Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5157 | 17 de Setembro de 2021

GESTÃO: Terceiro Seminário Compliance.Lab é realizado com profissionais de vários ramos do cooperativismo paranaense

O Sistema Ocepar, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), promoveu, na tarde desta quinta-feira (16/09), o 3º Seminário Compliance.Lab das Cooperativas do Paraná. Participaram mais de 30 profissionais de cooperativas dos ramos agropecuário, crédito, saúde e trabalho. Ao abrir o evento, realizado virtualmente, o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, explicou que o seminário é um momento de troca de experiência muito rico, pois possibilita o compartilhamento do que vivenciamos no dia a dia.

Case - A supervisora de Compliance da Cooperativa Castrolanda, Adrielle Oliveira, apresentou o case “Cultura C Castrolanda”, demonstrando que a ética e a transparência estão presentes nos valores da cooperativa há 70 anos. “Compliance tem a ver com ser correto. Tem a ver com cultura. Pensando nisso, denominamos nosso Programa de Compliance como Cultura C Castrolanda. A construção do programa iniciou em 2018 de forma compartilhada. Em 2019, iniciamos a jornada do Programa de Compliance do Cooperativismo Paranaense, que contribuiu para o aprimoramento e fortalecimento das práticas de compliance desenvolvidas pela cooperativa”, relatou. Além de dividir com os demais participantes do evento as experiências e os desafios enfrentados na jornada, Adrielle deixou algumas dicas de sucesso, destacando o apoio da alta administração como essencial e da necessidade de conhecer o nível de maturidade das práticas de compliance da cooperativa.

Essências - O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, frisou que Compliance é importante para o desenvolvimento do cooperativismo e a Castrolanda está dando passos à frente e caminhar à frente é um desafio. “Compliance é integridade e conformidade, essas são essências presentes nos princípios e valores do cooperativismo.”

{vsig}2021/noticias/09/17/gestao/{/vsig}

REUNIÃO INSTITUCIONAL: CTA e Ocepar discutem perspectivas para o transporte de cargas no país

Representantes da CTA (Cooperativa de Transporte de Astorga) e do Sistema Ocepar realizaram reunião institucional para discutir cenários e perspectivas para o setor, bem como para apresentar e debater os dados econômicos de acompanhamento de desempenho do ramo. Participaram do encontro, realizado por meio virtual na quinta-feira (16/09), o presidente da CTA, Denes Reis Fioresi, o diretor secretário Luiz Carlos Borgo, o segundo tesoureiro, Luiz Antonio Verri, e o conselheiro fiscal Luiz Carlos Zambon. Fundada em junho de 2002, a CTA tem atualmente 251 cooperados, com uma frota de 279 caminhões. Em 2020, a cooperativa teve um faturamento de R$ 30 milhões. 

Indicadores - O bom desempenho da agropecuária alavancou os negócios para os transportadores de carga. Estudo do monitoramento do Sistema Ocepar mostra que o ramo transporte, formado por 35 cooperativas, teve um crescimento de 17%, fechando o ano de 2020 com um faturamento de R$ 407,7 milhões. A participação do segmento de passageiros, que em 2019 foi de 1,67%, encolheu para 0,3% em 2020. Predominou o transporte de cargas, que respondeu por 99,7% do total faturado. No Paraná, o ramo transporte tem 3.759 cooperados e 165 funcionários. A frota é formada por 3.702 veículos, sendo 771 automóveis e vans destinadas a passageiros, e 2.931 caminhões e carretas bitrem. No ano passado, o volume de cargas cresceu 0,5%, com 12,7 milhões de toneladas transportadas, principalmente grãos (74%).

Objetivo - As reuniões institucionais têm por objetivo a apresentação e discussão da situação econômico-financeira das cooperativas registradas no Sistema Ocepar. Desde o início do ano, já foram realizadas mais de 70 reuniões, com cooperativas dos sete ramos agropecuário, transporte, crédito, saúde, infraestrutura, consumo, trabalho e produção de bens e serviços. A reunião desta quinta-feira, com a CTA, foi conduzida pelo coordenador de Autogestão do Sescoop/PR, João Gogola Neto, e o analista técnico Jessé Rodrigues. Também participaram do encontro, o analista técnico Rodrigo Gandara Donini, além do coordenador jurídico da Ocepar, Rogério Croscato.

 

Monitoramento - O monitoramento das cooperativas faz parte das atribuições do Sescoop/PR. Como entidade do Sistema S que atende ao setor cooperativista, o Sescoop tem por finalidade a formação profissional, promoção social e o monitoramento das cooperativas filiadas ao Sistema Ocepar, sendo que o objetivo do monitoramento é voltado à autogestão das cooperativas. Com o uso de ferramentas que mensuram quantitativa e qualitativamente o desempenho, obtém-se um raio X completo da cooperativa para auxiliar na avaliação e melhoria dos processos (gestão e governança) e acompanhamento dos resultados (desempenho).

 

{vsig}2021/noticias/09/17/reuniao_institucional/{/vsig}

GETEC: Confira o boletim semanal da Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar

getec coordenacao parlamentar 17 09 2021A Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar, vinculada à Gerência de Desenvolvimento Técnico (Getec) e sob a responsabilidade da advogada Daniely Andressa da Silva, publicou, nesta sexta-feira (17/09), o Informe Semanal referente à semana de 13 a 17 de setembro. O setor foi criado neste ano com o propósito de fazer o acompanhamento das matérias de interesse do cooperativismo em discussão, tanto no Congresso Nacional como na Assembleia Legislativa do Paraná, e das leis publicadas no âmbito do executivo (federal, estadual e municipal), além de outros temas vinculados às áreas de atuação das cooperativas do Paraná.

Desoneração da folha - O boletim começa destacando que a Comissão de Finanças e Tributação (CFT) da Câmara dos Deputados aprovou o PL 2.541/2021, que prevê a prorrogação da desoneração da folha de pagamento até 2026, estendendo o prazo para a substituição da contribuição previdenciária pela contribuição sobre a receita bruta. Os impactos em caso de não prorrogação somam cerca de R$ 1 bilhão apenas na indústria de abate e processamento de proteína animal, afetando milhares de postos de emprego além de queda na competitividade do produto brasileiro. Este PL consta das prioridades de acompanhamento da OCB e Ocepar.

Acompanhamento fiscal - O Relatório de Acompanhamento Fiscal de setembro, publicado pela Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão vinculado ao Senado Federal, é outro assunto tratado no Informe. O documento sinaliza a dificuldade de conciliar o teto de gastos previsto para 2022 considerando o pagamento de precatórios e o orçamento para despesas discricionárias, voltadas a investimentos. O relatório prevê um cenário de estagnação destacando fatores como o agravamento das crises hídrica e energética, alta nos juros, além de risco fiscal relacionado à reforma tributária, incluindo o avanço do PL 2.337/2021 (reforma do imposto de renda), bem como incertezas relacionadas ao cenário político institucional.

Mais - O Informe da Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar desta semana aborda ainda outros temas, como o projeto de lei que propõe o plano de redução gradual de incentivos e benefícios federais de natureza tributária e o encerramento de benefícios fiscais; a retomada do julgamento, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), do Recurso Extraordinário que trata do marco temporal relacionado à demarcação de terras indígenas, além do julgamento, também no STF, da ação direta de inconstitucionalidade ajuizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres (CNTT) contra a Lei nº 13.103/2015, também conhecida como Lei dos Caminhoneiros.

Áudio - Ouça aqui o áudio produzido pelo jornalista Alexandre Salvador para a rádio Paraná Cooperativo.

 

Clique aqui e confira na íntegra o Informe Semanal da Coordenação de Relações Parlamentares do Sistema Ocepar

 

COVID-19: Publicados novos destaques na área destinada ao coronavírus no Portal PR Cooperativo

covid 17 09 2021A Área Covid-19 do Portal Paraná Cooperativo é atualizada toda sexta-feira com as notícias que foram destaques durante a semana no Informe Paraná Cooperativo e na Rádio Paraná Cooperativo. Lá, é possível acessar também os comunicados do Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar. Há ainda uma seção de perguntas e respostas, com esclarecimentos relativos à pandemia. Clique aqui e confira.

 

FRENCOOP: Deputados aprovam repasse de 10% do FNO a coops de crédito

frencoop 17 09 2021A Câmara dos Deputados aprovou em plenário, nesta quinta-feira (16/09), a garantia de repasse mínimo de 10% dos recursos dos fundos constitucionais do Norte (FNO) ao cooperativismo de crédito. Para tanto, foi acatada emenda apresentada pelo deputado Arnaldo Jardim (SP) à Medida Provisória 1052/2021, que muda regras relacionadas à administração dos fundos, para ampliar o benefício já previsto no caso do Centro-Oeste (FCO).

Presença - “As cooperativas de crédito estão presentes nas localidades mais remotas e são as únicas instituições financeiras atuantes em um expressivo número de municípios brasileiros. Com a aprovação dessa proposta buscamos intensificar e democratizar o acesso ao crédito por meio das cooperativas nas regiões dos fundos constitucionais, inclusive com taxas mais baixas e facilidade de ingresso”, afirmou Jardim, que é membro da diretoria da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop).

Fortalecimento - O deputado Neri Geller (MT), que também é membro da diretoria da Frencoop, trabalhou intensamente pela aprovação da emenda e comemora sua aprovação. “A proposta fortalece o papel do cooperativismo de crédito para a inclusão financeira e o desenvolvimento regional do país”, declarou o parlamentar.

