Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4922 | 06 de Outubro de 2020

COOPERJOVEM: Programa promove palestra com Marcos Piangers em homenagem ao Dia do Professor

 

Com o objetivo de comemorar o Dia do Professor, o Sistema Ocepar promove, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), uma palestra com o autor do best seller O Papai é Pop, Marcos Piangers. Ele vai falar sobre o tema “A educação que nos espera após a pandemia”, no dia 15 de outubro, dentro da programação do Encontro Estadual de Educadores do Programa Cooperjovem. O evento será transmitido pela TV Paraná Cooperativo (youtube.com/sistemaocepar), das 15h às 17h. Haverá ainda a participação do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e do superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche.

 

O palestrante - Piangers é especialista em novas tecnologias, criatividade, inovação e uma das maiores referências sobre paternidade do país. O livro O Papai é Pop teve mais de 300 mil exemplares vendidos e foi lançado em Portugal, Espanha, Inglaterra e Estados Unidos. Ele já deu aulas e palestras para os maiores eventos e empresas nacionais, além de ser cinco vezes palestrante do TED, a maior conferência de ideias do mundo. Seus vídeos já ultrapassaram a marca de 400 milhões de visualizações no Facebook.

 

Cooperjovem - Destinado a fomentar a cultura da cooperação no ambiente escolar e na comunidade ao entorno, com base em uma prática pedagógica cooperativa, o Programa Cooperjovem é realizado no Paraná pelo Sescoop/PR, em parceria com mais de 20 cooperativas, abrangendo cerca de 34 mil alunos, 2.200 professores e aproximadamente 348 escolas de ensino fundamental em 66 municípios paranaenses.

 

Informações - Mais informações sobre o Encontro Estadual de Educadores do Programa Cooperjovem com a analista do Sescoop/PR, Fabianne Ratzke (fabianne.ratzke@sistemaocepar.coop.br).

 

educacao folder 06 10 2020

 

COVID-19: Comitê de Acompanhamento divulga comunicado 132

covid 19 destaque 06 10 2020As reuniões institucionais virtuais realizadas nesta segunda-feira (05/10) pelo Sistema Ocepar com as cooperativas Unimed Noroeste do Paraná e Unimed Pato Branco, dentro das ações do Programa de Autogestão, estão entre os destaques do comunicado 132, emitido nesta terça-feira (06/10) pelo Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19. Veja abaixo todas as informações do boletim.

1. O Sistema Ocepar, no dia 5 de outubro, realizou de forma virtual duas Reuniões da Autogestão com as cooperativas Unimed Noroeste do Paraná e Unimed Pato Branco, com a participação do corpo diretivo e gestores.

 

2. No dia 5 de outubro, a cooperativa Copacol iniciou a operação da estrutura industrial de peixes no município de Toledo/PR.

 

3. A Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no dia 2 de outubro, respondeu ao ofício encaminhado pelo Sistema OCB, que solicitou a prorrogação do prazo para uso dos produtos à base de Paraquate até a fase de implantação das lavouras, da safra 2020/21. 

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

REUNIÃO INSTITUCIONAL: Sistema Ocepar e Unimed Pato Branco tratam de gestão em encontro virtual

Na tarde desta segunda-feira (05/10), houve reunião entre integrantes do Sistema Ocepar e da Unimed Pato Branco, com sede em Pato Branco, no sudoeste do Paraná. Durante o encontro, o 77º na modalidade virtual – foram tratados diversos assuntos de interesse do cooperativismo, em especial os relativos à cooperativa.  O propósito das reuniões é manter a qualidade da gestão, credibilidade perante terceiros, transparência perante o quadro social e a solidificação do sistema cooperativista. Também foi detalhado o trabalho que o Sistema Ocepar tem desenvolvido em prol do setor cooperativista, apresentado os indicadores socioeconômicos das cooperativas paranaenses, além das atividades finalísticas do Sescoop/PR. A Unimed Pato Branco, que tem 319 cooperados, 157 funcionários e 46.966 beneficiários, faturou R$ 121,2 milhões em 2019. 

Produtividade – Ao abrir a reunião, o coordenador de Monitoramento da Gerência de Desenvolvimento Cooperativo, João Gogola Neto, enfatizou a estratégia do Sistema Ocepar em aprofundar o contato com as cooperativas de forma virtual, devido aos cuidados para evitar a proliferação do coronavírus, para cumprir o que foi definido no final de 2019. E a nova modalidade de comunicação tem dado resultado acima do esperado. “A equipe do Sistema Ocepar tem cumprido o que foi planejado, com mais agilidade e produtividade, e agora com a participação de uma equipe multidisciplinar, que abrange todos os setores e integrantes da diretoria executiva da entidade.”

Acertos – O superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, que abordou a questão da representação institucional do Sistema Ocepar, enfatizou que o contato com as cooperativas permite dimensionar esse trabalho. Para a entidade, segundo ele, é imprescindível e estratégica para o setor a manutenção de um alinhamento muito próximo com as cooperativas e com a organização nacional, a OCB. “E o uso da tecnologia revelou-se muito adequado e dinâmico, não só no contato com as cooperativas paranaenses, quando podemos saber de suas demandas, mas também na definição de estratégias que façam com que essas demandas cheguem às autoridades, seja por meio de órgãos de controle dos governos federal ou estadual, aos representantes do cooperativismo tanto na Assembleia Legislativa como no Congresso Nacional. Enfim, nestes sete meses de home office, se comprovou ser possível executar online o mesmo que se faria se estivéssemos fisicamente no prédio da entidade,  sempre priorizando o atendimento e a defesa dos interesses das cooperativas e, ao mesmo tempo, garantindo a segurança da saúde da nossa equipe”, ponderou.

Proximidade – Os representantes da Unimed Pato Branco, da diretoria executiva a funcionários, que participaram da reunião, liderados pelo presidente Antonio Motizuki, mostraram-se satisfeitos com o conteúdo apresentado. O vice-presidente Ivaí Saião Aranha Falcão de Azevedo, por exemplo, aproveitou para agradecer a reunião que, segundo ele, contribui para fortalecer os propósitos da diretoria na condução da cooperativa. “Precisamos sempre do apoio de vocês sobre a gestão. Aliás, o Sistema Ocepar tem dado apoio fundamental para o nosso desenvolvimento. Por isso, queremos estreitar e fortalecer ainda mais essa parceria, inclusive por meio de cursos, como o que pode contribuir para incrementar a inovação na Unimed Pato Branco”, disse, ao que o  superintendente Boesche reafirmou o propósito da entidade de estar sempre aos lado das cooperativas, contribuindo para que sejam cada vez mais fortes e atuantes. “Não somos nada sem as cooperativas, por isso estamos sempre à disposição para contribuir para que possam atingir as metas estabelecidas, por meio de responsabilidade compartilhada com todo o setor”, disse. 

Participantes – Pelo Sistema Ocepar, ainda participaram do encontro o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, o coordenador de Profissionalização da Gecoop, Leandro Roberto Macioski, e o analista técnico de Monitoramento, Rodrigo Gandara Donini. 

{vsig}2020/noticias/10/06/reuniao_institucional/{/vsig}

SISTEMA OCB I: LGPD é tema de webinário para cooperativas

sistema ocb I 06 10 2020A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrou em vigor no dia 22 de setembro com o objetivo de proteger o consumidor do mau uso que as empresas fazem de seus dados. Por isso, o Sistema OCB promove nesta quarta-feira (07/10), um webinário sobre o tema, com o objetivo de tirar as dúvidas das cooperativas.

