Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3117 | 19 de Junho de 2013

UNIPRIME: Sistema projeta expansão fora do Paraná

O Sistema Uniprime encontra-se em fase expansão. Contando 30 mil cooperados, 9 singulares, 40 agências e administrando ativos na ordem de R$ 1,5 bilhão, o sistema de crédito cooperativo Uniprime, genuinamente paranaense, projeta aumentar estes números a partir de uma estratégia que prevê ampliar o campo de atuação dentro e fora do estado. “O processo de expansão está sendo cumprindo de acordo com a meta de cada singular. Algumas, por exemplo, ainda estão num processo de abertura de novas agências, como a Uniprime Campo Gerais de Ponta Grossa que irá inaugurar uma unidade em Castro, e a Uniprime Oeste do Paraná que abriu recentemente uma agência em Foz do Iguaçu. Além dessas, outras singulares estão aumentando sua área de abrangência e tornando o crescimento do Sistema Uniprime mais consistente e ordenado”, disse o presidente da Central Uniprime, Alvaro Jabur, em sua visita ao presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, na manhã desta quarta-feira (19/06).

Integração - Ele esteve acompanhado do diretor administrativo da Central, Carlos Puppi Busetti Mori, e visitou o presidente João Paulo com a finalidade de formalizar a integração do Sistema Uniprime à Ocepar. “Hoje demos o último passo para nos integrar totalmente ao sistema cooperativista paranaense. E acreditamos isso que poderá trazer diversos benefícios, já que a Ocepar passa ser a nossa maior interlocutora em assuntos cooperativistas”, disse.

Ganhando território –  Jabur conta que um dos fatores que deu início ao processo de expansão do Sistema, cujo foco de atuação principal é a área médica, foi a adoção do nome Uniprime. “Isto trouxe uma série de vantagens e benefícios para os nossos cooperados, pois permitiu reduzir custos e continuar o processo de crescimento para que as nossas singulares possam ter uma área de abrangência bem maior do que a gente tinham anteriormente com a denominação Unicred”, afirmou. Uma nova realidade que possibilitando que Uniprime ganhasse novos mercados, inclusive fora do Paraná. Jabur lembrou que, especificamente a Uniprime Norte do Paraná, começou a atuar no início do ano no município de Marília (SP), sendo que a singular deverá aumentar sua área de atuação no estado paulista a partir de julho, com a inauguração de uma nova agência no município de Bauru.

Em andamento - “Isto mostra que o processo de expansão no interior de São Paulo já está acontecendo. Paralelo a isto, encontra-se em estudo dentro da Central um projeto de crescimento para outros estados do Brasil”, frisou o dirigente, lembrando que Uniprime possui duas cooperativas no Mato Grosso do Sul, a Uniprime Dourados e a Uniprime Campo Grande, e que existe um estudo, ainda em fase inicial, prevendo o crescimento dessas singulares naquele estado. Da mesma forma, no Paraná, as singulares localizadas no Oeste, que são a Uniprime Pioneira, com sede em Toledo, e a Uniprime Oeste do Paraná, com sede em Cascavel, além da Uniprime Francisco Beltrão, da Uniprime do Iguaçu, em que a sede está localizada em Pato Branco, estão iniciando estudos visando a expansão de suas atividades para o estado vizinho de Santa Catarina. 

{vsig}noticias/2013/06/19/visita/{/vsig}

PDGC: Programa auxilia cooperativas na adoção de boas práticas de gestão

PDGC 19 06 2013Cooperativas que integram o Sistema OCB em todo o país contam, desde o início do ano, com mais uma ferramenta criada para orientá-las na adoção de boas práticas de gestão e governança. Trata-se do Programa de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC), que visa ainda melhorar o desempenho e aumentar a competividade do cooperativismo no mercado. O PDGC é uma iniciativa do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop) e integra a Diretriz Nacional de Monitoramento. O programa foi desenvolvido com base no Modelo de Gestão de Excelência da Gestão, da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

Adesão – Para aderir ao PDCG, a cooperativa deve estar registrada no Sistema OCB. A inscrição pode ser feita de duas formas. Uma delas é por meio do portal  http://pdgc.brasilcooperativo.coop.br, onde constam vídeos explicativos, material de avaliação, contato das unidades estaduais, entre outras informações. Nesse caso, a cooperativa faz o seu cadastro, preenchendo todos os campos solicitados na Ficha de Inscrição. Depois que os dados forem enviados, ela vai receber um e-mail de contato, confirmando a participação e também o login e a senha, que devem ser guardados em lugar seguro. O próximo passo contempla o preenchimento do Diagnóstico e do Questionário de Autoavaliação. Quando esse processo for concluído, será gerado um relatório apontando os pontos fortes e as oportunidades de melhoria de cada cooperativa.

