Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4932 | 21 de Outubro de 2020

ENCONTRO DE NÚCLEOS: Evento reúne 157 líderes cooperativistas da região Oeste do Paraná

O Encontro Digital de Núcleos Cooperativos prosseguiu na tarde desta terça-feira (20/10) com a reunião da região Oeste do Paraná. O evento reuniu 157 líderes cooperativistas regionais, representando 17 cooperativas dos ramos agropecuário, crédito e saúde. Foi a segunda de uma série de quatro reuniões descentralizadas que acontecem nesta semana com lideranças do cooperativismo paranaense. Realizado de forma virtual, devido à pandemia da Covid-19, o encontro tem como objetivo fortalecer a aproximação entre o Sistema Ocepar e as cooperativas, alinhando estratégias para a defesa e expansão do setor, com espaço para a discussão das demandas específicas de cada região. A Frimesa foi a anfitriã do evento, apresentando aos demais participantes uma explanação sobre a história, o modelo de negócios da cooperativa e seus projetos de desenvolvimento.

Presenças - O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e o coordenador do Núcleo Oeste e presidente da Copacol, Valter Pitol, fizeram a abertura do Encontro. Presentes à reunião, os diretores da Ocepar Valter Vanzella (presidente da Frimesa), Dilvo Grolli (presidente da Coopavel), Paulo Roberto Faria (presidente da Unimed Paraná), os conselheiros do Sescoop/PR Solange Pinzon de Carvalho Martins (presidente do Sicoob Meridional), Hiroshi Nishitani (presidente da Unimed Costa Oeste), Aguinel Marcondes Waclawovsky (Coopavel), Joberson de Lima e Silva (C.Vale) e Marcos Roberto Bueno Antunes (Copacol), além do conselheiro fiscal da Ocepar, Lauro Soethe (Lar).

Estratégias - “As reuniões descentralizadas do Encontro de Núcleos têm como objetivos principais alinhar as estratégias de trabalho e o planejamento das ações de 2021, ouvindo as demandas das cooperativas e conhecendo a visão de futuro dos cooperativistas em todas as regiões do Paraná”, disse o presidente Ricken. Os superintendentes do Sescoop/PR (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo), Leonardo Boesche, e da Fecoopar (Federação das Cooperativas do Paraná), Nelson Costa, apresentaram os trabalhos das entidades realizadas em 2020. O professor do Isae/FGV, Robson Gonçalves, ministrou palestra sobre “Cenários econômicos para os negócios cooperativos”. O superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, falou sobre a elaboração do novo plano estratégico do cooperativismo do Paraná, o PRC 200. 

OCB - Depois, a gerente geral do Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), Tânia Zanella, falou sobre as ações da entidade, em especial os trabalhos de acompanhamento e defesa política do cooperativismo no Congresso Nacional, com o apoio da Frencoop – Frente Parlamentar do Cooperativismo. O evento foi encerrado pelo presidente do Sistema OCB, Marcio Lopes de Freitas, que falou sobre a importância da mobilização e do alinhamento entre os cooperativistas na defesa das demandas do setor no Congresso Nacional. A Ocepar produziu vídeo especialmente para as reuniões do Encontro de Núcleos, para mostrar aos cooperativistas o que já foi realizado em prol do setor em Brasília. Clique aqui para conferir. 

Reuniões - Na tarde desta quarta-feira (21/10), o evento prossegue com representantes cooperativistas das regiões Norte e Noroeste, tendo como anfitriãs a Unitá e a Coagru. A série de reuniões se encerra na quinta-feira (22/10), com participantes do Sudoeste, tendo a Coasul e o Sicredi Iguaçu como anfitriãs.

{vsig}2020/noticias/10/21/encontro_nucleos/{/vsig}

 

COVID-19: Comitê de Acompanhamento divulga o comunicado 141

covid 19 destaque 21 10 2020Na manhã desta quarta-feira (21/10), o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar emitiu o comunicado 141, destacando a realização das duas primeiras reuniões do Encontro Digital de Núcleos Cooperativos, ocorridas nesta segunda e terça-feira (19 e 20/10), com cooperativistas do Centro-Sul e do Oeste do Estado, respectivamente. Confira abaixo as informações do boletim.

1. O Sistema Ocepar está promovendo, de 19 a 21 de outubro, o Encontro de Núcleos Cooperativos, nesse ano de forma digital. Estão sendo tratados assuntos estratégicos para o desenvolvimento contínuo das cooperativas paranaenses. Clique aqui para inscrição.

2. No dia 19 de outubro, o Sistema Ocepar realizou a primeira reunião do Encontro de Núcleos, com cooperativistas do Centro-Sul. O evento teve como cooperativa anfitriã a Frísia e contou com 110 lideranças cooperativistas.

3. No dia 20 de outubro, o Sistema Ocepar realizou a segunda reunião do Encontro de Núcleos, com representantes do Oeste, tendo como cooperativa anfitriã a Frimesa e com 160 lideranças cooperativistas.

4. O Sistema Ocepar, no dia 20 de outubro, realizou de forma virtual duas Reuniões da Autogestão com as cooperativas Cootramil e Unimed Costa Oeste, com a participação do corpo diretivo e gestores.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

COMUNICA COOP: Fórum dá continuidade ao debate sobre planejamento do cooperativismo paranaense na área de comunicação

O Sistema Ocepar vai reunir os profissionais de Comunicação das cooperativas do Paraná para dar continuidade aos debates sobre o planejamento da área, iniciado em novembro de 2019. Será nos dias 27 de outubro e 10 de novembro, no Fórum Digital Comunica Coop, pela plataforma Zoom, com a especialista Marlene Marchiori, que é pesquisadora, escritora, palestrante e mentora. Além disso, ela presta consultoria para empresas em planos de comunicação e de relacionamento. “Gostaríamos de contar com a participação de todos os colegas que integram o sistema de comunicação das cooperativas paranaenses, para podermos debater e enriquecer ainda mais todo o conteúdo gerado”, afirma o coordenador de Comunicação Social do Sistema Ocepar, Samuel Milléo Filho.

Programação - A pauta do dia 27 de outubro prevê a abordagem sobre o planejamento de comunicação que transforma e conecta. Haverá ainda uma roda de conversas. Depois, será debatida a comunicação e o seu valor estratégico no cooperativismo paranaense e a questão da mentoria, com foco no pensamento do time sobre a visão de comunicação. O dia 10 de novembro será destinado a discutir o planejamento de programas de comunicação estratégica, com base no PRC200, o planejamento estratégico do cooperativismo paranaense, por que planejar programas, desenvolvimento de mentoria e troca de conhecimentos.

Inscrições e informações - Clique aqui para efetivar a inscrição. Mais informações sobre o evento pelo e-mail jornalismo@sistemaocepar.coop.br ou pelo fone (41) 3200 1150.

 

forum comunica coop folder 21 10 2020

 

FORMAÇÃO: Curso vai abordar ADRC-ST e o regime optativo da substituição tributária

As instrutoras Letícia Tullio e Graziela Cristina da Silva Borges Machado estarão orientando os profissionais das cooperativas paranaenses sobre o Arquivo Digital de Recuperação, Ressarcimento e Complementação do ICMS ST (ADRC-ST) e o regime optativo da substituição tributária em um curso que o Sistema Ocepar promove, no dia 27 de outubro, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), pela plataforma Zoom, das 9h às 17h30. As inscrições devem ser feitas até esta quinta-feira (22/10), com Jéssica Costa, da Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (jessica.costa@sistemaocepar.coop.br).

Conteúdo - Quanto ao ADRC-ST, as instrutoras vão discorrer sobre o que diz a legislação, a obrigatoriedade, o prazo de entrega, a estrutura do arquivo, a apuração de valor, entre outros itens. Em relação ao regime optativo de substituição tributária, elas vão explicar quem é o público-alvo, o prazo e as condições.

 

formacao folder 21 10 2020

REUNIÃO INSTITUCIONAL I: 84º evento virtual é realizado com representantes da Cootramil

O Sistema Ocepar promoveu, na tarde desta terça-feira (20/10), a 84ª reunião institucional virtual com a participação da diretora vice-presidente da Cooperativa dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Londrina (Cootramil), Fátima Aparecida Teotônio, e da gerente administrativo e coordenadora de Qualidade, Angélica Elaine Cuellar. Elas acompanharam a apresentação do cenário econômico-financeiro da cooperativa, por meio de indicadores e comparativos com outras cooperativas paranaenses do mesmo ramo e região. Os dados foram levantados pela coordenadoria de monitoramento da Gerência de Desenvolvimento Cooperativo (Gecoop), do Sescoop/PR, com base em informações repassadas pela própria Cootramil.

