Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4757 | 05 de Fevereiro de 2020

SHOW RURAL: Mais de 8 mil pessoas visitaram a Casa do Cooperativismo

A movimentação foi grande na Casa Paraná Cooperativo nesses primeiros dias do Show Rural Coopavel. Em dois dias, mais de oito mil pessoas circularam pelo espaço. O evento segue até sexta-feira (07/02), em Cascavel (PR). Entre segunda e terça-feira (03 e 04/02), o Sistema Ocepar recepcionou mais de 70 ônibus com cooperados da Coopavel, Copacol, Coprossel, Coagru, Coagro e Coasul. Além disso, recebeu muitos convidados e visitas de comitivas do Ceará, Rondônia, Alagoas, além de representantes do governo, do Sistema OCB e de empresas parceiras do agronegócio. Até o final do evento, a expectativa é recepcionar mais de 180 ônibus.

O espaço - Construído em um local estratégico (próximo a administração central do Show Rural), a Casa Paraná Cooperativo possui dois mil metros quadrados, distribuídos em dois pavimentos. No primeiro piso são 14 estandes, expondo produtos e serviços de mais de 40 cooperativas, e mais um estande do Sistema Ocepar. Além da vitrine das cooperativas, auditório e toda estrutura do primeiro andar, a casa ainda tem o segundo piso, que está bem movimentado. Os visitantes aproveitam os pontos para carregar celular enquanto descansam no lounge. Outros sobem para fazer fotos panorâmicas do evento. Várias reuniões já ocorreram nas duas salas, que contam com cerca de 20 lugares, mas o grande diferencial é o espaço Coworking.

Reuniões - Várias cooperativas estão aproveitando para fazer reuniões presenciais e online. A coordenadora-geral do Polo Iguassu, Fernanda Helena Fedrigo, fez uma reunião com o superintendente da Cotriguaçu, Gilson Luiz Anizelli. “Esse é o meu espaço preferido no Show Rural 2020. Uma oportunidade para fazer network. No ano passado eu estive na feira e não tinha um espaço como esse. Estava fazendo falta, além de ser uma grande vitrine das cooperativas, pois antes de chegar aqui todos aproveitam para ver os produtos dos expositores”.

Público geral - Em todo o evento, o número de visitantes passou de 75 mil pessoas até o segundo dia.

{vsig}2020/noticias/02/05/show_rural_visitacao/{/vsig}

SHOW RURAL: Vice-governador Darci Piana é recebido na Casa Paraná Cooperativo

O vice-governador do Paraná, Darci Piana, esteve, na manhã desta quarta-feira (05/02), na Casa Paraná Cooperativo, no Show Rural Coopavel. Ele estava acompanhado de uma comitiva de presidentes e representantes de oito Federações do Comércio do país e da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo). Na ocasião, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, falou da importância do cooperativismo para a economia brasileira e dos objetivos de ter um espaço no Show Rural para divulgar o setor. Já o secretário de Agricultura, Norberto Ortigara, fez uma explanação geral sobre a agricultura paranaense, destacando a atuação das cooperativas.

{vsig}2020/noticias/02/05/show_rural_piana/{/vsig}

SHOW RURAL: Fotos da Casa Paraná Cooperativo estão disponíveis no Flickr

A cobertura fotográfica dos dois primeiros dias da Casa Paraná Cooperativo no Show Rural Coopavel está disponível no Flickr do Sistema Ocepar (link abaixo). Além de visualizar momentos marcantes da participação do cooperativismo paranaense no evento, é possível fazer o download das imagens em baixa e alta resolução. 

Clique aqui e confira

 

SHOW RURAL: Juan Jensen ministra palestra para cooperativistas do ramo crédito

O consultor e doutor em economia da 4 Inteligence, Juan Jensen, antecipou questões importantes que influenciarão na tomada de decisões do atual mercado de crédito. Segundo ele, a principal vantagem das cooperativas de crédito em relação aos bancos privados é conhecer melhor o seu cliente. "Ao conhecer melhor o seu cliente, conseguem trabalhar com taxas de juros mais adequadas e expandir o crédito de uma forma mais rápida que os bancos privados, dessa forma devem seguir ganhando terrenos", disse.

Palestra - O consultor veio ao Show Rural Coopavel ministrar uma palestra para cooperativistas do ramo crédito. “Para prestigiar o Show Rural e, aceitando o convite da Credicoopavel, realizamos a terceira reunião do Comitê do Ramo Crédito do cooperativismo paranaense. Além da palestra sobre economia, importante para apontar as tendências na área de economia e política no ambiente interno e externo, aproveitamos a ocasião para avançar nas questões relacionadas aos desafios do ramo crédito e possibilidades de realizar projetos em conjunto”, contou o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti.

{vsig}2020/noticias/02/05/show_rural_juan/{/vsig}

 

SHOW RURAL: Fórum de Mercado aborda desafios e perspectivas do mercado de grãos

O segundo dia de atividades da Casa Paraná Cooperativo no Show Rural Coopavel, nesta terça-feira (04/02), em Cascavel, Oeste do Paraná, teve a realização do Fórum de Mercado, com palestra do sócio-diretor da Agroconsult, André Pessoa. Em entrevista à reportagem do Paraná Cooperativo, ele falou sobre os desafios e as perspectivas do mercado de grãos. Ouça aqui.

Casa Paraná Cooperativo - A Casa Paraná Cooperativo é uma das grandes novidades da edição 2020 do Show Rural Coopavel. É um espaço definitivo para a recepção dos cooperativistas, divulgação dos produtos das cooperativas paranaenses, reuniões e palestras.

{vsig}2020/noticias/02/05/show_rural_forum_mercado/{/vsig}

SHOW RURAL: Inscrição ao Prêmio Ocepar de Jornalismo agora é online

As inscrições ao 14º Prêmio Ocepar de Jornalismo agora podem ser feitas online, de forma digital, e não mais pelos Correios. A novidade foi divulgada na tarde desta terça-feira (04/02) pelo coordenador de Comunicação Social do Sistema Ocepar, Samuel Milléo Filho, durante o lançamento do concurso, realizado na Estação Embrapa do Conhecimento, durante Workshop para Jornalistas ocorrido no Show Rural Coopavel 2020, em Cascavel (PR), numa parceria entre a Embrapa, Coopavel e Sistema Ocepar. Estiveram presentes Rogério Rizzardi, coordenador-geral do Show Rural, Alvadi Balbinotti Júnior, chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Londrina, e Robson Mafioletti, superintendente da Ocepar. Milléo discorreu sobre o Prêmio para cerca de 20 profissionais de imprensa que acompanhavam o evento.

Demanda - De acordo com ele, a mudança no sistema de inscrições atende a um pedido dos próprios profissionais que participam do prêmio. “Pelos correios, além do custo, às vezes os materiais demoravam para chegar até Curitiba para o julgamento. Por meio das inscrições digitais, segundos depois de encerrado o prazo, já estaremos com todos os materiais disponíveis para iniciar as fases de julgamento”, lembra. Os interessados em participar do 14º Prêmio Ocepar de Jornalismo podem realizar as inscrições online pelo portal www.paranacooperativo.coop.br, onde também está disponível o regulamento.

Tema e valores - O tema escolhido para esta edição é “Cooperativismo: força econômica e social que faz a diferença”. Ao todo, serão distribuídos R$ 88 mil em prêmios, já descontados os impostos. O Prêmio Ocepar é dividido em seis categorias: Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo, Mídia Cooperativa, Categoria Especial Ramo Crédito, Categoria Especial Unimed. Os três primeiros colocados nas categorias Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Radiojornalismo e Mídia Cooperativa vão receber, respectivamente R$ 10 mil (1º lugar), R$ 4 mil (2º) e R$ 3 mil (3º). Já os vencedores nas categorias especiais Ramo Crédito e Unimed vão ganhar R$ 10 mil cada.

Prazos - Serão aceitos materiais publicados de 1º de agosto de 2019 a 1º de junho de 2020, que façam referência a um ou mais ramos do cooperativismo paranaense em que atuam as cooperativas filiadas à Ocepar: agropecuário, crédito, saúde, transporte, infraestrutura, consumo e trabalho, produção e prestação de serviços.

