Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4860 | 08 de Julho de 2020

DIA C I: Aline Castro fala como lidar com a ansiedade em tempos de mudanças e incertezas

A palestra com a jornalista, coach, e mestre em inteligência emocional, Aline Castro, foi o destaque da live desta terça-feira (07/07), dentro da programação da Semana da Cooperação promovida pelo Sistema Ocepar, em continuidade às comemorações do Dia Internacional do Cooperativismo e do Dia C – Dia de Cooperar. O evento, com transmissão ao vivo pela TV Paraná Cooperativo, está sendo comandado pelo palhaço Alípio e conta com interpretação na linguagem de sinais Libras, feita pelo profissional Ivan de Souza.

Sobre a palestrante - Aline Castro é mestre em inteligência emocional e possui ainda outras formações no Brasil, Estados Unidos e Índia, nas áreas da psicologia, comportamento e neurociência. Ela é jornalista, viveu na Alemanha, foi correspondente na Itália e repórter da TV Globo no Rio de Janeiro. Hoje, a Aline é professora da FGV, faz treinamentos e palestras em organizações.

Mudanças e incertezas - Diante da pandemia, as pessoas precisam se acostumar a um novo normal e isso tem gerado muita ansiedade. “O que fazer para não enlouquecer nesse cenário? Meu objetivo hoje é estabelecer algumas estratégias e também transmitir um pouco do conhecimento que venho absorvendo nesses últimos 10 anos do meu trabalho”, disse Aline. “Antes, como jornalista, eu contava histórias. Hoje, eu entendo como as histórias são estruturadas na nossa cabeça e como a gente faz para mudar essas histórias da nossa vida, quando a gente trata de padrões negativos, repetitivos, que machucam a gente e machucam outros. Acredito que o nosso papo de hoje vai ajudar você a ter mais clareza de como a gente se estrutura como líderes melhores, como seres humanos melhores, seja pai, mãe, filhos, irmãos, amigos melhores”, comentou. Confira alguns trechos da fala de Aline Castro na live de ontem:

Cooperativismo - “Fico sempre feliz em falar com o público das cooperativas porque é como voltar um pouco para casa. Nasci no interior do Paraná, então, desde criança estou envolvida nessa lógica dos princípios cooperativistas. E eu acredito muito nisso. Acredito que a nossa sociedade deve evoluir para sistemas mais colaborativos de organização social e as cooperativas vêm na vanguarda disso”.

Ansiedade - “Este formato do evento de hoje já é uma resposta à questão de como que o mundo pode lidar com as mudanças que devem vir pela frente. E algumas vem para ficar. Um exemplo é a educação remota. A ansiedade surge muito em cenários de incertezas. A ansiedade e depressão já são duas das doenças mais medicadas da humanidade. Um relatório da Organização Mundial da Saúde apontou o Brasil, no ano passado, como o país mais ansioso do planeta. Por aqui, quase 10% da população se medida por algum transtorno de ansiedade. E isso é muito fruto do momento que estávamos vivendo, do uno inadequado das tecnologias.”

A sociedade do conhecimento - “Estamos num processo de transição. O mundo está mudando e estamos sentindo os efeitos disso. Estamos numa transição de uma sociedade industrial para uma sociedade do conhecimento. Numa sociedade industrial, as coisas eram mais simples, as mudanças demoravam mais para acontecer. E na sociedade do conhecimento, essa mudança é complexa, veloz, imprevisível. Exige que a gente se reinvente muito, e isso gera muita ansiedade. Os teóricos chamam esse mundo de VUCA, uma sigla em inglês para um mundo que é volátil, incerto, complexo e ambíguo”.

Assuma a autorresponsabilidade - “A autorresponsabilidade é a grande chave da inteligência emocional. É ter autoconsciência, assumir o comando da nossa vida, tomar conta dos nossos assuntos, no lugar de ficar preocupado com aquilo que os outros pensam de nós ou aquilo que vai acontecer no mundo, e que é alheio a gente. Para assumir isso, com verdade e crescimento, é preciso ter humidade de compreender que a gente entende muito pouco a respeito do mundo. A gente tem a mania de achar que é o dono da verdade, que o nosso jeito de fazer as coisas é o melhor. Mas tem que ter humidade de saber que pouco sei”.

Live completa - Para conferir tudo o que a Aline Castro disse que sobre as incertezas que estamos vivendo e como lidar com tudo isso, acesse o Canal TV Paraná Cooperativo no Youtube. Aproveita e ativa o sininho, se inscreve no canal.

Matéria de rádio - A palestra também é pauta da Rádio Paraná Cooperativo. O trecho destacado na matéria aborda a importância do cuidado consigo próprio. “A gente não dá aquilo que não tem”, destaca Aline Castro.  Ouça aqui.

Programação - A Semana da Cooperação se estende até sexta-feira (10/07), com apresentações culturais e ações solidárias realizadas pelas cooperativas paranaenses para marcar o Dia C. Na quinta-feira (09/07), o professor José da Paz Cury será o palestrante do dia. Ele vai discorrer sobre “Cooperativismo, a moeda do terceiro milênio”, também às 14h. Cury é formado em Administração de Empresas, atua como palestrante e consultor nas áreas de Desenvolvimento Humano, Cooperativismo, Associativismo, Sindicalismo e Remuneração. Há mais de 40 anos tem se dedicado a cuidar dos talentos humanos nas empresas e já atuou em mais de 800 organizações de todo o país, contemplando 150 mil pessoas ao longo desse período.

{vsig}2020/noticias/07/08/dia_c_live/{/vsig}

DIA C II: A pandemia está mostrando que cooperar faz bem, diz secretário Norberto Ortigara

dia c II 08 07 2020O secretário estadual da Agricultura do Paraná, Norberto Ortigara, participou da live desta terça-feira (07/07) da Semana da Cooperação do Sistema Ocepar. As lives estão sendo transmitidas pelo Canal TV Paraná Cooperativo no Youtube. O objetivo é destacar as ações solidárias das cooperativas paranaenses inscritas no Dia C – Dia de Cooperar, movimento nacional em prol do voluntariado. Ouça aqui

 

DIA C III: Cooperativismo mudou a história do Paraná no último século

dia C III 08 07 2020O Sistema Ocepar realizou, nesta terça-feira (07/0), a segunda live da Semana da Cooperação. Transmitida pelo Canal TV Paraná Cooperativo, o evento faz parte das celebrações do Dia C - Dia de Cooperar no Estado. Representando a entidade, Flávio Turra, gerente de Desenvolvimento Técnico, destacou o que as cooperativas representam nas comunidades onde atuam, tanto do ponto de vista econômico, como social. Ouça aqui

 

DIA C IV: Semana da Cooperação prossegue com mais atrações

 

Nesta quarta-feira (08/07) prosseguem as atividades da Semana da Cooperação, que estão sendo transmitidas em tempo real pela TV Paraná Cooperativo. O palhaço Alípio estará mais uma vez no comando do evento, divertindo o público e apresentando as atrações culturais, os depoimentos e as ações solidárias que estão sendo promovidas pelas cooperativas paranaenses dentro das celebrações do Dia C – Dia de Cooperar. Segundo o Painel do Bem divulgado nesta terça-feira (07/07), no Paraná, a mobilização conta atualmente com a participação de 195 cooperativas paranaenses dos sete ramos, em 544 ações, envolvendo 36.804 voluntários, 783.352 pessoas beneficiadas e R$ 6,5 milhões investidos. O Dia C é um movimento nacional coordenado pelo Sistema OCB que visa estimular o voluntariado e a construção de um mundo melhor, por meio de atitudes simples mas que fazem a diferença nas comunidades onde as cooperativas estão inseridas.

 

Promoção - A Semana da Cooperação é uma promoção do Sistema Ocepar em comemoração ao Dia Internacional do Cooperativismo, celebrado no sábado (04/07) e ao Dia C. A programação se estende até sexta-feira (10/07). Uma das atrações desta quinta-feira (09/07) é a live com José da Paz Cury. Ele vai discorrer sobre “Cooperativismo, a moeda do terceiro milênio”, também às 14h. Cury é formado em Administração de Empresas, atua como palestrante e consultor nas áreas de Desenvolvimento Humano, Cooperativismo, Associativismo, Sindicalismo e Remuneração. Há mais de 40 anos tem se dedicado a cuidar dos talentos humanos nas empresas e já atuou em mais de 800 organizações de todo o país, contemplando 150 mil pessoas ao longo desse período.

 

dia c I 07 07 2020

 

COVID-19: Confira o comunicado 70 emitido pelo Comitê de Acompanhamento

covid 19 II destaque 08 07 2020O Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar divulgou o comunicado 70, na manhã desta quarta-feira (08/07), informando sobre atividades realizadas pelo cooperativismo paranaense, entre as quais, as ações comemorativas ao Dia C. Entre os destaques também está a publicação da lei que institui o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. Confira abaixo. 

1. O Sistema Ocepar, em conjunto com as cooperativas paranaenses, organizou diversas ações nesta semana, de 6 a 10 de julho, das 14h às 15h, para apresentar e demostrar a força do cooperativismo, em comemoração ao Dia de Cooperar. Acompanhe pelo canal youtube.com/sistemaocepar.

