Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4954 | 23 de Novembro de 2020

ENCONTRO DE AGENTES I: Ricken reconhece o trabalho dos profissionais que atuam nas cooperativas pelo Sescoop/PR

Na sexta-feira (20/11), profissionais das cooperativas do Paraná se reuniram virtualmente, por meio da plataforma Microsoft Teams, para o Encontro Estadual de Agentes. A programação incluiu palestras com a consultora em design estratégico, Paula Abbas, e com o professor Clóvis de Barros Filho. Houve também a participação de representantes das cooperativas Lar, Unimed Cascavel, Central Cresol Baser e C.Vale, que compartilharam as experiências de sucesso na área de formação cooperativista.

Agradecimento – O principal destaque do evento, no entanto, foi o papel que o agente de cooperativismo exerce para que o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) possa desenvolver suas atividades de monitoramento, formação e promoção social do público cooperativista. “Iniciamos esse dia agradecendo a vocês, pelo engajamento e, principalmente, por manterem a conexão entre o Sistema Ocepar e as cooperativas”, disse a analista de Desenvolvimento Cooperativa, Mariana Balthazar, durante o cerimonial de condução do evento.

Um ano de incertezas - Ao lado analistas do Sescoop/PR das regiões oeste e sudoeste, Henrique Xavier e Sandra de Souza Schmidt, respectivamente, e do superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, Mariana conduziu um cerimonial centrado no trabalho do agente, em especial, neste ano cheio de incertezas e novidades. “Queremos dizer que 2020 foi um ano de adaptação, inovação, reinvenção, resiliência, superação, solidariedade, empatia, gratidão e transformação”, afirmou. “Trabalhar em casa - o tão falado home office -, reuniões on line, treinamentos virtuais, lives, aprender a tirar o melhor de plataformas como e Youtube, Zoom, Google Meet, Teams e Whatsapp.  Mesmo com tantos desafios, realizamos mais de 2.400 eventos. Isso foi um pouco do que vivenciamos em 2020, e que faz com que possamos dizer “Somos o cooperativismo do Paraná! Somos coop!”, frisou.

Profissionalização - “A figura do agente é o grande diferencial do Sescoop/PR em relação a outras entidades do Sistema S”, enfatizou o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. Ao citar os fatos que levaram a criação da entidade, em 1998, o dirigente lembrou que o cooperativismo passava por uma severa crise e que, ao pedir o apoio do governo federal, ouviu que uma das exigências ou contrapartida seria de que o cooperativismo se profissionalizasse. “A gente se voltou para essa questão e, então, constatamos que a contribuição recolhida na época era destinada para outros S. Com muita luta, conseguimos criar o Sescoop e assim fazer com que os recursos fossem redirecionados e aplicados no próprio cooperativismo”, comentou.

O agente - Ricken destacou que o fato de ter o seu próprio S ajudou a alavancar o desenvolvimento do setor. “Quando o Sescoop foi criado, tínhamos 27 mil empregos e R$ 6 bilhões em faturamento. Hoje, o setor emprega mais de 100 mil pessoas e o seu faturamento vai ultrapassar R$ 100 bilhões este ano. Houve um avanço, sem dúvida. E o Sescoop/PR faz parte dessa conquista. Mas é importante frisar que esse resultado só é possível porque temos na ponta, um profissional da cooperativa para nos apoiar. É o agente quem faz o levantamento das demandas da cooperativa, elabora os projetos, executa e acompanha todas as ações. Portanto, esse profissional tem todo o nosso respeito e admiração”, ressaltou. Ouça aqui o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

{vsig}2020/noticias/11/23/encontro_agentes_I/{/vsig}

 

ENCONTRO DE AGENTES II: "Sociedade não é mais centrada na produção de bens materiais", diz Paula Abbas

"Como as tendências evoluem ao longo do tempo" foi o tema da palestra da professora Paula Abbas, durante o Encontro Estadual de Agentes. Promovido pelo Sistema Ocepar, por meio do Sescoop/PR, o evento aconteceu de maneira virtual, na última sexta-feira (20/11), por meio do Microsoft Teams. “É um desafio falar em tendências, por isso que estamos aqui, para trocar o medo por coragem. Falar em tendências é falar dos movimentos que nos levam de um lugar a outro”, disse.

Tendências - A professora Paula Abbas é graduada em Direito, técnica em Design de Interiores, pós-graduada em Marketing, mestre em Direito Empresarial e com extensões nas áreas de Psicanálise e Antropologia, História da Arte, Aplicação Estratégica das Tendências no Design e Design Thinking. Ela, que é pesquisadora de tendências, consultora de design estratégico e professora em diversos programas de inovação, explicou que as cidades vão mudando em função dos acontecimentos. O surto tuberculose no século 19, por exemplo, mudou a configuração das ruas em Paris. Outras cidades também passaram por mudanças quando a gripe espanhola se espalhou. “E agora temos a Covid-19. Quantas adaptações fizemos nos últimos meses, que antes não eram cogitadas. Aulas online, reuniões virtuais, uso de máscaras, distanciamento. Muita coisa não vai retroceder”, afirmou Paula.

Adaptação - Segundo Paula, nós somos uma sociedade cada vez mais dinâmica e complexa, com movimentos acontecendo ao nosso redor o tempo todo. “Sejam criativos, busquem desenvolver a criatividade, abracem a inovação. Estamos endo impactados por movimentos globais o tempo todo, em função do acesso que temos à informação. Então, entender como essa sociedade, que não é mais centrada da produção de bens consumo materiais, e sim de serviços, com o isso muda tudo o que vocês fazem, como vocês pensam um produto,  como vocês pensam nos cooperados de vocês, e como os cooperados pensam os produtos deles. Tudo vai mudar, está mudando, já mudou”, frisou. Ouça aqui matéria de rádio sobre a palestra de Paula Abbas.

{vsig}2020/noticias/11/23/encontro_agentes_II/{/vsig}

 

FECOOPAR: Debate sobre as transformações nas relações trabalhistas durante a pandemia será na quinta-feira

Com a proposta de debater as transformações nas relações de trabalho ocorridas durante a pandemia e as perspectivas do cenário trabalhista no Uruguai, Estados Unidos e Espanha, a Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar) promove, na quinta-feira (26/11), das 8h às 12h, o Fórum Trabalhista Internacional, em parceria com a ABDConst. O evento, realizado em formato on-line e com inscrições gratuitas, é destinado a diretores, gerentes de Recursos Humanos e advogados. Clique aqui  para se inscrever.

Palestrantes - O Fórum terá como palestrantes convidados o professor de Direito do Trabalho e de Seguridade Social da Universidade da República de Montevideo, no Uruguai, Alejandro Castello; o professor de Ciência Política da Agnes Scott College de Atlanta, na Geórgia (EUA), Augustus Bonner Cochran III, e o professor de Direito do Trabalho e de Seguridade Social da Universidade de Valência, na Espanha, Fernando Fita Ortega.

Abertura - O evento será aberto pelo assessor jurídico e sindical da Fecoopar, Graziel Pedroso de Abreu, e Marco Antônio César Villatore, coordenadores do Fórum, e pelos presidentes da ABDConst, Luciano Bernart, e do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

 

fecoopar 19 11 2020

CRÉDITO RURAL: Mais de 39% dos recursos da safra 2020/21 já foram aplicados até outubro

Levantamento realizado pela Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec), com base em dados do Banco Central, mostram que, dos R$ 236,3 bilhões anunciados pelo governo federal para a safra 2020/21, R$ 92,9 bilhões foram aplicados até o mês de outubro. O montante representa 39,3% do total. A maior parte dos recursos, ou seja, 35%, teve origem na poupança rural; 23% em recursos obrigatórios; 21% em recursos com taxas livres; 9% no BNDES equalizável, 12% em fundos constitucionais e 0% em outras fontes.

Cooperativas - Ainda de acordo com a Getec, no período que compreende os meses de julho até outubro de 2020, as cooperativas brasileiras captaram R$ 11,40 bilhões, sendo a maior parte destinados à industrialização e ao custeio. Já as cooperativas paranaenses captaram R$ 4,52 bilhões, principalmente em industrialização.

Evolução - Segundo o estudo, a captação total de recursos na política do crédito rural, em outubro da safra atual (2020/2021), se manteve em queda em relação à média do mês de outubro das três safras anteriores (2017/2018, 2018/19, e 2019/20).

 

credito rural folder 23 11 2020

 

GETEC: Informe nº 56 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 23 11 2020A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (23/11), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2020, 2021 e 2022.

Clique aqui para conferir o Informe Expectativas de Mercado Semanal

 

COVID-19 I: Confira o comunicado 160 do Comitê de Acompanhamento

covid 19 II destaque 23 11 2020O acordo de cooperação assinado entre o Sistema OCB e a Apex-Brasil, no dia 19 de novembro, com o propósito de promover os produtos das cooperativas no mercado internacional, está entre os destaques do comunicado 160, emitido pelo Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar, na sexta-feira (20/11). O boletim informa ainda sobre a participação do presidente da Frísia, Renado Greinadus, na reunião do Comitê. Veja abaixo.

