Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3099 | 23 de Maio de 2013

COOPERATIVISMO: Câmara aprova urgência para o ato cooperativo

PredioCongresso externa destaque 23 05 2013Com voto favorável de 360 deputados, foi aprovado na tarde desta quarta-feira (22/05), em sessão extraordinária da Câmara dos Deputados, requerimento de urgência ao Projeto de Lei Complementar (PLP) 271/2005, que dá o adequado tratamento tributário ao ato cooperativo.

Conquista - A aprovação da urgência ao PLP 271/2005 é uma conquista significativa ao cooperativismo, pois reflete o reconhecimento, pelo Congresso Nacional e pelo Poder Executivo, da importância de se votar o projeto, de modo a dar segurança jurídica e tributária às nossas 6.587 cooperativas e aos mais de 10 milhões de cooperados do Sistema OCB.

Projeto prioritário - Projeto prioritário da Agenda Legislativa do Cooperativismo 2013, o PLP 271/2005 tem o objetivo de demonstrar exatamente em que momento incide a legislação tributária brasileira em suas operações, evitando que a cooperativa seja obrigada a recolher tributos cujos fatos geradores nela não tenham ocorrido, haja vista a ausência de fins lucrativos nas sociedades cooperativas. Estão nessa relação, por exemplo, a CSLL e as contribuições PIS/Cofins. Assim, busca-se delimitar a incidência tributária na pessoa do cooperado, verdadeiro contribuinte.

Entenda - O regime de urgência permite a dispensa de algumas exigências e formalidades regimentais, com exceção da publicação e distribuição em avulsos ou cópias, dos pareceres das Comissões e do quorum para deliberação. No caso do PLP 271/2005, a aprovação do requerimento de urgência permite que o Plenário da Câmara dos Deputados possa pautar e votar o projeto imediatamente após a construção de um texto consensual entre Sistema OCB, Governo e Poder Legislativo. A previsão é que o PLP 271/2005 possa ser votado a partir da próxima semana. (Blog OCB no Congresso)

 

VISITA: Ocepar recebe responsável pela unidade de projetos da FAO no Paraná

O Sistema Ocepar recebeu, na manhã desta quinta-feira (23/05), a visita de Carlos Antônio Ferrari Biasi, responsável pelo escritório da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura) no Paraná. Trata-se da primeira unidade de projetos instalada no Brasil pela FAO, que antes só tinha escritórios em capitais federais. A unidade paranaense responde pelos três estados do Sul do País e está funcionando no Instituto Emater, em Curitiba, desde o último dia 25 de março. Ela conta ainda com uma representação no Parque Tecnológico da Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu. Na Ocepar, Biasi esteve reunido com o presidente João Paulo Koslovski e com o superintendente José Roberto Ricken.

Experiências exitosas – Desde que assumiu o cargo, Biasi tem entrado em contato com diversas entidades nos três estados do Sul que possuem ligação com os temas prioritários de atuação da nova unidade da FAO no País: produção de alimentos, agricultura familiar, agroecologia, defesa sanitária vegetal e animal, gestão do solo e das águas, preservação ambiental e inclusão sócio-produtiva.  “Nós temos tido a oportunidade de contatar com um conjunto de entidades do Paraná e estivemos em Santa Catarina, no Rio Grande do Sul, inclusive nas organizações estaduais das cooperativas gaúchas e catarinenses, Ocergs e Ocesc. Em todos os locais, as instituições têm percebido a importância que esse trabalho pode ter para os três estados do Sul e para cada uma das entidades. A parceria, seja com representantes da sociedade civil ou com os órgãos de governo, é fundamental para que possamos atingir o primeiro dos objetivos estabelecidos, que é identificar experiências exitosas realizadas nos três estados do Sul”, afirmou. “Hoje, nós estamos aqui na Ocepar porque conhecemos o sistema cooperativista paranaense, sabemos da situação de cada uma das cooperativas, do trabalho de longa data que vem sendo executado, da consolidação que o setor vem alcançando durante anos e, isso, eu tenho certeza que pode, não ser copiado, mas ser apresentado, discutido e ser fator motivador para que possamos ter um sistema cooperativista forte também em outros países”, disse Biasi.

Ações consolidadas – O responsável pela unidade de projetos da FAO também citou algumas características do cooperativismo paranaense que poderiam ser aproveitadas como forma de contribuição às demais entidades. “Poderia contribuir, por exemplo, nos aspectos ligados à organização, ao crédito e à agroindustrialização. O trabalho feito com jovens e, ainda, na área de defesa sanitária vegetal, desenvolvido pelas cooperativas também são exemplos que temos no Estado do Paraná e que podem perfeitamente ser divulgados e apresentados porque existem já ações consolidadas e que têm resultados efetivos, ou seja, são projetos que têm sustentabilidade”, acrescentou.

Ano Internacional das Cooperativas – Biasi lembrou ainda que 2012 foi declarado pela Organização das Unidas (ONU) como Ano Internacional das Cooperativas, em reconhecimento à importância do setor cooperativista em todo o mundo. “A filosofia da proposta cooperativista me parece que é o mais importante nesse processo de crescimento, de unidade de trabalho, de ação conjunta de todos os agricultores. E aqui o Estado é algo ainda mais necessário, na medida em que nós temos uma predominância de agricultores familiares, que é um dos públicos prioritários desse trabalho que vem sendo desenvolvido aqui pela FAO”, frisou.

Site e Seminário – Ainda de acordo com ele, os projetos bem-sucedidos desenvolvidos pelas entidades do Sul do País deverão ser disponibilizados por meio de um site para que as informações sejam compartilhadas, especialmente entre os países da América do Sul e da África. Além de identificar e cadastrar as experiências dos três estados do Sul, a unidade de projetos da FAO no Paraná também trabalha com a possibilidade intercâmbio para capacitação de técnicos de outros países. Biasi disse ainda que a sucessão familiar nas propriedades rurais tem sido identificado como uma questão importante no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul e que está sendo estudada a possibilidade de realização de um seminário latino-americano para debater o tema e levantar as alternativas existentes para assegurar a permanência dos jovens no meio rural, propiciando as condições necessárias para atingir essa finalidade. 

