Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4906 | 14 de Setembro de 2020

SISTEMA OCEPAR: Reunião virtual de posicionamento das ações realizadas pela casa

 

Com o objetivo de posicionar toda equipe do Sistema Ocepar sobre ações realizadas nos meses de agosto e setembro, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, os superintendentes das três casas - Ocepar, Sescoop/PR e Fecoopar -, gerentes e coordenadores, se reuniram virtualmente na manhã desta segunda-feira (14/09) com toda a equipe. 

 

Equipe - Ricken iniciou o encontro agradecendo o empenho de todos pela dedicação durante este período de isolamento. “Sabemos que não está sendo fácil esta nova forma de trabalho, mas posso garantir que estamos realizando tudo aquilo que foi planejado, até mais do que imaginávamos. Vamos seguir na mesma direção que estamos indo. Aprendemos a trabalhar a distância sem nenhum prejuízo às demandas das cooperativas. Estamos fazendo muita coisa importante. Somente retornaremos para o presencial, com total e absoluta segurança. Não queremos colocar ninguém em risco. Esta foi uma decisão difícil que adotamos, mas que garantiu a tranquilidade para podermos continuar com saúde e atendendo as recomendações das autoridades”, frisou.

 

Superintendentes - Na sequência, os superintendentes, Robson Mafioletti, da Ocepar, Nelson Costa, da Fecoopar e Leonardo Boesche, do Sescoop/PR, fizeram um detalhado relato sobre as principais ações que foram realizadas até o momento e que impactam as cooperativas.  Ações essas sempre com o foco nas diretrizes do planejamento interno, ou seja, que sejam relevantes e essenciais para as cooperativas. 

 

Ações estratégicas - Durante os meses de agosto e setembro, foram divulgados 20 Comunicados Técnicos do Comitê Estratégico com relato de todas as ações realizadas no âmbito do cooperativismo. Realizadas 16 reuniões institucionais com cooperativas, uma reunião do Comitê do Ramo Crédito, duas reuniões do Conselho Fiscal da Ocepar e Sescoop/PR, um Fórum sobre a Safra 2020/21, cinco reuniões e ações estratégicas dos projetos do Plano Paraná Cooperativo 100 (PRC100) e 20 reuniões para debater as propostas de Reforma Tributária, Projeto de Lei 3.887 e Projetos de Emendas Constitucionais 45 e 110. Um ponto em destaque foi a intensa mobilização do cooperativismo brasileiro, com a participação direta da bancada paranaenses no Congresso, para a derrubada dos vetos da Lei 13.986, Cosit 11,  beneficiando milhares de produtores integrados a cooperativas do setor de carnes.

 

{vsig}2020/noticias/09/14/sistema_ocepar/{/vsig}

COMPLIANCE EXPERIENCE: Terceiro encontro vai debater cases de sucesso nas organizações brasileiras

 

Para Alfredo Benedito Kugeratski Souza, coordenador de gestão e planejamento do Sistema Ocepar, “neste terceiro encontro da série do Compliance Experience serão apresentados cases com objetivo de demonstrar como as organizações brasileiras estão avançando com os programas de compliance, visando à busca pela geração de valor e sustentabilidade dos negócios”. O Compliance Experiente, é uma iniciativa do Sistema Ocepar, executada por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), com o propósito de contribuir para a sustentabilidade das cooperativas paranaenses e já realizou dois eventos de uma série de quatro programados para este mês de setembro. Esses eventos são organizados em parceria com a assessora jurídica do Sescoop/PR, Daniely Andressa da Silva. Este encontro será realizado nesta terça-feira (15/09). 

 

Palestrantes - A programação conta com a participação de quatro palestrantes: Rogéria Gieremek, advogada, mestre em Direito, Chief Compliance Officer do Grupo Latam, embaixadora do Compliance Women Committee (CWC), presidente das Comissões de Compliance do Instituto dos Advogados de São Paulo e da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção São Paulo. Ela vai abordar o tema “como o programa de compliance gera valor e sustentabilidade para as organizações”; Christina Montenegro Bezerra, executiva de Jurídico, Ética & Compliance, com mais de 20 anos de experiência em diversas empresas nacionais e transnacionais na América Latina nos setores de varejo, saúde, farmacêutica e de serviços financeiros. Sócia da consultoria Compliance Partners Brasil. Bacharel em direito pela Universidade Federal do Paraná. O tema de sua palestra será: “como o compliance pode empoderar as pessoas e as organizações para tomarem melhores decisões”. Na sequência, acontecerá um painel com o tema: “o padrão ISO 37001 e a evolução do programa de Compliance da Ceptis, com as participações de Isabela Bragança, advogada, especialista em Direito Público e em Direito da Administração Pública, com mestrado em Direito pela UGF/Veiga de Almeida do Rio de Janeiro. Atualmente responde pelo jurídico e Compliance da C e preside o Comitê de Integridade da Companhia. E Ruan Badu, engenheiro químico e especialista em qualidade total, auditor líder na ISO 9001, auditor interno nas normas ISO´s 14001, 37001 e 18001. Atualmente é coordenador de QSMS, qualidade, saúde, meio ambiente e segurança. O quarto e último evento acontecerá no dia 22 de setembro com a abordagem sobre a importância da ética e do compliance para o futuro das organizações.

