Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5088 | 10 de Junho de 2021

DIA C: No Paraná, evento será celebrado com uma feira virtual chamada de Dia C Expo PRCoop

dia c 10 09 2021Pelo segundo ano consecutivo, a celebração do Dia de Cooperar (Dia C) no Paraná acontecerá de forma não presencial, devido às restrições impostas pela pandemia da Covid-19, ou seja, apenas eventos on-line, sem aglomeração de pessoas. E, mais uma vez, de forma inovadora, a organização do evento decidiu realizar neste ano uma feira virtual, batizada de Dia C - Expo PRCoop, no mesmo dia em que se comemora o Dia Internacional do Cooperativismo, celebrado no primeiro sábado de julho, neste ano em 3 de julho, com abertura oficial às 13h30 e muitas outras atrações culturais e artísticas.

Alinhamento – Com o objetivo de apresentar todas essas as novidades que irão compor as celebrações do Dia C no Paraná em 2021, foi realizada, na última terça-feira (08/06), uma reunião virtual de alinhamento com todos os representantes das cooperativas paranaenses. As atividades foram conduzidas pela analista técnica da gerência de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR e coordenadora do Dia C, Fabiane Ratzke, e pelo coordenador de Comunicação Social do Sistema Ocepar, Samuel Milléo Filho, e com as participações do superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, e do coordenador de Desenvolvimento Cooperativo, Humberto Bridi. A reunião contou com a participação de 105 profissionais de cooperativas das mais diferentes áreas de atuação.

Superação - Ao abrir o evento, Boesche lembrou que o Dia C é um programa muito importante, em especial neste momento que estamos vivenciando desde 2020 com a pandemia da Covid-19. “É um momento de superação e precisamos sermos ainda mais solidários com o próximo, nos doando neste momento de vulnerabilidade social. O importante é que cada cooperativa já tem traçado seu planejamento de ações para 2021 dentro do Dia C. Queremos cada vez mais unificar todo este movimento, para que ele possa ser uma alavanca de transformação das pessoas, das comunidades e assim fortalecer esta iniciativa do cooperativismo brasileiro que é o Dia de Cooperar”, destacou.

Pessoas impactadas - Fabiane lembrou que 2020 foi um ano marcado pela solidariedade, pelo respeito e cuidado com o próximo. “Cooperativas de todo o Estado se mobilizaram para amenizar as dores das suas comunidades. Realizamos uma grande corrente do bem que impactaram milhares de vidas”. Segundo ela, “o Dia C reuniu 212 cooperativas paranaenses dos sete ramos, que realizaram 635 ações, com 59.267 voluntários, impactando mais de 900 mil beneficiados e que envolveram cerca de R$ 20 milhões em investimentos. Dentro das ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, foram 429 ações com foco em saúde e bem-estar, 130 na erradicação da pobreza, 97 no fome zero e agricultura sustentável e 31 ações na redução das desigualdades. E agora a meta é darmos continuidade a todas essas ações neste ano, fazendo a diferença na construção e transformação de um mundo melhor para todos”, frisou.

Exposição virtual - Durante todo sábado, no dia 3 de julho, além de participarem do evento de abertura, todas as pessoas que se inscreverem no portal do Dia C Expo PRCoop poderão navegar de forma lúdica por diversos espaços da feira virtual, visitando os estandes do Sistema Ocepar, das cooperativas e outras entidades parceiras. Nesses espaços, poderão interagir assistindo vídeos e conhecendo um pouco mais o que cada cooperativa está realizando de ação para o Dia de Cooperar em 2021. Também haverá uma programação ao vivo no sábado, com diversas atrações culturais e artísticas, cuidadosamente escolhidas para este dia tão significativo para o cooperativismo. A proposta foi muito recebida pelos participantes. “Muito legal pensar em inovações neste formato de eventos digitais. Algumas feiras utilizam esse modelo é realmente é uma experiência diferente. Da um dinamismo bem bacana para o Dia de Cooperar”, destacou João Sadao Morh da Cocamar.

Agro Fraterno - Também foi detalhada a iniciativa que o Sistema OCB participa, juntamente com CNA/Senar e Instituto Pensar Agro (IPA), na realização do movimento Agro Fraterno, que pretende arrecadar alimentos para famílias mais necessitadas atingidas pela grave crise gerada pela pandemia da Covid-19. “Todas as cooperativas que doaram alimentos desde o início de 2021, pode inscrever essas ações tanto para o Dia C, como também no site do Agro Fraterno e não precisa ser apenas doações de cooperativas do ramo agro. Podem se inscrever nas duas iniciativas, Dia C (https://diac.somoscooperativismo.coop.br/) e Agro Fraterno (www.agrofraterno.com.br), cooperativas das áreas de saúde, crédito, transporte, infraestrutura, consumo e trabalho bens e serviços. A ideia é somar essas ações nos dois movimentos e mostrar a força do cooperativismo paranaense nesta corrente do bem”, lembrou Milléo.

Acesse o link para ver a apresentação do Dia C 2021

CONVÊNIOS: Sescoop realiza seminário de prestação de contas

convenios 10 06 2021Promover o intercâmbio de boas práticas nos projetos executados por meio dos convênios firmados entre a unidade nacional do Sescoop e as federações, centrais e confederações de cooperativas. Este é o objetivo do I Seminário Anual de Prestação de Contas dos Convênios, iniciado nesta quarta-feira (09/06). O evento prossegue até sexta-feira (11/06) e conta com a participação de representantes das unidades estaduais e das coops.

Capilaridade - Desde 2017, o Sescoop tem dado grande importância aos convênios, como uma forma de aproveitar a capilaridade das cooperativas de 2º e 3º graus para multiplicar, ainda mais, as soluções ofertadas para desenvolver as cooperativas. De lá para cá, 40 convênios já foram aprovados e somam R$ 37 milhões.

Funcionamento - Para o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, o seminário de três dias terá, também, a função de aferição do funcionamento desse processo. “Ainda poderemos ver o que podemos fazer mais e melhor, já que a ideia é ampliar a discussão, ver os gargalos e mensurar os resultados”, comentou o líder cooperativista.

Foco - Todos os projetos desenvolvidos pelas federações, centrais e confederações de cooperativas, com recursos do Sescoop, estão focados em desenvolver a governança e a gestão das beneficiadas, tendo os cooperados e empregados como público-alvo.

Cenário - Segundo o superintendente do Sistema OCB, Renato Nobile, apenas em 2021, seis projetos foram concluídos no primeiro semestre, mas ainda há outros 15 convênios vigentes e com encerramento previsto para ocorrer entre 2021 e 2023.

Gestão - “Neste evento, nós vamos conhecer cada um dos projetos, alguns ainda no início, outros com resultados parciais, e outros já com os resultados finais sendo apresentados. Muito além de verificar a aplicação do nosso recurso, fazer a gestão dos convênios envolve também mensurar e comunicar as transformações que trazem”, explica Nobile.