1. O Sistema Ocepar, no dia 20 de novembro, contou com a participação do presidente da cooperativa Frísia, Renato Greidanus, na reunião diária do comitê estratégico, para discutir possíveis ações e caminhos para o novo ciclo do planejamento do cooperativismo paranaense.

2. No dia 19 de novembro, o Sistema Ocepar reuniu de forma virtual o Grupo Técnico das Cooperativas do Ramo Crédito do Paraná, para discutir os desdobramentos e direcionamentos das demandas e necessidades do ramo para 2021.

3. No próximo dia 26 de novembro, será realizado o Fórum Trabalhista Internacional, com apoio da Fecoopar. Para inscrição clique aqui.

4. O Sistema Ocepar, no dia 4 de dezembro, irá realizar o Encontro Estadual de Cooperativas Paranaenses. Clique aqui para mais informações.

5. No dia 19 de novembro, o Sistema OCB assinou acordo de cooperação com a Apex-Brasil, com objetivo de promover os produtos das cooperativas no mercado internacional.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia. 

 

COVID-19 II: Encontro Estadual de Agentes é um dos destaques do comunicado 161

covid 19 II destaque 23 11 2020Na manhã desta segunda-feira (23/11), o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar emitiu o comunicado 161, destacando a realização, na sexta-feira (20/11), do Encontro Estadual de Agentes, com a participação de 180 profissionais das cooperativas paranaenses. O boletim informa ainda sobre a reunião do Conselho Fiscal da Ocepar, ocorrida também na sexta-feira. Veja abaixo todos os destaques.

1. O Sistema Ocepar, por meio do Sescoop/PR, realizou no dia 20 de novembro, Encontro de Agentes de 2020, com a participação de 180 profissionais das cooperativas paranaenses. A programação contou com a apresentação de 3 cases de cooperativas e duas palestras.

2. No dia 20 de novembro, o Conselho Fiscal da Ocepar realizou a 3ª reunião ordinária da gestão 2020/2024, para tratar da prestação de contas do período, orçamento e migração para o novo sistema integrado de gestão.

3. O Sistema Ocepar, no dia 4 de dezembro, irá realizar o Encontro Estadual de Cooperativas Paranaenses. Clique aqui para mais informações.

4. No próximo dia 26 de novembro, será realizado o Fórum Trabalhista Internacional com apoio da Fecoopar. Para inscrição clique aqui.

5. O Sistema Ocepar, participou do evento organizado pelo Sistema OCB, no dia 20 de novembro, com representantes da Bolsa de Valores B3 e de outras organizações estaduais, com objetivo de discutir a regulamentação do registro de CPRs – cédula de produtor rural.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

MÍDIA: Caminhos do Campo destaca liderança do PR na produção de tilápias e investimento das cooperativas no setor

midia 23 11 2020O programa Caminhos do Campo, exibido pela RPCTV neste domingo (22/11), mostrou a liderança nacional do Paraná na produção de tilápias e o trabalho que vem sendo realizado pelas cooperativas agropecuárias para impulsionar a atividade, especialmente na região Oeste do Estado. “O investimento das cooperativas consolidou a região como uma das principais produtoras de peixe do país. O sistema de integração é um dos pontos fortes do oeste paranaense. A região tem duas grandes cooperativas que contam com a estrutura e mão-de-obra dos produtores pra cultivar tilápia e depois enviar o produto pra todo o país e para o exterior”, diz a matéria. “A jornada internacional da tilápia paranaense cresceu muito este ano. Em 2020, o Paraná já mandou 345 toneladas de peixe para outros países, segundo o Deral. O volume é bem maior do que as 195 toneladas exportadas durante todo o ano passado. O número impressiona, mas, para técnicos do setor, ainda é só começo”, destaca ainda a reportagem.

Clique aqui e confira a reportagem na íntegra

 

PRÊMIO SOMOSCOOP: Cerimônia de Premiação das Melhores do Ano é nesta terça

premio somoscoop 23 11 2020Está chegando a hora de o Brasil conhecer o resultado do Prêmio SomosCoop – Melhores do Ano. A cerimônia de premiação, que trará a ordem dos vencedores em cada uma das categorias do prêmio será on-line, na terça-feira (24/11), às 17h, no YouTube do Sistema OCB. Confira abaixo a lista das coops classificadas e dos influenciadores que passaram pelo voto popular.

COMUNICAÇÃO E DIFUSÃO DO COOPERATIVISMO

- Certaja Energia (RS): Projeto Sementes do Cooperativismo

- Sicoob Credichapada (MG): Programa de Educação Cooperativista Empreendedora e Financeira

- Vinícola Aurora (RS): Programa Aprendiz Cooperativo do Campo

COOPERATIVA CIDADÃ

- Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG (RS): Implantação e Promoção do Fundo Filantrópico de Incentivo a Projetos de Desenvolvimento Regional

- Sicredi Centro-Sul MS (MS): Unidade Móvel Hospital de Amor

- Unimed Jaboticabal (SP): Adoção Compartilhada

COOPERJOVEM

- Sicoob Fluminense (RJ): Cooperjovem

- Sicredi União MS/TO e Oeste Da Bahia (MS): Cooperjovem

- Unimed Brusque (SC): Cooperjovem

FIDELIZAÇÃO

- Copérdia (SC): Núcleos Femininos Copérdia 32 Anos: Evolução Pessoal e Profissional das Cooperadas

- Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG (RS): Projetos Digitais “Flor&Ser” e “Maratona de Carreira”

- Sicredi Progresso PR/SP (PR): Comitê Mulher Sicredi Progresso PR/SP

INOVAÇÃO

- Coplacana (SP): Avance Hub: O Hub de Inovação da Coplacana

- Lar (PR): Gestão de Ideias Lar Cooperativa

- Unicred União Agência Mais – A Primeira Agência Digital do Cooperativismo de Crédito Brasileiro

INTERCOOPERAÇÃO

- Certel e Sicredi Ouro Branco; Sicredi Integração RS/MG; Sicredi Região dos Vales; e Sicredi Botucaraí (RS): A Energia que Nos Une

- Coopatos e Copacol (MG): Projeto Recriar

- Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG e Cotrifred (RS): Projeto Meu Tambo Meu Futuro – Parceria entre as Cooperativas Cotrifred e Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG gera Impactos Significativos para a Cadeia Produtiva do Leite.

INFLUENCIADORES

- Ênio Meinen (DF)

- Evair de Melo (ES)

- José Luiz Tejon (MS)

- Luis Claudio da Silva (PE)

- Marco Aurélio Almada (DF)

- Nathalia Arcuri (SP)

- Rita Mundim (MG)

- Tereza Cristina (MS)

(OCB)

 

SICREDI: Instituição lança Programa nacional de educação financeira "Cooperação na Ponta do Lápis"

Com o propósito de cooperar para uma vida financeira sustentável, o Sicredi lança nacionalmente seu programa de educação financeira Cooperação na Ponta do Lápis. Composto por ações planejadas de modo que atendam necessidades de jovens, crianças e adultos, a iniciativa busca levar educação financeira para as regiões em que a instituição financeira cooperativa atua, apoiando diretamente os associados e as comunidades locais.

Metodologia própria - O Programa foi criado e está sendo implementado de maneira conjunta entre as cooperativas, centrais e a Fundação Sicredi, aproveitando todo o conhecimento e experiência dos profissionais da instituição sobre o tema. Por meio de uma metodologia própria, a iniciativa fornece subsídio para nortear a realização de ações de educação financeira em toda a área de atuação do Sicredi, que hoje está presente em mais de 1,4 mil municípios em 23 estados e no Distrito Federal. Nas atividades educativas realizadas, serão compartilhadas boas práticas e informações capazes de proporcionar aos envolvidos uma vida financeira mais equilibrada, orientada para melhorar a relação das pessoas com o dinheiro.

Pilar - “Acreditamos na educação financeira como um pilar do relacionamento com os nossos associados e buscamos exercê-la no dia a dia das nossas agências ao prestarmos um atendimento consultivo e focado em apoiar a saúde financeira dos nossos associados. Com o Programa Cooperação na Ponta do Lápis, reforçamos e conferimos maior unicidade às nossas ações em prol da educação financeira das pessoas. Também se trata de uma maneira de impulsionarmos o crescimento dos nossos associados e das comunidades, contribuindo para uma sociedade melhor”, explica João Tavares, presidente executivo do Banco Cooperativo Sicredi.

