Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4964 | 07 de Dezembro de 2020

AGROPECUÁRIA: Entidades do setor produtivo solicitam ao governo estadual que não acabe com a Tarifa Rural Noturna

agropecuaria 07 12 2020Um ofício assinado pela Ocepar, Faep, Fiep, Sindiavipar, Sindicarne e Sindileite foi encaminhado, no dia 3 de dezembro, ao governador Ratinho Junior, solicitando a retirada do Projeto de Lei 657/2020 encaminhado à Assembleia Legislativa que, no artigo 9º, propõe o fim do Programa Tarifa Rural Noturna. Na avaliação das entidades, o governo está “cometendo um grave equívoco”, já que o programa beneficia milhares de pequenos produtores rurais. "O projeto em si tem grandes méritos ao propor a instituição do Programa Paraná Energia Renovável, que poderá, no futuro, resolver em grande parte o problema de energia no campo. Mas, como dito, no futuro", prossegue o ofício. No documento, elas afirmam ainda que “eliminar abruptamente o Programa Tarifa Rural Noturna num momento difícil de nossa economia significa empurrar para os produtores rurais um acréscimo impraticável em seus custos de produção, enquanto se procura mitigar os impactos sociais e econômicos da pandemia a outros setores.” As entidades propõem que elas possam participar, junto com o governo estadual, da reestruturação de uma solução que atenda às necessidades dos produtores rurais e, ao mesmo tempo, não onere o Tesouro Estadual. 

Clique aqui e confira na íntegra o ofício

 

WEBINAR: Evento on-line vai debater compliance e sustentabilidade nesta terça e quarta-feira

A Unimed Paraná promove, nesta terça e quarta-feira (08 e 09/12) um webinar com o tema “Compliance e sustentabilidade”. A ideia é reforçar o compromisso com a integridade corporativa em favor da ética e do combate a práticas que favoreçam a corrupção, destacando a necessidade do engajamento de gestores, líderes e profissionais de organizações privadas nos processos de compliance. O superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), Leonardo Boesche, é um dos palestrantes convidados. Ele participa do primeiro dia do evento, que ocorrerá das 14h às 15h45, juntamente com Reinaldo Goto, chefe de Compliance da BRF e Juliana Nascimento, gerente de Riscos da KPMG.

Segundo dia - No segundo dia, o evento será das 9h às 11h, com as presenças de Jelson Oliveira, professor do Programa de Pós-graduação em Filosofia da PUCPR, Letícia Sugai, sócia das empresas Veritaz Gestão de Riscos e Compliance e Gordion Consultoria, e Rodrigo Henriques, diretor de Sustentabilidade na Lanakaná Princípios Sustentáveis.

Clique aqui para se inscrever

 

webnar unimed 07 12 2020

GETEC: Informe nº 59 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 07 12 2020A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (07/12), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2020, 2021 e 2022.

Clique aqui para conferir o Informe Expectativas de Mercado Semanal

 

COOPERATIVISMO: Em discurso no Congresso, Rubens Bueno celebra 50 anos da Coamo

cooperativismo 07 12 2020O deputado federal Rubens Bueno (PR) usou a tribuna da Câmara, na semana passada, para falar um pouco sobre uma das maiores cooperativas do país: A Coamo. A coop sediada em Campo Mourão, interior do Paraná, completou 50 anos no dia 28 de novembro.

Origem - O deputado, integrante da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), contou que a coop nasceu de uma iniciativa de 79 agricultores da região de Campo Mourão que se uniram a uma ideia visionária do engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini. A Coamo é hoje a maior cooperativa agrícola do Brasil e da América Latina e uma das maiores empresas do país. Segundo ele, neste ano, mesmo num cenário de pandemia, a cooperativa a deve bater recorde com um faturamento de R$ 18 bilhões, um resultado 40% superior ao de 2019.

Exemplo - "A Coamo é um exemplo para o país da união de trabalhadores e da excelência de nossos homens do campo na produção de alimentos para o Brasil e para o mundo. Manifesto todo o meu reconhecimento a sua direção, aos cooperados, funcionários e a todos os envolvidos com essa grande família que traz desenvolvimento econômico e social não só para o Paraná, mas para todo o país", ressaltou o deputado, que foi prefeito de Campo Mourão entre 1993 e 1996.

Cooperativismo - Ao comemorar a data de fundação da Coamo, Rubens Bueno lembrou também da importância do cooperativismo. "É uma atividade que deve ser cada vez mais incentivada por sua importância econômica e grande capacidade de gerar emprego e renda para a população. A semente do cooperativismo precisa chegar a novos campos e por isso, no Congresso Nacional, trabalhamos sempre no sentido de aprovar iniciativas que impulsionem esse setor", disse.

Números - No Paraná, o cooperativismo possui mais de 100 mil vínculos empregatícios, sendo que a maioria nas cooperativas agropecuárias. No Brasil, são 14 milhões de cooperados, 425 mil empregos diretos, sendo que, somente na agricultura, as cooperativas respondem por 48% de toda a produção. No mundo inteiro são hoje três milhões de cooperativas em 107 países. (OCB, com informações da assessoria do deputado)

 

SOMOSCOOP: Série vai mostrar as melhores do ano

somoscoop 07 12 2020Não basta só reconhecer o que as cooperativas têm feito de bom por aí. É preciso mostrar! Por isso, o Sistema OCB iniciou na semana passada a divulgação de uma série de vídeos contando a história do primeiro lugar de cada categoria do Prêmio SomosCoop Melhores do Ano.

Sicredi Alto Uruguai - Para começar, a primeira história é a do Sicredi Alto Uruguai, que levou a melhor na categoria Fidelização. A coop superou os obstáculos e conseguiu engajar colaboradores e associados nos projetos Flor & Ser e Maratona de Carreira, com foco em jovens e mulheres.

Dedicação - De acordo com a gerente geral da OCB, Tânia Zanella, fidelizar cooperados sempre é uma tarefa que exige dedicação, e em tempos de pandemia os desafios são ainda maiores. “Esse case do Sicredi Alto Uruguai é muito significativo porque eles conseguiram engajar os colaboradores que, voluntariamente, conduziram esses projetos e aumentaram a participação dos associados na vida da cooperativa. E tudo isso virtualmente”, comentou a gerente geral.

Case - Clique aqui para conhecer esse caso de sucesso.

 

Premiadas - Confira abaixo a lista das coops premiadas, por categoria:

 

COMUNICAÇÃO E DIFUSÃO DO COOPERATIVISMO

 

1º lugar - Sicoob Credichapada (MG): Programa de Educação Cooperativista Empreendedora e Financeira

 

2º lugar - Certaja Energia (RS): Projeto Sementes do Cooperativismo

 

3º lugar - Vinícola Aurora (RS): Programa Aprendiz Cooperativo do Campo

 

COOPERATIVA CIDADÃ

 

1º lugar - Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG (RS): Implantação e Promoção do Fundo Filantrópico de Incentivo a Projetos de Desenvolvimento Regional

 

2º lugar - Unimed Jaboticabal (SP): Adoção Compartilhada

 

3º lugar - Sicredi Centro-Sul MS (MS): Unidade Móvel Hospital de Amor

 

COOPERJOVEM

 

1º lugar - Sicoob Fluminense (RJ): Cooperjovem

 

2º lugar - Sicredi União MS/TO e Oeste Da Bahia (MS): Cooperjovem

 

3º lugar - Unimed Brusque (SC): Cooperjovem

 

FIDELIZAÇÃO

 

1º lugar - Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG (RS): Projetos Digitais “Flor&Ser” e “Maratona de Carreira”

 

2º lugar - Copérdia (SC): Núcleos Femininos Copérdia 32 Anos: Evolução Pessoal e Profissional das Cooperadas

 

3º lugar - Sicredi Progresso PR/SP (PR): Comitê Mulher Sicredi Progresso PR/SP

 

INOVAÇÃO

 

1º lugar - Coplacana (SP): Avance Hub: O Hub de Inovação da Coplacana

 

2º lugar - Unicred União Agência Mais – A Primeira Agência Digital do Cooperativismo de Crédito Brasileiro

 

3º lugar - Lar (PR): Gestão de Ideias Lar Cooperativa

 

INTERCOOPERAÇÃO

 

1º lugar - Certel e Sicredi Ouro Branco; Sicredi Integração RS/MG; Sicredi Região dos Vales; e Sicredi Botucaraí (RS): A Energia que Nos Une

 

2º lugar - Coopatos e Copacol (MG): Projeto Recriar

 

3º lugar - Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG e Cotrifred (RS): Projeto Meu Tambo Meu Futuro – Parceria entre as Cooperativas Cotrifred e Sicredi Alto Uruguai RS/SC/MG gera Impactos Significativos para a Cadeia Produtiva do Leite.

