Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4935 | 26 de Outubro de 2020

FÓRUM: Evento de RH reuniu 63 cooperativas paranaenses

Das 9h às 17h40 da última sexta-feira (23/10), o fórum promovido pelo Sistema Ocepar, com o apoio da ABRH-PR, reuniu, virtualmente, 181 profissionais de Recursos Humanos das cooperativas do Paraná. O evento teve dois painéis, um sobre o papel do RH frente à governança e outro sobre entraves trabalhistas, sucessos e fracassos pós-reforma trabalhista e Covid-19, além de apresentação de cases, com representantes das empresas Volvo, Ebanx, Klabin e GRPCom,  e se encerrou com a palestra magna proferida pela consultora de empresas e professora da Fundação Dom Cabral e Insper, Leni Hidalgo, com o tema “As transformações que a crise pode nos trazer”.

Evento - Pela primeira vez, o Fórum de Profissionais de RH das Cooperativas do Paraná, de periocidade anual, foi realizado virtualmente e contou com a participação de profissionais de 28 cooperativas do ramo agro, de 17 de crédito, de 17 de saúde e de 1 do ramo trabalho. Também houve a participação de representantes da Organização Cooperativa do Rio Grande do Sul (Ocergs) e de algumas cooperativas gaúchas. O encontro tem o objetivo de promover a integração dos profissionais de recursos humanos das cooperativas paranaenses, atualizando tendências e informações sobre assuntos voltados à área de gestão de pessoas. 

Importância - Após a abertura feita pelo coordenador de profissionalização da Gerência de Desenvolvimento Cooperativo, Leandro Macioski, o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, classificou de “transformador o momento atual” e destacou a importância da entidade se valer da tecnologia para tornar a comunicação mais efetiva e com respostas mais rápidas em meio ao isolamento social decorrente da pandemia do coronavírus. Com isso, foi possível dar prosseguimento, na modalidade virtual, ao cumprimento de seu planejamento estratégico e se manter mais próxima das cooperativas. “Precisamos incorporar conhecimentos e colocar em prática essas tecnologias, otimizar o tempo com a transformação digital”, disse, ao acrescentar que o momento evidencia anda mais a importância do RH, “pois, em primeiro lugar, precisamos cuidar das pessoas. Aliás, o momento é de muito cuidado com os outros. E vocês são extremamente importantes para que o sistema cooperativista continue crescendo”.

Símbolo - Boesche enfatizou ainda que um dos grandes aprendizados deste momento de pandemia, e que deve ser incorporado à cultura do mundo, é o cuidado com o outro, cujo grande símbolo é a máscara. “É nela que temos de nos inspirar para construir esse novo mundo, pós-pandemia: a máscara simboliza o cuidado que devemos ter com o outro, para protegê-lo. Uma cultura já difundida, por exemplo, no Japão, onde para evitar até mesmo a disseminação da gripe, usa-se a máscara como barreira para dispersão da partículas de saliva ou do espirro.” Essa atenção aos cuidados com outras pessoas, segundo o superintendente, pode ser observada nas cooperativas, que têm redobrado os procedimentos para evitar a propagação do vírus.  “O Sistema Ocepar, por exemplo, mandou todo mundo para casa em março com o propósito de preservar a saúde da equipe, o que não prejudicou as suas atividades. A diferença é que são desenvolvidas virtualmente, com mais agilidade e produtividade.” 

Atividades - Após a abertura institucional do fórum, Gino Oyama, especialista em governança, e Yoshio Kawakami, consultor e conselheiro de empresas, debateram o “O papel do RH frente à governança”, sob a mediação do professor e vice-presidente da ABRH-PR, Gilmar Silva de Andrade; o segundo painel abordou “Entraves trabalhistas, sucesso e fracassos pós-reforma trabalhista/Covid-19”, a cargo do presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região, Sérgio Murilo Rodrigues Lemos, e do advogado e presidente do Instituto Mundo do Trabalho,  Célio Pereira Oliveira Neto. A mediação foi do advogado Tobias de Macedo.

Presentes - Também participaram da abertura do evento, a gerente de Desenvolvimento Cooperativo, Maria Emília Pereira Lima, a presidente da ABRH-PR, Andréa Gauté, e Elisa Fredo, gerente de Gestão de Pessoas da cooperativa Frimesa e coordenadora do grupo Administradores de Recursos Humanos das Cooperativas do Paraná (Arhco), entre outros.

EbanxBeryk Salab, Business Partner no Ebanx, mostrou a expansão e tecnologia e a atuação do RH Disruptivo

Klabin:Adolfo Furtado, gerente de Gente e Gestão das operações da Klabin no Paraná, falou sobre a evolução cultural como acelerador da estratégia

GRPCom:Pâmela Marin, head de pessoas e cultura no GRPCom, contou sobre a atuação do RH como parceiro do negócio

Vídeo Ebanx

{vsig}2020/noticias/10/26/forum_rh/{/vsig}

 

COVID-19: Confira o comunicado 144 do Comitê de Acompanhamento

covid 19 destaque 26 10 2020Diversas atividades realizadas pelo Sistema Ocepar constam no comunicado 144, emitido na manhã desta segunda-feira (26/10) pelo Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19, como a promoção do Fórum dos Profissionais de RH das Cooperativas Paranaenses, na sexta-feira (23/10), em formato digital, e a reunião institucional com a Coopcardio, no mesmo dia. Veja abaixo todas as informações do boletim.

1. O Sistema Ocepar, no dia 23 de outubro, realizou de forma virtual da Reunião da Autogestão com a cooperativa Coopcardio e a participação do corpo diretivo e gestores.

2. No dia 23 de outubro, o Sistema Ocepar, por meio do Sescoop/PR, realizou de forma digital, o tradicional Fórum dos Profissionais de RH das Cooperativas Paranaenses.

3. O Sescoop/PR, no dia 23 de outubro, realizou a 10ª Reunião Ordinária do Conselho Fiscal - Gestão 2019-2022, para tratar os assuntos da ordem do dia, com destaque nas informações contábeis, financeiras e orçamentárias, além dos relatórios da auditoria interna, dos controles internos e processo de abertura de contas em cooperativas de crédito.

4. No dia 23 de outubro, o Sistema Ocepar/Fecoopar, em conjunto com o Sistema OCB/CNCoop e representantes da cooperativa Frimesa, realizou reunião para tratar sobre os encaminhamentos da cobrança do adicional do RAT pela Receita Federal.

5. O Sistema Ocepar, no dia 23 de outubro, participou da reunião organizada pelo Sistema OCB, para discutir sobre FIDC - Fundo de Investimentos em Direitos Creditórios, para financiamento das cooperativas e do agronegócio.

6. No próximo dia 27 de outubro, o Sistema Ocepar, em parceria com o Sistema OCB, Sistema Faep e Governo do Paraná, irá realizar uma live com os adidos agrícolas da União Europeia, Estados Unidos, Arábia Saudita e África de Sul, visando identificar oportunidades para as cooperativas e agronegócio no mercado internacional. Para informações clique aqui.

7. O Sistema Ocepar, no dia 23 de outubro, participou da reunião com representantes do Sistema OCB, Ministério da Agricultura – Mapa e da Caixa Econômica Federal, para tratar da proposta de financiamento habitacional rural, voltado a associados de cooperativas agropecuárias.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

FORMAÇÃO: Programa de Liderança na Inovação inicia nova capacitação de dirigentes em parceria com o MIT

Teve início, na manhã desta segunda (26/10), a formação de mais um grupo de presidentes, gestores e executivos de cooperativas do Paraná dentro do Programa de Inovação do Cooperativismo Paranaense, uma iniciativa do Sistema Ocepar, executada por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), em parceria com o Isae e com uma das mais renomadas instituições de ensino e pesquisa do mundo, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (Massachusetts Institute of Technology – MIT, em inglês), localizada em Cambridge, Massachusetts, nos Estados Unidos.

Boas-vindas - A diretora de Programas Globais do MIT, Clara Piloto, deu as boas-vindas aos participantes, juntamente com os presidentes do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e do Isae, Norman Arruda Filho. Também prestigiou a abertura o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas. Participam do Programa de Liderança na Inovação 49 representantes de 36 cooperativas dos ramos agropecuário, crédito, saúde, trabalho e transporte e dos Sistemas OCB e Ocepar. As atividades serão realizadas de forma on-line. Com duração de oito semanas, formação é dividida em quatro módulos, com um total de 68 horas de estudos.