Presença - Atualmente, em mais de 200 municípios do país o Sicredi é a única instituição financeira presente e utilizará essa capilaridade para levar, por meio do Cooperação na Ponta do Lápis, educação financeira com conteúdos baseados na economia comportamental, área de conhecimento que vem ampliando e enriquecendo os estudos sobre como as pessoas tomam suas decisões. Assim, para gerar resultados práticos, busca proporcionar uma melhor compreensão dos hábitos em relação às finanças, indo além de conhecimentos técnicos.

Turma da Mônica - Para abordar o tema de maneira leve e divertida, o lançamento do Programa Cooperação na Ponta do Lápis contará com o reforço de ações com a participação de personagens da Turma da Mônica, que abordarão os conteúdos em gibis e desenhos animados criados em conjunto com o Sicredi. A parceria em nível nacional entre a Fundação Sicredi e a Mauricio de Sousa Produções foi iniciada em 2019, quando Mônica e sua turma passaram a compor materiais sobre educação financeira do Sicredi.

Parceria - Nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, a parceria começou em 2018 e já foram distribuídas seis edições dos gibis especiais da Turma da Mônica. As revistas em quadrinhos são gratuitas e ficam disponíveis nas agências do Sicredi. O material também é usado em oficinas de educação financeira, realizadas pelas cooperativas em períodos com aulas presenciais nas escolas. Até dezembro de 2019, mais de 4,5 milhões de gibis com temática especial de educação financeira foram distribuídos nos três estados.

Live - Entre as ações de lançamento da iniciativa, está a live “Precisamos Falar sobre Dinheiro”, marcada para esta segunda-feira (23/11) de novembro, às 19h. Participarão da conversa o comunicador Marcos Piangers e a doutora em psicologia social Vera Rita de Mello Ferreira, que também contribui como orientadora técnica do Programa.

Semana ENEF - Não é de hoje que o Sicredi tem a educação financeira como uma temática fundamental. Prova disso são suas participações em edições anteriores da Semana Nacional de Educação Financeira (Semana ENEF), que em 2020 marcará o lançamento do Programa Cooperação na Ponta do Lápis. Neste ano, o evento ocorrerá virtualmente entre os dias 23 e 29 de novembro, com o tema “Resiliência Financeira: Como atravessar a crise?”.

Relevância - Números da edição de 2019 da Semana expressam a relevância do Sicredi como participante: a instituição foi responsável por 37% das ações realizadas no Brasil, impactando mais de 4,4 milhões de pessoas em todo o país. Por meio das suas mais de 100 cooperativas de crédito, realizou cerca de 5,5 mil ações em mais de 964 municípios, sendo 73% delas palestras e 22% oficinas, totalizando aproximadamente 7 mil horas de capacitações.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,8 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2020/noticias/11/23/sicredi/{/vsig}

CRESOL: Campanha de fim de ano é lançada em rede nacional

cresol 23 11 2020A Cresol – uma das principais cooperativas de crédito do país – lançou, na quinta-feira (19/11), sua nova campanha em rede nacional. Trata-se da última campanha do ano de 2020 e tem como mote “Seguir em Frente”.

Posicionamento - No início deste ano, a Cresol fortaleceu seu posicionamento de uma cooperativa para todos em uma campanha institucional que marcou também os 25 de um sistema sólido que apresenta a cada ano um crescimento expressivo, resultado da relação de confiança com seus cooperados.

Segurança - Com a pandemia do Covid-19, a Cresol inovou, mas se manteve tradicional para atender o cooperado no momento em que ele mais precisava, proporcionando segurança para investir. A campanha “Evoluímos Juntos”, lançada no início de setembro, retratou o crescimento da Cresol ao apoiar quem precisou de auxílio em um momento de incertezas e agora, em um novo recomeço, também quer estar próxima, realizando sonhos e contribuindo com o crescimento das pessoas e das regiões onde está inserida, por isso lança a campanha “Seguir em Frente”.

Marca - “Recentemente chegamos à marca de 600 mil cooperados que confiaram na Cresol e buscaram apoio para manter firmes seus propósitos e negócios. Agora é hora de dar play nos sonhos e objetivos que ficaram de lado. A Cresol quer continuar próxima, proporcionando as soluções que as pessoas esperam para voltar a investir, seja em uma reforma da casa ou na preparação para uma viagem quando tudo isso passar. Queremos que as pessoas saibam que a Cresol sempre foi parceira e sempre estará à disposição de seus cooperados em qualquer situação. Nesse novo recomeço, conte com as soluções financeiras da Cresol para tudo o que precisar”, destacou Luiz Panzer, Diretor de Comunicação e Relacionamento da Central Cresol Baser e responsável pela comunicação da Cresol Confederação.

Veículos - A campanha, além de veicular em rede nacional pela televisão, se estende às rádios, jornais e revistas que circulam nas áreas de atuação da Cresol e também ganhará destaque pelos canais digitais.

Canais oficiais - Confira a nova campanha nos canais oficiais da Cresol. (Imprensa Cresol)

 

SICOOB CREDICAPITAL: Cooperativa apoia Mc Dia Feliz com a venda de mais de 2.300 tickets em prol da Uopeccan

sicoob credicapital 23 11 2020Foi realizada no sábado (21/11), a 32ª edição do Mc Dia Feliz. A ação tem como objetivo destinar o valor da venda do sanduíche Big Mac de todos os restaurantes da rede McDonald's para instituições que atuam no combate ao câncer infanto-juvenil e entidades que desenvolvem projetos de educação, com apoio do Instituto Ronald McDonald e Instituto Airton Senna.

Incentivador - Por mais um ano, o Sicoob Credicapital foi um grande incentivador da ação em Cascavel (PR). A cooperativa apoiou a venda dos tickets, que foram disponibilizados nas agências da cidade. Foram vendidos 2.391 tickets, que totalizaram mais de R$ 40 mil. O valor arrecadado foi repassado ao Hospital do Câncer Uopeccan.

Engajamento - Para o diretor superintendente do Sicoob Credicapital, Valdir Pacini, o resultado da ação foi conseguido com o engajamento de colaboradores e cooperados. “Eles tiveram uma participação muito nobre na causa e colocaram em prática o sétimo princípio do cooperativismo, que é o interesse pela comunidade”, afirma.

Comprometimento - Já a gerente de assuntos institucionais da Uopeccan, Kelyn Aires, a palavra que traduz o trabalho realizado pelo Sicoob Credicapital é comprometimento. “A equipe do Sicoob é muito comprometida com as ações que realizamos. Nós somos gratos a todos pela ajuda e pela contribuição”, comenta.

Campanha - O Mc Dia Feliz é uma das maiores campanhas existentes hoje em prol de crianças e adolescentes que lutam contra o câncer no país. Ao todo, são 68 projetos e 59 instituições beneficiadas, entre elas a Uopeccan, que vai usar os recursos arrecadados com a campanha para, entre outras ações, realizar aproximadamente 126 exames para crianças e adolescentes e custear a energia elétrica da Ala Pediátrica do hospital durante 12 meses. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

UNIPRIME: Oportunidade de carreira para talentos especiais

uniprime 23 11 2020A Uniprime está de portas abertas para você que gostaria de fazer parte do quadro de colaboradores de uma das 150 melhores empresas para trabalhar no Brasil. Todas as oportunidades de trabalho da Uniprime também são direcionadas aos profissionais com deficiência.

Diversidade - O programa de contratação faz parte da política de fomentar a diversidade dentro do ambiente de trabalho. Mais do que conhecimento técnico, a Uniprime valoriza profissionais engajados, proativos, que tenham objetivos em comum com a cooperativa e que queiram crescer e se desenvolver no ambiente de trabalho.

Ficou interessado? - Envie seu currículo para: trabalheconosco@uniprimebr.com.br ou cadastre-se em nosso Banco de Talentos Uniprime: uniprimebr.com.br. (Imprensa Uniprime)

 

UNIMED LONDRINA: Cooperativa médica participa de projeto-piloto da ANS

unimed londrina 23 11 2020A Unimed Londrina foi uma das 19 instituições selecionadas para participar do Projeto Cuidado Integral à Saúde - Projeto-Piloto em APS, realizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em parceria com o Institute for Healthcare Improvement (IHI), Hospital Alemão Oswaldo Cruz e Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC).

Inscritas - Quase 50 instituições se inscreveram para participar deste programa que é pioneiro, tem duração de 36 meses e objetivo de acompanhar e consolidar as experiências de operadoras que estejam implementando ou já implementaram um modelo de Atenção Primária à Saúde.

Porta de entrada - Com esta iniciativa, a ANS quer estimular a adoção de um modelo de atendimento em que a APS seja a porta de entrada para um cuidado voltado à promoção da saúde e prevenção de doenças.

Importante - Para o presidente da Unimed Londrina, Omar Genha Taha, estar entre as operadoras selecionadas para o projeto é muito importante. “Participar desta seleção da ANS mostra o quanto a Unimed Londrina se destaca no cenário nacional de operadoras de saúde. Vamos aproveitar esta oportunidade para aprimorar ainda mais a qualidade dos nossos serviços e fortalecer este modelo na cooperativa médica”, salienta.

