Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5051 | 16 de Abril de 2021

SISTEMA OCEPAR: Presidente do Sistema Fiep participa de reunião das diretorias da Ocepar e Fecoopar

Um dos convidados da reunião virtual das diretorias da Ocepar e Fecoopar, realizada na tarde desta quinta-feira (15/04), foi o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Carlos Valter Martins Pedro, que estava acompanhado pelo superintendente do Serviço Social da Indústria (Sesi Paraná), José Fares, e do gerente Executivo de Tecnologia e Inovação, Fabrício Luz Lopes.

Parceria - Segundo o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, a Fiep é uma parceira importante do cooperativismo de longa data. “Esta aproximação tem sido fortalecida cada vez mais com a forma de atuar do presidente da Fiep, tanto na participação ativa junto ao G7, grupo de entidades do setor produtivo do Paraná, em todas as demandas, inclusive de interesse de diversos setores, entre eles do cooperativismo. E hoje, tanto o Sesi como o Senai, que integram o Sistema Fiep, são um dos principais parceiros em ações do Sescoop/PR e eles vêm aqui apresentar mais uma proposta de parceria para as cooperativas na área de inovação”, frisou o dirigente. Para Carlos Valter, foi uma honra ser convidado para participar da reunião. “Temos que integrar os sistemas cada vez mais. Precisamos gerar uma prestação de serviços de interesse comum, afinal, tanto a Fiep como o Sistema Ocepar estão aqui para atender às demandas de todos vocês e queremos ouvi-los”, frisou.

Proposta - O superintendente do Sesi, José Fares, apresentou aos diretores do Sistema Ocepar uma proposta de plataforma chamada Habitat, voltada para as agroindústrias paranaenses com cenário de inovação, tendo como suporte o desenvolvimento de novas soluções, além de oportunidades de negócios. “O objetivo é impulsionar o ecossistema de inovação no Paraná para o agronegócio e conectar soluções inovadoras e integradas às demandas da agroindústria. O Habitat contará com uma estrutura de Coworking de uso exclusivo para as cooperativas, além de um laboratório dedicado à pesquisa de novas tecnologias que impulsionem o setor do agronegócio”. Fares lembra que será um espaço físico onde as ideias se transformam em projetos. “Um espaço de colaboração e troca de experiências entre cooperativas e especialistas do Senai. Vamos trabalhar com pesquisa em bio digital, agricultura de precisão, logística e rastreabilidade, conectividade no campo, barreiras fitossanitárias, impressão 3D biomateriais e desenvolvimento de máquinas. Também focaremos em pesquisa química verde e de agro saúde. Outro ponto é a criação de um laboratório de agro prototipação”, lembrou.

Pauta - A reunião também tratou de outros temas de interesse do setor, como a proposta para o Plano Safra 2021/22, operacionalização do Plano Paraná Cooperativo 200 (PRC200), novas concessões de pedágios no Paraná, Covid-19, entre outros.

{vsig}2021/noticias/04/16/sistema_ocepar/{/vsig}

EXCELÊNCIA EM GESTÃO: Prêmio SomosCoop é um processo de aprendizado que gera resultados e promove a evolução da gestão, avalia Unimed Cascavel

excelencia gestao 16 04 2021A melhoria contínua, um dos valores estratégicos da Unimed Cascavel, é o que tem motivado a cooperativa médica paranaense a participar do Prêmio SomosCoop Excelência de Gestão. “Temos, de forma muita clara, essa diretriz de buscarmos sempre avançar em práticas, processos e dinâmicas de trabalho para que possamos, assim, evoluir na gestão como um todo e, consequentemente, potencializar a satisfação de todos nossos públicos de interesse, entre eles, os cooperados, clientes, colaboradores, fornecedores, prestadores de serviço e a sociedade em geral”, afirma o responsável pelo Núcleo de Projetos da Unimed Cascavel, Everton Antonio Garboça.

Processo de aprendizado - Para as demais cooperativas empenhadas em seguir nessa mesma linha, a Unimed Cascavel recomenda a experiência. “O Prêmio é um processo claro de aprendizado, com troca de experiências, benchmarkings entre as cooperativas, e conhecimento adquirido em todas as suas etapas. Todo o método aplicado é muito completo e, ao final, sempre temos pontos-chave a serem trabalhados, com foco na sustentabilidade e no desenvolvimento da cooperativa. Enfim, são diversos elementos que, unidos, tornam a participação uma dinâmica de aprendizado e evolução em gestão que vale muito a pena”, salienta Garboça.

Entre as premiadas - A Unimed Cascavel foi uma das quatro cooperativas paranaenses contempladas na última edição do Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão, em 2019. O primeiro contato com a iniciativa foi em 2015, quando ela aderiu ao Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC) e se inscreveu no Prêmio, mas apenas registrou as práticas de gestão que estavam sendo adotadas, pois era um dos critérios do Programa Qualifica, organizado pela Unimed do Brasil em parceria com o Sescoop e do qual estava participando. Com o avanço no processo, a cooperativa voltou a se inscrever no Prêmio SomosCoop, em 2017, e concorreu, pela primeira vez, no nível de maturidade “Primeiros passos”, sendo premiada com a faixa prata. Em 2019, participou no nível de maturidade “Compromisso com a excelência”, conquistando a faixa bronze. “Em 2020 e 2021 implementamos diversas melhorias nas rotinas e processos da cooperativa e iremos participar novamente nesta edição, no nível de maturidade ‘Compromisso com a excelência’”, conta Garboça.

Resultados - De acordo com ele, inúmeras mudanças têm sido percebidas ao longo desse período. “Traçar um paralelo da Unimed Cascavel de 2015 para 2021 é muito interessante. Avançamos em importantes pilares que o Prêmio tem como base, desde os aspectos relacionados à governança, compliance, inovação, gestão estratégica e moderna e o foco em nossos principais públicos, que são a razão da existência da cooperativa, ou seja, os cooperados e os clientes. Todo esse ‘pacote’ de requisitos aplicados e implementados com o Prêmio nos tornou mais eficientes, com processos mais otimizados e, claro, remetendo novamente à cultura da melhoria contínua, buscando sempre a excelência nas entregas e a satisfação de todos com quem a cooperativa se relaciona”, acrescenta Garboça.

O Prêmio - O Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão é promovido pelo Sescoop Nacional a cada dois anos. As inscrições da edição 2021 foram prorrogadas e agora irão até o dia 30 de junho, por meio do site http://excelencia.premiosomoscoop.coop.br/. Podem participar todas as cooperativas singulares, centrais ou federações registradas e regularizadas com o Sistema OCB.

 

Avaliação - No Prêmio, as cooperativas são avaliadas por meio de instrumentos de diagnósticos de governança e gestão, de acordo com sua categoria e nível de maturidade, que são três: Primeiros Passos para a Excelência – aplicável às cooperativas que estão em estágio inicial de um programa de melhoria da gestão; Compromisso com a Excelência – aplicável às cooperativas que estão em estágios iniciais de evolução do seu sistema de gestão e começando a medir e perceber melhorias nos seus resultados e Rumo à Excelência – aplicável às cooperativas cujo sistema de gestão está em franca evolução e cujos resultados já demonstram competitividade.

 

PEGCoop - No Paraná, o Sistema Ocepar desenvolve o Programa de Excelência da Gestão do Cooperativismo Paranaense – PEGCoop, para dar suporte às cooperativas do estado nessa área. Na avaliação de Garboça, é mais um estímulo para que o setor prossiga aprimorando a condução de suas atividades, com qualidade. “O PEGCoop pode ser considerado um combustível que move esse processo de busca incessante pelo melhor, com objetivo de entregar nossos produtos e serviços de modo que estes agreguem valor aos públicos de relacionamento pois, através de um método, nos ajuda a seguir essas diretrizes e continuar nos aperfeiçoando”, assinala. “Podemos acrescentar que, de forma sistêmica, há o vínculo entre os requisitos e pilares que o PEGCoop contempla com a nossa estratégia, ou seja, todos os projetos e iniciativas que realizamos hoje ‘conversam’ com os processos que estão sendo trabalhados no Programa. Esse movimento gera eficiência, união de esforços e o resultado se torna uma consequência de forma muito clara, através de indicadores positivos, reconhecimento dos públicos de impacto, implantação de boas práticas, premiações e evoluções em gestão que temos adquirido ao longo desses últimos anos”, complementa Garboça.

