Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3107 | 05 de Junho de 2013

ENCONTROS DE NÚCLEOS: Toledo recebe mais de 90 cooperativistas do Oeste

 

Com a participação de mais de 90 líderes e dirigentes cooperativistas da região Oeste, foi realizado em Toledo um dos Encontros de Núcleos Cooperativos, promovidos pelo Sistema Ocepar, tendo a Primato Cooperativa Agroindustrial como anfitriã, nesta quarta-feira (05/06), no auditório do Colégio La Salle. Um dos focos do evento foi proporcionar a reflexão e compartilhar ideias acerca da importância do conhecimento e inovação nos negócios em busca de maior competitividade, destacou o presidente da Ocepar, João Paulo Koslovski. “Um dos motivos do encontro é trazer a palestra com um profissional gabaritado para falar a respeito. Este processo muitas vezes se considera inatingível nas empresas, porém, com ideias e pequenas ações, podemos inovar e evoluir nas atividades”, argumentou.

 

Programa - Mencionou que, por coincidência, no dia anterior o governo federal havia aprovado um programa para estimular a inovação com linha de financiamento e liberação de R$ 3 bilhões. “Ficamos felizes e acreditamos que será um impulso importante para este processo”, frisou.Koslovski destacou também a oportunidade de abordar várias questões que estão sendo trabalhadas pela Ocepar e as ações projetadas. Uma das questões é a articulação para a discussão e aprovação no Congresso Nacional, referente ao ato cooperativo. “Acreditamos que finalmente teremos o ato cooperativo, instrumento para delinear questões que hoje são dúbias e teremos posição única que vai permitir defesa dos interesses das cooperativas em várias esferas”, ressaltou.

 

Cooperativa anfitriã - O presidente da Primato, Ilmo Werle Welter, fez uma breve apresentação de como tem atuado a cooperativa anfitriã, que neste ano completa 16 anos de fundação. “Procuramos mostrar nossa filosofia, a forma de atuação e como, de certa forma, tem mudado algumas atitudes, pautada principalmente no aspecto de que os sócios têm a cooperativa e não ao contrário. O cooperado é dono, usuário e fornecedor. Nesta linhas, estamos trabalhando com austeridade e criatividade em busca dos melhores resultados”, afirmou.

 

Inovação - Filipe Cassapo, gerente executivo do Centro Internacional de Inovação do Senai,  apresentou em sua palestra um conjunto de elementos que visou simplificar a questão da inovação. Segundo ele, o objetivo foi possibilitar que os líderes cooperativistas entendessem que o próprio fenômeno da cooperação, da aprendizagem colaborativa e o compartilhamento de conhecimento, representam grande oportunidade de ter criatividade e resultar em excelentes negócios.

 

Competividade e sustentabilidade - Conforme Cassapo, o ambiente no qual as cooperativas estão envolvidas é de grande complexidade, globalizado e desafiador em termos de novas tecnologias, por isso, necessariamente precisam buscar soluções diferenciadas em busca da competitividade e sustentabilidade. “É preciso buscar soluções diferenciadas e inovar.”

 

Projetos - Referindo-se à liberação dos recursos pelo governo federal, Cassapo enfatizou que o desafio é ter projetos de inovação para captar este capital, tornar rentável e provocar maior competitividade. “Nosso objetivo é mostrar quais processos podem ser utilizados para captar este capital e transformar em produtividade para as cooperativas”, frisou.

 

Confraternização - Além dos técnicos e líderes do Sistema Ocepar, o encontro contou com a presença do coordenador do Núcleo Cooperativo do Oeste, Valter Vanzella, representantes das cooperativas Primato, C.Vale, Lar, Copagril, Copacol, Cerpa, Sicredi Vale do Piquiri, Sicredi – Coofato, Sicredi Nossa Terra, Sicredi Cataratas, Fecoerpa, Coopercaf. Após o encerramento da programação, as lideranças cooperativistas participaram de almoço de confraternização, no Primato Restaurante. (Imprensa Primato)

 {vsig}noticias/2013/06/05/encontro_de_nucleos/{/vsig}

 

 

MEIO AMBIENTE I: Cooperativas do PR investem na conservação dos recursos naturais

Nessa semana, várias cooperativas estão desenvolvendo atividades voltadas à preservação dos recursos naturais, especialmente nesta quarta-feira (05/06), quando se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente. A questão ambiental é uma preocupação constante do cooperativismo. Por isso, o setor adota práticas sustentáveis em seu processo produtivo e incentiva os cooperados a cuidar do meio ambiente, seja por meio do plantio de árvores, recolhimento de embalagens vazias de agrotóxicos, proteção das nascentes, tratamento de efluentes, combate à poluição do ar, uso de tecnologias mais apropriadas de cultivo e manejo de culturas, como o plantio direto na palha e a integração lavoura, pecuária e floresta, entre outras. Também promove ações educativas com alunos de escolas espalhadas em todas as regiões do Estado e com seus próprios colaboradores. As cooperativas têm ainda feito o aproveitamento de resíduos, que são utilizados na geração de energia elétrica e térmica. “Dessa forma, as cooperativas conseguem consolidar suas ações de sustentabilidade, transformando problemas ambientais em oportunidades de negócios, aliando a produção e alimentos e a preservação do meio ambiente”, afirma o engenheiro agrônomo do Sistema Ocepar, Sílvio Krinski.

Parceria – Todo esse trabalho é feito em conjunto com o poder público, comunidades, escolas, organizações não governamentais e outras entidades, como a Apae. Somente por meio do Programa Estadual de Mata Ciliar, desenvolvido em gestões anteriores do governo do Estado, as cooperativas ajudaram o Paraná a atingir o cultivo de mais de 100 milhões de mudas, contribuindo para recuperar as margens dos rios, melhorar a qualidade da água e reduzir a emissão de aproximadamente 4 milhões de toneladas de carbono. O setor também esteve mobilizado na campanha que promoveu o recolhimento de 600 toneladas de BHC das propriedades rurais paranaenses, evitando a contaminação do produtor, da água e do solo. Trata-se de um produto altamente tóxico e proibido de ser utilizado nas lavouras.

