Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4938 | 29 de Outubro de 2020

LIVE I: Brasil precisa diversificar pauta de exportações aos EUA, diz Filipe Sathler

live I 29 10 2020Até o mês de agosto, o Brasil exportou cerca de 5 bilhões de dólares em produtos agrícolas aos Estados Unidos. Do total comercializado em 2020, produtos florestais (41%), café (15%), complexo sucroalcooleiro (10%), carnes (6%) e sucos (4%) foram os principais itens exportados. Na opinião do adido agrícola do Brasil no país norte-americano, Filipe Guerra Lopes Sathler, o desafio do setor produtivo é diversificar e ampliar a presença comercial em setores ainda pouco explorados, como pescados, lácteos e frutas. “Apenas dois segmentos (produtos florestais e café) respondem por 56% da pauta agrícola de exportações aos EUA. Temos que trabalhar para que haja diversificação e uma participação maior dos produtos brasileiros nas importações americanas, que deverão fechar o ano em cerca de 153 bilhões de dólares”, afirmou. O adido participou, na tarde de terça-feira (27/10), da primeira Live do ciclo de palestras com os representantes brasileiros em países estratégicos para o agronegócio, transmitida pelo canal do Sistema Ocepar no Youtube, a TV Paraná Cooperativo.

Paraná - O portfólio de produtos comercializados é ainda menor na pauta de exportações do Paraná aos Estados Unidos. De acordo com informações de Sathler, até agosto de 2020, os embarques paranaenses para o país norte-americano foram superiores a 610 milhões de dólares, com os produtos florestais respondendo por 75% das vendas, divididas entre madeira perfilada, compensada, serrada e obras de marcenaria. Os outros 25% dizem respeito a produtos agrícolas, principalmente café, couro, farinhas, sêmolas, produtos apícolas e leveduras, e uma presença menor de chás, mate, rações, fumo, pescado, frutas e lácteos.

Oportunidades - Na visão do adido agrícola, o Paraná tem grande potencial a ser explorado no comércio com os Estados Unidos, especialmente nos setores de pescado e carne bovina. “Chamo a atenção para as importações americanas de peixes, que neste ano já atingiram 13 bilhões de dólares. A participação brasileira neste segmento ainda é pequena. O Paraná é um grande produtor de tilápias, que já estão sendo vendidas para os EUA, mas as exportações deste produto podem crescer muito mais”, ressaltou. Em setembro, a cooperativa paranaense Copacol iniciou as exportações de filés resfriados de tilápia para o mercado norte-americano. “Há oportunidades também para a carne bovina in natura, com a reabertura do mercado para o Brasil, obtida em fevereiro. Vislumbro também boas possibilidades para os produtos lácteos e raçoes”, completou.

PIB - Com o maior Produto Interno Bruto (PIB) do mundo, cerca de 19,3 trilhões de dólares ao ano, uma população de 330 milhões de habitantes, os Estados Unidos importam anualmente mais de 150 bilhões de dólares em produtos agrícolas. No ranking das importações americanas do agro, o Brasil figura como o oitavo maior fornecedor. Os principais parceiros comerciais dos EUA, tanto para importações quanto exportações agropecuárias, são Canadá, México e China. “É uma sociedade de consumo avançada, que vai muito além do básico, tendo o foco na importação de produtos destinados diretamente ao consumidor, sem necessidade de processamento posterior”, explicou.

Agentes do agro - Os adidos agrícolas do Ministério da Agricultura atuam na facilitação ao acesso de produtos brasileiros nos diferentes mercados internacionais, prospectando oportunidades, analisando e repassando informações sobre tendências de consumo, legislação, política agrícola, padrões de qualidade, além de apoiar a promoção de novos negócios, viabilizar contatos e parcerias, acompanhando notícias de interesse nas mídias locais. Também realizaram palestras na Live desta terça-feira (27/10), os adidos agrícolas na União Europeia, Bernardo Todeschini, na Arábia Saudita, Marcel Moreira Pinto, e na África do Sul, Jesulindo Nery de Souza Júnior.

 

LIVE II: Abertura do mercado da Arábia Saudita para pescados é oportunidade para o Brasil, afirma Marcel Moreira Pinto

live II 29 10 2020A Arábia Saudita, tradicional comprador de carne de frango do Brasil, está investindo para alcançar a autossuficiência na produção de aves e ovos. A meta do governo é suprir 80% da demanda local por estes alimentos até 2025. Os reflexos da política saudita de segurança alimentar já são sentidos no mercado internacional. “As exportações brasileiras de frango para a Arábia Saudita foram superiores a 800 milhões de dólares em 2019, mas o país deixou de ser nosso principal comprador, posto que foi assumido pela China. Desde 2016, a produção saudita cresceu 20% e já responde por 60% da demanda local”, explicou o adido agrícola do Brasil na Arábia Saudita, Marcel Moreira Pinto. A boa notícia é que a diversificação pode trazer novas oportunidades ao Brasil. “Abrimos o mercado para o setor de pescados, os requisitos já foram acordados com a autoridade sanitária saudita e vamos iniciar a fase de habilitação de plantas industriais de cooperativas e empresas que tiverem interesse em exportar. Estamos em negociação também para abrir os mercados de lácteos e carnes de ovinos, e esperamos em breve ter novidades”, ressaltou ressaltou durante a primeira Live do ciclo de palestras com os representantes brasileiros em países estratégicos para o agronegócio, transmitida na terça-feira (27/10) pelo canal do Sistema Ocepar no Youtube, a TV Paraná Cooperativo..

Parceiro comercial - Com 33 milhões de habitantes, a Arábia Saudita é o principal parceiro comercial do Brasil no Oriente Médio, com um comércio bilateral superior a 4 bilhões de dólares ao ano. Em 2019, as exportações agrícolas brasileiras aos sauditas foram de 1,7 bilhão de dólares. Apesar da nova política de autossuficiência, a carne de frango continua sendo o principal item comercializado, seguido por açúcar (400 milhões de dólares) e soja (155 milhões de dólares). Carne bovina, milho e produtos florestais completam a lista dos produtos com maior relevância nas vendas. “Temos uma forte parceria de negócios com a Arábia Saudita e reconhecemos a importância de manter a comercialização de produtos brasileiros já consolidados. No entanto, a estratégia do Ministério da Agricultura é diversificar cada vez mais nossa pauta de exportações com o país”, afirmou Moreira Pinto.

Oportunidades - Entre os produtos brasileiros que podem ampliar sua participação no mercado da Arábia Saudita, o adido agrícola destaca a soja, milho, açúcar, arroz, trigo, cevada e carne bovina. “Há uma demanda crescente por grãos para ração animal. Além da expansão no setor de aves, os sauditas também têm um grande rebanho de camelos, ovinos e vacas leiteiras. Outro mercado interessante é o de café verde em grãos, que vem assumindo espaço que antes era do café solúvel, por conta de uma mudança nos hábitos de consumo da população, com uma tendência maior por cafés especiais”, relatou. “O setor de frutas tem um potencial enorme a ser explorado. Praticamente não se encontram frutas brasileiras nas gôndolas de supermercados sauditas. É um segmento para o qual podemos trabalhar mais na promoção de nossos produtos”, concluiu Moreira Pinto.

