Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4873 | 27 de Julho de 2020

FÓRUM DOS PRESIDENTES: Lideranças cooperativistas do PR discutem novo planejamento estratégico do setor, nesta terça-feira

O Sistema Ocepar promove, nesta terça-feira (28/07), o 1º Fórum Digital dos Presidentes, das 13h30 às 16h30, por meio da ferramenta Microsoft Teams. Lideranças cooperativistas de todo o Estado estarão reunidas para debater a estruturação da nova fase do PRC100 (Plano Paraná Cooperativo 100), iniciado em 2015 e cuja meta financeira de alcançar R$ 100 bilhões de faturamento deve ser atingida pelo setor neste ano. Na oportunidade, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, vai apresentar as diretrizes do novo ciclo de planejamento estratégico do cooperativismo paranaense, juntamente com os diretores da entidade. O evento é destinado exclusivamente aos presidentes das cooperativas vinculadas ao Sistema Ocepar.

Ratinho Junior Na sequência, o governador Carlos Massa Ratinho Junior vai falar sobre as estratégias do Paraná para as áreas econômica e de infraestrutura, além das parcerias com o cooperativismo.

Cenário econômico - Também haverá uma palestra sobre cenários e perspectivas econômicas para o Brasil e o mundo no pós-pandemia, ministrada pelo diretor da Consultoria MB Associados, José Roberto Mendonça de Barros.

Câmara de Mediação e Arbitragem - Outro tema que será discutido no Fórum é a viabilidade de constituição da Câmara de Mediação e Arbitragem do Cooperativismo, com a presença da professora da PUCPR, Leila Dissenha, e do gerente da Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar), Anderson Lechechem.

Informações e inscrições - Informações e inscrições com Neuza Oliveira, pelo telefone (41) 99151-2148 ou secretaria@sistemaocepar.coop.br.

forum presidente 27 07 2020

 

COOPERATIVISMO: Confira os boletins semanais da OCB com informações de interesse do setor

O Sistema OCB divulga, semanalmente, diversos boletins com informações relevantes e de interesse do cooperativismo brasileiro. Confira abaixo as publicações atualizadas até o dia 23 de julho, que tratam de política, economia, reforma tributária, pleitos do cooperativismo em tramitação no Congresso Nacional, normativos e medidas tributárias publicadas pelo governo que impactam nas cooperativas. Há ainda um apanhado sobre as ações que estão sendo executadas pela entidade para reduzir o impacto da pandemia nessa crise.

Análise Política: marcos regulatórios na agenda de recondução do país. https://bit.ly/3dvDvOv

Análise Econômica: sustentabilidade como um bom negócio. https://bit.ly/2UCWjUD

Reforma Tributária: executivo entrega proposta ao Parlamento. https://bit.ly/395tshh

Pleitos do Cooperativismo: temos 83 demandas das coops vinculadas à Covid-19. Veja como estão. https://bit.ly/2UD17rV

Normativos: resumo dos principais normativos federais relacionados à Covid-19, com link e análise da OCB. https://bit.ly/3anoYlY

Medidas Tributárias: infográfico com as respostas tributárias do governo à crise que tenham impacto nas cooperativas. https://bit.ly/2KrNgjn

Acompanhe essas e outras ações da OCB para diminuir o impacto desta crise em: https://www.somoscooperativismo.coop.br/covid-19

 

COVID-19: Comitê de Acompanhamento divulga comunicado 83

covid 19 destaque 27 07 2020Os preparativos para o 1º Fórum Digital dos Presidentes, que ocorre nesta terça-feira (28/07), e a reunião para discutir o aprimoramento do seguro rural para a cultura do trigo são alguns dos destaques do comunicado 83, emitido na manhã desta segunda-feira (27/07) pelo Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar. Veja abaixo todos as informações do boletim.

1. No dia 24 de julho, o Sistema Ocepar realizou reunião interna para finalizar a organização do 1º Fórum dos Presidentes das cooperativas paranaenses. Neste ano, pela primeira vez, o fórum será realizado de forma digital, no dia 28 de julho. Acesse o convite clicando aqui.

2. O Sistema Ocepar realizou Reunião da Autogestão de forma virtual, no dia 24 de julho, com a cooperativa Rodocoop, contando com a participação do presidente, diretores e gestores.

3. No dia 24 de julho, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, participou do webinar organizado pela Gazeta do Povo com o tema Cooperativismo hoje, intercooperativismo e expectativas para o setor pós-pandemia.

4. No dia 24 de julho, o Sistema Ocepar realizou, por meio do Sescoop/PR, a 19ª Live com os Agentes das cooperativas paranaenses com o tema – Resetando o Planeta Pós-Pandemia: como a sustentabilidade e o cooperativismo podem ajudar.

5. A Gerência Técnica da Ocepar participou, no dia 24 de julho, da reunião virtual organizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa, para levantar os eventuais problemas e sugestões para aperfeiçoamento do seguro rural para a cultura do trigo.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

GETEC: Informe nº 35 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 27 07 2020A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (27/07), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2020, 2021 e 2022.

Clique aqui para conferir o Informe Expectativas de Mercado Semanal

 

DIREITO COOPERATIVO: Seminário debate implantação de nova lei de proteção de dados

“Quem não se adapta, não sobrevive. Será o mercado que fará a seleção natural. A fiscalização virá muito mais dos cidadãos, do que propriamente dos órgãos oficiais. As cooperativas devem se adequar à nova legislação para continuar entregando valor e confiabilidade a seus clientes”, afirmou o advogado Cristhian Groff, durante sua palestra no Seminário de Direito Cooperativo da Região Sul, na tarde de quinta-feira (23/07). O evento, organizado em parceria pelas entidades de representação do cooperativismo nos três estados (os Sistemas Ocepar, Ocesc e Ocergs), foi acompanhado via internet por cerca de 150 pessoas. Nesta edição do Seminário, a primeira de forma virtual, a Ocergs foi a entidade anfitriã. O tema do encontro foi a Lei Geral de Proteção de Dados em Cooperativas.

Mudanças - A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD, Lei nº 13.709/2018), é a legislação brasileira que regula as atividades de tratamento de dados pessoais. A previsão é de que entre em vigor em 3 de maio de 2021. Com a nova lei, os cidadãos passam a ter direito à confirmação de que existe um ou mais tratamento de dados sendo realizado; acesso aos dados pessoais conservados que lhe digam respeito; correção de dados pessoais incompletos, inexatos ou desatualizados; portabilidade de dados a outro fornecedor de serviços ou produto; informações sobre o compartilhamento de seus dados com entes públicos e privados, caso exista; reclamação contra o controle de dados junto a autoridade nacional; oposição, caso discorde de um tratamento feito sem consentimento e o considere irregular, entre outros.

