Imprimir
Sistema Ocepar - Paraná Cooperativo - Informe Diário

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 3163 | 22 de Agosto de 2013

VISITA: Biodiesel e trigo serão discutidos em reunião do Ramo Agropecuário

visita 22 08 2013A reivindicação do setor produtivo para a desoneração de PIS e Cofins sobre a soja destinada à fabricação de bioediesel, bem como a política para o trigo serão temas a serem discutidos na próxima reunião do Ramo Agropecuário da OCB (Organizações das Cooperativas Brasileiras), que irá ocorrer no dia 28 de agosto, em Brasília. O coordenador do ramo, Luiz Roberto Baggio, esteve na sede do Sistema Ocepar na tarde desta quarta-feira (21/08), e conversou com o presidente João Paulo Koslovski. Os dirigentes discutiram a pauta da próxima reunião do ramo, com destaque para a questão do trigo e tributação na cadeia do biodiesel. Também foram debatidas as dificuldades de infraestrutura, gargalo que prejudica a competitividade das cooperativas do Paraná e do Brasil. “A visita à Ocepar teve como objetivo conversar e aprofundar os temas que deverão ser discutidos na próxima reunião do ramo agropecuário”, disse Baggio, que fará um relato sobre o trabalho realizado pela OCB no primeiro semestre de 2013.

Programação - A reunião do conselho consultivo do ramo agropecuário terá também uma palestras com o consultor Nathan Blanche, que abordará as perspectivas a econômica brasileira e mundial; e o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller falará sobre o Plano Agrícola e Pecuário 2013/14. O presidente da Cocamar, Luiz Lourenço, fará uma explanação sobre a integração lavoura-pecuária, e o diretor do Ministério da Agricultura, Wilson Vaz, abordará o Programa ABC. A reunião se encerra com debate dos conselheiros e conclusão do presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas.

 

SICREDI RIO PARANÁ: Nossa missão é desenvolver o cooperativismo no oeste paulista, diz Guedes

1sicredi rio parana 22 08 2013Com 25 anos de atuação no extremo noroeste do Paraná, a cooperativa de crédito Sicredi Rio Paraná PR/SP está iniciando um processo de expansão no estado vizinho. “A nossa missão agora é desenvolver o cooperativismo na região oeste de São Paulo. Nós já temos a nossa primeira unidade de atendimento instalada há um ano em Primavera e estaremos brevemente inaugurando as unidades de Presidente Wenceslau e Presidente Epitácio. A Central Sicredi Paraná/São Paulo nos incumbiu de desenvolver 17 municípios do oeste paulista”, afirmou o presidente da cooperativa, Jorge Bezerra Guedes, durante visita realizada ao presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, na tarde desta quinta-feira (21/08). Na oportunidade, Guedes convidou Koslovski a participar das comemorações dos 25 anos da cooperativa. “No dia 22 de novembro, nós vamos fazer um evento em homenagens às pessoas que colaboraram para o desenvolvimento da cooperativa e também estamos programando um show para os associados”, informou.

Números - De acordo com Guedes, a Sicredi Rio Paraná PR/SP, sediada em Nova Londrina, possui atualmente 22 mil associados e ativos de aproximadamente R$ 180 milhões. A cooperativa tem registrado crescimento de até 30% ao ano. “São poucas as empresas que crescem a essas taxas. Então, estamos felizes porque estamos buscando um espaço onde não há muito espaço, ou seja, no sistema bancário, onde existe muita concorrência. É extremamente difícil você competir com bancos que são muito capitalizados e fortes, como os bancos estatais. E nós estamos buscando nosso espaço, atraindo pessoas que ainda queiram cooperar e se associar a uma cooperativa”, afirmou. “No Paraná, nós estamos em praticamente todos os municípios da nossa área de ação. Hoje, nós representamos 21% de todos os depósitos da região, considerando bancos internacionais e nacionais presentes lá. Também estamos com market share de 14% do crédito de nossa região. Isso englobando todas as linhas de crédito, ou mesmo de investimento, linhas do BNDES, de financiamento de autos, ao produtor rural, entre outros”, acrescentou.

Diferenciais – Em sua avaliação, cada vez mais a população está conhecendo os diferenciais do cooperativismo. “Quando as pessoas começam a perceber as vantagens do cooperativismo e de estar operando com uma empresa que se preocupa, não apenas com o econômico mas também com o social e com o meio ambiente, elas automaticamente dão valor. Mas é preciso ter credibilidade. Não basta seguirmos os princípios cooperativos só no discurso. Temos que vivenciar isso na prática. Se o discurso for um e a prática for outra, nada adiantará. Nós praticamos isso há 25 anos na nossa cooperativa. Sempre procuramos, mesmo nos momentos difíceis, trabalhar com bastante transparência. Isso nos leva a ter uma credibilidade junto à comunidade de maneira geral. Isso é fundamental”, ressaltou.