Temas - O primeiro módulo vai abordar o tema “Por que a liderança e a criatividades são importantes”, o segundo “Minhas capacidades de liderança”, o terceiro “Criando e comunicando uma visão compartilhada”, e o quarto “Análise de um projeto real”. Todos serão ministrados por profissionais do MIT. Além disso, haverá fóruns de discussão, atividades para entregar e vídeos sequenciais de aprendizagem, tudo por meio de uma plataforma virtual, na qual é possível compartilhar experiências e receber o feedback dos facilitadores, que são consultores sênior especialistas nos temas e com ampla experiência na área. Eles estarão disponíveis aos participantes na parte on-line e nas sessões ao vivo, para responder a perguntas, incentivar reflexões mais aprofundadas, facilitar a colaboração e garantir que os participantes tenham uma experiência de aprendizagem positiva.

Habilidades - Este programa foi concebido com o objetivo de propiciar o desenvolvimento das habilidades de liderança e a visão necessária para enfrentar os processos extraordinários de inovação que afetam as empresas. Com ele, os participantes aprenderão a liderar o autoconhecimento e a criatividade, e a construir equipes e organizações a partir da cultura da inovação. Por isso, o foco é prático e faz o uso de ferramentas, metodologias e processos que podem ser colocados em prática a qualquer hora, com o objetivo de reforçar habilidades para gerir a inovação.

Segundo grupo - Esta é a segunda turma de dirigentes que participa do Programa de Liderança na Inovação. Em 2018, outro grupo formado por presidentes, diretores e superintendentes das cooperativas paranaenses esteve no MIT para uma semana de imersão, entre os dias 13 e 17 de agosto.

O programa - Em outra frente, o Programa de Inovação do Cooperativismo Paranaense atua na formação de agentes de ideação e transformação. O programa teve início em 2018, com a adesão de 70 cooperativas do Paraná, mais de 500 participantes e formou 14 turmas no ano passado, com mais de 350 pessoas certificadas. No dia 24 de agosto deste ano, começaram ser capacitadas as primeiras turmas do ciclo 2020/2021. Serão 192 horas de capacitação, com término previsto para outubro de 2021. Desta vez, 543 representantes de 68 cooperativas, dos ramos agropecuário (28), crédito (22), saúde (16), transporte (1) e trabalho (1) se inscreveram no Programa. Nesse total estão ainda incluídos os profissionais do Sistema Ocepar. Os participantes foram distribuídos em 17 turmas e serão realizadas trilhas em comum e, em outros momentos da formação, eles serão divididos conforme o seu perfil, para atuar como agentes de ideação ou transformação. Saiba mais em http://paranacooperativo.coop.br/programadeinovacao/.

{vsig}2020/noticias/10/26/formacao/{/vsig}

LIVE: Primeiro evento com adidos agrícolas será realizado nesta terça-feira

 

Duas lives serão realizadas com adidos agrícolas de diversos países com o propósito de debater as oportunidades existentes no mercado internacional para as cooperativas e para o agronegócio brasileiro. O primeiro evento, nesta terça-feira (27/10), contará com profissionais que atuam na União Europeia, Estados Unidos, Arábia Saudita e África do Sul e terá ainda a participação do professor da USP e da FGV, Marcos Fava Neves. A live ocorre das 10h às 12h15. O segundo encontro será no dia 12 de novembro, com adidos da China, Japão, Índia, Indonésia e Coreia do Sul, das 8h às 10h30, e terá como palestrante o professor do Insper, Marcos Jank.

 

Transmissão ao vivo - Ambas as lives serão transmitidas ao vivo pelo canal do Sistema Ocepar no Youtube, pela TV Paraná Cooperativo, e contarão ainda com as presenças dos presidentes dos Sistemas Ocepar e OCB, José Roberto Ricken e Márcio Lopes de Freitas, respectivamente, da Fetaep, Marcos Brambilla, do diretor da Faep, Luiz Eliezer Ferreira, e dos secretários de Estado da Agricultura, Norberto Ortigara, e de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes, representando as entidades promotoras dos eventos.

 

Atribuições - Segundo o Ministério da Agricultura, atualmente o Brasil conta com 24 adidos agrícolas ativos lotados em 22 países, sendo que Pequim e Bruxelas possuem dois adidos. Uma vaga em Genebra, na Suíça, encontra-se em aberto e deverá ser preenchida ainda este ano. Eles desempenham missões permanentes de assessoramento junto às representações diplomáticas brasileiras no exterior e têm o papel de identificar oportunidades, desafios e possibilidades de comércio, investimentos e cooperação para o agronegócio brasileiro.

 

 

live I 22 10 2020

 

 

live II 22 10 2020

REUNIÃO INSTITUCIONAL: Dirigentes da Coopercardio participam de vídeo com Sistema Ocepar

1reuniao institucional 26 10 2020Dando prosseguimento à série de reuniões com as cooperativas paranaenses, com a finalidade de apresentar os principais indicadores do cenário econômico-financeiro, foi realizada, na tarde de sexta-feira (23/10), a 85ª reunião institucional com lideranças da cooperativa Coopercardio, com sede em Curitiba. Este encontro, que aconteceu de forma virtua, contou com a participação do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, e do presidente da Coopercardio, Dr. Vinicius Nicolau Woitowicz, da Dra. Andrea Dumsch de Araagon Ferreira, diretora secretária e Dr. Remulo José Rauen Junior, financeiro. Os dados foram levantados pela coordenadoria de monitoramento da Gerência de Desenvolvimento Cooperativo (Gecoop), do Sescoop/PR, com base em informações repassadas pela própria cooperativa.

 

GETEC: Informe nº 51 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 26 10 2020A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (2610), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2020, 2021 e 2022.

Clique aqui para conferir o Informe Expectativas de Mercado Semanal

SESCOOP/PR: Conselho Fiscal realiza 10ª reunião

Integrantes do Conselho Fiscal do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) realizaram, na tarde de sexta-feira (23/10), a 10ª reunião ordinária da gestão 2019-2022, em formato virtual. Participaram os conselheiros Joel Makohin, Erik Bosch e Marcos Roberto Bueno Antunes. O Sescoop/PR foi representado pelo presidente José Roberto Ricken, o superintendente, Leonardo Boesche, a advogada Daniely Andressa da Silva, o gerente administrativo, José Ronkoski, a gerente de Desenvolvimento Cooperativo, Maria Emilia Pereira Lima, o coordenador administrativo, Edson Luis Carvalho de Souza, o auditor interno, Tadeu Duda, e a auditora interna, Daniele Cristiane Radulski Reginatto.

Pauta - No encontro, eles deliberaram sobre a realização do orçamento aprovado para este ano, os demonstrativos contábeis e financeiros e demais informações trimestrais publicadas no Portal da Transparência, e o balancete acumulado de 1º de janeiro a 30 de setembro de 2020. Também examinaram os indicadores econômicos e financeiros do Sescoop/PR, a proposta orçamentária para o ano que vem, os relatórios da auditoria interna e acompanharam a apresentação do relatório analítico do contrato de gestão, entre outros itens.

{vsig}2020/noticias/10/26/sescoop_pr/{/vsig}

RAMO TRANSPORTE: Novo Acordo com ANTT em andamento

ramo transporte 26 10 2020O Sistema OCB deu um importante passo na tarde de quinta-feira (22/10) na defesa dos interesses do cooperativismo de transporte.

Reunião - Representantes da OCB Nacional e o coordenador nacional do conselho consultivo do ramo transporte, Evaldo Matos, reuniram-se - digitalmente - com a nova superintendente de transporte de passageiros da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Priscilla Nunes de Oliveira, e o analista Bruno Ribeiro Alvarenga, para os últimos ajustes relacionados à construção do novo Acordo de Cooperação Técnica - ACT que será firmado entre as entidades.

Ações - O novo ACT prevê ações relacionadas ao intercâmbio de informações, estudos de viabilidade técnica e econômica e análises de impacto regulatório em temas afetos ao transporte rodoviário de cargas e transporte de passageiros, além da ampliação da integração entre os sistemas da OCB e da ANTT, compartilhando informações e bases de dados para a otimização de recursos, redução de custos e melhoria no desempenho dos serviços prestados.

Parceria - A formatação do novo Acordo de Cooperação Técnica mais abrangente é fruto de uma parceria longínqua que a OCB já possuía no segmento de cargas com a agência e da avaliação qualitativa das conquistas que o cooperativismo de transporte colheu direta ou indiretamente com a parceria com a ANTT. (OCB)

 

SICREDI: Professores refletem importância do acolhimento e debatem novos desafios da educação

A pandemia do novo coronavírus e as consequentes medidas de isolamento social, com o fechamento das escolas, impuseram uma nova dinâmica ao ensino e desafios para educadores e alunos no processo de aprendizagem. Com o objetivo de refletir sobre o sentido da escola e o ato de educar com acolhimento e afetividade, o Summit Educação da Central Sicredi PR/SP/RJ será realizado no dia 28 de outubro. O encontro online deve reunir cerca de sete mil educadores do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro.

