Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4914 | 24 de Setembro de 2020

MERCADO: Fórum vai discutir tendências do agro para a safra 2020/21

As tendências do agronegócio para a safra 2020/21 estarão no centro dos debates do Fórum de Mercado que será realizado no dia 30 de setembro, com transmissão ao vivo pela TV Paraná Cooperativo, das 14h às 16h30. Para falar sobre o tema foram convidados André Pessôa, engenheiro agrônomo da Agroconsult e especialista em análise de mercado e política agrícola, além de Luiz Renato Lazinski, meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), com mais de 30 anos de serviços prestados ao Ministério da Agricultura.

Participações – Haverá também a participação dos secretários estaduais Márcio Nunes, da Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), e Norberto Ortigara, da Secretaria da Agricultura e Abastecimento (Seab), e dos presidentes do Sistema Faep/Senar, Ágide Meneguete, e do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

Inscrições – As inscrições ao evento devem ser efetivadas até o dia 28 de setembro pelo e-mail jessica.costa@sistemaocepar.coop.br.

Realização – O Fórum de Mercado é uma realização conjunta do governo do Estado, por meio da Sedest e Seab, e Sistemas Ocepar e Faep/Senar.

forum mercado 24 09 2020

 

COOPER LÍDER: O poeta Bráulio Bessa e a dupla Overdriver Duo são atrações do Encontro das Lideranças Femininas

As mulheres do cooperativismo paranaense se reúnem, na tarde desta sexta-feira (25/09), no Encontro Virtual das Lideranças Femininas Cooperativistas, que terá grandes atrações, como o poeta Braúlio Bessa e a dupla Overdriver Duo. O evento ocorre a partir das 13h30, numa promoção do Sistema Ocepar realizada por meio do Programa Cooper Líder Feminino, e será transmitido pelo canal da entidade no Youtube.

Painel - Questões relevantes ligadas às mulheres cooperativistas também estarão em debate em um painel que contará com as presenças de Yuna Bastos, conselheira de Administração da Sicredi União PR/SP, Solange Martins, presidente do Sicoob Unicoob Meridional, Wemilda Feltrin, presidente da Unimed Francisco Beltrão, e Maura Carrara, presidente da Sicredi Nossa Terra. O evento será aberto pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

Bráulio Bessa - O poeta Bráulio Bessa ultrapassou a marca de 100 milhões de visualizações em seus vídeos. Participa do programa de TV Encontro com Fátima Bernardes, no qual é consultor em cultura nordestina. Disseminando sua poesia aos quatro cantos, Bessa é considerado um dos maiores ativistas da cultura nordestina no mundo.

Overdriver Duo - O Overdriver Duo é um fenômeno global, com mais de 3,2 bilhões de visualizações nas redes sociais. A dupla fez turnê mundial e passou por 14 países, com apresentações nos maiores palcos e festivais do mundo. O Overdriver Duo foi premiado por destaque internacional e está entre os artistas mais vistos do planeta na internet.

Informações - Mais informações com a analista do Sescoop/PR, Eliane Lourenço Goulart Festa (eliane.goulart@sistemaocepar.coop.br / 41 99191-9172).

{vsig}2020/noticias/09/24/cooperlider/{/vsig}

INOVAÇÃO: Especialistas vão debater habilidades, transformação digital e cooperativismo na segunda-feira

O Sistema Ocepar promove, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), o Fórum de Inovação do Cooperativismo Paranaense, na próxima segunda-feira (28/09), das 14h às 16h. O evento será realizado virtualmente e traz como palestrantes os especialistas Wendel Afonso, que vai falar sobre habilidades em inovação, e Andrea Iorio, que vai abordar o tema transformação digital e o cooperativismo.

Cases - Os participantes também vão conhecer cases de grandes empresas, como a Bosch. Haverá ainda um painel mediado por Hélio Gomes de Carvalho e a apresentação de uma proposta para o Programa de Educação Continuada 2021.

Público-alvo - O Fórum é destinado a funcionários das cooperativas do Paraná que atuam na área de inovação e para os agentes de inovação, que são os alunos dos ciclos 2018/2019 e 2020/2021 do Programa de Inovação do Cooperativismo Paranaense. Mais informações com Ketlyn Sharon Zipperer Mali (ketlyn.zipperer@sistemaocepar.coop.br).

 

evento folder 23 09 2020

COVID-19: Confira o comunicado 124 do Comitê de Acompanhamento

covid 19 destaque 23 09 2020A participação do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, na solenidade de apresentação de investimentos da Cooperativa C.Vale, ocorrida nesta quarta-feira (23/09), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, é um dos destaques do comunicado 124, emitido na manhã desta quinta-feira (24/09) pelo Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19. Veja abaixo todos os destaques do boletim.

1. O Sistema Ocepar, no dia 23 de setembro, realizou de forma virtual duas Reuniões da Autogestão coma as cooperativas Coonagro e Unimed Paranaguá, com a participação do corpo diretivo e gestores.

2. No dia 23 de setembro, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, participou da solenidade de apresentação do plano de investimento da cooperativa C.Vale, realizada com o governador Ratinho Júnior, vice-governador Darci Piana e secretários no Palácio Iguaçu.

3. O Sistema Ocepar, no dia 23 de setembro, participou da reunião do GT de Classificação e Armazenagem, para discutir assuntos sobre o Sistema Nacional de Cadastro Unidades Armazenadoras (SNCUA) e a instrução normativa IN nº 22, de 14 de junho de 2017.

4. No dia 23 de setembro, o Sistema OCB, realizou em conjunto com o Sistema Ocepar e representantes das cooperativas agropecuárias e crédito, reunião virtual com representantes do Ministério da Agricultura - Mapa e do Banco Central do Brasil - BCB, para apresentar e discutir as propostas de ajustes na Lei nº 4.829, de 1965 e na Lei nº 8.427, de 1992.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

LEGISLAÇÃO: Publicada Lei Complementar que dispõe sobre padrão nacional do ISSQN

Foi publicada, no Diário Oficial da União desta quinta-feira (24/09), a Lei Complementar nº 175 (LC), de 23 de setembro de 2020, que dispõe sobre o padrão nacional de obrigação acessória do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN), de competência dos municípios e do Distrito Federal, incidente sobre os serviços previstos nos subitens 4.22, 4.23, 5.09, 15.01 e 15.09.

Serviços - De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Devair Mem, os serviços alcançados pela LC 175 são:

4.22 – Planos de medicina de grupo ou individual e convênios para prestação de assistência médica, hospitalar, odontológica e congêneres.

4.23 – Outros planos de saúde que se cumpram através de serviços de terceiros contratados, credenciados, cooperados ou apenas pagos pelo operador do plano mediante indicação do beneficiário.

5.09 – Planos de atendimento e assistência médico-veterinária.

15.01 – Administração de fundos quaisquer, de consórcio, de cartão de crédito ou débito e congêneres, de carteira de clientes, de cheques pré-datados e congêneres.

15.09 – Arrendamento mercantil (leasing) de quaisquer bens, inclusive cessão de direitos e obrigações, substituição de garantia, alteração, cancelamento e registro de contrato, e demais serviços relacionados ao arrendamento mercantil (leasing).

Prática - “Na prática, significa que os serviços acima deverão ser apurados e declarados pelo contribuinte, por meio de sistema eletrônico de padrão unificado em todo o território nacional, em desenvolvimento pelos próprios contribuintes. São regras estabelecidas para o recolhimento do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) pelo município onde está o cliente (destino) consumidor, decorrente das alterações feitas pela Lei Complementar 157, de 29/12/2016, que transferiu a competência da cobrança do ISSQN do município onde fica o prestador do serviço para o município onde o serviço é prestado ao usuário final”, explica Mem.

Sistema eletrônico - Ainda de acordo com ele, “estima-se que o sistema eletrônico esteja em operação já no início de 2021, porém esta lei assegura ao contribuinte a possibilidade de apurar e recolher o ISSQN relativo às competências de janeiro, fevereiro e março, até o 15º dia do mês de abril de 2021, sem nenhuma multa, porém com acréscimo da taxa Selic até o mês anterior ao do pagamento, e pela taxa de 1% (um por cento) no mês de pagamento.”