Profissionalismo – Guedes também ressaltou a importância da profissionalização do setor. “Desenvolvemos um trabalho muito forte de desenvolvimento de pessoas. Inclusive hoje temos colaboradores participando de um curso de pós-graduação realizado em convênio com o Sescoop/PR e a Fundação Getúlio Vargas no sentido de formar gestores especialistas no desenvolvimento humano. É algo que está contribuindo para transformar os nossos gerentes, que estão na ponta, no dia a dia, relacionando-se com o nosso público. Esse profissionalismo é importante”, finalizou. 

 

CRÉDITO RURAL: Ministério da Fazenda autoriza pagamento de equalização dos juros

credito rural 22 08 2013O Ministério da Fazenda publicou, no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (22/08), oito portarias que autorizam o pagamento de equalização de juros dos financiamentos rurais concedidos por agentes financeiros credenciados, como Banco do Brasil, Sicredi, BNDES, Bansicredi e Bancoob. De acordo com o gerente técnico e econômico do Sistema Ocepar, Flávio Turra, o setor produtivo estava aguardando essa medida para viabilizar o acesso das linhas de crédito ligadas aos programas oficiais de investimento, como Prodecoop, Moderinfa, Moderfrota, entre outros. “A partir de agora, inicia-se o processo de liberação dos recursos para atender aos projetos apresentados pelas cooperativas e produtores rurais”, afirma Turra.

 

 

 Clique nos links abaixo e confira na íntegra as portarias publicadas pelo Ministério da Fazenda

 

Portaria nº 463

 Portarias nº 464; 465

Portarias nº 466; 467

Portaria nº 468

Portarias nº 469; 470

 

COPACOL: Entre as 20 que mais empregam no Brasil

Segundo pesquisa da revista Exame (Maiores e Melhores), a Copacol está entre as 20 empresas do agronegócio que mais empregam no Brasil. Com mais de 7,6 mil colaboradores, a cooperativa se destaca no abate de aves que emprega mais de quatro mil pessoas na unidade industrial em Cafelândia. Além da avicultura principal atividade que representa cerca 60% do faturamento, são destaques também a agricultura, suinocultura, piscicultura e a bovinocultura de leite.

Municípios - Com sede em Cafelândia região Oeste do Paraná, a Copacol tem em seu quadro de colaboradores pessoas vindas de 31 municípios da região. Destas, mais de 2,5 mil pessoas percorrem grande distância e recebem auxílio transporte para trabalhar. E, para oferecer ainda mais conforto e melhor qualidade de vida para os trabalhadores de outras cidades, a empresa investiu em 245 moradias para que os mesmos possam ter a opção de morar em Cafelândia com baixo custo de aluguel. 

Destaque - Segundo o diretor presidente da Copacol, Valter Pitol, a cooperativa se destaca na região como uma das principais empresas geradoras de empregos e riquezas para milhares de pessoas. “Se contarmos os empregos indiretos, estes números são mais significativos e importantes, para o desenvolvimento econômico e social da região que atuamos”, destaca Pitol. (Imprensa Copacol)

{vsig}noticias/2013/08/22/copacol/{/vsig}

COCAMAR: Cooperativa avança no ranking Valor 1000

Em comparação a 2011, a Cocamar Cooperativa Agroindustrial avançou sete posições no ranking referente a 2012 das mil maiores empresas brasileiras, conforme listagem publicada pelo anuário Valor 1000, do jornal Valor Econômico, distribuído na terça-feira (20/08). De acordo com a publicação, a cooperativa evoluiu no ano passado para ocupar a posição de 186ª maior empresa do país, contra o 203º lugar no exercício anterior. O anuário cita também que, no âmbito nacional do agronegócio, a Cocamar foi a 7ª em crescimento sustentável e a 3ª em receita líquida. Na região Sul, mantém a 26ª posição.

Crescer - O presidente Luiz Lourenço afirma que o crescimento é uma necessidade para que as corporações se mantenham competitivas.  Segundo ele, enquanto as margens são apertadas, os custos não param de subir. “Temos que lutar por escala e manter a empresa ajustada a esse desafio. Nesse cenário, quem não consegue crescer está condenado a desaparecer.”