Recursos – A cada ano, o cooperativismo tem aumentado o montante de recursos destinados à conservação ambiental, sendo que os investimentos diretos nessa área somaram R$ 45 milhões em 2012.

{vsig}noticias/2013/06/05/meio_ambiente_I/{/vsig}

MEIO AMBIENTE II: Batavo promove ações em parceria com a prefeitura de Tibagi

Para comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado nesta quarta-feira (05/06), o município de Tibagi está promovendo ações ligadas à preservação em parceria com a Cooperativa Batavo. As ações têm o objetivo de envolver os munícipes através de uma programação variada, englobando vários bairros de Tibagi e faixas etárias da população. Ao todo, serão cinco dias de evento, que teve início na segunda (03/06), com término na sexta (07/06).

Blitz ecológica - Para iniciar esta Semana do Meio Ambiente, a prefeitura contou com o apoio  da Cooperativa Batavo na distribuição de 2.000 mudas de árvores nativas da região. Os pedestres e condutores de veículos que passavam pela praça central eram abordados e recebiam informações sobre a coleta seletiva do lixo e também recebiam uma muda de árvore para ser plantada.

Atividade nas escolas - Algumas escolas também realizaram atividade ecológica para a conscientização de se cuidar melhor da natureza. Os alunos receberam mudas de árvores que foram plantadas ao redor das escolas, mostrando a nova geração sobre a importância de manter os recursos naturais escassos, e também fazer o seu papel na destinação correta do lixo gerado durante os lanches no recreio.

Coleta Seletiva Consciente - Cerca de 3.000 panfletos estão sendo distribuídos à população de Tibagi, inclusive nas escolas, informando sobre a destinação correta de resíduos orgânicos, rejeitos e recicláveis. Trata-se do Programa Coleta Legal, lançado pela Cooperativa Batavo em 2011, e que este ano recebe a parceria com o município. De acordo com a Secretária de Meio Ambiente de Tibagi, Katia de Geus Kozlowski, o objetivo principal desta ação é o ato consciente antes de gerar o lixo. “Todo este trabalho que estamos fazendo no município facilitará o recebimento no centro de triagem. Selecionando de modo correto o lixo, torna o processo mais barato e rápido, potencializando a geração de subprodutos”, explica a secretária, motivada com a repercussão das atividades. “Queremos que o município seja exemplo na coleta seletiva. Temos uma associação que atualmente gera mais de 80 postos de trabalho, ajudando famílias com emprego e renda. Esta associação inclusive vende produtos gerados pelo lixo, sendo também um exemplo de ação social”, defina Kátia.

Projeto abrangente - Além do centro de triagem e limpeza, o projeto de Tibagi na área ambiental ainda engloba serviços de varrição, capina (poda e manutenção da vegetação da cidade) e a própria coleta seletiva, que possui associados que contribuem para a viabilização de um programa chamado Recicla que, de agora em diante, recebe a parceria do programa da Batavo, o Coleta Legal. Outro projeto desta parceria que tem surtido efeitos significativos é a coleta de Óleo Vegetal, com postos de coleta distribuídos no comércio. “Antes, a população não sabia ao certo como descartar este óleo. Atualmente, esta coleta tem aumentado o número de adeptos, destinado este óleo para uma empresa que gera subprodutos. Esta é outra parceria de sucesso com a Batavo”, comemora a secretária de maio ambiente.

Novos projetos - Ainda de acordo com a secretária de meio ambiente, a ideia é que esta parceria com a Cooperativa Batavo seja ainda mais abrangente. “Estamos estudando a viabilização de um novo projeto de cultivo de flores, que aproveitará o processo de compostagem vinda do lixo orgânico”, explica.

Meta- A meta para o segundo semestre deste ano em Tibagi é que todas as ações ambientais estejam alinhadas para um futuro sustentável, contribuindo com a economia de recursos, prolongando a vida útil do aterro do município. A Cooperativa Batavo possui dois entrepostos em Tibagi, que atualmente é a cidade que mais produz trigo no Estado. (Imprensa Batavo)

MEIO AMBIENTE III: Governo lança “Agenda Verde” em todas as regiões

meio ambiente II 05 06 2013(Small)Plantio de árvores, distribuição de mudas, limpeza de praias, gincanas ecológicas, palestras, conferências, ações educativas e de conscientização sobre reciclagem, caminhadas e exposições são algumas das atividades da “Agenda Verde do Paraná”, que marca as comemorações do Meio Ambiente neste mês de junho, em todas as regiões do Estado. As ações são promovidas pelo Governo do Estado, em parceria com diversas entidades.

Lançamento - O lançamento foi pelo governador Beto Richa nesta quarta-feira - Dia Mundial do Meio Ambiente - às 10 horas, no Simepar, em Curitiba, com a presença do secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida. O engenheiro agrônomo e assessor da área de meio ambiente do Sistema Ocepar, Sílvio Krinski, participou da solenidade.

Litoral - As ações no Litoral acontecerão em Paranaguá, Guaratuba, Matinhos e Pontal do Paraná, com o apoio das Secretarias do Meio Ambiente e do escritório regional do Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

Em Paranaguá, entre os dias 05 e 09 de junho, das 8h às 18h, no Complexo Aeroparque, haverá atrações para as famílias. A Semana do Meio Ambiente em Paranaguá reunirá, de forma inédita, ações conjuntas de empresas privadas, grupos de escoteiros, regionais das secretarias estaduais, Ibama, clubes de serviço, Serviço Social da Indústria (Sesi) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Marinha. Haverá exposições, oficinas, pontos de recolhimento de óleo de cozinha, distribuição de mudas, plantio de árvores, palestras e a divulgação de roteiros eco turísticos no Litoral.

