Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3115 | 17 de Junho de 2013

FÓRUM DOS PRESIDENTES: Especialistas vão discutir gestão empresarial e tendências econômicas

O presidente do Grupo Positivo, Hélio Rotenberg, e o economista Ricardo Amorim são os palestrantes convidados do Fórum dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses, que será realizado em julho, em Curitiba. Rotenberg vai tratar do tema “A importância do planejamento estratégico na gestão empresarial”. Amorim apresentará as tendências da economia mundial e brasileira. Eles ministram as palestras no segundo dia do evento, 03 de julho. O Fórum será aberto no dia 02 de julho, às 19h, com a presença do governador Beto Richa, que tratará das políticas do governo do Paraná, especialmente em relação às questões de transporte e logística. Além de discutir temas de interesse do cooperativismo, o Fórum tem como objetivo celebrar o Dia Internacional das Cooperativas, comemorado em 6 de julho. A iniciativa é do Sistema Ocepar.

Clique aqui e confira na íntegra a programação do Fórum dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses

TREINO&VISITA: Controle de lagarta na soja será um dos temas da próxima reunião

Profissionais das cooperativas do Paraná estarão reunidos com pesquisadores e extensionistas nos próximos dias 26 e 27 de junho, durante o 50º encontro do grupo Treino&Visita, na sede da Embrapa Soja, em Londrina. A primeira palestra será ministrada pelo agrônomo da Adapar, João Miguel Tozzto, que vai falar sobre aplicação de inseticidas durante a floração da soja e liberação e uso de inseticidas para controle de Helicoverpa armigera. Já o pesquisador da Embrapa Soja, Adeney de Freitas Bueno, tratará a respeito do manejo do complexo de lagartas das vagens na cultura da soja. Na sequência, o extensionista Nelson Harger, da Emater, apresenta as tendências do clima para a primavera e verão. No segundo dia da reunião, os pesquisadores da Embrapa Soja, Fernando Adegas e Rafael Soares vão abordar, respectivamente, as estratégias de  manejo para o controle de Buva e Capim Amargoso e o resultado dos ensaios em Rede de Ferrugem e Mancha Alvo.  

Clique aqui e confira a programação completa da 50ª reunião Treino&Visita

MEIO AMBIENTE: Averbação da Reserva Legal é adiada até o dia 24 de junho, no Paraná

Em junho de 2012, o desembargador Lauro Fabrício de Mello, Corregedor do Tribunal de Justiça do Paraná, havia suspendido até 4 de junho de 2013 a obrigatoriedade da apresentação no Cartório de Registro de Imóveis do Termo de Compromisso de Averbação Legal. A prorrogação deste prazo foi solicitada pela Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep) e, nesta sexta feira (14/06), o novo Corregedor, Eugenio Achille Grandinetti, prorrogou provisoriamente essa exigência até o dia 24 de junho próximo, coincidindo esta data com o término do período de suspensão da exigência do Sisleg. Tal suspensão foi estabelecida na Portaria Conjunta Sema/IAP- nº 09.

Nova prorrogação - Em virtude do Ministério do Meio Ambiente não ter publicado a Instrução Normativa e o Decreto referente ao CAR - Cadastro Ambiental Rural, a Faep está reiterando nova prorrogação, tanto da Portaria (Sema/IAP) quanto na Corregedoria, referente à averbação. (Imprensa Faep)

CGU: Toma posse o novo chefe da regional paranaense

cgu 17 06 2013Foi realizada, na última sexta-feira (14/06), em Curitiba, a solenidade de posse do novo chefe da Controladoria Regional da União (CGU) no Estado do Paraná, Moacir Rodrigues de Oliveira. O evento aconteceu no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/PR) e contou com a presença de representantes de diversas entidades, entre eles, o superintendente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, o coordenador administrativo do Sescoop/PR, José Ronkoski, e o auditor interno da entidade, Tadeu Duda.

 

UNIODONTO CURITIBA: Cortella participa de conferência, em Curitiba

O filósofo e doutor em Educação, Mário Sérgio Cortella, foi o palestrante convidado dauniodonto curitiba 17 06 2013 I Conferência Uniodonto Curitiba promovida pela cooperativa odontológica, com apoio do Sistema Ocepar. Na oportunidade, Cortella discorreu sobre o tema “Da oportunidade ao êxito: mudar é complicado? Acomodar é perecer!”. O evento foi aberto às 14h15, no Hotel Pestana, pelo presidente da Uniodonto Curitiba, Luiz Humberto de Souza Daniel, e com a participação do superintendente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. 

 

COOPERJOVEM: Sescoop/PR e Coopagrícola lançam programa em cinco escolas de Ipiranga

Cinco escolas de Ipiranga que implantaram o Cooperjovem neste ano receberam a visita de representantes do Sescoop/PR, Cooperativa Coopagrícola e da Secretaria Municipal da Educação nos dias 13 e 14 de junho. O lançamento do Programa envolveu mais de 100 alunos e teve a presença também do personagem Kazu, que faz parte da turminha da Cooperação. “Na oportunidade, foi feita uma sensibilização com os alunos e professores das outras turmas para que todos saibam que a escola tem o Cooperjovem e que, com a implantação dele, as turmas que iniciaram o Programa este ano irão promover atividades que envolvam a escola toda”, explicou a coordenadora estadual do Cooperjovem no Paraná, Fabianne Ratzke.

{vsig}noticias/2013/06/17/cooperjovem Ipiranga/{/vsig}

RAMO CRÉDITO I: Sescoop e Sicoob PR lançam Programa de Capacitação para Conselheiros

Na última quarta-feira (12/06), o Sicoob Central Paraná lançou oficialmente, com uma aula magna proferida pelo economista Maílson da Nóbrega, o Programa de Capacitação e Desenvolvimento de Conselheiros – PCDC. O evento reuniu, em Maringá, cerca de 300 pessoas, entre conselheiros e executivos do Sicoob PR e consultores e dirigentes da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná – Faciap.