Agentes do agro - Os adidos agrícolas do Ministério da Agricultura atuam na facilitação ao acesso de produtos brasileiros nos diferentes mercados internacionais, prospectando oportunidades, analisando e repassando informações sobre tendências de consumo, legislação, política agrícola, padrões de qualidade, além de apoiar a promoção de novos negócios, viabilizar contatos e parcerias, acompanhando notícias de interesse nas mídias locais. Também realizaram palestras na Live de terça-feira (27/10), os adidos agrícolas na União Europeia, Bernardo Todeschini, nos Estados Unidos, Filipe Sathler, e na África do Sul, Jesulindo Nery de Souza Júnior.

 

LIVE III: Protecionismo é entrave à ampliação de exportações para a África do Sul, enfatiza Jesulindo Nery de Souza Júnior

live III 29 10 2020No topo da pauta de exportações do Brasil para a África do Sul está a carne de frango, com vendas, em 2019, superiores a 175 milhões de dólares. Mas a tarifação elevada sobre muitos produtos brasileiros restringe os negócios e gera insegurança aos exportadores. “A carne de frango mecanicamente separada tem tarifa zero, porque é matéria-prima para as indústrias locais. No entanto, cortes que podem ser colocados diretamente à venda nos mercados são taxados de forma extremamente alta. Em março, a tarifa de importação sobre o corte com osso saltou de 37% para 62%, enquanto o corte sem osso teve elevação de 12% para 42%”, relatou o adido agrícola que atua no país africano, Jesulindo Nery de Souza Júnior, durante a primeira Live do ciclo de palestras com os representantes brasileiros em países estratégicos para o agronegócio, transmitida na terça-feira (27/10) pelo canal do Sistema Ocepar no Youtube, a TV Paraná Cooperativo.

Acordo comercial - Segundo Souza Júnior, para tentar amenizar os entraves às exportações brasileiras, o melhor caminho seria renegociar o Acordo de Comércio Preferencial (ACP) Mercosul-SACU (união aduaneira formada pela África do Sul, Namíbia, Botsuana, Lesoto e Suazilândia, que está vigente desde abril de 2016). “A inserção no acordo de novos produtos agrícolas poderia garantir que as tarifas fossem fixas, o que daria mais segurança jurídica aos exportadores. No entanto, esta renegociação não é considerada uma prioridade pelo bloco africano”, explicou.

Oportunidades - Com 57,7 milhões de habitantes, a África do Sul, segundo o adido agrícola, será sempre um importador de grãos, por questões fundiárias e hídricas que restringem a capacidade produtiva do país. “Soja, milho, arroz, são produtos nos quais podemos ampliar as exportações brasileiras. Em médio prazo, a carne de suínos também pode ter um espaço maior na pauta de comercialização”, listou. “A carne de frango, especialmente o corte mecanicamente separado, seguirá sendo o carro-chefe das exportações do Brasil”, completou.

Desinformação - Outro aspecto que preocupa, de acordo com Souza Júnior, é a difusão de informações negativas sobre o Brasil, especialmente na questão ambiental. “A imagem do agronegócio brasileiro é muito atacada na África do Sul, com muitas notícias que vêm da mídia europeia repercutindo localmente. A disseminação de conteúdos difamatórios, juntamente com a pressão política dos produtores africanos, gera um problema para a divulgação de nossos produtos, que possuem qualidade e segurança reconhecida em todo o mundo”, relatou.

Agentes do agro - Os adidos agrícolas do Ministério da Agricultura atuam na facilitação ao acesso de produtos brasileiros nos diferentes mercados internacionais, prospectando oportunidades, analisando e repassando informações sobre tendências de consumo, legislação, política agrícola, padrões de qualidade, além de apoiar a promoção de novos negócios, viabilizar contatos e parcerias, acompanhando notícias de interesse nas mídias locais. Também realizaram palestras na Live de terça-feira (27/10), os adidos agrícolas na União Europeia, Bernardo Todeschini, nos Estados Unidos, Filipe Sathler, e na Arábia Saudita, Marcel Moreira Pinto.

 

UNIMED LONDRINA: Cooperativa médica amplia serviços e inaugura novo espaço

No próximo dia 3 de novembro, a Unimed Londrina inaugura um novo espaço. Idealizada para receber os pacientes da Clínica Multiprofissional e da Clínica de Oncologia e Medicamentos Especiais com maior conforto e segurança, a nova estrutura ocupa do 2º ao 7º andar de um edifício na avenida Ayrton Senna, 555, em Londrina (PR).

Espaço - O espaço contará com consultórios e salas diferenciadas para realizar diversos tipos de atendimentos em psicologia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e nutrição oferecidos pela Clínica Multiprofissional. Haverá também sala lúdica, sala especial para atendimento ABA, sala de grupos, cabines para atendimento psicológico virtual, entre outras. Além de possibilitar a ampliação nos atendimentos das especialidades já disponibilizadas pelo serviço, com a inauguração do novo prédio a Unimed Londrina passará a oferecer um serviço inédito.

Equipe própria - Pela primeira vez a Unimed contará com uma equipe própria de fisioterapeutas e um espaço estruturado para receber os clientes que precisam de acompanhamento especializado. A Clínica de Oncologia e Medicamentos Especiais, também será transferida para este prédio e ocupará dois andares.

Segurança - Estes espaços foram planejados com foco na segurança dos pacientes que precisam fazer quimioterapia ou imunoterapia. Além das salas de medicação, a estrutura conta com farmácia própria, leito isolado, sala de preparação do paciente, sala de intercorrências, entre outras.

Importante - O presidente da Unimed Londrina, Omar Genha Taha, considera muito importante a ampliação e melhoria destes serviços. “Com o objetivo de ampliar e qualificar ainda mais nosso atendimento, estamos inaugurando uma nova estrutura destinada aos nossos clientes de Londrina e região. Desta forma poderemos atender as novas demandas que vêm surgindo sempre com a qualidade e eficiência que os clientes da Unimed Londrina merecem”, afirma.

Encaminhamento médico - Para serem atendidos na Clínica Multiprofissional ou na Clínica de Oncologia e Medicamentos Especiais, os clientes da Unimed Londrina precisam de encaminhamento médico. As duas clínicas funcionam de segunda a sexta-feira das 7h às 19h e a Clínica Multiprofissional também funciona aos sábados das 7h às 13h. O telefone para agendamento é o (43) 3375-5050. (Imprensa Unimed Londrina)

SICREDI CENTRO SUL Iniciativa amplia conhecimento dos colaboradores sobre cooperativismo

sicredi centro sul 29 10 2020O Estatuto Social é o documento mais importante dentro de uma cooperativa, pois é nele que constam todas as regras estabelecidas: organização, direitos e deveres dos gestores e associados. E, com o objetivo de incentivar a leitura e o estudo deste documento tão importante, foi desenvolvido pela Sicredi Centro Sul PR/SC/RJ, cooperativa de crédito sediada na região de Prudentópolis (PR), o Projeto Lei-Tura, que une os colaboradores ao propósito da instituição financeira cooperativa, por meio de uma iniciativa da área de Desenvolvimento do Cooperativismo, com o apoio de diversos outros setores da instituição.

Lançamento - O projeto foi lançado pelo presidente da Sicredi Centro Sul PR/SC/RJ, Santo Cappellari, durante a comemoração dos 36 anos da cooperativa. Pelo programa, os participantes deveriam estudar o Estatuto Social para realização de quatro testes diferentes com 20 questões, cada. Os melhores colocados concorreram a diversos prêmios, entre eles um patinete elétrico. Para participar do sorteio era necessário acertar, no mínimo, 16 questões e, para concorrer ao prêmio mais desejado, o número de acertos deveriam ser de, no mínimo, 19 questões. O projeto, que era de livre adesão, teve uma grande aceitação entre os colaboradores, com 264 participantes - o que corresponde a mais de 90% de participação.

