Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5101 | 29 de Junho de 2021

DIA C I: Dia de Cooperar é um momento em que cooperativas mostram que também produzem amor

É no próximo sábado (03/07) o evento de celebração do Dia de Cooperar (Dia C). Realizado no Dia Internacional do Cooperativismo, data mundialmente comemorada no primeiro sábado de julho, o evento do Dia C novamente será online, em função da pandemia do novo coronavírus. Para participar, basta acessar o hotsite www.diacparana.coop.br e fazer a inscrição. Em entrevista à Rádio Paraná Cooperativo, o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, conta o que está programado para o auditório virtual e sobre a principal novidade deste ano: a Expo PRCoop, feira virtual que irá mostrar as principais ações voluntárias e solidárias das cooperativas durante a pandemia. Boesche também reforça o convite para que todos participem do Dia de Cooperar, momento em que as cooperativas mostram que também produzem muito amor. Ouça aqui

 

diac I 29 06 2021

DIA C II: Grande celebração do Dia de Cooperar promovida pelo Sistema OCB será nesta quinta

dia c ocb 29 06 2021Está chegando a hora de celebrar tudo o que as cooperativas fazem pelas suas comunidades. O Dia C, movimento de iniciativas voluntárias e transformadoras, tem nome de dia, mas acontece ao longo de todo o ano, mostrando que as atitudes simples transformam as realidades. Em 2021, a unidade nacional do Sistema OCB resolveu celebrar esse movimento mais cedo: no dia 1º de julho, iniciando o período de celebração, já que unidades estaduais e, também, cooperativas, realizam eventos para comemorar os resultados em nível regional.

Resultado - E se tem uma coisa que a gente gosta de mostrar é o resultado desse compromisso que as coops têm com as suas comunidades, materializado por meio de milhares de pessoas beneficiadas. Só neste ano, o sistema do Dia C já recebeu a inscrição de 1295 iniciativas, que beneficiaram mais de 130 mil pessoas. Ah, e vale destacar que essas ações envolvem o trabalho voluntário de quase 1,3 mil pessoas.

Comprometidas - “A gente sabe que as cooperativas estão muito comprometidas com suas comunidades e que, ao longo de todo o segundo semestre, as ações em prol das pessoas tendem a aumentar, por isso, esses números parciais são bons indicadores de que é possível alcançar o sucesso dos números do ano passado e, quem sabe, ir além, transformar mais”, avalia o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas.

Crédito - Segundo a gerente de Desenvolvimento Humano das Cooperativas, Geâne Ferreira, o ramo que está à frente em número de iniciativas registradas é o Crédito. “As coops do SNCC são responsáveis por 86,2% de todas as iniciativas registradas até agora. Mas a gente sabe que todos os ramos estão comprometidos e vão contribuir com a transformação local”, comenta Geâne.

Pandemia - Outro dado relevante, apontado pelo sistema do Dia C é que 1/3 das iniciativas já realizadas ainda se preocupam em minimizar os efeitos da pandemia, especialmente no que se refere à fome. De janeiro à meados de junho, mais de 2,6 mil cestas básicas e 4 toneladas de alimentos já foram distribuídos a quem precisa.

ODS - Com relação aos ODS, vale destacar que, dos 17 ODS, 10 estão contemplados nas iniciativas que já ocorreram. Os principais em números de ações são:

ODS 3 (Saúde e bem-estar) com 42,6%;

ODS 2 (Fome zero e agricultura sustentável), com 37,2%;

O ODS 1 (Erradicação da pobreza) já registra 7,4%.

Internacional - Aqui no Brasil, a celebração do Dia C também marca a comemoração do Dia Internacional do Cooperativismo, que ocorre sempre no primeiro sábado do mês de julho. E como as cooperativas têm sido essenciais para a superação dos desafios socioeconômicos causados globalmente pela pandemia do novo coronavírus, o tema da celebração deste ano, definido pela Aliança Cooperativa Internacional (ACI) é: Juntos reconstruímos melhor.

Celebração anual - Segundo o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, esse dia especial é celebrado desde 1923, mas foi somente em 1995, ano do centenário da ACI, que a Assembleia Geral das Nações Unidas o proclamou como o Dia Internacional do Cooperativismo e estabeleceu sua comemoração anual, sempre no primeiro sábado do mês de julho.

Objetivo - “Neste ano, o objetivo é simples: mostrar como as coops de todo o mundo estão enfrentando a crise causada pela covid-19 com solidariedade e resiliência, oferecendo às comunidades uma recuperação centrada nas pessoas e que respeita o meio ambiente”, relembra Márcio Freitas.

Oportunidade - Para os cooperativistas, o Dia Internacional do Cooperativismo é a ocasião ideal para demonstrar que o modelo de negócios – centrado nas pessoas, baseado nos valores do movimento, na responsabilidade social e no senso de comunidade – permite reduzir as desigualdades, criar prosperidade comum a todos e responder aos impactos imediatos causados pela pandemia.

Coops - E, querem saber? As cooperativas estão fazendo muito bem esse dever de casa. Para se ter uma ideia, ao redor do mundo, já há mais de 3 milhões de coops, às quais 12% da população global estão vinculadas, ou seja, uma em casa seis pessoas do planeta já é coop. Ah, e vale destacar que as cooperativas geram 10% de todos os postos formais de trabalho existentes no globo.

Brasil - Aqui, os números também são expressivos. Mais de 15,5 milhões de brasileiros encontram trabalho nas 5,3 mil cooperativas espalhadas de norte a sul do país. Além disso, essas mesmas coops empregam mais de 425 mil pessoas.

Números de 2020 - Em 2020, mais de 7,8 milhões de pessoas foram beneficiadas com as mais de 2,8 mil iniciativas e ações realizadas por 2.226 cooperativas e seus mais de 137 mil voluntários. Se considerarmos as ações focadas no combate ao coronavírus, bem como à redução dos efeitos da covid-19, o total de iniciativas realizadas no ano passado foi 2.159. Ao todo, 1.383 municípios brasileiros registraram a força do voluntariado cooperativista.

Gratidão - “Gratidão é a palavra que melhor define o nosso sentimento em relação ao compromisso das cooperativas com o país e que foi mostrado ao longo de todo o caótico 2020. O ano passado não foi fácil, mas, mesmo assim, o número de pessoas beneficiadas com as iniciativas do Dia C cresceu 197% em relação à 2019. O mesmo ocorreu com a quantidade de coops envolvidas. O percentual foi de mais de 30%, considerando o resultado de 19. E, mesmo com o distanciamento social, o número de voluntários também foi maior”, avalia a gerente de Desenvolvimento Humano das Cooperativas, Geâne Ferreira.

Ramo - O ramo com mais iniciativas realizadas foi o Crédito, com 2.025, sendo que, desse total, 1.558, ou seja, 76,4% tiveram como focos o combate ao coronavírus e a diminuição dos efeitos da covid-19.

Por ODS - A maior parte das iniciativas do Dia C, em 2020, estava relacionada ao ODS Saúde e bem-estar. Das 2,8 mil iniciativas e ações, 1.480 estavam focadas nesses dois aspectos, sendo que – desse total – 1.214 estavam ligadas à redução dos efeitos da pandemia. (OCB)

PROGRAMAÇÃO 2021

GRANDE CELEBRAÇÃO DO DIA C

Quando: 1º de julho, às 17h

Onde: no canal do Somoscoop, no Youtube

 

CRCPR: Em julho, Comissão do Profissional Contábil da Área Cooperativista traz ciclo de lives

contabilidade 29 06 2021Em julho, a Comissão do Profissional Contábil da Área Cooperativista do Conselho Regional de Contabilidade do Paraná (CRCPR) em parceria com a KPMG traz um Ciclo de Lives, transmitidas gratuitamente pela TV CRCPR. Cada live valerá um ponto no Programa de Educação Profissional Continuada do Conselho Federal de Contabilidade (PEPC-CFC) para os participantes que estiverem inscritos previamente.