Papel importante - Já o presidente da Frencoop, que teve papel importante na articulação da proposta como vice-líder do governo, destaca o avanço das cooperativas de crédito na atual conjuntura. “Durante o período da pandemia, as cooperativas de crédito, mais uma vez, tiveram papel fundamental na inclusão financeira de milhões de brasileiros, em especial, os produtores rurais e os micro e pequenos empreendedores. A proposta que votamos hoje reforça o reconhecimento do poder público do cooperativismo de crédito como instrumento de geração de renda e oportunidades”.

Mudanças - O texto aprovado também prevê mudanças em relação ao del credere, percentual cobrado pelos bancos para assumirem riscos de crédito, nas operações com os fundos constitucionais. Com a alteração, esse percentual (atualmente de 6%) ficará menor quanto maior for o faturamento da empresa que desenvolver o projeto financiado. Na prática, melhora as condições nas operações contratadas pelos agentes repassadores, inclusive as cooperativas de crédito.

Senado - A Medida Provisória segue agora para análise no Senado que tem até o dia 28/09 para concluir a votação. (OCB)

FOTO: Cleia Viana / Câmara dos Deputados

 

INOVACOOP: Semana debate transformação digital no agro

inovacoop 17 09 2021Transformação digital e novos canais para o cooperativismo agropecuário. Este foi o tema do debate realizado pelo Sistema OCB, no terceiro dia da Semana Inovacoop, e que contou com a participação do professor Marcos Fava Neves, o doutor agro, o professor do Departamento de Mercadologia da FGV/Eaesp, Leandro Angotti Guissoni, e o diretor da Natura, Murillo Boccia.

Papel da OCB - Durante a abertura do debate, o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, destacou que o papel da OCB é atuar para que as cooperativas tenham a “condição de surfar as ondas do mundo globalizado, cheio de mudanças e transformações, fazendo isso com a competência de quem lida com pessoas. E as cooperativas são formadas não só por armazéns, cofres ou grãos... no nosso de negócios, elo que nos mantém firmes é a confiança. E é isso que nos diferencia dos demais modelos, sobretudo no atual momento da humanidade”.

Impactos do digital no agro - Fava Neves, por sua vez, disse que são impressionantes os impactos do digital no agro. “São muitas oportunidades, desde contratos assinados por computador, até a presença de voz nas mídias sociais. É um universo muito grande. E essa influência, segundo ele, pode ser listada em 10 setores, pelo menos. São elas: Segurança, conhecimento, ambiental, transparência, social, comunicação, financeiro, inovação, eficiência e comércio”.

Disrupção - Já Leandro Guissoni fez questão de destacar o entendimento sobre o que é disrupção digital e como ela afeta múltiplos setores dentro e fora do agro. Discorreu, também, sobre a relevância de se compreender como responder a esse processo na perspectiva da cooperativa.

Conexão - Para Murillo Boccia, diretor da Natura, o digital liga pessoas, empresas e coisas de forma mais rápida, barata, imersiva, gerando e usando dados e, por fim, criando novos modelos de negócios e serviços. “E, graças a esse processo, vamos conviver com um nível de exigência cada vez maior por parte dos consumidores, por isso, precisamos estar preparados.

Assista - Para assistir a íntegra, clique aqui. (OCB)

 

 

COOPERATIVISMO: Panorama Coop traz análises da semana sobre os principais fatos de interesse do setor

cooperativismo 17 09 2021Desde março de 2020, o Sistema OCB publica, semanalmente, análises sobre vários temas e seus impactos para as cooperativas. São informações que tratam de política, economia, reforma tributária, pleitos do cooperativismo em tramitação no Congresso Nacional, normativos e medidas tributárias publicadas pelo governo. Neste ano, essas análises passaram a ser divulgadas por meio do Panorama Coop, uma newsletter atualizada todas as quintas-feiras.

Destaques - O boletim desta semana traz os destaques das análises econômicas mais recentes, as principais notícias da semana e as novidades da Reforma Tributária. Confira.

Análise econômica - A análise econômica desta semana ilustra os diferentes formatos de inovação e como muitos empreendimentos buscam novidades no mercado para manterem sua competitividade. Em 2016, o Brasil possuía apenas 82 organizações com iniciativas de inovação aberta. Já em 2020, esse número saltou para 1.635. E o cooperativismo já faz parte desse ecossistema inovador e tem muito ainda para contribuir! Confira nesta edição como estar aberto para a inovação e conexões com startups é imprescindível para que sua cooperativa se mantenha relevante e produtiva!

Acesse a Análise Econômica

Clique aqui e acesse todas as análises anteriores

Reforma tributária - A OCB está preparando uma grande mobilização pelo #AtoCooperativoNaPEC110. É mais uma forma de unir o movimento cooperativista em prol do desenvolvimento pleno do nosso modelo de negócios! Save the date: a divulgação é na próxima terça-feira (21/09)! Fiquem ligados nas nossas redes sociais e informativos e não deixem de compartilhar! Afinal, juntos somos fortes!

Clique aqui e acesse todas as análises anteriores

Deputados aprovam repasse de 10% do FNO a coops de crédito - A Câmara dos Deputados aprovou em plenário, nesta quinta-feira (16/09), a garantia de repasse mínimo de 10% dos recursos dos fundos constitucionais do Norte (FNO) ao cooperativismo de crédito. Para tanto, foi acatada emenda apresentada pelo deputado Arnaldo Jardim (SP) à Medida Provisória 1052/2021, que muda regras relacionadas à administração dos fundos, para ampliar o benefício já previsto no caso do Centro-Oeste (FCO).

Saiba mais!

Coops já podem enviar projetos para o PAA - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) liberou o sistema para recebimento dos projetos para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), na segunda-feira (13/09), para a modalidade Compra com Doação Simultânea (CDS). Com isso, cooperativas, associações de organizações de agricultores familiares, podem enviar as propostas de participação para contarem com os benefícios do programa.

Leia mais!

Cooperativismo de Plataforma é tema de novo curso - Em muitos países, o cooperativismo de plataforma já é uma realidade. E, aqui no Brasil, começa a dar os primeiros e sólidos passos para ganhar o mercado. Como estratégia para isso, o Sistema OCB lançou, na terça-feira (14/09), um curso totalmente voltado ao tema. A aula magna foi ministrada pelo doutor em Direito, Mário de Conto, professor, pesquisador e diretor geral da Escoop, como parte da programação do segundo dia da Semana Inovacoop.

Leia mais!

Clique aqui e confira o Panorama Coop em versão digital

 

COCARI: Cooperativa realiza Dia de Campo sobre pós geada do café em Mandaguari

Neste ano, a exemplo do que ocorreu com outras culturas, os cafeicultores enfrentaram diversas intempéries ao longo dos últimos meses, que prejudicaram o desenvolvimento das lavouras e, consequentemente, irão trazer reflexos na produtividade do café. Com o objetivo de orientar os cooperados sobre as melhores alternativas no manejo das lavouras diante dos problemas climáticos vivenciados, em especial as geadas, a Cocari promoveu um Dia de Campo no Centro Tecnológico Cocari (CTC), em Mandaguari (PR). O evento aconteceu na manhã da última quarta-feira (15/09), reunindo diretores, conselheiros, superintendentes, gerentes, cooperados, colaboradores da Cocari e representantes de empresas parceiras e de instituições de pesquisa.

Abertura - Na abertura do Dia de Campo, o presidente da Cocari, Marcos Antonio Trintinalha, ressaltou a importância de realizar o evento para os cafeicultores diante do ano difícil em relação ao clima. “Enfrentamos uma seca altamente severa. Sou de família de agricultores, também plantei milho neste ano, fizemos os manejos necessários com aplicações na lavoura e estava esperando para colher. Dali em diante, não choveu mais e a lavoura não cresceu. Em julho deu uma chuva e esperávamos que fosse melhorar, mas não resolveu. Depois veio a primeira geada, veio a segunda, a seca voltou e quando pensávamos que a lavoura já tinha sofrido de tudo, veio a chuva de granizo. Então, foi totalmente fora daquilo que o produtor previa e queria”, afirmou.

Orientações aos cafeicultores - “Como meu pai sempre dizia, não há o que fazer nestes casos, porque nós não conseguimos segurar o clima. Então, o que é preciso o cafeicultor fazer para voltar a produzir com qualidade e com a produtividade que queremos? Por isso, trouxemos para este evento um dos maiores especialistas em café do Brasil e também algumas empresas parceiras para orientar os cooperados quanto a melhor adubação, os tratos culturais necessários para o cafeicultor alcançar de volta ou o mais rápido possível a produtividade esperada”, comentou.

Cultura histórica - O presidente destacou que a Cocari é voltada ao produtor, em busca de melhorar a produtividade no campo. “A cafeicultura faz parte do DNA da Cocari. Temos cooperados, principalmente pequenos produtores e famílias inteiras que lidam com o café na área da Cocari e por isso precisamos buscar uma forma de continuar viabilizando a atividade. A cafeicultura traz uma rentabilidade diferenciada e temos famílias já especializadas nisso”, relatou. “Nosso Centro Tecnológico é um local de pesquisas, preparamos essa área para fazer os experimentos com o trabalho do Dr. João Batista [Gonçalves Dias da Silva] e o objetivo é fazer com que a cafeicultura se fortaleça. Além disso, nossos consultores técnicos estarão nas áreas dos cafeicultores, verificando a lavoura e orientando o produtor da melhor forma”, frisou.