Ganhadora - A assessora de negócios da cooperativa, Jessyca Layane Mazur, foi uma das ganhadoras dos brindes sorteados entre os primeiros colocados. “Foi importante revisitar alguns assuntos, relembrar algumas informações básicas e tomar conhecimento de outras”, afirma. Para a colaboradora, assim como para outros participantes, o projeto foi visto como uma forma diferente e descontraída de incentivar o conhecimento, além de, ao mesmo tempo, possibilitar momentos de competição saudável entre os participantes.

Diferenciais - De acordo com o diretor executivo da Sicredi Centro Sul PR/SC/RJ, Helton César Kolecha, além de uma grande ação de aprendizado sobre a instituição financeira cooperativa, o Projeto Lei-Tura reforçou os diferenciais do cooperativismo. “Contribuiu para que todos estejam engajados no desempenho de suas atividades e na realização do nosso propósito maior, que é colaborar com a vida financeira dos associados e na construção de uma sociedade cada vez mais próspera”, analisou.

Importância - Já a assessora de Desenvolvimento do Cooperativismo, Maria Gisele Pontarolo, reforçou a importância de algo feito a muitas mãos. “Concluo que o final de um projeto é melhor que o começo dele. E, embora conquistar tenha sempre um alto preço, quando nos envolvemos com o coração aberto naquilo que sonhamos o resultado não pode ser outro, senão o sucesso”, finalizou.

Contemplados - Conheça os colaboradores contemplados no sorteio:

1º Prêmio: Um patinete elétrico dobrável Freego

Agência Irati Centro: Lilian Mara Brzoski de Franca

2º Prêmio: 01 Kit chimarrão

Agência Mallet: Gabriel Paulo Kovalik

3º Prêmio: 01 Kit chimarrão:

Agência Bom Jesus do Itabapoana: Anna Karolyne Christovao Bertoque

4º Prêmio: 01 Garrafa térmica em Inox 1l

Agência Irati Centro: Tassiana Moro

5º Prêmio: 01 Garrafa térmica em Inox 1l

Sede Regional: Jessyca Layane Savio Mazur

6º Prêmio: 01 Cooler

Agência Itaperuna: Thiago de Araujo Binenbojm

7º Prêmio: 01 Cooler

Agência Teixeira Soares: Daniel Dias das Neves

8º Prêmio: 01 Fone de ouvido Bluetooth

Agência Prudentópolis Av. São João: Jeferson Muller

9º Prêmio: 01 Fone de ouvido Bluetooth

Agência Imbituva: Joao Miguel Czerevaty

10º Prêmio: 01 Guarda Chuva abre invertido

Agência Rebouças: Liciel Luis Campos

11º Prêmio: 01 Guarda Chuva abre invertido

Agência Irineópolis: Robson Francisco Luz

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI VANGUARDA: Ação beneficia entidades de Medianeira

Fazer juntos! A Sicredi Vanguarda acredita que trabalhando em parceria com a comunidade é possível transformar a realidade. Em 2020 todos precisaram se adaptar a uma nova rotina. As agências Sicredi de Medianeira e de Serranópolis do Iguaçu se uniram e apoiaram três entidades para serem beneficiadas, o Lar dos Idosos, o Recanto Parque Iguaçu e a Amesfi.

Gratificante - “Para nós, é muito gratificante podermos ajudar entidades que tem uma atuação importante e fazem um trabalho excepcional para a sociedade. Sabemos a importância de cada uma, principalmente para as pessoas que são beneficiadas e isso faz parte do nosso propósito cooperativista”, enfatiza o presidente da Sicredi Vanguarda, Aldo Dagostim.

Valor - Cada entidade recebeu o valor de R$ 5 mil que serão utilizados para melhorias em suas estruturas e equipamentos.

Lar dos Idosos - O Lar dos Idosos Fundação Jandira Aurea Zilio atende hoje 38 idosos. “A doação do Sicredi é de grande importância para o Lar, onde utilizaremos ela para manter e melhorar as nossas as instalações. Nos mantemos em parte com o apoio da prefeitura para cobrir os gastos com a folha de pagamentos dos nossos colaboradores, mas as outras despesas através da doação da comunidade e de parcerias como essa do Sicredi”, comenta a vice-presidente do Lar dos Idosos, Luciane Schek.

Recanto Parque - O Recanto Parque Iguaçu é uma entidade que trabalha com o acolhimento de dependentes químicos e de álcool, hoje atende 23 homens acima dos 18 anos. “Essa parceria com o Sicredi vem para consolidar um projeto que temos, que é implantar uma academia ao ar livre, para que ela auxilie no nosso projeto terapêutico. Com isso teremos os métodos e as ferramentas para melhorar o tratamento”, enfatiza o padre Leandro Blasius, presidente do Recanto Parque Iguaçu.

Amesfi - A Amesfi – Associação Medianeirense de Surdos e Fissurados atende cerca de 400 usuários por mês de sete municípios da região oeste. “Para nós é de grande importância ter essa parceria com a Sicredi, que sempre nos apoia. Com esse valor faremos a aquisição de equipamentos para a nossa sala de fisioterapia e assim ter mais uma alternativa de tratamento para as pessoas”, ressalta Sirlei Bittencourt Pinheiro Brod, presidente da Amesfi.

Repasse - Em 2020, a Sicredi Vanguarda repassou mais de R$ 600 mil para entidades nos estados do Paraná, de São Paulo e Rio de Janeiro.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2020/noticias/10/29/sicredi_vanguarda/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Associado de Perobal (PR) é premiado em sorteio de seguro de vida

sicredi vale piquiri 29 10 2020O seguro de vida do Sicredi premiou mais um associado, dessa vez da cidade de Perobal (PR). A promoção, cujo sorteio ocorre pela Loteria Federal, contemplou José M.G. com o valor de R$ 50 mil. Por meio dos produtos oferecidos pela instituição financeira cooperativa em parceria com a Icatu Seguros, o associado participa dos sorteios.

Essencial - “O seguro de vida é essencial para preservar o padrão financeiro dos nossos entes queridos nos momentos de maior dificuldade, além, é claro, de oferecer inúmeros benefícios em vida. Por isso, gostaria de parabenizar o nosso associado não somente pela premiação, mas também por confiar na cooperativa as suas movimentações financeiras, bem como a contratação dos nossos produtos e serviços. Ele pode destinar o valor recebido de acordo com as suas prioridades e ainda continua com todas as coberturas contratadas vigentes. É importante que a gente valorize o que temos de mais precioso: a nossa vida”, explica o gerente da agência, William Ferreira.

Precaução - Assessora de negócios na Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Daiane Campos complementa sobre a importância de adquirir um seguro de vida. “Temos que nos precaver, ainda mais nessa situação que o mundo está vivendo atualmente. Caso aconteça algo inesperado, o seguro nos auxilia financeiramente e alivia uma carga que, em muitos casos, não seria possível carregar. Esse produto proporciona mais segurança e tranquilidade aos associados e seus familiares.”

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, uma das 108 cooperativas do Sicredi, conta com 32 anos de história e mais de 159 mil associados. A área de atuação da cooperativa abrange 43 cidades no estado do Paraná e 8 cidades no estado de São Paulo, incluindo a capital paulista e cidades vizinhas do grande ABCD. São 88 espaços de atendimento, sendo 52 no Paraná e 36 em São Paulo (sicredi.com.br/vale-piquiri/).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,7 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

SICOOB METROPOLITANO I: Uma das Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil

Pelo oitavo ano consecutivo, o Sicoob Metropolitano está entre as Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil. Os vencedores do prêmio foram revelados em uma festa virtual realizada pela Época Negócios e o Great Place to Work, com o patrocínio da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, no último dia 19.