Solidez - Érico Zanini, gerente da Promoção de Saúde e responsável pela APS da Unimed Londrina, afirma que este modelo vem conquistando solidez na operadora. “O número de clientes do Plano Unimed Personal (modelo de APS) vem aumentando e o modelo tem ótimas avaliações nas pesquisas de satisfação”, destaca.

Adequação - A partir de agora, a Unimed Londrina receberá uma série de itens para se adequar. O programa prevê a preparação para futura concessão de um certificado às operadoras de planos de saúde que cumprirem os requisitos pré-estabelecidos. Com a conquista deste certificado, aumentará a importância do serviço na Unimed Londrina, pois exigirá cada vez mais eficácia e diferencial no cuidado assistencial dos nossos pacientes. (Imprensa Unimed Londrina)

 

CASTROLANDA: Cooperativa se consolida entre as maiores empresas do agro

castrolanda 23 11 2020A Castrolanda garantiu o sétimo lugar entre as maiores empresas paranaenses do agronegócio. A cooperativa ficou também entre as maiores do ramo no Brasil, segundo o Prêmio Valor 1000, realizado pela Revista Valor Econômico em parceria com a Serasa Experian e o Centro de Estudos em Finanças da Eaesp/FGV-SP.

Posições - Em comparação ao ano de 2018, a Castrolanda subiu três posições, após ver a receita crescer, e se consolida como a 11ª maior cooperativa do país. O lucro líquido foi de R$ 66 milhões, com Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 161 milhões.

Agro - A Castrolanda garantiu o 7º lugar entre as maiores empresas paranaenses do agronegócio, segundo o Prêmio Valor 1000.

Solidez - O presidente da Castrolanda, Willem Berend Bouwman fala que estes resultados são consequências dos vários anos de trabalho. “Em quase 70 anos, a Castrolanda se tornou uma cooperativa muito sólida. Além disso, estamos inseridos em uma região com altos níveis de produtividade, estas são apenas algumas das questões que nos permitem continuar com prosperidade”.

OCB - Dados da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), mostram que em uma década o número de cooperativas do agro cresceu 4% no Brasil. Até 2018, eram cerca de 1600 cooperativas no agronegócio, em que das 15 maiores, dez estão sediadas no Estado do Paraná.

Industrialização - Para o diretor-executivo, Seung Lee, algumas questões podem ser levadas em consideração. “A curva de crescimento da Castrolanda coincide bastante com a industrialização dos nossos processos e a consolidação das nossas fábricas. Uma das coisas que também nos favorece é o bom modelo de cooperação que permite a sustentabilidade da cadeia produtiva”, afirma.

Resultados - “Os resultados nos mostram que estamos em um Estado muito desenvolvido quando se trata do cooperativismo e do agronegócio. Isso favorece o crescimento do sistema, seja com pequenas ou grandes propriedades”, completa Willem.

Sobre a Castrolanda - O compromisso com a transformação faz parte do DNA da Castrolanda. Uma cooperativa que transforma vidas, negócios e a comunidade ao redor. Com 68 anos de história, a Cooperativa Castrolanda é formada por mais de 1100 cooperados no Estado do Paraná e interior de São Paulo. Com 3,5 bilhões de reais de faturamento e aproximadamente 3500 colaboradores, possui unidades de negócios divididas em operações agrícola, carnes, leite, batata e administração e industrial - carnes, leite, batata e cerveja. O objetivo das áreas de negócio é coordenar, desenvolver e fomentar as atividades dos cooperados, seguir presente em todos os elos da cadeia produtiva, agregar valor através das indústrias e crescer com sustentabilidade. (Imprensa Castrolanda)

 

CAPAL I: Programa Descarte Certo promove a destinação correta de quase 111 toneladas de resíduos veterinários

capal I 23 11 2020Em 2020, o programa Descarte Certo completa sete anos totalizando quase 111 toneladas de resíduos veterinários coletados. A iniciativa foi implementada pela Capal Cooperativa Agroindustrial em 2014, para garantir a coleta e a destinação correta dos resíduos gerados pelos associados do Paraná e São Paulo.

Responsável e seguro - Diretor industrial da Capal, Lourenço Teixeira afirma que esse é um serviço responsável e seguro oferecido ao cooperado, dando garantia de proteção ao meio ambiente e à saúde pública. “O produtor sabe que, antes dessa implementação, ele tinha que destruir esses resíduos nas suas propriedades e dar uma destinação que, muitas vezes, era a mesma do lixo doméstico. O Descarte Certo é um programa de sucesso com a garantia da destinação correta”.

Aumento da participação - Teixeira conta que, com o passar dos anos, aumentou significativamente a participação do cooperado, o que mostra uma maior preocupação com o meio ambiente e a legislação. “Os produtores da pecuária leiteira no Estado do Paraná estão passivos de licenciamento ambiental em suas atividades agropecuárias, assim, a destinação correta dos resíduos é um requisito legal para manterem suas licenças. Ano a ano vem aumentando o volume coletado e isso se deve aos treinamentos que a cooperativa realiza junto aos associados, em que aprendem a manusear, separar e acondicionar os materiais”.

Crescimento - O primeiro ano de programa (2014) reuniu 11,1 toneladas, apresentando crescimento ao longo dos anos. Ano passado foi o que apresentou maior coleta, com 19,1 toneladas ou crescimento de 71,8% sobre a quantidade de 2014. Já em 2020 foram coletadas 18 toneladas, em setembro. Diferentemente das outras temporadas, em que a coleta é realizada duas vezes ao ano no Paraná, devido à pandemia, neste ano aconteceu somente uma oportunidade. Apesar disso, comparado ao ano de estreia do programa, houve uma evolução na coleta de quase 62%.

Requisitos - A analista ambiental da Capal, Ana Carla Rosgoski, explica que no programa Descarte Certo a coleta e o transporte são realizados por uma empresa terceirizada, que atende todos os requisitos de segurança ambiental e tem todas as licenças e o seguro. “Os cooperados passaram por treinamentos de manuseio no início do programa, como separação correta dos materiais, com a classificação em grupos ‘A’, ‘B’ e ‘E’, e acondicionar nas bombonas de 200 litros”, conta a analista.

Grupos - Os resíduos do grupo A são, por exemplo, luvas e botas descartáveis e frascos de vacinação. O B é aquele que apresenta risco químico, como frascos de medicamento, detergentes e raticidas. Já o E são os perfurocortantes, como agulhas, lâminas, seringas contaminadas, bisturis, entre outros.

Resolução - O Descarte Certo surgiu a partir da resolução 12.305, de 2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos para a gestão integrada e o gerenciamento dos resíduos, proibindo que sejam queimados, enterrados ou deixados à céu aberto.

Produção e consumo consciente - O programa da Capal promove a produção e o consumo consciente, com responsabilidade compartilhada com cada integrante da cadeia produtiva. Os cooperados, após o uso dos produtos, devem fazer a devolução, levando as bombonas em horário e local pré-estabelecidos para a empresa fazer a coleta. O recolhimento ocorre a cada seis meses nas unidades da cooperativa no Paraná e anualmente em São Paulo, promovendo uma maior tranquilidade ao produtor rural.

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a CAPAL conta atualmente com mais de 3,2 mil associados, distribuídos em mais de 20 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 70% das operações da cooperativa, produzindo 730 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, milho, café e trigo. A área agrícola assistida chega a quase 150 mil hectares. O volume de leite negociado mensalmente é de 11 milhões de litros, proveniente de 360 produtores com uma média de produção de 2,5 mil litros por dia. Além disso, a cooperativa comercializa mais de 31 mil toneladas de suínos vivos. (Imprensa Capal)

 

CAPAL II: Clima atrapalha, mas cooperados superam expectativa de produção com aumento de área

capal 23 11 2020A produção de trigo e aveia dos associados da Capal Cooperativa Agroindustrial apresentou crescimento na safra de 2020. O trigo totalizou 160.542 toneladas, cerca de 30% a mais que a expectativa. Esse número foi proveniente de um acréscimo na área de plantio que, a princípio era de 42 mil hectares, e passou para 52 mil hectares.

Aveia - Já a aveia, que em grande parte é usada como cobertura, devido à alta nos preços de produtos alternativos para a produção de ração, acabou sendo destinada a grãos, e não a cobertura. Com essa mudança de propósito, a aveia chegou a três dígitos de crescimento, com 7.502 toneladas colhidas, quase 219% a mais que o esperado (2.384 toneladas). Outras culturas de inverno, como cevada e triticale, somaram 17 mil toneladas nesta safra. A cevada vem ganhando destaque nos últimos anos.

Clima - O coordenador do Departamento Técnico das Unidades de São Paulo, Airton Pasinatto, explica que os fatores de clima foram decisivos ao longo da safra. “As condições climáticas durante o inverno deste ano foram bem marcantes. Chuvas irregulares e temperaturas acima da média histórica para o período entre abril a setembro”, descreve.

