Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5112 | 14 de Julho de 2021

FÓRUM DOS PRESIDENTES: Inscrições para o evento devem ser feitas até o dia 19 de julho

Em praticamente uma semana, o Sistema Ocepar promove o Fórum Virtual dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses. Será no dia 22 de julho, a partir das 14h, pela plataforma Microsoft Teams. O evento é destinado a dirigentes, gestores, executivos, colaboradores e cooperados das cooperativas do Estado. As inscrições devem ser efetivadas até a próxima segunda-feira (19/07), pelo endereço eletrônico: https://bit.ly/3hhyygf. O link de acesso será enviado por e-mail. Mais informações com Neuza Oliveira (41 99151-2148 / secretaria@sistemaocepar.coop.br).

Autoridades - A abertura terá as presenças da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, do governador do Estado, Ratinho Junior, e do presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas.

PRC200 - Na sequência, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, apresenta os projetos estruturantes que serão implementados por meio do Plano Paraná Cooperativo 200 (PRC200), o novo ciclo do planejamento estratégico do cooperativismo paranaense. Os principais resultados projetados no PRC200 são: R$ 200 bilhões de faturamento, investimentos de R$ 5 bilhões por ano, quatro milhões de cooperados, 200 mil empregados e resultados (ou sobras, como se diz no cooperativismo) de R$ 10 bilhões. Num cenário realista, esses objetivos podem ser alcançados entre 2025 e 2026.

BNDES - O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, fará uma explanação sobre os programas de investimentos disponíveis para as cooperativas.

Palestras - A programação do Fórum Virtual dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses contempla a apresentação de duas palestras, uma delas com o professor da USP e FGV, Marcos Fava Neves, com o tema “Planejamento estratégico como diferencial competitivo”. Já a professora da FIA, Patrícia Peck, discorrerá sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Jubileu de Ouro - Também haverá um momento de celebração do Jubileu de Ouro da Ocepar. A entidade completou 50 anos no dia 2 de abril e serão prestada uma homenagem aos ex-presidentes Guntolf van Kaick, Benjamin Hammerschmidt, Wilson Thiesen, Ignácio Aloísio Donel, Dick Carlos de Geus e João Paulo Koslovski. O evento encerra com o lançamento do livro alusivo ao cinquentenário da Ocepar, intitulado “Paraná Cooperativo, modelo econômico e social”.

 

forum presidentes folder 06 07 2021

COOPERLÍDER JOVEM: O Cooper Game, um desafio sobre o cooperativismo, será uma das atrações do encontro

cooper lider jovem 14 07 2021O conhecimento dos jovens cooperativistas do Paraná sobre o cooperativismo será testado na 29ª edição do Encontro Estadual da Juventude Cooperativista, que ocorrerá no dia 29 de julho, em formato on-line. No evento, antes denominado Jovemcoop e que agora passa a se chamar CooperLíder Jovem, será realizado o Cooper Game.

Desafio - “É a nossa primeira edição 100% virtual do evento. E, como é um mundo diferente, totalmente remoto, nós preparamos um desafio para essa meninada. Nós vamos ter um jogo on-line, chamado Cooper Game, que vai desafiar os participantes em relação aos conhecimentos sobre o cooperativismo. Haverá enigmas. O que eu posso dizer é que ele foi testado nos bastidores, o pessoal se divertiu bastante, e eu acho que a meninada vai gostar”, afirmou a analista do Sescoop/PR, Eliane Lourenço Goulart Festa, ao jornalista Alexandre Salvador, em entrevista para a rádio Paraná Cooperativo.

Incentivo - “A gente sempre buscar incentivar a juventude a conhecer um pouco mais sobre a sua cooperativa e a essência do cooperativismo. Então, se essa moçada souber um pouquinho do básico, vai mandar bem no game. São essas dicas que eu posso dar. E, quem topar o desafio e passar pelo game, vai ter uma atração surpresa no final, que eu tenho certeza de que os participantes vão gostar muito”, acrescenta Eliane.

Hotsite - O CooperLíder Jovem inicia a partir das 18h30 e os participantes poderão acessar o evento pelo hotsite, no endereço eletrônico www.cooperliderjovem.coop.br. A programação será transmitida pelo canal TV Paraná Cooperativo. A anfitriã desta edição é a Cooperativa Cocamar.

Núcleo Jovem - O evento é destinado a jovens cooperados, filhos e filhas de cooperados. No Paraná, são várias as cooperativas que realizam o trabalho de formação deste público, por meio dos Núcleos Jovens, como a Agrária, Bom Jesus, C.Vale, Camisc, Capal, Castrolanda, Coagru, Coamo, Coasul, Cocamar, Cocari, Codepa, Coopavel, Coopertradição, Copacol, Copagril, Coprossel, Frisia, Integrada, Lar, Nova Produtiva, Primato, Sicoob, Sicredi e Cresol.

Clique aqui e confira na íntegra o áudio da rádio PR Cooperativo sobre o evento

 

CONSÓRCIO INTERNACIONAL: Vem aí a maior rede de educação cooperativista do mundo

Uma dais maiores redes de educação cooperativista está prestes a ser relançada. É o Consórcio Internacional para Educação Corporativa de Cooperativas. O evento está marcado para o próximo dia 20/07, às 10h. O objetivo do consórcio é criar uma rede internacional de cooperação entre as universidades que possuem escolas de negócios com foco em cooperativismo.

Países - Ao todo, 25 países fazem parte da iniciativa, dentre eles o Brasil, representado pela OCB. A iniciativa também conta com a participação da Escoop (Rio Grande do Sul), iCoop (Mato Grosso) e Fundação Unimed (Minas Gerais).

Inciativa - Vale destacar que essa é uma iniciativa da Universidade de Santa Maria, do Canadá, que possui um dos centros de educação corporativa voltada para o modelo de negócios cooperativistas mais desenvolvidos do mundo. O consórcio já conta com 33 universidades espalhadas por 25 países, entre elas: universidades como Oxford (Inglaterra), MIT Lab, Universidade de Missouri e do Wisconsin (EUA), Sorbonne BSA (França), Universidade de Trento e de Bolonha (Itália), Universidade de Mondragon (Espanha) e a ADG (Alemanha).

Capacitações conjuntas - Por meio dessa rede, pretende-se oferecer capacitações conjuntas, bolsas de estudo, intercâmbio entre alunos e professores e apoio para desenvolvimento conjunto de consultorias especializadas, artigos científicos, estudos de mercado e coleta e tratamento de dados de impacto no negócio de cooperativas.

Bons frutos - O presidente do Sistema OCB/MT, Onofre Cesário, que representa o Brasil no Conselho da Aliança Cooperativa Internacional (ACI) é um entusiasta da iniciativa. “Dando mais esse passo na direção de uma cooperação em nível mundial, teremos a oportunidade de fortalecer as cooperativas e de colher bons frutos no futuro”, avalia a liderança, responsável por conduzir os contatos com os parceiros canadenses e por acertar os detalhes do apoio da OCB à iniciativa.

Saiba mais - O Consórcio Internacional para Educação Corporativa de Cooperativas foi inicialmente lançado em 2013 e cresceu para incluir mais de 30 organizações de mais de 24 países nos anos que se seguiram. Ele tem estado inativo nos últimos anos, mas, com interesse renovado, o Centro Internacional para Gestão Cooperativa (ICCM, Saint Mary's University, Canadá – com o apoio do Sistema OCB (Brasil), coordena os esforços para o relançamento. (OCB)

VACINA: OCB e Frencoop defendem inclusão dos colaboradores das cooperativas de crédito como prioritários

vacina 14 07 2021O presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas e o presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), deputado federal e vice-líder do governo na Câmara, Evair de Melo, enviaram ofício ao Ministério da Saúde, pedindo para que sejam incluídos no Programa Nacional de Imunização (PNI) os colaboradores das cooperativas de crédito.

Bancários - No ofício enviado ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a OCB destaca que “tendo em vista o momento que estamos passando no processo de imunização da população e a sinalização de que os bancários poderão integrar o público prioritário no Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde, entendemos ser de suma importância que a forma como venha prevista essa categoria não gere qualquer assimetria de tratamento para pessoas que exercem função similar em entidades com diferente modelo societário”.

Cooperativas de crédito - “Entendemos que a eventual utilização do termo bancários para caracterizar esse grupo poderá gerar uma limitação ao alcance daquelas pessoas que trabalham em instituições financeiras e tenham a mesma exposição ao vírus. Devemos também ter vista o risco de algum gestor público, por uma mera interpretação restritiva, abarcar apenas os bancários deixando de fora os nossos 71.740 colaboradores de cooperativas de crédito”.

Inclusão - O ofício da OCB frisa que “é muito importante que os nossos profissionais estejam abarcados, para fins tratamento na priorização das categorias a serem imunizadas, no conceito de profissionais de instituições financeiras ou na inclusão expressa de colaboradores de cooperativas de crédito. Evitando, assim, qualquer discrepância de tratamento entre tais categorias”, frisou.