Programação - Desta quarta até sexta (11/09), sempre a partir das 14h, o evento conta com diversas apresentações de cooperativas de ramos distintos. Nesta quarta-feira, os cases se concentraram nos ramos Agro e Trabalho. Na quinta-feira (10/06), teremos os cases do Ramo Crédito e, por fim, na sexta (11/06), os relacionados ao Ramo Saúde. (OCB)

 

COPAGRIL: Cooperativa arrecadará alimentos, leite e cobertores em ações do Dia C

O cooperativismo é capaz de transformar a realidade de pessoas por meio de ações conjuntas. Um dos atos que mais realçam essa afirmação é a realização do Dia C (Dia de Cooperar), que anualmente é celebrado no primeiro sábado do mês de julho e tem como lema “atitudes simples movem o mundo”. Além da data ser um movimento para promover e celebrar as conquistas obtidas por meio do cooperativismo, também é marcado por ações mútuas entre as cooperativas e a comunidade em suas áreas de atuação para ajudar pessoas e entidades filantrópicas. Como exemplo dessa ação cooperativista destaca-se o resultado alcançado em 2020, ano no qual conforme dados da Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), mesmo em meio à pandemia do coronavírus e as restrições impostas em combate à doença, quase 8 milhões de pessoas foram beneficiadas, por meio de 3 mil iniciativas e ações realizadas por mais de 2 mil cooperativas e seus cerca de 140 mil voluntários. Ao todo, mais de 1.300 municípios brasileiros registraram a força do voluntariado cooperativista.

Engajamento - A Cooperativa Agroindustrial Copagril participa ativamente do Dia C promovendo ações e eventos em parceria com outras cooperativas. Em 2020 a cooperativa mobilizou todas as equipes para arrecadação de donativos que foram repassados a entidades filantrópicas de sua área de ação. Para 2021 as ações permanecem como no último ano, contando novamente com o engajamento das equipes, cooperados e clientes com o objetivo de conquistar resultados ainda melhores.

Força - O diretor-presidente da Copagril, Ricardo Silvio Chapla, enaltece a força que as cooperativas têm em suas áreas de ação, principalmente no Dia C. “A união das cooperativas no Dia de Cooperar e os grandes resultados obtidos ano a ano evidenciam como as cooperativas possuem a capacidade de impactar positivamente as sociedades em que estão inseridas, evidentemente refletindo a importância da colaboração de todos em prol do bem ao próximo. Essa grande corrente cooperativista nos enche de orgulho e destaca como todos nós, juntos, podemos fazer a diferença”, salienta o presidente da Copagril.

Compromisso - Chapla também reforça sobre o compromisso que as cooperativas têm para com a comunidade. “O interesse pela comunidade é um dos princípios cooperativistas e a Copagril busca seguir essa concepção em suas ações. A responsabilidade social é uma das práticas mais importantes, por isso, as cooperativas realizam estas ações, seja no Dia C ou em outras datas”, destaca Chapla.

Estratégia - Neste ano, cada unidade da Copagril (lojas agropecuárias, postos, supermercados e indústrias) arrecadarão alimentos, leite longa vida, cobertores e também outros produtos que as unidades identificarem como necessários em suas áreas de ação. Essas arrecadações serão recolhidas até o Dia de Cooperar e posteriormente repassadas a entidades locais que necessitam de apoio. “Todos os cooperados, clientes e colaboradores são convidados a participar desta ação que simboliza o cooperativismo em sua essência. Para participar entre em contato com a Unidade Copagril de sua localidade ou leve alimentos, leite longa vida ou cobertores diretamente aos pontos de coleta”, completa.

A história do dia C - O Dia de Cooperar foi inspirado no CoopsDay, celebração mundial do cooperativismo realizada desde 1923no primeiro sábado de julho. No Brasil inicialmente o Dia de Cooperar foi celebrado em Minas Gerais no ano de 2009 e tinha em sua proposta ser um dia reservado para fazer o bem, em que equipes de voluntários realizavam, simultaneamente em todo o estado, uma atividade, de escolha da cooperativa, que ajudasse a transformar para melhor a vida das pessoas. A ação deu tão certo que com o passar dos anos, o Dia C se tornou nacional e faz a diferença na realidade de toda a área de ação onde as cooperativas estão inseridas, sendo hoje responsável por uma grande mobilização de todas as cooperativas, que movimentam a comunidade com diferentes atividades, mas todas com o mesmo propósito: promover e fazer a diferença por meio do cooperativismo. (Imprensa Copagril)

copagril 10 06 2021

 

SICOOB: Ecossistema de fidelidade do sistema conta com mais de 2 milhões de participantes

sicoob 10 06 2021O Sicoob criou o seu próprio ecossistema de fidelidade, unindo programa de pontos e marketplace, batizado de Coopera. Com o objetivo de oferecer mais conveniência e assim estreitar o relacionamento com seus cooperados, o lançamento da plataforma é o primeiro de um conjunto importante de movimentos que a instituição cooperativa está preparando no mundo digital.

Parceria para a vida - De acordo com Marcos Vinicius Viana Borges, diretor de Operações do Sicoob, a ideia é que o cooperado encontre tudo o que precisar no Coopera, tudo mesmo, isso vale para produtos financeiros e não financeiros. "O mais importante é que o cooperado descubra no Sicoob um parceiro para a vida, que entende suas necessidades e viabiliza seus negócios. Na hora do checkout, o Sicoob quer estar lá também, caso ele precise de uma forcinha no crédito", pontuou o executivo.

Marca - De acordo com o Sicoob, o Coopera superou a marca de 2 milhões de participantes em menos de 4 meses de operação, tendo atraído inúmeros parceiros do varejo brasileiro, como Magalu, Philco, Britânia, CiaToy, Pernod Ricard, Dular, entre tantos outros de renome nacional.

Produtos e serviços - A plataforma oferece mais de 50 mil produtos e serviços e inova ao possibilitar a realização de compras com pontos e/ou cartão de crédito. Os participantes também podem transferir pontos entre si ou para outros programas de fidelidade como Latampass, Smiles e Tudo Azul.

Resgate - Para quem é cooperado do Sicoob, existem mais opções de resgate: os pontos Coopera podem ser trocados por crédito na fatura do cartão SicoobCard, aportes na conta capital e previdência privada.

Associar-se- Para ganhar pontos Coopera, as pessoas devem se associar ao Sicoob, seja de forma digital ou presencial, por meio dos aproximadamente 3,5 mil pontos de atendimento da instituição distribuídos pelo país. Quanto maior o relacionamento com a cooperativa, maiores as possibilidades de ganhos.

Troca de informações e experiências - "Queremos que o Coopera seja também um lugar de troca de informações e experiências, onde compradores e vendedores se encontram para realizarem os seus negócios com segurança. O leque de possibilidades é imenso, e vale para mundo físico também. É só o começo e muitas novidades virão", concluiu o diretor. Acesse: https://www.shopcoopera.com.br/.

Sobre o Sicoob - Instituição financeira cooperativa, o Sicoob tem mais de 5 milhões de cooperados e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. Oferecendo serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em mais de 300 municípios. É formado por mais de 370 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e pelo Centro Cooperativo Sicoob (CCS), composto por uma confederação e um banco cooperativo, além de processadora e bandeira de cartões, administradora de consórcios, entidade de previdência complementar, seguradora e um instituto voltado para o investimento social. Ocupa a segunda colocação entre as instituições financeiras com maior quantidade de agências no Brasil, segundo ranking do Banco Central, com 3.480 pontos de atendimento. Acesse https://www.sicoob.com.br para mais informações. (Imprensa Sicoob)

 

SICOOB MERIDIONAL: Cooperados ganham TV por investirem na Conta Capital

Além de ter o dinheiro rendendo, a cada R$ 100 que os cooperados do Sicoob Meridional investiram na Conta Capital, entre os dias 3 e 31 de maio, receberam um cupom para concorrer a um televisor. O sorteio foi realizado no dia 1º de junho e teve um ganhador em cada agência da cooperativa.