Iniciativa - O Prêmio Ocepar de Jornalismo é uma iniciativa do Sistema Ocepar, que conta com apoio financeiro da Central Sicredi PR/SP/RJ e Federação Unimed do Paraná e apoio institucional da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindijor/PR) e do Sindicato dos Jornalistas do Norte do Paraná.

{vsig}2020/noticias/02/05/show_rural_premio/{/vsig}

SHOW RURAL: Fórum de Sanidade Agropecuária reúne 250 participantes na Casa Paraná Cooperativo

A programação do auditório da Casa Paraná Cooperativo no Show Rural Coopavel 2020 iniciou, na tarde de segunda-feira (03/02), em Cascavel (PR), com o Fórum de Sanidade, que reuniu mais de 250 cooperados paranaenses. Com o tema “Avanços na sanidade agropecuária do Paraná e Brasil”, o engenheiro agrônomo Airton Spies abordou questões sobre a excelência sanitária. “É importante ter rebanhos, pomares e lavouras livres de doenças. Assim nossos produtos serão em quantidade e qualidade garantida, ainda com defesa agropecuária robusta e confiável”, explicou.

Contribuição - Spies destacou que o setor produtivo, através da Ocepar, contribuiu, de forma significativa, para que as autoridades entendessem que era a hora certa para esse passo. “Sai a vacina e entra a defesa preventiva reforçada e novamente as cooperativas são agentes fundamentais para a manutenção dessa conquista, que certamente irá se transformar num diferencial para novos negócios.”

Panorama - O secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, também fez uma participação no Fórum. Ele apresentou um panorama sobre a sanidade agroecológica no Paraná, destacando que produtos de qualidade e seguros ganham mercados e geram renda. Ele destacou os avanços obtidos no estado nos últimos anos, resultado de estratégia adotada e implementada conjuntamente pelos setores público e privado. Entre os exemplos na área, ele citou o fim da vacina contra a febre aftosa, o funcionamento do Sistema de Trânsito Agropecuário (Sistran), o zoneamento de cultivo, o vazio sanitário, o programa alimento seguro, entre outras iniciativas.

Palestras - A programação de palestras na Casa Paraná Cooperativo vai até sexta-feira (07/02). Participe durante a feira em dois horários: 8h e 13h30.

Entrevistas - Clique aqui  e ouça entrevistas com o engenheiro agrônomo e ex-secretário da Agricultura de Santa Catarina, Airton Spies, e com o secretário de Agricultura do Paraná, Norberto Ortigara.

{vsig}2020/noticias/02/04/show_rural_sanidade/{/vsig}

SHOW RURAL: Copel esclarece dúvidas de cooperativistas sobre o Programa Paraná Trifásico

A Copel apresentou, nesta terça-feira (04/02), as ações do Programa Paraná Trifásico nas regiões oeste e sudoeste do Paraná. O encontro ocorreu no Show Rural Coopavel 2020, em Cascavel, oeste do Paraná, no auditório da Casa Paraná Cooperativo. O evento contou com a participação do presidente da Copel, Daniel Slaviero, do superintendente de Projetos Especiais da Copel, Julio Omori, do secretário da Agricultura, Norberto Ortigara, do superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, e de dirigentes cooperativistas, entre os quais, o presidente da Frimesa, Valter Vanzela, e o vice-presidente da Lar, Urbano Frey.

Ouça aqui as entrevistas com os representantes da Copel.

{vsig}2020/noticias/02/05/show_rural_copel/{/vsig}

SHOW RURAL: Encontro vai discutir saúde e segurança no trabalho

show rural nrs 05 02 2020Saúde e segurança em primeiro lugar! A preocupação de todos é uma prioridade no cooperativismo. Por isso, o Show Rural Coopavel 2020 é o lugar ideal para um evento sobre o assunto. Nesta quinta-feira (06/02), ocorre, na Sala de Reuniões da Administração, o encontro mensal dos profissionais da área de Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (Sesmts) que atuam em todas as dez cooperativas da região Oeste, e também do Sudoeste do Paraná.

Formação integrada - O objetivo da reunião, que contará com representantes do Sistema Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná) e também do Sescoop/PR (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Paraná), é tratar da engenharia para a realização de cursos e treinamentos integrados em 2020.

Iniciativa - A iniciativa de reunir esses profissionais partiu do Sincoopar Oeste (Sindicato das Cooperativas Agrícolas, Agropecuárias e Agroindustriais da Região Oeste do Paraná). O presidente do Sindicato, Dilvo Grolli considera o tema essencial dentro do sistema cooperativo.

Dimensão - “As cooperativas possuem uma dimensão econômica e uma social. No aspecto social, as cooperativas investem muito na qualificação e aperfeiçoamento dos produtores rurais e também daqueles que trabalham dentro das cooperativas e das agroindústrias. E quando você fala com um profissional de dentro do frigorífico, você está falando com um trabalhador que quer aprender. Os conhecimentos que ele adquire nos cursos, fazem com que ele atue com mais segurança e isso reflete nos seus colegas de trabalho e até mesmo fora das paredes da agroindústria”, explica Dilvo Groli.

Sinergia - Esses profissionais atuam nos Sesmts de cada cooperativa têm por função promover a saúde e preservar a integridade física dos trabalhadores. “Quando você reúne profissionais de todas as cooperativas da região, você cria uma sinergia entre eles e impulsiona o crescimento de todos. Estamos somando as boas práticas que existem, por exemplo, na Coopagril, na C.Vale, na Lar, na Copacol, na Unitá, na Frimesa, na Coave, na Primato, na Cotriguaçu, na Coopavel, em nossa região e na Coasul no Sudoeste. Todos esses profissionais, muitas vezes, trabalham com a mesma máquina ou produto, porém, a operação em cada cooperativa pode ser um pouco diferente. Essa troca de experiências é fundamental para a segurança no trabalho e até mesmo na eficiência na realização da operação”.

Grupo - Assim, surgiu o Grupo de Estudos da Aplicabilidade das Normas Regulamentadoras, que busca constantemente estudar e discutir a aplicação das normas, estimular a troca de experiências, promover o aperfeiçoamento profissional com cursos e treinamentos, além de antecipar práticas das plantas frigoríficas.

Resultado - O Grupo, que mantém reuniões mensais, já existe a cinco anos, e atualmente conta com representantes na ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) e também na Comissão Nacional Tripartite da NR 36, que contribuem com dados e informações que baseiam a construção das diferentes normas de saúde e segurança no trabalho. “O resultado nos surpreendeu. Achávamos que contaríamos com uma ou duas pessoas de cada cooperativa. E de repente vieram dez, e em seguida outras dez, e isso foi se multiplicando dentro das próprias cooperativas. Então, a informação chega a 40, e depois para 400, e assim até atingir toda a equipe”.

Núcleo de Ergonomia - Uma das iniciativas derivadas do Grupo de NRS é o Núcleo de Ergonomia, que passou a reunir apenas fisioterapeutas, engenheiros, técnicos e outros profissionais focados no estudo das relações entre homem e máquina, com o objetivo de garantir segurança, eficiência e bem-estar. Essa e outras ações, como a criação do Núcleo de médicos, enfermeiros, fonoaudiólogos, psicólogos e outros profissionais estão na pauta da reunião de quinta-feira. “O projeto do Grupo de Estudos deu certo porque nosso superintendente da Sincoopar, Sérgio Brum, foi ouvir as pessoas que trabalham dentro dos frigoríficos. É importante atendermos as legislações, mas também é fundamental ouvir o que essas pessoas que trabalham na agroindústria desejam, quais são suas necessidades. Esse modelo, inclusive, vai ser adotado pela Ocepar. O encontro no Show Rural é o marco inicial das atividades em 2020”, finaliza Dilvo. (Imprensa Coopavel)

 

SHOW RURAL: Sicredi disponibiliza meio bilhão de reais em crédito

O Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR), e abre o calendário de grandes feiras agropecuárias no País. Para essa edição do evento, que segue até sexta-feira (07/02), o Sicredi disponibiliza R$ 500 milhões para financiamento de veículos, maquinários e tecnologias agrícolas. A primeira instituição financeira cooperativa do país também oferece condição especial de 0% de taxa flat nos financiamentos via linhas de crédito do BNDES. As informações foram repassadas nesta quarta-feira (05/02), durante coletiva de imprensa que teve a presença dos presidentes da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrok, do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e da Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ, Aldo Dagostim. 