Adaptação - A abertura do Seminário coube ao presidente do Sistema Ocergs, Vergilio Frederico Perius, com a participação da assessora jurídica do Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), Ana Paula Andrade Ramos Rodrigues. A advogada Daniely Silva representou o Sistema Ocepar na organização e realização do evento. Segundo o advogado e palestrante Cristhian Groff, as cooperativas de desenvolver um projeto de implementação para a adaptação às exigências da nova lei. “Planeje, conscientize seus cooperados e funcionários, defina um grupo de trabalho, nomeei encarregado, defina a metodologia mais adequada e as ferramentas que serão utilizadas, identifique as principais atividades e etapas e estabeleça um cronograma”, recomendou. “Faça um mapeamento das operações e tratamento de dados pessoais; da estrutura de sistemas e bancos de dados, do fluxo de dados e documentos vinculados”, disse.

Penalidades - A nova lei estabelece penalidades que podem ser desde uma advertência, até uma multa de até 2% do faturamento da empresa, limitada a R$ 50 milhões por infração; multa diária; divulgação pública da infração; eliminação de dados; bloqueio do banco de dados por até 12 meses; suspensão das atividades relacionadas ao tratamento de dados pessoais por até 12 meses; proibição parcial ou total do exercício de atividades relacionadas ao tratamento de dados pessoais.

Cases – Depois da palestra de abertura, as cooperativas Frísia (Paraná), Sicoob Central (Santa Catarina) e Unimed Central (Rio Grande do Sul) apresentaram seus cases de implementação da LGPD. Cada cooperativa teve dez minutos para apresentar os trabalhos que estão desenvolvendo. A assessora jurídica da Frísia, Marta Auer, explicou aos participantes do Seminário os detalhes sobre o processo de implantação e conscientização a respeito da nova lei na cooperativa. Thiago Zanchet, gerente de Tecnologia, Produtos e Serviços da Sicoob Valcredi Sul e Leandro Schmitz, gerente de Tecnologia da Informação na Unimed Central de Serviços, abordaram os avanços do projeto de implantação em suas cooperativas.

{vsig}2020/noticias/07/27/direito_cooperativo/{/vsig}

LIVE: Qual legado sua cooperativa quer deixar para o mundo na pós-pandemia?

“Resetando planeta pós-pandemia: como a sustentabilidade e o cooperativismo podem ajudar”. Este foi o tema da 19ª live promovida pelo Sistema Ocepar para os agentes de cooperativas paranaenses. O encontro foi realizado na última sexta-feira (24/07) e trouxe como convidado o coordenador de Sustentabilidade do Isae Escola de Negócios, Gustavo Loyola. “A pandemia acelerou muita coisa que vinha acontecendo. Fomos praticamente atropelados pelas mudanças”, disse.

Pare, respire e se reinvente - Segundo Loyola, o planeta está pedindo uma pausa.  “Estamos no meio de uma pane global. Mas não há outro caminho. Precisamos parar, respirar e nos reiventar, de uma forma ou de outra. A questão é qual o legado que esta pandemia vai deixar, ou seja, como sua cooperativa quer ser lembrada quando tudo isso acabar”, questionou.

O papel do líder - Em sua opinião, cabe aos líderes fazer com que o mundo volte à normalidade. “Agora está tudo caótico, mas vamos desatar este nó. É aí que entra o poder das lideranças. Os líderes de hoje é que têm a responsabilidade de moldar este novo normal”, disse. Importante ressaltar que um líder não é somente quem está no comando de um negócio ou exerce uma atividade no governo. Ou seja, liderança é uma questão de perfil e não de função. “Portanto, a mudança que se espera não depende de governos ou de outra empresa. É uma responsabilidade compartilhada, é de todo mundo”, frisou

Sustentabilidade - Segundo Loyola, a crise atual é democrática pois atingiu todo mundo. “O que estamos vendo é um cenário de falências, desemprego, mudanças na indústria, falta de confiança, protecionismo e desmantelamento de cadeias de negócios. Nunca passamos por uma crise dessa, então, não sabemos quanto tempo ela vai durar. Mas sempre há uma luz no final do túnel, e essa luz é a sustentabilidade. E para que possamos sair dessa mais fortalecidos, temos que trazer a inovação para a questão da sustentabilidade. A inovação vai ser o grande vetor de transformação. E são os líderes de hoje que tem a responsabilidade de moldar esse novo normal”, afirmou.

Renascimento - Em sua fala, Loyola trouxe a conceituação do que se entende atualmente por sustentabilidade. “Atingimos uma maturidade em relação a esse tema, porque no início a sustentabilidade tinha um viés ambiental e de responsabilidade social. Hoje tem uma compreensão mais ampla e sistêmica. Entende-se sustentabilidade como o equilíbrio entre o social, o ambiental e o econômico”, comentou.

Diferencial - Na sua avaliação há dois caminhos para uma organização adotar a sustentabilidade como estratégia: pelo amor ou pela dor. “Uma empresa ou cooperativa pode entender que sustentabilidade gera valor, ganhos. O contrário disso é começar a perder capital, pois um dia a conta chega”, disse.

Visão sistêmica - Loyola listou ainda alguns passos que a organização deve seguir para adotar a sustentabilidade. “O primeiro ponto é ter uma visão sistêmica. Sim, está tudo conectado. Quando algo não funciona bem na minha cooperativa, isto vai impactar em outro lugar. A partir do momento que começamos a entender a cooperativa como algo sistêmico, começamos a entender mais o todo, as decisões passam a ser mais assertivas”, disse. O segundo ponto é a conexão com os nossos stakeholders, ou seja, com as partes interessadas. “No caso das cooperativas, temos os cooperados, os funcionários, os fornecedores, a comunidade, associações de classes, governo, enfim, vários públicos que são afetados ou afetam a cooperativa de uma forma ou de outra. Sim, todas as partes interessadas devem fazer parte da estratégia de negócios. Quando isso acontece, passa de uma relação de negócios para uma relação de parceria.”

Sem um planeta B - O terceiro e quarto pontos incluem mapear os riscos, ação essa essencial para a tomada de decisão que mais assertiva, e saber os impactos dos negócios para a sociedade. “O último é a sustentabilidade. Não temos um planeta B. Portanto, temos que cuidar do que temos.”

{vsig}2020/noticias/07/27/live/{/vsig}

SICOOB MÉDIO OESTE: Cooperativa realiza AGO online e elege novo Conselho de Administração

Em razão da pandemia do novo coronavírus, o Sicoob Médio Oeste realizou a primeira Assembleia Geral Ordinária online de sua história. A reunião, que foi transmitida por meio do aplicativo Moob, aconteceu na noite da última quinta-feira (23/07) e transcorreu dentro da maior normalidade possível, superando as expectativas com participação considerável dos cooperados.

Resultado - Na oportunidade, foi apresentado, discutido e aprovado o resultado do exercício de 2019. No ano passado, a cooperativa teve uma evolução geral de mais de 20% em relação a 2018. Em número de cooperados, a singular cresceu 21%, já em Capital Social foram 41% de aumento e em resultados, que serão distribuídos aos cooperados, houve aumento de 32%.