Frencoop - No seu ofício, Evair também reforçou esta mesma necessidade de que sejam incluídos no público prioritário do Programa Nacional de Imunização (PNI) junto com os bancários, a categoria de cooperativas de crédito que exercem a função similar. “Entendemos que a eventual utilização do termo bancários para caracterizar esse grupo poderá gerar uma limitação ao alcance das pessoas que trabalham em instituições financeiras e tenham a mesma exposição ao vírus. Devemos também ter em vista o risco de algum gestor público, por uma mera interpretação restritiva, abarcar apenas os bancários, deixando de fora os nossos 71.740 colaboradores de cooperativas de crédito”, declarou o presidente da Frencoop, Evair de Melo.

 

FRÍSIA: Autoridades definem Digital Agro como a maior feira de inovação do Brasil

frisia 14 07 2021A relevância da Digital Agro, que pela primeira vez acontece de forma virtual, foi destacada pelas autoridades públicas presentes no lançamento oficial do evento. A inovação foi apontada pelos participantes do primeiro dia como fundamental para o Brasil continuar garantindo a alta produtividade com sustentabilidade.

Tecnologia - Com a jornalista Kellen Severo como mestre de cerimônia, o anfitrião Renato Greidanus, presidente da Frísia Cooperativa Agroindustrial, organizadora do evento, destacou a importância da implementação tecnológica no campo. “Através das ações de hoje, entregamos uma agropecuária para as gerações futuras, com tecnologia, conhecimento e digitalização. Dessa forma, seremos mais sustentáveis, com respeito ao meio ambiente. A Digital Agro coloca essa tecnologia à disposição de todos os produtores do Brasil”.

Agregação de valor - Como representante do ministro Marcos Pontes, o secretário de Empreendedorismo e Inovação no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Paulo Alvim, disse que as transformações digitais agregam valor as outras áreas, dando maior sustentabilidade à produção brasileira, e reforçou que a Digital Agro é uma oportunidade de troca e de ganhos para o agro nacional.

Mais de US$ 800 bi - Governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Júnior afirmou que o Estado é exemplo para o mundo em desenvolvimento sustentável, com a relação entre o agro e a ecologia. Segundo ele, isso se deve ao empenho ambiental, com o Paraná plantando 3 milhões de árvores nativas em 2020 ao passo que conquistou o reconhecimento de ser livre de febre aftosa sem vacinação. Além disso, é o segundo maior produtor de carne suína no Brasil e o maior produtor de peixe. Nesse sentido, o governador elogiou a Digital Agro como um ambiente inovador e que reforça o protagonismo brasileiro na produção de alimentos.

Riquezas - Norberto Ortigara, secretário de Agricultura e Abastecimento do Paraná, reforçou que nos últimos dez anos o agronegócio trouxe ao Brasil US$ 806 bilhões em riquezas. Esse patamar, lembra ele, só foi conquistado devido aos altos resultados que o Brasil conquista pela inovação e o desenvolvimento tecnológico, produzindo mais alimentos com menos recursos.

OCB - Em seguida, se pronunciaram os representantes cooperativistas. Marcio Freitas, presidente do Sistema Organização das Cooperativas do Brasil (OCB), defendeu que a sustentabilidade ambiental, econômica, social e a sucessão são a base para o desenvolvimento produtivo, e destacou a importância da inclusão dos jovens e das mulheres nos negócios e nas cooperativas.

Ocepar - O presidente da Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), José Ricken, afirmou que o Paraná tem um cooperativismo desenvolvido e que pode ir além, mas isso é um desafio, principalmente pela verticalização para atender os mercados interno e externo. Entretanto, atender essa transformação rápida exige inovação.

Sistema - Leandro Moura, presidente da Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar), lembrou que a companhia desenvolveu um sistema de trânsito de animais no Paraná e também defendeu a inovação com a base para um agro forte e pujante. Já o gerente técnico de pesquisa da Fundação ABC, Luis Henrique Penckowski, destacou que a implementação tecnológica no campo só acontece com o desenvolvimento humano, com as pessoas implementando as tecnologias.

Palestra - A noite de segunda-feira (12/07) foi concluída com a palestra “Economia, Inovação e o Futuro do Agronegócio”, ministrada pelo economista Ricardo Amorim, que defendeu a “cultura da inovação” no campo.

SERVIÇO

Digital Agro Virtual 2021

Quando: até 15 de julho

Horário (Brasília): 9h30 às 12h/ 15h às 17h30/ 19h às 20h

Local: www.evento.digitalagro.com.br

Entrada: R$ 150 (inteira) / R$ 75 (meia)

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial - Em 2025, a Frísia completa um século de história. A cooperativa é a mais antiga do Paraná e segunda do Brasil, e tem como valores Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA). Com unidades no Paraná e Tocantins, em 2020 produziu 283 milhões de litros de leite, 832.765 toneladas de grãos e 28.063 toneladas de suínos, resultado do trabalho de 895 cooperados e 1.119 colaboradores. Para promover o crescimento nos próximos cinco anos, a Frísia desenvolveu o planejamento estratégico “Rumo aos 100 Anos”, um conjunto de propostas que visa aumentar a produção agropecuária e os investimentos com outras cooperativas e em unidades próprias. O planejamento da Frísia foi desenhado sob seis perspectivas principais: Sustentabilidade, Gestão, Mercado, Pessoas, Financeiro e Cooperados. Assim, seguirá a missão da cooperativa, que é disponibilizar produtos e serviços para gerar resultado sustentável a cooperados, colaboradores e parceiros. Saiba mais em frisia.coop.br. (Imprensa Frísia)

 

COOPAVEL: Monitoramento digital com drone é a nova revolução da agropecuária

A versão digital do Show Rural Coopavel acaba de completar um ano. Em julho do ano passado eram exibidos os primeiros capítulos que levam o melhor da informação técnica, com novidades sobre as mais diferentes culturas, nos canais de Youtube, Facebook e portal do evento. A repercussão é tão boa que a partir de agora a versão digital produzirá conteúdos o ano inteiro. Uma equipe multidisciplinar especialmente contratada, acompanhada por técnicos experientes, capta entrevistas, imagens, faz a edição e inserção dos conteúdos.

Capítulos mais recentes - Os capítulos mais recentes, já pertencentes à segunda edição do Show Rural Coopavel Edição de Inverno, estão no ar e abordam alternativas ao milho para rações, monitoramento digital de lavouras, tratamento de sementes e combate à cigarrinha no milho. “Todos eles trazem informações importantes e com riqueza de detalhes. Vale muito a pena assistir e colocar essas orientações em prática”, diz o coordenador geral do evento, Rogério Rizzardi. “Nosso objetivo, e estamos conseguindo cumprir isso, é postar um novo episódio por semana”, informa a gerente Adriana Gomes.

Drones - Um dos episódios com maior repercussão da nova temporada trata do monitoramento agropecuário com o uso de drones e de softwares especialmente desenvolvidos. Marcos Ferronato, da Netword Agro, startup de tecnologia para o agronegócio, é quem dá os detalhes da novidade que ele considera uma revolução para o campo, tão ou mais importante do que foi a introdução do plantio direto nas lavouras comerciais a partir da década de 1970.

Identificação - O monitoramento digital de solos e lavouras identifica pragas, doenças e plantas daninhas por imagens. Tudo começa a partir do planejamento, com cadastro do plano de voo em um software especialmente desenvolvimento que controla o drone de asa fixa escalado para a tarefa. O equipamento percorre a área pré-definida semanalmente. Em cada trajeto são colhidas imagens que abastecem uma plataforma que faz o processamento das fotos e então gera mapas de incidência dos agentes causadores de danos.

Leituras - Atualmente, as leituras são feitas em áreas com cultivos de soja, milho, feijão, trigo, algodão e cana. O modelo matemático empregado, segundo Marcos, é baseado na fisiologia da planta, de como ela reage ao ataque de doenças e pragas. “Temos a capacidade de ser preditivos, de identificar agentes causadores de danos antes que esses ocorram”. Um software reconhece padrões desses agentes, então geram-se mapas de incidência e grau de severidade de infestação”. Um técnico faz o receituário e as informações geram uma programação específica, que faz com que o pulverizador só realize a aplicação nos pontos realmente recomendados. A margem de erro é inferior a 5% e, com a otimização, a economia gerada chega a 40%.

Manejo integrado - Marcos Ferronato explica que para que o uso desse recurso seja efetivo é necessário que o produtor troque o manejo de calendário pelo integrado, mudança que gera certo tempo para ocorrer. “O que estamos fazendo aqui é importante e já começa a trazer grandes repercussões. Temos em mãos uma verdadeira revolução, tão ou mais importante que a introdução da técnica do plantio direto que substituiu a agricultura convencional”, afirma o CEO da Netword Agro.

Pecuária - O agrônomo da Coopavel, Rodrigo Berger da Silva, dá mais detalhes sobre o uso de drones, principalmente na pecuária. Esse monitoramento nas lavouras ajuda inclusive a determinar o estande das plantas e alguns drones adaptados até auxiliam na pulverização. Recentemente e em parceria com a FAG, profissionais ligados à cooperativa participaram de um treinamento detalhado sobre a correta utilização de drones na agropecuária.