Produtividade - Por causa das condições adversas, houve uma redução na expectativa de produtividade. A estiagem superior a 45 dias e as altas temperaturas causaram uma queda de 50 kg/ha na média de produção esperada do trigo, que caiu de 3.600 kg/ha para 3.550 kg/ha. Esta situação acabou sendo compensada pelo aumento de áreas.

Áreas irrigadas - Desse modo, as áreas irrigadas superaram a expectativa de produção. Na região em que Pasinatto atua, a média das áreas irrigadas alcançou 4.100 kg por hectare e, no sequeiro, 3.350 kg/ha. A área irrigada dos cooperados da Capal representa 17% e sequeiro, 83%. Como reflexo do aumento de área, a produção geral do trigo superou o número esperado em cerca de 30%.

Importância - O gerente operacional da Capal, Cesar Rodrigues, destaca a importância do aumento de área e do clima nos números finais, apontando que o trigo superou a expectativa tanto em recebimento quanto em qualidade. “O clima que estou me referindo é que, no momento da colheita, o tempo foi ideal e favoreceu. Com isso, o trigo manteve uma qualidade excelente”, pontua.

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a Capal conta atualmente com mais de 3,2 mil associados, distribuídos em mais de 20 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 70% das operações da cooperativa, produzindo 730 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, milho, café e trigo. A área agrícola assistida chega a quase 150 mil hectares. O volume de leite negociado mensalmente é de 11 milhões de litros, proveniente de 360 produtores com uma média de produção de 2,5 mil litros por dia. Além disso, a cooperativa comercializa mais de 31 mil toneladas de suínos vivos. (Imprensa Capal)

 

PRIMATO I: Green Week será realizada nesta semana

primato I 23 11 2020De 23 a 27 de novembro acontece a Green Week Primato, cinco dias com promoções especiais em todos os negócios e segmentos da cooperativa, com descontos que podem chegar em até 70%. Esta campanha promocional vem nos moldes da black friday, mas através de um esforço de vendas foi estendida para uma semana com possibilidades de bons negócios, tanto para cooperados e clientes, quanto para a Primato.

Agro - A Green Week da Primato Agro vai apresentar descontos especiais para todos os produtos das unidades agropecuárias como, medicamentos e vacinas veterinários, nutrição animal, além de toda a parte agrícola. Ainda é possível fazer suas compras pelo site da Primato Agro, basta acessar www.primato.com.br.

Supermercados - O Primato Supermercado e a Casa Vergara estão na Green Week com promoções especiais em todos os departamentos e com descontos em vários produtos, tanto para limpeza, alimentos, bebidas, entre outros. É possível ainda optar pelas compras através dos Apps ou sites supermercado.primato.com.br e casavergara.com.br.

Restaurantes - O Primato Restaurante também vai ter promoções em almoços durante a semana do Green Week. Haverá sobremesas especiais para quem almoçar nas unidades da Avenida Parigot de Souza e da Avenida J.J. Muraro. Também é possível fazer o pedido com delivery grátis em toda a cidade pelo WhatsApp (45) 99912 0365.

Postos - Os Postos Primato vão ter promoções especiais. Ao abastecer acima de R$ 100 ganha um almoço no Primato Restaurante da avenida Parigot de Souza, além de descontos na loja de conveniência nas unidades da avenida Cirne Lima e Rua Barão do Rio Branco.

Farmácia - A Farmácia Primato, que localizada no complexo da avenida Maripá apresenta promoções especiais na Green Week. É possível também fazer as compras via site farmacia.primato.com.br ou solicite via WhatsApp (45) 99912 0330 com delivery.

Corretora - A Primato Corretora estará com condições especiais na Green Week. Comercializando alguma modalidade de seguros, o cliente ganha um vale compras do Primato Supermercado no valor de R$ 50. Os cooperados e clientes podem conferir na unidade que fica localizada em anexo ao complexo da Avenida J.J. Muraro.

Primato - “A Green Week Primato é uma campanha que estamos disponibilizando em todos os negócios e segmentos da cooperativa para proporcionar cinco dias de promoções especiais para nossos cooperados e clientes. As condições chegam em até 70% de desconto, então entendemos que será uma semana muito movimentada, principalmente porque estamos chegando ao final de ano. Expectativa de uma grande promoção que vai movimentar os negócios da Primato”, destacou o diretor executivo da Primato, Anderson Sabadin. (Imprensa Primato)

 

PRIMATO II: O importante papel do cooperado para a cooperativa

primato II 23 11 2020Um dos temas mais debatidos na atualidade é a questão da sucessão familiar, fazendo com que as propriedades possam ser gerenciadas pelas gerações de produtores rurais que nela estão. Mas há de se pensar também na sucessão dentro da cooperativa, havendo maior envolvimento de cooperados a fim de colaborar com a evolução e continuidade das ações no contexto como empresa.

Participação - Por isso, a participação de cooperados como conselheiros, auxiliando e construindo estratégias é tão importante quanto a cooperativa para seus cooperados. Cientes de que o tempo é escasso para tantas atividades do dia a dia, é preciso considerar esses esforços extras para o bem de todos os envolvidos.

Retorno - Outro ponto importante é o retorno às atividades no campo. Existem alguns casos que os filhos saíram da propriedade para estudos e trabalho e, mesmo com a vida consolidada, retornaram à propriedade para assumir os desafios da lida no campo, auxiliando os pais que precisam de ajuda.

Cascavel - E para exemplificar esses dois tópicos temos o caso do cooperado Marcelo Tracz, da localidade de Bairro Preto, Linha Novo Horizonte em Cascavel (PR). “Nossa propriedade no total são dez alqueires, dividido ao meio sendo que meu pai toca uma parte e eu a outra. Atuamos com atividade leiteira, suinocultura e um pedaço agrícola”, explicou Marcelo que complementou, “eu retornei para a propriedade rural, deixando casa e trabalho na cidade porque meu pai estava ficando mais velho e não poderia mais tocar tudo sozinho. Não é uma decisão fácil, mas penso que foi a melhor coisa que fiz”.

Envolvimento - O cooperado faz parte do Conselho Fiscal da Primato e faz questão de destacar a importância do envolvimento dos cooperados na cooperativa. “O ideal seria que todos os cooperados participassem e se envolvessem, pois somente assim as pessoas entenderiam a importância, o que representa a cooperativa e como a participação é fundamental para a evolução da mesma”, disse.

Nutrição - “Nosso plantel geral é de 70 animais, sendo 42 em lactação que tem uma média diária de 28 litros de leite cada em duas ordenhas por dia”, explicou Marcelo que complementou, “nós utilizamos a Prima Raça 22% especial há mais de três anos e avaliamos que funciona, afinal, nossa produção vai bem e apesar de não termos uma mega estrutura os resultados são excelentes, a sanidade dos animais em dia, e estamos fazendo um trabalho forte na orientação para melhorar ainda mais essa produção seguindo a assistência técnica da cooperativa”.

Cooperativa - Sobre o relacionamento com a cooperativa, Marcelo destaca o papel importante que ela tem na representatividade e na orientação dos cooperados. “A relação com a cooperativa é essencial e indispensável, afinal, não há como o cooperado ter todo o conhecimento necessário do que precisa para desenvolver um plantel de animais. Por isso, precisamos seguir a assistência técnica que recebemos da cooperativa sobre qual a nutrição animal adequada, quais os medicamentos necessários e tantas outras coisas que envolvem a atividade, isso traz a garantia de que estamos fazendo o trabalho de forma assertiva, por isso, estou muito satisfeito com a relação junto à Primato”. (Imprensa Primato)

 

COCARI: Família de integrados da cooperativa participa de projeto da Aurora Alimentos que documenta tradições culinárias

A Fundação Aury Luiz Bodanese, cuja mantenedora é a Cooperativa Central Aurora Alimentos, promoveu, na sexta-feira (20/11), o lançamento do projeto “A soma de todos os sabores”, que registrou receitas e tradições de 20 famílias brasileiras coletando depoimentos, vídeos e fotos dos participantes, entre elas, da família Couto, de São João do Ivaí-PR, integrados da Cocari.

Lançamento - O projeto resultou em uma Exposição Itinerante, em um Documentário e também na publicação de uma Cartilha de Receitas. A Cooperativa Central Aurora Alimentos, da qual a Cocari é filiada, é parceira da iniciativa em conjunto com outras instituições. O evento foi transmitido pelas mídias sociais da Fundação Aury Luiz Bodanese.

Resgate de tradições - Marlene Couto participou contando a história de uma receita de massa de pastel que foi herança da avó. Ela e seus familiares foram convidados a acompanharem o evento na Sede da cooperativa. “A sensação de participar deste projeto foi maravilhosa, por resgatar valores e receitas de nossos familiares. É gratificante ver que um trabalho que você faz é bem visto por várias pessoas, foi muito bom. Sempre fazemos coisas em família, família reunida jamais será vencida”, disse.