 

INFLUENCIADORES

 

Confira agora, os três maiores influenciadores do país, quando o assunto é cooperativismo. O voto popular contou com a participação de 14,2 mil pessoas.

 

- Evair de Melo (ES)

 

- Marco Aurélio Almada (DF)

 

- Rita Mundim (MG)

 

(OCB)

 

 

SICREDI IGUAÇU: Cresce número de empréstimos para micro e pequenas empresas durante pandemia

sicredi iguacu 07 12 2020A Junta Comercial do Estado de São Paulo (Jucesp) registrou a abertura de 24.734 empresas em outubro de 2020 - um acréscimo de cerca de 30%, se comparado ao mesmo período do ano passado, quando foram constituídos 18.953 negócios. O levantamento, que é realizado há 22 anos pelo órgão, indica um recorde histórico combinado com a sexta alta consecutiva de empresas abertas desde abril de 2020.

Febraban - O aumento do empreendedorismo reflete também nos números consolidados pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Entre 16 de março e 23 de outubro deste ano, o setor bancário somou R$ 247,8 bilhões de concessões de crédito para micro e pequenas empresas, incluindo novos contratos e renovações. Em grande parte dos casos, a perda do emprego formal, que foi bastante impactado pela pandemia, tem levado os profissionais a iniciarem um negócio próprio. Mas, apesar da oferta de crédito, é preciso cautela no momento de solicitar um empréstimo.

Ponderação e planejamento - “Mesmo quando se trata de uma alternativa de trabalho e de ganhos para quem perdeu o emprego, a abertura de uma empresa pede sempre ponderação e planejamento”, afirma o gerente da agência de Campinas da Sicredi Iguaçu PR/SC/SP, Marco Tejeda.

Avaliação - Segundo ele, a possibilidade de contrair um empréstimo para alavancar o próprio negócio deve figurar no topo das listas de avaliações e de decisões do futuro empreendedor. “É preciso considerar a finalidade do dinheiro que será tomado e de que maneira esse empréstimo vai comprometer o orçamento da nova empresa. A falta de planejamento pode levar ao endividamento, caso o empresário não tenha como honrar os compromissos assumidos junto à instituição financeira", alerta o especialista.

Conhecimento - Quem empresta dinheiro deve ter pleno conhecimento dos produtos oferecidos e das taxas cobradas. “Alguns bancos agregam produtos ao empréstimo. Neste caso, é fundamental que se tenha certeza de que os valores contratados não sejam superiores aos que realmente o empreendedor deseja e precisa”, destaca.

Benéfico - Quando o planejamento é a alma do novo negócio, o empréstimo pode ser bastante benéfico na avaliação de Tejeda. “O recurso tomado para melhorar a infraestrutura ou alguma outra medida que impacte positivamente o faturamento, sem endividamento maior que a capacidade de pagamento e que comprometa o orçamento, é a melhor alternativa para o empreendedor”, exemplifica.

Pesquisas - O especialista recomenda que o futuro empresário faça pesquisas em mais de uma instituição, pois os cenários podem ser bastante diversos. “Em relação ao Sicredi, como se trata de uma instituição financeira cooperativa, as taxas oferecidas são, sem dúvida, as melhores do mercado. Além disso, o associado tem participação nas sobras, que são os resultados da cooperativa”, ressalta.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,8 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

FOTO: Pixabay

 

SICREDI UNIÃO PR/SP: Agência smart recebe prêmio Abecs Melhores Práticas

sicredi uniao 07 12 2020Uma agência sem dinheiro físico que ajudou a transformar a forma de fazer negócios da população garantiu à Sicredi União PR/SP o prêmio Abecs Melhores Práticas, concedido pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços. A divulgação dos ganhadores foi em 1 de dezembro - 36 projetos concorreram e foram avaliados por uma comissão formada por sete especialistas.            

Reconhecimento - A premiação na categoria Novos Produtos e Serviços foi um reconhecimento ao projeto SicrediSmart, implantado em Cafeara, no norte do Paraná, em 2018 como a primeira agência digital do Sistema Sicredi. Com a chegada da agência, a cidade deixou de fazer parte das estatísticas de municípios desassistidos pelo sistema financeiro. E a população passou a ter acesso a conta corrente, cartão de crédito, internet banking, aplicativo e contratação de produtos e serviços financeiros.        

Sustentabilidade - Além de ser completamente digital e não ter circulação de dinheiro em espécie, a agência é a primeira instituição financeira instalada em contêineres e conta com instalação de energia solar.           

Iniciativas inovadoras- O projeto da Sicredi União PR/SP disputou a última fase da premiação com a empresa Getnet. Os vencedores das demais categorias podem ser conferidos no site: https://premio.abecs.org.br/. O prêmio é realizado desde 2012 para reconhecer e divulgar iniciativas inovadoras que ajudam a melhorar a qualidade e a eficiência do setor de meios eletrônicos de pagamento, gerando benefícios aos consumidores e estabelecimentos comerciais credenciados. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Destaque em ranking do GPTW 2020

sicredi vale piquiri 07 12 2020Mais uma vez, a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP recebeu a certificação como uma das Melhores Empresas para Trabalhar pelo Great Place to Work. A cooperativa foi um dos destaques no ranking de 2020 do GPTW, que aplicou uma pesquisa com os colaboradores, que, por sua vez, avaliaram o ambiente, o índice de confiança, o trabalho em equipe e o orgulho no desempenho das atividades.

Ranking - Além do selo em nível nacional, no fim de novembro foram anunciadas as Melhores Empresas para Trabalhar no Paraná, novamente com a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP entre as finalistas. A 11ª edição do ranking do estado contou com 259 empresas participantes e envolveu mais de 118 mil colaboradores.

Orgulho - “Nós temos orgulho em construir uma cooperativa que é uma das melhores empresas para trabalhar. Essa é uma conquista de todos os colaboradores e associados. Isso permite que possamos contribuir cada vez mais com o desenvolvimento local e regional. Desta forma, podemos fazer uma sociedade mais próspera e seguir fazendo a diferença”, comemorou o presidente da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Jaime Basso.

GPTW Mulher - Em junho, a cooperativa já havia sido reconhecida com o selo GPTW Mulher, iniciativa com o intuito de promover discussões sobre o posicionamento da mulher na sociedade e incentivar o protagonismo feminino.

Conquistas - Os resultados somam-se aos conquistados em 2019, quando a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP foi premiada na categoria nacional como uma das dez melhores cooperativas de crédito para trabalhar, além de fazer parte da lista com os destaques no estado do Paraná.

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, uma das 108 cooperativas do Sicredi, conta com 32 anos de história e mais de 160 mil associados. A área de atuação da cooperativa abrange 43 cidades no estado do Paraná e 8 cidades no estado de São Paulo, incluindo a capital paulista e cidades vizinhas do grande ABCD. São 92 espaços de atendimento, sendo 52 no Paraná e 40 em São Paulo (sicredi.com.br/vale-piquiri/).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,8 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

CRESOL: Terceira melhor empresa para trabalhar no Paraná

cresol 07 12 2020A Cresol recebeu pelo segundo ano consecutivo o prêmio como uma das Melhores Empresas para Trabalhar no Paraná, alcançando, neste ano, o destaque como a terceira melhor empresa de grande porte no Paraná, estado berço da Cresol. O prêmio é reconhecido pelo Great Place to Work (GPTW) - empresa de consultoria global que apoia organizações no alcance de melhores resultados por meio de uma cultura de confiança, alto desempenho e inovação.

Boas práticas - Em todas as agências de relacionamento do Sistema Cresol são cultivadas as boas práticas organizacionais que proporcionam o bem-estar dos colaboradores que, consequentemente, fornecem sempre o melhor atendimento e soluções financeiras personalizadas aos cooperados. “Este é o nosso terceiro reconhecimento do ano, que mais uma vez confirma que estamos no caminho certo, mas o nosso principal prêmio é ter os colaboradores felizes e satisfeitos trabalhando na Cresol”, destacou o presidente do Sistema Cresol Baser, Alzimiro Thomé.