Eleição - Além disso, foi realizada a eleição do novo presidente, vice-presidente e substituição de quatro membros do Conselho de Administração para os próximos três anos. Edson de Oliveira Pereira e Marcelo Benevenuto deixaram presidência e vice-presidência, sendo eleitos Rafael de Souza Katarinhuk e Lucídio Rech, respectivamente.

Crescimento - O até então presidente, Edson de Oliveira Pereira, relembrou do crescimento da cooperativa no período de 2018 a 2019 e também dos resultados positivos no triênio dos diretores que agora deixam suas funções. “Só tenho que agradecer a todos pelo trabalho incansável para consolidar as ações e projetos da nossa cooperativa que segue firme e forte em seus propósitos, agora na presidência do Rafael Katarinhuk”, disse.

Novo desafio - Segundo o novo presidente, Rafael de Souza Katarinhuk, todos tem vivido algo que ninguém nunca imaginou, apesar do planejamento da cooperativa. “Muitas coisas que demorariam para acontecer, chegaram muito rápido, principalmente o mundo digital. Temos o novo desafio de conseguir colocar a cooperativa no mesmo trilho de crescimento que vem acontecendo nos últimos anos, apesar de toda a mudança global imposta por essa pandemia”, resumiu. (Imprensa Sicoob Médio Oeste)

{vsig}2020/noticias/07/27/sicoob_medio_oeste/{/vsig}

CASTROLANDA: Cooperativa investe em bem-estar animal para gerar mais produtividade e desempenho

A suinocultura brasileira teve saldo positivo no ano de 2019. Para 2020, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) prevê alta de 2,4% do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do setor agropecuário. No caso da pecuária, principalmente na produção de suínos, com projeção de alta de 3,9%. Estas mudanças já foram sentidas em comparação ao mesmo período do ano anterior, com registro de alta nos preços da tonelada e no volume.

Sanidade - Estes aumentos também são relacionados à boa sanidade, foco com o bem-estar animal e a industrialização dentro das granjas no Brasil. Para a Castrolanda, estes procedimentos são uma realidade. A nova estrutura da Unidade de Produção de Leitões (UPL II), em Piraí do Sul/PR, foi construída para atender todas as demandas que o mercado exige.

Primeiro ciclo - Em pleno funcionamento desde setembro de 2019, a UPL II completou seu primeiro ciclo no final do mês de junho, período em que todos os leitões foram entregues aos produtores da Cooperativa. Segundo o Supervisor de Produção da Unidade, Jackson Pereira, a nova estrutura traz modernidade para todos os elos da cadeia. “Na UPL II são 6500 criadeiras e toda a unidade foi pensada a partir das normativas de bem-estar animal”, afirma.

Objetivo - No novo projeto o objetivo é atender todos os requisitos sem pecar na qualidade e produtividade. “Prezamos sempre pela qualidade do leitão entregue, que leva em conta a saúde, idade e peso. Precisamos de um controle bem grande em questões de higiene da instalação, vazio sanitário, vacinações dos leitões e criadeiras. É um elo entre manejo, sanidade e nutrição, os três devem estar equilibrados”, destaca o Supervisor de Produção da Unidade, Jackson Pereira.  

Tecnologia - A tecnologia é uma aliada ao bem-estar animal. O Coordenador de Produção, Euler Kiefer, explica sobre os investimentos na UPL II. “A Cooperativa prioriza o bem-estar animal em primeiro lugar, com isso alcançamos maior qualidade da carcaça. Os animais que não passam pelo processo de estresse conseguem demonstrar um maior potencial zootécnico e como consequência um destaque em desempenho e qualidade”. Euler enfatiza que as principais melhorias foram com relação aos alojamentos de fêmeas prenhas em baias coletivas, climatização da barracões com telhas isotérmicas e cortinas automatizadas, utilização de pisos 100% vazados nas creches, além de alta disponibilidade de comedouros e bebedouros por animal.

Mercado e inovações - “Estamos sempre atentos ao mercado e inovações, todos os equipamentos se destacam por tecnologias inovadoras, que atendam todas as necessidades de manejo e possuam retorno sobre o investimento. Tudo foi construído e pensado em benefício aos animais e ao retorno que a produção tem”, afirma o Coordenador.

Custo x produtividade - A UPL I, em Castro/PR, é uma das granjas de suínos mais otimizadas do país, sendo reconhecida diversas vezes pelo seu trabalho. Em 2017 recebeu o 3º lugar na categoria granjas com mais de 3000 matrizes no prêmio ‘Melhores da Suinocultura – 9ª edição Agriness’.

Evoluções - “Buscamos sempre estar atentos as evoluções da cadeia, pois hoje a suinocultura é trabalhada com muito custo, então o que você conseguir economizar é sempre lucro. Procuramos manter as nossas marcas sem pecar na qualidade da produção. O maior impacto no custo, com certeza é a ração, chega a quase 70%, depois medicamento, com relação a sanidade e por último a mão de obra”, comenta Jackson.

Produtividade - Para Euler, a tecnologia é uma questão diretamente relacionada a produtividade, desde os cochos, bebedouros e pisos, até a automação de cortinas. “Podemos exemplificar onde animais terminados oriundos de uma mesma origem possuem resultados divergentes na fase de terminação. Pode se observar uma variação de até 300 gramas na conversão alimentar, esses resultados estão atrelados a um bom manejo, assim como estrutura e equipamentos”, explica.

Qualidade - De dentro das granjas, os produtores também investem nestas mudanças para entregar produtos com mais qualidade. O suinocultor Armando Rabbers traz a perspectiva de investimentos e mudanças de processo.

Vazio sanitário - “Prezamos sempre para o vazio sanitário o que nos ajuda no controle e evita muitos problemas com relação a sanidade. Procuramos sempre respeitar a lotação adequada para evitar o estresse desses animais, temos muito cuidado no carregamento e ao descarregar. Todos estes detalhes influenciam no produto, na qualidade da carne e na parte financeira da granja”, confirma o produtor. (Imprensa Castrolanda)

{vsig}2020/noticias/07/27/castrolanda/{/vsig}

PRIMATO I: Reunião de Campo Digital será realizada no Dia do Agricultor

primato I 27 07 2020Desde 1960 que o Dia do Agricultor é celebrado em 28 de julho. A data lembra a criação do Ministério da Agricultura, no mandato de Juscelino Kubitschek. E, para celebrar esse importante momento, a Primato Cooperativa Agroindustrial irá promover a Reunião de Campo Digital 2020.

Cooperativa - A Reunião de Campo Digital 2020 acontece devido a pandemia e que não há possibilidades, ainda, de reunir os cooperados e produtores rurais em estações de campo como é o modelo deste tipo de evento. “Estamos passando por um novo momento onde ainda precisamos ter atenção, cuidados e promovermos prevenção nos relacionamentos com nossos cooperados de forma presencial, mas, entendemos que é preciso encontrar novas formas de haver essa interação, por isso, no dia do agricultor iremos promover a reunião de Campo Digital para falarmos dos resultados e ações da cooperativa neste semestre, entre outros assuntos”, destacou o diretor presidente da Primato, Ilmo Werle Welter, que será um dos palestrantes.

