Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4880 | 05 de Agosto de 2020

REUNIÃO INSTITUCIONAL: Unimed Guarapuava recepciona Sistema Ocepar em reunião virtual

Na manhã desta terça-feira (04/08), a cooperativa do ramo saúde, com sede em Guarapuava, no centro-sul do Paraná, foi a protagonista da reunião institucional do Sistema Ocepar, a 40ª na modalidade virtual. Na oportunidade, foi apresentada a situação econômico-financeira da Unimed Guarapuava, por meio de indicadores e comparativos com outras cooperativas paranaenses do mesmo ramo e região, com o intuito de manter a qualidade da gestão, credibilidade perante terceiros, transparência frente ao quadro social e, principalmente, a solidificação do sistema cooperativista. Ainda durante o encontro, foi feito o relato das ações da entidade em prol do cooperativismo no período de quarentena, indicadores do sistema, bem como exposição de treinamentos e capacitações do Sescoop/PR.

Agilidade – O superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, lembrou que, por causa das medidas de prevenção à Covid-19, as atividades do Sistema Ocepar estão sendo desempenhadas em home office já há 130 dias. Ressaltou, porém, que a modalidade remota tem dado resultados acima do esperado, porque as interlocuções virtuais favorecem o agendamento e cumprimento de maior número de compromissos no mesmo dia, incluindo mais profissionais da entidade, em eventos em várias partes do estado e mesmo do país. “A tecnologia tem permitido aumento fantástico da produtividade. Por exemplo, um minuto depois de sair da assembleia da Cooperativa Nova Produtiva, em Astorga, no norte do estado, o presidente Ricken já está participando da reunião com vocês, em Guarapuava, no centro-sul”, ilustrou.

Relato  Boesche enfatizou que o Sistema Ocepar ao longo deste período tem desenvolvido uma série de ações em favor do fortalecimento do cooperativismo, principalmente por meio de uma comunicação mais efetiva. “A tecnologia permite termos mais contato com autoridades, como o próprio governador do Paraná e seus secretários, com lideranças de outros segmentos produtivos, bem como autoridades em Brasília, por meio de ação da OCB. São ações políticas e institucionais que o Sistema faz em defesa dos interesses de nossas cooperativas”, sintetizou. O superintendente acrescentou ainda que “tudo o que fazemos está focado nas cooperativas, no setor, como um todo. Mas é muito importante o contato individual, para sabermos das demandas específicas e dar o suporte às necessidades de cada uma”.

Profissionalismo – O presidente José Roberto Ricken reafirmou o compromisso da entidade em trabalhar em benefício do setor cooperativista, visando à consolidação do sistema, com reflexos na evolução socioeconômica dos cooperados, dos seus funcionários e, consequentemente, de toda a sociedade. Destacou que a quarentena imposta pela Covid-19 não tem sido empecilho para o desenvolvimento de suas ações. Ao contrário, a adaptação à nova realidade permitiu agilizar os contatos, promover a atualização de planejamento de ações e acrescentar estratégias em defesa dos interesses das cooperativas. Na oportunidade, parabenizou a diretoria da Unimed Guarapuava pela gestão correta que se traduz nos resultados obtidos pela cooperativa. “Vocês estão no caminho certo. Isso é profissionalização.” E enfatizou que a entidade “tem uma ligação muito forte com o cooperativismo de saúde. E temos uma equipe preparada para continuar dando suporte ao setor”.

Resultado – O presidente da Unimed Guarapuava, Eric Prado Diegues, agradeceu ao Sistema Ocepar pela reunião virtual e avaliação do desempenho da cooperativa no primeiro semestre de 2020. Segundo ele, o conteúdo da apresentação “foi muito bom, fantástico. E reflete o resultado do trabalho de todos nós nos últimos anos, decorrente do planejamento, capacitação e profissionalismo”.

Participantes – Além do presidente Ricken e do superintendente Boesche, pelo Sistema Ocepar, participaram a gerente de Desenvolvimento Cooperativo, Maria Emilia Pereira Lima, o coordenador de Desenvolvimento Cooperativo, João Gogola Neto, o analista técnico Emerson Barcik, entre outros profissionais. A Unimed Guarapuava, além do presidente Diegues, esteve representada na reunião pelo vice-presidente José Moacir Mierzva, pelo secretário João Dias Junior, pela gerente geral Giani Selau e pelo gerente de mercado Bruno Marcello Aggio.

{vsig}2020/noticias/08/05/reuniao_institucional/{/vsig}

 

COVID-19 I: Confira as informações do comunicado 89 do Comitê de Acompanhamento

covid 19 destaque 05 08 2020O Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar emitiu, nesta terça-feira (04/08), o comunicado 89 informando sobre mais ações executadas pela entidade nesse período de trabalho remoto, como a realização, na segunda-feira (03/08), de reunião virtual com todos os funcionários para debater o planejamento, ações e metas a serem desenvolvidas até o final do ano. Veja abaixo todos os destaques.

1. No dia 3 de agosto, o Sistema Ocepar realizou reunião virtual com todos os funcionários para discutir o planejamento, ações e as metas que serão desenvolvidas até o final de 2020, tendo como objetivo contribuir para o desenvolvimento do cooperativismo paranaense.

2. O Sistema Ocepar participou da reunião virtual organizada pelo Sistema OCB e parlamentares com a Embaixada do Irã.

3. No dia 3 de agosto, o Sistema Ocepar definiu a data e pauta da 16ª Reunião Ordinária da Diretoria da Ocepar e da Fecoopar, a ser realizada no próximo dia 12/08, pela plataforma Teams, para tratar os itens tradicionais e apresentar as propostas para a nova concessão das rodovias do Paraná e da reforma tributária em tramitação no Congresso Nacional.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

COVID-19 II: Prática do Paraná é apresentada na Jornada de Governança; esse é um dos destaques do comunicado 90

covid 19 destaque 05 08 2020O comunicado 90, publicado na manhã desta quarta-feira (05/08) pelo Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19, traz entre os seus destaques a apresentação da prática adotada no Paraná feita pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, no Encontro Jornada de Governança, promovido pelo Sescoop Nacional, nesta terça-feira (04/08). Veja abaixo todas as informações do boletim.

1. O Sistema Ocepar realizou Reunião da Autogestão de forma virtual, no dia 4 de agosto, com a cooperativa Unimed Guarapuava, contando com a participação do presidente, diretores e gestores.

2. No dia 4 de agosto, o Sistema Ocepar participou da reunião virtual com o Sistema OCB para discutir sobre os custos cartoriais.

3. O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, participou, no dia 4 de agosto, do Encontro Jornada de Governança, promovido do Sescoop Nacional, com objetivo de apresentar a prática de governança do Paraná.

4. O Sistema OCB realizou reunião virtual, no dia 4 de agosto, com representantes da Ocepar e das cooperativas Copacol e Central Aurora para acompanhar os desdobramentos das estratégias definidas para a Cosit-11.

5. No dia 3 de agosto, o Governo do Paraná publicou, por meio da Secretária Estadual de Saúde, a Resolução Sesa nº 944, que determina a adoção de medidas de prevenção e controle da transmissão do SARSCoV-2 pelas indústrias de abate e processamento de carnes em todas as suas plantas frigoríficas, no âmbito do Paraná.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

CASTROLANDA: Cooperativa realiza primeira assembleia totalmente virtual

Guiada pelo diretor-presidente, Willem Berend Bouwman e pelo diretor-executivo, Seung Hyun Lee, a Cooperativa Castrolanda realizou mais uma Pré-Assembleia Semestral de Balanço. O tradicional encontro entre diretoria e cooperados teve como tema 'A Cooperação é o que nos move' e apresentou os resultados da primeira metade do ano em cada um dos negócios. Em quase 70 anos de história, esta foi a primeira vez em que a cooperativa realizou a Pré-Assembleia totalmente on-line.