 

compliance 14 09 2020

 

COVID-19: O Comunicado 116 detalha ações desenvolvidas em prol do cooperativismo paranaense

 

covid 19 14 09 2020O Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar emitiu, na manhã desta segunda-feira (14/09), o Comunicado 116, com mais informações sobre as ações realizadas pela entidade. O destaque foi a 17ª reunião ordinária da Diretoria da Ocepar, realizada na sexta-feira (11/09). Veja abaixo os outros destaques do boletim. 

 

1. No dia 11 de setembro, foi realizada a 17ª reunião ordinária da Diretoria da Ocepar - Gestão 2019/2023, os destaques foram: diretrizes para o planejamento estratégico do cooperativismo paranaense; reforma tributária; concessão das rodovias do estado do Paraná; ações estratégicas desenvolvidas pelo Sescoop/PR, e reuniões de núcleos no mês de outubro/20.

2. O Sistema OCEPAR, no dia 11 de setembro, participou da reunião com o vice-governador, Darci Piana, para tratar sobre as propostas de concessão das rodovias do estado.

3. No dia 11 de setembro, o Sistema Ocepar realizou Rodada de Benchmarking em Sistema de Geração de Energia. Nesta primeira rodada foram apresentados modelos de negócios relacionados à geração e ao fomento de sistemas fotovoltaicos conduzido pelas cooperativas paranaenses.

4. No dia 12 de setembro, o presidente do Sistema Ocepar participou da live para debater o agronegócio cooperativo pós-derrubada do veto da Lei do Agro e os efeitos tributários da reforma tributária no cooperativismo.

 

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

FUNDAÇÃO ABC: 4º Show Tecnológico Inverno será digital

 

fundacao abc 14 09 2020Está confirmada para o dia de 30 de setembro a quarta edição do Show Tecnológico Inverno que, por conta do momento pelo qual passamos, será realizada virtualmente, pela internet. O evento conta com o apoio da Sementes Frísia, Castrolanda, Capal e Coopagrícola. E o patrocínio das empresas UPL, FMC, Ihara e Bayer.

 

Dois momentos - De acordo com Luís Henrique Penckowski, gerente Técnico e de Pesquisa da Fundação ABC, o evento terá dois momentos. O primeiro é a palestra de abertura, ao vivo, que ocorrerá no dia 30 de setembro, às 17 horas, na página do Show Tecnológico e que será realizada pelo jornalista e comentarista da CNN Brasil, Alexandre Garcia.

 

Segunda parte - A segunda parte é a visualização dos vídeos técnicos, que foram gravados pelos pesquisadores da Fundação ABC, pelas apoiadoras e patrocinadores e que serão liberados logo após a abertura e que ficarão disponíveis por determinado prazo (veja os temas da fundação no quadro abaixo). “É um formato inédito que idealizamos com base na pesquisa que realizamos logo após as apresentações de resultados de verão. Nela, ficou claro que o produtor e os assistentes técnicos gostaram de ter a liberdade de escolher o momento para assistir aos vídeos que disponibilizamos a eles, bem como de pausar o vídeo para atender a uma ligação importante, por exemplo”, explicou.

 

Cadastro - Para ter acesso à página onde a live será transmitida, bem como onde os vídeos estarão disponíveis, os interessados terão que fazer um rápido cadastro (cidade de origem e email). Isso também vai permitir à comissão que encaminhe lembrete da proximidade do evento, que já está sendo amplamente divulgado nas redes sociais e nos meios de comunicação das cooperativas mantenedoras.

 

Começo positivo - Andreas Los, diretor-presidente da Fundação ABC, destacou que o evento já começou positivamente com o fato da união das marcas das sementes das cooperativas mantenedoras e contribuinte terem se unido para a realização do evento. “Ao longo da nossa história, sempre colhemos bons frutos quando houve união, somando esforços para que tudo desse certo. Acredito que isso ocorrerá mais uma vez. Esperamos contar com a participação de todos”, finalizou. (Imprensa Fundação ABC)

 

SICREDI: Sicredi Asset é destaque em guias de fundos de investimentos da Investidor Institucional e do Valor Econômico

 

sicredi 14 09 2020O Sicredi - instituição financeira cooperativa com mais de 4,5 milhões de associados e atuação em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal – conquistou, por meio de sua gestora de recursos, quatro colocações de seus fundos de renda fixa no ranking “Melhores Fundos Para Institucionais”, da Revista Investidor Institucional. Os produtos foram classificados como “excelentes” pelo guia, que considera o período de 12 meses, até dia 30 de junho de 2020.

 

Oportunidades mais rentáveis - “A classificação da Investidor Institucional confere aos nossos produtos de renda fixa não só o reconhecimento deles no mercado como também nos orienta sobre estarmos disponibilizando as oportunidades mais rentáveis aos nossos associados. A Asset do Sicredi é responsável pela gestão de mais de R$50 bilhões e possui rating “Forte” pela Fitch Ratings, o que demonstra a robustez e a qualidade de nossos processos de investimentos que, por fim, nos permite oferecer produtos e serviços financeiros dos mais simples aos mais complexos de forma segura e rentável”, afirma o diretor de Gestão de Recursos de Terceiros do Sicredi, Ricardo Green Sommer.