Parceria - O PCDC foi desenhado em uma parceria entre o Sescoop/PR, o Isae/FGV e o Sicoob Central PR. É um programa de capacitação específico para conselheiros de cooperativas de crédito, que busca aprimorar e desenvolver competências, visando uma maior efetividade no seu desempenho. O objetivo é transformar os Conselhos de Administração em fonte de vantagem competitiva das cooperativas, através da preparação dos conselheiros para decisões de alta qualidade.

Boas práticas - “A adoção das boas práticas de governança tem se mostrado fundamental para o sucesso e a perenidade das Cooperativas, principalmente no que tange à segurança e ao retorno ao associado. Diante disso, se faz necessário dotar os conselheiros de competências que os deixem mais preparados para o exercício do seu papel”, destacou o presidente do Conselho de Administração do Sicoob PR, Jefferson Nogaroli.

Aula magna - A aula magna contou com a presença, dentre outras lideranças cooperativistas, do superintendente do Sistema Ocepar/Sescoop, José Roberto Ricken; do gerente de desenvolvimento humano do Sescoop, Leonardo Boesche; do diretor acadêmico do Isae/FGV, professor Antonio Raimundo e do gestor público e ex-prefeito de Maringá, Sílvio Barros, que trouxe uma palestra sobre o “Desafio da Sustentabilidade”.

Patrocínio - A presença do ex-ministro Maílson da Nóbrega foi possível graças ao patrocínio do Bancoob – Banco Cooperativo Brasileiro. O economista, que foi Ministro da Fazenda no período de 1988 a 1990 e é um dos colunistas econômicos mais respeitados do país, dissertou sobre os atuais desafios da economia brasileira e o se pode esperar do Brasil para os próximos anos.

Primeira turma - A primeira turma do PCDC do Sicoob PR está formada com 41 alunos e as aulas serão mensais, com dois encontros em uma semana. A carga horária é de 112 horas e o curso terá a duração de seis meses. (Imprensa Sicoob Paraná)

RAMO CRÉDITO II: Fórum de inclusão financeira ocorrerá em novembro

Já foi definida a data de realização do V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira. Este ano, o encontro ocorrerá entre 4 e 6 de novembro, em Fortaleza (CE). O evento, promovido pelo órgão regulador, em conjunto com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), contará, mais uma vez, com o apoio da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). Nesta edição, será discutida a importância da educação financeira, da proteção e da inovação para um processo de inclusão de qualidade – debatendo os avanços da Parceria Nacional para Inclusão Financeira e os desafios a serem enfrentados. No segundo dia da programação, os participantes poderão optar entre dois painéis paralelos para debate. 

Cooperativas – O cooperativismo de crédito brasileiro tem papel fundamental nesse cenário. Reunindo cerca 6 milhões de associados, o setor está presente em praticamente 50% dos municípios do país, oferecendo serviços e produtos financeiros de qualidade. Vale ressaltar que em 415 destas cidades, as cooperativas são as únicas instituições financeiras locais. Hoje, segundo dados do Banco Central, existem 1255 delas em atuação no Brasil. Só em 2012, elas registraram mais de 100 bilhões em ativos e 47 bilhões em empréstimos e depósitos. (Informe OCB)

SICREDI VANGUARDA: Vocação para a sustentabilidade

sicredi vanguarda 17 06 2013Ser sustentável é mais do que um desafio hoje, é um compromisso. Pessoas, empresas, cidades devem ter a preocupação de suprir as suas necessidades atuais sem comprometer o futuro das próximas gerações. O Sicredi traz em sua essência este comprometimento com a sustentabilidade. Afinal, mais do que uma associação de pessoas, as cooperativas de crédito são agentes que promovem o desenvolvimento das comunidades em que atuam, social e economicamente, e entendem a proteção e o respeito ao meio ambiente como questão fundamental para proporcionar a melhora na qualidade de vida dos seus associados.

Relatório - Para consolidar e aperfeiçoar essas iniciativas socioambientais, o Sicredi lançou o primeiro Relatório de Sustentabilidade. A publicação atende aos princípios da boa governança corporativa e integra a Política de Sustentabilidade, instituída em 2011. Como parte do Planejamento Estratégico 2011-2015, visa direcionar as boas práticas sustentáveis desenvolvidas pela cooperativa e aprimorar sua atuação, além de procurar envolver cada vez mais seus públicos de relacionamento.

Diretrizes - O registro e o acompanhamento da efetiva implantação da Política serão feitos por meio do Relatório, elaborado com base nas diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) - instituição não governamental internacional com sede na Holanda, que desenvolve e dissemina diretrizes para a elaboração de relatórios de sustentabilidade utilizadas voluntariamente por empresas do mundo todo. De acordo com o presidente da Central Sicredi PR/SP e da Sicredi Participações S. A., Manfred Dasenbrock, o Relatório é mais um passo em busca das melhores práticas de sustentabilidade e governança corporativa. "Este é um processo contínuo e que leva tempo. Mas já estamos colhendo frutos com as iniciativas do Sicredi nesse sentido. Continuamos tentando contribuir para satisfazer as necessidades atuais, das próximas gerações e do nosso próprio empreendimento cooperativo", completa Dasenbrock.

Envolvimento - A política de sustentabilidade envolve todas as cooperativas do sistema. O presidente da Sicredi Vanguarda, Luiz Hoflinger, explica que no dia a dia a cooperativa procura explicitar as boas práticas sustentáveis desenvolvidas pelo Sicredi e aprimorar sua atuação, além de procurar envolver cada vez mais associados, dirigentes, colaboradores, parceiros, fornecedores e sociedade em geral.