 

Apoio - Ele avalia que os Sistemas OCB e Ocepar estão fornecendo auxílio, de forma muito consistente, às cooperativas focadas em avançar na gestão e na governança. “Tivemos apoio desde a primeira participação e sempre percebemos evoluções e melhorias neste sentido ao longo destes anos. Participamos de fóruns, workshops e eventos que sempre prezam por abordar essas questões. Além disso, temos no Sescoop/PR um parceiro muito forte, compartilhando experiências e sempre prestando o suporte necessário”, finalizou.

 

Evolução - Juntamente com a Unimed Cascavel, outras 51 cooperativas paranaenses já aderiram ao PEGCoop. “O objetivo do programa é viabilizar a evolução das práticas de gestão e de governança, incentivando a melhoria contínua para ampliar a competitividade, maximizar os resultados e transformar os modelos de negócios das cooperativas, tornando-os cada vez mais eficientes e resilientes”, esclarece o coordenador de Gestão Estratégica do Sescoop/PR, Alfredo Benedito Kugeratski Souza, que é responsável pelo programa paranaense.

 

Mais - Os interessados em saber mais sobre o Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão e obter mais destalhes ligados ao PEGCoop podem entrar em contato com Souza, pelo e-mail: gestaoestrategica@sistemaocepar.coop.br.

 

 

 

COOPS DAY: ACI define tema do Dia Internacional das Cooperativas: “Juntos reconstruímos melhor”

 

coops day 16 04 2021Mais de um bilhão de cooperativistas em todo o mundo continuam a demonstrar que ninguém precisa enfrentar sozinho uma crise como a atual pandemia. No dia 3 de julho, o Dia Internacional das Cooperativas (#CoopsDay) será comemorado com o tema "Juntos reconstruímos melhor". As cooperativas de todo o mundo mostrarão como estão enfrentando a crise causada pela pandemia da covid-19 com solidariedade e resiliência, oferecendo às comunidades uma recuperação centrada nas pessoas e que respeita o meio ambiente.

 

Prioridades - “Ao longo do ano passado, pudemos observar que as prioridades do modelo cooperativo têm sido o bem-estar das pessoas e o respeito ao planeta, o que reforça os princípios em que ele se baseia. Juntos podemos reconstruir melhor e estou convencido de que seremos testemunhas de muitas histórias de como o movimento cooperativo ajuda as comunidades a se fortalecerem no mundo pós-pandêmico”, declarou o diretor-geral da Aliança Cooperativa Internacional (ACI), Bruno Roelants.

 

Demonstração - Em áreas como saúde, agricultura, produção, varejo, finanças, habitação, emprego, educação, serviços sociais e muitas outras onde as cooperativas são ativas, os mais de um bilhão de membros de cooperativas em todo o mundo continuam a demonstrar que ninguém precisa enfrentar sozinho uma crise como a atual pandemia.

 

Pessoa - O #CoopsDay será a ocasião ideal para demonstrar que o modelo de negócios centrado nas pessoas, baseado nos valores cooperativos de autoajuda e solidariedade e nos valores éticos de responsabilidade social e senso de comunidade, permite reduzir as desigualdades, criar prosperidade comum a todos e responder aos impactos imediatos causados pela covid-19.

 

Celebração - A ACI solicita aos cooperativistas e às organizações sociais de todo o mundo que se preparem para celebrar o #CoopsDay no dia 3 de julho para mostrar a todos que podemos reconstruir melhor juntos.

 

Materiais - O pacote com materiais publicitários do #CoopsDay 2021 contendo o logotipo, as principais mensagens e outros recursos digitais que estão sendo preparados pela ACI, estará disponível em breve.

 

Sobre o Dia - As cooperativas em todo o mundo celebram o Dia das Cooperativas desde 1923, mas foi somente em 1995, ano do centenário da ACI, que a Assembleia Geral das Nações Unidas o proclamou oficialmente como o Dia Internacional das Cooperativas e estabeleceu sua comemoração anualmente, no primeiro sábado de julho.

 

Objetivo - O objetivo do #CoopsDay é chamar atenção para as cooperativas e promover os ideais do movimento, como a solidariedade internacional, a eficiência econômica, a igualdade e a paz mundial. Desde 1995, a ACI e as Nações Unidas estabelecem o tema para a celebração do #CoopsDay através do Comitê para a Promoção e o Avanço das Cooperativas (COPAC).

 

Comemoração - A comemoração deste ano será a 27ª edição do Dia Internacional das Cooperativas desde seu reconhecimento pelas Nações Unidas e a 99ª edição do Dia Internacional das Cooperativas desde que sua primeira celebração foi registrada.

 

Contribuição - O #CoopsDay dá aos formuladores de políticas locais, nacionais e internacionais, às organizações da sociedade civil e ao público em geral a oportunidade de descobrir como as cooperativas contribuem para criar um futuro justo para todos.

 

Sobre a ACI - A Aliança Cooperativa Internacional é uma organização não-governamental independente que reúne, representa e serve organizações cooperativas em todo o mundo. A Aliança Cooperativa Internacional é a voz mundial das cooperativas, empresas centradas nas pessoas e baseadas em valores.

 

Cooperativista - Uma em cada seis pessoas no mundo é cooperativista. Através de seus membros, a Aliança Cooperativa Internacional representa mais de 1 bilhão de membros de cooperativas em 3 milhões de cooperativas em todo o mundo. 280 milhões de pessoas em todo o mundo (10% da população ativa) garantem seu sustento através de cooperativas, seja através de emprego direto ou organizando-se através de uma cooperativa.

 

Trabalho - A Aliança Cooperativa Internacional trabalha com governos e organizações globais e regionais para criar ambientes legislativos que possibilitem a formação e o crescimento das cooperativas. Para os meios de comunicação e o público, a Aliança Cooperativa Internacional promove a importância do modelo de negócios baseado nos valores das cooperativas centradas nas pessoas.

 

Estrutura - Atuando do escritório global em Bruxelas (Bélgica), a Aliança Cooperativa Internacional está organizada em quatro Escritórios Regionais (Europa, África, Américas e Ásia-Pacífico) e oito Organizações Setoriais (Bancos, Agricultura, Pesca, Seguros, Saúde, Habitação, Consumo e cooperativas na indústria e serviços). (OCB)

 

LIVE: Cinco décadas de cooperativismo é tema de live com lideranças do setor

 

No próximo dia 26 de abril, às 19h, acontece a primeira live da CoopCafé, organizada pela BR Cooperativo com as participações dos presidentes Edivaldo Del Grande (Sistema Ocesp), José Roberto Ricken (Sistema Ocepar), Luiz Vicente Suzin (Sistema Ocesc), Ronaldo Scucato (Sistema Ocemg) e Vinicius Mesquita (Sistema OCB/RJ). Segundo o organizador do evento e editor da revista BR Cooperativo, Cláudio Montenegro, “a ideia é homenagear as organizações estaduais que completaram 50 anos de história no setor cooperativista e, ainda, falar sobre as perspectivas dessas lideranças para os próximos anos e quanto elas contribuem para o desenvolvimento econômico e social em seus estados e, consequentemente, para o Brasil”, frisou.

 

 

live 16 04 2021

 

COVID-19: Confira os novos destaques da área destinada ao coronavírus no Portal PR Cooperativo

covid 16 04 2021A Área Covid-19 do Portal Paraná Cooperativo é atualizada toda sexta-feira com as notícias que foram destaques durante a semana no Informe Paraná Cooperativo e na Rádio Paraná Cooperativo. Lá, é possível acessar também os comunicados do Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar. Há ainda uma seção de perguntas e respostas, com esclarecimentos relativos à pandemia. Clique aqui e confira.

