilson Guimarães.O milho segunda safra cresceu de 60,9% ou o equivalente a 13,08 milhões de toneladas (t) sobre a última safra, alcançando 34,57 milhões t. No ano passado, foram colhidas 21,48 milhões de toneladas. Os resultados na produção do milho se devem às condições favoráveis da cultura nas áreas de maior produção. Já a estimativa para as safras consolidadas (primeira e segunda safras) apresenta um crescimento de 21% ou de 12,07 milhões de t., alcançando 69,48 milhões de toneladas.

 

Reduções - Em compensação, a soja retraiu (8,9 milhões de t) e o arroz também (2,05 milhões de t). As reduções se devem, principalmente, às condições climáticas não favoráveis, principalmente nas fases de desenvolvimento das culturas, quando foram mais prejudicadas as lavouras de milho e de soja, nos estados da região Sul, parte do Sudeste e no sudoeste de Mato Grosso do Sul. Também pesou a estiagem nos estados nordestinos que tiveram perda em todas as culturas. A região Nordeste, sobretudo no Semiárido, sofreu bastante com a seca que castigou a produção em geral, levando a uma queda de 21,9% em relação à safra passada, ou seja, 3,5 milhões de toneladas de produtos como milho e feijão.

 

Área - Com relação à área, a estimativa total plantada é de 50,83 milhões de hectares, com um crescimento de 1,9% ou 960,7 mil hectares a mais do que a da safra 2010/11, quando atingiu de 49,87 milhões de hectares. A área cultivada do milho segunda safra cresceu 22,7 % ou 1,3 milhão de hectares. A soja vem em seguida, com aumento de 3,4% ou 819,5 mil hectares a mais. (Mapa)

SAFRA 2012/13 II: Planalto libera R$ 18 bi de crédito para área familiar

Os agricultores terão à disposição R$ 18 bilhões em crédito para custeio, investimento e comercialização do Pronaf (Porgrama Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar). O montante representa R$ 2 bilhões a mais do que o crédito disponibilizado na safra passada. Ao todo, as ações voltadas à agricultura familiar somarão R$ 22,3 bilhões.

Limite ampliado - O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, anunciou a ampliação do limite de financiamento de custeio de R$ 50 mil para R$ 80 mil. Já para o investimento, o limite de financiamento foi elevado de R$ 50 mil para R$ 130 mil. No caso das cooperativas, os limites de financiamento para investimento subiram de R$ 10 milhões para R$ 130 milhões. O limite de R$ 500 mil subiu para R$ 1 milhão.O MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário) também informou a ampliação da cobertura da renda do Seguro da Agricultura Familiar de R$ 3,5 mil para R$ 7 mil.

Preservação - O Plano Safra da Agricultura Familiar traz ainda a ampliação as linhas de crédito para recuperar APPs (áreas de preservação permanente) e reserva legal, em sintonia com o novo Código Florestal projetado pelo governo. As linhas de crédito, antes de R$ 20 mil, agora permitem ao produtor captar até R$ 35 mil. Os juros são de 1% ao ano."É isso que nós queremos para a agricultura familiar: sustentabilidade, mais renda, queremos garantir mais alimentos saudáveis para o povo brasileiro, é isso que nós queremos com o nosso Plano Safra", afirmou o ministro Pepe Vargas. (Folhapress)

BIODIESEL: Setor pede novo marco regulatório

As entidades privadas que participam da Câmara Setorial de Oleaginosas e Biodiesel encaminharam ao ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, documento solicitando a aprovação do novo marco regulatório para o setor, nesta quarta-feira (04/07).

Entrega - O pedido foi entregue após a 14º reunião ordinária da cadeia produtiva, em Brasília. “Esperamos que o ministro da Agricultura apresente para a presidente Dilma Rousseff o nosso anseio pela aprovação do marco regulatório. Estamos completamente de acordo com o trabalho feito pela comissão interministerial do Biodiesel que sugere as mudanças”, explica o presidente da Câmara Setorial, Odacir Klein.

Novos parâmetros - As indústrias querem que o Governo divulgue, ainda em 2012, novos parâmetros para o setor, como escalonamento da adição do combustível renovável no diesel, elevando o percentual dos atuais 5% para 7%. “Esperamos que a nossa atitude contribua para agilizar a aprovação do novo marco regulatório”, justifica Klein.  A Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil (Aprobio) defende, ainda, a elevação do percentual de biodiesel no diesel em 1,5% por ano até 2020, alcançando a participação de 20% na mistura.

Matéria-Prima - A diversificação da matéria-prima processada pelas unidades também deve se impor caso ocorra maior adição. Hoje há grande dependência do óleo de soja, que significou 82% do processamento em 2010 no País. O setor projeta alta de 16% na produção no Brasil, alcançando mais de 2 milhões de metros cúbicos.  Já existem alternativas em desenvolvimento para complementar a soja, como canola, palma, girassol e mamona. O marco regulatório vigente para o setor foi aprovado em 2005. (Mapa)


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br