PUFV - O evento é voltado aos profissionais que participam do Programa A União Faz a Vida (PUFV), principal iniciativa de responsabilidade social da instituição financeira cooperativa e que propõe um modelo de educação baseado na metodologia de projetos. O aluno, por meio da investigação, é estimulado a ser protagonista de seu próprio processo de aprendizagem, ampliando as relações sociais com a comunidade onde está inserido “Há 25 anos, o projeto atua com mais de 1,9 mil escolas com o objetivo de despertar a essência do cooperativismo nas novas gerações e contribuir para uma sociedade mais colaborativa, ética e empreendedora. Por meio da curiosidade, estimulamos nossas crianças e adolescentes a vivenciarem, na prática, valores como cidadania e cooperação”, afirma o presidente nacional do Sicredi e da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock.

Adaptação - Em 2020, com a impossibilidade de ações e formações continuadas em encontros presenciais, o PUFV se adaptou. Os mais de 10 mil professores que integram o programa no Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro puderam participar de formação online, realizada por 15 semanas, por meio de intervenções e atividades de aprendizagem. “Sabemos como a atualização constante é importante para os professores e profissionais da educação. Por isso, elaboramos um novo formato para continuar compartilhando o conhecimento, apesar das restrições impostas pela pandemia. Esse movimento se fortalece com o Summit Educação e a possibilidade de gerar novas reflexões, mesmo de forma online, visando à realização de ações cada vez mais significativas nas comunidades”, destaca Dasenbrock.

Programação - O presidente do Sicredi abre o Summit Educação abordando os 25 anos do Programa A União Faz a Vida. Na sequência, o jornalista Daniel Barros, autor do livro “País mal educado: Por que se aprende tão pouco nas escolas brasileiras?”, convidará os participantes a refletirem sobre os sentimentos e sentidos de ser professor e da educação no Brasil.

O evento ainda contará com a participação do diretor do Instituto Ayrton Senna (IAS), Emílio Munaro, que abordará a importância do respeito, empatia e da autoconfiança no processo de aprendizagem.

Acolhimento - O acolhimento no processo educacional será tratado durante o evento na participação do psicoterapeuta e orientador profissional Leo Fraiman e do psicólogo clínico e palestrante Rossandro Klinjey. Os dois profissionais, autores de “Como ensinar bem” e “Help: me eduque!”, respectivamente, também abordarão as inspirações e os sentidos que podemos dar à vida. O evento ainda contará com declamações de poesia e músicas tocadas pela Banda Mais Bonita da Cidade.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2020/noticias/10/26/sicredi/{/vsig}

SICREDI CAMPOS GERAIS: Novo prédio é inaugurado em Palmeira (PR)

sicredi campos gerais 26 10 2020Transformar atendimento em relacionamento. Essa é uma das premissas do Sicredi, primeira instituição financeira cooperativa do Brasil, com mais de 117 anos de história. Sempre visando oferecer estruturas cada vez melhores à associados e colaboradores – com conforto, praticidade e segurança – a Sicredi Campos Gerais PR/SP inaugurou suas novas instalações da agência de Palmeira (PR).

Crescimento - O novo prédio reforça o crescimento da cooperativa que recentemente ultrapassou a marca de R$ 3 bilhões em recursos administrados. Além disso, segundo relatório anual de 2019, a cooperativa cresceu 19% no último ano.

Inauguração oficial - A inauguração oficial, ocorrida em 23 de outubro, beneficiará os mais de 3,7 mil associados e 20 colaboradores da agência. “O novo prédio vem pra trazer mais comodidade para todos, associados e colaboradores. É uma grande conquista nesses 16 anos de atuação em Palmeira e um reconhecimento aos nossos associados, entregando um espaço amplo e moderno e fortalecendo ainda mais o cooperativismo na região”, afirma a gerente da agência, Denise Hoinaski Schamne.

Nova estrutura - Com a nova estrutura, serão 830m², trinta vagas de estacionamento, seis guichês de autoatendimento, dois espaços para café, além da ampliação das áreas de atendimento pessoa física, jurídica e agronegócio.

Atendimento expresso - Outra novidade é o novo modelo de atendimento expresso, que direciona cada associado para a solução necessária com agilidade e qualidade, resultando em uma redução no tempo de espera.

Reconhecimento - Para o diretor executivo da Sicredi Campos Gerais PR/SP, Marcio Zwierewicz, o novo prédio representa um reconhecimento ao município pela parceria e confiança depositada na cooperativa.“A boa resposta da comunidade de Palmeira nos permite um crescimento sólido junto aos nossos associados. Quanto maior for a adesão da comunidade ao Sicredi, mais agências e investimento na região será feito”, destaca.

Comunidade - O presidente da Sicredi Campos Gerais PR/SP, Popke Ferdinand Van Der Vinne, reforçou que a entrega de uma agência moderna para os associados simboliza o acreditar na comunidade. “Quem irá habitar essa casa serão os seus donos, os associados, que poderão realizar todos os seus negócios e sonhos nesta agência. Vamos continuar investindo para crescer e fortalecer essa comunidade, gerando empregos e novos negócios, uma vez que, que o dinheiro investido no Sicredi permanece na região", explica.

Localização - A nova agência na Rua Vicente Machado, 791, Centro, já está atendendo a partir desta segunda-feira (26/10).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICOOB METROPOLITANO: Dois cooperados ganham R$ 2 mil na campanha Sorte assim só no Sicoob

Os cooperados do Sicoob Metropolitano estão com sorte. Neste mês de outubro, dois associados foram contemplados na campanha “Sorte assim só no Sicoob” e ganharam R$ 2 mil cada. Os sortudos Roseli Ferreira e Ayrton Angelo da Silva Filho que estiveram em suas agências para a entrega simbólica do prêmio.

Entrega - Roseli, que é de Roncador (PR), recebeu a premiação no dia 13 de outubro. Já Ayrton, que é cooperado em Maringá (PR), esteve na agência no dia 16. Ele, que é cooperado há 10 anos, disse que sempre é muito bem atendido pela equipe da agência. “Só tenho motivos para ficar feliz. Ganhei utilizando o Sicoobcard, que além de me trazer vários benefícios, ainda garantiu minha participação em uma campanha tão legal”, ressalta.

Números da sorte - Ao adquirir produtos do Sicoob, tanto para as contas pessoa física quanto jurídica, o cooperado ganha números da sorte e concorre aos prêmios que seguem os sorteios da Loteria Federal. Serão realizados 48 sorteios semanais, 11 mensais e um final. No site http://www.sicoob.com.br/sorteassim, o participante pode conhecer o regulamento e consultar, semanalmente, seus números da sorte.

Prêmios - Durante a promoção serão sorteados 240 prêmios no valor de R$2.000; 192 smartphones Samsung Galaxy S10 SM-G973F 128GB; 48 Motos Honda 0Km modelo NXR 160 BROS ESDD, FLEXONE; 33 Carros Hyundai 0Km modelo HB20 1.0 Flex; 16 Carros Toyota 0Km modelo Corolla Xei 2.0 Flex; 5 Carros Toyota 0Km modelo HILUX CD, SRV 4X4, 2.7 Flex. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2020/noticias/10/26/sicoob_metropolitano/{/vsig}

COAMO: Começam as comemorações dos 50 anos da cooperativa

Um dia diferente e histórico. Assim foi na sexta-feira (23/10) em todas as unidades da Coamo, reunindo funcionários da cooperativa e, também, da Credicoamo, Via Sollus, Arcam e Fups, que passam a vestir todas as sextas-feiras a camisa dos 50 anos da Coamo. "Vimos a felicidade dos funcionários em chegar e usar a camisa da nossa cooperativa, em um momento favorável nos seus 50 anos. A Coamo vem cumprindo a missão de gerar renda com desenvolvimento sustentável do agronegócio, com apoio direto dos funcionários para a sustentação das atividades dos cooperado como um todo e, também, a manutenção dos seus negócios e do bem-estar das suas famílias", afirma Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo.

Lançamento - Antes da abertura do último dia da Semana de Prevenção de Acidentes de Trabalho - Sipat na Administração Central, a diretoria e os funcionários participantes da primeira sessão do evento. Todos posaram orgulhosos com a camisa Coamo 50 anos. "O cooperativismo é uma filosofia de vida com a prática de valores edificantes, os quais possibilita a todos os cooperados e funcionários da Coamo participarem diretamente de um sistema vitorioso, que oferece conhecimento, estrutura e uma assistência para que todos crescerem, evoluírem e obterem o desenvolvimento nas suas atividades", explica o engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, presidente dos Conselhos de Administração da Coamo e Credicoamo.