 

RÁDIO PR COOPERATIVO: Como está a nossa saúde mental durante a pandemia é tema de podcast

Desde que foi declarada a pandemia do novo coronavírus, em março de 2020, outra preocupação se somou à da propagação do vírus: a manutenção da saúde mental da população. Home office, aulas online, academias fechadas, risco de perda de renda, rotinas alteradas e, para complicar ainda mais, a necessidade de manter o distanciamento físico da família e dos amigos. E essa situação vem se prolongando. A tão esperada vacina chegou, mas o ritmo de imunização está muito lento. Passado pouco um ano de pandemia de Covid-19, como está a nossa saúde mental? Conseguimos nos adaptar ou a Covid-19 ainda abala o nosso emocional, a ponto de causar prejuízos à saúde? Para conversar sobre esse tema, a Rádio Paraná Cooperativo preparou um podcast com o psiquiatra Gustavo Sehnem, médico cooperado da Unimed Curitiba, e com o educador físico, ultramaratonista e palestrante, Raphael Bonatto. Ouça aqui

 

{vsig}2021/noticias/04/16/radio_pr_cooperativo/{/vsig}

LEGISLAÇÃO: Aprovado PL que permite assembleias virtuais depois da pandemia

 

legislacao 16 04 2021O Senado aprovou, na terça-feira (13/04), o PL 5.546/2020, do senador Oriovisto Guimarães (PR), que permite a realização de assembleias, reuniões e votações por meios eletrônicos em associações, fundações e organizações religiosas. A permissão foi realizada via alteração do Código Civil e a OCB atuou junto ao relator, senador Álvaro Dias (PR), e ao autor pela aprovação da permissão.

 

Permanente - Desse modo, a OCB e suas unidades estaduais poderão realizar assembleias digitais de forma permanente, ou seja, mesmo após a pandemia. Os meios eletrônicos devem ser indicados pelo administrador ou por decisão coletiva que assegurem a identificação do participante e a segurança do voto, produzindo todos os efeitos legais.

 

Manifestação - A manifestação dos participantes poderá ocorrer por qualquer meio de conferência eletrônica indicada pelo ato constitutivo ou, se omisso, pelo administrador, e produzirá todos os efeitos legais de uma assinatura presencial, desde que a assembleia ou reunião tenham sido gravadas pelo meio de conferência eletrônica, o que também é uma exigência do projeto.

 

Câmara - O projeto segue, agora, para análise da Câmara dos Deputados. Confira o texto aprovado: https://bit.ly/3mRQmz. (OCB)

 

FOTO: Waldemir Barreto / Agência Senado

 

COOPERATIVISMO: Panorama Coop traz análises da semana sobre os principais fatos de interesse do setor

cooperativismo 16 04-2021 Desde março de 2020, o Sistema OCB publica, semanalmente, análises sobre vários temas e seus impactos para as cooperativas. São informações que tratam de política, economia, reforma tributária, pleitos do cooperativismo em tramitação no Congresso Nacional, normativos e medidas tributárias publicadas pelo governo. Neste ano, essas análises passaram a ser divulgadas por meio do Panorama Coop, uma newsletter atualizada todas as quintas-feiras.

Destaques da semana - O boletim desta semana destaca a sanção da nova Lei de Licitações e o seu impacto para o cooperativismo. Após longos anos de trabalho intenso da Frencoop e da OCB, as coops terão mais oportunidades nos processos licitatórios. Além disso, nas notícias há o lançamento da Agenda Institucional do Cooperativismo - que conta diversos projetos importantes para o setor, entre eles o de licitação e a modernização da LC 130 - além dos melhores momentos da live Brasil no Prêmio Nobel da Paz.

 

Análise Política - A análise desta edição trata sobre as principais conquistas do cooperativismo na nova Lei de Licitações (Lei 14.133/2021). Antes da sanção, a OCB e a Frencoop estiveram mobilizadas para aprimorar o texto, que inicialmente proibia cooperativas de participarem de licitações. Como resultado, a nova legislação não só permite, como impede a proibição da participação de cooperativas nos processos licitatórios, trazendo segurança jurídica ao setor. Confira os bastidores dessa atuação e os principais pontos da legislação para o cooperativismo!

 

Acesse a Análise Política

 

Clique aqui e acesse todas as análises anteriores!

 

Nobel da Paz: Sistema OCB reforça indicação de Alysson Paolinelli - O Brasil pode receber, neste ano, o seu primeiro Prêmio Nobel da Paz. O ex-ministro da Agricultura Alysson Paolinelli foi indicado pelo seu papel de estimular o desenvolvimento à pesquisa científica aplicada ao campo e, assim, possibilitar os grandes saltos nos indicadores na agricultura brasileira, o que fez com que o país se tornasse um dos maiores agentes de segurança alimentar do mundo.

Saiba mais!

 

Crédito: modernização de lei é fundamental para o crescimento econômico - Aprovada há mais de dez anos no Congresso Nacional, a regulamentação da Lei Complementar 130 (LC 130/2009) foi um marco para o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC) no Brasil. Com as evoluções tecnológicas e de interação registradas desde então, no entanto, a norma precisa de ajustes para atualizar pontos importantes e garantir maior segurança jurídica ao sistema.

Saiba mais!

 

OCB lançará agenda para os Três Poderes - A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) está finalizando os preparativos para o lançamento da Agenda Institucional do Cooperativismo – 2021, que apresenta as prioridades das coops no âmbito dos Três Poderes.

Saiba mais!

Clique aqui e confira o Panorama Coop em versão digital

 

SICREDI: Programa de formação de jovens lideranças é expandido para todo Brasil

 

Os jovens são protagonistas nas transformações sociais e cada vez mais têm se relacionado com organizações que sejam alinhadas com seus valores. Para auxiliar na construção de um futuro próspero e conectado às novas gerações, a Fundação Sicredi uniu as melhores práticas e ações das cooperativas realizadas com os jovens associados e institucionalizou o programa Comitê Jovem Sicredi.

 

Origem - A iniciativa surgiu em 2015 em algumas cooperativas do Sicredi, para fomentar o surgimento de jovens lideranças cooperativistas entre os colaboradores e associados. Desde então, foi replicado em outras regiões do país e rendeu reconhecimentos internacionais aos jovens participantes, como premiações no WYCUP (World Council Young Credit Union People), iniciativa global de estímulo à formação de jovens lideranças e que premia projetos com potencial de impactar globalmente o cooperativismo de crédito com uma bolsa anual de estudos concedida pelo WOCCU (sigla em inglês para Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito).

 

Metodologia - Entre as novidades do Programa está a metodologia para a formação dos integrantes, que agora será realizada em 18 meses e contempla uma série de encontros e atividades baseadas em quatro perspectivas: linguagem acessível, pílulas de conteúdo, desafios reais e colaboração entre os membros. Esta formação se dá por meio de uma jornada que contempla workshops, minicursos em uma plataforma gamificada, desafios reais, desenvolvimento de projetos com benefício social, mentoria e Summits. Tudo isso com uma linguagem adaptada ao público jovem

 

Resultados - “Temos colhido muitos frutos a partir do trabalho com os jovens, os quais têm se engajado e liderado iniciativas que não só beneficiam as comunidades onde são realizadas, como também servem de exemplo e inspiração para o mundo todo. A ampliação e o aperfeiçoamento da metodologia de formação dos jovens cooperativistas darão ainda mais impulso para que sejam plantadas novas sementes que, com certeza, gerarão mais prosperidade à sociedade”, ressalta o conselheiro da Fundação Sicredi, diretor do Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (WOCCU na sigla em inglês) e da Fundação WOCCU, Manfred Alfonso Dasenbrock.

 

Estímulo - Para estimular nos participantes a criação de projetos que gerem benefício à sociedade, a grade curricular é alinhada ao perfil dos jovens associados e explora temas como cooperativismo e educação financeira, liderança e protagonismo, exploração e prototipagem, autoconhecimento e propósito, sustentabilidade e impacto positivo, empreendedorismo e inovação e voluntariado. O programa conta com a parceria da Jr. Achievement, por meio da iniciativa JA Startup, para apoiar os participantes na construção de projetos com impacto social para as comunidades onde residem.