Premiações nacionais - Neste ano a Cresol já recebeu duas premiações nacionais: Melhores Empresas para Trabalhar no ramo do Agronegócio e como uma das Melhores Empresas para Trabalhar – Instituições Financeiras.

Reconhecimento - Adriano Michelon, superintendente da Cresol, também falou sobre o destaque no estado do Paraná. “A Cresol nasceu no Paraná e foi aqui que se fortaleceu para expandir e levar desenvolvimento para outras regiões. Em um ano atípico, onde todos precisaram se reinventar, a Cresol inovou e mais uma vez foi reconhecida por isso”, ressaltou.

Sobre a Cresol - O Sistema Cresol completou neste ano 25 anos de história. São mais de 5 mil colaboradores atuando em 17 estados brasileiros. Sempre aprimorando o ambiente de trabalho dos seus profissionais, seja confederação, central, sedes administrativas ou nas agências, a Cresol também incentiva a formação, com capacitações, cursos presenciais e a distância, além de proporcionar diversos benefícios aos colaboradores. (Imprensa Cresol)

 

UNIPRIME: Financie seus impostos

uniprime 07 12 2020Além de ser um período que sucede os dias festivos, o início do ano também é marcado pelo acúmulo de contas, dificultando o pagamento à vista dos compromissos financeiros. A situação pode se agravar ainda mais àqueles que não possuem 13º salário ou férias remuneradas. Diante disso e de seu propósito de melhorar a vida financeira das pessoas, a Uniprime oferece aos seus cooperados a possibilidade de financiar o IPTU e IPVA, de forma rápida e sem burocracia.

Parcelamento - “Além dos juros serem mais baixos do que os praticados pelo governo, nós parcelamos em até 10 vezes. Com isso, a parcela se torna bem pequena dentro do fluxo do cooperado”, explica Geraldo Nazareno Martini, Gerente da Agência Uniprime Maringá.

Pessoas Física e Jurídica - Vale lembrar que o financiamento é para Pessoa Física e Pessoa Jurídica e o cooperado ainda recebe parte dos juros pagos na distribuição anual de sobras.

Mais - Quer saber mais? Contrate agora mesmo com seu Gerente Uniprime. (Imprensa Uniprime)

 

SICOOB METROPOLITANO: Desafio do Bem incentiva ações em benefício da comunidade

sicoob metropolitano 07 12 2020Um dos pilares da gestão do Sicoob Metropolitano é o foco nas pessoas. E para fortalecer essa cultura, a cooperativa possui muitos programas e ações voltados para o bem-estar físico, psicológico e para o desenvolvimento dos colaboradores.

Desafio - Entre os programas está o Desafio do Bem, iniciativa que a cooperativa reforçou neste fim de ano, incentivando a participação de todos os colaboradores. A proposta é simples: que os todos realizem alguma ação que faça bem ao próximo e, que de alguma forma, beneficie a comunidade.

Estendido - A princípio, o desafio aconteceria durante todo o mês de novembro. Entretanto, diante da repercussão positiva e do grande engajamento das equipes, o desafio foi estendido e agora, vale até o final de dezembro.

Gratidão - Para Mariana Zamoro, assistente da agência de Marialva (PR), o Desafio do Bem passa de um gesto simples a um grande gesto quando é possível perceber a gratidão de quem recebe. “Vemos que ações como essas alegram o dia de pessoas e entidades. É algo que levaremos para a vida, vendo o quão importante é ajudar o próximo”, comenta.

Diferença - Já Lorena Tardivo Rubim, que é gerente de relacionamento da agência Asa Moda, de Cianorte (PR), diz acreditar que com pequenas atitudes, é possível fazer a diferença na sociedade. “Com o Desafio do Bem, mobilizamos toda a equipe a desacelerar um pouco e olhar para o próximo. Para que as pessoas possam ver que qualquer cidadão pode fazer a diferença em um ato de compaixão”.

Ações - Conheça algumas das ações já promovidas pelo Desafio do Bem do Sicoob Metropolitano:

• Agência Avenida Center (Maringá-PR): Doação de sangue para o Hemocentro.

• Agência Aeroporto (Maringá-PR): Doação de alimentos e brinquedos para a Paróquia Santo Antônio, que distribui cestas básicas para famílias carentes.

• Agência Liberdade (Maringá-PR): Doação de 40 panetones para o CIAPS (Centro Integrado de Atendimento Pedagógico e Social), que atualmente atende 170 crianças e adolescentes em situação de alta vulnerabilidade social.

• Agência Pedro Taques e Agência Mulher (Maringá-PR): Entrega de cestas de guloseimas para o Lar Preservação da Vida, que cuida de mulheres, gestantes e crianças.

• Agência Praça dos Pioneiros (Sarandi-PR): Entrega de uma cesta básica para o Sr. Ezequias, que trabalha como entregador de panfletos em frente à agência.

• Agência Marialva (PR): Entrega de itens de higiene para o Asilo São Vicente de Paula.

• Agência Asa Moda (Cianorte-PR): Instalação de suportes para água e ração em frente da agência e de comércios próximos, para alimentar animais de rua.

• Agência Índio Bandeira (Campo Mourão-PR): Doação de sangue para o Hemonúcleo.

• Agência Goioerê (PR): Confecção de 810 fraldas para a Casa de Fraldas, que atende entidades e famílias da cidade.

• Agências Peabiru e Índio Bandeira em Campo Mourão (PR): Confecção de 1938 fraldas, doadas para a Casa de Fraldas de cada cidade.

• Agência Rondon (PR): Entrega de um mimo saboroso junto com as atividades da semana para os alunos da APAE.

• Agência Alto Paraná (PR): Doação de 18 pacotes de fraldas geriátricas para a Pastoral da Saúde, que atende 20 famílias carentes de idosos e pessoas diagnosticadas com câncer.

• Agência Roncador (PR): Distribuição de sementes de crotalária (flor que combate o mosquito da dengue) aos cooperados.

• Agência Limeira (SP): Arrecadação de alimentos e doação para famílias carentes.

• Agência Cantareira (Guarulhos-SP): Arrecadação de materiais de higiene e máscaras descartáveis para a ação do Prato Solidário de Guarulhos, que irá distribuir os itens para pessoas em situação de rua. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICREDI/UNIMED: Cooperativas realizam ação social em municípios de São Paulo

Quatro entidades assistenciais da região fizeram parte uma ação social promovida pela intercooperação entre Unimed Presidente Prudente e Sicredi Rio Paraná PR/SP. Com o objetivo de ajudar entidades das áreas de atuação, promover a intercooperação e o desenvolvimento local, as cooperativas doaram produtos que algumas entidades listaram como de maior necessidade no momento, além de bolas temáticas para divertir as crianças.

Apoio - Intitulada de CooperAção, a atividade pretende fortalecer o apoio das cooperativas nas comunidades, um dos princípios cooperativistas. As entidades beneficiadas foram: em Presidente Prudente (SP), a Associação Bethel e o Lar São Rafael. E em Presidente Epitácio (SP), o Espaço Criança e a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais).

Itens - O Lar São Rafael, em Presidente Prudente, recebeu 245 pacotes de fraldas e produtos de limpeza, sendo 30 quilos de sabão em pó, 20 litros de amaciante, 100 litros de água sanitária e 20 litros álcool 70%. Já a Associação Bethel, obteve 70 cestas de Natal e 90 bolas. Em Presidente Epitácio, a foram 30 cestas básicas e 76 bolas para a Apae e o Espaço Criança 30 cestas básicas e 58 bolas.

Doações - As doações ocorreram por meio dos produtos informados previamente pelas entidades como de necessidade, além das bolas temáticas que foram feitas para alegrar as crianças. o diretor Executivo da Sicredi Rio Paraná PR/SP, Vanderlei de Oliveira comentou na ocasião que o Sicredi já realiza muitas ações sociais em prol das regiões locais, então esse ano, a atividade foi ampliada com a parceria com a Unimed. “Um dos objetivos do Sicredi é auxiliar no desenvolvimento econômico e social das comunidades onde está inserido. E neste sentido, precisamos evidenciar o trabalho contínuo e de extrema importância realizado pelas entidades assistenciais aqui representadas”, ressalta.

