Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5098 | 24 de Junho de 2021

DIA C: Faltam poucos dias para a celebração do Dia de Cooperar; Expo PRCoop é a novidade deste ano

Em menos de dez dias, as cooperativas de todo o país estarão celebrando o Dia de Cooperar – Dia C. No Paraná, a grande novidade deste ano é a realização da Expo PRCoop. Será uma feira virtual em que os participantes terão a oportunidade conhecer as ações voluntárias e solidárias alusivas ao Dia C realizadas pelas cooperativas. Os visitantes poderão percorrer os estandes e conferir as atividades por meio de vídeos. Além disso, o Sistema Ocepar está preparando uma programação ao vivo no auditório, com diversas atrações.

Data - O Dia C - Expo PRCoop será realizado por meio de uma plataforma on-line, a partir das 13h30, no mesmo dia em que se comemora o Dia Internacional do Cooperativismo, celebrado no primeiro sábado de julho, neste ano em 3 de julho. Em breve, o Informe PR Cooperativo irá divulgar mais detalhes sobre a programação.

O Dia C - Com o tema “Atitudes simples movem o mundo”, o Dia C – Dia de Cooperar – é uma mobilização nacional coordenada pelo Sistema OCB e desenvolvida com apoio das organizações estaduais, cuja proposta é estimular iniciativas voluntárias diferenciadas, contínuas e transformadoras. Em 2020, mais de 7,8 milhões de pessoas foram beneficiadas em todo o país, com as mais de 2,8 mil iniciativas e ações realizadas por 2.226 cooperativas e seus mais de 137 mil voluntários. Se forem consideradas as ações focadas no combate ao coronavírus, bem como à redução dos efeitos da Covid-19, o total realizado no ano passado foi 2.159. Ao todo, 1.383 municípios brasileiros registraram a força do voluntariado cooperativista. No Paraná, 212 cooperativas participaram da campanha, com 635 ações, 902.103 beneficiados e 59.267 voluntários.

 

dia c 24 06 2021

REUNIÃO INSTITUCIONAL: CrediAliança e Ocepar realizam reunião institucional e discutem perspectivas para o ramo crédito

Representantes da CrediAliança e do Sistema Ocepar realizaram, na manhã de quarta-feira (23/05), reunião institucional para discutir indicadores e cenários do cooperativismo do Paraná. Participaram o presidente do Conselho de Administração da CrediAliança, José Carlos Bizetto, e o diretor-executivo Ivan Marcos Wentz, além de gestores da cooperativa. As perspectivas e desafios às cooperativas do ramo crédito foram os temas principais do encontro, que aconteceu por meio de videoconferência. Os dados econômicos e financeiros foram repassados pelo coordenador de desenvolvimento cooperativo do Sistema Ocepar, João Gogola Neto, e o analista técnico Jessé Rodrigues.

A cooperativa - Fundada em 1983, a CrediAliança (Cooperativa de Crédito Rural), tem atuação com o foco na assistência financeira aos associados, com a finalidade de fomentar mais produtividade e desenvolvimento no campo. Com sede em Rolândia, possui agências de atendimento também nos municípios de Arapongas, Cambé, Sabáudia, Jaguapitã, Pitangueiras, Primeiro de Maio, Bela Vista do Paraíso, Sertanópolis, Alvorada do Sul, São Sebastião da Amoreira, Nova Santa Bárbara, Londrina e Cornélio Procópio. A CrediAliança tem cerca de 3.500 associados e 52 funcionários. Em 2020, administrou R$ 313,9 milhões em ativos totais.

Estratégia - Segundo o presidente José Carlos Bizetto, a estratégia da CrediAliança de lançar produtos diferenciados trouxe bons resultados em 2020. “A criação de linhas voltadas à compra de veículos, máquinas e implementos agrícolas, bem como reformas nas propriedades, tiveram boa aceitação por parte dos associados. Temos muito zelo com o aspecto da garantia dos recursos emprestados, mas seguimos com o objetivo essencial de dar suporte e apoio financeiro aos cooperados”, explicou. “O cenário de elevação da taxa Selic em 2021 traz perspectivas positivas para a CrediAliança”, ressaltou.  

Informações - A promoção de reuniões institucionais faz parte das estratégias do Sistema Ocepar para informar as cooperativas associadas em relação aos principais assuntos que norteiam a organização no momento, bem como para atualizá-las em relação aos indicadores do cooperativismo e da cooperativa em questão, inclusive, com um comparativo com outras cooperativas do mesmo ramo e porte. Nessas reuniões, também são tratados assuntos relacionados ao Sescoop/PR, com a apresentação das áreas de Monitoramento, Profissionalização, Promoção Social e Gestão Estratégica, e as ações que as cooperativas podem executar, com o suporte financeiro do “S” das cooperativas.

{vsig}2021/noticias/06/24/reuniao_institucional/{/vsig}

FORMAÇÃO: Agentes iniciam curso sobre Sistema de Gestão da Inovação

Trinta Agentes de Inovação, certificados no ciclo 2019 do Programa de Inovação para o Cooperativismo Paranaense, iniciaram, nesta quarta-feira (23/06), um curso em formato on-line que trata dos conceitos da Norma ISO56002, com foco na implementação do Sistema de Gestão da Inovação nas cooperativas. Promovida pelo Sistema Ocepar, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), e em parceria com o Isae, a formação será realizada nos meses de junho e julho, somando 48 horas/aula. Os instrutores são os professores do Isae, Julio Cesar Felix e Hélio Gomes de Carvalho.

Competências complementares - “O objetivo do curso é capacitar os Agentes de Inovação em competências complementares à formação do Programa de Inovação do Cooperativismo Paranaense, a fim de fortalecer o aprendizado e estruturar as ações de inovação nas cooperativas”, esclarece o coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Leandro Macioski.

{vsig}2021/noticias/06/24/formacao/{/vsig}

 

FRENCOOP: Evair de Melo diz que vai trabalhar por mais recursos para o Plano Safra

frencoop 24 06 2021O presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), deputado Evair de Melo (ES), afirmou nesta quarta-feira (23/06) que os recursos de R$ 251,2 bilhões para financiamento da safra 2021/2022, anunciados pelo Ministério da Agricultura, contemplam em parte o setor cooperativista. Por isso, o parlamentar destacou que a bancada vai trabalhar no Congresso Nacional para obter mais recursos para o setor, especialmente no que diz respeito ao seguro rural.

Avanço - “O anúncio do Plano Safra é um avanço importante para o setor agropecuário brasileiro. Tenham a certeza de que vamos continuar trabalhando muito para viabilizar mais recursos, aumentar o seguro para a nossa agricultura e possibilitar um ambiente favorável para os nossos produtores e cooperativas para que possam continuar a ajudar o Brasil a se desenvolver”, disse.

Destinação - Do montante total, o governo destinou R$ 1 bilhão em subvenção ao seguro rural e R$ 1,4 bilhão em apoio à comercialização de produtos. O valor é 6,3% maior do que o anunciado na safra passada, que era de R$ 236,3 bilhões.

Agricultura familiar - Para financiar a agricultura familiar (Pronaf), o Plano Safra terá 39,34 bilhões de reais, alta de 19% em relação à safra passada (2020/21). Em contrapartida, no custeio, as taxas de juros para pequenos e médios produtores subiram e ficaram na ordem de 3% a 10% ao ano, ponto que merece atenção, segundo a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB).

Diferença - “O acréscimo de recursos no Pronaf para os produtores fará uma grande diferença no dia a dia, deixando nosso agro mais competitivo, e aumentando, dessa forma, a produção mais verde, inclusiva e próspera”, acrescentou Melo.

Alta - As taxas de juros para financiamentos via cooperativas para crédito industrial e capital de giro também subiram e ficou na ordem de 8% ao ano – a justificativa do governo federal para o aumento foi o momento de crise no país e o ciclo de alta na taxa básica Selic.

Produção agropecuária - O cooperativismo é responsável por uma parcela significativa da produção agropecuária brasileira. Conforme a OCB, são 1.223 cooperativas presentes de Norte a Sul do país, reunindo mais de 992 mil cooperados e gerando mais de 207 mil empregos.

Prioridades - A ministra da Agricultura Tereza Cristina afirmou que o Plano Safra 2021/2022 ficou bom para agricultura brasileira. Segundo ela, neste ciclo foram priorizados a agricultura familiar e os investimentos para a agricultura de baixo carbono.

Setor mais dinâmico - “Essa edição do Plano Safra nos dá as condições necessárias para manter o agro como o setor mais dinâmico da economia. Este é um plano que vem pincelado de verde e que reforça o compromisso do governo com os pequenos produtores que mais precisam de apoio na construção de bases para que o Brasil continue na vanguarda da agricultura mundial”, declarou.

Satisfatório - A deputada Aline Sleutjes (PR), presidente da Comissão de Agricultura e integrante da diretoria da Frencoop, considerou o Plano Safra 2021/2022 satisfatório. “Com trabalho e comprometimento podemos fazer um Brasil ainda melhor. Temos conseguido fazer esse gigante amadurecer todos os dias como campeão de produção, responsável por manter a alimentação do nosso país e exportando para outros mais de 160 países”, ressaltou.