Campanha nacional - Ainda, aqueles que investiram acima de R$ 100, estão participando também da campanha nacional "Investir é para tod@s", que vai até o dia 30 de junho e está sorteando mais de 60 prêmios e 350 mil pontos Coopera.

Agradecimento - O cooperado da agência Coopagro em Toledo (PR), Douglas Vinicius Cesaro, conta que nunca teve sorte e por isso, está muito feliz com o prêmio. “Gostaria de agradecer ao Sicoob, por proporcionar momentos como esses aos associados, e aos seus colaboradores, pois é por meio deles que a confiança é estabelecida. Confio no Sicoob pois é uma cooperativa de valores e isso não tem preço”, afirma.

Investimento - Segundo o cooperado da agência de Palotina (PR), Antônio Gilberto, a gerente do ponto de atendimento entrou em contato com ele e ele decidiu investir R$ 2 mil. “Ajudei a fortalecer a cooperativa, consegui financiar o meu carro e ainda ganhei uma televisão”, conta. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2021/noticias/06/10/sicoob_meridional/{/vsig}

SICREDI FRONTEIRAS: Cooperativa entrega donativos da Campanha Inverno Cooperativo

A Cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP iniciou, no dia 26 de maio, a entrega dos donativos referentes à Campanha Inverno Cooperativo. A ação está diretamente ligada ao 7º princípio do cooperativismo: interesse pela comunidade. Importante ressaltar que o interesse pela comunidade exige das cooperativas o apoio a projetos e soluções que sejam sustentáveis tanto do ponto de vista econômico, como sob a ótica social e ambiental.

Arrecadação - A Campanha ocorreu entre 07/04 e 26/05 e consistiu na arrecadação de cobertores, agasalhos, calçados e alimentos que estão sendo destinados às pessoas menos assistidas. Lembrando que todas as pessoas envolvidas nesta ação receberam orientações prévias e seguirão todos os cuidados necessários para evitar a proliferação da Covid-19 durante a entrega.

Caixas - Caixas identificadas com o símbolo do Inverno Cooperativo foram disponibilizadas em todos os terminais eletrônicos das 36 agências pertencentes à Cooperativa para que os associados e comunidade em geral pudessem efetivar as suas doações.

Resultado - De acordo com Daiane Wesseler Alexandre, assessora de desenvolvimento do cooperativismo, o resultado da ação foi impressionante, sendo considerada uma das maiores arrecadações realizadas até hoje na cooperativa. “Foi extremamente gratificante ver o quanto os colaboradores se empenharam e se engajaram ao divulgar a campanha aos associados, fazendo com que os mesmos aderissem à campanha. O resultado foi uma doação significativa de roupas, calçados e alimentos que com certeza poderá atender várias famílias, mantendo-as aquecidas nesse inverno”, comentou. (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP)

{vsig}2021/noticias/06/10/sicredi_fronteiras/{/vsig}

EXPO DIGITAL: Coopercitrus disponibilizará o maior acervo técnico agropecuário do mundo

evento 10 06 2021A Coopercitrus Expo Digital 2021, que acontece de 19 a 30 de julho, colocará no ar o maior acervo técnico agropecuário do mundo, com acesso gratuito para todos os visitantes.

Conteúdos - Com objetivo de levar conhecimento prático e atualizado ao produtor rural, a feira reunirá centenas de conteúdos que estão sendo produzidos exclusivamente pelo time de especialistas da Coopercitrus e seus parceiros para o evento, com orientações sobre manejo, recomendações sobre boas práticas agrícolas, informações sobre tecnologias, demonstrações de produtos e serviços voltados para as mais diversas atividades agropecuárias. Somado a isso, mais de 140 empresas expositoras agregarão informações sobre suas soluções voltadas para melhorar a produção agropecuária.

Produtor rural - Diferente de uma feira convencional, onde o foco são os estandes e as áreas de exposição de marcas e produtos, esta edição da Coopercitrus Expo Digital irá colocar o produtor rural no centro do evento. "Cada visitante terá uma experiência totalmente personalizada, prática e interativa, percorrendo diferentes jornadas de produtividade até chegar ao que realmente importa: o crescer como um todo", afirma o CEO da cooperativa, Fernando Degobbi.

Nove jornadas - Ao todo, serão nove jornadas temáticas: amendoim, batata, café, cana, citros, soja, milho, pecuária, tomate.

Especiais - A feira também terá jornadas especiais para apresentar todas as tecnologias de mecanização, os projetos da Coopercitrus e a estrutura da Fundação Coopercitrus Credicitrus.

Escolha - O produtor rural poderá escolher a jornada que deseja conhecer e caminhar através das lavouras, acompanhando todas as fases do desenvolvimento produtivo, do plantio até a colheita. A equipe da Coopercitrus irá acompanhar o produtor para oferecer orientações de manejo, soluções para os desafios da produção, informações sobre serviços e produtos, conduzindo às propostas mais assertivas para melhorar sua produtividade, apresentando as condições comerciais especiais do evento.

Aula - "A feira será como uma aula de agronomia, na linguagem do produtor. De maneira fácil e rápida, ele recicla seus conhecimentos, aprende novas técnicas, soluciona problemas e, de quebra, ainda aproveita condições comerciais atrativas", define o superintendente de Tecnologia Agrícola da Coopercitrus, Marcelo Bassi. Após a feira comercial, os conteúdos técnicos ficarão disponíveis na plataforma on-line e acessível para todos.

Por que Jornada do Agro?- Durante muitos anos, o termo "cadeia de valor" é usado para representar o conjunto de atividades e processos relacionadas a um sistema de produção. Esse termo, no entanto, remete a um sistema que funciona em um ambiente que se pode controlar, com etapas bem definidas ao longo de seu ciclo produtivo. No agronegócio, o sistema é diferente. Esse processo a céu aberto é muito dinâmico, existem inúmeras variáveis que não se pode controlar e que desafiam o produtor a todo momento, exigindo que ele mude de estratégias, tome decisões e reaja rapidamente.

Resultado - Assim, a Coopercitrus entende que, para ter resultado nas atividades do agro, é preciso encará-las não como uma cadeia, mas sim como uma jornada: "A jornada é um caminho com detalhes que precisam de maior compreensão, sensibilidade, análise e, para isso, é preciso estar sempre atento, bem informado, aprendendo e se desenvolvendo.

Melhores soluções - A Coopercitrus caminha ao lado de seus cooperados em cada fase da sua jornada de valor, para que eles conheçam as melhores soluções, encontrem todos os produtos, serviços e tecnologias e contem com um suporte especializado, para que assim eles possam crescer como um todo. Esse é o verdadeiro significado da Jornada de Valor do Agro, é esse o conceito que a Coopercitrus irá levar para a Coopercitrus Expo Digital 2021", conceitua Degobbi.

Webinares esquentam a programação pré-feira - A partir desta quinta-feira (10/06), a Coopercitrus promove uma série de webinares com os líderes de seus principais parceiros comerciais. O objetivo é ambientar o público com algumas das temáticas da Coopercitrus Expo Digital, gerando ainda mais conhecimento sobre as principais tendência do agro.

Primeira - A primeira live, com o tema Potencializando o sistema produtivo, na quinta-feira (10 de junho), às 17h, pelo canal no Youtube da Coopercitrus. O debate será conduzido pelo CEO da Coopercitrus, Fernando Degobbi, com participação de José Renato Gambassi, diretor de Negócios Cana e Pastagem da UPL do Brasil; Tiago Gontijo, diretor executivo da Stoller do Brasil; e Marcelo Magurno, diretor de Negócios da FMC Química do Brasil.