Entrepostos - Segundo a Assessoria de Comunicação da cooperativa, os cooperados de todos os entrepostos no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul também já estão recebendo a camisa comemorativa. (Imprensa Coamo)

{vsig}2020/noticias/10/26/coamo/{/vsig}

CAPAL: Programa de Precisão na Agricultura proporciona ferramentas para melhor aproveitamento do solo

capal 26 10 2020Conhecer o solo, aproveitar suas potencialidades e identificar as correções necessárias. Assim podemos resumir o trabalho do Programa de Precisão na Agricultura (PPA) nas áreas dos produtores Osmil e Murilo Sala. Pai e filho aderiram ao programa desde que ele foi implantado na Capal, em 2016, e reconhecem o avanço que as informações geradas trazem ao manejo.

Confiança e parceria- Osmil Sala é associado à Capal há 25 anos e tem uma relação de confiança e parceria com a cooperativa. Murilo seguiu os passos do pai e vem buscando aperfeiçoar a atividade agrícola. A área dos produtores está localizada na região de Itararé. A variação de solo característica do local resulta em diferenças de produtividade. O PPA veio como resposta para identificar os motivos dessas desuniformidades, que já haviam sido percebidas pelos produtores.

Área - Hoje, eles plantam mais de 600 hectares em que utilizam ferramentas da agricultura de precisão. “Há um bom tempo, a gente via a necessidade de melhorar a variabilidade dos talhões, a diferença de produtividade. Buscando essa melhoria, começamos a trabalhar com a agricultura de precisão em 2016, quando a Capal iniciou com os trabalhos”, conta Murilo.

Lacuna - O agrônomo Cleiton Fassini também aponta que o Programa de Precisão na Agricultura preencheu uma lacuna no conhecimento do solo. Antes da implantação, alguns cooperados trabalhavam de forma particular com coleta de solo e amostragem, por exemplo. Mas, com o início do PPA, a obtenção e o bom uso das informações se estendeu aos demais associados. “O programa, através do Departamento de Assistência Técnica, nos traz a possibilidade de estar colocando no campo o Veris, equipamento que faz a leitura da condutividade elétrica do solo e o NDRE, que faz a leitura do índice de vegetação. Esses dois mapas, gerados através do Veris e do NDRE, fornecem uma informação bastante precisa sobre o solo”, explica Cleiton.

Tomada de decisão e resultado - Os mapas auxiliam o produtor a definir práticas de manejo adequadas à condição do solo e, portanto, mais eficazes. Para Murilo, o conhecimento da área trouxe benefícios na prática. “Houve uma melhoria na questão de conhecer melhor o talhão, observar as variações que ocorrem no terreno e, em cima dessas informações, auxiliar a tomada de decisão quanto ao manejo que deve ser feito, seja no corretivo ou no fertilizante”, relata.

Desperdício - Cleiton Fassini indica que sem informações à disposição, há o risco de desperdiçar insumos em alguns locais e fazer aplicações insuficientes em outras. Embora o objetivo do Programa de Precisão na Agricultura da Capal não seja, diretamente, garantir números maiores em produtividade e redução de custos, as práticas orientadas pelo PPA solucionam situações específicas e, deste modo, acabam trazendo resultados melhores de maneira geral. “A agricultura de precisão se resume basicamente em conhecer a variabilidade e tentar manejá-la, do ponto de vista da correção de fertilidade, do ponto de vista de fornecimento de nutrientes, de forma que você tenha uma evolução no cenário geral do talhão. Sendo assim você consegue melhorar a produtividade e o retorno”, pontua Cleiton.

Variação - A variação de solo pode se originar de fatores de natureza física, química e/ou biológica. O gestor do Departamento de Assistência Técnica da Capal no PR, Roberto Martins, salienta que com esse conhecimento podemos interagir buscando otimizar os resultados, por meio da redução de custos, aumento de produção ou, ainda, atuar nessas duas frentes, de maneira que o rendimento sobre o investimento do nosso cooperado seja maximizado.

Outros fatores - O agrônomo Gustavo Borba, que coordena as atividades do Programa de Precisão na Agricultura, indica que os bons resultados são atingidos quando se leva em consideração os outros fatores envolvidos na atividade agrícola. “A agricultura de precisão é uma ferramenta para criar um manejo responsável e mais direcionado para cada área e situação. A gente aposta muito nessa ferramenta, pensando em redução de custos e aumento de produção, mas sempre de forma racional, sabendo usar os insumos com mais responsabilidade”, reforça.

Confiabilidade - Para Murilo Sala, a confiabilidade das recomendações da cooperativa é um diferencial. “Eu vejo benefício em ser cooperado e ter uma assistência técnica que não tem interesse de recomendar algo a mais. Em outros lugares, há empolgação porque eles oferecem números, mas na Capal, a prática é conhecer o terreno, ver se tem coisas que dá para fazer antes: melhorar a população, plantio, controle de erva daninha, para aí chegar a outro patamar, e eu acho que esse é o caminho”, afirma.

Dados úteis - A posição do Departamento de Assistência Técnica da Capal é produzir dados que sejam úteis e apontem para soluções executáveis. “Queremos gerar uma informação que vire ferramenta e não que ‘amarre’ o produtor. A ideia não é o produtor se adequar à tecnologia, mas a gente se adequar à gestão de tecnologia do produtor”, comenta Gustavo, que complementa: antes de fazer um investimento em tecnologia, a assistência técnica verifica quais melhorias podem ser feitas nas práticas já existentes.

Futuro - Para o futuro, o plano da família Sala é continuar e até mesmo ampliar o uso de ferramentas que garantem maior precisão na agricultura. “Em uma situação de retração de lucro, por exemplo, eu poderia até reduzir a área plantada, mas a tecnologia que nós estamos usando hoje a nosso favor, eu jamais vou deixar”, afirma Osmil Sala. Uma de suas colheitadeiras já gera mapa de colheita e a outra não, mas futuramente isso deve mudar, planeja o agricultor.

Tendência - Para o filho, a tendência também é expandir a agricultura de precisão, mesmo em uma situação não favorável, por causa dos resultados econômicos e produtivos que ela proporciona: “Eu vejo que essa ferramenta não vai ser deixada de usar ou diminuir. Até porque é uma ferramenta para você economizar. A gente já está colhendo resultados com esses trabalhos em termos de produtividade. Isso é muito importante para tomada de decisão e, consequentemente, um auxílio para a rentabilidade do produtor”, finaliza Murilo. (Imprensa Capal)

 

PRIMATO: Segunda rodada de entrevistas é realizada com mais candidatos à prefeitura de Toledo

primato 26 10 2020Com o objetivo de abrir o espaço para a promoção das propostas e ideias dos candidatos à prefeitura de Toledo (PR), a Cooperativa Primato está promovendo o evento “Primato Eleições 2020”. Dando sequência às sabatinas, foi realizada a segunda rodada de entrevistas, no dia 19 de outubro, na Associação da cooperativa. Os candidatos Jaqueline Machado (PT) e Tita Furlan (Podemos) tiveram o espaço aberto. O mediador foi o jornalista e especialista em marketing Daniel Meneghini.

Candidato 3 - A terceira candidata da série Primato Eleições a apresentar suas propostas foi Jaqueline Machado e tem ao cargo de vice-prefeita Joana D’Arc (que não compareceu), ambas do PT. Jaqueline Machado é assistente social e tem como lema a luta pela causa feminina. Essa será a sua primeira candidatura ao poder executivo de Toledo.

Desenvolvimento local - Durante a sabatina, a candidata destacou temas relacionados ao desenvolvimento local e sustentável, ressaltando a possibilidade de desenvolvimento com preservação ambiental. Estiveram presentes com a comitiva três candidatos a vereador, com destaque para o ex-deputado estadual pela legenda de Elton Welter.

Candidato 4 - O quarto candidato da série Primato Eleições a se apresentar foi Tita Furlan (Podemos). O atual vice-prefeito do município de Toledo concorrerá em uma chapa que conta com o empresário e presidente do Republicanos em Toledo, Beto Ignacio como candidato a vaga de vice-prefeito. A coligação ainda tem como apoio dos partidos PL, PSL e PSC.

Trajetória - Tita Furlan é o atual vice-prefeito do município, eleito em uma chapa que obteve 42.733 votos na última eleição municipal. Também concorreu ao cargo de deputado estadual, porém não foi eleito. Ele ainda foi vereador por dois mandatos entre 2001 e 2004 e 2013 e 2016.

Apoio - Durante a sabatina Tita destacou em vídeos (depoimentos) o apoio dos três senadores paranaenses que são do mesmo partido (Podemos), assim como o apoio do deputado estadual licenciado atual e secretário da administração e previdência do Paraná, Moacir Micheletto (PL), assim como a deputada federal pelo Paraná Leandre Dal Ponte (PV).