 

Guia Valor de Fundos de Investimento 2020 - Além da classificação pela Revista Investidor Institucional, a Sicredi Asset também foi destaque, no mês passado, no Guia Valor de Fundos de Investimento 2020, publicação do jornal Valor Econômico. O fundo Sicredi FI Institucional RF IRF-M ficou entre os 10 mais rentáveis na categoria Renda Fixa Ativo.

 

Mais - O fundo Schroder Sicredi Ibovespa FIA, também distribuído pelas cooperativas do Sicredi, figurou no ranking como um dos 10 fundos mais rentáveis e entre os cinco com mais cotistas do guia na categoria Ações Índice.

 

Melhorias - “Além das avaliações, que conferem os bons desempenhos dos nossos fundos nos rankings, o Sicredi segue implementando melhorias que favoreçam ainda mais os nossos associados. Uma delas foi a revisão do nosso portfólio, na qual reduzimos as taxas de administração dos nossos fundos e também a diminuição dos tickets de aplicação inicial para os fundos de varejo. Cabe lembrar que a Sicredi Asset também lançou um fundo multimercado, que busca teses de investimento complementares, que sobrevivam aos momentos de volatilidade e tensão do mercado. Assim, possuímos estratégias em juros, inflação, câmbio, bolsa e commodities, que podem trazer maior volatilidade ao produto, mas que permite a busca de ganhos de capital no longo prazo", ressalta Sommer.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

SICREDI UNIÃO: Engenheiro de Londrina ganha prêmio na promoção Poupar e Ganhar sem Parar

 

Sabe aquele momento bom de sorte, que todo mundo fica torcendo para acontecer? Pois o sortudo da vez foi o engenheiro civil Carlos Shigueru Imada, de Londrina (PR). Ele ganhou R$ 5 mil na promoção Poupar e Ganhar sem Parar, campanha institucional de incentivo a aplicações em poupança do sistema Sicredi.

 

Prêmio - Carlos Iamada, associado da agência Higienópolis, foi contemplado com o prêmio de R$ 5 mil. “Foi uma bela surpresa. Não costumo ganhar nada em sorteios”, conta ele, que preferiu usar o dinheiro para integralizar o seu capital social na cooperativa. A opção pela poupança, segundo Iamada, é para ter uma reserva de rápido e fácil acesso para algum momento de necessidade. Ele recebeu o prêmio das mãos da gerente da Regional Norte, Carla Sonoda, e da gerente PJ da agência, Marina Cámara Ferreira. 

 

Distribuição - A campanha distribuirá, ao longo deste ano, R$ 2,5 milhões em prêmios, o maior valor em suas cinco edições. A cada R$ 100 de incremento líquido na poupança do associado, um número da sorte é distribuído para concorrer à promoção. Se as aplicações forem na modalidade programada, quando há o débito programado mensal para conta poupança do associado, as chances de ganhar são em dobro.

 

Captação cresce quase quatro vezes - Aplicação financeira tradicional dos brasileiros, a poupança registrou em agosto captação líquida de R$ 11,4 bilhões, valor oito vezes maior que no mesmo mês do ano passado, com R$ 1,31 bilhão. Foi o maior resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1995 - no ano, a captação acumulada é de 123,98 bilhões.

 

Incremento - Na Sicredi União PR/SP, o incremento nos oito primeiros meses do ano foi de quase quatro vezes o valor do mesmo período do ano passado: R$ 355,834 milhões contra R$ 91,967 milhões. Já a carteira de poupança cresceu 39% no período. 

 

Dobro - O número de novos poupadores quase dobrou, de 7.628 para 13.782 de janeiro a agosto. No total, a carteira da Sicredi União conta com mais de 130 mil poupadores.

 

Recorde - Desde o início da pandemia, a poupança tem registrado recordes. Para o economista Roberto Rodrigues, que é gerente de investimento da Sicredi União, isso se deve ao fato de parte dos investidores buscar rendimentos seguros e não ter predisposição a riscos. Outros aplicam os recursos para ter uma reserva de emergência, e ter essa reserva ficou evidenciada nos últimos meses. 

 

Antes da pandemia - “Antes da pandemia havia expectativa de retomada do crescimento e a bolsa de valores registrava recordes, por isso, muita gente buscou alternativas aos investimentos tradicionais. Só que veio a pandemia e parte dos investidores não está mais disposta a correr risco nem quer volatilidade. Para muita gente, é mais importante a segurança do que o rendimento neste momento. E também há quem está aplicando em poupança para ter reserva de emergência”, destaca.

 

Incentivo para poupar - Para incentivar o hábito de poupar, o Sicredi está premiando associados nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, por meio da Promoção Poupar e Ganhar Sem Parar. A promoção vai distribuir, até o fim do ano, R$ 2,5 milhões em prêmios, o maior valor em cinco edições. A cada R$ 100 de incremento líquido na poupança do associado, um número da sorte será distribuído para concorrer à promoção. Se as aplicações forem na modalidade programada, quando há o débito programado mensal para conta poupança do associado, as chances de ganhar são em dobro.

 

Compromisso - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

{vsig}2020/noticias/09/14/sicredi_uniao/{/vsig}

CRESOL: Jakson Follmann visita a sede Nacional

 

cresol 14 09 2020A Cresol recebeu em sua sede nacional, em Francisco Beltrão/PR, o ex-jogador de futebol e agora cantor, Jakson Follmann. O artista, que já é um parceiro Cresol, conheceu, na quinta-feira (10/09), a estrutura da cooperativa e agradeceu pelo apoio no início de sua nova carreira.