Palestrante - O palestrante das lives é Clenes F. Bezerra, gerente da KPMG em São Paulo, atuante em Auditoria desde 2002, mais especificamente na área de Financial Services e Fundos de Investimento. Os moderadores representando a KPMG são Cristiano Aurélio Kruk, com 23 anos de experiência em auditoria e sócio de auditoria e líder de atendimento de Cooperativas agroindustriais da KPMG no Brasil e Josiane Lima, com 13 anos de experiência em auditoria e gerente sênior de auditoria, parte do time de atendimento de Cooperativas agroindustriais da KPMG no Brasil. Representando a Comissão do Profissional Contábil da Área Cooperativista do CRCPR, são moderadores o coordenador Claudiomiro Rodrigues, também coordenador Administrativo/Financeiro do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar); e os contadores membros da Comissão Alcir Sebastião Ribeiro, contador de cooperativa desde 2001, Nelson Beltrame, Perito judicial (Vara Cívil); e Devair Mem, mestre em Gestão de Cooperativas.

Temas - Confira abaixo as temáticas programadas e inscreva-se:

2/7 às 16h - Classificação, Mensuração, Reconhecimento Inicial e Subsequente de Instrumentos Financeiros (Patrimonial e Resultado)/ Reconhecimento e Desreconhecimento

Para inscrever-se na live de 2/7, clique aqui!

9/7 às 16h - Riscos Financeiros e Operacionais X Estratégias de Hedge.

Para inscrever-se na live de 9/7, clique aqui!

16/7 às 16h- Operações a Termo com Cooperados e Terceiros e Operações de Barter.

Para inscrever-se na live de 16/7, clique aqui!

23/7 às 16h - Hedge, Hedge Natural e Hedge Accounting

Para inscrever-se na live de 23/7, clique aqui!

A Comissão - A Comissão do Profissional Contábil da Área Cooperativista (CRCPR) foi criada em 2016 e é composta por Claudiomiro Rodrigues (coordenador) e os membros Alcemar Luiz Candiotto, Alcir Sebastião Ribeiro, Allan Lukas Jucovski, Devair Antonio Mem, José Ronkoski e Nelson Beltrame. (Assessoria de Imprensa do Conselho Regional de Contabilidade do Paraná)

 

COOPAVEL: Show Rural é uma das bases nacionais para lançamento do maior plano safra

coopavel 29 06 2021O Show Rural Coopavel, um dos três maiores eventos de disseminação de tecnologias ao campo do mundo, foi escolhido pelo Banco do Brasil como uma das bases nacionais para o lançamento do maior Plano Safra da história. A cerimônia online aconteceu na manhã desta segunda-feira (28/06), e contou com as presenças do presidente Jair Bolsonaro, dos ministros da Agricultura, Tereza Cristina, e da Economia, Paulo Guedes, e do presidente do Banco do Brasil Fausto Ribeiro. A transmissão foi acompanhada por mais de 90 mil colaboradores do BB em mais de quatro mil cidades, além de agricultores.

Recursos - O Plano Safra 2021/2022 vai liberar R$ 251 bilhões (6% a mais em que em 2020), e caberá ao Banco do Brasil emprestar R$ 135 bilhões a produtores rurais de todo o País, volume 20% maior à quantia liberada no ano anterior. O cooperado da Coopavel desde 1971, Vilson Albiero, que é correntista do Banco do Brasil há 50 anos, assinou o primeiro contrato para financiamento da safra de grãos 2021/2022 do Brasil. Além de Cascavel, as outras bases nacionais do lançamento foram Uberaba (Minas Gerais), Porto Velho (Rondônia), Campo Grande (Mato Grosso do Sul), Luiz Eduardo Magalhães (Bahia) e Ribeirão Preto (São Paulo).

Alavanca - “A agropecuária é uma das grandes alavancas da economia brasileira e terá sempre o apoio de governos realmente comprometidos com o presente e o futuro do País”, disse o presidente Bolsonaro. Esse volume de recurso, recorde do Plano Safra, comprova a importância que a agricultura e a pecuária têm para o governo brasileiro, que é comprometido com o fortalecimento da economia, com a geração de oportunidades e com a busca de qualidade de vida tanto a quem mora no campo como na cidade, citou a ministra Tereza Cristina. “A agropecuária nacional experimenta um momento especial e a tendência é de participação ainda maior no mercado mundial”.

Inspiração - Dilvo agradeceu ao governo federal e ao Banco do Brasil escolherem Cascavel e o Show Rural como uma das sedes do lançamento do Plano Safra. “Somos o berço da tecnologia do agronegócio brasileiro, e estamos no centro de uma região modelo de trabalho e produtividade”. Esse reconhecimento é uma inspiração, de acordo com Dilvo, e faz com que todos se dediquem ainda mais por resultados que levem a safras e a resultados ainda melhores. O Paraná, destacou, é o estado com a maior produção por metro quadrado do País. “Temos apenas 2,3% do território nacional, mas respondemos por mais de 20% da produção de grãos e 30% da produção de carnes”.

DNA - O presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro, disse que apoiar a agropecuária está no DNA da instituição, a maior parceira do produtor rural do País. “Somos protagonistas do crédito para o campo. Temos um compromisso com os agropecuaristas e com o Brasil, estimulando trabalho, produção e resultados”. Além de cultivos, a instituição libera recursos, a taxas e prazos especiais, para a compra de tratores, colheitadeiras, construção de armazéns e para projetos sustentáveis. São mais de 5,4 mil municípios atendidos em todo o País.

Show Rural - O superintendente estadual do Banco do Brasil, Felipe Zanella, entende que o Plano Safra, com os recursos que libera, facilita a incorporação das mais novas tecnologias no campo. “O Show Rural Coopavel é uma vitrine que mostra o melhor da inovação. Assim, crédito, tecnologia e inovação ajudam no sucesso que é marca do agro brasileiro”. Por sua vez, o superintendente Corporate do Banco do Brasil, Wilson Cardoso, cita o Show Rural como símbolo da força do agronegócio paranaense, onde estão algumas das maiores cooperativas nacionais, entre elas a Coopavel. “O Banco do Brasil é um parceiro histórico do Show Rural, referência mundial em tecnologias para a agropecuária”. (Imprensa Coopavel)

 

FRÍSIA: Startups finalistas da 2ª Digital Agro Connection são definidas

As cinco startups que irão participar da 2ª edição do Digital Agro Connection já foram definidas. Elas integravam as 51 inscritas, de várias regiões do Brasil e do exterior. As startups apresentarão no dia 15 de julho seus modelos de negócios para a banca examinadora e o público virtual do evento.

Selecionadas - As startups selecionadas são: Sensix, com o projeto “Inteligência digital em manejo de lavouras”; Agrothings, com “Telemetria de máquinas agropecuárias”; AgriPad, com “Plataforma para negociação de grãos e insumos com utilização de algoritmos inteligentes”; Ubivis, com “Sistema de indústria 4.0 que otimiza processos industriais”; e Getter Amplified Ind, com “Inteligência artificial para indústrias 4.0”.

Banca técnica - A banca técnica que irá analisar os modelos de negócios é formada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a multinacional Syngenta, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), o Instituto Eldorado, a Fundação ABC (apoiadora técnica da feira) e a SPVentures. Ao fim das apresentações, algumas das startups poderão ser selecionadas para validar suas tecnologias na Frísia.

Várias regiões - Foram 51 startups inscritas de várias regiões do Brasil e do exterior, com destaque aos Estados de São Paulo e Paraná, com 15 e 13 inscrições, respectivamente.

Outros estados - Além desses Estados, as startups eram de Santa Catarina (5), Rio Grande do Sul (4), Minas Gerais (3), Israel (3), Goiás (2), Mato Grosso (2), Singapura (1), Distrito Federal (1), Rio de Janeiro (1) e Bahia (1).

Projetos - As empresas desenvolveram projetos nas áreas agrícola, industrial, comercial, gestão de pessoas, marketing, tecnologia da informação, pecuária, logística, contabilidade e jurídica.