Duas partes - O evento digital será dividido em duas partes. A primeira delas, às 9h30, será conduzida pela especialista Patrícia Peck, que abordará as questões teóricas da lei, e, a segunda, às 14h30, a ser conduzida por Cristhian Groff, que falará sobre os aspectos práticos para adequação à LGPD.

Inscrição - Para participar, basta se inscrever, clicando aqui. (OCB)

 

 

SISTEMA OCB II: Diagnóstico do ramo saúde já pode ser respondido

sistema ocb II 06 10 2020Acaba de ser lançado pelo Sistema OCB um questionário de diagnóstico do Ramo Saúde. A ideia é que as unidades estaduais estimulem as coops a participarem, já que o objetivo da pesquisa é conhecer mais e melhor os modelos cooperativos atuantes no Ramo Saúde, em especial as cooperativas de especialidades médicas, as de trabalho médico e as constituídas por outros profissionais da área, como fisioterapeutas, enfermeiros, psicólogos, dentre outros.

Conselho Consultivo - A aplicação do diagnóstico foi sugerida na última reunião do Conselho Consultivo do Ramo Saúde, ocorrida em 21 de agosto. A consolidação das respostas deve gerar insumos que norteiem a atuação do Sistema OCB junto ao poder público, auxiliando, assim, na construção de uma agenda decisória e positiva para o cooperativismo de saúde.

Envio - O questionário deve ser enviado por meio eletrônico, a partir do seguinte link. Os dados coletados serão encaminhados automaticamente para o Sistema OCB e, semanalmente, as unidades estaduais receberão uma planilha com o panorama das cooperativas que já responderam o diagnóstico. O prazo para o preenchimento começou no dia 2/10 e se estende até o dia 30 de outubro. (OCB)

Participe! Clique aqui.

 

COPACOL: Atividades em unidade industrial de Toledo são iniciadas

Com metas de crescimento a curto prazo, a maior produtora de tilápias da América do Sul – a Copacol – iniciou oficialmente, nesta segunda-feira (05/10), as atividades na Unidade Industrial de Peixes em Toledo (PR). A estrutura recém-adquirida passou por uma revitalização completa e retoma a industrialização.

Abate médio - Inicialmente o abate médio será de 20 mil tilápias/dia, no entanto, será elevado para 80 mil tilápias abatidas por dia, até 2023. A unidade industrial de Toledo fica em uma área de 57 mil metros quadrados na estrada rural de acesso ao Distrito de São Luís do Oeste. No sábado (03/10), o diretor-presidente da Copacol, Valter Pitol, o diretor vice-presidente, James Fernando de Morais, e o diretor secretário Silvério Constantino visitaram as instalações.

Cidade - Toledo possui mais de 160 mil habitantes conforme estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. A cidade tem um dos maiores PIBs (Produtos Internos Brutos) do Paraná recebendo o título de Capital do Agronegócio no Estado, com destaque a suinocultura e tem a economia fortalecida com o avanço da industrialização da tilápia, por meio da Copacol.

Potencial - “Sabemos do potencial de Toledo e chegamos para cooperar ainda mais com oportunidades. Nosso otimismo é grande e temos perspectivas de crescimento, aumentando a participação da marca no mercado. Com esse investimento proporcionamos aos piscicultores equilíbrio e segurança na comercialização do produto, emprego aos moradores e geramos tributos ao município, o que depois retorna em investimentos à população”, afirma o presidente da Copacol, Valter Pitol.

Precauções - Os mais de 200 colaboradores foram recepcionados, com as devidas precauções para evitar a contaminação por coronavírus. Todos passaram pela integração e conheceram mais sobre o modelo de atuação cooperativista. A chegada da Copacol trouxe mais motivação aos colaboradores. “É uma satisfação fazer parte da Copacol. Temos grandes expectativas e esperamos crescer ainda mais com a empresa”, afirma Maria Adélia Silva da Costa, técnica em segurança de trabalho, integrante do Recursos Humanos.

Vagas - Com a expansão da indústria, a expectativa é que sejam abertas mais 300 vagas nos próximos três anos na unidade industrial de peixes da Copacol em Toledo, totalizando 500 colaboradores.

Estrutura - A unidade industrial foi adquirida por R$ 62 milhões e abriu a possibilidade de novos produtores aderirem ao sistema integrado de peixes da Copacol. Em setembro deste ano, a Cooperativa iniciou a exportação de filés de tilápia para Miami, Estados Unidos. As cargas são transportadas semanalmente. Após a industrialização, o alimento chega em 48 horas até os consumidores norte-americanos.

Qualidade - O consumo da tilápia se mantém de maneira positiva no mercado nacional, em função dos valores nutricionais e pela versatilidade do produto que ganhou espaço ao longo destes 12 anos em que atuamos na piscicultura.

Referência - Prestes a completar 57 anos de existência, a Copacol é referência na piscicultura – atividade implantada há 12 anos pela Cooperativa, atualmente reconhecida como a maior produtora de tilápias da América do Sul. Em Nova Aurora fica a Unidade Industrial de Peixes – uma das mais modernas do País – produz 140 mil tilápias ao dia. Em 2019 foram industrializados 42 milhões de peixes. (Imprensa Copacol)

{vsig}2020/noticias/10/06/copacol/{/vsig}

COPAGRIL: Cooperativa disponibiliza plataforma online para vagas de trabalho

copagril 06 10 2020A Cooperativa Agroindustrial Copagril conta com uma plataforma online para cadastro de currículo e acompanhamento das vagas de trabalho disponíveis. São oportunidades em diferentes áreas e setores da cooperativa, para diferentes graus de instrução, em Marechal Cândido Rondon e também em outros munícipios de atuação da cooperativa, inclusive com dezenas de vagas abertas para a Unidade Industrial de Aves (UIA).

Cadastro - A supervisora de gestão de pessoas da Copagril, Angela Janaina Maron, explica que as vagas para a Unidade Industrial de Aves contemplam várias áreas e também com especificações e atribuições diferentes. “Temos muitas oportunidades, em diferentes setores do frigorífico, onde temos transporte incluso e outros benefícios”, destaca. Para participar da seleção, os interessados podem cadastrar o currículo no site da Copagril e também por meio da Agência do Trabalhador (Sine).

Municípios - “E ainda, além das vagas para a UIA, também há vagas abertas para os municípios de atuação da cooperativa nas mais diversas áreas, com requisitos específicos para cada uma. São vagas de nível fundamental até nível superior, conforme necessidade profissional de cada atividade”, comenta Angela.

Acompanhamento - Os interessados podem acompanhar as vagas abertas no site da Copagril (www.copagril.com.br/trabalheconosco) candidatar-se para os processos de seleção e ainda podem cadastrar o currículo para as vagas futuras. “Aqueles que já tem o currículo cadastrado, podem acompanhar, atualizar as informações e candidatar-se para as vagas de interesse”, complementa ao reforçar que também há vagas para pessoas com deficiência. (Imprensa Copagril)

 

COAMO I: Festicam completa 40 anos com alto nível e criatividade, superando expectativas

Uma noite especial, inédita e inesquecível. Uma noite que driblou o momento da pandemia e sobrou criatividade, talento, beleza, ambiente familiar e elogios. Assim pode ser resumida, em algumas palavras, a promoção da Arcam na noite de sábado (03/10), de forma diferente e virtual, com transmissão pelo canal YouTube da Coamo do nosso Festicam, o Festival de Música da Arcam, que completou 40 anos.