Clique aqui para conferir na íntegra a LC nº 175/2020

REUNIÃO INSTITUCIONAL I: Unimed Paranaguá, 40 anos de muita saúde

A Unimed Paranaguá iniciou oficialmente suas atividades em 1 de fevereiro de 1980. Atualmente, é um dos pilares da manutenção e prevenção da saúde no município de Paranaguá, no litoral do Paraná.  Possui cerca de 30 mil beneficiários, UTI móvel, sede própria e investimentos em reformas no Hospital Paranaguá, inclusive com a construção de UTI. Com o objetivo de apresentar os indicadores da Unimed Paranaguá, com uma análise de posicionamento em relação ao ramo saúde, o Sistema Ocepar se reuniu, na manhã desta quinta-feira (23/09), com a diretoria da cooperativa médica, representada pelo presidente José Michel Gantus, pela vice-presidente, Simone Martins Gerhardt Pereira, pela gerente geral Luciana Marques Kmiecik, e pela contadora Gizele Aparecida Kesseli.

Finalidade - O objetivo das reuniões institucionais é a apresentação e discussão da situação econômico-financeira da cooperativa, por meio de indicadores e comparativos com outras cooperativas paranaenses do mesmo ramo e região. Esse acompanhamento de desempenho visa manter a qualidade da gestão, a credibilidade perante terceiros, a transparência perante o quadro social e, principalmente, a solidificação do sistema cooperativista. Além de apresentar os indicadores, as reuniões também possibilitam realizar a interação com as cooperativas e conhecer suas estratégias.

Adaptação - O superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, lembrou que elas se constituem num importante trabalho do Sistema Ocepar para o acompanhamento econômico-financeiro das cooperativas. “Em função da pandemia, estamos com 100% da nossa equipe em home office, por este motivo houve uma adaptação para o formato virtual, mas não deixamos de atender as nossas cooperativas, buscando sempre a relevância e a essencialidade, que são a razão de existir do Sistema Ocepar”, destacou.

{vsig}2020/noticias/09/24/unimed_paranagua/{/vsig}

Sescoop/PR - Os projetos finalísticos do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Paraná (Sescoop/PR) também são pautas das reuniões institucionais. “A finalidade é falar da estrutura do Sescoop/PR, de suas coordenações, e o que cada cooperativas tem a sua disposição”, disse o coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Humberto Bridi.

Ramo saúde - A Unimed Paranaguá integra o ramo saúde do cooperativismo paranaense, que possui 35 cooperativas. Juntas, elas agregam 2,2 milhões de beneficiários e mais de 15 mil profissionais da saúde cooperados. São responsáveis por mais de 6 mil empregos diretos e arrecadam mais de R$ 160,6 milhões em impostos e tributos.

REUNIÃO INSTITUCIONAL II: Coonagro e Sistema Ocepar tiveram encontro virtual

A 69ª na modalidade virtual, a reunião entre o Sistema Ocepar e a Cooperativa Nacional Agroindustrial (Coonagro), com sede em Curitiba, realizada nesta quarta-feira (23/09), contou com a presença de um número grande de integrantes da cooperativa e da entidade estadual, totalizando 41 participantes, entre os quais o vice-presidente Erik Bosch e o CEO Mario Sérgio do Prado, além de conselheiros fiscais e administrativos da Coonagro, e o presidente José Roberto Ricken, o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, coordenadores e analistas técnicos da entidade.

Finalidade - Previsto no planejamento institucional do Sistema Ocepar, as reuniões com as cooperativas têm o intuito de fazer a apresentação e discussão da situação econômico-financeira da cooperativa através de indicadores e comparativos com outras organizações paranaenses do mesmo ramo e região. Esse acompanhamento do desempenho visa manter a qualidade da gestão, credibilidade perante terceiros, transparência perante o quadro social e, principalmente, a solidificação do sistema cooperativista. O encontro foi aberto pelo coordenador de Monitoramento da Gerência de Desenvolvimento Cooperativo (Gecoop), João Gogola Neto.

Exemplo - O presidente Ricken, que abordou o trabalho de representação institucional exercido pelo Sistema Ocepar em prol das cooperativas, por meio de articulações e atividades virtuais, no momento, devido à pandemia do coronavírus, elogiou a evolução da Coonagro na prestação de serviço às nove cooperativas que a integram. “A Coonagro é uma referência muito importante para nós. A prestação de serviço, enfim, o trabalho que realiza para as singulares é algo inédito e, creio, poderia ser estendido a outras cooperativas ou, ao menos, servir de estímulo para que outras sigam neste caminho e, assim, tenhamos uma integração maior do setor.”

Reconhecimento - O vice-presidente da Coonagro, Erik Bosch, no final da reunião, agradeceu ao Sistema Ocepar pelo trabalho realizado em benefício do sistema cooperativista, por entender que o monitoramento dos indicadores contribui para melhorar o desempenho das cooperativas, tanto na gestão como na obtenção da melhoria do seu desempenho socioeconômico e financeiro. “É muito importante o que fazem para nós”, disse, ao enaltecer o  serviço prestado pelo Sescoop/PR em benefício do setor, por meio de treinamento, capacitação de formação de funcionários, cooperados e gestores. “Fico muito feliz em saber que o Sescoop/PR vai continuar ofertando esses serviços a nós.” O CEO Mario Sérgio do Prado reiterou o agradecimento pelo trabalho realizado pela entidade. “É um suporte às cooperativas, não só à Coonagro. É um trabalho excelente”, disse.

Coonagro - A central é constituída pelas cooperativas singulares Bom Jesus, da Lapa, Agrária, de Guarapuava, Coopagrícola, de Ponta Grossa, Frísia, de Carambeí, Castrolanda, de Castro, Capal, de Arapoti, Cooperval, de Jandaia do Sul, Cocari, de Mandaguari, e Nova Produtiva, de Astorga. A cooperativa, que atualmente tem 248 funcionários, faturou R$ 570,1 milhões em 2019. A estimativa é movimentar entre R$ 550 milhões e R$ 600 milhões neste ano.

Equipe - Pelo Sistema Ocepar também participaram da reunião institucional o coordenador de Comunicação, Samuel Zanello Milléo Filho, o analista de Desenvolvimento Técnico da Getec, Alexandre Monteiro, e os analistas técnicos da Gecoop, Emerson Barcik e Fabianne Ratzke.

{vsig}2020/noticias/09/24/reuniao_institucional/{/vsig}

C.VALE: Cooperativa investirá R$ 500 milhões em indústria de farelo e óleo de soja

A C.Vale vai construir uma indústria para esmagamento de soja em Palotina, Oeste do Paraná. O presidente da cooperativa, Alfredo Lang, e o governador do Paraná, Ratinho Júnior, assinaram, nesta quarta-feira (23/09), em Curitiba, protocolo prevendo tratamento fiscal diferenciado que resultará no novo empreendimento. A nova planta industrial terá capacidade para processar 2.500 toneladas de soja por dia, com possibilidade de ampliação para até 3 mil toneladas/dia. Quando alcançar a capacidade plena de operação, o consumo de soja será de 50 mil sacas/dia.

Investimentos - Lang revelou que a nova estrutura exigirá investimentos de R$ 552 milhões em oito anos. Ele explicou que, numa primeira etapa, a indústria produzirá farelo de soja para a produção de rações. A cooperativa mantém sistemas de integração que produzem, atualmente, 620 mil frangos/dia e 100 mil tilápias/dia, e ainda fabrica rações para bovinos e suínos. Conforme Lang, as obras da esmagadora de soja devem iniciar já em 2021 e serem concluídas em 2023. “É um sonho antigo dos nossos associados que estamos realizando. Começaremos com a fabricação de farelo e óleo, e depois vamos ampliar o leque com outros produtos”, revelou.

Empregos - O novo empreendimento resultará na criação de 70 empregos diretos, numa primeira etapa. (Imprensa C.Vale)

FOTOS: Samuel Milléo Filho / Sistema Ocepar

{vsig}2020/noticias/09/24/cvale/{/vsig}

CASTROLANDA: Premiada no Troféu A Granja do Ano como destaque na pecuária leiteira

castrolanda 24 9 2020A Cooperativa Castrolanda foi reconhecida novamente com o troféu “A Granja do Ano” na categoria Destaque Nacional em Pecuária Leiteira. Realizada pela Revista A Granja, a premiação completou em 2020 a sua 35ª edição e consolidou-se como uma das mais importantes e tradicionais da agropecuária nacional. Neste ano, foram contempladas 30 empresas, personalidades, entidades ou instituições que se destacam em segmentos relevantes ligados direta ou indiretamente ao agro no país.