Ações - Segundo Hoflinger, na prática, isso acontece através de várias ações, tais como treinamentos com os colaboradores para o entendimento da política de sustentabilidade; para diminuir o consumo de materiais e a geração de resíduos, foram eliminados os copos plásticos utilizados pelos colaboradores, substituindo por copos e xicaras de vidros para água e café; implantação da Coleta seletiva em todas as Unidades de atendimento, para a destinação adequada do lixo orgânico e reciclável; realização do Picote de todo o papel utilizado nas Unidades dando a devida destinação. Além disso, a Cooperativa disponibiliza um conjunto de linhas de crédito socioambientais com recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). “É um processo que deve ser construído sem pressa e com bases sólidas”, destaca.

Legitimidade - Para ele, apesar da sustentabilidade já estar ligada aos princípios do cooperativismo, a formulação e a implementação de uma política legitimam o movimento e a vocação do Sicredi em buscar o constante aprimoramento das suas práticas de sustentabilidade, além de posicionar a instituição de maneira ainda mais competitiva diante dos desafios, oportunidades e expectativas do mercado. “A cooperativa procura através da Política de Sustentabilidade a manutenção do bem estar social no longo prazo através do gerenciamento responsável dos recursos naturais, considerando as dimensões econômicas, sociais e ambientais”, finaliza o presidente do Sicredi Vanguarda.  (Imprensa Sicredi Vanguarda)

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Cooperativa participa da Expobira 2013, em Ubiratã

A equipe da Sicredi em Ubiratã foi parceira na realização da ExpoBira 2013, realizada entre os dia 11 e 16 de junho. Entre os objetivos da participação estavam a oportunidade de ficar mais perto da população e estreitar o relacionamento com os associados e comunidade em geral. O estande montado recebeu associados e as crianças se divertiram com o espaço Poupedi. Também placas foram instaladas na área do parque, com divulgação dos produtos e serviços oferecidos pela cooperativa de crédito. Além da aplicação da marca, as cooperativas Sicredi, Coagru e Unitá realizaram uma palestra abordando o tema: Desenvolvimento Regional. O vice-presidente da Unitá, Claudemir Pereira de Carvalho, apresentou a Unitá, os investimentos realizados e previstos e informações pertinentes sobre como a avicultura está presente na vida da comunidade. "Estamos presentes na região, com o objetivo de promover o desenvolvimento regional", avalia.

Cooperativismo de crédito - O presidente Jaime Basso foi o segundo palestrante da noite. Ele passou informações sobre o cooperativismo de crédito no mundo, Brasil e regional. Também apresentou como o fomento da atividade agropecuária gera emprego, renda e desenvolvimento regional. "Quando a Sicredi libera recursos para financiar as atividades dos associados, esse incentivo se reverte em desenvolvimento em todos os demais ramos de atividade. É dinheiro que circula e fica a região", comenta.

Envolvimento - A parceria firmada mostra o envolvimento da Sicredi na vida da sociedade, onde está inserida. "Somos uma instituição financeira da sociedade e com o conhecimento que temos, podemos incentivar o desenvolvimento, a geração de emprego e renda e a melhoria da qualidade de vida dos associados e da comunidade", diz o gerente da unidade de Ubiratã, Márico Balani. A Feira Agropecuária é considerada a maior da região do Vale do Piquiri, atraindo milhares de visitantes de todo o Paraná. (Imprensa Sicredi Vale do Piquriri PR/SP)

{vsig}noticias/2013/06/17/sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

COPAGRIL I: Expedição Montana apresenta novidades em máquinas agrícolas

A próxima sexta-feira (21/06) será uma ótima oportunidade para quem deseja adquirir um maquinário agrícola. A Copagril trará para Marechal Cândido Rondon a Expedição Montana, com o objetivo de apresentar o que há de mais moderno no setor aos agricultores de toda a região. Das 8 às 17h30, um caminhão estande da Montana será montado na loja de máquinas agrícolas da Copagril, trazendo informações sobre toda a linha de produtos. Haverá preços especiais e condições de pagamento facilitadas durante o evento, tudo para que os maquinários fiquem mais acessíveis aos clientes e associados da Copagril. Também haverá palestras no caminhão estande para grupos fechados, com o intuito de apresentar os produtos e as melhores formas de manuseio, além de exposição da linha Montana no pátio da loja. (Imprensa Copagril)

 

copagril II17 06 2013cartaz

COPAGRIL II: Seminário anual vai reunir suinocultores em Marechal Cândido Rondon

Está programado para a próxima quinta-feira (20/06) o Seminário Anual dos Suinocultores Copagril, no Pavilhão de Eventos da Igreja Martin Luther, em Marechal Cândido Rondon, às 13h30. O evento, que é organizado em parceria com a Frimesa, é destinado aos produtores de suínos parceiros do sistema de crechários, terminadores e também das Unidades Produtoras de Leitões (UPLs).

Informações - Conforme o diretor-secretário e responsável pela atividade pecuária da Copagril, Márcio Buss, trata-se de uma oportunidade para os produtores obterem informações e poderem fazer ajustes no processo de criação de suínos na propriedade. “O objetivo é que se diminuam os custos de produção e, consequentemente, haja aumento na renda final nesta atividade, tanto para o produtor quanto para a cooperativa”, destacou.