Apoio técnico - Durante o evento, os cafeicultores também receberam informações sobre as linhas de crédito que estão disponíveis para aqueles que precisam fazer uma recepa, poda ou esqueletamento para recuperar a lavoura, com prazo adequado, dependendo do caso. “Nosso corpo técnico estará à disposição dos cafeicultores que compram e entregam a produção na Cocari, prestando toda assistência para buscarmos juntos a melhor alternativa para que possam seguir conduzindo suas lavouras de café, assim como também estamos fazendo nas outras culturas que também tiveram problemas em relação ao clima”, ressaltou. “Temos que voltar a produzir nas lavouras de café porque a qualidade nós sabemos que temos aqui, é preciso apenas ter volume para viabilizar cada vez mais a cultura”, completou o presidente.

Ao lado do produtor - Jacy Cesar Fermino da Rocha, superintendente de Suprimentos e Assistência Técnica da Cocari, falou sobre a realização do evento. “Hoje estamos na área de cafeicultura no CTC e o objetivo destes eventos é trazer aos cafeicultores da área da Cocari, envolvendo municípios como Mandaguari, Jandaia do Sul, Caixa São Pedro, região de Lidianópolis algumas informações sobre o que podemos fazer no pós geada, o manejo adequado que precisa ser realizado em virtude de as lavouras terem sido afetadas pelas geadas”, enfatizou.

Alento - O superintendente Comercial, Alex Sandro Santin, frisou que o Dia de Campo presencial, respeitando o distanciamento social e com uso de máscaras e álcool em gel, reforça aos cooperados que a Cocari está sempre oferecendo o suporte necessário aos produtores. “Depois das duas geadas que tivemos, que fizeram com que os cafeicultores tivessem grandes perdas com o café, o evento traz aos cooperados um alento sobre o futuro do café, sobre as novidades do apoio que a Cocari vai destinar a esses produtores e isso vem somar a tudo que a cooperativa oferece em relação à prestação de serviços, a assistência técnica a fim de que o produtor possa se perpetuar em suas áreas de café, não vindo a trocar de cultura”, disse.

Manejo pós geada - Um dos participantes do Dia de Campo foi o pesquisador Tumoru Sera, que comentou sobre alguns pontos importantes no pós geada. “O cafeicultor tem que entender que não precisa ter pressa para definir a poda, a planta irá indicar onde precisa ser podada, a que altura deve ser feita a recepa, o corte ou o esqueletamento. Ocorreu uma seca muito forte desde abril e o solo ainda está seco. Recentemente choveu 20 milímetros, mas esse volume não é nada, se evapora em um dia. O café que queimou mais é justamente o que estava mais carregado e mais malnutrido, inclusive com sistema radicular deficiente”, frisou.

Recomendações - “O tronco pode estar verde se for descascado, assim como o ramo lateral, mas não irá brotar, mesmo após cinco meses, porque a gema está dormente. O que fazer neste caso? Em vez de usar hormônio de brotação, eu usei macro e micronutrientes. O adubo foliar é absorvido pela casca e não só pela folha. Então, a ideia é usar pouca coisa, porque como vai estar esqueletado ou podado, é necessário aplicar até seis vezes, com intervalo de três a quatro dias, até começar a brotar 70% do ramo lateral produtivo ou pelo menos um broto no tronco principal para recuperar a planta inteira. Geralmente, com 20 a 30 dias já começam a sair os primeiros brotos laterais ou ortotrópicos verticais”, recomendou o pesquisador. (Imprensa Cocari)

{vsig}2021/noticias/09/17/cocari/{/vsig}

INTEGRADA: Profissionais da cooperativa são premiados em treinamento nacional da Basf

Um novo conceito de atendimento ao produtor rural extrapola a simples visita às propriedades. Hoje, o agrônomo e o técnico agrícola são agentes de entrega de toda a tecnologia e inovação que as corporações desenvolvem em benefício de produtividades melhores e rentabilidade maior e estável.

Protagonismo - O fator humano ganhou protagonismo nesse cenário. Não basta apenas o conhecimento acadêmico. É preciso acompanhar a movimentação do produtor, que está conectado em busca de informação passível de ser transformada em eficiência, com redução de custos.

Programa - A Basf entendeu esse processo e a força potencial das cooperativas do agronegócio no Brasil. Nesse segmento, lançou o Programa Cooperar. A iniciativa é abrangente e se propõe a capacitar as cooperativas agrícolas do Brasil, ajudar no desenvolvimento sustentável de seus negócios e fidelizar os cooperados.

Projetos - Entre os projetos ativados nesse programa está a plataforma Coopertec, com cursos on-line voltados especificamente para a área técnica das cooperativas. Os participantes são agrônomos e técnicos agrícolas, de campo e de balcão. Eles acessam conteúdos sobre soja, milho e outras culturas. Mas, também recebem material ligado ao marketing, com orientações que fortalecem as argumentações de venda, com base na relação interpessoal.

Integrada - A Integrada é uma das parceiras no projeto. Já no primeiro ciclo do curso, relativo à safra 19/20, mais de 80 colaboradores se inscreveram. Eles integraram os 2.500 profissionais de cooperativas de todo o país a participar do treinamento.

Premiação - E, como fator surpresa, a Basf estabeleceu uma premiação para os melhores desempenhos no curso. Com o limite de 50 contemplados. As recompensas foram um iPad da Apple 8ª. geração, e um troféu de reconhecimento, com o nome do premiado, do curso e da Basf. Além do acúmulo de conhecimento profissional e crescimento pessoal.

Entre os Top 50 Coopertec - Para satisfação do time da Integrada, quatro colaboradores ficaram entre os 50 primeiros colocados no primeiro Coopertec da Basf.

Terceiro lugar geral - O 3º lugar na classificação geral foi para o agrônomo Vinícius de Oliveira Martins. Hoje, ele é o coordenador de insumos da Integrada, responde pela compra de sementes de milho para a cooperativa e pela venda externa de sementes de soja.

Experiência - Até 2020, o profissional estava na regional Ubiratã, no Oeste do Paraná, de onde acessou a plataforma Coopertec. Vinícius descreve o curso como “uma experiência dinâmica e original, ao unir conteúdos sobre soja, milho e trigo, e enriquecer a capacitação com dados sobre cana de açúcar e feijão, por exemplo”.

Diferencial - Para o agrônomo e coordenador da Integrada, o módulo sobre o relacionamento interpessoal foi um diferencial, e despertou os participantes para a importância do cuidado no contato direto com o produtor. “Recebemos orientação sobre como estabelecer um vínculo que produza a fidelização do cooperado, foi muito produtivo”, ressalta Vinícius.

Diversidade de módulos - O agrônomo Marcelo Rossato Bercelini, que atende cooperados de Marialva, ligada à regional Maringá, ficou com a 6ª colocação no ranking do curso da Basf. Ele foi atraído pelo Coopertec da Basf pelo teor diversificado dos módulos.

Consumidor de conteúdo - “Sou um consumidor de conteúdos e me agradou o formato de base técnica e o fácil acesso aos recursos da plataforma”, comenta. Marcelo também observou que os temas ultrapassaram as questões agronômicas. “Em relação ao trigo, por exemplo, foram disponibilizados panoramas sobre sanidade do cereal, produção e mercado em nível mundial. Além disso, havia informação disponível sobre outras culturas, como tomate e batata, e outras, que agregam conhecimento”, acrescentou o agrônomo de Marialva.

Auxílio - Marcelo relatou que a plataforma auxiliou na solução de um problema no trigo de um cooperado. “A lavoura apresentava um problema, que eu e o cooperado estávamos concentrados na solução, mas não estava fácil. Nos módulos, se propunha uma estratégia de manejo diferente daquela que estávamos adotando. Decidimos implantar a ação alternativa e resolvemos. Foi uma aplicação prática das tecnologias apresentadas, antes mesmo da conclusão do curso. Muito satisfatório”, comemora.

Marketing - Quanto ao módulo de marketing, o agrônomo destacou as palestras disponibilizadas. “Grandes profissionais indicaram ferramentas para aprimoramento das relações interpessoais com o produtor, com os colegas de trabalho, e nossa própria organização de trabalho. Aproveitei todas as aulas”.

Surpreso - Marcelo disse que ficou surpreso com a colocação no Coopertec da Basf. “Eu não sabia que havia uma avaliação em andamento. Fiz pelo conhecimento a ser adquirido. Mas, é gratificante ser reconhecido. E, o iPad 8 tem Excell e outras ferramentas muito úteis no trabalho a campo”, completa.

Atrativos do curso - O agrônomo Patric Trentin Nava, é coordenador técnico da regional Goioerê, e ficou classificado em 10º. lugar no curso da Basf. O conteúdo multidisciplinar atraiu o profissional para o curso. “A possibilidade de receber treinamento em relacionamento interpessoal, abordagem de vendas, visão organizacional e outros foi um atrativo do curso. Com a complementação da reciclagem em aspectos agronômicos, gostei muito”.

Avaliação de desempenho - Patric disse que não sabia que havia uma avalição de desempenho para posterior classificação e premiação. “Meu interesse foi profissional, mas foi muito bom receber a classificação e o prêmio”, comemora.

Aplicação - O coordenador técnico acrescenta que já aplica os conhecimentos adquiridos no curso. “A abordagem ao cooperado deve ser feita em horário adequado, sem exigir muito tempo dele, especialmente em períodos críticos, como plantio e colheita, buscar empatia com o produtor, são algumas práticas bastante eficientes”, relata Patric.

Fechando a régua - O agrônomo Fausto Henrique Baio, da regional Bandeirantes, fechou a régua dos melhores desempenhos do primeiro Coopertec Basf. Entre 2.500 participantes, ele foi o 50º. classificado. Fausto atende produtores em Itambaracá e diz que decidiu fazer o curso com o objetivo de reciclagem profissional. “Procuro me manter atualizado porque o agronegócio está evoluindo muito rápido. E, nessa plataforma acabei encontrando mais do que esperava”, comenta.