Monitoramento de pastagens - Rodrigo informa que o equipamento pode ser empregado no monitoramento de pastagens, verificando a presença de plantas daninhas e também na contagem de animais. Há duas vantagens do drone sobre a captura de imagens por satélite: a qualidade das imagens devido à altura de voo e a periodicidade de coleta de imagens. O satélite só capta um determinado ponto quando passa por ele e perde-se a imagem caso o dia estiver chuvoso ou nublado. Um dos pontos que devem ser melhorados na tecnologia dos drones é o tempo de autonomia de voo, conforme o agrônomo.

Versão digital - Assista a versão digital nos seguintes endereços: youtube.com/showruralagrowww.showrural.com.br. (Imprensa Coopavel)

{vsig}2021/noticias/07/14/coopavel/{/vsig}

COCAMAR: Os drive-in estão de volta nas unidades da cooperativa

Os antigos cinemas ao ar livre, com a denominação importada de Drive-in, em que os espectadores estacionavam seus carros em pátios ou estacionamentos e assistiam aos filmes sem sair dos veículos, estão de volta.

Alternativa - A novidade é que eles estão ressurgindo não em grandes cidades, como se poderia imaginar. E sim, como alternativa para que, em tempos de pandemia, empresas do agronegócio levem suas mensagens diretamente ao público-alvo, os produtores rurais, sem qualquer risco.

Experiência - Uma das primeiras experiências nessa nova fase dos Drive-in, no Paraná, aconteceu na noite desta terça-feira (13/07) no interior da unidade da Cocamar em São Sebastião da Amoreira, norte do estado.

Evento - Numa jogada de marketing, realizada em parceria com a unidade da Cocamar, a multinacional Corteva organizou o evento que reuniu dezenas de cooperados, produtores de grãos, especialmente convidados, inclusive de cidades vizinhas. Acompanhados das esposas e filhos, e utilizando máscaras, todos permaneceram em seus veículos, não havendo contato social.

Repercussão - “Os cooperados gostaram muito”, conta a gerente trainee, Andressa Saboia. Segundo ela, uma forma inovadora de levar informação, entretenimento e, ao mesmo tempo, divulgar a linha de soluções da empresa, comercializada pela cooperativa.

Emocionante - “Foi emocionante, depois de muito tempo, ver mais de uma centena de cooperados e familiares retornando para um evento na Cocamar, parecia que estávamos vivendo um sonho”, conta Claudinei Donizete Marcondes, gerente das unidades de São Sebastião da Amoreira e Nova Fátima. Foram observados todos os cuidados, segundo ele, de acordo com o protocolo de segurança da cooperativa

Saudades - O cooperado Johny Nakashima, membro do Conselho de Administração, comentou que os cooperados estavam com saudades das realizações presenciais da cooperativa “e todos ficamos empolgados”.

Aplausos - Ao final, em vez dos aplausos, o que se viu foram muitas buzinas e pisca-piscas ligados. E todos receberam lembranças entregues pela Cocamar, retornando para suas casas satisfeitos com a experiência que, com certeza, ficará por muito tempo na memória.

Mais - Corteva e Cocamar vão repetir a dose na quinta-feira em Maringá, na Unidade Guerra, e dia 2 de agosto em Nova Fátima. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2021/noticias/07/14/cocamar_I/{/vsig}

 

SICREDI: Instituição financeira cooperativa terá cinco painelistas na Conferência do Woccu 2021

sicredi 14 07 2021O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 5 milhões de associados, participará de mais uma edição da Conferência Mundial do Woccu (Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito, na tradução da sigla em inglês), maior encontro do segmento no mundo. Neste ano, por conta da pandemia, o evento será realizado virtualmente entre os dias 14 e 21 de julho e vai reunir representantes de cooperativas de crédito de mais de 50 países para discutirem iniciativas que possam melhorar a vida das pessoas.

Principais agendas - O Sicredi estará nas principais agendas da Conferência representado por colaboradores e associados. Merecem destaque as discussões a respeito da relação dos jovens com o movimento cooperativista, por meio de painel com a Fundação Sicredi; além dos 40 projetos desenvolvidos por associados e colaboradores do Sicredi inscritos no World Council Young Credit Union People (WYCUP), programa que reconhece jovens lideranças por contribuições significativas às suas comunidades e cooperativas de crédito e que têm potencial de causar impacto global.

Orgulho - “A Conferência é o momento em que nos reunimos para conhecer, debater e trocar boas ideias e estratégias locais que venham a impactar positivamente a comunidade global. A nossa intensa participação é motivo de orgulho, nos oportuniza contribuir com nossas vivências, além de aprendermos com as práticas de diferentes países”, afirma o presidente da Central Sicredi PR/SP/RJ e conselheiro do Woccu, Manfred Alfonso Dasenbrock.

Painel - Dasenbrock participará do painel “Captação de Recursos Globais: o que o futuro reserva”, em 15/7. A conversa reunirá líderes globais para falar sobre ações de responsabilidade social desenvolvidas pelas cooperativas de crédito e como os princípios cooperativistas foram diferenciais importantes para ajudar as comunidades local e globalmente contra a Covid-19.

Empoderamento das mulheres - Já em 19/07, a participação de Gisele Gomes, embaixadora do Programa Rede Global de Mulheres Líderes – GWLN/WOCCU e associada do Sicredi, acontecerá no painel “Ela para Ela - Eleve as mulheres ao seu redor”, abordando o empoderamento econômico de mulheres, desafios e obstáculos no mercado de trabalho, bem como as melhores práticas internacionais de lideranças femininas no cooperativismo de crédito.

Fundação Sicredi - A Fundação Sicredi marca presença, com a participação da Carla Katsurayama, especialista de Desenvolvimento do Cooperativismo, em uma sessão que visa discutir a relação entre jovens e as cooperativas de crédito. Na agenda, Katsurayama abordará o trabalho com os Comitês Jovem, um programa que estimula o engajamento de lideranças jovens ao movimento cooperativista.

Relevância - “Queremos fomentar o debate sobre como podemos nos mostrar cada vez mais relevantes para esse público, fazendo com que percebam os diferenciais do nosso modelo e tornem-se protagonistas do desenvolvimento sustentável em suas comunidades por meio do cooperativismo”, explica o superintendente da Fundação Sicredi, Romeo Balzan.

Jovem - O jovem no cooperativismo de crédito também será tema de palestra no dia 21/7, na qual Vinícius Mattia, associado do Sicredi, membro do Comitê Jovem da cooperativa Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP e vencedor da WYCUP 2020, apresentará o projeto premiado no ano passado. Na mesma data, encerrando a participação do Sicredi na Conferência, a colaboradora Camila Viana, especialista Digital do Sicredi, fará parte de uma palestra sobre transformação digital no cooperativismo. Na agenda, Camila compartilhará a experiência da instituição no cenário cada vez mais moderno e dinâmico, com destaque para mudanças culturais e de processos internos, além da criação de novas soluções com foco em uma boa e completa experiência digital para os associados do Sistema.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

UNIPRIME: Evento digital para cooperados é realizado com Mauricio Benvenutti

uniprime 14 07 2021O sócio da StartSe (plataforma de conhecimento em negócios) e ex-sócio da XP, Mauricio Benvenutti, foi o palestrante especial da Uniprime para o evento digital “a sua carreira pede mais”, que atraiu cerca de 700 conexões entre cooperados, parceiros, colaboradores, amigos e familiares para falar sobre protagonismo, autenticidade e futuro profissional.

Novidades digitais - O encontro aconteceu na segunda-feira (12/07), em um formato 100% on-line, e o empreendedor e autor dos livros “Incansáveis”, “Audaz” e do recém-lançado e recorde de vendas “Desobedeça”, falou sobre a importância de estar minimamente atento às novidades digitais, mas que as relações humanas devem ser o foco quando falamos sobre inovação, sempre pautadas na busca por aprendizados e na valorização da diversidade. Além da palestra, Mauricio aproveitou para responder às perguntas da audiência.

Resultado - “Esta é a primeira vez que a cooperativa realiza um evento ao vivo desta dimensão e estamos muito satisfeitos com o resultado. A interatividade foi muito positiva”, afirma Alvaro Jabur, presidente da Uniprime.

Uniprime - Durante o evento, Mauricio Benvenutti destacou a participação da Uniprime em um dos capítulos do livro “Desobedeça”. “Como uma das cooperativas de crédito mais respeitadas do país, sabemos do nosso papel como agentes de transformação. Por isso, fazer parte de um projeto que fala sobre protagonismo e futuro vai totalmente ao encontro do nosso propósito de melhorar a vida financeira das pessoas”, afirma o presidente da Uniprime.

Conteúdo - O conteúdo está disponível na íntegra em: youtu.be/PQiZsUGdV0s.

Realização - O evento foi uma realização da Uniprime, com o apoio de: Unimed Apucarana, Unimed Campo Mourão, Unimed Cianorte, Unimed Jacarezinho, Unimed Londrina, Unimed Maringá, Unimed Ponta Grossa, Unimed Paranaguá, Unimed Paranavaí, Unimed Umuarama, Associação Médica de Londrina, Uniodonto, Unimed Limeira, Unimed Rio Claro, Associação Paulista de Medicina-Regional Piracicaba, Unimed Jundiaí, Sociedade Médica de Maringá e Sistema Ocepar. (Imprensa Uniprime)

 

SICOOB: Nova rodada do Pronampe deve movimentar R$ 1,6 bilhão

sicoob 14 07 2021Assim como ocorreu no ano passado, o Sicoob está apto a operar a nova rodada do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Desta vez, o limite para a oferta de crédito na instituição financeira cooperativa é de R$ 1,6 bilhão. A linha já está disponível desde a última sexta-feira (09/07).