Entrega - A entrega do troféu, diferente de outras edições, ocorreu diretamente na sede da Castrolanda, em Castro (PR), e o diretor-presidente da cooperativa, Willem Berend Bouwman, foi entrevistado para publicação na revista que contempla todos os ganhadores. Confira abaixo:

Inovação que aprimora a qualidade

Planos de ação específicos em cada propriedade e monitoramento constante resultam em excelência da produção leiteira da Castrolanda

O que a cadeia leiteira representa para os negócios da Castrolanda? Quantos produtores estão envolvidos?

A cadeia leiteira tem uma grande representatividade para os negócios da Castrolanda, pois possibilita empregos diretos e indiretos, além de ser provedora de significativos faturamentos para toda a operação dos negócios da cooperativa. Atualmente, na produção de leite, contamos com 345 cooperados no Paraná, e 69 cooperados em São Paulo, totalizando 414 produtores.

Qual foi o tamanho da produção de leite da Castrolanda em 2019 e qual a expectativa para 2020?

Em 2019, nós produzimos 373,275 milhões de litros de leite, o que representou um crescimento de aproximadamente 15% em relação ao ano de 2018. Já em 2020, mesmo com todas as dificuldades frente à pandemia da Covid-19, nos sete primeiros meses do ano, alcançamos um resultado de produção 13% superior em relação ao mesmo período do ano anterior. De modo geral, o resultado faz parte de toda uma cadeia de gestão integrada, pois, mesmo diante das adversidades, o nosso objetivo é avançar e evoluir.

Quais são os mais recentes investimentos da Castrolanda no segmento de leite?

O investimento na torre de secagem de leite em pó. Ao alocar R$ 92 milhões, já considerando a variação do dólar, foi possível capacitar as operações para absorver o crescimento e trabalhar na diversificação do mix de produtos das plantas. A produção da torre, que teve início no final de dezembro de 2019, tem capacidade diária de 600 mil litros de leite.

Quais são os principais diferenciais da Castrolanda em relação à qualidade da produção leiteira? De que maneiras a cooperativa atua para garantir a alta qualidade em todas as etapas produtivas?

Os diferenciais começam com os próprios cooperados, pois, via de regra, são produtores preocupados com essa temática, sendo muito inovadores em suas propriedades. O trabalho com qualidade do leite nas regiões de atuação também foi pioneiro no Brasil. Se considerarmos os principais indicadores de qualidade do leite, Contagem de células somáticas (CCS) e Contagem padrão em placas (CPP), a nova normativa 76-77 (Vigente no momento), indica como valores de referência 500 mil células/mL e 300 mil UFC/ mL, respectivamente. Em julho de 2020, para efeito explicativo, os resultados médios da Castrolanda foram: 217 mil células/mL e 8 mil UFC/mL.

Se fôssemos analisar as médias anuais, os valores de CCS e CPP foram: 240 mil células/mL e 9 mil UFC/mL. Isso é fruto da equipe técnica especializada, a qual desenvolve planos de ação específicos em cada propriedade e monitora os dados de qualidade constantemente. Existem diversos projetos que são desenvolvidos por nossa equipe técnica na área do leite que impactam diretamente de forma positiva os cooperados e, consequentemente, a produção e qualidade do produto dentro da porteira.

O conceito de negócios de lácteos da Unium pode ser considerado o grande diferencial. É através da intercooperação com Frísia e Capal que nós conseguimos otimizar a produção, potencializar nossos negócios e, consequentemente, crescer juntos. Além disso, a industrialização prestada para os parceiros comerciais garante uma posição de destaque no cenário nacional. Há também a garantia para o cooperado de que o leite produzido tenha colocação com preço justo e compatível com o volume e a qualidade do que é entregue durante todo o ano. (Imprensa Castrolanda)

 

AGRÁRIA/FAPA: 17ª edição do WinterShow será realizada com adaptações

agraria fapa 24 09 2020Entre os dias 13 e 15 de outubro, a Cooperativa Agrária e a Fapa (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária) realizam a 17ª edição do WinterShow, o maior evento técnico de cereais de inverno do Brasil. Em 2020, por conta da pandemia da Covid-19, o evento passará por uma série de modificações.

Canal de divulgação - De acordo com Márcio Mourão, Coordenador Administrativo da Fapa e da Assistência Técnica da Cooperativa, o WinterShow representa um importante canal para a divulgação de informações sobre os cultivos da época mais fria do ano. Os conteúdos repassados tanto por pesquisadores da Fundação como por palestrantes convidados, além de interessarem aos cooperados da Agrária, também são importantes para outros produtores e empresas. “Temos uma atividade que é dividida em ciclos, como plantio, cultivo e colheita. E nosso trabalho não parou, mesmo diante do cenário que vivemos hoje. Por isso, decidimos manter a realização do WinterShow, pois sabemos que o conhecimento difundido pelo evento é essencial para que os cooperados planejem a próxima safra de inverno”, explica.

Forma híbrida - Como medida de prevenção à Covid-19, o WinterShow 2020 ocorrerá de forma híbrida. O período da tarde, onde normalmente acontecem as palestras simultâneas conduzidas pelos pesquisadores da Fapa, concentrará toda a programação técnica do evento. As palestras serão transmitidas através do site wintershow.com.br. Para participar, os interessados devem inscrever-se no site do evento e no canal da Agrária no Youtube. Com a inscrição concluída, o participante receberá um link de acesso à programação.

Visitas - Já no período da manhã, os campos da Fapa estarão abertos para que o público possa visitar parcelas de cultivo e estandes de expositores. Embora as atividades estejam previstas apenas para áreas a céu aberto, a organização definiu algumas regras para acesso ao local, seguindo a legislação do Município de Guarapuava com relação à pandemia.

Procedimentos - Na entrada, os participantes terão sua temperatura corporal aferida. O uso de máscaras será obrigatório e haverá um controle do número de pessoas que poderão acessar o campo, para evitar aglomerações. Os estandes de expositores também terão que respeitar um limite de lotação, que irá variar conforme o tamanho de cada espaço.

Almoço - O almoço, que é uma tradição no WinterShow, será servido em porções individuais. Os cooperados serão orientados a levar a refeição para casa. Para os demais participantes haverá uma estrutura no local, respeitando o distanciamento necessário. “Além desses cuidados, montamos uma cartilha com orientações para os expositores. Todas essas medidas para mitigação de riscos contribuíram para que as empresas do setor, que também estão restringindo sua participação em eventos, se fizessem presentes no WinterShow”, afirma Mourão.

Patrocínio - A 17ª edição do WinterShow conta com o patrocínio ouro da Oro Agri e patrocínio prata do Sicredi. São patrocinadores bronze a Rocha Terminais Portuários e Logística e o Sindicato Rural de Guarapuava. (Imprensa Agrária)

SERVIÇO

WinterShow – 17ª edição

Data: 13 a 15 de outubro

Horário: das 8h às 18h

Locais:

Programação presencial – Fapa - PR 540, km 09, Colônia Vitória, Distrito de Entre Rios, Guarapuava/PR

Programação online – www.wintershow.com.br

Evento gratuito

 

COOPAVEL: Dilvo fala sobre agronegócio em websérie da MundoCoop

coopavel 24 09 2020O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, é um dos convidados para um ciclo de webinars organizado pela MundoCoop, uma das principais publicações especializadas em cooperativismo e agronegócio do País. Dilvo participa nesta quinta-feira (24/09), às 17h, do Top Coopers Agro, que reúne há semanas alguns dos principais nomes da agropecuária nacional.

Presenças - O quinto episódio da websérie contará com a presença também do presidente da Cooxupé Carlos Augusto Rodrigues, e do CEO Brasil da UPL, Fabio Torretta. O encontro terá como mediador o escritor, consultor e especialista em agronegócio José Luiz Tejon. O diretor da MundoCoop, Luis Cláudio, também vai estar presente.