Programação completa - A programação completa está disponível em coopercitrusexpo.com.br.

Sobre a Coopercitrus- Fundada em 1976 em Bebedouro, SP, a Coopercitrus - Cooperativa de Produtores Rurais, com mais de 37 mil cooperados e mais de 60 unidades de negócios em municípios de São Paulo, Minas Gerais e Goiás. É hoje a maior cooperativa paulista e uma das maiores do Brasil no fornecimento de insumos, fertilizantes, sementes, ração animal, produtos veterinários, máquinas, implementos, tratores, irrigação e demais itens indispensáveis para a produção agropecuária, além de suporte técnico, serviços de tecnologia agrícola e soluções de agricultura de precisão. Conta com concessionárias de máquinas agrícolas, silos de armazenamento de grãos e café, fábrica de ração animal, shoppings rurais, postos de combustível e lojas de conveniência. Tem como propósito oferecer ao produtor rural não só produtos e serviços agrícolas, mas também levar ao campo conhecimento para uma gestão cada vez mais sustentável. (Assessoria de Imprensa da Coopercitrus)

 

 

ZARC: Publicado zoneamento agrícola do milho de primeira safra para 2021/2022

zarc 10 06 2021Foram publicadas no Diário Oficial da União desta quarta-feira (09/06) as portarias 159 a 175, com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), ano-safra 2021/2022, para o cultivo do milho de 1ª safra. Nesta publicação as unidades da federação contempladas foram: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Maranhão, Piauí, Acre, Rondônia, Tocantins, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Fatores - Vários fatores contribuem para a produtividade do milho (Zea mays L.), sendo os mais importantes a disponibilidade de água, a interceptação de radiação solar pelo dossel, a eficiência metabólica e de translocação de fotossintatos para os grãos. Para a obtenção de boas produtividades a cultura do milho necessita de precipitação entre 500 a 800 mm de água, bem distribuídos durante o ciclo fenológico; temperatura média diária superior a 15ºC, livres de geadas, temperatura média noturna acima de 12,8ºC e abaixo de 25ºC; temperatura no período próximo e durante o florescimento, entre 15ºC a 30ºC e ausência de déficit hídrico.

Para que serve o Zarc?- O zoneamento tem o objetivo de reduzir os riscos relacionados aos problemas climáticos e permite ao produtor identificar a melhor época para plantar, levando em conta a região do país, a cultura e os diferentes tipos de solos.

Elementos - O modelo agrometeorológico considera elementos que influenciam diretamente no desenvolvimento da produção agrícola como temperatura, chuvas, umidade relativa do ar, ocorrência de geadas, água disponível nos solos, demanda hídrica das culturas e elementos geográficos (altitude, latitude e longitude).

Menos riscos- Os agricultores que seguem as recomendações do Zarc estão menos sujeitos aos riscos climáticos e ainda poderão ser beneficiados pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e pelo Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR). Além disso, muitos agentes financeiros só liberam o crédito rural para cultivos em áreas zoneadas.

Aplicativo Plantio Certo- Produtores rurais e outros agentes do agronegócio podem acessar por meio de tablets e smartphones, de forma mais prática, as informações oficiais do Zarc, facilitando a orientação quanto aos programas de política agrícola do governo federal. O aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, desenvolvido pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas/SP), está disponível nas lojas de aplicativos: iOS e Android.

Painel - Os resultados do Zarc também podem ser consultados e baixados por meio da plataforma “Painel de Indicação de Riscos”. (Mapa)

 

SANIDADE VEGETAL: Vazio sanitário começa nesta quinta-feira no Paraná

sanidade vegetal 10 06 2021O vazio sanitário da soja tem início neste dia 10 de junho, no Paraná. A partir do dia 15 de junho, a medida se estende para outros cinco estados brasileiros: Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia. A Embrapa elaborou um calendário com os períodos do vazio sanitário no Brasil e no Paraguai. É provável que haja mudanças nos períodos do vazio sanitário e da calendarização da semeadura da soja em alguns estados, em função da portaria nº 306, de 13 de maio de 2021, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Ferrugem-asiática - O vazio sanitário e a calendarização da semeadura da soja são estratégias para o manejo da ferrugem-asiática da soja, mas essas medidas têm objetivos bem diferentes. O vazio sanitário é o período de, no mínimo, 90 dias sem a cultura e plantas voluntárias no campo. O objetivo do vazio sanitário é reduzir a sobrevivência do fungo causador da ferrugem-asiática durante a entressafra e assim atrasar a ocorrência da doença na safra. No Brasil, treze estados e o Distrito Federal adotaram essa medida, estabelecida por meio de normativas. E, além do Brasil, o Paraguai também estabeleceu o período de vazio sanitário, lá chamado de "pausa fitossanitária". (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

 

PECUÁRIA: Assistência técnica do Estado e planejamento geram aumento na produção e qualidade do leite

Um grupo de 21 criadores de gado leiteiro de Castro conseguiu aumentar a produção do rebanho em mais de 60% desde 2019. Até março daquele ano cada uma das propriedades produzia diariamente, em média, 260 litros de leite. Em outubro do ano passado o volume chegou a 433,5 litros. O segredo foi investir na alimentação, melhoria do rebanho e manejo dos animais.

Castrolanda - O grupo de produtores faz parte de um trabalho desenvolvido pela cooperativa Castrolanda em parceria com o IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná - Iapar -Emater). Os técnicos fazem o acompanhamento intensivo de cada propriedade e levam até os produtores boas práticas que resultam em mais produção e renda para os proprietários de gado leiteiro.

Atendimento - Mesmo com a pandemia os produtores que participam desse trabalho puderam contar com o atendimento dos servidores do IDR-Paraná e técnicos da cooperativa por meio de atendimento remoto e visitas agendadas. "Cada produtor teve um acompanhamento para fazer a condução e o planejamento antecipado das pastagens de inverno, bem como do plantio de milho, no verão, para a produção de silagem”, disse o extensionista Vilson Ortiz, do IDR-Paraná de Castro.

Análise de solo - Segundo ele, o trabalho começou com a análise de solo, para a correção da acidez e fertilidade. Junto ao produtor, o extensionista definiu a quantidade necessária de silagem de milho, o híbrido, data de plantio e toda a condução e manejo da lavoura.

Silagem - Na hora de fazer a silagem o produtor foi orientado sobre o ponto de corte ideal, o tamanho das partículas e o processamento dos grãos, bem como o fechamento dos silos para se obter uma forragem de qualidade, diminuindo os custos com a alimentação dos animais. “Isso é importante para garantir a quantidade, a qualidade do alimento e o seu aproveitamento pelos animais”, afirmou.

Nutrição - Outro aspecto importante foi o acompanhamento nutricional do rebanho. Os técnicos do IDR-Paraná e da Castrolanda fizeram o acompanhamento dos alimentos fornecidos aos animais e definiram o tipo e quantidade de alimento que cada um deles exigia.

Organização geral - O trabalho não ficou restrito ao manejo de pastagens e do rebanho. Os extensionistas também incentivaram os produtores a investir na organização geral das propriedades com a implantação do Programa de Boas Práticas Agropecuárias (BPA). Para tanto, os produtores receberam orientações sobre bem-estar animal, limpeza e manutenção dos equipamentos de ordenha e resfriador, rotina de ordenha, destinação correta das embalagens de agrotóxicos e resíduos veterinários, organização da “farmacinha” da propriedade, anotações e tratamento dos animais acometidos por mastite.