Pandemia - Devido à pandemia de Covid-19 e a necessidade de distanciamento social, o evento ganhou novos moldes. “No início estávamos preocupados se conseguiríamos, de fato, atingir nossos associados. Agora estamos felizes com o resultado, esta ideia facilitou para muitos. Do modo como fizemos ajudou no entendimento e acompanhamento. Ficou simples e prático”, afirma o presidente da Castrolanda, Willem Berend Bouwman.

Possibilidade - O evento remoto trouxe a possibilidade de alcançar todos os cooperados, facilitando mesmo para aqueles que não residem em Castro/PR, onde é localizada a Matriz da Castrolanda. Apresentaram também os resultados o Controller, Pedro Dekkers e o Coordenador de Gestão Contábil, Junior Zub. Para a realização da reunião, a estrutura montada foi reduzida, em que estiveram presentes somente as pessoas necessárias, sendo que as equipes técnica, de limpeza e os demais presentes tomaram todos os cuidados como uso de máscara e distanciamento.

Ferramentas digitais - O presidente da Castrolanda, Willem Bouwman reforça a importância de utilizar as ferramentas digitais neste momento de pandemia. “Esta foi a primeira Pré-Assembleia virtual, é um aprendizado para todos, pode ser um pouco estranho no começo, mas o nosso objetivo era informar ao cooperado e não deixar de mostrar os números, que são tão importantes”, conta o diretor vogal, Jan Petter.

Disponibilização - Como primeira experiência on-line, a live foi disponibilizada apenas internamente, para cooperados, gestores e alguns colaboradores e teve um alcance significativo. “Para o futuro é uma questão a se pensar. Não podemos eliminar o modo físico, mas esta é a hora de trabalhar cada vez mais as estratégias virtuais. Pouco a pouco vamos nos adaptar completamente”, comenta o diretor-executivo, Seung Lee.

Sobre a Castrolanda - O compromisso com a transformação faz parte do DNA da Castrolanda. Uma cooperativa que transforma vidas, negócios e a comunidade ao redor. Com 68 anos de história, a Cooperativa Castrolanda é formada por mais de 1100 cooperados no Estado do Paraná e interior de São Paulo. Com 3,5 bilhões de reais de faturamento e aproximadamente 3500 colaboradores, possui unidades de negócios divididas em operações agrícola, carnes, leite, batata e administração e industrial - carnes, leite e batata. O objetivo das áreas de negócio é coordenar, desenvolver e fomentar as atividades dos cooperados, seguir presente em todos os elos da cadeia produtiva, agregar valor através das indústrias e crescer com sustentabilidade. (Imprensa Castrolanda)

{vsig}2020/noticias/08/05/castrolanda/{/vsig}

SICOOB OURO VERDE: 41ª agência é inaugurada em Londrina

sicoob ouro verde 05 08 2020No dia 30 de julho, o Sicoob Ouro Verde inaugurou sua 41ª agência. O novo ponto de atendimento da cooperativa está localizado em sua cidade-sede, Londrina (PR). Para marcar a data, foi realizada uma cerimônia de inauguração online. O evento foi transmitido pelo app Moob e pelo canal do Sicoob Ouro Verde no Youtube para que cooperados e a comunidade em geral pudessem acompanhar.

Descerramento da placa - Durante a cerimônia, para descerramento da placa de inauguração, estiveram presencialmente na agência apenas os colaboradores da unidade, o presidente do Conselho de Administração do Sicoob Ouro Verde, Roberto Cremonez; o presidente do Conselho de Administração da Central Unicoob, Wilson Geraldo Cavina; o conselheiro Rafael de Giovani Netto; e o diretor-presidente Elisberto Torrecillas.

Espaço - O presidente Cremonez conta que o espaço, localizado na Av. Maringá, é moderno e tem 250 m² para atender o cooperado com conforto e tranquilidade. O presidente explica ainda que a nova agência irá fortalecer ainda mais a cooperativa, além de contribuir para o desenvolvimento da comunidade.

Produtos e serviços - “Nós temos todos os produtos e serviços de uma instituição financeira tradicional, mas com um diferencial. Na cooperativa, os resultados são destinados aos cooperados, fazendo com que o local onde estamos presentes cresça junto com a singular”, ressalta.

Marcas históricas - O diretor-presidente, Elisberto Torrecillas, lembrou que a cooperativa atingiu marcas históricas este ano, como R$ 1 bilhão em Recursos Administrados. Ele reforçou também que o Sicoob Ouro Verde não para de crescer e de transformar as pessoas e as comunidades, tudo isso graças ao trabalho de todos os colaboradores.

Desafio - “O nosso desafio agora é repetir essa história de uma forma ainda melhor, mais consistente, para que a cooperativa seja perene e sustentável e, assim, cumprirmos nosso objetivo, propósito, visão e valores. Passamos por vários desafios, superamos obstáculos, rompemos limites para que o nosso propósito alcançasse as comunidades que realmente precisam de justiça financeira e desenvolvimento. A inauguração dessa agência é prova disso. Diante de um momento tão incerto e desafiador, mostramos que somos diferentes. Não abandonamos nosso cooperado e eles, mais do que nunca, vem encontrando no cooperativismo a força e a solidez que tanto precisa”, afirma.

Endereço - O endereço da nova agência do Sicoob Ouro Verde em Londrina é Av. Maringá, 896. Clique aqui e assista ao vídeo da inauguração.

Como se tornar cooperado - Uma instituição financeira cooperativa oferece os mesmos produtos e serviços financeiros que uma instituição financeira tradicional, como contas, aplicações, pagamentos, cartões de crédito e débito, financiamentos, entre outros. Um dos principais diferenciais é que cooperativas não visam lucro e, portanto, conseguem cobrar taxas bem menores de seus associados.

Controle das finanças - Se associando a uma instituição financeira cooperativa, você pode ter melhor controle das suas finanças, já que também participa das decisões da instituição. E ainda tem acesso a menores taxas e pode receber sobras anuais. Procure uma agência do Sicoob e faça parte! (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICREDI IGUAÇU: Três investimentos seguros para fazer durante a pandemia

Com demissões ocorrendo em vários setores, empresas, comércio e indústrias parados, endividamento crescendo. A pandemia da Covid-19 está afetando gravemente a economia do país. O número de famílias endividadas hoje no Brasil, de acordo com Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) chegou a 67%, maior patamar da série histórica. Já o número de brasileiros desempregados, mais de 12 milhões, deve crescer ainda mais até o fim deste ano. Segundo estimativa da Instituição Fiscal Independente do Senado, a taxa de desemprego deve ultrapassar os 14%.

Impacto - E a preocupação com o impacto disso na vida e no bolso do consumidor vem tirando o sono de muita gente. Sem prazos definidos de quando tudo isso vai acabar, quem ainda tem reserva financeira pode estar se perguntando: quais são as formas mais seguras de investir ou guardar o dinheiro em um cenário tão incerto?

Investimentos - Por isso, a Sicredi Iguaçu PR/SC/SP elencou quais são os três investimentos mais seguros para se fazer em situações como a que estamos vivendo. “O momento, apesar das incertezas, apresenta diversas oportunidades para quem quer investir. O mercado de renda variável é uma delas, como por exemplo, investir em ações de empresas mais baratas na Bolsa. Mas é importante entendermos qual o perfil adequado e trabalhar com diversificação de carteira para mitigar riscos, para isso incluímos também investimentos de baixo risco no portfólio. Mesmo os grandes investidores têm recursos investidos nesses produtos para se proteger”, explica o assessor de investimentos da instituição financeira cooperativa, Tarcísio Rafael Fachinello.

