Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5116 | 20 de Julho de 2021

FÓRUM DOS PRESIDENTES: Evento marca o início da implantação do novo ciclo do planejamento estratégico do cooperativismo paranaense, o PRC200

O Fórum Virtual dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses representa um novo marco na história do planejamento estratégico do cooperativismo no Estado. No evento, que ocorre na quinta-feira (22/07), o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, vai apresentar os 17 projetos estruturantes que deverão ser implementados rumo a um novo desafio: a concretização dos objetivos do Plano Paraná Cooperativo 200 (PRC200), cuja proposta foi apresentada no Fórum dos Presidentes de 2020 e, desde então, foi sendo formatada com a contribuição de cooperativistas de todo o Estado.

Metas - A ideia é preparar o caminho para que as cooperativas do Paraná alcancem a meta financeira de R$ 200 bilhões de faturamento por ano. Em 2020, o setor atingiu a movimentação financeira de R$ 115,7 bilhões, ultrapassando o objetivo do plano anterior, o PRC100. Além disso, o PRC200 visa atingir quatro milhões de cooperados, 200 mil empregados, resultados (ou sobras, como se diz no cooperativismo) de R$ 10 bilhões e investimentos de R$ 5 bilhões por ano. Num cenário realista, esses objetivos podem ser alcançados entre 2025 e 2026. De acordo com Ricken, o PRC200 representa a soma dos planejamentos estratégicos de todas as cooperativas paranaenses e o Sistema Ocepar pretende apoiar aquelas que ainda não possuem os seus planos de ação.

Data - O Fórum dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses vai reunir as lideranças do setor por meio da plataforma Microsoft Teams, a partir das 14h. O evento será aberto com as presenças da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, do vice-governador do Estado, Darci Piana, e do presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, participam da abertura do evento.

BNDES - O presidente Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, fará uma explanação sobre os programas de investimento disponíveis no BRDE para as cooperativas.

Palestras - A programação do Fórum Virtual dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses contempla ainda a apresentação de duas palestras, uma delas com o professor da USP e FGV, Marcos Fava Neves, com o tema “Planejamento estratégico como diferencial competitivo”. Já a professora da FIA, Patrícia Peck, discorrerá sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Jubileu de Ouro - Também haverá um momento de celebração do Jubileu de Ouro da Ocepar. A entidade completou 50 anos no dia 2 de abril e serão prestadas homenagens aos ex-presidentes Guntolf van Kaick, Benjamin Hammerschmidt, Wilson Thiesen, Ignácio Aloísio Donel, Dick Carlos de Geus e João Paulo Koslovski. O evento encerra com o lançamento do livro alusivo ao cinquentenário da Ocepar, intitulado “Paraná Cooperativo, modelo econômico e social”.

Informações - O Fórum é destinado a dirigentes, gestores, executivos, colaboradores e cooperados das cooperativas do Paraná. Mais informações com Neuza Oliveira (41 99151-2148 / secretaria@sistemaocepar.coop.br).

 

forum presidentes folder atualizado 19 07 2021

GETEC: Informe nº 34 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 20 07 2021A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta segunda-feira (19/07), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2021, 2022 e 2023.

Clique aqui para conferir o Informe Expectativas de Mercado Semanal

 

FORMAÇÃO: Curso sobre atualização de ICMS/IPI continua com inscrições abertas; turma 1 terá aulas dias 21 e 22 de julho

Os profissionais das cooperativas paranaenses interessados em conhecer um pouco mais sobre a legislação ligada ao ICMS e ao IPI, especialmente em relação às mais recentes atualizações, ainda podem se inscrever para participar do curso que o Sistema Ocepar promove sobre o tema. Serão formadas duas turmas. A primeira terá aulas nesta quarta e quinta-feira (21 e 22/07). A segunda turma será capacitada nos dias 25 e 26 de agosto. A formação é dividida em dois módulos em cada turma, totalizando 16 horas/aulas, que serão ministradas das 8h30 às 12h30 e das 13h30 às 17h30, pela plataforma Zoom.

Análises de caso - Durante a programação, serão realizadas análises de casos e discussões sobre os assuntos abordados. As instrutoras são Leticia Tulio e Graziela Machado. Esse curso conta pontos para o Programa de Educação Continuada do Conselho Federal de Contabilidade.

Inscrições - Clique nos links abaixo para efetivar a inscrição no curso Atualização de ICMS/IPI.

Turma 1: https://bit.ly/3gUC4LS

Turma 2: https://bit.ly/3wHOcqi

Informações - Mais informações com Jéssica Costa (jessica.costa@sistemaocepar.coop.br).

 

formacao folder 20 07 2021

CONQUISTA: Cooperativas de transporte de carga são reconhecidas em Lei

conquista 20 07 2021A aprovação da MP 1.051/2021 pela Câmara dos Deputados, na quarta-feira (15/07), garantiu também o reconhecimento em lei da categoria de Cooperativa de Transporte Rodoviário de Cargas (CTC). O relator da medida, deputado Jerônimo Goergen (RS), considerou relevante solicitação feita pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e incluiu no texto substitutivo acatado pelos parlamentares o reconhecimento legal da classe.

Lei - Com a aprovação, a Lei 11.442/2007, que dispõe sobre o transporte rodoviário de cargas por conta de terceiros e mediante remuneração, passa a vigorar com a adição das cooperativas em seu Artigo 2º. “Essa medida tem como objetivo mudar toda a atividade de carga do país, fortalecendo e valorizando a cadeia do transporte autônomo. E essa valorização não seria possível sem o reconhecimento das cooperativas. A participação do setor é fundamental para que tenhamos um engajamento cada vez maior nessa revolução que será boa para todo o Brasil”, afirmou o parlamentar.

Conquista - Segundo o deputado Evair de Melo (ES), presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), a conquista é importante porque resguarda em lei a categoria das cooperativas de transporte de carga, reconhecida hoje apenas em normativos da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), como a Resolução 4.799/2015. “É uma evolução importante para o avanço do cooperativismo de transporte e das políticas de fomento ao setor. Agradecemos ao deputado Jerônimo pela sensibilidade com o tema”, afirmou Melo.