Úteis - Para o profissional, foram bastante úteis as informações diretamente ligadas a soja, milho e trigo, principais culturas na região da Integrada. “E, como bônus, recebemos conteúdos sobre cana de açúcar, por exemplo, tanto sobre a cultura como sobre o mecanismo de ação de produtos indicados para o setor. Ainda, foram liberados materiais informativos sobre hortaliças e outras culturas, muito completo”, avalia Fausto.

Disponíveis - O agrônomo acrescentou que ainda estão disponíveis conteúdos de marketing, inclusive, sobre relacionamento interpessoal e técnicas de negociação. “A abordagem ao produtor foi um ponto muito importante abordado no curso, útil para sempre”, reforça Fausto.

Surpresa - Sobre a classificação e a premiação, foi uma surpresa para o profissional. “A gente busca qualificação profissional e pessoal. Os prêmios foram uma boa notícia a mais”. Ele diz que o iPad 8 é compartilhado por toda a família. “Minha esposa é professora e o iPad tem ajudado no preparo de aulas e outras atividades. Até minha filha faz uso dele na escola. E, eu levo para o campo e acesso mapas da área, o que dá suporte fantástico na agricultura de precisão”, diz.

Estímulo - O agrônomo Fausto estimula os colegas de profissão e outros profissionais da área a apostarem mais em cursos de capacitação. “Acreditar na reciclagem on-line é enxergar à frente, é estar conectado e integrado aos novos modelos de difusão de conhecimento”.

Comportamento promissor - A Basf direcionou 4 profissionais para atendimento exclusivo à Integrada. O RTV – responsável técnico de vendas, da corporação multinacional, Paulo Henrique Correa, destaca o desempenho positivo dos colaboradores da Integrada. “São ativos humanos que representam o que a Basf preconiza como profissionais. Além disso, extraíram do curso tudo o que nossa empresa planejou como resultado. Eles entregam para a cooperativa não só conhecimento, mas um comportamento desejável e altamente promissor no segmento”.

Comemoração - O gerente técnico da Integrada, Wellington Furlaneti, comemora a performance dos profissionais da cooperativa na capacitação da Basf. “O desempenho dos participantes foi espontâneo, pois eles não tinham conhecimento de que havia uma avaliação e premiação. Esse aspecto reforça nossa satisfação em perceber a alta qualificação do time da Integrada”, avalia Wellington.

Alteração - Com a mudança de programação em praticamente todas as atividades, em nível mundial, motivada pela pandemia de Covid-19, o planejamento para o encerramento do curso Coopertec da Basf também foi alterado. A premiação foi individual, com a entrega do troféu e do iPad 8 pelos representantes da multinacional, somente agora. Sem aglomeração, como exigem os protocolos de saúde, apenas com a presença dos contemplados e seus gestores.

Segundo ciclo- O segundo ciclo do Coopertec Basf, safra 20/21, também já foi realizado. Mais de 70 profissionais da Integrada participaram. O curso está na fase classificatória dos 50 melhores ranqueados. A premiação ainda será individual, dentro dos protocolos de segurança para Covid-19.

Terceiro ciclo - E, já está em andamento o 3º. ciclo, a terceira turma a frequentar as aulas on-line do Coopertec, relativo à safra 21/22. A inscrição do time Integrada soma mais 73 profissionais participando.

Evento presencial  - Paulo Henrique, da Basf, adianta que a empresa planeja organizar um evento presencial para entrega dos prêmios dessa terceira edição do Coopertec, caso os protocolos de segurança da saúde permitam. “A diretoria da Basf espera reunir os top 50 Brasil do Coopertec em São Paulo, em 2022. Vamos pensar positivo e manter a prevenção, para que a festa de reconhecimento pela qualificação dos profissionais seja possível, pois todos merecem”, finaliza. (Imprensa Integrada)

{vsig}2021/noticias/09/17/integrada/{/vsig}

UNIMED PONTA GROSSA: HGU realiza segundo implante de cateter sem necessidade de cirurgia

unimed ponta grossa 17 09 2021Na última semana, o Hospital Geral Unimed (HGU), realizou, pela segunda vez, um implante percutâneo de válvula aórtica (Tavi).

Minimamente invasivo - O procedimento é considerado minimamente invasivo, pois não há necessidade de incisão no tórax do paciente. Na Tavi, o acesso é feito pela perna do paciente, pela artéria femural, que chega até a válvula cardíaca e possibilita o reparo da válvula.

Indicação - De acordo com a cardiologista Elise Santos Reis, esse tipo de intervenção é indicado para os pacientes que, normalmente, têm outras comorbidades e também têm mais risco se forem submetidos à cirurgia “aberta”.

Específicos - “É um procedimento feito em pacientes específicos como uma opção de tratamento àqueles que teriam chance de alta mortalidade se fosse para uma cirurgia cardíaca tradicional de grande porte, sujeita a complicações inerentes a esse tipo de cirurgia”, explica a médica.

Equipe - O procedimento foi realizado na unidade de Hemodinâmica do hospital e contou com uma equipe formada por cardiologistas, profissionais de enfermagem, anestesista e equipe da unidade de terapia intensiva. “Toda a equipe da cirurgia cardíaca também estava preparada, caso houvesse qualquer intercorrência durante a Tavi e fosse necessária a intervenção convencional”.

Paciente - A paciente, de 66 anos, já recebeu alta e se recupera em casa. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

 

SICREDI FRONTEIRAS: Cooperativa assina convênio do Programa A União Faz a Vida em Capitão Leônidas Marques

sicredi fronteiras 17 09 2021A Cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP realizou, na noite de quarta-feira (15/09), o Lançamento do Programa A União Faz a Vida no município de Capitão Leônidas Marques (PR). O Programa A União Faz a Vida é o principal programa de educação do Sicredi e objetiva construir e vivenciar atitudes e valores de cooperação e cidadania.

Presenças - Estiveram presentes na ocasião da assinatura do convênio, o Prefeito de Capitão Leônidas Marques, Maxwell Scapini; Presidente Da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, José César Wünsch; Vice-prefeito, Sérgio Antonio Tristoni; Diretor Executivo da Sicredi Fronteiras, Fábio Junior Camera; Secretária de Educação De Capitão L. Marques, Francieli Pereira Anders Hubner, Gerente da agência Sicredi, Fernando Luiz Largo; Coordenadora do PUFV em Capitão, Juliane Boni Baréa; Assessora de desenvolvimento do Cooperativismo da Cooperativa, Daiane Wesseler Alexandre; Assessora pedagógica do PUFV, Janete Magnabosco e o Presidente da Câmara de Vereadores, Claudes Pavan.

Rede de educação infantil - O PUFV estará presente na rede de educação infantil, através do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI), que conta com 3 unidades no município. A metodologia de expedição investigativa será repassada aos alunos por 60 educadores.

Satisfação - Conforme o prefeito de Capitão Leônidas Marques, Maxwell Scapini, será uma imensa alegria contar com o Programa A União Faz a Vida em Capitão Leônidas Marques. “Ficamos muito satisfeitos com o que nos foi apresentado pela cooperativa nas reuniões que antecederam a assinatura do convênio. Contarmos com esse programa, com mais de 25 anos de existência, será altamente produtivo para nossas crianças e adolescentes, afinal, precisamos prepará-los, para que os mesmos construam um futuro melhor. Temos certeza que os nossos alunos só têm a ganhar com a vinda desse projeto, pois além de aumentar o envolvimento dos estudantes com as matérias, ele ainda fomenta o vínculo deles com a comunidade”, afirma Scapini.

Interesse - De acordo com Daiane Wesseler Alexandre, após o primeiro contato com as lideranças do município, já ficou nítido o interesse dos mesmos em continuar fornecendo uma educação de qualidade para as crianças. “Com esta parceria conseguiremos contribuir e intensificar os valores de cooperação e cidadania para as crianças, pais e comunidade”, comenta Daiane.

Benefícios - Francieli Pereira Hubner, Secretária de Educação de Capitão Leônidas Marques, afirma que o Programa com certeza trará muitos benefícios para os alunos do município. “Poder levar o ensino além dos muros da escola, e com isso, auxiliar na formação integral de nossos alunos através de uma metodologia ativa e por projeto, irá proporcionar a eles serem protagonistas da própria aprendizagem” assegura Hubner.

Formação inicial - A formação inicial da metodologia do PUFV para os professores de Capitão Leônidas Marques será realizada no dia 22/09. (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP)

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Unidos aos Smurfs para promover os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Pequenas criaturas azuis que moram em casinhas com formato de cogumelo e protagonizam histórias que enfatizam a importância da colaboração e da ajuda mútua. Assim são os Smurfs, personagens criados em 1958 pelo cartunista belga Peyo e, atualmente, embaixadores da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que se juntam ao Sicredi, primeira instituição financeira cooperativa do país e integrante do Pacto Global, para reforçar ainda mais a promoção das metas propostas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para um mundo melhor.

Lançamento - Firmado com a empresa belga IMPS, detentora dos direitos dos Smurfs, por intermédio da agência brasileira Vertical Licensing, o projeto será lançado durante a Semana dos Objetivos Globais (Global Goals Week), realizada entre os dias 17 e 26 de setembro, para promover reflexões, divulgar ações e as boas práticas das cooperativas do Sicredi. Com a parceria, a instituição financeira cooperativa lança nesta sexta-feira (17/09) o site Sicredi e Smurfs (www.sicrediesmurfs.com.br), desenvolvido especialmente para o projeto, com conteúdos sobre os ODS. Também serão divulgados vídeos protagonizados pelos Smurfs e com imagens reais de iniciativas do Sicredi que estão contribuindo com os ODS. Os vídeos serão disponibilizados tanto no site oficial do projeto quanto nas redes sociais das 31 cooperativas de crédito do Sicredi que atuam nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, como a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, e nos canais oficiais do Sistema Sicredi.