Regiões - Os calouros associados da Arcam funcionários da Coamo e da Credicoamo representaram várias regiões do Paraná e Mato Grosso do Sul, e apresentaram 21 canções nos estilos Popular e Sertanejo, por meio de vídeos gravados, valorizando sobremaneira a música brasileira e o investimento cultural da Arcam. Na estratégia de comunicação da comissão organizadora houve muita interação com os espectadores, que enviaram dezenas de comentários e fotos de como estavam assistindo este tradicional. E antecedendo ao calouro, foi apresentada a entidade que será beneficiada com ação social (doação de materiais/produtos) até o dia 30 deste mês.

Congratulações - Em nome da diretoria da Arcam, o presidente Paulo Sérgio Mem manifesta sua alegria e agradecimentos a organização e a diretoria, e a todos que, de forma direta ou indireta, trabalharam incansavelmente para a realização do nosso inesquecível Festicam. “De modo especial saudamos a todos os calouros pela coragem e vontade de participar de um Festicam pela primeira vez sem público e diferente. Merecem o nosso respeito e parabéns, haja vista não ser nada fácil produzir um vídeo, de forma amadora e a maioria com celular, sem acompanhamento de banda, microfone. Mas os calouros se superaram, nos encheram de orgulho e emoção. Foi realmente uma noite espetacular”, comemora Paulo Mem.

Inovação - “Presidente Paulo, equipe de diretores e associados da Arcam. Vocês estão de parabéns por esta iniciativa criativa e inovadora. Mostraram que com criatividade e vontade, não existem barreiras”, afirmou Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo, que elogiou também a iniciativa da ação social para entidades.

União virtual - Para o diretor Administrativo Financeiro e presidente da Arcam na gestão 1981, Antonio Sérgio Gabriel, o evento foi muito bem recebido e valorizado pelo público. “Parabéns a todos, tinha certeza que seria um sucesso, mas ultrapassou minhas expectativas. Unimos nossas famílias virtualmente, foi sensacional.”

Social - Para materializar a solidariedade, uma das novidades além do formato virtual foi a ação social para ajudar o próximo nos Municípios dos calouros. O presidente da Comissão Organizadora do 40º Festicam, Mário Lino Arantes, destacou a iniciativa e a repercussão dos associados com quase 4 mil visualizações até o momento. “Foi um show, parabéns aos nossos valorosos talentos. A 40ª edição do Festicam 2020 foi um sucesso devido ao comprometimento e envolvimento da diretoria da Arcam, da equipe da gerência da Arcam, de todos os calouros e dos que os apoiaram desde o momento da sua inscrição até o envio da gravação à Arcam. Os calouros merecem a nossa gratidão, pois gostam de música, sabem cantar muito bem e prontamente aceitaram o desafio de entrar para a história e fazer um Festival de Música da Arcam diferente, com brilhantismo e qualidade.” (Imprensa Coamo)

{vsig}2020/noticias/10/06/coamo_I/{/vsig}

COAMO II: Revista destaca boa safra dos cooperados

coamo 06 10 2020Já está circulando a mais nova edição da Revista Coamo. A reportagem principal aborda os resultados das safras 2019/2020, que está finalizando com a colheita de trigo. A edição traz ainda a quarta série sobre o cooperativismo, com histórias inspiradoras de famílias que ao longo dos anos conseguiram evoluir e tiveram suas vidas transformadas.

Versão completa - Acesse aqui a versão completa da Revista Coamo

 

 

CRESOL: Entre as melhores instituições financeiras para trabalhar no Brasil

cresol 06 10 2020A Cresol acaba de ser eleita pelo Great Place to Work (GPTW) como uma das melhores instituições financeiras cooperativas para trabalhar no Brasil. O ranking foi divulgado pela Acrefi (Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento) e o GPTW na noite da última sexta-feira (02/10), em uma live que apresentou em primeira mão o estudo com dados desta edição do ranking das melhores do setor financeiro.

Sétimo lugar - Participando pela primeira vez do ranking neste segmento, a Cresol ficou em 7ª lugar na categoria “Instituições Financeiras Cooperativas de Crédito”. Nesta edição, foram premiadas cinco categorias (Bancos, Cooperativas de Crédito, Financeiras, Seguradoras e Serviços Financeiros), onde inúmeras empresas passaram por critérios de avaliação, conforme metodologia do GPTW, que envolve questionários respondidos pelos colaboradores, além de avaliação das práticas das empresas.

Agradecimento - Adriano Michelon, superintendente da Cresol, agradeceu os colaboradores que se engajam diariamente para fazer da Cresol o melhor lugar para trabalhar. “Nossa colocação nacional entre as melhores instituições financeiras para trabalhar é fruto da dedicação dos nossos colaboradores que diariamente realizam suas atividades com muita satisfação. Trabalhamos um conjunto de ações para que eles se sintam bem nos seus ambientes de trabalho e para que possam se engajar cada vez mais ao propósito da Cresol. Agora é hora de comemorarmos mais esta conquista”, destacou.

Momento histórico - O presidente da Cresol, Alzimiro Thomé, também comentou a conquista. “Este é mais um momento histórico, de visibilidade nacional para a Cresol. É um prêmio dos nossos colaboradores que contribuíram muito para que chegássemos aqui, em um ano especial para o nosso sistema que comemora também seus 25 anos. Vamos celebrar muito este reconhecimento”.

Sobre a Cresol - O Sistema Cresol completou recentemente 25 anos de história. São mais de 2 mil colaboradores atuando em onze estados brasileiros. Sempre aprimorando o ambiente de trabalho dos seus profissionais, seja na confederação, central, sedes administrativas ou nas agências, a Cresol também incentiva a formação, com capacitações, cursos presenciais e a distância, além de proporcionar diversos benefícios aos colaboradores.

Sobre o Great Place to Work - O GPTW é uma consultoria global que apoia organizações a obter melhores resultados por meio de uma cultura de confiança, alto desempenho e inovação. Além disso, oferece consultoria para empresas que querem colocar as pessoas no centro da estratégia de negócios e certifica e reconhece os melhores ambientes de trabalho em mais de 90 países. (Imprensa Cresol)

 

SICOOB UNICOOB: Três cooperativas estão no ranking de melhores empresas para trabalhar no setor financeiro

sicoob unicoob 06 10 2020Depois de receberem a certificação da GPTW, três cooperativas do Sicoob Unicoob têm um motivo a mais para comemorar. O Sicoob Credicapital, Sicoob Metropolitano e Sicoob Ouro Verde conquistaram uma posição no ranking de melhores empresas para trabalhar do setor financeiro em 2020, na categoria cooperativas de crédito. Elas aparecem na lista em 9º, 2º e 6º lugares, respectivamente.

Anúncio - O anúncio da premiação aconteceu na última sexta-feira (02/10), durante uma live promovida pela Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi) e pelo Great Place to Work. Este é o segundo ano que o instituto elege as melhores instituições financeiras do Brasil, divididas em cinco categorias. Ao todo foram premiadas 40 empresas, criteriosamente selecionadas em um total de 161 inscritas.

Honrado - O diretor-presidente do Sicoob Metropolitano, Ideval Luis Curioni, disse ter ficado muito feliz e honrado de participar de uma premiação tão importante. Ele ainda dedicou o prêmio a todos os colaboradores. “São 508 pessoas que todos os dias acordam com propósito de trabalhar, fazer a diferença na vida dos nossos cooperados e, principalmente, ser feliz. Essa conquista mostra o resultado da dedicação de cada um”, ressalta.