Inscrição - Os interessados em acompanhar a transmissão ao vivo precisam fazer inscrição com antecedência pelo link https://topcoopers.mundocoop.com.br. As vagas são limitadas. (Imprensa Coopavel)

 

SICREDI I: Missão no Haiti recebe reconhecimento internacional

Os integrantes da missão realizada pelo Sicredi no Haiti, em 2019, receberam, no último dia 22 de setembro, um reconhecimento do Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (WOCCU) pelo impacto social alcançado no país caribenho. Esta foi a primeira missão internacional do Programa A União Faz a Vida (PUFV), desde que a principal iniciativa de responsabilidade social da instituição financeira cooperativa foi criada, em 1995.

Comunidades carentes - Ao realizar a homenagem, que aconteceu de forma virtual, o vice-presidente do WOCCU, Paul Treinen, ressaltou a importância do cooperativismo de crédito nas comunidades mais carentes do mundo e destacou como o projeto do Sicredi no Haiti reflete, na prática, os princípios do cooperativismo. "O Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito vem ajudando muitos países em situação de vulnerabilidade e perceber que, cada vez mais, os nossos associados têm se engajado nestas causas nos traz muito orgulho. Reconhecer essa preocupação do Sicredi com a inclusão e com a diversidade é também a nossa missão. Lembramos sempre que o grande propósito do cooperativismo está baseado em conceitos como ajuda mútua e solidariedade, das pessoas ajudando pessoas", disse.

Metodologia - Durante a viagem, um grupo de colaboradores voluntários do Sicredi levou a metodologia do Programa A União Faz a Vida para os religiosos e professores da Institution Sacré Coeur de Jésus, em Porto Príncipe, capital do país caribenho. A instituição oferece ensino e refeições diárias para mais de 270 crianças de famílias em situação de vulnerabilidade social. Na entidade, os haitianos ainda recebem apoio e acolhimento dentro de valores ligados a solidariedade e colaboração.

Emocionante - “Foi emocionante participar da missão, ainda mais num país tão castigado pelas catástrofes naturais e pelas dificuldades financeiras. Uma das cenas que ficaram marcadas na minha memória foi quando uma mãe limpou o sapato de sua pequena filha, antes de ela entrar na escola. Esse respeito à educação e aos educadores é algo que precisa ser eternizado", ressaltou Sabrina Conde, assessora pedagógica do Programa e uma das participantes da missão.

Formação - Durante a viagem, os voluntários utilizaram os materiais do programa A União Faz a Vida, traduzidos para o francês, e trabalharam na formação dos educadores haitianos, que tiveram acesso a uma nova concepção de educação. A Irmã Maria Zelinda Cardim, que recebeu os integrantes da missão no Haiti e representou a Institution Sacré Coeur de Jésus no evento promovido pelo WOCCU, agradeceu todo o apoio e destacou a importância da ação transformadora por meio da educação. "Foi muito importante para a nossa instituição receber esse suporte e aprender uma nova maneira colaborativa de ensinar". Para ela, a ajuda é uma demonstração concreta da solidariedade humana, de pessoas ajudando pessoas. "É um caminho certo e seguro para construirmos um Haiti melhor e um mundo mais justo e fraterno”, destacou.

Técnica de plantio - Além da metodologia de ensino baseada na colaboração, no empreendedorismo e na ética, o projeto levou para o Haiti uma técnica de plantio em bags. A iniciativa possibilitou a criação de uma horta na instituição para o cultivo de legumes e hortaliças, que são utilizadas na alimentação dos alunos e da comunidade do entorno da escola. “Cada ação nos remete aos ideais dos pioneiros do cooperativismo, que se dedicaram a uma atuação prática voltada para a transformação de realidades”, observou o voluntário do projeto, Marcello Zanluchi.

Cooperativismo - Os voluntários do Sicredi ainda reuniram um grupo de mulheres, mães de alunos da escola, para explicarem um pouco mais sobre cooperativismo, visando o início da criação de um comitê formado por mulheres haitianas. A ação contou também com doações de 270 uniformes esportivos para as crianças da instituição. “Temos um grande sentimento de gratidão pelo trabalho desenvolvido, que só foi possível graças à ajuda mútua e ao envolvimento, participação e solidariedade de muitas pessoas”, afirmou a voluntária na missão, Carla Guedes.

Desenvolvimento integral - As iniciativas tiveram como objetivo o desenvolvimento integral das pessoas. O país caribenho, que possui 11 milhões de habitantes, é considerado um dos mais pobres do mundo. No ranking 2019 do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da Organização das Nações Unidas (ONU), o Haiti ocupou a 169º posição, em um total de 189 países analisados. A intenção é que, com o apoio do Sicredi e de outras entidades, essa realidade possa ser mudada.

Motivação - "A emoção que sentimos ao receber essa homenagem do WOCCU, num momento tão delicado pelo qual todos nós passamos, é muito difícil de explicar. É algo que preenche a alma e nos motiva a continuarmos desenvolvendo essas ações sociais, promovendo o amor e a solidariedade. Como somos signatários do Pacto Global da ONU, procuramos nos engajar cada vez mais nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Essa ação, por exemplo, atende a diversos indicadores, entre eles o 17, que é o de parcerias em prol das metas globais, o ODS 4, que trata da educação de qualidade, e o décimo Objetivo, que busca a redução da desigualdade", lembrou o presidente nacional do Sicredi e da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock.

Impacto - No Brasil, o Programa A União faz a Vida já impactou mais de 3 milhões de crianças e adolescentes em 370 municípios, realizando sua primeira incursão fora do país a partir da iniciativa da cooperativa Sicredi Centro Oeste Paulista, que contou com o apoio da Central Sicredi PR/SP/RJ e da Fundação Sicredi.

Realidade - “Conhecíamos a realidade do Haiti e o trabalho desenvolvido pela Institution Sacré Coeur de Jésus, que faz parte da rede Sagrado Coração, com ampla atuação no Brasil. Por isso, nos mobilizamos para a realização desse projeto transformador. É o primeiro passo de muitos que ainda daremos para ajudar o país caribenho”, disse, emocionado, o presidente da Sicredi Centro Oeste Paulista, Dr. João Alberto Salvi.

PUFV - Principal iniciativa de responsabilidade social do Sicredi, o Programa A União Faz a Vida propõe um modelo de educação ativo e integral de crianças e adolescentes.O projeto atua para despertar a essência do cooperativismo e contribuir para formar uma sociedade mais colaborativa, ética e empreendedora. O sucesso do projeto está aliado ao engajamento de vários atores, como educadores, alunos e gestores das escolas envolvidas.

Processo - A metodologia do projeto propõe que, em sala de aula, tudo começa com uma pergunta formulada pelos alunos com auxílio dos professores. Com as questões em mente, os alunos saem da sala de aula para realizar a expedição investigativa. É hora de observar, conhecer a comunidade, interagir e promover a troca de experiências. Em paralelo a esse método exploratório, são desenvolvidos projetos integrados com as disciplinas escolares, despertando nos estudantes um olhar colaborativo para a realidade.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2020/noticias/09/24/sicredi_I/{/vsig}

SICREDI II: Ações são ampliadas para fortalecimento da economia local

O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 4,5 milhões de associados em todo o Brasil, tem investido desde junho num movimento para engajar as pessoas em prol dos negócios regionais, com a campanha “Eu Coopero com a Economia Local”. A iniciativa colaborativa visa o fomento do empreendedorismo e dos pequenos negócios, setor que, em 2019, registrou um aumento de 22% em novas vagas de emprego criadas, em comparação com o ano anterior, segundo o Sebrae.

Reforço - Com campanhas de comunicação, parcerias e um selo que destaca empresas engajadas, o movimento reforça a importância dos pequenos empreendedores e do comércio local para o desenvolvimento da economia. Com a ação, o Sicredi também busca conscientizar os consumidores sobre a necessidade de consumir produtos e serviços regionais, formando uma corrente positiva em prol das microrregiões.

Propósito - “O desenvolvimento das cidades onde o Sicredi atua está conectado ao propósito da instituição financeira cooperativa desde a sua fundação, em 1902. Cada vez mais, acreditamos que a ajuda mútua e a solidariedade, tão inerentes ao cooperativismo, são saídas para a retomada da economia e o desenvolvimento da sociedade”, afirma o presidente nacional do Sicredi e da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock.