Direitos do agricultor - O deputado Sérgio Souza (PR), que também faz parte da Frencoop, reforçou a importância de defender e promover a garantia dos direitos do agricultor brasileiro no Parlamento. “Nós temos o papel de fazer a interlocução política com o governo federal. Nesse Plano Safra tivemos um aumento especial, principalmente para os pequenos e médios produtores, sem esquecer também os programas como armazenagens e seguro rural”. O parlamentar acrescentou ainda que “os recursos são importantíssimos para a garantia e custeio da safra do produtor rural”.

Dificuldade fiscal - Já o deputado Zé Mario (GO) destacou que o país vive um momento de dificuldade fiscal e que foi construída uma proposta que ouviu o Brasil inteiro. “Vemos pontos positivos, como por exemplo, o aumento dos limites do Pronaf e Pronamp, e a priorização de programas de agricultura de baixo carbono”. Por outro lado, o parlamentar, membro da Frencoop, criticou o aumento das taxas de juros. “Será necessário buscar mais recursos para que possamos melhorar no que for possível”, concluiu.

Crédito rural - O presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, reforçou que, desde o início das discussões sobre o Plano Safra, a entidade defendeu a relevância do crédito rural. “Nossas propostas sempre visaram a manutenção da arquitetura de crédito existente atualmente e que as linhas destinadas a investimentos fossem priorizadas, uma vez que elas garantem melhorias tanto para os produtores como para as comunidades onde eles estão inseridos. Também defendemos um orçamento robusto para a questão do seguro rural”, declarou.

Diretrizes gerais - Ainda segundo ele, as informações divulgadas referem-se apenas as diretrizes gerais da política agrícola que o governo pretende implementar. “Os impactos em nível operacional só poderão ser efetivamente avaliados após uma análise mais aprofundada das resoluções do Conselho Monetário Nacional referentes ao Plano, o que já está sendo feito por nossa equipe técnica”, concluiu.

Análise completa - Para conferir a análise completa sobre o Plano Safra 2021/2022, feita pela OCB, acesse o link: https://bit.ly/2TYVlE. (OCB)

FOTO: Pablo Valadares / Câmara dos Deputados

 

MÍDIA I: Cooperativismo paranaense é destaque em live sobre “Agronomia Sustentável”

midia I 26 06 2021O superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, participou, na noite desta quarta-feira (24/06), da 11ª live do projeto "Agronomia Sustentável', que aborda as projeções da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) para o cooperativismo no Brasil e sua representatividade na agronomia, numa iniciativa do Canal Rural. Durante uma hora, o jornalista Mateus Koelzer conversou com Robson e com o conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais, Roberto Felicori Rodrigues a respeito da contribuição do profissional de agronomia no agronegócio, com destaque para o cooperativismo paranaense.

Potencial - Mafioletti lembrou que o setor cooperativista tem se mostrado com uma alternativa de trabalho, não somente aos profissionais de agronomia mas para outras áreas.

Link - Para assistir esta live acesse o link: https://www.youtube.com/watch?v=dxfhV31_l1k

 

MÍDIA II: Sistema Ocepar avalia Plano Safra no programa CBN Rural

midia II 24 06 2021Com a finalidade de avaliar o Plano Safra 2021/2022 e seus impactos para o setor da agropecuária, em especial para o cooperativismo paranaense, o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, foi um dos entrevistados do programa CBN Rural, comandado pelo jornalista Sérgio Mendes, na tarde desta quinta-feira (24/06). Mafioletti disse que o anúncio ficou dentro das expectativas, levando-se em conta o momento que o país vive com a pandemia e retração da economia. “Na verdade, a necessidade do agronegócio brasileiro é de R$ 750 bilhões para a safra, mas os recursos anunciados ficaram dentro da expectativa de todas as entidades que integram o setor produtivo e que caminham juntas com o Sistema Ocepar na apresentação de propostas de políticas agrícolas para o governo”. Na terça-feira (22/06), durante solenidade realizada no Palácio do Planalto, em Brasília, a ministra da Agricultura anunciou R$ 251,2 bilhões para a safra 2021/2022.

Link– Para ouvir a entrevista na íntegra acesse o link: http://cbnmaringa.com.br/noticia/plano-safra-20212022-anuncia-r-251-bilhoes-para-produtores-rurais#.YNOd1m0AlGg.whatsapp

 

COPAGRIL: Seminário Soja e Milho será nesta quinta-feira em formato online

O Seminário Soja e Milho, tradicional evento de conhecimento da Copagril, direcionado especialmente aos agricultores, com atenção às culturas da soja e do milho, será nesta quinta-feira (24/06), em formato online, com transmissão ao vivo pelas redes sociais Copagril – Facebook e Youtube, em evento digital aberto para que todos possam acompanhar. A programação inclui palestra com a pesquisadora da Embrapa Milho e Sorgo, Dagma Dionísia da Silva, e apresentação dos melhores cooperados da Copagril em produtividade de soja e milho.

Tema - O assunto da palestra do Seminário será sobre Complexo de Enfezamentos na Cultura do Milho - Estratégias de Manejo. Um importante tema que vem ao encontro do propósito dos cooperados da Copagril, que é obter altos rendimentos com atenção voltada aos fatores de construção da produtividade, meta que se atinge gradualmente por meio de ações que busquem, principalmente, melhorias do ambiente produtivo. Sobre a palestra, Dagma adianta que será para esclarecer aos produtores e pessoas envolvidas no setor agrícola sobre quais são os problemas causados, falar sobre os patógenos deste complexo que compõem os enfezamentos e sobre o manejo, o que é de conhecimento atual e o que está avançando sobre esse assunto.

Acompanhamento - “Acompanhamos por vários anos os enfezamentos, e desde 2019 com uma atenção ainda maior no Paraná, fazendo essas observações e pesquisas mais intensas por causa dos enfezamentos mais severos na região, para que assim, possamos buscar ações junto ao setor produtivo para tentar reduzir esses problemas”, explica a doutora.

Plataformas - O Seminário Copagril Soja e Milho 2021 será transmitido online, de forma gratuita e aberta, pelas plataformas do Facebook e Youtube, nos perfis oficiais da Copagril. A transmissão iniciará às 14 horas desta quinta-feira (24/06), com palestra, premiação dos melhores produtores da Copagril nas culturas de soja e milho e ainda com sorteio de brindes aos participantes.

Links - Para assistir acesse: Facebook: https://www.facebook.com/events/393046351989939 / Youtube: https://youtu.be/9T1xuwBtmqo (Imprensa Copagril)

 

copagril 24 06 2021

COOPAVEL: Dilvo Grolli participa de fechamento nesta quinta da etapa milho do Rally da Safra

coopavel 24 06 2021Um evento online vai marcar nesta quinta-feira (24/06), às 19h, o fechamento da etapa milho da safra 2020/2021 do Rally da Safra, um dos mais importantes e reconhecidos estudos de campo sobre a performance de duas das principais commodities brasileiras. O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, ao lado do CEO da Agroconsult, André Pessoa, participa do encontro.

Conversa - Nessa etapa, André conversa com os líderes das principais cooperativas do Centro-Sul do Brasil. Ele apresenta os resultados do milho de segunda safra, as projeções para o mercado e o ponto de vista dos produtores sobre uma temporada principalmente desafiadora. Com a pandemia, o rally precisou se adaptar à nova realidade para que pudesse cumprir com todas as suas metas e seguir com um trabalho vitorioso de muitos anos, conforme André.

Mais convidados- Além de Dilvo Grolli, o encontro desta quinta-feira conta com as presenças dos presidentes da Copasul, Gervásio Kamitami, da Comigo Antonio Chavaglia e do diretor comercial da Coacen Alexander João Gheno. Para participar da apresentação dos números na noite da próxima quinta é preciso fazer inscrição gratuita e antecipada no seguinte endereço www.rallydasafra.com.br ou ainda no https://bit.ly/ResultadosMilho21

O que é?- O Rally da Safra é um projeto pioneiro no País criado pela Agroconsult, empresa especializada no mercado agro nacional. Ele foi iniciado em 2004 e até hoje é o único estudo técnico privado que vai a campo para aferir as reais condições das safras de soja e milho das principais regiões produtoras do Brasil.

Técnicos - O trabalho de técnicos dos mais diferentes setores acontece de janeiro a junho. Eles percorrem milhares de quilômetros para conhecer a fundo a realidade dos cultivos. Eles conversam com outros técnicos, entrevistam agricultores e promovem encontros (em 2021, por plataformas online) com agricultores e cooperados de cooperativas para apresentar o andamento e os resultados dos trabalhos. (Imprensa Coopavel)

 

COAMO I: “Nosso desafio é aumentar a capacidade operacional e competitiva dos portos do Paraná”, diz presidente da Appa

1coamo 24 06 2021Os Portos de Paranaguá e Antonina movimentaram no ano passado um total de 57.339.307 toneladas, volume que consolida uma nova marca histórica, com uma alta de 8% em relação ao recorde anterior (em 2019 foram 53.204.040 toneladas). O balanço confirma 2020 como o melhor ano das exportações paranaenses. Para explicar um pouco sobre o trabalho desenvolvido, a entrevista do mês de maio na Revista Coamo foi com diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Fernando Garcia da Silva. Luiz Fernando, graduado em Economia pela Universidade Federal do Paraná com especialização em gestão de empresas. Está na sua segunda passagem pela Administração dos Portos do Paraná, sendo a primeira de 2009 a 2015, e desde janeiro de 2019 é dirigente da empresa pública Portos do Paraná.