{vsig}noticias/2013/05/23/visita/{/vsig}

BATAVO: Tradicional exposição de gado holandês branco e preto ganha novo nome

A Expofrísia 2013, antiga Expocarambeí, evidenciará a qualidade genética do rebanho de gado holandês dos Campos Gerais entre os dias 28, 29, 30, 31 de maio e 1º de junho. A exposição reúne cerca de 180 animais no Pavilhão de Exposições Frísia, em Carambeí (PR), numa realização da Batavo Cooperativa Agroindustrial e apoio da indústria Frísia.

Visitantes - De acordo com os organizadores do evento, a exposição novamente deve atrair um número expressivo de visitantes interessados no conhecimento centenário na atividade pecuária regional. Durante os dias de exposição, o Parque Histórico de Carambeí terá programação especial, com gastronomia típica e as famosas tortas holandesas no café e restaurante Koffiehuis.

Estrutura - A Expofrísia 2013 conta este ano com entrada de acesso na área de estandes externos, que ficará mais integrada ao pavilhão principal. A praça de alimentação, composta de restaurante, este ano ganhou espaço próprio, com ampla área que interligará os dois ambientes de estandes. O pavilhão de exposições, que há dois anos foi especialmente estruturado para a feira, ganhou este ano revestimento diferenciado, com grama sintética para deixar o evento mais aconchegante e limpo. Os estábulos foram novamente reestruturados para melhoramento de bem-estar animal. A administração da exposição e a Seab terão sala especial, ao lado da pista de julgamento.

Tecnologia - Durante a exposição, empresas parceiras de porte do setor apresentaram novos produtos e serviços, nas alas interna e externa. Além das empresas de sêmen e nutrição, também serão apresentados sistemas modernos e inovadores para a atividade, contribuindo para a gestão da propriedade, com melhor produtividade e qualidade através do controle da saúde do rebanho e manejo nutricional.

Vila Histórica - Um bom passeio com a família pode ser feita através da visitação à Vila Histórica, que retrata as construções típicas da colonização holandesa em 1920. As réplicas poderão ser visitadas durante a exposição, com atendimento especial nos dias de realização. O Koffiehuis, na casa da Memória, também estará atendendo normalmente os visitantes, com suas tradicionais tortas doces e pratos típicos da culinária local, em sistema de restaurante. Mas informações no site: www.aphc.com.br

Clube de Criação de Bezerras - A exposição de bezerras será a primeira atração da exposição, sendo um incentivo para as crianças e adolescentes, filhos (as) de produtores rurais ou de seus colaboradores, garantindo a continuidade na atividade leiteira. Durante alguns meses, os inscritos no Clube são avaliados previamente pelo trato com os animais, e no dia do evento, pela sua desenvoltura na pista de julgamento e a genética da bezerra.

Palestras técnicas - Neste ano, no dia 30 de maio, o evento terá a participação da Central Pioneiros (Clínica Veterinária), oferendo à classe as palestras técnicas:

- Estratégias para aumentar a  manutenção de gestação de embriões produzidos in vitro, com Jeremy Block (PHD Ovatech LLC);

- Utilização de bST como ferramenta para aumentar a fertilidade em vacas de leite, com Todd R. Bilby (PHD Associate Professor);

- Análise de dados para entender e melhorar a eficiência do sistema de produção de leite, com Alan Vander Horst (Prof., Ass., DR.)

- Protocolo de sincronização aumenta prenhez na IATF e na TETF: Estratégias para aumentar resultados com protocolos de sincronização de ovulação, com José Luiz Morais  Vasconcelos (Prof., Ass., DR). (Imprensa Batavo)

batavo CARTAZ 23 05 2013 (1)

{vsig}noticias/2013/05/23/batavo/{/vsig}

AGRÁRIA: Seis mil unidades do Atlas Ambiental de Guarapuava são entregues

Um material raro, desenvolvido em cooperação entre a Agrária e a Basf, passa a enriquecer o material didático da rede pública de ensino de Guarapuava. O Atlas Ambiental do município foi entregue oficialmente ao prefeito Cesar Silvestri Filho, na manhã de terça-feira (21/05), pelo presidente da Agrária, Jorge Karl, e pelo representante técnico de vendas da Basf, José Carlos Sandrini - empresas idealizadoras do projeto.

Exemplares - Cerca de 6.000 exemplares do material já se encontram nas escolas municipais, à disposição dos alunos. A cerimônia realizada na prefeitura contou ainda com a presença da vice-prefeita, Eva Schran, de representantes da secretaria municipal de Educação e da imprensa local. Um termo de entrega foi assinado.

Conteúdo - O Atlas Ambiental apresenta, de forma didática e lúdica, aspectos históricos, geográficos, culturais, ambientais e sociais de Guarapuava. Em mais de cem páginas, ilustrações, fotografias, imagens de satélite, infográficos e dados científicos atuais contextualizam o município, no âmbito estadual, nacional e global – navegando inclusive pelo espaço sideral.

Contribuição - "O mundo é rico e surpreendente", destaca um trecho inicial do material. "Soubemos da iniciativa da Basf e decidimos trazer o projeto para a Agrária. Sabemos da importância de o aluno, como cidadão, se sentir parte do local onde vive", destacou Jorge Karl. "O atlas só será útil se for realmente empregado, e temos certeza que será. É um pequeno gesto realizado pela Agrária e esperamos que os resultados sejam colhidos no futuro", acrescentou o presidente da cooperativa.