Previsão - Com previsão de faturar R$ 2,550 bilhões neste ano, ante R$ 2,360 bilhões em 2012, a Cocamar opera com 54 unidades de atendimento nas regiões noroeste e norte do Paraná e, desde meados deste ano, também em Presidente Prudente, no interior de São Paulo. Em breve, abre suas portas em Nova Andradina, no Mato Grosso do Sul. (Imprensa Cocamar)

COAMO: Farinhas de marca própria estão entre as mais vendidas em São Paulo

coamo 22 08 2013A expansão da linha de produtos alimentícios Coamo, composta pelas marcas Coamo, Primê, Anniela e Sollus é visível. A cada ano, os produtos da cooperativa ganham espaço no mercado e destaque em vendas nos mais diversos canais de consumo. Neste mês de agosto, mais uma pesquisa comprova tal afirmação. Os destaques da vez são as farinhas de trigo Coamo e Anniela que por meio da pesquisa Mais Mais publicada na revista Super Varejo e realizada pela Kantar Worldpanel sobre as marcas líderes que mais interessam o cliente, ocupam a 5ª posição na grande São Paulo e no interior de São Paulo.

Pesquisa – A Kantar Worldpanel é uma empresa da Kantar Group, uma das maiores empresas de Comunicação, mídia e Pesquisa do mundo. É especialista em conhecimento do consumidor por meio de painéis de consumidores, oferecendo aos clientes soluções em comportamento de compra. Este é o nono ano consecutivo que a Kantar Worldpanel em parceria com a revista Super Varejo realiza um abrangente e atualizado estudo sobre as marcas líderes: o ranking Mais Mais – A escolha do consumidor.

Critérios - A pesquisa considera o ano de 2012 (de janeiro a dezembro) por meio de informações provenientes do Painel Nacional de Domicílios da Kantar Worldpanel. Assim, semanalmente são visitados domicílios espalhados pelo Brasil que representam 81% dos lares nacionais, que equivale a 91% do potencial de consumo do país. Para a classificação das cinco marcas líderes do país é utilizado o critério de volume de compras.

Qualidade – As farinhas de trigo Coamo e Anniela são originadas de matéria-prima selecionada e adequada para cada finalidade de aplicação. São enriquecidas com ferro e ácido fólico (Vitamina B9) e destinadas para uso culinário, panificação e confeitaria, na preparação de massas especiais, pães, bolos, salgadinhos, entre outras receitas do dia a dia, conferindo excelente qualidade ao produto final. Estão disponíveis no mercado em embalagens de 1kg para a linha varejo e 50kg para indústria.

Reconhecimento - Segundo o superintendente Comercial da Coamo, Alcir José Goldoni, nos diversos canais de vendas, a linha de produtos alimentícios Coamo tem sido referência, por meio do óleo de soja refinado, dos cafés e das margarinas, gorduras e, agora com o reconhecimento das farinhas de trigo Coamo e Anniela tem mais motivos para comemorar. "Estamos no caminho certo e essa pesquisa reafirma o reconhecimento de um trabalho desenvolvido junto a fornecedor e clientes para disponibilizar um produto com qualidade e sabor ao consumidor. Agradecemos a todos pelo crescimento e destaque das farinhas de trigo no ranking. Isto nos fortalece e ratifica nosso compromisso para produzirmos sempre mais alimentos com qualidade e sabor", afirma. (Imprensa Coamo)

 

NOVA PRODUTIVA: Integrantes da Oficina de Artesanato participam da Passeata da Cidadania

A Cooperativa Agroindustrial Nova Produtiva participou, nesta quarta-feira (21/08), da Passeata da Cidadania, organizada pela Apae de Astorga. O evento consta no cronograma da Semana da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, que vai de 21 a 28 de agosto. Funcionários da OFAN – Oficina de Artesanato Nova participaram da abertura da semana, desenvolvida este ano com o tema “Desafiando os limites, diminuindo as diferenças”. Em conjunto com autoridades, comunidade escolar e convidados, eles mostraram por meio da passeata a importância da inclusão social. A emoção tomou conta dos participantes, quando o Hino da Apae foi cantado pelos presente, suscitando a esperança de um mundo melhor e igual para todos, apesar das diferenças, por meio de nossas ações.

Missão - A OFAN tem como missão promover ações de responsabilidade socioambiental pelo trabalho artesanal de pessoas com deficiência, a utilização de papéis reciclados e bagaço de cana-de-açúcar. Foi implantada para auxiliar ações da cooperativa e os trabalhos desenvolvidos utilizam papéis descartados das unidades operacionais, somado às fibras vegetais do bagaço de cana-de-açúcar, subproduto gerado pela Indústria de Etanol. Para a Cooperativa Nova Produtiva, além de promover a inclusão social de pessoas com deficiência, a OFAN incentiva os funcionários à produção e auxilia-os na inserção ao mercado de trabalho. (Com informações da Secretaria Executiva da Nova Produtiva)

{vsig}noticias/2013/08/22/nova_produtiva/{/vsig}

SICREDI VALE DO IVAÍ: Melhor resultado da história é apresentado aos associados

A Cooperativa de Crédito Sicredi Vale do Ivaí PR realizou, no período de 12 a 15 de agosto, reuniões regionalizadas de prestações de contas referente ao 1º semestre de 2013. Os eventos reuniram 740 pessoas, entre associados e convidados das 10 unidades de atendimento de sua área de abrangência. Foram apresentados os números e indicadores do primeiro semestre de 2013 e o desempenho da cooperativa, que foi o melhor dos 24 anos de existência da cooperativa, além das ações que fortalecem os laços do cooperativismo nos programas de organização do quadro social com a comunidade.