Cooperativa - Com sede em Londrina, no Norte do Paraná, a Cootramil é uma das 37 cooperativas do ramo transporte registradas no Sistema Ocepar. Ela possui frota de 68 veículos, entre carretas e trucks, destinados a transportar especialmente grãos e defensivos agrícolas. A cooperativa possui 76 cooperados, seis funcionários e faturou R$ 11,4 milhões no ano passado. A expectativa é de que a receita se mantenha nesse patamar em 2020. A gerente da Cootramil explicou que o presidente Antônio Cláudio Lindo e demais membros da diretoria não puderam participar da reunião pois estavam na estrada, realizando o trabalho de transporte de cargas.

Pandemia - De acordo com Angélica, a pandemia não afetou as atividades da Cootramil. “Nós temos uma grande ligação com o setor agropecuário, por isso não paramos. Tivemos que nos moldar pois nosso quadro de funcionários é enxuto. Para nós, esse ano está sendo bem atípico”, disse. Por outro lado, ela relatou que houve aumento da sinistralidade, por conta do roubo e de várias tentativas de subtração das cargas de defensivos agrícolas, o que levou os cooperados a precisar fazer muitos investimentos para cumprir as exigências das seguradoras e das gerenciadoras de riscos. Outra consequência disso foi a redução de veículos circulando. Angélica destacou ainda mais uma mudança importante ocorrida recentemente. A cooperativa passou a ofertar serviços de forma terceirizada a um tradicional cliente e está tendo que se adaptar a uma nova plataforma. “Mesmo assim, estamos trabalhando para manter o padrão de faturamento, atender da melhor forma possível o nosso cliente e buscar as melhores soluções para os nossos cooperados”, finalizou.

Apoio - De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, João Gogola Neto, foi importante ter conhecimento sobre esses fatos para poder auxiliar a cooperativa em suas necessidades. “Contem conosco para qualquer demanda que vocês tenham. A Ocepar está aqui à disposição da cooperativa”, ressaltou ao final do encontro. Gogola lembrou ainda que a entidade não parou de atuar no período da pandemia, com as equipes trabalhando de forma remota. “Nós continuamos realizando reuniões com representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Ministério da Infraestrutura, Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), instituições financeiras, entre outros, buscando medidas em prol do desenvolvimento das cooperativas do ramo transporte”, frisou. 

Programação - No encontro, os indicadores de desempenho econômico-financeiro da Cootramil foram apresentados pelo analista técnico Jesse Rodrigues. Ele também destacou os números do cooperativismo paranaense e do ramo transporte no Paraná, além do resultado de um estudo sobre os impactos da pandemia nos negócios da cooperativa. Já o analista da Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec), Moisés Knaut Tokarski, tratou sobre o cenário econômico nacional, contemplando indicadores como PIB, câmbio e inflação. Ao final, o coordenador de Desenvolvimento Cooperativo, Leandro Macioski, falou sobre as atividades finalísticas do Sescoop/PR nas áreas de monitoramento, cooperativismo, profissionalização e gestão estratégica, cujos programas, eventos e soluções estão disponíveis para todas as cooperativas vinculadas ao Sistema Ocepar.

{vsig}2020/noticias/10/21/reuniao_institucional_I/{/vsig}

REUNIÃO INSTITUCIONAL II: Sistema Ocepar promoveu encontro virtual com a Unimed Costa Oeste

Nesta terça-feira (20/10), entre as 18 e 20 horas, liderados pelo presidente Hiroshi Nishitani, diretores, conselheiros e executivos da Unimed Costa Oeste receberam o Sistema Ocepar em reunião virtual para a apresentação e discussão da situação econômico-financeira da cooperativa, por meio de indicadores e comparativos com outras do mesmo ramo e região. O acompanhamento visa manter a qualidade da gestão, credibilidade perante terceiros, transparência perante o quadro social e, principalmente, a solidificação do sistema cooperativista. Durante o encontro foram abordados outros assuntos importantes ao cooperativismo, como intercooperação, treinamentos e capacitações do Sescoop/PR.

Agenda – A abertura da reunião institucional, a 86ª na modalidade remota, foi feita pelo coordenador de Monitoramento da Gecoop, João Gogola Neto, oportunidade em que  esclareceu que, mesmo com o cumprimento da quarentena imposta pelas autoridades sanitárias como estratégia para evitar a propagação do coronavírus, o Sistema Ocepar adotou a modalidade virtual para dar cumprimento ao plano de metas estabelecido no final de 2019  e também para se manter sintonizado com as cooperativas. O Superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, relatou as ações e articulações desenvolvidas pela entidade, no desempenho da função de representação institucional,  visando ao fortalecimento e desenvolvimento do cooperativismo paranaense, nas esferas dos governos federal e estadual, no Congresso Nacional, com instituições financeiras e entidades do setor produtivo regional e nacional, sempre em sintonia com a OCB. O analista técnico da Coordenadoria de Monitoramento, Rodrigo Gandara Donini, apresentou o cenário econômico e financeiro das cooperativas paranaenses, do ramo saúde e, em especial, da Unimed Costa Oeste. Por fim, a Gerente de Desenvolvimento Cooperativo, Maria Emília Pereira Lima, detalhou as atividades finalísticas do Sescoop/PR.

Objetivo – O superintendente Boesche destacou que a reunião visa oferecer à cooperativa a visão externa de como estão outras organizações do mesmo ramo e região para, com isso, poder avaliar o desempenho da gestão. E a modalidade virtual permite ainda a participação de um número maior de profissionais do Sistema Ocepar, o que dificilmente ocorreria se a reunião fosse presencial. “Estamos dando cumprimento ao nosso planejamento, com muito mais agilidade e produtividade. E estamos aqui, como sempre estivemos, à disposição de vocês para poder contribuir, dentro das possibilidades, na solução das demandas da cooperativa. Afinal, este é o momento de fortalecermos cada vez mais a integração da entidade e cooperativas e mostrar a importância e a força do cooperativismo paranaense”, frisou.

Agradecimento – O presidente da Unimed Costa Oeste, Hiroshi Nishitani, que também integra o Conselho de Administração do Sescoop/PR, agradeceu individualmente os profissionais do Sistema Ocepar que participaram da reunião e destacou a importância do encontro virtual, que possibilitou a participação do superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, o que, devido a compromissos de agenda,  dificilmente ocorreria em uma reunião presencial. Também fez a apresentação de integrantes da diretoria e dos novos conselheiros da cooperativa. Para ele, o encontro representou “o momento para fazer um paralelo da condução da cooperativa com outras singulares e avaliar como está o nosso desempenho no sistema”.

Números – Com sede em Toledo, no oeste do estado, a Unimed Costa Oeste, que atualmente tem 259 cooperados, 174 funcionários e 40.882 beneficiários, faturou R$ 175,9 milhões em 2019.

{vsig}2020/noticias/10/21/reuniao_institucional/{/vsig}

 

SISTEMA OCEPAR: Outubro Rosa, nós apoiamos essa causa

A cor rosa predomina no mês de outubro. O objetivo é chamar a atenção para a importância de prevenção do câncer de mama, o tipo mais comum entre as mulheres, no Brasil e no mundo, correspondendo a cerca de 25% dos casos novos de câncer a cada ano. Esse percentual é de 29% entre as brasileiras. Para compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença, a Fundação Susan G. Komen for the Cure criou na década de 1990, o movimento Outubro Rosa. No Brasil, a comemoração foi instituída pela Lei nº 13.733/2018.

Apoio - Todos os anos, o Sistema Ocepar manifesta seu apoio ao movimento Outubro Rosa. A fachada da sua sede, na Av. Cândido de Abreu, no bairro Centro Cívico, em Curitiba, ganha uma iluminação especial na cor rosa. O objetivo é fortalecer a mensagem de atenção à doença, pois o diagnóstico precoce e a adoção de hábitos saudáveis reduzem a mortalidade.

A doença - O câncer de mama é mais comum em mulheres, mas também pode acometer homens.  É causado pela multiplicação desordenada das células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem às características próprias de cada tumor.

Exame clínico das mamas - É o exame realizado por médico ou enfermeiro treinado para essa atividade. Neste exame poderão ser identificadas alterações e, se necessário, será indicado um exame mais específico, como a mamografia, um raio X que permite descobrir o câncer quando o tumor ainda é bem pequeno. O câncer de mama pode apresentar diversos sintomas, mas pode também ser assintomático para muitas mulheres. É importante, portanto, que a mulher conheça bem o seu corpo e possa analisar com frequência qualquer alteração nas mamas e procurar o médico ao notar alguma anormalidade.

Possíveis sinais e sintomas:

- alterações no tamanho ou forma da mama;
- nódulo único e endurecido;
- vermelhidão, inchaço, calor ou dor na pele da mama, mesmo sem a presença de nódulo;
- nódulo ou caroço na mama, que está sempre presente e não diminui de tamanho;
- sensação de massa ou nódulo em uma das mamas;
- sensação de nódulo aumentado na axila;
- espessamento ou retração da pele ou do mamilo;
- secreção sanguinolenta ou aquosa nos mamilos;
- assimetria entre as duas mamas;
- presença de um sulco na mama, como se fosse um afundamento de uma parte da mama;
- endurecimento da pele da mama, semelhante a casca de laranja;
- coceira frequente na mama ou no mamilo;
- formação de crostas ou feridas na pele junto do mamilo;
- inversão do mamilo;
- inchaço do braço;
- dor na mama ou no mamilo.