Transportadores - Atualmente, o Brasil conta com mais de um milhão de transportadores registrados, de acordo com dados da ANTT. Desse total, 30.033 são de cooperativas de transportadores autônomos de carga, organizados em 331 cooperativas registradas no Sistema OCB. O reconhecimento em lei da categoria permitirá maior segurança jurídica aos cooperados do setor, além de favorecer o crescimento do cooperativismo no segmento de transporte, como modelo efetivo para profissionalizar e gerar melhores condições de trabalho aos transportadores.

Visão - Essa é a visão do presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas. “O cooperativismo de transporte tem, comprovadamente, demonstrado ser uma das principais e mais eficazes alternativas para organização do transportador autônomo. Dando melhores condições de oferta de seu trabalho, remuneração e obviamente valorização de sua atividade, pois neste modelo ele é o dono do próprio negócio. Essa conquista reforça uma diretriz da nossa Constituição Federal de fomento e estímulo ao cooperativismo, dados os seus inúmeros benefícios para a inclusão produtiva e desenvolvimento econômico e social”, destaca.

DT-e - A MP 1.051/2021 trata da instituição do Documento Eletrônico de Transporte (DT-e), que visa modernizar e desburocratizar modais de transporte no país nos próximos anos. A intenção é reunir em um único documento todos os dados, obrigações administrativas, informações sobre cadastros, registros; licenças; certidões; e demais certificados de operações de transporte exigidas por órgãos públicos nos âmbitos federal, estadual, distrital e municipal.

Dispensa - A unificação de documentos e demais obrigações no DT-e deverá dispensar o transportador ou condutor de veículo de portar versão física das informações durante o transporte.

Senado - A matéria segue agora para o Senado, que deve analisar o tema após o recesso parlamentar. (OCB)

 

DIA C I: Dia de Cooperar arrecada fundos para hospital de Palotina (PR)

O Dia de Cooperar movimentou as cooperativas participantes em todo o Brasil, com o foco de minimizar o impacto causado pela pandemia do coronavírus. Na cidade de Palotina (PR), os voluntários comprovaram como o protagonismo do bem pode realmente fazer a diferença, em movimento realizado pelas cooperativas Cerpa, Cotriguaçu, Cresol, C.Vale, Sicoob, Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Unimed e Uniprime, com apoio da Acipa, Prefeitura Municipal, Universidade Federal do Paraná e comércio local.

Arrecadação - No total, foram arrecadados R$ 42.165,50 em dinheiro por meio da venda de pizzas. Esse valor possibilitou a compra e a reforma de aparelhos para o Hospital Municipal Prefeito Quinto Abrão Delazeri: foram adquiridos quatro monitores cardíacos multiparâmetros, além de arcar com a manutenção de dezoito equipamentos hospitalares, o que vai beneficiar pacientes internados com Covid-19. A entrega simbólica do cheque e dos novos aparelhos foi realizada na sexta-feira (16), com a presença de autoridades, representantes das cooperativas e da Associação dos Amigos do Hospital.

O Dia C - O Dia C é uma iniciativa nacional organizada pelo Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras) que busca demonstrar a força do cooperativismo em prol das transformações sociais. As organizações participantes realizam ações de responsabilidade social nas comunidades, alinhadas aos princípios do cooperativismo, por meio de iniciativas de voluntariado. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

{vsig}2021/noticias/07/20/dia_c_sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

DIA C II: Parceria entre cooperativas marcam o Dia Internacional do Cooperativismo no Vale Do Ivaí

Dia 3 de julho foi celebrado o Dia Internacional do Cooperativismo, juntamente com o Dia C, o Dia de Cooperar. Várias ações foram realizadas em todo o país e, no Vale do Ivaí, no Paraná, as cooperativas Unimed Apucarana e a Uniprime se uniram em prol dos idosos. A campanha #VemCooperar2021, iniciada no começo de junho, incentivou a arrecadação de litros de leite para os lares de idosos São Vicente de Paula, em Apucarana, e para o Lar Santo Antônio, em Ivaiporã.

Colaborar com o próximo - Segundo o médico mastologista e presidente da Unimed Apucarana, Ribamar Maroneze, entusiasta de ações sociais, “colaborar com o próximo faz parte do mundo cooperativo,” destaca.

Engajamento - O engajamento das pessoas foi grande, no total, foram arrecadados 887 litros de leite nas cidades de Apucarana e Ivaiporã. Ao todo, 137 idosos serão beneficiados com a ação.

Sobre o Dia C - Promovido pela OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), o DIA C acontece em alusão ao Dia do Cooperativismo, lembrado sempre no primeiro sábado do mês de julho, quando diversas atividades com foco na solidariedade acontecem pelo país. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

{vsig}2021/noticias/07/20/dia_c_unimed_ponta_grossa/{/vsig}

COCAMAR: Dia de Campo de Inverno Digital será de 9 a 15 de agosto

cocamar 20 07 2021A Cocamar promove na semana de 9 a 15 de agosto o Dia de Campo de Inverno Digital, no qual, por meio de uma plataforma, os cooperados poderão obter informações sobre novos produtos e tecnologias como se estivessem num evento presencial.

Acessos - O objetivo é ter dezenas de milhares de acessos na soma dos sete dias - na edição 2020 o número superou os 120 mil, mas isto se deu ao longo de um mês.

Trabalhos técnicos - Conforme explica o engenheiro agrônomo Rodrigo Sakurada, coordenador das Unidades de Difusão de Tecnologias (UDT), a plataforma vai apresentar trabalhos técnicos conduzidos pela cooperativa e seus parceiros e haverá também um balcão de negócios.

Produtos - Além disso, trinta empresas fornecedoras estarão divulgando sua linha de produtos voltados ao aumento da eficiência e produtividade das culturas de inverno. A programação vai incluir, ainda, uma orientação sobre a importância da co-inoculação na cultura da soja, cuja semeadura inicia em setembro.

Reportagem - O Dia de Campo de Inverno Digital da Cocamar vai ser o tema de uma reportagem especial no domingo (08/08), véspera da abertura, pelo programa RIC Rural, da RIC TV/Record, que começa às 9h.

Palestra/debate - Na segunda-feira (09/08), a plataforma poderá ser acessada a partir das 8h e, na parte da tarde, um destaque da programação é a palestra/debate a ser promovida com pesquisadores da Embrapa sobre manejo do solo e o emprego da tecnologia BioAS, desenvolvida por aquela instituição, que agrega o componente biológico às análises de rotina de solos.