Fundamentais - "Todas essas medidas são fundamentais para garantir a qualidade final do leite, já que os produtores da cooperativa são referência na produção de leite com qualidade", explicou Ortiz

Linhas de crédito - Os assistidos também tiveram acesso a linhas de crédito de custeio ou investimento, pela Castrolanda e Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar). Os recursos foram investidos na construção e melhoria das instalações, aquisição de máquinas e equipamentos, bem como na compra de animais. As operações de crédito do grupo totalizaram um investimento de R$ 1.896.761,84.

Qualidade - De acordo com Vilson Ortiz, no início do plano a média da produção mensal, por propriedade, era de 7.827 litros. Em dezembro de 2019 saltou para 10.952 litros e em outubro do ano passado chegou a 13.005 litros/mês. A produção total dos 21 produtores, que era de 148.722 litros em março de 2019, chegou a 273.105 litros em outubro de 2020.

Melhora - A qualidade do leite produzido pelo grupo também melhorou. No início do trabalho o índice da Contagem de Células Somáticas era de 376,9 mil CCS/mL. Em outubro de 2020 ficou em 273,5 mil/CCS/ml. Ainda assim, atendendo às exigências da Instrução Normativa 76 e 77, do Ministério de Agricultura, que estabelece o índice de, no máximo, 500 mil CCS/mL.

Índice - O alto índice de células somáticas indica a ocorrência de inflamação no úbere dos animais e pode ser resultado do manejo inadequado dos animais ou mesmo uso incorreto dos produtos de limpeza e temperatura da água usada para lavar os equipamentos. "Nós vamos à propriedade e revisamos toda a rotina da ordenha para saber onde o produtor está errando e orientamos a correção das falhas", disse Ortiz.

Mudança - Muitas vezes, a partir da orientação do técnico o produtor muda sua rotina, como, por exemplo, começa a fazer um teste de CMT (Califórnia Mastite Teste), um controle leiteiro, linha de ordenha, ordenhando por último os animais mais velhos e com CCS mais elevada. É possível também que o extensionista indique a melhoria do ambiente onde ficam os animais, rodízio de piquetes para o pousio, e evitar a formação de barro nas proximidades da sala de ordenha.

CPP - A Contagem de Padrão em Placas (CPP) pode demonstrar problemas principalmente quando não há uma higiene eficiente durante o processo. A correta higiene de ordenha e limpeza dos equipamentos, uso correto dos produtos, temperatura adequada da água e sua qualidade contribuem para manter baixa a CPP.

Redução - E no grupo acompanhado pelo IDR-Paraná apresentou uma redução drástica na CPP. O índice passou de 105,5 mil UFC/mL para 21,1 mil UFC/mL. Uma redução de 80%.

Incentivo - Os extensionistas também estão incentivando os produtores a fazerem o controle leiteiro, ferramenta de baixo custo e de resultados comprovados. Ortiz disse que com o controle mensal, o produtor cria um histórico de cada animal e pode ter um controle melhor da CCS, de produção, da gordura, da proteína e da ureia do leite de cada animal. “O controle leiteiro ajuda o técnico e o produtor na tomada de decisão para melhorar a qualidade do leite, a produção e o ajuste da dieta”, esclareceu o extensionista.

2021 - Para este ano, o trabalho com os produtores de Castro continua. Hoje a atuação do extensionista do IDR-Paraná é de dar assistência a 30 propriedades. Desse total, 25 são Unidades Produtoras Familiares e cinco Unidades de Referências.

Entrega - Ortiz também destaca que a Extensão Rural vem incentivando mais produtores a entregar leite para a Castrolanda. “Alguns vêm de outras empresas buscando melhorias e assistência técnica e outros estão começando do zero. Para isso, o trabalho começa com a profissionalização dos interessados muito antes de começarem a entregar a produção à Cooperativa. Os produtores são incentivados a fazer o curso de Manejo na Bovinocultura Leiteira no Centro de Treinamento de Pecuaristas (CTP), do Senar”, observou Ortiz.

Informações - O produtor ainda recebe informações sobre as exigências de qualidade do leite, construção ou adequação das instalações, controle sanitários dos animais, acessos a propriedade e sala do leite, legislações ambientais, entre outros. “As instalações podem ser simples, mas devem ser práticas e precisam garantir saúde e bem-estar aos trabalhadores e aos animais. Além disso, não deve haver qualquer dificuldade de acesso à propriedade para a coleta do leite, por exemplo”, acrescentou Ortiz.

Grupos de estudo e reuniões - Para disseminar as informações, os extensionistas promoveram (antes da pandemia) a formação de grupos de estudo e reuniões. Grupos pequenos de produtores foram formados e se reuniram em propriedades para discutir assuntos de interesse, aliando teoria e prática. Extensionistas e produtores tiveram a chance de trocar informações, conhecimento e experiências. Essa prática deve continuar este ano, obedecendo a todas os protocolos em tempo de pandemia. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: IDR-Paraná

{vsig}2021/noticias/06/10/pecuaria/{/vsig}

CREA-PR: Conselho completa 87 anos e destaca como ponto forte o estreitamento do diálogo com a sociedade

crea pr 10 06 2021Nesta sexta-feira (11/06), o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) completa 87 anos de fundação. Dezenove presidentes passaram pela gestão da autarquia, representando a diversidade dos profissionais que atuam no Estado, nas áreas das Engenharias, da Agronomia e das Geociências.

Atuação - Em mais de oito décadas de história, o Crea-PR atua em prol da melhoria do ambiente de trabalho e garantia dos direitos de um contingente que, atualmente, é de mais de 70 mil profissionais registrados no Paraná, por meio de suas oito regionais Apucarana, Curitiba, Cascavel, Guarapuava, Londrina, Maringá, Pato Branco e Ponta Grossa, além das 35 inspetorias ligadas a estas cidades.

Desenvolvimento profissional - O desenvolvimento profissional de Engenheiros, Agrônomos e Geocientistas é a razão de existir da autarquia, mas, cada vez mais, o Conselho estreita o seu diálogo e participação como um agente que faz a diferença no crescimento do Estado.

Diálogo qualificado - “Em 87 anos de história, o Crea-PR sempre manteve e está cada vez mais intensificando um diálogo qualificado e com uma participação ativa e influenciadora de importantes decisões na sociedade. As profissões que o Conselho representa ajudam a construir o Paraná, do ponto de vista estrutural e econômico. Por isso, entendemos que a proximidade com o poder público, entidades de classe e sociedade civil é um papel fundamental que cabe a nós. Não podemos ser neutros, temos que nos posicionar sempre como um agente de mudança e desenvolvimento sustentável”, afirma o presidente do Crea-PR, Engenheiro Civil, Ricardo Rocha de Oliveira.

Exemplo - Um exemplo recente e prático desta proximidade é a articulação das oito regionais do Crea-PR, em conjunto com as respectivas entidades de classe locais, para sugerir melhorias nas novas propostas de concessão de pedágio do Estado. Cada regional analisou minuciosamente os trechos de rodovia que perpassam as suas fronteiras, e o Crea-PR, por sua vez, reuniu todas as considerações num mesmo documento e encaminhou para apreciação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Assembleia Legislativa do Paraná e Governo do Estado.