Abertura - A abertura será realizada pelo diretor-presidente da Copagril, Ricardo Silvio Chapla. Em seguida, o diretor-executivo da Frimesa, Elias Zideck, fará uma abordagem sobre o projeto de certificação da carne suína. Na sequência, os presentes serão divididos em dois para assistir as palestras específicas de cada sistema de produção. (Imprensa Copagril)

Confira a programação:

Para produtores dos sistemas Crechário e Terminadores:

Manejo pré-abate de suínos - médico veterinário José Vicente Peloso

Manejo e medicação de suínos via água – médico veterinário Flávio Hirose

Para produtores das UPLs

Desafios e oportunidades na produção de leitões – médico veterinário Thiago Mores

Manejo em matrizes suínas de alta performance – médico veterinário Marcelo Coelho

Premiação

Ao final do evento, a Copagril realizará a premiação aos melhores produtores do ano de 2012, dos sistemas crechário e terminadores, nas categorias Melhor Conversão Alimentar e Menor Percentual de Mortalidade. Para as UPLs, serão premiados os dois primeiros lugares em produtividade.

COCAMAR: Encontro Anual de Núcleo Feminino será realizado na quinta-feira

Incentivar a mulher a participar ao lado do marido das principais decisões da propriedade. Esta é uma das propostas do Encontro Anual do Núcleo Feminino que a Cocamar promove nesta quinta-feira (20/06) a partir das 9h no salão social da Associação Cocamar, em Maringá. Para isso, uma das palestras programadas é com o engenheiro agrônomo Rodrigo Burce Dias, da cooperativa. Às 10h, logo após a abertura, ele vai falar sobre “Os segredos por trás das altas produtividades”.

Cinquentenário - O encontro, que deve reunir cerca de 500 participantes, representando toda a região de atuação da Cocamar, vai até às 15h50 e, além da palestra de Burci, haverá uma apresentação, às 10h45, sobre as atividades que vão marcar os 50 anos da cooperativa, no início de julho. Na parte da tarde, começando às 13h30, sorteio de brindes e palestra sobre estratégias de produtos Cocamar, com a equipe da área de Marketing; às 14h, a consultora Giovana Fortes fala sobre o tema “Mulheres - cooperando para crescer”, terminando com o show “Anos Dourados”. (Imprensa Cocamar)

GREENING I: Doença se alastra e exige cuidados

“Os citricultores paranaenses tem a grande chance de fazer o que é certo e aprender com o erro dos outros. O manejo adotado com erradicação da planta com greening e o controle do psilídeo (o inseto propagador da doença) é a única opção. Em São Paulo não temos a conscientização e a organização dos produtores em um trabalho coletivo como há no Paraná”.

Pesquisador - A afirmação foi feita pelo pesquisador do Fundo da Defesa da Citricultura (Fundecitrus), Renato Bassaneze, durante reunião técnica promovida pelo governo do Estado em Paranavaí, na última sexta-feira (14/06), para tratar sobre a prevenção ao greening, doença que afeta 2% dos pomares de laranja da região Noroeste do Paraná, mas já chega a 7% no Estado de São Paulo.

Tratamento -   Citando dados de diversas pesquisas desenvolvidas pela Fundecitrus por dois e três anos e com vários tipos de “coquetéis” de nutrientes e podas em plantas com greening, Renato disse que nenhum tratamento aumentou a produção de citros nestas plantas ou eliminou a doença. “A única coisa que se conseguiu foi espalhar ainda mais rápido o greening. Mesmo fazendo um controle de 85% a 90% do psilídeo, a doença aumentou de 30% a 90% em 18 meses”, afirmou o pesquisador.

Monitoramento -   Renato também falou sobre a importância do monitoramento da doença no pomar e do controle regional feito pelos produtores ao mesmo tempo, prática já adotada pelos citricultores da região da Cocamar. Também citou um sistema de monitoramento desenvolvido pela Fundecitrus que vem sendo adotado por alguns grupos de produtores paulistas.

Londrina - O mesmo evento, que é promovido pela Agência de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Adapar), Instituto Emater e Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), com apoio da Cocamar, Integrada, Cocari, Citri, Sistema Faep e Fundecitrus, será realizado no próximo dia 20 no Parque Internacional de Exposições Governador Ney Braga em Londrina. (Imprensa Cocamar)

GREENING II: Paraná terá fiscalização redobrada para conter disseminação nos pomares

Para conter a disseminação do greening nos pomares de laranja, a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) promete fiscalizar o campo com maior rigidez. A entidade reuniu cerca de 200 pessoas, entre citricultores, representantes da Secretaria da Agricultura e Abastecimento (Seab) e cooperativas, em Paranavaí, na manhã da última sexta-feira (14/06) para dar orientações aos produtores. De acordo com coordenador de Sanidade da Citricultura da Adapar, José Croce Filho, os últimos dados sobre a infestação no Paraná mostram que, em média, 2% dos pomares do Noroeste estão infectados e cerca de 2,5% das plantas no estado possuem a bactéria causadora da doença. “Esses números foram levantados a partir do que os produtores nos informaram. Mas o que vemos no campo é que este índice pode ser até duas vezes mais alto”, afirma.

Multa - A entidade paranaense estima que 30% dos citricultores não fazem o controle, a vistoria ou a erradicação da planta doente, conforme determina a legislação, e informa que vai multar quem não cumprir a lei. O valor por infração deve ser de R$ 5 mil. “A caneta é a única arma que temos em mãos,” diz Croce Filho. O diretor presidente da Adapar, Inácio Kroetz, reforçou que a colaboração de todos os citricultores é fundamental para o controle e erradicação do greening. “É de extrema urgência que produtor mude de atitude se a gente quer manter a viabilidade da citricultura no Paraná.” (Gazeta do Povo)

AGRONEGÓCIO: Exportações aumentam 10,1% até maio

As exportações brasileiras do agronegócio, entre janeiro e maio de 2013, foram de US$ 40,39 bilhões. Esse montante representa incremento de 10,1% em relação ao mesmo período em 2012, quando as vendas do setor haviam somado US$ 36,70 bilhões. Nos mesmos meses, as importações do setor aumentaram 1,4%, passando de US$ 6,94 bilhões para 7,04 bilhões. Assim, o saldo da balança comercial do agronegócio foi positivo no período (US$ 33,35 bilhões). As informações são da Secretaria de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SRI/Mapa).