Missão - De acordo com Luiz Fernando, a atual gestão recebeu do governador Carlos Massa Ratinho Júnior a missão de aumentar a participação dos portos na logística brasileira, com mais competitividade e redução dos custos para os produtores, e de pensar o desenvolvimento dos portos paranaenses não apenas para atender a demanda presente, mas para o futuro – próximos 30, 40, 50 anos – de forma sólida e sustentável. "Temos avançado em todas as frentes: investimento em infraestrutura marítima (dragagem, derrocagem, sinalização e estudo para alcançar um novo calado operacional para os dois portos); terrestre (melhoria dos acessos rodo e ferroviário); e na retroárea (avançando na regularização das áreas, com os novos arrendamentos, e otimizando a eficiência na descarga e armazenagem).” Ainda segundo ele, além de avançar em projetos e obras, os Portos do Paraná – cuja gestão atua alinhada com toda a comunidade portuária (incluindo operadores, terminais e demais atores) – têm avançado na movimentação, com constantes recordes.

Recordes - No primeiro trimestre de 2021, os Portos do Paraná tiveram resultados recordes. Em março, juntos, os terminais de Paranaguá e Antonina registraram o melhor março da história em volume movimentado. Foram 5.622.705 toneladas de cargas, de importação e exportação. O volume é 7% maior que o registrado no mesmo mês de 2020 (5.235.158 toneladas). Um novo marco foi consolidado na quantidade de caminhões que passaram pelo Pátio de Triagem: 59.611 veículos, em 31 dias.

Expectativa - Para o presidente, a expectativa para 2021 é excelente. “Este ano será, novamente, bastante expressivo para o agronegócio, que movimenta quase 80% das nossas operações. Os portos de Paranaguá e Antonina aprenderam a lidar com a Covid-19, de modo a seguir operando com segurança aos trabalhadores, atendendo toda a cadeia logística, em todos os segmentos. Nesses três primeiros meses do ano, movimentamos 12.869.820 toneladas de cargas, volume 3% maior que 2020.” (Imprensa Coamo)

 

COAMO II: Appa diz que mais de 90% do volume de exportação tem origem no agronegócio

2coamo 24 06 2021Mais de 90% de toda a exportação dos Portos do Paraná são produtos do agronegócio. Segundo o presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Fernando Garcia da Silva, a performance é resultado da força do agronegócio que impulsiona o desenvolvimento e a excelência dos portos paranaenses. As cooperativas se destacam não apenas pela produção e os resultados no campo, mas pela representatividade, força e ousadia.

Competitividade - Quando aos processos para aumentar a capacidade e a competitividade dos terminais de Paranaguá e Antonina, o presidente da Appa diz ser este o grande desafio. A Administração está concluindo estudo técnico, para ampliar o calado operacional, ou seja, a distância entre a lâmina d’água e o fundo do mar, e permitir que os terminais recebam navios maiores e com mais carga. A meta de dragagem para aumentar o calado é a mais ousada da história dos portos paranaenses.

Profundidade - Atualmente, os navios operam com profundidade de 12,5 metros para entrar no Porto de Paranaguá e de 8,5 no Porto de Antonina. O objetivo é alcançar 15,5 e 12,5 metros, respectivamente. O calado operacional limita o tamanho do navio e a quantidade de produtos que ele consegue transportar em segurança. Sem uma profundidade adequada, é preciso limitar o peso da carga e controlar o quanto de navio ficará dentro d´água. Esse estudo de engenharia voltado a atrair embarcações maiores e mais modernas, que está sendo finalizado, é o primeiro passo do projeto. O estudo mapeia os procedimentos necessários para o aprofundamento do canal de acesso. “A intenção é que a iniciativa privada explore e que tenha por obrigação deixar o calado nas condições operacionais necessárias, realizando as dragagens de aprofundamento, manutenção, sinalização e outros serviços que garantem segurança na navegação”, afirma Luiz Fernando, na entrevista à Revista Coamo.

Investimento - A Coamo está expandindo o terminal privado no Porto de Paranaguá, com investimento de R$ 200 milhões na ampliação da capacidade estática de armazenagem de grãos e na produtividade. “Ao investir nessa ponta, a Coamo gera benefícios e ganhos para toda a cadeia logística envolvida nas exportações dos granéis sólidos. É um investimento pensado não apenas no agora, mas para o futuro, ou seja, para fazer frente às expectativas e demandas do setor produtivo que são crescentes”, afirma o diretor-presidente. Para ele, a Coamo é uma das principais cooperativas que operam no porto, contribuindo com muita eficiência e competência, para os resultados alcançados nos últimos anos. “É o esforço de vocês, do campo, da administração, da operação portuária, que nos ajudam a quebrar recordes, romper barreiras e atender a demanda mundial por alimentos”, concluiu. (Imprensa Coamo)

 

SICREDI: Programa das cooperativas escolares é lançado nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro

Incentivar o protagonismo de adolescentes e jovens proporcionando a vivência do modelo cooperativista no ambiente escolar. Esse é um dos objetivos das cooperativas escolares. O programa, lançado pela instituição financeira cooperativa por meio da Fundação Sicredi nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, já é desenvolvido no Rio Grande do Sul com 125 cooperativas escolares implementadas.

Expansão - Inicialmente, a expansão do projeto na área de atuação da Central Sicredi PR/SP/RJ será feita em conexão com quatro cooperativas incubadoras: Sicredi Agroempresarial PR/SP, Sicredi Norte Sul PR/SP, Sicredi Progresso PR/SP e Sicredi União PR/SP. Todas têm consolidadas em suas áreas de atuação o Programa A União Faz a Vida (PUFV), principal iniciativa de responsabilidade social do Sicredi que empreende na educação integral de crianças, ajudando a despertar a essência do cooperativismo. “No PUFV, trabalhamos conceitos de cidadania, solidariedade e cooperação com as crianças. Com as cooperativas escolares abrimos mais um movimento ligado à educação, inspirando o protagonismo de adolescentes e jovens, e os conectando a uma vivência na sociedade cooperativa e aos movimentos voluntários do Sicredi”, explica o presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock.

Contraturno - O programa das cooperativas escolares é realizado no contraturno. A partir de um objeto de aprendizagem, os alunos criam uma cooperativa que possui toda a estrutura de governança do modelo de negócio: presidente e conselheiros eleitos, com gestão participativa. “Com os conceitos que aprenderam na infância por meio do Programa A União Faz a Vida, eles vão exercitar na prática atuando em colaboração. Uma vivência que desenvolve a formação de novos líderes a partir dos princípios do cooperativismo", analisa o superintendente da Fundação Sicredi, Romeo Balzan.

Rede de compromissos - Como projeto do sistema cooperativo, a manutenção e o sucesso da iniciativa estão aliados a uma rede de compromissos formada também por gestores escolares, alunos, secretarias de educação e cooperativas do Sicredi, que estimulam e gerenciam o andamento do programa. No primeiro ano de implantação do projeto, será realizada a capacitação com todos os agentes envolvidos no desenvolvimento da iniciativa. Os encontros de formação serão no formato on-line, e antes da implementação das cooperativas escolares nos colégios.

Modelo - Para o presidente da Sicredi Agroempresarial PR/SP, Agnaldo Esteves, além da vivência cooperativista, o movimento também reforça o modelo econômico e social capaz de promover o desenvolvimento regional. “Toda a nossa equipe está engajada nessa iniciativa que considero extraordinária. As cooperativas escolares ampliam a cooperação entre as pessoas e o trabalho em grupo, melhorando também a profissionalização. É uma semente do bem que estamos plantando e que vai fortalecer a ideia de construirmos juntos uma sociedade mais próspera a partir da ajuda mútua”, destaca.

Compromisso com educação - Conectado aos princípios do cooperativismo, o Sicredi tem desenvolvido, em toda a sua trajetória, programas que asseguram a promoção do Quarto Objetivo de Desenvolvimento Sustentável, que trata da Educação de Qualidade, proposto pela Organização das Nações Unidas (ONU) para um mundo melhor. Outra iniciativa que reforça esse compromisso é o Programa A União Faz a Vida, que ao longo de mais de 25 anos, já envolveu mais de 150 mil educadores e alcançou a marca de mais de 3 milhões de crianças e adolescentes impactados em cerca de 2,6 mil escolas do país.

Relatório - O relatório do Retorno Social do Investimento (SROI), divulgado pelo Sicredi em 2021, aponta que a iniciativa realizada com crianças e adolescentes de escolas públicas e privadas de diversas regiões do Brasil gera um impacto social quatro vezes maior do que o valor investido. Ainda de acordo com o estudo, para cada R$ 1,00 investido, são gerados R$ 4,07 de impacto social.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2021/noticias/06/24/sicredi/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Cooperativa lança aplicativo para acesso a crédito rural

sicredi uniao 24 06 2021Com o objetivo de simplificar o acesso ao crédito rural, a Sicredi União PR/SP lançou neste mês o aplicativo “Parceiro Rural”. Com a plataforma, os associados podem criar e acompanhar propostas de crédito, além de anexar documentos e manter contato com o gerente de contas. A plataforma visa atender às necessidades de mais de 28 mil famílias associadas que tomam crédito rural na área da abrangência da Sicredi União PR/SP. Todas as linhas podem ser solicitadas via aplicativo: custeio, investimento em infraestrutura e instalações e comercialização de produtos.

Gratuita - A ferramenta é gratuita e está disponível para download nos sistemas Android e iOS. Para acessar o ‘Parceiro Rural’, é preciso solicitar uma senha de acesso na agência.