 

2. No dia 7 de julho, o Sistema Ocepar realizou Reunião da Autogestão de forma virtual, com a cooperativa Unimed Cascavel, contando com a participação do presidente, diretores e gestores.

 

3.O Governo Federal, publicou a Lei nº 14.020, no dia 6 de julho, que institui o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda; dispõe sobre medidas complementares para enfrentamento do estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, e da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus, de que trata a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020; altera as Leis n os 8.213, de 24 de julho de 1991, 10.101, de 19 de dezembro de 2000, 12.546, de 14 de dezembro de 2011, 10.865, de 30 de abril de 2004, e 8.177, de 1º de março de 1991. Para acessar, clique aqui.

 

4. No dia 7 de julho, o Sistema Ocepar participou da reunião virtual com os representantes do Conselho de Desenvolvimento e Econômico do PR – CEDES, para tratar assuntos de interesse do cooperativismo.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa).

 

EDUCAÇÃO: Academia de Línguas do Paraná abre inscrições para cursos online

educacao 08 07 2020A Academia de Línguas do Paraná, cooperativa de professores de idiomas, está com as inscrições abertas para cursos online de sete línguas para este segundo semestre. Em dois módulos de duração – 45 horas e 30 horas, com valor de R$ 675,00 e R$ 450,00, respectivamente -, os cursos abrangem desde níveis iniciais aos avançados e estão disponíveis para alunos de qualquer região do país. São oferecidos cursos de Inglês, Espanhol, Francês, Alemão, Italiano, Japonês e Russo. As turmas terão no máximo dez estudantes. As matrículas estão abertas até o dia 11 de julho e as aulas terão início na próxima segunda-feira (13/07). A Academia também abriu um edital de bolsas de estudo. 

Acessíveis - “Pelo fato de sermos uma cooperativa que reúne professores, os valores dos nossos cursos são muito mais acessíveis se comparados a outras escolas de idiomas, pois a cooperativa não gera lucros, todo o valor pago pelos alunos é usado para a manutenção da nossa cooperativa e o restante repassado aos professores. Isso nos permite agregar professores altamente qualificados e com muita experiência, todos em torno de um projeto comum”, explica Germano Pestana, diretor da Academia de Línguas do Paraná.

Praticidade - Sobre o formato dos cursos, o diretor da Academia pondera que, mesmo online, "são 100% interativos, como em uma sala de aula física”, com a vantagem de o estudante permanecer no conforto de sua casa. E informa que os alunos que já têm algum conhecimento da língua poderão fazer um teste de nivelamento para encontrar a turma mais adequada ao seu nível. Para se inscrever ou obter informações sobre turmas e horários disponíveis basta acessar https://www.academiadelinguaspr.com.br/cursosonline.

Bolsas - Pestana informa ainda que, confirmando o compromisso com a democratização do ensino de idiomas, a Academia de Línguas do Paraná abriu também um edital de bolsas para pessoas que se autoidentificam como pretas, pardas ou indígenas, transsexuais ou com renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio. Mais informações no link: https://www.academiadelinguaspr.com.br/bolsas.

 

DIA INTERNACIONAL: ONU divulga mensagem para cooperativas

dia internacional 08 07 2020Por ocasião do Dia Internacional das Cooperativas, celebrado anualmente, sempre no primeiro sábado do mês de julho, o Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, divulgou uma mensagem destinada às cooperativas do globo. Desde 1995, ano de comemoração do centenário da Aliança Cooperativa Internacional (ACI), a data, que já era comemorada desde 1923, passou a ser observada também pela ONU, no calendário oficial de seus 193 estados-parte. Confira abaixo:

MENSAGEM DO DIA INTERNACIONAL DE COOPERATIVAS

4 de julho de 2020

A pandemia de covid-19 e a emergência climática revelaram a fragilidade de nossas sociedades e de nosso planeta. Essas duas crises estão afetando desproporcionalmente os países e as pessoas mais vulneráveis do mundo e aprofundando muito os abismos sociais e econômicos. Elas também evidenciam a necessidade de fortalecer a cooperação e a solidariedade globais.

O tema do Dia Internacional das Cooperativas deste ano destaca a contribuição das cooperativas para enfrentar esses desafios, alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e abrir caminho para um futuro inclusivo e equitativo.

Enraizadas nos princípios de atendimento à comunidade, auto-gestão, democracia, promoção de empregos decentes e proteção do meio ambiente, as cooperativas estão bem posicionadas para ajudar a acelerar a ação em nossos compromissos. As cooperativas e outras empresas de economia social e solidária também podem apontar o caminho para a resiliência em tempos de crise.

Que este Dia Internacional sirva como um lembrete do importante papel das cooperativas na promoção da solidariedade neste momento de teste extraordinário para a família humana.

António Guterres

Secretário-Geral da Organização das Nações Unidas

(OCB)

 

CRÉDITO: Ministério do Turismo publica edital para Fungetur

turismo 08 07 2020O Ministério do Turismo (MTUR) publicou nesta terça-feira (07/07) edital para credenciamento de novas instituições financeiras públicas e privadas, inclusive cooperativas de crédito, que queiram ofertar financiamentos com recursos do Fundo Geral de Turismo (Fungetur).

Pleito - Conforme já havíamos adiantado, a medida atendeu a pleito feito pela OCB ao MTUR após o governo ter ampliado os recursos do programa para atender o setor de turismo, especialmente afetado pela atual pandemia do coronavírus. "Essa é uma medida que atende a um pleito nosso, feito ao Ministério do Turismo, logo no começo do ano, e que intensificamos após o governo ter ampliado os recursos do programa para atender o setor de turismo, especialmente afetado pela atual pandemia do coronavírus", comemorou a gerente geral da OCB, Tânia Zanella, afirmando que, a partir de agora, as coops de crédito devem se organizar para atuar na oferta desse crédito.

Exigências - As cooperativas de crédito interessadas precisam estar em dia com as obrigações da Lei Complementar nº 130/2009, bem como da Resolução nº 4.763/2009, do Banco Central, além de atenderem às demais exigências do edital.

Documentação - A documentação apresentada pelas instituições financeiras será analisada pelo MTUR em até cinco dias úteis, após a confirmação de entrega e, estando aptas, serão convocadas pelo Ministério a assinar o contrato administrativo de forma eletrônica do SEI no prazo de até cinco dias.

Links importantes- Para acessar o edital e seus anexos, acesse: http://www.turismo.gov.br/fungetur.html. (OCB)

 

C.VALE: Frigorífico da Plusval entra em operação em Umuarama

Entrou em operação, nesta quarta-feira (08/07), o frigorífico da Plusval em Umuarama (PR). O empreendimento é uma iniciativa da C.Vale e da Pluma Agroavícola, que investiram R$ 60 milhões na reforma e aquisição de novos equipamentos para a indústria. A planta industrial havia sido desativada em 2016 pela Averama.

Cerimônia - A cerimônia, realizada na manhã desta quarta, reuniu poucas pessoas devido à pandemia de coronavírus. Estiveram presentes o presidente da C.Vale e Plusval, Alfredo Lang, o vice da Plusval, Lauri Paludo, e o irmão e sócio Adriano Paludo.

Atividades - No primeiro dia de atividades, a programação prevê o abate de cinco mil frangos, mas nos próximos meses o número deve subir para 60 mil aves/dia. Conforme Lang, a indústria começa empregando 550 funcionários. O frango da Plusval será comercializado com a marca Levo. (Imprensa C.Vale)

{vsig}2020/noticias/07/08/cvale/{/vsig}

UNIPRIME PIONEIRA: Cooperativa realiza AGO de forma virtual

uniprime pioneira 08 07 2020Pela primeira vez em sua história, que soma 24 anos de atuação no Oeste do Paraná, a cooperativa de crédito Uniprime Pioneira realizou de forma virtual sua Assembleia Geral Ordinária (AGO). O encontro aconteceu no dia 30 de junho e reuniu 168 cooperados, que acompanharam a transmissão ao vivo.

Coronavírus - O novo formato foi adotado pela singular junto ao Sistema Uniprime como forma de evitar a propagação do novo coronavírus entre a população, já que a AGO presencial - que seria realizada em 6 de abril - foi cancelada devido ao cenário atual causado pela pandemia. Apesar da novidade, o objetivo do evento se manteve: proporcionar aos cooperados a oportunidade de conhecer as ações e resultados da cooperativa referentes ao exercício de 2019. Além disso, os cooperados inscritos votaram sobre as opções de destinações para este ano e os votos foram computados simultaneamente e em tempo real. A exemplo da aprovação da criação de um fundo de contingência para a Covid-19, como forma de a cooperativa se precaver aos possíveis cenários pós-pandemia.

Desafios - O presidente da Uniprime Pioneira, o médico Orley Campagnolo, falou sobre os desafios de conduzir uma assembleia virtual pela primeira vez. “Estamos estreando nessa modalidade virtual e esperamos ter atingido o objetivo de informar sobre as nossas ações aos cooperados, cumprindo com essa missão de realizar a AGO. Espero que essa experiência tenha sido útil para o Sistema e que possamos usá-la em outras ocasiões também”, avaliou e complementou, “a Uniprime não agrega somente renda aos cooperados, mas sim valores”.