150 Melhores - No evento, foram apresentadas as 150 melhores empresas, divididas entre 80 grandes, 35 médias nacionais e 35 médias multinacionais. A cooperativa de Maringá conquistou o 7º lugar na categoria média nacionais (de 500 a 999 colaboradores), três posições acima de 2019, quando ficou na 10ª colocação. Com o aumento do número de empresas participantes e em plena pandemia, a cooperativa só tem o que comemorar.

Reconhecimento - O reconhecimento é fruto do trabalho realizado diariamente pelo Sicoob Metropolitano, que busca manter um clima organizacional harmonioso e prioriza quem realmente importa: as pessoas. Todo esse trabalho é realizado por meio de diversos programas e ações voltadas para o bem estar dos colaboradores, de acordo com o diretor-presidente, Ideval Luis Curioni, o cuidado com as pessoas faz parte da cultura da cooperativa. “Esse é o DNA do Sicoob Metropolitano, sabemos da importância em proporcionar um ambiente de trabalho saudável para que os colaboradores se sintam bem e felizes”, comenta.

Orgulho - Não é à toa que os colaboradores dizem sentir orgulho de pertencer à cooperativa, como é o caso da gerente de Relacionamento, Giselle Olmos Belletti Alarcon. Ela comenta que se sente parte de uma grande família e que realmente vive todos os dias o propósito cooperativista. “Tratar os cooperados como donos, com respeito e verdade em todas as operações, faz com que tenhamos a certeza de estar no caminho certo”, explica.

Pertencimento - Esse sentimento de pertencimento também está presente na rotina do assistente de agência, Matheus Henrique de Lima. Ele afirma ser um privilégio fazer parte desse time. “Uma cooperativa que não encanta só os seus cooperados, mas também os colaboradores, tenho muito orgulho de trabalhar aqui”, ressalta.

Apoio - Além do clima organizacional, o apoio dos colegas de trabalho também motiva o assistente de agência, Felipe Matheus Cardoso dos Santos. “Me sinto feliz em acordar de manhã e vir trabalhar, porque sei que sou importante e que as pessoas me respeitam. Entrei na cooperativa na expectativa de ter um trabalho melhor e acabei ficando por tantos outros motivos, como o clima organizacional, preocupação com colaboradores e companheirismo”, finaliza. (Imprensa Sicoob Unicoob)

SICOOB METROPOLITANO II: Anunciada a união com o Sicoob Ouro Branco

No dia 1º de novembro haverá a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para aprovação da união do Sicoob Metropolitano com o Sicoob Ouro Branco. O objetivo é unir forças para tornar o cooperativismo de crédito ainda mais sólido nas regiões em que ambas atuam. Segundo o presidente do Conselho de Administração do Sicoob Metropolitano, Luiz Ajita, a união trará muitas vantagens para os associados e comunidades. “Nosso compromisso é continuar oferecendo um atendimento humanizado e diferenciado, soluções financeiras adequadas e apoio ao desenvolvimento socioeconômico das comunidades em que estamos presentes”, afirma.

Evolução - O presidente do Sicoob Ouro Branco, Rafael Cargnin Filho, afirma que quem acompanha a evolução do setor financeiro de perto sabe que muita coisa está mudando para melhorar a vida dos cidadãos e das empresas. Ele considera que, ao longo do tempo, as instituições financeiras já vêm se ajustando uma nova realidade.

Ganho de escala - “No setor de cooperativas de crédito não é diferente. É preciso ganhar escala para atender cada vez melhor os cooperados. Por isso, a união entre o Sicoob Ouro Branco e o Sicoob Metropolitano é importante. Os associados das duas cooperativas sairão ganhando em todos os sentidos, já que o crescimento será enorme”, ressalta.

Mudanças - Para que a incorporação seja realizada, os caixas eletrônicos das agências do Sicoob Ouro Branco serão desligados no dia 30 de outubro a partir das 18h e ficarão inoperantes, com previsão de retorno no dia 3 de novembro, assim como o app. Enquanto isso, os cooperados podem utilizar bancos 24h, cartões de débito e crédito normalmente.

Código de agência - Após a incorporação os cooperados do Sicoob Ouro Branco passarão a utilizar o código de agência 4340 e terão o número da conta alterado. Entretanto, poderão continuar usando o mesmo cartão, a mesma chave e a senha do aplicativo. Caso a chave de Pessoa Jurídica conflite com uma já existente no Sicoob Metropolitano, o cooperado tentará acessar o app e não conseguirá, sendo assim é preciso procurar o gerente da conta. Os cheques continuarão sendo compensados normalmente, mas novos talões serão entregues somente cerca de 15 dias após a incorporação.

Informações - Em caso de dúvidas, os cooperados podem procurar sua agência para mais informações. (Imprensa Sicoob Unicoob)

SICOOB UNICOOB: Cooperados garantem benefícios e taxas exclusivas na Promo Week

sicoob unicoo 29 10 2020Novembro já é conhecido como o mês das promoções e ofertas de diversas marcas. Este ano não seria diferente. No Sicoob será realizada a Promo Week, que terá ações semanais durante todo o mês para o impulsionar os produtos Sipag, seguros e consórcios.

Produtos de qualidade - De acordo com o supervisor de Produtos & Serviços do Sicoob Central Unicoob, Diego Cardinali, além de aproveitar as taxas atrativas, é uma oportunidade para o cooperado adquirir produtos de qualidade e de uma instituição sólida como o Sicoob. “Seja para realizar um sonho adquirindo um bem ou protegendo esse bem com nosso seguro, temos certeza de que o associado vai sair satisfeito com sua aquisição”, ressalta.

Seguro - O supervisor Comercial da Unicoob Corretora, Marcos Lima, destaca que na Promo Week os associados poderão adquirir o seguro em condições mais atrativas e facilitadas. “Com o produto, os cooperados podem contar com coberturas que garantem a tranquilidade e as assistências que atendem às suas necessidades. Isso porque os seguros oferecem proteção às pessoas e empresas e, consequentemente, sustentam a estabilidade financeira das comunidades”, comenta.

Taxas - Segundo o gerente Comercial da Unicoob Consórcios, Gabriel Giroldo, o cooperado, normalmente, já encontra na administradora taxas abaixo da média de mercado, mas que em novembro será possível encontrar condições ainda melhores nos grupos de autos, motos, serviços e imóveis. “O cooperado poderá aproveitar por duas semanas essas taxas promocionais e terá um custo muito menor na aquisição de sua cota, com taxas de administração de menos que a metade da taxa padrão”, explica.

Sobre a Promo Week - Atento aos movimentos sociais antirracistas que estão em evidência em todo o mundo, o Sicoob optou por não utilizar o nome “Black Friday” para as ações promocionais tradicionalmente realizadas no mês de novembro. O posicionamento é nacional e tem por objetivo fazer com que as pessoas repensem no uso pejorativo da palavra “Black”, reforçando que a cooperativa está comprometida e atenta às discussões que movimentam as comunidades em que atua.