Material - A Cartilha de Receitas e também o link para o Documentário ficarão disponíveis no site da fundação: http://www.falb.org.br/. (Imprensa Cocari)

{vsig}2020/noticias/11/23/cocari/{/vsig}

SEAB/DERAL: Boletim registra encerramento de plantio de várias culturas

seab deral 23 11 2020O Paraná está encerrando o plantio de várias culturas dentro da temporada 2020/21, entre elas soja e as primeiras safras de milho, feijão e batata. O Boletim Semanal de Conjuntura Agropecuária, produzido por técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, referente à semana de 15 a 20 de novembro, detalha as informações sobre essas e outras culturas.

Soja - Em relação à soja, o documento relata que já foram semeados aproximadamente 5,11 milhões de hectares, o que corresponde a 92% da área estimada. O volume é um pouco inferior à da safra anterior, nesse mesmo período, quando 5,24 milhões de hectares estavam semeados. Das lavouras a campo, 70% estão em condições boas, 27% medianas, e apenas 3% consideradas ruins.

Milho e feijão - As sementes de milho da primeira safra já se estendem por 98% da área prevista, restando menos de 7 mil hectares para serem plantados. Por enquanto, 71% estão em condições consideradas boas, mas, apesar das chuvas observadas na semana, houve um declínio em relação à semana anterior, quando esse volume estava em 74%.

Plantio adiantado - O plantio da primeira safra de feijão, na temporada 2020/21, está bem adiantado no Sul do País e em São Paulo. Na região Centro-Oeste, começa agora. O Paraná já semeou cerca de 95% da área estimada para essa cultura. A maior parte (75%) das lavouras está em desenvolvimento vegetativo, 20% em floração, e 7% na fase de frutificação. A previsão é que, em meados de janeiro, um volume significativo do grão paranaense chegue ao mercado,

Batata e trigo - A primeira safra da batata avançou dois pontos percentuais no plantio nas duas últimas semanas, atingindo agora 99% do total previsto. No entanto, as lavouras também apresentaram uma piora nas condições, basicamente causadas pelo clima. De 86% consideradas boas, agora está em 83%. A expectativa é por chuvas regulares e consistentes para garantir produtividade e qualidade.

Colheita - Se o plantio avança em algumas culturas, a colheita do trigo está para ser finalizada no Paraná. Nesta semana, o volume alcançou 99%, restando apenas algumas áreas pontuais. Na próxima semana haverá uma estimativa mais realista sobre a produção, mas deve ficar próxima de 3,1 milhões de toneladas.

Mandioca e maçã - Os produtores de mandioca comemoraram as chuvas, ainda que irregulares e localizadas, pois permitiram alguns passos a mais na colheita. Sem condições climáticas ideais, as preferências dos produtores, no entanto, são pelo término do plantio ou o trato cultural para as novas lavouras.

Análise - O documento também faz uma análise da produção de maçã no mundo, Brasil e no Paraná. Terceira fruta mais produzida mundialmente, tem na China o maior produtor, com 45,5% do volume de 86,1 milhões de toneladas.

Volume - No Brasil, é a quinta fruta em volume colhido (1,2 milhão de toneladas). O Paraná ocupa a terceira colocação com 28,4 mil toneladas no ano passado, quase metade dela concentrada na região de Curitiba.

Pecuária - No setor pecuário, o boletim semanal registra o crescimento das exportações brasileiras de carne bovina, que chegaram a 86,9 mil toneladas na segunda semana de novembro. Também há uma análise sobre as perspectivas em relação ao preço da arroba, que, comparado a outubro de 2019, subiu 59%.

Suinocultura - Na suinocultura, o registro é de evolução em 21% na exportação entre janeiro e outubro deste ano, comparado com o mesmo período de 2019. O Paraná já enviou para o Exterior 116,6 mil toneladas, acrescendo US$ 256,4 milhões em sua receita financeira.

Aves - Devido ao aumento no preço do milho, os avicultores paranaenses tiveram acréscimo de quase 9% nos custos de produção de frango de corte em outubro. Em relação à exportação, o Brasil colocou 3,498 milhões de toneladas no mercado internacional até outubro. Maior exportador, o Paraná contribuiu com 1,366 milhão de toneladas. (Agência de Notícias do Paraná)

www.agricultura.pr.gov.br/Pagina/Conjuntura-Boletim-Semanal-282020

 

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL I: Capacitação orienta sobre manuseio de embalagens de agrotóxicos

 

O Instituto Água e Terra (IAT) é parceiro do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV) no programa Campo Limpo, que tem entre suas ações a capacitação para o recebimento e destinação correta das embalagens de agrotóxicos. Na quinta-feira (19/11), 212 colaboradores da Coamo Agroindustrial Cooperativa e fiscais da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) foram orientados sobre os procedimentos.

 

Segundo - O Estado é, de acordo com indicativo do inpEV, o segundo estado do País que mais recolhe e destina corretamente as embalagens deste tipo de produto. Em 2019, a destinação final chegou a 99% no território paranaense.

 

Papel fundamental - Segundo o coordenador da Divisão de Resíduos Sólidos do IAT, Fernando Bunn, o índice mostra que a sustentabilidade tem um papel fundamental na cadeia produtiva do Paraná, que possui excelentes indicadores de produção agrícola.

 

Recicladas e reutilizadas - “As embalagens podem, muitas vezes, ser recicladas e reutilizadas para novas embalagens de defensivos agrícolas. As que não podem, são encaminhadas para a destinação ambientalmente correta”, disse.

 

Tríplice lavagem - “É obrigação do agricultor realizar a tríplice lavagem, quando aplicável, e entregá-las nas unidades de recebimento. Devido a todo esse trabalho de capacitação, treinamento e gestão junto aos agricultores, cooperativas e postos de recebimento, conseguimos atingir um dos melhores índices de destinação correta e reciclagem das embalagens vazias”, destacou o diretor de Saneamento Ambiental e Recurso Hídricos do IAT, José Luiz Scroccaro.

 

Fiscalização e monitoramento - Compete ao IAT a fiscalização, o monitoramento e o acompanhamento de toda essa ação.

 

Capacitação - Em todo o Estado, cerca de 7,5 mil pessoas já foram treinadas para receber e destinar corretamente as embalagens vazias de agrotóxicos. “Quanto mais pessoas souberem receber corretamente essas embalagens, mais o meio ambiente ganha. Esses profissionais nos ajudam a manter o controle junto ao agricultor”, destacou o engenheiro agrônomo Rui Leão, responsável pelo treinamento dos colaboradores e fiscais dos pontos de recebimento.

 

Percentual - Do total de embalagens de agrotóxicos, mais de 90% podem receber a tríplice lavagem para, futuramente, serem recicladas. (Agência de Notícias do Paraná)

 

{vsig}2020/noticias/11/23/desenvolvimento_sustentavel_I/{/vsig}

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL II: Portaria estabelece prazo para informar uso de recursos hídricos

 

desenvolvimento sustentavel II 23 11 2020Pessoas físicas e jurídicas que possuem Declaração de Uso Insignificante dos recursos hídricos, emitidos pelo extinto Instituto das Águas do Paraná (Aguasparaná), têm até o dia 30 de setembro de 2021 para regularizar a situação junto ao Instituto Água e Terra (IAT), órgão vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest).

 

Portaria - A decisão foi publicada em Diário Oficial nesta sexta-feira (20/11), através da Portaria nº 382/2020. A necessidade de realizar um novo cadastro se deve pelos constantes investimentos do Instituto na modernização das emissões de outorga de recursos hídricos.

 

Exemplo - Um exemplo é a implantação do SIGARH, criado para ofertar mais eficiência e dar celeridade aos processos, além de viabilizar um sistema mais eficiente para a gestão dos Recursos Hídricos do Paraná. Gerenciar a qualidade e a quantidade de água nas bacias demanda o conhecimento atualizado dos usos e interferências.

 

Migração - Técnicos do IAT trabalham na migração das informações contidas no banco de dados do extinto Aguasparaná para o SIGARH. Porém, observou-se a necessidade da participação dos usuários que obtiveram documentos de outorga de uso de água pelo sistema anterior.

 

Renovação - De acordo com a Portaria, todo usuário que possui uma Declaração de Uso Insignificante sem data de vencimento deve solicitar sua renovação até setembro de 2021, pois esses documentos passam a ter validade até 31 de dezembro de 2021. A partir dessa data, as autorizações não renovadas estarão sujeitas às sanções previstas na Lei Estadual 12.726 de 28 de novembro de 1999.

 

Como regularizar - O usuário deve utilizar o SIGARH, através do link www.sigarh.iat.pr.gov.br/sigarh-scrh, para um novo cadastro. Caso o seu uso permaneça insignificante, o sistema emitirá seu novo documento em questão de minutos, pois se trata de um recurso online, sem integração requerente com o Instituto.