Unidade Estadual– A cooperativa pode ainda se inscrever no Programa por meio da Unidade Estadual. Basta solicitar o Manual de Preenchimento e o Instrumento de Avaliação do PDGC e, após o preenchimento dos documentos, a folha de respostas deve ser entregue na Unidade Estadual. O técnico responsável vai inserir as informações no sistema e gerar o relatório de autoavaliação. 

Prêmio– As cooperativas que aderirem ao PDGC também podem participar do Prêmio Sescoop Excelência de Gestão, que visa incentivar e reconhecer o esforço das cooperativas que adotam as melhores práticas de gestão e governança. As cooperativas serão avaliadas por meio dos questionários Diagnóstico e Autoavaliação, que fazem parte do Programa. E, de acordo com os resultados obtidos, serão classificadas nas faixas: bronze, prata e ouro; e ainda na categoria Destaque Governança – em função de suas práticas de relacionamento com os cooperados. Os critérios utilizados levam em consideração as práticas de gestão e abrangem: cooperados, lideranças, clientes, colaboradores, fornecedores, sociedade, processos e resultados.

Wokshop - Além do reconhecimento público conferido as cooperativas que obtiverem o melhor desempenho, as 150 primeiras colocadas no prêmio serão convidadas para participar de um workshop para construção de planos de melhorias, orientadas por profissionais da FNQ.

Inscrições – As inscrições ao Prêmio Sescoop Excelência de Gestão vão até o dia 12 de julho e devem ser feitas pelo site  http://premiogestao.brasilcooperativo.coop.br/.

Informações – No Paraná, as cooperativas podem obter mais informações a respeito do PDGC e sobre o Prêmio Excelência de Gestão com o analista técnico especializado do Sescoop/PR, Anderson Helpa (anderson.helpa@sistemaocepar.coop.br / 41 3200-1149). 

 

CMN I: Resoluções do Conselho trazem novidades em relação às medidas anunciadas

O Conselho Monetário Nacional (CMN) publicou, nesta terça-feira (18/06), diversas resoluções relacionadas ao Plano Agrícola e Pecuário 2013/14, anunciado pelo governo federal no início de junho. A maioria delas confirma as medidas já divulgadas anteriormente mas também há algumas novidades. A resolução nº 4.227, por exemplo, que ajusta as normas dos programas de investimentos agropecuários amparados por recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a partir de 1º de julho, altera o limite de financiamento do Prodecoop (Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária) para R$ 150 milhões, por cooperativa, quando os recursos que superarem o limite anterior, que era de R$ 100 milhões, forem destinados a empreendimentos feitos em outros estados. 

Outras medidas - A resolução nº 4.227 confirma a redução dos juros do Procap-Agro (Programa de Capitalização de Cooperativas Agropecuárias) para 6,5% ao ano (antes era 9%). Já em relação ao Moderfrota (Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras), os juros baixaram para 4,5% (na safra passada era de 5.5%). Outra novidade é que aumentou o limite de financiamento do Programa de Modernização da Agricultura e Conservação dos Recursos Naturais (Moderagro) para R$ 800 mil por beneficiário individual e R$ 2. 400.000,00 para empreendimento coletivo. Essa mesma resolução confirma o que o governo federal já anunciou sobre o Inovagro (Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção), ao PCA (Programa para Construção e Ampliação de Armazéns), ao ABC (Programa para redução da emissão de gases de efeito estufa na agricultura) e ao Moderinfra (Programa de Incentivo à Irrigação e à Armazenagem).

Clique aqui e confira na íntegra a Resolução nº 4.227

CMN II: Aprimoramento sobre aplicação de recursos do crédito rural

O Conselho Monetário Nacional também aprovou resolução introduzindo aprimoramentos nas regras sobre aplicação de recursos do Crédito Rural. A resolução estabelece ponderadores destinados a incentivar os bancos a liberar mais recursos para empreendimentos voltados à produção de alimentos, a exemplo do feijão, batata-inglesa, cebola, mandioca, do tomate, outros legumes e verduras, bem como para empreendimentos conduzidos com tecnologias mais avançadas, envolvendo sistemas de irrigação e estruturas para cultivo protegido (hortaliças), e para construção de estruturas de armazenagem.