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial - Em 2025, a Frísia completa um século de história. A cooperativa é a mais antiga do Paraná e segunda do Brasil, e tem como valores Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA). Com unidades no Paraná e Tocantins, em 2020 produziu 283 milhões de litros de leite, 832.765 toneladas de grãos e 28.063 toneladas de suínos, resultado do trabalho de 895 cooperados e 1.119 colaboradores. Para promover o crescimento nos próximos cinco anos, a Frísia desenvolveu o planejamento estratégico “Rumo aos 100 Anos”, um conjunto de propostas que visa aumentar a produção agropecuária e os investimentos com outras cooperativas e em unidades próprias. O planejamento da Frísia foi desenhado sob seis perspectivas principais: Sustentabilidade, Gestão, Mercado, Pessoas, Financeiro e Cooperados. Assim, seguirá a missão da cooperativa, que é disponibilizar produtos e serviços para gerar resultado sustentável a cooperados, colaboradores e parceiros. Saiba mais em frisia.coop.br. (Imprensa Frísia)

AGRÁRIA: Cooperativa lança relatório sobre suas práticas sustentáveis

agraria 29 06 2021Para encerrar o mês de junho, dedicado ao Meio Ambiente, a Agrária lança a primeira edição de seu Relatório de Sustentabilidade. O documento está disponível no site da Cooperativa (agraria.com.br), e reúne uma série de práticas adotadas com o objetivo de conduzir suas atividades de forma economicamente viável, preservando os recursos naturais, promovendo comportamentos anticorrupção e colaborando para o desenvolvimento local.

Premissas - Essas premissas pautam o trabalho da Cooperativa desde sua fundação, há 70 anos. Entretanto, os sucessivos desafios impostos pelo cenário mundial, a exemplo da pandemia de Covid-19, aumentaram a relevância desses procedimentos.

Pacto Global - Em 2020, a Agrária tornou-se signatária do Pacto Global da ONU, inciativa que estimula organizações a implantarem práticas que resultem em um mundo melhor. “Sabemos que o agronegócio tem um papel fundamental na economia, por isso consideramos tão importante a criação e a manutenção de um ambiente sustentável, que garanta a perenidade dos negócios”, afirma Jorge Karl, Diretor-Presidente da Cooperativa.

Áreas - Nas áreas administrativas e industriais o foco das ações está voltado para o aperfeiçoamento de processos, visando o uso consciente de recursos naturais e financeiros. Separação e destinação correta do lixo; diminuição do consumo e reaproveitamento de água; utilização de resíduos e outras fontes renováveis para produção de energia; uso de coprodutos da indústria alimentícia em outras unidades de negócio; e monitoramento das emissões de dióxido de carbono são alguns dos mecanismos adotados. “A sustentabilidade não pode ser vista como uma demanda do mercado ou como uma meta para nosso negócio. Em uma empresa como Agrária, as práticas sustentáveis se consolidam ao próprio negócio e são o cerne do seu desenvolvimento”, avalia Cauê Cainá Mohler dos Santos, coordenador industrial da Agrária Malte.

Saúde, segurança e bem-estar - Além disso, o investimento em programas que assegurem a saúde, a segurança e o bem-estar dos colaboradores também possui relevância nos planejamentos da Cooperativa.

A sustentabilidade começa no campo - As sementes plantadas pelos cooperados servem como impulso para fortalecer o ambiente sustentável da Agrária. A Cooperativa empenha-se na implantação de inovações e novas tecnologias através dos trabalhos da Fapa (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária). A pesquisa de cultivares que proporcionem altas produtividades, por exemplo, garante o melhor aproveitamento das áreas e preservando a mata nativa. Já o emprego das técnicas corretas de manejo é essencial para a conservação do solo.

Gestão Rural - Destaque ainda para o PAGR (Programa Agrária de Gestão Rural). Em vigor desde 2017, o programa contempla metodologias de gestão voltadas para o campo, orientando os produtores sobre questões trabalhistas, ambientais e de segurança alimentar.

Níveis - O PAGR divide as fazendas em cinco níveis. A cada inclusão de um novo conjunto de procedimentos a propriedade evolui dentro da categorização do programa. “O PAGR traduz de forma simplificada a adequação da propriedade rural às normas vigentes. Podemos resumir seus aspectos positivos em ganho de tempo e eficiência no serviço”, opina o cooperado Bruno Reinhofer.

Adesão - O cooperado Igor Klein aderiu ao PAGR em 2019. Ele comenta que as adequações propostas mudaram a dinâmica de suas atividades. “O programa tornou o gerenciamento da propriedade mais fácil, menos custoso e evitando desperdícios, o que tem facilitado nossas tomadas de decisão. Hoje, não conseguimos enxergar nossa rotina sem as diretrizes do PAGR”, diz.

Comunidade - Esse cuidado com toda cadeia produtiva se reverte em benefícios para a comunidade. A Cooperativa é mantenedora do Colégio Imperatriz Dona Leopoldina, do Hospital Semmelweis e da Fundação Cultural Suábio-Brasileira, essa última referência mundial na difusão da história e das tradições dos suábios, etnia de origem germânica. “O envolvimento da Agrária com a comunidade está presente desde sua fundação. O desenvolvimento social, além de ser um dos pontos do tripé que dá origem à sustentabilidade, também é um princípio do cooperativismo. Isso explica porque ano a ano nossos cooperados mantêm os investimentos nas esferas de saúde, educação e cultura”, explica Viviane Schüssler, Gerente Agrícola e Social da Agrária.

Plataforma - Além do site da Cooperativa Agrária, o relatório também está disponível para leitura na plataforma oficial do Pacto Global da ONU (https://www.unglobalcompact.org/what-is-gc/participants). (Imprensa Agrária)

 

CAPAL: Dia C mobiliza cooperativas para realização de drive-thru solidário neste sábado em Arapoti

As cooperativas Capal, Ceral e Sicredi juntam forças em uma ação de intercooperação e promovem, no sábado (03/07), um drive-thru solidário para coleta de doações em Arapoti (PR). A iniciativa integra a programação do Dia de Cooperar, comemorado anualmente no primeiro sábado do mês de julho. Também conhecido como Dia C, o projeto tem como objetivo desenvolver ações voluntárias de responsabilidade social, colocando em prática os valores e princípios cooperativistas.

Local - O drive-thru solidário será realizado das 9h às 12h, na praça em frente à Igreja Matriz do município (Paróquia São João Batista), onde será reservado um corredor para a comunidade acessar com o veículo e depositar as doações.

Estrutura - “Será montada uma estrutura segura e tranquila, seguindo todas as medidas de proteção. Não será necessário descer do carro ou da moto, porque os voluntários estarão a postos para fazer o atendimento. Basta deixar os itens no local e seguir o sábado abençoado e com a boa sensação de ter colaborado para aquecer o inverno de muitas famílias”, comenta Alessandra Hauer, assessora de comunicação da Capal Cooperativa Agroindustrial.   

Doações - No drive-thru, serão aceitos cobertores, roupas de inverno em bom estado de conservação e alimentos não perecíveis para a montagem de cestas básicas. Toda a arrecadação será destinada para entidades de assistência social de Arapoti e região. “Para quem não conseguir fazer as doações no drive-thru, nesta semana, estamos com um ponto de coleta na loja da Capal. Toda ajuda é bem-vinda”, acrescenta Alessandra.

SERVIÇO

DIA DE COOPERAR – DRIVE-THRU SOLIDÁRIO

Realização: Capal Cooperativa Agroindustrial, Ceral e Sicredi

Data: 03/07/2021

Local: praça da Igreja Matriz de Arapoti - Paróquia São João Batista

Horário: 9h às 12h

O que pode ser doado: agasalhos, roupas de inverno, cobertores e alimentos não perecíveis.

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a Capal conta atualmente com mais de 3,3 mil associados, distribuídos em 21 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 65% das operações da cooperativa, produzindo mais de 750 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, trigo, milho e café. A área agrícola assistida ultrapassa os 153 mil hectares. O volume de leite negociado mensalmente é de 12 milhões de litros, proveniente de 320 produtores. Além disso, a cooperativa comercializa mais de 31 mil toneladas de suínos vivos. (Imprensa Capal)

{vsig}2021/noticias/06/29/capal/{/vsig}

SICOOB I: Semana do Cooperativismo será realizado com palestras e workshops gratuitos

sicoob I 29 06 2021O Sicoob iniciou, nesta segunda-feira (28/06), a realização de diversas ações especiais para a Semana do Cooperativismo. Esta é a primeira vez que a instituição realiza o evento em mais de uma data, espalhando o impacto social que cada cooperativa realiza nas comunidades em que estão inseridas. Em 3 de julho, comemora-se o Dia Internacional do Cooperativismo e o Dia C - Dia de Cooperar.