Seminário - A Sanepar promove, em Matinhos, o Seminário ECOPROSA - Sustentabilidade e Sensos, no dia 07 de junho. Em Pontal do Sul, Matinhos e Guaratuba, as ações de preservação terão o apoio da Federação Paranaense de Surfe, que promete uma grande mobilização com o "International Surf Day". No dia 23 de junho serão realizadas ações de limpeza das praias, gincanas ecológicas, jogos, palestras, mostras de arte, musica, escola de surf, entre outras atividades realizadas de forma voluntária por surfistas e colaboradores. A ação acontecerá simultaneamente em 25 países e já estão cadastrados mais de 200 eventos no mundo. Tudo em prol do meio ambiente. Para os interessados é possível cadastrar o evento no site da Surfrider Fundation International http://isd.surfrider.org/

Envolvimento - Para o presidente da Federação Paranaense de Surfe, Jorge Batista, o objetivo é despertar na comunidade a importância do cuidado e da preservação das praias do Paraná. "Queremos envolver pessoas de todas as idades neste grande mutirão pelo meio ambiente do nosso Litoral", diz Jorge.

Campos Gerais - Em Ponta Grossa, no Cine Teatro Ópera B, serão realizadas diversas palestras sobre meio ambiente, sempre com início às 19h30 e todas abertas ao público. Segunda-feira (03/06), o tema foi bioconstrução e sustentabilidade. Nesta quarta-feira (05/96) a palestra será sobre ocupação urbana, legislação e problemas relacionados no licenciamento ambiental. Na quinta-feira (06/06), o tema será desastres naturais, desenvolvimento sustentável e cidades. A Sanepar também irá desenvolver atividades socioambientais em parceria com a rede estadual de ensino.

Carambeí e Castro - Em Carambeí serão realizadas nesta quarta-feira, durante todo o dia, palestras, atividades lúdicas e apresentação de vídeos educativos. As ações acontecerão das 9h às 17h, na Praça Cívica, onde serão montadas duas tendas para a realização das atividades educativas. Castro realizará nesta quarta-feira a Conferência Municipal do Meio Ambiente, no Centro da Juventude Wallace Thadeu de Mello e Silva. Também haverá palestra com o chefe regional do Instituto das Águas, Ricardo Johansen.

Sudoeste - O escritório regional da Secretaria do Meio Ambiente em Francisco Beltrão organizou ações em parceria com mais de 20 municípios. Em Barracão, o departamento da Agricultura, Emater, junto com a Secretaria de Educação desenvolverão atividades para alunos das redes municipal e estadual de ensino sobre meio ambiente. Haverá plantio de árvores nativas nas margens do Rio Capanema e do Rio Siemens.

Lixo eletrônico - Em Bela Vista da Caroba, o foco será a coleta de lixo eletrônico, por meio de parceria com os colégios estaduais e as secretarias de Agricultura e Meio Ambiente, Saúde e Vigilância Sanitária. Em Bom Jesus do Sul, serão realizadas palestras, caminhada na natureza e plantio de árvores nas propriedades dos pais dos alunos da escola 1º de Maio, do Distrito da Linha XV de Novembro.

Passeio ciclístico - Já em Capanema, a programação acontece entre de quarta a sexta-feira (5 a 7) e inclui o passeio ciclístico "Iguassu Ecobike - Deixando Rastros Verdes", coleta e gincana de coleta de lixo eletrônico, palestras sobre o Parque Nacional do Iguaçu e visita à estação de tratamento de água da Sanepar.

Mudas - Em Flor da Serra do Sul, nesta quarta-feira, serão entregues 600 mudas de árvores nativas para 200 alunos da escola municipal Nossa Senhora da Glória. Na quinta e sexta-feira e nos dias 10, 11 e 12 de junho, as mudas serão plantadas por alunos do Colégio Estadual Barão do Rio Branco, Escola Municipal Alice Bernardi, Escola Municipal Epitássio Pessoa e Colégio Estadual Barão do Rio Branco. Em Pato Branco, a Sanepar promove atividades focadas em práticas sustentáveis.

Visitas - Visitas a aterros sanitários, palestras, recolhimento de resíduos em comunidades, distribuição e plantio de mudas são algumas das ações da “Agenda Verde” em Chopinzinho.

Dois Vizinhos, Marmeleiro e Salgado Filho - "Nosso Meio Ambiente" é o tema em Dois Vizinhos. Estão previstas ações de conscientização sobre a separação e reciclagem de diferentes tipos de resíduos, como isopor, pneus, óleo de cozinha usado e resíduos perigosos. Itapejara do Oeste também fará a sua Conferência Municipal de Meio Ambiente como parte das ações do mês de junho. Já em Marmeleiro, o foco das ações são os agricultores. Eles terão palestras sobre o Novo Código Florestal. O município de Nova Prata do Iguaçu terá palestras sobre meio ambiente nas escolas. Em Palmas, toda a população poderá participar de debates sobre sustentabilidade, no Centro Cultural Dom Agostinho José Sartori. Em Salgado Filho, acontece o primeiro mutirão para recolhimento de lixo reciclável nas propriedades rurais.

Norte - Na região Norte do Estado, as atividades da Agenda Verde acontecerão em diversos municípios e serão divulgada nos sites das prefeituras. Em Londrina, a Sanepar promove, durante toda a semana, o Programa Especial de Atividades com escolas da rede estadual de ensino.

Noroeste - Em Paranavaí, a Sanepar inaugura nesta quarta-feira a Trilha Ecológica Araras, na captação de água da empresa. A trilha, de pequeno impacto, tem placas de identificação e permeia o lago onde a Sanepar capta a água para o abastecimento público. No período da tarde, estudantes da Escola Getúlio Vargas vão percorrer a trilha, fazer plantio de mudas e debater sobre atitudes corretas para a preservação do meio ambiente e do produto.

Paradão ambiental - Na tarde da quinta-feira (06/06), empregados da Sanepar participam de curso sobre reciclagem, promovido pelo SESC. Durante todo o sábado (08/06), será realizado o Paradão Ambiental, no Calçadão, no centro da cidade, também em parceria com o SESC. O objetivo é provocar a reflexão sobre a importância do meio ambiente e sua preservação, buscando a valorização e a conscientização sobre a importância do saneamento básico na vida em sociedade.