Serviço - Mais informações sobre como acessar vão ser divulgadas oportunamente. (Imprensa Cocamar)

 

COOPAGRÍCOLA: Cooperativa lança plataforma de informações aos cooperados, a Lavoura Virtual

coopagricola 20 07 2021A Coopagrícola, com o objetivo de atender as necessidades de informações dos produtores, está lançando a “Lavoura Virtual”. Trata-se de um hotsite ou plataforma em que estarão registrados, em vídeos, no período de julho a outubro de 2021, todas as fases de desenvolvimento das culturas de trigo e cevada nos campos demonstrativos da cooperativa, com o manejo específico recomendado para cada uma, até chegar nos resultados de colheita.

Cevada - A ênfase será dada principalmente à cultura da cevada pois, com a entrada da Coopagrícola no Projeto de Maltaria dos Campos Gerais, será necessário aumentar as áreas de plantio, orientando e incentivando o produtor a implantar esta cultura, que é bastante promissora e vai agregar muito valor à região, mas sem deixar de incentivar o plantio de trigo, uma cultura que tem dado muito resultado para o produtor e para a cooperativa.

Objetivo– Os principais objetivos da iniciativa são:

- Demonstrar todo o trabalho da assistência técnica na orientação e acompanhamento do produtor rural;

- Demonstrar o desempenho das cultivares de trigo e cevada comercializadas pela cooperativa na fase de dessecação à colheita;

- Oferecer um balcão de vendas, onde os produtores poderão encontrar os insumos agrícolas, sementes, produtos agropecuários comercializados pela Coopagricola, das melhores marcas e com preços especiais;

- De um modo geral, é uma ferramenta de marketing que vai apresentar a cooperativa como um todo, sua tradição, suas pessoas, seus produtos e serviços.

Interação - O hotsite ou plataforma ainda vai ter uma área para interação, com esclarecimento de dúvidas e espaço para realização de negócios. Os grandes parceiros da Coopagricola também estarão presentes, apresentando também, por meio de vídeos, as suas respectivas empresas, além dos seus produtos e serviços.

A Coopagrícola - A Coopagricola é uma cooperativa genuinamente ponta-grossense, fundada há 59 anos, com unidades de atendimento aos produtores em Ponta Grossa, Palmeira, Ipiranga e Ivaí. Conta com um quadro social composto por 800 cooperados de quase todos os municípios dos Campos Gerais, além de centenas de produtores terceiros que negociam com a cooperativa.

Mudanças - Durante todo esse este tempo de vida, como todas as empresas, a cooperativa teve que ir se adaptando às mudanças tecnológicas ocorridas na sociedade, para manter-se atuante. A pandemia da Covid-19 levou ao desenvolvimento de grandes mudanças e na cooperativa não foi diferente, pois foi preciso acelerar alguns processos, para que a ela pudesse acompanhar o ritmo do mercado e, principalmente, se manter competitiva.

Dia de Campo Virtual - A Coopagrícola acompanhou, por exemplo, a implantação de Dias de Campos virtuais por quase todas as empresas do agro e, assim, também realizou o seu evento no início de 2021, proporcionando grande visibilidade e, principalmente, satisfação por parte do produtor. E, agora, está lançando mais uma novidade para atender as demandas dos cooperados, que é a Lavoura Virtual (www.lavouravirtual.com.br). (Com informações da Assessoria da Coopagrícola)

 

IMUNIZAÇÃO I: Vacinas com preços especiais previnem meningite e outras seis doenças que podem ser perigosas para bebês

imunizacao 20 07 2021A cada 10 pessoas, uma pode portar a bactéria meningococo do tipo B, segundo levantamento do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC). E o microorganismo pode ocasionar infecções generalizadas e quadros bastante perigosos, atacando as membranas do cérebro e a corrente sanguínea, o que significa um dos tipos de meningite meningocócica. “Com esse cenário, a melhor forma de prevenção a essa bactéria é a vacina Meningo B que pode ser aplicada em bebês, crianças, adolescentes e adultos. Uma medida que pode salvar vidas”, explica o médico infectologista Jaime Rocha, diretor de Prevenção e Promoção à Saúde da Unimed Curitiba e responsável pela Unimed Laboratório.

Hexavalente - Outra imunização muito importante para a saúde do bebê é a vacina Hexavalente, pois ajuda a prevenir seis doenças que podem ser muito perigosas para os pequenos: difteria, tétano, coqueluche, poliomielite (paralisia infantil), haemophilus influenzae tipo B e hepatite B. A Sociedade Brasileira de Imunizações recomenda essa vacina para crianças a partir de 2 meses até 7 anos de idade, e neste momento a pandemia da COVID-19 pode ter provocado atraso no calendário vacinal de muita gente. Mas, para o infectologista, hoje a população compreende com maior clareza a necessidade da imunização. Ele ressalta que “o estado pandêmico deixou mais evidente o papel da imunização como principal recurso na prevenção de doenças causadas por vírus e bactérias. Cuidado nunca é demais”.

Campanha especial - Por isso, a Unimed Laboratório lança uma campanha especial para essas duas vacinas e está com descontos exclusivos que valem tanto para beneficiários Unimed Curitiba e pacientes Cartão Pop quanto para particulares. A dose da Hexavalente está disponível por R$ 137,00 e a dose da Meningo B está R$ 393,00. Bastante procuradas, as vacinas são aplicadas na megaunidade da Unimed Laboratório (bairro Água Verde) e podem ser tomadas em qualquer horário porque não exigem jejum.

Vigência - Milton Zymberg, superintendente da Unimed Laboratório, conta que essa oferta exclusiva estará vigente enquanto durarem os lotes com valores especiais. O valor pode ser parcelado em até 10 vezes, com prestação mínima de R$ 50,00. “Disponibilizamos esses preços especiais como incentivo à proteção porque essa é a maneira mais eficaz de garantir que algumas doenças sejam erradicadas. E a prevenção precisa começar desde cedo. Mais do que um compromisso individual, vacinar-se é um gesto coletivo de proteção e carinho”, afirma. (Imprensa Unimed Laboratório)

SERVIÇO:

Unimed Laboratório

Vacina Hexavalente - R$ 137,00 a dose

Vacina Meningo B - R$ 393,00 a dose

Disponível na megaunidade da Av. Iguaçu, 1815, bairro Água Verde, Curitiba – PR

Informações: (41) 3021-5252

 

IMUNIZAÇÃO II: Sesi/PR disponibiliza últimas doses de vacina contra gripe por R$ 60,00

O Sesi/PR está disponibilizando as últimas doses da vacina contra H1N1 quadrivalente ao preço de R$ 60,00. Todos os anos, a entidade promove a Campanha de Vacinação contra a Gripe para os trabalhadores das indústrias paranaenses, também de empresas associadas aos sindicatos filiados ao Sistema Fiep e cooperativas. Mais informações: comercial@sistemafiep.org.br.