Alinhamento - No encontro destinado aos associados delegados (representante do seu núcleo em cada comunidade), a cooperativa promoveu um alinhamento sobre o papel do coordenador no desenvolvimento e no fortalecimento da instituição. A captação de recursos foi tema importante nesta reunião, mediante ao cenário atual da cooperativa. Os associados também foram informados através de uma simulação, sobre o quanto puderam economizar e ganhar por fazer suas operações de crédito dentro da cooperativa.

Bom momento - O presidente da Sicredi Vale do Ivaí PR, Plácido Caldas Filho reforçou em seu discurso o bom momento vivido pela instituição. “Fechamos o semestre com mais de 12,3mil associados e o resultado em sobras cresceu mais de 130% em relação ao primeiro semestre do ano anterior, totalizamos mais de R$ 1,7 milhões em sobras. Somos uma instituição financeira muito rentável aos nossos associados”, detalhou Plácido.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa com mais de 2,3 milhões de associados e 1.229 pontos de atendimento, em 10 estados* do país. Organizado em um sistema com padrão operacional único conta com 108 cooperativas de crédito filiadas, distribuídas em quatro Centrais Regionais – acionistas da Sicredi Participações S.A. - uma Confederação, uma Fundação e um Banco Cooperativo que controla uma Corretora de Seguros, uma Administradora de Cartões e uma Administradora de Consórcios. Mais informações no site sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Vale do Ivaí PR)

{vsig}noticias/2013/08/22/sicredi_vale_ivai/{/vsig}

SICREDI IGUAÇU: Unidade de Marmeleiro faz doação de computadores à Apae

Motivados pelo princípio da cooperação e do interesse pela comunidade, a unidade de atendimento da Sicredi Iguaçu PR/SC de Marmeleiro recebeu o desafio de ser parceiro em uma ação especial da Apae, atendendo à demanda de um projeto encaminhado pela escola. De acordo com a professora Marilene Kelly Accorsi, autora do projeto, a ideia foi uma forma de mobilizar a sociedade e renovar a sala de informática da escola. A entrega dos computadores aconteceu no dia 20 último, nas dependências da Apae do munícipio de Marmeleiro, com a presença dos alunos, gerente do Sicredi Adacir Brusso, diretora da Apae Elsa Belle Rama, presidente  José Vilmar Scheid , a professora autora do projeto Marilene Kelly Accorsi e demais funcionários e professores. “Agradecemos ao Sicredi pela doação de computadores novos que com certeza farão a diferença na vida dos alunos”, disse a diretora Elsa.

Diferença - O presidente da Apae, José Vilmar Scheid, comentou da importância desse projeto para as atividades da escola. “Agradecemos ao Sicredi, pois com certeza fará a diferença na vida dessas crianças e adultos tão especiais”, disse.

Gratificante - Para o gerente que tem uma pessoa Down na família, é gratificante estar ajudando a Apae que ajuda tantas famílias a cuidar dos seus entes queridos que tenham algum tipo de deficiência. “Esse é um dos papeis do Sicredi, estamos felizes em poder ajudar, e me comprometo em auxiliar a professora a buscar no comércio local mais recursos para a renovação do laboratório de informática”, afirmou Brusso.  Adacir ainda comentou “quando falamos em excepcionais a palavra já diz tudo o que representam estas crianças que só conhecem as vitórias da vida, comemoram cada passo dado com alegria sincera, e quando nos abraçam  estão nos fazendo um favor”, finalizou Brusso.

Exposição - A parceria do Sicredi vai além da doação, a Apae estará nos próximos dias expondo seus trabalhos para a comunidade nas dependências do Sicredi. (Imprensa Sicredi Iguaçu PR/SC)

{vsig}noticias/2013/08/22/sicredi_iguacu/{/vsig}

CAMISC: Antecipar o plantio do milho pode não ser bom negocio

camisc 22 08 2013Embora o período ideal para começar o plantio de milho seja no início do mês de setembro, alguns produtores da região tem a previsão de iniciar o plantio já no mês de agosto. O clima, além do fato de muitos produtores optarem pelo plantio no feijão da safrinha tem sido aspectos relevantes nessa decisão. “Muitos produtores tem iniciado o plantio da safra mais cedo, justamente para antecipar o plantio da safrinha e assim fugir de possíveis mudanças climáticas como, por exemplo, a geada que este ano prejudicou bastante as lavouras de feijão”, explica a engenheira agrônoma da Camisc, Patrícia Bressan.