Passo importante- "O Sicoob, por intermédio do Instituto, dá um passo importante com a Semana do Cooperativismo - ela possibilitará compartilhar com a família Sicoob a importância de nossa instituição, que humaniza o relacionamento na prestação de serviços financeiros para nossos cooperados e comunidades onde atuamos", afirma Marco Aurélio Almada, diretor presidente do Sicoob.

Ações - Durante a semana, serão várias ações, como workshops e palestras on-line, além de um espetáculo teatral sobre a história do cooperativismo no mundo, tudo orquestrado pelo Instituto Sicoob. "Acreditamos que a semana levará mensagens de positividade e cooperação para todo o país", fala Luiz Edson Feltrim, superintendente do Instituto Sicoob.

Conectando vidas - De acordo com a coordenadora do Comitê de Investimentos Social Estratégico do Sicoob, Nábia Jorge, o Instituto Sicoob integra mais do que projetos. Ele conecta vidas, na esfera do cooperativismo. É uma das grandes vias para colocar em prática o propósito do Sicoob com impactos diretos e positivos nas comunidades. É o cooperativismo dinâmico e vivo".

Ações locais - Cada cooperativa singular desenvolverá ações locais, filantrópicas e educativas. Na abertura, nesta segunda (28/06) à noite, houve uma Live com Almada e Roberto Rodrigues, com moderação de Nábia Jorge, transmitida no canal do Youtube do Insituto Sicoob. Para conferir a programação na sua região, basta acessar: www.sicoob.com.br/semana-cooperativismo.

Temas - Como serão sete dias de eventos, o Sicoob organizou os temas de cada data da seguinte forma:

• O que é o cooperativismo;

• Princípios e ramos do cooperativismo;

• Cooperativas de crédito;

• Cooperativismo e o impacto social;

• Cooperativismo e a atualidade;

• Dia C - conceitos e práticas

• Intercooperação

Peça - No primeiro e no último dia, haverá a apresentação da peça Familiarizar-te: vida, cultura e cooperação, pelo Espaço Sou Arte, no canal do YouTube (https://youtu.be/fJY-J6UOaaE), às 19h. São 40 minutos de duração e a peça conta a história de uma pequena comunidade no interior do Brasil que, com inspiração em uma aldeia primitiva da África, muda sua realidade com base na solidariedade e cooperação.

SERVIÇO

Semana do Cooperativismo

De 28 de junho a 05 de julho

Programação local: https://www.sicoob.com.br/semana-cooperativismo

Espetáculo de abertura

Familiarizar-te: vida, cultura e cooperação

Transmissão via Youtube do Espaço Sou Arte (https://youtu.be/fJY-J6UOaaE)

Sobre o Sicoob - Instituição financeira cooperativa, o Sicoob tem mais de 5 milhões de cooperados e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. Oferecendo serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em mais de 300 municípios. É formado por mais de 370 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e pelo Centro Cooperativo Sicoob (CCS), composto por uma confederação e um banco cooperativo, além de processadora e bandeira de cartões, administradora de consórcios, entidade de previdência complementar, seguradora e um instituto voltado para o investimento social. Ocupa a segunda colocação entre as instituições financeiras com maior quantidade de agências no Brasil, segundo ranking do Banco Central, com 3.480 pontos de atendimento. Acesse www.sicoob.com.br para mais informações. (Imprensa Sicoob)

 

SICOOB II: Lançada parceria entre programas de benefícios com a Livelo

A Livelo, uma das principais empresas de recompensas do Brasil, e o Coopera, programa de fidelidade e marketplace do Sicoob, instituição financeira cooperativa que tem atuação em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal, lançam uma parceria inédita no segmento financeiro. A iniciativa, que começa a valer nesta terça-feira (29/06), garante que os clientes da Livelo e os participantes do Coopera possam transferir seus pontos entre os programas e aproveitar as vantagens ofertadas pelas duas instituições.

Ampliação - A novidade chega com o objetivo de ampliar o acesso a recompensas, tanto para os clientes Livelo quanto para os participantes do Coopera. Além disso, permite o aumento de capilaridade da Livelo, já que os clientes Coopera estão presentes em todas as regiões brasileiras e possuem diferentes perfis: desde o pequeno empreendedor até grandes produtores.

Mecanismo - "Essa parceria só tem a agregar na operação de ambas as instituições, pois oferece um mecanismo de fidelização do cliente, fortalece as marcas, incrementa o ticket, aumenta o fluxo entre os programas e amplia a frequência de vendas. Já para o nosso negócio, especificamente, representa a entrada do modelo de cooperativismo, que possui amplo potencial de crescimento na economia, fortalecendo ainda mais a base de parceiros e de movimentações", explica Marcelino Cruz, diretor de Relações Comerciais e Trade Marketing da Livelo.

Novas fronteiras - De acordo com Marcos Vinicius Viana Borges, diretor de Operações do Sicoob, a parceria estabelece novas fronteiras para o setor. "O foco está no participante, na ampliação do seu poder de escolha, pois ele terá um mundo de oportunidades para utilizar os seus pontos da forma que desejar", afirma. Ele avalia que, com o acordo, as instituições fortalecem a relação com o cliente e deixam claro que ele é centro das atenções.

Saldo acumulado - Ao transferir os pontos para a Livelo, os clientes poderão usar o saldo acumulado para trocar por mais de 800 mil opções de produtos e serviços, como itens para casa, eletrônicos, moda, cuidados pessoais e vouchers de delivery. Além disso, os participantes do programa de recompensas também podem usar os seus pontos na solução de cashback, por meio do "Pontos Viram Dinheiro", que permite transformar o saldo de pontos em dinheiro direto na conta.

Acesso- No Coopera, os participantes têm acessos a diversos produtos, serviços e experiências que podem ser adquiridos por meio de pontos e/ou cartão de crédito, além das opções de resgate em crédito na fatura do cartão, aportes na conta capital e na previdência privada para os Cooperados do Sicoob.

Transferência - Para transferir pontos entre os programas, o primeiro passo é estar cadastrado na Livelo e no Coopera. Depois, de forma online e por meio das plataformas de cada empresa, o cliente poderá enviar seus pontos para o programa parceiro. O valor mínimo para transferência é de 7 mil pontos, sendo o valor máximo de 100 mil pontos. Cada ponto Coopera equivale a 1 ponto Livelo. A parceria é válida tanto para clientes antigos de ambas as plataformas, como para novos clientes.

Sobre a Livelo - A Livelo é uma das principais empresas de recompensas do Brasil. Com apenas cinco anos de mercado, já possui mais de 20 milhões de clientes e dezenas de empresas parceiras em seu site para resgate de produtos com pontos ou acúmulo de pontos a partir de compras online. Tem uma agência de viagens online para resgate de passagens, hotéis, pacotes e outros com pontos ou para compras em reais, que somam mais pontos. Atua também na frente B2B, com soluções que auxiliam empresas de qualquer setor a potencializar seu negócio, seja com pontos para incentivar funcionários, fidelizar clientes ou vender mais.

Sobre o Coopera - O Coopera é o primeiro programa de fidelidade e marketplace do cooperativismo financeiro brasileiro. Aberta ao público, a plataforma é a aposta do Sicoob para fidelização e atração de novos cooperados. Em apenas cinco meses operação, o programa alcançou a marca de 2 milhões de participantes.

Sobre o Sicoob - Instituição financeira cooperativa, o Sicoob tem mais de 5,2 milhões de cooperados e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. Oferecendo serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em mais de 300 municípios. É formado por mais de 366 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e pelo Centro Cooperativo Sicoob (CCS), composto por uma confederação e um banco cooperativo, além de processadora e bandeira de cartões, administradora de consórcios, entidade de previdência complementar, seguradora e um instituto voltado para o investimento social. Ocupa a segunda colocação entre as instituições financeiras com maior quantidade de agências no Brasil, segundo ranking do Banco Central, com 3.523 pontos de atendimento. Acesse www.sicoob.com.br para mais informações. (Imprensa Sicoob)

SICREDI PARQUE DA ARAUCÁRIAS: Agência é reinaugurada em Água Doce (SC)

A Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP reinaugurou recentemente sua nova agência no município de Água Doce (SC). A nova agência possui cerca de 360 metros quadrados e está localizada na Avenida Independência, 525, centro da cidade.