Pertencimento - Já para o diretor-presidente do Sicoob Ouro Verde, Elisberto Torrecillas, o prêmio reflete para todos o que acontece dentro da cooperativa e traduz o sentimento de pertencimento. “Tão importante como um bom clima e o envolvimento das pessoas é o reconhecimento disso partilhado entre cooperados ou colaboradores. Essa é uma conquista de todo o grupo”, comenta.

Orgulho - Para o diretor Administrativo Financeiro do Sicoob Credicapital, Leandro Kuhl, receber esse reconhecimento é sinônimo de orgulho e sensação de dever cumprido. Segundo ele, estar no ranking demonstra ao cooperado que ele pode confiar na instituição, que a empresa é diferenciada e, consequentemente, torna a cooperativa uma vitrine para atrair cada vez mais talentos.

Responsabilidade - “Estar entre as melhores aumenta também a nossa responsabilidade em fazer cada vez melhor. Mas, acima de tudo, é sinal de que estamos fazendo o que é certo. Tem uma frase que diz que somos obrigados a colher o que plantamos e estar entre as melhores significa que escolhemos boas sementes”, afirma. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Promoção Poupar e Ganhar sem Parar premia associado de Ubiratã (PR)

sicredi vale piquiri 06 10 2020 A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP segue premiando associados que investem em poupança. O mais novo contemplado na promoção Poupar e Ganhar Sem Parar que faturou um dos prêmios semanais de R$ 5 mil é Ademir P.P. O morador de Ubiratã (PR) é o nono sorteado da cooperativa – os anteriores são das cidades de Palotina, Assis Chateaubriand, Francisco Alves, Umuarama e Luiziana.

Surpresa agradável - “Ser premiado foi uma surpresa muito agradável. Quando eu apliquei o recurso, a gerente da minha conta comentou sobre a possibilidade de ganhar, mas eu nunca imaginei que isso aconteceria. O dinheiro será um presente para a minha filha e agradeço ao Sicredi por isso”, comenta o agricultor Ademir.

Incentivo - Para incentivar o hábito de poupar, o Sicredi está premiando associados nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, por meio da promoção que vai distribuir até o fim do ano R$ 2,5 milhões em prêmios, o maior valor em cinco edições. A cada R$ 100 de incremento líquido na poupança, o associado recebe um número da sorte. Se as aplicações forem na modalidade programada, quando há o débito programado mensal, as chances de ganhar são em dobro.

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, uma das 108 cooperativas do Sicredi, conta com 31 anos de história e mais de 158 mil associados. A área de atuação da cooperativa abrange 43 cidades no estado do Paraná e 8 cidades no estado de São Paulo, incluindo a capital paulista e cidades vizinhas do grande ABCD. São 88 espaços de atendimento, sendo 52 no Paraná e 36 em São Paulo (sicredi.com.br/vale-piquiri/).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,7 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

 

UNIMED PONTA GROSSA: Livro sobre saúde infantil será lançado durante live, nesta quarta-feira

A Unimed Ponta Grossa promove, nesta quarta-feira (07/10), uma live com a odontopediatra Cinthia de Luca, e com as endocrinopediatras Leticia Rocha Batista e Luana Bertinatto, para o lançamento do livro “Duda Papa Tudo”. O evento online será transmitido pela página do Facebook da cooperativa médica a partir das 20h.

Patrocínio - A obra é patrocinada pela Unimed Ponta Grossa e é o mais novo livro da turma da Dra. Tulipa, personagem local já conhecido pelo público, que trata questões da saúde bucal infantil de forma lúdica nos livros “A janelinha de Guto” e “O reino encantado das chupetas”.

Terceira história- Nesta terceira história, os personagens dos livros anteriores ganham um amigo, o Duda, uma criança em desenvolvimento que tem como base de alimentação produtos industrializados, doces e rotina de exageros.

Obesidade infantil - A partir dessa ideia, a obesidade infantil vem como protagonista do terceiro livro, escrito a seis mãos em uma parceria entre as três profissionais. “Com o crescimento da doença cárie e da obesidade infantil, nasceu o personagem principal desta terceira história. Ele representa nosso cenário atual, em que uma a cada três crianças são obesas e ingerem alta quantidade de açúcar na dieta”, explica Leticia.

OMS - Segundo o Atlas Mundial da Obesidade e a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que o Brasil vai ocupar, em 2030, a 5º posição no ranking de países com o maior número de crianças e adolescentes com obesidade, com apenas 2% de chance de reverter essa situação se medidas não forem tomadas.

Ministério da Saúde - Já segundo o Atlas da Obesidade Infantil no Brasil, publicado em 2019 pelo Ministério da Saúde, quase 20% de crianças menores de dois anos têm excesso de peso, 168 mil sofrem com sobrepeso e 120 mil são obesas.

Lançamento - A live será um bate-papo com as três profissionais, que irão contar mais sobre a história do livro e responder perguntas dos internautas que estiverem acompanhando a transmissão.

Venda - Os livros também estarão disponíveis para venda a partir do dia 7 e as pessoas que efetuarem a compra durante o lançamento irão receber brindes exclusivos junto com o exemplar. A aquisição poderá ser feita online com o custo de R$ 32 mais o valor do frete.

Receitas saudáveis - Desde a ideia até a publicação do livro, foram dois anos de trabalho. Além da narrativa voltada para as crianças, no decorrer das páginas, os pais também podem conferir dicas e orientações direcionadas a eles a respeito de prevenção. As autoras também incluíram na obra diversas receitas saudáveis, tanto doce quanto salgadas, para incentivar o preparo em família. Outro diferencial é que as receitas trazem contagem de carboidratos.

Contribuição - Luana Bertinatto espera que o livro contribua com o envolvimento de pais e filhos nos cuidados com a alimentação, trazendo benefícios para ambos. “Queremos ampliar acesso dos responsáveis e suas crianças às informações odontológicas e à saúde geral infantil. Acreditamos que, de forma lúdica e ilustrativa, é muito mais fácil haver entendimento desses assuntos”, explica a médica. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

{vsig}2020/noticias/10/06/unimed_ponta_grossa/{/vsig}

INFRAESTRUTURA I: Portos do Paraná dragam quatro áreas de forma simultânea

infraestrutura I 06 10 2020Os portos do Paraná começaram o mês de outubro com o maior número de equipamentos de dragagem operando de forma simultânea no Brasil. São sete unidades em atividade, ao mesmo tempo: quatro dragas, dois batelões e um nivelador. O conjunto de frota é inédito no País e agiliza as obras de manutenção da profundidade nos portos de Paranaguá e Antonina.

Investimento - Com investimento público de R$ 403 milhões, em recursos próprios da empresa pública paranaense Porto do Paraná, a dragagem retira sedimentos que se acumulam no fundo do mar e é fundamental para a segurança da navegação. O contrato iniciou em 2019 e é válido até 2023.

Raro - “É raro um porto contar com a disponibilidade de tantos equipamentos ao mesmo tempo. Mas estamos fazendo esse trabalho com todo o cuidado para o meio ambiente, com a anuência dos órgãos competentes e diálogo com a população.”, destaca o diretor-presidente da empresa, Luiz Fernando Garcia.

Menos tempo - Segundo ele, a dragagem simultânea permite que os serviços sejam finalizados em um menor tempo, o que diminuí os impactos nas operações. “Com o fim das obras, o Porto de Paranaguá terá uma condição inédita para receber navios maiores. Isso tem impacto direto na quantidade de carga movimentada, empregos gerados e maior renda para nossa população”, completa.

Profundidade - A etapa atual deve manter a profundidade de 16,5 metros na área externa do canal (Alfa); 15,5 metros na área interna do canal, mais próximo à Ilha do Mel (Bravo 1); 14,5 metros na área interna, mais próximo à Ilha das Cobras (Bravo 2) e Bacia de Evolução (Charlie I e 3); além dos 12,5 metros de calado nos berços de atracação do Porto de Paranaguá.