Condições especiais - As condições especiais estarão disponíveis durante todo o mês de novembro para os cooperados do Sicoob, procure sua agência e saiba mais. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB MERIDIONAL: Atividades são realizadas com foco na eleição de delegados

sicoob meridional 29 10 2020Com a proximidade das eleições para o colégio de delegados, o Sicoob Meridional preparou uma série de ações para incentivar as inscrições dos cooperados e explicar sobre a importância do cargo para a cooperativa.

Vídeos - Para isso, a singular produziu diversos vídeos explicando sobre o papel do delegado, os requisitos que um candidato deve ter, quando e como alguém pode se candidatar, a importância da votação e como será realizada a apuração dos votos. A série, denominada “Minuto do Cooperativismo”, foi postada nas redes sociais da cooperativa como forma de orientar e sanar as possíveis dúvidas dos associados.

Outubro Rosa - O Sicoob Meridional aproveitou o período da campanha Outubro Rosa para, além de conscientizar sobre o autocuidado convidar as cooperadas a se candidatarem ao cargo de delegada. Para isso, foram distribuídos banners e arcos de balão rosa em todas as agências e promovida uma ação de entrega de bombons ao público feminino, com informações sobre os dois temas.

UDC - Todas as ações foram pensadas e executadas pela Unidade de Desenvolvimento Cooperativo (UDC) do Sicoob Meridional. A especialista em desenvolvimento cooperativo, Ana Paula Sales de Lima, falou que tudo foi planejado com o objetivo de tornar o processo eleitoral mais democrático e organizado, além de fortalecer e, consequentemente, enriquecer os valores e princípios da cooperativa.

Capacitação - “Após a proclamação dos eleitos, a UDC realizará, juntamente com a Central, a capacitação dos delegados para que os nossos processos assembleares tornem-se cada dia mais claros e transparentes, formando e informando nosso cooperado, consolidando nossa gestão democrática. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

BOM JESUS: Série com a John Deere apresenta cuidados no plantio das culturas

bom jesus 29 10 2020A região sudeste paranaense e oplanalto norte catarinense já estão com a safra 2020-2021 em andamento, com o plantio de culturas como feijão, milho e soja. Um dos momentos de maior atenção por parte do produtor deve ser o plantio, afinal todo potencial genético da semente implantada no solo começa a ser expresso a partir de um bom plantio, com regulagem adequada, clima, condições de solo e etc.

Cuidados - A Cooperativa Bom Jesus e a John Deere Global Tratores elaboraram uma série que apresenta cuidados na hora do plantio das culturas de verão. A série de vídeos tem 7 episódios e seu primeiro vídeo tem como tema "Piloto Automático" na qual é apresentado por Ed Dimas, coordenador corporativo da Global Tratores John Deere, e apresenta um cenário de inovação na agricultura.

Série completa - Confira a série completa diariamente no canal da Cooperativa Bom Jesus no Youtube. Acesse youtube.com/cooperativabomjesus e inscreva-se no canal. A série também será disponibilizada na página da cooperativa no Facebook, acesse facebook.com/coopbomjesus. (Imprensa Bom Jesus)

 

COOPAVEL: Ovinopar confirma participação 33º Show Rural e ovelhas serão atração na pecuária

coopavel 29 10 2020A confirmação de ovelhas de nove raças será uma das atrações da área pecuária da 33ª edição do Show Rural Coopavel, agendada para o período de 1º a 5 de fevereiro de 2021, em Cascavel, no Oeste do Paraná. A novidade resulta de parceria da cooperativa organizadora do evento com a Ovinopar, a Associação Paranaense de Criadores de Ovinos.

Detalhes - Os primeiros detalhes da participação da Ovinopar foram tratados nesta semana em reunião com diretores da associação e de coordenadores de áreas do Show Rural. “É uma grande alegria poder participar, pela primeira vez, de um evento reconhecido como um dos três maiores do mundo na transmissão de conhecimentos para a agropecuária”, informa o presidente da Ovinopar Pedro Rocha de Abreu Filho.

Ambiente ideal - Segundo Pedro, o Show Rural Coopavel é o ambiente ideal para contribuir com o projeto da entidade de disseminar e fomentar a ovinocultura no Paraná. “O setor pecuário traz novidades em todas as suas edições, com o melhor de raças bovinas e zebuínas. E agora teremos a oportunidade também de apresentar o que há de melhor de um rebanho que desperta cada vez mais interesse dos criadores”, diz o presidente Dilvo Grolli.

Venda - Além de mostrar o melhor da genética de nove raças, os visitantes poderão comprar animais com negociações diretas entre criador e produtor, sem intermediários, informa o coordenador da área Pecuária Rozimbo Júnior Magro. A mostra da Ovinopar acontecerá nos pavilhões da pecuária, em uma estrutura especialmente formatada para receber animais e criadores.

Comitiva - Além de Pedro Rocha, a comitiva da Ovinopar, que esteve em Cascavel, foi formada por Ubiratan Bruel, Pedro Ortiz, Jorge Szczypior, Fabio Schecheli, João Furlan e Alexandre Godoy. A recepção aos diretores da associação de criadores foi feita também pelo coordenador geral Rogério Rizzardi e pela gerente do Show Rural Adriana Gomes.

O evento - Trezentos expositores já confirmaram presença no 33º Show Rural. Devido à pandemia do coronavírus, diversas medidas sanitárias serão observadas para garantir a segurança dos visitantes. Uma das novidades é que, além de presencial, o evento de 1º a 5 de fevereiro de 2021 terá forte presença nas mídias sociais – canais do Show Rural do Instagram, Facebook e Youtube. (Imprensa Coopavel)

 

ABC: Áreas financiadas pelo programa crescem quase 98% de julho a setembro

abc 29 10 2020No primeiro trimestre do atual ano-safra (julho a setembro), as áreas agropecuárias com tecnologias de redução dos gases do efeito estufa financiadas pela linha de crédito do Programa ABC (Agricultura de Baixa Emissão de Carbono) passaram de 245 mil hectares para 485,1 mil hectares, crescimento de 97,9% na comparação ao mesmo período de 2019. O levantamento é do Departamento de Produção Sustentável e Irrigação (Depros), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com base em dados do sistema Sicor do Banco Central.

Total - No período, as operações totalizaram R$1,068 bilhão, aumento de 36,8% em relação a julho-setembro de 2019. O número de contratos também cresceu, de 796 para 1.202 (51%).

Plano - O auditor fiscal federal agropecuário e responsável pelo levantamento, Roberto Rocha, destaca que o Programa ABC integra o Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono – Plano ABC, uma política nacional focada em estimular a agricultura sustentável.

Ferramentas - “No Plano ABC, o produtor rural também encontra ferramentas para assistência técnica, transferência de tecnologia e pesquisa, que o auxiliarão na expansão do uso das tecnologias de baixa emissão de carbono em sua propriedade”.

Revisão - A diretora do Depros, Mariane Crespolini, destaca que o Plano ABC passa por uma revisão para o próximo ciclo, de 2021 a 2030. “Estamos nos meses finais da primeira fase do plano, iniciada em 2011. Para a próxima etapa, nosso foco é trazer diretrizes que fortaleçam o Plano ABC, bem como a implantação das tecnologias preconizadas por essa política”, afirma.

Estados e regiões - Os produtores rurais de Mato Grosso foram os que mais buscaram o financiamento e os de Mato Grosso do Sul foram os que mais expandiram a área com a adoção de práticas de baixa emissão de carbono, totalizando mais de R$ 163,9 milhões contratados e 167 mil hectares (ha) de área financiada, respectivamente.