Qualidade - O prefeito de Guarapuava elogiou tanto a qualidade do Atlas Ambiental quanto a iniciativa de desenvolvê-lo. "Quero agradecer a Agrária, essa grande parceira, tão importante para o desenvolvimento do nosso município. É elogiável essa preocupação demonstrada para com Guarapuava, ao trazer para cá um projeto que beneficiará nossos alunos", destacou Cesar Filho.

Contexto socioambiental - Antes da Agrária, apenas duas cooperativas haviam desenvolvido o Atlas Ambiental juntamente com a Basf. "Nossa empresa está sempre preocupada com o contexto socioambiental no qual está inserido e, através do programa Mata Viva, desenvolvemos este excelente material juntamente com a Agrária", explicou Sandrini.

Continuidade - Para incentivar a utilização do Atlas Ambiental de forma criativa, foi lançado um concurso cultural destinado aos professores, regentes de turma e equipes de ensino da rede municipal de ensino. O objetivo é inscrever um plano de aula a ser desenvolvido com os alunos no segundo semestre letivo. Os melhores trabalhos serão premiados. Mais detalhes sobre o concurso, incluindo o regulamento completo, serão divulgados em breve. (Imprensa Agrária)

 {vsig}noticias/2013/05/22/agraria/{/vsig}

COOPERTRADIÇÃO: Unidade industrial de tratamento de semente já está em funcionamento

coopertradicao 22 05 2013O Tratamento de Semente Industrial (TSI) da Coopertradição já está funcionando em pleno vapor. A obra faz parte do Complexo Agroindustrial da cooperativa, que teve investimento superior a R$ 20 milhões e que também abrigará a Unidade de Beneficiamento de Sementes. Funcionando em capacidade plena, o TSI terá condições de tratar até 12 toneladas de sementes por hora.

Primeiros testes - De acordo com o gerente de logística da Coopertradição, Nédio Tonus, os primeiros testes do TSI começaram no início deste ano. “Fizemos em janeiro uma experiência com o feijão. Os resultados foram positivos e agora começamos a tratar o trigo”, explica. De acordo com ele, o volume de trigo tratado no TSI deve ser em entre 20 a 25 mil sacas. “A qualidade da semente é excepcional. Vimos isso no feijão e agora veremos no trigo. O produtor pode ter a certeza de que temos uma máquina com tecnologias incríveis para atender as expectativas do agricultor”, acrescenta.

Acerto - Segundo Tonus, hoje os técnicos da Coopertradição acertam com o produtor rural a comercialização da semente e, posteriormente, o tratamento da mesma. “Alguns ainda preferem fazer o tratamento em casa. Mas vemos que 90% dos agricultores que compram sementes conosco pedem para o tratamento ser feito pelo TSI”, explica.

Parceria - O TSI é uma parceria entre a Coopertradição e Bayer CropScience e disponibiliza aos agricultores uma inovadora estrutura para o tratamento de sementes profissional. O produtor rural que anteriormente optava pelo processo manual agora pode contar com tecnologias de ponta para o tratamento das sementes. (Imprensa Coopertradição)

 

COPAGRIL Estudantes de Toledo conhecem criatório de bezerras

A forte neblina não espantou os 30 estudantes que foram de Toledo para Marechal Cândido Rondon, no oeste paranaense, nesta quarta-feira (22/05)m com o intuito de conhecer o criatório de bezerras da Copagril, na propriedade do associado Milton Schone. A turma é do Colégio Agrícola de Toledo e está no último ano, prestes a se tornarem técnicos em agropecuária. A visita fez parte da disciplina de Produção Animal – bovinocultura leiteira, ministrada pelo professor Wilson Tonatto.

Criatório - De acordo com o educador, visitas como a ocorrida nesta quarta são comuns, mas é a primeira vez que a turma conhece um criatório de bezerras. “Tentamos sempre encontrar meios de associar os conteúdos aprendidos em sala de aula com a prática, o dia a dia da profissão. É importante para eles conhecerem os produtores, fazerem contatos e verem modelos diferentes de trabalho”, explicou.

Informações - A visita foi acompanha pelos donos e funcionários da propriedade e pelo médico veterinário da Copagril, Enio Todero. “Mostramos a eles como funciona o criatório e falamos sobre nutrição, formas de manejo, sanidade animal e tudo o que pode interferir na criação”, contou Enio. “Tudo o que acontece nesta fase irá interferir na produção no futuro, quando estes animais estarão produzindo leite. Por isso é muito importante dar atenção especial as bezerras”, revelou.

Orgulho - Para o associado Milton, visitas como esta são muito satisfatórias. “A gente sente orgulho de ter uma propriedade que serve de exemplo pra quem está aprendendo, mas mais importante que isso é poder passar conhecimento, passar informação aos futuros profissionais”, declarou. (Imprensa Copagril)

{vsig}noticias/2013/05/23/copagril/{/vsig}

COPACOL: Cooperativa recebe visita de representantes da Cobb

O presidente mundial da Cobb-Vantress - EUA, Jeremiah Moye, o presidente na América do Sul, Jairo Arenazio, acompanhados dos diretores Fausto e Oscar, estiveram na Copacol na terça-feira (21/05), em Cafelândia, no Oeste do Paraná. O grupo foi recebido pela equipe da Divisão de Produção Animal. A visita teve como objetivo consolidar a parceria entre a Copacol e a Cobb na avicultura, além de discutir como está a atividade no âmbito mundial e também para debater sobre as novas perspectivas da produção avícola.

A empresa - A Cobb-Vantress é uma empresa multinacional que atua na área de pesquisa e tecnologia avícola. No Brasil, possui unidades de operação em Guapiaçu (SP), Palestina (SP), Paulo de Faria (SP), Uberlândia (MG), Itapagipe (MG), Água Clara (MS), Guarapuava (PR) e Monte Negro (RS). (Com informações da Assessoria de Imprensa da Copacol)

 

copacol 23 05 2013

 

SICREDI: Assembleia Itinerante de Consórcios bate recorde nacional em Arapongas

A Sicredi Agroempresarial e a Sicredi Vale do Ivaí realizaram, no dia 17 de maio, mais uma Assembleia Nacional Itinerante de Consórcios, no segmento de automóveis, na cidade de Arapongas, norte do Paraná. O evento reuniu mais de 400 associados e bateu o recorde nacional em vendas. Ao todo foram comercializadas 489 cotas, o que dá o montante de R$15,2 milhões.