 

Mentoria - Outra novidade do programa, agora institucionalizado, é a mentoria. A partir dos encontros com mentores voluntários, que podem ser colaboradores do Sicredi, coordenadores de núcleo ou associados membros da comunidade, a expectativa é que os jovens desenvolvam habilidades para transformar suas ideias em projetos que beneficiem a comunidade, econômico e ambiental nas suas regiões. Já reconhecidos por proporcionarem a troca de conhecimentos e práticas entre cooperativistas de diferentes comunidades, os Summits regionais de jovens serão mantidos como ações do Programa Comitê Jovem Sicredi.

 

Referência mundial - Os projetos desenvolvidos com os jovens pelo Sicredi no Brasil são referência para cooperativas de todo o mundo e isso foi reforçado na edição 2020 do Fórum do WYCUP, que contou com a presença de centenas de profissionais do setor, em diversos países. Um dos destaques foi a premiação do associado Vinícius Mattia, de 26 anos, com o projeto “Agricultura Familiar e Alimentos Sustentáveis”, que ficou entre as três melhores iniciativas apresentadas.

 

Reconhecimento - Outro destaque foi o reconhecimento do trabalho de apoio ao desenvolvimento de jovens lideranças desenvolvido pelo Sicredi por representantes de cooperativas de outros países. O polonês e também vencedor no WYCUP Piotr Palka, contou como uma visita técnica feita ao Sicredi em 2019, durante o Summit Jovem organizado pela instituição no Brasil, lhe proporcionou importantes conhecimentos sobre boas práticas, as quais ele tem levado para sua cooperativa na Polônia, entre elas a própria criação de comitês jovem.

 

Outros cases - Na edição 2020 do WYCUP, o Sicredi concorreu também com outros seis cases de jovens cooperativistas. As iniciativas foram lideradas por colaboradores e associados em municípios do Acre, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rondônia, Tocantins e uma delas no Haiti, país do Caribe. Os projetos tiveram foco em temas como relacionamento das cooperativas com a comunidade local, educação financeira, agricultura familiar, geração de oportunidades para mulheres, entre outros que buscam apoiar no desenvolvimento de uma sociedade mais sustentável e próspera.

 

Inclusão - Nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro o Sicredi desenvolve a iniciativa dos Comitês Jovem em 21 cooperativas com o envolvimento de cerca de 600 membros ativos. O projeto tem, ao longo dos anos, promovido a inclusão dos jovens nas cooperativas de crédito, gerando capacitação para cargos de liderança no cooperativismo e na sociedade.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

FOTO: Rafael Danielewicz / arquivo Sicredi

{vsig}2021/noticias/04/16/sicredi/{/vsig}

CRESOL: Projeto online reúne aproximadamente 250 jovens de 13 estados brasileiros

A Cresol finalizou no último mês mais uma edição do projeto Juventude Conectada, desenvolvido com o objetivo de fomentar o relacionamento da Cresol com o público jovem, instigando o desenvolvimento pessoal e profissional dos participantes.

Online - Nesta edição, em razão da pandemia do Covid-19, as atividades do projeto aconteceram de forma online, com uma jornada de aprendizagem e formação cooperativista com foco nas competências técnicas e comportamentais dos jovens, aliando a tecnologia a temas como economia, empreendedorismo e a dinâmicas do mercado de trabalho, sejam elas para a inserção dos jovens no mercado de trabalho, em seus empregos, ou em seus empreendimentos.

Participação - Cerca de 250 jovens, de 13 estados diferentes, participaram do projeto que iniciou no mês de outubro do ano passado e terminou no último mês de março. Foram, aproximadamente, seis meses de ações semanais e 110 horas de atividades em encontros online, como lives, webinars e workshops. Além desses momentos, os participantes desenvolveram ações extras na semana.

Reflexões - Alzimiro Thomé, presidente do Sistema Cresol Baser e do Cresol Instituto, disse que o projeto trouxe muitas reflexões aos jovens. “Com certeza todo conhecimento adquirido durante esses seis meses de encontros online irá contribuir para o crescimento profissional dos jovens que se dedicaram e aproveitaram ao máximo as nossas equipes que, a cada novo encontro, não mediram esforços para apresentar novidades aos participantes”.

Presença - Thomé também destacou a importância da cooperativa estar presente, dando apoio e incentivando o empreendedorismo dos jovens. “Na Cresol, realizamos um trabalho que vai além do financeiro, e que tem forte atuação nas comunidades onde levamos informações e apoiamos diversos projetos educativos”, disse.

Gamificação - Durante todo o projeto, a Cresol trabalhou a gamificação como uma forma de engajar e valorizar os participantes e, ao final, toda a interação no curso contabilizou pontos que foram ranqueados e premiaram os jovens.

Aprendizado - Edivani Perin, de 20 anos, foi uma das participantes do projeto e comentou sobre o retorno que teve com os encontros. “A Cresol sempre esteve disposta a nos ajudar financeiramente, investindo e melhorando a nossa propriedade. No ano passado fui convidada para participar do projeto Juventude Conectada e aceitei na hora, pois mesmo sendo online nos conectamos com jovens de todo Brasil. Além disso, o projeto nos auxiliou a ver as coisas de formas diferentes, principalmente a maneira como administramos o nosso dinheiro, que é algo essencial para termos uma vida financeira saudável. Também aprendemos sobre o cooperativismo e as suas inúmeras vantagens”, comentou a jovem que mora e trabalha com os pais em uma propriedade rural de Iraceminha, Santa Catarina.

Inserção - O gerente do Cresol Instituto, José Vandresen, destacou a atuação da Cresol como uma instituição financeira cooperativa da comunidade que tem focado na atenção aos serviços financeiros, educacionais e de assistência aos jovens empreendedores, como mecanismo de acelerar as inovações apresentadas. “Hoje a comunidade mundial tem destacado a inserção dos jovens e mulheres nas organizações e a Cresol definiu apoiar esse público em seus projetos e empreendimentos, por isso o Cresol Instituto tem se empenhando em desenvolver conteúdos, metodologias e dinâmicas que possam garantir a qualificação, a educação cooperativa, a troca, a vivência, bem como a diversão da juventude que aposta na conexão com a cooperativa”, finalizou Vandresen. (Imprensa Cresol)

{vsig}2021/noticias/04/16/cresol/{/vsig}

UNIMED LONDRINA Relação entre a saúde bucal e a saúde geral é o tema do mês da cooperativa

unimed londrina 16 04 2021Todo o organismo se beneficia quando os cuidados com os dentes são feitos adequadamente. A má higiene bucal pode gerar diversos problemas de saúde, entre eles, gengivite, placa bacteriana, tártaro, mau hálito, câncer de boca e língua, além de infecções bacterianas que podem chegar até o coração, causando infecção no revestimento interno do coração, a endocardite.

Origem - Nem sempre a endocardite está relacionada a problemas com a saúde bucal, mas na maioria dos casos, o paciente tem um histórico de má higienização dos dentes. Os microorganismos que causam a infecção podem ter origem na boca e chegar ao coração pela corrente sanguínea, vale destacar que a endocardite pode gerar diversas consequências ao organismo, desde infarto, insuficiência cardíaca, infecções em órgãos até o óbito.

Live - Neste mês, a saúde bucal é o tema do Calendário da Saúde da Unimed Londrina. A relação entre as doenças do coração e a saúde bucal é um dos temas que serão abordados em uma live, na próxima semana, dia 22/04, às 19 horas, nos canais da Unimed Londrina no Instagram, Facebook e Youtube. No evento haverá um bate papo entre o médico cardiologista Gustavo Galli Reis e o cirurgião dentista, Fabio Massaharu Nogi, mediados pelo presidente da Unimed Londrina, Omar Genha Taha. O final do evento online, haverá sorteio de kits de saúde bucal, uma parceria entre a Unimed Londrina e a Dental Clean. (Imprensa Unimed Londrina)

 

LAR: Campeã em três categorias do Prêmio Quem é Quem

Mulher Cooperada, Inovação e Bioenergia foram as categorias em que a Lar Cooperativa Agroindustrial recebeu o troféu de 1º lugar durante entrega do Prêmio Quem é Quem. A premiação nacional reconhece as melhores e maiores cooperativas brasileiras do setor de aves, suínos e peixes, uma espécie de Oscar do cooperativismo. A cerimônia foi realizada de maneira digital na última terça-feira (13/04), durante o Avesui Virtual. O evento contou com a participação da ministra da Agricultura Tereza Cristina; do presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal – ABPA, Ricardo Santin e o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras Marcio Lopes de Freitas.