Termômetro - Considerado um dos mais importantes eventos do agronegócio nacional, o Show Rural Coopavel serve de termômetro para o setor. “A movimentação durante a feira demonstra uma estimativa do mercado agrícola ao longo do ano. Por isso participamos do Show Rural com um volume grande de recursos e uma equipe bem preparada para atender às necessidades do produtor rural com as melhores condições para os associados”, analisa o gerente de Desenvolvimento de Negócios da Central Sicredi PR/SP/RJ, Gilson Nogueira Farias.

Propostas - Na edição 2019 da feira, o Sicredi registrou 800 propostas protocoladas que resultaram em um volume de crédito de negócios de R$190 milhões. Na ocasião, a instituição financeira cooperativa ainda apresentou uma inovação aos participantes: a contratação de operação para financiamentos de máquinas agrícolas, na linha moderfrota, em menos de 24 horas.

Condições especiais - Além de crédito para financiamento de veículos, maquinários e tecnologias agrícolas, o Sicredi também oferece condições especiais para a compra de veículos e para o financiamento de propostas relacionadas à energia solar. “Queremos demonstrar novidades para o nosso associado, como as fontes alternativas de energia, que são uma tendência por gerar economia e contribuir com o meio ambiente”, afirma Farias.

Parceiro da agricultura familiar - O Sicredi é reconhecido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) como agente financeiro com maior volume de operações de investimento contratadas no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que presta atendimento diferenciado aos pequenos produtores rurais. “Trabalhamos para oferecer as melhores soluções ao nosso associado. Desta maneira, também ajudamos promover o desenvolvimento econômico das regiões onde atuamos”, finaliza Farias.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Com informações da Assessoria de Imprensa do Sicredi)

{vsig}2020/noticias/02/05/show_rural_sicredi/{/vsig}

SHOW RURAL: Alexandre Mendonça de Barros é o convidado do Sicoob para palestra no evento

Nesta 32ª edição do Show Rural Coopavel 2020, o Sicoob traz o economista Alexandre Mendonça de Barros para fazer uma palestra sobre análise e perspectivas para o agronegócio. Especialista em agronegócios e referência na área como um dos principais consultores em projetos nas áreas de análises macroeconômicas na agropecuária e na agricultura nacional, ele abordará o tema “Análise de Mercado e Conjuntura do Agronegócio para 2020”.

Tradição - A palestra é uma tradição na feira e possibilita o acompanhamento dos principais cenários que impactam o agronegócio ao longo dos anos, instrumentalizando o produtor rural e empresas para a tomada da melhor decisão a partir das perspectivas da economia e dos mercados agrícolas para os próximos períodos. O evento acontece na quinta-feira (06/02), a partir das 15h, no auditório da Casa Paraná Cooperativo, localizada ao lado dos prédios da Assessoria de Imprensa e da Administração do Show Rural Coopavel.

Sobre o palestrante - Alexandre Mendonça de Barros é Engenheiro Agrônomo pela Esalq/USP (1990) e doutor em Economia Aplicada pela Esalq/USP (1999). Foi professor do departamento de Economia da Esalq/USP entre 1995 e 2004 e foi professor de Economia Agrícola da Fundação Getúlio Vargas, de 2005 a 2011. Foi membro do Conselho de Administração da Fosfértil, CASP e Vale Fertilizantes, Grupo Schoenmaker/Terra Viva e Coplana. É membro dos Conselhos do Grupo Otávio Lage, Frigorifico Minerva, Guarita e Grupo Roncador. Membro do Comitê de Assessoria Externa da Embrapa Pecuária Sudeste. Membro do Conselho Superior do Agronegócio da Fiesp. É sócio-consultor da MB Agro. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

mendonca 05 02 2020

 

 

 

SHOW RURAL: Unicoob Consórcios e Unicoob Corretora oferecem condições especiais

Além das diversas linhas de crédito específicas para investir, custear e comercializar a produção agrícola, o Sicoob oferece aos visitantes do Show Rural Coopavel 2020 opções em consórcios e seguros.

Foco - Com foco em veículos pesados, máquinas e equipamentos agrícolas e imobiliário, a Unicoob Consórcios está ofertando grupos com taxas de administração exclusivas e diferenciadas, a partir de 8,5%. Além disso, os prazos inéditos para o Show Rural serão de 120 meses para pesados e 240 meses para consórcio imobiliário, com faixas de crédito que variam entre R$200 e R$400 mil.

Corretora - Já a Unicoob Corretora participa da feira com seguros auto, imóveis, benfeitorias, residenciais, máquinas e equipamentos destinados ao produtor rural com descontos de até 20%. Outro destaque é o seguro agrícola, disponibilizado com taxas e condições especialmente formatadas para o evento.

Equipe - Para mais informações sobre as condições, esclarecimento de dúvidas e adesões, os visitantes podem procurar a equipe da Unicoob Consórcios e da Unicoob Corretora no estande do Sicoob, localizado entre as ruas 3 e 4, no setor de bancos e cooperativas de crédito.

Sicoob no Show Rural 2020 - Durante a feira, o Sicoob disponibilizou linhas de crédito para comercialização de produtos agropecuários, custeio e investimento com condições especiais para atender da agricultura familiar à empresarial, cooperativas de produção e agroindústrias. Além disso, a cooperativa também traz uma linha com recursos próprios para atender o produtor rural. Com taxas e prazos diferenciados, o Sicoob InvestFeira permite o financiamento de qualquer produto comercializado no evento. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2020/noticias/02/05/show_rural_sicoob/{/vsig}

SHOW RURAL: Cidades do Oeste são incentivadas a criar conselhos de sanidade agropecuária

O Conselho Regional de Sanidade Agropecuária do Oeste do Paraná definiu que irá intensificar a campanha para a criação de conselhos nos municípios. A medida faz parte do plano de ação do órgão para 2020, aprovado em reunião dentro da programação do Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR).

Objetivo - O objetivo dos conselhos municipais de sanidade agropecuária é fortalecer, em nível local, medidas que contribuam para a produção de alimentos com qualidade e segurança. As iniciativas de sanidade estão relacionadas às atividades do produtor rural, da indústria de transformação, de abatedouros e frigoríficos.

Abrangência - Presidente do Conselho Regional de Sanidade Agropecuária do Oeste e vice-presidente do Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), Elias Zydek explicou que atualmente existem 11 conselhos municipais que dão cobertura a 20 cidades. Até o final deste ano, relatou, a intenção é constituir 30 colegiados para atender às 54 cidades da região.

Importância - "É nos municípios que a sanidade acontece, por isso a importância de termos os conselhos funcionando", enfatizou Elias. "Com isso, reforçamos as ações de prevenção nas localidades, nos territórios, o que é indispensável para garantirmos a sanidade no setor agropecuário", sublinhou.

Plenária - O presidente do POD, Danilo Vendruscolo informou que o tema da sanidade será levado à plenária da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP). "O agronegócio é a força da nossa região. Por isso vamos envolver prefeitos e lideranças em torno dessa agenda preventiva", apontou.

Outras pautas - Além da criação de organismos de proteção sanitária nas cidades, o Conselho Regional de Sanidade Agropecuária do Oeste também aprovou a realização de um grande evento na região sobre o tema. A programação reunirá especialistas, técnicos e autoridades públicas.

Preocupação - O colegiado ainda expressou a preocupação com a realização de eventos agropecuários na região Oeste que possam tornar vulnerável o sistema de sanidade. A necessidade de procedimentos de proteção sanitária do Aeroporto de Foz do Iguaçu, uma das principais rotas e de entrada de pessoas no estado, também foram debatidos na reunião do Conselho Regional de Sanidade Agropecuária.