Engajamento - O diretor comenta ainda que o Sicredi é engajado durante todo o ano no desenvolvimento da região, não só o econômico, mas também o desenvolvimento social, que passa necessariamente pela promoção do bem-estar das pessoas. “Isto está intimamente ligado aos princípios do cooperativismo, pois melhorar a qualidade de vida da comunidade faz parte da missão do Sicredi. E agora com a parceria junto à Unimed, isso se fortalece”, esclarece o diretor.

Princípio cooperativista - O diretor de Mercado da Unimed Presidente Prudente, Osvaldo Saraiva comentou: “O interesse pela comunidade é um dos sete princípios cooperativistas. Logo, conhecer e entender as necessidades das entidades locais é um objetivo comum entre a Unimed Prudente e a Sicredi Rio Paraná. Desejo que outras cooperativas se espelhem em nossa ação para que mais famílias possam ser beneficiadas, não apenas neste período de fim de ano, mas durante todos os outros meses. Cooperar desperta a melhor das sensações: garantir o bem ao seu próximo”, ressalta.

Mais - Para saber mais acesse @sicredirioparana e @unimedpresidenteprudente. (Imprensa Sicredi Rio Paraná PR/SP)

{vsig}2020/noticias/12/07/sicredi_unimed/{/vsig}

UNIMED CASCAVEL: Colaboradores fizeram mais de 85h de trabalho voluntário em 2020

unimed cascavel 07 12 2020Ao longo de 2020, colaboradores da Unimed Cascavel prestaram 85h30m de trabalho voluntário para beneficiar mais de três mil pessoas. Esse tempo valoroso em nome do bem foi contabilizado em 43 ações colocadas em prática pela cooperativa e é motivo da comemoração no Dia Internacional do Voluntário, celebrado sábado (05/12).

Gratidão - Gessica Branchi, do setor de Núcleo de Processos, está entre os 167 voluntários da Unimed Cascavel. Neste ano, Gessica doou sangue, fez cadastro no banco de doadores de medula óssea e adotou uma cartinha de Natal. “Ao realizar qualquer tipo de ação voluntária, nós nos deparamos com situações muitas vezes incomuns em nosso dia a dia, mas que nos geram um enorme sentimento de gratidão e felicidade por poder ajudar o próximo. Um exemplo disso é que, há alguns dias, após ter realizado a minha doação de sangue, recebi uma mensagem do Hemocentro de Cascavel dizendo que o sangue que eu havia doado estava salvando a vida de alguém naquele exato momento”, agradece a voluntária.

Semana de comemorações - Em celebração pelo Dia Internacional, os voluntários da Unimed Cascavel participaram de palestras sobre o tema com a psicóloga Tatiane Campestrini de Andrade Chuai e com o minipalestrante João Pedro Rossini Leisheit, de apenas 9 anos. “Ele foi lindo, um fofo! A desenvoltura do João é excelente ao falar de atitudes de gratidão e solidariedade que nos levam ao sucesso. Ele é um menino talentoso e corajoso, que fala olhando a gente nos olhos. Ele e toda a iniciativa de trazer esse tema foram excelentes. É muito lindo perceber que a Cooperativa enxerga os cuidados nos pequenos detalhes e nos faz refletir. Por exemplo: quando a psicóloga palestrante falou que podemos ser voluntários no dia a dia, isso me fez pensar no quanto podemos ajudar o tempo todo”, conta a voluntária Ana Paula Doré, supervisora administrativa do Centro de Atenção à Saúde da Unimed Cascavel.

Agradecimento - Além das palestras, os (as) voluntários (as) receberam um donuts, acompanhado por um de agradecimento pelo trabalho prestado ao próximo.

Entregas de Natal - A próxima ação voluntária da Unimed Cascavel está programada para os dias 10 e 11 de dezembro, quando colaboradores entregarão os presentes pedidos em 109 cartinhas de Natal. Serão beneficiadas crianças do Centro Municipal de Educação Infantil Reino Encantado, no bairro Brasmadeira, e moradores da República dos Idosos, no bairro Tarumã.

Fazer o bem - “Ser voluntário significa receber muito mais do que aquilo que doamos. Quando procuramos fazer o bem, esse bem retorna para nós mesmos. Imbuída desta mentalidade, a Unimed Cascavel procura promover e estimular o voluntariado junto aos seus públicos, especialmente entre os colaboradores, e quer ampliar essa ideia paras os demais públicos para o ano de 2021”, avalia Luciana Lazzari, superintendente Administrativa e de Mercado da Unimed Cascavel. (Imprensa Unimed Cascavel)

 

COCARI: Campanha Pegadas Solidárias arrecada doações para o Natal de comunidades carentes

cocari 07 12 2020Ao final do ano, a Cocari realiza a Campanha Pegadas Solidárias, que reúne ações sociais promovidas em municípios da área de ação da cooperativa. À frente da organização, estão os representantes dos Núcleos Jovem e Feminino da Cocari. Nesta edição, estão sendo arrecadados alimentos natalinos, leite, óleo e fraldas geriátricas, de acordo com a necessidade identificada nas comunidades locais.

Cooperativismo na prática - O analista de Cooperativismo, Hugo Felipe Carnelossi, ressalta que o Pegadas Solidárias coloca em prática o sétimo princípio do cooperativismo, o Interesse pela Comunidade. “A campanha aplica os valores e princípios cooperativistas na área de atuação da cooperativa”, destacou. O analista informa que as doações serão distribuídas por meio das entidades assistenciais de cada município participante da ação promovida pelos núcleos.

Participação dos jovens - Líder jovem do Núcleo de Cambira-PR, Izabela Aparecida Cazini comentou que os jovens devem se envolver em projetos de assistência à comunidade. “Além de desenvolverem uma consciência sobre a realidade social e também o trabalho voltado à caridade, é dos jovens que vêm as propostas de novas políticas públicas para uma sociedade melhor. Ter jovens engajados e conscientes sobre as questões sociais gera liderança e mudanças efetivas”, destacou.

Atuação da Cocari - Ela comentou também a respeito da atuação da Cocari como incentivadora do projeto. “Quando a cooperativa atua em iniciativas como esta, ela não só traz benefícios de assistência social, de acolhimento e interação com essas famílias, mas também representatividade: quando vemos uma cooperativa como a Cocari agindo por nossa comunidade em projetos assim, nos sentimos representados e incentivados a fazer algo pelo outro também, de forma que tenhamos um olhar de atenção ao que realmente importa”, opinou.

Solidariedade - Izabela falou sobre o sentimento de solidariedade percebido na comunidade. “Queremos que as famílias assistidas da região possam passar um Natal mais aconchegante e cheio de alegria! Por isso, convido a todos que puderem para fazer essas doações. A Cocari irá receber esses alimentos e outros itens que vamos distribuir com o maior carinho a quem precisa!”, reforçou.

Celebração - A coordenadora do Núcleo Feminino em Cruzmaltina-PR, Vivian Cristina Bressanin, falou sobre a ação solidária. “É muito gratificante poder ajudar famílias e crianças que realmente precisam de doações. Sempre participei de doações de alimentos, mas nas cestas básicas faltam itens que consumimos no dia a dia, como leite e bolachas”, diz. Em Cruzmaltina, a prefeitura municipal irá doar cestas para as famílias carentes e os núcleos estão arrecadando alimentos que não estão presentes na cesta. “Vamos doar panetones, chocolates, coisas diferentes para as crianças que receberem as doações poderem entender o sentido dessa celebração”, complementa Vivian.

Adotando cartas - Coordenadora do Núcleo Feminino em Faxinal-PR, Daniana Maria Avelar, explica que este ano a campanha no município será diferente, pois a organização pediu às crianças da Casa Lar para que escrevessem cartas contando o que gostariam de ganhar no Natal. “Colocamos as cartinhas na árvore de Natal no entreposto e os cooperados vão lá e escolhem uma para realizar o desejo de Natal de uma das crianças”, disse.

Engajamento - Na opinião de Daniana, participar dessas ações é uma oportunidade de criar uma rede de cooperação. “É provar que podemos colaborar com a unidade de nosso município e mostrar para os familiares dos cooperados que todos podem ajudar a comunidade”, avalia.

Ação conjunta - A jovem liderança feminina destaca que essa é uma ação conjunta, que envolve cooperados e comunidade em prol das pessoas que mais precisam. “Neste ano que foi tão difícil para todos, uma ação como esta nos faz acreditar que mesmo tendo um ano atribulado, conseguimos fazer alguém sorrir com as nossas doações”, acredita.