Praticidade - Para o associado, o objetivo é trazer praticidade e transparência ao processo de obtenção de crédito rural, como explica o coordenador de Ciclo de Crédito da Sicredi União PR/SP, Ivan Granzotti. “O produtor pode iniciar sua demanda de crédito em casa, pelo seu smartphone ou tablet. Além disso, garante transparência, já que dá para acompanhar todo o processo via app, saber como está a proposta, se foi liberada, se está faltando documento - e, caso esteja, ele pode fotografar e anexar na própria plataforma, sem sair de casa”, detalha.

Encaminhamento - As solicitações de crédito rural feitas pelo aplicativo são encaminhadas diretamente ao gerente agro, que receberá um SMS, verificará a necessidade do produtor e criará a solicitação para encaminhar para a análise na sede. A assinatura do contrato do crédito pode ser feita eletronicamente, facilitando ainda mais para o produtor rural.

Assistência técnica - O “Parceiro Rural’ também visa simplificar o trabalho dos prestadores de assistência técnica, como técnicos e agrônomos parceiros. “Os técnicos, que já têm acesso à plataforma da Sicredi União PR/SP via web, no notebook, agora também podem realizar suas tarefas e acompanhar as propostas pelo aplicativo, de onde estiver”, finaliza. O técnico pode utilizar a mesma senha cadastrada no sistema. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICOOB ARENITO: Iporã ganha uma agência

sicoob arenito 24 06 2021No último dia 14, o Sicoob Arenito inaugurou uma agência em Iporã (PR). Em uma cerimônia que aconteceu de forma on-line e presencial, seguindo todos os protocolos de segurança, participaram diversas autoridades do Sicoob Central Unicoob, da cooperativa e da cidade.

Satisfação - Segundo o superintendente do Sicoob Arenito, Fábio Viar, é grande a satisfação de estar iniciando uma história na cidade. “um sonho que se realiza, pois pela recepção que tivemos tanto dos dirigentes da prefeitura, da associação comercial, quanto da comunidade, já nos faz se sentir em casa. Isso já é começar com pé direito essa jornada”, afirma.

Entusiasmo - O presidente da cooperativa, Waldir Campana, ressaltou estar impressionado com o entusiasmo de todos com a chegada do Sicoob e das demais agroindústrias que estão se instalando na cidade. "É fantástico ver essa empolgação de crescimento mesmo nos tempos atuais. Isso reforça que nosso desejo vindouro de somar forças ao município será de muitas conquistas", conta.

Comunidade - Ele disse também que a comunidade pode contar com uma agência moderna, ampla e com as melhores soluções financeiras. "O município tem muito a ganhar, pois o Sicoob Arenito tem muito a oferecer. Ressalto ainda que, a filosofia cooperativista é fantástica e que um dos princípios é desenvolver a comunidade como um todo”, relata.

Nova história - O gerente da agência, Manoel Moises, destaca, que junto a confiança do Sicoob Arenito, ele irá escrever uma nova história que terá o apoio da equipe e da comunidade. “Queremos fazer parte deste novo momento e crescimento do município de Iporã que buscam novos horizontes, novos empreendimentos, novas indústrias, visando melhor qualidade de vida e geração de empregos. Por isso, o Sicoob quer trazer os princípios do cooperativismo para andar lado a lado com toda parceria agregando nosso propósito que é conectar pessoas para promover a justiça financeira e prosperidade”, diz.

Ponto de atendimento - A agência de Iporã é o 20º ponto de atendimento da Sicoob Arenito. Em Umuarama a cooperativa possui mais cinco agências, sendo uma a agência digital. Em São Paulo, a cooperativa atua nas cidades de São Paulo, São José dos Campos, Santos, Taboão da Serra, Cotia, Embu das Artes e São Vicente. Para o próximo mês, a projeção é inaugurar um ponto de atendimento no município de Moreira Sales e até o final do ano mais quatros agências em São Paulo. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB CREDICAPITAL: Cooperativa realiza a doação de cadeiras para o Abrigo São Vicente de Paulo

sicoob credicapital 24 06 2021Cumprindo com um dos princípios do cooperativismo, que é o interesse pela comunidade, o Sicoob Credicapital realizou, no dia 22 de julho, a entrega de 13 cadeiras de escritório e 5 longarinas para o Abrigo São Vicente de Paulo, de Cascavel (PR).

Doações - A instituição, que é mantida por doações, atualmente atende 40 idosos. Algumas cadeiras serão utilizadas no abrigo e as demais, serão colocadas à venda nos bazares organizados para arrecadar fundos. Para a coordenadora do abrigo, Sônia Gomes da Silva, cada doação que a entidade recebe é muito importante e tem um grande impacto na vida dos abrigados.

Recursos financeiros - A gerente da agência do Sicoob responsável pela doação, Neuza Gentilini, conta que mensalmente, também são destinados cerca de R$ 300 para o Abrigo São Vicente de Paulo, valor que é arrecadado por meio da campanha Sipag Solidária.

Maquininha - “Temos na agência uma maquininha da Sipag utilizada para fazer os desbloqueios dos cartões de crédito e débito dos nossos cooperados. No momento desse desbloqueio, eles podem realizar a doação de qualquer valor para a instituição”, explica a gerente.

Valorização - O diretor superintende do Sicoob Credicapital, Valdir Pacini, ressalta que a cooperativa valoriza ações de solidariedade porque está em sua essência buscar o bem comum. “Faz parte de nós praticar o bem e nós temos uma obrigação muito grande com a nossa comunidade, ainda mais com o abrigo que realiza um trabalho muito importante para o nosso município”, ressalta.

Macarronada solidária- O Sicoob Credicapital também é um dos apoiadores da Macarronada Solidária que o Abrigo São Vicente fará no dia 4 de julho. Com a ajuda da cooperativa, a instituição vai comprar as embalagens que serão utilizadas na entrega dos alimentos.

Kits - Os kits estão sendo vendidos a R$ 40 e contêm frango assado, espaguete caseiro, maionese e molho. Quem se interessar pode adquirir o ticket até o dia 1º de julho pelo telefone (45) 3223-8742. No dia 4 de julho, a entrega vai acontecer das 10h30 às 13h30, no sistema drive thru, no próprio abrigo na Av. Jaime Duarte Leal, 110, bairro Maria Luiza em Cascavel (PR). (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

CRESOL UNIÃO DOS VALES: Oxímetros são doados para a apoiar a Prefeitura de Cândido de Abreu no enfrentamento à Covid-19

cresol 24 06 2021A Prefeitura de Cândido de Abreu (PR) recebeu a doação de 100 oxímetros e 15 válvulas de oxigênio da Cresol União dos Vales. A entrega foi realizada nesta quarta-feira (23/06), na agência da cooperativa no município, com a presença do prefeito Renan Menck Romanichen, recepcionado pelo presidente da cooperativa, José Paulo da Silva, e pelo gerente da agência, Adriano Humenuik.

Demandas - A cooperativa tem procurado as prefeituras municipais para conhecer e acompanhar as demandas de materiais e equipamentos da saúde pública necessários para acompanhamento e tratamento dos pacientes infectados pela Covid-19. A partir disso, a cooperativa destina recursos e entrega os materiais a prefeitura.

Próxima da comunidade - O presidente da cooperativa avalia o quão importante é a cooperativa estar próxima a comunidade em todos os momentos, principalmente em momentos de crise. "A Cresol é uma instituição financeira cooperativa que tem o diferencial de estar próximo da comunidade e cooperar todos os dias", afirma José Paulo.

Sobre a Cresol União dos Vales - A Cresol União dos Vales atua em 26 cidades da região centro-norte do Paraná por meio de 11 agência de relacionamento. Com sede em Ivaiporã, a cooperativa atende mais de 10 mil famílias com soluções financeiras de excelência para promover o desenvolvimento dos cooperados, da cooperativa e da comunidade.

Sistema Cresol - A cooperativa integra o Sistema Cresol com mais de 615 agências para atender mais de 630 mil famílias cooperadas que estão distribuídas por todo o país. A solidez e a confiança da instituição também são expressas em outros números, como mais de R$ 13 bilhões em ativos e uma carteira de crédito de quase R$ 10 bilhões, que em 2020 tiveram a distribuição de quase R$ 188 milhões em resultado. (Imprensa Cresol União dos Vales)

 

UNIMED LONDRINA: Servidores da UPA são homenageados pelos trabalhos desenvolvidos na pandemia

unimed londrina 24 06 2021A Unimed Londrina, em virtude do dia das Nações Unidas para o Servidor Público, comemorado nesta quarta-feira (23/06), promoveu na mesma data uma ação em acolhimento aos servidores da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Sabará, zona oeste de Londrina. “São profissionais em compromisso com áreas essenciais, como saúde e segurança, e que, neste momento, atuam bravamente no combate à pandemia da Covid-19”, valoriza Fabianne Piojetti, gerente de Sustentabilidade da Unimed Londrina.

Cartões - Para realizar a ação, a cooperativa distribuiu cartões para que seus colaboradores pudessem escrever uma mensagem de apoio e agradecimento aos servidores da UPA. “Foi uma forma que encontramos de reconhecê-los por todo o esforço e dedicação que estão tendo neste momento”, explica Piojetti.