Contribuições da Regional Curitiba - Na Regional Curitiba, um Grupo Temático foi estruturado pelo Colégio de Entidades Regionais (CDER), como parte da Governança Cooperativa realizada no dia 25 de março. Os diversos representantes das entidades de classe regionais se reuniram virtualmente para análise, discussão e apresentação de propostas de melhorias para o novo modelo de concessão de rodovias do Paraná sob assessoria do gerente do Crea-PR regional Curitiba, Engenheiro Agrônomo Eduardo Ramires.

Referência - O Grupo Temático do CDER da regional Curitiba tomou como referência principalmente as contribuições apresentadas nas reuniões técnicas organizadas pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). Os aspectos apresentados pela Fiep foram elaborados a partir de reuniões com mais de 1.200 lideranças regionais de pessoas que residem ou trabalham ao longo das rodovias, e também por meio de levantamento técnico realizado em 2020, quando foram percorridos os 3.327 quilômetros dos traçados que fazem parte dos 06 lotes propostos para a futura concessão. Essa viagem foi importante para avaliar algumas das obras do novo modelo de concessão rodoviária do Paraná - que foi muito bem desenhado do ponto de vista da Engenharia e das inovações. Também foram analisadas e discutidas as contribuições apresentadas pelo Ministério da Infraestrutura e por outras instituições.

Relatório conclusivo - A partir de todos esses estudos e pontos de vista foi elaborado um relatório conclusivo no qual foram descritas as contribuições para determinados trechos que compõem os Lotes 01 e 02 do novo modelo, considerando a jurisdição da Regional Curitiba do Crea-PR.

Lote 01 - Para o Lote 01 (PR-418 - contorno oeste de Curitiba, BR-277 - Parque Barigui até o trevo do relógio em Prudentópolis, BR-476 - entroncamento do contorno sul de Curitiba até o município da Lapa, BR-376 e BR-277 - contorno sul de Curitiba, PR-423 entre Balsa Nova e Araucária, PR-427 entre Lapa e Porto Amazonas) foram apresentadas 35 contribuições.

Lote 02 - Já no caso do Lote 02 (trecho urbano de Paranaguá, BR-277 Curitiba – Paranaguá, PR-407 de Paranaguá até a Praia de Leste em Pontal do Paraná, PR-508 e BR-277 – Alexandra até Matinhos) foram ao menos outras 27 contribuições específicas.

Contrato - “Além da análise direcionada a cada trecho de ambos os lotes, o Grupo Temático também apresentou algumas sugestões amplas em relação ao contrato, como por exemplo requerer que sejam realizadas reuniões técnicas antes do ano 03, com a participação popular da sociedade civil organizada. Nosso objetivo, com essa sugestão, é promover a discussão dos projetos elaborados e a proposição de eventuais correções de rota dos contratos”, conclui Eduardo Ramires.

Sobre o Crea PR - O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR), criado no ano de 1934, é uma autarquia responsável pela regulamentação e fiscalização dos profissionais da empresa das áreas da engenharia, agronomias e geociências. Além de regulamentar e fiscalizar, o Crea-PR também promove ações de orientação e valorização profissional por meio de termos de fomentos disponibilizados via Editais de Chamamento. (Assessoria de Imprensa do Crea-PR)

 

ECONOMIA I: Indústria paranaense cresce 18,1% no quadrimestre, terceira melhor do País

economia I 10 06 2021O resultado da produção industrial nos primeiros quatro meses de 2021 confirma o processo de recuperação da economia no Paraná. A indústria paranaense cresceu 18,1% no quadrimestre, na comparação com o mesmo período do ano anterior, terceiro melhor resultado do País. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal, divulgados nesta quarta-feira (09/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Média nacional - A média nacional de crescimento no período foi de 10,5%, com a região Sul liderando a expansão industrial. O Paraná ficou atrás apenas de Santa Catarina (24,4%) e do Rio Grande do Sul (20,5%).

Mais expressivo - O resultado de abril de 2021, na comparação com o mesmo mês do ano passado, foi ainda mais expressivo. Primeiro lugar do Sul e terceiro do Brasil, a produção industrial estadual avançou 55,1% no período, reflexo da recuperação econômica, já que abril de 2020 foi um dos meses mais restritivos da pandemia da Covid-19. No País, o crescimento foi de 34,7%.

Março de 2021- Com relação a março deste ano, o resultado de 0,2% no Estado foi menos expressivo, mas ainda positivo. Apenas seis das 15 regiões avaliadas pelo IBGE apresentaram crescimento no período, e no Brasil a retração foi de 1,3% de um mês para o outro.

Acumulado - No acumulado dos últimos 12 meses, a produção industrial paranaense avançou 4,7%, dividindo o terceiro melhor resultado brasileiro com o Rio Grande do Sul. A média nacional de crescimento foi de 1,1% no período.

Superação - “Diversos índices mostram, mês a mês, que o Paraná caminha para superar os obstáculos impostos pela pandemia na economia. O crescimento da indústria paranaense é um deles, assim como a geração de emprego, recorde no quadrimestre, e a produção agropecuária”, destaca o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Investimentos - “Muitas empresas estão anunciando investimentos do Estado, resultado do bom relacionamento com o Governo do Estado e do bom ambiente do Paraná para negócios. É dessa forma, com a união de esforços, que vamos avançar”, afirma.

Setores - No quadrimestre, a indústria de transformação do Paraná avançou em 11 dos 13 setores analisados pelo IBGE. O crescimento mais expressivo foi na fabricação de máquinas e equipamentos, que aumentou 59,5% no período.

Sequência - É seguido pela fabricação de produtos de madeira (49,7%); de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (41,2%); de veículos automotores, reboques e carrocerias (41%); de móveis (35,9%); produtos minerais não metálicos (34,1%); máquinas, aparelhos e materiais elétricos (25,5%); borracha e material não plástico (20,6%); outros produtos químicos (13,5%); bebidas (12,9%); e de coque, produtos derivados de petróleo e biocombustíveis (10,3%).

Retrações - As únicas retrações foram nos segmentos de produtos alimentícios (-4,8) e celulose, papel e produtos de papel (-6,6%).

2020-2021 - Na comparação com abril de 2020, o crescimento foi expressivo em praticamente todos os segmentos, com destaque para a indústria automobilística, que saltou 4.006,9% com relação ao ano passado.

Avanço - Também avançaram a fabricação de máquinas e equipamentos (311,3%); de móveis (148,8%); produtos de madeira (129,1%); produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (79,5%); bebidas (76,1%); produtos de minerais não metálicos (64,3%); máquinas, aparelhos e materiais elétricos (57,1%); produtos de borracha e material não plástico (30,9%); coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (30,2%); e outros produtos químicos (4%).

Redução - Novamente, os setores que tiveram redução na produção foram o de celulose, papel e produtos de papel (-19%) e produtos alimentícios (-6,9%).

Melhor resultado - No acumulado dos últimos 12 meses (maio de 2020 a abril de 2021 com maio de 2019 e abril de 2020), o melhor resultado foi na fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamento (29,6%). Na sequência estão os produtos de madeira (23%); móveis (20,9%); produtos de minerais não metálicos (20,9%); máquinas, aparelhos e materiais elétricos (15,9%); bebidas (14%); produtos de borracha e material não plástico (11,9%); coque, derivados do petróleo e biocombustíveis (7,7%); máquinas e equipamentos (6,7%); produtos alimentícios (4,9%).