Participe - “Convido a todos a aderirem à nossa campanha para ajudar o próximo. Procure a unidade da Cocari mais perto de você e ajude com doações de brinquedos e alimentos, conforme a necessidade da comunidade local. Nossa cooperativa, as mulheres e os jovens líderes e também os escolhidos para as doações agradecem a todos”, finalizou.

Núcleos - Por meio dos Núcleos Feminino e Jovem, cada entreposto receberá doações até o dia 22 de dezembro. Confira:

Aquidaban

Arrecadação: Fraldas geriátricas tamanho G para o Asilo São Vicente de Paulo, em Marialva-PR.

Borrazópolis

Arrecadação: Alimentos natalinos para a Assistência Social de Borrazópolis-PR.

Caixa de São Pedro

Arrecadação: Alimentos e panetones para as comunidades de Caixa São Pedro e Pirapó (Apucarana-PR).

Cambira – até 15/12

Arrecadação: Alimentos e panetones para as famílias assistidas pela Paróquia São José.

Cruzmaltina

Arrecadação: Balas, bolachas, refrigerantes, panetones e leite para a Assistência Social.

Faxinal

Arrecadação: Árvore de Natal com cartinhas para a Casa Lar.

Itambé

Arrecadação: Alimentos natalinos para a Assistência Social.

Kaloré

Arrecadação: Alimentos e panetones para famílias assistidas pelos Vicentinos.

Lunardelli

Arrecadação: Alimentos para o CRAS local.

Mandaguari

Arrecadação: Panetones para o CRAS local.

Marialva

Arrecadação: Bombons, panetones, champanhe sem álcool etc. para o asilo local.

Marilândia do Sul

Arrecadação: Panetones para o CRAS local.

Marumbi

Arrecadação: Panetones para o CRAS local.

Ortigueira

Arrecadação: Panetones e alimentos para a Casa da Criança e do Adolescente Padre Lívio Donati.

Placa Luar

Arrecadação: Alimentos e óleo para o CRAS local.

Rosário do Ivaí

Arrecadação: Alimentos e panetones para o Lar São Vicente de Paulo de Rosário do Ivaí-PR.

São Luiz

Arrecadação: Fraldas geriátricas tamanho G para o Asilo São Vicente de Paulo de Marialva-PR.

São Pedro do Ivaí – até 15/12

Arrecadação: Alimentos para a Pastoral da Criança em parceria com a Paróquia São Pedro Apóstolo.

(Imprensa Cocari)

 

COPACOL: Casos de superação e inclusão inspiram colaboradores

copacol 07 12 2020Os cuidados para evitar a transmissão do coronavírus foram intensificados durante a 38ª edição da Sipat (Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho) em 2020, na Copacol. Com o tema “A prevenção está em suas mãos”, a cooperativa conscientizou os mais de 10 mil colaboradores sobre a importância de adotar ações de higiene que evitam a proliferação do vírus. Do dia 26 de novembro ao dia 3 de dezembro, o boneco do Covid-19 passou pelas diversas áreas da cooperativa, reforçando a prevenção contra a doença. Simultaneamente foi realizada a 14ª edição do Programa Superação, que leva à reflexão sobre as diferenças entre os indivíduos, e trabalha a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

Palestrante - Para compartilhar a história de superação, o palestrante Samuel Bortolin foi convidado pela Copacol para uma interação virtual entre os colaboradores. Ele nasceu com paralisia cerebral, e apesar das dificuldades trabalha dia a dia na realização de seus objetivos. Ele é a única pessoa no mundo, com o seu grau de deficiência, a completar um triatlhon e uma meia maratona. Além disso, ele é treinador comportamental, graduado em direito e educação física, com especialização em Nutrição Esportiva. “Acredito que não são as nossas condições que determinam o nosso destino, mas sim as decisões que tomamos, temos o poder de mudar a realidade que vivemos, e ter uma mentalidade positiva, colaborando também com nossa família e com nossos colegas, igualmente faz uma enorme diferença”, explica Samuel.

Experiências - Durante a transmissão de uma hora, ele contou sobre suas experiências e também respondeu aos questionamentos dos colaboradores, possibilitando uma mudança na maneira de pensar e agir entre todos. Outra convidada foi Andrea Schwartz, que em 1997 se tornou cadeirante em função de uma malformação congênita na medula espinhal. Anos depois, ela definiu que teria como meta transformar o mundo em um lugar melhor a partir de um mercado de trabalho mais inclusivo e diverso, prestando consultoria especializada em inclusão e diversidade.

Influente - Ano passado, Andrea foi eleita LinkedIn Top Voice pela rede social, que a colocou entre as pessoas mais influentes da plataforma. Andrea também interagiu com os colaboradores durante a transmissão virtual. “Acredito que a pluralidade é essencial dentro de uma organização, pois ela gera mais inovação, mais motivação, e em consequência contribui com o desenvolvimento da empresa. Acreditem em vocês, pois são capazes de tudo, não deixem que os “rótulos” os definam”, afirma Andrea.

Inclusão e superação- A supervisora de Desenvolvimento Organizacional, Vânia Elaine Granemann, explica que o evento faz parte do trabalho de prevenção de acidentes internos e de uma política inclusiva da  cooperativa, que oferece oportunidades para pessoas com deficiência. “Essas histórias de superação nos demonstram a necessidade da real inclusão e da importância de a liderança abraçar este tema. Nosso Programa de Inclusão, neste ano, deu passos significativos. Aprovamos a política de inclusão, criamos indicadores, metas e várias ações para intensificar a comunicação e o desenvolvimento deste público”, explica Granemann.

Diversidade - A Copacol atua fortemente com a inclusão, muito além das cotas estabelecidas. “Queremos que nosso ambiente de trabalho tenha a contribuição da diversidade, pois quanto mais competências diferentes tivermos, maiores serão nossos resultados. Temos muito a caminhar, queremos que estas pessoas tenham as mesmas oportunidades de desenvolvimento e crescimento”, finaliza a supervisora de Desenvolvimento Organizacional. (Imprensa Copacol)

 

PRIMATO I: Corretora destaca os seguros agrícolas

primato I 07 12 2020Com o objetivo de minimizar perdas e prejuízos provocados por fenômenos climáticos e proteger os investimentos com máquinas e implementos agrícolas, nos últimos anos, a contratação do seguro agrícola vem aumentando de forma gradual. Isso decorre de um profissionalismo cada vez maior de agricultores e produtores rurais brasileiros, considerando que o investimento, seja na lavoura ou nos equipamentos de trabalho no campo tem um valor considerável e, por isso, a proteção e segurança estão sendo considerados investimentos no orçamento anual.

Seguro agrícola - “O seguro agrícola é um serviço contratado para proteção de perdas decorrentes de adversidades climáticas que afetam a lavoura. Entre os exemplos de coberturas estão as secas, raios, granizos, trombas d’água, ventos fortes e incêndios”, destacou o gerente da Primato Corretora, Eloi Martinelli que complementou, “e na Primato Corretora atuamos com todas as modalidades citadas com amparo de dez Seguradoras parceiras, cada uma delas com suas políticas de aceitação e coberturas”.

Roubo e furtos - Eloi ainda explicou como funciona o seguro de roubo e furto de máquinas e implementos agrícolas. “O roubo de máquinas pesadas configura uma grande oportunidade para o crime organizado, pois os equipamentos possuem valor elevado e no mercado ilegal os itens roubados já têm um destino certo. Ou seja, essas máquinas são roubadas porque existem pessoas dispostas a comprá-las. Mesmo que os equipamentos sejam de grande porte, as quadrilhas têm se equipado e não se intimidam na hora de realizar o furto. Por isso você precisa proteger seu patrimônio com um seguro agrícola contra roubo, furto qualificado e furto simples”.

Benefícios - Martinelli fez questão alertar que, nesta modalidade, colheitadeiras e plataformas não recebem cobertura. Ao contratar o seguro agrícola ou de máquinas e implementos, o segurado tem a garantia de estar protegendo seu patrimônio. “No caso do seguro agrícola, traz a tranquilidade de recuperar o valor investido na lavoura, seja soja, milho ou outros. No que tange máquinas e implementos agrícolas, traz a segurança da cobertura de seu patrimônio que é de alto valor agregado e fundamental importância no trabalho das propriedades rurais”, enalteceu Eloi.