 

Momento - Follmann teve um momento com o presidente da Central Cresol Baser, Alzimiro Thomé, e com o superintendente da Cresol Oeste Catarinense, Wagner Tartari, e o gerente Airton Isoppo, ambos da cooperativa que atende a região de Chapecó, onde o ex-atleta reside. 

 

Feliz - “Estou muito feliz em ser um parceiro Cresol. Quando iniciei o projeto na música falei que gostaria de ter como parceiros instituições que realmente têm um propósito e fazem a diferença. Já conhecia a Cresol e quando fechamos a parceria para a minha live fiquei muito feliz”, destacou Follmann. 

 

Grande parceria - O presidente da Cresol, Alzimiro Thomé, também destacou a presença de Jakson na sede da Cresol. “É um prazer imenso receber o Jakson em nossa sede. Com certeza será mais uma grande parceria que levará a marca Cresol para ainda mais longe, assim como é com o Denílson, nosso embaixador”, disse.

 

Cooperado e embaixador - No último ano, o ex-atleta, Denílson Show, tornou-se cooperado Cresol e embaixador da marca. 

 

Sobre a Cresol - Com 25 anos de história, a Cresol é hoje um sistema sólido que se destaca entre as principais cooperativas de crédito do Brasil. Recentemente, a Cresol chegou à marca de 600 mil famílias cooperadas espalhadas por 25 estados brasileiros. Cada cooperativa trabalha para o desenvolvimento econômico e social dos seus cooperados, proporcionando soluções financeiras com sensibilidade e eficiência para que todos realizem seus sonhos, propósitos e negócios. (Imprensa Cresol)

 

PRIMATO: Parceria entre cooperado e cooperativa em Catanduvas

 

primato 14 09 2020Um dos principais alicerces de qualquer atividade econômica é feito através das parcerias comerciais, afinal, quando se trabalha de forma correta, otimizando os recursos e a propriedade, ter um parceiro que represente e valorize todo o esforço dedicado é fundamental para se ter os melhores resultados.

 

Elo - Quando se fala em representatividade, a cooperativa é o elo mais forte com seu cooperado para o desenvolvimento da atividade, em especial da pecuária leiteira. Famílias cooperadas que atuam juntas fazem a diferença, tanto no resultado quanto no desenvolvimento desta importante atividade do agronegócio do Paraná.

 

Parcerias duradouras - Entender o processo de atuação e participar efetivamente das ações da cooperativa proporcionam parcerias duradouras e de sucesso, principalmente na produção e como consequência, nos resultados.

 

Catanduvas - Um ótimo exemplo de parceria e trabalho em família vem do cooperado Abraão Motta, da Linha Padovani, em Catanduvas (PR). Desde 2008 a Família Motta faz parte do quadro de cooperados da Primato. “Quando a Primato veio para Catanduvas nos associamos e fazemos quase todos os negócios. Nossa propriedade tem uma área de 8,8 alqueires, com a atividade leiteira como principal”, explicou Abraão. No trabalho dentro da propriedade atuam a esposa Seni Cardoso Motta e seus dois filhos, Cleverson e Cleiton Motta.

 

Ração - Com relação à nutrição animal, o cooperado fez questão de destacar a ração da Primato na produtividade e na sanidade do plantel. “Temos um plantel de 93 animais, sendo 47 em lactação, com uma média geral diária de 24 litros cada”, enalteceu Motta, que complementou “há quase cinco anos utilizamos a ração Prima Raça 22% especial e desde então percebemos que a sanidade dos animais está muito melhor, sem contar que a nossa média de leite aumentou e trouxe mais qualidade, então, classifico ela como uma das melhores que já utilizei”.

 

Cooperativa - Com relação com a parceria com a cooperativa, o cooperado destacou a importância do relacionamento, independente do local. “Sou cooperado da Primato há 12 anos e estou contente com a parceria. Com o fechamento da unidade de Catanduvas, estamos recebendo toda a assistência da unidade de Guaraniaçu e fazendo os negócios por lá, sendo que aqui continuamos tendo as visitas técnicas e comerciais normalmente”, enfatizou o cooperado que concluiu, “por isso acredito que fazer parte de uma cooperativa é importante, porque além da representatividade, temos boas negociações, produtos de qualidade, uma ração de ponta, assistência técnica, enfim, um conjunto de vantagens para nós que somos pequenos produtores. Sem contar que temos ainda a questão das sobras todos os anos, algo importante em nosso orçamento”. (Imprensa Primato)

 

AGRONEGÓCIO: Exportações do setor somam quase US$ 9 bilhões em agosto

 

agronegocio 14 09 2020O Brasil exportou US$ 8,91 bilhões em produtos do agronegócio, em agosto deste ano. O valor representa uma elevação de 7,8% em relação ao mesmo mês do ano passado (US$ 8,26 bilhões). O aumento ocorreu em função da quantidade dos produtos exportados, que registrou aumento de 16,5% na comparação entre agosto de 2019 e 2020. O crescimento foi de US$ 646,24 milhões em valores absolutos.

 

Divulgação - A Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou a Balança Comercial do Agronegócio na sexta-feira (11/09). De acordo com a secretaria, a elevação das vendas externas da soja em grãos e de açúcar de cana foram os responsáveis pelo resultado do mês. O agronegócio representou mais de 50% na participação das exportações totais do país.