Troféus da Lar - “A Celsi é uma mulher muito dedicada, uma líder que representa muito bem as mulheres da Lar, que sempre são reconhecidas e recebem oportunidades para expressarem seu talento no campo e inclusive cargos de gestão. Na categoria inovação a Lar é a campeã nessa premiação por três anos consecutivos, e o projeto da vez faz referência ao uso de tecnologia para facilitar o dia a dia dos mais de 1.300 associados integrados com pedidos de ração automatizados. Na área ambiental, que é também uma das prioridades da Cooperativa, ficamos muito felizes pelo destaque na produção de energia elétrica a partir de fontes alternativas como o cavaco e o dejeto dos suínos” afirmou o diretor-presidente da Lar Cooperativa, Irineo da Costa Rodrigues, ao se manifestar após o evento.

Campeã - A associada Celsi Sandmann foi a homenageada como campeã na categoria Mulher Cooperada. Celsi é associada da Lar há 39 anos, reside no município de Santa Helena-PR, e sua família desenvolve as atividades de suinocultura e avicultura de corte. Ela se destaca por seu envolvimento com a comunidade e por já ter atuado na liderança da cooperativa, representando as mulheres da sua unidade e os avicultores.

Inovação - Na categoria Inovação, a Lar Cooperativa foi campeã com o projeto Automação do Pedido e Entrega de Ração com o uso de tecnologias digitais. A ideia já implantada consiste no uso de inteligência artificial para programar pedidos de maneira automática e sensores nos silos, para identificar estoques com mais precisão. O projeto é oriundo de Grupo de Melhoria, baseado em estudo dos próprios funcionários da Unidade Industrial de Rações em Santa Helena-PR.

Biomassa e Bioenergia - O terceiro troféu de campeã da Lar foi na categoria de Biomassa e Bioenergia, com destaque para ações desenvolvidas nas unidades produtoras de leitões e desmamados e também na Unidade Industrial de Soja 2 em Caarapó-MS. Nestas unidades a energia é produzida a partir do biogás formado com os dejetos de suínos e na indústria de soja com uso de cavaco.

Finalista - A Lar Cooperativa ficou também entre os finalistas em outras seis categorias: Econômico-Financeiro; Ambiental e Bem-Estar Animal, Assistência Técnica, Gestor Operacional, Melhor Cooperado Aves e Varejo.

O prêmio - Quem é Quem é promovido pela Gessulli Agribusiness, este ano como o apoio da Dhaus nutrição animal. O processo prévio antes da premiação incluiu avaliação de pesquisadores da Esalq-USP e especialistas de cada tema. (Imprensa Lar)

{vsig}2021/noticias/04/16/lar/{/vsig}

COAMO: Revista destaca colheita de verão

coamo 16 04 2021Está circulando a mais nova edição da Revista Coamo. A reportagem principal aborda a colheita das lavouras de verão e os resultados de mais uma boa safra para os cooperados. A edição traz, também, a cobertura do encontro de verão da Fazenda Experimental realizado, de forma virtual, pela cooperativa, o desempenho da Credicoamo apresentado e aprovado em Assembleia Geral, e muito mais.

Versão on-line - Além da versão impressa, a Revista Coamo pode ser acessada na versão on-line pelo computador e dispositivos móveis.

Acesso - Acesse aqui a versão completa da Revista Coamo: http://www.coamo.com.br/revistacoamo/mai21/. (Imprensa Coamo)

 

MAPA: Seguros agrícolas para culturas de inverno serão avaliados em videoconferência

 

mapa 16 04 2021O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizará, no dia 23 de abril, às 15h, uma videoconferência do projeto Monitor do Seguro Rural, dedicada ao seguro rural das culturas de inverno de milho 2ª safra, trigo, cevada, sorgo, aveia, centeio, linho, triticale, canola, feijão e girassol. O objetivo é avaliar e propor aperfeiçoamentos nos produtos e serviços ofertados pelas seguradoras, tornando as coberturas mais aderentes às necessidades dos produtores.

 

Link - Para participar da videoconferência, basta acessar o seguinte link da plataforma Teams na data e horário agendados: tinyurl.com/msrinverno

 

Participação - O trabalho é coordenado pelo Departamento de Gestão de Riscos do Mapa e terá a participação de produtores, com o apoio das entidades representativas do setor, cooperativas, associações, revendas de insumos, companhias seguradoras, empresas resseguradoras, corretores, peritos e instituições financeiras.

 

Operações - Em 2020, o seguro rural de culturas de inverno representou 48.352 operações, cerca de 25% das apólices subvencionadas pelo Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR). “Será uma oportunidade para os produtores dialogarem com as seguradoras para compreender o funcionamento dos produtos de seguro rural que estão disponíveis no mercado e sugerir propostas de melhorias”, explica o diretor do Departamento de Gestão de Riscos do Mapa, Pedro Loyola. No caso das culturas de inverno, o percentual de subvenção ao prêmio pode ser de 35% para produtos de risco nomeado e de 40% para produtos com cobertura multirrisco.

 

Cobertura - O seguro rural prevê cobertura de riscos nomeados, quando o produtor escolhe na cobertura básica os riscos cobertos, tais como: geada e granizo. Já a cobertura multirrisco contempla na sua cobertura básica riscos diversos como incêndio, raio, tromba d’água, ventos fortes, ventos frios, granizo, chuva excessiva, seca, geada, variação excessiva de temperatura.

 

Monitor do Seguro Rural - O projeto já avaliou diversas modalidades de seguros rurais desde julho de 2020 atingindo mais de 1.400 participantes. As gravações e apresentações das edições anteriores do Monitor de Seguro Rural podem ser acessadas aqui: tinyurl.com/msrarquivos

 

Cronograma - O cronograma de eventos por videoconferência do Monitor, que começou em julho de 2020 e se estende até final de 2022, tem a finalidade de identificar e propor melhorias nos serviços de seguro para mais de 60 atividades de grãos, frutas, olerícolas, pecuária, florestas, aquícola, café e outras culturas até o final de 2021. O monitor é uma oportunidade para os produtores e as cooperativas, com as entidades representativas, construírem soluções em conjunto com as seguradoras e o apoio do Mapa.

 

Mais informações - Mais informações sobre o Monitor pelo e-mail: seguro@agricultura.gov.br. (Mapa)

 

Clique aqui e saiba mais sobre o Monitor de Seguro Rural

 

FOTO: Embrapa

 

AGRONEGÓCIO: Estudo aponta crescimento da agricultura sustentável no Brasil

 

agronegocio 16 04 2021O agronegócio brasileiro vem se comprometendo cada vez mais com a adoção de práticas que poupam os recursos naturais e diminuem a emissão de carbono para a atmosfera. Essa é a conclusão do artigo Desenvolvimento da agricultura de baixo carbono no Brasil, publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), órgão vinculado ao Ministério da Economia.

 

Tecnologias - “A adoção de tecnologias que diminuem a emissão de gases de efeito estufa na agropecuária faz do Brasil um dos principais protagonistas no debate mundial sobre mudanças climáticas”, aponta Tiago Santos Telles, pesquisador do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná) e um dos autores da pesquisa.

 

Exemplos - Como exemplos dessas tecnologias, aponta o pesquisador do IDR-Paraná, está o plantio direto, uso de estratégias que aproveitam a fixação biológica de nitrogênio pelas plantas e, ainda, a exploração conjunta de espécies florestais em áreas de pastagens e de cultivo de grãos.

 

Cumprimento de metas - O estudo foi realizado com o objetivo de aferir o cumprimento das metas estabelecidas no Plano ABC, de 2010, e partiu da reunião e análise de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), ligado à Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq-USP); Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Embrapa, Projeto de Mapeamento Anual da Cobertura e Uso do Solo no Brasil (MapBiomas) e do Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa (Seeg).