Satisfação - “Estamos muito satisfeitos que uma instituição como o Sicredi esteja realizando grandes iniciativas para um mundo melhor e mais sustentável. Portanto, é uma honra que o Sicredi possa se juntar a nós [família Smurf] para o desenvolvimento sustentável, um dos valores fundamentais dos Smurfs. Eles contam com vocês para mudar o mundo e cada gesto conta”, comenta o chefe de marketing na Communications & Family Entertainment, da IMPS, Philippe Glorieux.

Ações - Além das mensagens dos Smurfs, as animações ainda trazem imagens de ações realizadas pelas cooperativas nas comunidades e que estão diretamente ligadas aos ODS. O Sicredi tem como princípio os ideais dos fundadores com conceitos sólidos como solidariedade e colaboração. Esses diferenciais são uma alternativa ao sistema financeiro tradicional, da mesma forma que impactam positivamente as comunidades onde o Sicredi está inserido.

Smurfs e ODS - Visto por crianças de várias gerações, o desenho dos Smurfs se transformou em um símbolo para a divulgação dos ODS em todo o mundo. A vice-diretora da UNRIC (Centro de Informações Regionais das Nações Unidas para a Europa Ocidental), Caroline Petit, explica que os Smurfs são integrantes ativos do SDG Media Compact, iniciativa desenvolvida para ampliar a conscientização sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. “Eles trazem consciência sobre os ODS para muitas crianças e famílias e, ao fazê-lo, ajudam a mudar comportamentos. Os 17 objetivos globais são das pessoas e cada um de nós pode fazer a diferença para uma sociedade melhor e um mundo mais sustentável”, afirma.

Mobilização - Para o diretor executivo do Pacto Global no Brasil, Carlo Pereira, entidades e empresas têm papel fundamental na mobilização em prol de temas ambientais, sociais e de governança. “O Sicredi já tem no seu DNA essas questões e conceitos que a gente trabalha no Pacto Global. Essa parceria, sem dúvida, é muito vitoriosa. Os Smurfs fazem parte, há muito tempo, do nosso simbólico e continuam mais presentes e contemporâneos do que nunca. Os Smurfs são uma sociedade vivendo em harmonia entre si e com a natureza. O Sicredi tem esse potencial enorme, por meio das cooperativas, de divulgar e levar as informações sobre os ODS e da Agenda 2030 para todos os cantos do país”.

Inspiração - O presidente da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Jaime Basso, explica que a parceria também pretende inspirar associados e a comunidade, ao demonstrar que pequenas ações podem trazer grandes resultados. Esse benefício pode ser sentido por toda a comunidade como um ciclo virtuoso. “Essa iniciativa vem para reforçar o que o Sicredi vem fazendo para construir uma sociedade mais próspera. Queremos mostrar, de forma lúdica, como os objetivos sustentáveis podem atuar em prol de mundo melhor”.

Cooperação para um mundo melhor - O Sicredi integra o Pacto Global desde fevereiro de 2020 e, ao longo dos anos, muitas iniciativas vêm sendo desenvolvidas pelas cooperativas visando à construção de uma sociedade mais próspera. A instituição financeira cooperativa tem democratizado o acesso aos serviços financeiros, especialmente em pequenos municípios, sendo a única opção em mais de 200 localidades do país. Esse impacto positivo, diretamente ligado à promoção do oitavo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (que trata do trabalho decente e crescimento econômico), também foi demonstrado em pesquisa divulgada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Segundo o levantamento, o cooperativismo de crédito incrementa o Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos municípios onde atua em 5,6%, ao criar 6,2% mais vagas de trabalho formal.

PUFV - Já a principal iniciativa de responsabilidade social do Sicredi, o Programa A União Faz a Vida (PUFV), propõe, há mais de duas décadas, a utilização de pedagogias ativas e uma metodologia de projetos para a educação integral de crianças e adolescentes. Conectada ao ODS 4, que aborda a educação de qualidade, o projeto nacionalmente já impactou mais de 150 mil crianças e adolescentes. Alinhadas ao oitavo ODS, estão as ações de educação financeira oferecidas pela cooperativa por meio de oficinas voltadas a crianças, jovens e adultos da comunidade.

ODS 5 - A igualdade de gênero, proposta no ODS 5, também tem mobilizado a atuação do Sicredi. O apoio e a capacitação às lideranças femininas facilitaram a formação do Comitê Mulher, e o resultado desse trabalho está refletido no aumento de mulheres eleitas como coordenadoras de núcleo e conselheiras nas cooperativas.

Meio Ambiente - Além disso, na questão ambiental, o Sicredi já compensou mais de 27 mil toneladas de gases de efeito estufa (GEE) lançados entre 2015 e 2019 pelas operações das agências nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. A iniciativa é realizada a partir de inventário realizado com a metodologia internacional GHG Protocol.

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, uma das 108 cooperativas do Sicredi, conta com 32 anos de história, mais de 170 mil associados e 96 espaços de atendimento. A área de atuação da cooperativa abrange 43 cidades no estado do Paraná e 8 cidades no estado de São Paulo, incluindo a capital paulista e cidades vizinhas do grande ABCD (www.sicredi.com.br/coop/vale-piquiri/).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

sicredi vale 17 09 2021

SICREDI ALIANÇA: Mais um prêmio da campanha Poupança Premiada vai para Mercedes (PR)

sicredi alianca 17 09 2021Mais um prêmio da campanha Poupança Premiada organizada pela Central Sicredi PR/SP/RJ saiu para a cooperativa Sicredi Aliança PR/SP. A ganhadora do prêmio de R$ 5 mil foi Sara Gabrieli Zancanella, associada da agência de Mercedes (PR). Esse é o segundo prêmio entregue para associado de Mercedes nesta edição da campanha. A entrega foi feita nesta quinta-feira (16/09) na presença do Presidente do Conselho de Administração, Adolfo Freitag; do Gerente de Investimentos, Marcelo Dambrós e do Gerente da Agência, Alex Buss.

Promoção - A promoção, iniciada em março, segue até dezembro com sorteios semanais de R$5 mil. A campanha também tem um prêmio especial de R$ 500 mil, que será entregue no dia 31 de outubro, celebrando o Dia Internacional da Poupança - além do grande sorteio final de R$ 1 milhão, no dia 20 de dezembro.

Participar é simples - A cada R$ 100 aplicados na poupança do Sicredi é gerado um número da sorte para concorrer nos sorteios, que acontecem pela Loteria Federal. Se as aplicações forem na modalidade programada (quando o poupador autoriza o débito mensalmente em sua conta), as chances de ganhar são em dobro.

Automática - Nos dois casos a participação é automática, uma vez que não é necessário o associado se cadastrar ou preencher cupons. É simples porque ao depositar já está concorrendo. E, se optar pela poupança programada, é ainda mais vantajoso, seja pela conveniência e facilidade - uma vez que basta solicitar uma única vez com seu gerente e todos os meses o valor definido já vai para a poupança - seja pelo incentivo extra dos números da sorte em dobro que recebe a cada depósito.

Visualização - Os números da sorte podem ser visualizados no site da campanha www.poupancapremiadasicredi.com.br, onde o poupador também confere conteúdos específicos sobre finanças, conhece o regulamento, vencedores dos sorteios e outras informações sobre o Sicredi. (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

 

UNIPRIME: Futuro garantido com o Unicap Kids

uniprime 17 09 2021Fazer um plano de economia e gerar rendimentos em longo prazo para as crianças é uma iniciativa muito eficiente, tanto para garantir uma reserva financeira futura quanto para ensiná-las sobre a importância de poupar. Nesse sentido, a Uniprime oferece o Unicap Kids, a integralização de cotas da cooperativa destinada para filhos e netos de cooperados com até 18 anos.

Foco - “A cultura, a política e os princípios da Uniprime estão sempre focados em privilegiar os cooperados e o crescimento financeiro de cada um. Além disso, a educação financeira é um valor importante para a cooperativa, queremos dar todas as condições para que nossos cooperados conheçam os caminhos que eles têm para investir seus recursos. E o Unicap Kids é uma oportunidade de ensinar a importância de uma reserva financeira para o futuro”, explica Antonio Hernandes, Diretor Superintendente da Uniprime.

Remuneração - Vale lembrar que mesmo pequenos valores poupados mensalmente, recebem remuneração bastante adequada e superior ao que o mercado financeiro e a poupança pagam. “A aplicação fica em nome da criança ou do jovem, reforçando o propósito da educação financeira. No futuro, pode ser usada para pagar um curso, uma viagem ou adquirir um bem”, conclui Hernandes.

Gerente - Para contratar o Unicap Kids, fale com seu Gerente Uniprime. (Imprensa Uniprime)

 

CONJUNTURA AGROPECUÁRIA: Produtores iniciam plantio da soja e área de cultivo deve chegar a 5,62 milhões de hectares

conjuntura agropecuaria 17 09 2021Os produtores paranaenses de soja iniciaram nesta semana o plantio da safra 2021/22, atingindo aproximadamente 1% da área estimada em 5,62 milhões de hectares. As informações são do Boletim de Conjuntura Agropecuária referente à semana de 10 a 16 de setembro. O documento é elaborado pelos técnicos do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

Núcleos regionais - Segundo o Deral, neste momento os trabalhos se concentram principalmente nos núcleos regionais de Campo Mourão, Cascavel, Francisco Beltrão e Pato Branco, ainda que de forma incipiente. As chuvas desta semana vão favorecer a continuidade do plantio nos próximos dias.