Semana Ambiental - Na sequência, nas noites dos dias 10, 11 e 12 de junho, está programada a Semana Ambiental, na Faculdade de Tecnologia e Ciências do Norte do Paraná (Fatecie). O evento, organizado pela empresa e pelo SESC, terá três palestras: doenças hídricas; novo Código Florestal e Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. No último dia, da programação (20, quinta-feira), no Teatro Municipal, haverá o Seminário Ambiental, com exposição de trabalhos acadêmicos, desfile com roupas confeccionadas com recicláveis (como garrafas pet, papelões, jornais, entre outras matérias-primas) e uma palestra sobre o Paraná sem lixões.

Maringá - Em Maringá, na sexta-feira e sábado (7 e 8/06), a Sanepar promove o Seminário ECOBike, que termina no domingo (9), com um passeio ciclístico. A Semana do Meio Ambiente de Maringá acontece em parceria com a prefeitura. As ações começaram segunda-feira e prosseguem até domingo. Na Câmara Municipal será realizado o Seminário “Meio Ambiente na Prática para as Cidades”. Nesta quarta-feira, a programação prevê ações do projeto “Reciclar para preservar”, com exposição de materiais e objetos reciclados pela equipe do Parque do Ingá. As nascentes recuperadas do Ingá também poderão ser visitadas pela população. Na quinta-feira, será realizada a mesa redonda ”Rio Ivaí, desafios e Ações em Defesa dos Rios do Paraná”. Na sexta-feira será lançada a campanha e-Lixo, em parceria com o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis (Sescap), no Centro Comunitário do Jardim Alvorada. A programação completa está no site da prefeitura de Maringá. www.maringa.pr.gov.br.

Oeste - No dia 21 de junho, Foz do Iguaçu será sede do Fórum Mundial do Meio Ambiente. Na região Oeste, os escritórios regionais da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Sanepar, Emater, Águas Paraná e Instituto Ambiental do Paraná terão ações conjuntas como parte da Agenda Verde. Em Foz, começam as atividades socioambientais com funcionários da Sanepar, Itaipu e Prefeitura Municipal. Objetivo é incentivar práticas sustentáveis e a aplicação do "Use o Bom Senso". (Com informações da Agência de Notícias do Paraná)

 

MEIO AMBIENTE IV: Richa anuncia R$ 53 milhões para prevenir desastres naturais

meio ambiente III 05 06 2013(Small)O Governo do Paraná vai investir R$ 53 milhões no fortalecimento de gestão de riscos de desastres naturais, que envolve equipamentos e mapeamentos para modernizar o sistema de monitoramento, prevenção e alerta de desastres naturais no Paraná. O anúncio foi feito pelo governador Beto Richa nesta quarta-feira (05/06), Dia Mundial do Meio Ambiente. A ação aconteceu às 10 horas, no Simepar, e abriu a "Agenda Verde para o Paraná", que prevê medidas estratégicas para a área ambiental no Estado e que serão realizadas durante todo o mês de junho de forma integrada. Haverá, também, eventos e ações educativas, de conscientização ambiental e anúncio de novas iniciativas que serão cumpridas durante o ano de 2013.

 

Modernização do licenciamento - Além do projeto de fortalecimento da gestão de riscos e desastres, o governador Beto Richa e o secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida, assinam no Dia Mundial do Meio Ambiente o termo de compromisso para modernização do licenciamento, da outorga, da fiscalização e do monitoramento ambiental no Paraná. O objetivo deste projeto, também desenvolvido em parceria com o Banco Mundial, é a melhoria no atendimento e serviços prestados pelos órgãos ambientais à sociedade. Serão investidos R$30 milhões em estudos para tornar os processos de licenciamento menos burocráticos, mais ágeis e transparentes, com maior qualidade técnica e jurídica.

 

Normativos - O governador irá assinar a Resolução que institui a Corregedoria no Sistema de Meio Ambiente do Paraná. Richa assinará, também, a regulamentação da lei de Pagamento por Serviços Ambientais no Âmbito do Programa Bioclima e a regulamentação da Lei Estadual de Educação Ambiental no Paraná. É o primeiro Estado do paísa instituir uma lei desta natureza. Serão assinados o decreto que cria as ações do Programa Paraná sem Lixões e a regulamentação da descentralização do licenciamento ambiental.

 

Pacto - O Governo do Paraná e a Agência Nacional de Águas (ANA) firmarão pacto pela qualidade das águas. Será lançado o Fórum Mundial do Meio Ambiente, que acontecerá dias 21 e 22 de junho, em Foz do Iguaçu. Outras ações previstas para o mês do Meio ambiente são o anúncio da a resolução que proíbe a pesca com redes em represas; lançamento do Cadastro Ambiental Rural (CRAS); lançamento do Programa de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Desastres com Produtos Químicos Perigosos.

 

Ecociclo - A Sanepar terá diversas ações, como o lançamento do “Ecociclo- bicicleta como meio de transporte para o trabalho”. Serão iniciadas as obras do bicicletário na sede da empresa. Haverá, também, o lançamento do projeto arquitetônico do Centro de Educação Ambiental Mananciais da Serra, que será construído pela Sanepar. Outra ação da Companhia é o lançamento, em Paranavaí, da Trilha Interpretativa Ribeirão Araras.

 

Microbacia - O Programa Microbacia Hidrográfica – exemplo bem sucedido de ações sustentáveis, será lançado pela Secretaria da Agricultura e do Abastecimento. O programa irá envolver 14.400 agricultores familiares e práticas conservacionistas 350 microbacias planejadas até 2015.

 

Ações - Serão anunciadas ainda, ações do programa de controle de erosão urbana, que irá atender 150 municípios neste ano. Outra ação inédita é a publicação da resolução conjunta da Secretaria do Meio Ambiente e Secretaria de Infraestrutura e Logística que cria Grupo De Trabalho para rever normas ambientais destinadas às obras de infraestrutura rodoviária.

 

Mudanças climáticas – Outras ações previstas para o mês de junho são o lançamento do edital de licitação para contratação do Inventário Estadual de Emissões de Gases de Efeitos Estufa (GEE); o lançamento do Registro Público Estadual de Emissões de GEE, e início da parceria entre a Secretaria do Meio Ambiente e Embrapa Florestas no projeto Estradas com Araucárias, que prevê o plantio de Araucárias nas divisas das propriedades rurais com as estradas.