Isolada ou simultânea- O aparecimento dessas anormalidades pode ocorrer de forma isolada ou simultânea. É importante lembrar que esses sinais nem sempre indicam a presença de um câncer, sendo necessário consultar um médico para ter o correto diagnóstico.

Tratamento - Existem diversos tipos de tratamento indicados para combater o câncer de mama. O plano terapêutico a ser adotado deverá ser definido pelo médico, mediante a análise de todos os exames realizados e pelos dados fornecidos pelo médico patologista, após a realização de biópsia. A paciente deve ser informada sobre as melhores possibilidades de tratamento existentes para o seu caso, mesmo aquelas que não estejam ao alcance da cobertura do plano de saúde ou que não sejam acessíveis gratuitamente via SUS. É direito da paciente questionar e discutir com o médico todas as opções.

Prevenção - O câncer de mama não é uma doença totalmente prevenível em função da multiplicidade de fatores relacionados ao seu surgimento e ao fato de que vários deles não são atitudes modificáveis. De modo geral, a prevenção baseia-se no controle dos fatores de risco e no estímulo aos fatores protetores, especificamente aqueles que podem ser mudados com a adoção de hábitos saudáveis:

Dicas de hábitos ideais para uma rotina saudável:

- alimente-se bem e não fique muito tempo sem comer, ou seja, prefira comer de três em três horas, em pequenas quantidades, sempre priorizando os alimentos naturais e evitando os alimentos industrializados;
- evite o excesso de gorduras e carboidratos simples, como açúcar adicionado aos alimentos, doces, sucos de caixinha ou saquinho, refrigerantes, pão branco, macarrão, sempre preferindo as opções integrais;
- procure ingerir proteínas de boa qualidade, principalmente frutas, legumes e verduras por serem fontes de vitaminas e minerais essenciais e ricas em fibras que ajudam na saciedade e no funcionamento adequado do intestino;
- pratique exercícios físicos durante a semana. O ideal são 150 minutos de atividades físicas moderadas ou 75 minutos de atividades vigorosas divididas pelos dias da semana;
- planeje o seu dia alimentar e tente segui-lo. 
(Com informações do Inca)

{vsig}2020/noticias/10/21/sistema_ocepar/{/vsig}

SICREDI VANGUARDA: Segunda edição do EnvolVidas terá Denise Fraga como palestrante

Estar próximo, mesmo distante! A Sicredi Vanguarda quer estar cada vez mais perto das mulheres e, nesse momento de pandemia, onde o ir e vir estão comprometidos, a cooperativa realizará, no mês de novembro, a segunda edição do EnvolVidas, dessa vez de uma maneira diferente, através de um encontro on-line. O evento contará com a participação da atriz e palestrante, Denise Fraga, com a palestra “Conexões humanas em tempos digitais”.

Adaptação - O atual momento trouxe uma nova forma de relacionamento, de estar perto das pessoas, mesmo sem estar junto. “Precisamos nos adaptar a uma nova realidade e, por isso, resolvemos fazer o evento de forma on-line. Dessa forma, queremos que mais mulheres participem desse encontro e se identifiquem com o cooperativismo de crédito e entendam a importância de manter um relacionamento humanizado mesmo através do contato digital”, enfatiza Aldo Dagostim, presidente da Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ.

Primeira edição - Na primeira edição, realizada em Medianeira em 2019, o evento reuniu 2.000 mulheres da região Oeste do Paraná em uma noite de muito conhecimento e troca de experiências, tendo arrecadado duas toneladas de alimentos. Este ano, a ideia é que mais mulheres participem e continuem cuidando de si, engajadas com a solidariedade, em especial no momento que vivemos, e doem um quilo de alimento não perecível na agência Sicredi mais próxima.

Inscrição - Para participar, é necessário confirmar a inscrição até o dia 4 de novembro, através do link abaixo ou pelo QR-Code. No encerramento do evento acontecerá o sorteio de iPhone para as mulheres que estiverem acompanhando a palestra.

Palestra “Conexões Humanas em Tempos Digitais” - Nesta palestra, Denise fala sobre algo muito precioso nos tempos digitais: a urgência da presença plena e da convivência, do exercício da escuta e empatia, do tete a tete, do movimento em direção ao outro, esse outro único, que nos diz quem realmente somos neste ciclone de desumanização.

Denise Fraga - Uma das mais talentosas atrizes brasileiras, Denise Fraga construiu uma carreira de imenso sucesso na TV, no teatro e no cinema. Ela apresentou um dos quadros de maior sucesso da história do programa Fantástico, da Rede Globo, o “Retrato Falado”, em que ela encenava histórias verídicas enviadas pelos telespectadores. Também participou de várias novelas e séries da emissora, atuou em mais de 20 filmes e é um dos nomes mais respeitados do teatro brasileiro. Seu talento já rendeu a ela quase 30 prêmios e troféus de melhor atriz (teatro, cinema e televisão). Como palestrante, ela associa seu carisma, sua presença de palco, seu senso de humor, a sensibilidade que já rendeu tantas crônicas e as muitas histórias que acumulou ao longo de sua carreira para refletir sobre nosso cotidiano e nossos valores – uma reflexão que certamente nos fará rir, pensar e nos emocionará.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,7 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Vanguarda PR/SP/RJ)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

EVENTO

Dia: 05/11/2020 (quinta-feira)

Horário: 20h

Local: YouTube e Facebook Sicredi Vanguarda

Inscrição: Via LINK ou QR-Code (https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfzDJIeEy6gzr-6dkoHoVTLajDxSuQIrjXVFwCI74IUwP8Q_A/viewform)

qr code

sicredi vanguarda 21 10 2002

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Concluídas as atividades da primeira turma de formação para microempreendedores

A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP concluiu a formação da turma piloto do programa Empreenda Sicredi – Conta com a Gente, voltado aos microempreendedores individuais. A primeira turma contou com a participação de 123 profissionais de oito cidades da área de atuação da cooperativa no Paraná: Palotina, Francisco Alves, Perobal, Cafezal do Sul, Xambrê, São Jorge do Patrocínio, Esperança Nova e Janiópolis.

Evento de encerramento - O evento de encerramento, realizado de maneira online, contou com as presenças do presidente da cooperativa, Jaime Basso, do diretor executivo, Moacir Niehues, do diretor de negócios, João Augusto da Rocha, do diretor de operações, Alisson Schach, do gerente de desenvolvimento do cooperativismo da Central PR/SP/RJ, André Assis, e de gerentes de agências e de negócios. Os participantes puderam assistir ainda uma palestra sobre empresas sustentáveis com Dario Neto, presidente do Instituto Capitalismo Consciente.

Diferença - De acordo com Jaime Basso, o conteúdo voltado aos microempreendedores pode realmente fazer a diferença para esses profissionais. “Gostaria de agradecer a Central PR/SP/RJ pela iniciativa com a realização dessa formação, a Aliança Empreendedora pela construção do programa, e a todos os envolvidos na conclusão dessa turma piloto. Especialmente, quero parabenizar os formandos que aceitaram o desafio de participar, pois sabemos o quanto é difícil destinar um tempo para capacitações devido a correria diária.”

Novos conceitos - Para Moacir Niehues, por meio do programa, os formandos poderão aplicar novos conceitos em seus empreendimentos. “Parabéns a todos por essa caminhada. Nós, como cooperativa, entendemos que é importante seguir nessa direção de levar conhecimento aos nossos associados. Isso contribui com o desenvolvimento da sociedade em que estamos inseridos.”

Capitalismo consciente - Já Dario Neto reforça que o capitalismo consciente tem tudo a ver com o cooperativismo. “Nós acreditamos que as microempresas serão as transformadoras da forma de fazer negócios no Brasil e, consequentemente, fazer o dinheiro girar. Apesar de termos grandes empresas no país, não serão esses sistemas que vão transformar as comunidades. Sabemos que o capitalismo consciente, esse novo jeito de fazer negócio, será realizado quando os microempresários entenderem que a melhor forma de se dar bem é fazendo o bem, com propósito. Independentemente do tamanho do comércio, é possível fazer negócio e gerar prosperidade para todos que estão próximos.”

Diferente - Associada da agência de São Jorge do Patrocínio (PR), Cladimara Casagrande Trink Nascimento afirma que sai diferente após o período das aulas e pronta para mudar o que precisa. “Se queremos crescer precisamos nos organizar. O nosso negócio depende de nós para prosperar e aprendi muito nesse curso.”