Valor - O setor de cereais, farinhas e preparações foi o que mais contribuiu para o crescimento de US$ 3,69 bilhões das exportações do agronegócio no período. Houve incremento de US$ 1,65 bilhão nas vendas do setor, em função da expansão nas exportações de milho (+US$ 1,89 bilhão). Em relação ao valor exportado o complexo soja foi o setor que mais se destacou, com vendas de US$ 13,13 bilhões (+4,0% ante 2012). A soja em grão representou 79,0% desse valor, somando US$ 10,38 bilhões e 19,60 milhões de toneladas. As carnes ocuparam a segunda posição no ranking de exportações do agronegócio, alcançando US$ 6,86 bilhões. Esse valor representa incremento de 7,9% ante o mesmo período em 2012.

Principais destinos - A Ásia foi o principal destino das exportações brasileiras do agronegócio, alcançando US$ 16,85 bilhões, ou seja, 24,7% superior a 2012. Como resultado, houve aumento da participação da região em quase 5 pontos percentuais. O segundo bloco que se destaca é a União Europeia, com US$ 8,69 bilhões. Houve, no entanto, queda de 5,8% ante o mesmo período em 2012.

Resultado do mês - As exportações do agronegócio brasileiro alcançaram, no mês de maio, o montante de US$ 10,18 bilhões, o que representou queda de 0,9% ante os US$ 10,26 bilhões exportados no mesmo período do ano anterior. As importações também decresceram em comparação a maio de 2012, a uma taxa de 1,2%, atingindo US$ 1,32 bilhão. Dessa forma, a balança comercial do agronegócio apresentou nesse mês um superávit de US$ 8,85 bilhões, saldo aquém do registrado em maio/2012 (US$ 71 milhões inferior). Vale destacar que esse foi o segundo melhor mês em valor exportado e no saldo da balança em toda a série histórica, ficando atrás somente do mês recorde de maio de 2012.

Soja - O principal setor exportador do mês foi o complexo soja, com o montante de US$ 4,94 bilhões e 9,5 milhões de toneladas embarcadas, o que significou aumento de 1,0% em valor e de 2,8% em quantidade, quando comparados com os números de maio de 2012. Neste mês, a China foi o principal destaque entre os países que ganharam participação no agronegócio brasileiro, aumentando 4,6 pontos percentuais e atingindo um market share de 37,9%. Entretanto, maio foi um mês onde a maioria dos países parceiros apresentou decréscimo das importações de produtos agrícolas brasileiros. Entre eles podemos citar: Rússia (-41,6%); Egito (-37,2%); Reino Unido (-35,3%); Alemanha (-32,6%); Tailândia (-31,5%); Espanha (-27,7%); e Japão (-24,9%). (Imprensa Mapa)

CARNES: Dólar impulsiona exportações brasileiras de frango

A valorização do dólar tem ajudado a engordar a receita das exportações brasileiras de carne de frango em real e a tendência é que esse movimento continue, conforme o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Cepea/Esalq). O Cepea destaca que, apesar da queda dos volumes embarcados — foram 1,4 milhão de toneladas nos primeiros cinco meses do ano, 5,4% menos que em igual período de 2012 —, a receita obtida cresceu 18,1% em moeda nacional em igual comparação. Em abril, destaca o Cepea, o valor médio do produto in natura alcançou o recorde de US$ 2,20 por quilo, ou R$ 4,41. Em maio, a média foi de R$ 4,37. Assim, a receita total das exportações brasileiras de carne de frango chegou a R$ 4,414 bilhões, também um novo recorde. (Valor Econômico)

OMC: Surpresa com acordo entre cotonicultores

O governo brasileiro foi pego de surpresa, e setores em Brasília não veem qualquer garantia de que o acordo firmado entre associações de produtores de algodão do Brasil e dos Estados Unidos poderá de fato levar ao encerramento do contencioso em torno do produto envolvendo os dois países na Organização Mundial do Comércio (OMC). Pelo entendimento das associações, os produtores brasileiros aceitam um certo nível de subsídios domésticos para os produtores americanos na "Farm Bill" - a lei agrícola americana - que está em discussão no Congresso daquele país. Em troca, recebem uma compensação financeira de US$ 225 milhões a ser paga em 18 parcelas após a aprovação da "Farm Bill".

Acordo - Ocorre que a Associação Brasileira de Produtores de Algodão (Abrapa) e o Conselho Nacional de Algodão americano (NCC, na sigla em inglês) fizeram um acordo para os governos se encarregarem de cumprir. Só que fontes no governo brasileiro observam que o entendimento só aborda o subsídio doméstico ao algodão e ignora os subsídios no crédito e nas garantias à exportação - que, na verdade, afetam as commodities agrícolas em geral.

Indenizações - Além disso, a NCC não pode oferecer garantias de que Washington continuará pagando as indenizações às quais foi condenada na OMC aos produtores brasileiros. "Isso é o Brasil paz e amor", ironizou Pedro de Camargo Neto, especialista em comércio agrícola que, quando foi secretário de Produção do Ministério da Agricultura, deflagrou o contencioso do algodão contra os EUA.

Retaliação - Ou seja, o governo brasileiro corre risco de abandonar sua possibilidade de retaliar produtos americanos por causa da manutenção de subsídios aos produtores de algodão. E a posição do país também ficaria fragilizada nas discussões na OMC para que os EUA aceitem reduzir os subsídios concedidos nos créditos e garantias à exportação de produtos agrícolas

Outras commodities - O presidente da Abrapa, Gilson Pinesso, admitiu não ter garantia de seu parceiro americano que o governo dos EUA cumprirá o entendimento - por exemplo, o pagamento da indenização por 18 meses depois da aprovação da nova lei agrícola. Ele reconhece que boa parte dos subsídios americanos condenados na OMC está coberta pelo GSM-102, envolvendo créditos à exportação. Mas diz que esse programa não entrou no acordo entre Abrapa e NCC. "Só falamos pelos cotonicultores. Como isso envolve outras commodities, o governo é que tem de agir".