Novo conceito - O espaço foi projetado de acordo com o novo conceito das agências do Sicredi, com menos divisórias e espaço amplo para favorecer a convivência e o atendimento diferenciado da cooperativa.

Estrutura - No local há recepção com TV, poltronas e mesas rotativas para o atendimento dos gestores, que contarão com o suporte de tablets para oferecer serviços e prestar informações aos associados. O objetivo é reduzir gradativamente o uso de papel, priorizando assim a sustentabilidade ambiental.

Mais - A agência também conta com espaço café, dois caixas, sala de reuniões e ambientes reservados para o trabalho administrativo.

Presenças - Estiveram presentes na reinauguração o presidente da Sicredi Parque, Clemente Renosto; o diretor executivo, Fabio Vedelago Burille, além da equipe de colaboradores e lideranças locais. O evento foi realizado em conformidade com as medidas de prevenção à Covid-19. (Imprensa Sicredi Parque das Araucárias PR/SC/SP)

{vsig}2021/noticias/06/29/sicredi_parque_araucarias/{/vsig}

UNIMED DO BRASIL: Mude1Hábito, desafio virtual tem grande adesão em todo o País

unimed brasil 29 06 2021Mais um bom exemplo de que os brasileiros têm buscado uma vida mais saudável são os resultados do Desafio Virtual Mude1Hábito, realizado pela Unimed. Apesar das limitações impostas pela pandemia, a iniciativa teve grande adesão pelo público em todo o País e disseminou o propósito de cuidado e promoção à saúde da marca. Em apenas 20 dias, as 5 mil vagas disponíveis foram esgotadas. Criado para estimular a população a incorporar práticas mais saudáveis à rotina, o desafio foi lançado em abril e fez parte das ações do Mês Unimed, iniciativa criada em celebração ao Dia Mundial da Saúde com o intuito de mobilizar o País com ações de cuidado.

Duas semanas - Ao longo de duas semanas (de 19 de abril a 2 de maio), brasileiros de Norte a Sul - 53% homens e 47% mulheres - se desafiaram a promover mudanças em uma das três categorias: alimentação (preparar refeições saudáveis, por exemplo), movimento (caminhar, subir escadas, se alongar) ou equilíbrio (meditar, brincar com o pet, entre outras atividades). Para comprovar a realização de cada atividade, os participantes tiveram de enviar uma foto três vezes por semana aos organizadores da ação.

Atividades - A maioria dos participantes inscritos (82%) escolheu se dedicar a atividades relacionadas a movimento, enquanto 11% adotaram ações de alimentação e outros 7% preferiram iniciativas de equilíbrio. Os inscritos receberam um kit contendo camiseta, máscara, álcool em gel e medalha. Durante todo o período do desafio, a Unimed reforçou em suas comunicações que as atividades fossem realizadas em ambiente seguro, dentro das normas sanitárias adequadas durante a pandemia.

Faixa etária - Aproximadamente quatro em cada 10 participantes (39% do total) tinham de 30 a 39 anos, seguidos por 28% dos inscritos na faixa de 40 a 49. A região do País que mais aderiu ao desafio foi a Centro-Oeste (37%), seguida pelo Nordeste (29%). "O Mude1Hábito demonstra o nosso comprometimento com a saúde dos nossos clientes e da sociedade. Já o sucesso do Desafio Virtual pontua que as pessoas querem participar de iniciativas com propósitos relacionados à melhoria na qualidade de vida e que estamos nos comunicando com todas as faixas etárias, em todo o Brasil. Além disso, ele expõe o bom relacionamento da Unimed com um público diverso e a força de um Sistema que está presente em 84% do território nacional", afirma o diretor de Desenvolvimento de Mercado da Unimed do Brasil, Rubens Carlos de Oliveira Junior.

Total - No total, o Desafio Virtual Mude1Hábito gerou 176 mil interações digitais e teve um alcance de mídia estimado em 3,3 milhões de pessoas.

Sobre o Mude1Hábito - Desde o lançamento, em 2017, o Mude1Hábito tem inspirado a vida de milhares de pessoas ao estimular pequenas mudanças no dia a dia, seja na alimentação, na prática de exercícios ou na busca pelo equilíbrio emocional. A adesão pela maioria das cooperativas do Sistema Unimed e o sucesso entre a população brasileira foram tão positivos que a Unimed decidiu evoluir o conceito da campanha e transformá-la em um movimento. O objetivo é ter um posicionamento nacional único para gerar ainda mais valor aos clientes, reforçar o propósito do cuidado, diferenciar a marca de suas concorrentes e aumentar o reconhecimento pela sociedade.

Desdobramento - A estratégia foi desdobrada em caminhadas e corridas de rua, eventos patrocinados pela marca com públicos relevantes, como o RD Summit, maior evento de marketing e vendas da América Latina. Com o apoio de Federações, Singulares e empresas auxiliares, continuou ganhando força e o seu alcance só aumentou: as iniciativas das cooperativas alcançaram indiretamente 17 milhões de pessoas. Em abril de 2019, foi criado o Mês Unimed, para mostrar à sociedade que a marca é referência quando o assunto é saúde, estimulando iniciativas ligadas ao movimento durante todo o mês em que se comemora o Dia Mundial da Saúde. A iniciativa une esforços para promover em todo o Brasil uma série de eventos culturais, educacionais e esportivos, aproveitando sua capilaridade e reforçando o movimento nacional Mude1Hábito.

Novo discurso - Durante a pandemia, em sintonia com o momento, o Mude1Hábito ganhou um novo discurso: "novos tempos pedem novos hábitos", com uma linguagem leve e direta para auxiliar as pessoas a extraírem e manterem o que foi aprendido nesse período. Não apenas para evitar a contaminação pela Covid-19 ou outros vírus e bactérias, mas para motivá-las a ter uma vida mais prazerosa, consciente e saudável.

Sobre a Unimed - A Unimed tem 53 anos de atuação no mercado de saúde suplementar. A marca nasceu com a fundação da Unimed Santos (SP), em 1967, e hoje é composta por 343 cooperativas de saúde, com assistência para 18 milhões de beneficiários em todo o País. A Unimed conta com mais de 117 mil médicos cooperados, 145 hospitais próprios e mais de 2.400 hospitais credenciados, além de pronto-atendimentos, laboratórios e ambulâncias para garantir a qualidade da assistência médica, hospitalar e de diagnóstico complementar prestada aos beneficiários das cooperativas. Sua marca é ratificada pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) como de alto renome por seu grande nível de conhecimento pelo público, autoridade incontestável e fama que ultrapassa os limites do segmento de saúde. (Imprensa Unimed do Brasil)

 

IPEA I: Mercado de trabalho segue deteriorado, mas há perspectiva de recuperação em 2021

ipea I 29 06 2021A análise do desempenho recente do mercado de trabalho e perspectivas para 2021 foram apresentadas, nesta segunda-feira (28/06), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Apesar da melhora da atividade econômica acima do esperado e do crescimento da população ocupada, o mercado de trabalho segue afetado pela pandemia de Covid-19, com alta no desemprego, subocupação e desalento. De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), em março, a taxa de desocupação ficou em 15,1%, ou seja, 2,3 pontos percentuais acima do registrado no mesmo período de 2020.

Deteriorado - O crescimento do número de desalentados corrobora a constatação de que o mercado de trabalho segue deteriorado. Nos últimos 12 meses, o contingente de pessoas com idade de trabalhar que estava fora da força de trabalho por conta do desalento saltou de 4,8 milhões para quase 6,0 milhões, o que representa uma alta de 25%. Ainda, segundo o estudo, o aumento do desemprego se deve a uma queda mais abrupta no fluxo de saída do desemprego que no fluxo de entrada, indicando que os trabalhadores estão passando mais tempo na desocupação.