Sanidade de suínos - O Comitê Estadual de Sanidade de Suínos (Coesui) também realizou reunião durante o Show Rural Coopavel. No diálogo, foram apresentadas informações e orientações a produtores, representantes de cooperativas e agentes públicos paranaenses.

Apresentação - Gerente de Saúde Animal da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Rafael Gonçalves Dias apresentou aos participantes formas de melhorar a bisseguridade e prevenir doenças relacionadas à suinocultura. A Região Oeste, apontou, concentra mais de 50% da suinocultura do estado.

Entendimento - "É importante que os produtores entendam a importância da biosseguridade e trabalhem essa questão junto com as indústrias e o setor organizado para que nossa cadeia produtiva no Paraná seja exemplo e muito mais segura", explicou Rafael. (Assessoria de Imprensa do Programa Oeste em Desenvolvimento)

{vsig}2020/noticias/02/05/show_rural_oeste_desenvolvimento/{/vsig}

SHOW RURAL: Embrapa lança cultivar de feijão

show rural embrapa 05 02 2020Durante a 32ª edição do Show Rural Coopavel 2020, a Embrapa Arroz e Feijão (GO) lançou a variedade de feijão especial Calima BRS FS305, uma variedade com alto potencial de produtividade (rende 3.500 kg/ha) indicada, principalmente, para os estados de São Paulo - para as três épocas de cultivo (águas, seca e inverno), Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul - para cultivo nas épocas da seca e das águas.

Características - A cultivar apresenta grãos rajados tipo exportação e como características agronômicas se destaca o porte semiereto, a inserção de vagens altas em relação ao solo proporcionando adaptação à colheita mecânica direta. De ciclo semiprecoce, em torno de 75 dias, esta variedade de feijão desenvolve um bom sistema radicular e apresenta resistência moderada à antracnose. Para a sua produção, recomenda-se o uso de espaçamento entrelinhas de 50 cm com 12 plantas finais por metro linear, totalizando 240 mil plantas por hectare. Outras cultivares de feijão a serem apresentadas na Vitrine de Tecnologias da Embrapa são:

Cultivares do Grupo Preto - BRS FP403 - Esta cultivar de feijão preto tem alta produtividade, boa qualidade comercial e culinária de grãos, além de moderada resistência à murcha de Fusarium e a podridões radiculares. É indicada para cultivo em 19 estados brasileiros, apresentando ciclo normal (85 a 95 dias), alto potencial produtivo, o rendimento com potencial de 4,7 mil quilos por hectare, o que significa 12,3% superior em relação à média das cultivares testemunhas, BRS Esteio, BRS Supremo, BRS Campeiro e IPR Uirapuru. Com boa arquitetura de raiz, seu sistema radicular é bastante vigoroso e tolerante a murcha de fusarium e podridão-radicular-seca. Esta variedade de feijão possui grãos graúdos com alta qualidade industrial; a planta apresenta porte semi prostrado e alta inserção de vagens em relação ao solo o que proporciona adaptação à colheita mecânica direta.

BRS Esteio - O feijão BRS Esteio é uma cultivar do grupo preto possui alto potencial produtivo e apresenta ciclo normal (de 85 a 90 dias, da emergência à maturação fisiológica). Possui resistência ao mosaico comum, sendo moderadamente resistente à antracnose e reação intermediária à ferrugem. Com relação a características de qualidade industrial a cultivar possui excelente potencialidade culinária com uniformidade de coloração e tamanho de grãos - massa média de 24 gramas por 100 grãos. A cultivar foi desenvolvida pela Embrapa em parceria com outras instituições.

BRS Esplendor - Variedade de feijão com resistência ao crestamento bacteriano comum, além de ser resistente ao mosaico comum, moderadamente resistente à murcha de curtobacterium, murcha de fusarium e antracnose. Possui também reação intermediária à ferrugem, de arquitetura ereta, resistente ao acamamento e adaptada à colheita mecânica direta. A produção nacional do feijão preto BRS Esplendor não atende à demanda de consumo interno, que ocorre principalmente nos estados da região Sul, no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, sendo necessária a importação anual de cerca de 100 mil toneladas. Para atender essa demanda, o feijão é plantado durante todo o ano, nos mais variados sistemas de cultivo.

Cultivares do Grupo Carioca - O feijão BRS FC104 é a primeira cultivar superprecoce do mercado; o ciclo abaixo de 65 dias (da semeadura à maturação dos grãos) representa vantagem competitiva para o agricultor, pois pode ser inserida em ambientes, cujo ciclo curto seja desejável, na época das águas ou de inverno. O BRS FC104 representa um trunfo para dinamizar a rotação de culturas em áreas agrícolas.

BRS FC 402 - Apresenta como características agronômicas elevado potencial produtivo e qualidade comercial de grãos. É resistente ao mosaico comum, moderadamente resistente à ferrugem, antracnose e à murcha de fusarium. Com relação a doenças e pragas o BRS FC 402 possui reação intermediária ao crestamento bacteriano comum, seu porte é semiereto, desenvolve tolerância intermediária ao acamamento, sendo adaptadas à colheita mecânica direta.

BRS Estilo - é uma cultivar de feijão comum do grupo comercial carioca e se diferencia pela arquitetura ereta da planta e se adapta à colheita mecânica direta. Apresenta alto potencial produtivo e estabilidade de produção, com grãos claros e de excelente qualidade comercial. Em relação às doenças, a cultivar possui resistência ao mosaico comum e reação intermediária à antracnose e ferrugem. Esta variedade de feijão completou dez anos de lançamento em 2019, mas suas características ainda são bastante produtivas para o produtor; é indicada para as safras das “águas” em Goiás, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Pernambuco; de “inverno” em Goiás, Mato Grosso e Tocantins; da “seca” em Goiás, Paraná, Santa Catarina, Rondônia, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Cultivares com Grãos Especiais - O feijão especial BRS Ártico traz como características os grãos brancos, de coloração uniforme e tamanho maior que outras variedades desenvolvidas no Brasil. Apresenta padrão de qualidade internacional. É moderadamente resistente à ferrugem e à antracnose, possui reação intermediária à murcha de curtobacterium e a murcha de fusarium. Esse feijão especial possui como destaque o tamanho dos grãos, 62g para cada 100 sementes ou 160 grãos para cada 100g, o que o classifica com alto potencial para atender os mercados internacionais e concorrer diretamente com os produtos atualmente comercializados. O BRS Ártico tem alto potencial produtivo, 2.677 kg por hectare e o ciclo semiprecoce (75 a 84 dias).

BRS Embaixador - Grão diferenciado, pertencendo ao grupo comercial vermelho escuro grande (DRK), com uniformidade de coloração e tamanho de grãos. Possui boas características agronômicas, com porte de planta ereto e boa resistência ao acamamento. Em relação às doenças, a cultivar é moderadamente resistente à antracnose e à murcha de fusarium.

BRSMG Realce - É do grupo comercial rajado, a cultivar se destaca pelo bom potencial produtivo e alto valor agregado por sua excelente qualidade culinária. As plantas são eretas, adaptadas à colheita mecanizada direta. Possui resistência à antracnose, é moderadamente resistente à ferrugem e apresenta reação intermediária ao crestamento bacteriano comum e à mancha angular. Por fim, a BRS Realce é indicada para semeadura no Estado de Minas nas épocas das águas, seca e inverno, com potencial de extensão de recomendação para todas as regiões produtoras de feijão do Brasil. Durante a realização do Show Rural Coopavel 2020 os visitantes terão a oportunidade de conhecer estas e outras novidades e informações tecnológicas, de produtos e serviços que possam atender tanto aos produtores rurais e parceiros da extensão rural quanto aos estudantes, pesquisadores, empreendedores e consultores dos negócios do campo. Os interessados em adquirir sementes de feijão, devem consultar a Embrapa Arroz e Feijão, pelo telefone (62) 3533-2103. (Assessoria de Imprensa da Embrapa)

 

SHOW RURAL: Márcio, o agricultor cego do filme do Show Rural, prestigia o evento

Um rosto simples ganhou o mundo nas últimas semanas. A história do agricultor Márcio Oliveira, de 53 anos, emocionou pessoas de todas as idades nos quatro cantos do planeta. Completamente cego há dez anos, Márcio enfrentou a deficiência de um jeito corajoso e determinado. Em vez de aceitar a limitação e recolher-se em uma vida pouco produtiva, ele fez exatamente o oposto. “Quando a cegueira passou a ser total e irreversível, minha decisão foi por reaprender a viver, a partir do básico, das coisas mais simples”, disse Márcio na tarde desta terça-feira (04/02), em visita ao Show Rural Coopavel. Um dos locais que ele esteve foi a Casa Paraná Cooperativo.