Cooperativas de crédito - Outra medida prevista na resolução é a extensão, às cooperativas de credito, da possibilidade de captação de recursos do crédito rural por meio do Depósito Interfinanceiro Vinculado ao Crédito Rural (DIR). Essa possibilidade, até agora restrita a bancos, objetiva facilitar e dinamizar a transferência e a aplicação dos recursos das exigibilidades do Crédito Rural.

Simplificação - Além disso, foram introduzidas simplificações nas normas para aplicação de recursos próprios livres, de modo a elevar ainda mais a assistência financeira ao setor agropecuário. (Banco Central do Brasil)

Clique para acessar a Resolução nº 4.234

CMN III: Mudanças na concessão de crédito para cooperativas agropecuárias e de crédito

O CMN aprovou resolução introduzindo alterações na disciplina de concessão de créditos a cooperativas de produção agropecuária e de repasses interfinanceiros a cooperativas de crédito. O primeiro grupo de cooperativas está voltado para os serviços técnicos agropecuários junto a seus cooperados e o segundo, constituído por instituições financeiras cooperativas, está voltado à realização de operações de crédito com os seus associados.

Segregação - A medida segrega as normas de cada um desses dois segmentos cooperativistas, para adequar o arcabouço regulamentar à legislação em vigor, especialmente a Lei Complementar nº 130, de 18/04/2009, que veda a constituição de cooperativas mistas com seção de crédito. As normas ora revistas provêm da época em que eram admitidas tais cooperativas.

Clareza - O objetivo da mudança é deixar mais claro as operações permitidas a cada um dos dois tipos de cooperativas. (Banco Central do Brasil)

Clique para acessar a Resolução 4.233

CMN IV: Alterações do regulamento do Proagro

O CMN aprovou resolução que altera regulamento do Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), com o objeto de aprimorar esse instrumento de política agrícola. Foi estabelecida, a partir de 1º/7/2014, a universalização do enquadramento no Proagro ou em seguro rural, até o limite de R$300 mil, de todas as operações de custeio agrícola com recursos controlados do Crédito Rural (exigibilidades, fundos constitucionais e recursos com equalização de taxas pelo Tesouro). Com esse prazo, os bancos que ainda não operam com o Proagro ou com o seguro rural terão um ano para adequar as suas estruturas.

Prêmio - Outras medidas são a redução nas alíquotas de adicional (prêmio) para 1%, nas culturas irrigadas, bem como a possibilidade de indenização de até 100% do valor da base de cobertura para essas lavouras. Atualmente, a alíquota é de 2% para os produtores familiares (Pronaf) e de 3% para os demais e o limite de cobertura varia de 70% a 100%.

Funções - Além disso, foi introduzida medida, de caráter prudencial, que determinada às instituições financeiras agentes do Proagro a segregação de funções nos trabalhos de análise e julgamento dos pedidos de indenização. Assim, de agora em diante, as equipes das instituições ou aquelas contratadas para conduzir o crédito não poderão se encarregar da análise e do julgamento dos pedidos.

 Clique para acessar a Resolução 4.235

Clique nos links abaixo para acessar as outras Resoluções aprovadas pelo CMN nesta terça

 4.226

4.228

4.229

4.230

4.231

4.232

 

CMN V: Aprovada a criação do ProRenova-Industrial

Para aumentar a produção de cana-de-açúcar no país por meio do financiamento à renovação e implantação de canaviais, o Conselho Monetário Nacional (CMN), reunido extraordinariamente nessa terça-feira (18/06), instituiu o Programa de Apoio à Renovação e Implantação de Novos Canaviais (ProRenova-Industrial). Os recursos previstos de R$ 3,5 bilhões são do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com encargos financeiros de 5,5% ao ano e prazo de reembolso em até 72 meses.

Plantio - De acordo com a resolução do CMN, o programa financiará os gastos e tratos culturais envolvidos no plantio de cana-de-açúcar. Somente poderão ser financiados os projetos implantados de 1º de janeiro a 31 de dezembro deste ano, podendo ser reembolsados os gastos com itens financiáveis realizados a partir de 1º de julho de 2012. O ProRenova-Industrial é destinado a pessoas jurídicas que exerçam atividade produtiva relacionada ao plantio de cana, inclusive usina e destilaria de etanol e açúcar, cooperativas de produção, cooperativas de produtores e entidades societárias por cotas. (Mapa)

RAMO SAÚDE: Ato Médico vai à sanção presidencial

ramo saude 19 06 2013O Plenário do Senado aprovou, nesta terça-feira (18/06), o projeto do Ato Médico, que regulamenta a atividade médica, restringindo à categoria atos como a prescrição de medicamentos e o diagnóstico de doenças. O projeto, que tramitou quase onze anos no Congresso e foi tema de 27 audiências públicas, segue agora para sanção presidencial.