Diferença muito pequena - De acordo com o meteorologista do Climaterra, Ronaldo Coutinho do Prado, se o agricultor plantar agora ou no mês de setembro a diferença no desenvolvimento da planta é muito pequeno. “Plantar agora, no final de agosto ou na primeira semana de setembro não tem diferença. O agricultor ganha muito pouco, no máximo 4 ou 5 dias. Além disso, há o risco de pragas e doenças”, avalia.

Avaliação - Para Patrícia, é importante que o agricultor entre em contato com seu agrônomo de confiança antes de iniciar o plantio. “A colheita lá na frente é resultado de um bom plantio, quando isso não acontece o resultado da safra fica comprometido. Por isso, o agricultor deve avaliar muito bem se o plantio nesse momento é ideal”, aconselha. (Imprensa Camisc)

 

COOPERJOVEM: Repasse da metodologia do Programa será em Brasília

Técnicos e instrutores dos 13 estados que desenvolvem o Programa Cooperjovem estarão em Brasília, entre os dias 17 e 19 de setembro, para o repasse da nova metodologia referente ao programa e à formação de professores e educadores da ação. O repasse das informações é uma realização da Gerência de Promoção Social do Sistema OCB.

Revisão - Nesta terça-feira (20/08), analistas da Gerência de Promoção juntamente com as representantes do comitê do Programa Cooperjovem, Ilana Maciel, do Sistema OCB/CE, e Adriana Sandre, do Sescoop/SP, revisaram o conteúdo de formação dos instrutores e propuseram algumas adaptações ao material que, agora passa a ter características que atendam às mais diversas realidades dos estados brasileiros.

Impacto - De acordo com a representante do estado do Ceará, Ilana Maciel, o impacto desta mudança na prática pedagógica poderá ser percebido a partir dos processos de planejamento, execução, avaliação e gestão das atividades escolares. “O grande diferencial da Metodologia de Formação dos Educadores é o desenvolvimento dos Projetos Educacionais Cooperativos (PEC) que, construídos coletivamente, permitem a avaliação do contexto escolar, identificação das situações-problema, definição das prioridades e proposição de soluções com foco na melhoria do processo de ensino-aprendizagem, do ambiente escolar e porque não dizer da sua comunidade”, afirma a gerente de Formação do Sistema OCB/CE.

Mais força - Já a paulistana Adriana Sandre afirma que a nova proposta unificada conferirá mais força ao Programa, perante as cooperativas e às secretarias de educação e diretorias de ensino dos 13 estados. “O programa tem agora uma metodologia unificada o que reforça a necessidade de uma implementação única em cada unidade federativa, pois sua aplicação é a mesma de Norte a Sul do País. Além disso, o Cooperjovem ganha a marca de um sistema importantíssimo: o Sistema OCB que é quem cuida do cooperativismo brasileiro”, avalia Adriana.

Etapa importante - Para a gerente de Promoção Social do Sistema OCB, Maria Eugênia Ruiz, a formação de educadores na referida metodologia é uma importante etapa do Programa Cooperjovem, que busca assegurar a construção de conhecimentos, além do desenvolvimento de habilidades e atitudes voltadas à prática pedagógica, pautada na cultura da cooperação e sustentada nos valores e princípios do cooperativismo. “Estamos otimistas com os impactos de resultados que esta nova metodologia viabilizará para o Sistema Educacional e, também para o Sistema Cooperativista visto que, mais uma vez, se apresenta como instrumento de organização que viabiliza a transformação social e desenvolvimento humano”, avalia Maria Eugênia.

Saiba mais – O Cooperjovem é desenvolvido pelo Sescoop desde o ano 2000, com o objetivo de fortalecer os princípios do cooperativismo e estimular a cultura da cooperação entre os alunos de cooperativas educacionais e escolas públicas dos ensinos fundamental e médio. Atualmente, 13 estados executam o programa (AL, GO, MS, PA, PB, PE, PI, PR, RN, RO, SC, SP e TO). O ano de 2012 foi encerrado com números impressionantes: mais de 72 mil alunos participantes; mais de 3,1 mil professores capacitados; mais de 160 municípios brasileiros atendidos. (Informe OCB)

MILHO: Novo leilão de Pepro é marcado para terça-feira (27)

milho 22 08 2013A forte demanda demonstrada pelos produtores, especialmente os mato-grossenses, no leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro), fez o governo antecipar novo socorro ao milho. Na tarde desta quarta-feira (21/08), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) informou que vai realizar mais um leilão de mesma modalidade na próxima terça-feira (27/08). A oferta será de 1,5 milhão de toneladas, o mesmo volume disponibilizado na terça passada.