Caneta e chocolate - Junto ao cartão, os quase 200 servidores da unidade também receberam da operadora de planos de saúde uma caneta personalizada e um chocolate e ainda assistiram a uma apresentação musical do enfermeiro do Pronto Atendimento da Unimed Londrina, Klayton de Souza.

Gratidão - Bem recebida pelos colaboradores da cooperativa, a ação destacou o sentimento de gratidão a esses profissionais. “Uma oportunidade de mostrar que estamos gratos pelo atendimento e cuidado neste momento de enfermidade. Quem dera que por descuido houvesse uma pandemia de consciência e empatia”, comenta a colaboradora da Unimed Londrina, Cristiane Pajeu Dantas, que participou da ação.

Empatia - Piojetti destaca que a iniciativa visou a cumprir a missão de promover, a partir de um simples gesto, a empatia entre os colaboradores da operadora com a comunidade. “Tivemos o apoio dos nossos colaboradores para que os servidores da UPA Sabará se sentissem acolhidos. Ter empatia com o próximo é um ato forte de querer ser alguém melhor, e todos só temos a ganhar com isso”, conclui. (Imprensa Unimed Londrina)

 

UNIMED APUCARANA: Reunião discute soluções para o cenário atual da Covid-19 e perspectivas futuras

unimed apucarana 24 06 2021No dia 21 de junho, a Unimed Apucarana convidou médicos, prestadores de saúde e gestores públicos para reunião com o tema “Covid-19 - Cenário atual e Perspectivas Futuras”, objetivando discutir ações diante do atual cenário da pandemia. Segundo o presidente da cooperativa, Ribamar Maroneze, “Foi um momento de compartilhar experiências, elencar problemas e discutir soluções,” declara.

Propostas - Entre as propostas discutidas pela Unimed Apucarana estão a oferta (em comodato) de três respiradores, três monitores e nove bombas de infusão de medicamentos para equipar três leitos de terapia intensiva para os prestadores hospitalares na área de atuação da cooperativa, assim como três aparelhos de pressão positiva das vias aéreas (CPAPs), que serão disponibilizados para tratamentos domiciliares de casos moderados, de acordo com prescrição médica, evitando assim a internação hospitalar.

Assistência médica - Os presentes foram unânimes em reforçar a importância da assistência médica nos primeiros sinais e sintomas da doença, do tratamento precoce e do não uso de corticoideterapia no início da doença, o que se tem visto em alguns casos de automedicação. (Imprensa Unimed Apucarana)

 

INFRAESTRUTURA: Estado e União discutem detalhes da Nova Ferroeste com o setor produtivo de Cascavel

infraestrutura 24 06 2021Cascavel, no Oeste do Paraná, recebeu nesta quarta-feira (23/06) a comitiva do governo federal que está no Estado para uma série de visitas técnicas a fim de avaliar o projeto da Nova Ferroeste. Em encontro com cooperativistas, foi abordado o desempenho da linha férrea já existente (a Ferroeste) e o impacto que a nova ferrovia terá sobre a competitividade do setor produtivo da região.

Ligação - Proposta pelo Governo do Paraná, a Nova Ferroeste ligará Maracaju, no Mato Grosso do Sul, ao Porto de Paranaguá, com grande parte do traçado cortando o Oeste. Atualmente, o projeto está em fase de elaboração dos estudos de viabilidade técnica, econômica, ambiental e jurídica.

Terceiro compromisso - Cascavel foi o terceiro compromisso da agenda da comitiva federal, que começou na terça-feira (22/06), em Paranaguá, e na quarta também em Curitiba. A equipe do Ministério da Infraestrutura e representantes do Plano Estadual Ferroviário sobrevoaram os trechos de passagem da nova estrada de ferro e visitaram a estrutura do atual terminal.

Novo traçado - “Viemos conhecer como vai ser esse novo traçado e quais são os pontos que têm interconexão com a malha já existente, quais são os problemas e as questões mais relevantes”, declarou Marcos Félix, assessor especial do Ministério da Infraestrutura.

Trecho - O grupo conheceu a Ferroeste, que já liga o trecho de Cascavel a Guarapuava, e se reuniu com dirigentes de cooperativas que transportam cargas por esta via. As cooperativas Lar, Coopavel, C.Vale e Frimesa enviam ao Porto de Paranaguá, pela Ferroste, 3 milhões de toneladas de produtos todos os anos.

Competitividade - “O que precisamos é de uma estrutura logística que dê condições de competitividade”, destacou o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli. “Não temos outra saída. Precisamos escoar pelo modal rodoviário ou ferroviário. Mas a grande carga precisa escoar por uma ferrovia”.

Hub logístico - Principal produtor de soja do Paraná, Cascavel será o hub logístico da Nova Ferroeste. A previsão, de acordo com os estudos preliminares de traçado e demanda, é que o terminal de transbordo já instalado na cidade conecte os ramais do Mato Grosso do Sul e de Foz do Iguaçu.

Nova malha - A Nova Ferroeste, como é conhecida, vai ligar o Mato Grosso do Sul e Paraná, dando origem a um dos mais importantes corredores de exportação do País. A nova malha ferroviária terá 1.285 km de extensão e a estimativa de investimentos é de em R$ 25 bilhões. Quando concluído, será o segundo maior corredor de exportação de grãos e contêineres refrigerados do país.

Estrutura eficiente- Para o Coordenador do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Henrique Fagundes, é necessária uma estrutura logística mais eficiente para diminuir os custos e aumentar a competitividade do setor produtivo. “Não adianta a gente ser eficiente somente da porteira para dentro, precisamos ser eficientes também da porteira para fora”, afirmou Fagundes.

Desestatização - O projeto inclui a desestatização da Ferroeste e a revitalização do atual trecho ferroviário, além da construção de um novo traçado entre Guarapuava e Paranaguá e de um ramal multimodal entre Cascavel e Foz do Iguaçu.

Escoamento - A implantação da nova via férrea permitirá o escoamento de grãos vindos do Paraguai e do Mato Grosso do Sul, além de proteína animal e grão do Oeste do Paraná. “Esse é um grande corredor, com grande potencial para o desenvolvimento dessas regiões”, acrescentou Marcos Félix. “Passamos a ser uma solução nacional. Sem a participação do governo federal isso seria muito mais difícil. Essa parceria está sendo muito produtiva”, completou Fagundes.

Tempo e agilidade - Pelos trilhos do Corredor Oeste de Exportação, estima-se que devam passar cerca de 38 milhões de toneladas no primeiro ano de operação da Nova Ferroeste. Com os investimentos sendo realizados no Porto de Paranaguá, o eixo potencializa a redução dos custos de exportação em 28%, refletindo na elevação da produtividade e competitividade do setor produtivo.

Caminhão - Atualmente, uma viagem de caminhão de Cascavel à Paranaguá leva em torno de uma semana. O novo projeto prevê que a viagem feita pelo modal ferroviário deve durar em torno de 20 horas.

Edital - Após finalizadas todas as fases do projeto, como os estudos de viabilidade e os estudos de impactos ambientais, será lançado o edital para encaminhar o projeto ao leilão da concessão. O Governo do Estado estima que o projeto vá para a Bolsa de Valores do Brasil (B3) no início de 2022.

Agenda - A comitiva segue com as visitas técnicas ao longo da semana. Nesta quinta-feira (24/06), será a vez de conhecerem a nova planta da Frimesa, em Assis Chateaubriand. À tarde o grupo segue para de Foz do Iguaçu, onde visita a obra da nova ponte entre o Brasil e o Paraguai. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Alessandro Vieira / AEN

 

EVENTO: A humanização e tecnologia como estratégia na Gestão de Pessoas são foco do DataTIC 2021

evento 24 06 2021Entre os principais desafios das áreas de Recursos Humanos, incluindo os mais variados setores da economia, está não somente o recrutamento de profissionais na área de tecnologia, mas a formação, retenção e o desenvolvimento desses talentos. E mesmo no próprio setor econômico de TI, este também é considerado um gargalo para o crescimento. Para se ter uma ideia, o Brasil forma anualmente cerca de 45 mil pessoas na área de Tecnologia, e simultaneamente as companhias abrem 70 mil vagas por ano, de acordo com a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação (Brasscon). Visando apoiar profissionais, empreendedores e empresas a buscar soluções para essa demanda, será realizada a segunda edição do DataTIC, evento online e gratuito que acontece entre os dias 29 de junho e 1 de julho.

Pessoas - Conforme avalia Victor Hugo Domingues, consultor do Sebrae-PR e sócio-proprietário da Realize Hub, o futuro das empresas de tecnologia, bem como da economia em geral, está nas pessoas e o evento, por sua vez, pretende debater as práticas e tendências do mercado para que o trabalho seja realizado de maneira estratégica e inovadora. “A segunda edição do DataTIC apresentará ferramentas e formas de integrá-las à estratégia empresarial por meio de tecnologia de análise de dados e, sobretudo, pelo intercâmbio de ideias entre profissionais de diferentes áreas”, explica.

Debates - Serão três dias de debates realizados nos finais de tarde, com a presença de profissionais das áreas de Tecnologia, Recursos Humanos e Inovação para debater as metodologias e oferecer aos espectadores insights e recursos relevantes para suas atuações. Além de ser direcionado para empresas e profissionais da área de Tecnologia, gestores de Recursos Humanos, o DataTIC também é voltado a profissionais de áreas como Administração, TIC, Psicologia e Marketing.