Valor financiado - Em relação ao valor financiado, aparecem em seguida Minas Gerais (R$ 156,3 milhões) e Goiás (R$ 116,5 milhões). Quanto à área financiada, os estados seguintes são: Mato Grosso (66,8 mil ha) e Minas Gerais (46,1 mil ha).

Por região - Na análise por região, Centro-Oeste lidera em valor contratado e área financiada, com R$ 361,6 milhões em uma área superior a 271,4 mil hectares (área maior do que foi financiado em todo o Brasil no mesmo período do ano-safra anterior).

Sudeste - O Sudeste ficou com o segundo lugar no quesito valor contratado, com mais de R$ 250 milhões, e em terceiro lugar na área financiada (75,8 mil ha).

Nordeste - O Nordeste somou, no primeiro trimestre do ano-safra, quase R$ 193,7 milhões (terceira posição) e área superior a 79 mil hectares (segunda posição).

Norte e Sul - Os produtores do Norte tomaram mais de R$ 162 milhões para financiar mais de 41,8 mil hectares. O Sul totalizou quase R$ 100 milhões em financiamento em uma área de mais de 31 mil hectares.

Plano ABC - De 2010 a 2018, mais de 40 milhões de hectares adotaram as tecnologias previstas no Plano ABC, conforme publicação da Embrapa. Os dados consideram as áreas financiadas com recursos do Programa ABC, investimentos dos próprios produtores e outras linhas de créditos.

Área agrícola - Considerando apenas o financiamento do Programa ABC, a área agrícola com a adoção das tecnologias soma quase 10,5 milhões de hectares, maior que o território do estado de Pernambuco e do Distrito Federal juntos.

Tecnologias - As tecnologias envolvem recuperação de pastagens degradadas, integração lavoura-pecuária-floresta, sistema plantio direto, fixação biológica de nitrogênio, florestas plantadas e tratamento de dejetos animais.

Financiamentos - O Programa ABC já financiou, desde 2010/11 quando foi criado, mais de R$ 20,8 bilhões.

Safra 2020-21 - No Plano Safra 2020-2021, o programa conta com R$ 2,5 bilhões para financiamentos, ampliação de R$ 400 milhões. As taxas de juros são de 4,5% e 6% ao ano.

Código Florestal - Além disso, o programa oferta a linha de financiamento ABC Ambiental para que o produtor rural possa se adequar ao Código Florestal, por meio da recuperação de reserva legal, áreas de preservação permanente, recuperação de áreas degradadas e implantação e melhoramento de planos de manejo florestal sustentável. Desde julho, os produtores podem financiar a aquisição de cotas de reserva ambiental, medida aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (ABC Ambiental - Resolução CMN n° 4.105 de 28/6/2012). Os financiamentos para recomposição de reserva legal têm taxa de juros de 4,5% ao ano, menor taxa empresarial do Plano Safra. (Mapa)

FOTO: iStock / Mapa

 

ZARC: Zoneamento orienta sobre riscos climáticos no cultivo de cevada

zarc 29 10 2020Foram publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira (29/10) as Portarias de 351 a 358 com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para a cultura de cevada de sequeiro, ano-safra 2020/2021.  

Objetivo - O Zarc tem o objetivo de indicar períodos de menor risco para o plantio, reduzindo a probabilidade de ocorrerem problemas relacionados a eventos climáticos não desejáveis. Dessa forma, permite ao produtor identificar a melhor época para plantar, levando em conta a região do país, a cultura e os diferentes tipos de solos.

Influências - A produção de cevada (Hordeum vulgare L.) com finalidade cervejeira é influenciada pelo clima, pelas características genéticas da cultivar e pelas práticas de manejo de cultivos adotadas.

Incentivo - O novo Zarc para a produção de cevada no Brasil para uso cervejeiro, sistemas sequeiro e irrigado, é um incentivo para mudar a realidade do cultivo desse cereal no Brasil. Os pesquisadores identificaram potencial para a produção de cevada para uso cervejeiro em sistema de sequeiro no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e no sul de São Paulo. E cevada em sistema irrigado nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás e no Distrito Federal.

Estímulo - “O estímulo ao cultivo de cevada para uso cervejeiro no Brasil é um dos papeis que esse novo Zarc poderá exercer, ao atuar como indutor de tecnologia de produção e facultar o acesso às políticas de crédito e seguro rural”, destaca o agrometeorologista da Embrapa Trigo Gilberto Cunha.

Municípios - O Zarc visou a identificação dos municípios aptos para o cultivo desse cereal naquelas Unidades da Federação que, reconhecidamente, possuem aptidão potencial para a produção de cereais de estação fria em sistemas de produção grãos consolidados.

Avaliação - No sistema de produção em sequeiro, foram avaliados os riscos para a incidência de geada no decêndio do espigamento e a análise do risco de deficiência hídrica conforme o tipo de solo, considerando as fases críticas de estabelecimento da cultura no campo (fase I) e durante o enchimento dos grãos (fase III). Os ambientes considerados com aptidão para o cultivo de cevada para uso cervejeiro em sistemas irrigados foram definidos pelos contornos da estação de crescimento da cultura caracterizada por ausência ou pouca chuva, não desconsiderando o risco de geadas.

Assistência técnica - “A gestão de riscos de natureza climática, especialmente no cultivo de cevada para uso cervejeiro, pode ser melhorada pela assistência técnica local, via a diluição de riscos, quando são associadas, ao calendário de semeadura preconizado nas Portarias do Zarc, práticas de manejo de cultivos que contemplem a rotação de culturas, o escalonamento de épocas de semeadura e a diversificação de cultivares, com ciclos diferentes, em uma mesma propriedade rural”, orienta Gilberto Cunha.

Zarc - Os agricultores que seguem as recomendações do Zarc estão menos sujeitos aos riscos climáticos e poderão ser beneficiados pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e pelo Programa de Subvenção ao prêmio do Seguro Rural (PSR). Nestes dois programas é obrigatório seguir as recomendações do Zarc.

Acesso - Muitos agentes financeiros só permitem o acesso ao crédito rural para cultivos em áreas zoneadas e para o plantio de cultivares indicadas nas portarias de zoneamento.

Mapacast - Ouça o áudio do Mapacast que explica o funcionamento e importância do zoneamento

Aplicativo Plantio Certo - Produtores rurais e outros agentes do agronegócio podem acessar através de tablets e smartphones, de forma mais prática, as informações oficiais do Zarc, facilitando a orientação quanto aos programas de política agrícola do governo federal. O aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, desenvolvido pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas/SP), está disponível nas lojas de aplicativos: iOS e Android

Painel - Os resultados do Zarc também podem ser consultados e baixados por meio da plataforma “Painel de Indicação de Riscos”. (Mapa)

FOTO: Paulo Odilon Kurtz / Embrapa Trigo

 

IAT: Instituto Água e Terra abre processo seletivo para 93 vagas

iat 29 10 2020O Instituto Água e Terra (IAT) abre na terça-feira (03/11) 93 vagas para preenchimento por Processo Seletivo Simplificado (PSS). São 17 cargos de nível médio técnico e 76 para nível superior. As inscrições podem ser feitas das 8 horas do próximo dia 03 até 23h59 do dia 17 de novembro pelo site da Fundação FAPIPA (www.fundacaofafipa.org.br).

Autorização - O Processo foi autorizado devido ao adiamento das provas presenciais do Concurso Público do órgão, previsto para o mês de maio deste ano. As provas foram adiadas, sem previsão de retorno, devido à pandemia. O IAT é vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest).

Novas vagas - De acordo com o diretor presidente do IAT, Everton Souza, os novos funcionários vão atender as demandas dos 21 Escritórios Regionais do IAT no Estado.