Resultados - Em 2019, a Uniprime Pioneira obteve o maior resultado de sua trajetória, atingindo R$ 12,5 milhões de resultado, o que representa um crescimento de 48% em relação ao ano de 2018. Outro destaque do período foi a inauguração da agência na cidade de Mundo Novo (MS).

Além do esperado - O presidente enalteceu que a cooperativa alcançou números além do esperado, ampliando as receitas e o volume de negócios. “2019 foi um ano excepcional para a Uniprime Pioneira. Tivemos o maior resultado de nossa história. Fruto de árduo trabalho não só na geração de receitas provenientes de operações de crédito, como também no aumento da receita com produtos e serviços, redução de provisões e aumento na recuperação de créditos”, frisou. (Imprensa Uniprime Pioneira)

 

SICREDI: Plataforma digital criada para apoiar produtores durante a pandemia está disponível gratuitamente até 30 de julho

sicredi 08 07 2020A plataforma de ferramentas digitais criada pelo Sicredi em parceria com a Bayer, Orbia e o AgTech Garage para ajudar produtores rurais a atravessarem a crise gerada pela pandemia de Covid-19 ficará disponível gratuitamente por mais 30 dias. O prazo, que seria encerrado em junho, foi prorrogado até o dia 30 de julho porque o período atual ainda é desafiador para a cadeia agrícola.

Desafio - A plataforma, hospedada no site da empresa parceira Orbia, é resultado do “Desafio Covid-19: soluções digitais para o agronegócio” iniciativa lançada em abril deste ano para reunir startups brasileiras com soluções digitais confiáveis e de alto impacto que pudessem contribuir para a produção e distribuição de alimentos para a população, garantindo o funcionamento da cadeia agrícola durante a fase de distanciamento social.

Soluções - O espaço reúne 19 soluções que influenciam na rentabilidade do negócio, digitalizam processos, apoiam o planejamento de compra e venda de produtos agrícolas, ajudam no controle de pragas, no monitoramento das plantações e impulsionam vendas online. Além disso, a iniciativa é uma forma de aproximar os produtores rurais do mundo digital, que tem muito a contribuir com o desenvolvimento do agronegócio brasileiro.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros www.sicredi.com.br.

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Sobre o AgTech Garage - O AgTech Garage é um dos principais hubs de inovação do Agronegócio a nível mundial. Em parceria com empresas líderes nos seus segmentos, é protagonista de uma nova dinâmica da inovação no Agro: aberta, em rede, colaborativa e ágil. As iniciativas do AgTech Garage promovem a conexão entre grandes empresas, startups, produtores, investidores, academia, entre outros atores do ecossistema de inovação e empreendedorismo do Agro, para desenvolver soluções tecnológicas que aumentem a sustentabilidade e competitividade do agronegócio brasileiro. Para conhecer mais, acesse: https://www.agtechgarage.com/

Sobre a Bayer - A Bayer é uma empresa global focada em Ciências da Vida nas áreas de saúde e nutrição. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para beneficiar pessoas apoiando-as para superar os maiores desafios apresentados pelo crescimento e envelhecimento populacional. Além disso, a companhia visa criar valor por meio da inovação e crescimento. A Bayer é comprometida com os princípios do desenvolvimento sustentável e a marca Bayer representa confiança, credibilidade e qualidade ao redor do mundo. No ano fiscal de 2019, com cerca de 104 mil colaboradores, obteve vendas de € 43.5 bilhões. Os investimentos totalizaram € 2,9 bilhões e as despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 5,3 bilhões. Para mais informações, acesse www.bayer.com.br.

Sobre a Orbia - A Orbia é a plataforma de tudo e para todos do agronegócio. Queremos que os produtores, vendedores e distribuidores encontrem aqui as oportunidades para prosperarem ainda mais. Por isso, oferecemos um modelo de negócios inovador, inclusivo e disruptivo que acompanha toda a jornada da produção e conecta o agricultor a uma rede para facilitar seus processos: a compra de insumos via marketplace, a troca de pontos e resgate de benefícios e, por fim, a venda de produção e acesso ao crédito. Tudo de maneira fácil, transparente e segura. Para mais informações, acesse www.orbia.ag. (Imprensa Sicredi)

 

SICREDI PLANALTO DAS ÁGUAS: Associado é premiado com sorteio do Seguro de Vida em Santa Maria do Oeste

sicredi planalto aguas 08 07 2020O Seguro de Vida do Sicredi premiou mais um associado, dessa vez da cidade de Santa Maria do Oeste (PR), área de atuação da Cooperativa Sicredi Planalto das Águas PR/SP. A promoção, cujo sorteio ocorre pela Loteria Federal, premiou Jailton Rodermel de Siqueira, com o valor de R$ 50 mil.

Alegria - A entrega simbólica foi realizada com todos os cuidados, seguindo os protocolos de segurança, na agência Sicredi do município, na terça-feira (07/07). O associado disse que o prêmio veio em boa hora e o recebeu com grande alegria. “Realmente não esperava ser contemplado. Fiz o seguro de vida pensando no bem estar da minha família, mas este recurso extra ajudará muito nesse momento”, comentou ele.

Estímulo - A ação estimula os associados a se prevenirem contra imprevistos no futuro e oferece chances semanais de ganhar. Para o diretor de negócios da Sicredi Planalto das Águas PR/SP, Eric Ranullfo Martins, oferecer serviços que atendam às necessidades e anseios dos Associados é um dos objetivos do Sicredi. “Temos o comprometimento em disponibilizar serviços de qualidade que beneficiam nossos associados, tanto com o seguro de vida como com as demais soluções do Sicredi”.

Satisfação - Segundo o presidente da cooperativa Sicredi Planalto das Águas PR/SP, Adilson Primo Fiorentin, é uma grande satisfação quando um associado é contemplado. “A mesma realização que a pessoa tem ao receber o prêmio, nós também temos ao entregá-lo. É uma alegria muito grande para nós podermos oferecer soluções financeiras e disponibilizar benefícios aos nossos associados”, concluiu.

Benefícios - O seguro de vida tem vários benefícios como seguro viagem, descontos em consultas médicas e farmácias, assistência nutricional e sorteios, além das tradicionais coberturas. Destacando também que as indenizações são para casos de morte, invalidez, acidentes entre outros.

Mais - Para saber mais informações sobre os Seguros de Vida e demais seguros oferecidos pelo Sicredi, acesse: https://www.sicredi.com.br/html/para-voce/seguros/. (Imprensa Sicredi Planalto das Águas PR/SP)

 

SICOOB: Aplicativo oferece soluções educacionais para cooperados

sicoob 08 07 2020Desde dezembro de 2019, o Sicoob Universidade - núcleo do sistema de cooperativas financeiras do Brasil dedicado à área de ensino - ampliou sua atuação no aplicativo Sicoob Moob. Cooperados e colaboradores agora têm acesso a 27 soluções educacionais diretamente por meio de app.

Temas variados - Os materiais disponíveis, desenvolvidos pela própria Sicoob Universidade em parceria com Uol Edtech, Banco Central e FGCoop, abordam temas variados voltados ao cooperativismo. Um dos destaques é a solução de Governança Corporativa, cujo objetivo é capacitar os conselheiros e cooperados para zelar pela transparência e por boas práticas de gestão das cooperativas do Sicoob.

Delegados - Outro importante tema abordado no Sicoob Moob é a Formação para Representantes Delegados, que tem por objetivo a capacitação de cooperados para uma participação mais ativa nas atividades de suas cooperativas.

Outras abordagens - Além de seis conteúdos sobre o Sicoob, as outras 21 soluções abordam aspectos como liderança, gestão de pessoas e planejamento de carreira. "O Moob é uma ferramenta completa para conectar os cooperados e criar uma comunidade virtual em que eles aprendem, discutem e se desenvolvem cada vez mais. Trata-se de um canal importante para demonstrar a importância da cooperação na sociedade brasileira", afirma Ênio Meinen, diretor do Centro Cooperativo Sicoob.

Participação remota - Além da nova função educativa, o Sicoob Moob oferece aos cooperados a possibilidade de participar remotamente dos eventos do Sistema, acompanhar a saúde financeira de sua cooperativa e interagir com outros cooperados. Lançado em agosto de 2019, o aplicativo tem apresentado expansões frequentes desde então, reduzindo distâncias e contribuindo para a promoção da justiça financeira e da prosperidade em todas as regiões do Brasil.

Serviço - O Sicoob Moob (http://www.sicoob.com.br/web/sicoob/app-moob) está disponível para Android e iOS.

Sobre o Sicoob - O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil, Sicoob, possui 4,7 milhões de cooperados em todo o país e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 390 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas/entidades de: meios eletrônicos de pagamento, consórcios, DTVM, seguradora e previdência) provedoras de produtos e serviços especializados para cooperativas financeiras. A rede Sicoob é a quarta maior entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 3 mil pontos de atendimento. As cooperativas integrantes do Sistema oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras. Mais informações acesse: www.sicoob.com.br. (Imprensa Sicoob)

 

SICOOB MERIDIONAL: Campanha arrecada toneladas de alimentos

Neste período de pandemia todo cuidado é necessário e toda ajuda é bem-vinda. Por isso, entre os dias 1º e 30 de junho, o Sicoob Meridional promoveu uma campanha para arrecadar alimentos para as famílias e entidades mais necessitadas.