Cotas - A Sicredi Agroempresarial comercializou 324 cotas dentre todos os segmentos oferecidos pela cooperativa (automóveis, motos, serviços, pesados e imóveis) e totalizou o valor de R$ 10,1 milhões em cotas. A Sicredi Vale do Ivaí comercializou 165 cotas, totalizando R$ 5,1 milhões. Os associados que adquiriram cotas na noite foram contemplados com o sorteio de três cheques no valor de R$500,00 e uma moto zero quilômetro.

Importância - O presidente da Sicredi Agroempresarial, Agnaldo Esteves, ressaltou a importância do recorde para a cooperativa. “Dobramos o número de cotas vendidas na última Assembleia que realizamos em Apucarana e isto só foi possível, pois temos uma boa equipe de colaboradores e também associados que entenderam o sentido de ser dono deste negócio e crescer com sua cooperativa”, afirmou.

Evento - O presidente da Sicredi Vale do Ivaí, Plácido Caldas Filho, falou da importância do evento. “Além de dar prestigio ao desempenho das nossas equipes, já que estas Assembleias Itinerantes são realizadas em cooperativas de todo o Sistema que se destacam nas vendas de cotas de consórcios, vamos proporcionar conhecimento aos nossos associados, já que participar deste evento facilita o entendimento do funcionamento de uma assembleia de consórcio, além de ser possível conferir a prestação de contas de seu grupo”, detalha Plácido.

Colaboradores - O superintendente regional das cooperativas, Marcelo Filimberti De Bortoli, ressaltou a importância dos colaboradores do atingimento das metas. “Foi uma demonstração, de profissionalismo, comprometimento e capacidade de vendas da equipe de ambas as cooperativas”, disse. (Imprensa Sicredi Agroempresarial)

{vsig}noticias/2013/05/23/sicredi_agroempresarial/{/vsig}

CONFEPAR: Nota de esclarecimento

Confepar 23 05 2013A Confepar esclarece que toda a captação de leite do Rio Grande do Sul é responsabilidade da Coopleite, que recebe e comercializa o produto para a Confepar. Tanto a Confepar quanto a Coopleite reiteram que repudiam ações fraudulentas como as citadas nas investigações do Ministério Público na operação “Leite Compensado”. A Coopleite e a Confepar sempre cumpriram com rigor seus procedimentos e controles internos de qualidade, dentro dos padrões da legislação vigente. A Coopleite e a Confepar esclarecem ainda que os resultados das análises das amostras, coletadas pelo Ministério da Agricultura, até o presente momento não apresentam qualquer irregularidade. O leite apreendido na operação leite compensado está sob a responsabilidade do Ministério da Agricultura.

Memorando - A Coopleite recebeu o memorando do Ministério da Agricultura por meio do entreposto prestador de serviços de resfriamento no Rio Grande do Sul. De imediato intensificou as análises e controles do produto recebido, que não apontaram nenhum problema ou irregularidade. A Confepar e a Coopleite têm total interesse no esclarecimento dos fatos, designando o gerente geral de captação de leite para o acompanhamento de todos os detalhes do caso. As diretorias aguardam relatórios e continuam à disposição das autoridades para esclarecimentos necessários. (Confepar)

 

BEM-ESTAR ANIMAL: Mapa promove workshop internacional para debater boas práticas

bem estar animal 23 05 2013As melhores práticas e os métodos inovadores de manejo dos animais voltados ao consumo, seja durante a sua criação, seu transporte e o abate, serão temas centrais de do Workshop Internacional de Bem-Estar dos Animais de Produção, que acontecerá entre 11 e 13 de junho, em São Pedro (SP).

Iniciativa - O evento é uma iniciativa e parceria da Sociedade Mundial de Proteção Animal (WSPA) com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Embrapa e a Universidade Estadual Paulista (Unesp) e reunirá especialistas nacionais e internacionais em uma série de palestras e debates técnico-científicos, com o objetivo de auxiliar na troca de experiências inovadoras para melhorar o bem-estar dos  animais de produção na perspectiva mundial do agronegócio.

Temas - Durante a programação serão debatidos temas como bem-estar animal e sustentabilidade corporativa, perspectivas mundiais para o bem-estar animal, experiências alcançadas com a implementação de granjas com gestação em grupo no Brasil e na Europa, métodos adequados de eutanásia em granjas, Benchmark do bem-estar animal no agronegócio e ações da Comissão Europeia, OIE e FAO para melhorar o bem-estar animal durante a criação, transporte e abate.

Marco - De acordo com Andrea Parrilla, coordenadora da Comissão Técnica Permanente de Bem-Estar Animal do Mapa, o evento é considerado um marco para o bem-estar animal no Brasil. "Teremos a oportunidade de discutir o assunto com profissionais renomados da área, além de destacar o avanço do Brasil com a assinatura do Acordo de Cooperação Técnica com a DG-SANCO da União Europeia e a entrada em Consulta Pública da Instrução Normativa que aprova o regulamento técnico de manejo pré-abate e abate humanitário", destacou.

Inscrições - Os interessados poderão se inscrever até o dia 07/06 diretamente pelo site www.workshopdebemestaranimal.com.br, onde também está disponível a programação completa do workshop. As vagas são limitadas. (Mapa)

 

LEITE: Reunião define agenda positiva para a cadeia produtiva

Com o objetivo de adotar ações para aprimorar a inspeção e o controle da produção de leite no Brasil, representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), das indústrias de laticínios e dos produtores se reuniram nesta quarta-feira (22/05), em Brasília. Durante o encontro, foi definida uma agenda de trabalho para nortear as próximas ações do Governo Federal e da iniciativa privada. O intuito é aumentar o rigor na seleção da matéria prima.