Opções - Saiba quais são essas opções:

1º - Poupança - Investimento tradicional dos brasileiros, a caderneta de poupança registrou, no primeiro semestre deste ano, o maior volume em depósitos líquidos de toda a série histórica do Banco Central, iniciada em 1995. Isso demonstra que os brasileiros estão mais cautelosos em meio à pandemia do novo coronavírus e redescobrindo a importância de fazer uma reserva financeira. “A poupança continua sendo perfeita para reserva de emergência, por se tratar de um investimento de baixíssimo risco e de alta liquidez. Para quem recebeu recursos dos auxílios emergenciais, por exemplo, e tem a condição de guardar, é mais interessante trabalhar com investimentos de baixo risco, como poupança e renda fixa, tendo em vista o cenário”, ressalta.

2º - Título Público Federal - Com finalidade de financiar atividades do Governo Federal e captar recursos para o financiamento de dívida públicas, os títulos públicos se enquadram nos investimentos considerados seguros. “Os títulos são o tipo de aplicação de menor risco do mercado. Isso ocorre pelo fato de o governo não ter histórico de “dar calote” nas pessoas ou de não pagar as suas dívidas. O Sicredi, por exemplo, oferece esses ativos por meio de Fundos de Investimento”, explica.

3º - CDBs - O Certificado de Depósito Bancário, conhecido também como CDBs é outra opção viável e interessante. É basicamente um título de investimento emitido por bancos para captar recursos para financiar suas operações. “São contratos entre a instituição e a pessoa com uma taxa acordada. Eles possuem um risco um pouco maior em relação às outras opções, quando falamos em risco de liquidez ou de crédito. Por isso, prestem atenção em taxas muito altas oferecidas por algumas instituições financeiras. É importante sempre entender qual desses riscos e em que proporção estamos dispostos a tomá-los. É momento de cautela para evitar as pegadinhas do mercado, então, antes de qualquer decisão, é bom procurar uma instituição financeira de credibilidade”, ressalta.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2020/noticias/08/05/sicredi/{/vsig}

SICREDI ALIANÇA: "Soluções trabalhistas na crise" é tema de live com o juiz federal Marlos Melek, nesta quarta-feira

sicredi alianca 05 08 2020A Sicredi Aliança PR/SP realiza, nesta quarta-feira (05/08), a partir das 19h, uma live com o Juiz Federal do Trabalho, Marlos Melek. Em pauta, assuntos relacionados a soluções trabalhistas na crise. A transmissão ocorrerá através da página da Sicredi Aliança no Facebook e Youtube com retransmissão em 15 entidades parceiras na ação, envolvendo associações comerciais, CDLs e OAB das cidades de área de atuação da cooperativa.

Medidas - O Juiz Federal Marlos Melek irá abordar de forma prática as medidas disponibilizadas pelo governo para o enfrentamento da crise, orientando sobre como tomar decisões neste momento atípico que o mundo tem passado.

Conhecimento - Conforme o diretor-executivo da Sicredi Aliança PR/SP, Fernando Barros Fenner, a ideia é trazer conhecimento sobre um tema bastante pertinente para o momento. “É um assunto de bastante relevância e que gera muitas dúvidas. No nosso papel, enquanto cooperativa, também está proporcionar a troca de informações e trazer conhecimento para as localidades onde estamos inseridos. A transmissão será aberta para todos e todos estão convidados a participar.” (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

Facebook: https://www.facebook.com/sicredialianca/

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCV6_3UCXoS6pfzwzPVrb8JA

Confira também nas páginas:

Associação Comercial de Barretos

Associação Comercial de Olímpia

Associação Comercial de Quatro Pontes

Associação Comercial de Guaíra-PR

Associação Comercial e Industrial de Morro Agudo

Associação Comercial Industrial de Ituverava

Associação Comercial e Industrial de Pitangueiras

Associação Comercial de Monte Alto

Associação Comercial e Industrial de Mercedes

Associação Comercial de Pato Bragado

Associação Comercial de Marechal Cândido Rondon

Associação Comercial de Entre Rios do Oeste

CDL Bebedouro

CDL Jaboticabal

OAB Morro Agudo

 

CAGED: Agropecuária registra saldo positivo de 36,8 mil postos de trabalho em junho

caged 05 08 2020A chegada da época da colheita em grande parte das culturas agrícolas da safra de verão, como o do café, soja, cana, algodão e laranja, e o plantio de lavouras de inverno, como o trigo, aveia, centeio e cevada, provocou um aquecimento nas contratações de mão de obra no campo.

Saldo positivo - Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério da Economia, o setor agropecuário, que envolve agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, registrou saldo positivo de 36,8 mil vagas, enquanto que os demais setores da economia tiveram resultados negativos para o emprego, como o de Serviços, Comércio e Indústria em geral. A Construção também teve desempenho favorável, com 17,2 mil novos postos.

Acumulado - No acumulado de janeiro até junho no setor agropecuário, as admissões foram de 437.999, os desligamentos de 375.366, e o saldo foi de 62.633 postos de trabalho.

Atividades - Nas atividades existentes, as lavouras temporárias e a pecuária, representam 78% dos empregos na agricultura, analisa José Garcia Gasques, coordenador geral de Avaliação de Políticas e Informação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. “Mas há um conjunto de atividades que embora empreguem número reduzido de pessoas, sua importância é crescente à medida que a agricultura se moderniza”, explica.

Emprego adicional - Gasques acrescenta que “ainda que atualmente as operações de colheita e plantio sejam em grande parte mecanizadas, mesmo assim, há necessidade de emprego adicional. Isso é comum em diversos produtos, entre os quais o café. O próximo levantamento ainda deve registrar situações semelhantes a esta registrada até junho”.

Caged - De acordo com o estudo do Caged, o mês de junho encerrou com saldo negativo de 10.984 vagas com carteira assinada em todos os setores. O número representa desaceleração no ritmo de perda de vagas em relação aos meses anteriores, também afetados pela pandemia do coronavirus.

Regiões - Em três regiões do país o saldo de criação de empregos foi positivo: Centro-Oeste (10.010), Norte (6.547) e Sul (1.699). A região Sudeste fechou o mês com a perda de 28.521 vagas de trabalho e o Nordeste com saldo negativo em 1.341. (Mapa)

Mais dados:  http://pdet.mte.gov.br/novo-caged

FOTO: Cleverson BEje / ANPR

 

AGROPECUÁRIA: VBP do Paraná em 2019 bate recorde e soma R$ 97,7 bilhões

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Paraná em 2019 atingiu R$ 97,7 bilhões, maior valor nominal já registrado na série. Na comparação com o VBP de 2018, que foi de R$ 89,78 bilhões, o resultado representa um ganho real de 3%, e um crescimento nominal – sem os descontos da inflação -, de 9%.

Informações - As informações são do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

Faturamento bruto - Os números preliminares, correspondentes aos valores reais, representam o faturamento bruto dos produtores com a comercialização da safra 2018/19, incluindo cerca de 350 produtos da agropecuária e o desempenho das regiões e municípios paranaenses.

Regiões - As regiões com maior participação no VBP em 2019 foram, respectivamente, Oeste (23%), Norte (14%), Sudoeste (12%) e Noroeste (9%).

Preços - Na avaliação do chefe do Deral, Salatiel Turra, o resultado recorde se deve principalmente aos preços, já que a produção de algumas culturas, como a soja, não correspondeu às estimativas iniciais. Outro fator que contribuiu positivamente foi a diversificação característica da agropecuária paranaense. “O Paraná tem pequenos e médios produtores cada vez mais capacitados para produzir melhor e em maior quantidade. Isso também é reflexo da assistência técnica, ações da Secretaria e do empenho dos trabalhadores do campo”, diz.