Tramitação - Apresentado em 2002 pelo então senador Benício Sampaio, o projeto já saiu do Senado, em 2006, na forma de substitutivo da senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO), relatora na CAS. Enviado à Câmara, foi modificado novamente e voltou ao Senado como novo substitutivo (SCD 268/2002), em outubro de 2009. Esse foi o texto que serviu de base ao aprovado nesta terça.

Atividades exclusivas - O projeto, na forma aprovada em Plenário, estabelece que são atividades exclusivas do médico cirurgias; aplicação de anestesia geral; internações e altas; emissão de laudos de exames endoscópicos e de imagem; procedimentos diagnósticos invasivos; exames anatomopatológicos (para o diagnóstico de doenças ou para estabelecer a evolução dos tumores).

Modificações - Com as modificações aprovadas, não serão atividades exclusivas de médicos os exames citopatológicos e seus laudos; a coleta de material biológico para análises clínico-laboratoriais; e os procedimentos através de orifícios naturais em estruturas anatômicas visando à recuperação físico-funcional e não comprometendo a estrutura celular e tecidual.

Contra - Único a se posicionar contrariamente à matéria, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) disse não concordar com a ideia de se fixar uma lei para uma profissão tão dinâmica como a medicina. Em sua opinião, essa legislação corre o risco de ficar obsoleta em pouco tempo, já que a ciência médica está sempre em evolução. “Há no Brasil uma fúria regulamentadora de profissões. Sei que há uma briga pelo mercado de trabalho entre diferentes profissões que deveriam trabalhar conjuntamente, mas essa divisão, no meu entender, não comporta uma legislação”, protestou.

Importância - Já os senadores Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) e Lúcia Vânia defenderam a proposta ressaltando a sua importância para a saúde pública e para os profissionais da área. Valadares, relator da matéria na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), destacou que, das 14 profissões da área da saúde, apenas a profissão de médico ainda não era regulamentada.

Sem interferência - Lúcia Vânia, relatora do substitutivo na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), observou que o Ato Médico não vai interferir em nenhuma das atribuições de outras profissões da saúde. Durante a tramitação da proposta, profissionais dessas áreas manifestaram preocupação com o texto do projeto e solicitaram clareza para limitar a prescrição do médico à área médica e, assim, liberar a autonomia profissional de outras especialidades, como fisioterapia, psicologia e enfermagem.

Presenças - Estavam presentes no Plenário representantes da Federação Nacional dos Médicos, do Conselho Federal de Medicina, de sindicatos de diversos estados, da Associação Médica Brasileira e de diretórios estudantis de faculdades de medicina do Distrito Federal, Goiás e Presidente Prudente (SP). (Agência Senado)

 

CEDRAF: Erradicação de brucelose foi um dos temas discutidos nesta quarta

Foi realizada, na manhã desta quarta-feira (19/06), a 56ª reunião do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar  (Cedraf), na sede do Instituto Emater, em Curitiba. As atividades foram conduzidas pelo secretário de estadual da Agricultura e presidente do Cedraf, Norberto Ortigara. O Sistema Ocepar foi representado no encontro pelo analista técnico e econômico, Robson Mafioletti. A campanha para erradicação da brucelose e tuberculose em pequenas e médias propriedades rurais do Paraná  foi um temas que estiveram em pauta. O assunto foi tratado por  Mariza Koloda, da Adapar.

Outros temas – Também houve debates sobre o Cadastro Ambiental Rural (CAR), Plano Safra 2013/14, criação da Anater  (Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural), aquisição de citros da região do Vale do Ribeira por meio do Programa de Aquisição de Alimentos e a respeito da Conferência Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário, que será realizada de 27 a 29 de agosto.

{vsig}noticias/2013/06/19/cedraf/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR: Lançamento do Programa A União Faz a Vida reúne 150 convidados, em Floraí

Mais um município da região de abrangência da cooperativa de crédito Sicredi União PR/SP passa a integrar o programa educativo “A União Faz a Vida”, voltado para estudantes da rede municipal. É Floraí, a 50km de Maringá, onde deverá abranger 490 alunos e 50 educadores. O lançamento, reunindo 150 convidados, entre autoridades, docentes,dirigentes e colaboradores da cooperativa, ocorreu na noite de terça-feira (18/06) no salão paroquial da cidade. O presidente da Sicredi Participações S/A, Manfred Dasenbrock, que também preside a Central Sicredi PR/SP, estava entre os presentes, ao lado do presidente da Sicredi União PR/SP, Wellington Ferreira, do diretor-executivo Rogério Machado e do diretor regional de Desenvolvimento, Paulo Ozelame.