Ação - Chamada “Cooperação Solidária”, a ação aconteceu em diversas cidades do Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo onde a cooperativa tem agências. Ao todo, foram arrecadadas mais de 17 toneladas de alimentos e mais de R$ 27 mil. Para beneficiar ainda mais pessoas, o Sicoob Meridional dobrou a quantidade arrecadada e investiu mais de R$ 50 mil na comunidade.

Estímulo - Segundo a presidente, Solange Martins, o objetivo da campanha era estimular os associados a cooperarem com a comunidade em parceria com a singular, especialmente neste momento de tantas incertezas. “Esse resultado foi fruto do engajamento de todos os colaboradores e cooperados da cooperativa, que prontamente aderiram à campanha e deram seu máximo para que obtivesse êxito”, explica.

Comprometimento - A gerente da agência de Caxias do Sul (RS), Carina Slongo, conta que desde o início da campanha todos os colaboradores se sensibilizaram e, com isso, se comprometeram com as 85 famílias amparadas pelo Centro Assistencial Portal da Luz. “Com esforço, sensibilizamos também os cooperados para nos ajudarem. Junto conosco, eles fizeram com que nossa campanha tomasse essa proporção”, reforça.

Cooperação - De acordo com o diretor-superintendente, Gilberto José Albarello, com a união de todos a cooperativa deu mais uma vez a demonstração que a cooperação é o caminho e que as suas comunidades atendidas são fortalecidas em cada ação realizada.

Agradecimento - “Parabéns para todos que fizeram o sucesso desta campanha. Todos entraram junto com doações particulares, em especial a nossa presidente Solange, que autorizou que a cada quilo de alimento arrecadado, mais um seria doado pela cooperativa. E claro, nossos agradecimentos especiais aos cooperados, que se demonstraram solícitos à nossa campanha”, ressalta. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2020/noticias/07/08/sicoob_meridional/{/vsig}

SOJA: Metodologia que determina potássio a campo será tema de live na AgroBrasília

A Embrapa Soja irá apresentar relevantes tecnologias para o sistema produtivo da cultura soja, por meio de cinco palestras e uma live, durante a Feira Internacional dos Cerrados – AgroBrasília, que será realizada de 6 a 13 de julho, em formato digital. No dia 10 de julho, às 16h, o pesquisador Adilson de Oliveira Jr, da Embrapa Soja, irá conduzir a live sobre o Fast-K: tecnologia para determinar a concentração de potássio em soja em condições de campo. Faca sua inscrição e receba o link da transmissão. https://www.sympla.com.br/fast-k---determinacao-de-potassio-na-cultura-da-soja-em-campo__897396

Potássio - De acordo com Oliveira Jr, o potássio (K) é o segundo nutriente mais exigido e também o segundo mais exportado pela cultura da soja. Esta alta exportação (cerca de 20 kg/ha de K2O para cada tonelada de grãos) pode levar à redução da disponibilidade de K no solo, caso os produtores não reapliquem quantidades de fertilizantes potássicos compatíveis com as exportadas.

Ferramenta - O Fast-K é uma ferramenta rápida para a avaliação do teor de K nas folhas de soja. O método permite corrigir possíveis deficiências nutricionais com agilidade, sendo uma interessante alternativa de diagnóstico em comparação as atuais análises laboratoriais de rotina, que são mais demoradas. Porém, estas análises continuam sendo importantes para a avaliação dos demais nutrientes. A proposta da tecnologia é melhorar o manejo nutricional da soja, de acordo com o pesquisador. “Ao realizar o teste foliar no campo, a assistência técnica ganha tempo para tomar as decisões mais acertadas em relação à correção da deficiência de potássio ainda na safra em curso, uma vez que o potássio tem influência direta na produtividade”, detalha o pesquisador. Mais informações www.embrapa.br/soja/fast-k.

Como funciona o Fast-K - A primeira etapa do método Fast-K envolve a coleta de cinco a dez folhas de soja. A amostragem deve representar a condição média do talhão, ou ainda, contrastando condições e plantas com e sem sintomas, em áreas com suspeita de deficiência de potássio.

Fase mais indicada - A fase de desenvolvimento mais indicada para a amostragem é a mesma da diagnose nutricional padrão (pleno florescimento/início de formação das vagens: estádio R2/R3). “No entanto, para aumentar o espectro de amostragem, a metodologia foi calibrada também para as fases de formação de vagens (R4) e início de enchimento de grãos (R5.1 a R5.3)”, explica o pesquisador da Embrapa.

Pesadas - Após a coleta, as folhas precisam ser pesadas (1,5 a 2,5 g de folhas recém- amostradas) em balança portátil (precisão de 0,1 g e capacidade máxima de 500g). Posteriormente, serão maceradas com uma pequena quantidade de água para se obter uma massa fresca que será passada por um filtro de papel.

Medidor - A solução líquida obtida será inserida em um aparelho chamado “medidor portátil de íons” (Horiba Laqua twin® ou similar), equipamento capaz de fazer a leitura e determinar a concentração de potássio em amostras líquidas. O detalhamento da metodologia pode ser acessado no hotsite.

Estados nutricionais - O Fast-K pode indicar três estados nutricionais das plantas: 1) deficiência; 2) “fome oculta” (perda de produtividade sem expressar o sintoma de deficiência); e 3) níveis adequados. “A partir do diagnóstico obtido é possível definir as estratégias de manejo nutricional da lavoura, ainda na safra corrente”, afirma Oliveira Júnior.

Interpretação - A interpretação dos resultados da análise é feita comparando-se os teores das amostras obtidas a campo com os valores-padrão calculados pela pesquisa a partir de plantas cultivadas com e sem restrições quanto à disponibilidade de potássio. Assim é possível interpretar o valor determinado como “deficiente ou adequado”.

Adubação - Os especialistas da Embrapa Soja preconizam que a adubação com potássio deve ser bem planejada, visando atender a alta exportação desse nutriente na cultura da soja. A recomendação é que a aplicação seja realizada no sulco de semeadura, desde que a dose aplicada seja inferior a 50 kg/ha de K2O. (Assessoria de Comunicação da Embrapa Soja)

{vsig}2020/noticias/07/08/soja/{/vsig}

CONAB: Produção de grãos deve chegar a 251,4 milhões de toneladas impulsionada pelo milho e soja

conab 08 07 2020A produção brasileira de grãos deverá ser de 251,4 milhões de toneladas na safra 2019/2020. O desempenho recorde na agricultura deve-se, principalmente, às colheitas de soja e milho, responsáveis por cerca de 88% da produção. Os dados constam no 10º Levantamento de Grãos realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e divulgado nesta quarta-feira (08/07).

Maior colheita - Nesta safra, a Conab estima a maior colheita já registrada para a oleaginosa, com uma produção de 120,9 milhões de toneladas. O bom resultado foi obtido, apesar dos problemas climáticos registrados principalmente no Rio Grande do Sul, com registro de produtividade média nacional maior que a da safra passada. O reflexo da boa produção pode ser visto nas exportações do produto. No primeiro semestre deste ano o país exportou 60,3 milhões de toneladas do grão, aumento de 38% em comparação com o mesmo período do ano passado. A elevação da cotação do dólar frente ao real contribuiu para esse número, aumentando a competitividade do produto brasileiro no mercado internacional. A soja e os demais produtos do agronegócio contribuíram para um saldo de aproximadamente US$ 36 bilhões de dólares na balança comercial, algo em torno de R$ 190 bilhões.

Milho - A produção de milho também deve ser a maior já registrada. Com a colheita realizada em 25% da 2ª safra do cereal, a expectativa que o Brasil tenha uma produção superior a 100 milhões de toneladas. Resultado atingido mesmo com o atraso do plantio da soja, que impacta no plantio do milho, fazendo com que parte da semeadura tenha sido feita fora da janela ideal. Em Mato Grosso, principal estado produtor, as condições climáticas foram menos favoráveis que na safra passada, o que não permitiu às lavouras expressarem todo seu potencial produtivo.

Influências - Mas, o crescimento na área plantada deve compensar as influências negativas na cultura. Este aumento pode ser consequência dos preços praticados no mercado, em patamares remuneratórios ao produtor, que incentivou o plantio. Nesta ampliação do produto, o Brasil passa registrar uma terceira safra do cereal, puxada pela região produtora de Sergipe, Alagoas e pelo nordeste da Bahia (Sealba). Com a semeadura concluída, o desempenho depende das condições climáticas nos próximos meses.

Feijão - Outro produto que já registra o plantio da 3ª safra concluído é o feijão. Mas, para a leguminosa, o clima tem maior influência nas áreas do Norte e Nordeste do país, uma vez que a produção registrada no Centro-Oeste é irrigada. Com o cultivo das três safras do produto, consumo e produção mantêm-se alinhados, próximo a 3 milhões de toneladas.