Transporte - Um dos principais pontos da reunião foi quanto ao controle e monitoramento da etapa de transporte do leite cru à indústria. Como essa é uma relação comercial, o que foge da legislação da vigilância oficial, a proposta ainda deve ser discutida no âmbito jurídico. Atualmente, cabe ao Mapa a verificação do cumprimento das normas legais por parte dos estabelecimentos registrados no Serviço de Inspeção Federal.

PNQL - Outro ponto proposto é o fortalecimento do Programa Nacional de Qualidade do Leite (PNQL), para que seja adotado também por todos os serviços de inspeção estadual e municipal do país. Essa etapa é importante para garantir que um produto recusado por empresas de inspeção federal não seja admitido em estabelecimentos sob fiscalização das demais instâncias oficiais.

Análises - Também foi discutido o aperfeiçoamento das análises laboratoriais para a seleção de matéria prima na plataforma de produção das indústrias. O intuito é buscar provas analíticas mais eficientes e ágeis para identificar irregularidades.

Rastreabilidade - Além dos processos de inspeção, os participantes trataram do aprimoramento do sistema de rastreabilidade do leite cru em todos os elos da cadeia produtiva, desde o produtor até a oferta do produto lácteo ao consumidor. Atualmente, o sistema para análise da qualidade já é realizado nas fazendas e nas indústrias. A ideia é incluir a coleta de material também dos tanques dos caminhões de transporte.

Comissão público-privada - Todos os pontos serão discutidos por uma comissão público-privada que vai ser nomeada durante a próxima reunião extraordinária da Câmara Setorial do Leite, no próximo dia 7 de junho, em Brasília. O grupo terá a responsabilidade de definir documentos técnicos que viabilizem a adoção das propostas e que estas sejam incluídas na legislação oficial sobre o tema. (Mapa)

23 DE MAIO: Seminário celebra Dia Nacional do Calcário Agrícola

Na intenção de alertar o produtor rural sobre a importância da calagem para a agricultura brasileira, a Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuário e Abastecimento (Mapa) promove, nesta quinta-feira (23/05), o Seminário sobre o Dia Nacional do Calcário Agrícola.

Processo - A calagem é um processo que visa à redução da acidez no solo por meio da adição de calcário. Essa prática também melhora a eficiência do uso dos fertilizantes, estimula a atividade microbiana no solo, diminui a toxidez de alumínio, bem como promove a correção da deficiência de cálcio e de magnésio, resultando, assim, em benefícios econômicos para o produtor rural.

Data comemorativa - A data comemorativa foi instituída pela Lei N° 12.389/11 e é celebrada, anualmente, dia 24 de maio em todo o território nacional. O Mapa desenvolve e apoia ações de incentivo ao uso adequado e eficiente do calcário, com o objetivo de melhorar os níveis de produtividade das culturas. Dentre as suas atividades destacam-se a capacitação de técnicos e de produtores rurais, a elaboração de material técnico e o estabelecimento de parcerias institucionais com estados e municípios.

Serviço - Seminário sobre o Dia Nacional do Calcário Agrícola / Dia: 23/05 (quinta-feira) / Hora: 14h00 às 18h00 / Local: Auditório Maior do edifício-sede do Mapa, Esplanada dos Ministérios, Bloco D. (Mapa)

PESQUISA: Embrapa comemora o Dia Nacional do Café

pesquisa 23 05 2013Os brasileiros têm verdadeira paixão por café. Tanto que, em 2005, a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) instituiu o dia 24 de maio como Dia Nacional do Café. A data marca o início da colheita na maior parte das regiões produtoras do Brasil e não poderia deixar de ser celebrada pela Embrapa Café, coordenadora do Consórcio Pesquisa Café.

Homenagem - Para homenagear o dia, nada melhor que saborear e aprender um pouco mais sobre o café nosso de cada dia, suas variedades e diferentes formas de preparo e harmonização. Esse é o objetivo do evento comemorativo do Dia Nacional do Café - que este ano também comemora os 40 anos da Embrapa -, a ser realizado pela Embrapa Café na sede da empresa, em Brasília, nesta sexta-feira (24/05), e conduzido pela barista Sulayne Shiratori. Ela vai ensinar a preparar e degustar café, inclusive bebidas sofisticadas à base do produto, a partir de grãos provenientes das 12 regiões produtoras, como Zona da Mata Mineira, Cerrado Mineiro, Conilon Capixaba e Sul de Minas.

Oficinas - As oficinas acontecerão das 9h às 10h30 e das 14h às 15h30. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail anisio.diniz@embrapa.br até 23 de maio e, no dia 24, no local do evento, a depender da disponibilidade de vagas. Sulayne Shiratori concedeu entrevista à Embrapa Café. Confira.

Embrapa Café: Sulayne, você poderia nos contar um pouco da história do Café no Brasil?

Sulayne Shiratori: A história do café no Brasil mistura-se com um pouco de romantismo. Uma missão oficial do militar luso-brasileiro Francisco de Melo Palheta, em 1727, trouxe a primeira muda de café para o Brasil. Francisco, considerado um ‘Don Juan’, teria seduzido a esposa do governador da Guiana Francesa. Foi ela quem lhe deu a muda, escondida dentro de um vaso de planta. Chegando ao Brasil, o café encontrou todas as condições favoráveis para florescer. A primeira muda que chegou ao Brasil entrou pelo porto do Pará. Em seguida, foi para o Paraná, difundiu-se pelas montanhas do Espírito Santo, por algumas regiões do Estado do Rio de Janeiro e foi descendo para a alta mogiana, em São Paulo. Hoje, o Brasil é considerado o maior produtor e exportador de café no mundo e o segundo maior consumidor, ficando atrás somente dos Estados Unidos. O Estado de Minas Gerais é considerado o maior parque cultural de café, responsável por mais de 50% da produção brasileira.