 

Desafios - A pesquisa também aponta desafios. “É necessário ampliar os investimentos na recuperação de pastagens degradadas e no tratamento de dejetos animais”, alerta Telles.

 

Plano ABC - O Plano Setorial de Mitigação e de Adaptação às Mudanças Climáticas para a Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Agricultura, ou simplesmente Plano ABC, foi elaborado em 2010 como parte da Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC).

 

Desdobramento - A PNMC, por sua vez, foi um desdobramento interno da participação brasileira na 15ª Conferência das Partes (COP 15), realizada na Dinamarca em dezembro de 2009. Desse evento resultou o Acordo de Copenhague, em que o Brasil, país signatário, se comprometeu a reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) – principalmente metano, dióxido e monóxido de carbono – até 2020.

 

Origem - No Brasil, cerca de 31% do total desses gases são gerados na agropecuária, aponta Telles, principalmente a emissão de metano na criação de bovinos, a liberação de carbono em certas práticas de manejo do solo e, ainda, o desmatamento para a liberação de novas áreas.

 

Diretrizes - O Plano ABC definiu como principais diretrizes a recuperação de pastagens degradadas, a disseminação da produção integrada de lavouras, pecuária e florestas, o incremento do plantio direto, a difusão da fixação biológica de nitrogênio, a ampliação das florestas plantadas e a ampliação no tratamento de dejetos animais.

 

Resultados - Telles explica que o estudo avaliou a evolução do uso da terra entre 2010 e 2020, juntamente com a adoção das tecnologias preconizadas no Plano ABC. “A maior parte das metas foi alcançada”, ele aponta.

 

Aumento - Os dados indicaram aumento na implantação de árvores em estabelecimentos agropecuários. “Os agricultores se dedicaram ao reflorestamento, cresceu a área de florestas destinadas à preservação permanente ou reserva legal”, afirma Tiago Telles.

 

Destaque - Quanto à disseminação de tecnologias conservacionistas, o destaque foi a adoção de sistemas integrados de lavouras, pecuária e florestas. Segundo Telles, a meta do Plano ABC era expandir a adoção desse modelo de produção para 4 milhões de hectares. “Foram convertidos 13,76 milhões de hectares”, comemora o pesquisador.

 

Plantio direto - A expansão do plantio direto no período é outra importante constatação do estudo. A meta do Plano ABC era expandir em 8 milhões de hectares a área com esse sistema de cultivo. Foram alcançados 16,74 milhões de hectares, um incremento de 209,22% sobre a proposta inicial.

 

Crescimento - Houve importante crescimento de áreas dedicadas às florestas plantadas – 140% acima da meta – e adoção de estratégias para a fixação biológica de nitrogênio, que alcançou 14,55 milhões de hectares e superou em mais de 260% o objetivo inicial definido pelo Plano ABC.

 

Tratamento de dejetos - A baixa adoção do tratamento de dejetos animais e o pequeno incremento na recuperação de pastagens degradadas foram os pontos negativos verificados no estudo.

 

Meta - Frente à meta de tratar 4,4 milhões de metros cúbicos de dejetos animais, obteve-se 1,7 milhão, cerca de 39%. Dos 15 milhões de hectares de pastagens recuperados inicialmente previstos, meros 5,44 milhões de hectares, ou 36,30%, foram alcançados.

 

Políticas públicas - O pesquisador José Eustáquio Ribeiro Vieira Filho, do Ipea, destaca a importância de avaliar as políticas públicas. Para ele, o estudo permitiu verificar o esforço brasileiro em busca de maior sustentabilidade na produção. “Os resultados destacam o Brasil como líder mundial na construção de uma economia de baixo carbono”, conclui.

 

Autoria - Juntamente com Telles e Vieira Filho, integram o conjunto de autores do artigo as pesquisadoras Ana Júlia Righetto e Marina Ronchesel Ribeiro, ambas ligadas ao IDR-Paraná. A íntegra do texto pode ser acessada AQUI. (Agência de Notícias do Paraná)

 

 

TRÂNSITO: Detran-PR lança guia com respostas sobre mudanças no exame toxicológico

 

transito 16 04 2021Entre as diversas mudanças no novo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que entrou em vigor na segunda-feira (12/04), uma das principais é a obrigatoriedade da realização do exame toxicológico periódico para quem possui Carteira Nacional de Habilitação (CNH) nas categorias C, D e E. Como a nova regra ainda gera muitas dúvidas, o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR) criou um e-book para responder as dúvidas mais frequentes relacionadas ao tema.

 

Novo exame - Os condutores com CNH nestas categorias e que têm idade inferior a 70 anos deverão fazer um novo exame toxicológico a cada dois anos e seis meses, a partir da obtenção e/ou renovação da habilitação. O não cumprimento desta norma implica infração gravíssima, tendo como penalidade multa multiplicada por cinco vezes e suspensão do direito de dirigir por 90 dias.

 

Três - Ou seja, o motorista que tiver validade de 10 anos na sua CNH terá que fazer três exames toxicológicos intermediários durante esse período.

 

Dúvida - Uma das dúvidas mais frequentes refere-se à obrigatoriedade do exame toxicológico para quem não exerce atividade remunerada. Segundo a nova lei, os motoristas com CNH nestas categorias devem fazer o exame e comprovar a resultado negativo para obtenção ou renovação da CNH independente do compromisso profissional.

 

A e B - Quem estiver conduzindo veículos das categorias A e B com exame vencido não será autuado, mesmo que tenha CNH das categorias que exigem o exame toxicológico. A penalidade é aplicada na condução de veículos correspondentes às categorias C, D e E.

 

Penalidades - O condutor que exerce atividade remunerada e não fez os exames toxicológicos intermediários estará sujeito à penalidade de multa e suspensão do direito de dirigir no momento da renovação da CNH das categorias C, D e E. (Agência de Notícias do Paraná)

 

Confira essas e outras determinações no Guia do Detran-PR.

Confira e-book que explica as mudanças no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

 

FOTO: José Fernando Oura / AEN

 

COMBUSTÍVEL: Petrobras aumenta preços do diesel e da gasolina nas refinarias

 

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (15/04) aumentos de R$ 0,10 (3,7%) no preço do diesel e de R$ 0,05 (1,9%) no da gasolina. Os valores serão reajustados a partir desta sexta-feira (16/04) nas refinarias da estatal, onde o litro do diesel passará a custar R$ 2,76, e o da gasolina, R$ 2,64.

 

Última mudança - A última mudança nos preços dos combustíveis ocorreu no sábado passado (10/04), quando a Petrobras havia anunciado uma redução de R$ 0,08 no preço do diesel e mantido o preço da gasolina em R$ 2,59.

 

Mercado internacional - Os reajustes de preços da Petrobras acompanham variações do valor dos combustíveis e do dólar no mercado internacional. Com isso, os aumentos ou reduções de preços ocorrem sem periodicidade definida, o que, segundo a estatal, permite competir de maneira mais eficiente e flexível.

 

Alta - Desde o início do ano, os preços acumulam alta tanto para a gasolina, que encerrou 2020 vendida a R$ 1,84 nas refinarias da Petrobras, quanto para o diesel, que era negociado a cerca de R$ 2 por litro.

 

Consumidores finais - A Petrobras afirma que os preços cobrados por suas refinarias têm "influência limitada" sobre o que é cobrado dos consumidores finais desses combustíveis. Isso ocorre porque o valor pago na bomba dos postos é acrescido de impostos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis, além das margens brutas das companhias distribuidoras e dos postos revendedores de combustíveis. (Agência Brasil)

PLDO I: Projeto prevê crescimento de 2,5% para o próximo ano

 

ldo I 16 04 2021A economia brasileira deverá crescer 2,5% no próximo ano, depois de crescer 3,2% em 2021. A estimativa consta do Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) 2022, enviado nesta quinta-feira (15/04) ao Congresso Nacional.

 

Estimativas oficiais - Pelas estimativas oficiais, a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) cairá para 3,5% em 2022 e para 3,2% em 2023 e 2024. As projeções para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), usado na correção do salário mínimo, serão 3,5% em 2022, 3,4% em 2023 e 3,5% em 2024.