Conquista - “Estou muito emocionada com essa conquista”, afirmou a funcionária pública Márcia Marangoni. Ela foi a principal articuladora para que o município recebesse o programa, o qual conheceu há três anos. Márcia conta que com a nova administração municipal, liderada pelo prefeito Fausto Herradon, foi garantido apoio e dado o sinal verde.

Municípios - Floraí é o sexto município da região da Sicredi União PR/SP a contar com o “A União Faz a Vida”, do qual já participam Munhoz de Mello, Nova Esperança, Santa Fé, Londrina e Ivatuba. No próximo dia 26, será lançado também em Jussara. Ao todo, envolve mais de 5,5 mil crianças e adolescentes, 450 educadores e 22 escolas “na proposta de difundir valores de cidadania e cooperativismo”, afirmou a coordenadora Caroline Consorte. Segundo ela, a cooperativa é gestora e assegura suporte humano e material.

Prioridade - Durante a solenidade, a secretária municipal de Educação, Maria Ângela Zampieri Gimenes, enfatizou que a educação “é prioridade da nova administração, enquanto o vice-prefeito Maurílio Sérgio Marangoni ressaltou que “o programa é um passo importante para fortalecer a educação no município”. O presidente da Sicredi União PR/SP, Wellington Ferreira, agradeceu o interesse e o apoio do município e disse do “carinho especial” que a cooperativa tem com o “A União Faz a Vida”, o qual definiu como “uma aposta no futuro”. Finalizando, o presidente da Sicredi Participações S/A, Manfred Dasenbrock, fez um reconhecimento à Sicredi União PR/SP e à sua diretoria “pela ousadia”. Segundo ele, “o Sicredi fez a opção pela comunidade e pela educação”.

Palestra - Completando a programação, a consultora Fernanda Sobreira, especialista em psico-pedagofia e gestão de pessoas e equipes, fez uma palestra sobre o tema “O papel do educador e as mudanças”. (Imprensa Sicredi União PR)

{vsig}noticias/2013/06/19/sicredi_uniao/{/vsig}

SICREDI IGUAÇU: Entregue mais um prêmio de seguro de vida

Aconteceu, na manhã dessa terça-feira (18/06), a entrega de mais um prêmio por meio do seguro de vida Sicredi. A cerimônia de entrega simbólica aconteceu na unidade de atendimento do Sicredi em Itapejara d’Oeste, unidade da qual faz parte o associado contemplado. Estiveram presentes, o presidente Lotário Luiz Dierings, o gerente comercial da Icatu Seguros, Fernando Nicola Vila, o contemplado Miguel Alves Pedroso, o gerente da unidade, Fábio Dalponte, coordenadores de núcleo do Sicredi e demais colaboradores e associados.

Felicidade - “Estamos muito felizes em poder contemplar mais uma vez o associado que acredita no Sicredi”, diz o presidente Lotário Luiz Dierings, que parabenizou o senhor Miguel pela conquista. Lotário comentou ainda que a cooperativa já entregou 20 premiações entre seguro de vida e residencial, chegando a mais de R$ 370 mil em prêmios.

Contemplados - De acordo com Fernando Nicola Vila, no geral, já foram distribuídos R$ 18 milhões em prêmios mais de 650 associados premiados. São muitos associados contemplados. O gerente da unidade agradeceu a confiança do associado Miguel e disse que para ser premiado basta adquirir o seguro. “Sou associado há anos do Sicredi, não esperava o prêmio que veio em boa hora, agradeço a equipe do Sicredi pela atenção”, afirmou o associado que é pedreiro no município.