Atuação - “Eles atuarão em ações de licenciamento, monitoramento, fiscalização e outorga pelo uso da água, que são grandes demandas da sociedade, especialmente do setor produtivo”, afirmou.

Profissionais - As vagas abertas são para os seguintes profissionais: técnico de manejo e meio ambiente (17); administrador (1); biólogo (8); engenheiro agrônomo (7); engenheiro cartógrafo (2); engenheiro civil (13); engenheiro florestal (13); engenheiro químico (13); engenheiro de pesca (2); geógrafo (3); geólogo (7); químico (4); e sociólogo (1).

Salários - Os salários variam de R$ 2.711,04, para os profissionais de nível técnico médio, a R$ 5.856,80, para os candidatos de nível superior, somando as gratificações. O contrato de trabalho é válido por 1 ano, prorrogável por mais um ano.

Isentos - O Processo Seletivo oferece benefícios de isenção para candidatos cadastrados no Cadastro Único (CadÚnico), doadores de sangue e eleitores convocados e nomeados pela Justiça Eleitoral do Paraná. O período para solicitar a isenção da taxa de inscrição é das 8h do dia 03 às 23h59 do dia 06 de novembro.

Requisitos - Os requisitos exigidos para isenção da taxa estão descritos no Edital IAT nº 01/2020, que pode ser consultado nos sites da Fundação Fafipa, do IAT (www.iat.pr.gov.br) e da Sedest (www.sedest.pr.gov.br).

Fraude - A fim de evitar fraudes no pagamento da taxa de inscrição, o IAT alerta os candidatos a checar se os três primeiros números da linha digitável do boleto bancário iniciam com 341. A mesma atenção deve ser ressobrada aos três últimos números, que condizem com o valor a ser pago.

Não pagamento- Caso contrário, o candidato não deve realizar o pagamento e entrar em contato com a Fundação Fapipa através do e-mail candidato@fundacaofafipa.org.br para receber orientações.

Dúvidas - Dúvidas e problemas durante a inscrição podem ser sanados pelo telefone (44) 3423-7278 ou pelo e-mail acima.

O Instituto - O IAT tem a missão de proteger, preservar, conservar, controlar e recuperar o patrimônio ambiental, buscando melhor qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável com a participação da sociedade.

Origem - O secretário Márcio Nunes lembra que o IAT foi criado no ano passado incorporando em um único órgão três Institutos (IAP, ITCG e Águas Paraná). “Hoje, as ações de preservação e fiscalização partem de um único instituto, o IAT. Para suprir a demanda em todo o Estado, é necessário que tenhamos bons profissionais e capacidade de atendimento”, disse. “Na área ambiental, a reforma garante maior celeridade aos processos, eficácia e economia ao Estado”.

Reforma administrativa - A junção dos institutos faz parte da reforma administrativa promovida pelo Governo do Estado desde o início de 2019, que reduziu a estrutura do Estado, diminuiu o número de cargos e o custeio da máquina.

Último concurso público do IAT foi há mais de 30 anos - Para dar continuidade às diretrizes de proteção, preservação e gestão ambiental, de forma associada ao Plano de Governo vigente, a seleção imediata de novos profissionais se faz necessária. Já decorreram 30 anos desde a última contratação de efetivos e temporários. Muitos servidores deixaram as funções pelos mais diversos motivos: aposentadorias, falecimentos, exonerações, demissões, realocações, ente outros.

Pandemia - A situação se agravou em virtude da pandemia da Covid-19, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que o surto da doença constitui uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional.

Teletrabalho - Isso levou à situação de teletrabalho os profissionais com mais de 60 anos, doenças crônicas e problemas respiratórios. Também foram dispensados todos os estagiários da Administração Direta, Autárquica e Fundacional do Estado do Paraná.

Adiado - Por este motivo, o Concurso Público previsto para ser realizado pelo IAT neste ano (Edital SEAP nº 29/2020), foi adiado sem data prevista para acontecer. O PSS, portanto, surge como uma alternativa para suprir a carência de profissionais. (Agência de Notícias do Paraná)

 

BC: Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano

bc 29 10 2020Em meio ao aumento da inflação de alimentos que começa a estender-se por outros setores, o Banco Central (BC) não mexeu nos juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa Selic em 2% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.

Menor nível - Com a decisão desta quarta-feira (28/10), a Selic está no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. Em julho de 2015, a taxa chegou a 14,25% ao ano. Em outubro de 2016, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,5% ao ano em março de 2018. Em julho de 2019, a Selic voltou a ser reduzida até alcançar 2% ao ano em agosto deste ano.

Inflação - A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Nos 12 meses terminados em setembro, o indicador fechou em 3,14%. Apesar de estar em aceleração por causa da alta dos alimentos, o IPCA continua abaixo do nível mínimo da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Meta de inflação - Para 2020, o CMN fixou meta de inflação de 4%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual. O IPCA, portanto, não poderá superar 5,5% neste ano nem ficar abaixo de 2,5%. A meta para 2021 foi fixada em 3,75%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual.

Estimativa - No Relatório de Inflação divulgado no fim de setembro pelo Banco Central, a autoridade monetária estimava que o IPCA fecharia o ano em 2,1% no cenário base. Esse cenário considera as estimativas de mercado.

Defasada - A projeção, no entanto, ficou defasada diante do repique da inflação nos últimos meses. De acordo com o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo BC, a inflação oficial deverá fechar o ano em 2,99%.

Crédito mais barato - A redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores barateiam o crédito e incentivam a produção e o consumo em um cenário de baixa atividade econômica. No último Relatório de Inflação, o Banco Central projetava encolhimento de 5% para a economia neste ano. Essa foi a segunda projeção oficial do BC revisada após o início da pandemia de covid-19.

Contração menor - O mercado projeta contração um pouco menor. Segundo a última edição do boletim Focus, os analistas econômicos preveem contração de 4,81% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos pelo país) em 2020.

Negociações - A taxa básica de juros é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o Banco Central segura o excesso de demanda que pressiona os preços, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Reflexos - Ao reduzir os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas enfraquece o controle da inflação. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de subir. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

CÂMBIO: Dólar fecha em R$ 5,76 com novas medidas de lockdown na Europa

cambio 29 10 2020Em mais um dia de tensão no mercado financeiro, o dólar voltou a fechar no maior nível em cinco meses e a bolsa de valores teve a maior queda percentual para um dia desde abril. O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (28/10) vendido a R$ 5,763, com alta de R$ 0,081 (+1,43%).

Maior cotação - Na maior cotação desde 15 de maio, quando tinha fechado em R$ 5,84, a divisa operou em alta durante toda a sessão. Na máxima do dia, por volta das 9h45, chegou a R$ 5,68. O dólar só perdeu velocidade depois que o Banco Central (BC) interveio no mercado, vendendo US$ 1 bilhão das reservas internacionais em leilão à vista.

Ações - No mercado de ações, o dia foi marcado por perdas. O índice Ibovespa, da B3, fechou a quarta-feira aos 95.369 pontos, com recuo de 4,25%. Apenas nesta semana, o indicador acumulou perdas de 5,8%.

Movimento global - O Brasil foi afetado por um movimento global de aversão ao risco, quando investidores em todo o planeta procuram investimentos mais seguros, como o dólar e os títulos do Tesouro norte-americano. A turbulência persistiu nos mercados internacionais durante todo o dia porque as novas restrições impostas em países desenvolvidos por causa da covid-19 afetam a recuperação da economia mundial.