EC: Quais são os principais requisitos para a obtenção de um café de qualidade?

SS: Eu destacaria a mão-de-obra especializada, o uso da tecnologia aliada ao controle de pragas, o manejo sustentável, solo, clima e altitude favorável. O pós-colheita, que é o processo de secagem e beneficiamento do grão, e também o momento da classificação e descarte dos defeitos, também são importantíssimos. A torra é o momento de alquimia do café. É ela quem vai dar ênfase a todas as características sensoriais dos grãos. Porém, se feita de maneira incorreta, irá danificar, literalmente queimar, todas as suas propriedades. Além disso, é importante que o café seja estocado em locais adequados para evitar problemas de fermentação e oxidação.

EC: Para alguém que aprecia o café simples, do dia a dia, que recomendações você daria e quais as opções de preparo em casa?

SS: Em primeiro lugar, cuidado com a escolha da marca. Hoje, a Associação Brasileira da Indústria de Café – Abic - proporciona selos de pureza e qualidade para garantir que o consumidor compre um café justo. Recomendo que confiram esses selos. Além disso, há alguns segredinhos para o preparo, como a escolha da água. O ideal é que ela seja filtrada ou mineral, porque o cloro interfere no sabor do café. Outra dica - que parece óbvia, mas que é importante para uma boa bebida - é não ferver a água. O pó de café, além de volátil, é muito sensível. Assim que a água começa a entrar em ebul ição, o fogo deve ser desligado para evitar aquele sabor amargo e o cheiro de borracha queimada. Estar dentro de uma garrafa térmica não garante que o café vá durar a tarde inteira. Um bom café precisa ter frescor. O aroma e o sabor estão no frescor. Como o café oxida com muita facilidade, é recomendado deixá-lo somente 30 minutos dentro da garrafa térmica.

EC: Como o café deve ser armazenado em casa para que suas propriedades sejam preservadas?

SS: O ideal é que o café seja mantido em sua embalagem original. Depois de aberta, essa embalagem deve ser armazenada dentro de outro pote com tampa e mantida dentro da geladeira para que o café conserve suas propriedades.

Atributos e regiões produtoras - Atributos positivos dos cafés do Brasil - Principais regiões produtoras: Sul de Minas - café de corpo e doçura moderados, com acidez cítrica de média a alta; Matas de Minas - produzidos nas zonas altas, apresentam bom corpo, acidez e doçura; Chapada de Minas - aroma e bebida são consistentes, além de equilíbrio e corpo e acidez; Cerrado de Minas - cafés encorpados, com excelente aroma e doçura; Centro-Oeste - cafés com baixa acidez, corpo moderado e levemente doces; Mogiana (São Paulo) – café de corpo e acidez equilibrados com excelente doçura natural; Montanhas do Espírito Santo - produzidos nas zonas altas, têm bom corpo, acidez e doçura - exótico; Conilon Capixaba - Sabor típico, é a base de muitos blends de Torrado&Moído e Solúveis; Paraná - cafés de médio corpo, com sabor característico, baixa acidez e doçura; Planalto da Bahia - cafés semi-encorpados, com acidez diferenciado e doçura natural; Cerrado da Bahia - equilíbrio de corpo e doçura, com acidez típico refinada; Conilon de Rondônia - sabor típico, é a base de muitos blends de Torrado&Moído e Solúveis. (Mapa)

 

 

RODOVIAS: Licitação de obras do PAC no Paraná sai até o fim do ano

rodovias 23 05 2013O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) promete dar início a seis obras rodoviárias do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Paraná que ainda não saíram do papel até o final deste ano. Ao todo, 11 projetos do estado estão contemplados no PAC: um deles já ficou pronto (o Contorno Oeste de Cascavel, entregue em dezembro de 2012) e outros três seguem com obras em andamento – o Contorno Norte de Maringá; a adequação da BR-163, entre Cascavel e Guaíra; e a pavimentação da Estrada Boiadeira, entre Cruzeiro do Oeste e Tuneiras do Oeste.

Sem previsão - A única obra do PAC sem previsão de início é a construção da segunda ponte ligando Foz do Iguaçu ao Paraguai, na BR-277. O edital de concorrência foi revogado em abril e não há data para novo processo licitatório.

Incorporações - Duas das seis construções rodoviárias foram incorporadas pelo PAC neste ano. São elas a adequação do entroncamento entre a BR-163 e a BR-277, entre Cascavel e Marmelândia, que está em fase de contratação de empresa para a elaboração do projeto básico, e a adequação do acesso ao Porto de Paranaguá, na BR-277, cuja realização do estudo de viabilidade técnica e ambiental já foi licitada.

Investimento - O valor investido em cada obra não é divulgado. Isso porque grande parte das licitações ocorre via Regime Diferenciado de Contratações (RDC). Com isso, o orçamento do Dnit para a licitação somente é divulgado na etapa final da concorrência, não podendo ser anunciado antes. Cinco obras, porém, têm valor previsto pelo Ministério dos Transportes, totalizando R$ 391 milhões – incluindo R$ 33,23 milhões já aplicados no Contorno Oeste de Cascavel. O prazo final para a entrega de todas as obras é 2014.

Intensificação - Segundo o superintendente estadual do Dnit, José da Silva Tiago, as ações do PAC nas rodovias federais do Paraná devem se intensificar mais à medida que novas obras rodoviárias sejam realizadas no estado. “O aumento da capacidade viária de rodovias, como a BR-163, na Região Oeste, os contornos e a implantação de segmentos, como das BRs-158 e 153, contribuirão com o sistema rodoviário nacional”, ressalta.