Ações - “A cooperativa só existe devido aos nossos cooperados que acreditam e são parceiros nos negócios desenvolvidos, por isso, outro tema importante será as ações ao produtor que a Primato vem desenvolvendo nestes 23 anos. Um dos principais tópicos deste tema vai abordar novas formas de financiamento via a MP do Agro, sancionada recentemente pelo Governo Federal”, explicou o diretor vice-presidente da Primato, Cezar Luiz Dondoni, que também será um dos palestrantes do evento.

Outros - Outros tópicos das ações ao produtor são produtos, serviços, assistência ao produtor disponibilizado pela cooperativa.

Digital - “Devido à pandemia do coronavírus estamos vivendo um momento de muitas restrições principalmente no que tange ao relacionamento com nossos cooperados e clientes. Por isso, a importância da transformação digital, algo que desde o ano passado estamos implementando em todos os negócios da Primato. Por isso, este tema tem muita relevância e o fato do evento ser digital é uma prova de quão importante é este processo dentro de nossa cooperativa”, enfatizou o diretor executivo da Primato, Anderson Sabadin que compõem o trio de palestrantes da Reunião de Campo Digital Primato 2020.

Compliance - Outro tema que vai ser abordado será o Compliance dentro da cooperativa.

Evento - A Reunião de Campo Digital Primato 2020 acontece dia 28 de julho, às 19h, e a transmissão será feita por meio dos canais da Primato no Youtube (primatocooperativaagroindustrial) e, também, pela página do Facebook (@CooperativaAgroindustrialPrimato). (Imprensa Primato)

 

PRIMATO II: Live Solidária teve grande audiência

primoto II 27 07 2020Em celebração ao aniversário de 23 anos de fundação, a Primato promoveu a Live Solidária, no dia 19 de julho, ação que também fez parte do Projeto Primar da cooperativa. A Dupla Gustavo Toledo e Gabriel fez a alegria com música, animação e descontração por mais de quatro horas. A transmissão foi feita pelos canais da Primato e da dupla no Youtube e Facebook.

Solidária - “O objetivo é cooperar, principalmente no momento em que vivemos. Queremos estar presente na comunidade onde estamos inseridos e isso passa pela cooperação”, destacou o presidente da Primato, Ilmo Werle Welter.

Sorteios - Durante a Live Solidária foram realizados diversos sorteios especiais. “Tivemos sorteios diversos e também a arrecadação de cestas de alimentos que serão entregues na próxima semana para instituições de assistência social”, enalteceu Ilmo.

Arrecadação - Foram arrecadas mais de 30 toneladas de alimentos. “Nosso objetivo era chegar a 30 toneladas de alimentos, pois toda a arrecadação será convertida às instituições de assistência social de Toledo e conseguimos atingir essa meta. Ficamos muito gratos, afinal, o público comprou a ideia e na próxima semana iremos fazer a entrega dos alimentos, uma marca importante para todos nós”, enalteceu o diretor executivo da Primato, Anderson Sabadin.

Momento especial - “A Live Solidária Primato foi um momento muito especial, em que a dupla Gustavo Toledo e Gabriel com sua banda animou o domingo especial com mais de quatro horas de música, alegria e descontração. Tivemos uma excelente audiência ao vivo e também de visualização posterior que atingiu cerca de 110 mil, e neste momento em que os bailes e eventos estão suspensos devido a pandemia. Foi uma forma para matarmos a saudade e celebrar os 23 anos de nossa cooperativa”, disse Sabadin.

Acesso - Para quem ainda não conferiu basta acessar os canais no youtube do GTG (gtgoficial), Primato (primatocooperativaagroindustrial) e também pela página do Facebook (@CooperativaAgroindustrialPrimato). (Imprensa Primato)

 

COCAMAR I: Transcocamar e Posto Cocamar homenageiam motoristas

Durante a sexta-feira e o sábado (dias 24 e 25/07) – este último consagrado a São Cristóvão, padroeiro dos motoristas - a Transcocamar e o Posto Cocamar prestaram um reconhecimento aos motoristas que passaram pelas empresas para, respectivamente, negociar sua carga e fazer o abastecimento.

Kit - Eles foram presenteados com um kit para a prevenção do novo coronavírus, composto por álcool em gel, máscara e um copo, e também uma camiseta alusiva à data.

Comemoração - Por causa da pandemia, a distribuição dos kits substituiu a tradicional comemoração promovida no pátio das empresas que ficam às margens da rodovia PR 317 e que nos últimos anos tem reunido centenas de participantes em atividades recreativas e para avaliação da saúde.

Testagem rápida - A propósito, no início de junho, a Transcocamar foi um dos locais preparados para a testagem rápida da Covid-19. A mobilização nacional intitulada "Transporte em Ação" realizada pelo Sest Senat para testar 30 mil motoristas profissionais, destinou para o local 150 kits gratuitos de teste rápido.

Saúde na Estrada - E, no final de junho, o Posto Cocamar sediou uma edição do programa Saúde na Estrada, organizado em parceria com a Rede de Postos Ipiranga. Em dois dias, tomando-se todos os cuidados, 798 profissionais passaram pelo local, recebendo orientações para prevenirem a Covid-19 e submetendo-se a uma série de exames como aferição da temperatura corpórea, pressão, glicemia e outros.

Marcante - O gerente executivo de Logística Integrada, Ezequiel Scopel, e o gerente de Combustíveis, Cleverton Ruffo, ressaltam que o motorista desempenha uma atividade essencial para a distribuição de alimentos e para garantir o abastecimento da população. “Essa data é marcante para os motoristas, buscamos uma maneira diferente de agradecer a todos pela dedicação diária com as atividades da cooperativa e dos nossos cooperados”, afirma Scopel. “A ação é uma forma de agradecer e valorizar ainda mais o trabalho desempenhado pelos motoristas”, complementa Ruffo. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2020/noticias/07/27/cocamar_I/{/vsig}

COCAMAR II: Basf reconhece qualidade no tratamento industrial das Sementes Cocamar

Entre as principais parceiras da Cocamar, a empresa Basf concedeu pelo segundo ano seguido, à cooperativa, o Selo Seed Solutions - Excelência no Tratamento de Sementes.

Reconhecimento - Conforme explica o engenheiro agrônomo Rafael Franciscatti, Representante Técnico de Vendas da Basf, trata-se de um reconhecimento prestado à Cocamar pela qualidade no tratamento industrial de suas sementes de soja, que são tratadas com produtos específicos da companhia.

Padrão - “A Basf trabalha de acordo com um parâmetro nacional de qualidade e a Cocamar, pelo segundo ano consecutivo, atendeu a esse padrão”, comenta Franciscatti.

Seriedade - A entrega do troféu foi feita por ele no dia 15 deste mês na Unidade de Beneficiamento de Sementes (UBS) da cooperativa, em São Sebastião da Amoreira-PR, ao gerente Diogo Rodrigo Amaral. “Isto demonstra a seriedade com que a Cocamar trabalha com suas sementes no tratamento industrial, assegurando assim aos cooperados a qualidade do produto que estão recebendo”, afirma Amaral.