Culturas de inverno– Com o plantio das principais culturas finalizando, a Companhia segue acompanhando o desenvolvimento das lavouras e o impacto do clima. Destaque para o trigo, que apresenta expressivo crescimento na área plantada, chegando a 2,32 milhões de hectares, um aumento de 13,7%, podendo chegar a uma produção de 6,3 milhões de toneladas

Documento completo - Confira outras informações sobre as demais culturas plantadas no país no documento completo do 10º Levantamento – Safra 2019/20, publicado no Portal da Conab. (Conab)

FOTO: Mayke Toscano / Secom-MT

 

IBGE: Estimativa de junho prevê safra recorde de 247,4 milhões de toneladas em 2020

ibge 08 07 2020A safra nacional de grãos deve bater novo recorde e chegar a 247,4 milhões de toneladas em 2020, segundo a estimativa de junho do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgada nesta quarta-feira (08/07) pelo IBGE. Isso corresponde a um aumento de 0,6% em relação à previsão de maio e de 2,5% na comparação com a colheita de 2019, um aumento de 6 milhões de toneladas.

Culturas - Esse crescimento na comparação anual resulta, principalmente, do aumento na projeção de 5,6% para a soja (mais 119,9 milhões de toneladas) e de 0,4% para o algodão (mais 6,9 milhões de toneladas), ambos recordes na série histórica. A estimativa de produção de trigo encontra-se 33% maior (7 milhões de toneladas) que a do ano passado.

Café arábica - O analista de Agropecuária do IBGE, Carlos Antônio Barradas, destaca ainda a projeção recorde para a produção de café arábica, que deve chegar a 2,6 milhões de toneladas este ano, ou 44,5 milhões de sacas de 60kg, um crescimento de 28,9% em relação à safra do ano passado, mantendo a hegemonia do país na produção mundial.

Clima - “Essa produção de café arábica se deve ao clima que beneficiou as lavouras do Centro-Sul país. Choveu bastante em Minas Gerais no início do ano. Outro fator é a bienalidade positiva da safra, característica fisiológica da planta que alterna ano de elevada produção com ano de baixa produção”, disse o analista, acrescentando que o dólar valorizado e a boa produção devem alavancar as exportações do produto, possibilitando ao país recuperar mercados internacionais importantes.

Milho - Barradas cita também a produção do milho, que deve ser 3,0% menor este ano, com produção de 97,5 milhões de toneladas. “Tivemos uma situação excepcional para o milho, principalmente o de 2ª safra, no ano passado. Houve adiantamento da colheita da soja e consequente aumento da janela de plantio do milho. Este ano, isso não ocorreu, então a janela de plantio do milho ficou mais restrita”, explicou ele.

Comparação mensal - Na comparação mensal, a variação de 0,6% da safra de grãos decorre, principalmente, do aumento na estimativa de soja (547,3 mil toneladas), do milho de 1ª safra (160,8 mil toneladas) e o de 2ª safra (647,7 mil toneladas), da cana-de-açúcar (11,9 milhões de toneladas), e do trigo (82,7 mil toneladas).

Tecnologia - “O produtor brasileiro está sempre investindo mais em tecnologia e na ampliação de área de plantação. Com toda essa instabilidade econômica, que eleva o dólar, ele planta porque sabe que seu produto, principalmente soja e milho, são corrigidos em dólar, então o preço está sempre bom. Isso vem gerando recordes sucessivos na safra”, comentou Barradas.

Safra só não deve crescer no Sul - Em 2020, o IBGE projeta crescimento na produção de quase todas as regiões do país, com destaque para o Nordeste (14,3%), Sudeste (7,8%) e Norte (7,0%). No Centro-Oeste, maior produtor do país, a safra deve crescer 3,8%, somando 115,8 milhões de toneladas. Já no Sul, segundo maior produtor, a colheita deve recuar 4,7% (73,6 milhões de toneladas).

Liderança - Entre os estados, o Mato Grosso deve continuar na liderança como maior produtor nacional de grãos, com uma participação de 28,4%, seguido pelo Paraná (16,4%). (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Christiano Antonucci / Secom MT

 

INFRAESTRUTURA: Transporte de grãos por ferrovia cresce 128% do Oeste para Paranaguá

O volume de grãos transportados na malha ferroviária da região Oeste do Paraná até o Porto de Paranaguá mais que dobrou no primeiro semestre deste ano, comparado ao mesmo período de 2019. O acréscimo foi de 128%, apesar dos efeitos da pandemia da Covid-19 que impacta diretamente em limitação de operações e redução da demanda.

Parceria - Um dos fatores preponderantes é a parceria desenvolvida pelo Governo do Estado, através da Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A. (Ferroeste), estatal que opera a malha ferroviária entre Cascavel a Guarapuava, e a empresa Rumo Logística, que movimenta as cargas de Guarapuava para Paranaguá.

Ampliação - Assinado em fevereiro de 2020, o Contrato de Operação Específico tem como objetivo ampliar a capacidade de escoamento da safra da região Oeste pelo ramal ferroviário. Nestes primeiros seis meses, o volume de grãos saltou de 133,2 milhões de toneladas úteis (MTU) para 303 milhões de toneladas.

Infraestrutura necessária - “O Governo do Estado está propiciando ao setor produtivo do Oeste toda a infraestrutura necessária para dar mais celeridade no escoamento, principalmente de grãos, até o Porto de Paranaguá. Este acordo com a Rumo foi uma decisão meramente administrativa, sem custos para o Estado. Seis meses depois estamos colhendo os resultados, apesar da pandemia. Os números devem melhorar ainda mais”, comemorou o governador Carlos Massa Ratinho Júnior.

Resultado - Os resultados deste primeiro semestre foram apresentados pelos diretores da Rumo durante uma videoconferência com o chefe da Casa Civil, Guto Silva, e o secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex. Além do aumento de 128% no volume de grãos, também se destaca o acréscimo de 32% no transporte de fertilizante e de 31% de cimento. O volume total transportado do Oeste até Paranaguá foi 55% maior que no primeiro semestre de 2019 – subiu de 385,8 milhões de toneladas para 598,1.

Eficiência - Durante a videoconferência, Guto Silva apresentou as perspectivas da nova Ferroeste para o futuro. “Da nossa parte, do Governo do Estado, expusemos aos diretores da Rumo todos os esforços que estamos demandando para dar ainda mais eficiência à Ferroeste, entre eles, a parceira com o Governo Federal, que recentemente a qualificou no Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) , o que deve acelerar o processo de desestatização”, disse.

Leilão - A expectativa, acrescentou Silva, é colocar a Ferroeste em leilão na B3 até o final de 2021, já com o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e seu respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) concluídos.

Tempo de entrega - Outro resultado apresentado foi o tempo para transportar as cargas da região Oeste até o Porto de Paranaguá. Este prazo, que já foi de 16 dias e meio, hoje é de nove e meio e o objetivo é baixar para oito dias.

Objetivo - “Esse é o objetivo do Governo do Estado e da Rumo. Mesmo num cenário adverso por causa da pandemia, os resultados estão sendo alcançados. A minha avaliação é extremamente positiva. É um compromisso do governador Ratinho Júnior em dar mais velocidade na logística a um custo razoável e num menor tempo para que a região Oeste tenha mais competitividade no escoamento da safra”, avaliou Sandro Alex.

Bons resultados - A Ferroeste vem colhendo uma série de bons resultados desde o início da gestão Ratinho Júnior. No primeiro quadrimestre de 2020 a estatal registrou ampliação da capacidade de escoamento da safra de grãos e de produtos industrializados que resultou no lucro de R$ 1,66 milhão. O crescimento foi de 180% em relação aos quatro primeiros meses do ano passado. Foi o maior resultado da história da empresa para o período, alcançado mesmo durante a pandemia do novo coronavírus.

Recorde - Em abril, a Ferroeste bateu recorde de movimentação do volume transportado da região Oeste. Foi o mês com a maior movimentação da história da companhia, chegando a 160 mil toneladas transportadas – o melhor resultado tinha sido alcançado em abril de 2019, com 115 mil toneladas.

Eficiência na gestão - Os bons índices do primeiro quadrimestre sucedem o resultado de 2019, primeiro ano fechado em que a Ferroeste deu lucro. Desde 1996, ano em que a operação começou, os resultados financeiros da empresa eram negativos. A companhia teve lucro operacional de R$ 453 mil (expurgada as depreciações), faturamento bruto na casa dos R$ 30,5 milhões e mais de 1,1 milhão de toneladas de produtos transportados na malha ferroviária que liga Cascavel a Guarapuava.

Nova ferrovia - A perspectiva é de um novo traçado com até 1.371 quilômetros de extensão de uma nova ferrovia entre Maracaju (MS) e Cascavel (PR), com a integração do trecho intermodal Foz do Iguaçu-Cascavel.