 

Site - O site do IAT disponibiliza tutoriais para auxiliar no uso do sistema de outorgas eletrônico SIGARH, através do link: www.iat.pr.gov.br/Pagina/Outorga-eletronica-de-recursos-hidricos.

 

Dúvidas - Dúvidas sobre o sistema SIGARH podem ser encaminhadas para o e-mail sigarh@iat.pr.gov.br e pela central de atendimento aos usuários pelo telefone (41) 3213-3712 ou WhatsApp (41) 99195-4901. (Agência de Notícias do Paraná)

 

MODERNIZAÇÃO: Nova plataforma permite o registro gratuito de tratores e máquinas agrícolas

 

modernizacao 23 11 2020O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançou, na sexta-feira (20/11), a Plataforma Digital de Registro e Gestão de Tratores e Equipamentos Agrícolas (ID Agro), que vai permitir o registro oficial de tratores e equipamentos agrícolas, sem custo para o produtor rural. O sistema foi desenvolvido em parceria entre a Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa e o Instituto CNA (ICNA)

 

Trânsito - O registro vai permitir o trânsito de veículos em vias públicas, sem necessidade de licenciamento e emplacamento, além de facilitar a comercialização de tratores usados, o acesso ao crédito e as ações de segurança em relação a roubos e furtos.

 

Evento - A plataforma foi lançada em evento realizado na sede da CNA. A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) lembrou que o sistema foi implementado rapidamente pelo Mapa e pela CNA, para adequar os equipamentos agrícolas à legislação de trânsito do Brasil. "São ferramentas como esta, simples, sem custo para o agricultor, mas de grande valia, que queremos ter cada vez mais em nossa agricultura, porque é isso que precisamos".

 

Aspiração histórica - O secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Mapa, Fernando Camargo, disse que o lançamento atende a uma aspiração histórica dos produtores rurais. “Eles terão a carteira de identidade de seus equipamentos e vão poder transitar nas vias públicas sem ter o risco de ter uma multa”, disse.

 

Custo zero - O vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e deputado federal José Mário Schreiner, destacou que o registro dos tratores e máquinas agrícolas terá custo zero, permitindo ao produtor usar os recursos que gastaria para fazer o registro em investimentos na propriedade, como compras de melhores sementes e insumos. “O que estamos fazendo hoje é o dinheiro no bolso do produtor”, disse Schreiner, que representou o presidente da CNA, João Martins, na cerimônia de lançamento.

 

Dados confiáveis - O secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Tercio Issami Tokano, destacou que, com o ID Agro, os órgãos de segurança terão acesso a dados confiáveis sobre a movimentação das máquinas agrícolas no país, como nomes dos proprietários e locais onde são usadas.

 

Primeiro registro - Durante o evento, foi realizado o primeiro registro de trator pelo sistema ID Agro. O produtor rural Antonio Inda, de Cabeceira Grande (MG), fez a impressão do QR Code do Renagro e colou o adesivo no seu novo trator. Para ele, o registro é um marco para os produtores rurais. “Isso vai significar uma segurança muito grande para nós produtores”, disse.

 

Trânsito - Pelo ID Agro, será possível gerar um documento oficial, com fé pública, permitindo a uniformização das informações e rastreio dos tratores e aparelhos automotores. O Registro Nacional de Máquinas Agrícolas (Renagro) dará maior tranquilidade para produtores quando transitarem com o veículo em via pública.

 

Equivalente - O documento Renagro será equivalente ao CRLV dos demais veículos. Caso o trator ou outra máquina agrícola esteja transitando em via pública e não tenha o registro do Mapa, estará sujeito às mesmas medidas administrativas aplicadas aos veículos de passeio que transitam sem o CRLV.

 

Obrigatório - O registro é obrigatório para equipamentos que transitam em vias públicas. A afixação do QR CODE no trator é opcional, porém é sugerido que o mesmo ocorra, pois facilitará consulta ao bem e operações de fiscalização.

 

Registro - Para fazer o registro, é necessário ter cadastro no aplicativo ID Agro, inserindo dados pessoais; ter a nota fiscal do bem e procurar uma agência autorizada da marca do bem. Somente as agências autorizadas poderão fazer o registro. A concessionária irá analisar os documentos originais do proprietário, a nota fiscal e a numeração do chassi ou de série do bem. O registro pode ser feito tanto para equipamentos novos como para usados.

 

Censo - De acordo com o Censo Agropecuário do IBGE de 2017, existem 1.229.907 tratores em 734.280 estabelecimentos agropecuários no Brasil. Destas propriedades, 14,5% possui pelo menos um trator. A Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) estima que sejam adquiridos aproximadamente 35 mil novos tratores a cada ano no Brasil. (Mapa)

 

Ouça o Mapacast sobre o funcionamento do ID Agro

 

FOTO: iStock / Mapa

 

ANEL DE INTEGRAÇÃO: Governo deve realizar audiências públicas sobre novos contratos de pedágio a partir de janeiro

 

anel integracao 23 11 2020O site do jornal Gazeta do Povo informou, em matéria publicada neste domingo (22/11), que o governo estadual pretende começar a realizar em janeiro de 2021 as audiências públicas para discutir as novas concessões de rodovias do Anel de Integração, cujos contratos vencem em 27 de novembro de 2021. “Nesta semana, o ministro Tarcísio [ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas] conversou conosco, comigo e com o governador [Ratinho Junior], e a previsão é de que as audiências comecem em janeiro, início do ano. O atraso foi, primeiro, em virtude da pandemia [do novo coronavírus]... Hoje ainda é difícil, mas é diferente daquele momento. Então, a previsão é começar em janeiro”, afirmou à Gazeta do Povo o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex.

 

Ministério e EPL - A reportagem também entrou em contato com o Ministério da Infraestrutura e com a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) que, em nota, afirmou que o projeto para a nova concessão das rodovias do Paraná está em estudos, mas não falou sobre prazos. A matéria lembra ainda que o governo federal não informou sobre o formato que deve ser adotado em relação às audiências públicas, se remoto ou presencial, e nem se os debates ocorrerão para cada lote de rodovias.

 

Expectativa - “A expectativa era de que o modelo das novas concessões se tornasse público ainda em meados deste ano de 2020, com realização de audiências públicas na sequência, no final do segundo semestre. Mas, até aqui, circula apenas uma versão de modelagem ainda incompleta, e que foi apresentada pela EPL apenas para autoridades do governo do Paraná e ao G7, o grupo de entidades empresariais do setor produtivo”, destaca a jornalista Catarina Scortecci, autora da matéria.

 

Etapas - O jornal publicou as etapas que devem ser seguidas em 2021 na escolha dos consórcios que vão administrar estradas do Anel de Integração daqui um ano, e o quanto tempo cada fase deve levar, em uma estimativa feita por entidades empresariais do setor produtivo:

 

JANEIRO

Realização de audiências públicas sobre o projeto para nova concessão das rodovias, feito pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL). É nessa fase, conduzida pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que o projeto é apresentado e debatido com a sociedade.

 

FEVEREIRO/MARÇO

O projeto então é revisado pela equipe da EPL, com base nas observações e sugestões feitas nas audiências públicas, e o edital de licitação é fechado, seguindo na sequência para análise do Tribunal de Contas da União (TCU).

 

ABRIL/MAIO

O TCU deve levar cerca de dois meses para fazer a análise do edital de licitação. Após a aprovação pelo TCU, o edital de licitação já pode ser publicado.

 

JUNHO

Publicação do edital de licitação. A partir daí, somam-se 100 dias até a data do leilão. Ou seja, se o documento for publicado em 1º de junho, a licitação deve ocorrer em meados de setembro.

 

SETEMBRO/OUTUBRO

Realização da licitação e formação das sociedades de propósitos específicos pelos consórcios vencedores dos lotes.

 

NOVEMBRO

Fim dos contratos atuais, firmados em 1997. Novos consórcios assumem rodovias.

 

FOCUS: Mercado aumenta previsão de inflação e prevê queda menor do PIB

 

focus 23 11 2020O mercado financeiro prevê queda menor da economia e aumenta a estimativa de inflação para este ano. A previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 3,25% para 3,45%, de acordo com o boletim Focus, publicação divulgada todas as semanas pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos.

 

Elevação - Essa foi a 15ª elevação seguida na estimativa. Para 2021, a projeção de inflação passou de 3,22% para 3,40%, na quinta elevação seguida. A previsão para 2022 e 2023 não teve alteração: 3,50% e 3,25%, respectivamente.

 

Abaixo do centro da meta - A projeção para 2020 está abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, tem centro de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,5% e o superior, 5,5%.

 

Próximos anos - Para 2021, a meta é 3,75%, para 2022, 3,50%, e para 2023, 3,25%, com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, em cada ano.

 

Selic - Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 2% ao ano.