 

imunizacao II 20 07 2021

INCRA: Proprietários de imóveis rurais já podem emitir o Certificado de Cadastro de Imóvel Rural de 2021

incra 20 07 2021Desde esta segunda-feira (19/07), está disponível para consulta e emissão o Certificado de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR) referente a 2021. O documento pode ser acessado pelos proprietários de imóveis rurais a partir de banner indicativo no site do Incra ou diretamente no endereço https://sncr.serpro.gov.br/ccir/emissao.

Aplicativo - Outro recurso é baixar, em dispositivos móveis - como smartphones e tablets - o aplicativo “SNCR Mobile”, disponibilizado no Google Play e na App Store.

Validade - A validade do CCIR 2021 está condicionada ao pagamento da Taxa de Serviço Cadastral, por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU), a ser impressa juntamente com o certificado. O valor depende do tamanho da área e deve ser quitado até 17 de agosto, sem cobrança de juros e correção, exclusivamente na rede de atendimento do Banco do Brasil.

Emissão - No total, 6.799.659 imóveis rurais devem emitir o CCIR e pagar a taxa de serviço, cujo valor mínimo é de R$ 4,40 - para áreas com até 25 hectares. Débitos da taxa de anos anteriores serão cobradas no atual certificado.

Segunda via- Caso seja necessário imprimir segunda via do documento já quitado, não será preciso pagar novamente a taxa.

Importância - O CCIR comprova a inscrição das propriedades e posses rurais junto ao Sistema Nacional de Cadastro Rural (SNCR) - base de dados do governo federal gerenciada pelo Incra na qual constam informações de áreas públicas e privadas.

Informações - Titularidade, dimensão da área, localização, tipo de exploração realizada e classificação fundiária estão expressos no documento. A alteração em qualquer desses itens exige comunicação ao Incra, a ser procedida pelos proprietários via internet por meio da Declaração para Cadastro Rural (https://sncr.serpro.gov.br/dcr).

Prova - O CCIR constitui prova do cadastro do imóvel rural no SNCR. É indispensável para desmembrar, arrendar, hipotecar, vender ou prometer em venda o imóvel rural e para homologação de partilha amigável ou judicial (sucessão causa mortis) de acordo com os parágrafos 1º e 2º do artigo 22 da Lei nº 4.947, de 6 de abril de 1966.

Impossibilidade - Sem a apresentação do CCIR, os proprietários, titulares do domínio útil ou possuidores a qualquer título de imóvel rural, não poderão, sob pena de nulidade, realizar as mencionadas operações. As informações constantes do CCIR são exclusivamente cadastrais e, nos termos do parágrafo único do artigo 3º da Lei nº 5.868, de 12 de dezembro de 1972, “não fazem prova de propriedade ou de direitos a ela relativos”.

Crédito agrícola- A apresentação do certificado também é obrigatória quando o produtor solicitar crédito agrícola em bancos e instituições financeiras.

Dúvidas - Dúvidas podem ser esclarecidas junto às unidades do Incra e Unidades Municipais de Cadastramento (UMC).

Relação - Consulte a relação de UMC no mapa a seguir. (Mapa)

FOTO: iStock / Mapa

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Balança tem superávit de US$ 41,79 bilhões no ano, até a terceira semana de julho

comercio exterior 20 07 2021A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 41,79 bilhões no acumulado do ano, até a terceira semana de julho, com crescimento de 51,2% em relação ao superávit de janeiro a julho de 2020. A corrente de comércio (soma das exportações e importações) aumentou 33,2% no período, atingindo US$ 259,08 bilhões. As exportações até a terceira semana de julho cresceram 35,5% e somaram US$ 150,44 bilhões, enquanto as importações subiram 30,2% e totalizaram US$ 108,65 bilhões, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (19/07) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.

Crescimento - No mês, comparado a julho de 2020, as exportações cresceram 43,6% e somaram US$ 14,55 bilhões. As importações aumentaram 53,9% e totalizaram US$ 9,49 bilhões. Assim, a balança comercial teve superávit de US$ 5,06 bilhões, em alta de 27,6%, e a corrente de comércio subiu 47,5%, alcançando US$ 24,04 bilhões.

Exportações do mês - A Secex verificou aumento das exportações, em julho, em todos os setores. Houve crescimento de 20,7% na agropecuária, com US$ 2,98 bilhões; alta de 69,7% na indústria extrativa, que chegou a US$ 4,16 bilhões; e aumento de 42,2% nas vendas da indústria de transformação, que somou US$ 7,36 bilhões.

Agropecuária - Pelo lado da agropecuária, o crescimento foi impulsionado pelas vendas de soja (+40%), madeira em bruto (+326,6%) e produtos hortícolas, frescos ou refrigerados (+44,5%). Na indústria extrativa, destacaram-se as altas nas exportações de minério de ferro e seus concentrados (+109,7%), óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (+36,6%) e pedra, areia e cascalho (+83,6%).

Indústria de transformação - Já a indústria de transformação vendeu mais óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+139,7%), produtos semiacabados, lingotes e outras formas primárias de ferro ou aço (+232,6%) e farelos de soja e outros alimentos para animais – excluídos cereais não moídos –, farinhas de carnes e outros animais (+58,7%).

Importações do mês - O Brasil também comprou mais em todos os setores, neste mês, até a terceira semana. O crescimento foi de 33,5% nas importações da agropecuária, que somaram US$ 224,54 milhões; de 121,8% na indústria extrativa, com US$ 534,10 milhões; e de 52% na indústria de transformação, que alcançou US$ 8,63 bilhões.

Alta - Na agropecuária, o crescimento nas importações foi influenciado pela alta das compras de pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado (+113,5%), látex, borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais (+153,4%) e trigo e centeio, não moídos (+16,4%).