Draga hopper - A maior draga hopper em operação no Brasil chegou ao Paraná no final de setembro. Com 152,9 metros de comprimento, a Gerardus Mercartor tem capacidade de cisterna de 18 mil metros cúbicos (m³). De origem belga, a embarcação vai atuar na área externa do canal de acesso ao Porto de Paranaguá, conhecida como Alfa.

Hang Jun - A draga chinesa Hang Jun 4011 está finalizando a dragagem no canal de acesso ao Porto de Antonina, denominada área Delta. A capacidade de cisterna é de 5 mil m³.

Xin Hai Hu 9 - A Xin Hai Hu 9, do mesmo país, trabalha na área Charlie, em frente ao Porto de Paranaguá, que inclui a bacia de evolução. Do tipo hopper, ela tem capacidade de cisterna de 10 mil m³.

Xin Hai Beng - Já a Xin Hai Beng é mecânica, do tipo Clamshell. Esse tipo de embarcação é fixa e opera com um guindaste, auxiliada por caçambas e batelões. Os que atendem a operação são o Hang Bo 2002 e o Hang Bo 2003 (capacidade de 2 mil m³ cada). O conjunto executa a dragagem dos berços de atracação.

Status - A dragagem dos berços está quase concluída. A batimetria para aferir os resultados deve ocorrer em cerca de dez dias e, com isso, a Xin Hai Beng zarpa para outros portos.

Conclusão - Nas áreas Charlie e Delta, o prazo de conclusão é nos próximos dias. Depois de finalizadas, as dragas hopper chinesas se juntam com a embarcação holandesa para atuar em conjunto nas áreas Bravo e Surdinho (mais internas no canal de acesso ao Porto de Paranaguá).

Total - Desde 2019 já foram dragados 5,4 milhões de metros cúbicos de sedimentos nos portos paranaenses.

Cuidado - Todo o projeto é desenvolvido com total respeito ao meio ambiente. Durante as campanhas de dragagens de manutenção – conforme determina o Plano de Controle Ambiental, aprovado pelo Ibana – são executados programas de comunicação, educação e monitoramentos ambientais.

Ações - Para esta campanha, a Portos do Paraná desenvolve: programa de comunicação social; programa de educação ambiental, programa de monitoramento da qualidade das águas; programa de monitoramento da qualidade dos sedimentos; e programa de monitoramento do volume dragado.

Área de despejo - A área de despejo dos sedimentos dragados fica localizada a mais de 20 quilômetros da Ilha da Galheta e da Ilha do Mel. A área de descarte, regulamentada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), foi definida após estudos de correntes e outros aspectos climáticos, como a mais indicada para a dispersão do material dragado sem prejuízos ambientais. (Agência de Notícias do Paraná)

 

INFRAESTRUTURA II: Estado lança edital para nova duplicação na PR-323

infraestrutura II 06 10 2020Um novo trecho da rodovia PR-323, no Noroeste do Paraná, está mais próximo de receber obras de duplicação. O Governo do Estado publicou o edital de licitação que irá selecionar a empresa responsável por duplicar o trecho da rodovia que vai de Doutor Camargo até aproximadamente um quilômetro antes da margem do Rio Ivaí. Serão mais 6,3 quilômetros duplicados na rodovia.

Melhorias - Além da duplicação, estão previstas obras de implantação de interseção em desnível, vias marginais, acostamento e passeios. O valor estimado da obra é de R$ 55 milhões e as empresas que desejarem participar da licitação têm até o dia 28 de outubro para enviar suas propostas ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR).

Programa - A obra integra o Programa Estratégico de Infraestrutura e Logística de Transportes do Paraná e conta com financiamento do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID).

Histórico - De acordo com o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, viabilizar a duplicação de mais um trecho da PR-323 é um indicativo que o Paraná vive um momento histórico de reformulação da malha rodoviária. “Estamos trabalhando com muito afinco para garantir uma infraestrutura cada vez mais preparada e condizente com a grandeza do Paraná”, disse.

Escoamento - Segundo ele, a PR-323 é um dos principais corredores, por onde boa parte da produção do Norte e Noroeste é escoada para as demais regiões. “Já estamos duplicando o trecho entre Paiçandu e Doutor Camargo e, com a publicação desse novo edital, estamos garantindo mais R$ 55 milhões de investimento à região”, afirmou.

Reivindicação - Para o diretor-geral do DER/PR, Fernando Furiatti, a duplicação atende a uma reivindicação antiga da população de Doutor Camargo e de quem depende da rodovia para acessar outros centros do Estado. “Trata-se de um trecho bastante estratégico, que liga Maringá a Cianorte e onde o fluxo diário de veículos é muito grande. Há tempos essas obras de duplicação eram necessárias para garantirmos um deslocamento mais ágil e seguro”, disse Furiatti.

Na prática - O segmento da rodovia que será duplicado vai do km 174,2 ao 180,5. Além da duplicação, o projeto prevê a implantação de vias marginais e de um viaduto que dará acesso a Doutor Camargo. Entre o km 178 e o 180 está previsto também a instalação de um ponto de retorno para quem vem de Doutor Camargo e precisa voltar ao município. A velocidade diretriz da rodovia será de 80 km/h.

Transparência - Em conformidade com as políticas do BID, que financia a obra, o DER/PR realizou consulta pública na cidade de Doutor Camargo para apresentar o projeto à população. O evento aconteceu em março na Câmara de Vereadores do município e serviu para que os moradores pudessem tirar dúvidas a respeito do empreendimento. Os materiais apresentados na Consulta seguem disponíveis no site do DER/PR.

Licitação - Com o edital publicado no dia 28 de setembro, as empresas interessadas em participar do certame devem enviar suas propostas até dia 28 de outubro. A abertura dos envelopes está programada para as 14h do dia seguinte, na sede do DER/PR e com transmissão ao vivo pela internet.

Modalidade - O edital acontece na modalidade de Licitação Pública Nacional, em que o critério a ser avaliado nas propostas de preço é o menor valor oferecido, desde que atendidas as qualificações para habilitação técnica previstas no edital. Todos os documentos referentes a essa licitação estão disponíveis no site Compras Paraná.

Em andamento - Atualmente, estão em andamento as obras de duplicação de pouco mais de 20 quilômetros da PR-323, entre Paiçandu e Doutor Camargo. Com término previsto ainda para 2020, essas intervenções também passaram a contar com financiamento do BID. Até o momento, cerca de 83% desta obra já está concluída. (Agência de Notícias do Paraná)

 

ECONOMIA I: Banco Central oficializa redução do compulsório a prazo

economia I 06 10 2020Até abril do próximo ano, os clientes de bancos terão à disposição mais recursos para pegar emprestado no sistema financeiro. O Banco Central (BC) oficializou a prorrogação da alíquota reduzida de 17% para os depósitos compulsórios a prazo.

Circular - A circular com a extensão do compulsório reduzido foi publicada nesta segunda-feira (05/10) no Diário Oficial da União. O percentual, que retornaria a 25% em dezembro, continuará em 17% até abril de 2021, quando subirá para 20% e ficará nesse nível permanentemente.

Anúncio - A prorrogação do prazo havia sido anunciada na sexta-feira (02/10) pelo Banco Central. Segundo o BC, a medida foi tomada para ajudar a economia em meio à crise gerada pela pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19. A autoridade monetária não divulgou o impacto da injeção de recursos até abril. Apenas informou que, depois de abril, a redução permanente do compulsório para 20% significará injeção de R$ 62 bilhões na economia.