Origem - O agricultor é de Guairacá, interior de Guarapuava, na região Central do Estado, e protagoniza o filme elaborado pela Coopavel para divulgar o evento de tecnologia deste ano. “A história desse pequeno produtor rural, que é das mais belas e admiráveis, emociona pessoas em vários lugares”, disse Dilvo ao recebê-lo. Ao saber mais da trajetória do Márcio é inevitável que cada um se sinta impactado, que cada um reflita e analise o que teria feito caso enfrentasse um desafio dessas proporções, considera o coordenador do Show Rural Coopavel Rogério Rizzardi.

Reinvenção - Márcio optou por reinventar-se. Ele faz tudo o que um agricultor comum costuma realizar em sua pequena propriedade. “Tiro leite, alimento os animais, corto lenha e muitas outras tarefas cotidianas. Precisei reaprender. Confesso que não é fácil, mas com força de vontade e paciência tudo é possível”. O tema da 32ª edição da mostra de tecnologia que acontece em Cascavel, no Oeste do Paraná, é reinvente sua vida no campo. A mensagem procura fazer com que o produtor rural perceba as mudanças do mundo atual e, com base nos novos conhecimentos e tecnologias, aderir a novas possibilidades para produzir mais, melhor e com menos custos.

Recursos - A Coopavel empregou os mais diferentes recursos para disseminar a história de superação do agricultor e muitos se sentiram inclinados a repensar e a mudar aspectos de sua postura pessoal e profissional. “Tudo o que o Márcio faz serve para que possamos incorporar a determinação e a capacidade de reinvenção em nossas vidas”, pontua o vice-presidente da Coopavel, Jeomar Trivilin. Márcio permanece ainda nesta quarta-feira (05/02) em Cascavel e circulará pelo parque que há mais de três décadas recebe o Show Rural. (Com informações da Assessoria de Imprensa da Coopavel)

{vsig}2020/noticias/02/05/show_rural_cego/{/vsig}

FORMAÇÃO: Pós-graduação em Direito Tributário está com inscrições abertas

formacao destaque 05 02 2020Estão abertas as inscrições para a pós-graduação em Direito Tributário, promovida pelo Sistema Ocepar, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), e em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). O curso é presencial e as aulas, com início previsto para ocorrer nos dias 27 e 28 de março, serão realizadas no campus da PUCPR de Maringá, no Noroeste do Paraná, em módulos mensais que deverão encerrar nos dias 12 e 13 de novembro de 2021.

Público - A especialização é dirigida a e empregados das cooperativas do Paraná com vínculo empregatício, que tenham afinidade com as áreas Jurídico/Tributária ou Contábil e graduação concluída.

Mais informações - Mais informações podem ser obtidas com Marlon Dreher (marlon.dreher@sistemaocepar.coop.br) ou Rogério Croscato (rogerio.croscato@sistemaocepar.coop.br).

Formulário - Os interessados em participar devem preencher o formulário até sexta-feira (07/02), Clicando aqui.

 

formacao 05 02 2020

 

COCAMAR: Cooperativa inaugura indústria e realiza Assembleia

A inauguração da indústria de rações e a realização da Assembleia Geral Ordinária de prestação de contas de 2019 movimentaram a Cocamar Cooperativa Industrial, na manhã de terça-feira (04/02), em Maringá (PR).

Início oficial - Às 9h, mais de 150 convidados participaram do início oficial de operação da indústria localizada no parque industrial da cooperativa, que recebeu investimentos de R$ 27 milhões e tem capacidade para 150 mil toneladas/ano.

Fortalecer o crescimento - Em seu pronunciamento, o presidente do Conselho de Administração, Luiz Lourenço, destacou que contar com uma indústria própria estava, há muito tempo, nos planos da cooperativa, que ingressou no segmento de rações em 2010 e vinha ocupando uma estrutura de terceiros, em Rolândia. “Temos agora uma unidade industrial muito moderna e que agrega valor aos produtos dos cooperados. É uma oportunidade que fortalece ainda mais o nosso crescimento”, ressaltou.

Mais plantas - Por sua vez, ao discursar, o presidente-executivo Divanir Higino disse que, além dessa, há outras plantas industriais previstas para operar com nutrição foliar, biodiesel e etanol de milho. E frisou que, com a safra de soja que promete ser generosa, e já em início, a perspectiva é de um ano melhor para os produtores. “Tivemos um 2019 difícil com a forte quebra de safra, mas, para compensar, 2020 anuncia volumes recordes.”

Investimentos - Prestigiando a inauguração, o presidente do Sistema Ocepar (Organização das Cooperativas do Estado do Paraná), José Roberto Ricken, elogiou a iniciativa da Cocamar e lembrou que em 2020 o setor cooperativista do estado deve investir R$ 3,8 bilhões em estruturas, 70% das quais voltadas à agroindustrialização. “Estamos detectando muitas oportunidades no mercado externo e nos preparando para atendê-las com eficiência e qualidade”, disse.

Importância - Convidado também a falar, o prefeito em exercício Edson Scabora ressaltou a importância da prática da cooperação, algo que acontece em Maringá desde a chegada das primeiras famílias, a maioria delas de baixo poder aquisitivo na época, que dependiam da união de esforços para sobreviver.

Acionamento - O início oficial de operação da indústria de rações – que tem como principal foco produtos para pecuária de corte e leite, equinos e peixes – se deu por meio de um smartphone acionado pelo presidente do Conselho de Administração, Luiz Lourenço.

AGO - Por volta das 10h, teve início a Assembleia Geral Ordinária (AGO), reunindo mais de 300 produtores representando todas as regiões da cooperativa, nos estados do Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Entre os principais assuntos da pauta, foi apresentado e aprovado o relatório de gestão, bem como os números do balanço, que tiveram os pareceres do Conselho Fiscal e auditoria independente.

Destinação - Os cooperados decidiram destinar um remanescente das sobras do exercício 2019, de R$ 128 mil, para o Instituto Constâncio Pereira Dias de Responsabilidade Social, mantido pela cooperativa, para que seja destinado a apoiar obras sociais.

Planejamento estratégico - O vice-presidente executivo, José Cícero Aderaldo, apresentou o conteúdo do planejamento estratégico para o período 2020-2025. O objetivo da cooperativa é chegar a um faturamento de R$ 10 bilhões, ante os R$ 5,8 bilhões previstos para este ano. Até lá, devem ser investidos R$ 1 bilhão em estruturas, entre as quais a ampliação da capacidade da armazenagem de 1,7 para 2,3 milhões de toneladas, abertura de 20 novos lojas de insumos e outras realizações.

Conselho Fiscal - Foi também eleito o Conselho Fiscal para o exercício 2020, constituído pelos cooperados Paulo Vinícius Tamborlim (Atalaia-PR), José Henrique Orsini (Floresta-PR), Guilherme Martins Gomes Santos (Assaí-PR), Fred Frand Frandsen (Palmital-SP), Marilda Beraldi Vendramin (Paranavaí-|PR) e Edgar Brazoloto (Cianorte-PR).

AGE - Por fim, ao finalizar a AGO, foi realizada uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para promover algumas alterações visando a aperfeiçoar o Estatuto Social. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2020/noticias/02/05/cocamar/{/vsig}

COPAGRIL: Programa Menor Aprendiz recebe 73 jovens

A Cooperativa Agroindustrial Copagril iniciou, nesta terça-feira (04/02), a programação de inserção dos novos jovens no Programa Menor Aprendiz, que proporciona a primeira experiência de trabalho para os adolescentes. Neste ano, 73 menores foram selecionados e começaram as atividades educacionais teóricas, as quais são conciliadas com as práticas na empresa. O curso é realizado na Instituição de Ensino Rui Barbosa, por meio da parceira com a Copagril e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR).