Destaques - Entre os produtos da indústria extrativa, os destaques foram as compras de gás natural, liquefeito ou não (+354,1%), óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus (+44,3%) e carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado (+111,9%).

Aquisições - Pela indústria de transformação, as maiores altas foram das compras de adubos ou fertilizantes químicos, exceto fertilizantes brutos (+51,9%), partes e acessórios dos veículos automotivos (+145,7%) e óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (+68,1%). (Ministério da Economia)

Veja os principais resultados da balança comercial

FOTO: Pixabay

 

BRDE: Volume de crédito do banco para indústria tem aumento de 76% no 1º semestre no Paraná

brde 20 07 2021As contratações de crédito do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) pelo setor industrial do Paraná chegaram a R$ 149,16 milhões de janeiro a junho deste ano, o que representa aumento de 76% em relação ao mesmo período do ano passado, que foi de R$ 84,42 milhões.

Paraná - O volume de contratos do Paraná junto ao setor industrial foi o maior entre os três estados do Sul – área de atuação do banco. O crédito ao Estado ficou à frente do Rio Grande do Sul, com R$ 126,49 milhões, e Santa Catarina, com R$ 49,96 milhões.

Agroindústrias - No Paraná, as indústrias que mais contrataram no período foram do setor agroindustrial, de suínos e de aves, com R$ 79 milhões, puxados pelo crescimento na base da cadeia. A produção de suínos aumentou 10,6% no primeiro trimestre (241,3 mil toneladas de carne produzidas e 2,5 milhões de porcos abatidos), enquanto na avicultura o crescimento foi de 4,9%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Alimentícia - Em seguida vem a indústria alimentícia, com contratações que somam R$ 34,7 milhões. O segmento de papel e editora somou R$ 13,5 milhões e as indústrias de cosméticos contrataram R$ 5,5 milhões para novos investimentos e custeio.

Alinhamento - O vice-presidente e diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley, destacou que os resultados do banco no Paraná estão alinhados ao processo crescimento na produção industrial do Estado.

Aumento - De janeiro a maio, a produção do setor aumentou 20% em comparação com os primeiros cinco meses do ano passado. O resultado foi o quinto melhor do Brasil, de acordo com pesquisa do IBGE. Em comparação, o Brasil teve uma média de crescimento de 13,1% no mesmo período.

Inovação - “O Estado não para de crescer e o BRDE, como banco atrelado à inovação, exerce seu papel em favor do crescimento industrial paranaense”, disse “Desta maneira, o Paraná se mantém forte, mesmo em meio à crise causada pela pandemia”.

Impacto - Segundo ele, a expansão da indústria impacta diretamente todos os setores, gerando empregos e desenvolvendo cidades. De janeiro a maio, a indústria puxou a abertura de novas vagas no Estado, com a criação de 27.991 oportunidades com carteira de trabalho no acumulado do ano. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: BRDE

 

ECONOMIA I: Pronampe emprestou 40% dos recursos em dez dias

Em dez dias de funcionamento, a nova fase do Programa Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Pronampe) emprestou 40% dos recursos, informou o Ministério da Economia. Dos R$ 25 bilhões disponíveis, R$ 10 bilhões haviam sido contratados até o fim da semana passada por cerca de 130 mil empresas.

Ritmo - Caso o ritmo de empréstimos se mantenha, o programa esgotará os recursos no início da próxima semana. Criado no ano passado para ajudar micro e pequenas empresas afetadas pela pandemia de covid-19, o Pronampe tornou-se permanente neste ano, mas o volume que pode ser emprestado depende da quantia injetada no Fundo Garantidor de Operações (FGO).

Calotes - Com aportes de recursos do Orçamento, o FGO foi criado para cobrir eventuais calotes dos tomadores e facilitar a concessão de empréstimos. Neste ano, o governo injetou R$ 5 bilhões no fundo, o que deve garantir R$ 25 bilhões em empréstimos nesta fase do Pronampe, com a alavancagem (multiplicação de crédito) dos bancos. O governo prevê atender de 280 mil até 325 mil empresas na atual rodada.

Qualificadas - De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), atualmente cerca de 5 milhões de empresas se qualificam para pegar créditos no Pronampe. Caso todos os negócios enquadrados pegassem empréstimos, seriam necessários de R$ 160 bilhões a R$ 200 bilhões para atender a todos os demandantes.

Bancos - Com a demanda maior que a oferta, os recursos começaram a se esgotar nos bancos que operam o Pronampe. Com R$ 3,2 bilhões destinados ao programa, o Banco do Brasil emprestou todo o dinheiro em apenas dois dias. O Bradesco também emprestou totalmente a quantia de R$ 1,7 bilhão em recursos disponíveis.

Sicoob - No Sistema de Cooperativas Financeiras do Brasil (Sicoob), foram emprestados cerca de R$ 300 milhões do R$ 1,2 bilhão disponíveis. Por enquanto, os clientes ainda podem procurar a Caixa Econômica Federal, que tem a maior verba para o Pronampe, no total de R$ 6,3 bilhões, e os bancos privados Santander e Itaú.

Bancos de desenvolvimento - Uma opção para os micro e pequenos empresários são os bancos de desenvolvimento, como Banco da Amazônia e Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais. Essas instituições começaram a emprestar mais tarde, porque estavam concluindo os testes nos sistemas na primeira semana da nova fase do programa.

Demanda - Em junho, o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia Carlos da Costa disse que o governo poderia estudar um novo aporte de recursos ao FGO para ampliar o orçamento do Pronampe. No entanto, a medida depende de estudos sobre o impacto fiscal para sair do papel. Isso porque o dinheiro do FGO vem do Orçamento Geral da União e um aporte do Tesouro Nacional influencia o teto de gastos.

Receita bruta - Só podem contrair empréstimos no Pronampe microempresas com receita bruta de até R$ 360 mil ou pequenas empresas com receita bruta de até R$ 4,8 milhões em 2020. As operações têm 48 meses (quatro anos), com 6 a 11 meses de carência (pausa para o pagamento da primeira prestação), dependendo do banco.

Juros - Os juros equivalem à taxa Selic (juros básicos da economia) mais 6% ao ano. Atualmente, a Selic está em 4,25% ao ano. Cada empresa poderá pegar até R$ 150 mil em crédito, somadas as operações já contratadas.