Cultura organizacional - Entre as principais metodologias que estão guiando essa gestão de pessoas está o trabalho focado na cultura organizacional, passando por conceitos como Employer Branding, Employee Experience e People Analytics, entre outros. De acordo com a presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos do Paraná (ABRH-PR), Andréa Barcellos Gauté, além das ferramentas, o ambiente atual exige reflexões na linha de como dos seres humanos vão se adaptar às mudanças, considerando a velocidade exponencial com que tudo está acontecendo, e como reter e engajar as pessoas, além de manter a saúde mental das pessoas.

Humanização - Então, junto ao cenário mais tecnológico, outro elemento fundamental para o futuro será a inclusão do conceito da humanização nos processos para uma seleção eficiente e que considere todas as pontas envolvidas. “No atual contexto do mundo BANI (Frágil, Ansioso, Não linear e Incompreensível), para que os negócios sejam bem-sucedidos e tenham crescimento sustentável, faz-se necessário ter tecnologia e pessoas caminhando juntos. Precisamos aprender a conviver nessa era digital e nesse mundo híbrido, sem perder a nossa essência e manter o respeito ao ser humano. Precisamos tornar a humanizar as relações e as organizações”, pontua Andréa.

Metodologias - Segundo Lucas Ribeiro, presidente da Assespro-PR e CEO do Roit Bank, o DataTIC 2021 será um evento voltado para a cultura organizacional e principalmente servirá para mostrar como as empresas podem implementar as mais modernas metodologias de gestão de pessoas. “Percebo que o evento vem ao encontro da nossa agenda unificada e objetivos estratégicos da entidade. Quando esses dois pilares emergem tão fortemente só nos resta apoiar. Como entidade representativa do setor, estamos sempre potencializando a geração de negócios no ecossistema digital do Paraná, incrementando a competitividade das empresas de tecnologia e inovação, além de ampliar as políticas públicas digitais para consolidar o Paraná como estado digital e disseminar o uso massivo de tecnologias digitais para a sociedade”, avalia.

Organização - O evento é organizado, em conjunto, pela Realize Hub e Sebrae PR, e conta com o apoio da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação do Paraná (Assespro-PR), Associação Brasileira de Recursos Humanos do Paraná (ABRH-PR) e Agência Curitiba. Entre os nomes confirmados para promoção do debate estão Adeildo Nascimento, Carolina Pizolati Farah, Cris Alessi, Luiz Márcio Spinosa, Renata Portela, Yoshio Kawakami, entre outros. Mais informações sobre a programação podem ser obtidas no site oficial do evento: http://assespropr.org.br/datatic/

SERVIÇO:

Data TIC 2021 - Pessoas, Negócios e Tecnologia

Data: 29/06 a 01/07

Horário: 17h às 18h30

Custo: Gratuito

Onde: YouTube

Inscrições: https://www.sympla.com.br/data-tic-2021__1213374

Site oficial: http://assespropr.org.br/datatic/

Sobre a Realize Hub - A Realize Hub é uma Startup de tecnologia, que utiliza a Inteligência Artificial para mapear o comportamento e as opiniões do mercado, bem como, também, pesquisas dentro das próprias empresas, maximizando o alcance de resultados dos seus clientes. A Realize Hub atua de forma customizada em cada projeto, de acordo com a necessidade específica do seu cliente, sendo que oferece: Consultoria e Treinamento em Inovação, Gestão Estratégica e Marketing Digital; Inteligência de Mercado, Business Analytics e Pesquisa de Mercado; Data Science (Ciência de dados) e estratégia digital. (Assessoria de Imprensa)

 

PIB: BC aumenta projeção de crescimento da economia de 3,6% para 4,6%

focus 14 06 2021O Banco Central (BC) aumentou a projeção para o crescimento da economia este ano. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – passou de 3,6% para 4,6%. A informação consta do Relatório de Inflação, publicação trimestral do BC, divulgado nesta quinta-feira (24/06) e, segundo o órgão, apesar da intensidade da segunda onda da pandemia de covid-19, os indicadores recentes da atividade econômica interna continuam mostrando evolução mais positiva do que o esperado.

Perspectivas favoráveis - “Adicionalmente, a recuperação parcial da confiança dos agentes econômicos, as medidas de preservação do emprego e da renda, o prognóstico de avanço da campanha de vacinação, os elevados preços de commodities [produtos primários com cotação internacional] e os efeitos defasados do estímulo monetário indicam perspectivas favoráveis para a economia”, diz o relatório.

Modelos matemáticos - Modelos matemáticos do BC também indicam que recentemente houve uma redução da sensibilidade da atividade econômica à intensidade da pandemia, fato que pode estar ligado à surpresa positiva com os dados da atividade no período.

Primeiro trimestre - No primeiro trimestre do ano, o PIB cresceu 1,2% em relação ao trimestre anterior, segundo o BC, retornando ao patamar do último trimestre de 2019, antes da pandemia, com resultados positivos nos três setores da economia: serviços, agropecuária e indústria.

Pandemia - “O desempenho positivo ocorreu a despeito do ambiente de recrudescimento da pandemia da covid-19 e da retirada do auxílio emergencial para pessoas em situação de vulnerabilidade, superando as expectativas que grande parte dos analistas econômicos tinha na data do último Relatório de Inflação [em março]”, explicou o BC.

Oferta de bens e serviços - No mesmo sentido, a autoridade monetária espera que os programas do governo de auxílio às empresas preservem a oferta de bens e serviços no médio prazo e que a nova rodada de auxílio emergencial e a antecipação do 13º salário de aposentados e pensionistas auxiliem a preservação do consumo das famílias, especialmente no segundo trimestre e no início do terceiro.

Incerteza - Por outro lado, segundo o Banco Central, apesar da redução significativa dos riscos para a recuperação econômica, ainda há bastante incerteza sobre o seu ritmo de crescimento. Entre os fatores que podem diminuir a taxa de expansão estão o risco de surgimento ou disseminação de novas variantes de covid-19, com novas medidas temporárias de distanciamento social, a dificuldade para obtenção de insumos e os custos elevados em algumas cadeias produtivas, além de eventuais implicações da crise hídrica, a pior que o país vive em 90 anos.

Crise hídrica - “A crise hídrica na bacia hidrográfica do Paraná pode ter implicações negativas para a geração de energia elétrica, para além do aumento de preços decorrente do maior acionamento de usinas termoelétricas”, diz o relatório.

Alta da inflação - Já a inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deve encerrar 2021 em 5,82%, no cenário com taxa de juros (Selic) em 6,25% ao ano em 2021 e 6,5% ao ano em 2022 e câmbio partindo de R$ 5,05. No relatório anterior, em março, a projeção era 5%. O BC também projeta que a inflação deve ser de 3,8% em 2022 e 3,25% em 2023.

Acima da meta - A estimativa está acima da meta de inflação para este ano que é de 3,75%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior, 5,25%. “Análise desagregada das projeções dos analistas mostra que a revisão altista da projeção abrangeu preços de alimentos, bens industriais e preços administrados, em particular gasolina e energia elétrica”, afirma o relatório do BC.

Curto prazo - “A inflação de curto prazo manteve-se pressionada, com destaque para a continuidade da alta dos preços das commodities, para a persistência do cenário de restrições de oferta de alguns materiais e insumos e para a deterioração do cenário hídrico, que tem rápida repercussão sobre o preço da energia elétrica mediante o acionamento de bandeiras tarifárias. Esses fatores mais do que compensaram os efeitos desinflacionários do recrudescimento da pandemia sobre os preços de serviços e da recente apreciação do real”, explicou.

Maio - Em maio, o IPCA fechou em 8,06% no acumulado de 12 meses. No trimestre encerrado em maio, a alta foi de 2,08%, acima do patamar compatível com a meta de inflação e acima da previsão divulgada no Relatório de Inflação anterior, de 1,75%. A taxa foi, contudo, inferior à observada no trimestre anterior, de 2,48%.

2020 - Em 2020, a inflação fechou em 4,52%, acima da meta de inflação para o ano, de 4%, mas dentro do intervalo de tolerância, de 2,50% a 5,50%.

Selic - Com a alta da inflação, o Banco Central elevou pela terceira vez consecutiva a taxa básica de juros, a Selic, de 3,5% para 4,25% ao ano. A instituição também sinalizou que deve promover nova alta na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em agosto.

Principal instrumento - Esse é o principal instrumento usado pelo Banco Central para alcançar a meta de inflação. A elevação da Selic, que serve de referência para as demais taxas de juros no país, ajuda a controlar a inflação, porque a taxa causa reflexos nos preços, já que juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança, evitando a demanda aquecida. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

ECONOMIA: Governo deve anunciar prorrogação do auxílio nesta semana, diz Guedes

economia 24 06 2021O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (23/06), durante encontro com empresários da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), que o presidente da República Jair Bolsonaro deve anunciar, em breve, a prorrogação do auxílio emergencial por mais três meses. "O presidente deve anunciar, talvez ainda nesta semana, mais três meses de auxílio [emergencial]", disse Guedes.

Trabalho - O ministro também ressaltou o trabalho do governo, em parceria com os empresários, para enfrentar a crise ocasionada pela pandemia de covid-19. Ele disse que neste momento em que a população está sendo vacinada, a recuperação econômica em V já aconteceu, com a criação de 1 milhão de empregos nos últimos quatro meses do ano passado, totalizando 140 mil empregos formais em 2020.