Fundo - O secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, lembra que o valor vai ajudar a compor o Fundo de Participação dos Municípios. “São números relevantes que expressam a grandeza do agro paranaense”, afirma. Segundo Ortigara, em 2020 os números devem ser ainda mais expressivos, porque o agronegócio, na contramão de outros setores da economia brasileira, está em crescimento. “Nossa expectativa é de que, com a grandeza da safra de grãos e o crescimento consistente no setor da pecuária, os números do VBP poderão superar R$ 110 bilhões”.

Agilidade - Segundo a técnica do Deral responsável pela compilação dos dados, Larissa Nahirny, a divulgação do relatório final está prevista para o mês de setembro. “Até a primeira semana de setembro os municípios podem entrar com recursos para revisão dos números”, diz. Ela destaca que este é o primeiro ano em que os ofícios serão enviados às prefeituras via protocolo digital, o que ajuda a agilizar a troca de informações entre Estado e municípios e conferir mais transparência ao processo.

Panorama - De maneira geral, os produtos da pecuária paranaense lideram a participação no VBP. De acordo com Larissa, eles foram beneficiados pelos preços registrados no período impulsionados tanto pela demanda interna como externa.

Metade - Metade do faturamento do Estado em 2019 veio desses itens, enquanto que no ano anterior a participação era de 47%. Somados, os produtos do grupo renderam R$ 48,46 bilhões em 2019, um crescimento real de 9%. As exportações de carnes contribuíram para o resultado, já que tiveram um aumento de 9% no faturamento e 5% no volume em 2019 na comparação com 2018. "Cerca de 21% das proteínas animais que o Paraná exportou tiveram a China como destino", diz a técnica do Deral.

Grãos - Os grãos e outras grandes culturas representam 39% do valor total, com faturamento de R$ 38,39 bilhões. Os produtos florestais (R$ 4,4 bilhões) e o grupo das hortaliças (R$ 4,6 bilhões) participam com 5% do VBP estadual, enquanto as frutas (R$ 1,6 bilhão) correspondem a 2%.

Soja - A cultura da soja rendeu R$ 19,9 bilhões ao VBP do Paraná em 2019 e, com isso, perdeu cinco pontos percentuais na composição do total, chegando a 20%. Ainda assim, o grão lidera a participação. Esse índice se explica pela redução de 14% no volume produzido na safra 2018/2019 com relação à anterior em virtude de condições climáticas adversas durante o período de desenvolvimento do grão. A produção inicial esperada no início da safra era de 19,6 milhões de toneladas, mas ficou 16% menor, somando 16,4 milhões de toneladas, segundo o Deral.

Frango - Entre os produtos da pecuária, o frango é o mais representativo no VBP. O rendimento do frango em 2019 foi beneficiado pelo aumento nos preços de comercialização, e atingiu o valor de R$ 17,2 bilhões, um crescimento de 12% em valores reais. Com isso, aumentou a participação no VBP de 16% em 2018 para 18% em 2019. Foram abatidas 1,9 bilhão de cabeças de frango em 2019, crescimento de 2% em comparação com 2018.

Exportações - As exportações de frango pelo Paraná contribuíram para esse índice: tendo seu rebanho suíno prejudicado pela peste suína africana, a China aumentou substancialmente suas importações de carne de frango paranaense: superando US$ 630 milhões, um aumento de 93% no valor e 75% no peso exportado, na comparação com 2018.

Milho - Terceiro principal produto na composição do VBP, o milho representa 9% do total. O grão aumentou em 2% a participação com relação a 2018 e registrou crescimento de 37% no VBP em valores reais, totalizando R$ 8,7 bilhões em 2019. “A safrinha de milho contribuiu para expandir a produção de grãos, o que ajudou a compensar as perdas da cultura da soja”, explica Larissa. O Paraná colheu 16,8 milhões de toneladas de milho na safra 2019/2019.

Leite - Com 4,6 bilhões de litros produzidos em 2019, 1% a mais do que no ano anterior, o leite rendeu R$ 6,2 bilhões ao Estado e representou 6% do VBP. O valor é 5% maior que o de 2018 em valores nominais mas indica uma queda de 1% em valores reais tendo em vista que o aumento de 4% no preço médio de comercialização, passando de R$ 1,29 para R$ 1,34 o litro, não foi suficiente para garantir ganho real no faturamento do produto.

Suínos - A produção de suínos ficou estável, somando 9,8 milhões de cabeças abatidas, com um rendimento de R$ 4,5 bilhões, 16% a mais do que em 2018, em valores reais. Com isso, os suínos são responsáveis por 5% do Valor Bruto da Produção.

Comercialização - Esses resultados positivos foram impulsionados pela comercialização mais favorável. “No ano passado, principalmente a partir do segundo semestre, a alta cotação do boi acabou pressionando a demanda pelos outros produtos da pecuária que são substitutos dessa proteína”, explica a técnica do Deral.

Florestais - O faturamento dos produtos florestais teve uma redução de 6% em valores reais e, em 2019, chegou a R$ 4,4 bilhões. A participação no VBP manteve-se em 5%, assim como em 2018.

Itens - Os itens mais representativos são destinados a serraria e laminação (2%), que somaram R$ 2,3 bilhões, e papel e celulose (1%), com R$ 820,6 milhões – 16% a menos do que em 2018, em valores reais. Mesmo com a expansão no volume produzido de papel e celulose, 6% maior do que em 2018, a maior oferta global do produto pressionou as cotações e foi responsável pelo decréscimo no faturamento.

Erva-mate - A erva-mate, terceiro principal produto desse grupo (1%), teve índices positivos. A produção, de 584,8 mil toneladas, foi 10% maior do que em 2018, e o VBP de R$ 701 milhões representa um crescimento de 12% em valores reais.

Hortaliças - A participação dos itens desse grupo no resultado total do VBP subiu de 4% em 2018 para 5% em 2019. A ampla valorização de preços resultou num ganho real representativo de 30% no VBP, totalizando R$ 4,6 bilhões.

Batata-inglesa - O rendimento da batata-inglesa, por exemplo, cresceu 72%, somando R$1,2 bilhão, mesmo com redução de 8% na produção. Em 2019, foram produzidas aproximadamente 774 mil toneladas. O tomate teve crescimento real de 41% e rendeu R$ 761,7 milhões, com aumento de 4% na produção. Em 2019, o Estado colheu 242,3 mil toneladas. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2020/noticias/08/05/agropecuaria/{/vsig}

GRÃOS: Colheita de milho avança para 37% do total no Paraná, diz Deral

graos 05 08 2020A Secretaria de Agricultura e do Abastecimento do Paraná divulgou, por meio do Departamento de Economia Rural (Deral), seu o relatório de plantio e das principais safras do estado. O relatório semanal apontou que 37% das lavouras estaduais foram colhidas até a última segunda-feira (03/08). As áreas restantes se dividem com 83% já em maturação e os 17% restantes ainda em frutificação.

Qualidade - Quanto à qualidade dessas áreas, 45% estão em boas condições, 38% em médias e 17% em condições ruins.

Encerrada - A publicação destaca ainda que a colheita já se encerrou em Guarapuava, Irati e União da Vitória e se encaminha para o final em Ponta Grossa (85%), Pato Branco (75%) e Campo Mourão (55%).

Positiva - Segundo o analista de milho do Deral, Edmar Gervásio, mesmo com as perdas de produção e produtividade causadas pela estiagem no desenvolvimento das lavouras, a safra será positiva para os produtores paranaense, que aproveitam este elevado patamar de cotações para negociar.