Suporte - Jorge Callegari Oliveira, de Esperança Nova (PR), também está entre os formandos e agradeceu o convite que recebeu do Sicredi. “A cooperativa sempre me deu todo o suporte necessário e me incentiva a crescer. Nas aulas, aprendemos como cuidar melhor do nosso negócio, a saber investir com consciência. Agora é trabalhar ainda mais para agregar valor e seguir tendo amor ao que fazemos.”

Conhecimento - Segundo a associada Maria Aparecida Calvi Zolim, de Francisco Alves (PR), o curso sanou muitas dúvidas. “O conhecimento foi dividido para que possamos crescer com propósito. O Sicredi nos dá a mão e caminha junto com os pequenos. A partir de agora, posso dizer que acredito mais em mim e no que eu faço.”

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, uma das 108 cooperativas do Sicredi, conta com 32 anos de história e mais de 159 mil associados. A área de atuação da cooperativa abrange 43 cidades no estado do Paraná e 8 cidades no estado de São Paulo, incluindo a capital paulista e cidades vizinhas do grande ABCD. São 88 espaços de atendimento, sendo 52 no Paraná e 36 em São Paulo (sicredi.com.br/vale-piquiri/).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,7 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

{vsig}2020/noticias/10/21/sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

CAPAL: Cooperativa participa da Ficafé 100% Digital com estande virtual

capal 21 10 2020A 13ª edição da Feira Internacional de Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná (Ficafé), no município de Jacarezinho, terá a presença da Capal, que apresenta seu estande virtual. O evento acontece entre os dias 20 e 22 de outubro, com uma série de apresentações on-line de especialistas.

Digital - Devido ao distanciamento social necessário para combater a propagação da Covid-19, a Ficafé, pela primeira vez, acontece de forma 100% digital, com a Capal marcando presença com ações voltadas à divulgação da comercialização de café, para terceiros e cooperados, além de apresentar aos cafeicultores os benefícios de fazer parte de uma cooperativa.

Produção - Na safra 2019/2020, os 273 associados produtores de café colheram 170 mil sacas, média de dez sacas a mais por hectare que no período passado. A cooperativa cultivou uma área de 4.270 hectares de café nesta safra, nos municípios de Carlópolis (PR), Taquarituba (SP) e Fartura (SP).

Site - O evento pode ser acompanhado no site www.ficafe.com.br, após realizar um rápido cadastro na página inicial.

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a Capal conta atualmente com mais de 3,2 mil associados, distribuídos em mais de 20 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 70% das operações da cooperativa, produzindo 730 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, milho, café e trigo. A área agrícola assistida chega a quase 150 mil hectares. O volume de leite negociado mensalmente é de 11 milhões de litros, proveniente de 360 produtores com uma média de produção de 2,5 mil litros por dia. Além disso, a cooperativa comercializa mais de 31 mil toneladas de suínos vivos. (Imprensa Capal)

 

COCARI: Live Vida em Equilíbrio tira dúvidas da comunidade sobre saúde da família

O período de pandemia tem nos exigido resistência física e psíquica, de modo que não é difícil encontrar pessoas ansiosas ou estressadas com as novas condições que foram se estabelecendo. Nesse sentido, é importante buscar ajuda e atuar em cooperação para superar esses desafios juntos. Durante o mês de outubro, em especial, há uma mobilização em torno dos cuidados com a saúde da mulher, na Campanha Outubro Rosa.

Live - Pensando nesses dois temas tão importantes, os Núcleos Femininos da Cocari, em parceria com a Unimed, organizaram a live Vida em Equilíbrio, uma roda de conversa mediada pela assessora de comunicação, Cláudia Carvalho, com os médicos Daniel Bolognese e Monia Lusia Felício, para debater as principais dúvidas e trazer as orientações essenciais na prevenção à Covid-19 e ao câncer de mama e de colo do útero.

Ao vivo - O evento foi realizado ao vivo nesta terça-feira (20/10) e a comunidade participou com perguntas enviadas pelas redes sociais da cooperativa sobre estes temas, além de concorrer a prêmios da Cocari. A transmissão alcançou mais de oito mil pessoas no Facebook e no Youtube. Diante do grande número de perguntas enviadas, o Informativo Cocari vai trazer, nos próximos dias, informações sobre esses temas com mais detalhes. A cooperativa agradece o envolvimento do público e demonstra sua satisfação em colocar em prática o interesse pelo bem-estar da comunidade, que integra os princípios que movem o nosso trabalho.

Link - O evento pode ser assistido pelo link: https://www.youtube.com/watch?v=Kqtm0PoKFjg. (Imprensa Cocari)

{vsig}2020/noticias/10/21/cocari/{/vsig}

SAFRA 2020: Suspensão de tarifa deve ter pouco impacto nos preços

safra 21 10 2020A suspensão temporária do imposto de importação para o complexo soja (grão, farelo e óleo) e milho pelo Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) deve ter "impacto muito pequeno" sobre os preços dos produtos e o custo dos compradores, na avaliação do gerente de desenvolvimento técnico da Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), Flávio Turra em entrevista concedida à Agência Estado. Ele argumenta que o consumo internacional de grãos aumentou neste ano, reduzindo estoques de países produtores. Além disso, o produto dos Estados Unidos, com maior potencial para abastecer a indústria consumidora brasileira, ainda chegaria ao Brasil mais caro do que a soja ou o milho nacional, segundo Turra.  "No mundo todo houve um aumento significativo do consumo de alimentos, e onde tinha oferta (de grãos e derivados), ela foi consumida e os estoques ficaram escassos", explica o gerente da Ocepar. Já é possível trazer soja e milho da Argentina e do Paraguai sem imposto (por fazerem parte do Mercosul), mas fora isso o principal fornecedor seriam os Estados Unidos, e não é viável trazer de lá por preço inferior ao nosso, de jeito nenhum", afirmou.

Câmbio - De acordo com Turra, hoje uma saca de soja norte-americana chegaria no interior do Paraná por cerca de R$ 175. Na última sexta-feira, o valor máximo oferecido por compradores era R$ 160, no mercado spot. "Por causa da taxa de câmbio atual (o dólar valorizado implica maior valor em reais para comprar produtos importados), tanto soja, milho ou farelo de soja trazidos de fora ficam mais caros que no mercado interno. Produtor não ficou muito preocupado, não vemos grandes impactos", comentou.  Turra avalia, em contrapartida, que a medida pode impor um teto aos preços os produtos no Brasil. "O agricultor vem testando um teto (para os valores da soja e do milho). A suspensão da tarifa vai estabelecer um limite", disse. Outra possibilidade é o dólar se depreciar em relação ao real, o que reduziria o valor de grãos e derivados importados na moeda brasileira.

Tradings - De imediato, quem mais necessita de abastecimento de soja no País não são tradings ou cooperativas, na avaliação do gerente da Ocepar, mas pequenas fábricas de ração, que não têm estoques para exportação, como tradings, ou acesso facilitado a produtores rurais, como cooperativas. "São elas que podem ter mais problemas e terão de recorrer ao produto importado. Mas imagino que, ainda assim, muito pouco volume será trazido de fora", disse à reportagem. Turra contou que, para contornar os patamares elevados de preços dos grãos no Brasil, algumas tradings vêm trocando posições, ou seja, enviando para compradores chineses produto norte-americano, no lugar do brasileiro, e revendendo no mercado interno a soja que havia sido comprada, inicialmente, para ser destinada à exportação. Com relação ao milho, Turra considera que a oferta interna deve ser suficiente para atender à demanda, sem descartar as dificuldades que integradoras, que fornecem ração para criadores de aves e suínos, vêm enfrentando para adquirir volumes por preços em alta constante. Apesar disso, ele diz que exportadores de carnes ainda estão conseguindo garantir margens de lucro. "Mesmo com o milho caro, a margem (de lucro) ainda compensa para exportar suínos e carne de frango", disse ele. (Agência Estado)

 

WEBINAR: Gestão de populações de javalis será tema de debate dia 22 de outubro

O Departamento de Saúde Animal (DSA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) vai promover um webinar sobre a gestão de populações de javalis. O evento, que conta com o apoio da Faep, será realizado nos dias 22 e 29 de outubro, às 10 horas, com apresentações de especialistas do Brasil, Espanha, Uruguai e Alemanha. O objetivo é tratar a invasão e disseminação destes animais e mitigar o risco de contato entre os asselvajados e os domésticos/comerciais.

Desafios e perspectivas - No dia 22 de outubro, a programação reúne apresentações sobre desafios e perspectivas do manejo populacional do javali no Brasil com o zootecnista e coordenador geral de Gestão da Biodiversidade, Florestas e Recuperação Ambiental no Ibama, Rodrigo Dutra; com o engenheiro agrônomo e diretor geral da Fundação Artemisan da Espanha, Luis Fernando Villanueva; e com o médico veterinário e representante da proJAB e Associação de Controladores de Javalis de Artigas (ACJA) e do Uruguai, Martin Altuna.