Sorteios semanais - Os prêmios podem chegar a R$ 200 mil reais, e são realizados sorteios semanais através da Loteria Federal, onde o associado concorre pelo número da apólice. (Imprensa Sicredi Iguaçu)

{vsig}noticias/2013/06/19/sicredi_iguacu/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI I: Unidade em Braganey realiza ação de sustentabilidade

Todas as equipes da Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP realizam durante o ano, ações de sustentabilidade, levando em consideração a politica estabelecida pelo Sistema, unindo o tripé: Econômico, Social e Ambiental. Neste contexto, a equipe de Braganey escolheu como ação, o recolhimento do lixo eletrônico. Durante uma semana a população do município se mobilizou e levou diversos tipos de equipamentos para o descarte adequado. O objetivo foi minimizar o problema ambientar causado quando esse tipo de material é descartado de forma incorreta. “Esses equipamentos possuem substâncias químicas (chumbo, cadmio, mercúrio, entre outros) que provocam a contaminação do solo e em consequência da água e do meio ambiente, além de provocar doenças graves”, avalia o gerente da unidade de Braganey, Valmir Ferreira Junior.

Parceria - A ação é desenvolvida em parceria com a prefeitura do município e a empresa Nova Cascavel Reciclagem, especializada no manuseio correto do material. Em uma semana, foram recolhidos 820 quilos de lixo eletrônico, através da mobilização feita pela equipe da Sicredi em Braganey e os parceiros. “Foi muito interessante verificar que as pessoas aproveitaram a oportunidade e participaram da ação. Acredito que transmitimos uma mensagem positiva, de quando o cidadão participa de forma consciente, o meio ambiente ganha e nós também”, diz a colaboradora da Sicredi Renata Bernardo, que coordenou a ação. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP)

{vsig}noticias/2013/06/19/sicredi_vale_piquiri_I/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI II: Cooperativa é a principal parceira na construção de aviários em Ubiratã

1sicredi vale piquiri 19 06 2013Passada a inauguração, o abatedouro da Unitá começa o abate de 80 mil aves/dia, com previsão de nos próximos quatro anos obter a capacidade máxima de abate, que será de 350 mil aves/dia. Para a indústria funcionar na plenitude, o planejamento da Unitá prevê o abate de frangos vindos de aviários da Copacol para o próximo ano e em 2015, novos aviários em produção. Para isso será necessário que novos produtores invistam na atividade. A parceria entre Sicredi/Coagru e Unitá garantiu o financiamento de 70% dos aviários em produção. “A cooperativa de crédito é a principal parceira neste momento, com o interesse de continuar financiando a atividade dos associados”, avalia o presidente Jaime Basso.

Maior segurança - Na avaliação do presidente da Coagru, Áureo Zamprônio, a avicultura irá proporcionar maior segurança aos cooperados. “A diversificação é fundamental para garantir renda e o crescimento dos associados e da cooperativa”.

Investimentos - A Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP é parceira da Coagru/Unitá na liberação de recursos para investimentos. Foram liberados R$ 17,6 milhões, atendendo 69 associados Sicredi/Coagru, para a construção de 73 aviários. “Ao liberar recursos, a Sicredi se torna parceria no desenvolvimento regional, contribuindo para a geração de emprego e renda e melhoria da qualidade de vida dos associados e sociedade de forma geral”, avalia o presidente Jaime Basso.

Empreendimento coletivo - De acordo com o vice-presidente da Unitá, Claudemir Pereira de Carvalho, o Cavalini, a Sicredi é uma grande parceira no empreendimento coletivo, quando financiou até o momento 70% dos aviários que estão em produção. “Os aviários garantem a matéria prima para o abatedouro e com certeza ao financiar os associados, a Sicredi auxilia no desenvolvimento regional”, afirma.

Diversificação - O associado Alberto Jumes é um dos integrados Coagru que financiou aviário via cooperativa de crédito. Para ele o investimento é muito importante na diversificação da propriedade. “Vejo como uma grande oportunidade para diversificação da atividade. Com isso eu ganho mais e tenho maior segurança”, diz. (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri ABCD PR/SP)

2sicredi vale piquiri 19 06 2013

UNIMED CASCAVEL: Cooperativa recebe Prêmio Performance de Gestão no Suespar

unimed cascavel 19 06 2013Durante os dias 13 e 15 deste mês, foi realizado na cidade de Foz do Iguaçu o 21º Suespar (Simpósio das Unimeds do Estado do Paraná), que teve como objetivo discutir e integrar as cooperativas singulares do Estado. A Unimed Cascavel participou do evento e, pela primeira vez, recebeu o “Prêmio Performance de Gestão”. “Para nós não foi uma surpresa, tendo em vista que a cooperativa esta trabalhando para alcançar os objetivos estratégicos, o que culminou com a premiação, e se tornou um estimulo para melhorar e conquistarmos outros reconhecimentos,” comenta Francisco Augusto Del Arcos Carneiro, diretor presidente da Unimed Cascavel.