Linhas - A programação contempla linhas Cascavel-Guarapuava-Litoral, cobrindo uma região estratégica para o País e o continente. A ligação terá 1.000 quilômetros. A ideia é que 50 milhões de toneladas de cargas, entre exportações e importações, sejam transportadas por este ramal. Essa modelagem já está em fase de EVTEA. O estudo foi contratado em 2019 pelo Governo do Estado. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2020/noticias/07/08/infraestrutura/{/vsig}

 

ECONOMIA I: Indicador do Ipea mostra avanço de 28,2% nos investimentos em maio

economia I 08 07 2020O indicador econômico que mede o nível de investimentos teve crescimento de 28,2% em maio frente a abril deste ano, divulgou nesta terça-feira (07/07), no Rio de Janeiro, o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea).

Recuperação - Segundo o Ipea, o resultado representa uma recuperação dos investimentos em relação às quedas verificadas nos dois meses anteriores, resultantes da crise provocada pela pandemia de covid-19.

FBCF - A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), como é chamado o indicador, mostra os investimentos no aumento da capacidade produtiva da economia e na reposição da depreciação do seu estoque de capital fixo.

Máquinas - Em maio, houve crescimento de 68,7% nos investimentos em máquinas e equipamento frente a abril.

Bens - A produção nacional desses bens avançou 22%, enquanto a importação cresceu 145,6% no mesmo período.

Construção civil - A construção civil também apresentou resultado positivo em maio (14,1%).

Comparação - Na comparação com maio de 2019, a queda nos investimentos atingiu máquinas e equipamentos (-23,7%) e construção civil (-16%). (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

ECONOMIA II: Petrobras anuncia reajuste de 5% para a gasolina nas refinarias

A Petrobras anunciou, nesta terça-feira (07/07), reajuste médio de 5% no preço do litro da gasolina vendida nas refinarias. O novo valor entra em vigor nesta quarta-feira (08/07). O preço do diesel não sofreu reajuste.

Preço médio - Segundo levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre os dias 28 de junho e 4 de julho, o preço médio da gasolina comum nos postos de abastecimento do país foi de R$ 4,064. O preço médio do diesel S-500 ficou em R$ 3,147 e o etanol, em R$ 2,737. O valor do botijão de 13 quilos dokg gás de cozinha foi de R$ 69,85.

Mercado - Os preços são referentes ao valor vendido para as distribuidoras a partir das refinarias. O valor final ao motorista depende do mercado, já que cada posto tem sua própria política de preços, sobre os quais incidem impostos, custos operacionais e de mão de obra.

Política de preços - “Nossa política de preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”, explica, em nota, a estatal.

Diferentes - Segundo a companhia, a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos no posto de combustíveis. São os combustíveis tipo A: gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel sem adição de biodiesel. “Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo A misturados a biocombustíveis." (Agência Brasil)

COMÉRCIO EXTERIOR: Balança comercial tem superávit de US$ 1,38 bilhão na primeira semana de julho

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 1,38 bilhão e corrente de comércio de US$ 4,16 bilhões, na primeira semana de julho de 2020 – com três dias úteis –, como resultado de exportações no valor de US$ 2,77 bilhões e importações de US$ 1,39 bilhão. Os dados foram divulgados na segunda-feira (06/07) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.

No ano - No ano, as exportações totalizam US$ 104,489 bilhões e as importações, US$ 80,786 bilhões, com saldo positivo de US$ 23,703 bilhões e corrente de comércio de US$ 185,276 bilhões.

Análise do mês - Nas exportações, comparadas a média até a primeira semana de julho de 2020 (US$ 923,3 milhões) com a de julho de 2019 (US$ 876,13 milhões), houve crescimento de 5,4%, em razão do aumento nas vendas em Agropecuária (+46,5%) e na Indústria Extrativista (17,8%). Por outro lado, caíram as vendas de produtos da Indústria de Transformação (-14,5%).

Aumento - O aumento nas exportações foi puxado, principalmente, pelo crescimento nos seguintes produtos agropecuários: soja (+99,8%); arroz com casca, paddy ou em bruto (+517.219,2%); produtos hortícolas, frescos ou refrigerados (+ 106,2%); frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (+43,2%) e mel natural (+194,8%). Já na Indústria Extrativista, o aumento nas exportações se deve pelo crescimento nas vendas dos seguintes produtos: óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (+44,3%); gás natural, liquefeito ou não (+9.550.741,7%); minério de ferro e seus concentrados (+3,6%); fertilizantes brutos, exceto adubos (+242,1%) e minérios de metais preciosos e seus concentrados (+111,5%).

Média diária - Nas importações, a média diária até a primeira semana de julho de 2020 (US$ 463,28 milhões), ficou 40,0% abaixo da média de julho do ano passado (US$ 772,15 milhões). Nesse comparativo, caíram os gastos, principalmente, com Agropecuária (-12,5%), Indústria Extrativa (-42,0%) e com produtos da Indústria de Transformação (-40,4%).

Queda - A queda das importações foi puxada, principalmente pela diminuição dos seguintes produtos agropecuários: pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado (-59,8%); látex, borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais (-75,9%); frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (-22,1%); milho não moído, exceto milho doce (-70,3%) e cevada, não moída (-95,0%). Já na Indústria Extrativa a queda nas importações se deu, principalmente, pela queda nas compras de carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (-75,3%); gás natural, liquefeito ou não (-100,0% ); outros minérios e concentrados dos metais de base (-92,6%); minérios de cobre e seus concentrados (-100,0%) e fertilizantes brutos, exceto adubos (-97,7%). Por fim, entre os produtos da Indústria de Transformação contribuíram para a queda nas importações, principalmente, óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (-75,9%); obras de ferro ou aço e outros artigos de metais comuns (-83,5%); plataformas, embarcações e outras estruturas flutuantes (-96,6%); partes e acessórios dos veículos automotivos (-68,1%) e torneiras, válvulas e dispositivos semelhantes para canalizações, caldeiras, reservatórios, cubas e outros recipientes (-64,7%). (Ministério da Economia)

CONFIRA OS DADOS COMPLETOS DA BALANÇA COMERCIAL

CÂMBIO: Dólar tem alta de 0,63% e fecha o dia em R$ 5,386

Num dia marcado pelo pessimismo nos mercados internacionais e pela divulgação do exame que apontou a infecção por covid-19 no presidente Jair Bolsonaro, o dólar subiu e a bolsa de valores, que na segunda-feira (06/07) tinha fechado no maior nível em quatro meses, caiu. O dólar comercial fechou esta terça-feira (07/07) vendido a R$ 5,386, com alta de R$ 0,034 (+0,63%).

Evolução - A divisa operou em queda durante toda a manhã, mas reverteu o movimento no início da tarde, minutos depois do anúncio do resultado positivo do exame do presidente. Na mínima do dia, por volta das 11h, a cotação estava em R$ 5,29. O dólar acumula alta de 34,2% em 2020.

Euro - O euro comercial fechou o dia vendido a R$ 6,083, com alta de 0,39%. A libra esterlina comercial subiu 1,1% e encerrou vendida a R$ 6,766.

Bolsa - Depois de quatro altas consecutivas, o mercado de ações teve um dia de perdas. O índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), encerrou esta terça aos 97.761 pontos, com recuo de 1,19%. O indicador seguiu as principais bolsas internacionais. O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, fechou o dia com recuo de 1,51%.

Em queda - Antes da divulgação do resultado do exame, a bolsa estava em queda. O ressurgimento de focos do novo coronavírus em vários países da Europa – como Reino Unido e Espanha – e em vários estados norte-americanos e a divulgação de projeções econômicas deterioraram as expectativas dos investidores.

Revisão - Nesta terça, a Comissão Europeia revisou, de 7,7% para 8,7%, a projeção de contração do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro. Para 2021, a estimativa de crescimento foi reduzida de 6,3% para 6,1%.

Nervosismo - Há várias semanas, mercados financeiros em todo o planeta atravessam um período de nervosismo por causa da recessão global provocada pelo agravamento da pandemia do novo coronavírus. Nos últimos dias, os investimentos têm oscilado entre possíveis ganhos com o relaxamento de restrições em vários países da Europa e em regiões dos Estados Unidos e contratempos no combate à doença. (Agência Brasil)

INDÚSTRIA: Com abertura parcial da quarentena, atividade do setor aumentou em maio

industria 08 07 2020A atividade industrial brasileira apresentou aumento no mês de maio em 12 dos 15 locais analisados pela Pesquisa Industrial Mensal Regional, na comparação com abril. O resultado, divulgado nesta quarta-feira (08/07) pelo IBGE, é “reflexo da volta da produção de algumas unidades após a suspensão das atividades por conta da pandemia da Covid-19 em março e, principalmente, em abril", como explica Bernardo Almeida, analista da pesquisa.

São Paulo - Maior parque industrial do país, São Paulo levantou a média nacional (7%) ao apresentar aumento na atividade industrial em 10,6% em maio. Paraná (24,1%) e Rio Grande do Sul (13,3%) foram os outros dois locais com maiores influências na taxa positiva nacional. “O setor de veículos, muito forte em São Paulo e no Paraná, teve atuação importante neste aumento de maio”, exemplifica Bernardo, que também cita o setor de alimentos e o de derivados do petróleo como influenciadores desse índice.