Gestão do manejo - No dia 29 de outubro, o tema será a gestão do manejo do javali frente a crises sanitárias, como estrutura, governança e responsabilidades compartilhadas. A programação inclui a gestão do javali frente a crises sanitárias na Espanha, com o médico veterinário e chefe do serviço de área de epidemiologia do Ministério da Agricultura, Alimentação e Ambiente (Mapama), German Caceres; gestão do javali antes e durante o foco de Peste Suína Africana (PSA) na Alemanha, com o médico veterinário e chefe do grupo de trabalho One Health and Development Cooperation, Klaas Dietze, e vigilância para Peste Suína Clássica (PSC) em javalis no Brasil, com a médica veterinária e pesquisadora em sanidade animal na Embrapa Suínos e Aves, Virgínia Santiago.

Público - O webinar é destinado a toda cadeia produtiva de suínos, produtores rurais em geral, profissionais do meio ambiente, controladores, estudantes, pesquisadores e serviço veterinário oficial. As inscrições devem ser realizadas no link: http://bit.ly/ABCS-11.

webinar 21 10 2020

ECONOMIA: Brasil e banco americano assinam acordo de US$ 1 bi em investimentos

economia 21 10 2020O Banco de Exportação e Importação dos Estados Unidos (EximBank) e o governo brasileiro assinaram nesta terça-feira (20/10) um acordo para investimentos de até US$ 1 bilhão (R$ 5,6 bilhões) no Brasil.

Opções - O Exim e o Ministério da Economia concordam em identificar opções para usar o financiamento do banco americano nas áreas de telecomunicações (incluindo tecnologia 5G, a próxima geração de rede de internet móvel), energia (incluindo nuclear, petróleo e gás e renováveis), infraestrutura, logística, mineração e manufatura (incluindo aeronaves), de acordo com informações da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil.

Horizontes - Na cerimônia de assinatura do memorando, no Itamaraty, em Brasília, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o Brasil está abrindo os horizontes de investimentos. “Fizemos um acordo com o Mercosul, que estava parado há oito anos, com a União Europeia, parado há 20 anos, fizemos um acordo com a Área de Livre Comércio Europeia. Começamos negociações com Japão, Coreia do Sul, Canadá e chegamos a um grande acordo com os americanos para facilitar o comércio, convergência de marcos regulatórios e anticorrupção”, disse Guedes.

Momento exato - Ele acrescentou que o acordo com o Exim “vem no momento exato” em que os horizontes de investimentos em infraestrutura, logística, cabotagem, mineração, petróleo e gás natural estão sendo “desbloqueados”. “O Congresso está aprovando passo a passo cada uma dessas regras de modernização do marco de investimentos e estamos trabalhando com os americanos nos organismos internacionais”, ressaltou.

OCDE - Também presente na cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre a satisfação em receber a comitiva do embaixador Robert O’Brien, conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, e agradeceu o apoio do presidente Donald Trump para a adesão do Brasil à Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Integrantes - A OCDE reúne os países mais industrializados do mundo e estabelece parâmetros conjuntos de regras econômicas e legislativas para os seus membros. Atualmente, o grupo conta com 36 países-membros, a maioria da Europa.

América Latina - Da América Latina, apenas o Chile e o México estão no grupo. Para ingressar como membro, o Brasil deve cumprir uma série de requisitos, em um processo que leve, em média, três anos.

Posse - Bolsonaro disse ainda que espera comparecer à posse para o segundo mandato de Trump, caso ele seja reeleito, nas eleições que acontecem em novembro nos Estados Unidos. “Não interfiro, mas do coração e pelo respeito que tenho ao povo americano e pelo trabalho e consideração que Trump teve para conosco, [é] que manifesto dessa forma nesse momento”, disse o presidente. (Agência Brasil)

 

FGV: Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos

O Índice de Confiança da Indústria brasileira teve uma alta de 4 pontos na prévia de outubro, na comparação com o número consolidado de setembro. Com isso, o indicador chegou a 110,7 pontos, o maior patamar desde abril de 2011 (111,6 pontos), segundo informou nesta quarta-feira (21/10), no Rio de Janeiro, a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Alta - A alta de setembro para a prévia de outubro foi puxada principalmente pelo Índice da Situação Atual, que mede a confiança do empresário em relação ao presente e que subiu 5,9 pontos, chegando a 113,2 pontos.

Expectativas - O Índice de Expectativas, que mede a percepção dos empresários sobre o futuro, cresceu 2,2 pontos e atingiu 108,1 pontos.

Capacidade Ociosa - O Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria (Nuci) subiu 1,7 ponto percentual e chegou a 79,9%, o maior desde novembro de 2014 (80,3%). O resultado consolidado de outubro será divulgado pela FGV em 28 de outubro. (Agência Brasil)

INFRAESTRUTURA: Ministério inicia fusão de estatais

infraestrutura 21 10 2020O Ministério da Infraestrutura iniciou o processo de unificação de duas empresas estatais com sobreposição de finalidades: a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) - que realiza estudos técnicos para concessões de transportes - e a Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S/A - responsável pelas ferrovias brasileiras. O anúncio foi feito na segunda-feira (19/10). Ambas terão funcionários e atribuições incorporados à nova empresa, que será chamada Infra S.A.

Redução de custos - “A implantação da Infra S.A., que vai incorporar a Valec e a EPL, fará o Minfra deixar de ter duas empresas dependentes do Tesouro Nacional e que apresentam prejuízo acumulado para o surgimento de uma nova, que vai reduzir custos de funcionamento, ser autossuficiente e competitiva, aumentar a produtividade e ampliar a eficiência na estruturação de projetos de infraestrutura, sempre pensando a logística de transportes, estruturando o futuro, sem qualquer descontinuidade ao que está em andamento atualmente”, informou Marcelo Sampaio, secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura.

Plano de fusão - O plano de fusão das estatais deverá ser apresentado no prazo de 90 dias e a previsão é que todo o processo seja concluído em 270 dias. Durante o prazo inicial, consultores apresentarão os resultados do modelo de funcionamento da Infra S.A., com padrões para a governança do projeto e o alinhamento estratégico com os principais executivos das empresas.

Avaliações trimestrais - Segundo a pasta, avaliações trimestrais serão feitas para acompanhar o desenvolvimento e a performance da nova estatal. A empresa responsável pela unificação, a Consultoria Falconi, prevê uma empresa mais enxuta com os cortes de gastos administrativos, e mais ágil, com investimentos em conhecimentos gerenciais e técnicos para os funcionários. A projeção também cita ganhos de eficiência e aumento de produtividade para a Infra S.A.

Primeira investida - A criação da Infra S.A. é a primeira investida do governo federal em fusão de estatais. (Agência Brasil)

FOTO: Kleber Lima / Ministério da Infraestrutura

 

PARANÁ: Agências do Trabalhador empregam 40 mil pessoas durante a pandemia

parana 21 10 2020As Agências do Trabalhador do Paraná colocaram no mercado de trabalho 39.666 pessoas no período de março a setembro deste ano, em plena pandemia do novo coronavírus, segundo dados da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho.

Positivo - O resultado é considerado positivo, embora menor que o do mesmo período do ano passado, quando ocorreram 61 mil intermediações. “O balanço é muito positivo porque abrange meses em que a retração da economia foi muito contundente, com drástica queda nas atividades das empresas e na oferta de emprego”, afirma o secretário Ney Leprevost.

Suspensão do atendimento - Ele lembra que, além da retração na oferta de empregos, as agências do trabalhador chegaram a suspender o atendimento por um período, em obediência a medidas voltadas ao controle da epidemia, determinadas por autoridades de saúde. “Mas houve uma reação rápida e logo as agências se adaptaram”, informa Leprevost.

Mudanças - O secretário destaca que as unidades passaram a trabalhar com horário agendado, atendimento digital e até um chat criado para dar suporte a empresários e trabalhadores que tiveram dificuldade em concluir oferta e busca de empregos por meio de ferramentas digitais. “Essas medidas possibilitaram retomar a intermediação de vagas e o encaminhamento do trabalhador para um novo emprego”, diz Leprevost.

Profissionais - Ele também destaca o trabalho proativo feito pelos profissionais que atuam nas agências do trabalhador. “Estamos atuando para diminuir a crise no Paraná e fazer com que mais pessoas possam estar qualificadas para conseguir um emprego e assim gerar mais renda para as famílias”, afirma Leprevost.

Melhor - A economista Suelen Glinski, da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, explica que o resultado do Paraná no período de março a setembro é um dos melhores do Brasil, à frente de estados com economia de porte semelhante, como Santa Catarina.

Referência - “O Paraná é uma referência nacional nesta área, com os maiores números de captação de vagas e intermediação de empregos. Essa estrutura é fundamental na retomada do mercado de trabalho”, afirma. Suelen destaca que o Estado possui 216 Agências do Trabalhador e é a maior rede do Sistema nacional de Empregos (Sine).  