Dados iniciais - Gervásio aponta que os dados iniciais para a safra eram de projeção de produção de 13 milhões de toneladas e produtividade média de 100 sacas por hectare, mas estes índices já foram reduzidos para produção de 11,4 milhões de toneladas e produtividade média de 88,33 sacas por hectare. (Notícias Agrícolas)

FOTO: Jonas Oliveira / ANPR

 

DEFESA AGROPECUÁRIA Certificados de estabelecimentos e produtos para alimentação animal passam a ser eletrônicos

defesa agropecuaria 05 08 2020Os certificados de registro de estabelecimentos e de produtos e de cadastro de produtos destinados à alimentação animal passaram a ser eletrônicos, reduzindo significativamente o trâmite processual e trazendo mais segurança e facilidade para os usuários.

Sistema - O procedimento é realizado no Sistema Integrado de Produtos e Estabelecimentos Agropecuários (Sipeagro), que permite ao servidor do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) assinar eletronicamente o documento. A empresa pode imprimir ou gerar o documento em PDF diretamente da plataforma online, tendo ainda o código para verificação da autenticidade do certificado via web.

Maio - Desde o mês de maio, o registro, cadastro, a renovação, alteração, suspensão temporária e o cancelamento de registro e cadastro dos estabelecimentos e produtos para alimentação animal estão sendo feitos via Sipeagro. Além disso, o Mapa vem fazendo o recadastramento nacional de empresas e produtos na nova plataforma.

Registros - Atualmente, estão registrados 2.999 estabelecimentos de produtos destinados à alimentação animal. Esses estabelecimentos são fabricantes, fracionadores ou importadores de nove categorias de produtos: alimentos, aditivos, coprodutos, concentrados, ingredientes, núcleos, premixes, rações e suplementos. A frequência de fiscalização dos estabelecimentos é realizada conforme sua classificação de risco. (Mapa)

 

FERTILIZANTES: Petrobras arrenda fábricas na Bahia e em Sergipe

fertilizantes 05 08 2020A Petrobras arrendou duas fábricas de fertilizantes, na Bahia e em Sergipe, para o grupo Unigel. O anúncio foi feito nesta terça-feira (04/08), em nota divulgada pela companhia. Com o negócio, haverá retomada de produção nas duas unidades a partir de janeiro de 2021.

Acordo - O acordo envolveu as fábricas de fertilizantes nitrogenados da Bahia, Fafen-BA, e de Sergipe, Fafen-SE, para a Proquigel, subsidiária da Unigel. Essa é a última etapa para a transferência de controle dos ativos, após as licenças e autorizações exigidas pelos órgãos reguladores.

Subarrendamento - Além das fábricas, o negócio inclui a promessa de subarrendamento dos terminais marítimos de amônia e ureia no Porto de Aratu, na Bahia. O contrato permite à Proquigel o controle das unidades por 10 anos, renováveis por mais 10.

Estratégia de gestão - Segundo nota divulgada pela estatal, a diretora de Refino e Gás Natural da Petrobras, Anelise Lara, considerou que o arrendamento está alinhado à estratégia de gestão de portfólio de capital da companhia, que concentrará os investimentos na produção de petróleo e gás em águas profundas e ultraprofundas, principalmente na camada pré-sal. A empresa acredita que a entrada de novos atores no segmento de fertilizantes poderá alavancar o desenvolvimento da região.

Continuidade - “O arrendamento vai permitir a continuidade da operação das duas fábricas de fertilizantes, que estavam hibernadas, gerando novos empregos e atraindo investimentos para os estados da Bahia e de Sergipe. A Petrobras estudou e sugeriu alternativas de otimização de custos para a transferência das instalações ao futuro operador das fábricas”, destacou Anelise.

Empregos - O diretor-geral do Grupo Unigel, Roberto Noronha Santos, informou que a reativação das duas unidades está prevista para ocorrer a partir de janeiro de 2021, e deve gerar 1,5 mil empregos diretos e indiretos nos dois estados.

Economia - “A reabertura das fábricas vai aquecer a economia e suprir uma demanda importante de insumos para agricultura, pecuária e indústria nacional, que hoje depende da importação de outros países. A expectativa é que, com a produção das duas fábricas arrendadas, seja possível suprir 20% da demanda nacional [de fertilizantes]”, afirmou Roberto.

Unigel - A Proquigel é subsidiária da Unigel, que tem entre suas principais linhas de produtos acrilonitrila, metacrilato, produtos para mineração e fertilizantes, sendo a maior produtora nacional de sulfato de amônio. A Unigel é uma empresa 100% brasileira e uma das maiores indústrias petroquímicas do país, atuando nos negócios de estirênicos, acrílicos e fertilizantes. Possui unidades industriais tanto no Brasil como no México.

Base de clientes - Sua base de clientes abrange diversos setores industriais como: papel e celulose, têxtil, eletrônicos, embalagens, eletrodomésticos, construção civil, automotivo, agronegócios, mineração e indústria química, sendo atuantes no Brasil e no exterior.

Capacidade instalada - A Fafen-BA é uma unidade de fertilizantes nitrogenados com capacidade instalada de produção de ureia de 1,3 mil toneladas por dia, sendo capaz de comercializar amônia, gás carbônico e agente redutor líquido automotivo (Arla 32). A unidade de Sergipe tem capacidade instalada de produção de 1,8 mil toneladas de ureia por dia, sendo capaz de comercializar amônia, gás carbônico e sulfato de amônio, produto também usado como fertilizante. (Agência Brasil)

FOTO: Arquivo Agência Brasil

 

INFRAESTRUTURA I: Governo anuncia obras de revitalização da PR-280

infraestrutura 05 08 2020Principal artéria do Sudoeste, a PR-280 entrará em obras de revitalização, com nova pavimentação e terceiras faixas, ainda este ano, dentro do Programa de Revitalização da Segurança Viária do DER. O anúncio foi feito pelo chefe da Casa Civil, Guto Silva, nesta terça-feira (04/08), durante evento de entrega de respiradores em Palmas.

Trafegabilidade - “Vamos ter 19 quilômetros de terceiras faixas, que darão condições de trafegabilidade, e revitalizar trechos críticos da rodovia, como o que vai do trevo de Palmas a Horizonte, muito deteriorado, que vai receber pavimentação em concreto”, disse Silva.

Contratos - O chefe da Casa Civil explicou que os contratos atuais de serviços que atendem a PR-280, do segundo semestre de 2018 a maio deste ano, já custaram ao Estado R$ 33,5 milhões exclusivamente para reparos e conservação. “O governo não quer mais fazer remendos, a determinação do governador Ratinho Junior é dar uma solução definitiva para a PR-280”, acrescentou.

Obras - As obras que serão realizadas pelo Estado vão resolver problemas urgentes da PR-280. A publicação do edital de licitação está prevista para a segunda quinzena de setembro, com um valor de aproximadamente R$ 51 milhões. Seguindo os trâmites normais, as obras deverão ser iniciadas ainda este ano e o prazo de execução é de 12 meses

Concessões - A rodovia também será incluída no novo pacote de concessões do governo federal, que vai substituir os atuais contratos, que têm vigência até 2021. “Não era possível esperar, por isso nos antecipamos e decidimos começar as obras ainda este ano. Todas as intervenções que fizermos serão abatidas das tarifas de pedágio”, explicou o chefe da Casa Civil.

Recursos - Os recursos do programa de revitalização virão do empréstimo de R$ 1,6 bilhão negociado pelo Estado junto ao Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Tramitação - O pedido de financiamento já tramitou no Senado, passou pela Secretaria do Tesouro Nacional e está na comissão de valores mobiliários. O ministro da Economia, Paulo Guedes sinalizou que a operação será autorizada na próxima reunião da CVM. A expectativa é que os recursos sejam liberados ainda na primeira quinzena de agosto.