Queda - Houve queda na fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias (-16,8%); celulose, papel e produtos de papel (-3,9%) e de outros produtos químicos (-1,9%). (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: José Fernando Ogura / AEN

 

ECONOMIA II: Governo libera R$ 3,1 bilhões para gastos dos ministérios

economia II destaque 10 06 2021O Ministério da Economia publicou, nesta quarta-feira (09/06), a Portaria nº 6.518, que libera R$ 3,1 bilhões das dotações orçamentárias de ministérios e autarquias federais.

Dotações primárias - O valor corresponde a 33,7% dos R$ 9,2 bilhões das dotações primárias discricionárias (o governo pode definir onde aplicar os recursos) dos órgãos que haviam sido bloqueadas pelo Decreto nº 10.686, de 22 de abril de 2021.

Despesas obrigatórias - Segundo o ministério, o desbloqueio foi possível em razão da redução na projeção de gastos com despesas obrigatórias, apresentada no final de maio pelo no Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do 2º Bimestre. “Observada a melhora nas projeções e o atendimento aos limites estabelecidos pelo teto de gastos, a Junta de Execução Orçamentária aprovou os valores para o desbloqueio em 2 de junho”, diz o Ministério da Economia.

Educação - O ministério que teve o maior desbloqueio foi o da Educação, que teve bloqueio inicial total de R$ 2,7 bilhões. Hoje, foram liberados R$ 900 milhões. Ainda há 1,5 bilhão de bloqueio remanescentes.

Infraestrutura e Economia - O Ministério da Infraestrutura teve liberação de R$ 700,6 milhões hoje e o da Economia, R$ 436,3 milhões.

Desbloqueios - O governo pode desbloquear até R$ 4,8 bilhões, segundo informou ao divulgar o Relatório de Avaliação de Despesas e Receitas, em maio deste ano.

Disponibilização - Além dos 3,1 bilhões desta quarta, já haviam sido disponibilizados R$ 921,9 milhões para gastos na última segunda-feira (07/06), totalizando R$ 4,055 bilhões. O restante do valor que pode ser desbloqueado (cerca de R$ 745 milhões) está em processo de avaliação, segundo informou o Ministério da Economia.

Entenda o bloqueio - O Ministério da Economia explica que em atendimento à Lei de Diretrizes Orçamentárias deste ano, o Poder Executivo pode realizar o bloqueio de dotações orçamentárias discricionárias em montante correspondente à necessidade de recursos para atendimento das despesas obrigatórias.

Revisões - “Ao longo do exercício, no entanto, ocorrem revisões nas projeções das despesas obrigatórias, o que pode possibilitar o desbloqueio. Identificada a possibilidade do desbloqueio, o art. 10 do Decreto nº 10.699/2021 permite que a revisão dos valores bloqueados pelo normativo se dê por ato do Secretário de Fazenda do Ministério da Economia”, acrescentou. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

economia II 10 06 2021

 

SAÚDE I: Brasil registra 17,1 milhões de casos e 479,5 mil mortes

O total de pessoas infectadas pelo novo coronavírus desde o início da pandemia chegou a 17.122.877. Entre terça e quarta-feira (08 e 09/06), foram confirmados 85.748 novos diagnósticos positivos de covid-19 pelas secretarias de saúde. Na terça-feira, o painel de informações da pandemia trazia 17.037.129 casos acumulados. O país tem ainda 3.888 casos ativos, em acompanhamento. Não foram acrescidos os dados do estado de Rondônia.

Soma - A soma de vidas perdidas para a pandemia do novo coronavírus alcançou 479.515. Nas últimas 24 horas, foram confirmados 2.723 novos óbitos. Foi o maior número desde o dia 5 de maio, quando foram registradas 2.811 novas mortes. Na terça, o número de óbitos decorrentes de complicações relacionadas à covid-19 estava em 476.792.

Investigação - Ainda há 3.888 falecimentos em investigação. O termo é empregado pelas autoridades de saúde para designar casos em que um paciente morre, mas a causa segue sendo apurada mesmo após a declaração do óbito.

Atualização - Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta quarta-feira (09/06). O balanço sistematiza as informações coletadas por secretarias estaduais de saúde sobre casos e mortes.

Recuperados - O número de pessoas que foram infectadas mas se recuperaram desde o início da pandemia é de 15.596.816. Isso corresponde a 91,1% do total dos infectados pelo vírus.

Números - Os números são em geral mais baixos aos domingos e segundas-feiras em razão da menor quantidade de funcionários das equipes de saúde para realizar a alimentação dos dados. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pelo envio dos dados acumulados.

Estados - O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (115.960). Em seguida vêm Rio de Janeiro (52.094), Minas Gerais (42 mil), Rio Grande do Sul (29.218) e Paraná (27.540). Já na parte de baixo da lista, com menos vidas perdidas para a pandemia, estão Roraima (1.662), Acre (1.697), Amapá (1.741), Tocantins (2.971) e Alagoas (4.922).

Vacinação - Até o momento, foram enviadas a estados e municípios 109,2 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Deste total, foram aplicadas 70 milhões de doses, sendo 48,6 milhões da primeira dose e 21,3 milhões da segunda dose. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 10 06 2021

SAÚDE II: Paraná registra 5.123 novos casos de Covid-19 e 211 óbitos

saude II 10 06 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quarta-feira (09/06) mais 5.123 casos e 211 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.126.308 casos e 27.386 óbitos. Há ajustes ao final do texto.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (140), fevereiro (16), março (51), abril (142), maio (801) e junho (3.960) de 2021 e dos seguintes meses de 2020: julho (1), agosto (1), novembro (3) e dezembro (8).

Internados - O informe relata que 2.923 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 2.225 em leitos SUS (982 em UTIs e 1.243 em enfermarias) e 698 em leitos da rede particular (378 em UTIs e 320 em enfermarias).

Exames - Há outros 3.178 pacientes internados, 1.139 em leitos de UTI e 2.039 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 211 pacientes. São 91 mulheres e 120 homens, com idades que variam de 26 a 95 anos. Os óbitos ocorreram de 03 de abril a 09 de junho de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (23), Londrina (18), Campo Largo (14), Apucarana (10), Ubiratã (9), Guarapuava (6), São José dos Pinhais (6), Cascavel (5), Pontal do Paraná (5), Telêmaco Borba (5), Colombo (4), Laranjeiras do Sul (4), União da Vitória (4), Almirante Tamandaré (3), Araucária (3), Maringá (3), Pinhais (3), Ponta Grossa (3), Sengés (3), São João do Ivaí (3), Toledo (3), Arapoti (2), Astorga (2), Bandeirantes (2), Boa Esperança (2), Castro (2), Cornélio Procópio (2), Guaíra (2), Rolândia (2), Rondon (2), Sarandi (2), São Jerônimo da Serra (2) e Wenceslau Braz (2).

Uma morte- O informe registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Antonina, Assis Chateaubriand, Balsa Nova, Bela Vista da Caroba, Capitão Leônidas Marques, Coronel Vivida, Curiúva, Céu Azul, Diamante D'Oeste, Diamante do Sul, Dois Vizinhos, Esperança Nova, Fazenda Rio Grande, Flor da Serra do Sul, Guamiranga, Guapirama, Guaraniaçu, Guaraqueçaba, Imbituva, Inácio Martins, Irati, Itaperuçu, Ivaiporã, Ivatuba, Jacarezinho, Joaquim Távora, Lapa, Mandaguari, Mandaguaçu, Marialva, Marilândia do Sul, Maripá, Matelândia, Medianeira, Paiçandu, Palmas, Paranacity, Paranaguá, Paranavaí, Pato Branco, Quedas do Iguaçu, Rebouças, Santa Amélia, Santa Maria do Oeste, Santo Antônio da Platina, São Pedro do Iguaçu, Tibagi, Três Barras do Paraná, Uraí e Ventania.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 6.017 casos de pessoas que não moram no Estado – 154 foram a óbito.