Selo - No Sul do Brasil, há mais de 2 mil empresas que fazem o tratamento Industrial de sementes, das quais apenas 12 contam com o Selo de Qualidade Seed Solutions concedido pela Basf - e a Cocamar está entre elas. Com isso, tem-se uma ideia de importância da distinção prestada à cooperativa. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2020/noticias/07/27/cocamar_II/{/vsig}

BOM JESUS: A importância da rotação de culturas

bom jesus 27 07 2020A crescente demanda mundial por alimentos e fibras impõe uma constante pressão sobre as áreas agrícolas e recursos naturais, direcionando a agricultura moderna para sistemas de produção que garantam a elevação da produtividade das culturas e reduzam os impactos negativos sobre esses recursos. Nesse sentido, algumas práticas agrícolas, envolvendo o manejo do solo, a adubação verde, a adubação orgânica, a rotação e a sucessão de culturas, entre outras, passam a ter maior importância.

Alternância - Conforme orientações da Embrapa e estudos já realizados pela Cooperativa Bom Jesus, a rotação de culturas consiste em alternar, anualmente, espécies vegetais numa mesma área agrícola. As espécies escolhidas devem ter, ao mesmo tempo, propósitos comerciais e de recuperação do solo. As vantagens da rotação de culturas são inúmeras. Além de proporcionar a produção diversificada de alimentos e outros produtos agrícolas, se adotada e conduzida de modo adequado e por um período suficientemente longo, essa prática melhora as características físicas, químicas e biológicas do solo, auxilia no controle de plantas daninhas, doenças e pragas, repõe a matéria orgânica e protege o solo da ação dos agentes climáticos e ajuda a viabilização do Sistema de Semeadura Direta e dos seus efeitos benéficos sobre a produção agropecuária e sobre o ambiente como um todo. Além disso, a rotação de culturas viabiliza uma melhor utilização de máquinas e equipamentos, reduzindo o custo do capital imobilizado do empreendimento agrícola, ou sejas, da degradação do imobilizado.

Outras espécies - Para uma rotação de culturas, há a necessidade de se introduzir no sistema agrícola outras espécies de preferência gramíneas, como o milho, a pastagem e outras para equilibrar melhor o ecossistema agrícola. Um esquema de rotação deve ter flexibilidade, de modo a atender às particularidades regionais e às perspectivas de comercialização dos produtos. Além disso, as espécies vegetais envolvidas na rotação de culturas, devem ser consideradas do ponto de vista de sua exploração comercial ou destinadas somente à cobertura do solo e adubação verde.

Vantagem - A cultura do milho, de ampla adaptação às diferentes condições, tem ainda a vantagem de deixar uma grande quantidade de restos culturais, que, uma vez bem manejada, pode contribuir para reduzir a erosão e melhorar o solo. Desta forma, sua inclusão em um esquema de rotação é fundamental. A sustentabilidade de um sistema de produção não está apoiada apenas em aspectos de conservação e preservação ambiental, mas também nos aspectos econômicos e comerciais. No início do sistema de plantio direto, é importante priorizar a cobertura do solo, principalmente se as áreas apresentarem um certo grau de degradação. Para isto, onde for possível, as culturas de milho e de aveia, integradas de forma planejada no sistema de rotação, proporcionam alto potencial de produção de fitomassa e elevada relação Carbono/Nitrogênio, garantindo a manutenção de cobertura do solo dentro da quantidade mínima preconizada e por maior tempo de permanência na superfície. (Imprensa Bom Jesus, com informações da Embrapa)

FOTO: Tatiane Figura / Cooperativa Bom Jesus

 

AGROPECUÁRIA: Boletim analisa recuperação de preços na suinocultura

agropecuaria 27 07 2020O Boletim Semanal de Conjuntura, elaborado por técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, analisando a situação dos principais produtos agropecuários paranaenses, destacou, na sexta-feira (24/07), a recuperação no preço médio recebido pelos suinocultores do Estado. Confira o boletim no endereço www.agricultura.pr.gov.br/Pagina/Conjuntura-Boletim-Semanal-122020.

Comparativo - Na semana passada, o quilo fechou em R$ 4,91 ante R$ 4,54 da semana retrasada, uma alta de 8% no período. Se o comparativo for feito com o preço médio de junho, o aumento é ainda mais significativo, chegando a quase 15%.

Produtor - Normalmente, o aumento no preço do suíno beneficia, em primeiro lugar, o produtor independente que é responsável por pouco mais de 20% da produção paranaense. Os outros produtores são os integrados à indústria. Eles têm uma relação contratual com uma empresa integradora e a remuneração, em geral, segue outros critérios que não somente o preço praticado no mercado.

Segundo maior produtor nacional- O Paraná é o segundo produtor nacional de carne suína, com 842,7 mil toneladas/ano, o que representa aproximadamente 22% da produção brasileira. Normalmente, o maior consumo é observado no segundo semestre. Por isso, a tendência é de ajuste fino entre a oferta e a demanda, equilibrando-se a produção e estabilizando os preços.

Queijo e ovos- Ainda referindo-se a produto da pecuária, o boletim fala do queijo, que, entre os derivados lácteos, teve a maior variação este ano no varejo. Entre maio e junho, o muçarela e o prato, por exemplo, tiveram os preços aumentados em 20%. Também merece citação o parmesão, com reajuste de 10%.

Projeção - No segmento de ovos, a projeção é de aumento na produção e no consumo interno do produto, passando de 230 para 250 ovos por habitante/ano. A produção deve chegar a 53 bilhões de unidades este ano, com retração na exportação, que pode cair mais de 50% em relação a 2019.

Milho e hortifrúti - O boletim traz informações, ainda, da colheita da segunda safra de milho. Na semana passada, atingiu-se a marca de 17% da área plantada, de 2,3 milhões de hectares. A produtividade tem surpreendido, com rendimento acima do esperado, apesar do impacto da seca.

Fruticultura - Em relação à fruticultura, o documento analisa a exportação brasileira, que teve crescimento no primeiro semestre. A citricultura, principal atividade frutícola do Paraná, foi a que teve maior aumento em vendas externas pelo Brasil, com acréscimo de 158%.

Olericultura - Na olericultura, o registro é de redução no preço médio de vários produtos, como batata lisa, beterraba, couve-flor e tomate, enquanto outros tiveram elevação, com destaque para chuchu e pepino.

Outros produtos- O boletim também apresenta dados sobre a produção de soja que hoje se estende por todas as regiões do Estado, embora o Sul ainda tenha o maior volume. O trigo, que já está praticamente todo semeado, também é citado.