Europa - Na Europa, a Alemanha adotará lockdown emergencial de um mês, com o fechamento de restaurantes, academias de ginástica e teatros para reverter um pico de casos do novo coronavírus que pode sobrecarregar os hospitais. Na França, o presidente Emmanuel Macron disse que o novo lockdown nacional a partir de sexta-feira (30) permanecerá em vigor até 1º de dezembro para interromper a disseminação exponencial da covid-19.

Estados Unidos - Nos Estados Unidos, as bolsas também fecharam em queda, afetadas pelo avanço dos casos de covid-19 na maior economia do planeta. A proximidade da eleição presidencial, na próxima terça-feira (03/11), adicionava cautela aos negócios. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

 

PREVIDÊNCIA SOCIAL: Antecipação do BPC e do auxílio-doença é prorrogada até 30 de novembro

previdencia social 29 10 2020Previstas para acabarem no sábado (31/10), as antecipações do auxílio-doença e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) continuarão em vigor até 30 de novembro. A prorrogação da medida consta de decreto assinado nesta quarta-feira (28/10) à noite pelo presidente Jair Bolsonaro.

Aglomerações - Segundo o Palácio do Planalto, a medida tem como objetivo evitar aglomerações nas agências durante a pandemia. Por meio da antecipação, o beneficiário recebe até um salário mínimo (R$ 1.045) sem perícia médica, bastando anexar um atestado médico ao requerimento com declaração de responsabilidade pelo documento no portal do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ou do aplicativo Meu INSS.

Diferença - Após a perícia médica, o segurado recebe a diferença em uma parcela, caso o valor do auxílio-doença supere um salário mínimo. Instituída em abril, a antecipação do auxílio-doença e do BPC inicialmente valeria até o fim de julho e havia sido prorrogada até o fim deste mês.

Atestado médico - No caso do auxílio-doença, o INSS esclarece que o atestado médico deverá ser legível e sem rasuras. “O documento deverá conter as seguintes informações: assinatura e carimbo do médico, com registro do Conselho Regional de Medicina (CRM); informações sobre a doença ou a respectiva numeração da Classificação Internacional de Doenças (CID); e prazo estimado do repouso necessário”, informou o órgão.

Dados - No caso do BPC, o INSS disse que a antecipação do benefício será paga com base nos dados de inscrição no Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico) e no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).

Regras - “Além disso, para ter direito à antecipação, o requerente deve se enquadrar nas regras de renda relacionadas ao grupo familiar, que pode ser de até um quarto do salário-mínimo. Vale destacar que a antecipação do valor acima mencionado se encerrará tão logo seja feita a avaliação definitiva do requerimento de BPC”, informou o INSS. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

SAÚDE I: Brasil tem 158,4 mil mortes por Covid-19 desde início da pandemia

O balanço divulgado nesta quarta-feira (28/10) pelo Ministério da Saúde (MS) mostra 28.629 novos casos de covid-19 em 24 horas, desde o boletim divulgado na terça-feira (27/10). Agora são 5.468.270 de casos desde o começo da pandemia. Além disso, foram registradas 510 novas mortes, totalizando 158.456 óbitos. Do total de infectados, 4.934.548 pessoas (90,2%) se recuperaram da doença.

Balanço - O balanço do Ministério da Saúde é feito a partir de registros reunidos pelas secretarias estaduais de saúde e enviados à pasta para consolidação.

Covid-19 nos estados - São Paulo chegou a 1.103.582 de pessoas contaminadas. Os outros estados com maior número de casos no país são Minas Gerais (353.311) e Bahia (349.711). Já o Acre tem o menor número de casos (30.545), seguido de Amapá (51.523) e Roraima (56.469).

Mortes - São Paulo também lidera o número de pessoas que morreram por complicações da covid-19, com 39.007 mortes. Rio de Janeiro (20.376) e Ceará (9.325) aparecem na sequência. Os estados com menos mortes são Acre (691), Roraima (692) e Amapá (744). (Agência Brasil)

 

saude I tabela 29 10 2020

SAÚDE II: Boletim confirma 1.349 novos casos e 18 óbitos pelo coronavírus

saude II 29 10 2020A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quarta-feira (28/10) mais 1.349 casos confirmados e 18 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 208.683 casos e 5.098 mortes em decorrência da doença. Há ajuste de casos confirmados detalhados ao final do texto.

Internados - Nesta quarta-feira eram 621 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19. Destes, 508 ocupam leitos SUS (257 em UTI e 251 clínicos) e 113 leitos da rede particular (37 em UTI e 76 clínicos).

Exames - Há outros 879 pacientes internados, 423 em leitos UTI e 456 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 18 pacientes. Todos estavam internados. São sete mulheres e 11 homens com idades que variam de 47 a 91 anos. Os óbitos ocorreram entre 31 de agosto e 28 de outubro.

Residência - Os pacientes que faleceram residiam em Foz do Iguaçu (3). Londrina (3), Maringá (3) e Curitiba (2), além de um óbito em cada um dos seguintes municípios: Antonina, Paranaguá, Paranavaí, Piraí do Sul, Ponta Grossa, Salto do Lontra e São José da Boa Vista.

Fora do Paraná - O informa da Secretaria de Estado da Saúde registra 2.218 casos de pessoas que não moram no Estado. Destas, 49 foram a óbito.

Ajustes - Exclusões:

Um caso confirmado no dia 28/8 em Sertaneja foi excluído por duplicidade de notificação;

Um caso confirmado no dia 1/10 em Sertaneja foi excluído por duplicidade de notificação;

Um caso confirmado no dia 5/10 em Sertaneja foi excluído por duplicidade de notificação;

Um caso confirmado no dia 8/9 em Sertaneja foi excluído por duplicidade de notificação;

Um caso confirmado no dia 4/10 em Nova América da Colina foi excluído por duplicidade de notificação;

Um caso confirmado no dia 7/10 em Abatiá foi excluído por duplicidade de notificação;

Um caso confirmado no dia 5/6 em Nova América da Colina foi excluído por erro de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo.

 

SAÚDE III: Bolsonaro anuncia revogação de decreto para concessão das UBS

saude III 29 10 2020O presidente Jair Bolsonaro anunciou, por meio das redes sociais, que revogou o Decreto nº 10.530/2020, que previa realização de estudos e a avaliação de parcerias com a iniciativa privada para a construção, a modernização e a operação de Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.

Rede social - Em mensagem na rede social, Bolsonaro negou que a medida alterasse o caráter público do Sistema Único de Saúde (SUS). “O espírito do Decreto 10.530, já revogado, visava o término dessas obras, bem como permitir aos usuários buscar a rede privada com despesas pagas pela União. A simples leitura do decreto em momento algum sinalizava para a privatização do SUS”, escreveu o presidente.

Futuro - Bolsonaro disse que “em havendo entendimento futuro dos benefícios propostos pelo decreto, o mesmo poderá ser reeditado.”

Números - Conforme números apresentados pelo presidente, o Brasil tem mais de 4 mil UBS e 168 Unidades de Pronto Atendimento (UPA) inacabadas e “faltam recursos financeiros para conclusão das obras, aquisição de equipamentos e contratação de pessoal.”

Publicação - A Secretaria-Geral da Presidência da República informa que o decreto está publicado em edição-extra do Diário Oficial da União, cancelando o Decreto nº 10.530/2020. (Agência Brasil)

FOTO: Valter Campanato / Agência Brasil

 


Versão para impressão


RODAPE