Produção brasileira - Com relação à produção brasileira, o levantamento da Companhia Nacional do Abastecimento (Conab) mostra que o volume de soja produzido na safra 2020/21 foi de 135,91 milhões de toneladas. Os principais estados produtores no período foram, respectivamente, Mato Grosso (35,88 milhões de toneladas), Rio Grande do Sul (20,78 milhões de toneladas) e Paraná (19,88 milhões).

USDA - O boletim traz, ainda, informações do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) sobre as estimativas para a produção mundial de soja no ciclo 2021/22. De acordo com órgão norte-americano, serão produzidas aproximadamente 384 milhões de toneladas do grão, com o Brasil liderando o ranking mundial, responsável por aproximadamente 144 milhões de toneladas, seguido dos Estados Unidos (aproximadamente 119 milhões de toneladas) e da Argentina (52 milhões de toneladas).

Feijão e milho - Segundo o Deral, o plantio da safra de feijão das águas 2021/22 chegou a 12% da área estimada nesta semana. As áreas semeadas estão na fase de germinação (70%) e desenvolvimento vegetativo (30%). A média dos preços recebidos pelos agricultores em agosto foi de R$ 276,82 pela saca de 60 kg de feijão cores e R$ 242,64 pelo feijão-preto.

Área semeada - Já os produtores paranaenses de milho semearam aproximadamente 119 mil hectares, cerca de 28% da área estimada para a safra. Se o clima colaborar, os trabalhos serão acelerados nas próximas semanas. A colheita da segunda safra 2020/21 também avançou nos últimos dias. Até o início desta semana, aproximadamente 2,08 milhões de hectares ou 96% da área havia sido colhida.

Pecuária e avicultura - A análise do Deral indica que os cereais de inverno podem substituir o milho na alimentação animal, já que esta cultura foi prejudicada pelos problemas climáticos. A aveia branca, por exemplo, pode substituir até 100% a silagem de milho.

Alta - Quanto à avicultura, o boletim destaca a alta dos preços e insumos em agosto. Em agosto de 2021, o preço médio do frango resfriado foi de R$ 12,51/kg, uma alta de 10,1% considerando o mês anterior (R$ 11,36/kg).

Fruticultura - De acordo com dados preliminares do Valor Bruto da Produção (VBP), a fruticultura paranaense movimentou R$ 1,9 bilhão em 2020. O morango, segunda fruta em movimentação de capital na fruticultura do Estado, com participação de 13,8% no total do VBP do setor, gerou renda de R$ 259,8 milhões. Nas Centrais de Abastecimento do Paraná (Ceasa), foram comercializadas 7,9 mil toneladas de morangos a um preço médio de R$ 8,80 o quilo, com movimentação financeira de R$ 70,4 milhões. O Paraná contribuiu com 73% desta oferta, Minas Gerais com 13,7% e o Rio Grande do Sul com 8,2%.

Outros produtos - A falta de chuvas em regiões que concentram a maior área de mandioca impacta a colheita do produto no Paraná e, consequentemente, reduz a oferta de matéria-prima para as indústrias. Diante deste cenário, os preços continuam em elevação e podem influenciar positivamente os produtores que pretendiam reduzir a área. Por outro lado, os valores de arrendamento das terras continuam limitando o plantio no Estado.

Exportação - O boletim também traz números da exportação de ovos. Considerando a produção de janeiro a julho deste ano, o Paraná se mantém como 2º maior exportador no ranking nacional, com produção de 3.102 toneladas e receita de US$ 14,043 milhões. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Jonathan Campos / AEN

 

G20: Na Itália, Tereza Cristina participa de reunião dos ministros da Agricultura

g 20 09 2021A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, está em Florença, na Itália, para participar da Reunião de Ministros da Agricultura do G20. Com foco na sustentabilidade dos sistemas agrícolas e alimentares, o evento reunirá os Ministros da Agricultura do G20, Países Convidados e líderes das principais Organizações Internacionais envolvidas no setor agrícola. “Vou defender a agricultura brasileira, a agricultura sustentável e movida a ciência”, disse a ministra, ao embarcar para a Itália.

Encontro - Na manhã desta quinta-feira (16/09), Tereza Cristina se encontrou com o Secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Tom Vilsack. Na reunião bilateral, eles trataram de temas ligados à agricultura sustentável, além de ações conjuntas de defesa sanitária para barrar o avanço da Peste Suína Africana nas Américas. "Brasil e EUA trabalharão juntos para produzir mais alimentos, respeitando o meio ambiente. Com tecnologia, levaremos a agricultura de baixo carbono a todos os produtores, inclusive os familiares", declarou a ministra brasileira.

Fórum - Também nesta quinta-feira (16/09), a ministra participou do Open Forum em Agricultura Sustentável, que reunirá representantes de países membros e não membros, organizações internacionais, setor privado e sociedade civil para compartilhar ideias que visem atingir o desenvolvimento sustentável nos aspectos econômico, social e ambiental.

Sessão - Nesta sexta-feira (17/09), a ministra participa de sessão com o tema “Pesquisa como força motriz da sustentabilidade”. Já no sábado, ela irá debater com seus pares a Contribuição do G20 para a próxima Cúpula dos Sistemas Alimentares (Food Systems Summit) e para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 26). Também estão previstas reuniões bilaterais para debater temas de interesse da agricultura brasileira.

Membros - Os membros do G20 são: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia, Turquia e a União Europeia. A Espanha é convidada permanente. Os membros do G20 respondem por mais de 80% do PIB mundial, 75% do comércio global e 60% da população do planeta. (Mapa)

 

ECONOMIA I: Ministério mantém previsão de crescimento da economia em 5,3% este ano

economia 17 09 2021A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia manteve a projeção para o crescimento da economia este ano e elevou a estimativa para a inflação, de 5,9% para 7,9%, por influência da alta nos preços dos combustíveis e energia elétrica. As projeções estão no Boletim MacroFiscal divulgado nesta quinta-feira (16/09).

PIB - A estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país) permaneceu em 5,3% em 2021, em relação ao último boletim, divulgado em julho.

Recuo - No segundo trimestre do ano, o PIB teve recuo na margem de 0,1% em relação ao período anterior (com ajuste sazonal, já que são períodos diferentes) e cresceu 12,4% na comparação interanual, mostrando recuperação em relação à crise de 2020, segundo a SPE. A pasta destaca que a redução no segundo trimestre se encontra próxima à estabilidade, em um trimestre com o maior número de mortes da pandemia de covid-19.

Dados mensais - Apesar da queda do ritmo da atividade nesse período, os dados mensais de indicadores mostram que a recuperação da economia continua no terceiro trimestre. A projeção do PIB para o período é de crescimento de 0,6% em relação ao segundo trimestre (com ajuste sazonal) e de 5% em relação ao mesmo trimestre do ano passado.

Destaque - O destaque no segundo trimestre, pelo lado da oferta, foi o desempenho dos serviços, com alta de 0,7% ante o trimestre anterior, com ajuste sazonal. De acordo com a SPE, a maior parte dos serviços já recobrou o nível de atividade anterior à pandemia, alcançando, no índice agregado, o maior valor desde 2016. Já o índice de confiança do setor está no maior patamar desde 2013.

Contribuição robusta - “As projeções apontam que o setor de serviços contribuirá de forma robusta para a recuperação econômica no segundo semestre de 2021, concomitantemente ao avanço da vacinação em massa e à flexibilização das restrições às atividades de serviços, alguns dos quais ainda não retomaram o nível pré-pandemia”, explicou a SPE. “Espera-se a manutenção da tendência do setor com impactos positivos no mercado de trabalho, principalmente o informal”, complementa o boletim.

Vacinação em massa - Durante coletiva virtual de apresentação dos dados, o secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, reafirmou que a vacinação em massa é a melhor política econômica para o país e fez um apelo para que a população complete o calendário vacinal contra covid-19.

Segurança - “A população brasileira está sendo vacinada numa velocidade que nos dá segurança para estimar o crescimento do PIB, que a economia vai continuar com a sua retomada”, disse. “E aqui eu faço um pedido a todos os brasileiros. Cada um pode escolher tomar ou não a vacina. Agora, se você tomou a primeira dose, peço que tome a segunda. Porque estão sendo feito sacrifícios financeiros e de logística para garantir a vacina para a população e deixar essa pandemia para trás”, ressaltou.

Perspectivas - A partir de 2022, a projeção de crescimento do PIB é de 2,5%. Para isso, o governo espera os efeitos positivos das reformas pró-mercado, que foram aprovadas ou estão em análise, e do processo de consolidação fiscal, que deve permitir uma melhora das contas públicas, após a forte elevação dos gastos com a pandemia.

Risco - “Contudo, salienta-se que os riscos no cenário prospectivo, principalmente o hidrológico [crise hídrica] e um possível recrudescimento da pandemia, devem ser observados com cautela, avaliando os seus impactos para a economia brasileira”, alertou a SPE sobre os riscos.

“Ruídos” - O secretário Adolfo Sachsida ressaltou que é preciso eliminar os “ruídos” que podem levar a algumas instituições a baixar as expectativas de crescimento. “Toda democracia é barulhenta. Cabe a nós trabalhar melhor na comunicação para deixar cada vez mais claro o que é ruído e o que é sinal”, disse.