Programa - A PR-280 será a primeira rodovia contemplada no Programa de Revitalização da Segurança Viária do DER. O objetivo do programa é identificar os segmentos críticos de segurança viária e propor melhorias, o que inclui aumento da capacidade (terceiras faixas), melhoria do pavimento, da sinalização viária e dispositivos de segurança.

Total - No total, serão atendidos 27 segmentos da PRC-280: em União da Vitória; no trecho entre a BR-153 e Palmas; na região de Pato Branco e Vitorino Braga; e em vários segmentos distribuídos ao longo da rodovia até o entroncamento de Marmeleiro.

Outros trechos - Além da PR-280, também estarão na primeira etapa do programa a PR-323 e PR-092. (Agência de Notícias do Paraná)

 

INFRAESTRUTURA II: Grupo de trabalho dá início ao Plano Estadual Ferroviário

infra II 05 08 2020O grupo criado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior para a elaboração do Plano Estadual Ferroviário teve a primeira reunião nesta terça-feira (04/08). Ele vai propor as diretrizes para a desestatização e o desenvolvimento sustentável dos serviços de transporte ferroviário no Estado. O grupo tem, como primeira missão, a contratação de Estudo de Impacto Ambiental e due diligence para avaliação dos ativos da Ferroeste.

Importância do modal - Na abertura da reunião, o secretário estadual do Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge, falou da importância do modal ferroviário, especialmente na retomada da economia após a pandemia do novo coronavírus. “A ferrovia é essencial para potencializar o desenvolvimento econômico e social do Estado. Precisamos ganhar velocidade na contratação dos estudos e nas licenças ambientais necessárias para chegarmos à efetiva transformação férrea que o Paraná precisa”, disse Valdemar.

Instalação - A intenção do governo é que os primeiros trilhos da ampliação prevista para a malha da Ferroeste sejam instalados em 2022. “Estamos participando de um momento que será transformador para o Paraná e para o Brasil”, afirmou o engenheiro Luiz Henrique Fagundes, que coordena os trabalhos. “Esse projeto é fruto de uma visão de Estado do nosso governador, está alinhado com as iniciativas da Secretaria de Infraestrutura e Logística e conta com apoio integral da Secretaria de Planejamento e Projetos Estruturantes”, acrescentou.

Integrantes - De acordo com o que está previsto no Decreto 5076, de 7 de julho de 2020, o grupo de trabalho é composto por dois representantes indicados pelo governador, um representante da Casa Civil, um da Secretaria da Fazenda, um da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, um da Secretaria do Planejamento e Projetos Estruturantes e um da Secretaria de Infraestrutura e Logística.

Objetivo - O objetivo dessa equipe é dotar o Paraná de infraestrutura de transporte ferroviário adequado, promover o desenvolvimento social e econômico, promover a malha ferroviária de acordo com o planejamento estadual para o setor, incrementar a utilização do modal em bases sustentáveis, atrair investimentos para o setor, garantir elevados padrões de segurança, respeito ao meio ambiente, governança e transparência e garantir elevado grau de satisfação dos usuários do serviço.

PPI - A Ferroeste, que é operada pelo Governo do Paraná e atualmente possui malha que liga os municípios de Cascavel e Guarapuava, está qualificada no Programa de Parcerias de Investimentos do Governo Federal, o que significa que a União vai ajudar o Paraná com apoio técnico regulatório necessário para a atração de investidores.

Expectativa - A expectativa é concluir o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) e privatizar a ferrovia até o fim de 2021.

Cronograma - O cronograma prevê, também, estudo de viabilidade de extensão (até 1.371 quilômetros) de uma nova ferrovia entre Maracaju (MS) e Cascavel (PR), a revitalização do atual trecho ferroviário entre Cascavel a Guarapuava, a construção de uma nova ferrovia entre Guarapuava e Paranaguá e a construção de um ramal multimodal entre Cascavel e Foz do Iguaçu. (Agência de Notícias do Paraná)

 

ECONOMIA I: Aumenta prazo para modificar acordos do BEm

Foi publicada, na edição desta quarta-feira (05/08) do Diário Oficial da União, a Portaria nº 18.560 que aumenta, de dois para cinco dias, o prazo para que os empregadores informem ao Ministério da Economia modificação de acordos do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm) realizados com os trabalhadores. A medida visa dar mais flexibilidade para que sejam encaminhadas alterações acordadas entre trabalhadores e empregadores.

Outras medidas - A norma também dá publicidade a outras medidas que já estavam em vigor, como, por exemplo, sobre a forma de acompanhar os requerimentos do benefício, que pode ser feita por meio da Carteira de Trabalho Digital ou por acesso ao portal gov.br.

Interposição de recursos - Também foi confirmada a interposição de recursos diretamente pelos empregados quando entenderem ser necessário. A interposição de recursos está disponível para empregadores e empregados desde o dia 26 de junho e ambos podem encaminhá-los, mesmo sobre matérias diferentes, relacionados a um mesmo acordo.

Atualizações - Outras atualizações tratam de notificações, prazos recursais e competências para o julgamento dos recursos. Ficou estabelecido, por exemplo, que empregados e empregadores serão notificados pelo governo das decisões proferidas sobre os acordos enviados em até 15 dias e que poderão encaminhar recursos em até trinta dias após a data prevista para o pagamento do benefício. Estes prazos passam a valer a partir da publicação da portaria.

Mais informações - O BEm oferece medidas trabalhistas para enfrentar o estado de calamidade pública decorrente da pandemia da covid-19, com duração definida até 31 de dezembro de 2020. O benefício é concedido em casos de acordos entre trabalhadores e empregadores nas situações de redução proporcional de jornada de trabalho e de salário, e de suspensão temporária do contrato de trabalho.

MP - O programa foi instituído pela Medida Provisória 936 que foi substituída pela Lei nº 14.020, sancionada pelo presidente Jair Messias Bolsonaro. Dados atualizados sobre os acordos (por tipos, setores econômicos, estados e municípios) estão disponíveis no painel de informações. (Ministério da Economia)

ECONOMIA II: Queda no comércio global deve ficar em 13%, diz diretor-geral da OMC

economia 05 08 2020O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, afirmou nesta terça-feira (04/08) que a queda do comércio neste ano deve ficar dentro do cenário mais otimista. Em abril, a OMC estimou que o comércio mundial teria queda de 13% no cenário otimista e de 32% no pessimista.

Cenários horríveis - “São dois cenários horríveis. Hoje os nossos economistas estão estimando que nós devemos ficar mais próximos do cenário otimista, se é que a gente pode chamar assim, em torno de 13%. Mesmo essa contração otimista é a pior do que vimos na crise financeira de 2008 e 2009. Pior que isso só na grande depressão dos anos 30”, disse.

Diálogo Empresarial - Azevêdo participou do evento Diálogo Empresarial: novos desafios e oportunidades no comércio internacional, organizado pela Câmara de Comércio Internacional no Brasil (ICC Brasil) e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), transmitido pela internet.

Preocupação - Ele afirmou que há uma “certa preocupação” da OMS com o discurso nacionalista de autossuficiência como resposta às vulnerabilidades de falta de suprimentos da área médica, explicitadas na crise causada pela pandemia de covid-19.

Insustentável - “Na prática, a autossuficiência, além de ser raramente possível pelas especificidades de cada país, não é sustentável no médio e longo prazo. Primeiro, porque tem um custo altíssimo para a sociedade e, segundo, porque não reduz a vulnerabilidade a choques de desabastecimento. Pelo contrário, a concentração da produção no território nacional expõe o país a todo tipo de choque: desastres naturais, crises econômicas e políticas”, afirmou. (Agência Brasil)

FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

 

CÂMBIO: Dólar fecha em queda de 0,57% depois de encostar em R$ 5,40

cambio 05 08 2020Num dia de volatilidade no mercado financeiro, o dólar recuou 0,57% depois de operar em alta durante boa parte da sessão e encostar em R$ 5,40. A bolsa de valores chegou a subiu durante a manhã, mas reverteu o movimento e encerrou com queda.