Arremate - Os produtores arremataram 100% da última oferta. A maior demanda foi demonstrada em Mato Grosso, estado que lidera a produção nacional do cereal e onde o preço está abaixo dos custos de produção devido ao excesso do grão e falta de espaço para armazenagem.

Prioridade - Novamente, o estado do Centro-Oeste terá prioridade no leilão, que poderá absorver maior parte dos subsídios. Serão 1,3 milhão de toneladas disponíveis para Mato Grosso. Outras 200 mil toneladas serão destinadas ao Mato Grosso do Sul e Goiás.

Pepro - O Pepro é um instrumento governamental que paga um prêmio ao produtor rural ou à cooperativa e completa  o valor de diferença entre o preço de mercado e o mínimo. Até o momento, foram realizados quatro leilões dessa modalidade, que alcançaram 4,83 milhões de toneladas. O gasto público com essa ferramenta foi de R$ 264 milhões. Ao todo, o governo planeja investir R$ 700 milhões em intervenções no mercado do cereal no Brasil. (Gazeta do Povo)

 

GRÃOS I: Safra 2013/14 de soja dos EUA pode ultrapassar 90 milhões de toneladas

A produção de soja dos EUA na temporada 2013/14 poderá superar 90 milhões de toneladas pela primeira vez em três anos, apesar do plantio tardio e das temperaturas abaixo do normal nas últimas semanas, previram nesta quarta-feira (21/08) vários representantes da indústria e dos agricultores. "As temperaturas nas principais áreas de cultivo de soja ficaram mais quentes na semana passada, e a previsão é que a tendência continuará no curto prazo, ajudando a cultura a crescer melhor", afirmou Randy Mann, presidente do Conselho de Exportação de Soja dos EUA, durante uma conferência internacional de grãos, que acontece em Freemantle, na Austrália.

USDA - Na semana passada, o Departamento de Agricultura americano (USDA) reduziu em cerca de 5% sua previsão para a próxima safra de soja do país, que começa em 1º de setembro, para 88,6 milhões de toneladas, citando rendimentos mais baixos que o esperado. Produtores esperam que a estimativa seja revista para cima. As temperaturas em muitas regiões produtoras de soja, como norte de Iowa, Illinois e Minnesota, que há 10 dias estavam abaixo do normal, em cerca de 20ºC, estão agora acima dos 30ºC, e isso vai ajudar na melhor formação de vagens nas plantas, disse o diretor-executivo do conselho, Jim Sutter.

Maior produtor mundial - Os EUA são o maior produtor global de soja e o segundo maior exportador, atrás do Brasil. Os EUA tiveram que importar quase um milhão de toneladas de soja na atual safra (2012/13), devido a uma seca severa no ano passado, e tem estoques criticamente baixos, de menos de 3,5 milhões de toneladas, segundo o USDA. "Há seis semanas antes do início da colheita e ainda podemos ter uma safra de mais de 90 milhões de toneladas", disse Mann, que planta milho em pouco mais de 700 hectares em Kentucky. Recentemente, temperaturas abaixo do normal fizeram crescer os temores com uma geada precoce, que prejudicaria a safra.

Calor - No entanto, Drew Lerner, meteorologista do World Weather, disse em uma recente previsão que haverá bastante calor no fim de agosto e início de setembro, o que atrasará as geadas em uma ou duas semanas em partes do cinturão do milho americano. Se não houver uma chegada antecipada das geadas, as potenciais perdas devido ao atraso no plantio serão compensadas, e a produção de soja dos EUA irá ultrapassar as 90 milhões de toneladas, projetou Sharon Covert, que produz soja e milho em uma área de 970 hectares em Tiskilwa, no Estado de Illinois.

Rendimento - "Nem todos os produtores plantaram soja tarde, e nós estamos esperando um rendimento de 50 bushels por acre [3,3 toneladas por hectare] em nossa fazenda, enquanto a média do Estado de Ohio é em torno de 47 bushels [3,16 toneladas]", disse Daniel Corcoran, produtor em Piketon, Ohio.

Produtividade média - O USDA projeta uma produtividade média nos EUA de cerca de 42,6 bushels de soja por acre [cerca de 2,8 toneladas por hectare], mas Mann, do conselho de exportação americano, disse que as temperaturas mais quentes em setembro podem resultar em um rendimento médio nacional de cerca de 44 bushels [2,9 toneladas] ou mais. (Dow Jones Newswires / Valor Econômico)

GRÃOS II: Previsão do clima preocupa EUA e deve atrasar plantio no BR e na Argentina

A previsão do clima para as próximas semanas aponta falta de chuvas tanto no principal estado produtor de grãos do Brasil como nos Estados Unidos, onde a safra 2013/14 já cumpriu ao menos a metade do caminho. Em Mato Grosso, líder nacional em colheita de soja e milho, não estão previstos volumes de chuva suficiente para garantir boa umidade ao solo, que geralmente começa a receber as primeiras sementes de soja na primeira quinzena de setembro. A consultoria alemã Oil World acredita inclusive que haverá atraso no plantio da safra 2013/14 no Brasil por conta da falta de chuvas no Centro-Oeste. Os produtores mato-grossenses sempre são os primeiros a dar a largada com a temporada de verão.