Liberação - De acordo com Francisco Reposse Junior, diretor comercial e de canais do Sicoob, nas duas primeiras rodadas de Pronampe, o Sicoob liberou mais de R$ 2,6 bilhões em crédito para aproximadamente 51,3 mil empresas interessadas nos montantes disponibilizados. "Cerca de 11% dos cooperados que estavam elegíveis ao Pronampe foram atendidos. A expectativa, agora, é liberar integralmente o valor alocado nesta nova fase e estar presente nas demais rodadas que o Governo vier a liberar", explica.

Ampliação da oferta - A ideia do Sicoob é ampliar a oferta aos cooperados que ainda não foram atendidos. "Há de se levar em consideração que os cooperados do Sicoob, em sua maioria, são pessoas que estão nos interiores do Brasil, em locais remotos, e que foram bastante afetadas pela pandemia do coronavírus", diz o executivo.

Condições gerais de contratação - O público-alvo do Pronampe é formado por empresas com faturamento de até R$ 4,8 milhões em 2020, com base na Receita Federal. Para este público, são 48 meses para pagar - incluindo-se a carência de 11 meses.

Encargos - Os encargos são compostos por Taxa Selic + até 6% a.a. O valor máximo de contratação é de até 30% do faturamento anual informado pela Receita Federal, limitado a R$ 150 mil por CNPJ. Vale lembrar que, para este limite, é considerado o valor contratado em 2020, em qualquer instituição participante.

Sobre o Sicoob - Instituição financeira cooperativa, o Sicoob tem mais de 5 milhões de cooperados e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. Oferecendo serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras, o Sicoob é a única instituição financeira presente em mais de 300 municípios. É formado por mais de 370 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e pelo Centro Cooperativo Sicoob (CCS), composto por uma confederação e um banco cooperativo, além de processadora e bandeira de cartões, administradora de consórcios, entidade de previdência complementar, seguradora e um instituto voltado para o investimento social. Ocupa a segunda colocação entre as instituições financeiras com maior quantidade de agências no Brasil, segundo ranking do Banco Central, com 3.480 pontos de atendimento. Acesse https://www.sicoob.com.br para mais informações. (Imprensa Sicoob)

 

CREDICOAMO: "Junto com você, sempre!" é o novo slogan da cooperativa

Todo crescimento deve ser comemorado e representar melhoria no atendimento para a satisfação dos associados - donos, usuários e clientes da Credicoamo. Desta maneira, com foco no crescimento planejado, estruturado e alcançando bons resultados, estão sendo escritos os 32 anos da cooperativa de crédito. Ao longo de sua existência, a Credicoamo sempre se fez presente com seus associados – uma premissa alicerçada em suas diretrizes corporativas, com missão, visão e valores bem definidos e de conhecimento dos associados, funcionários, parceiros e prestadores de serviços.

Governança corporativa - Com a implantação da governança corporativa em 2020, a cooperativa reforça a sua missão e a busca para ser o domicílio financeiro dos seus associados com atendimento pleno de suas necessidades. Com base nessa diretriz, nasce o novo slogan da Credicoamo: “Junto com você, sempre!”. Este slogan será visualizado nos canais digitais e divulgação da cooperativa, e consolida os propósitos da Credicoamo e ao mesmo tempo, desafia a estar cada vez mais presente para fomentar o bem-estar da família dos associados e da sociedade.  

Desafios - “Com responsabilidade, transparência, segurança, boas práticas de gestão, capitalização constante e a busca da qualidade em tudo que fazemos, a Credicoamo se fará presente ainda mais na realização dos sonhos e desafios dos seus associados, visando agregar renda às atividades com soluções financeiras sustentáveis”, garante Alcir José Goldoni, presidente Executivo da Credicoamo.

Objetivos - Para o presidente do Conselho de Administração da Credicoamo, José Aroldo Gallassini, o novo slogan vem ao encontro dos objetivos da cooperativa de crédito, fruto do sonho e da visão de dezenas de produtores em 1989. “Desde o início, a Credicoamo vem se modernizando e crescendo tanto nos volumes de serviços e produtos, como no número de associados. E o nosso objetivo é um só, atender os associados em suas necessidades plenas, por meio de linhas exclusivas e uma assistência financeira para fomento da produção e da qualidade de vida do quadro social”, explica Gallassini. (Imprensa Credicoamo)

{vsig}2021/noticias/07/14/credicoamo/{/vsig}

UNIMED LONDRINA: Cooperativa inicia grupo para quem deseja abandonar o consumo excessivo de álcool

unimed londrina 12 07 2021A dependência do álcool é considerada pela Organização Mundial de Saúde como uma doença e, de acordo com a mesma instituição, o excesso de álcool é a causa de 5% de todas as doenças. Com o objetivo de contribuir com a saúde dos clientes que consomem álcool em excesso, a Unimed Londrina está iniciando um serviço com foco neste público. Trata-se do Grupo de Cessação de Alcoolismo, que tem como objetivo oferecer acompanhamento para pessoas que tenham o desejo de interromper este hábito, com ajuda do acompanhamento psicológico.

Formato - Esse atendimento seguirá um formato parecido com os grupos de cessação do tabagismo, que vêm apresentando bons resultados para quem decide abandonar o cigarro. “Por isso, para participar é importante que o paciente queira e decida parar de beber, não basta que esse seja um desejo apenas dos familiares”, explica o analista administrativo da Unimed Saúde, Rodrigo Gomes da Silva.

Uma vez por semana - Os trabalhos do Grupo são realizados uma vez por semana, durante encontros presenciais dos participantes com o acompanhamento de duas psicólogas. O primeiro grupo terá encontros todas as segundas-feiras, das 18h30 às 20h e as reuniões são sempre na Unimed Saúde (Av. Santos Dumont, 860, Londrina-PR).

Participação - Cada grupo terá a participação de até oito pacientes, o que permite preservar o distanciamento social. Os encontros também serão realizados dentro de todos os protocolos de segurança contra a Covid-19. “Inicialmente, teremos um grupo, mas esse número pode ser ampliado para atender mais clientes interessados participar”, comenta. O analista observa que o grupo foi formatado para ter duração de um ano, mas esse período pode ser estendido até que o paciente consiga cessar o hábito.

Agendamento - Os clientes Unimed interessados em participar do Grupo de Cessação de Alcoolismo devem ligar para o número 43 3375-6016 e agendar a avaliação inicial com as psicólogas. (Imprensa Unimed Londrina)

 

INFRAESTRUTURA I: Chegada e saída de cargas por ferrovia crescem no Porto de Paranaguá

infraestrutura 14 07 2021A quantidade de vagões e o volume de cargas movimentadas por ferrovia com origem ou destino ao Porto de Paranaguá aumentaram no primeiro semestre de 2021. Neste ano, 98.989 vagões passaram pelo terminal paranaense e transportaram cerca de 5,5 milhões de toneladas. Em 2020, no mesmo período, foram 8.565 vagões a menos e 4,9 milhões de toneladas movimentadas.

Porcentual - De janeiro a junho de 2021, 18,9% das cargas chegaram ou saíram dos terminais em vagões. No ano passado, esse porcentual era de 14,7%.

Aumento - “Temos projetos para aumentar este tipo de transporte, que é essencial para que a relação porto e cidade seja mais harmoniosa. Entre os projetos em desenvolvimento, temos as moegas exclusivas para o modal ferroviário – o projeto do moegão – e a remodelação do Corredor de Exportação Leste”, diz o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Nova Ferroeste - “Importante também é projeto da Nova Ferroeste, do Governo do Estado, que vai dar impulso ao transporte ferroviário de cargas desde o Interior até o Litoral”, destaca.

Destaques - O produto que tem a maior participação do modal para descarregar no Porto de Paranaguá é o açúcar a granel: 74%. Só no primeiro semestre deste ano foram 1.628.055 toneladas em vagões. Em 2020, o volume sommou 1.157.903 toneladas.

Soja - Em quantidade, destaque para a soja. Em grãos, foram 2.224.611 toneladas descarregadas de vagões, o equivalente a 29% do total movimentado pelo Porto de Paranaguá no primeiro semestre. Nos mesmos seis meses de 2020, foram 2.204.925 toneladas (25% do total).

Farelo - De farelo de soja, em 2021, 564.169 toneladas chegaram pelos trilhos no primeiro semestre (21%). No ano passado, 553.241 toneladas (19% do total).

Importação - Na importação, a utilização da ferrovia para o transporte de fertilizantes rumo ao Interior também apresentou alta. Em 2020, no primeiro semestre, 52.658 toneladas (1%) foram carregadas em vagões. Neste ano, 127.513 (2% do total).

Outros segmentos - O transporte de líquidos e carga geral pelos trilhos cresceu principalmente entre os derivados de petróleo, celulose e nos contêineres. Em 2020, de janeiro a junho, não houve nenhum volume de derivados de petróleo chegando ou saindo do Porto de Paranaguá em vagões. Este ano, porém, 4% da carga usou o modal ferroviário – 88.183 toneladas.