Mandioca - Com relação à mandioca, o relato é do plantio, que começou em junho no Noroeste. Em outras regiões, o terreno está sendo preparado, para iniciar em agosto. Também há colheita em várias partes do Estado. (Agência de Notícias do Paraná)

 

ITR: Prazo para entrega da Declaração sobre a Propriedade Territorial Rural vai de 17 de agosto a 30 de setembro

itr 27 07 2020A Instrução Normativa nº 1.967, publicada na sexta-feira (24/07) no Diário Oficial da União, estabelece normas e procedimentos para a apresentação da Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR). Além disso, informa os critérios de obrigatoriedade, a necessidade do uso de computador na elaboração da declaração e define as consequências da apresentação fora do prazo estabelecido.

Obrigatoriedade - Fica obrigada a apresentar o documento a pessoa física ou jurídica, exceto a imune ou isenta, proprietária, titular do domínio útil ou possuidora a qualquer título do imóvel rural. Também está obrigada a pessoa física ou jurídica que, entre 1º de janeiro de 2020 e a data da efetiva apresentação da declaração, perdeu a posse do imóvel rural ou o direito de propriedade pela transferência ou incorporação do imóvel rural ao patrimônio do expropriante.

2019 - Em 2019, foram entregues 5.795,48 milhões de declarações de ITR. Até o final deste ano, a expectativa é que 5,9 milhões de documentos sejam recebidos pela Receita Federal.

Programa - A DITR deve ser elaborada com uso de computador, por meio do Programa Gerador da Declaração do ITR, disponível na página da Receita Federal www.receita.economia.gov.br. A declaração pode ser enviada pela Internet ou entregue em mídia removível, acessível por porta USB, nas unidades da Receita Federal.

Multa - A multa para quem apresentar a DITR depois do prazo é de 1% ao mês ou fração de atraso, lançada de ofício e calculada sobre o total do imposto devido, não podendo seu valor ser inferior a R$ 50. Caso após a apresentação da declaração o contribuinte verificar que cometeu erros ou omitiu informações, deve, antes de iniciar o procedimento de lançamento de ofício, apresentar DITR retificadora, sem a interrupção do pagamento do imposto apurado na declaração original. A DITR retificadora tem a mesma natureza da originariamente apresentada, substituindo-a integralmente. Por isso, deve conter todas as informações anteriormente prestadas com as alterações e exclusões necessárias, bem como as informações adicionadas, se for o caso.

Quotas - O valor do imposto pode ser pago em até quatro quotas iguais, mensais e sucessivas, sendo que nenhuma quota pode ter valor inferior a R$ 50. O imposto de valor inferior a R$ 100 deve ser pago em quota única. A quota única ou a primeira quota deve ser paga até o dia 30 de setembro de 2020, último dia do prazo para a apresentação da DITR.

Formas de pagamento - O imposto pode ser pago mediante transferência eletrônica de fundos, por meio de sistemas eletrônicos das instituições financeiras autorizadas pela Receita Federal a operar com essa modalidade de arrecadação, ou por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf), em qualquer agência bancária integrante da rede arrecadadora de receitas federais. (Ministério da Economia)

FOTO: Assessoria Copagril

 

PENSE AGRO: Hackathon online busca soluções inovadoras para escolas agrícolas

pense agro 27 07 2020Previsto no plano de governo de Carlos Massa Ratinho Junior, o projeto da Escola Agrícola 4.0 começa a sair do papel. Nesta terça-feira (28/07), data em que é comemorado o Dia do Agricultor, o Governo do Estado lança o Pense Agro, um hackathon online que busca fomentar a cultura da inovação na agricultura familiar e desenvolver soluções tecnológicas para os colégios agrícolas paranaenses.

Projeto-piloto - As ideias desenvolvidas na maratona de inovação vão contribuir com o projeto-piloto da Escola Agrícola 4.0. A proposta do Governo do Estado é transformar a Granja Canguiri, ex-residência oficial dos governadores paranaenses, em um espaço de suporte ao Colégio Estadual de Educação Profissional (CEEP) Newton Freire Maia, que fica próximo ao imóvel, localizado em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Alternativas - No Pense Agro, serão desenvolvidas alternativas para serem aplicadas nas pequenas propriedades rurais da região e nas atividades do CEEP, que passará a contar com disciplinas voltadas para a inovação e vai funcionar como um laboratório do que pode ser aplicado em todo o Ensino Técnico Agrícola do Estado.

Sequência - “A criação da Escola Agrícola 4.0 dá sequência ao que nos comprometemos desde a campanha, de acabar com as regalias e dar um uso social aos imóveis que eram aproveitados apenas pelas autoridades”, afirma Ratinho Junior. “Assim como os investimentos públicos em infraestrutura, a produção agropecuária vai ajudar o Paraná a superar a crise após a pandemia. O Estado tem que ajudar a fomentar o setor com iniciativas como esta”, salienta.

Modernização - A proposta, de acordo com o governador, é também modernizar cada vez mais a agricultura do Paraná, que é referência no agronegócio nacional. “Os agricultores já estão há tempos trocando a enxada pelos smartphones e por tecnologias cada vez mais avançadas. Os colégios agrícolas também devem estar integrados com a inovação, para que os estudantes formados nessas escolas possam levar novas soluções para o campo”, destaca.

Inscrição - Para participar do evento de lançamento, que é virtual e conta com a participação do governador Ratinho Junior, basta se inscrever no link https://bit.ly/3fYd0lE. A transmissão inicia às 10h de terça-feira.

Hackathon - A maratona de inovação acontece entre 21 e 23 de agosto, mas as inscrições começam na terça-feira, após o lançamento oficial. Serão selecionados mil participantes, prioritariamente estudantes do Ensino Técnico Agrícola e de universidades. Mas professores e outros profissionais também podem se inscrever.

Soluções - O hackathon busca soluções que possam ser aplicadas não apenas no dia a dia do CEEP, como também nas atividades da agricultura familiar. Serão três temas principais: uso e reúso da água no processo produtivo; eficiência energética; e horticultura em condições climáticas adversas.

Programação revista - A maratona estava prevista para acontecer de forma presencial em março deste ano. Porém, com a pandemia do novo coronavírus, toda a programação foi revista para ser realizada virtualmente, mas mantendo a participação do público.

Eventos - Uma série de eventos online acontecem a partir da primeira semana de agosto (confira o cronograma abaixo), com workshops e palestras relacionadas ao setor. Os bate-papos virtuais incluem temas como Cooperativismo e Agricultura Familiar; Agro 4.0, Inovações e Tecnologia do Setor; e sobre cada um dos temas do hackathon.