Exclusões - Total de exclusões: 20 casos e 20 óbitos de residentes no Estado.

Um caso e óbito confirmados (M,64) no dia 29/01/2021 em MEDIANEIRA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,33) no dia 19/06/2020 em CAFELÂNDIA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,71) no dia 11/02/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,41) no dia 17/02/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,74) no dia 17/02/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,74) no dia 18/01/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (F,72) no dia 29/08/2020 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,86) no dia 12/07/2020 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,50) no dia 19/02/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,57) no dia 28/05/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,62) no dia 02/03/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (F,81) no dia 26/07/2020 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,60) no dia 24/02/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,39) no dia 15/12/2020 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,27) no dia 23/01/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,76) no dia 22/02/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,57) no dia 05/08/2020 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (M,84) no dia 10/07/2020 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (F,65) no dia 22/07/2020 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação;

Um caso e óbito confirmados (F,84) no dia 30/04/2021 em CURITIBA foram excluídos por erro de notificação.

Alterações - Alteração de Município.

Um caso confirmado em TUPÃSSI foi alterado para NOVA AURORA por erro de notificação;

Um caso confirmado em CURITIBA foi alterado para CASCAVEL por erro de notificação.

(Agência de Notícias do Paraná)

Confira o Informe completo.

 

SAÚDE III: Paraná vai destinar primeiro lote da Janssen para vacinar trabalhadores do transporte

O Paraná vai usar as vacinas da Janssen, fabricada pelo braço farmacêutico da Johnson & Johnson, para avançar na imunização contra a Covid-19 do quadro prioritário, com destinação das doses para um novo segmento: os trabalhadores da carga pesada.

Contemplados - Serão contemplados profissionais do transporte coletivo rodoviário de passageiros; do transporte ferroviário; do transporte aquaviários; e caminhoneiros. De acordo com o Plano Estadual de Vacinação, esse grupo é formado por 178,6 mil pessoas.

Estimativa - A estimativa do Ministério da Saúde é que as doses cheguem ao Estado até esta sexta-feira (11/06). Ainda não há um quantitativo definido, mas a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) trabalha com a perspectiva de 150 mil doses, seguindo o cronograma estabelecido pelo governo federal ao longo do ano.

Lote - Os imunizantes integram o primeiro lote com 3 milhões de doses disponibilizado ao País pela farmacêutica norte-americana e têm prazo de validade até 27 de junho, por isso a necessidade de distribuição e aplicação rápidas. A entrega da remessa foi antecipada pelo fabricante para atender um pedido emergencial do Ministério da Saúde.

Total - No total, o Brasil firmou acordo com a Janssen para receber de 38 milhões de doses, com envios previstos para o 3º e 4º trimestres. Diferentemente de outros laboratórios, contudo, para garantir a imunização completa a vacina requer a aplicação de apenas uma dose – os outros três imunizantes contra o coronavírus aplicados atualmente no País (Pfizer, AstraZeneca e CoronaVac) requerem duas doses.

Nova alternativa - “Será uma nova alternativa para a população paranaense, um quarto imunizante disponibilizado ao País. As vacinas da Janssen devem chegar essa semana e como temos o dia 27 de junho como última data para utilização, vamos fazer um grande esforço para aplicar naqueles profissionais da carga pesada, como os caminhoneiros por exemplo”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. Ele confirmou a remessa em audiência pública na Assembleia Legislativa do Paraná.

Eficácia - A vacina fabricada pela Johnson & Johnson tem eficácia de 85% na prevenção de casos graves e oferece proteção completa contra hospitalização e morte por Covid-19, segundo estudo divulgado em janeiro. A temperatura de armazenamento e o transporte dos imunizantes não oferecem desafios à logística, já que podem ser preservados em geladeiras comuns, entre 2ºC e 8ºC, por até três meses.

Vacinômetro - De acordo com o Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS), vinculado ao Ministério da Saúde, o Paraná aplicou até a manhã desta quarta-feira (09) 4.107.914 vacinas contra a Covid-19. Foram 2.867.883 primeiras doses e 1.240.031 segundas doses. Em relação ao público-alvo, o Estado alcançou 61% com a primeira dose e 26,4% com a segunda.

Encaminhadas - Até o momento o governo federal encaminhou 5.837.960 doses ao Paraná. “É uma guerra. Precisamos de todos e da conscientização coletiva para combater esse vírus, cada vez mais contagioso e letal. O remédio é a vacina”, destacou Beto Preto. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: José Fernando Ogura / AEN

{vsig}2021/noticias/06/10/saude_III/{/vsig}

SAÚDE IV: Com mil doses a mais, Paraná recebe novo lote e alcança marca de 6 milhões de vacinas

saude IV 10 06 2021O Paraná recebeu na noite desta quarta-feira (09/06) mais 238 mil vacinas contra a Covid-19, sendo 237 mil doses do imunizante AstraZeneca/Fiocruz, produzido no Brasil a partir de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) importado, e mil doses da AstraZeneca/Oxford importadas por meio do consórcio Covax Facility, do qual o País é signatário.

24ª pauta - As vacinas fazem parte da 24ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde. O documento orienta que as 237 mil doses da AstraZeneca/Fiocruz sejam destinadas a pessoas com comorbidades e deficiência permanente, trabalhadores da educação do ensino básico, forças de segurança e salvamento e forças armadas, além de um ajuste de doses para povos e comunidades tradicionais ribeirinhos.

Ajuste - Já as mil doses oriundas do Covax fazem parte de um ajuste populacional no grupo de trabalhadores do transporte aéreo, conforme pedido do Governo do Estado ao Ministério da Saúde. Todas as 238 mil doses são direcionadas para a primeira aplicação (D1).

Cemepar - As doses estão no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) e serão distribuídas a partir desta quinta-feira (10/06) para as 22 Regionais de Saúde junto da remessa de 145 mil vacinas da Pfizer. A disponibilização das duas possibilitará avançar ainda mais nos públicos prioritários já atendidos e iniciar a imunização de profissionais da educação do Ensino Superior, novidade anunciada nesta semana pelo Governo do Estado.

Nova marca - Com a nova entrega, o Paraná soma 6.075.060 vacinas contra a Covid-19. O Estado já aplicou 4.175.619 doses até as 21h desta quarta-feira (09/06), sendo 2.929.472 D1 e 1.246.147 D2. Segundo levantamento da Secretaria de Estado da Saúde, o Paraná é o sexto do País em número absoluto de aplicações.

Orientações - O 22º Informe Técnico do Ministério da Saúde reforça que as vacinas possuem operacionalizações diferenciadas. A vacina AstraZeneca/Fiocruz tem cinco doses por frasco-ampola e validade de até 48h após abertura. A AstraZeneca/Covax possui dez doses por frasco-ampola, com validade de até seis horas após abertura do frasco. O intervalo entre a D1 e D2 permanece em 12 semanas para ambas as vacinas. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Américo Antonio / Sesa

 


Versão para impressão


RODAPE