Biodiesel - De biodiesel, também não teve movimento em vagões no primeiro semestre do ano passado. Neste ano foram 141 vagões, com 6.702 toneladas do produto transportado pelos trilhos.

Contêineres - Nos primeiros seis meses deste ano, 9% do total de cargas que chegaram ou saíram em contêineres utilizaram a ferrovia: 579.306 toneladas, em 18.192 vagões. Em 2020, no mesmo período, 546.770 toneladas de cargas do segmento foram movimentadas em 16.990 vagões.

Celulose - O volume de celulose chegando por ferrovia, para ser exportado pelo Porto de Paranaguá, também foi maior. De janeiro a junho de 2020, 390.912 toneladas do produto chegaram em 6.108 vagões. Neste ano, no mesmo período, 433.440 toneladas, em 6.773 vagões.

Ferroeste - A Ferroeste, que opera um trecho no Estado com destino a Paranaguá, também havia registrado aumento no transporte do modal em 2021. O balanço operacional dos primeiros seis meses aponta que circularam pelos trilhos da ferrovia entre Cascavel e Guarapuava 6.638 contêineres, volume 13% superior na comparação com 2020 (5.873). Foram 800 mil toneladas de produtos, crescimento de 3% em relação ao mesmo período do ano passado (775 mil).

Rodovia - Apesar do maior volume ainda ser entre as cargas transportadas em caminhões, a participação do modal rodoviário teve queda na comparação entre o primeiro semestre de 2020 e 2021. No ano passado, 83,9% do total movimentado foi pelas rodovias (23.632.938 toneladas). Neste ano, 78,8% (22.974.394 toneladas).

Dutos - O percentual restante – 2,3% – é de carga movimentada pelo oleoduto. Neste ano, 658.593 toneladas. Em 2020, no primeiro semestre, a participação desta alternativa de transporte para as cargas líquidas era de 1,4% (406.032 toneladas). (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Claudio Neves / Portos do Paraná

 

INFRAESTRUTURA II: Assembleia aprova modelo de autorização e facilita ampliação da malha ferroviária no Paraná

infraestrutura II 14 07 2021Os deputados estaduais aprovaram nesta terça-feira (13/07) a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que altera o art. 146 da Constituição do Paraná e prevê a autorização como forma de concessão de infraestrutura (ferroviária e aquaviária). O texto será promulgado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano, e publicado em Diário Oficial.

Pequenos trechos - A ideia, a partir desse novo texto, é permitir a construção de pequenos trechos de ferrovias em áreas próximas às linhas principais. Até então, as ferrovias só podiam ser exploradas sob o regime de concessão ou permissão. A alteração deve permitir o protagonismo da iniciativa privada, desde que os projetos tenham todas as licenças legais e ambientais.

Iniciativa estruturante - “A autorização é uma iniciativa estruturante na criação de um ambiente de negócios mais moderno, no qual, o setor privado se sentirá atraído e terá segurança em investir no modal ferroviário”, avalia Luiz Henrique Fagundes, coordenador do Grupo de Trabalho do Plano Estadual Ferroviário.

Proposta - A proposta foi desenvolvida pelo grupo, que reúne especialistas ligados a cinco secretarias. Eles fizeram um levantamento de soluções para a estrutura ferroviária do Paraná. A ideia, com o retorno dos trabalhos da Assembleia, em agosto, é apresentar um novo projeto de lei com as especificações detalhadas do projeto.

Oportunidade - "A autorização cria oportunidade de investimento. Dessa maneira o dinamismo do setor privado pode identificar demandas e oportunidades para promover o desenvolvimento no Paraná. Os projetos logístico, urbanístico e ambiental deverão ser compatíveis com o restante da malha, além das condições de financiamento que garantam a execução inicial e a sustentabilidade do empreendimento ao longo do período de vigência da autorização", acrescentou Fagundes.

Novo momento - Essa mudança acompanha uma proposta semelhante do governo federal, em tramitação no Senado (PLS 261), que prevê a introdução de um novo marco regulatório para infraestrutura com a inclusão da autorização. Dessa forma, por simetria, os serviços de transporte ferroviário de competência dos estados também poderão ser explorados através de concessão, permissão ou autorização.

Americana - Outra inspiração foi a malha ferroviária americana, que tem 294 mil quilômetros. Na década de 1980, uma alteração na legislação americana permitiu a construção e operação de shortlines, que hoje somam 603 unidades no país, por onde circulam 35% dos produtos e insumos exportados pelos Estados Unidos. Essa iniciativa impulsionou o crescimento e a competitividade das empresas locais.

Desestatização - A mudança também complementa o projeto de desestatização da Ferroeste e de construção da Nova Ferroeste que vai ligar o município de Maracaju, em Mato Grosso do Sul ao Porto de Paranaguá, passando por 41 municípios paranaenses. Para Fagundes, os benefícios poderão permear toda a cadeia de produção.

Solução - “É uma iniciativa estruturante que garante uma solução de ganha-ganha para todas as partes interessadas. Toda essa mudança refletirá em mais investimentos, melhores salários, melhores empregos e, com certeza, esse efeito vai chegar na gôndola ao consumidor final”, arrematou.

Mato Grosso do Sul - Seguindo os passos do Governo do Paraná, o Mato Grosso do Sul prepara um projeto para propor um novo marco regulatório adicional que é a autorização naquele estado. Todo o embasamento técnico e jurídico foi cedido pelo Grupo de Trabalho do Plano Estadual Ferroviário.

Nova Ferroeste- A Nova Ferroeste é um projeto que visa à ampliação da Estrada de Ferro Paraná Oeste S.A. O novo traçado, com 1.285 quilômetros, vai ligar os municípios de Maracaju (MS) e Paranaguá (PR). Quando a ferrovia estiver concluída, será o segundo maior corredor de grãos e contêineres do País.

Demanda - Os estudos de demanda indicam que cerca de 26 milhões de toneladas de produtos devem circular nesse trecho por ano. Considerando o tráfego interno, a Nova Ferroeste deve alcançar 38 milhões de toneladas/ano. Os estudos de viabilidade técnica e econômica (EVTEA) e de impacto ambiental (EIA/RIMA) estarão concluídos até o fim do ano, quando deve ter início a série de audiências públicas nas regiões afetadas pelo empreendimento.

Leilão - A Nova Ferroeste será leiloada nos primeiros meses de 2022 na Bolsa de Valores de São Paulo (B3). O investimento estimado é de 25 bilhões de reais. A empresa, ou grupo vencedor da concessão é quem vai executar a obra e terá o direito de explorar o trecho por 60 anos. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Jose Fernando Ogura / AEN

 

ENERGIA: Bolsonaro sanciona MP da Eletrobras com 14 vetos

energia 14 07 2021O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a medida provisória (MP) que viabiliza a privatização da Eletrobras. A sanção presidencial foi publicada na edição desta terça-feira (13/07) do Diário Oficial da União (DOU). A MP foi aprovada pelo Congresso Nacional no último dia 21 de junho, após passar por votações na Câmara dos Deputados e no Senado Federal.

Vetos - Ao todo, 14 dispositivos do texto aprovado pelos parlamentares foram vetados por Bolsonaro, incluindo o trecho que reservava 1% das ações da União para compra pelos empregados da companhia, com direito a desconto. Na justificativa do veto, o presidente argumentou que a definição prévia de oferta de ações no valor abaixo do praticado pelo mercado poderia causar distorção no processo de precificação das novas ações a serem emitidas e, com isso, reduzir os recursos a serem captados na capitalização da empresa.

Aproveitamento de empregados - Também foi vetado o dispositivo que previa o aproveitamento dos empregados da Eletrobras e de suas subsidiárias demitidos sem justa causa, pelo período de um ano após a privatização, para atuarem em outras empresas públicas federais, "em cargos de mesma complexidade ou similaridade, com equivalência de seus vencimentos". Na justificativa, o governo sustentou que a medida violaria o princípio do concurso público como forma de ingresso no serviço público.

Extinção - O texto sancionado ainda vetou trecho que proibia, pelo prazo de dez anos, a extinção, incorporação, fusão ou mudança de domicílio estadual das subsidiárias Chesf (PE), Furnas (RJ), Eletronorte (DF) e CGT Eletrosul (SC). A justificativa dada foi que essa obrigação limitaria a gestão das subsidiárias pela nova empresa, retirando a flexibilidade dos novos acionistas para realizar reestruturações na companhia.

Mais - Outros vetos derrubaram a obrigação de a Eletrobras realocar a população que esteja na faixa de linhas de transmissão de alta tensão, no prazo máximo de cinco anos, e a necessidade de que os nomes indicados para diretoria do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) passassem por sabatina no Senado. Neste último caso, o argumento para o veto foi o de que o ONS foi instituído por lei como pessoa jurídica de direito privado, sob a forma de associação civil. Sendo assim, a aprovação prévia pelo Senado dos nomes para compor sua direção interferência no funcionamento da associação. Já em relação à realocação de famílias que vivem em áreas por onde passam linhas de alta tensão, o governo disse que o dispositivo criaria obrigação legal não necessariamente relacionada às concessões da Eletrobras.