 

Qualidade de água - Será anunciada a entrega e instalação de materiais de monitoramento da qualidade de águas, adquiridos pelo Banco Mundial e Agência Nacional de Águas para laboratórios do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) em Curitiba, Londrina e Toledo.

 

Ar - Outra ação é o anúncio da abertura de licitação para compra de novas estações fixas de monitoramento da qualidade do ar para Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu, Cascavel, Ponta Grossa e Paranaguá e uma estação móvel para os demais municípios. Haverá o lançamento do relatório da qualidade do ar em Curitiba e região metropolitana.

 

Rio da minha rua – O Programa Rio da Minha Rua, o maior programa de apoio à gestão por bacias hidrográficas urbanas da história do Paraná, será lançado como parte da Agenda Verde. Será assinada, também, a resolução que prevê o fim da necessidade de licenciamento ambiental para piscicultores com até 20 mil metros quadrados. Aliado a isso, a Copel fará soltura de peixes para repovoamento de rios do Paraná com alevinos em diversas regiões do Paraná.

 

Parceria - A Agenda Verde terá ações envolvendo a Águas do Paraná, Secretaria de Agricultura e Abastecimento, Emater, Copel, Sanepar, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Portos de Paranaguá e Antonina, Secretaria de Indústria e Comércio, Secretaria de Infraestrutura e Logística, Mineropar, Simepar, Defesa Civil, Instituto de Terras, Cartografia e Geociências e Instituto Ambiental do Paraná (IAP). (Agência de Notícias do Paraná)


 

 

 

MEIO AMBIENTE V: Secretário elogia ações do Sistema OCB para orientar produtores e cooperativas

meio ambiente IV 05 06 2013A Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), do Senado Federal, realizou audiência pública, nesta terça-feira (04/06), para debater os desdobramentos da Lei 12.651/2012, que estabelece o novo Código Florestal e acaba de completar um ano de vigência. A audiência foi requerida pelo presidente da comissão, senador Blairo Maggi (MT), e contou com a participação de representantes do Governo Federal e estaduais, produtores e ambientalistas.

Acordos - O Secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Paulo Guilherme Cabral, disse que o Governo Federal está fazendo acordos com os órgãos estaduais para que o código seja cumprido. Ao apresentar o Cadastro Ambiental Rural (CAR) o representante afirmou que ele já está sendo implantado nos estados da Amazônia Legal e serve como instrumento legal para classificação de cada um dos milhões de imóveis rurais.

Elogio - Nesse momento o secretário elogiou as ações da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), por ser uma das instituições que já estão somando esforços com o MMA, em uma parceria para orientar de forma correta os produtores rurais sobre os mecanismos de regularização ambiental, para que todos possam ter acesso ao crédito rural e evitarem multas sobre seus passivos ambientais.

Embargos - Em relação à problemática dos embargos realizados pelo Ibama, o secretário do MMA assegurou que o tema será tratado com a ministra Izabella Teixeira para que os problemas sejam solucionados o mais rápido possível.

Infraestrutura - Rodrigo Brito da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) afirmou aos presentes que a preocupação do setor agropecuário é a falta de infraestrutura dos Estados para agilizar as adesões aos Programas de Regularização Ambiental. Segundo a CNA, ainda há uma demanda de milhões de imóveis que não se adequaram ao Programa. Brito cobrou do Governo agilidade e regulamentação do Código para essa implementação, visto que o IBAMA está entrando com embargos em diversas propriedades impossibilitando a produção.

Questionamento - Por sua vez, o Secretário da Comissão Nacional de Direito Ambiental do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Leonardo Pio da Silva Campos, questionou a adesão ao Programa de Regularização Ambiental (PRA) que, de acordo com ele, ainda não estaria em funcionamento. Campos ressaltou que a OAB está à disposição para colaborar como interlocutora, levando à legalidade os produtores dos rincões mais longínquos do País.

Agilidade - O senador Jayme Campos (MT) pediu agilidade nos processos do Ibama e criticou a demora do repasse de recursos para que o pequeno agricultor possa fazer a recuperação das áreas degradadas. O senador também criticou os preços cobrados para o Cadastramento Ambiental Rural (CAR) e fez um apelo para que o Governo possa abrir mão dessa arrecadação em benefício dos pequenos agricultores.

Relatório - Para receber um relatório completo desta audiência pública, favor entrar em contato com a Gerência de Relações Institucionais da OCB ( relacoesinstitucionais@ocb.coop.br). (Blog OCB no Congresso)

 

MP 609: Pleitos do cooperativismo são incluídos em MPV da Cesta Básica

legislativo 05 06 2013O deputado Edinho Araújo apresentou, nesta quarta-feira (04/06), parecer à Medida Provisória nº 609 de 2013, que trata da desoneração de produtos da cesta básica. Após intenso trabalho do Sistema OCB, foram acatadas diversas sugestões do cooperativismo, como a inclusão do açúcar cristal, da linguiça e da mortadela como itens da cesta básica. O relator incluiu ainda, na MPV 609/13, o projeto de lei de conversão da MPV 605/13, que foi aprovado pela Câmara no dia 28/05, mas perdeu sua validade por não ter sido analisado a tempo pelo Senado. Nesta matéria, o Sistema OCB atuou para que fosse acatada emenda que possibilita a redução de distorções geradas entre as tarifas das cooperativas e as tarifas dos demais entes do setor elétrico. Após a apresentação do relatório, foi concedida vista coletiva à MPV. A próxima reunião para deliberação do parecer na Comissão Mista foi agendada para esta quarta-feira (05/06), às 14h. (Blog OCB no Congresso)

Para acessar o relatório apresentado,clique aqui.

Para acessar a agenda da semana do cooperativismo no Congresso Nacional, clique aqui.