Utilização - Os recursos podem ser usados para investimentos e capital de giro isolado ou associado ao investimento. Dessa forma, além de realizarem reformas e adquirirem máquinas e equipamentos, as micro e pequenas empresas podem usar os recursos do Pronampe para despesas operacionais, como pagamento de salário e compra de matérias-primas e de mercadorias. (Agência Brasil)

ECONOMIA II: Vendas no comércio crescem 10,1% no primeiro semestre, diz Serasa

economia II 20 07 2021As vendas no comércio físico brasileiro cresceram 10,1% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, apontou o Indicador de Atividade do Comércio. Esse foi o maior crescimento semestral desde 2010, disse a Serasa Experian.

Parcial - No entanto, segundo Luiz Rabi, economista da Serasa Experian, essa alta observada é uma recuperação apenas parcial, “pois não compensa a queda expressiva relacionada a pandemia em 2020”.

Setor - A alta foi puxada pelo setor de móveis, eletrodomésticos, eletroeletrônicos e informática, que cresceram 13,6% no período. Já a retração ocorreu principalmente nos setores de tecidos, vestuário, calçados e acessórios, com queda de 6,5% no período.

Junho - No mês de junho, o Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian teve alta de 1,1% frente ao mês anterior. O segmento de tecidos, vestuários, calçados e acessórios teve um crescimento expressivo de 30,9%, o que impulsionou o cenário positivo do índice.

Desemprego - “Com o alto nível de desemprego e a diminuição do auxílio emergencial, as pessoas ainda estão seguindo o modelo de consumo por necessidade, o que afeta as vendas do varejo. A alta expressiva do setor de tecidos, vestuários, calçados e acessórios pode estar ligada ao período de frio iniciado em junho, que reforçou a demanda por esses itens”, disse Rabi. (Agência Brasil)

FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

 

CÂMBIO: Temor com variante delta eleva dólar para R$ 5,25

cambio 20 07 2021Em um dia de pânico no mercado financeiro internacional, o dólar teve a maior alta diária em dez meses e voltou a fechar acima de R$ 5,20. O temor com a disseminação da variante delta do novo coronavírus também provocou turbulência na bolsa de valores, que caiu para o menor nível desde o fim de maio.

Cotação - O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (19/07) vendido a R$ 5,251, com alta de R$ 0,135 (+2,64%). Esta foi a maior valorização para um dia desde 18 de setembro do ano passado. A cotação está no maior valor desde 27 de maio, quando tinha fechado a R$ 5,255.

Ibovespa - Na bolsa de valores, o índice Ibovespa, da B3, iniciou a semana com queda de 1,24%, fechando aos 124.395 pontos. Em baixa pela terceira sessão seguida, o indicador está no nível mais baixo também desde 27 de maio. Na ocasião, o índice tinha encerrado aos 124.367 pontos.

Mundo - Em todo o planeta, o dólar subiu e as bolsas caíram. O crescimento de casos de covid-19 em diversos países avançados voltou a reforçar as expectativas de que novas medidas de restrição social sejam impostas por diversos governos. Isso força os investidores a revisarem para baixo as projeções de recuperação da economia global.

Fim das restrições - O fim da maioria das restrições sociais no Reino Unido, que começou a vigorar nesta segunda, não animou os mercados. O receio de que o número de casos no país, assim como no restante da Europa, dispare predominou nas negociações.

Opep - A decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de aumentar a produção nos próximos dois anos também não reduziu o pessimismo dos investidores. A cotação do barril de petróleo caiu cerca de 5% após o anúncio da medida, mas o receio de que novos lockdowns em economias avançadas reduza a demanda de combustíveis também influenciou as negociações. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

PARANÁ DAY: Governador Ratinho Junior cumpre agenda no México para atrair novos investimentos

parana day 20 07 2021O governador Carlos Massa Ratinho Junior cumpre agenda oficial a partir desta terça-feira (20/07) no México. Entre os compromissos da missão internacional está um Paraná Day, o primeiro depois da pandemia. O objetivo é apresentar os potenciais econômicos do Estado e atrair investidores em diversas áreas, da infraestrutura a cadeias produtivas nas quais o Paraná já se destaca globalmente.

Quinta edição - É o quinto Paraná Day promovido pelo Governo do Estado. O primeiro aconteceu em Curitiba, logo no início da gestão. Eventos similares foram realizados também em Brasília (DF), Nova York (Estados Unidos) e Madri (Espanha). Trata-se de uma conversa ampla e franca com empresários, adidos comerciais e diplomatas para apresentar as características e os potenciais econômicos do Paraná e das suas empresas públicas.

Dinâmico - “Somos um dos estados mais dinâmicos e modernos do Brasil, com acesso privilegiado aos principais centros consumidores do Mercosul, e destaque mundial em sustentabilidade, o que já foi reconhecido pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Vamos mostrar aos investidores mexicanos que estamos abertos a novos investimentos, com uma retomada econômica acelerada. Atrair novas empresas vai ajudar o Estado no pós-pandemia", disse Ratinho Junior.

Salão Nobre da Embaixada - O Paraná Day será realizado no Salão Nobre da Embaixada do Brasil no México, na quinta-feira (22/07). Além do governador, técnicos da Invest Paraná, agência estadual responsável pela atração de negócios, também participarão da apresentação.

Visita - Na quarta-feira (21/07), Ratinho Junior visita as instalações do Cablebus, sistema de transporte por teleféricos da Cidade do México que tem quase 20 quilômetros, e o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento, entidade sem fins lucrativos que promove o transporte sustentável e equitativo no mundo. Na sexta-feira (23/07), em Puerto Vallarta, a 800 quilômetros da capital mexicana, no estado de Jalisco, vai conhecer as instalações do teleférico do complexo turístico Nuevo Vidanta.

Capital muito populosa - "O México é um país com uma capital muito populosa, com mais de 8 milhões de habitantes, e que precisou desenvolver sistemas de transporte alternativos ao longo das últimas décadas. Queremos conhecer essa dinâmica e trocar experiências para trazer bons exemplos para o Paraná", acrescentou Ratinho Junior.

Piana - Nesse período, o vice-governador Darci Piana assume o posto no Executivo como governador em exercício. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Jonathan Campos / AEN

 

LEGISLATIVO: Senado pode votar medidas de proteção ao trabalhador na pandemia

legislativo 20 07 2021O Senado deve analisar em breve uma proposta que institui uma série de medidas de proteção para trazer mais segurança ao retorno, reinserção ou continuidade do trabalhador no ambiente de trabalho. O PL 2.477/2021 determina ao Poder Executivo a criação de normas regulamentadoras (NRs) durante o período de enfrentamento à covid-19.