Dinheiro aplicado - Os depósitos compulsórios a prazo representam a fatia do dinheiro aplicado por clientes de uma instituição financeira em modalidades como poupança e certificados de depósito bancário (CDB) que os bancos são obrigados a depositar no BC. Os compulsórios têm o objetivo de garantir a segurança do sistema financeiro, impedindo que os bancos emprestem indiscriminadamente e fiquem sem caixa.

Instrumento - No entanto, esse mecanismo pode servir como instrumento de política monetária, porque, ao reduzir ou aumentar o volume de recursos retidos, o BC libera ou restringe os recursos livres que podem ser emprestados aos clientes.

Adaptação - Em nota, o BC informou que a extensão do compulsório de 17% até abril tem como objetivo facilitar a adaptação dos bancos à futura alíquota permanente de 20%. “A decisão, no atual momento, visa dar previsibilidade para que o mercado se ajuste para cumprir a nova alíquota”, destacou a instituição financeira.

Redução - Em fevereiro, o BC tinha diminuído o compulsório sobre depósitos a prazo de 31% para 25%, sob o argumento de estimular o crescimento da economia. Com o início da pandemia da covid-19, a alíquota passou para 17% de forma emergencial, dentro do pacote de medidas que injetou R$ 1,2 trilhão no sistema financeiro. (Agência Brasil)

FOTO:Pixabay

 

ECONOMIA II: Ipea aponta avanço de 3,4% em investimentos em julho

Levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra avanço de 3,4% em investimentos na economia brasileira no mês de julho, quando comparado com junho. No acumulado dos últimos 12 meses, no entanto, houve um recuo de 2,4%.

Indicador - Os dados são do Indicador Ipea Mensal de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), divulgado nesta segunda-feira (05/10). São medidos investimentos em máquinas e equipamentos, na construção civil e em outros ativos fixos, como propriedade intelectual, lavouras permanentes e gado de reprodução, entre outros.

Comparação - Ainda de acordo com o levantamento, na comparação com julho de 2019, foi registrada uma queda de 3,8%. Já no trimestre móvel encerrado em julho deste ano, houve crescimento de 7%.

Máquinas e equipamentos - O consumo aparente de máquinas e equipamentos apresentou uma alta de 10,9%, após uma queda de 8,2% registrada no mês de junho. "De acordo com os seus componentes, enquanto a produção nacional de máquinas e equipamentos cresceu 21,5% em julho [terceira alta consecutiva], a importação caiu 7,6% no mesmo período", registra o estudo do Ipea.

Construção civil - Já na construção civil, os investimentos cresceram 2,7%. "O resultado sucedeu altas de 7,8% e 17,4% nos meses de junho e maio, respectivamente. Com isso, o segmento registrou um avanço de 8,5% no trimestre móvel", acrescenta o levantamento.

Comparação - Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o componente da construção apresentou crescimento de 3,3% sobre julho de 2019. Já os segmentos de máquinas e equipamentos e de outros ativos fixos registraram queda, respectivamente, de 10,7% e de 5,5%. (Agência Brasil)

ECONOMIA III: FMI melhora projeção e prevê recuo de 5,8% para economia brasileira

economia III 06 10 2020A previsão de contração da economia brasileira neste ano passou de 9,1% pra 5,8%, divulgou nesta segunda-feira (05/10) o Fundo Monetário Internacional (FMI). Para 2021, o órgão prevê crescimento de 2,8%.

Documento - A melhoria nas projeções consta do informe periódico Artigo 4, publicação do fundo com informações sobre a economia brasileira. O documento traz elogios ao governo brasileiro, especialmente a programas de sustentação da renda como o auxílio emergencial, mas adverte para riscos na administração da dívida pública, especialmente se o teto federal de gastos for abolido.

Resposta enérgica - Segundo o relatório, o pagamento do auxílio emergencial para cerca de um terço da população brasileira e outros programas de estímulo ajudaram a evitar uma queda mais abrupta da economia após a pandemia do novo coronavírus. “Uma resposta enérgica evitou uma recessão mais profunda, estabilizou os mercados financeiros e amorteceu os efeitos da pandemia nos mais pobres e vulneráveis”, destacou o texto.

Riscos - Apesar da aprovação à resposta das autoridades brasileiras perante a crise, o FMI destacou que considera “altos e multifacetados” os riscos para a economia do país. Entre os perigos listados, está uma segunda onda da pandemia, os impactos sociais do prolongamento da recessão e a perda de confiança dos investidores por causa dos altos níveis da dívida pública brasileira.

Estimativas - Nas estimativas do FMI, a dívida pública brasileira encerrará o ano em torno de 100% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos) e permanecerá em níveis semelhantes no médio prazo. O relatório destacou que a curva de juros do país está bastante inclinada, com os juros de longo prazo em níveis altos, sem caírem significativamente mesmo com a taxa Selic (juros básicos de curto prazo) no menor nível da história.

Teto de gastos - No médio prazo, segundo o fundo, são necessárias reformas estruturais que reduzam os gastos públicos e aumente a produtividade para reduzir os juros de longo prazo e diminuir os riscos de que a dívida pública brasileira saia do controle. O relatório aconselhou o governo brasileiro a manter a regra do teto de gastos (que limita o crescimento das despesas federais à inflação) para impedir a deterioração da confiança dos investidores no país e a elevação dos juros.

Vantagens - Mesmo com os riscos, o relatório destacou que o Brasil tem vantagens em relação a outros países emergentes. Além de o país ter grandes volumes de reservas internacionais e um sistema bancário sólido, o FMI ressaltou o baixo nível de endividamento externo do país, o que impede a explosão da dívida pública por causa da alta do dólar.

Recuperação lenta - Em relação aos juros de curto prazo, o FMI informou que o Banco Central brasileiro tem condições de reduzir ainda mais a taxa Selic, atualmente em 2% ao ano, caso a inflação continue baixa após os programas de estímulos fiscais durante a pandemia serem retirados no próximo ano. “A política monetária vai levar toda a carga de sustentar a economia”, informou o relatório.

Advertência - Apesar da recuperação recente de diversos indicadores do comércio e da indústria a níveis anteriores ao início da pandemia, o FMI adverte que levará tempo para que a economia e a renda se recuperem. “Apesar de alguns indicadores recentes serem animadores e as autoridades esperarem uma forte recuperação no ano que vem, pode levar tempo para que o emprego, a renda e a pobreza voltem aos níveis pré-covid-19”, destacou o documento. (Agência Brasil)

 

CÂMBIO: Dólar tem maior queda diária em cinco semanas e fecha a R$ 5,56

Em um dia de alívio no mercado financeiro, o dólar teve a maior queda diária em cinco semanas. A bolsa de valores recuperou parcialmente as perdas dos últimos dias e fechou em alta superior a 2%.

Recuo - O dólar comercial fechou esta segunda-feira (05/10) vendido a R$ 5,568, com recuo de R$ 0,10 (-1,76%). Na menor cotação em dez dias, a divisa teve a maior queda diária desde 28 de agosto, quando tinha caído 2,93%. A cotação caiu ao longo de toda a sessão. Na mínima do dia, por volta das 16h10, a moeda norte-americana alcançou R$ 5,55.

Ações - No mercado de ações, a bolsa iniciou a semana em alta. O índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), encerrou aos 96.089 pontos, com alta de 2,21%. O indicador está no maior nível desde 25 de setembro, quando tinha fechado aos 96.999 pontos.