Oportunidades - A psicóloga da Copagril, Angela Janaina Maron, explica que o Programa Menor Aprendiz tem como objetivo criar oportunidades para os jovens se desenvolverem como indivíduos e membros atuantes da sociedade, além de oportunizar uma proposta de carreira. “Temos dentro da Copagril vários profissionais em cargos estratégicos que começaram como jovens aprendizes e hoje são destaque em suas áreas”, destaca.

Intensivo - Nos primeiros dias, os participantes participarão de um intensivo de educação, conciliando os conteúdos relevantes ao exercício das futuras atividades, conforme explica a coordenadora do Programa no Rui Barbosa, Fabrícia Josiane Albrink. “Serão 10 dias de um intensivo e depois serão conciliadas as atividades de trabalho com as aulas teóricas regulares”, complementa a coordenadora.

Atividades - Os mais de 70 jovens realizarão atividades em diversas áreas da Copagril, distribuídos entre as Lojas Agropecuárias, Supermercados, atividades administrativas nas Unidades Industriais de Aves e Rações e áreas de apoio. (Imprensa Copagril)

{vsig}2020/noticias/02/05/copagril/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Treinamento para professores de Ubiratã (PR) tem foco em programa que ensina o cooperativismo

sicredi vale 05 02 2020Na última semana, a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP realizou treinamento com 46 professores da rede municipal de ensino de Ubiratã (PR) que participam do programa A União Faz a Vida. Neste início de ano letivo, eles se preparam para trabalhar projetos com os alunos com foco nos valores cooperativistas.

Alinhamento - “É importante o encontro com os professores no início do ano para ajustarmos e alinharmos a abordagem em sala de aula com os alunos”, comenta o assessor pedagógico Eder Cordeiro.

Objetivo - O treinamento teve o objetivo de reciclar conhecimentos, esclarecer dúvidas e trazer novidades do programa. Junto com os alunos, os professores irão definir temas que se transformam em projetos práticos, tendo como pano de fundo o cooperativismo. São iniciativas que envolvem as famílias e as comunidades, e podem tratar de cidadania, meio ambiente e saúde, por exemplo.

Reciclagem - “A cada ano, o Sicredi incentiva as formações com a finalidade de reciclagem para que os professores tenham alternativas de abordagens que favoreçam a realização dos projetos neste novo período”, argumenta a gerente da área de desenvolvimento do cooperativismo da Sicredi Vale do Piquiri, Cláudia Bonatti.

Aprimoramento - Para a coordenadora local do programa A União Faz a Vida em Ubiratã (PR), Janaina Fernanda Vitaliano Coelho, aprimorar o conhecimento faz parte da jornada do professor. “Vejo que a importância é estar sempre aprendendo mais para estarmos preparados para a aplicação da metodologia junto aos estudantes. Quanto mais estudamos, mais conhecimento adquirimos.”

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri é uma cooperativa com 31 anos de história e mais de 141 mil associados, distribuídos em 82 agências. A Cooperativa atua nas regiões Oeste e Noroeste do Paraná, além da Capital e do Abcd Paulista. A instituição se destaca pelo atendimento aos associados e pela preocupação com o desenvolvimento da comunidade.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICOOB: Promoção sorteia mais de R$5 milhões em prêmios

sicoob 05 02 2020A promoção “Sorte Assim só no Sicoob” promete movimentar a vida dos associados do maior sistema de cooperativismo financeiro do País. Desde 1º de fevereiro até 31 de dezembro de 2020, os cooperados - pessoas físicas e jurídicas que tenham contas ativas no Sistema – vão concorrer a mais de 500 prêmios, que incluem vales poupança, smartphones, motos e carros. Ao abrir uma conta no Sicoob, a pessoa já recebe automaticamente o número para participar dos sorteios.

Benefícios - Um dos objetivos da campanha é divulgar os benefícios do cooperativismo de crédito. Além de participar dos resultados, ajudar no desenvolvimento regional e economizar com tarifas até 50% mais baratas, os cooperados do Sicoob ainda concorrem a prêmios.

Números da sorte - Para participar da promoção, cada cooperado que adquirir produtos participantes ganha números da sorte e concorre aos prêmios que seguem os sorteios da Loteria Federal. Serão realizados 48 sorteios semanais, 11 mensais e um final. No site http://www.sicoob.com.br/sorteassim, o participante pode conhecer o regulamento e consultar, semanalmente, seus números da sorte.

Produtos - Os produtos participantes da promoção são: consórcio, poupança, Recibo de Depósito Cooperativo (RDC), Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), previdência Seguros, cartões SicoobCard, operações de crédito, Sipag, cobrança bancária, entre outros, que variam para cooperado – pessoa física e jurídica.

Prêmios - Durante a promoção serão sorteados 240 prêmios no valor de R$2.000; 192 smartphones Samsung Galaxy S10 SM-G973F 128GB; 48 Motos Honda 0Km modelo NXR 160 BROS ESDD, FLEXONE; 33 Carros Hyundai 0Km modelo HB20 1.0 Flex; 16 Carros Toyota 0Km modelo Corolla Xei 2.0 Flex; 5 Carros Toyota 0Km modelo HILUX CD, SRV 4X4, 2.7 Flex.

Sobre o Sicoob - O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil, Sicoob, possui 4,6 milhões de cooperados em todo o país e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 420 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas/entidades de: meios eletrônicos de pagamento, consórcios, DTVM, seguradora e previdência) provedoras de produtos e serviços especializados para cooperativas financeiras. A rede Sicoob é a quinta maior entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 3,1 mil pontos de atendimento. As cooperativas integrantes do Sistema oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras. Mais informações acesse: www.sicoob.com.br. (Imprensa Sicoob)

 

AGRICULTURA: Ministra e embaixador da China debatem relação comercial entre países

agricultura 05 02 2020A relação comercial entre Brasil e China foi o tema central da reunião entre a ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e o embaixador chinês Yang Wanming, na manhã desta terça-feira (04/02). “Tratamos das nossas parcerias comerciais que devem continuar tranquilamente, sem nenhum sobressalto, porque o Brasil é um grande parceiro da China na área de produtos agrícolas”, disse a ministra após a reunião.

Abertura - A ministra destacou que a China abriu o mercado para o melão brasileiro e está sob análise a exportação de uva brasileira para os chineses. “Com a abertura do mercado para o melão, os nossos empresários estão fazendo os contatos na China para poder fazer as exportações. Nós já começamos a trabalhar o certificado sanitário da uva que é a próxima fruta que o Brasil quer exportar para China”, ressaltou.

Medidas - O embaixador relatou as medidas adotadas pelo governo chinês em relação ao coronavírus. “Vamos acompanhar de perto. É muito importante essa proximidade do embaixador conosco, para estar sempre nos municiando, mas por enquanto tudo normal”, afirmou a ministra, acrescentando que a questão de saúde está sob a coordenação do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Sem restrição - Segundo a ministra, no que diz respeito ao setor agropecuário, não há restrição ao intercâmbio comercial entre os dois países devido ao surto de coronavírus. O Brasil exporta para a China, principalmente, soja e carnes bovina, suína e de frango.

Procedimento - “Nós temos um procedimento de habilitação de frigoríficos que está andando no seu ritmo. Isso está em processo normal de encaminhamentos lá na China, nos ministérios e na aduana. Não mudou nada. O que pode ter atrapalhado a movimentação foi o feriado do ano novo chinês, que foi prolongado por causa do coronavírus”, argumentou.

Relação duradoura - O embaixador afirmou que a relação comercial entre os dois países no setor agropecuário é duradoura e será cada dia mais estreita. “O governo chinês se dedica a manter essa relação de longo prazo e estável com o governo brasileiro. Os produtos agrícolas brasileiros são bem-vindos. Não acredito que a relação sino-brasileira será prejudicada (pelo surto)”, disse.