 

Soja em grão- As exportações de soja em grão atingiram US$ 2,21 bilhões (+25,1%). Desse total, a China comprou perto de 75%, o que representou US$ 1,65 bilhão.

 

Açúcar - Com a queda de produção de açúcar na Índia e Tailândia na safra 2019/2020, houve novas oportunidades para o Brasil aumentar as exportações do produto, que alcançou em agosto US$ 960 milhões, com incremento de 107%.

 

China - Os embarques dos produtos do agronegócio brasileiro para a China também explicam o incremento no mês analisado. Foram despachados para o país asiático 30% a mais que o registrado em 2019 (US$ 639 milhões), totalizando em agosto US$ 2,7 bilhões.

 

Importações - As importações de produtos agropecuários diminuíram de US$ 1,10 bilhão (agosto/2019) para US$ 912 milhões (agosto/2020), o que significou um recuo de 17,3%. Desta forma, o saldo da balança comercial de agosto somou US$ 7,1 bilhões. (Mapa)

 

>> Confira a nota e o resumo da Balança Comercial

>> Confira o Agrostat - Sistema de Estatísticas de Comercio Exterior do Agronegócio Brasileiro    

INMET: Boletim traz previsão agroclimatológica de setembro a novembro deste ano

 

inmet 14 09 2020O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), divulgou na sexta-feira (11/09) a nona edição do Boletim Agroclimatológico Mensal - Setembro de 2020.

 

Agosto e próximos meses - O boletim apresenta a análise das condições climáticas no Brasil durante o mês de agosto e traz as condições oceânicas e as tendências e o prognóstico agroclimático de setembro a novembro.

 

Chuvas - De acordo com as previsões, as regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul devem apresentar chuvas dentro ou acima da média a partir deste mês. Para o Centro-Oeste, o prognóstico é de chuvas abaixo da média. (Mapa)

 

>> Veja a edição completa do Boletim Agroclimatológico Mensal

https://portal.inmet.gov.br/boletinsagro

 

INFRAESTRUTURA: Governo federal qualifica rodovias e portos no PPI

 

infraestrutura 14 09 2020O governo federal qualificou empreendimentos públicos federais do setor portuário e trechos de rodovias federais no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da Presidência da República, para estudos de concessão à iniciativa privada. O decreto foi publicado na sexta-feira (11/09) no Diário Oficial da União e também trata da inclusão de trechos de rodovias federais no Plano Nacional de Desestatização (PND).

 

Ampliação e modernização- Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência informou que a medida “busca ampliar e modernizar investimentos em empreendimentos estratégicos a fim de retomar o crescimento econômico do país”. 

 

Outorga - “A qualificação dos empreendimentos permite que eles sejam outorgados à iniciativa privada para exploração econômica, possibilitando a ampliação da capacidade logística”, diz a nota.

 

Portos - No setor portuário, foram qualificados oito projetos, entre eles o Porto Público de Itajaí, em Santa Catarina, que faz parte do Complexo Portuário de Itajaí, juntamente com os Terminais de Uso Privado (TUPs): Teporti, Poly, Trocadeiro, Barra do Rio, Braskarne e Portonave. 

 

Itajaí - “O porto de Itajaí tem considerável relevância no cenário nacional, já que está estrategicamente localizado próximo às principais rodovias da Região Sul do país, a BR 101 e a BR 470”, segundo a Secretaria-Geral.

 

Trechos - O decreto também inclui no Programa Nacional de Desestatização (PND), já aprovados para concessão, diversos trechos de rodovias federais, entre eles, a BR153, no Paraná; a BR230, no Pará, e a BR316, no Maranhão. (Agência Brasil)

FOTO: ppi.gov.br

REFORMA: Bueno defende reforma administrativa com respeito aos direitos e regulamentação do teto

reforma 14 09 2020Uma reforma administrativa ampla e urgente, mas que preserve direitos. Essa é a posição do deputado federal Rubens Bueno, que sempre defendeu a modernização da estrutura do Estado brasileiro para dar mais agilidade aos serviços públicos e cortar privilégios e excessos que hoje se proliferam na máquina pública e que custam bilhões aos contribuintes.

 

Urgência - Paralelo a apreciação da reforma, o parlamentar defende a votação urgente do projeto que regulamenta o teto salarial do serviço público e acaba com os chamados “supersalários”. O deputado é o relator da matéria que está pronta para ser apreciada pelo plenário da Câmara.

 

Análise - Já com relação a reforma administrativa, o parlamentar pondera que será preciso analisar minuciosamente o texto entregue pelo governo para que se possa sugerir aprimoramentos e cortar qualquer ponto que configure algum tipo de injustiça.

 

Fim de privilégios - O parlamentar também destacou que espera a aprovação da PEC de sua autoria, que acaba com as férias de 60 dias no serviço público, em especial para magistrados e integrantes do Ministério Público.  (Assessoria de Imprensa do deputado Rubens Bueno)

BENEFÍCIO: Leandre e secretário nacional da Pessoa Idosa vão orientar asilos para receber auxílio emergencial

 

Nesta segunda-feira (14/09), a deputada federal Leandre Dal Ponte (PV-PR) e o secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, Antônio Costa, farão uma transmissão ao vivo para falar sobre o auxílio financeiro emergencial para as ILPIs (Instituições de Longa Permanência de Idosos). A live será transmitida, a partir das 16 horas, tanto pela página da deputada no Facebook quanto no canal da Leandre no Youtube. 