Cooperação - A única garantia que a Abrapa diz ter recebido da NCC é de que as entidades continuarão cooperando. O entendimento já inclui, por exemplo, cooperação no mercado internacional pela propagação do algodão como fibra natural, em uma tentativa de frear o uso crescente de fibras sintéticas. É algo que ocorre sempre que o preço do algodão aumenta.

Recomendações - "Se os governos não cumprirem nossas recomendações, não terá acordo", afirmou Pinesso. "A compensação de US$ 12,5 milhões por mês é ponto essencial para anunciarmos na OMC o fim do contencioso". Algumas "recomendações" são consideradas positivas e eram o que a diplomacia brasileira vinha buscando. É o caso da exclusão do "preço de referência" para cotonicultores americanos se beneficiarem de um programa de seguro conhecido como STAX. Sem esse preço de referência, os agricultores ficam mais vulneráveis a perdas de renda no caso de queda de preços.

Subsídios para colheita - Outra concessão feita pela NCC no acordo com a Abrapa, e que espera que os congressistas americanos aprovem, é uma mudança no "Marketing Loan Program", que inclui mais subsídios para toda a colheita. Mas as indicações são de que dificilmente o governo brasileiro aceitará só isso, sem mudanças nos subsídios ao crédito e garantia à exportação, para encerrar o contencioso com os Estados Unidos e abrir mão do direito de retaliar os americanos em mais de US$ 800 milhões por ano. (Valor Econômico)

SOJA: Colheita na Argentina está praticamente encerrada

A colheita de soja na Argentina praticamente terminou, com o rendimento médio das lavouras em 25,6 quilos por hectare. Segundo estimativas da Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 99% da área projetada total com o grão foi colhida até ontem, o que significa um avanço um ponto percentual na comparação com a semana anterior. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um avanço de 2,2% na colheita. Ainda de acordo com a divulgação da bolsa, faltam apenas 200 mil hectares para terminar a campanha, dos quais 70% estão concentrados na região de Buenos Aires. A Argentina espera produzir 48,5 milhões de toneladas de soja em 2012/13. (Valor Econômico)

FOCUS: Mercado prevê inflação e juros mais altos e crescimento menor em 2013

Os analistas consultados pelo Banco Central (BC) no Boletim Focus elevaram suas projeções para a inflação e para a taxa básica de juros em 2013.A previsão é de uma alta de 5,83% no IPCA neste ano, acima da taxa projetada anteriormente, de 5,80%. A taxa Selic deve fechar o calendário em 9%, ou 0,25 ponto percentual acima do nível previsto antes. Atualmente, a Selic está em 8% ao ano.

IPCA - O Focus trouxe ainda a estimativa de um avanço de 5,69% no IPCA em 12 meses, contra 5,65% contemplados no documento anterior. Apenas em junho, o índice de preços deve subir 0,34%, em vez de 0,32%.Para 2014, a estimativa é de uma alta de 5,80% no IPCA, previsão mantida pela quinta semana seguida, e de uma taxa de juro de 9%, sem alteração pela segunda semana consecutiva.

Limite - Na sexta-feira(14/06)passada, em entrevista ao Valor PRO, o presidente do BC, Alexandre Tombini, afirmou que não há limite para a taxa de juros. "Não tenho limite nem orçamento" para a taxa Selic, disse.

Crescimento - O documento trouxe ainda a perspectiva de um crescimento de 2,49% para a economia brasileira neste ano, abaixo dos 2,53% projetados no relatório antecedente. No próximo calendário, o Produto Interno Bruto (PIB) deve avançar 3,20%, inalterado.

Top 5 - Os analistas Top 5, os que mais acertam as previsões, esperam uma inflação mais salgada e uma Selic mais alta neste ano do que espera a média do mercado.A mediana de suas estimativas de médio prazo para o IPCA em 2013 passou de 6,02% para 6,11% de alta. Para a Selic fim de período, a projeção saiu de 9% para 9,25%. Para 2014, a estimativa de inflação cedeu, de 6,20% para 6,05%. A aposta para o juro ficou em 9,25%.(Valor Econômico

INTERNACIONAL I: Zona do euro tem superávit comercial de € 14,9 bi em abril

A zona do euro registrou um superávit comercial de 14,9 bilhões de euros (US$ 19,9 bilhões) em abril, ante um superávit de 3,3 bilhões de euros no mesmo mês de 2012, segundo dados preliminares da agência de estatísticas da União Europeia, a Eurostat. Em março de 2013, o superávit comercial havia sido de 22,5 bilhões de euros. Na comparação mensal, as exportações de abril caíram 0,8% e as importações avançaram 0,5%. Já ante o mesmo mês de 2012, as exportações tiveram alta de 9,0% e as importações subiram 1,0%. (Dow Jones Newswires e Market News International / Agência Estado)

INTERNACIONAL II: FAO premia o Brasil e mais 37 países por reduzir a fome pela metade

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) premiou neste domingo (16/06) 38 países, entre eles o Brasil, por terem reduzido a fome pela metade bem antes do prazo de 2015, estabelecido pela ONU nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. A meta número 1 dos Objetivos do Milênio estabelece a redução, pela metade, da proporção de pessoas com fome até 2015. O cumprimento da meta pelos países premiados considerou a diferença do número de famintos entre 1990 e 1992 e entre 2010 e 2012. Além do Brasil, já cumpriram a meta, segundo a FAO: Armênia, Azerbaijão, Cuba, Djibuti, Geórgia, Gana, Guiana, Kuwait, Quirguistão, Nicarágua, Peru, São Vicente e Granadinas, Samoa, São Tomé e Príncipe, Tailândia, Turcomenistão, Venezuela, Vietnã, Argélia, Angola, Bangladesh, Benin, Camboja, Camarões, Chile, República Dominicana, Fiji, Honduras, Indonésia, Jordânia, Malawi, Maldivas, Níger, Nigéria, Panamá, Togo e Uruguai.