Informal - A recuperação da ocupação vem ocorrendo de maneira mais intensa nos segmentos informais do mercado de trabalho, ou seja, entre os empregados sem carteira e os trabalhadores por conta própria. O contingente de trabalhadores sem carteira e por conta própria registraram recuos menos expressivos no primeiro trimestre de 2021 (retrações de 12,1% e 1,3%) do que no trimestre móvel encerrado em agosto de 2020 (recuos de 25,8% e 11,6%).

Gênero - A análise mostra que, no primeiro trimestre de 2021, na comparação com o mesmo período de 2020, a taxa de desocupação segue maior para o sexo feminino (17,9%) do que para o sexo masculino (12,2%). Os mais jovens seguem como os mais prejudicados, com taxa de desocupação de 31,0%; enquanto o desemprego dos mais idosos é menor (5,7%).

Escolaridade - Os trabalhadores com ensino médio incompleto e completo foram os mais impactos pela pandemia no que se refere às taxas de desocupação, que avançaram de 20,4% e 14,4% para 24,4% e 17,2%, entre 2020 e 2021, respectivamente. Em contrapartida, os trabalhadores que registram a menor taxa de desemprego, no período, foram os que possuem ensino superior (10,4%).

Regiões - No recorte regional, a alta do desemprego é generalizada. Com exceção de Roraima e Amapá, todas as demais unidades da federação registraram aumento da desocupação este ano. As maiores taxas de desocupação foram registradas em Pernambuco (21,3%), Bahia (21,3%), Sergipe (20,9%), Alagoas (20%) e Rio de Janeiro (19,4%).

Setorial - Na análise do emprego setorial, todos os segmentos apresentaram taxa de variação interanuais negativas para o primeiro trimestre de 2021, com exceção das categorias ‘Agricultura’ e ‘Saúde e Educação’, que tiveram alta de 4,0% e 0,7%, respectivamente, neste período. O setor de serviços segue com a queda mais intensa, particularmente nas categorias ‘Alojamento e Alimentação’ (26,1%), ‘Serviços Pessoais’ (18,5%) e ‘Serviços Domésticos’ (17,3%). Em contrapartida alguns setores estão reduzindo suas taxas de retração da ocupação, como os setores da indústria de transformação, construção, comércio, transporte, bem como dos serviços de informação, comunicação e atividades financeiras e imobiliárias.

Base - A análise tem como base o cruzamento de diversos dados da Pnad Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) da Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia.

Panorama mais favorável - Os pesquisadores do Ipea identificaram um panorama mais favorável para o emprego formal retratado pelo Novo Caged do que pela Pnad Contínua. Uma das diferenças mais contrastantes está na ‘Construção Civil’, que apresentou expansão de 12,5% para os vínculos com carteira no Novo Caged e uma retração de 7,3% de acordo com a Pnad Contínua. Além das significativas diferenças metodológicas entre as duas fontes de dados, os pesquisadores mencionam que parte dessas diferenças podem ser atribuídas às mudanças nas entrevistas da Pnad, que passaram a ser feitas por telefone e não mais por visitas aos domicílios.

2021 - O cenário é favorável para 2021, de acordo com a economista Maria Andreia Lameiras, uma das autoras do estudo. "Para os próximos meses, a expectativa é que o movimento de recomposição da força de trabalho se intensifique. O avanço da vacinação combinado à retomada mais forte da atividade econômica deve ampliar a geração de empregos", examinou. Contudo, a especialista considerou que a expansão da ocupação não será suficientemente forte para reduzir a taxa de desemprego no período devido ao esperado aumento da força de trabalho (com mais pessoas procurando emprego). (Assessoria de Imprensa do Ipea)

Acesse a íntegra da nota

 

IPEA II: Webinar internacional debate política bilateral entre Brasil e Rússia

ipea II 29 06 2021O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) realiza, na sexta-feira (02/07), às 10h, webinar internacional para debater a agenda de política econômica bilateral entre Brasil e Rússia. O debate contará com a participação de representantes dos ministérios de Relações Exteriores do Brasil e da Rússia, do Ministério da Economia brasileiro, além de especialistas em comércio exterior e em cooperação econômica internacional.

Aberto - O evento será aberto ao público mediante inscrição e também será transmitido no canal do YouTube do Ipea. Para solicitar entrevistas ou informações adicionais basta enviar e-mail para ascom@ipea.gov.br e pelos telefones (21) 9-8556-3093 e (21) 98616-6301.

Link - As inscrições podem ser feitas diretamente neste link: https://bit.ly/3hbbH4B

FOTO: Tayeb Mezahdia / Pixabay

 

IBGE: Inflação na indústria desacelera para 1% em maio com queda do dólar

ibge 29 06 2021Os preços da indústria subiram 1% na passagem de abril para maio, resultado menor que a alta registrada de março para abril (2,19%), representando uma desaceleração da inflação de preços industriais. É também a menor variação de preços no ano de 2021. O acumulado no ano atingiu 17,58% enquanto o acumulado nos últimos 12 meses foi de 35,86%. Os dados são do Índice de Preços ao Produtor (IPP), divulgado nesta terça-feira (29/06) pelo IBGE.

Positiva - A taxa de maio é a 22ª positiva consecutiva na comparação mensal. A pesquisa mede a variação dos preços de produtos na “porta da fábrica”, sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação. Dessas, 16 tiveram variações positivas em maio. A maior influência no índice veio de alimentos, que representou 0,35 ponto percentual do total, seguido por metalurgia (0,25 p.p.), refino de petróleo e produtos de álcool (0,18 p.p.) e produtos de metal (0,09 p.p.).

Dólar - Um dos motivos da desaceleração, segundo o gerente do IPP, Manuel Souza Neto, foi a desvalorização do dólar no mês de maio. O real valorizou em cima do dólar em 4,9%, o que para o especialista é um percentual considerável para um único mês. “Com isso, uma série de produtos cotados em dólar caíram de preço”, explica.

Alimentos - A alta nos alimentos em maio foi de 1,48%. Assim, o setor registra variação acumulada de 8,96% no ano e de 30,54% em 12 meses. Os preços na atividade em maio de 2021 foram 30,54% maiores do que os de maio de 2020. Souza Neto afirma que o resultado em alimentos tem influência dos preços praticados no mercado externo e da estiagem que ocorreu no Brasil, que afetou a produção do leite. Alimentos também têm o principal impacto no índice anual (7,57 pontos percentuais em 35,86%).

Metalurgia - Outra alta preponderante em maio foi na metalurgia (3,54%), a maior variação entre todas as atividades no mês. A alta acumulada pelo setor no ano é de 31,85% e 49,89% nos últimos 12 meses. Ambas são as maiores variações acumuladas da atividade em toda a série histórica, iniciada em 2014. “Impacto do preço dos insumos, em especial, do minério de ferro”, justifica o gerente da pesquisa.

Atividades - Fecham as quatro atividades que mais influenciaram o resultado do mês refino de petróleo e produtos de álcool (1,80%) e produtos de metal (3,12%).

Grandes categorias - Em relação às grandes categorias econômicas, o IPP registrou uma queda em maio: de 0,36% em bens de capital. Já bens intermediários teve alta de 0,88%, enquanto bens de consumo subiu 1,48%, sendo que 1,13% em bens de consumo duráveis e 1,54% em bens de consumo semiduráveis e não duráveis.

Mais sobre a pesquisa - O IPP, cujo âmbito são as indústrias extrativas e de transformação, tem como principal objetivo mensurar a mudança média dos preços de venda recebidos pelos produtores domésticos de bens e serviços, bem como sua evolução ao longo do tempo, sinalizando as tendências inflacionárias de curto prazo no país. Constitui, assim, um indicador essencial para o acompanhamento macroeconômico e, por conseguinte, um valioso instrumento analítico para tomadores de decisão, públicos ou privados.