Presenças - Participaram da reunião, além da ministra e do embaixador, secretário de Comércio e Relações Internacionais, Orlando Ribeiro, o ministro conselheiro Qu Yuhui e o diplomata Zhu Yue. (Mapa)

 

ECONOMIA: Bolsonaro desafia governadores a zerarem imposto sobre combustíveis

economia 05 04 2020O presidente Jair Bolsonaro desafiou nesta quarta-feira (05/02) os governadores a zerarem a cobrança de ICMS sobre os combustíveis. Provocado a responder sobre as críticas que recebeu após responsabilizar os Estados pelo preço do produto, ele disse que se compromete em zerar a tributação federal se os governadores fizerem o mesmo. “Eu zero o [imposto] federal se eles zerarem o ICMS. Está feito o desafio aqui. Se toparem, eu aceito”, provocou, em conversa com jornalistas na saída do Palácio da Alvorada.

Responsabilidade - O presidente voltou a defender que a responsabilidade sobre o valor dos combustíveis deve ser compartilhada, e que uma das soluções para reduzir o preço final é a cobrança de ICMS nas refinarias. “Olha o problema que eu estou tendo com combustível. Pelo menos a população já começou a ver de quem é a responsabilidade. Não estou brigando com governadores, o que eu quero é que o ICMS seja cobrado no combustível na refinaria, não na bomba”, afirmou. “Eu baixei três vezes o combustível nos últimos dias e na bomba não baixou nada”.

Ministro - Após a fala do presidente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, não deu declarações sobre o assunto. Questionado se o governo federal poderia abrir mão das receitas, Guedes não comentou. Apenas entrou no carro que o levaria ao Palácio do Planalto, onde já tinha agendada uma audiência com Bolsonaro.

Fazenda - Mais cedo, abordado pela imprensa, o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, tampouco quis falar sobre a declaração do presidente.

Queixa - Bolsonaro vem se queixando do peso do ICMS sobre o preço dos combustíveis. A alíquota chega a 30% em alguns Estados. O presidente está impaciente pelo fato de a Petrobras haver promovido corte do preço dos combustíveis na refinaria e não ter ocorrido impacto nas bombas.

Valor - Atualmente, o ICMS tem um valor fixo, e não percentual, por litro do combustível vendido estabelecido por cada Estado a partir de uma média do preço em cada unidade da federação calculada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP). Os governadores afirmam que o ICMS sobre combustíveis representa em média 20% das receitas dos Estados.

Resposta - Na última segunda-feira, em documento divulgado pela assessoria de alguns governos estaduais, 23 Estados responderam aos tuítes postados no final de semana por Bolsonaro sobre cobrança de ICMS nos combustíveis. Os governadores se disseram interessados em viabilizar a redução de preços dos combustíveis, mas declararam que o assunto precisa ser debatido em “fóruns apropriados”.

Atribuição - Os 23 governadores disseram ainda que não cabe à esfera federal estabelecer tributação sobre consumo e que a União é que deve abrir mão das receitas de PIS, Cofins e Cide provenientes de operações com combustíveis. Segundo os Estados, essas cobranças federais têm impacto de 15% no preço final do combustível ao consumidor. Os quatro Estados que não assinaram a carta foram Acre, Tocantins, Rondônia e Goiás.

Autonomia - Na carta, os 23 governadores afirmaram que os Estados têm autonomia para definir alíquotas de ICMS e que os combustíveis respondem em média por 20% do total da arrecadação do imposto. Os Estados alegaram ainda que o governo federal controla os preços nas refinarias e obtém dividendos com sua participação indireta no mercado de petróleo. Por isso, seria necessário que a União explique e reveja a política de preços praticada pela Petrobras. (Valor Econômico)

 

CÂMARA I: Projeto susta resolução do BC que autoriza cobrança de tarifa no cheque especial

camara 05 02 2020O Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 747/19 anula a resolução do Banco Central do Brasil (BCB) que estabeleceu novas regras para a concessão de cheque especial a pessoas físicas e microempreendedores (Resolução 4.765/19). Entre as novas regras está a possibilidade de o banco cobrar tarifa para créditos acima de R$ 500. A proposta que susta a resolução está em análise na Câmara dos Deputados.

Crédito - O cheque especial é uma espécie de crédito pré-aprovado pelo banco, que é acionado sempre que o correntista gasta mais do que possui em conta corrente. Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), cerca de 80 milhões de brasileiros possuem limite de cheque especial superior a R$ 500,00.

Argumento - Autor do projeto que pretende sustar os efeitos da resolução do BCB, o deputado Daniel Coelho (Cidadania-PE) argumenta que a autorização para a cobrança de tarifa pelo cheque especial fere o Código de Defesa do Consumidor.

Prática abusiva - “Ao permitir a cobrança por serviço efetivamente não prestado, a resolução exige do consumidor vantagem manifestamente excessiva, configurando uma prática abusiva”, disse. “Além disso, a resolução não garante que o consumidor seja avisado preliminarmente e com clareza sobre as mudanças nas regras”, completou.

Tramitação - O projeto será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois, seguirá para o Plenário. (Agência Câmara)

 

CÂMARA II: Plenário aprova projeto que prevê medidas de combate ao coronavírus

camara II 05 02 2020O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta terça-feira (04/02), o Projeto de Lei 23/20, que estabelece as medidas a serem adotadas pelas autoridades sanitárias em caso de emergência de saúde pública provocada pelo coronavírus. A matéria será enviada ao Senado, que deve votar o texto nesta quarta-feira (05/02).

Proposta - A proposta prevê isolamento, quarentena e fechamento de portos, rodovias e aeroportos para entrada e saída do País. Aprovada na forma de um substitutivo da relatora, deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC), a proposta contou com mudanças incorporadas após sugestões dos parlamentares.

Vigência - Uma delas é que a futura lei terá vigência enquanto perdurar o estado de emergência internacional relacionada ao coronavírus. “Esse texto é muito enxuto para darmos uma resposta emergencial para a situação que enfrentamos no momento”, afirmou Carmen Zanotto.

Compromisso - A relatora disse que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, comprometeu-se com os líderes partidários e com ela a enviar à Casa, em breve, um projeto com cerca de 84 artigos sobre a temática, aprofundando os tipos de situações de emergência sanitária.

Registros - Até o momento, o Brasil não registrou casos de contágio da doença. As primeiras pessoas a serem submetidas à quarentena são brasileiros residentes na região de Wuhan cuja repatriação está sendo providenciada.

Isolamento - O projeto define isolamento como a separação de pessoas doentes ou contaminadas ou de bagagens, meios de transporte, mercadorias ou encomendas postais afetadas de outros, de maneira a evitar a contaminação ou a propagação do coronavírus.

Restrição - Já a quarentena é conceituada como a restrição de atividades ou separação de pessoas suspeitas de contaminação das pessoas que não estejam doentes ou de bagagens, contêineres, animais, meios de transporte ou mercadorias suspeitos de contaminação, de maneira a evitar a possível contaminação ou a propagação do coronavírus.

Períodos - Os períodos de duração do isolamento, da quarentena e da situação de emergência serão definidos por ato do Ministério da Saúde. Nesta terça-feira, foi publicada a portaria que formaliza a situação de emergência no País.

Outras medidas - Além do isolamento, da quarentena e da restrição de entrada ou saída do País, o texto prevê a adoção das seguintes medidas em caso de emergência de saúde pública decorrente do vírus: realização compulsória de exames, testes laboratoriais, coleta de amostras clínicas, vacinação e outras medidas profiláticas e tratamentos médicos específicos.

Informação - A pessoa em tratamento terá o direito de ser informada permanentemente sobre o seu estado de saúde e sua família deverá contar com assistência na forma de um regulamento. O tratamento será gratuito.

Novidade - Uma novidade nesse tópico é a incorporação de diretriz do Regulamento Sanitário Internacional que prevê “o pleno respeito à dignidade, aos direitos humanos e às liberdades fundamentais das pessoas”.

Dispensa de licitação - O projeto dispensa a licitação para a compra de bens, serviços e insumos de saúde destinados ao enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do coronavírus. A dispensa é temporária e se aplica apenas ao período de emergência.