Aumentos fortes - Além do Paraná, Pernambuco (20,5%) e Amazonas (17,3%) foram os locais que apresentaram os aumentos mais fortes. Os dois primeiros voltaram a crescer após resultados negativos em março e abril, período em que acumularam recuos de 31,8% e 25,4%, respectivamente. Já o Amazonas interrompe três meses de taxas negativas consecutivas, com queda acumulada de 53,4%.

Mais - Além destes locais, a Região Nordeste (12,7%) e a Bahia (7,6%) tiveram resultados maiores que média nacional. Minas Gerais (6,3%), Santa Catarina (5,4%), Rio de Janeiro (5,2%), Mato Grosso (4,4%) e Goiás (3%) completam a lista de locais com aumento da atividade industrial no mês de maio. Apenas três locais apresentaram recuo, sendo o Espírito Santo (-7,8%) com a queda mais elevada, resultando no terceiro mês seguido de recuo para o estado, com perda acumulada de 30,9% neste período. Os outros dois foram Ceará e Pará, ambos com queda de 0,8%.

Aumento ainda não recupera o patamar - Apesar do crescimento na passagem de abril para maio, Bernardo esclarece que o índice ainda está aquém do patamar, como se observa na comparação com o mesmo mês do ano anterior. “Em São Paulo, mesmo com a taxa positiva perante abril, maio apresentou o segundo pior patamar da indústria na série histórica, perdendo exatamente para o mês anterior, abril de 2020", aponta. O início da série histórica da pesquisa foi em janeiro de 2002.

Comparação - Na comparação com maio de 2019, houve queda em 14 dos 15 locais pesquisados. Além do chamado efeito-calendário negativo - maio de 2020 teve 20 dias úteis, dois a menos que maio do ano anterior – a diminuição do ritmo da produção por conta dos efeitos do isolamento social em função da pandemia afetou o processo produtivo de várias unidades industriais no país. São Paulo teve redução de 18,1%, a quarta taxa negativa seguida nesta comparação. Ceará (-50,8%) e Amazonas (-47,3%) apresentaram os recuos mais intensos.

Acumulado do ano - No acumulado de 2020 (janeiro-maio), cujo resultado nacional foi queda de 11,2%, 13 dos 15 locais catalogados apresentaram redução das atividades, com destaque para o Ceará (-21,8%), Amazonas (-20,7%) e Espírito (-18,5%). Apenas o Rio de Janeiro (2,8%) e o Pará (0,9%) mostraram aumentos neste índice.

12 últimos meses - Já no acumulado dos últimos 12 meses (perda nacional de 5,4%), 12 dos 15 locais pesquisados assinalaram taxas negativas em maio de 2020. Todos, entretanto, tiveram perda de ritmo frente aos índices registrados em abril. Ceará (de -3,1% para -7,9%), Amazonas (de 0,5% para -3,8%), Santa Catarina (de-2,6% para -6,6%), Rio Grande do Sul (de -3,7% para -7,7%), Paraná (de 1,7% para -2,0%), São Paulo (de -2,5% para -5,6%), Bahia (de -2,5% para -5,1%), Região Nordeste (de -3,5% para -5,9%), Pernambuco (de -2,5% para -4,5%) e Rio de Janeiro (de 5,1% para 3,9%) mostraram as principais perdas neste comparativo. (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Camila Domingues/Palácio Piratini

 

VAREJO: Comércio volta a crescer em maio e registra maior alta nas vendas em 20 anos

O volume de vendas do varejo cresceu 13,9% em maio, maior crescimento desde o início da série histórica, em janeiro de 2000. A alta foi insuficiente para o setor recuperar as perdas de março e abril, que refletiram os efeitos do isolamento social para controle da pandemia de Covid-19. No acumulado do ano, o varejo registrou queda de 3,9%. Já nos últimos 12 meses, o cenário é de estabilidade (0%). Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira (08/07) pelo IBGE.

Números - O gerente da PMC, Cristiano Santos, explica que os números positivos aparecem após o mês em que foi registrado o pior patamar de vendas da série histórica (-16,3%). “Foi um crescimento grande percentualmente, mas temos que ver que a base de comparação foi muito baixa. Se observamos apenas o indicador mensal, temos um cenário de crescimento, mas ao olhar para os outros indicadores, como a comparação com o mesmo mês do ano anterior, vemos que o cenário é de queda”, analisa.

Perda de ritmo - A pesquisa aponta uma perda de ritmo dos impactos do isolamento social no comércio. De todas as empresas coletadas pela pesquisa, 18,1% relataram impacto do isolamento em suas receitas em maio. Em abril, esse número era 28,1%, o maior percentual desde o início da pandemia. Com isso, há a indicação de crescimento nas atividades dessas empresas.

Massa salarial - “A massa salarial teve uma queda de 7,3 bilhões no último trimestre, como apontou a PNAD Contínua. Mas em maio também teve uma parcela do 13º salário dos aposentados e o auxílio emergencial, que já estava na sua segunda edição, benefícios que a massa de rendimento não engloba. Então muitos fatores colaboram para esse crescimento, como o próprio aumento das atividades. De alguma maneira, houve algum impacto na abertura dessas lojas físicas e também uma acomodação no modo diferente de trabalhar, como as entregas, por exemplo”, comenta Cristiano.

Atividades - Todas as oito atividades observadas no comércio varejista registraram taxas positivas na passagem de abril para maio. Entre as que apresentaram maior crescimento percentual estão Tecidos, vestuário e calçados (100,6%), Móveis e eletrodomésticos (47,5%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (45,2%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (18,5%). Já o setor de Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, que tinha recuado em abril, cresceu 7,1% em maio.

Varejo ampliado - O comércio varejista ampliado, que inclui também as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material e construção, cresceu 19,6% em relação a abril, descontando parte da queda dos dois meses anteriores. A atividade Veículos, motos, partes e peças cresceu 51,7%, enquanto Material de construção registrou 22,2%.

Unidades da federação - As 27 unidades da federação tiveram crescimento no volume de vendas do comércio varejista na passagem de abril para maio. Entre os maiores destaques estão Rondônia (36,8%), Paraná (20,0%) e Goiás (19,4%). No comércio varejista ampliado, a variação também foi positiva nas 27 unidades da federação, com destaque para Rondônia (35,2%), Rio Grande do Sul (27,9%) e Espírito Santo (27,1%).

Comércio registra queda de 7,2% na comparação com maio de 2019 - Quando comparado com maio de 2019, o comércio varejista recuou 7,2%, com taxas negativas em sete das oito atividades. A maior contribuição no campo negativo no indicador interanual veio do setor de Tecidos, vestuário e calçados, que recuou 62,5%.

Hipermercados - O setor de Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo foi o único setor a crescer no indicador interanual, com aumento de 9,4%. A pesquisa indica que esse resultado se deve ao fato de que o setor foi considerado uma atividade essencial, o que manteve suas lojas físicas abertas durante o período de quarentena.

Artigos farmacêuticos - Já o setor de Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria, que abriga atividades também consideradas essenciais, recuou 2,6% nas vendas frente a maio de 2019, sendo a segunda taxa negativa consecutiva. Apesar de não ter tido suas lojas físicas fechadas durante a pandemia, o setor vem registrando perda de ritmo. (Agência IBGE de Notícias)

varejo 08 07 2020

LEGISLATIVO: Câmara aprova MP que desobriga escolas de cumprir quantidade mínima de dias letivos

legislativo 08 07 2020O Plenário da Câmara dos Deputados concluiu nesta terça-feira (07/07) a votação da Medida Provisória 934/20, que suspende a obrigatoriedade de escolas e universidades cumprirem a quantidade mínima de dias letivos neste ano em razão da pandemia de Covid-19. A matéria será enviada ao Senado.

Aprovação - A MP foi aprovada na forma do projeto de lei de conversão da deputada Luisa Canziani (PTB-PR). Segundo o texto, os estabelecimentos de educação infantil serão dispensados de cumprir os 200 dias do ano letivo e também a carga mínima de 800 horas.

Fundamental e médio - Já as escolas de ensino fundamental e médio terão de cumprir essa mesma carga horária, embora não precisem seguir o número mínimo de dias (200).

Diretrizes - O Conselho Nacional de Educação (CNE) deverá editar diretrizes nacionais para implantar a regra, segundo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e sem prejuízo da qualidade do ensino e da aprendizagem.

Próximo ano - Devido ao tempo escasso que restará até o fim do ano para encaixar a carga horária nos dias disponíveis, o projeto de lei de conversão permite que o conteúdo deste ano seja aplicado no próximo ano aglutinando duas séries ou anos escolares.

Retorno - O texto prevê que as estratégias de retorno das aulas presenciais deverão ser adotadas em colaboração com outros setores, como saúde e assistência social, além de observar as diretrizes das autoridades sanitárias e as regras estabelecidas pelo respectivo sistema de ensino. Para isso, a União deverá prestar assistência técnica e financeira aos estados e municípios.

Atendimento adequado - Aos alunos em situação excepcional de risco de contrair o novo coronavírus, deverá ser garantido atendimento educacional adequado à sua condição, como o regime domiciliar ou hospitalar. Para os estudantes das redes públicas, deve ser garantida ainda a continuidade de programas de apoio, como os de alimentação e de assistência à saúde.