Análise - Para conquistar este prêmio, a cooperativa foi analisada em vários aspectos. Esta avaliação é dividida por categorias e leva em conta: o índice de crescimento, a gestão de custos, o índice de repasse aos cooperados e por fim, o resultado referente à performance geral, que é definida a partir da avaliação dos indicadores de desempenho de todas as outras categorias, sem distinção de porte entre as Unimeds. Esta premiação significa que a singular apresentou o melhor resultado geral entre as Singulares do Estado no ano de 2012.

Empenho - “Este prêmio é resultado do empenho constante e da busca pelos melhores resultados, por toda a equipe Unimed Cascavel. Parabéns a todos os diretores, coordenadores, responsáveis de setores e colaboradores desta cooperativa”, celebra Luciana Reis, gestora administrativa da Unimed Cascavel. (Imprensa Unimed Cascavel)

 

UNIODONTO CURITIBA: Equipes de vôlei se destacam em jogos regionais

uniodonto curitiba 19 06 2013Duas equipes da Uniodonto/AVP foram destaque em jogos realizados no último final de semana, em Curitiba. A equipe mirim sagrou-se campeã do 1º GP Regional de Voleibol Mirim Masculino da Federação Paranaense de Voleibol, no dia 14 de junho, após vencer o time da Prefeitura de Ponta Grossa. Já no dia 15 de junho, foi a vez da equipe Petiz da AVP/Uniodonto se destacar e conquistar o vice-campeonato no 2º GP Regional Petiz de Voleibol da Federação Paranaense de Voleibol. Para o técnico da equipe, Ronei Cucio, 2013 será um ano excelente para a equipe. “Essa geração de atletas é o futuro das próximas equipes da AVP/Uniodonto e tem mostrado muito empenho em sua preparação para os seus desafios dentro das quadras do Paraná”, declarou. A responsável pela equipe atualmente é a Professora Rosana da Silva. (Imprensa Uniodonto Curitiba)

 

MEIO AMBIENTE: Fórum aprova novas medidas para reduzir gases de efeito estufa

meio ambiente 19 06 2013Importantes medidas para contabilizar e reduzir a emissão dos Gases de Efeito Estufa (GEE) - responsáveis pelo aquecimento global e que contribuem para as mudanças do clima - foram aprovadas nesta terça-feira (18/06) pelo Fórum Paranaense de Mudanças Climáticas. Uma das ações de maior repercussão foi a iniciativa que prevê a descentralização das reuniões do Fórum, que serão realizadas em seis regiões do Paraná. O objetivo é estimular os municípios paranaenses a produzirem seus inventários das emissões de gases. Atualmente, apenas Curitiba possui o inventário - levantamento que contabiliza as emissões de diferentes fontes e setores para proposição de medidas de redução e adaptação de gases de efeito estufa, seja em âmbito privado ou público.

Instituições - Presidida pelo secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Luiz Eduardo Cheida, a primeira reunião de 2013 do Fórum contou com representantes de 50 instituições como a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), universidades, organizações não governamentais, empresas públicas e privadas. A Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) foi representada pelo engenheiro agrônomo Sílvio Krinski.

Registro - O secretário Cheida, informou ao Fórum que nos próximos dias assinará a resolução que lança o Registro Público Estadual de Emissões de Gases de Efeito Estufa. A ação faz parte da Agenda Verde para o Paraná. "O objetivo do Registro é acompanhar os resultados e as medidas para redução dos gases de efeito estufa em diversos processos industriais. A participação das empresas, indústrias e de outros setores deve ser voluntária", explicou o secretário Cheida.

Grupo de trabalho - Durante a reunião foi criado um grupo de trabalho que vai discutir instrumentos econômicos e fiscais - previstos na Política Estadual de Mudanças Climáticas (Lei 17.133/2012) - para incentivar a adesão das indústrias ao Registro Público de Estadual de Emissões de GEE.

Benefício - De acordo com o coordenador de Mudanças Climáticas da Secretaria do Meio Ambiente, Carlos Garcez, a resolução vai prever, conforme permite a Lei Estadual, que todas as indústrias que aderirem voluntariamente ao Registro Público de Emissões possam ser beneficiadas com instrumentos financeiros.

Ferramentas - São três as ferramentas que serão discutidas em um primeiro momento pelo grupo de trabalho, entre elas a criação de um selo de reconhecimento público para as empresas que participarem no Registro e para as que comprovarem a redução de emissões ou a compensação dos gases emitidos. Também poderão ser definidos incentivos fiscais e financeiros para a adesão ao Registro Público de Emissões, especialmente para entidades privadas que, comprovada e voluntariamente, atenuarem suas emissões de gases de efeito estufa.