Fatores - As negociações foram marcadas por fatores tanto no mercado doméstico como no internacional. No Brasil, o dólar acelerou a queda e a bolsa intensificou a alta depois da declaração do senador Marcio Bittar (MDB-AC) de que a solução para o financiamento do Renda Brasil, futuro programa de distribuição de renda, cumprirá o teto federal de gastos.

Exterior - No exterior, o mercado reagiu à aparente recuperação do estado de saúde do presidente norte-americano, Donald Trump, após anúncio de possível alta hospitalar ainda nesta segunda-feira Trump foi internado após ser diagnosticado com covid-19.

Redução das incertezas - A redução das incertezas em torno de um novo pacote de estímulo fiscal nos Estados Unidos também animou os mercados. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

PIX: Agência Brasil explica como funciona novo sistema de pagamentos e transferências

Novo sistema de pagamentos e transferências instantâneas, gratuito para pessoas físicas, o Pix vai funcionar de forma parecida com as transferências DOC e TED. A vantagem é que permitirá um acesso mais simples do que os serviços que existem até agora. Outra diferença fundamental é que o dinheiro passa do pagador ao recebedor de forma praticamente imediata. O sistema não tem restrições, podendo ser acessado a qualquer hora ou dia da semana.

Instantâneo - As transações feitas pelo sistema serão compensadas instantaneamente. Apenas nos casos em que houver suspeita de fraude, os pagamentos ou transferências podem demorar até 30 minutos para serem verificados. As transações podem ser feitas pelos aplicativos de bancos e de pagamentos para telefone celular ou pelo internet banking em computadores.

Chaves - O Pix também ganha velocidade porque não é necessário informar todos os dados do beneficiário. Os usuários do serviço podem cadastrar de uma até cinco chaves associadas a uma conta bancária. Com a chave é possível localizar o destinatário do pagamento sem outros dados de identificação.

Opções - Poderão ser usados como chave o CPF, o CNPJ, o número do celular, o endereço de correio eletrônico (e-mail) ou um código de 32 dígitos gerado especificamente para o Pix (EVP). Basta informar a chave do beneficiário para que o sistema localize o recebedor do pagamento e realize a transação. No caso de não ter uma chave, o usuário precisará repassar os dados bancários ao outro envolvido na transação.

Código EVP - O código EVP permite receber pagamentos sem informar nenhum dado pessoal, sendo um código com letras e números criado especificamente para as transações por meio do Pix. O código aleatório vai possibilitar ainda a geração de códigos de barra do tipo QR Code, que podem ser lidos por câmera de celular para fazer pagamentos. Os códigos podem ser fixos, com um mesmo valor de venda (em locais de preço único), ou variáveis, criados para cada venda.

Quem pode oferecer - Os usuários podem cadastrar as chaves fazendo contato com as instituições com as quais têm relacionamento. Estão aptos a fazer transações pelo Pix bancos, instituições financeiras e plataformas de pagamento.

Limites - Os valores que poderão ser transacionados pelo novo sistema vão variar de acordo com o perfil de cada cliente, do mesmo modo que com outros serviços bancários. Os limites variam de no mínimo, segundo a regulamentação do Banco Central, 50% do valor das transferências tipo TED até o valor autorizado para compras em débito.

Variação - Os limites vão variar de acordo com o dia da semana e o horário em que for utilizado o serviço. O Pix vai funcionar 24 horas por dia, sete dias por semana. As transferências e pagamentos também podem ser agendadas, da mesma forma que acontece com o DOC e a TED.

Tarifas - O Pix é gratuito para transferências ou recebimento por pessoas físicas. Poderão ser cobradas tarifas caso o sistema seja usado como meio de recebimento para vendas de produtos ou serviços. As instituições podem ainda tarifar o uso presencial ou por telefone do sistema.

Empresas - As instituições são livres para tarifar os usuários pessoas jurídicas (empresas).

Início - O sistema vai entrar em operação, em fase experimental, a partir do dia 3 de novembro. Nessa etapa, vai funcionar apenas para um número reduzido de clientes e em horário limitado. Ainda não foram definidos os critérios que vão determinar como serão escolhidos os usuários nessa fase experimental. O sistema será aberto para toda a população a partir de 16 de novembro. (Agência Brasil)

FGV: Inflação para família com renda mais baixa sobe para 0,89% em setembro

O Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1), que mede a variação da cesta de compras para famílias brasileiras com renda até 2,5 salários mínimos, registrou inflação de 0,89% em setembro deste ano, taxa superior ao 0,55% observado em agosto. De acordo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o IPC-C1 acumula taxas de inflação de 3,13% no ano e de 4,54% em 12 meses.

Acima do IPC-BR - As taxas de inflação do IPC-C1 ficaram acima daquelas medidas pelo Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a variação das cestas de compras de todas as faixas de renda. O IPC-BR teve taxas de 0,82% em setembro e de 3,62% em 12 meses.

Classes de despesa - A alta da inflação de agosto para setembro do IPC-C1 foi puxada por três das oito classes de despesa, com destaque para alimentação (que subiu de 0,76% em agosto para 2,23% em setembro). As outras altas foram observadas nos grupos, educação, leitura e recreação (de 0,09% para 2,44%) e vestuário (de -0,42% para 0,12%).

Queda - Por outro lado, cinco grupos tiveram queda na taxa: saúde e cuidados pessoais (de 0,61% em agosto para 0,10% em setembro), despesas diversas (de 0,58% para 0,26%), habitação (de 0,61% para 0,54%), comunicação (de 0,12% para 0,04%) e transportes (de 0,68% para 0,61%). (Agência Brasil)

BALANÇO: Pagamentos no orçamento para combate à pandemia superam 75%, diz consultoria

O orçamento criado neste ano para combater a pandemia de covid-19 acumulou até 2 de outubro quase R$ 587 bilhões em despesas autorizadas. Desse total, mais de R$ 441 bilhões (75,2%) foram pagos, segundo cálculos da Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados.

Medidas - O chamado “Orçamento de Guerra”, aprovado pelo Congresso Nacional no começo da pandemia, possibilitou, entre outras medidas, a criação do auxílio emergencial de R$ 600, que começou a ser concedido em abril para pessoas em situação de vulnerabilidade. Dos cerca de R$ 254 bilhões destinados ao auxílio de R$ 600, 88% já chegaram a esse grupo.

Pagamentos - Em setembro, o governo estendeu a concessão do auxílio emergencial até dezembro, mas com a metade do valor original, passando a ser de R$ 300. É o chamado auxílio emergencial residual. Seus pagamentos já começaram: dos quase R$ 67 bilhões reservados a essa finalidade, 19,7% já chegaram aos beneficiários.

Detalhamento - Segundo a Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados, outras quatro ações tiveram um percentual pago maior do que o do auxílio emergencial:

- A isenção dada aos beneficiários da tarifa social de energia elétrica entre abril e junho (estabelecida pela Medida Provisória 950/20) consumiu todos os R$ 900 milhões reservados pelo governo. Com a medida, as famílias não precisaram pagar a conta de luz naquele período.

- O financiamento da folha salarial das empresas consumiu todos os R$ 17 bilhões alocados para esse fim. Inicialmente, o governo havia aberto crédito extraordinário de R$ 34 bilhões (pela MP 943/20), mas essa linha acabou reduzida pela metade em meio a ajustes no socorro ao setor privado.

- O auxílio financeiro aos estados, ao Distrito Federal e aos municípios, no montante de quase R$ 60,2 bilhões, já foi praticamente todo quitado (a Lei Complementar 173/2020 compensa os entes federativos por perdas econômicas em razão da pandemia).