Cidades - As 10 cidades que mais colocaram trabalhadores com carteira assinada de março a setembro foram Curitiba, com 2.743 trabalhadores; seguida de Umuarama, no Noroeste, com 1.428 trabalhadores; Cascavel (Oeste), com 1.394 colocados; Rolândia (Norte) com 1.327; Marechal Cândido Rondon (Oeste) com 997; Medianeira (Oeste) com 940; Francisco Beltrão (Sudoeste) com 910; Mandaguari (Noroeste) com 721; Dois Vizinhos (Sudoeste) com 710 e Pato Branco, também no Sudoeste, com 595 colocados no mercado de trabalho.

Novas vagas na semana - A semana se inicia com 2.579 oportunidades de emprego disponíveis pelas Agências do Trabalhador. Só em Curitiba e Região Metropolitana são 1.427 vagas. “Damos início a mais uma semana com diversas oportunidades de emprego. Por conta da pandemia, orientamos que os atendimentos presenciais nas Agências do Trabalhador só aconteçam mediante o agendamento”, alerta Leprevost. O site para agendamento é o www.justica.pr.gov.br/trabalho.

Ocupações - As ocupações com maior número de vagas disponíveis no Estado são: auxiliar de linha de produção (1.608 vagas); ajudante de eletricista (96) e auxiliar administrativo (75). Já em Curitiba e Região Metropolitana o maior número de vagas disponíveis é para operador de telemarketing ativo (240); Operador de telemarketing ativo e receptivo (195) e auxiliar de linha de produção (73 vagas).

Funcionamento - Os horários de funcionamento dos postos de atendimento do Sistema Nacional de Emprego (Sine) nos municípios seguem as determinações das administrações municipais. Em Curitiba, a Agência do Trabalhador Central - administrada pelo Governo do Estado - segue com o horário de funcionamento normal das 13h às 17h.

Sine fácil- Os trabalhadores também têm a opção de buscar vagas cadastradas pelo aplicativo Sine Fácil (disponível gratuitamente para celulares Androide e iOS), ou pelo site www.mpregabrasil.mte.gov.br.

Chat - Empresários e trabalhadores de todo o Paraná que procuram ou ofertam vagas e que estiverem com dificuldade de finalizar o atendimento nas ferramentas digitais, tais como Portal Emprega Brasil, e aplicativos da Carteira de Trabalho Digital, Sine fácil e Paraná Serviços, podem receber o suporte técnico por meio do Chat do Trabalhador, no site da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho. Para acessar o chat, basta entrar no link: www.justica.pr.gov.br/trabalho. (Agência de Notícias do Paraná)

 

ANPD: Senado confirma primeira diretoria da Autoridade Nacional de Proteção de Dados

anpd 21 10 2020O Plenário do Senado aprovou, nesta terça-feira (20/10), os nomes indicados pelo governo para compor a primeira diretoria da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). Antes de chegarem ao Plenário, as indicações já tinham sido aprovadas na Comissão de Infraestrutura do Senado (CI) na segunda-feira (19/10).

Atribuição - Criada pela Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD - Lei 13.709, de 2018), a ANPD tem a atribuição de zelar pela proteção dos dados pessoais, assegurar a observância de segredos comerciais e industriais e punir eventuais descumprimentos à legislação. O mandato dos membros da diretoria tem duração de quatro anos, mas, nessa primeira composição, os diretores terão mandatos variáveis, de dois a seis anos.

Presidente - O nome de Waldemar Gonçalves Ortunho Junior (MSF 72/2020) foi aprovado para o cargo de diretor-presidente do conselho diretor da ANPD, com 39 votos a favor e cinco contrários, além de uma abstenção. Ele é engenheiro eletrônico graduado pelo Instituto Militar de Engenharia, com pós-graduação em engenharia elétrica pela Universidade de Brasília e em pedagogia pela Universidade de Quito. Com 40 anos de experiência na área de tecnologia da informação, Waldemar Junior é oficial do Exército formado pela Academia Militar das Agulhas Negras. É o atual presidente da Telebras (Telecomunicações Brasileiras S.A.), cargo que ocupa desde janeiro de 2019.

Mudanças - Em sua exposição durante a sabatina na Comissão de Infraestrutura, Waldemar Junior frisou que a regulamentação da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, um dos objetos da atuação da ANPD, precisa acompanhar as mudanças deste século e o uso da internet para que o Brasil não fique para trás na corrida da inovação. Ele ainda frisou que a gestão da agência deve ocorrer de forma a não interromper “o uso dos dados, mas garantir que sejam compartilhados com responsabilidade”. Seu mandato na ANPD será de seis anos.

Conselho - Além da indicação de Waldemar Gonçalves Ortunho Junior, outros quatro nomes foram confirmados no Plenário do Senado para compor o conselho diretor da ANPD.

Sabbat - Arthur Pereira Sabbat (MSF 73/2020) recebeu 47 votos favoráveis e cinco contrários. Formado em Comunicações pela Academia Militar das Agulhas Negras e em Administração de Empresas pelo Centro Universitário de Brasília, Sabbat terá mandato de cinco anos na ANPD. Ele atua desde 2018 no Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República.

Wimmer - A advogada Miriam Wimmer (MSF 74/2020) também teve seu nome confirmado para a diretoria da ANPD, com 46 votos a favor e cinco contra. Ela é brasileira nata, nascida em Londres, Inglaterra. Com especialização e mestrado em Direito Público e doutorado em Comunicação, Miriam é servidora da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) desde 2006, atuou no Comitê Gestor da Internet brasileira (CGI.br) e atualmente é diretora de Políticas para Telecomunicações e Acompanhamento Regulatório no Ministério das Comunicações. Seu mandato como diretora será de dois anos.

Rabelo - Com 38 votos a favor e três contrários, além de uma abstenção, Nairane Farias Rabelo Leitão (MSF 75/2020) foi confirmada para um mandato de três anos na ANPD. Graduada em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco, ela tem especialização em Direito Tributário, Privacidade e Proteção de Dados. Na sabatina na Comissão de Infraestrutura, ela disse que pretende desempenhar o mandato na ANPD com “ética e comprometimento”.

Rael - Os senadores também confirmaram o nome de Joacil Basilio Rael (MSF 76/2020) para um mandato de quatro anos na ANPD. Ele recebeu 38 votos favoráveis e cinco contrários, além de uma abstenção. Graduado em Artilharia pela Academia Militar das Agulhas Negras e em Engenharia de Computação pelo Instituto Militar de Engenharia, Rael tem mestrado em Sistemas da Computação pelo Instituto Militar de Engenharia e doutorado em Ciências da Computação pela Universidade de Brasília. Atualmente, ele atua como encarregado da proteção de dados na Telecomunicações Brasileiras S.A. (Telebras).

Semipresencial - A sessão para apreciação das autoridades foi realizada de forma semipresencial, com parte dos senadores presentes no Plenário e outra parte participando de forma remota. As votações, realizadas no prédio do Senado, puderam ser feitas em totens especialmente criados para isso, colocados em locais estratégicos — visando evitar aglomerações. A ideia era seguir as recomendações de distanciamento, como forma de evitar o contágio e a propagação da covid-19, e viabilizar a votação secreta de autoridades, conforme previsão constitucional. (Agência Senado)

FOTO: Edilson Rodrigues / Agência Senado

 

PERT: Programa Especial de Regularização Tributária pode reabrir prazo de adesão

pert 21 10 2020O prazo para adesão ao Programa Especial de Regularização Tributária (Pert) da Receita Federal e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional poderá ser reaberto e realizado até o dia 31 de dezembro de 2020. É o que prevê o PL 4.728/2020, de autoria do senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que está pronto para ser votado no Plenário do Senado Federal.

O programa - O Pert permite o parcelamento com descontos de dívidas com a União, e ajusta os seus prazos de pagamento. O programa abrange os débitos de natureza tributária e não tributária, vencidas até 31 de agosto de 2020. Podem aderir pessoas físicas ou empresas, de direito público ou privado, inclusive as que se encontrarem em recuperação judicial.

Pandemia - De acordo com a justificativa da proposta, a pandemia causada pelo novo coronavírus agravou e consolidou a crise econômica iniciada em 2015 e comprometeu ainda mais a capacidade de as pessoas jurídicas pagarem os tributos devidos à Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil e à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

Medidas - O senador Rodrigo Pacheco argumenta que diante desse cenário, o Congresso Nacional aprovou diversas medidas econômicas para garantir a sobrevivência da população, das empresas e dos empregos. “Ocorre que o impacto fiscal dessas medidas é de grande monta e é nosso dever, igualmente, procurar soluções que aumentem a arrecadação de modo a equilibrar as perspectivas orçamentárias. Assim, devemos retomar as medidas de crescimento econômico”, explica o senador.