 

Encerramento do ano - A expectativa das instituições financeiras é que a Selic encerre 2020 em 2% ao ano. A última reunião de 2020 do Comitê de Política Monetária (Copom), responsável por definir a Selic, está marcada para dezembro.

 

Percentuais - Para o fim de 2021, a expectativa é que a taxa básica chegue a 3% ao ano. A previsão da semana passada era 2,75% ao ano. Para o fim de 2022, a previsão é 4,5% ao ano e para o fim de 2023, 6% ao ano.

 

Tendência - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Entretanto, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

 

Demanda aquecida - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

 

Ajustes suficientes - Quando a Selic é mantida, o Copom considera que ajustes anteriores foram suficientes para manter a inflação sob controle.

 

Atividade econômica - A previsão do mercado financeiro para a queda da economia brasileira este ano foi ajustada de 4,66% para 4,55%. Para o próximo ano, a expectativa de crescimento passou de 3,31% para 3,40%. Em 2022 e 2023, o mercado financeiro continua a projetar expansão de 2,50% do PIB.

 

Dólar - A previsão para a cotação do dólar passou de R$ 5,41 para R$ 5,38, neste ano, e foi mantida em R$ 5,20 em 2021. (Agência Brasil)

 

FOTO: Banco Central do Brasil

 

ECONOMIA: Previsão de déficit primário em 2020 cai para R$ 844,57 bilhões

 

economia 23 11 2020A queda de despesas obrigatórias e um leve aumento nas receitas fizeram a equipe econômica melhorar levemente a previsão de déficit primário em 2020. A estimativa caiu para R$ 844,57 bilhões. O valor consta no Relatório Bimestral de Avaliação de Receitas e Despesas, entregue sexta-feira (20/11) pelo Ministério da Economia ao Congresso Nacional.

 

Resultado negativo - O déficit primário representa o resultado negativo nas contas do governo, desconsiderando os juros da dívida pública. No relatório anterior, divulgado no fim de setembro, a pasta previa que o rombo nas contas públicas ficaria em R$ 861 bilhões.

 

PIB - Em relação às estimativas para a economia, o relatório manteve as projeções divulgadas há três dias. A previsão de queda para o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país) está em 4,5%. A estimativa está mais otimista que a das instituições financeiras, que preveem contração de 4,66% no PIB, segundo a última versão do boletim Focus, pesquisa semanal divulgada pelo Banco Central.

 

Menos intensa - Segundo o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, a queda do PIB este ano não será “tão intensa” quanto esperado no início da crise.

 

Inflação - O novo relatório leva em conta a alta da inflação causada pelos preços dos alimentos. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano, usado como índice oficial de inflação, subiu de 1,83% para 3,13% neste ano. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), usado para corrigir o salário mínimo, passou de 2,35% para 4,1%. Esses números também tinham sido divulgados na última terça-feira (17).

 

Alta da arrecadação - A melhora do resultado primário decorre, em parte, da melhora nas projeções de receita. A nova versão do relatório aponta alta de R$ 4,68 bilhões nas receitas líquidas da União. A principal causa é o aumento na arrecadação de Imposto de Renda, cuja projeção subiu R$ 10,16 bilhões em relação ao relatório anterior por causa do aumento na arrecadação de Imposto de Renda das empresas.

 

Emprego formal - A recuperação do emprego formal fez a projeção com a arrecadação da Previdência Social saltar R$ 4,3 bilhões. O aumento das vendas decorrente da retomada da economia fez a projeção com a arrecadação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) ser elevada em R$ 2,1 bilhões na comparação com o relatório de setembro.

 

Receitas não administradas - As receitas não administradas, recursos não relacionados a tributos, subirão R$ 2,4 bilhões em relação à previsão apresentada no fim de setembro. A alta está relacionada aos royalties do petróleo, cuja estimativa subiu R$ 642 milhões por causa da alta na produção, e às contribuições do salário-educação, que superaram R$ 374,6 milhões a estimativa para o quinto bimestre.

 

Queda nos gastos - Quanto aos gastos, o relatório prevê recuo de R$ 12,48 bilhões nas despesas obrigatórias e leve alta de R$ 727,5 milhões nas despesas discricionárias (não obrigatórias).

 

Obrigatórios - Entre os gastos obrigatórios, a maior queda corresponde ao Bolsa Família, que deverá encerrar 2020 executando R$ 9,4 bilhões a menos que o previsto no relatório de setembro. Isso ocorre porque a maior parte dos beneficiários do Bolsa Família foi incorporada ao auxílio emergencial, que está inscrito no orçamento de guerra e fora do orçamento original de 2020.

 

Subsídios e subvenções - O relatório também reduziu em R$ 2,1 bilhões a previsão de gastos com subsídios e subvenções. A reforma da Previdência aprovada no ano passado, começa a gerar economia para o governo. A previsão de gastos com benefícios previdenciários (aposentadorias, auxílios e pensões) caiu R$ 1,8 bilhão.

 

Folga no teto de gastos - O secretário Waldery Rodrigues afirmou que o relatório divulgado na sexta-feira aponta folga no teto de gastos de cerca de R$ 3,23 bilhões. Com a redução das despesas obrigatórias, a folga subiria para R$ 18,56 bilhões, mas uma série de acórdãos com o Tribunal de Contas da União obrigou o governo a deixar de custear alguns gastos por meio dos créditos extraordinários relacionados ao enfrentamento da pandemia de covid-19.

 

Créditos extraordinários - Segundo a legislação, os créditos extraordinários estão fora do teto de gastos. Como alguns programas, como o Bolsa Família, voltaram a ser executados com recursos próprios do orçamento de 2020, R$ 15,32 bilhões em despesas foram reincluídos no teto, reduzindo a folga para R$ 3,23 bilhões.

 

Limite - Em vigor desde 2017, o teto de gastos limita o aumento das despesas federais ao aumento da inflação do ano anterior. A medida vale por 20 anos. (Agência Brasil)

 

FOTO: Palácio do Planalto

 

 

 

SAÚDE I: Brasil acumula 6,07 milhões de casos e 169 mil mortes por Covid

 

O balanço divulgado neste domingo (22/11) pelo Ministério da Saúde indica o acréscimo de 18.615 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas. No acumulado desde o início da pandemia já são 6.071.401 casos. Além disso, foram registradas 194 novas mortes, totalizando 169.183 óbitos. Além disso, 5.432.505 pessoas (89,5%) já estão curaram da doença.

 

Mais baixos - Os números mais baixos são comuns nos domingos, em razão da dificuldade de alimentação dos dados pelas secretarias de saúde aos fins de semana. O balanço do Ministério da Saúde é feito a partir de registros reunidos pelas secretarias estaduais de saúde e enviados à pasta para consolidação.

 

Covid-19 nos estados - São Paulo chegou a 1.209.588 de pessoas contaminadas. Os outros estados com maior número de casos no país são Minas Gerais (396.933) e Bahia (384.903). Já o Acre é o estado que tem o menor número de casos (34.626), seguido de Amapá (56.548) e Roraima (61.838).

 

Mortes - São Paulo também lidera o número de mortes, com 41.267. Rio de Janeiro (21.974) e Minas Gerais (9.777) aparecem na sequência. Os estados com menos mortes são Acre (713), Roraima (720) e Amapá (789). (Agência Brasil)

 

 

saude I tabela 23 11 2020

SAÚDE II: Sesa confirma 814 novos casos e 7 mortes pela Covid

 

saude II 23 11 2020A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou neste domingo (22/11) mais 814 casos confirmados e sete mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. O Informe traz também a confirmação de 394 casos retroativos que ocorreram entre o dia 16 de junho a 20 de novembro que estavam com investigação em aberto e agora foram encerrados como casos confirmados e automaticamente computados no sistema.

 

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 neste domingo mostram que o Paraná soma 253.143 casos e 5.801 mortos em decorrência da doença.

 

Internados - 726 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 635 pacientes em leitos SUS (311 em UTI e 324 em leitos clínicos/enfermaria) e 91 em leitos da rede particular (30 em UTI e 61 em leitos clínicos/enfermaria).

 

Exames - Há outros 1.241 pacientes internados, 521 em leitos UTI e 720 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

 

Mortes - A secretaria estadual informa a morte de mais sete pacientes. Todos estavam internados. São cinco mulheres e dois homens, com idades que variam de 59 a 85 anos. Os óbitos ocorreram entre 18 de novembro e 21 de novembro.  

 

Municípios - Os pacientes que morreram residiam em Foz do Iguaçu (2), Ponta Grossa (2), São Miguel do Iguaçu (2) e uma morte no município de Castro.  

 

Fora do Paraná - O monitoramento registra 2.555 casos de residentes de fora, 52 pessoas morreram. (Agência de Notícias do Paraná)

 

Confira o informe completo clicando no www.saude.pr.gov.br/Pagina/Coronavirus-COVID-19

 


Versão para impressão


RODAPE