Conhecimento - Destacou o conhecimento sobre a administração pública do município sendo o atual vice-prefeito, com ênfase da pasta de meio ambiente que também assumiu no primeiro ano da atual gestão. Outros tópicos foram sobre os problemas de carcaças nas propriedades rurais, asfaltamento do interior e sobre questões estratégicas para o desenvolvimento do município. O candidato a vice-prefeito, Beto Ignacio falou também sobre a bacia leiteira e sobre biodigestores.

Primato - “Gostaríamos de agradecer aos candidatos que tiraram um tempo de sua campanha que este ano é mais curta para explanar as suas ideias e planos de governos, além de responder os questionamentos que nossa cooperativa, através da diretoria executiva, conselho administrativo e fiscal aqui fizeram, além de receberam uma carta de intenções que a Primato julga importante para que os postulantes ao paço municipal possam avaliar e incorporar no projeto do próximo mandato que se inicia em janeiro de 2021”, destacou o presidente da Primato, Ilmo Werle Welter que complementou, “e agradecemos a todos os líderes e colaboradores que nos auxiliam no desenvolvimento deste evento importante para nossa cooperativa”.

Calendário - O Primato Eleições 2020 continua nas próximas semanas e nesta segunda-feira (26/10) será a vez dos candidatos Simone Sponholz (PTC) e Beto Lunitti (MDB) apresentarem suas propostas no espaço. No dia 03 de novembro o candidato Albino Corazza Neto (PDT) encerra o ciclo de entrevistas.

Conteúdo - Para acompanhar todo o conteúdo das entrevistas basta acessar o canal oficial da Primato no Youtube Primato Cooperativa Agroindustrial. (Imprensa Primato)

 

SINCOOPAR OESTE: Ruído no local de trabalho é assunto de treinamento

Engenheiros, técnicos, supervisores e líderes de segurança de cooperativas da região Oeste participaram, na semana passada, no auditório da Coopavel, em Cascavel (PR), de curso sobre Avaliação da exposição ocupacional ao agente físico ruído. Organizado pelo Sincoopar Oeste (Sindicato das Cooperativas Agrícolas, Agropecuárias e Agroindustriais da Região Oeste do Paraná), o treinamento teve como instrutor convidado o professor Ricardo Silva, da PUCPR, de Curitiba.

Normas regulamentadoras - O presidente do Sincoopar Oeste, Dilvo Grolli, fez a abertura dos trabalhos e ressaltou a importância de conhecer as normas regulamentadoras para, além de se integrar corretamente a elas, oferecer ambientes de trabalho sadios e seguros aos colaboradores. O curso teve duração de 16 horas e abordou aspectos sobre análise das normas e sua aplicação, atualizações das NRs, aspectos gerais sobre ruídos, frequência, intensidade, ondas sonoras, monitoramento e medição de ruídos nas plantas, capacidade de audibilidade, calibração de equipamentos, dosimetria e outros fatores de risco à saúde do trabalhador.

Ruído - Conforme Ricardo Silva, o ruído é um dos agentes físicos mais presentes nos ambientes de trabalho. Devido à sua enorme ocorrência e visto que os efeitos à saúde dos indivíduos expostos são consideráveis esse tema é um dos maiores focos de atenção dos higienistas e profissionais voltados para a segurança e saúde do trabalhador. “Uma das funções do Sincoopar Oeste, por meio do núcleo de normas regulamentadoras, é a capacitação, bem como qualificação e aperfeiçoamento das habilidades e conhecimentos dos profissionais na área de segurança no trabalho”, segundo Dilvo Grolli.

Inconvenientes - O ruído pode trazer inúmeros inconvenientes ao trabalhador. Entre eles estão desconforto, dificuldades de concentração, estímulo à irritabilidade e ao estresse, queda na produtividade e pode até desencadear problemas estomacais, cardíacos e neurológicos. O instrutor convidado apresentou equipamentos sofisticados desenvolvidos para auxiliar no combate às mais diferentes fontes de ruídos. Ricardo fez testes e falou do uso de equipamentos credenciados por órgãos oficiais. Ele citou também a necessidade de utilização de Equipamentos de Proteção Individual em locais com ruídos acima do tolerável.

Colaboração - Nos últimos anos, o Sindicato, em parceria com o Sescoop (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo), promove treinamentos com a finalidade de preservar a saúde e a segurança do trabalhador e responder às possíveis cobranças legais. Com a criação de grupos específicos de estudos e acompanhamento, as cooperativas passaram a praticar a colaboração, garantindo mais qualidade e ambientes de trabalho mais seguros e salubres. A união permite realizar cursos com frequência e com a contratação de nomes entre os melhores de sua área de atuação no Brasil.

Debates - A dedicada atenção ao tema normas regulamentadoras e a criação de câmaras para estudos técnicos levaram as cooperativas a ambientes de debates determinantes. Um dos representantes das cooperativas participa da Comissão da Norma Regulamentadora 35, que integra especialistas de todo o Brasil, e outro de uma comissão tripartite (empregados, patrões e governo) responsável por se encontrar em Brasília para refletir sobre aspectos fundamentais à segurança no trabalho. Atualmente, o Sincoopar Oeste conta com 15 cooperativas filiadas. (Imprensa Coopavel)

{vsig}2020/noticias/10/26/sincoopar/{/vsig}

EVENTO: Embrapa lança IX Congresso Brasileiro de Soja e Mercosoja 2021

A Embrapa Soja realizou, na sexta-feira (23/10), o lançamento do IX Congresso Brasileiro de Soja e do Mercosoja 2021, em formato digital, e está disponível no canal da Embrapa Soja no YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=_1RRfouvPuE&feature=youtu.be). Participaram da solenidade: Celso Moretti, presidente da Embrapa; Rodolfo Rossi, ex-presidente e membro do Comitê Executivo da Associação da Cadeia da Soja Argentina (ACSOJA); Alexandre Nepomuceno, chefe-geral da Embrapa Soja e Adilson de Oliveira, presidente do evento. Veja mais no site http://www.cbsoja.com.br/

Relevância - Moretti destacou que o tema do evento Desafios para a produção sustentável de soja condiz com a relevância que a soja brasileira assume mundialmente. Na safra 2019/20, o Brasil produziu 257 milhões de toneladas de grãos, dos quais mais de 120 milhões foram de soja. “O Brasil se tornou o maior produtor mundial de soja e a cultura hoje tem reflexos importantes na economia, impactando na realização de negócios, na geração de emprego e renda e trazendo melhorias para a qualidade de vida de toda a população”, disse.

Sustentabilidade - O presidente da Embrapa afirmou ainda que a cadeia produtiva da soja no Mercosul está centrada na sustentabilidade e citou tecnologias como o desenvolvimento de cultivares adaptadas, o manejo integrado de pragas, doenças e plantas daninhas, o uso de biotecnologia pelo melhoramento genético, assim como técnicas de manejo e conservação de solo. Ao falar de sustentabilidade, ressaltou ainda a Fixação Biológica de Nitrogênio, tecnologia que ao usar bactérias para fixar nitrogênio, dispensam o uso de adubos nitrogenados. “Somente em 2019, com a adoção desta tecnologia, o Brasil deixou de gastar 5 bilhões de dólares com adubos nitrogenados”, disse. “Entendo ser um desafio continuar produzindo de forma sustentável e, neste sentido, estes dois eventos poderão trazer para o debate tecnologias que colaboram com os países do Mercosul serem cada vez mais competitivos”, destacou.

Mercosoja - Rodolfo Rossi também destacou o papel relevante da soja no Mercosul e lembrou que quando o Mercosoja e o CBSoja tiveram início em 1999, a produção de soja neste bloco era de 55 milhões de toneladas e atualmente são produzidos 200 milhões de toneladas nos países do Mercosul. “Somos líderes na produção de soja e é importante realizarmos eventos desta natureza para incentivarmos tanto a adoção de boas práticas agrícolas, assim como a manutenção da sustentabilidade dos sistemas produtivos”, enfatizou.

Impacto da soja para o Brasil - O chefe-geral da Embrapa Soja Alexandre Nepomuceno ressaltou a relevância da cultura da soja para o agronegócio brasileiro, que representa 21% do Produto Interno Bruto (PIB). ¨Com a crise do Coronavírus, há a perspectiva de redução do PIB no País, mas o agronegócio deverá continuar tendo protagonismo, porque a demanda mundial por alimentos também é alta e crescente”, explicou.

Próximos 20 anos - Aliás, nos próximos 20 anos, o planeta chegará a 9 bilhões de pessoas e é um grande desafio produzir alimento para suprir a demanda alimentar mundial. “Neste contexto, a soja consolida-se como a principal fonte de proteína, seja em ração animal ou em produtos industrializados”, disse.