Condições - Para conferir estas e outras modalidades de seguros agrícolas entre em contato com a Primato Corretora de Seguros e Consórcios entre em contato com a equipe da Primato Corretora na Avenida J.J. Muraro, 625, anexo ao Primato Supermercado, em Toledo, ou pelo fone (45) 3056-7676. (Imprensa Primato)

 

PRIMATO II: Rações da linha Prima Raça Pré e Pós-Dipping são certificadas

primato II 07 12 2020Os produtos da linha Prima Raça Pré e Pós-dipping foram certificados com o selo de “Produtos de Bem-Estar Animal” através de Nota Técnica NT.AN.035 da American Nutrients. O Selo trata-se de um certificado de controle de qualidade que é aplicado aos produtos desenvolvidos.

Programa - Este programa de certificação é desenhado pelo movimento #bebamaisleite e pela QCONZ América Latina, sendo baseada nas regras da Organização Mundial de Saúde, bem como nas pesquisas desenvolvidas por Universidades e Instituições brasileiras e internacionais, adaptadas para a realidade da pecuária leiteira do Brasil. As auditorias são feitas pela QCONZ América Latina Consultoria e Treinamentos Ltda., braço operacional da QCONZ (Quality Consultants of New Zealand LTD.), empresa neozelandesa que atua há 16 anos desenvolvendo sistemas de qualidade para o setor primário e prestando serviços de auditoria, consultoria e treinamento. Líder de mercado na Nova Zelândia, a empresa é referência em excelência para órgãos e industriais daquele país.

Requisitos - Dentre os requisitos auditados incluem-se:

- Atendimento integral à legislação vigente (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento);

- Procedimentos de Boas Práticas de Fabricação implementados;

- Ambos os produtos devem possuir em sua composição matérias-primas que proporcionem conforto em bem-estar ao animal durante e após a ordenha;

- Controle dos processos que tange a fabricação dos produtos, desde o recebimento de matérias-primas, análises de controle de qualidade e garantia de rastreabilidade;

- Eficiente Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC);

- Treinamentos periódicos da equipe de produção, bem como da equipe comercial;

- Eficiência antimicrobiana comprovada dos produtos pré-dipping e pós-dipping tanto in vivo quanto in vitro frente a microrganismos comumente relacionados a incidência de mastite clínica e subclínica, como Escherichia coli, Staphylococcus aureus, Staphylococcus epidermidis e Klebsiella spp.;

- Pós-dipping deve possuir potencial de hidratação do teto comprovado após o uso;

- Possuir conceito de sustentabilidade como cultura da empresa, o qual deve ser propagado através de treinamento e material impresso tanto para colaboradores quanto para clientes e parceiros.    

Certificação - A nota técnica finaliza afirmando que: “Tendo como base os requisitos que foram auditados e integralmente atingidos pela empresa, a conquista dessa certificação reforça o comprometimento da American Nutrients com visão de Saúde Única (One Health), alinhando diretrizes que integram a saúde animal, humana e meio ambiente. Ao anexo encaminhamos o certificado de Empresa Amiga do Bem-Estar Animal, bem como o selo que estará sendo incluído nos rótulos dos produtos Prima Raça Pré-Dipping e Pós-Dipping, bem como no material de divulgação destes produtos.”

Primato - “Esta certificação é a demonstração do controle de qualidade e dos cuidados que nossos cooperados e clientes têm à disposição através dos produtos Prima Raça, especialmente o Pré-Dipping e Pós-Dipping. Por isso, ficamos honrados em receber o certificado e o selo da American Nutrients. Estaremos cada vez mais em busca da excelência na produção, assistência e no desenvolvimento de nossos produtos e serviços”, enalteceu o presidente da Primato, Ilmo Werle Welter. (Imprensa Primato)

 

FOMENTO: BRDE libera R$ 191,9 milhões a cooperativas agrícolas paranaenses

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) financiou R$ 191,9 milhões, entre janeiro e novembro de 2020, a cooperativas agrícolas paranaenses. A Copacol, com sede em Cafelândia, e a Lar, de Matelândia, estão entra as cooperativas que receberam apoio com crédito, neste ano.

Agricultores e agroindústrias - Atualmente, o banco tem 60% de sua carteira direcionada a agricultores e agroindústrias. Mesmo atuando somente nos três estados da Região Sul, é o maior operador do Programa de Desenvolvimento Cooperativo (Prodecoop) do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “As linhas de crédito permitem que as agroindústrias cresçam e se tornem potência no Estado. Além disso, todo esse avanço movimenta a economia do Paraná, gerando empregos e negócios”, diz o diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley Lipski.

Expansão - Por meio da linha Prodecoop, o BRDE apoiou a Copacol em um projeto de expansão do frigorífico. A cooperativa, que desde a década de 80 possui um abatedouro de frangos em Cafelândia, contratou em 2020 um financiamento de R$ 60 milhões. Em 2018, já havia contratado outro financiamento, no valor de R$ 50 milhões, para a primeira etapa do projeto.

Capacidade de abate - Com o crédito, a pioneira dentre as cooperativas da região pretende aumentar a capacidade de abate diário de 330 mil para 360 mil aves ao dia. O montante previsto no plano de expansão é de R$ 210 milhões.

Empregos - Esse investimento também auxilia na questão de empregos, já que a Copacol emprega 10,8 mil funcionários, sendo 5,5 mil no abatedouro. A cooperativa ainda participa da Unitá, cooperativa central que possui um abatedouro de aves em Ubiratã (Centro-Oeste). Hoje, a Unitá abate 340 mil aves ao dia e emprega 4,2 mil funcionários.

Financiamento - Recentemente, este abatedouro foi financiado pelo BRDE, em conjunto com outras instituições financeiras, em duas etapas (sendo a última concluída em 2019), no valor de R$ 111,5 milhões. “O BRDE é e sempre foi um banco que ajuda a crescer. As linhas de crédito disponibilizadas por ele são de suma importância para participar do mercado interno e externo. Isso dá margens para crescer e pensar em grandes soluções para a cooperativa”, afirma o presidente da Copacol, Valter Pitol.

Lar - Também na região Oeste do Paraná, o banco financiou em 2020 a cooperativa Lar, que possui um abatedouro de frangos em Matelândia e está realizando um projeto de ampliação de abate. O plano é que a capacidade de abate aumente de 340 mil para 460 mil aves ao dia.

Etapas - O projeto também será desenvolvido em duas etapas. Por isso, em 2020, a cooperativa, por meio do Prodecoop, obteve financiamento no valor de R$ 50 milhões para realizar a primeira etapa do projeto, orçada em R$ 55,8 milhões.

Análise - A segunda fase, orçada em R$ 66,6 milhões, já está em análise também. Após sua conclusão, em 2021, está prevista a contratação de 1.150 novos funcionários. Hoje, a cooperativa emprega 17,9 mil funcionários, sendo 7,5 mil somente no abatedouro.

Longo prazo - “As linhas de crédito do BRDE são sempre muito importantes porque normalmente são de longo prazo, a custos competitivos”, afirma o superintendente administrativo financeiro da Lar, Clédio Marschall.

Crescimento - Segundo ele, os créditos liberados pelo Banco contribuíram para o crescimento da Lar. “Somente em 2020, a cooperativa crescerá acima de 50% em relação a 2019. Isso demanda recursos, que geram emprego, renda e agregação de valor à produção e transformação do cenário econômico do Paraná”, destaca Marschall.

Inovação - As duas cooperativas também são parceiras do BRDE no Programa BRDE Labs de aceleração de startups, que busca soluções inovadoras para transformação do agronegócio.

Números - Atualmente, de acordo com dados da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), existem 215 cooperativas no Estado, sendo que 60 são do ramo agropecuário. São 2,5 milhões de cooperados e o setor gera mais de 100 mil empregos diretos em todo o Paraná. Ligadas às cooperativas, há 79 agroindústrias. De acordo com a Ocepar, são 19 cooperativas com agroindústrias no segmento de carnes (que contemplam bovinos, suínos, frangos, peixes e cordeiros). (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2020/noticias/12/07/fomento/{/vsig}

SEAB/DERAL: Preço do leite e derivados em queda é analisado em Boletim Agropecuário

O preço do leite apresentou queda para o produtor em novembro. Isso refletiu para o consumidor, estendendo-se para produtos lácteos industrializados. A análise sobre as razões para a redução é feita no Boletim Semanal de Conjuntura Agropecuária, produzido por técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, referente à semana de 29 de novembro a 4 de dezembro.