Empresários - Empresários como Karina Aliano, proprietária de uma loja de roupas em Ibiporã, no interior do Paraná, já estão engajados no movimento. “Logo que conheci os objetivos, achei muito bacana. Vejo que muitas pessoas ainda saem de Ibiporã para comprar em outras cidades, por não terem um olhar para o comércio local. Minha loja é pequena, mas empregamos quatro pessoas”, comenta.

Apoio - Para a empreendedora, a iniciativa do Sicredi, que conta com o apoio dos empreendedores locais, ajuda a fortalecer o desenvolvimento regional, num momento de extrema importância. “Vemos grandes redes fechando e o comércio local está sobrevivendo. E precisamos continuar porque o dinheiro gira no município”, analisa.

Especial - No interior de São Paulo, a empreendedora Lucimara Aparecida Breve também integra o movimento. A confeiteira de Bauru destaca como iniciativa tem colaborado para o crescimento do negócio. “Esse projeto é muito especial porque abriu a mente para novos conhecimentos e troca de experiência. Um empurrão pra gente não desistir, não ter medo. O movimento traz esse fortalecimento importante para os negócios pequenos. Estimula a ter coragem, inovar e desempenhar melhor, fazendo com que a pequena empresa ou o comércio local sejam conhecidos”.

Dicas para empreendedores - Integrando o movimento “Eu Coopero com a Economia Local”, o Sicredi lançou o hotsite que serve como fonte de informações e também como ferramenta de apoio para pequenos empresários. Intuitiva e de fácil navegação, a plataforma é um canal de conteúdo que apoia o empreendedor a impulsionar seus negócios com dicas, orientações e até ferramentas que o ajudam na divulgação de seus produtos e serviços no ambiente digital.

Vídeos - Em uma área específica para empreendedores que buscam desenvolver seus negócios, estão disponíveis vídeos gravados por colaboradores do Sicredi que explicam o que são as redes sociais, como criar contas empresariais nessas mídias, dicas de conteúdo, micromarketing, atendimento, fluxo de caixa, negociação com fornecedores e oportunidades de inovação com meios de pagamento digitais. Temas como esses também são abordados em e-books, disponibilizados gratuitamente para download.

Gerador de anúncios - Os visitantes do hotsite do movimento “Eu Coopero com a Economia Local” podem ter acesso a um gerador de anúncios digitais com o qual empresários podem criar, de maneira personalizada, cards para Facebook, folhetos e banners, entre outros itens de comunicação online que os ajudam a impulsionar os seus estabelecimentos em ambientes digitais.

Impacto positivo - Com atuação pautada pela promoção do ciclo virtuoso, o cooperativismo tem gerado, ao longo dos anos, impacto positivo nos municípios onde atua. A pesquisa “Benefícios Econômicos do Cooperativismo de Crédito na Economia Brasileira”, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), demonstra o bom desempenho econômico de 1,4 mil municípios brasileiros que passaram a contar com uma ou mais instituições financeiras cooperativas durante o período analisado no estudo, entre 1994 e 2017. De acordo com o estudo, o cooperativismo incrementa o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos municípios onde atua em 5,6%, cria 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumenta o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2020/noticias/09/24/sicredi/{/vsig}

SICREDI ALIANÇA: Quinta agência é inaugurada em Marechal Cândido Rondon (PR)

A Sicredi Aliança PR/SP inaugurou, na manhã desta quarta-feira (23/09), a sua quinta agência em Marechal Cândido Rondon-PR, situada na Avenida Irio Jacob Welp, junto ao Centro Comercial do novo Allmayer Supermercados. Com este marco, a cooperativa também dá início às atividades de sua 23º agência e dá sequência ao plano de expansão que prevê mais duas inaugurações para este ano: Monte Azul Paulista e a segunda agência em Barretos, ambas no estado de São Paulo.

Forma diferente - Conforme o presidente do Conselho de Administração, Adolfo Rudolfo Freitag, em decorrência do cenário atual a inauguração aconteceu de forma diferente. “Nosso desejo para hoje seria reunir nossos associados, parceiros e fazer uma grande festa mas o momento não permitiu. Fizemos a benção com a presença do Padre André e a equipe de colaboradores da agência adotando todos os cuidados necessários”, expôs. “Quando fomos convidados a participar deste desafio junto ao Allmayer tivemos a certeza que estamos no caminho certo, conquistando mais credibilidade dia após dia. É um imenso orgulho poder anunciar que temos cinco agências em Marechal Cândido Rondon, a nossa cidade sede e reforçar nosso compromisso com esta cidade. Em nível de sistema é raro ter tantas agências do Sicredi na mesma cidade, o que só confirma nosso crescimento assertivo”, pontuou.

Propósito sólido - O diretor- executivo, Fernando Barros Fenner, enfatiza que o plano de expansão da cooperativa só ocorre porque o modelo de negócios é pautado num propósito muito sólido. “Sempre nos perguntamos ‘por quem’ e a resposta é: pelos associados. Investimos em espaços confortáveis e em comodidade porque os associados merecem e demandam por isso. Acreditamos no potencial de desenvolvimento de Marechal Cândido Rondon onde já temos mais de 23 mil associados. Com essa agência teremos mais um ponto para atendimento à disposição, geramos oportunidades de trabalho e fortalecemos a nossa marca que tem presença nacional e atuação local. Sucesso ao Sicredi e aos demais parceiros deste importante empreendimento”, destacou.

Portas abertas - “Agência de portas abertas. Estamos felizes por essa parceria e prontos para fazer o que sabemos fazer de melhor que é cuidar bem da vida financeira dos associados, por meio dos nossos diferenciais de relacionamento, papel colaborativo e portfólio completo de produtos e serviços. Todos estão convidados a conhecer”, ressaltou o gerente da agência Irio Welp e também gerente da agência Copagril, Airton de Souza. (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

{vsig}2020/noticias/09/24/sicredi_alianca/{/vsig}

UNIMED COSTA OESTE: Dia do cliente é celebrado com entrega brindes e cartinha especial

A Unimed Costa Oeste comemorou o Dia do Cliente, celebrado em 15 de setembro, de uma maneira diferente. Os beneficiários que utilizaram o aplicativo Unimed Cliente PR para liberação de guias de exames e consultas concorreram a brindes exclusivos, desde porta-pratos, caixas térmicas, mochilas, necessaires e squeezes personalizados. Ao todo, foram realizadas 53 liberações de guias durante o dia.

Mensagem de agradecimento - A equipe de Comunicação da cooperativa foi até a casa ou trabalho dos clientes sorteados que, além dos brindes, receberam uma mensagem de agradecimento pela utilização do aplicativo, que possui diversas funcionalidades desenvolvidas para facilitar o dia a dia das pessoas.

Satisfação - A professora de inglês Michele Mocelin ganhou uma mochila e destacou como o aplicativo auxilia em seu dia a dia. "O aplicativo da Unimed foi muito bem aceito por mim, pois como eu levo uma vida corrida, se tornou um meio prático de resolver as coisas pelo celular, evitando filas, aglomerações e deslocamento, eu resolvo tudo que eu posso pelo aplicativo. Nunca imaginei ganhar um brinde por usar uma ferramenta que otimiza a minha vida. Eu adorei! Parabéns pela iniciativa e espero que cada vez mais as pessoas utilizem essa forma de comunicação e serviço”, frisou.

Segurança - A beneficiária Juliana da Silva Bockhorny foi contemplada com uma caixa-térmica e acredita que ao utilizar o aplicativo mantém a família em segurança, sem precisar sair de casa. "É muito importante para minha saúde e de minha família o isolamento social, por isso eu faço o uso do aplicativo Unimed Cliente PR. Afinal, estamos vivendo uma pandemia e a Unimed procura oferecer segurança aos seus clientes, atendendo assim nossas necessidades. O aplicativo é super prático, ágil, libera todas as minhas guias de forma tranquila e eu nem preciso sair de casa. Uso desde que aderimos ao plano e recomendo”, ressaltou.