Player - Nepomuceno afirmou ainda o Brasil, na última safra, tornou-se um importante player, porque atualmente é o maior produtor mundial de soja com aproximadamente 120 milhões de toneladas e maior exportador do grão. Cerca de 80% da soja brasileira é destinada para a China. “A demanda por proteína para atender o mercado chinês - em busca de alimentos de qualidade - deve manter o mercado brasileiro aquecido”, ressaltou. “Mas o Brasil deve incrementar ainda formas de agregação de valor”, afirmou.

Números impactantes - Ao apresentar os números impactantes da soja, Nepomuceno falou da necessidade de realizar um evento como o CBSoja, que debate tecnicamente gargalos do setor e também as oportunidades. “Vamos apresentar abordagens diferenciadas para os desafios atuais até tecnologias inovadoras que farão a diferença para manter a nossa competitividade e sustentabilidade da soja brasileira”, reforçou.

IX CBSoja - O presidente do evento Adilson de Oliveira Jr disse que toda temática dos eventos estará centrada nos desafios tecnológicos para a cadeia produtiva da soja e na apresentação de soluções sustentáveis para melhoria da eficiência e da rentabilidade no campo. “Com certeza, este é o maior fórum técnico-científico sobre a cultura da soja, realizado no Mercosul”, enfatizou.

Temas - Os temas serão apresentados pelos mais renomados especialistas de cada área técnica. O objetivo é que apresentem tanto o estado da arte da cultura da soja (desde tecnologias sustentáveis até oportunidades de mercado) quanto as temáticas que estão na vanguarda do conhecimento, a exemplo de bioeconomia e agricultura 4.0.

Integração e relacionamento - Oliveira Jr destacou a relevância do evento para prover a integração e o relacionamento entre os participantes. A expectativa é reunir cerca de 2 mil participantes do Brasil e do exterior. “Por isso, entendemos ser uma oportunidade excelente para ampliar e consolidar networking”, destaca.

Arena da Inovação - Uma das novidades desta edição será a Arena da Inovação, ambiente para integrar o ecossistema de inovação, desde startups a empresas de agricultura 4.0, além de apresentar as mais recentes aplicações emergentes e disruptivas para a cadeia produtiva da soja.

Pavilhão do Expositor - O Pavilhão do Expositor pretende ainda congregar informações importantes de mercado para os participantes. Durante o evento foram apresentadas a programação técnica, assim como as possibilidades de participação de empresas, critérios para envio de trabalhos, entre outras informações. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

{vsig}2020/noticias/10/26/evento/{/vsig}

DERAL/SEAB: Boletim Agropecuário destaca a exportação de tilápia

deral seab 26 10 2020A exportação de tilápia é o destaque do Boletim de Conjuntura Agropecuária do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento. O documento semanal traz um raio-x da situação das principais atividades agropecuárias do Estado.

Exportação de tilápias - O Paraná está exportando o pescado para os Estados Unidos. A Copacol, uma das maiores cooperativas do Estado, iniciou a internacionalização dessa atividade com um projeto comercial piloto. Depois de abatida, a tilápia paranaense pode ser encontrada 48 horas depois nas gôndolas de supermercados de Miami.

Tradição - Segundo o analista do Deral, Edmar Gervásio, nem Brasil nem o Paraná têm tradição nas exportações de peixes. Mas, acredita, a piscicultura tende a crescer nos mercados interno e externo. Em 2019, o País gerou US$ 198 milhões em divisas com exportações de pescados, a maior parte das regiões Norte e Nordeste do País.

Janela de oportunidades - O analista acrescenta que o Paraná não soma exportações significativas, mas observa-se o início da participação nesse comércio internacional nos últimos dois anos, o que representa a abertura de uma janela de oportunidades para produtores paranaenses. No ano passado foram exportadas 195 toneladas e neste ano o Paraná já exportou 345 toneladas de peixes até setembro, gerando uma receita de US$ 603 mil.

Competitivo - “O mercado de pescados é competitivo e nossos custos de produção são altos, o que torna nosso produto pouco atrativo no mercado internacional, quando comparado aos dos grandes players, principalmente de pescados de captura”, disse o Gervásio.

Soja e milho - O boletim aponta que o plantio de grãos da safra de verão 2020/21, soja e milho, segue avançando, apesar das chuvas irregulares, cujo volume ainda não repôs a umidade que o solo necessita. Até a semana passada, o total semeado era de aproximadamente 1,8 milhão de hectares, o que equivale a 32% da área total estimada para esta safra. No mesmo período do ano passado haviam sido semeados perto de 2,4 milhões de hectares.

Avanço - Os plantios estão avançando conforme a umidade do solo permite, o que deve ocorrer até o fim dos trabalhos. A expectativa dos produtores e do setor é que as chuvas, mesmo que irregulares, ocorram nos momentos certos para o bom desenvolvimento da safra e que essa condição possa garantir as produtividades estimadas no início do plantio.

Primeira safra - O plantio da primeira safra de milho 2020/2021 atingiu 86% de uma área estimada em 360 mil hectares. As condições das lavouras das áreas já plantadas permanecem estáveis, 83% delas em condições boas.

Feijão e trigo - Outras culturas analisadas no boletim são o feijão e milho. Nas duas últimas semanas houve uma evolução no plantio de feijão das águas de 72% para 85% da área estimada. Os números do plantio estão iguais aos da safra do ano passado, com cerca de 87% das lavouras em condições boas e 12% em condições médias.

Colheita - O trigo está em fase de colheita, que vem revelando boa qualidade dos grãos. Já foram colhidos cerca de 84% da produção e os relatos dos técnicos de campo projetam que as últimas áreas a serem colhidas devem ser as melhores do Estado, tanto em qualidade quanto em produtividade.

Mandioca e cebola - Segundo o boletim do Deral, após vários meses em baixa, os preços da mandioca e derivados também deram um salto. Na semana de 12 a 16 de outubro, o produtor recebeu em média de R$ 514,00/t de mandioca posta na indústria, 51% a mais do que em agosto deste ano, quando os produtores venderam a produto por R$ 340,00. No atacado, a fécula foi comercializada, nesta semana, a R$ 76,00 a saca de 25 quilos, o equivalente a 43% de aumento, e a farinha por R$ 104,00a saca de 50 quilos, o que resultou em 39% de aumento em relação ao que vinha sendo comercializado em agosto de 2020.

Fase inicial - A cebola inicia a fase de colheita no Paraná. Foi plantada uma área de 4,3 mil hectares, devendo atingir uma produção de 117,4 mil toneladas, com produtividade de 27 toneladas por hectare. O início da colheita foi no Núcleo Regional de Cornélio Procópio no final de setembro, e as lavouras a campo apresentam 84% do total cultivado em condições boas e 16% em condições medianas.

Pecuária - O boletim analisa ainda a situação da pecuária de corte e o Valor Bruto da Produção (VBP), que em 2019 gerou uma receita R$ 3,71 bilhões no Estado, entre as atividades da pecuária de corte e de leite. O documento também faz uma referência à produção nacional de ovo, ressaltando um aumento no consumo. Aborda também a determinação do governo federal, que zerou as tarifas de importação de milho e do complexo soja, itens importantes na produção de ração fornecida às galinhas. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o boletim completo.

 

EDUCAÇÃO: Projeto de colégio agrícola estadual é finalista de prêmio científico

O projeto de reflorestamento usando foguetes, desenvolvido por três alunas do 1º ano do Ensino Médio do Colégio Agrícola Estadual Adroaldo Augusto Colombo, de Palotina, no Oeste do estado, é um dos 10 finalistas do prêmio Respostas para o Amanhã, da Samsung, que contempla inovações científicas e tecnológicas de todo o país. A iniciativa consiste no uso de protótipos que têm um compartimento para abrigar sementes. O minifoguete é lançado e, quando atinge a altura máxima, a peça com as sementes se desencaixa e desce até o solo. Dessa maneira, é possível reflorestar áreas de difícil acesso, onde não é possível chegar com plantadeiras.

Protótipo - O protótipo inicial era feito com PVC e tinha um custo de R$ 50 por unidade. Agora, a equipe decidiu apostar em um modelo de papel reciclado, que custa R$ 2. “A ideia é que o produto possa atender países que não têm condições financeiras para fazer reflorestamento. Queremos o menor custo possível, para que seja viável para o mundo todo”, diz Emmanuel Zullo Godinho, professor que orientou o projeto.

Sustentabilidade - Além do custo reduzido, o novo material também trouxe soluções em relação à sustentabilidade. Os protótipos de PVC, após o lançamento, precisavam ser recolhidos, para não poluir o solo. Com os minifoguetes de papel reciclado biodegradável, não há essa necessidade.