Queda - O boletim mostra que, na comparação entre os meses de outubro e novembro, a redução no preço do litro do leite pago ao produtor foi de 2,4%, passando de R$ 2,05 para R$ 2,00. No mercado varejista, o longa vida apresentou queda de 2,63%; o leite em pó, de 0,90%; o mussarela, de 5,65%; e o queijo prato, de 2,12%. Mas alguns produtos tiveram alta, entre eles, manteiga extra, com 1,59%, e queijo parmesão, com 7,95%.

Demanda - O aumento sucessivo dos preços de lácteos, durante o ano, chegou a um patamar em que a demanda passou a ter queda expressiva. A população, em grande parte abalada pela pandemia, teve sua renda afetada pela inflação. Além disso, o fim do auxílio emergencial em dezembro também é fator que reduz o poder de compra. Caindo a procura, o preço também cai.

Produção - No lado da produção, mesmo com os custos em alta, a maior incidência de chuvas, em novembro, contribuiu para um leve crescimento no volume e mais oferta do produto no mercado interno. A isso se somou o aumento das importações, que chegou a 92% no trimestre agosto/setembro/outubro, comparado a 2019. Maior oferta aliada à menor demanda provocou a redução de preço.

Soja e milho - O boletim também informa que a soja está com 99% da área estimada para a safra já semeada. As condições das lavouras permanecem sem alteração em relação à semana passada, com 72% boas, 24% em situação média e 4% consideradas ruins.

Área plantada - O milho da primeira safra está com aproximadamente 26% da área plantada em estágio de floração. Um volume menor, de 9%, está na fase de frutificação e o restante, em desenvolvimento vegetativo. A previsão de produção se mantém em 3,4 milhões de toneladas, mas a expectativa permanece, em razão da variabilidade do clima.

Frango e ovos - O documento apresenta, ainda, uma análise sobre as exportações brasileiras de carne de frango e, especificamente, sobre o Paraná, primeiro produtor e exportador. A queda verificada nas exportações paranaenses do produto no período de janeiro a outubro, em comparação com 2019, foi de 3,7%.

Baixa disponibilidade - Em ovos, o que se observa no início de novembro é a baixa disponibilidade do produto, refletindo em preços mais altos, ainda que a demanda também esteja reduzida. O calor provocou morte de várias poedeiras e o número de pintainhos em alojamentos também foi reduzido em razão do aumento nos custos.

Outros produtos - O boletim preparado pelos profissionais do Deral analisa, nesta semana, outras culturas, como o limão, que, em 2019, movimentou R$ 1,6 bilhão na economia paranaense fruto de seu Valor Bruto de Produção (VBP), com colheita de 1,4 milhão de toneladas em 55,7 mil hectares.

Mandioca - Sobre a mandioca, há relato sobre ritmo menor de trabalho nas indústrias de féculas, o que provoca redução de movimentação também no campo. Em relação ao trigo, o registro é sobre os comparativos a serem feitos para que o produtor tome a decisão de plantio entre essa cultura ou o milho de segunda safra. No entanto, a definição deve ser tomada somente a partir de fevereiro. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2020/noticias/12/07/seab_deral/{/vsig}

FOCUS: Mercado financeiro eleva estimativa de inflação de 3,54% para 4,21%

focus 07 12 2020A estimativa do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 3,54% para 4,21%, de acordo com o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira (07/12), pelo Banco Central (BC). O documento, divulgado às segundas-feiras, reúne as projeções para os principais indicadores da economia.

Alta seguida - Conforme mostra a instituição, essa é a 17ª alta seguida da estimativa e extrapola, pela primeira vez, o centro da meta de inflação definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para este ano, de 4%. Se considerada a margem de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo, o índice, porém, permanece dentro da meta, já que pode variar de 2,5% a 5,5%.

Atualização - A projeção para 2021 também foi atualizada, ao cair de 3,47% para 3,34%, destoando da tendência verificada até a semana passada, que era de crescimento. As previsões para 2022 e 2023 mantiveram-se estáveis em 3,50% e 3,25%, respectivamente.

Selic - Outra referência que consta do boletim é a taxa básica de juros, a Selic, que consiste no principal instrumento usado pelo BC para alcançar a meta de inflação. Nesta edição, também foi mantida inalterada, de 2% ao ano para o final de 2020. Segundo as estimativas, a taxa deverá ser de 3% ao ano, ao final de 2021, conforme o BC já havia informado no boletim anterior. Em relação ao fim de 2022 e 2023, o valor estimado é de 4,5% ao ano e 6% ao ano.

Última reunião - A última reunião deste ano do Comitê de Política Monetária (Copom), responsável por definir a Selic, está marcada para esta terça (08/12) e quarta-feira (09/12).

Redução - A redução da Selic favorece o barateamento do crédito e um menor controle da inflação, o que estimula a produção e o consumo da população. Apesar disso, os bancos consideram também outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como o risco de inadimplência, a margem de lucro e despesas administrativas.

Aumento - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Manutenção - Quando a Selic é mantida, o comitê considera que ajustes anteriores foram suficientes para manter a inflação sob controle.

Atividade econômica e dólar - O mercado financeiro também ajustou de 4,50% para 4,40% a previsão referente à retração da economia, neste ano. Da semana passada para cá, a expectativa de crescimento, em 2021, foi modificada de 3,45% para 3,5%. Para os anos de 2022 e 2023, espera-se que o Produto Interno Bruto (PIB), que resulta da soma de todas as riquezas do país, cresça 2,50%.

Cotação - Ainda segundo o boletim Focus, a cotação do dólar para o final deste ano está em R$ 5,22 – valor inferior ao registrado no último levantamento, feito há uma semana, quando estava em R$ 5,36. Para 2021, o mercado financeiro baixou de R$ 5,20 para R$ 5,10 e, para 2022, manteve em R$ 5. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

ECONOMIA: Ipea avalia os efeitos da pandemia nos rendimentos dos trabalhadores

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) analisou os efeitos da pandemia sobre o mercado de trabalho e o impacto do auxílio emergencial na renda dos brasileiros. Os dados divulgados na sexta-feira (04/12) revelam que, em outubro, os rendimentos médios da população corresponderam a 92,8% da renda média habitual. Os trabalhadores por conta própria foram os mais atingidos pela queda de renda devido à pandemia: receberam 83,2% do habitual.

Formais - A análise, feita com base nos microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Covid-19, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela que os trabalhadores formais foram os menos atingidos pelos efeitos adversos da pandemia na renda. Os trabalhadores do setor privado com carteira assinada e os funcionários públicos receberam 96% do habitual. Trabalhadores do setor privado sem carteira assinada auferiram efetivamente 90,7% dos rendimentos usuais.

Sem renda de trabalho - Em outubro, 27,86% dos domicílios pesquisados não apresentaram nenhuma renda do trabalho efetiva. De acordo com o estudo, 4,75% dos domicílios (cerca de 3,25 milhões) sobreviveram apenas com os rendimentos do auxílio emergencial. Esse resultado representa uma queda de 1,25 ponto percentual em relação ao mês de setembro e é o primeiro recuo substancial desde junho.

Média - A renda domiciliar média, após considerar o auxílio emergencial (AE), ultrapassou em 3% a que seria obtida caso o domicílio houvesse recebido rendimentos do trabalho habituais. Esse impacto foi maior entre os domicílios de renda baixa, onde, após o AE, os rendimentos foram 22% maiores do que seriam com as rendas usuais.

Menor - Contudo, o aumento na renda domiciliar média causada pelo auxílio foi R$ 100 menor em outubro, na comparação com setembro (R$ 292 contra R$392). Assim, mesmo com o aumento da renda do trabalho efetiva, a renda média total domiciliar caiu 1,8%, alcançando R$ 3.818 em outubro. Entre os domicílios de renda muito baixa, a queda foi de 6,8% (de R$ 1.177 para R$ 1.097). Os dados mostram também que cerca de 30% dos domicílios receberam, em outubro, a metade do valor do AE de setembro - proporção que entre os domicílios de renda muito baixa alcançou 40%. (Assessoria de Imprensa do Ipea)

Acesse a íntegra da análise

ECONOMIA: Captação da poupança cai pela primeira vez desde janeiro

economia poupanca 07 12 2020Aplicação financeira mais tradicional dos brasileiros, a caderneta de poupança registrou a primeira queda na captação líquida (depósitos menos saques), depois de nove meses consecutivos de melhora. Em novembro, os investidores depositaram R$ 1,48 bilhão a mais do que retiraram da aplicação, informou na sexta-feira (04/12) o Banco Central (BC).