Congresso - O Congresso Nacional ainda pode derrubar os vetos presidenciais. Neste caso, é necessária a rejeição por maioria absoluta dos votos na Câmara dos Deputados e do Senado Federal, ou seja, 257 votos de deputados e 41 votos de senadores, computados separadamente. Se este placar não for alcançado em plenário, o veto é mantido.

Mudanças - Maior companhia do setor elétric​o da América Latina, a Eletrobras detém um terço da capacidade geradora de energia elétrica instalada no país. A empresa também possui quase metade do total de linhas de transmissão do Brasil. Só no primeiro trimestre desse ano, a estatal registrou lucro líquido de R$ 1,6 bilhão.

Ações - A MP sancionada permite que a empresa venda ações na bolsa de valores para diminuir a participação acionária da União, que detém cerca de 60% dos papéis da companhia. O governo também não poderá comandar o Conselho de Administração da empresa, mas terá poder de veto sobre as decisões (a cláusula de golden share).

Investimento - "A nossa capacidade de investimento vem diminuindo e o sistema não pode colapsar, por isso também a privatização", afirmou o presidente Jair Bolsonaro, em cerimônia no Palácio do Planalto para marcar a sanção da MP.

Recursos - No evento, o ministro da Economia, Paulo Guedes, destacou que a Eletrobras precisa de mais recursos de investimento, por isso a necessidade de capital privado. "Se ela quisesse manter a fatia de mercado, em torno de 30% na produção e 36% na transmissão, ela teria que investir R$ 15,7 bilhões por ano. E a capacidade de investimento dela é R$ 3,5 a R$ 3,6 bilhões", afirmou.

Crescimento - Já o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que a estatal deve crescer ainda mais com a abertura de capital. "A Eletrobras será uma corporação brasileira de classe mundial, com capital pulverizado, focado em geração, comercialização e transmissão de energia, tornando-se uma das cinco maiores empresas de geração renovável no mundo", projetou. (Agência Brasil)

FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

 

COMBUSTÍVEL: Governo fixa percentual do biodiesel misturado ao óleo diesel em 12%

combustivel 14 07 2021O presidente Jair Bolsonaro aprovou resolução do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) que estabelece a redução do teor de mistura obrigatória do biodiesel no óleo diesel fóssil de 13% para 12%, válida no 81º Leilão de Biodiesel.

Leilões anteriores - Nos leilões anteriores, o percentual havia sido reduzido ao patamar de 10% em decorrência dos efeitos da valorização do custo do óleo de soja nos mercados brasileiro e internacional, combinados com a desvalorização cambial da moeda brasileira frente ao dólar, que tinha impulsionado as exportações de soja e também encarecido o valor do biodiesel produzido nacionalmente. Tal realidade acarretava a possibilidade de excessivo incremento do preço do óleo diesel por causa do aumento do biodiesel e, por isso, o percentual foi reduzido.

Melhora no cenário - Segundo o governo, a medida a fixação do percentual em 12% para o próximo leilão ocorre após a melhora no cenário do preço do biodiesel. "Com o arrefecimento dessa tendência de aumento do preço do biodiesel, fizeram-se presentes as justificativas técnicas para que, no 81º leilão, o percentual de mistura de biodiesel fosse fixado em 12%", informou a Secretaria-Geral da Presidência da República, em comunicado à imprensa. (Agência Brasil)

FOTO: Fernando Frazão / Agência Brasil

 

IPEA: Indicador registra desaceleração da inflação para todas as faixas de renda em junho

ipea 14 07 2021O Indicador de Inflação por Faixa de Renda apontou desaceleração da taxa de inflação para todas as faixas de renda no mês de junho. O estudo foi divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) nesta quarta-feira (14/07) e revelou que, apesar da redução generalizada na comparação com maio deste ano, a inflação das famílias de renda muito baixa continua maior que a registrada na faixa de renda alta pelo terceiro mês consecutivo, com taxas de 0,62% para as famílias que recebem menos de R$ 1.650,50 e de 0,39% para os domicílios com renda maior de R$ 16.509,66.

Habitação - O grupo de habitação, assim como no mês anterior, seguiu sendo o segmento que mais contribuiu para a pressão inflacionária em junho, impactado pelo reajuste das tarifas de energia elétrica e, em menor escala, pelos aumentos do gás de botijão e do gás encanado. No caso da energia, a variação de 1,95%, em junho, reflete o acionamento da bandeira vermelha patamar 2, além da recomposição tarifária registrada em Curitiba. As variações do gás de botijão e do gás encanado, por sua vez, seguem influenciadas pela alta dos preços internacionais e já acumulam variações de 16% e 14,2% no ano, respectivamente.

Alimentação e bebidas - O segundo grupo que mais contribuiu para a alta da inflação das famílias de renda muito baixa foi o de alimentação e bebidas. Mesmo diante da deflação apresentada em itens importantes, como cereais (-0,73%), tubérculos (-11,2%) e frutas (-2,7%), o segmento foi ancorado pelas altas das carnes (1,3%), das aves e ovos (1,6%) e dos leites e derivados (2,2%). Já as famílias de alta renda foram impactadas pelo segmento de transportes, sendo que as quedas nas passagens aéreas (-5,6%) e nos transportes por aplicativo (-0,95%) não conseguiram anular os efeitos dos aumentos da gasolina (0,7%) e do etanol (2,1%).

Junho 2020 - Na comparação com junho de 2020, a pesquisa mostra que a inflação no mesmo mês de 2021 foi mais elevada para todos os segmentos de renda, sendo que a alta foi mais significativa foi para as famílias de menor renda. Apesar da alta maior dos alimentos no domicílio em 2020, a inflação das famílias de renda mais baixa havia sido beneficiada pelas quedas dos preços da energia (-0,34%), do vestuário (-0,46%) e dos artigos de limpeza (-0,19%), ocorridas no ano passado. Já para as famílias com maior renda, a menor alta inflacionária em 2020 foi causada, principalmente, pelas deflações das passagens aéreas (-26%), dos transportes por aplicativo (-14%) e das despesas com recreação (-0,43%).

Acumulado - Os dados acumulados em doze meses mostram que, apesar da aceleração inflacionária generalizada para todas as faixas de renda, a taxa de inflação das famílias de renda muito baixa (9,2%) segue em patamar acima da observada na faixa de renda alta (6,5%), ainda pressionada pelas altas de 15,3% dos alimentos no domicílio, de 16,2% da energia elétrica e de 24,2% do gás de botijão no período. Já para as famílias de renda mais alta, boa parte dessa inflação acumulada vem do reajuste de 43,9% dos combustíveis no período. (Assessoria de Imprensa do Ipea)

Acesse a íntegra do indicador

 

 

 

CÂMBIO: Dólar desacelera com reforma tributária e fecha a R$ 5,18

cambio 14 07 2021A apresentação do parecer da reforma tributária compensou o mau humor no exterior e fez o dólar desacelerar durante a tarde, permanecendo abaixo de R$ 5,20. A bolsa de valores, que vinha operando em baixa, subiu e terminou em alta pelo segundo dia consecutivo.

Cotação - O dólar comercial encerrou esta terça-feira (13/07) vendido a R$ 5,181, com alta de 0,13%. Por volta das 10h, a cotação chegou a R$ 5,22, mas, a partir do fim da manhã, o movimento de alta perdeu força.

Alta acumulada - A divisa acumula alta de 4,18% em julho. Em 2021, registra queda de 0,15%. Mesmo assim, o dólar fechou em baixa apenas um dia neste mês.

Ações - No mercado de ações, o cenário foi parecido. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 128.167 pontos, com alta de 0,44%. No início da tarde, o indicador chegou a cair 0,9%, mas reverteu o movimento nas horas seguintes até fechar próxima dos níveis máximos do dia.

Exterior - O dia começou com o mercado financeiro influenciado pelo exterior. A divulgação de que a inflação ao consumidor nos Estados Unidos registrou, em junho, o maior nível para o mês em 13 anos aumentou as pressões em todo o mercado global. Caso os preços na maior economia do planeta continuem subindo, o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) terá de retirar os estímulos concedidos por causa da pandemia de covid-19 antes do previsto.

Fatores internos - O cenário internacional, no entanto, foi compensado por fatores internos. O relator da reforma tributária na Câmara, deputado Celso Sabino (PSDB-BA), apresentou nesta terça o parecer preliminar sobre a proposta, restabelecendo a isenção de Imposto de Renda para Fundos Imobiliários e prevendo uma queda de 12,5 pontos percentuais na alíquota do Imposto de Renda Pessoa Jurídica nos próximos dois anos. As mudanças animaram os investidores. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO I: Lira recebe relatório de um dos projetos da reforma tributária

legislativo 14 07 2021O relator do texto da reforma tributária que trata das alterações de cobrança no Imposto de Renda de pessoas físicas e jurídicas e da tributação de lucros e dividendos (PL 2337/21), deputado Celso Sabino (PSDB-PA), entregou ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), o parecer preliminar da proposta. Na segunda-feira (12/07), Lira já havia adiantado que Sabino previa uma redução de R$ 50 bilhões na carga tributária sobre a renda do capital produtivo e dos trabalhadores. Mais cedo, Celso Sabino havia apresentado o relatório aos partidos da base do governo.