Benefícios - Em relação aos benefícios do parcelamento original, contidos na Lei 13.496, de 2017, “as únicas alterações substanciais introduzidas estão na possibilidade de redução em 100% das multas de mora (no programa original, a redução era de 70%) e dos juros de mora, nos casos de pagamento em parcela única, e na redução do percentual mínimo de entrada para 5%”, informa o autor da proposta.

Incentivo - “Acreditamos que o programa ora proposto terá como consequência incentivar o pagamento de débitos tributários e não tributários, cuja credora é a União, gerando um pico de liquidez nos próximos anos. Assim, entendemos que o programa amplia a perspectiva de arrecadação no futuro próximo, o que será de absoluta necessidade para que o Brasil possa retomar o crescimento econômico o mais rápido possível”, reforça o senador Rodrigo Pacheco.

Sem data - Ainda não há data para inclusão do PL 4.728/2020 na pauta da Ordem do Dia do Plenário do Senado Federal. (Agência Senado)

FOTO: Pillar Pedreira / Agência Senado

 

CÂMARA: Auxílio emergencial e disputa pelo Orçamento adiam votações

camara 21 10 2020Com apenas 207 deputados com presença registrada no painel eletrônico, o Plenário da Câmara dos Deputados teve de encerrar a Ordem do Dia e adiar a votação de projetos marcados para esta terça-feira. A próxima sessão deliberativa foi marcada para a próxima terça-feira (27/10).

Presença - Registraram sua presença no painel eletrônico apenas 207 deputados até as 14h25, quando o deputado Luis Miranda (DEM-DF), na presidência dos trabalhos, declarou o cancelamento das votações.

Obstrução - A votação está sendo obstruída por partidos de oposição e da base aliada. PT, PDT, PSB, PCdoB, Psol e Rede anunciaram obstrução até que seja pautada a Medida Provisória 1000/20, com o objetivo de aumentar o valor das últimas parcelas do auxílio emergencial de R$ 300 para R$ 600.

Orçamento - Já Avante, PL, PP e PSD estão em obstrução por causa de disputas na instalação da Comissão Mista de Orçamento e da sucessão da Presidência da Câmara, que ocorrerá em fevereiro do ano que vem.

Apelo - No fim de semana, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, apelou aos líderes partidários para que deixem de lado as disputas e retomem a agenda de votações. Durante a sessão, o deputado General Girão (PSL-RN) lamentou a obstrução e disse ter vergonha pelo fato de a Câmara estar há quase um mês sem votar propostas. "Não é possível que a Casa fique paralisada em função de interesses individuais e partidários, que não podem chegar a um consenso", reclamou. "Vamos completar quase um mês sem nenhuma sessão plenária, sem nenhuma votação."

Auxílio emergencial - "Enquanto não se pautar a MP 1000, seguiremos em obstrução", explicou a líder do Psol, deputada Sâmia Bomfim (Psol-SP). "Não há nada mais importante neste momento do que corrigir esta injustiça. As famílias brasileiras não conseguem colocar comida na mesa e pagar as contas. O 'Orçamento de Guerra' foi aprovado pela Câmara até o fim do ano."

Cobrança - A vice-líder da Minoria Jandira Feghali (PCdoB-RJ), cobrou dos partidos da base do governo explicações sobre os motivos de entrarem em obstrução. "Que fique claro quais são os acordos não resolvidos. Certamente não é por conta da MP 1000."

Falta de debate - Jandira Feghali também lamentou a falta de debate sobre o Orçamento de 2021. "Está retirando dinheiro do SUS, da educação, da ciência e tecnologia. O teto de gastos impede que o recurso vá aonde precisa."

Controle de gastos - O vice-líder do bloco PL-PP-PSD-Solidariedade-Avante Marcelo Ramos (PL-AM) alertou para o aumento da dívida pública caso seja elevado o valor do auxílio emergencial, com "graves consequências no médio e longo prazo". "A retomada de investimento público deve estar limitada pela responsabilidade fiscal", apontou.

Populismo - "O Brasil já assistiu isso num passado recente. Todo populismo fiscal tem consequências graves. Dá um suspiro de crescimento e de diminuição de desigualdades, mas depois leva o povo para um sofrimento ainda maior, para uma crise ainda maior e para uma desigualdade ainda maior", disse o deputado.

Capacidade de diálogo - Marcelo Ramos também lamentou a obstrução de deputados da base aliada. "Eu espero que os líderes tenham capacidade de diálogo, superem esta crise decorrente da falta de definição da Comissão Mista de Orçamento e cheguem a um acordo. O Brasil não pode ficar paralisado porque os líderes da Câmara resolveram disputar esse espaço."

Microempresas - Na pauta estavam duas medidas provisórias que perdem a validade a partir de 11 de novembro. A primeira delas é a MP 992/20, que cria um incentivo contábil para estimular bancos a emprestarem dinheiro para capital de giro a micro, pequenas e médias empresas cuja receita bruta tenha sido de até R$ 300 milhões em 2019.

Crédito presumido - O incentivo dado aos bancos será na forma de um crédito presumido a ser apurado de 2021 a 2025 em igual valor ao total emprestado às empresas. Entretanto, os empréstimos deverão ser contratados até 31 de dezembro de 2020.

Beneficiados - De acordo com o parecer preliminar do deputado Glaustin da Fokus (PSC-GO), os empréstimos poderão ser feitos também para microempreendedores individuais (MEI), produtores rurais, profissionais liberais, empresas individuais de responsabilidade limitada (Ltda), sociedades empresárias e sociedades simples, incluídas as sociedades cooperativas, exceto as de crédito.

Incra - A segunda MP em pauta é a 993/20, que autoriza o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) a prorrogar, até 28 de julho de 2023, 27 contratos de pessoal por tempo determinado para atender as necessidades do órgão. A extensão de prazo é aplicável aos contratos firmados a partir de 2 de julho de 2014 e vigentes até agora.

Navegação de cabotagem - Também em pauta o Projeto de Lei 4199/20, do Poder Executivo, que libera progressivamente o uso de navios estrangeiros na navegação de cabotagem (entre portos nacionais) sem a obrigação de contratar a construção de embarcações em estaleiros brasileiros.

Afretamento - De acordo com o texto, a partir de 2021 as empresas poderão afretar duas embarcações a casco nu, ou seja, alugar um navio vazio para uso. Em 2022, poderão ser três navios e, a partir de 2023, a quantidade será livre, observadas condições de segurança definidas em regulamento.

Eleição - Ainda na sessão da próxima terça-feira, poderão ser eleitos, a partir de indicações da Câmara dos Deputados, um membro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e um membro do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). A sessão está marcada para as 13h55. (Agência Câmara de Notícias)

Confira a pauta completa

FOTO: Maryanna Oliveira / Câmara dos Deputados

 

ALEP: Definidos o presidente e o relator da comissão especial que vai analisar os projetos das taxas de cartório

alep 21 10 2020Comandada pelo presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano (PSDB), uma reunião, na tarde desta terça-feira (20/10), promoveu a instalação da Comissão Especial que vai analisar os projetos do Poder Judiciário que alteram e atualizam as tabelas de custas dos cartórios.

Integrantes - Durante o encontro, foi definido o deputado Anibelli Neto (MDB) como presidente, o deputado Paulo Litro (PSDB) como vice-presidente, e o deputado Tadeu Veneri (PT) como relator dos trabalhos. Também fazem parte da Comissão os deputados Do Carmo (PSL), Hussein Bakri (PSD), Alexandre Curi (PSB), e Galo (PODE).

Próximas reuniões - Ficou definido que nas próximas reuniões serão ouvidos representantes da OAB-PR e da Anoreg, que representa o setor do foro extrajudicial, e também de outras instituições que desejarem participar deste debate.

Convite - “Vamos fazer o convite para que essas instituições possam vir à Assembleia, ou remotamente, para escutar os argumentos para que, em conjunto com o relator deputado Veneri, possamos avançar no relatório e em vários aspectos que possam ser discutidos, para que o mais rápido possível possamos ter um relatório para ser apreciado pelo plenário, que é soberano e que define o que deve ser feito. Contamos com a ajuda de todos os parlamentares da Comissão”, disse Anibelli Neto.

Projetos - Os projetos de lei 886/2019, 887/2019, 888/2019, 889/2019 e 891/2019 tratam de alterações nas tabelas de custas de atos de tabeliães; de registro civil das pessoas naturais; de registro de imóveis; e de registro de títulos e documentos, e civil das pessoas jurídicas; e do reajuste do Valor de Referência de Custas (VRCEXT) e a alteração das Tabelas do Regimento de Custas estabelecidos na mesma Lei Estadual 6.149/1970.