Semeadura - A empresa acredita que a semeadura da soja irá começar em Mato Grosso por volta do dia 22 de setembro, mesma data em que a Argentina deve iniciar o plantio de milho. O país vizinho também não deve ter umidade suficiente para iniciar a safra na data tradicional. Esse é um dos motivos que deve levar os argentinos a elevar as apostas na soja e reduzir a área do cereal no ciclo 2013/14, afirma a Oil World.

Estados Unidos - No Hemisfério Norte, as perspectivas climáticas também não são das melhores. O clima quente e seco deve se estender até o final de agosto e tende a reduzir ainda mais as expectativas em relação à produtividade média das lavouras de soja e milho do país. A World Weather Inc., um instituto de monitoramento de meteorologia diz que, por enquanto, há umidade suficiente no solo na maior parte das áreas, mas que as plantações podem precisar de mais chuvas em setembro para evitar danos.

Panorama - O panorama da safra nos Estados Unidos é o que tem dado sustentação aos preços da soja, do milho e trigo negociados na Bolsa de Chicago.

Chuvas - Chuvas leves devem ocorrer entre quarta-feira (21/08) e quinta (22/08) no estado de Iowa, o maior produtor de grãos norte-americano. Mas, mais chuvas serão necessárias em breve. O estado concentra uma das áreas mais secas do cinturão de produção norte-americano. As regiões leste da Dakota do Norte, sul de Minnesota, oeste e norte de Illinois e norte do Missouri, também sofrem com estiagem e esta área seca irá crescer nas próximas semanas.

Temperaturas mais elevadas - Temperaturas mais elevadas são esperadas ao longo das próximas duas semanas no Meio-Oeste dos EUA, o que irá ajudar no crescimento do milho, mas também reduzir a umidade do solo. Na segunda-feira (19/08), o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) disse que as condições das lavouras de soja e milho estavam caindo em função de clima mais seco no país. (Portal do Agronegócio / Gazeta do Povo)

CNA: Valor da produção agropecuária do país alcançará R$ 422,7 bi em 2013

O Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuária do país deverá somar R$ 422,7 bilhões em 2013, conforme nova estimada divulgada nesta quarta-feira pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Se confirmado, o montante será 8,1% superior ao do ano passado e representará um novo recorde histórico. Apesar de uma flagrante queda das cotações nos últimos meses, a soja tende a liderar o crescimento do setor, conforme a entidade. O VBP do grão foi ajustado para R$ 82,3 bilhões, 19,2% mais que no ano passado. Em grande medida, esse forte incremento reflete a recuperação da produção nacional na safra 2012/13 após a forte quebra na região Sul em 2011/12, provocada por uma severa estiagem.

Participação - Se o cenário traçado for confirmado, a oleaginosa representará 32,3% do VBP da agricultura em geral em 2013, projetado em R$ 254,9 bilhões — 7,5% mais que em 2012. A própria CNA lembra que a valorização do dólar em relação ao real tem compensando as baixas dos preços da soja e de outras commodities agrícolas importantes para o país, como milho e café.

Pecuária - Para a pecuária, a entidade passou a estimar um VBP total de R$ 167,8 bilhões, 9% mais que no ano passado. A CNA destacou a participação da avicultura nesse total. O faturamento bruto do segmento deverá chegar a R$ 52,4 bilhões, um aumento de 23,6% na comparação com 2012. (Valor Econômico)

MERCOLAB: Evento sobre sanidade avícola reunirá especialistas em Cascavel

O Brasil vai produzir em 2013 mais de 6 bilhões de frangos, que resultarão em 12,3 milhões de toneladas de carne. Com vendas programadas de 3,9 milhões de toneladas para mais de 70% das nações do planeta, o País vai reafirmar sua posição de maior exportador mundial, figurando entre os 10 países que mais consomem carne de frango. São 45 quilos per capita, índice já superior ao dos Estados Unidos. É nesse cenário, que vem se superando ano após ano com números cada vez mais vigorosos e promissores, que vai se realizar em Cascavel (PR), no próximo dia 12 de setembro, o 9º Encontro MercoLab de Avicultura, evento com prestígio já consolidado no âmbito na cadeia produtiva do setor.