Agilidade - O cliente João Marcos Pinheiro elogiou a ação realizada pela cooperativa e ficou contente de receber uma caixa-térmica. "Recebi um belo presente da Unimed pelo Dia do Cliente. O desenvolvimento de métodos inovadores e tecnológicos traz agilidade aos usuários. Parabéns Unimed pelo empenho em ajudar cada vez mais os beneficiários”, disse.

Prático e rápido - Já a beneficiária Monique Bruna Stuani utiliza o aplicativo há anos e considera muito prático e rápido. “O aplicativo da Unimed me ajuda muito. Como a vida da gente é corrida se tornou muito prático liberar minhas guias e nessa fase de pandemia é muito importante todos utilizarem o aplicativo porque não precisa sair de casa, pelo aplicativo se torna muito mais seguro”, destacou. “Achei muito bacana a ação do Dia do Cliente, pois no momento que estamos vivendo deu uma alegrada no dia, porque quem não gosta de um agrado! Amei!”. Monique foi contemplada com uma squeeze personalizada.

Medidas de segurança - Todas as entregas foram realizadas cumprindo as medidas de segurança, com uso de máscaras. A Unimed Costa Oeste incentiva os beneficiários a utilizarem o aplicativo Unimed Cliente PR para que evitem sair de casa, principalmente, em tempos de pandemia do novo coronavírus. (Imprensa Unimed Costa Oeste)

 

unimed costa oeste 24 09 2020

 

 

EMBRAPA SOJA: Simpósio Nacional de Girassol será em outubro

embrapa soja 24 09 2020A Embrapa Soja promove a 23ª Reunião Nacional de Pesquisa de Girassol (RNPG) e o 11º Simpósio Nacional sobre a Cultura do Girassol nos dias 20 e 21 de outubro, em formato digital. A programação incluirá transmissão de palestras gravadas e debates ao vivo, com a possibilidade de interação com os palestrantes. As inscrições estão disponíveis aqui.

Resultados da pesquisa - O objetivo da RNPG é discutir os resultados de pesquisa e as recomendações técnicas para a produção da cultura do girassol, definir prioridades e estabelecer parcerias de pesquisa e transferência de tecnologia em girassol nas diferentes regiões do Brasil.

Temas - O evento pretende abordar temas relacionados ao manejo da fertilidade em sistemas de produção de girassol, controle de plantas daninhas, manejo fitossanitário, cenários de comercialização e perspectivas climáticas para a safra 2020/2021. “A divulgação das informações sobre todos os aspectos da cadeia produtiva do girassol confere suporte tecnológico à evolução da cultura e pode auxiliar o produtor na obtenção de melhores produtividades e retornos econômicos competitivos”, destaca Vicente de Paulo Campos Godinho, pesquisador da Embrapa Rondônia e presidente do evento.

Trabalhos científicos - O evento também prevê a submissão de trabalhos científicos, que serão publicados no formato PDF digitalizado. Mais informações no site do evento.

Sobre o girassol - De acordo com a Conab, o Brasil semeou 62 mil hectares de girassol na safra 2018/19 e produziu aproximadamente 105 mil toneladas do grão. O cultivo de girassol é uma alternativa agrícola, para diversificação de culturas, e também existe demanda pelo óleo de qualidade elevada. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

SERVIÇO

23ª Reunião Nacional de Pesquisa de Girassol (RNPG) e o 11º Simpósio Nacional sobre a Cultura do Girassol

Data: dias 20 e 21 de outubro

Faça sua inscrição e recebe o link para o evento: https://www.sympla.com.br/23-reuniao-nacional-de-pesquisa-de-girassol--1-simposio-nacional-sobre-a-cultura-do-girassol__980308

 

FOMENTO: BRDE atinge marco de mais de R$ 900 milhões em contratos no Paraná

 

fomento 24 09 2020O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) atingiu a marca de R$ 900 milhões em contratos no Paraná, em menos de nove meses – de janeiro até o início de setembro. Nos três estados do Sul, o valor chega a R$ 2,2 bilhões em contratos.

 

Análise - Na análise aprofundada dos contratos celebrados até o momento no Paraná, o BRDE apresentou aumento de 320% nos financiamentos de projetos de micro e pequenas empresas e 75% para médias empresas paranaenses.

 

Eficiência energética - Os projetos de eficiência energética e energias renováveis também têm destaque: tiveram aumento de 36% em relação ao mesmo período de 2019, atingindo R$ 294 milhões em contratos no Estado. Já o Recupera Sul, Programa emergencial de crédito para recuperação da economia da região Sul, atingiu, por sua vez, a marca de R$240 milhões em contratos.

 

Números expressivos - “Os números são expressivos e mostram que o BRDE esteve, mais do que nunca, ao lado do paranaense. Continuaremos trabalhando arduamente para manter e elevar estes marcos, fazendo ainda mais diferença na economia do Estado”, diz o vice-presidente e diretor de operações do BRDE, Wilson Bley Lipski.

 

Na região- Nos três estados, o montante de R$ 2,2 bilhões em menos de nove meses deste ano já é superior ao valor total de 2019Se considerado o mesmo período do ano anterior, o crescimento em créditos contratados é de mais de 65%. No que diz respeito a recursos próprios, o aumento, comparado ao ano passado, ultrapassa 170%.

 

Reposta rápida - Avanços que, segundo Wilson Bley Lipski, demonstram a rápida resposta do Banco diante da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. “Na crise, não nos escondemos. Pelo contrário, criamos o Programa Recupera Sul, destinamos créditos para a recuperação das empresas e montamos uma força-tarefa em parceria com o Governo do Paraná e outros parceiros para promover a manutenção e geração de empregos no Estado”, Lipski.

 

Recursos próprios - Ele ressalta que, além disso, foi aumentada a possibilidade de crédito com recursos próprios e com novos contratos como, por exemplo, AFD (Agência Francesa de Desenvolvimento), CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), FSA (Fundo Setorial do Audiovisual), Fungetur (Fundo Geral do Turismo) e Funcafé (Fundo de Defesa da Economia Cafeeira). (Agência de Notícias do Paraná)

 

Mais informações sobre programas, linhas de crédito e atuação do BRDE no Paraná e nos outros dois estados do Sul no site www.brde.com.br/

 

 

ECONOMIA I: Projeção do BC para queda do PIB passa de 6,4% para 5%

 

O Banco Central (BC) reduziu a projeção de queda da economia brasileira este ano. A estimativa de recuo do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 6,4%, previstos em junho, para 5%. A estimativa está no Relatório de Inflação, divulgado trimestralmente pelo BC.

 

Segundo trimestre - No relatório, o BC lembra que o PIB recuou 9,7% no segundo trimestre de 2020, “repercutindo a magnitude da retração da atividade em março e, principalmente, em abril”. Segundo o Banco Central, há “perspectivas mais favoráveis para o terceiro trimestre, em linha com os indicadores domésticos disponíveis, as informações mais recentes sobre a pandemia e a evolução esperada da economia internacional”.

 

2021 - Para 2021, “ainda com incerteza acima da usual”, a projeção de crescimento é de 3,9%. “Ressalte-se que essa perspectiva depende da continuidade do processo de reformas e ajustes necessários na economia brasileira, condição essencial para permitir a recuperação sustentável da economia”, finaliza o Banco Central. (Agência Brasil)

ECONOMIA II: Contas externas têm saldo positivo de US$ 3,7 bilhões

 

economia 24 09 2020As contas externas registraram saldo positivo em agosto pelo quinto mês seguido, informou nesta quarta-feira (23/09) o Banco Central (BC).

 

Transações correntes - O superávit em transações correntes, que são as compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do Brasil com outros países, chegou a US$ 3,721 bilhões, o maior resultado positivo já registrado em agosto, na série iniciada em janeiro de 1995. Em agosto de 2019, foi registrado déficit em transações correntes de US$ 3,032 bilhões.

 

Reversão - “Essa reversão seguiu tendência observada no mês anterior e decorreu da alta de US$ 2,4 bilhões no superávit da balança comercial de bens e das reduções de US$ 3,5 bilhões e de US$ 882 milhões nos déficits em renda primária e serviços, respectivamente”, disse o BC, em relatório.

 

Déficit - Nos oito primeiros meses do ano, as transações correntes tiveram déficit de US$ 8,539 bilhões, contra o saldo negativo de US$ 34,020 bilhões em igual período de 2019.