Necessário - Para o consultor em infraestrutura logística da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Mário Stamm, o conjunto de construções e reparos em rodovias estaduais é extremamente necessário. “Os contornos são importantes, por exemplo, para tirar o fluxo de veículos da zona urbana para outras áreas, diminuindo o congestionamento e o risco de acidentes”, afirma. Ele acredita que todas as obras sairão do papel. “Existe essa necessidade de reestruturação viária e são medidas possíveis de serem executadas”, salienta.

“Poder público precisa se planejar melhor” - O urbanista Ricardo Berti, professor da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), afirma que as 11 obras previstas pelo Dnit são importantes na medida em que recuperam o atraso no investimento viário no estado. No entanto, ressalta que falta ao poder público planejamento. “O governo se preocupa obra por obra. Pensa etapa por etapa. Na verdade, quando está licitando uma rodovia já precisa ter um projeto básico encaminhado de outra”, salienta.

Comparação - Berti compara o setor com o ramo da construção civil. Segundo ele, se cada construtora fosse pensar a edificação de um prédio para depois projetar outro o risco de ir à falência seria grande. “Enquanto erguem um edifício, as construtoras já têm dez projetos encaminhados. O governo deveria pensar da mesma forma na questão de infraestrutura viária. Para cada dez obras em andamento devem ter outros 100 projetos guardados na prateleira”, afirma.

Tráfego - Ele explica que o atraso na construção e adequação de rodovias traz reflexo direto no fluxo do tráfego. “Sem novas rodovias, ficamos sem vias alternativas. Assim, concentramos o tráfego de veículos nas mesmas rodovias, o que eleva o risco de acidentes”, comenta.

Estudo sobre a BR-101 no litoral fica pronto em outubro - O governo do Paraná realiza um estudo de viabilidade técnica e ambiental para a construção da BR-101, que cruzará o litoral paranaense. A nova estrada visa desafogar o movimento no ferryboat e melhorar o escoamento da safra e o acesso aos portos paranaenses.

Melhor traçado - Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Logística, o estudo vai definir o melhor traçado da rodovia, saindo da BR-116, em São Paulo, até chegar a BR-101, em Santa Catarina. A intenção é aproveitar rodovias estaduais, como as PRs 340 e 508, e trechos da BR-277, formando um corredor viário que passaria por trás da baía de Guaratuba, cruzando também Matinhos, Paranaguá e Antonina. A previsão é que até outubro o estado tenha concluído o estudo.

Defesa - O consultor em infraestrutura logística da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Mário Stamm, que também foi secretário de Transportes do Paraná, defende a construção da BR-101. “A BR dará vazão ao tráfego, melhorando o fluxo de veículos e o transporte de mercadorias. (Gazeta do Povo)

 

info obras rodovias 2305treze

TRIBUTOS I: Crédito de ICMS de exportadoras é imune a PIS, decide STF

Os créditos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) acumulados por empresas exportadoras são imunes à cobrança de PIS e Cofins. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (22/05), em processo com repercussão geral, que a União não pode cobrar os tributos sobre a cessão a terceiros de créditos de ICMS decorrentes de operações de exportações.

Relatora - Relatora do processo, a ministra Rosa Weber afirmou que a legislação brasileira estimula as empresas nacionais a "exportar produtos e não tributos". A cobrança dos tributos sobre a transferência de créditos de ICMS a terceiros seria "vilipendiar" a imunidade tributária às exportações e "abalar a competitividade" das empresas brasileiras.

Entendimento - No entendimento da Corte, os créditos de ICMS não constituem receita própria da empresa ou faturamento. A maioria dos ministros julgou que os créditos são recuperação de custos ou recomposição do patrimônio. Por isso, por não serem receitas, os créditos estariam imunes à incidência de PIS e Cofins.

Custo Brasil - Rosa acrescentou que, mesmo que os créditos fossem considerados receita, a Constituição impediria a tributação. De acordo com ela, o artigo 149 prevê que não incidirão contribuições sociais sobre receitas decorrentes de exportações. O ministro Ricardo Lewandowski afirmou que a decisão da Corte, nesse sentido, contribui para reduzir o "Custo Brasil" e aumentar a competitividade das exportações brasileiras. Voto vencido, o ministro Dias Toffoli afirmou que a Constituição não vedou a cobrança dos tributos sobre as operações de cessão de créditos decorrentes de exportações. (Agência Estado)

TRIBUTAÇÃO II: Projeto de reforma do ICMS pode ter sobrevida

Depois de um embate público entre governo e Congresso, o projeto de reforma do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) pode ganhar sobrevida. Essa é a impressão dos senadores Delcídio do Amaral (PT-MS) e Lindbergh Farias (PT-RJ), após reunião com o ministro da Fazenda, Guido Mantega. "Estou esperançoso. Os Estados reagiram ao movimento do governo [de recuo] e dá para salvar a reforma do ICMS", disse Lindbergh, que preside a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE).

Prioridade - No entanto, a ideia agora não é mais tratar de diversos assuntos federativos ao mesmo tempo, como fundos de compensação, descontos e mudanças no indexador de dívidas e convalidação de benefícios tributários já dados em desacordo com a Constituição. "A prioridade é salvar o projeto de resolução", disse Lindbergh. O projeto de resolução trata, apenas, das mudanças nas diferentes alíquotas interestaduais de ICMS.

Movimentação - De acordo com os senadores, já haveria movimentação por parte dos Estados de rever pontos que inviabilizaram o projeto, como a manutenção de ICMS de 12% na Zona Franca de Manaus e alíquota de 7% para comércio e serviços de Norte, Nordeste e Centro-Oeste - algo que foi contra a proposta original de alíquota diferenciada apenas para a indústria.

Acordo - De acordo com Amaral, no caso dos 12% da Zona Franca, os Estados estão cedendo e o governo vai tentar um acordo para que a alíquota fique em 9%. Outro ponto de atrito, que pode ser melhorado, é a questão envolvendo os bens de informática, com alíquota igual de 7% ou 9% para todos os Estados.