 

INTERCOOPERAÇÃO: Copacol e Coagru inauguram Abatedouro de Aves da Unitá nesta quinta

intercooperacao 05 06 2013Nesta quinta-feira (06/06), às 11 horas, o governador do Paraná, Beto Richa, inaugura mais uma importante obra para o Estado: o Abatedouro de Aves da Unitá – Cooperativa Central, na cidade de Ubiratã. O investimento está sendo realizado pelas cooperativas Copacol e Coagru, na ordem de R$ 135 milhões e vai gerar 800 empregos diretos neste primeiro momento. A Cooperativa Central foi criada no ano de 2011 com a proposta de fortalecer os negócios de ambas as cooperativas.  Esta parceria inédita no cooperativismo paranaense vem reforçar a sustentação dos mais de 7 mil associados integrados às cooperativas ao viabilizar as  propriedades através da diversificação do campo.

Benefícios - Cerca de 130 produtores associados da Unitá já estão se beneficiando com a diversificação das suas propriedades e a estabilidade econômica que a avicultura promove. Para os consumidores, a referência estará na qualidade dos produtos, onde serão abatidas nesse início 80 mil aves ao dia, até o Abatedouro chegar a sua capacidade máxima de 180 mil aves abatidas ao dia nessa primeira fase. Com ampliações previstas até 2017, o abatedouro chegará a 350 mil aves abatidas por dia. Agora serão gerados 800 empregos diretos e oportunidades para melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores da região.

Segurança - Segundo o presidente da Coagru Áureo Zamprônio, a avicultura vai permitir uma segurança a mais para os produtores integrados. “A diversificação é fundamental para garantir renda e o crescimento dos associados e da Cooperativa”, comenta.   

Intercooperação - Para o presidente da Copacol e Unitá, Valter Pitol, a inauguração do Abatedouro de Aves, entrará para a história do cooperativismo brasileiro como um exemplo de intercooperação e geração de renda e oportunidades para os produtores integrados. “Com esse investimento os associados, colaboradores e parceiros da Copacol e Coagru, vão compartilhar a oportunidade de melhorar a renda e, consequentemente, a qualidade de vida com o desenvolvimento e crescimento da região”, ressalta Pitol. (Imprensa Copacol)

 

INTEGRADA: Encontro vai discutir saúde da mulher cooperativista

integrada 05 06 2013A agricultura evoluiu e está cada vez mais moderna e competitiva. No ambiente familiar dos produtores rurais não é diferente. Já passou o momento em que as famílias que viviam na zona rural ou em pequenas cidades do interior não tinham acesso à informação e aos serviços de saúde. Nesse processo, o cooperativismo tem um papel fundamental de levar conhecimento e qualidade de vida a todos os participantes do sistema. Com esse foco, a Cooperativa Integrada realizará, no dia 06 de junho, a partir das 9h, no parque Governador Ney Braga, em Londrina, o 9º Encontro de Integração Feminina, que nesta edição tem o tema “A saúde da mulher cooperativista”.

Expectativa de público - Mais de 200 mulheres, dos municípios do norte e do oeste do Paraná, são esperadas para o evento. Todas são cooperadas, esposas ou filhas de produtores rurais associados. Durante todo o dia, as participantes assistirão a palestras e oficinas voltadas para a saúde física, emocional e também para qualidade de vida das famílias ligadas ao agronegócio.

Troca de experiências - Além das palestras e orientações de especialistas, o encontro tem o objetivo de proporcionar a troca de experiências sobre as realidades vividas por cada uma das mulheres nas comunidades e regiões produtoras onde atuam. “Um dos princípios do cooperativismo é a educação, formação e informação. Não pensamos apenas no negócio agrícola. Temos a preocupação com o bem estar e com a qualidade de vida de todas as famílias que fazem parte da cooperativa”, explica o vice-presidente da Integrada, Julio Koyama.

Núcleos Femininos - As cooperativas colocam em prática há anos uma série de projetos e atividades voltadas para as mulheres. A Integrada conta com 17 Núcleos Femininos que desenvolvem ações nas cidades onde a cooperativa atua. Ao todo, participam mais de 600 mulheres, entre cooperadas, esposas e filhas de cooperados. De acordo com a Assessora de Cooperativismo da Integrada, Livia Favoreto, além de ser uma forma de aproximar as mulheres das atividades da cooperativa, os Núcleos Femininos desenvolvem diversas ações para capacitação e desenvolvimento das participantes com foco na melhoria da qualidade de vida das famílias ligadas à atividade agrícola. “Nossa intenção é valorizar as mulheres e levar mais conhecimento e saúde para todas as famílias”, explica.

Serviço - 9º Encontro de Integração Feminina /Data: 06 de junho de 2013 / Horário: A partir das 9h / Local: Parque Governador Ney Braga - Recinto Horácio Sabino Coimbra / Av. Tiradentes, 6275 – Londrina / PR. (Imprensa Integrada)

 

UNIMED CASCAVEL: Cooperativa apresenta Programa de Atenção Primária à Saúde

unimed cascavel 05 06 2013A Unimed Cascavel apresentou, na tarde desta terça-feira (04/06), o projeto piloto Elementar – Programa de Atenção Primária à Saúde, que primeiramente será mais um beneficio para os colaboradores da cooperativa. Em seguida o programa será estendido aos novos contratos empresariais. O objetivo do programa é proporcionar atenção integral e continuada a todo indivíduo que solicite assistência médica. O principal foco é no intuito de acompanhamento preventivo aos nossos colaboradores e beneficiários.

Palestra explicativa - Em primeiro momento, a médica responsável pelo projeto, Luciana Osório Cavalli, promoveu uma palestra explicativa sobre os detalhes da ação e orientou sobre os cuidados para uma vida saudável e exames de rotina (check-ups), que devem ser realizados conforme a faixa etária e riscos de saúde que cada um possua. “O médico da família é o profissional que atende o indivíduo como um todo, independente de sexo ou faixa etária. Não atende somente aspectos da doença, mas foca, também, no cuidado em saúde para prevenção de patologias, ou seja, é dada uma atenção à pessoa,” comenta Luciana.