Adiamento do Enem - Quanto ao Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) de 2020, cujo adiamento tem sido discutido por vários especialistas em educação, o texto prevê que o Ministério da Educação deverá ouvir os sistemas estaduais de educação para definir a data de sua realização.

Nota - Em relação ao uso da nota do Enem pelas instituições de ensino participantes do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e do Programa Universidade para Todos (Prouni), Luisa Canziani determina que os processos seletivos de acesso aos cursos dessas instituições sejam compatíveis com a data de divulgação dos resultados do Enem.

Período suplementar - A critério dos sistemas de ensino, o aluno do terceiro ano do ensino médio na rede pública poderá, em caráter excepcional e se houver vagas, matricular-se para período suplementar de estudos de até um ano escolar a fim de revisar o conteúdo curricular de 2020, prejudicado pela pandemia.

Atividades não presenciais - O texto permite ainda que os sistemas de ensino desenvolvam atividades pedagógicas não presenciais. Na educação infantil, isso deverá seguir orientações pediátricas quanto ao uso de tecnologias de informação e comunicação.

Vínculo - Nos ensinos fundamental e médio, as atividades não presenciais deverão estar vinculadas aos conteúdos curriculares de cada etapa e modalidade. Para contar como carga horária mínima, terão de seguir critérios objetivos estabelecidos pelo CNE. Esses critérios deverão levar em conta as especificidades de cada faixa etária dos estudantes e de cada modalidade de ensino.

Atividades não presenciais - Aqueles sistemas de ensino que optarem pelas atividades não presenciais terão de assegurar que os alunos tenham acesso aos meios necessários para a realização dessas atividades. Se isso envolver equipamentos e assistência técnica, a União deverá ajudar estados, Distrito Federal e municípios, tanto em favor dos profissionais de educação quanto dos alunos.

Recursos - Os recursos deverão vir do “orçamento de guerra” previsto na Emenda Constitucional 106, de 2020.

Ensino superior - Quanto ao ensino superior, as faculdades não precisarão cumprir os 200 dias letivos, mas terão de manter a carga horária prevista na grade curricular para cada curso e não deverá haver prejuízo aos conteúdos essenciais para o exercício da profissão. Atividades pedagógicas não presenciais também serão admitidas para completar a carga horária.

Antecipação - A relatora manteve, no caso de carreiras ligadas ao enfrentamento da pandemia de Covid-19, a permissão para antecipação da conclusão dos cursos. A medida alcança os cursos de medicina, farmácia, enfermagem, fisioterapia e odontologia, desde que o aluno cumpra, no mínimo:

- 75% da carga horária do internato do curso de medicina; ou

-75% da carga horária dos estágios curriculares obrigatórios dos cursos de enfermagem, farmácia, fisioterapia e odontologia.

Autorização - Neste último caso, o Poder Executivo fica autorizado a ampliar, ouvido o CNE, a lista de cursos da área da saúde cuja conclusão poderá ser antecipada se diretamente relacionados ao combate da pandemia.

Mais cursos- De maneira semelhante, o texto aprovado permite a conclusão antecipada dos cursos de educação profissional técnica de nível médio caso relacionados ao combate à Covid-19. Para isso, o aluno precisará ter cumprido, no mínimo, 75% da carga horária dos estágios curriculares obrigatórios.

Repasses da União - Para garantir os mesmos valores de repasses da União aos outros entes federados no ano letivo de 2020, o projeto de lei de conversão prevê o uso dos 200 dias regulamentares no cálculo dos valores dos programas de atendimento aos estudantes da educação básica e de assistência estudantil da educação superior.

Alimentação escolar - A deputada Luisa Canziani incluiu ainda na Medida Provisória 934/20 dispositivo para garantir a distribuição dos alimentos ou dos recursos para compra de merenda escolar aos pais ou responsáveis de alunos de escolas públicas de educação básica.

Distribuição de valores - No caso da distribuição de valores, devem ser excluídos os recursos garantidos na Lei 11.947/09 para a compra de gêneros alimentícios de agricultores familiares. A relatora também aumenta o mínimo que deve ser destinado a essa finalidade de 30% para 40% dos repasses federais. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Najara Araujo / Câmara dos Deputados

 

SAÚDE I: Brasil tem 1,66 milhão de casos confirmados do novo coronavírus

O Brasil chegou a 66.741 mil mortes e 1.668.589 milhão de casos em decorrência da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Foram 1.254 novas mortes e 45.305 novas pessoas infectadas registradas nas últimas 24 horas, conforme atualização do Ministério da Saúde divulgada nesta terça-feira (07/07). Até o momento 976.977 pessoas já se recuperaram e há 624.871 pessoas em acompanhamento.

Dia anterior - Na segunda-feira (06/07), o balanço trazia 65.487 falecimentos e 1.623.284 de casos confirmados em função da pandemia.

Letalidade - A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 4%. A mortalidade (quantidade de óbitos por 100 mil habitantes) atingiu 31,8. A incidência dos casos de covid-19 por 100 mil habitantes é de 794.

Mundo - De acordo com o Ministério da Saúde, O Brasil é o 2º do mundo em mortes e casos, atrás apenas dos Estados Unidos. Conforme o mapa global da universidade norte-americana Johns Hopkins, os Estados Unidos contam com 2.980.906 pessoas infectadas e registraram desde o início da pandemia 131.248 vidas perdidas.

Números - Os números diários do balanço do Ministério da Saúde em geral são menores aos domingos e segundas-feiras pelas restrições nas equipes que fazem a alimentação nas secretarias municipais e estaduais, e maiores às terças-feiras, quando há um acréscimo dos registros alimentados em razão do acúmulo do que não foi encaminhado no fim-de-semana.

Regiões - As regiões com mais mortes são Sudeste (30.518), Nordeste (21.605), Norte (10.115), Centro-Oeste (2.442) e Sul (2.061).

Estados - Os estados com mais mortes em função da pandemia são São Paulo (16.475), Rio de Janeiro (10.881), Ceará (6.556), Pará (5.128) e Pernambuco (5.234). As Unidades da Federação com menos óbitos são Mato Grosso do Sul (128), Tocantins (228), Roraima (376), Acre (399) e Santa Catarina (419). (Agência Brasil)

saude I tabela 08 07 2020

SAÚDE II: Paraná já acumula 33.939 casos e 837 mortes pela Covid-19

saude II 08 07 2020A Secretaria de Estado da Saúde, em informe emitido nesta terça-feira (07/07), divulgou mais 1.530 diagnósticos positivos e 31 mortes pela Covid-19 no Paraná. Com essa atualização, sobe para 33.939 o número de casos confirmados e para 837 o total de óbitos no Estado. Há ajustes de municípios e exclusão de casos por duplicidade, detalhados ao final do texto.

Internados - Nesta terça-feira, 770 pacientes com diagnóstico confirmado estavam internados; 608 em leitos SUS (237 em UTI e 371 em enfermaria) e 162 na rede particular (61 em UTI e 101 em enfermaria).

Resultados - Há outros 964 pacientes internados, 453 em UTI e 511 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

Óbitos - Os 31 pacientes que foram a óbito, e relatados no informe, estavam internados. São doze mulheres e 19 homens, com idades que variam de 47 a 95 anos. Os óbitos ocorreram entre os dias 13 de maio a 06 de julho.

Residência - Sete pacientes que faleceram residiam em Curitiba, três Londrina, dois em Ivaiporã e dois em Piraquara. Foi registrada uma morte em cada um dos municípios de Boa Vista da Aparecida, Bom Sucesso, Campo Mourão, Cascavel, Cerro Azul, Cianorte, Ibiporã, Jaguapitã, Janiópolis, Marechal Cândido Rondon, Maripa, Ouro Verde do Oeste, Pinhais, Salto do Itararé, Santo Antônio da Platina, São José da Boa Vista, Wenceslau Braz.

Municípios - Atualmente, 373 cidades paranaenses têm ao menos um caso confirmado pela Covid-19. Em 164 municípios há óbitos pela doença.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 369 casos de residentes de fora, sendo que 14 pessoas foram a óbito.

Ajustes - Houve alteração de município.

- Quatro casos confirmados nas datas nos dias 02, 03 e 04 de julho, em Balsa Nova, foram transferidos para Campo Largo. Um caso confirmado no dia 02 de julho, em Pinhal de São Bento, foi transferido para Londrina.

- Três casos confirmados no dia 5 de julho, em Ribeirão do Pinhal, foram transferidos para Curitiba. Seis casos confirmados em Rio Branco do Sul nos dias 01, 02 e 05 de julho foram transferidos para Itaperuçu (5 casos) e Cerro Azul (1 caso).

- Foi transferido para São José dos Pinhais um caso que havia sido confirmado em Lidianópolis no dia 26 de junho. Um caso confirmado dia 01 de julho, em Perobal, foi transferido para Umuarama e outro confirmado dia 05, em Guaraqueçaba foi transferido para Paranaguá.

Duplicidade - Dois casos confirmados no dia 25 de junho em Cianorte foram excluídos por duplicidade de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando AQUI

 


Versão para impressão


RODAPE