 

Esclarecimento - O objetivo da transmissão é esclarecer o processo de cadastramento para as instituições de longa permanência de idosos receberem o recurso do Governo Federal. Os participantes poderão fazer perguntas e tirar dúvidas sobre o processo de cadastramento, que deve ser feito até o dia 3 de outubro, na página do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Podem se cadastrar para receber o auxílio instituições de longa permanência de idosos públicas ou privadas de caráter assistencial, sem finalidade lucrativa.

 

Sanção - O auxílio emergencial para as ILPIs foi criado após a sanção de um projeto de lei, de autoria da deputada Leandre, que destina R$ 160 milhões para os asilos. O recurso deve ser utilizado para ações de prevenção e promoção à saúde durante a pandemia. O projeto virou a Lei 14.018/2020. Parte do auxílio de R$ 160 milhões vem do descontingenciamento do Fundo Nacional da Pessoa Idosa.  

 

Relatos - “Recebemos alguns relatos de profissionais que trabalham nas instituições de longa permanência que tiveram dificuldade para fazer o cadastramento necessário para receber o recurso emergencial. Então, vamos fazer esse bate-papo com o secretário para tirar as dúvidas”, afirmou Leandre. (Assessoria de Imprensa da deputada federal Leandre Dal Ponte)

 

{vsig}2020/noticias/09/14/beneficio/{/vsig}

SAÚDE I: Brasil registra 4,33 milhões de casos de covid-19 e 131,6 mil mortes

O Ministério da Saúde informou, neste domingo (13/09), que foram registradas 14.768 novas infecções de covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 4.330.455 casos desde o início da pandemia. Deste total, 3.573.958 são de recuperados. O número atualizado de óbitos por causa da doença é de 131.625, sendo que 415 mortes foram notificadas em 24 horas.   

Letalidade - Segundo o ministério, há 624.872 casos em acompanhamento. A taxa de letalidade está em 3% e a mortalidade/100 mil habitantes está em 62,6. A incidência de casos do novo coronavírus por 100 mil habitantes é de 2.060,7. 

Cenário - São Paulo é o estado brasileiro com o maior número de mortes (32.606), seguido por Rio de Janeiro (16.990), Ceará (8.686), Pernambuco (7.874) e Pará (6.344). Já Roraima tem o menor número de óbitos em decorrência do novo coronavírus (610). Em seguida aparecem Acre (640), Amapá (678), Tocantins (806) e Mato Grosso do Sul (1.065).

Números - São Paulo também lidera o número de casos, com 892.257, seguido por Bahia (282.517), Minas Gerais (252.263), Rio de Janeiro (242.491) e Ceará (227.449). Os estados com menos casos são Acre (26.166), Amapá (45.853), Roraima (46.478) e Mato Grosso do Sul (59.077). 

Rio - No Rio de Janeiro, foram registrados até este domingo, 242.491 casos confirmados e 16.990 óbitos por coronavírus em todo o estado, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Os números representam um aumento de 1.715 casos e cinco mortes em relação ao boletim divulgado no sábado (12/09). Há ainda, até o momento, 378 óbitos em investigação. Entre os casos confirmados, 220.090 pacientes se recuperaram da doença.

São Paulo  - Já em São Paulo, nas últimas 24 horas, foram registradas mais 39 mortes e mais 1.567 casos confirmados de covid-19. Os dados divulgados no domingo (13/09) pelo Governo de São Paulo revelam que, desde o início da pandemia, o estado contabilizou 32.606 óbitos e 892. 257 casos acumulados do novo coronavírus. (Agência Brasil)

(Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom)

tabela saude I 14 09 2020

SAÚDE II: Sesa informa 1.249 casos novos e 22 mortes pela Covid-19 no Paraná

 

saude II 14 09 2020A Secretaria de Estado da Saúde divulgou neste domingo (13/09) mais 1.249 casos confirmados e 22 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 152.538 casos e 3.783 mortos em decorrência da doença. Há ajustes de casos confirmados detalhados ao final do texto.

 

Internados - 1.099 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 915 pacientes em leitos SUS (419 em UTI e 496 em leitos clínicos/enfermaria) e 184 em leitos da rede particular (68 em UTI e 116 em leitos clínicos/enfermaria).

 

Exames - Há outros 1.136 pacientes internados, 491 em leitos UTI e 645 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

 

Óbitos- A secretaria estadual informa a morte de mais 22 pacientes, todos estavam internados. São oito mulheres e 14 homens, com idades que variam de 29 a 91 anos. Os óbitos ocorreram entre os dias 9 e 13 de setembro.

Residência - Os pacientes que faleceram residiam em: Curitiba (6), Fazenda Rio Grande (3), Colombo (2), Foz do Iguaçu (2). A Sesa confirma também um óbito em cada um dos seguintes municípios: Almirante Tamandaré, Campo Largo, Cerro Azul, Dois Vizinhos, Francisco Beltrão, Ivaiporã, Lapa, Medianeira e Ponta Grossa.

 

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 1.633 casos de residentes de fora, 40 pessoas foram a óbito.

 

Ajustes - Alteração de município:

Um caso confirmado no dia 6/9 em Campo Largo foi transferido para Fazenda Rio Grande.