Recessão - "É a primeira vez que houve uma recessão com a criação de empregos formais. Neste ano já criamos 960 mil empregos. O Brasil está transformando, com sucesso, o que era uma recuperação cíclica, baseada em consumo, em retomada do crescimento sustentável, com base em investimentos que estão aumentando", disse o ministro.

BIP e BIQ - Ele lembrou que o governo federal renovou programas bem sucedidos e que planeja anunciar novos programas como o Bônus de Inclusão Produtiva, que prevê que jovens, entre 18 e 21 anos, que saem da universidade e não conseguem um emprego formal recebam do governo entre R$ 250 e R$ 300 para trabalhar em escolas técnicas ou empresas e se qualificarem. A empresa paga o mesmo valor, o chamado Bônus de Incentivo à Qualificação. A estimativa é a de que mais de 2 milhões de jovens sejam beneficiados. Guedes disse ainda que neste ano o governo pagará o valor total do programa.

Treinamento - "Isso seria um treinamento no trabalho. Não é um emprego. Vamos conversar com as redes privadas, empresas, com o Senai, Sesi, Senac para ver se eles estão dispostos. Nós damos esse valor de um lado e a empresa dá esse mesmo valor de outro lado. Ele vai receber metade de um salário mínimo para ser treinado meio expediente. Para a empresa é muito bom e para o jovem também porque ele vai ficar fora da rua, vai ser socializado, incluído produtivamente", explicou Guedes.

Congresso - O ministro destacou ainda o trabalho do Congresso Nacional, como a aprovação do marco do saneamento, da nova lei do gás, e a autonomia do Banco Central. Guedes afirmou que a Reforma Tributária está bem encaminhada e em um primeiro estágio entra na Câmara e em seguida no Senado, para tratar do chamado passaporte tributário, que é a regularização de situações anormais, permitindo o desconto para empresas que estiverem devendo os tributos.

Descontos generosos - "Nós realmente vamos aplicar descontos generosos para pequenas e médias empresas. Para os grupos maiores, vamos conversar sobre isso. Mas a ideia é tirar o Estado do cangote do povo. Nós vamos reduzir os impostos, vamos apostar na reativação da economia e em que se a arrecadação aumentar, e nós estimamos que vai, vamos imediatamente rebaixando os impostos", garantiu Guedes. (Agência Brasil)

FOTO: Edu Andrade / Ascom-ME

 

CÂMBIO: Dólar cai pela terceira sessão seguida e continua abaixo de R$ 5

cambio 24 06 2021Em um dia de volatilidade no mercado financeiro, o dólar chegou a cair para R$ 4,93, mas inverteu o movimento durante a tarde e fechou com pequena queda e praticamente estável. A bolsa de valores chegou a encostar em 130 mil pontos, mas não segurou a alta e fechou em baixa pelo segundo dia consecutivo.

Cotação - O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (23/06) vendido a R$ 4,963, com recuo de apenas 0,07%. A cotação abriu com forte queda e chegou a R$ 4,93 na mínima do dia, por volta das 13h30, mas notícias vindas dos Estados Unidos pressionaram a moeda durante a tarde. Em diversos momentos durante a sessão, a divisa atingiu R$ 4,97.

Terceira sessão - Essa foi a terceira sessão seguida de queda da moeda norte-americana. Com o recuo desta quarta, o dólar continua no menor valor desde 10 de junho do ano passado. Naquele dia, a divisa encerrou vendida a R$ 4,936.

Bolsa - O dia também foi marcado por oscilações na bolsa de valores. O índice Ibovespa, da B3, fechou a quarta-feira aos 128.428 pontos, com recuo de 0,26%. Pela manhã, o indicador chegou a subir 0,9%, mas reverteu o movimento e passou a operar em baixa por volta das 14h.

Volatilidade - O mercado financeiro global teve um dia de volatilidade após declarações de presidentes regionais do Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) de que os juros nos Estados Unidos podem subir antes do fim de 2022. Na terça-feira (22/06), o presidente do Fed, Jerome Powell, tinha dito em audiência no Congresso do país que a inflação nos Estados Unidos é temporária e que o órgão não pretendia retirar tão cedo as medidas de estímulo concedidas para impulsionar a maior economia do planeta durante a pandemia de covid-19. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO: MP que aumenta tributação de bancos é aprovada sem emendas dos senadores

legislativo 24 06 2021Ao rejeitar emendas do Senado, a Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (23/06) a Medida Provisória 1.034/2021, que aumenta a tributação de instituições financeiras, reduz incentivos tributários da indústria química e limita o valor dos veículos comprados com desconto por pessoas com deficiência. A matéria será enviada à sanção presidencial.

 

Compensação - A intenção da MP é compensar a diminuição de tributos sobre o óleo diesel e o gás de cozinha. O texto aprovado foi o do relator na Câmara, deputado Moses Rodrigues (MDB-CE), que inclui outros temas, como tributação na Zona Franca de Manaus e redistribuição do arrecadado com loterias de apostas esportivas.

 

Parecer contrário - O Plenário seguiu o parecer contrário do relator às três emendas. Uma delas tornava mais gradual a transição do aumento do PIS e da Cofins sobre a indústria química e petroquímica, no âmbito do Regime Especial da Indústria Química (Reiq).

 

Alíquota - O Senado propôs ainda alíquota de 20% da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) até 31 de dezembro de 2021, em vez de 25%, para bancos e agências de fomento estaduais.

 

Isenção - Outra emenda mantinha o benefício de isenção do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) para a compra de veículos novos por parte de pessoas com deficiência para qualquer valor de compra, mas limitava sua vigência a 31 de dezembro de 2026.

 

Tributo sobre bancos - Dessa forma, permanece o texto da Câmara que prevê o aumento da CSLL para os bancos de 15% para 25% até o final do ano (31 de dezembro de 2021), passando para 20% a partir de 2022.

 

Demais instituições - As demais instituições financeiras (como corretoras de câmbio, empresas de seguro, cooperativas de crédito, administradoras de cartão de crédito) pagarão 20% (hoje são 15%) até o final de 2021 e em 2022 voltam para os 15%.

 

Percentual - Para as demais pessoas jurídicas, a CSLL continua sendo de 9%.

 

Validade - As novas alíquotas entraram em vigor dia 2 de março, mas o aumento da CSLL passa a valer em 1º de julho.

 

Indústria química - O fim dos incentivos tributários para a indústria química e petroquímica será de quatro anos. As alíquotas atuais, de 1% de PIS e de 4,6% de Cofins continuam até junho de 2011. De julho a dezembro, ficarão em 1,13% e 5,2%, respectivamente.

 

2022 - Para 2022 as alíquotas serão de 1,26% para o PIS e de 5,8% para a Cofins, subindo, em 2023, para 1,39% e 6,4%, respectivamente. Por fim, em 2024 o PIS será de 1,52% e a Cofins de 7%.

 

2025 - A partir de 2025, elas voltam aos patamares normais de 1,65% para o PIS e de 7,6% para a Cofins. Um regulamento fixará como poderão ser compensados com outros tributos os créditos obtidos por meio do regime especial até 2024.

 

Pessoas com deficiência - Quanto aos carros novos comprados por pessoas com deficiência com redução do IPI, a MP limitava o valor do automóvel a R$ 70 mil, incluídos os tributos, mas o texto aprovado aumenta para R$ 140 mil. A restrição vale até 31 de dezembro de 2021. Outra mudança incluída pelo relator permite o uso do desconto pelas pessoas com deficiência auditiva.

 

Três anos - Além disso, daqui em diante o benefício só poderá ser usado a cada três anos, e não mais a cada dois anos, como era na Lei 8.989, de 1995. Essas regras têm vigência imediata.

 

Loterias - Um dos temas incluídos pelo relator no texto é a mudança da repartição do que for arrecadado pela loteria conhecida como “apostas esportivas”. Nesse tipo de loteria, classificada como quota fixa, o apostador tenta prever o resultado de eventos reais esportivos (placar, número de cartões, quem fará o primeiro gol, etc) em jogos de futebol, sabendo de antemão quanto poderá ganhar em caso de acerto.

 

Experiência - “A experiência da Europa mostra que é melhor adotar, como base o lucro bruto do operador, propiciando fluxos estáveis de receitas públicas e de prêmios e fazendo com que os apostadores utilizem os serviços dos operadores locais”, afirmou o relator.

 

Distribuição - Assim, em vez dos percentuais da arrecadação bruta definidos em lei, Moses Rodrigues propõe que do total arrecadado sairão primeiramente os prêmios, sem fixar montante, o valor do imposto de renda incidente (30%) e a parcela da seguridade social (0,10% para apostas em meio físico e 0,05% para aquelas em meio virtual).

 

Divisão - Atualmente, a arrecadação bruta é dividida primeiramente entre prêmios, operador da loteria, Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP), seguridade social, clubes que tiverem cedido seus símbolos para o certame e escolas que alcançaram metas de desempenho em exames nacionais,

 

Nova regra - Com a nova regra, do que sobrar da primeira repartição, 0,82% ficarão com as escolas, 2,55% para o FNSP, 1,63% para os clubes e 95% para os operadores da loteria, que deve ser licitada para exploração pelo setor privado.

 

Lavagem de dinheiro - Paralelamente, o texto especifica que estarão sujeitas a controle de movimentação financeira as sociedades que realizem exploração de loterias de qualquer tipo com pagamento de prêmios em dinheiro ou em bens imóveis.