Redução - Sabino propõe que, para empresas com lucros de até R$ 20 mil por mês, a alíquota será reduzida dos atuais 15% para 5% no primeiro ano e para 2,5% no segundo ano. Já a taxação do Imposto de Renda para empresas com lucros acima de R$ 20 mil cai dos atuais 25% para 12,5%. O governo havia proposto que a alíquota geral do Imposto de Renda para Pessoas Jurídicas (IRPJ) seria reduzida dos atuais 15% para 12,5% em 2022, e 10% a partir de 2023.

Expectativas - “Vamos transformar nossa tributação de renda no País. Nossas expectativas são boas no mercado para o fomento da economia, para a geração de empregos, da formalização de empresas. A proposta vai trazer ganhos estruturais para toda a economia brasileira”, disse Sabino.

Lucros e dividendos - O relator manteve a proposta do governo de tributar a distribuição de lucros e dividendos de empresas para pessoas físicas em 20% na fonte. Atualmente, a distribuição de lucros e dividendos para pessoas físicas é isenta.

Menor faixa - “São raríssimos os países que não tributam lucros. Nós estamos colocando a tributação na menor faixa da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), que é a tributação de 20% dos lucros e dividendos, e com isso reduzindo a alíquota das pessoas jurídicas”, explicou.

Pessoa física - Em relação ao Imposto de Renda da Pessoa Física, Sabino manteve a proposta do texto original do Executivo. O projeto estabelece que, entre as medidas de maior impacto, está a atualização da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física, que reajusta a faixa de isenção de R$ 1.903,98 para R$ 2.500 mensais. O governo estima que o número de pessoas isentas aumentará em 5,6 milhões, passando de 10,7 milhões para 16,3 milhões, o que corresponde à metade dos declarantes. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Reprodução TV Câmara

 

LEGISLATIVO II: CMO pode votar LDO 2022 nesta quarta-feira

legislativo II 14 07 2021A Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) agendou reunião para as 15h desta quarta-feira (14/07) para tentar votar o relatório final do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022 (PLN 3/2021). O relator é o deputado federal Juscelino Filho (DEM-MA).

Requerimentos - A presidente da CMO é a senadora Rose de Freitas (MDB-ES). Nesta terça-feira (13/07), a comissão mista aprovou requerimentos convidando os ministros da Saúde, da Cidadania, da Economia, da Educação e da Comunicação para, em audiência pública, “discorrerem sobre o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias".

Lei anual - A LDO é a lei anual que define quais serão as diretrizes e prioridades para elaboração do Orçamento. A previsão é que a LDO 2022 seja votada pelo Congresso Nacional nesta quinta-feira (15), o que abriria caminho para o recesso parlamentar de 18 a 31 de julho. (Agência Senado)

FOTO: Roque de Sá / Agência Senado

 

SAÚDE I: Mortes sobem para 535,8 mil e casos, para 19,15 milhões

A quantidade de pessoas que morreram em decorrência da covid-19 subiu para 535.838. Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde confirmaram 1.605 novos óbitos. Na segunda-feira (12/07), o painel de informações da pandemia marcava 534.233 óbitos desde o primeiro, em março do ano passado.

Investigação - Outros 3.487 falecimentos estão em investigação. O termo designa mortes com suspeitas de que podem ter sido causadas por covid-19 mas com origem ainda sendo analisada por equipes de saúde.

Casos acumulados - O número de casos acumulados desde o início da pandemia foi para 19.151.993. Entre segunda e terça-feira (12 e 13/07), foram registradas 45.022 novas pessoas infectadas pelo coronavírus. Ontem, o total contabilizado pelas autoridades de saúde estava em 19.106.971.

Acompanhamento - Ainda há 845.538 casos em acompanhamento. O nome é dado para pessoas cuja condição de saúde é observada por equipes de saúde e que ainda podem evoluir para diferentes quadros, inclusive graves.

Recuperados - O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 somou 17.770.617. O número corresponde a 92,8% das pessoas infectadas desde o início da pandemia.

Atualização - Os novos dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde divulgada nesta terça-feira (13/07), que consolida informações levantadas pelas secretarias estaduais de saúde.

Dados - Os dados em geral são menores aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

Estados - O balanço diário do Ministério da Saúde também traz os dados por estado. No alto do ranking de mais mortes por covid-19 estão São Paulo (132.845), Rio de Janeiro (56.947), Minas Gerais (48.151), Paraná (32.963) e Rio Grande do Sul (32.354).

Baixo - Na ponta de baixo estão Acre (1.770), Roraima (1.785), Amapá (1.873), Tocantins (3.354) e Alagoas (5.562). O balanço desta terça não trouxe novas mortes no estado de Roraima.  

Vacinação - Conforme o Ministério da Saúde, até o momento começaram a ser distribuídas 147,3 milhões de doses às unidades federativas. Foram aplicadas 115,8 milhões de doses, sendo 84,7 milhões da 1ª dose e 31 milhões da 2ª dose e dose única. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2021-07-13 at 18.50.54

 

SAÚDE II: Paraná registra 3.048 novos casos e 248 óbitos pela Covid-19

saude II 14 07 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (13/07) mais 3.048 casos confirmados e 248 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.323.845 casos confirmados e 32.779 óbitos.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (4), fevereiro (49), março (330), abril (20), maio (168), junho (224) e julho (2.253) de 2021.

Internados - O informe relata que 1.712 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 1.342 pacientes em leitos SUS (744 em UTIs e 598 em enfermarias) e 370 em leitos da rede particular (192 em UTIs e 178 em enfermarias).

Exames - Há outros 1.988 pacientes internados, 942 em leitos de UTI e 1.046 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 248 pacientes. São 94 mulheres e 154 homens, com idades que variam de 24 a 99 anos. Os óbitos ocorreram de 14 de fevereiro a 13 de julho de 2021.

Municípios - Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (42), Maringá (15), Londrina (14), Campo Mourão (9), Arapongas (7), Paranaguá (7), Pinhais (7), Ponta Grossa (6), Guarapuava (5), Araucária (4), Bandeirantes (4), Sarandi (4), Ampére (3), Cruzeiro do Oeste (3), Foz do Iguaçu (3), Jandaia do Sul (3), Paranavaí (3), São José dos Pinhais (3), Alto Piquiri (2), Cambé (2), Campina da Lagoa (2), Campo Largo (2), Colombo (2), Fazenda Rio Grande (2), Jardim Alegre (2), Nova Cantu (2), Pato Branco (2), Peabiru (2), Pinhão (2), Piraí do Sul (2), Prado Ferreira (2), Rolândia (2), São Jerônimo da Serra (2), São Jorge d'Oeste (2), Terra Roxa (2) e Umuarama (2).

Uma morte- A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Altônia, Andirá, Antônio Olinto, Apucarana, Arapoti, Araruna, Astorga, Barra do Jacaré, Bela Vista do Paraíso, Boa Esperança, Boa Ventura de São Roque, Califórnia, Campina Grande do Sul, Cascavel, Cornélio Procópio, Curiúva, Diamante D'Oeste, Dois Vizinhos, Doutor Camargo, Faxinal, Francisco Beltrão, Ibiporã, Icaraíma, Imbaú, Imbituva, Inajá, Irati, Iretama, Itapejara d'Oeste, Ivaiporã, Jaguariaíva, Jataizinho, Juranda, Kaloré, Lapa, Laranjal, Luiziana, Mamborê, Mandaguari, Mandaguaçu, Mandirituba, Marechal Cândido Rondon, Marialva, Marumbi, Matinhos, Medianeira, Nova Esperança, Palmas, Palmeira, Palotina, Paraíso do Norte, Prudentópolis, Quarto Centenário, Quatiguá, Quatro Barras, Quitandinha, Reserva, Roncador, Rondon, Santa Izabel do Oeste, Santo Antônio da Platina, Serranópolis do Iguaçu, Sertanópolis, São Pedro do Ivaí, Tamarana, Toledo, Tuneiras do Oeste, Turvo, Ubiratã e Ventania.

Fora do Paraná - O monitoramento registra ainda 6.982 casos e 184 óbitos de fora do Estado. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o Informe completo.

 

SAÚDE III: Com aval do Ministério da Saúde, Paraná receberá lote extra com 90 mil vacinas para região da fronteira

saude III 14 07 2021O Ministério da Saúde sinalizou positivamente para o pedido do Paraná de receber um lote adicional de vacinas contra a Covid-19 para atender as regiões de fronteira com Argentina e Paraguai, repetindo o protocolo usado em relação ao Mato Grosso do Sul. A confirmação foi feita pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior nesta terça-feira (13/07), no Palácio Iguaçu, durante reunião virtual do Fórum Nacional de Governadores. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, também participaram do encontro.

Doses - A remessa extra será de cerca de 90 mil doses e permitirá completar a imunização com a primeira dose de todas as pessoas com mais de 18 anos dos municípios de Foz do Iguaçu, Barracão, Guaíra e Santo Antônio do Sudoeste. A expectativa da Secretaria de Estado da Saúde é que as vacinas complementares estejam à disposição da população paranaense ainda em julho – o Ministério da Saúde planeja distribuir 41 milhões de doses neste mês.