- No caso das medidas de apoio a micro, pequenas e médias empresas, com valor autorizado de R$ 47,9 bilhões, foram pagos 89,6%. O objetivo dessas ações é prover recursos para capital de giro e quitação de salários nessas firmas, que são as que mais empregam no país.

- Por outro lado, segue com execução "zerada" o auxílio às instituições de longa permanência para idosos (R$ 160 milhões): não houve ainda nenhum empenho e nenhum pagamento. Os recursos foram destinados ao Ministério da Mulher e ao Fundo Nacional do Idoso.

Cálculo - A Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados fez esses cálculos a partir de dados divulgados pelo Tesouro Nacional até a semana passada.

Comissão mista - Esses dados e informações deverão ser analisados agora pela comissão que acompanha a execução orçamentária e financeira das ações de combate à pandemia. A comissão foi criada pelo decreto legislativo que reconheceu o estado de calamidade pública no país.

Integrantes - O grupo é formado por seis deputados federais e seis senadores, com igual número de suplentes. O presidente da comissão é o senador Confúcio Moura (MDB-RO). A relatoria do colegiado está a cargo do deputado Francisco Jr. (PSD-GO). (Agência Câmara de Notícias / Agência Senado)

balanco 06 10 2020

SAÚDE I: Brasil tem 146 mil mortes e 4,92 milhões de casos acumulados

O número de mortes em razão da pandemia do novo coronavírus chegou a 146.675. Nas últimas 24 horas, foram 323 novos registros de óbitos em decorrência da covid-19. Até domingo (04/10), o total era de 146.352. Outros 2.540 óbitos estão em investigação.

Atualização - Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgados pela pasta no início da noite desta segunda-feira (05/10). O órgão consolida informações enviadas pelas secretarias estaduais de saúde de todo o país.

Casos acumulados - Os casos acumulados de covid-19, informa o balanço do Ministério da Saúde, atingiram 4.927.235. Entre domingo e segunda-feira, as secretarias de saúde acrescentaram às estatísticas 11.946 novos diagnósticos positivos da doença. Até ontem, o painel marcava 4.915.289 casos desde o início da pandemia.

Acompanhamento - Ainda há 485.258 casos em acompanhamento. De acordo com o Ministério da Saúde, outras 4.295.302 pessoas já se recuperaram da doença.

Menores - O número de casos e de mortes são menores nos domingos e segundas-feiras em função da limitação de sistematização dos dados e alimentação do painel do Ministério da Saúde pelas secretarias estaduais aos fins de semana. Já às terças-feiras os números diários tendem a subir pelo acúmulo de casos do fim de semana reportado nesse dia.

Roraima - De acordo com o Ministério da Saúde, a secretaria de Saúde de Roraima não atualizou os dados por ser feriado no estado. No Rio Grande do Norte e no Acre não foram registradas novas mortes.

Covid-19 nos estados - Os estados com mais mortes são São Paulo (36.220), Rio de Janeiro (18.780), Ceará (9.056), Pernambuco (8.340) e Minas Gerais (7.656). As Unidades da Federação com menos casos são Roraima (661), Acre (667), Amapá (718), Tocantins (972) e Mato Grosso do Sul (1.365).

Casos - Em termo de casos, São Paulo ultrapassou a marca de 1 milhão, com 1.004.579. Em seguida vêm Bahia (316.005), Minas Gerais (308.466), Rio de Janeiro (273.338) e Ceará (243.106). (Agência Brasil)

 

saude I tabela 06 10 2020

SAÚDE II: Boletim registra 370 novos diagnósticos de coronavírus

saude II 06 10 2020A Secretaria de Estado da Saúde confirmou nesta segunda-feira (05/10) 370 novos casos e 30 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. O Paraná soma 182.853 casos e 4.575 mortes em decorrência da Covid-19. Há ajustes nos casos confirmados detalhados ao final do texto.

Internados - Nesta segunda-feira (05/10) eram 753 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19: 636 em leitos SUS (303 em UTI e 333 em leitos clínicos/enfermaria) e 117 em leitos da rede particular (49 em UTI e 68 em leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 968 pacientes internados, 443 em leitos UTI e 525 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo vírus Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 30 pacientes. Todos estavam internados. São 15 mulheres e 15 homens com idades que variam de 23 a 93 anos. Os óbitos ocorreram entre 25 de setembro a 5 de outubro.

Residência - Os pacientes que faleceram residiam em: Ponta Grossa (5), Colombo (3), Araucária (2), Cascavel (2), Curitiba (2), Foz do Iguaçu (2), Toledo (2). Houve também um óbito em cada um dos seguintes municípios: Castro, Cornélio Procópio, Francisco Beltrão, Imbituva, Ivaiporã, Jaguariaíva, Londrina, Marechal Cândido Rondon, Marmeleiro, Mauá da Serra, Piraquara e Pontal do Paraná.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 1.953 casos pessoas que não moram no Estado – 44 foram a óbito.

Ajustes - Alteração de município: Um caso confirmado no dia 02/10 em Cianorte foi transferido para Curitiba

Exclusões - Um caso confirmado no dia 29/09 em Almirante Tamandaré foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 04/08 em Arapongas foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 29/09 em Araucária foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 29/09 em Campina Grande do Sul foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 29/09 em Campo Magro foi excluído por duplicidade de notificação.

Dois casos confirmados nos dias 30/09 e 01/10 em Cascavel foram excluídos por duplicidade de notificação.

Quatro casos confirmados nos dias 22/09 (2), 26/09 (1) e 27/09(1) em Colombo foram excluídos por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 01/10 em Cruzeiro do Iguaçu foi excluído por duplicidade de notificação.

Onze casos confirmados nos dias 02/09 (1), 29/09 (8), 01/10(1) e0 2/10(1) em Curitiba foram excluídos por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 29/09 em Foz do Iguaçu foi excluído por duplicidade de notificação.

Seis casos confirmados nos dias 24/09 (1), 29/09 (1), 30/09(2) e 02/10(2) em Londrina foram excluídos por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 04/10 em Maringá foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 29/09 em Medianeira foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 25/09 em Paranaguá foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 29/9 em Pinhais foi excluído por duplicidade de notificação,

Um caso confirmado no dia 29/09 em Piraquara foi excluído por duplicidade de notificação.

Três casos confirmados nos dias 29/09 (1), 30/09(1) e 02/10(1) em Ponta Grossa foram excluídos por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 01/10 em Porecatu foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 29/09 em Rolândia foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 29/09 em Sertaneja foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 19/08 em Toledo foi excluído por duplicidade de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo.

 

SAÚDE III: ANS disponibiliza números de beneficiários relativos a agosto

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) disponibiliza os números de beneficiários de planos de saúde atualizados com dados de agosto. A consulta pode ser feita na Sala de Situação, ferramenta disponível no portal da Agência.

Registro - Nesse mês, o setor registrou 46.911.423 beneficiários em planos de assistência médica e 25.816.001 em planos exclusivamente odontológicos. Cabe notar que os dados podem sofrer modificações retroativas por conta das revisões efetuadas pelas operadoras.

Acesse a Sala de Situação e veja as informações completas.  

Tabelas - Confira, nas tabelas abaixo, a evolução de beneficiários em planos de assistência médica e exclusivamente odontológicos no país por tipo de contratação do plano e por UF. (ANS)

ans tabela I 06 10 2020

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

ans tabela II 06 10 2020

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ans tabela III 06 10 2020

 

 


Versão para impressão


RODAPE