Família - Atender o paciente no contexto da família é o objetivo deste projeto, dentro da Medicina Preventiva, com esta especialidade a disposição, os colaboradores da Unimed Cascavel terão a oportunidade de realizar atendimentos, orientação quanto a doenças que já possuam diagnósticos e principalmente, avaliar os riscos e prevenir precocemente. (Imprensa Unimed Cascavel)

 

UNIMED CURITIBA: Lançada a Campanha para o Plano Flex Empresarial

unimed curitiba 05 06 2013A Unimed Curitiba acaba de colocar no ar a sua campanha de vendas 2013. Com o mote “pequenas empresas precisam de grandes talentos”, no comercial, Arlindo revela ser um talentoso “cãobeleireiro” de um pet shop. A locução, estrelada pela proprietária do pequeno negócio, reforça a importância dos bons funcionários para as empresas e a sua preocupação em oferecer benefícios diferenciados para eles. (Imprensa Unimed Curitiba)

Confira o comercial aqui: http://www.youtube.com/watch?v=mXtk-KzAGL8

 

PAP 2013/14: Plano Safra “turbinado” embala produção e ataca gargalos

pap 05 06 2013Com crédito reforçado e incentivos para o ataque a problemas crônicos, o governo federal tenta garantir mais um ano de expansão no agronegócio. O Plano Agrícola e Pecuário 2012/13, anunciado nesta terça-feira (04/06), em Brasília, prevê R$ 136 bilhões para financiamentos, valor recorde e 18% maior que o da última temporada. A expectativa é que a safra passe de 185 milhões para 190 milhões de toneladas e continue calçando o crescimento do setor e do país.

PIB - O Produto Interno Bruto (PIB) da agropecuária deve avançar perto de 10% em 2013, prevê a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), compensando recuos em outros setores. O quadro se repete na balança comercial, que tem saldo positivo sustentado há 12 anos nos resultados da agropecuária e, nos primeiros cinco meses deste ano, acumula déficit histórico de US$ 5,33 bilhões.

Comercialização e investimento - Além de elevar em 12% o crédito para financiar custos e apoiar a comercialização da safra (numa soma de R$ 97,6 bilhões), o PAP oferece 34,3% mais recursos para investimentos (R$ 38,4 bilhões). Com o uso desse dinheiro – que é emprestado pelos bancos e têm os juros reduzidos com verbas públicas –, o agronegócio pode, por exemplo, dobrar a área com seguro rural e zerar o déficit de armazenagem.

Armazenagem - A falta de espaço nos armazéns, agravada desde a colheita de soja e do milho de verão, será enfrentada com R$ 25 bilhões a serem repassados em cinco anos. Esses recursos permitem ampliação da capacidade estática de 120 milhões para 185 milhões de toneladas. Para o governo, com investimentos complementares, o agronegócio tem condições de zerar a diferença entre o volume colhido e o que cabe nos armazéns. Outros R$ 500 milhões serão investidos para modernizar e construir silos públicos.

Estímulo - As subvenções que estimulam a contração de seguro tentam evitar crises e endividamento de regiões com maior risco de quebra de safra. O governo deverá pagar até 60% de contratos de seguro, com uso de R$ 700 milhões – R$ 300 milhões a mais do que na última temporada.

Juros - O agronegócio não conseguiu redução no juro padrão, que permanecem em 5,5% ao ano, mas comemorou o plano. “Diante dos problemas de infraestrutura, o governo aceitou nossa proposta alterou as regras dos empréstimos”, disse a presidente da CNA, a senador Kátia Abreu. O Brasil ainda põe no seguro apenas 10% das lavouras, enquanto na Europa e nos Estados Unidos esse índice chega a 90%, comparou.

Acordo - “O Plano Safra é fruto de um acordo com as principais entidades de um setor que representa um quarto do PIB, gera 35 milhões de empregos na cadeia e representa 5 milhões de agricultores”, disse o ministro da Agricultura, Antônio Andrade. “Como produtor, me sinto contemplado.”

Médio produtor - A presidente Dilma Rousseff defendeu o foco no médio produtor, a quem atribui o crescimento do agronegócio. O Pronamp, que apoia agropecuaristas com renda de até R$ 800 mil por ano, teve juro anual reduzido de 5% para 4% e orçamento ampliado em 18,4%, para R$ 13,2 bilhões.

Estratégia é fortalecer a cadeia, incluindo as cooperativas - Os produtores estão sendo diretamente estimulados com aumento de 25% no limite individual de financiamento –, que sobe de R$ 800 mil para R$ 1 milhão –, mas o Plano Agrícola e Pecuário (PAP) tenta provocar reação em cadeia ampliando vantagens também para cooperativas, por exemplo. Os recursos dos dois programas direcionados ao cooperativismo agroindustrial – o Prodecoop e o Procap Agro – subiram para R$ 5,3 bilhões, com incremento de R$ 300 milhões. Os juros do Procap Giro foram reduzidos de 9% para 6,5% ao ano.

Pontos positivos e negativos - A área técnica da Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) se debruçou sobre o PAP e apontou nove pontos positivos contra quatro negativos. Aprovou a elevação de orçamentos e as reduções pontuais de juros, mas reprovou a falta de reajustes nos preços mínimos, que influenciam os leilões controlados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Como pontos negativos citou ainda a demora na estruturação do Fundo de Catástrofe – próximo passo do sistema de seguro –, o juro padrão mantido em 5,5% e uma possível demora na operacionalização dos programas de investimento.

Novos programas - Entre os novos programas está a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), que foi criada para levar ao produtor tecnologias desenvolvidas por instituições como a Embrapa. O ministro da Agricultura Antônio Andrade disse que Anater terá estrutura “enxuta”.

A engrenagem do PAP - O Plano Agrícola e Pecuário (PAP) – que representa cerca de um terço dos recursos usados para a produção rural – aplica injeções de estímulo no agronegócio e na economia.

Juros baixos - Dos R$ 136 bilhões destinados à agropecuária comercial, R$ 115,6 bilhões são a juros controlados (a taxa padrão é 5,5% ao ano). A agricultura familiar deve ter orçamento próximo de R$ 20 bilhões, em plano à parte a ser divulgado ainda nesta semana, com juros ainda menores.