Recuo - O dólar comercial encerrou esta terça-feira (04/08) vendido a R$ 5,284, com recuo de R$ 0,03 (-0,57%). Durante a manhã, a divisa operou em alta, atingindo R$ 5,38 na máxima do dia, por volta das 10h. A cotação alternou altas e baixas em seguida, até encerrar na mínima do dia.

Oscilações - No mercado de ações, o dia foi marcado pelas oscilações. O índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), fechou a terça-feira aos 103.011 pontos, com recuo de 1,57%. No pior momento, por volta das 13h10, chegou a 100.004 pontos.

Exterior - As negociações foram influenciadas pelo mercado norte-americano. O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, encerrou em alta de 0,62% após sessão instável. O mercado contrabalançou o aumento de tensão nas relações entre Estados Unidos e China, envolvendo o aplicativo TikTok e expectativas de novos estímulos econômicos.

Copom - No Brasil, o mercado aguarda a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central sobre a política monetária, cuja reunião começou hoje e acaba amanhã (5). Os analistas preveem corte de 0,25 ponto percentual, com redução da taxa Selic (juros básicos da economia) para 2% ao ano, o menor nível da história.

Renda fixa - Um eventual fim dos cortes nos juros básicos ajudaria a conter a queda dos retornos da renda fixa brasileira (que atualmente oferece taxas mais baixas do que as de outros mercados emergentes), dando algum suporte a expectativas de retorno de ingresso de dólares para investimentos em carteira --o que elevaria a oferta de moeda no mercado doméstico e poderia baixar o preço do dólar. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

 

LEGISLATIVO: Senado vota na quinta-feira teto de juros no cheque especial durante pandemia

legislativo 05 08 2020O Senado votará na sessão de quinta-feira (06/08) o projeto que limita os juros do cartão de crédito e do cheque especial. A inclusão do PL 1.166/2020, do senador Alvaro Dias (Podemos-PR), como primeiro item da pauta de votação, foi decidida em reunião de líderes partidários realizada nesta terça-feira (04/08).

Teto - O texto impõe, durante o estado de calamidade pública decorrente da covid-19, um teto de juros de 30% que bancos e instituições financeiras poderão cobrar ao ano de seus consumidores. O teto inicial sugerido por Alvaro Dias era de 20%, mas o relator, senador Lasier Martins (Podemos-RS), elevou a taxa para 30% anuais para juros, como regra geral, e para 35%, em relação às sociedades de crédito direto.

Comemoração - O senador Weverton Rocha (PDT-MA) publicou mensagem de vídeo comemorando o anúncio da votação do projeto. Ele classificou como absurdos os juros cobrados pelos bancos. “As pessoas se sentem lesadas com essas altas taxas de juros, especialmente no momento difícil da pandemia. É uma justiça social que faremos ao povo brasileiro”, afirmou.

Defesa - Através do Twitter, Alvaro Dias defendeu seu projeto, argumentando que “32% dos brasileiros endividados têm perspectivas de que suas dívidas 'aumentarão muito' nos próximos 6 meses”. O senador paranaense acrescentou que as taxas de juros cobradas pelos bancos tornam difícil tirar a população do “sufoco”.

Tributação - Também com votação prevista para quinta-feira, o Projeto de Lei Complementar (PLP) 96/2020 permite a mudança de regime tributário, de forma excepcional, para o ano-calendário de 2020. O objetivo do projeto, de autoria do senador Izalci Lucas (PSDB-DF), é evitar a falência de empresas que, em janeiro, optaram pela tributação por lucro presumido e estão passando por uma queda de receitas devido à crise econômica causada pela pandemia da covid-19. (Agência Senado)

FOTO: Waldemir Barreto / Agência Senado

 

PL 1.826: Bolsonaro veta indenização a trabalhador da saúde incapacitado por Covid-19

pl 1826 05 08 2020O presidente Jair Bolsonaro vetou integralmente um projeto de lei aprovado pelo Congresso que concedia indenização de R$ 50 mil para trabalhadores da saúde incapacitados pela covid-19. O veto ao PL 1.826/2020 está publicado na edição desta terça-feira (04/08) do Diário Oficial da União (DOU).

Justificativa - Na mensagem encaminhada ao Congresso, Bolsonaro alega que decidiu vetar a proposta “por contrariedade ao interesse público e inconstitucionalidade”. Segundo o governo, o projeto viola a lei que estabeleceu o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus Sars-CoV-2 (Lei Complementar 173, de 2020), ao prever “benefício indenizatório para agentes públicos e criando despesa continuada em período de calamidade no qual tais medidas estão vedadas”.

Congresso - Em sessão conjunta a ser agendada, o Congresso poderá decidir se derruba ou mantém o veto. Se for derrubado, a lei seguirá para promulgação.

Dependentes - Além do benefício para profissionais incapacitados por atuarem na linha de frente de combate à pandemia, o projeto, aprovado pelo Senado em julho, também previa a indenização de R$ 50 mil aos dependentes dos trabalhadores, em caso de morte do profissional pela doença.

Emendas - Os senadores aprovaram emendas à proposta, de autoria dos deputados federais Reginaldo Lopes (PT-MG) e Fernanda Melchionna (PSOL-RS). O relator, senador Otto Alencar (PSD-BA), ampliou a lista de contemplados pela indenização.

Beneficiários - Inicialmente, o texto aprovado pela Câmara contemplava profissionais da área de saúde, agentes comunitários e trabalhadores de estabelecimentos da saúde. O Senado propôs que também fossem contemplados fisioterapeutas, nutricionistas, assistentes sociais e profissionais de nível superior e técnico que trabalham com testagem nos laboratórios de análises clínicas, além de coveiros. (Agência Senado)

FOTO: Ingrid Anne / Fotos Públicas

 

SAÚDE I: Brasil chega a 2,8 milhões de casos; 70,3% estão recuperados

Desde o início da pandemia, 2.801.921 de brasileiros contraíram o vírus. O total de mortes chega a 95.819. Há 3,6 mil óbitos em investigação. Nas últimas 24 horas, foram registrados 51.603 novos casos confirmados de covid-19 e 1.154 mortes relacionadas à pandemia do novo coronavírus. Os números estão no balanço diário desta terça-feira (04/08) publicado pelo Ministério da Saúde.

Recuperados - De acordo com o ministério, 1.970.767 pessoas já se recuperaram da covid-19 e 735.335 pacientes estão em acompanhamento.

Letalidade - A taxa de letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 3,4%. A mortalidade (quantidade de óbitos por 100 mil habitantes) atingiu 45,6. A incidência dos casos de covid-19 por 100 mil habitantes é de 1.333,3.

Registro menor - Aos sábados, domingos e segundas-feiras, o número registrado diário tende a ser menor pela dificuldade de alimentação dos bancos de dados pelas secretarias municipais e estaduais. Já às terças-feiras, o quantitativo em geral é maior pela atualização dos casos acumulados aos fins de semana.

Ranking mundial - O Brasil mantém-se como segundo no ranking mundial em casos e mortes relacionados à pandemia. A liderança é dos Estados Unidos. De acordo com o mapa da universidade Johns Hopkins, o país possui 156.426 mortes e 4.758.028 casos acumulados.

Covid-19 nos estados - Os estados com mais mortes por covid-19 são: São Paulo (23.702), Rio de Janeiro (13.715), Ceará (7.806), Pernambuco (6.717) e Pará (5.799). As Unidades da Federação com menos falecimentos pela pandemia são Tocantins (408), Mato Grosso do Sul (432), Roraima (528), Acre (545) e Amapá (581). Mato Grosso do Sul, que permaneceu ao longo da pandemia como o local menos letal, perdeu o posto para Tocantins, que ocupa agora o último lugar no ranking (408).