 

Controle - Esse controle é feito pelos bancos e outras instituições financeiras, que devem enviar relatórios à Unidade de Inteligência Financeira (UIF) do Banco Central.

 

Zona Franca - O relator também fez mudanças na tributação de combustíveis e derivados na Zona Franca de Manaus (ZFM). Atualmente, a legislação considera exportação, com isenção de tributos, a venda feita por produtores localizados em outros locais do país para a ZFM.

 

Não se aplica - O texto do relator propõe que essa isenção não será aplicada no caso de venda de petróleo, lubrificantes ou combustíveis líquidos ou gasosos derivados de petróleo.

 

Sem isenção - Da mesma forma, os produtores localizados nessa zona não contarão com isenção do imposto de importação para esses produtos, seja para consumo interno ou para o processo produtivo que resulte na sua reexportação.

 

Validade - As novas regras valerão depois de 90 dias da publicação da futura lei.​ (Agência Senado)

FOTO: Waldemir Barreto / Agência Senado

 

SAÚDE I: Brasil registra 2.392 mortes e 115.228 casos em 24 horas

O Brasil chegou a 507.109 mortes por covid-19. Nas últimas 24 horas, foram 2.392 óbitos e 115.228 novos casos. No total, 18.169.881 casos foram confirmados no país. Existem 3.711 mortes em investigação por equipes de saúde, dados relativos à terça-feira (22/06). Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente. O número de pessoas recuperadas totalizou 16.483.635.

Balanço diário - Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta quarta-feira (23/06). O balanço é elaborado a partir dos dados sobre casos e mortes levantados pelas autoridades locais de saúde.

Estados - O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (123.825), Rio de Janeiro (54.662) e Minas Gerais (45.036). As unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (1.716), Acre (1.734) e Amapá (1.811).

Casos confirmados - Em relação aos casos confirmados, São Paulo também lidera, com 3,6 milhões de casos. Minas Gerais, com 1,7 milhão, e Paraná, com 1,2 milhão de casos, aparecem na sequência. O estado com menos casos de covid-19 é o Acre, com 85 mil, seguido por Roraima (109,7 mil) e Amapá (116,1 mil).

Vacinação - Até o momento, foram distribuídas a estados e municípios 123,2 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Deste total, foram aplicadas 90 milhões de doses, sendo 65,3 milhões da primeira e 24,7 milhões da segunda dose. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 24 06 2021

SAÚDE II: Sesa confirma mais 9.669 casos de Covid-19 e 119 óbitos

saude II 24 06 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quarta-feira (23/06) mais 9.669 casos e 119 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.233.846 casos confirmados e 30.098 óbitos.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (31), fevereiro (75), março (61), abril (92), maio (2.951) e junho (6.434) de 2021 e dos seguintes meses de 2020: março (1), junho (1), agosto (1), setembro (1), outubro (3), novembro (5) e dezembro (13).

Internados - O informe relata que 2.397 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 1.905 em leitos SUS (941 em UTIs e 964 em enfermarias) e 492 em leitos da rede particular (266 em UTIs e 226 em enfermarias).

Exames - Há outros 2.735 pacientes internados, 1.115 em leitos de UTI e 1.620 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 119 pacientes. São 52 mulheres e 67 homens, com idades que variam de 28 a 92 anos. Os óbitos ocorreram de 25 de dezembro de 2020 a 23 de junho de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (23), Laranjeiras do Sul (10), Paranaguá (8), Maringá (7), Ponta Grossa (7), Londrina (6), Cambé (4), Fazenda Rio Grande (4), Apucarana (3), Campo Largo (3), São José dos Pinhais (3), General Carneiro (2), Mandaguaçu (2), Siqueira Campos (2), São Mateus do Sul (2) e Toledo (2).

Uma morte - O informe registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Amaporã, Barra do Jacaré, Borrazópolis, Cianorte, Colombo, Céu Azul, Doutor Ulysses, Florestópolis, Foz do Iguaçu, Grandes Rios, Ibiporã, Iporã, Mandirituba, Mangueirinha, Marechal Cândido Rondon, Moreira Sales, Morretes, Palmas, Pato Branco, Primeiro de Maio, Rio Branco do Sul, Santa Fé, Santa Helena, Santo Antônio da Platina, Sarandi, Tapejara, Telêmaco Borba, Terra Boa, Tunas do Paraná, Ubiratã e Vera Cruz do Oeste.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 6.553 casos e 169 óbitos de residentes de fora. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o Informe completo.

 

SAÚDE III: Governo decreta luto oficial em razão das mais de 30 mil vítimas da Covid-19 no Paraná

saude III 24 06 2021O governador Carlos Massa Ratinho Junior decretou luto oficial de três dias em todo o Paraná em homenagem às mais de 30 mil vítimas de Covid-19 que faleceram no Estado. O Decreto 7.944/2021 publicado no Diário Oficial desta quarta-feira (23/06).

Total - De acordo com o mais recente boletim epidemiológico atualizado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o Estado soma 30.098 óbitos e 1.233.846 casos confirmados desde o início da pandemia, em março do ano passado. A bandeira do Paraná ficará a meio mastro no Palácio Iguaçu.

Confirmações - Somente nesta quarta foram confirmados mais 9.669 casos e 119 mortes em virtude do vírus. A Sesa esclarece, contudo, que os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

Dor - “É um momento de muita dor, tristeza e comoção. O Paraná está em luto. São mais de 30 mil vidas perdidas para a doença. Lamentamos a dor sentida por todos os familiares e amigos das vítimas. Fica a solidariedade do Governo do Estado e as mais sinceras condolências”, afirmou o governador.

Medidas - Ratinho Junior reforçou o pedido para que a população siga com as medidas de proteção e segurança, como o distanciamento social, uso de máscaras e higienização das mãos. Ele ressaltou que os municípios paranaenses estão colaborando com o processo de aceleração da vacinação contra a doença, com a adoção de medidas como a Vacinação de Domingo a Domingo.

Cuidados necessários - “Enquanto não alcançamos a imunização de toda a população, precisamos continuar tomando os cuidados necessários para reduzir a transmissão”, pontuou.

Mais vacinas - O governador lembrou também que o Paraná receberá nesta quinta-feira (24/06) mais 348.090 vacinas contra a Covid-19. Será parte do montante de 439,3 mil doses anunciado por meio da 27ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde. São 136.890 doses da Pfizer/BioNTech e 211.200 doses da CoronaVac/Butantan.

Destinação - As doses da Pfizer serão destinadas à primeira aplicação (D1) e as da CoronaVac são D1 e D2, ou seja, 95.072 esquemas completos com as duas doses, mais a reserva técnica.

Saída - Secretário de Estado da Saúde, Beto Preto disse que a saída para o fim da pandemia é através da vacinação, o que foi evidenciado em estudo pela Sesa, e que todos os esforços estão sendo feitos para aplicar as doses recebidas com a maior velocidade possível. Ele destacou o avanço da imunização da população de 18 a 59 anos em paralelo aos grupos prioritários.

Novas doses - “Nós queremos a vacina no braço dos paranaenses. Novas doses estão chegando e sendo distribuídas em todo o Estado. Contamos com os 399 municípios para aplicar todos os imunizantes disponíveis na população”, endossou.

Pandemia - Segundo a universidade norte-americana Johns Hopkins, uma das principais referências em estatísticas da pandemia, 3,88 milhões de pessoas faleceram em decorrência da Covid-19 no mundo até esta quarta-feira (23/06) e mais de 179 milhões foram infectadas pelo vírus. No Brasil, ainda de acordo com o painel, 504.707 pessoas perderam a vida em consequência do coronavírus e 18.054.653 foram contaminadas. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Gilson Abreu / AEN

 

SAÚDE IV: Vacinas da Janssen chegam ao Paraná nesta quinta-feira

saude IV 24 06 2021O Ministério da Saúde confirmou na noite desta quarta-feira (23/06) que as vacinas da Janssen, divisão farmacêutica do grupo Johnson&Johnson, também chegarão ao Paraná nesta quinta-feira (24/06). Serão 91.250 imunizantes, cuja eficácia é garantida em dose única.

Mesmo avião - Elas estarão no mesmo avião que trará as 211.200 doses da CoronaVac/Butantan. O voo AD-4830 deve chegar no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, às 13h45. Logo em seguida serão encaminhadas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar).

Pfizer - Pouco antes, às 13h20, chega o voo com 136.890 doses da Pfizer/BioNTech.

Pauta - As 439.340 novas vacinas fazem parte da 27ª pauta de distribuição do governo federal. Apenas o lote de CoronaVac/Butantan tem segundas doses. As demais serão destinadas para a continuidade da aplicação em grupos prioritários e na população em geral, conforme escalonamento de idades alcançado em cada um dos 399 municípios.

Público - O primeiro lote dos imunizantes da Janssen deve ser destinado, no Paraná, para trabalhadores do transporte coletivo rodoviário de passageiros, transporte ferroviário, transporte aquaviários e caminhoneiros.

Doação - Nesta quarta, o Ministério da Saúde informou também que os Estados Unidos doaram para o Brasil um lote de 3 milhões de doses da vacina da Janssen contra a covid-19. O carregamento será recebido na sexta-feira (25/06) pelo ministro Marcelo Queiroga e um representante da embaixada americana, no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). (Com informações da Agência de Notícias do Paraná e Agência Brasil)

FOTO: Geraldo Bubniak / AEN

 


Versão para impressão


RODAPE