 

Exclusões - Um caso confirmado no dia 11/9 em Colombo foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 11/9 em Toledo foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 11/9 em Ponta Grossa foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 10/9 em Curitiba foi excluído por duplicidade de notificação

 

Confira o informe completo clicando aqui.

 

(Agência de Notícias do Paraná)

SAÚDE III: Paraná completa seis meses de enfrentamento ao novo coronavírus

 

saude III 14 09 2020Em 12 de março, o cenário da Covid-19 apresentava 140 mil casos e 4 mil mortes no mundo. No Brasil, eram 77 pessoas infectadas pelo novo coronavírus, sem mortes pela doença. E foi nesta data que o Paraná divulgou os primeiros seis casos confirmados de pacientes com o vírus.

 

Mudança de contexto - O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, relata que o contexto mudou muito nesse período. “Em fevereiro e nos primeiros dias de março nossa visão era de que a doença estava se aproximando e começamos a nos preparar e nos organizar em relação à infraestrutura. Ajustamos todo o nosso planejamento do ano para atender possíveis pacientes infectados pela nova doença.”

 

Proporção maior - Com o passar das semanas e meses, os casos e óbitos tomaram proporções imensas demandando tomada de decisões rápidas da gestão pública. O secretário de saúde avalia os 180 dias de rotina com a Covid-19 no território paranaense. “Embora não tenham faltado leitos ou insumos, nunca, de modo algum, podemos comemorar o que estamos passando. Mesmo quando comparamos com outros estados e percebemos que nossos números estão melhores ou que não identificamos a falta de leitos. Não podemos comemorar pelo fato de que muitos paranaenses morreram, muitos perderam seus pais, seus irmãos, seus companheiros ou seus filhos e há outros que estão em um leito de hospital agora lutando pela vida”, acrescenta Beto Preto.

 

Atuação - O Governo do Paraná atuou tanto na organização e contratação de leitos e realização de exames RT-PCR, como na divulgação de orientações, normas, informativos, ativação do Centro de Operações em Emergências (COE), Plano de Contingência Covid-19.

 

Balanço - O balanço de seis meses da pandemia no Paraná registra 151.293 casos confirmados, 104.110 pessoas recuperadas e 3.761 mortos em consequência da Covid-19 (dados do dia 12). De 399 cidades paranaenses, há ocorrência de casos em 398 municípios, apenas Laranjal, na região central do estado, não teve nenhuma confirmação. Em relação aos óbitos, há registros em 291 cidades, até sábado (12/09).

 

Legado - Durante todo esse período de enfrentamento ao novo coronavírus, o Paraná ativou quase a mesma quantidade de leitos de UTI que haviam sido criados durante os 30 anos anteriores.  Foram disponibilizados mais de 1.100 leitos de UTI para pacientes suspeitos ou confirmados com Covid-19. Outros 1,5 mil leitos clínicos também estão recebendo exclusivamente pacientes que precisam de internamento com isolamento.

 

Obras aceleradas - Três obras de hospitais foram aceleradas para abrir leitos exclusivos para pacientes suspeitos ou confirmados com a Covid-19: Telêmaco Borba, Ivaiporã e Guarapuava. “Com a estratégia de abrir leitos nestas três unidades hospitalares e contratualizar leitos já existentes em hospitais em todo o Estado, não montamos hospitais de campanha. O custo que tivemos nesse período não chega a 50% do valor que nos oferecem os serviços destas unidades temporárias”, comentou o secretário da saúde.

 

Exames RT-PCR - O Laboratório Central do Estado (Lacen) ampliou a capacidade de processamento de exames, habilitou dezenas de laboratórios privados e públicos para a validação dos resultados para identificação do novo coronavírus e aprimorou o fluxo das amostras.

 

Parceria - Desde abril, o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), ligado à Fundação Oswaldo Cruz, é parceiro do Governo do Estado para a realização de diagnósticos.

 

Destaque - Juntos, os dois laboratórios, Lacen e IBMP, colocam o Paraná em destaque frente a outros estados em relação a capacidade de processamento de mais de 5 mil exames por dia. Até o dia 12 de setembro, já haviam sido realizados 564.075 testes pelo método RT-PCR, indicado para detectar o vírus no organismo.

 

Insumos - Entre março e setembro a Sesa distribuiu para as unidades hospitalares mais de 11 milhões de unidades de equipamentos de proteção individual (EPIs). Foram enviados aventais, máscaras e óculos de proteção, embalagens com álcool, luvas, toucas, entre outros.

 

Aquisições - “Fizemos aquisições de insumos, como respiradores, que são equipamentos caros, e conseguimos a compra por valores de mercado, mesmo durante a pandemia. Isso foi uma vitória porque é um equipamento que pode salvar a vida do paciente Covid-19”, explicou o secretário.

 

Informações - Para ter acesso a mais informações sobre a condução, leitos, gastos do Governo e da Sesa com a Covid-19, acesse o site coronavirus.pr.gov.br. (Agência de Notícias do Paraná)

ARTIGO: A revolução silenciosa do transporte de cargas agrícolas¹

 

Marcos Sawaya Jank²

Corrigindo um erro de nove décadas, ferrovias estão chegando com força ao Centro-Oeste.