Prorrogação - Outro instrumento de incentivo para as empresas que participarem do Registro é a prorrogação do prazo de validade, em um ano, da Licença de Operação emitida pelos órgãos ambientais federal e/ou estadual, desde que sejam respeitadas todas as exigências e condicionantes ambientais pertinentes.

Plano de trabalho - Os integrantes do Fórum também aprovaram o plano de trabalho 2013/2014, que inclui a elaboração de pesquisas básicas em ciências atmosféricas, impactos das mudanças climáticas e questionário de diagnóstico nos municípios, além do workshop, previsto para 23 de julho, para simular o cenário das mudanças climáticas do Paraná nos próximos cem anos. A secretária-executiva do Fórum, Rosana Castella, lembra que o principal objetivo do Fórum é promover discussões sobre mudanças climáticas, de forma transversal, com a integração de diferentes órgãos públicos, setores produtivos e a sociedade civil.

Integrantes - O Fórum Paranaense de Mudanças Climáticas Globais é composto por representantes de secretarias, autarquias e conselhos estaduais, Ministério Público, Assembleia Legislativa e o Instituto Agronômico do Paraná, entre outras entidades. (Agência de Notícias do Paraná)

 

MINERAÇÃO: Senadores participam de lançamento de novo marco regulatório do setor

mineracao 19 06 2013O novo marco regulatório da mineração foi apresentado, na manhã desta terça-feira (18/06), pela presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto. As medidas, que vão regular a exploração do subsolo brasileiro, foram encaminhadas ao Congresso Nacional sob a forma de projeto de lei e vai tramitar em regime de urgência.

Cobrança - Entre as mudanças previstas, estão alterações nos critérios para a cobrança da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem), uma espécie de royalty incidente sobre a extração. O Cfem agora incidirá sobre a receita bruta das empresas, com alíquota máxima de até 4%. Com isso, o governo espera dobrar a arrecadação proveniente da atividade exploratória. A distribuição do dinheiro foi mantida pelo governo: 65% para os municípios, 23% para os Estados e 12% para a União.

Conselho - O Executivo decidiu criar o Conselho Nacional de Política Minerária (CNPM) e extinguir o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), que dará lugar a uma nova agência reguladora, a Agência Nacional de Mineração, uma autarquia especial, com autonomia administrativa e financeira, a exemplo de outras agencias como ANP (petróleo), ANS (saúde), Anatel (telecomunicações) e Aneel (energia).

Competitividade - Segundo a presidente Dilma Rousseff, o novo marco regulatório da mineração pretende atualizar a atual legislação, que é dos anos 60, aumentar a competitividade do setor, bem como dar mais segurança jurídica. (Agência Senado)

 

TRIBUTOS: MP que desonera cesta básica e reduz conta de luz é aprovada no Senado

O Senado aprovou, nesta terça-feira (18/06), a Medida Provisória (MP) 609, que zera a cobrança de PIS/Pasep e Cofins sobre os produtos da cesta básica. O texto, que segue para sanção presidencial, também inclui modificações na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) para viabilizar a redução da conta de luz prometida pela presidente Dilma Rousseff.A diminuição da tarifa de energia era tratada pela MP 605, que chegou a ser aprovada pela Câmara, mas o Senado se recusou a apreciar, porque o texto não chegou à Casa com ao menos sete dias antes de perder a vigência — como estipulou o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL).

Texto original - O texto original do Executivo para a MP 609 previa a desoneração de produtos básicos como carne, café, açúcar, óleo de soja, manteiga, margarina e de higiene pessoal. A renúncia fiscal estimada parte de R$ 5,1 bilhões, em 2013, e alcança R$ 8,3 bilhões em 2015.

Outros produtos - O relator, deputado Edinho Araújo (PMDB-SP), incluiu ainda outros produtos no rol de desonerados: pão de forma, frango industrializado, erva-mate, mortadelas e linguiças, açúcar cristal, sal, biscoitos de consumo popular, molho de tomate, polvilho, vinagre, escovas de dente, fraldas descartáveis, absorventes, sucos, gás de cozinha e rações e suplementos alimentares utilizados na agropecuária. Materiais escolares, como cola, borracha, agenda, caneta, lápis e mochila, além de cimentos e telhas, também foram incluídos pelo relator na medida provisória. (Valor Econômico)


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br