 

Selic - O projeto também prevê uma média de 4,7% ao ano para a taxa Selic (juros básicos da economia), taxa de câmbio média a R$ 5,10 e preço médio do barril do petróleo (usado para estimar receitas da União com royalties) em US$ 60,9.

 

Constituição - Com data determinada pela Constituição, o envio do PLDO de 2022 ocorre em um momento em que o Orçamento Geral da União de 2021 não foi sequer sancionado. Nas últimas semanas, o governo e o Congresso têm negociado vetos parciais ao Orçamento aprovado no fim de março para remanejar dinheiro de emendas parlamentares para gastos obrigatórios, como Previdência Social e seguro-desemprego.

 

Sem alteração - Como o Orçamento de 2021 ainda não entrou em vigor, o Ministério da Economia não alterou as projeções para este ano. A previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país) continuou em 3,2%.

 

Inflação - As estimativas para a inflação foram mantidas em 4,4% para o IPCA e em 4,3% para o INPC. A taxa de câmbio média em 2021 permaneceu em R$ 5,30.

 

Déficit primário -  Em relação à meta fiscal, a estimativa que consta no PLDO é de que as contas públicas do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) deverão fechar 2022 com déficit primário de R$ 170,47 bilhões.

 

Resultado- O déficit primário representa o resultado das contas do governo desconsiderando o pagamento dos juros da dívida pública. Com o déficit previsto para o próximo ano, esse será o nono ano seguido de contas públicas no negativo.

 

2024 - O projeto da LDO prevê déficits até pelo menos 2024, totalizando 11 anos seguidos de resultados negativos. O texto projeta déficit de R$ 144,97 bilhões em 2023 e de R$ 102,2 bilhões em 2024.

 

Este ano - Apesar de mais um resultado negativo para o próximo ano, o déficit é inferior à meta de R$ 247,1 bilhões estipulada para este ano. A meta fiscal para 2021 pode ser afrouxada conforme a necessidade de gastos com o enfrentamento à pandemia de covid-19.

 

Teto de gastos - A alta da inflação a partir do segundo semestre do ano passado aliviou as restrições impostas pelo teto federal de gastos em 2022, depois de um limite severo imposto para 2021. O PLDO permitirá o aumento de R$ 107 bilhões no teto de gastos para o próximo ano, de R$ 1,485 trilhão em 2021 para R$ 1,592 trilhão em 2022.

 

IPCA - A alta, de 7,2%, equivale à estimativa de inflação pelo Índice Oficial de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado entre julho de 2021 e junho de 2022. O valor está um pouco mais otimista que as projeções do mercado financeiro, que estimam que a inflação acumulada em 12 meses chegará a junho entre 7,5% e 8%.

 

Gastos públicos federais - Neste ano, os gastos públicos federais poderão crescer apenas 2,13%, equivalente ao IPCA acumulado entre julho de 2019 e junho de 2020. Com as restrições das atividades econômicas nos primeiros meses da pandemia de covid-19, a inflação oficial caiu no primeiro semestre do ano passado, empurrando para baixo o índice usado para corrigir o teto de gastos. No segundo semestre, o IPCA disparou com a alta dos alimentos, mas essa alta só se refletirá no limite de gastos para 2022.

 

Parâmetros - O Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias traz parâmetros que orientam a elaboração do Orçamento do ano seguinte. Em tese, o projeto precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional até o fim do semestre legislativo, na metade de julho. Caso contrário, a pauta do Congresso fica trancada. (Com informações daAgência Brasil)

 

FOTO: Palácio do Planalto

 

PLDO II: Governo propõe salário mínimo de R$ 1.147 em 2022, sem aumento real

 

ldo II 16 04 2021O salário mínimo em 2022 será de R$ 1.147 e não terá aumento acima da inflação, anunciou o Ministério da Economia. O reajuste consta do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2022, enviado nesta quinta-feira (15/04) ao Congresso Nacional.

 

INPC - O reajuste segue a projeção de 4,3% para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para este ano. A estimativa também consta do PLDO.

 

Cálculo - Até 2019, o salário mínimo era reajustado segundo uma fórmula que previa o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) de dois anos antes mais a inflação oficial do ano anterior. Desde o ano passado, o reajuste passou a seguir apenas a reposição do INPC, por causa da Constituição, que determina a manutenção do poder de compra do salário mínimo.

 

Impacto - Segundo o Ministério da Economia, cada aumento de R$ 1 no salário mínimo tem impacto de aproximadamente R$ 315 milhões no orçamento. Isso porque os benefícios da Previdência Social, o abono salarial, o seguro-desemprego, o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e diversos gastos são atrelados à variação do mínimo.

 

Alteração - O valor do salário mínimo para o próximo ano ainda pode ser alterado, dependendo do valor efetivo do INPC neste ano. Pela legislação, o presidente da República é obrigado a publicar uma medida provisória até o último dia do ano com o valor do piso para o ano seguinte.

 

Valor atual - Em 2021, o salário mínimo está em R$ 1.100. Como o INPC do ano passado encerrou 2020 em 5,45%, puxado pela inflação dos alimentos, o valor do mínimo deveria ser R$ 1.102, mas o governo até hoje não incorporou a diferença de R$ 2 ao salário mínimo. Caso não faça isso antes do fim do ano, o resíduo será incorporado ao salário mínimo em 2022. (Agência Brasil)

 

FOTO: Pixabay

 

ECONOMIA: Paraná lidera ranking de emprego via Agências do Trabalhador

 

economia 16 04 2021O Paraná lidera o ranking do Sistema Nacional de Emprego (Sine) com 21.717 trabalhadores com carteira assinada colocados no mercado de trabalho pelas Agências do Trabalhador no primeiro trimestre de 2021. Os dados são da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego do Ministério da Economia e levam em conta empregos intermediados.

 

Superior - O número é 95,7 % superior ao segundo colocado, o Ceará, com 11.096 colocações no mercado. Em seguida estão Mato Grosso do Sul (6.796), São Paulo (6.371), Minas Gerais (4.525) e Mato Grosso (4.202).

 

Sul - Em relação aos estados do Sul, a diferença é ainda maior. No Paraná, o número de vagas preenchidas com intermédio das agências foi 572% superior ao Rio Grande do Sul (3.792) e 1.040% em relação a Santa Catarina (2.261).

 

Agências - O Paraná tem 216 Agências do Trabalhador no Estado, o que facilita o acesso ao mercado de trabalho a quem busca uma vaga. “Este é um reflexo direto do trabalho proativo de captação de novas vagas de empregos que é desenvolvido pela equipe do Setor de Intermediação de Mão de Obra do Departamento do Trabalho junto às empresas parceiras”, destacou o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost.    

 

Complemento - “A ação da Secretaria complementa a política de atração de investimentos do Estado. Buscamos nos aproximar da iniciativa privada para acelerar a colocação dos trabalhadores no mercado, fazendo com que o Paraná gere mais emprego e renda”, complementou Leprevost.

 

Fundamentais - Os dados foram fundamentais para um primeiro bimestre com saldo positivo nos empregos. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o Paraná é o terceiro maior polo gerador de empregos do País em 2021. São 66.763 contratos assinados em dois meses, já considerando as adequações feitas pelo órgão. Apenas São Paulo (203.774) e Minas Gerais (75.483) estão à frente.

 

Oportunidade - Thamires Lara é um exemplo dessa evolução. Ela é técnica em saúde e ficou durante seis meses desempregada devido à crise causada pela pandemia, até que conseguiu uma vaga de acordo com o seu perfil por meio da Agência do Trabalhador de Curitiba. Thamires procurou uma vaga pelos canais digitais disponibilizados pelo Governo do Paraná e está empregada.

 

Privilegiada - “Com essa crise que a gente está vivendo, me sinto privilegiada de poder trabalhar de casa, tendo uma renda fixa com carteira assinada. A Agência do Trabalhador me ajudou muito, os profissionais me deram todo o suporte necessário por e-mail para que eu conseguisse, de acordo com meu perfil, me encaixar em uma vaga de trabalho e consegui. Desde fevereiro estou trabalhando”, exemplificou.