Critérios - O texto, apresentando pelo senador Jean Paul Prates (PT-RN), estabelece que as normas deverão levar em consideração as variações dos índices locais de transmissão, assim como as cautelas sanitárias pertinentes às particularidades de cada atividade laboral. Além disso, a elaboração das normas será feita com base em consultas públicas, em que deverão ser ouvidos o Ministério Público do Trabalho (MPT) e as entidades sindicais dos trabalhadores e empregadores dos setores cujas atividades estejam ou possam ser suspensas. 

Nova realidade - “A nova realidade imposta pela pandemia demanda dos empregadores a implementação de todas as medidas antecipatórias destinadas a eliminar ou mitigar os impactos do novo coronavírus. Soma-se a isso que, com o agravamento da crise sanitária, diversos governos estaduais e municipais, com base em dados e informações científicas, têm procurado adotar isolamento social rigoroso, inclusive com a suspensão de atividades econômicas, visando diminuir os percentuais de contaminação da população”, diz o autor na justificativa do projeto.

Níveis de risco - Na proposta, as atividades laborais são classificadas em quatro níveis de risco: altíssimo, alto, médio e baixo. O texto ainda especifica normas internas e protocolos de retorno para as atividades consideradas de altíssimo, alto e médio risco. Entre as atividades de maior risco, por exemplo, estão aquelas que envolvem potencial de exposição a fontes conhecidas ou suspeitas de covid-19, contato direto com grande número de pessoas no local de trabalho ou em trânsito, circulação em ambientes com pessoas sabidamente suspeitas de contaminação ou já diagnosticadas, ou ambientes de trabalho em que a distância seja menor que dois metros entre trabalhadores.

Alto - Nos casos de alto risco, os empregadores deverão garantir, no mínimo, a testagem de retorno de todos os trabalhadores, pelo menos 48 horas antes do reinício da atividade laboral, e testagem regular por amostragem, em prazo não superior a 30 dias. Também terão de disponibilizar equipamentos de proteção individual (EPIs) gratuitos e formar grupos de profissionais de atuação conjunta que poderão ser afetados parcial ou totalmente pelas medidas de suspensão das atividades.

Classificação - A classificação é feita de acordo com os moldes propostos pela Occupational Safety and Health Administration (OSHA-US) e adotado pelos Estados Unidos da América. “País este, inclusive, que já tem mais da metade da sua população vacinada e sem mais a obrigatoriedade do uso de máscaras”, escreve o autor do projeto. 

Modelo de protocolo - Segundo a proposição, o Poder Executivo deve emitir um modelo de protocolo padrão para micros e pequenas empresas e para microempreendedores individuais (MEI), priorizando a simplificação dos procedimentos. O protocolo incluirá, no mínimo, máscara com nível de proteção PFF2 ou superior, álcool em gel, distanciamento pessoal e equipamentos de proteção individual compatíveis com as atividades desenvolvidas pelos empregados. 

Vacinação - O texto propõe que, após a finalização das prioridades do Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a covid-19, a nova etapa deverá contemplar, por ordem de risco, as atividades laborais. Assim, a recusa deliberada, persistente e sem justificativa médica da vacinação, quando disponível, será considerada justa causa para demissão. 

Rescisão - Dessa forma, a rescisão do contrato de trabalho deverá obrigatoriamente conter medidas para esclarecimento do trabalhador, fornecendo todas as informações necessárias para elucidação a respeito do procedimento de vacinação e das consequências jurídicas da recusa. 

Trabalho remoto - Enquanto durar a pandemia, será obrigação dos empregadores disponibilizar infraestrutura, materiais, equipamentos de tecnologia e serviços de dados e de telefonia necessários à prestação do teletrabalho, trabalho em domicílio (home office) ou a distância pelo empregado, além de cumprir e fazer cumprir os limites de jornada, as pausas e os intervalos laborais, determina a proposta. 

Despesas - As despesas decorrentes da disponibilização da infraestrutura ou de equipamentos não poderão ser descontadas dos salários dos empregados. De acordo com o projeto, até mesmo o reparo dos bens fornecidos deverá ser reembolsado pelo empregador.

Data - Ainda não há data prevista para a análise da proposta pelos senadores. (Agência Senado)

FOTO: EBC

 

SAÚDE I: Brasil tem 542,7 mil mortes e 19,3 milhões de casos

O Brasil chegou, nesta segunda-feira (19/07), ao número total de 542.756 vidas perdidas em função da pandemia do novo coronavírus. Em 24 horas, as autoridades de saúde confirmaram 542 mortes. No domingo (18/07), o total de óbitos estava em 542.214.

Infectadas - Já o número de pessoas infectadas desde o início da pandemia é de 19.391.845. Entre domingo e segunda-feira (18 e 19/07), foram registrados 15.271 novos diagnósticos positivos de covid-19. Até domingo, a soma de casos acumulados era de 19.376.574.

Acompanhamento - Há ainda 782.009 casos em acompanhamento. O nome é dado para pessoas cuja condição de saúde é observada por equipes de saúde e que ainda podem evoluir para diferentes quadros, inclusive graves. Nas últimas duas semanas, esse índice vem caindo progressivamente.

Atualização - Os novos dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde divulgada nesta segunda-feira (19/07), que consolida informações levantadas pelas secretarias estaduais de saúde. O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 somou 18.067.080.

Dados - Os dados, em geral, são menores aos domingos e às segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais. Já às terças-feiras, os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

Estados - O balanço diário do ministério também traz os dados por estado. No alto do ranking de mortes por covid-19 estão São Paulo (134.900), Rio de Janeiro (57.585), Minas Gerais (48.988), Paraná (33.813) e Rio Grande do Sul (32.669).

Menos registros - Na ponta de baixo estão Acre (1.779), Roraima (1.811), Amapá (1.883), Tocantins (3.415) e Alagoas (5.656).

Vacinação - Os números de vacinação ainda não haviam sido atualizados pela pasta até o fechamento da matéria. (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2021-07-19 at 19.31.57

SAÚDE II: Boletim registra mais 2.333 casos de Covid-19 e 73 óbitos

saude II 20 07 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (19/06) mais 2.333 casos e 73 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas.