Diferenças - Existem diferenças em cada modelo em relação à altura atingida. Os de PVC atingem até 300 metros, o que resulta em 284 metros quadrados de área de reflorestamento. Já os de papel alcançam entre 30 e 50 metros de altura, chegando a uma área plantada de cerca de 40 metros quadrados. “Mas é melhor lançarmos 10 foguetes de papel do que um de PVC”, pondera Emmanuel.

Vídeo - O novo modelo será apresentado em um vídeo que as alunas Estephany Cristine da Silva Alves (15), Marina Grokorriski (16) e Kawany Caroline Duarte da Rocha (14), e o professor vão gravar para a fase final da premiação. O projeto vencedor (a ser anunciado em novembro) será escolhido de acordo com o resultado de uma votação aberta para o público, que poderá assistir aos vídeos dos 10 finalistas.

Prêmios - Se vencer, a equipe receberá smartphones e uma viagem para São Paulo, para participar do Prêmio Respostas para o Amanhã América Latina. Por chegarem à final, as estudantes já conquistaram para sua escola uma televisão e um notebook.

Meninas fazendo ciência - A iniciativa é fruto da parceria do colégio agrícola com o projeto Meninas nas Ciências, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), sob a coordenação da professora Mara Fernanda Parisoto, do Departamento de Engenharia e Exatas da instituição. O intuito da ação é valorizar e incentivar o envolvimento de alunas na área da ciência e da tecnologia.

Novas descobertas - “Admiro as pessoas que dedicam suas vidas para novas descobertas”, diz Estephany. “Participar de algo como esse projeto nunca tinha passado pela minha mente. Me surpreendi com quão longe conseguimos chegar.”

Surpreso - O professor também se diz surpreso com tamanha dedicação das três estudantes. “A desenvoltura delas está sendo fantástica. São meninas de 14 a 16 anos fazendo pesquisa de alto nível”, afirma Emmanuel. “Acredito que educação sem pesquisa e prática não é educação. Por isso, é tão importante ver meninas envolvidas nessa área”, comenta.

Proposta - A proposta recebeu do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) um auxílio total de R$ 25 mil e bolsas nas modalidades Iniciação Científica e Iniciação Científica Júnior.

Incêndio florestal - Em setembro de 2019, o Parque Nacional de Ilha Grande, no Noroeste do Paraná, perdeu mais de 60% de sua área de preservação ambiental em um incêndio, o equivalente a cerca de 2 mil hectares atingidos pelo fogo. O acontecimento despertou o interesse dos pesquisadores em encontrar soluções para reflorestar a área.

Pesquisa - “Pesquisamos as plantas nativas da região do parque e decidimos pela pitangueira e pelo ipê branco”, conta Emmanuel. A equipe ainda não pôde fazer lançamentos no local devido às medidas de distanciamento em decorrência da pandemia e, também, em virtude de aspectos meteorológicos — são preferíveis os períodos de chuva, quando há maior chance de germinação e quando não há risco de incêndio causado pela faísca que ocorre durante o lançamento.

Parque - Assim, o grupo ainda aguarda para usar os minifoguetes no Parque Nacional de Ilha Grande. Até o momento, os testes acontecem em regiões de campo, com sementes de milho e soja. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2020/noticias/10/26/educacao/{/vsig}

DEFESA AGROPECUÁRIA: Adapar esclarece regras sobre o uso do Paraquat na safra 2020/21

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) mantém as orientações para produtores, comerciantes e profissionais da agronomia sobre o uso de agrotóxicos com o ingrediente ativo Paraquat. A resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que proibia o uso e a comercialização do produto em todo o território nacional a partir de 22 de setembro foi alterada. Agora, está permitido o uso dos produtos que estão em estoque, adquiridos até a data limite, para o manejo dos cultivos na safra agrícola de 2020/2021, com algumas restrições.

Calendário - Por meio da RDC nº 428/2020, de 7 de outubro, a Anvisa criou um calendário específico para aplicação, e autorizou o uso do Paraquat em estoque conforme região e cultura em prazos determinados (veja a tabela). A alteração foi um pedido de produtores rurais que ainda possuem estoques na propriedade ou em depósitos das cooperativas e revendas.

Distribuição - “Os comerciantes de agrotóxicos, cooperativas de agricultores e revendas podem distribuir os produtos com o ingrediente até 15 dias antes do término do prazo máximo previsto no calendário da Anvisa, na respectiva cultura e região, considerando que estes produtos foram vendidos com emissão de nota fiscal para entrega futura, antes do dia 22 de setembro de 2020” explica o coordenador do Programa de Defesa do Alimento Seguro da Adapar, João Miguel Toledo Tosato.

Fiscalização - A comercialização do Paraquat continua proibida. Tosato explica que, caso os fiscais da Adapar encontrem estoques de agrotóxicos com o ingrediente no comércio, o produto será interditado e o fabricante notificado para recolher. Se forem encontradas notas fiscais com data de venda a partir de 22 de setembro, o comerciante será autuado. Em caso de aplicação de agrotóxicos em desacordo com as recomendações da receita agronômica e do fabricante, o agricultor é responsabilizado.

Proibição - A razão para a proibição do Paraquat é o alto potencial de risco para a saúde humana, principalmente para os agricultores expostos ao produto. Desde a emissão da RDC nº 177, em 2017, que determinava o fim da comercialização em 22 de setembro de 2020, a Adapar iniciou as orientações, segundo o gerente de Sanidade Vegetal, Renato Rezende Young Blood. “Mesmo assim, houve casos de descumprimento da resolução e foi necessário emitir alguns autos de infração”, diz.

Sansão administrativa - A sanção administrativa vai desde advertência até pena de multa ao infrator. Todos os processos são encaminhados ao Ministério Público com vistas às sanções criminais, conforme o artigo 15 e 16 da Lei Federal nº 7802/1989. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2020/noticias/10/26/defesa_sanitaria/{/vsig}

CMN: Conselho flexibiliza regras para crédito rural a pequenos produtores

cmn 26 10 2020O Conselho Monetário Nacional (CMN) retirou a exigência de apresentação de coordenadas geodésicas para contratação de operações de crédito rural no âmbito de algumas linhas do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Programas - A mudança vale para os financiamentos destinados ao Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), ao Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA), ao Programa Cadastro de Terras e Regularização Fundiária (PCRF) e às operações contratadas ao amparo do Microcrédito Produtivo Rural.

Decisão - A decisão do colegiado, presidido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e composto pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e pelo secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, aprovou a medida em reunião ordinária realizada na quinta-feira (22/10).

Apresentação - A assessoria do BC explicou que desde junho era necessária a apresentação das coordenadas geodésicas para todas as operações de crédito rural de custeio e de investimento vinculadas a uma área delimitada do imóvel rural. "No caso específico desses financiamentos, a apresentação das coordenadas agrega custos ao processo de concessão sem o respectivo benefício, uma vez que os agricultores podem utilizar os recursos em uma gama de atividades não vinculadas à exploração agropecuária, como o artesanato e o turismo rural. Além disso, tais operações possuem ticket médio baixo, em torno de 2 mil reais, configurando financiamentos com forte cunho social. O entendimento do CMN é que, apesar dos custos reduzidos e da ampla difusão do uso das tecnologias de sensoriamento remoto, a exigência de fornecimento das coordenadas geodésicas nesses financiamentos encarece o processo de concessão sem ganhos para a fiscalização dessas operações", diz a nota oficial.

Captação externa - Em outra medida aprovada na quinta-feira (22/10), o CMN decidiu que os recursos obtidos por meio de empréstimos com bancos multilaterais ou agências internacionais de desenvolvimento destinados a operações de repasse poderão também ingressar no país a partir de contas especialmente designadas, tituladas pela instituição financeira nacional, que são abertas no exterior exclusivamente para depósito dos recursos do empréstimo ou financiamento concedido por esses agentes internacionais. A medida, segundo o conselho, tem como objetivo dar mais eficiência ao mercado financeiro, facilitando as captações externas para os agentes econômicos financiarem seus projetos no país.

Portabilidade de crédito e débito em conta - Também foi aprovada, na reunião do CNM, a prorrogação da entrada em vigor das novas regras para portabilidade de crédito nas operações com cheque especial e para a autorização de débito em conta de depósitos e de pagamento. Essas regras estavam previstas para valerem a partir de novembro deste ano, mas só vão entrar em vigor em março do ano que vem.

Ajustes - "Esses ajustes decorrem da necessidade de as instituições reguladas concentrarem esforços, especialmente em tecnologia, nos projetos prioritários e estruturantes para o Sistema Financeiro Nacional, o Pix e o Sistema Financeiro Aberto (Open Banking). No caso da portabilidade de crédito, o adiamento trata das regras envolvendo inclusão das operações com cheque especial, possibilidade de operações de crédito imobiliário contratadas originalmente fora do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) serem enquadradas no SFH na portabilidade e criação do 'Documento Descritivo de Crédito' (DDC)", informou o BC, em nota. (Agência Brasil)

FOTO: Arquivo Secs

 

 

FOCUS: Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 2,99%

focus 26 10 2020A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA - a inflação oficial do país) deste ano subiu de 2,65% para 2,99%. A estimativa está no boletim Focus desta segunda-feira (26/10), publicação divulgada todas as semanas pelo Banco Central (BC) com a projeção para os principais indicadores econômicos.