Auxílio - “Levamos este pedido ao governo federal na perspectiva de auxiliar na imunização da região de fronteira, justamente pela circulação de pessoas de outros países. Eles entenderam a necessidade e concordaram com o nosso pedido. Isso vai nos permitir avançar ainda mais na vacinação”, afirmou Ratinho Junior. “Sem contar também a possibilidade de entrada de novas variantes do coronavírus, como a delta, justamente por essas regiões. Precisamos estar muito atentos”.

Levantamento - Levantamento feito pelo Consulado do Paraguai em Foz do Iguaçu, na Região Oeste, indica que pelo menos 98 mil brasileiros moram no país vizinho, com trânsito intenso pela Ponte da Amizade – a município tem a fronteira mais movimentada do País.

Mesma linha - “Fizemos uma provocação ao Ministério para que seja seguida a mesma linha do que foi feito no Mato Grosso do Sul e o órgão respondeu que pode sim nos atender. Medida que também será adotada em outras fronteiras secas do Brasil. Vai ajudar a coibir a expansão da variante delta”, destacou Beto Preto.

Cronograma - Durante a reunião, o Ministério da Saúde apresentou o novo cronograma de chegada e distribuição de vacinas contra a Covid-19 para este trimestre iniciado em julho. Além das 41 milhões de doses previstas para esse mês, a estimativa da pasta aponta para 68 milhões em agosto e 71 milhões em setembro. “Trabalhamos ainda com a possibilidade de algumas antecipações, como dos contratos relacionados à CoronaVac e à Janssen”, disse o ministro.

Calendário semanal - A ideia, a partir deste mês, é de apresentar aos estados um calendário semanal de previsão de novas doses. Atualmente a distribuição é feita a partir de notas técnicas já definitivas do Ministério da Saúde, sem antecipação das informações.

Intercambialidade - Também durante o encontro, o ministro reforçou o posicionamento contrário em relação à intercambialidade de vacinas em gestantes – aplicação de produtos desenvolvidos por laboratórios diferentes durante as duas doses. O assunto veio à tona após o uso da vacina da AstraZeneca em gestantes e puérperas com comorbidades ter sido suspenso pelo Ministério da Saúde no início de maio em decorrência de uma recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O mesmo pedido vale para o imunizante da Janssen.

Morte - A decisão veio após a morte de uma gestante que havia recebido o imunizante no Rio de Janeiro, que posteriormente se confirmou como decorrente de uma reação da vacina de origem anglo-sueca. “Ficou muito claro para todos. Por isso aqui no Paraná adotamos como metodologia a vacinação das gestantes com Pfizer e CoronaVac”, destacou Beto Preto.

Adolescentes - Outros pontos definidos durante o encontro é que o Programa Nacional de Imunizações (PNI) vai estudar e definir uma nota técnica única sobre o início da imunização de adolescentes, entre 12 e 17 anos, em todo o País. Atualmente, apenas o medicamento da Pfizer foi liberado pela Anvisa para ser aplicado nesta faixa etária.

Intervalo - O mesmo grupo aprofundará ainda os estudos sobre a diminuição do período de intervalo entre a aplicação das duas doses das vacinas da Pfizer e AstraZeneca. Os governadores decidiram que em ambos os casos seguirão um caminho único, em consenso com a determinação do PNI.

Presenças - Participaram da reunião governadores e representantes das 27 unidades federativas do País, sendo 26 estados e o Distrito Federal. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Jonathan Campos / AEN

Leia mais sobre o assunto:

Paraná já aplicou 6,5 milhões de vacinas contra o coronavírus

 

SAÚDE IV: Boletim da Dengue confirma 870 novos casos da doença no Estado

saude dengue 14 07 2021O Informe Semanal da Dengue, publicado nesta terça-feira (13) pela Secretaria de Estado da Saúde, aponta 870 novos casos provocados pela doença e nenhuma morte. O período epidemiológico, que teve início em agosto do ano passado, soma agora 26.672 casos e 32 óbitos no Paraná.

Casos confirmados - Dos 399 municípios paranaenses, 287 registram casos confirmados de dengue (um a mais do que na semana anterior) e 361 algum tipo de notificação (também um a mais). Nesse recorte, 17 municípios apresentam casos de dengue grave e 41 têm casos de dengue com sinais de alarme.

Notificações - São 90.425 notificações ao todo, com mais de 45 mil casos descartados. A incidência está em 207,7/100 mil habitantes.

Vírus - “O vírus da dengue está circulando no Estado e não podemos baixar a guarda em relação à doença. A dengue pode evoluir para casos graves e causar a morte”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Remoção - Segundo ele, o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, forma seus criadouros e se prolifera em locais e recipientes que acumulam na água parada, por isso é fundamental a remoção destes pontos nos ambientes internos e externos das residências. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Pixabay 

Confira o Informe completo.

 

SAÚDE V: Diretoria da ANS aprova novo processo de revisão do Rol

1saude ans 14 07 2021A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) aprovou, em reunião realizada no dia 08/07, a Resolução Normativa - RN nº 470, que trata do processo de atualização do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde. Com a nova norma, que entra em vigor em 01/10/2021, as propostas de atualização das coberturas obrigatórias para os planos de saúde regulamentados (contratados a partir de 2/01/1999 ou adaptados à Lei nº 9.656/98) passarão a ser recebidas e analisadas de forma contínua pela equipe técnica da Diretoria de Normas e Habilitação dos Produtos da ANS, com revisão semestral dos procedimentos e eventos em saúde e de diretrizes de utilização que compõem o Rol.  

Percurso - Com a nova RN, cada proposta submetida à ANS seguirá o seu próprio percurso, conforme sua data de submissão, sua condição de elegibilidade, a complexidade de sua análise e o cronograma relativo à tomada de decisão. A alteração no processo de atualização do Rol observa as seguintes diretrizes: a defesa do interesse público na assistência suplementar à saúde, de modo a contribuir para o desenvolvimento das ações de saúde no país; as ações de promoção à saúde e de prevenção de doenças; o alinhamento com as políticas nacionais de saúde; a utilização dos princípios da Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS); a observância aos princípios da Saúde Baseada em Evidências (SBE); a manutenção do equilíbrio econômico-financeiro do setor e a transparência dos atos administrativos.  

Marcos - O diretor-presidente substituto e diretor de Normas e Habilitação dos Produtos da ANS, Rogério Scarabel, destaca os marcos do novo rito: “Com as análises sendo feitas de forma contínua, estamos rompendo com o conceito de ciclos de atualização, o que representa, sem dúvida, maior agilidade e ganhos para os consumidores de planos de saúde e para todo o setor”.  

Resultado - A nova norma é resultado de amplo debate com o setor, além da participação social através da Consulta Pública nº 84/2021, que recebeu 944 contribuições no período de 05/03 a 19/04.  

Submissão das propostas - As propostas de atualização do Rol seguirão sendo recebidas através do formulário eletrônico FormRol, disponível no portal da ANS (www.gov.br/ans), onde será dada ampla divulgação de todo o processo. As propostas poderão contemplar os seguintes tipos de solicitação:

Incorporação de nova tecnologia em saúde ou nova indicação de uso no Rol;

Desincorporação de tecnologia em saúde já listada no Rol;

Inclusão, exclusão ou alteração de Diretriz de Utilização - DUT;

Alteração de nome de procedimento ou evento em saúde já listado no Rol.  

Nos primeiros 12 meses de vigência da normativa, serão recebidas apenas as propostas de incorporação de nova tecnologia em saúde ou nova indicação de uso no Rol e de alteração de nome de procedimento ou evento em saúde já listado no Rol.  

Elegíveis - Cabe também ressaltar que somente serão consideradas elegíveis para análise pela equipe técnica da ANS as propostas enviadas via FormRol e que cumpram os requisitos listados na resolução. O proponente será notificado eletronicamente sobre o resultado da análise de elegibilidade de sua proposta em até 30 dias após o envio do formulário. No entanto, nos primeiros 180 dias de vigência da norma, ocorrerá em até 60 dias após o envio.  

Participação social - A ANS realizará reuniões técnicas com os representantes do setor que integram a Câmara de Saúde Suplementar para discutir as propostas consideradas elegíveis para análise técnica, com previsão de criação de Grupos Técnicos para discussão, elaboração de estudos e pareceres temáticos, se necessário. Concluída a análise técnica, seus resultados serão submetidos à participação social ampliada, com a realização de consulta pública ou audiência pública, quando toda a sociedade terá a oportunidade de apresentar suas contribuições às propostas.  

Lista - As propostas aprovadas passam então a compor a lista de coberturas assistenciais obrigatórias após publicação de Resolução Normativa com a referida atualização no Rol de Procedimentos, que passará a vigorar sempre nos meses de janeiro e julho de cada ano. Importante frisar que o Rol poderá ainda ser atualizado a qualquer tempo, por iniciava da ANS.  

Avaliação - A ANS salienta que as tecnologias avaliadas e recomendadas positivamente pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec), cuja decisão de incorporação ao SUS já tenha sido publicada em portaria específica, serão avaliadas pela equipe técnica da ANS como Propostas de Atualização do Rol - PARConitec, e seguirão o fluxo de análise e decisão das demais propostas. (ANS)

 

saude ans 14 07 2021

 

 


Versão para impressão


RODAPE