Elogios - O diretor-geral da FAO, o brasileiro José Graziano, elogiou as nações que já atingiram a meta de reduzir a fome pela metade e destacou as iniciativas regionais para garantir o acesso à alimentação. “Para todos e a cada um de vocês, eu quero dizer que vocês são a prova viva de que quando as sociedades decidem pôr fim à fome, e quando há o compromisso político dos governos, podemos transformar essa vontade em ações concretas e resultados”, disse, segundo comunicado oficial da entidade.

Continuidade - Segundo Graziano, os países que já chegaram à meta devem manter os esforços para alcançar objetivos mais ambiciosos de combate à fome, até a completa eliminação do problema. “Somos a primeira geração que pode acabar com a fome, que tem atormentado a humanidade desde o nascimento da civilização. Vamos aproveitar esta oportunidade”, acrescentou. A premiação foi entregue em cerimônia na sede da FAO, em Roma, e teve a participação de vários chefes de Estado, entre eles os presidentes da Venezuela, Nicolás Maduro, de Honduras, Porfirio Lobo, e do Panamá, Ricardo Martinelli. (Agência Brasil)

EVENTO: Seminário vai discutir inovação e empreendedorismo em Palotina

Palotina vai sediar nesta terça-feira (18/06), o 2º Seminário sobre Inovação e Empreendedorismo do Oeste do Paraná. O evento é promovido pela Escola de Empreendedorismo e Inovação de Palotina (EEIP), em parceria com a União do Ensino Superior de Palotina (Uespar), Acipa, Sebrae e Universidade Federal do Paraná (UFPR), campus Palotina. De acordo com os organizadores, o evento visa fomentar a discussão científica sobre empreendedorismo e inovação, disseminando esta cultura com o propósito de desenvolver nas pessoas um perfil empreendedor para que criem, conduzam e implementem o processo criativo de elaborar novos planos de vida, de trabalho, de estudos e de negócios. São esperados 350 participantes, entre acadêmicos das áreas de Tecnologia em Marketing, Ciências Contábeis,Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas,  Administração, Agronomia, Medicina Veterinária, Engenharia de Bioprocessos, Tecnologia em Biotecnologia, Tecnologia em Biocombustíveis, Tecnologia em Aquicultura, Ciências Biológicas e profissionais que atuam no setor de agrárias e biotecnologia, indústria e empresários.

Clique aqui e acesse mais informações sobre o 2º Seminário sobre Inovação e Empreendedorismo do Oeste do Paraná

 

SEBRAE/PR I: Novo escritório em Paranaguá atende empreendedores do litoral paranaense

Um novo escritório do Sebrae/PR começa a funcionar nesta segunda-feira (17/06), em Paranaguá. A estrutura, para empreendedores, empresários de micro e pequenas empresas e potenciais empresários, conta com equipe própria e atenderá sete municípios do litoral paranaense: Antonina, Morretes, Guaraqueçaba, Pontal do Paraná, Paranaguá, Matinhos e Guaratuba. De acordo com José Ricardo Castelo Campos, gerente regional do Sebrae/PR, o Litoral tem uma importância estratégica para o Estado. “Vamos realizar ações específicas para atender as micro e pequenas empresas da região. Sobretudo por conta de novos investimentos que serão feitos, decorrentes da expansão e modernização do Porto de Paranaguá e também da exploração do pré-sal.”

Potencialização - Na avaliação de José Ricardo, o Sebrae/PR, com o novo escritório, vai potencializar suas ações na região. A entidade já desenvolve inúmeros projetos nas áreas de turismo local; empreendedorismo; qualificação para atender a cadeia produtiva do petróleo, gás e energia; e Lei Geral da Micro e Pequenas Empresas, legislação favorável às micro e pequenas empresas.

Capilaridade - “Teremos uma maior capilaridade na nossa atuação, estaremos mais próximos dos nossos clientes e parceiros institucionais e podemos ‘mapear’ melhor as demandas da região. Além disso, vamos servir de forma pró-ativa o Litoral, que é tão importante para o Estado”, informa o gerente regional. “As pessoas interessadas nos serviços prestados pelo Sebrae/PR terão mais facilidades. Os nossos técnicos já estarão em Paranaguá”, reforça José Ricardo, acrescentando que a nova sede é resultado também de uma reorganização territorial do Sebrae/PR.

Redistribuição - “Devido ao crescimento das demandas, foi necessário redistribuir as regionais da entidade, a antiga Regional Centro-Sul, que possuía 76 municípios, foi desmembrada em duas novas regionais, a Centro, com sede em Ponta Grossa, e a Leste, com sede em Curitiba. O novo escritório no Litoral está subordinado à Regional Leste”, explica o gerente regional.

Estratégia de divulgação - Para comunicar a presença ‘encorpada’ do Sebrae/PR no litoral paranaense, e para estimular demandas junto aos empreendedores da região, foi definida uma estratégia de divulgação. A unidade móvel e itinerante do Sebrae/PR vai visitar os sete municípios do Litoral, com o objetivo também de fazer atendimentos nas cidades.