Divulgação - Carmen Zanotto complementou seu voto determinando que todas as contratações serão divulgadas em site específico na internet, contendo informações como o nome do contratado, seu CNPJ, o prazo contratual e o valor do contrato.

Requisições - Durante o período emergencial, poderá haver a requisição de bens e serviços de pessoas naturais e jurídicas, hipótese em que será garantido o pagamento de indenização, além de autorização excepcional e temporária para a importação de produtos sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Evidências científicas - Todas as medidas somente poderão ser determinadas com base em evidências científicas e em análises sobre as informações estratégicas em saúde e deverão ser limitadas no tempo e no espaço ao mínimo indispensável à promoção e à preservação da saúde pública.

Item retirado - O único ponto retirado pela relatora é o que previa o dever de informar às autoridades sanitárias qualquer manifestação de sintomas considerados característicos de adoecimento pelo coronavírus. Isso poderia gerar confusão com sintomas de outras doenças, desviando o foco dos casos reais.

Comunicação - Entretanto, as pessoas precisarão comunicar às autoridades sanitárias sobre possíveis contatos com agentes infecciosos do coronavírus e sobre a circulação em áreas consideradas como regiões de contaminação pelo vírus.

Casos - O último boletim da Organização Mundial da Saúde (OMS) registra 20.471 casos confirmados no território chinês, com 426 mortes. A primeira morte fora da China foi registrada no domingo (02/02), nas Filipinas, e o total de países com coronavírus também subiu nesta terça. Agora são 24, além da China. (Agência Câmara)

 

SAÚDE: Incidência aponta situação de alerta para epidemia de dengue

saude 05 02 2020O Paraná registra atualmente 102,08 casos de dengue autóctones por 100 mil habitantes, incidência que confirma situação de alerta de epidemia no Estado. O dado está no boletim que monitora a doença e foi divulgado nesta terça-feira (04/02) pela Secretaria Estadual da Saúde.

Confirmados - O boletim aponta nesta semana 14.697 casos confirmados de dengue. São 3.815 a mais que a semana anterior, que apresentava 10.882. O aumento é de 35,06%. O total de casos notificados é de 49.464, registrados em 309 municípios do Paraná. “Alertamos a todo o paranaense, independente da região de residência, para a necessidade de eliminar os criadouros do mosquito transmissor da doença”, diz o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Focos - “Cerca de 90% dos focos estão nos quintais e pátios e nos ambientes internos das residências e das empresas privadas e públicas. Precisamos do apoio de todos nesta ação de remoção, pois o período de maior transmissão dengue ainda não chegou”, afirma.

Cálculo - O índice infestação é calculado pela regra de três simples: divide-se o número de casos autóctones confirmados pelo número de habitantes e multiplica-se por 100 mil habitantes. No caso do Paraná são 11.585 casos autóctones e 11.348.937 milhões de habitantes, totalizando 102,08 casos por 100 mil habitantes.

Municípios - O boletim mostra que houve aumento, também, no número de municípios em situação de epidemia - eram 34 e agora são 50. Entraram para esta relação Indianópolis, Itaúna do Sul, Mirador, Planaltina do Paraná, Porto Rico, Santo Antônio do Caiuá, São João do Caiuá, São Pedro do Paraná, Terra Rica, Atalaia, Itaguajé, Nossa Senhora das Graças, Presidente Castelo Branco, Santa Fé, Uraí e Porecatu.

Alerta - São 29 os municípios em situação de alerta para dengue, sendo que 15 entraram para a lista a partir do boletim desta terça-feira: Nova Aurora, Engenheiro Beltrão, Altônia, Brasilândia do Sul, Cruzeiro do Oeste, Umuarama, Amaporã, Nova Londrina, Querência do Norte, Maringá, Nova Esperança, Sarandi, Andirá, Rancho Alegre, e Arapuã.

Força-tarefa - “O Governo do Estado realiza uma grande força-tarefa por meio do Comitê Intersetorial de Controle da Dengue, em funcionamento desde o ano passado, e vem promovendo ações em todo o Paraná, em parceria com municípios e entidades da sociedade civil”, explica o secretário Beto Preto.

Mutirões - “Foram realizados mutirões de limpeza com orientação técnica para a remoção de focos, palestras de orientação sobre medidas preventivas e capacitação de mais de 1.200 profissionais sobre manejo clínico da doença, nas regiões de Londrina, Maringá, Paranavaí e Campo Mourão”, informa.

Capacitação - Na próxima semana, de 11 a 14 de fevereiro, a capacitação sobre manejo clínico da dengue para médicos, enfermeiros e profissionais da saúde será ministrada pelos técnicos da Secretaria da Saúde nas regiões de Jacarezinho, Cornélio Procópio e Cianorte. (Agência de Notícias do Paraná)

 

INTERNACIONAL: Após Brexit, Reino Unido convida Brasil a discutir relação comercial

internacional 05 02 2020O Reino Unido não esperou nem três dias fora da União Europeia (UE) para já convidar o Brasil e outros grandes parceiros a discutir em Genebra o futuro das relações comerciais bilaterais nas próximas semanas, conforme o Valor apurou.

Demandas - Enquanto os britânicos já se mobilizam, a União Europeia continua tentando ignorar demandas do Brasil e de outros exportadores agrícolas por compensações. É que, com a saída do Reino Unido do mercado comum, Bruxelas reduziu as cotas (com tarifa menor).

Interesse - O Brasil tem interesse forte na questão, com várias cotas na UE, principalmente para açúcar, carnes bovina e de frango, envolvendo negócios de dezenas de milhões de dólares.

Saída formal - O Reino Unido saiu formalmente na sexta-feira da UE e agora precisa redefinir as modalidades de sua relação com o bloco europeu e com os outros parceiros. Até o fim deste ano o Reino Unido continua seguindo todas as regras e procedimentos da UE como no passado, de forma que não haverá até dezembro nenhum impacto em função do Brexit.

Perda dos benefícios - Mas, a partir de janeiro de 2021, terminado o período de transição, Londres deixa de se beneficiar das condições especiais de acesso obtido pela UE em acordos comerciais com bom número de países. Se quiser manter acesso preferencial, os britânicos vão negociar com os países com os quais a UE tem acordos.

Plano - O plano do primeiro-ministro Boris Johnson é de ter 80% do seu comércio coberto por acordos de livre comércio em três anos. Johnson se coloca como campeão do liberalismo face aos “protecionistas que ganham terreno de Bruxelas à China, passando por Washington”.

Discussão principal - A discussão principal é com a própria UE e o confronto continua. Johnson insiste que não vê necessidade de um acordo comercial que suponha a aceitação de regras da UE sobre concorrência, subsídios, proteção social, meio-ambiente. Já Bruxelas diz que ou respeita suas regras ou não há acordo ambicioso como Londres quer.

Problema - Ao Valor, o diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo, observou que o maior problema do Brexit é, portanto, ainda a incerteza sobre que vai acontecer no fim do período de transição, em dezembro. “Isso faz com que as empresas tanto em serviços como bens sejam cautelosas e façam apostas mais modestas na capacidade de produção”, disse.

Crescimento menor - Para Azevêdo, pelo menos nos primeiros momentos do Brexit “o crescimento econômico na Europa e no Reino Unido poderá ser um pouco contido”. Ou seja, não é que a economia vai desacelerar, mas não será tão robusta quanto poderia ser em condições normais.

Cuidado - O cenário exige cuidado, ainda mais quando, como diz o diretor da OMC, “o que vem acontecendo já com essas guerras comerciais e tensões geopolíticas é uma desaceleração dos investimentos globalmente. E quando o investimento desacelera, desacelera o comércio também automaticamente”.

Discurso - Nesta terça-feira (04/02), o embaixador do Reino Unido junto à OMC, Julian Braithwaite, fez pela primeira vez um discurso na entidade. É que antes nas reuniões só quem falava era o representante da Comissão Europeia. Os Estados membros da UE não podem se pronunciar, exceto em reuniões de orçamento.

Lugar separado - O Reino Unido tem agora um lugar separado para ocupar nas reuniões na OMC, entre os Estados Unidos e os Emirados Árabes Unidos. (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


RODAPE