Promoção - O Pense Agro é promovido pela Federação dos Trabalhadores Rurais e Agricultores Familiares do Estado do Paraná (Fetaep), com apoio do Governo do Estado. A metodologia do hackathon é da Startup Panic Lobster, que também foi responsável pelo Hack pelo Futuro. Primeiro hackathon online do Governo do Estado, a maratona contou com a participação de 600 pessoas desenvolvendo alternativas inovadoras para o pós-coronavírus. (Agência de Notícias do Paraná)

PROGRAMAÇÃO

LIVES E PALESTRAS

28/07 – Lançamento do Pense Agro (Dia do Agricultor)

05/08 – Tema: Cooperativismo e Agricultura Familiar

12/08 – Tema: Agro 4.0 Inovações e Tecnologia no Setor

17/08 – Tema: Desafio Energias Renováveis

18/08 – Tema: Desafio Uso e Reuso da Água

19/08 – Tema: Desafio Horticultura de Condições Climáticas

CRONOGRAMA DO HACKATHON

28/07 – Abertura das inscrições

16/08 – Encerramento das inscrições

18/08 a 20/08 – Montagem dos times

21/08 a 23/08 – Hackathon On-line

26/08 a 28/08 – Avaliação dos Jurados

31/08 – Live de Divulgação dos Vencedores

 

FOCUS: Mercado financeiro reduz projeção de queda do PIB para 5,77% neste ano

A previsão do mercado financeiro para a queda da economia brasileira este ano foi ajustada de 5,95% para 5,77%. A estimativa de recuo do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – está no boletim Focus, publicação divulgada todas as semanas pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos.

Próximo ano - Para o próximo ano, a expectativa é de crescimento de 3,50%, a mesma previsão há nove semanas consecutivas. Em 2022 e 2023, o mercado financeiro continua a projetar expansão de 2,50% do PIB.

Inflação - As instituições financeiras consultadas pelo BC também ajustaram a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 1,72% para 1,67%, neste ano. Para 2021, a estimativa de inflação permanece em 3%, há seis semanas consecutivas. A previsão para 2022 e 2023 também não teve alteração: 3,50% e 3,25%, respectivamente.

Piso da meta - A projeção para 2020 está abaixo do piso da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,5% e o superior, 5,5%.

2021 - Para 2021, a meta é 3,75%, para 2022, 3,50%, e para 2023, 3,25%, com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, em cada ano.

Selic - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 2,25% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Projeção - Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic encerre 2020 em 2% ao ano. Para o fim de 2021, a expectativa é que a taxa básica chegue a 3% ao ano. Para o fim de 2022, a previsão é 5% ao ano e para o final de 2023, 6% ao ano.

Tendência - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Entretanto, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Demanda aquecida - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Dólar - A previsão para a cotação do dólar permanece em R$ 5,20, ao final deste ano. Para o fim de 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 5. (Agência Brasil)

INFRAESTRUTURA: Governo já tem propostas para a obra do Contorno de Castro

infraestrutura 27 07 2020O Governo do Paraná já está com as propostas das empresas que disputam a licitação da obra de construção do Contorno Norte de Castro. O Contorno fará a ligação entre as rodovias PR-151 e PR-090 (Distrito Industrial I e II), e o objetivo é desviar o tráfego pesado da cidade.

Abertura dos envelopes - A sessão de abertura dos envelopes contendo as propostas foi realizada no dia 17 de julho. Agora, cabe ao Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) analisar os documentos que decidirão a vencedora da licitação.

Obras - Além da implantação dos pouco mais de 15 quilômetros do Contorno, as intervenções contemplam a construção de duas obras de artes especiais: um viaduto sobre a PR-151 e uma ponte sobre o rio Iapó, que corta a região.

Programa Estratégico - A obra está incluída no Programa Estratégico de Infraestrutura e Logística de Transportes do Paraná e conta com financiamento do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID).

Desenvolvimento - O secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, destacou a importância do empreendimento para o desenvolvimento econômico dos Campos Gerais. “Estamos falando de um investimento de mais de R$ 110 milhões. Tirar esse projeto do papel é a garantia de incentivar o progresso para Castro e região”, disse. “Com a viabilização do deslocamento entre os distritos industriais, o escoamento de boa parte da produção será facilitado. Além disso, o fluxo de veículos pesados dentro da cidade vai diminuir consideravelmente”, pontuou.

Na prática - O Contorno terá extensão de 15,6 quilômetros e, em todo o segmento, haverá três interseções com vias já existentes na região. A primeira delas trata-se do viaduto sobre a PR-151, que terá 27 metros de extensão.

Castrolanda - A segunda será uma interseção em nível, a partir de uma rotatória alongada, que dará acesso à cooperativa Castrolanda. Por fim, a terceira interseção foi projetada também em nível, já no entroncamento com a PR-090.

Velocidade máxima - A velocidade máxima para todo trecho será de 80 km/h, com uma faixa de rolamento de 3,6 metros por sentido e acostamentos de 2,5 metros para cada lado.

Ponte - A ponte sobre o rio Iapó terá 320,6 metros de extensão e 14 metros de largura. Neste segmento, a largura total da pista será também de 7,2 metros, acostamento de 3 metros, além de 40 centímetros de barreira de proteção para a ponte.

Prazo de execução - De acordo com o diretor-geral do DER/PR, Fernando Furiatti, o prazo de execução de toda a obra é estimado em 24 meses. “A construção do Contorno não é das mais simples, até pela necessidade das obras de artes especiais presentes no trecho”, afirmou. “Estamos em conformidade com todos os trâmites exigidos pelo BID, que começaram com a realização de Consulta Pública no início do ano, a publicação do edital de licitação e agora as análises das propostas. Sem dúvida será uma importante obra para todo Paraná”, acrescentou.

Licitação - O processo de escolha da empresa ou consórcio vencedor acontece no modelo de Licitação Pública Internacional, em que o critério a ser avaliado nas propostas de preço é o menor valor oferecido, desde que atendidas as qualificações para habilitação técnica previstas no edital. Todos os documentos referentes a essa licitação estão disponíveis no site Compras Paraná.

Animação - Confira uma animação sobre a obra: https://www.youtube.com/watch?v=kLFYd2xhmD4

Em andamento - No momento, as obras de pavimentação da PR-090, no trecho que vai dar acesso ao Contorno ainda estão em andamento. O trecho tem extensão de 2,6 quilômetros e fica na intersecção da PR-340 com a 090, ponto conhecido como Cruzo. Pouco mais de 37% das obras estão concluídas. (Agência de Notícias do Paraná)

 

ANTT: Agência reduz tarifa na BR-116/PR/SC

antt 27 07 2020A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou, no Diário Oficial da União do dia 22 de julho, a Deliberação 335, de 21 de julho de 2020, que autoriza a 12ª Revisão Ordinária, a 12ª Revisão Extraordinária e o Reajuste da Tarifa Básica de Pedágio - TBP da Autopista Planalto Sul S/A (BR- 116/PR/SC - Trecho Curitiba - Divisa SC/RS). As novas tarifas entraram em vigor a partir da zero hora de sexta-feira (24/07).

Efeito combinado - O efeito combinado da 12ª Revisão Ordinária e da 12ª Revisão Extraordinária altera a Tarifa Básica de Pedágio (TBP) vigente de R$ 3,39688 para R$ 3,12125, representando um decréscimo percentual de 8,11%, devido às alterações do Programa de Exploração da Rodovia (PER) por inexecuções apuradas.