 

Valor - Em 12 meses encerrados em agosto, o déficit chegou a US$ 25,4 bilhões (1,64% do Produto Interno Bruto – PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país), ante US$ 32,2 bilhões (2,03% do PIB) até julho deste ano.

 

Balança comercial - Em agosto, as exportações de bens totalizaram US$ 17,810 bilhões e as importações, US$ 11,850 bilhões, resultando no superávit comercial de US$ 5,960 bilhões, contra US$ 3,552 bilhões no mesmo mês do ano passado. De janeiro a agosto, o superávit comercial chegou a US$ 31,870 bilhões, ante US$ 27,462 bilhões do mesmo período de 2019.

 

Serviços - O déficit na conta de serviços (viagens internacionais, transporte e aluguel de equipamentos, entre outros) atingiu US$ 1,346 bilhão em agosto, ante US$ 2,228 bilhões em igual período de 2019. Nos oito primeiros meses do ano, o saldo negativo chegou a US$ 13,727 bilhões, resultado menor que o registrado de janeiro a agosto de 2019, de US$ 23,087 bilhões.

 

Viagens internacionais - O resultado das viagens internacionais – que fazem parte da conta de serviços – ficou negativo em US$ 123 milhões, contra US$ 842 milhões em agosto de 2019. O saldo do mês passado é o menor para agosto desde 2005 (US$ 103 milhões).

 

Saldo - O saldo de viagens internacionais é formado pelas receitas de estrangeiros no Brasil, no valor de US$ 146 milhões, e os gastos de brasileiros no exterior, de US$ 270 milhões. De janeiro a agosto, as despesas superaram as receitas em US$ 1,892 bilhão, contra o saldo também negativo de US$ 7,872 bilhões em igual período de 2019.

 

Viagens internacionais - As viagens internacionais têm sido afetadas pelas restrições de entrada e saída dos países e pelas medidas de isolamento social, necessárias para o enfrentamento da pandemia da covid-19.

 

Rendas - Em agosto, o déficit em renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários) chegou a US$ 1,188 bilhão, contra US$ 8,165 bilhões no mesmo período de 2019. De janeiro a agosto, o saldo negativo ficou em US$ 28,464 bilhões, ante US$ 39,092 bilhões em igual período do ano passado.

 

Renda secundária - A conta de renda secundária (gerada em uma economia e distribuída para outra, como doações e remessas de dólares, sem contrapartida de serviços ou bens) teve resultado positivo de US$ 295 milhões, contra US$ 325 milhões em agosto de 2019. Nos oito primeiros meses do ano, o resultado positivo chegou a US$ 1,782 bilhão, ante US$ 697 milhões em igual período de 2019.

 

Dólar - De acordo com o chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, a alta do dólar tem incentivado o envio de recursos de brasileiros que moram no exterior para a família no Brasil.

 

Investimentos - Os ingressos líquidos em investimentos diretos no país (IDP) somaram US$ 1,430 bilhão no mês passado, ante US$ 9,524 bilhões em agosto de 2019. “As incertezas decorrentes da pandemia e seus impactos na economia mundial continuam apesar dos investimentos diretos”, disse Rocha.

 

IDP - De janeiro a agosto, o IDP chegou a US$ 26,957 bilhões, ante US$ 46 bilhões nos oito primeiros meses de 2019. Nos 12 meses encerrados em agosto de 2020, o IDP totalizou US$ 54,5 bilhões, correspondendo a 3,51% do PIB, em comparação a US$ 62,6 bilhões (3,94% do PIB) em julho. Esse é o menor resultado acumulado em 12 meses desde agosto de 2010, quando ficou em US$ 50,795 bilhões.

 

Mercado doméstico - Em agosto, os investimentos em carteira no mercado doméstico totalizaram ingressos líquidos (descontadas as saídas) de US$ 2,345 bilhões, dos quais US$ 2,045 bilhões em títulos de dívida e US$ 300 milhões em ações e fundos de investimento.

 

Saídas líquidas - Nos oito primeiros meses de 2020, houve saídas líquidas de US$ 28,281 bilhões, contra ingressos líquidos de US$ 7,509 bilhões, em período similar do ano passado. A saída registrada de janeiro a agosto é a maior da série do BC, iniciada em 1995. (Agência Brasil)

 

FOTO: Public Domain Pictures / Pixabay

 

CÂMBIO: Dólar fecha acima de R$ 5,50 pela primeira vez em um mês

 

cambio 24 09 2020Num dia marcado por temores em relação à economia global, a moeda norte-americana superou a barreira de R$ 5,50 e fechou no maior nível em quase um mês. O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (23/09) vendido a R$ 5,588, com alta de R$ 0,119 (+2,18%). A bolsa de valores fechou no menor nível em três meses.

 

Quarta sessão - Essa foi a quarta sessão seguida de alta do dólar, que fechou na máxima do dia. A cotação está no maior valor desde 26 de agosto, quando o dólar tinha encerrado em R$ 5,612. Apesar da disparada da moeda norte-americana, o Banco Central (BC) não interveio no mercado.

 

Aversão - A quarta-feira foi marcada por ampla aversão a risco no mundo, depois de dados nos Estados Unidos e na Europa mostrarem desaceleração expressiva no crescimento da atividade empresarial. O desaquecimento ocorre num momento em que os casos de covid-19 voltam a subir em diversas economias avançadas, em meio à percepção de escassez de opções de ajuda por parte de bancos centrais.

 

Ações - No mercado de ações, o dia também foi marcado pela tensão. O índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), encerrou esta quarta-feira aos 95.735 pontos, com queda de 1,6%. O indicador está no menor nível desde 30 de junho.

 

Mercado internacional - A bolsa foi influenciada pelo mercado internacional. Em Wall Street, o índice S&P 500 recuou 2,37%, após dados mostrando que a atividade empresarial nos Estados Unidos desacelerou em setembro, afetada principalmente por serviços, enquanto continua o impasse no Congresso norte-americano para mais estímulos. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

 

SAÚDE I: Brasil acumula 4,6 milhões de casos e 138,9 mil mortes por Covid-19

 

O número de mortes em função da pandemia do novo coronavírus chegou a 138.977 no Brasil, conforme a mais recente atualização de dados do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta quarta-feira (23/09).

 

Novos óbitos - Nas últimas 24 horas, foram registrados 869 novos óbitos. Na terça-feira (22/09), o total estava em 138.108. As autoridades de saúde ainda investigam 2.422 mortes que podem ou não estar relacionadas à doença.

 

Casos acumulados - Já o total de casos acumulados atingiu 4.624.885. Entre terça e quarta, as secretarias estaduais de saúde acrescentaram ao sistema do Ministério da Saúde 33.281 novos diagnósticos da covid-19. Na terça, o sistema marcava 4.591.604 de pessoas infectadas, desde o início da pandemia.

 

Crescimento - Considerando a evolução das curvas de casos e mortes, o Brasil voltou a ter crescimento de ambas, segundo o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde apresentado também nesta quarta-feira pela equipe do órgão.

 

Acompanhamento - Ainda de acordo com a atualização, 493.022 pessoas estão em acompanhamento e outras 3.992.886 já se recuperaram.

 

São Paulo - Nas últimas 24 horas, o estado de São Paulo, que tem o maior número absoluto de casos e mortes no país, contabilizou 6.551 novos casos e 226 novas mortes por covid-19. Com isso, o estado acumula 951.973 casos confirmados do novo coronavírus, com 34.492 mortes.

 

Recuperados - Do total de casos diagnosticados, 818.593 pessoas já estão recuperadas da doença, sendo 104.209 delas após internação.

 

Internados - Há 3.972 pessoas de todo o estado internadas em estado grave em casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus, além de 5.280 internadas em enfermarias. A taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) está em torno de 46,9% no estado e de 46,1% na Grande São Paulo.

 

Estados - Além de São Paulo, os estados com mais mortes são Rio de Janeiro (17.911), Ceará (8.861), Pernambuco (8.085) e Minas Gerais (6.897). As unidades da Federação com menos vidas perdidas até o momento são Roraima (616), Acre (652), Amapá (697), Tocantins (890) e Mato Grosso do Sul (1.204). (Agência Brasil)

 

saude tabela 24 09 2020

SAÚDE II: Estado tem 1.222 novos diagnósticos e 59 mortes

 

saude II 24 09 2020O Paraná registra mais 1.222 casos e 59 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus, segundo boletim divulgado nesta quarta-feira (23/09) pela Secretaria de Estado da Saúde. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Estado soma 167.144 casos e 4.201 mortos em decorrência da doença. Há ajustes de casos confirmados detalhados ao final do texto.