2021 e demais anos - Para 2021, a estimativa de inflação subiu de 3,02% para 3,10%. A previsão para 2022 e 2023 não teve alteração: 3,50% e 3,25%, respectivamente.

Acima do piso da meta - O cálculo para 2020 está acima do piso da meta de inflação que deve ser perseguida pelo Banco Central. Essa meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,5% e o superior, 5,5%.

Percentuais - Para 2021, a meta é 3,75%, para 2022, 3,50%, e para 2023, 3,25%, com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo em cada ano.

Juros básicos - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 2% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do BC.

Expectativa - Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic encerre 2020 em 2% ao ano. Para o fim de 2021, a expectativa é que a taxa básica chegue a 2,75% ao ano. Para o fim de 2022, a previsão é 4,5% ao ano e para o final de 2023, 6% ao ano.

Tendência - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Entretanto, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Demanda aquecida - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

PIB e dólar - As instituições financeiras consultadas pelo BC ajustaram a projeção para a queda da economia brasileira este ano de 5% para 4,81%. Para o próximo ano, a expectativa para Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – é de crescimento de 3,42%. Em 2022 e 2023, o mercado financeiro continua projetando expansão do PIB em 2,50%.

Final do ano - A previsão para a cotação do dólar é encerrar o ano em R$ 5,40. Para o fim de 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 5,20. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

ECONOMIA: Banco Central registra recorde de remessas de dólares para o Brasil

economia 26 10 2020Com a alta do dólar, as remessas de brasileiros que vivem no exterior para familiares no Brasil têm batido recordes. Em setembro, foram registradas US$ 293 milhões de receitas de transferências pessoais, segundo dados do Banco Central (BC). Esse foi o maior volume para o mês de setembro, na série histórica, iniciada em 1995. Em setembro de 2019, as transferências somaram US$ 248,6 milhões.

Acumulado - De janeiro a setembro deste ano, foram US$ 2,407 bilhões enviados para o Brasil, crescimento de 11,6% em relação a igual período de 2019. Segundo o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, o dólar mais caro faz com que o dinheiro convertido em reais no Brasil represente um volume maior de recursos. Ele diz que isso pode incentivar os brasileiros no exterior a mandarem mais dólares para o país.

Incentivo - “Como a pessoa no exterior que está mandando para seus parentes no Brasil sabe que aquela mesma quantidade de dólares que manda sempre vai representar uma quantidade maior, pode ter um incentivo para aumentar esse fluxo em dólares”, disse, ao apresentar o relatório das contas externas, na última sexta-feira (23/10).

Envio - Por outro lado, a alta do dólar desestimula o envio de recursos do Brasil para o exterior. Em setembro, essas transferências chegaram a US$ 128 milhões, queda de 18,9% na comparação com o mesmo mês de 2019. No acumulado do ano até setembro, o valor chegou a US$ 1,065 bilhão, recuo de 31,1% contra igual período de 2019.

Países de origem - A maior parte das transferências que vêm para o Brasil são dos Estados Unidos. Esse setembro, o volume chegou a US$ 147,2 milhões. Outros US$ 57 milhões vieram do Reino Unido, US$ 17 milhões de Portugal, US$ 9,8 milhões da Espanha, US$ 7,7 milhões da Itália e US$ 7,6 milhões do Japão. (Agência Brasil)

 

ENERGIA: Consumo apresenta crescimento em setembro

energia 26 10 2020O consumo de energia na área de concessão da Copel – que cobre 393 dos 399 municípios do Paraná – aumentou 0,3% em setembro, na comparação com o mesmo mês do ano passado. É o primeiro resultado positivo desde o início da pandemia em março.

Trimestre - Considerado o trimestre inteiro, julho e agosto incluídos, o consumo de energia no Estado, no entanto, apresentou queda de 2,8%, na comparação com o mesmo período de 2019.

Pandemia - Segundo a empresa, o desempenho trimestral é reflexo da pandemia do novo coronavírus, que desaqueceu a economia em 2020, mas a companhia considera que a atividade econômica já apresenta sinais de recuperação.

“Mercado fio” - O resultado é o do chamado “mercado fio” da distribuidora da Copel, que inclui tanto a energia fornecida a consumidores cativos, atendidos pela Copel Distribuição, quanto consumidores livres – empresas com demanda maior que 500 kW que optam por deixar o mercado regulado para negociar a compra de energia no mercado livre.  

Comercial - A classe comercial, na qual o volume de energia faturada até agosto estava equivalendo ao patamar de 2012, já demonstrou retomada no consumo. No entanto, este mercado ainda registrou queda de 4,8% na comparação com setembro de 2019, também em razão da pandemia.

Industrial - A classe industrial registrou alta de 1% na comparação com o mesmo mês de 2019. Os destaques novamente ficam com as classes residencial e rural, que registraram crescimento de 6,8% e 5,2%, respectivamente.

Queda - O terceiro trimestre como um todo, na comparação com o mesmo período do ano passado, as classes industrial e comercial apresentaram queda no consumo de energia de 12,4% e de 16,1%, respectivamente. A classe rural apresentou alta de 2,9% entre julho e setembro, na comparação com 2019, e a classe residencial teve crescimento de 5,7% no consumo de energia na comparação dos períodos.

Consumidores - Embora a alta tímida no consumo de energia na comparação de setembro de 2019 e 2020, o número de clientes da Copel aumentou 2,2% neste mesmo período, o que representa 104 mil clientes a mais. A Copel alcançou 4,79 milhões de consumidores. Destes, 3,8 milhões são residenciais. (Agência de Notícias do Paraná)

 

SAÚDE I: Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes

Balanço divulgado neste domingo (25/10) pelo Ministério da Saúde (MS) mostra que o país registrou 13.493 novos casos de covid-19, nas últimas 24 horas. No total, o país acumula 5.394.128 casos, desde o início da pandemia. Além disso, foram registradas 231 novas mortes, totalizando 157.134 óbitos. O número de casos em investigação soma 2.390.

Curadas - O último balanço do governo indica ainda que 4.835.915 pessoas (89,7%) são consideradas curadas da doença. Outras 401.079 pessoas estão em acompanhamento, segundo os dados oficiais.

Mais baixos - Os números de novos casos e óbitos costumam ser mais baixos nos finais de semana, em razão da dificuldade de alimentação dos dados pelas secretarias estaduais de saúde aos sábados e domingos. O balanço do Ministério da Saúde é feito a partir de registros reunidos pelas secretarias estaduais de saúde e enviados à pasta para consolidação.

Covid nos estados - São Paulo lidera o ranking de maior número de casos acumulando 1.091.980 pessoas contaminadas. Os outros estados com maior número de casos são Minas Gerais (348.804) e Bahia (344.705). Já o Acre tem o menor número de casos (30.304), seguido de Amapá (51.127) e Roraima (55.862).

Mortes - São Paulo também lidera o número de mortes, com 38.747. Rio de Janeiro (20.203) e Ceará (9.248) aparecem na sequência. Os estados com menos mortes são Acre (687), Roraima (691) e Amapá (741). (Agência Brasil)

saude I tabela 26 10 2020

SAÚDE II: Paraná tem 720 novos casos e 10 óbitos pela Covid-19

saude II 26 10 2020A Secretaria d Estado da Saúde divulgou neste domingo (25/10) novo boletim epidemiológico que mais 720 casos confirmados e 10 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus.

Total - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 205.371 casos e 5.053 mortos em decorrência da doença.

Internados - Neste domingo, 710 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estavam internados: 582 pacientes em leitos SUS. Destes, 262 ocupam UTIs e 320 estão em leitos clínicos. Outros 128 estão em unidades da rede particular, sendo 39 em UTIs e 89 em enfermaria.e

Exames - Há mais 801 pacientes internados, 377 em leitos UTI e 424 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 10 pacientes. São 4 mulheres e 6 homens, com idades que variam de 55 a 91 anos. Todos estavam internados e os óbitos ocorreram entre 8 de setembro e 24 de outubro. Os pacientes que foram a óbito residiam em: Curitiba (5), Cambará, Castro, Irati, Itambaracá e Rebouças.

Fora Do Paraná - O monitoramento da Covid-19 registra 2.178 casos de residentes de fora, 49 pessoas foram a óbito. (Agência de Notícias do Paraná)

Para acessar o boletim completo acesse aqui.

 


Versão para impressão


RODAPE