Soma - Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 1.340.228 casos e 33.625 óbitos. Há ajustes ao final do texto.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (2), fevereiro (3), março (22), abril (35), maio (262), junho (319) e julho (1.690) de 2021.

Internados - O informe relata que 1.501 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 1.174 em leitos SUS (643 em UTIs e 531 em enfermarias) e 327 em leitos da rede particular (162 em UTIs e 165 em enfermarias).

Exames - Há outros 1.891 pacientes internados, 904 em leitos de UTI e 987 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria da Saúde informa a morte de mais 73 pacientes. São 27 mulheres e 46 homens, com idades que variam de 25 a 91 anos. Os óbitos ocorreram de 01 de março a 19 de julho de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (4), São José dos Pinhais (4), Antonina (2), Arapongas (2), Araucária (2), Bituruna (2), Cerro Azul (2), Cidade Gaúcha (2), Colombo (2), Contenda (2), Cruzeiro do Oeste (2), Cândido de Abreu (2), Fernandes Pinheiro (2), Floresta (2), Foz do Iguaçu (2), Guarapuava (2), Ibiporã (2), Irati (2), Laranjeiras do Sul (2), Maringá (2), Porto Barreiro (2), Roncador (2), Santo Antônio do Sudoeste (2), São Jorge d'Oeste (2) e São Pedro do Iguaçu (2).

Uma morte- O informe registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Assis Chateaubriand, Cascavel, Cornélio Procópio, Engenheiro Beltrão, Farol, Imbaú, Ipiranga, Joaquim Távora, Londrina, Paiçandu, Palmas, Paranaguá, Paranavaí, Ponta Grossa, Ribeirão do Pinhal, Santa Isabel do Ivaí, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu e Terra Roxa.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 7.055 casos de não residentes no Estado – 188 pessoas foram a óbito. (Agência de Notícias)

Confira o Informe completo.

 

SAÚDE III: 312,7 mil vacinas contra Covid-19 chegam ao Paraná entre terça e quarta

saude III 20 07 2021O Ministério da Saúde confirmou na tarde desta segunda-feira (19/07) que o Paraná receberá 312.780 novas doses de vacinas contra Covid-19 entre a noite de terça-feira (20/07) e o começo da madrugada da quarta-feira (21/07). Elas integram um lote de 453,7 mil vacinas anunciado pelo governo federal no domingo. Os imunizantes se somam a outros 141 mil que aterrissaram no Estado às 22h20 desta segunda-feira (19/07).

Chegada - As 243.750 doses da AstraZeneca/Fiocruz/Oxford chegam às 20h05 da terça-feira (20/07) ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, no voo AD 4078. Já as 69.030 vacinas da Pfizer/BioNTech chegam cerca de quatro horas mais tarde, às 00h20 da quarta-feira (21/07), no voo LA-3878.

Cemepar - Na sequência, elas serão encaminhadas ao Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), onde serão conferidas e separadas para o envio às 22 Regionais de Saúde do Estado. Elas se somam às 88.200 doses do imunizante Coronavac (Sinovac/Butantan) e 52.800 da Covishield (Oxford/AstraZeneca). A distribuição para os municípios deve começar na quarta-feira.

Destinação - As doses são destinadas ao avanço da aplicação de primeira dose na população em geral e população de fronteira, além da segunda dose para comorbidades, pessoas com deficiência permanente, gestantes e puérperas e população geral. Ao todo, o Ministério da Saúde prevê encaminhar nesta semana mais de 8 milhões de doses de vacinas aos 27 estados.

Vacinômetro - Até a tarde desta segunda-feira (19/07), o Paraná aplicou quase 7 milhões de vacinas. São 5.163.163 primeiras doses, 1.553.111 segundas doses e 277.191 doses únicas. 62,38% da população recebeu ao menos uma dose, e 21% está completamente imunizada. A meta da Secretaria de Estado da Saúde é aplicar pelo menos uma dose em 80% da população adulta do Paraná até agosto, e em 100% até o fim de setembro. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: José Fernando Ogura / AEN

 

SAÚDE IV: Paraná confirma mais quatro casos da variante delta na região de Curitiba

saude IV 20 07 2021A Secretaria da Saúde do Paraná confirmou nesta segunda-feira (19/07) mais quatro casos da variante delta no Estado, todos na área da 2ª Regional de Saúde (da Grande Curitiba). Os confirmados são em Curitiba, Araucária, Piên e Piraquara. Segundo o Ministério da Saúde, a transmissão ainda não é considerada comunitária porque o estudo dos casos segue em andamento.

Casos - Os quatro casos confirmados são um homem de 78 anos, de Araucária, que foi a óbito em 30 de junho; um homem de 64 anos, de Piên, que foi a óbito no dia 11 de julho; uma mulher gestante de 24 anos, de Curitiba, que está bem, se recuperou da doença; e um adolescente de 13 anos, de Piraquara, que também evoluiu satisfatoriamente.

Total - O Paraná totaliza até o momento 13 casos confirmados da variante delta, com seis óbitos. Todos passaram sequenciamento genômico realizado pelo Laboratório da Fiocruz, no Rio de Janeiro. Já são nove cidades com casos: Curitiba, Apucarana, Francisco Beltrão, Rolândia, Mandaguari, São José dos Pinhais, Piên, Piraquara e Araucária.

Avaliação permanente - Segundo técnicos da Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde e da Sesa, a avaliação sobre o cenário da transmissão da variante delta no Paraná é permanente.

Atento - “O Paraná está atento à transmissão da variante, considerada de atenção, desde os primeiros casos. Acompanhamos a investigação da rede de contatos dos casos confirmados. Existe uma investigação ampliada há dez dias com a participação de equipes do Ministério da Saúde, do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde (EpiSUS), que estão pesquisando minuciosamente a rede de contatos dos casos secundários a até terciários dos confirmados”, explicou o secretário de Estado da Saúde do Paraná, Beto Preto.

Ministro da Saúde - Nesta terça-feira (20/07) o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, visitará o Paraná para acompanhar a campanha de imunização em Foz do Iguaçu, na região Oeste. A aplicação célere em cidades de fronteira é uma das estratégias contra a circulação de novas variantes no Estado. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: José Fernando Ogura / AEN

 


Versão para impressão


RODAPE