      

Inaugurada por dom Pedro II, em 1854, a primeira operação intermodal de cargas do Brasil foi a Imperial Companhia de Navegação a Vapor e Estrada de Ferro de Petrópolis, um ousado empreendimento do incrível barão de Mauá, o maior empresário do Império.

 

De 1854 a 1930 o Brasil construiu 30 mil km de estradas de ferro cobrindo a região litorânea do País, com destaque para as malhas das regiões do sul e do sudeste. Nesse período acompanhamos pari passu o exemplo de grandes nações que investiam em ferrovias e hidrovias de longa distância, como Rússia, Índia, Canadá, Austrália e Estados Unidos.

 

Lamentavelmente, tomamos a direção errada a partir da Presidência de Washington Luís, quando o lema passou a ser “governar é abrir estradas”. Desde então, sucessivos governos passaram a privilegiar longas rodovias e caminhões, em detrimento de soluções multimodais.

 

Felizmente, esse enorme erro estratégico começa a ser corrigido. Na década de 1970 o Brasil foi o berço da principal revolução tropical agrícola do planeta, que combinou tecnologias inovadoras com empreendedorismo de agricultores arrojados que migraram para os cerrados do Centro-Oeste. Mas a logística de transporte ferroviário não seguiu as novas fronteiras da agricultura e continuou sendo majoritariamente litorânea e estruturalmente precária nas ligações rodoviárias de longa distância do País.

 

Nos últimos anos, particularmente no governo atual com a excepcional gestão de Tarcísio de Freitas à frente do Ministério da Infraestrutura, as novas opções multimodais estão produzindo uma “revolução silenciosa” no transporte de cargas agrícolas do Brasil.

 

O principal beneficiário da mudança de modais é Mato Grosso, Estado que lidera a produção agropecuária nacional – com destaque para soja, milho, algodão e pecuária de corte – e se caracteriza como a área que forma o preço marginal da soja no mundo. Situado a mais de 2 mil km dos principais portos, Mato Grosso foi altamente prejudicado pela precariedade das estradas e pelo alto custo do frete rodoviário, que representa entre 15% e 45% do valor da soja no mercado internacional.

 

Agora as ferrovias estão chegando com força ao Centro-Oeste. A Rumo já carrega em seus trens o equivalente a 1.700 caminhões por dia na Malha Norte (volume de Mato Grosso), que levam menos de 85 horas para descer até Santos, o principal porto agrícola do País. Até o ano que vem a companhia vai operar trens de 120 vagões. Cada trem desses retira 240 caminhões bitrem das estradas.

 

Após mais de 30 anos de espera, a Ferrovia Norte-Sul, agora operada pela Rumo e pela VLI, estará operacional no segundo semestre de 2021, interligando os portos de Itaqui (MA) e de Santos (SP).

 

Em paralelo, a conclusão da rodovia BR-163 permitiu a concretização da saída bimodal pelo Arco do Norte, com os grãos do Centro-Oeste sendo enviados por caminhão até o porto fluvial de Miritituba, no Pará, e em seguida por barcaças até os portos próximos a Belém. Essa saída segue o pioneirismo da hidrovia do Rio Madeira, que há mais de 20 anos liga Porto Velho (RO) ao Oceano Atlântico. As novas opções multimodais já permitiram uma redução de 15% nos fretes de cargas agrícolas de Mato Grosso.

 

O próximo passo da “revolução silenciosa” é a chegada das ferrovias ao coração da produção de soja, milho e algodão de Mato Grosso. Três projetos estão sendo propostos nesse momento: 1) a extensão de 650 km da Ferronorte entre Rondonópolis e Lucas do Rio Verde, que será construída pela Rumo para movimentar cargas até o porto de Santos; 2) a Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), que vai na direção oeste-leste, podendo futuramente chegar ao porto de Ilhéus; e 3) a Ferrogrão, que pretende alcançar os portos do Arco do Norte, complementando a saída pela BR-163.

 

Três ferrovias levando grãos do Centro-Oeste para o norte, o leste e o sudeste do País constituem um novo paradigma inimaginável de desenvolvimento para a agricultura brasileira. É hora de concretizá-lo, sem pestanejar, pois só depende de leilões ou aprovações do governo.

 

Vale lembrar que entre granel e contêineres essas ferrovias transportam grãos, açúcar, fertilizantes, etanol, algodão, celulose, café, carnes e muitas outras commodities. Ademais, a opção pelos modais ferroviário e hidroviário traz muitos outros benefícios para o País, se comparados à alternativa rodoviária de longa distância: redução de emissões de gases de efeito estufa e de poluição atmosférica, maior eficiência energética, menor consumo de diesel por quilômetro percorrido, maior segurança e redução de desgastes e acidentes nas estradas, gerando economias importantes para a saúde pública e o meio ambiente.

 

Temos de aproveitar essa chance de realizar grandes investimentos privados em sistemas multimodais que demandam apenas concessões e autorizações do poder público. Em tempos de tantas notícias ruins por causa da pandemia global, poder corrigir nove décadas de dependência exclusiva e arriscada do transporte rodoviário em apenas uma década é uma oportunidade fantástica. Ela vai beneficiar não apenas o produtor rural brasileiro, mas, principalmente, o consumidor global.

 

(¹) Publicado originalmente no Jornal “O Estado de S. Paulo”, Opinião, 14/9/2020.

(²) Marcos Sawaya Jank é professor de agronegócio global do Insper.


Versão para impressão


RODAPE