Medida provisória - Sobre a medida provisória que cria os Fundos de Compensação e Desenvolvimento Regional, Lindbergh acredita que não será possível a apreciação do texto pela Câmara e pelo Senado até o prazo final de 6 de junho. No entanto, há uma alternativa para tratar desses mecanismos que compensarão os Estados pela perda de arrecadação. A ideia, por ora, segundo o senador, é criar os fundos por meio de projeto de lei complementar. "O governo não vai votar essa reforma do ICMS com o país dividido", disse Lindbergh. "O governo passou a bola para os Estados e o Parlamento. Vamos buscar se não unanimidade, um amplo consenso."

Questão fiscal - De acordo com os senadores, o governo está firme em não ceder no ponto que trata dos descontos para o endividamento dos Estados. Segundo Amaral, a preocupação do governo é com a questão fiscal. (Valor Econômico)

INTERNACIONAL: Índice da indústria e serviço avança mais que o previsto na zona do euro

1internacional 23 05 2013 (2)O Índice dos Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) composto da zona do euro, uma medida da atividade da indústria e de serviços da região, aumentou de 46,9 pontos em abril para 47,7 na leitura preliminar de maio, superando a previsão de entre 47,1 e 47,2 pontos. Os números divulgados nesta quinta-feira (23/05) pela consultoria Markit são um sinal de que o bloco pode estar se recuperando de uma prolongada recessão, mas ainda continuam abaixo de 50 pontos, indicando contração da atividade.

Serviços - O PMI de serviços subiu de 47,0 para 47,5 entre os dois meses e também ficou acima da previsão de 47,2 pontos, enquanto o da indústria aumentou de 46,7 para 47,8 pontos, ante a previsão de 47,0 pontos.

Alemanha - Na Alemanha, o PMI composto subiu de 49,2 pontos para 49,9 pontos, enquanto o de serviços aumentou de 49,6 para 49,8 pontos e o da indústria passou de 48,1 para 49,0 pontos na leitura preliminar de maio. Analistas previam que o PMI de serviços ficaria em 50,0 pontos e o da indústria, em 48,5 pontos.

França - Na França, o PMI composto permaneceu em 44,3 pontos entre o fim de abril e a primeira leitura de maio. O PMI de serviços também continuou nesse nível, enquanto o da indústria aumentou de 44,4 para 45,5 pontos.

Contração - A zona do euro sofreu contração de 0,2% no primeiro trimestre. Economistas preveem que a região supere a recessão no atual trimestre, porém ainda com estagnação, para passar a crescer a partir do terceiro trimestre do ano. (Valor Econômico)

internacional 23 05 2013 (1)

 

OPINIÃO: Tornados e alimentos

opiniao 23 05 2013*Por Miriam Leitão

A atual onda de tornados atinge alguns dos estados americanos que, no ano passado, sofreram a pior seca dos últimos 50 anos, com impacto direto nos preços dos alimentos, principalmente trigo, milho e soja. Agora, a severa temporada de tornados afeta áreas produtoras de proteína animal, trigo, algodão, arroz. As commodities estavam caindo este ano.

Oklahoma é o quinto maior produtor de carne bovina, de onde vem a principal receita do estado, é o oitavo de carne suína e um dos maiores em frango e leite. É o quarto maior produtor de trigo e grande fornecedor de ração. O Arkansas tem 36% do seu território em fazendas e 63% da receita da agricultura do estado vem da proteína animal. É o segundo maior criador de galetos. Em arroz, é o maior produtor do país, fornecendo 46% do consumo.

O Texas, que está também na mesma linha dos tornados, é o maior produtor de carne dos EUA, o terceiro maior produtor de trigo e o maior de algodão.

Tornados são um fato da vida dos americanos, mas essa temporada está sendo terrível. O de segunda-feira foi considerado F5, a categoria mais intensa, com ventos de quase 400 km/h. Depois de tocar o chão, caminhou 27 quilômetros com dois quilômetros de largura.

Os cientistas, quando perguntados se eventos extremos do clima são sinais da mudança climática, têm duas respostas, disse na terça-feira o "Financial Times" em um artigo. A mais imediata: não sei. A mais longa: talvez.

Para os cientistas, é muito difícil garantir a natureza de cada evento, em si. Eles exigem uma série de estudos antes de afirmar que um evento está ligado ou não à mudança do clima.

A dúvida é importante para a economia porque, se for algo eventual, não há muito que se possa fazer; se for já reflexo da mudança climática, então a perspectiva é de piora e a previsão é que os preços das commodities agrícolas tenderão sempre a subir. E, mesmo quando caírem, não voltarão ao patamar anterior.

Enquanto os cientistas discutem, a constatação que se pode fazer é que os eventos climáticos extremos já estão ficando mais rigorosos e mais frequentes. E isso atinge a produção de alimentos em alguns países mais importantes para o abastecimento mundial. Nos Estados Unidos, têm acontecido mais no Meio-Oeste. Na Austrália e Nova Zelândia, houve anos sucessivos de secas. Brasil e Argentina também foram atingidos ainda que em intensidade menor. A Amazônia teve dois anos de secas violentas, em 2005 e 2010. O mundo está no nono ano de evento climático fora do comum. Ao lado do aumento do consumo por parte de países emergentes e do excesso de liquidez no mercado financeiro, isso elevou o preço das commodities agrícolas, como se pode ver no gráfico abaixo, em número índice, tendo 2005 — ano do Katrina — como base 100.

Com o mundo globalizado, os canais de contágio são imediatos e tudo termina em alta de preços de alimentos.

Como produtor, o Brasil comemora, como país que está lutando contra a inflação, essa é uma notícia preocupante.

* Miriam Leitão é jornalista e este artigo foi publicado na edição desta quarta-feira (22/05) do Jornal O Globo

 


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br