 

Qualificação - Além do emprego, a Secretaria de Justiça, Família e Trabalho também oferece qualificação profissional e apoio à contratação de jovens aprendizes. Estão em andamento, por exemplo, os programas Carretas do Conhecimento e Cartão Futuro. Interessados podem conhecer as regras e as formas de acessar os programas no site da pasta.

 

Vagas abertas - Esta semana as Agências do Trabalhador estão disponibilizando mais 3.966 oportunidades de empregos em empresas do Paraná. As principais são para auxiliar de linha de produção (2.778 vagas), operador de telemarketing ativo e receptivo (190), alimentador de linha de produção (139 vagas) e auxiliar administrativo (134 vagas). Destas vagas, 710 estão nas agências de Curitiba e Região Metropolitana. (Agência de Notícias do Paraná)

 

FOTO: José Fernando Ogura / AEN

 

CÂMBIO: Dólar cai pelo terceiro dia seguido e aproxima-se de R$ 5,60

 

cambio 16 04 2021Embalado pelo mercado internacional, o dólar caiu pelo terceiro dia seguido e aproximou-se de R$ 5,60, zerando a alta em abril. A bolsa de valores iniciou o dia em forte alta, mas fechou praticamente estável em meio à realização de lucros.

 

Cotação - O dólar comercial encerrou a quinta-feira (15/04) vendido a R$ 5,628, com recuo de R$ 0,042 (-0,75%). A cotação operou em queda durante toda a sessão. Na mínima do dia, por volta das 10h, a moeda norte-americana chegou a R$ 5,60.

 

Queda acumulada - Com o desempenho desta quinta, o dólar passou a acumular queda de apenas 0,01% em abril. A divisa, no entanto, registra alta de 8,47% em 2021.

 

Ações - O dia também foi marcado pela euforia no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 120.701 pontos, com alta de 0,34%.De manhã, o indicador chegou a superar os 121,3 mil pontos, mas perdeu força ao longo do dia com investidores que passaram a vender ações para embolsarem ganhos recentes.

 

Notícias internacionais - Em mais um dia sem avanços nas negociações sobre os vetos parciais ao Orçamento de 2021, as notícias internacionais dominaram o mercado. As bolsas norte-americanas voltaram a bater recordes, e o rendimento dos títulos de dez anos do Tesouro dos Estados Unidos, considerados os investimentos mais seguros do mundo, voltaram a cair.

 

Juros mais baixos - Juros mais baixos nos papéis públicos dos Estados Unidos estimulam a entrada de capitais em mercados de maior risco. Isso beneficia países emergentes, como o Brasil. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

 

FOTO: Pixabay

 

 

SAÚDE I: Brasil tem 3,5 mil mortes por Covid-19 em 24 horas

Nas últimas 24 horas, as autoridades sanitárias registraram mais 3.560 mortes provocadas pela covid-19 no Brasil. Com isso, o total de pessoas que não resistiram à doença subiu para 365.444. Na quarta-feira (14/04), o sistema de informações da pandemia trazia 361.884 vidas perdidas para a covid-19.

Investigação - Ainda há 3.514 mortes em investigação por equipes de saúde. Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente.

Balanço - Os novos dados estão no balanço sobre a pandemia do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta quinta-feira (15/04). A atualização é elaborada a partir das informações enviadas por autoridades locais de saúde.

Ceará - As estatísticas não consideram os dados do Ceará. Por conta de um problema de alimentação de suas informações, o estado não repassou as novas mortes e casos registrados nas últimas 48 horas.

Soma - A soma de pessoas infectadas desde o início da pandemia chegou a 13.746.681. Entre quarta e quinta-feira (14 e 15/04), foram confirmados 73.174 novos diagnósticos positivos. Ontem, a quantidade de casos acumulados até o momento estava em 13.673.509.

Recuperadas - O número de pessoas recuperadas está em 12.236.295. Já o total de pacientes com casos ativos, em acompanhamento por equipes de saúde, ficou em 1.144.942.

Estados - O estado com mais mortes pela covid-19 é São Paulo (86.535), seguido por Rio de Janeiro (40.429), Minas Gerais (29.105), Rio Grande do Sul (22.798) e Paraná (19.986).

Menos - Já as unidades da federação com menos óbitos são Acre (1.386), Roraima (1.422), Amapá (1.446), Tocantins (2.327) e Sergipe (3.876).

Vacinação - Até o início da noite desta quinta-feira, haviam sido distribuídos 48,8 milhões de doses de vacinas. Deste total, foram aplicados 32,2 milhões de doses, sendo 24,5 milhões da primeira dose e 7,7 milhões da segunda dose. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 16 04 2021

SAÚDE II: Paraná registra mais 3.858 casos de Covid-19 e 266 óbitos

saude II 16 04 2021 A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quinta-feira (15/04) 3.858 novos casos de Covid-19 e 266 óbitos – referentes aos meses ou semanas anteriores, não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 891.407 casos e 19.860 mortes pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (15), fevereiro (106), março (469) e abril (3.155) de 2021 e dos seguintes meses de 2020: abril (2), maio (1), junho (1), julho (3), agosto (3), setembro (1), novembro (25) e dezembro (77).

Vacina - O site da Secretaria de Estado da Saúde possui um Vacinômetro atualizado em tempo real à medida que os municípios inserem as doses aplicadas no sistema.

Internados - Há 2.405 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 internados. São 1.908 em leitos SUS (916 em UTI e 992 em clínicos/enfermaria) e 497 em leitos da rede particular (293 em UTI e 204 em clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 2.463 pacientes internados, 980 em leitos UTI e 1.483 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 266 pacientes. São 115 mulheres e 151 homens com idades que variam de 24 a 95 anos. Os óbitos ocorreram de 29 de abril de 2020 a 15 de abril de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (49), Londrina (19), Maringá (12), Araucária (9), Apucarana (7), Arapongas (7), Colombo (7), Mandaguari (7), Campo Largo (6), Guarapuava (6), Ponta Grossa (6), Foz do Iguaçu (5), São Jose dos Pinhais (5), Cambé (4), Fazenda Rio Grande (4), Cascavel (3), Castro (3), Florestópolis (3), Ibaiti (3), Jacarezinho (3), Toledo (3), Almirante Tamandaré (2), Assis Chateaubriand (2), Bandeirantes (2), Bela Vista do Paraíso (2), Campina do Simão (2), Centenário do Sul (2), Flor da Serra do Sul (2), Guaíra (2), Ibiporã (2), Ivaiporã (2), Lupionópolis (2), Manoel Ribas (2), Marialva (2), Nova Esperança (2), Palmas (2), Pato Branco (2), Quatro Barras (2), Realeza (2), Salto do Lontra (2), Santo Antônio da Platina (2), São José da Boa Vista (2), Sarandi (2), Terra Roxa (2) e União da Vitoria (2) .

Uma morte - O informe registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Agudos do Sul, Alvorada do Sul, Andirá, Arapoti, Assaí, Coronel Vivida, Curiúva, Diamante d'Oeste, Douradina, General Carneiro, Goioerê, Icaraíma, Irati, Jaguapita, Jandaia do Sul, Jataizinho, Loanda, Maria Helena, Marmeleiro, Marquinho, Mauá da Serra, Missal, Nossa Senhora das Graças, Nova América da Colina, Ouro Verde do Oeste, Paiçandu, Palmeira, Pinhais, Prudentópolis, Rebouças, Reserva do Iguaçu, Rio Negro, Rolândia, Salgado Filho, Salto do Itararé, Santa Terezinha de Itaipu, Santo Antônio do Sudoeste, São Pedro do Iguaçu, São Sebastião da Amoreira, Saudade do Iguaçu, Sertanópolis, Tamarana, Telêmaco Borba, Tibagi, Tunas do Paraná, Tupãssi e Ventania.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria da Saúde contabiliza 5.524 casos de pessoas que não moram no Estado – 126 foram a óbito. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo.

 


Versão para impressão


RODAPE