Pontos chave - O déficit de armazenagem e a baixa adesão ao seguro ganham status de pontos centrais da política agrícola brasileira no PAP. Os orçamentos somam, respectivamente, R$ 5 bilhões e R$ 700 milhões. Outros R$ 20 bilhões devem financiar armazéns nos próximos quatro anos (R$ 5 bilhões por safra).

Inflação - O PAP destina R$ 2,5 bilhões para formação de estoques públicos e R$ 3,1 bilhões para complementação de preços em caso de baixas acentuadas. Com isso, o governo tenta garantir mais equilíbrio na renda do setor produtivo. Sem variações extremas na cotação do milho, por exemplo, há mais estabilidade também nas cadeias das carnes. O plano safra da agricultura familiar, setor que produz a maior parte dos alimentos in natura, também deve ser reforçado, com reflexos mais diretos no bolso do consumidor. (Gazeta do Povo)

 

INTERNACIONAL I: FMI ainda vê economia global em três velocidades diferentes

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, voltou a dizer nestainternacional 05 06 13 terça-feira (04/06) que a economia global caminha em três velocidades diferentes, a mesma imagem usada durante a reunião de primavera da instituição e do Banco Mundial, realizada em abril.

Primeiro grupo - No primeiro grupo, que cresce com mais força, estão os países emergentes e em desenvolvimento. No segundo pelotão, países que avançam a um ritmo intermediário – além dos EUA, Austrália, Canadá, Nova Zelândia, Suécia e Suíça. No terceiro grupo, países com um desempenho muito fraco, que inclui a zona do euro e o Japão, embora ela tenha ressaltado que a economia japonesa parece em melhor forma do que há alguns meses.

Emergentes - Ao falar dos países emergentes e em desenvolvimento, Lagarde disse que eles lideram a recuperação global, respondendo por cerca de três quartos do crescimento nos últimos cinco anos. Estavam bem no começo da crise e continuam em geral com economias firmes. Os grandes destaques são as nações do sudeste asiático e da África subsaariana.

Recuperação - No segundo grupo, os países sofreram com a crise, mas estão se recuperando a um ritmo razoável. Os EUA devem crescer um pouco menos de 2%, e só não avançam mais rápido porque o ajuste fiscal é muito agressivo no curto prazo.

Zona do euro - Na zona do euro, Lagarde destacou que muito foi feito para evitar o pior, como a implementação do Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM), os passos para um único órgão de supervisão, o acordo que reduziu a dívida da Grécia e a nascente união bancária. Apesar disso, o atividade continua muito fraca, operando em “velocidade zero”, afirmou ela, lembrando que o FMI revisou recentemente de 0,6% para 0,3% o crescimento em 2013 da Alemanha  – um dos países que estão em melhor forma. Para a zona do euro, a estimativa do FMI é de uma queda de 0,3% do PIB.

Dívida soberana - A questão da dívida soberana europeia parece ainda o maior risco para a economia global, segundo Lagarde. Ela destacou a importância de os países europeus fazer uma revisão da qualidade dos ativos bancários, fazendo uma limpeza do sistema bancário por meio da recapitalização, reestruturação e, em alguns casos, do fechamento de algumas instituições.

Agenda - Segundo ela, a zona do euro precisa de uma agenda que combine mais oportunidades de emprego, apoio à oferta de crédito e reformas nos mercados de trabalho. Para Lagarde, alguns países com espaço fiscal devem promover uma consolidação das contas públicas menos agressiva, como é o caso do Reino Unido. No caso da Espanha, que sofre com elevadas taxas de desemprego, ela considera bem vinda uma abordagem fiscal menos intensa no curto prazo.

Japão - Ao falar do Japão, Lagarde destacou que o país melhorou nos últimos meses, devido à combinação de estímulo monetário, fiscal e da depreciação de cerca de 20% do iene, em termos reais. “No primeiro trimestre, o Japão cresceu a um ritmo anualizado de 3,5%. Nós projetamos um crescimento de 1,6%  neste ano”, disse ela, para quem, se essa trajetória continuar, o Japão vai passar do terceiro para o segundo grupo.

Política monetária - Segundo Lagarde, a política monetária certamente está na direção correta, com as medidas adotadas para atingir uma inflação de 2% em dois anos, com medidas que envolvem dobrar a base monetária. Há, porém, desafios especialmente na área fiscal, sendo necessária uma estratégia para reduzir no longo prazo a dívida pública, que hoje equivale a 245% do PIB, afirmou Lagarde, para quem é importante também reformas estruturais que melhorem a produtividade, com a abertura do setor de serviços e a agricultura, além de mais oportunidades de emprego para a população com mais idade e para mulheres.

Importante - Lagarde disse, por fim, considerar importante que os países desenvolvidos mantenham políticas monetárias acomodativas neste momento, embora os riscos das ações dos bancos centrais tendam a aumentar com o prolongado período de duração e com o aumento dos balanços dos BCs. Ela ressaltou a importância de uma estratégia de comunicação bem articulada por parte dos BCs, quando chegar o momento de adotar políticas menos expansionistas. Com isso, será possível evitar sobressaltos nos mercados fina nceiros, que podem ser causados pela redução do ritmo de compra de ativos, algo que se cogita que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) pode fazer ainda neste ano. (Valor Econômico)

 

INTERNACIONAL II: Zona do euro confirma contração de 0,2% do PIB no 1º trimestre

internacional II 05 06 2013O Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro caiu 0,2% no primeiro trimestre deste ano, em comparação com os três meses anteriores,  e registrou contração de 1,1% ante o primeiro trimestre de 2012, informou  a agência de estatísticas Eurostat. A variação na comparação com o quarto trimestre confirma o percentual divulgado na primeira leitura. Houve revisão para baixo, no entanto, no dado referente à comparação anual - originalmente, a retração econômica divulgada tinha sido de 1%. Analistas previam que ambos os números da primeira leitura seriam confirmados nesta quarta-feira (05/06). No primeiro trimestre, os gastos com consumo das famílias aumentaram 0,1% ante o quarto trimestre de 2012, mas a formação bruta de capital fixo, um indicativo de investimento, declinou 1,6%. Foi a maior queda desde o segundo trimestre do ano passado. As exportações diminuíram 0,8% e as importações, 1,1%. (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br