Primeira discussão - Os projetos foram aprovados na Assembleia Legislativa em primeira discussão, quando é analisada a constitucionalidade. Durante a votação em segundo turno, foram apresentadas emendas aos textos, resultando na criação da Comissão Especial para uma análise mais profunda sobre essas alterações propostas. (Assessoria de Comunicação da Alep)

FOTO: Dálie Felberg / Alep

 

SAÚDE I: Brasil tem 154 mil mortes e 5,27 milhões de casos acumulados

O Brasil chegou a 154.837 óbitos para a covid-19 de acordo com o balanço do Ministério da Saúde divulgado na noite desta terça-feira (20/10). Em 24 horas, foram registrados 661 novos óbitos. Na segunda-feira (19/10), a contabilidade das autoridades de saúde marcava 154.176 mortes por causa da covid-19. Ainda há 2.419 falecimentos em investigação.

Acumulado - O número de casos desde o início da pandemia do novo coronavírus atingiu 5.273.954. Entre segunda e terça-feira, as secretarias estaduais de saúde acresceram às estatísticas 23.227 novos diagnósticos positivos. Até segunda-feira, o sistema do Ministério da Saúde trazia 5.250.727 casos acumulados da doença.

Acompanhamento - Atualmente há 397.524 pacientes em acompanhamento. De acordo com o Ministério da Saúde, 4.721.593 pessoas já se recuperaram da doença.

SP soma mais de 1,068 milhão de casos de coronavírus - Com 211 novas mortes e 4.923 novos casos confirmados, em 24 horas, o estado de São Paulo soma, neste momento, 38.246 mortes e 1.068.962 casos do novo coronavírus. Entre os casos diagnosticados, 959.087 pessoas já estão recuperadas da doença.

Internados - O estado tem, neste momento, 7.296 pessoas internadas em casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus. Desse total, 3.196 pessoas estão internadas em estado grave. A taxa de ocupação de leitos de unidades de terapia intensiva (UTI) é de 40,7% no estado e de 40,5% na Grande São Paulo.

Todos os municípios - Todos os 645 municípios do estado paulista registram ao menos um caso de coronavírus e, em 584 deles, houve o registro de ao menos uma morte.

Covid-19 em outros estados - Após São Paulo, Rio de Janeiro é o estado com mais óbitos por covid-19, já são 19.836. Em seguida estão Ceará (9.218), Pernambuco (8.505) e Minas Gerais (8.483). O resultado de Minas Gerais aproximou o estado de Pernambuco e abre a possibilidade de se tornar o quarto maior em número de mortes no país nas próximas semanas. As Unidades da Federação com menos casos são Acre (682), Roraima (686), Amapá (734), Tocantins (1.055) e Mato Grosso do Sul (1.512). (Agência Brasil)

 

saude I tabela 21 10 2020

SAÚDE II: Boletim registra 1.230 novos casos de coronavírus e 62 óbitos

saude II 21 10 2020A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (20/10) mais 1.230 casos confirmados e 62 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 199.785 casos e 4.951 mortes em decorrência da doença. Há ajuste de casos confirmados detalhados ao final do texto.

Internados - Nesta terça-feira eram 715 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19: 587 em leitos SUS (271 em UTI e 316 em leitos clínicos/enfermaria) e 128 em leitos da rede particular (39 em UTI e 89 em leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 871 pacientes internados, 395 em leitos UTI e 476 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 62 pacientes. Todos estavam internados. São 24 mulheres e 38 homens, com idades que variam de 34 a 94 anos. Os óbitos ocorreram entre 28 de junho e 19 de outubro.

Residência - Os pacientes que faleceram residiam em Londrina (9), Maringá (5), Piraquara (5), São José dos Pinhais (5), Cascavel (3), Colombo (3), Ponta Grossa (3), Campo Largo (2), Curitiba (2), Ibiporã (2) Marechal Cândido Rondon (2) e Pinhais (2). O informe confirma ainda um óbito em cada um dos seguintes municípios: Arapongas, Assaí, Cambé, Fazenda Rio Grande, Guarapuava, Ibaiti, Japira, Jataizinho, Joaquim Távora, Lapa, Marialva, Mariluz, Nova Aurora, Paranaguá, Porecatu, Quatro Barras, São Pedro do Iguaçu, Tijucas do Sul e Tuneiras do Oeste.

Fora do Paraná- O monitoramento registra 2.092 casos de pessoas que não moram no Estado – 48 foram a óbito.

Ajustes - Um caso confirmado no dia 28/07 em Curitiba foi transferido para São José dos Pinhais.

Exclusões - Um caso confirmado no dia 19/09 em Cambará foi excluído por duplicidade de notificação.

Quatro casos confirmados nos dias 09/09 (1), 300/9, 01/10 (1) e 06/10 (1) em Cascavel foram excluídos por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 05/09 em Chopinzinho foi excluído por duplicidade de notificação.

Dois casos confirmados nos dias 30/07 e 17/09 em Colombo foram excluídos por duplicidade de notificação.

Dois casos confirmados nos dias 04/09 e 06/10 em Curitiba foram excluídos por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 10/09 em Fazenda Rio Grande foi excluído por duplicidade de notificação.

Dois casos confirmados nos dias 04/09 e 19/09 em Foz do Iguaçu foram excluídos por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 31/08 em Francisco Beltrão foi excluído por duplicidade de notificação.

Três casos confirmados nos dias 25/09 (1), 29/09 (1) e 02/10 (1) em Itapejara d'Oeste foram excluídos por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 21/08 em Paranaguá foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 22/09 em Pérola foi excluído por duplicidade de notificação.

Quatro casos confirmados nos dias 21/09 (1), 22/09 (1) 30/09 (1) e 02/10 (1) em São Jorge d'Oeste foram excluídos por duplicidade de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo.

 

SAÚDE III: Brasil anuncia que vai comprar 46 milhões de doses da CoronaVac

saude III 21 10 2020Após reunião virtual com governadores na tarde desta terça-feira (20/10), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, assinou um protocolo de intenções para adquirir 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, que está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Ampliação - Segundo o Ministério da Saúde, esta ação é mais um passo na estratégia de ampliar a oferta de vacinação para os brasileiros. O ministério já tinha acordo com a AstraZeneca/Oxford, que previa 100 milhões de doses da vacina, e outro acordo com a iniciativa Covax, da Organização Mundial da Saúde, com mais 40 milhões de doses.

Soma - Somadas, as três vacinas – AstraZeneca, Covax e Butantan-Sinovac - representam 186 milhões de doses, a serem disponibilizadas ainda no primeiro semestre de 2021.

Distribuição - Segundo o ministro, as doses serão distribuídas em todo o Brasil por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI). “Temos a expertise de todos os processos que envolvem esta logística, conquistada ao longo de 47 anos de PNI. As vacinas vão chegar aos brasileiros de todos os estados”, disse Pazuello.

O acordo- Para o protocolo de intenções de compra de doses da CoronaVac, uma nova medida provisória será editada para disponibilizar crédito orçamentário de R$ 1,9 bilhão. O Ministério da Saúde já havia anunciado, também, o investimento de R$ 80 milhões para ampliação da estrutura do Butantan – o que auxiliará na produção da vacina.

Anvisa - Segundo o Ministério, o processo de aquisição ocorrerá após o imunizante ser aprovado e obter o registro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Produção local- Além destas doses iniciais, a partir de abril, a Fiocruz deve começar a produção própria da AstraZeneca e disponibilizar ao país até 165 milhões de doses durante o segundo semestre de 2021. O acordo do Instituto Butantan com a Sinovac também prevê a transferência de tecnologia e, com isso, o Butantan deve passar a produzir 100 milhões de doses por ano com sua nova fábrica.

Expectativa - A expectativa do Ministério da Saúde é que a vacinação possa ser iniciada em janeiro do próximo ano. Mas alerta que isso vai depender dos resultados da Fase 3 das vacinas, que testa eficácia, e de liberação da Anvisa.

Primeiro grupo - Segundo o ministério, o primeiro grupo a ser imunizado serão os profissionais da saúde e pessoas do grupo de risco para a covid-19 (a doença provocada pelo novo coronavírus). A vacinação, segundo o órgão, não será obrigatória.

Testes - A CoronaVac já está na Fase 3 de testes em humanos. Ao todo, os testes com a CoronaVac – que tiveram início no Brasil em julho – serão realizados em 13 mil voluntários.

Produção - Caso a última etapa de testes comprove a eficácia da vacina, ou seja, comprove que ela realmente protege contra o novo coronavírus, o acordo entre a Sinovac e o Butantan prevê a transferência de tecnologia para produção do imunizante no Brasil. A CoronaVac prevê a administração de duas doses por pessoa.

Segura - Na segunda-feira (19/10), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, anunciou que a CoronaVac é uma vacina segura, ou seja, ela não apresenta efeitos colaterais graves. Ele também disse que os resultados de eficácia ainda não foram finalizados, mas que ele espera que isso seja possível de acontecer até dezembro deste ano. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 


Versão para impressão


RODAPE