Olhar diferenciado - Levando-se em conta o potencial turístico, o agronegócio e o artesanato no Litoral, o Sebrae/PR planeja desenvolver outras ações específicas para tais segmentos econômicos. “A região trabalha muito com frutas e produz compotas, balas, doces e cachaça. Poderemos, ainda, atuar em áreas que hoje não trabalhamos, como a aquicultura, que é bastante forte e característica na região”, afirma o consultor responsável pelo escritório do Sebrae/PR em Paranaguá, Gilberto Keserle .  “O Litoral é extremamente turístico, e a nossa ideia é potencializar essa vocação com a atuação do Sebrae/PR. Nossa ideia é dar assistência para as pequenas empresas da cadeia turística, desde as pousadas e hotéis aos restaurantes e agências de turismo, para que melhorem ainda mais o desempenho e qualidade de produtos e de serviços”, detalha.

Continuidade - Para Gilberto Keserle, num primeiro momento, o escritório dará continuidade aos programas que já estão em andamento na região e fará o atendimento das demandas locais. A unidade conta estrutura física que dispõe de espaços para o atendimento e realização de palestras e cursos.  “Também vamos buscar intensificar o trabalho com o comércio varejista, que já iniciamos em 2012. Nossa perspectiva é muito boa. O escritório aqui vai facilitar a proximidade com o empreendedor e aumentar as possibilidades de atuação em diferentes segmentos”, conclui o consultor.  O escritório do Sebrae/PR no Litoral fica localizado na Avenida Gabriel de Lara, nº 1.404, Bairro Leblon. O horário de funcionamento é das 8h30 às 12 horas e das 13h30 às 18 horas. Mais informações pelo telefone (41) 3330-5760. (Imprensa Sebrae/PR)

SEBRAE/PR II: Sala do Empreendedor fortalece pequenos negócios em São Miguel do Iguaçu

Inaugurada em tempo recorde, cerca de 30 dias, a Sala do Empreendedor de São Miguel do Iguaçu já atende a vários tipos de demandas. O espaço, que funciona dentro da Prefeitura da cidade e abriu as portas no final de maio, dia 29, já possibilitou a formalização de quase 10 microempreendedores individuais (quase um empreendedor a cada dia de atendimento), além de ter prestado orientações gerais sobre a categoria e direcionamentos a respeito de linhas de crédito.

Interesse - O consultor do Sebrae/PR, Julio Cesar Andrade, conta que a Prefeitura tinha um interesse muito grande em abrir a Sala e, com a ajuda da metodologia do Programa Cidade Empreendedora, do Sebrae/PR, conseguiram organizar as ações e responsabilidades antes de oferecer os serviços ao público. "O espaço exclusivo ao empreendedor é muito importante, mas salientamos que, antes de tudo, era preciso definir os agentes responsáveis pelas ações dentro da Sala do Empreendedor", lembra.

Comitê gestor - Para tanto, um comitê gestor foi formado no dia 16 de abril, seguindo os critérios de pessoas-chave para auxiliar no desenvolvimento dos capítulos da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa no município. "O grupo foi formado por gestores da Prefeitura, Câmara de Vereadores, Sindicato Rural, Associação Comercial, bancos e setor contábil. Salientamos que cada 'ator' é de extrema importância para que a lei seja colocada em prática", afirma o consultor.

Formalização - De acordo com Leila Viana, agente de desenvolvimento local no município - responsável por ajudar na articulação de políticas públicas municipais para a institucionalização da Lei Geral -, logo no primeiro dia de atendimento da Sala do Empreendedor, foi feita uma formalização dentro da categoria do Microempreendedor Individual. "O profissional trabalhava desde os 14 anos na informalidade, no setor de chapeação e mecânica. Hoje, com 26 anos, ele alcançou a legalidade", ressalta.

Oportunidade  - Mesmo no início das atividades, Leila observa que a Sala do Empreendedor de São Miguel do Iguaçu já tem seus diferenciais. "Conquistamos, junto à Sala, uma unidade do Banco Bom Negócio Paraná, que orienta os empreendedores em relação ao acesso ao crédito. Outra conquista, que estará disponível nos próximos dias, é a disponibilização de uma nutricionista para atender em tempo integral, cedida pela Secretaria Municipal de Saúde."

Demanda - A agente de desenvolvimento explica que há muita demanda de formalização de empreendedores do setor de alimentação, pessoas que produzem pães e bolachas em casa. "Para ter acesso ao mercado, esses empreendedores precisam rotular seus produtos com informações nutricionais e, por isso, a presença da nutricionista se faz tão necessária. Temos pessoas que só estão esperando por esse auxílio para poder vender os produtos em supermercados locais e da região", indica Leila Viana.

Conquista - A Sala do Empreendedor funciona dentro da Prefeitura de São Miguel do Iguaçu e, conforme destaca o consultor do Sebrae/PR e gestor do Programa Cidade Empreendedora na região oeste, Alan Alex Debus, é a 25ª cidade a inaugurar o espaço específico para atender o empreendedor. "A Sala do Empreendedor é um dos primeiros e importantes passos para auxiliar na melhoria do ambiente para a criação e fortalecimento de micro e pequenas empresas, foco dos oito capítulos que regem a Lei Geral", orienta.

Municípios - Na região, complementa Alan Debus, o Sebrae/PR acompanha 30 municípios com o Programa Cidade Empreendedora e apenas dois deles ainda não têm o local específico para o atendimento, os demais estão em fase de implementação da sala. "Nesses espaços ocorre, além da formalização, o fortalecimento dos pequenos negócios, que representam 99% dos empreendimentos formais no Brasil. Com o apoio a eles, o município ganha em desenvolvimento, em geração de emprego e renda."

Localização - A Prefeitura de São Miguel do Iguaçu está localizada na Rua Vânio Ghellere, no 64, e o espaço ao empreendedor fica no andar térreo. Interessados também podem entrar em contato com a Sala do Empreendedor pelos telefones (45) 3565-8144, 3565-8159 ou, ainda, o 3565-8165. O e-mail de contato com os responsáveis é  saladoempreendedorsmi@gmail.com. (Assessoria de Imprensa Sebrae/PR)


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br