Empresas - O IPP investiga, em pouco mais de 2.100 empresas, os preços recebidos pelo produtor, isentos de impostos, tarifas e fretes e definidos segundo as práticas comerciais mais usuais. Coletam-se cerca de 6 mil preços mensalmente. Adotando a Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE 2.0, o IPP gera indicadores para 24 atividades das indústrias extrativas e de transformação, além de reorganizar os mesmos dados em grandes categorias econômicas, abertas em bens de capital, bens intermediários e bens de consumo (duráveis e semiduráveis e não duráveis). (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: José Fernando Ogura / AEN-PR

 

ibge tabela 29 06 2021

 

CÂMBIO: Dólar abre semana em queda e fecha o dia vendido a R$ 4,92

cambio 29 06 2021Num dia de oscilações no mercado financeiro, o dólar teve pequena queda e a bolsa encerrou com pequena alta. Apesar de os investidores analisarem o impacto da proposta de reforma tributária, apresentada na sexta-feira (25/06), o dia favorável no mercado internacional contribuiu para consolidar os ganhos da bolsa e o recuo da moeda norte-americana.

Cotação - O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (28/06) vendido a R$ 4,928, com queda de 0,19%. A cotação iniciou o dia em alta, chegando a R$ 4,97 pouco após a abertura das negociações, mas recuou durante a tarde até encerrar próxima da mínima do dia.

Queda acumulada - A divisa acumula queda de 5,68% em junho. No ano, o recuo é um pouco menor: 5,03%.

Ações - No mercado de ações, o dia foi de ganhos, após um início tenso. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 127.419, com alta de 0,17%. O indicador começou a sessão em alta, passou a cair ainda durante a manhã e operou com valorização perto do fim das negociações.

Reforma tributária - Na sexta-feira (25/06), o Ibovespa caiu 1,74% e o dólar subiu 0,67% após o anúncio da segunda fase da reforma tributária. Na avaliação dos investidores a tributação de dividendos e a mudança na alíquota de diversas aplicações, privilegiando os investimentos de curto prazo, podem reduzir o investimento no mercado financeiro.

Recorde - Em contrapartida, o recorde em dois índices do mercado norte-americano, o Nasdaq (das empresas de tecnologia) e o S&P 500 (das empresas industriais), e a queda nos rendimentos dos títulos públicos nos Estados Unidos impulsionaram o mercado financeiro. A queda nas taxas dos títulos do Tesouro norte-americano favorece países emergentes, como o Brasil. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

RECEITA ESTADUAL: Empresas paranaenses têm até dia 30 de junho para solicitar parcelamento do ICMS-ST

receita estadual 29 06 2021Empresas paranaenses podem solicitar o parcelamento excepcional do ICMS devido a título de substituição tributária declarado em GIA-ST – Guia Nacional de Informação e Apuração de Substituição Tributária, cujos fatos geradores tenham ocorrido até abril deste ano. A medida vale para empresas inscritas ou não em dívida ativa, e o benefício pode ser requerido até o dia 30 de junho, devendo a primeira parcela ser paga no dia seguinte à concessão.

Auxílio - Essa foi mais uma das medidas anunciadas pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e divulgada pela Secretaria da Fazenda e Receita Estadual, durante o mês de abril, para auxiliar as empresas neste momento de baixa na atividade econômica devido à pandemia.

Adesão - A adesão ao benefício está disponível no portal Receita/PR, dentro do menu “Parcelamento ICMS – Parcelamento ICMS ST – Decreto nº 7.255/2021”, mediante uso de chave e senha do contribuinte sócio. A adesão é feita exclusivamente e integralmente no portal Receita/PR, sendo desnecessário comparecer às agências da Receita Estadual para formalização.

Parcelamento - O ICMS devido por substituição tributária ao Paraná, por caracterizar-se como um recolhimento antecipado na cadeia produtiva e ser cobrado dos contribuintes substituídos no momento da venda da mercadoria pelos substitutos, não possui autorização para parcelamento – ao contrário do ICMS próprio, que possui legislação ordinária para tal.

Extraordinário - Agora, em decorrência desta legislação, o parcelamento extraordinário poderá ser realizado em até seis parcelas, mensais, iguais e sucessivas. Não há qualquer dispensa de multa e juros. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: José Fernando Ogura / Arquivo AEN

 

PECUÁRIA: Prazo para atualizar o rebanho termina nesta quarta-feira

O prazo para o cadastramento de rebanhos por pecuaristas paranaenses termina nesta quarta-feira (30/06). Com poucos dias para cumprir o trâmite, 65% dos rebanhos do Paraná foram cadastrados, segundo dados da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), divulgados na última sexta-feira (25/06).

GTA - Quem descumprir o cronograma fica impedido de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA), o que na prática impede a movimentação dos animais e inviabiliza a atividade do produtor. Além disso, há a possibilidade de aplicação de multas.

Caminhos - Para ficar em dia com as obrigações, há dois caminhos possíveis: presencialmente ou pelo site (confira abaixo). No caso do presencial, dezenas de sindicatos rurais do Paraná estão habilitadas a auxiliar os pecuaristas (para conferir a lista de entidades habilitadas para fazer o cadastro, clique aqui).

Procedimento - Vale lembrar que o procedimento precisa ser feito para animais de todas as espécies criadas com algum fim comercial, como bovinos, bufalinos, cabras, ovelhas, suínos, cavalos, jumentos, mulas, galinhas, peixes, caixas de abelhas, entre outros.

Rastreabilidade e sanidade - O cadastro de rebanhos serve para garantir a rastreabilidade e a sanidade do rebanho paranaense. A exigência do cadastro foi implantada em 2019, como parte das ações que substituem a vacinação obrigatória de bovinos e bufalinos contra febre aftosa. A Instrução Normativa 47 daquele ano, da Adapar, previu a suspensão da vacina para esses dois grupos de animais, que acontecia em duas fases anualmente.

Substituição - Com a retirada da vacina, a Adapar substituiu a comprovação da vacinação pela campanha de atualização de rebanhos, para assegurar o controle sanitário no Estado. Por isso, o procedimento é obrigatório e fundamental, ainda mais neste momento em que o Paraná foi reconhecido como área livre de febre aftosa sem vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), no fim de maio.

Serviço - A atualização do rebanho pode ser feita no site www.produtor.adapar.pr.gov.br/comprovacaorebanho. Também é possível fazer o procedimento pessoalmente em uma unidade local da Adapar, em um escritório de atendimento municipal autorizado ou em um sindicato rural autorizado. (Assessoria de Imprensa do Sistema Faep)

METEOROLOGIA: IDR-Paraná e Simepar emitem aviso de “Alerta Geada” para a região cafeeira

meteorologia 29 06 2021O IDR-Paraná (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná - Iapar-Emater) e o Simepar (Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná) alertam que há previsão de geadas na madrugada de terça (29/06), quarta (30/06) e quinta-feira (01/07) em toda a região cafeeira paranaense.

Plantios novos - A recomendação para os plantios novos de café, com até seis meses de campo, é enterrar as mudas. Viveiros devem ser protegidos com várias camadas de cobertura plástica ou aquecimento, com a opção de adotar as duas práticas simultaneamente.

Retirada - Nos dois casos – lavouras novas e viveiros –, a proteção deve ser retirada logo que a massa de ar frio se afastar e cessar o risco imediato de geada.

Seis meses e dois anos - Nas lavouras com idade entre seis meses e dois anos, a recomendação aos produtores é amontoar terra no tronco das plantas até o primeiro par de folhas. Essa proteção deve ser mantida até meados setembro, e depois retirada com as mãos.

Serviço - Oferecido de maio a setembro, o Alerta Geada tem o objetivo de auxiliar os produtores a adotarem técnicas para proteção de cafezais. O serviço é destinado prioritariamente à proteção de lavouras com até dois anos de implantação.

Condições meteorológicas - Durante o período de operação do sistema, os pesquisadores acompanham as condições meteorológicas na região cafeeira do Estado e publicam diariamente um boletim informativo.

Pré-alerta - Além do boletim diário, se houver aproximação de massas de ar frio com potencial de causar danos às lavouras de café, é emitido, e amplamente divulgado, um pré-alerta com 48 horas de antecedência. Caso as condições para formação de geadas persistam, um novo aviso, de ratificação, é expedido em até 24 horas antes da previsão de ocorrência do evento.

Avisos - O boletim diário e os alertas de geada podem acompanhados no aplicativo IAPAR Clima, disponível gratuitamente na App Store e no Google Play e no site do IDR-Paraná e do Simepar.