Exemplo - Ele citou, por exemplo, análises do mercado de que a confiança do empresariado estaria diminuindo ou que a elevação da taxa básica de juros (Selic) prejudicaria o crescimento. Entretanto, segundo Sachsida, os dados mostram confiança em todos os setores, como o de serviços.

Juros - Já em relação à taxa de juros, ele argumentou que, historicamente, ela nunca esteve em patamar tão baixo, hoje em 5,25%. “É difícil argumentar que a política tem sido contracionista para gerar um crescimento [do PIB] tão baixo ano que vem”, disse, lembrando, por exemplo, que entre 2002 e 2003, a Selic chegou a 26%.

Comodidade - “Vejo [analistas] colocando a taxa em 9% para o ano que vem. Ainda assim é um valor que, historicamente, nos dá comodidade para continuar na trajetória de redução da dívida [pública]/PIB, para aprovação das reformas e crescimento econômico”, disse.

Meta - A Selic é o principal instrumento do Banco Central (BC) para alcançar a meta de inflação. Na semana que vem, Comitê de Política Monetária do BC vai reunir e deve elevar a taxa em mais 1%.

Inflação - A projeção de inflação da SPE para 2021, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), subiu de 5,9% para 7,9%. O valor encontra-se acima da meta definida pelo Conselho Monetário Nacional, de 3,75% para o ano, bem como acima do limite superior do intervalo de tolerância, de 1,5 ponto percentual, ou seja, 5,25%.

Percentual - A inflação de agosto, divulgada na semana passada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi de 0,87%, a maior para o mês desde o ano 2000. Com isso, o indicador acumula altas de 5,67% no ano e de 9,68% nos últimos 12 meses.

Impacto - De acordo com a SPE, o IPCA tem sido impactado mais fortemente pelas variações ocorridas nos preços dos itens monitorados, ou seja, produtos como gasolina, gás de botijão e medicamentos. No acumulado em 12 meses até agosto, esse grupo registrou aumento de 13,69% de inflação. “Esse aumento é decorrente de elevações significativas nos preços dos combustíveis e da energia elétrica, diante dos reajustes no preço do gás e das alterações nas bandeiras tarifárias, respectivamente”, diz o boletim.

Alimentos - A inflação dos alimentos, acumulada em 12 meses, chegou a 16,59% em agosto, após desaceleração entre março e junho e relativa estabilidade nos meses subsequentes.

Transportes - Já a inflação dos transportes vem apresentando aceleração desde o início do ano. A maior aceleração se deu nos cinco primeiros meses do ano, quando passou de 1,12% em janeiro para 14,94% em maio. Entre junho e agosto, o subgrupo segue acelerando, embora em um ritmo menos intenso, atingindo 16,63% em agosto, no acumulado em 12 meses.

Serviços - A inflação de serviços foi de 3,92% no acumulado em 12 meses até agosto, contribuindo positivamente para a inflação e apresentando valores significativamente mais baixos que os demais grupos.

INPC - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) deverá encerrar este ano com variação de 8,4%. Com participação relevante dos produtos agropecuários, a projeção para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que inclui também o setor atacadista e o custo da construção civil, além do consumidor final, é de 18%.

Projeção - Para 2022, a projeção de IPCA passou de 3,5% para 3,75%. A partir de 2023, a projeção converge para a meta: 3,25% em 2023 e 3% de 2024 em diante. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

ECONOMIA II: Governo federal eleva temporariamente alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF)

economia II 17 09 2021Com o fim do Auxílio Emergencial e a necessidade legal de indicar fonte para o programa Auxílio Brasil, sucessor do Bolsa Família, e reduzir a fila de espera pelo benefício, o governo federal, por intermédio do Ministério da Economia, elevou temporariamente a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Decisão - A decisão foi tomada em razão da observância das regras fiscais. Apesar de arrecadação recorde, a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) determina que é necessária a indicação de fonte para o aumento de despesa obrigatória. A instituição do programa social Auxílio Brasil acarretará um acréscimo na despesa obrigatória de caráter continuado em R$ 1,62 bilhão neste ano.

2022 - Em 2022, o financiamento do programa terá como fonte a recriação do imposto de renda sobre lucros e dividendos, que está em discussão no Senado Federal.

Alíquotas - Entre 20 de setembro a 31 de dezembro de 2021, para as pessoas jurídicas, a atual alíquota diária de 0,0041% (referente à alíquota anual de 1,50%) passa para 0,00559% (referente à alíquota anual de 2,04%). Para pessoas físicas, a atual alíquota diária de 0,0082% (referente à alíquota anual de 3,0%) passa para 0,01118% (referente à alíquota anual de 4,08%).

Importação do milho - A arrecadação obtida com a medida custeará ainda as propostas de redução a zero da alíquota da contribuição para o PIS/Cofins incidente na importação de milho, com impacto de R$ 66,47 milhões no ano de 2021 e o aumento do valor da cota de importação pelo CNPQ, que acarreta renúncia fiscal no valor de R$ 236,49 milhões no ano de 2021. (Ministério da Economia)

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO: Projeto que altera regras do Imposto de Renda será analisado no Senado

legislativo 17 09 2021O Senado vai analisar o PL 2.337/2021, projeto de lei que altera as regras do Imposto de Renda. O texto, de autoria do Poder Executivo, representa a segunda fase da reforma tributária. Esse projeto foi aprovado na Câmara no início do mês, na forma de um substitutivo apresentado pelo deputado federal Celso Sabino — que foi o relator da matéria. Uma das medidas da proposta prevê que a faixa de isenção do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) passe de R$ 1.903,98 para R$ 2.500 mensais.

Lucros e dividendos - De acordo com o substitutivo, lucros e dividendos serão taxados em 15% a título de Imposto de Renda na fonte, mas fundos de investimento em ações ficam de fora dessa cobrança.

IRPJ - O texto também prevê que o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) será reduzido de 15% para 8%. Essa redução teria vigência após a implantação de um adicional de 1,5% da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), que incidiria sobre a extração de ferro, cobre, bauxita, ouro, manganês, caulim, níquel, nióbio e lítio.

Adicional - De acordo com a proposta, o adicional de 10% previsto na legislação para lucros mensais acima de R$ 20 mil continua valendo.

CSLL - Já a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) diminuiria 1 ponto percentual, passando de 9% para 8% em geral — mas isso estaria condicionado à redução de incentivos tributários (para aumento da arrecadação). Bancos passariam de 20% para 19%; as demais instituições financeiras, de 15% para 14%.

Tabela do IR - O substitutivo prevê mudanças na tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física. A faixa de isenção passaria de R$ 1.903,98 para R$ 2.500 mensais (correção de 31,3%). Igual índice seria utilizado para reajustar a parcela a deduzir por aposentados com 65 anos ou mais.

Demais faixas - As demais faixas da tabela teriam reajuste entre 13,2% e 13,6%, enquanto as parcelas a deduzir aumentariam entre 16% e 31%. Deduções com dependentes e educação continuam no mesmo valor.

Validade - De acordo com o substitutivo, todas as mudanças passam a valer a partir de 2022 — em respeito ao princípio da anterioridade, segundo o qual as mudanças em tributos devem valer apenas para o ano seguinte.

Correção - “A correção proposta na faixa de isenção da tabela do Imposto de Renda será a maior desde o Plano Real”, afirmou Celso Sabino, relator da matéria na Câmara. “Os contribuintes perceberão redução significativa no IR devido, e cerca de 16 milhões de brasileiros, metade do total de declarantes, ficarão isentos”, acrescentou ele.

Desconto mantido - Após negociações durante a tramitação na Câmara, o substitutivo manteve o desconto simplificado na declaração de ajuste anual (atualmente, o desconto é de 20% dos rendimentos tributáveis, limitado a R$ 16.754,34, e substitui todas as deduções permitidas, como gastos com saúde, educação e dependentes).

Proposta inicial - Na proposta inicial, esse desconto somente seria possível para aqueles que ganham até R$ 40 mil por ano, limitado a R$ 8 mil (20%). O substitutivo aumenta o limite para R$ 10.563,60.

Impacto orçamentário - Apesar das mudanças feitas pela Câmara no projeto original do Executivo, Celso Sabino afirmou que não haverá impacto na arrecadação inicialmente projetada pelo governo federal. "Impacto zero. Não vamos ter contribuição alguma para o aumento do deficit fiscal. Pelo contrário, acreditamos que as medidas de desoneração do capital produtivo vão impulsionar a economia, que vai gerar mais arrecadação", argumentou o deputado.

Previsão - Ele afirmou que já previa a redução da alíquota para distribuição de dividendos, e por isso aumentou a alíquota das empresas (inicialmente prevista em 6,5%) para 8%.

Impacto - O relator da matéria na Câmara também declarou que, apesar de ser neutra para o governo, a reforma deve atingir uma parte dos contribuintes. "A ampla maioria vai pagar menos, mas o indivíduo que receba R$ 70 milhões de renda por dividendos vai pagar mais imposto."

Domiciliados no exterior - De acordo com o substitutivo, a tributação de lucros e dividendos distribuídos por empresas a pessoas físicas ou jurídicas valerá inclusive para os domiciliados no exterior e em relação a qualquer tipo de ação.

Aplicação - A tributação seria aplicada também para os casos em que a empresa fechar e reverter os lucros do capital investido aos sócios ou quando houver diferença entre o capital a mais investido pelo sócio na empresa e o retirado a título de lucro ou dividendo.