Casos - Já em termos de casos, São Paulo lidera (575.589), seguido por Ceará (179.341), Bahia (175.389), Rio de Janeiro (168.911) e Pará (158.277). A Bahia ultrapassou o Rio de Janeiro na terceira posição. Os estados com menos pessoas infectadas até o momento são: Amapá (36.999), Roraima (33.194), Mato Grosso do Sul (27.678), Tocantins (27.664) e Acre (20.708). O Acre consolidou a posição de estado com menos casos. Nas últimas semanas, essa posição era ocupada por Mato Grosso do Sul. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 05 08 2020

SAÚDE II Sesa divulga mais 78 mortes e 1.832 novas infecções no Paraná

saude II 04 08 2020A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nesta terça-feira (04/08) mais 78 mortes e 1.832 novas infecções pelo novo coronavírus no Paraná. Um dos óbitos ocorreu em 2 de maio e todos os demais em julho e agosto.

Acumulado - O Paraná acumula agora 81.814 diagnósticos positivos e 2.106 mortos em decorrência da doença. Há ajustes nos casos confirmados detalhados ao final do texto.

Internados - O boletim informa que, nesta terça-feira, 968 pacientes com diagnóstico confirmado estavam internados. Destes, 744 em leitos SUS (353 em UTI e 391 em leitos enfermaria) e 224 na rede particular (90 em UTI e 134 em leitos clínicos/enfermaria).

Resultados - Há outros 1.171 pacientes internados, 536 em UTI e 635 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

Óbitos - Os 78 pacientes que faleceram, relatados nesta terça-feira, estavam internados. São 35 mulheres e 43 homens, com idades que variam de 28 a 94 anos. Os pacientes que faleceram residiam em Curitiba (25), Arapongas (9), Paranaguá (4), Almirante Tamandaré (2), Araucária (2), Colombo (2), Ibaiti (2), Maringá (2), Ponta Grossa (2), São José dos Pinhais (2).

Um registro - Há uma morte em cada um dos municípios de Apucarana, Araruna, Bandeirantes, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Campo Magro, Campo Mourão, Cascavel, Douradina, Eneas Marques, Fazenda Rio Grande, Foz do Iguaçu, Foz do Jordão, Guaraqueçaba, Imbituva, Lapa, Ortigueira, Pérola, Quinta do Sol, Reserva, Santa Isabel do Ivaí, Santa Terezinha de Itaipu, São Pedro do Ivaí, São Sebastião da Amoreira, Terra Boa e Toledo.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 904 casos de residentes de fora. 22 pessoas foram a óbito.

Ajustes - Alteração de município: Um caso confirmado no dia 14/07 em Cruzeiro do Iguaçu foi transferido para Enéas Maques, e outro confirmado no dia 29/07 em Curitiba foi transferido para Almirante Tamandaré. Um caso confirmado no dia 02/08 em Godoy Moreira foi transferido para Arapongas, e outro confirmado no dia 01/08 em Cianorte foi transferido para Sarandi.

Exclusões - Dois casos foram excluídos por duplicidade de notificação: um deles confirmado no dia 22/07, em Maria Helena, e outro confirmado no dia 02/08, em Arapongas. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando AQUI

 

SAÚDE III: Leitos exclusivos Covid-10 já receberam mais de 11 mil pacientes

saude III 05 08 2020Dados da Secretaria da Saúde do Paraná apontam que mais de 11,1 mil pacientes já foram internados nos leitos exclusivos Covid-19, desde o início da pandemia e até segunda-feira (03/08). O levantamento realizado pela equipe de Regulação de Leitos da Secretaria mostra que 130 dias após a implantação deste atendimento exclusivo, o Estado já disponibilizou 2.742 leitos. Inicialmente o número era de 264 no total. Atualmente o Paraná possui 1.074 leitos de UTI Adulto, 1.549 de enfermaria, 49 de UTI Pediátrica e 70 de enfermaria também Pediátrica.

Hospitais - No total, 54 hospitais estão incluídos no plano. O secretário da Saúde, Beto Preto, explica que a estratégia de oferta de leitos exclusivos faz parte do plano de fortalecimento da rede hospitalar. “No Paraná, o Governo do Estado optou pela ampliação da estrutura hospitalar já existente, fortalecendo a rede própria e também evitando a disseminação do vírus nas unidades de saúde, pois o paciente fica isolado. Essa estrutura é praticamente uma nova rede”, disse Beto Preto.

Unidades próprias - Três hospitais regionais que estavam em construção tiveram suas obras adiantadas e foram inaugurados para atendimento exclusivo à Covid-19. Após a pandemia, eles atenderão outras especialidades.

Soma - Somando essas as três unidades - de Guarapuava, Ivaiporã e Telêmaco Borba – são 55 leitos de UTI Adulto e 140 enfermarias à disposição de casos suspeitos ou confirmados com coronavírus.

Ampliação - O Paraná chega, neste período da pandemia, com a ampliação da rede, muito próximo do número de leitos já existentes e habilitados nos últimos 30 anos. Além dos hospitais regionais, o Governo do Estado também reforçou a estrutura dos hospitais universitários, contratualizou serviços com hospitais públicos, filantrópicos e privados.

Nova estrutura - “Montamos praticamente uma nova estrutura hospitalar. É como se o Paraná, em 130 dias, tivesse quase dobrado o número de leitos já existentes pelo Sistema Único de Saúde neste período. Ou seja, é um esforço muito grande da nossa estratégia, sob orientação do governador Ratinho Júnior”, acrescentou o secretário. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Geraldo Bubniak / AEN

 

SAÚDE IV: ANS divulga números sobre exames de Covid-19 e telessaúde

A Agência Nacional de Saúde de Suplementar (ANS) torna disponíveis os dados referentes à quantidade de exames de Covid-19 realizados no Brasil, no setor de saúde suplementar, nos meses de março e abril e números sobre atendimentos por telessaúde, efetuados em abril. Essas informações estão na Análise de Dados de Eventos do Padrão TISS do 1º Quadrimestre de 2020.

Cobertura obrigatória - O exame para detecção da Covid 19 – SARS-CoV-2 (CORONAVÍRUS COVID-19) – pesquisa por RT – PCR (com diretriz de utilização) – foi incluído no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, de cobertura obrigatória no setor, em 13/03/2020. Nos meses de março e abril foram realizados 25.793 exames em todo o país (11.179 em março e 14.794 em abril – ver quadro abaixo). O estado de São Paulo, com 10.921 exames realizados nos dois meses, representa 42,05% do total. Na sequência vem Rio de Janeiro (2.992 exames – 11,52%) e Minas Gerais (2.109 exames – 8,12%).

Telessaúde - Sobre a telessaúde, no primeiro mês de coleta desses dados (abril), 27 operadoras informaram atendimentos efetuados, totalizando 3.149 procedimentos. Entre os mais realizados destacam-se as consultas médicas, correspondendo a 30,2% do total, seguidas pelos procedimentos em psicoterapia (30,0%) e fonoaudiologia (6%).

Tipo de atendimento - O tipo de atendimento telessaúde foi incluído no Padrão de Troca de Informações na Saúde Suplementar (Padrão TISS) em abril, com o intuito de viabilizar e monitorar a utilização do atendimento à distância aos beneficiários de planos de saúde diante das medidas emergenciais adotadas em decorrência da pandemia do novo Coronavírus.

Nota técnica- Confira também a Nota Técnica referente à Análise dos Dados de Eventos do Padrão TISS do 1º Trimestre de 2020.  (ANS)

saude IV tabela 05 08 2020


Versão para impressão


RODAPE