WhatsApp - Também é possível receber os avisos pelo WhatsApp. Basta salvar nos contatos o número (43) 3376-2248 e enviar a mensagem "quero receber o Alerta Geada". (Agência de Notícias do Paraná)

 

SAÚDE I: Brasil tem 618 mortes e 27.804 casos nas últimas 24 horas

O Brasil chegou a 514.092 mortes por covid-19. Nas últimas 24 horas, foram 618 óbitos e 27.804 novos casos. No total, 18.448.402 casos foram confirmados no país. Existem 3.640 mortes em investigação por equipes de saúde, dados relativos a domingo (27/06). Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente. O número de pessoas recuperadas totalizou 16.673.329.

Balanço diário - Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta segunda-feira (28/06). O balanço é elaborado a partir dos dados sobre casos e mortes levantados pelas autoridades locais de saúde.

Registros - Em geral, os registros de casos e mortes são menores nos feriados, aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação dos dados pelas secretarias de Saúde aos fins de semana. Já às terças-feiras, os totais tendem a ser maiores pelo acúmulo das informações de fim de semana que são enviadas ao ministério.

Estados - O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (126.112), Rio de Janeiro (55.195) e Minas Gerais (45.924). As unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (1.731), Acre (1.736) e Amapá (1.832).

Casos confirmados - Em relação aos casos confirmados, São Paulo também lidera, com 3,7 milhões de casos. Minas Gerais, com 1,7 milhão, e Paraná, com 1,2 milhão de casos, aparecem na sequência. O estado com menos casos de covid-19 é o Acre, com 85,4 mil, seguido por Roraima (111,8 mil) e Amapá (116,8 mil).

Vacinação - Até o momento, foram distribuídas a estados e municípios 129,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Desse total, foram aplicadas 96,9 milhões de doses, sendo 71,2 milhões da primeira dose e 25,6 milhões da segunda dose. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 29 06 2021

SAÚDE II: Secretaria da Saúde confirma mais 4.950 novos casos e 6 óbitos pela Covid-19

saude II 29 06 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (28/06) mais 4.950 casos confirmados e 6 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.267.322 casos confirmados e 30.280 óbitos.

Meses - Os casos divulgados nesta segunda-feira são de janeiro (27), fevereiro (162), março (89), abril (72), maio (1.964), junho (2.601), e dos seguintes meses de 2020: março (2), abril (1), junho (1), setembro (3), outubro (5) novembro (5) e dezembro (18).

Internados - O informe relata que 2.309 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 1.866 em leitos SUS (951 em UTI e 915 em enfermaria) e 443 em leitos da rede particular (235 em UTI e 208 em enfermaria).

Exames - Há outros 2.554 pacientes internados, 1.052 em leitos UTI e 1.502 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão na rede pública e rede particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 6 pacientes. São 3 mulheres e 3 homens, com idades que variam de 45 a 80 anos. Os óbitos ocorreram de 12 de maio a 26 de junho de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Ponta Grossa (2). A Secretaria da Saúde registra, ainda, a morte de uma pessoa em cada um dos seguintes municípios: Corbélia, Curitiba, Céu Azul e Paiçandu.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 6.695 casos de residentes de fora do Estado, sendo que 171 pessoas foram a óbito. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo

 

SAÚDE III: 5,5 milhões de vacinas contra a Covid-19 já foram aplicadas em paranaenses

saude III 29 06 2021O Paraná ultrapassou nesta segunda-feira (28/06) a marca dos 5,5 milhões de vacinas aplicadas contra Covid-19. No total, foram 5.501.608 doses, sendo 4.179.365 primeiras doses (D1) e 1.322.243 segundas doses (D2), além de 5.182 doses únicas da Janssen, que imunizam com apenas uma aplicação.

Percentuais - As D1 representam 76% das doses aplicadas; as D2, 23,9%; e as doses únicas, que começaram a ser aplicadas na sexta-feira (25/06), 0,1%.

Velocidade - O marco é reflexo da velocidade na vacinação que o Estado apresentou ao longo das últimas semanas. Junho já é o mês com maior número de vacinas aplicadas desde o início da campanha de imunização, mesmo antes de chegar ao último dia. Até o dia 27, foram administradas 1.569.627 doses, contra 1.468.471 em abril, melhor período até então.

Avanço - Neste mês, o Paraná foi um dos estados que mais avançou na quantidade de pessoas vacinadas com a primeira dose. Também é com maior efetividade entre os dez que mais aplicaram (relação entre doses distribuídas e aplicadas), segundo o Ministério da Saúde, com 88%.

Meta - “Estamos contentes por ver a vacinação no Paraná atingir uma maior velocidade nos últimos dias e atingir mais um importante marco. Com doses disponíveis, podemos chegar a 200 mil paranaenses vacinados em um único dia. Nossa meta é chegar a 80% da população adulta do Estado vacinada com a primeira dose em agosto, e estamos nos encaminhando para bater mais essa meta”, afirmou Beto Preto, secretário estadual de Saúde.

Dados - Os dados são do Vacinômetro mantido pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que atualiza em tempo real os dados fornecidos pelos municípios através da Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS).

Perfil - Em números absolutos, a cidade que mais aplicou imunizantes no Estado foi Curitiba, com 984.339 doses. A Capital é seguida por Maringá (307.059 doses), Londrina (295.683 doses), Cascavel (172.677 doses) e São José dos Pinhais (133.058 doses).

Mais utilizada - Já entre as vacinas aplicadas, a mais utilizada foi a Covishield, da parceria AstraZeneca/Oxford/Fiocruz, com 48,7% do total de doses utilizadas. Na sequência, está a Coronavac, do Instituto Butantan/Sinovac, com 42,7%; a Cominarty, da Pfizer/BioNTech, com 8,5%; e a Janssen, com 0,1%.

Grupos prioritários - Já entre os grupos prioritários, os que mais receberam doses (em números absolutos) foram as pessoas de 60 a 64 anos, com 1.466.044 doses aplicadas. Elas são seguidas pelo grupo dos trabalhadores da saúde (716.763 doses), pessoas de 65 a 69 anos (657.570 doses), de 70 a 74 anos (596.333 doses) e comorbidades (539.538 doses).

Doses únicas - As vacinas da Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, chegaram ao Paraná na última semana e já estão sendo aplicadas pelos municípios. Cascavel, Paranaguá, Apucarana, Astorga, Pato Branco, Mandaguari e Cafelândia foram os municípios que mais aplicaram doses da nova vacina.

Contemplados - Os grupos prioritários contemplados pelo imunizante até o momento são os caminhoneiros (4.130 doses), pessoas de 60 a 64 anos (1.676 doses), trabalhadores do transporte coletivo rodoviário (464 doses), trabalhadores do transporte ferroviária (156) e pessoas em situação de rua (63).

Orientação - Segundo o diretor-geral da pasta, Nestor Werner Junior, a orientação na escolha do público de trabalhadores do transporte e pessoas em situação de rua se dá pela facilitação na logística da aplicação. “Estamos colocando essas doses à disposição de grupos que podem ter dificuldade com a segunda dose por conta de localização, o que deve auxiliar o processo de vacinação, otimizando as vacinas que o Estado tem recebido”, afirmou.

Pauta de distribuição - As 91.250 doses da Janssen recebidas pelo Estado integram a 27ª pauta de distribuição do Ministério da Saúde, que contém um total de 439.340 doses. Além das vacinas da Janssen, o lote somou mais 211.200 doses da CoronaVac/Butantan e 136.890 da Pfizer/BioNTech. As doses foram enviadas aos municípios na última sexta-feira (25/06).

Marcas relevantes - Confira as marcas relevantes desse período:

18 janeiro a 28 de março – 1 milhão de doses aplicadas – 70 dias

28 de março a 21 de abril – 2 milhões – 24 dias

21 de abril a 11 de maio – 3 milhões – 21 dias

11 de maio a 8 de junho – 4 milhões – 29 dias

8 de junho a 20 de junho – 5 milhões – 13 dias

20 de junho a 28 de junho – 5,5 milhões – 9 dias

(Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Américo Antonio / Sesa

 


Versão para impressão


RODAPE