Inferior - A captação líquida é 39% inferior ao registrado em novembro do ano passado, quando os brasileiros depositaram R$ 2,43 bilhões a mais do que tinham sacado. Nos últimos meses, a caderneta tinha quebrado uma sequência de recordes desde o início da série histórica, em 1995.

Acumulado - Apesar do recuo no mês passado, a poupança acumula entrada líquida de R$ 145,71 bilhões de janeiro a novembro. Esse é o melhor desempenho para o período registrado pela aplicação financeira.

Evolução - A aplicação começou o ano no vermelho. Em janeiro e fevereiro, os brasileiros retiraram R$ 15,93 bilhões a mais do que depositaram. A situação começou a mudar em março, com o início da pandemia da covid-19, quando os depósitos passaram a superar os saques. A turbulência no Tesouro Direto nos dois primeiros meses da pandemia fez parte dos investidores preferirem a segurança da poupança, mesmo com rendimento menor.

Interesse - O interesse dos brasileiros na poupança manteve-se apesar da recuperação da bolsa de valores nos últimos meses. No entanto, com a taxa Selic (juros básicos da economia) em 2% ao ano, menor nível da história, e o aumento da inflação decorrente do preço dos alimentos reduziram a demanda pela caderneta.

Rendimento - Com rendimento de 70% da Taxa Selic (juros básicos da economia), rendeu 2,29% nos 12 meses terminados em novembro, segundo o Banco Central. No mesmo período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), que serve como prévia da inflação oficial, atingiu 3,52%. O IPCA cheio de novembro será divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no próximo dia 8.

Focus - Para este ano, o boletim Focus, pesquisa com instituições financeiras divulgada pelo Banco Central, prevê inflação oficial de 3,54% pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Com a atual fórmula, a poupança renderia 1,4% este ano, caso a Selic de 2% ao ano estivesse em vigor desde o início do ano. Como a taxa foi sendo reduzida ao longo dos últimos meses, o rendimento acumulado será um pouco maior, mas insuficiente para repor as perdas com a inflação.

Histórico - Até 2014, os brasileiros depositaram mais do que retiraram da poupança. Naquele ano, as captações líquidas chegaram a R$ 24 bilhões. Com o início da recessão econômica, em 2015, os investidores passaram a retirar dinheiro da caderneta para cobrir dívidas, em um cenário de queda da renda e de aumento de desemprego.

2015 - Em 2015, R$ 53,57 bilhões foram sacados da poupança, a maior retirada líquida da história. No ano de 2016, os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões. A tendência inverteu-se em 2017, quando as captações excederam as retiradas em R$ 17,12 bilhões, e em 2018, com captação líquida de R$ 38,26 bilhões. Em 2019, a poupança registrou captação líquida de R$ 13,23 bilhões. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO: Câmara pode votar na segunda-feira projeto de incentivo à navegação

legislativo 07 12 2020A Câmara dos Deputados pode votar nesta segunda-feira (07/12) o Projeto de Lei 4199/20, do Poder Executivo, de incentivo à navegação de cabotagem (entre portos nacionais). O texto conta com urgência constitucional e tranca a pauta. A sessão marcada está marcada para as 15 horas.

BR do Mar - Conhecido como projeto da BR do Mar, o texto libera progressivamente o uso de navios estrangeiros na navegação de cabotagem sem a obrigação de contratar a construção de embarcações em estaleiros brasileiros.

Afretamento - De acordo com o texto, já a partir da publicação da futura lei, as empresas poderão afretar uma embarcação a casco nu, ou seja, alugar um navio vazio para uso na navegação de cabotagem.

Transição - O parecer preliminar do relator, deputado Gurgel (PSL-RJ), aumenta de três para quatro anos o tempo de transição depois do qual o afretamento de navios estrangeiros será livre. Assim, depois de um ano da vigência da lei, poderão ser dois navios; no segundo ano de vigência, três navios; e no terceiro ano da mudança, quatro navios. Daí em diante, a quantidade será livre, observadas condições de segurança definidas em regulamento.

Fundos setoriais - Também em pauta, o Projeto de Lei Complementar 137/20 libera R$ 177,7 bilhões, atualmente retidos no Tesouro Nacional em 29 fundos setoriais, para o combate à pandemia de Covid-19 e para diminuir seus efeitos econômicos.

Orçamento - De autoria dos deputados Mauro Benevides Filho (PDT-CE) e André Figueiredo (PDT-CE), a proposta pretende ajudar o Orçamento federal devido à queda de arrecadação neste ano provocada pelo isolamento social necessário ao combate da doença e pelo aumento das despesas emergenciais, de saúde e de ações para manutenção de empregos e renda.

Destinação - Os recursos desvinculados desses 29 fundos deverão ser destinados, necessariamente, às despesas orçamentárias da União cujas fontes de financiamento apresentaram queda de arrecadação.

Racismo - A terceira proposta pautada é o Projeto de Decreto Legislativo 861/17, que contém a Convenção Interamericana contra o Racismo, a Discriminação Racial e Formas Correlatas de Intolerância. Segundo o texto, a discriminação racial pode basear-se em raça, cor, ascendência ou origem nacional ou étnica. A matéria foi aprovada pelas comissões temáticas em 2018.

Compromisso - Os países que ratificarem a convenção devem se comprometer a prevenir, eliminar, proibir e punir, de acordo com suas normas constitucionais e com as regras da convenção, todos os atos e manifestações de racismo, discriminação racial e formas correlatas de intolerância. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Najara Araujo / Câmara dos Deputados

 

SAÚDE I: Brasil tem 6,6 milhões de casos de Covid-19 e 176,9 mil mortes

Números atualizados neste domingo (06/12) pelo Ministério da Saúde mostram que o Brasil tem 6.603.540 casos acumulados do novo coronavírus, sendo 26.363 confirmados nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, 176.941 pessoas morreram por causa da covid-19 no país. De sábado (05/12) para domingo (06/12) foram registrados 313 óbitos. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde no início da noite deste domingo (06/12). Os totais são resultado da consolidação de informações enviadas pelas secretarias estaduais de saúde.

Curadas - O balanço mostra, ainda, que 5.776.182 pessoas estão curadas da doença. Outras 650.417 estão em acompanhamento.

Covid-19 nas cinco regiões - A lista das regiões com mais casos acumulados de covid-19 é encabeçada pelo Sudeste (2.300.365), seguida pelo Nordeste (1.682.475), Sul (1.046.733), Norte (787.440) e Centro-Oeste (786.527). (Agência Brasil)

 

saude I tabela 07 12 2020

SAÚDE II: Sesa confirma 620 novos casos e 12 óbitos pela Covid

saude II 07 12 2020A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou neste domingo (06/12) mais 620 casos confirmados e 12 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus.

Retroativos - A Sesa informa que entraram neste domingo para o monitoramento mais 613 casos confirmados retroativos do período entre 26/05/2020 e 04/12/2020, que estavam com investigação em aberto e agora foram encerrados como casos confirmados e automaticamente computados no sistema. Os casos divulgados neste domingo são: 1 caso de maio, 2 de julho, 1 de agosto, 16 de outubro, 113 de novembro e 1.100 de dezembro (entre os novos e retroativos).

Acumulado - Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 298.752 casos e 6.376 mortos em decorrência da doença.

Internados - 1.221 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 993 pacientes em leitos SUS (495 em UTI e 498 em leitos clínicos/enfermaria) e 228 em leitos da rede particular (97 em UTI e 131 em leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 1.501 pacientes internados, 530 em leitos UTI e 971 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 12 pacientes. São 6 mulheres e 6 homens, com idades que variam de 46 a 87 anos. Os óbitos ocorreram entre 21 de novembro e 5 de dezembro.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em: Foz do Iguaçu (4), Curitiba (3). A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Campo Largo, Clevelândia, Palmas, Pinhão e Vitorino.

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 2.758 casos de residentes de fora, 57 pessoas foram a óbito. (Agência de Notícias do Paraná)

Veja o boletim completo AQUI.

 


Versão para impressão


RODAPE