Exceções - Por outro lado, o substitutivo aumenta o número de exceções inicialmente previsto no projeto. Além das pequenas e microempresas participantes do Simples Nacional, ficam de fora dessa cobrança as empresas não participantes desse regime especial tributadas pelo lucro presumido com faturamento até o limite de enquadramento do Simples (hoje equivalente a R$ 4,8 milhões) e desde que não se enquadrem nas restrições societárias da tributação simplificada.

Beneficiadas - Também seriam beneficiadas pelas exceções as empresas participantes de uma holding; as empresas que recebam recursos de incorporadoras imobiliárias sujeitas ao regime de tributação especial de patrimônio de afetação; e os fundos de previdência complementar.

Compensação - O texto também estabelece que, se os lucros forem pagos a uma empresa, ela poderá compensar o imposto devido pelos lucros recebidos com o imposto retido por ela e calculado sobre as distribuições que vier a fazer sobre seus próprios lucros e dividendos.

Sem dedução - Esses lucros e dividendos não poderão ser deduzidos da base de cálculo do IRPJ e da CSLL.

Bens ou direitos - Da mesma forma, o substitutivo prevê a tributação de lucro ou dividendo distribuído em bens ou direitos (como títulos creditícios, por exemplo). O texto determina que o lucro ou dividendo deverá ser tributado sempre que a avaliação pelo valor de mercado dos bens superar o lucro ou dividendo distribuído.

Diferença - De acordo com o substitutivo, a diferença a maior entre o valor de mercado e o valor contábil será considerada ganho de capital e entrará na base de cálculo do IRPJ e da CSLL devidos pela empresa — e as diferenças a menor não poderão ser abatidas.

Apuração - A proposta apresenta ainda mudanças na apuração do IRPJ e da CSSL, que passaria a ser somente trimestral. Hoje, há duas opções: trimestral e anual.

Royalties de mineração - De acordo com o substitutivo, a arrecadação do adicional de 1,5% da CFEM, ao qual está condicionada a redução do IRPJ, ficará com os municípios do estado onde ocorrer a produção, proporcionalmente aos habitantes (83,25%). 16,65% ficariam com o estado produtor e 0,1% ficaria com o Ibama (para atividades de proteção ambiental em regiões impactadas pela mineração).

Sem incidência- Esse adicional não incidirá sobre operações de pequeno valor ou relativas a empresas de pequeno porte, conforme definido em ato do Poder Executivo.

Juros sobre capital- A proposta prevê o fim dos juros sobre o capital próprio (JCP), que são uma forma de repartição de lucros pelas empresas.

Mecanismo - Os juros sobre capital próprio são um mecanismo criado na década de 1990 que pretendia estimular os investimentos por meio de aporte de capital, mas têm sido usado pelas empresas para pagar menos tributos.

Renúncia menor - A redução de 1 ponto percentual na CSLL prevista no substitutivo (passando de 9% para 8% em geral) seria dividida em duas etapas: com queda 0,5 ponto percentual em cada uma delas.

Primeira redução - De acordo com o texto, a primeira redução dependerá do fim de benefícios fiscais de alíquota zero referentes a gás natural canalizado, carvão mineral, produtos químicos, farmacêuticos e hospitalares.

Segunda - Já a segunda redução do tributo dependeria da revogação do benefício de crédito presumido a produtos farmacêuticos.

Interesse social - Por outro lado, seriam aumentadas várias deduções que as empresas podem fazer do Imposto de Renda a pagar em razão de doações de interesse social.

Exemplo - É o caso, por exemplo, de doações aos fundos dos direitos do idoso; da criança e do adolescente; a projetos desportivos e paradesportivos; por meio da lei de incentivos aos audiovisuais; para programas de saúde contra o câncer (Pronon) e a favor de pessoas com deficiência (Pronas/PCD). Nessas situações, a dedução aumentaria de 1% para 1,87%.

Patrocínio - Já a dedução pelo patrocínio de obras audiovisuais e em razão do Programa de Alimentação ao Trabalhador (PAT) aumentaria, se considerada isoladamente, de 4% para 7,5% do imposto devido. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Jefferson Rudy / Agência Senado

 

SAÚDE I: Ministério registra 34,4 mil casos e 643 mortes em 24 horas

Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde do país registraram 34.407 novos casos de covid-19 e 643 mortes em consequência de complicações associadas à doença. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (16/09) em seu balanço diário sobre a pandemia.

Mortes - Com os novos acréscimos às estatísticas, a soma de pessoas que perderam a vida para a pandemia atinge 589.240. Na quarta-feira (15/09), a compilação de dados do Ministério da Saúde registrava 588.597 óbitos.

Investigação - Ainda há 3.331 falecimentos em investigação. Nessas situações, os diagnósticos dependem de resultados de exames concluídos apenas após o paciente já ter morrido.

Total - Com os novos casos, o total de pessoas contaminadas pelo vírus desde o início da pandemia chegou a 21.069.017. Na quarta-feira (15/09), o sistema de informações da pandemia trazia 21.034.610 casos acumulados.

Acompanhamento - Ainda há 306.713 casos em acompanhamento. O nome é dado ao número de casos ativos de pessoas que tiveram o diagnóstico confirmado e estão sendo atendidas por equipes de saúde ou se recuperando em casa.

Recuperadas - O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 foi para 21.173.064, o que corresponde a 95,7% das pessoas infectadas no Brasil desde o início da pandemia.

Estados - No topo do ranking de mortes por estado estão São Paulo (147.811), Rio de Janeiro (64.472), Minas Gerais (53.899), Paraná (38.268) e Rio Grande do Sul (34.472). Na parte de baixo da lista estão Acre (1.816), Amapá (1.969), Roraima (1.982), Tocantins (3.728) e Sergipe (6.003).

Vacinação - Até o início da noite desta quinta-feira, o painel de vacinação do Ministério da Saúde não tinha novas atualizações, e o sistema marcava 216,6 milhões de doses aplicadas, sendo 139,8 milhões da primeira dose e 76,7 milhões da segunda dose. Nas últimas 24 horas, foram aplicadas 2,5 milhões de doses.

PNI - Quando considerados apenas os dados consolidados no sistema do Programa Nacional de Imunizações (PNI), foram aplicadas 204,4 milhões de doses, sendo 132,6 milhões da primeira dose e 71,7 milhões da segunda dose.  

Distribuição - Ainda conforme o painel de vacinação, foram distribuídas 267,6 milhões de doses, sendo entregues 256,4 milhões. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 17 09 2021

SAÚDE II: Sesa divulga mais 2.112 casos e 70 óbitos por Covid-19

saude II 17 09 2021A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) divulgou nesta quinta-feira (16/09) mais 2.112 casos e 70 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os números são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Estado soma 1.478.428 casos e 38.050 óbitos pela doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta data são de janeiro (1), março (1), abril (2), maio (39), junho (119), julho (15), agosto (177) e setembro (1.758) de 2021.

Internados - 789 pacientes com diagnóstico confirmado da doença estão internados. São 563 em leitos SUS (340 em UTI e 223 em clínicos/enfermaria) e 226 em leitos da rede particular (130 em UTI e 96 em leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 1.456 pacientes internados, 746 em leitos UTI e 710 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

Óbitos - A Sesa informa a morte de mais 70 pacientes. São 25 mulheres e 45 homens, com idades que variam de 27 a 96 anos. Os óbitos ocorreram entre 20 de maio e 16 de setembro de 2021.

Municípios - Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (24), Londrina (5), Ponta Grossa (4), Cascavel (4), Marechal Cândido Rondon (3), Três Barras do Paraná (2), Toledo (2), São José dos Pinhais (2), Rolândia (2) e Guarapuava (2), Araucária (2).

Uma morte - A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Santa Tereza do Oeste, Piraí do Sul, Pinhais, Pato Branco, Paranavaí, Palotina, Ortigueira, Matinhos, Maringá, Mamborê, Ivaí, Colombo, Carlópolis, Capanema, Campo Largo, Campina Grande do Sul, Cambé e Apucarana.

Fora do Paraná - O monitoramento da Sesa registra 6.237 casos de não residentes no Estado – 218 pessoas morreram. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo AQUI.

Veja os relatórios de Excluções e de Correções de municípios.

 

SAÚDE III: Imunizantes que chegaram nesta quinta ao Paraná serão usados para completar esquema vacinal

saude III 17 09 2021Chegaram ao Paraná, na manhã desta quinta-feira (16/09), 324.930 vacinas contra a Covid-19. São 115.500 doses do imunizante Covishield (AstraZeneca/Fiocruz) e 209.430 do Comirnaty (Pfizer/Biontech), todas de segunda dose (D2), para completar o esquema vacinal da população com idade entre 40 e 59 anos e de alguns grupos prioritários.

Cemepar - Assim que desembarcaram no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, as vacinas foram encaminhadas para separação e armazenagem no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar). Elas serão distribuídas às Regionais de Saúde conforme o cronograma previsto para a segunda aplicação.

Lote - A remessa faz parte de um lote com 5.158.560 doses distribuídas pelo Ministério da Saúde aos 26 estados e ao Distrito Federal. Em todo o País, 267.623.564 vacinas já foram confirmadas para envio aos estados. Até o momento, o Paraná recebeu 14.082.880 doses, e cerca de 640 mil estão em processo de envio e distribuição.

Vacinômetro - De acordo com o vacinômetro do Ministério da Saúde, quase 12 milhões de doses já foram aplicadas no Estado (11.973.358). Com isso, 8.044.872 de pessoas já receberam ao menos uma dose do imunizante, 92,26% da população adulta. Quase metade dos paranaenses com mais de 18 anos já completou a cobertura vacinal, com a aplicação de 4.250.593 segundas doses ou do imunizante de dose única. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Ari Dias / AEN

 


Versão para impressão


RODAPE