Acréscimo percentual - O reajuste indicou o acréscimo percentual de 2,58% (dois inteiros e cinquenta e oito centésimos percentuais), correspondente à variação do IPCA, com vistas à recomposição tarifária.

Tarifa básica - A tarifa básica de pedágio, para a categoria de veículo 1, passa de R$ 6,50 (seis reais e cinquenta centavos) para R$ 6,20 (seis reais e vinte centavos) nas praças de P1, em Mandirituba/PR, P2, em Campo do Tenente/PR, P3, em Monte Castelo/SC, P4, em Santa Cecília/SC e P5, em Correia Pinto/SC.

Veja aqui a Deliberação na íntegra.

Revisões e reajustes - A ANTT, por força de lei, realiza anualmente o reajuste e a revisão das tarifas de pedágio das rodovias federais concedidas. Essas alterações tarifárias são aplicadas no aniversário do início da cobrança de pedágio.

Cálculo - As alterações de tarifa da Concessionária são calculadas a partir da combinação de três itens previstos em contrato:

Reajuste: tem por intuito a correção monetária dos valores da tarifa e leva em consideração a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Acontece uma vez ao ano, sempre no aniversário do início da cobrança de pedágio.

Revisão: visa recompor o equilíbrio econômico-financeiro celebrado no contrato de concessão.

Nas revisões ordinárias, são feitas as compensações na tarifa de pedágio por descumprimentos ou postergação de cláusulas contratuais, caso existam. Neste caso, pode haver, inclusive, decréscimo na tarifa básica, caso a fiscalização da ANTT verifique que a concessionária deixou de cumprir alguma obrigação prevista para aquele ano. Assim como o reajuste, a revisão ordinária acontece uma vez ao ano, sempre no aniversário do início da cobrança de pedágio.

As revisões extraordinárias podem ocorrer a qualquer tempo e abrigam os fatores de desequilíbrios derivados da inclusão de novas obrigações, não previstas inicialmente no contrato, a exemplo de inclusão de novas obras.

Arredondamento tarifário: tem por finalidade facilitar a fluidez do tráfego nas praças de pedágio e prevê que as tarifas devem ser múltiplas de R$ 0,10. Os efeitos econômicos do arredondamento são sempre compensados no processo de revisão subsequente. Ou seja, se neste ano a tarifa foi arredondada para cima, no próximo, o arredondamento será decrescente. (ANTT, com informações da Assessoria de Comunicação)

 

 

ENERGIA ELÉTRICA: Consumo no Paraná cai 5,9% no segundo trimestre

energia eletrica 27 07 2020O consumo de energia na área de concessão da Copel – que cobre 393 dos 399 municípios do Paraná – caiu 5,9% no segundo trimestre de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado, totalizando 4.554 GWh. A queda foi motivada, principalmente, pela redução da atividade econômica em diversas áreas, em função dos efeitos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Mercado fio” - Este resultado é o do chamado “mercado fio” da distribuidora da Copel, que inclui tanto a energia fornecida a consumidores cativos, atendidos pela Copel Distribuição, quanto consumidores livres – empresas com demanda maior que 500 kW que optam por deixar o mercado regulado para negociar a compra de energia no mercado livre.

Maior queda - A maior queda no consumo se deu entre os clientes do mercado livre de energia, ou seja, entre empresas de maior porte. O consumo neste segmento caiu 6,7% no segundo trimestre, na comparação com 2019.

Mercado cativo - Já o consumo de energia no mercado cativo da Copel caiu 5,8%. A baixa se deu principalmente por causa dos setores de comércio e serviços (-19,1%) e industrial (-18,8%). Já os segmentos residencial e rural apresentaram altas no consumo de energia, de 5,2% e 3,3%, respectivamente.

Consumidores residenciais - A Copel possui 3,8 milhões de consumidores residenciais (de um total de 4,7 milhões de clientes). Esse segmento representou 41,5% do total do consumo de energia do mercado cativo da Copel no segundo trimestre de 2020.

Consumo médio - O consumo médio mensal dos clientes residenciais subiu 3,1% nos últimos três meses, na comparação com o mesmo período de 2019, passando de 158 kWh/mês para 163 kWh/mês por unidade consumidora, em média.

Classe rura l- Já o desempenho da classe rural reflete os bons resultados do agronegócio paranaense nos últimos meses, apesar dos efeitos negativos da pandemia. Ao final de junho de 2020, a classe representou 13,1% do consumo do mercado cativo da Copel com 348.758 consumidores. (Agência de Notícias do Paraná)

 

SAÚDE I: Em 24 horas, Brasil registra mais 555 mortes por Covid-19

O balanço divulgado neste domingo (26/07) pelo Ministério da Saúde (MS) revela que 555 morreram de Covid-19 nas últimas 24 horas. Com isso, chega a 87.004 o total de vidas perdidas para o novo coronavírus desde o começo da pandemia. Além disso, foram confirmados 24.578 casos, elevando para 2.419.091 o total. Este número inclui 1.634.274 pessoas (67,6%) que tiveram a doença e foram curadas.

Estados - Os estados com mais registro de mortes por Covid-19 são: São Paulo (21.606), Rio de Janeiro (12.835), Ceará (7.493), Pernambuco (6.352) e Pará (5.716). As unidades da Federação com menor número de óbitos pela pandemia são: Mato Grosso do Sul (305), Tocantins (346), Roraima (473), Acre (486) e Amapá (554).

Casos confirmados - Os estados com mais casos confirmados da doença são: São Paulo (483.982), Ceará (162.085), Rio de Janeiro (156.325), Pará (148.463) e Bahia (148.179). As unidades da Federação que tiveram menos pessoas infectadas até agora são: Acre (18.745), Mato Grosso do Sul (21.514), Tocantins (21.767), Roraima (29.829) e Amapá (35.220). (Agência Brasil)

SAÚDE II: Mais 1.613 casos e 18 óbitos são registrados no Paraná

saude II 27 07 2020A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste domingo (26/07) 1.613 novas confirmações e 18 mortes pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná acumula 66.509 diagnósticos positivos e 1.650 mortos em decorrência da doença.

Internados- 1.050 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estavam internados neste domingo: 810 pacientes em leitos SUS (368 em UTI e 442 em leitos clínicos/enfermaria) e 240 em leitos da rede particular (98 em UTI e 142 em leitos clínicos/enfermaria).

Resultados - Há outros 1.122 pacientes internados, 523 em leitos UTI e 599 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de 18 pacientes, todos estavam internados. São 9 mulheres e 9 homens, com idades que variam de 43 a 86 anos. Os óbitos ocorreram entre os dias 19 a 26 de julho. Os pacientes que faleceram residiam em: Curitiba (8), Fazenda Rio Grande (2) e um novo caso em cada um dos seguintes municípios: Cascavel, Cianorte, Colombo, Irati, Jardim Alegre, Mandirituba, Pérola D’Oeste e São José dos Pinhais.

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 711 casos de residentes de fora. 21 pessoas foram a óbito. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo AQUI.

 


Versão para impressão


RODAPE