 

Internados - 1.020 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados nesta quarta-feira (23). São 834 pacientes em leitos SUS (414 em UTI e 420 em leitos clínicos/enfermaria) e 186 em leitos da rede particular (84 em UTI e 102 em leitos clínicos/enfermaria).

 

Exames - Há outros 989 pacientes internados, 447 em leitos UTI e 542 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

 

Mortes - A secretaria estadual informa a morte de mais 59 pacientes. Todos estavam internados. São 22 mulheres e 37 homens, com idades que variam de 32 a 100 anos. Um dos óbitos ocorreu em sete de julho, sete em agosto, e os demais pacientes faleceram no mês de setembro.

 

Residência - Os pacientes que morreram residiam 13 em Curitiba, 8 em Foz do Iguaçu, 4 em Ponta Grossa, 3 em Arapongas, 3 em Santa Terezinha de Itaipu, 2 em Piraquara, 2 em Rolândia, 2 em São José dos Pinhais.

 

Um óbito - A Secretaria da Saúde confirma também uma morte em cada um dos seguintes municípios: Almirante Tamandaré, Alvorada do Sul, Cambé, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Clevelândia, Colombo, Eneas Marques, Fazenda Rio Grande, Guaíra, Guaratuba, Ibiporã, Imbituva, Itaipulândia, Jandaia do Sul, Morretes, Pato Branco, Quatro Pontes, Quitandinha, Santo Antônio da Platina, São Pedro do Ivaí e Tamarana.

 

Fora do Paraná - O monitoramento registra 1.779 casos de residentes de fora, 43 pessoas faleceram.

 

Ajustes - Alteração de município:

Um caso confirmado no dia 2/9 em Foz do Iguaçu foi transferido para Santa Terezinha de Itaipu.

Um caso confirmado no dia 31/8 em Foz do Iguaçu foi transferido para Santa Terezinha de Itaipu.

Um caso confirmado no dia 4/9 em Foz do Iguaçu foi transferido para Itaipulândia.

Um caso confirmado no dia 1/9 em Irati foi transferido para Imbituva.

Um caso confirmado no dia 2/8 em Londrina foi transferido para Rolândia.

Um óbito confirmado no dia 18/9 em Curitiba (F, 69a) foi transferido para Morretes.

 

Exclusões - Um caso confirmado no dia 10/8 em Munhoz de Melo foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 10/8 em Colombo foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 11/8 em Londrina foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 11/8 em Jaguapitã foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 11/8 em Fazenda Rio Grande foi excluído por duplicidade de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

 

Confira o informe completo clicando aqui.

 

 

SAÚDE III: Paraná é o segundo estado com o menor número de casos e óbitos de Covid-19

 

O Paraná fica atrás apenas de Minas Gerais entre os estados brasileiros com o menor número de casos e de óbitos pela Covid-19 por 100 mil habitantes. A taxa de incidência da doença na população paranaense foi de 1.477,4 casos por 100 mil habitantes, com 37,1 mortes a cada 100 mil, mostram os dados mais recentes do Painel Coronavírus, do Ministério da Saúde, divulgados na noite de quarta-feira (23/09).

 

Abaixo da média - Os valores ficam bem abaixo da média nacional. No Brasil, o índice de incidência é de 2.200,8/100 mil, e a taxa mortalidade, 66,1 por 100 mil habitantes. O Paraná também tem a melhor posição no Sul, região com os menores índices de incidência e óbito pela Covid-19. A média regional é de 1.859 casos/100 mil e 38,2 óbitos/100 mil. No Rio Grande do Sul, que tem uma população equivalente à do Paraná, a média de casos é de 1.577,1/100 mil e a de óbitos é 39,7/100 mil. Em Santa Catarina, a taxa de incidência é de 2915,6/100 mil e a de mortalidade é 37,5/100 mil.

 

DF - A taxa de mortalidade do Distrito Federal, que é a maior do País, é de 104,4 óbitos/100 mil habitantes, seguido do Rio de Janeiro (103,7/100 mil) e Roraima (101,7/100 mil). Tirando Minas Gerais, onde o índice de mortalidade foi de 32,6/100 mil habitantes, e os estados do Sul, em nenhuma unidade da federação essa taxa foi menor que 43,1 óbitos por 100 mil habitantes.

 

Planejamento - O governador Carlos Massa Ratinho Junior destaca que o planejamento do Estado foi fundamental para minimizar os impactos da pandemia no Paraná. “Estruturamos a rede assistencial de forma transparente e organizada, sendo que nenhum paciente ficou sem atendimento desde o início da pandemia. Com apoio dos demais poderes e de toda a sociedade, conseguimos fazer esse enfrentamento para salvar o maior número de vidas possível” destaca. “O ideal seria não perder nenhuma pessoa para essa doença, mas mantemos o trabalho organizado para que o impacto no Paraná seja o mínimo possível”, diz.

 

Estratégias - Para o diretor-geral da Secretaria de Estado da Saúde, Nestor Werner Júnior, o planejamento iniciado pelo Paraná antes de ter pacientes confirmados com o novo coronavírus, e a adoção de estratégias para conter o avanço da epidemia quando o número de casos ainda era baixo, permitiu um certo controle sobre a circulação do vírus no Estado.

 

Isolamento - “A adoção de medidas de distanciamento social ajudou a achatar a curva em um momento em que ainda preparávamos a rede hospitalar para receber os pacientes da Covid-19. Quando os números subiram, os hospitais já estavam prontos para o atendimento”, afirma Werner. “Priorizamos utilizar a estrutura já existente, com a contratação de leitos clínicos e de UTI exclusivos para a Covid nos hospitais estaduais e em nossos parceiros da rede privada e filantrópica, sem a necessidade de construir hospitais de campanha, que são caros e não ficariam como legado para o Estado”, explica.

 

Celeridade - A estratégia de estruturação incluiu uma maior celeridade nas obras dos hospitais regionais de Guarapuava, Telêmaco Borba e Ivaiporã, que foram entregues antes do prazo. As três unidades atendem hoje exclusivamente os pacientes com Covid-19. Também foram habilitados 1,1 mil leitos de UTI e aproximadamente 1,5 mil de enfermaria.

 

Testagem – Outra vertente foi o investimento na aquisição de testes, para garantir o maior número possível de diagnósticos. Até agora, já foram realizados 632.282 testes RT-PCR, considerados padrão ouro pela Organização Mundial da Saúde. A capacidade de processamento dos resultados pelo Laboratório Central do Estado (Lacen) e pelo Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP) é de 5,6 mil testes por dia.

 

Disponibilização - A Secretaria também recebeu do Ministério da Saúde 427.980 One Step Test (teste rápido), que foram disponibilizados aos municípios. “A testagem em grande escala é a melhor forma de rastrear e impedir a circulação do vírus, reduzindo a contaminação”, explica Werner.

 

Estabilização - De acordo com o diretor-geral da Saúde, o Paraná está há cerca de 70 dias com estabilidade no número de casos, sem uma aceleração profunda ou uma queda abrupta de pacientes confirmados. Por isso, ainda é necessário manter a atenção, as medidas de distanciamento, as etiquetas de higiene e o uso de máscaras. Essa situação também impede a retomada de algumas atividades, como o início das aulas.

 

Segunda onda- “Ainda não há uma vacina ou algum remédio comprovado para a doença, por isso trabalhamos todos os dias com os municípios para evitar uma segunda onda de casos, como o que ocorre em outras partes do mundo”, ressalta. “A pandemia ainda não acabou. Enquanto não houver uma queda mais consistente, uma diminuição concreta de casos, a população vai precisar manter as medidas que conseguiram frear os casos no Estado. Foi graças a esse esforço coletivo que o Paraná tem um dos menores índices de incidência do País, que queremos manter”, completa. (Agência de Notícias do Paraná)

 


Versão para impressão


RODAPE