Realização - O seminário foi idealizado e é promovido anualmente pelo MercoLab, laboratório veterinário que presta serviços de diagnóstico e monitoria para mais de 500 clientes de diversas regiões do país, atuando como um elo facilitador no processo de transferência de novas tecnologias, ferramentas essenciais para manter o dinamismo da indústria ligada à cadeia do frango.

Prevenção de doenças - Desempenhando papel de destaque no crescimento e fortalecimento da avicultura comercial brasileira, o MercoLab tem seu foco principal na prevenção de doenças avícolas com potencial de impor severas barreiras sanitárias ao país e provocar prejuízos incalculáveis para a economia nacional. “Além de debater temas relacionados à sanidade avícola, o 9º Encontro vai apresentar novidades em resultados de pesquisas e novos conhecimentos, que certamente vão contribuir para otimizar custos e melhorar a produção”, destaca o médico-veterinário Alberto Back, diretor-geral do MercoLab e coordenador do evento.

Fidelização de clientes - Relembrando que mais de 150 países compram a carne de frango brasileira, Back enfatiza que para fidelizar essa clientela e expandir ainda mais o número de parceiros é fundamental investir continuamente no aprimoramento científico e tecnológico, equipamentos modernos e mão-de-obra qualificada. “O desafio permanente é a excelência”, sublinha.

Programa - O 9º Encontro MercoLab de Avicultura terá lugar no Centro de Convenções e Eventos de Cascavel, das 9h às 18h do dia 12 setembro, e sua programação, ressalta o coordenador-geral Alberto Back, “foi estabelecida com base em sugestões de colegas que fazem a avicultura da nossa região.” Enfatizando que os palestrantes são profissionais extremamente capacitados em suas áreas, Back afirma que “a sinergia desses convidados com os demais participantes farão do evento uma fonte renovadora de informações. Muitas das dificuldades da avicultura podem ser minimizadas e até resolvidas pelo debate e busca de soluções em fóruns como este”, finaliza. (Assessoria de Imprensa do evento)

CAGED: Paraná lidera criação de empregos na região Sul em julho

O Paraná teve o melhor desempenho da região Sul e nono do País na criação de empregos com carteira assinada no mês de julho. O Estado teve um saldo de 1.800 novos postos de trabalho. Santa Catarina criou 1.344 postos de trabalho e o Rio Grande do Sul registrou perdeu 3.644 postos de trabalho. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, e foram divulgados nesta quarta-feira (21/08).

Terceira posição - Em 2013, o Paraná está na terceira posição na geração de empregos, com 86.635 carteiras assinadas, atrás apenas de São Paulo (309.666) e Minas Gerais (144.366). No mesmo período, Santa Catarina gerou 66.371 novos postos de trabalho e o Rio Grande do Sul,76.978.

Fôlego - O secretário do Trabalho, Emprego e Economia Solidária, Luiz Claudio Romanelli, afirma que a economia do País perdeu fôlego prejudicando a criação de empregos em julho, mas ainda assim o Paraná mostrou números positivos no mês e no semestre. “Diante do cenário internacional e do desempenho do mercado de trabalho brasileiro, a economia paranaense continua dando sinais de vitalidade e de capacidade de respostas na geração de empregos no comparativo com os demais estados brasileiros e, especialmente, na região Sul”, analisou Romanelli.

Julho - Os setores que mais geraram empregos no Paraná em julho foram os de Serviços, com 2.863 postos, e Comércio, com 942 vagas, seguidos da Agropecuária, com 240 postos. A Construção Civil e Indústria de transformação foram responsáveis pelos maiores saldos negativos (-1.210 e -1.073, respectivamente). Os municípios que mais criaram postos de trabalho no mês de julho foram Porecatu, com a geração de 925 vagas; Paranavaí, com 440 novas vagas; Londrina, com 392 postos de trabalho; São José dos Pinhais, com 362 vagas; Campo Largo; com 361 vagas; e Foz do Iguaçu, com 298 novos postos de trabalho.

Destaque positivo - Em julho, o saldo do emprego na atividade sucroalcooleira – na agricultura ou na indústria de transformação – foi positivo em 776 postos. Vale ressaltar que este saldo representa o melhor resultado para meses de julho, considerando uma série histórica que se inicia em 2007. Em julho de 2013, entre as classes que caracterizam a atividade sucroalcooleira, é possível ressaltar a fabricação do açúcar em bruto (905) como o maior saldo positivo, seguido pelo cultivo de cana-de-açúcar (11). Entre as classes que caracterizam a atividade sucroalcooleira, a fabricação de álcool foi a única a registrar saldo negativo (-140).

Brasil - O mercado de trabalho brasileiro gerou 41.463 postos de trabalho com carteira assinada no mês de julho, segundo dados do Caged. O resultado mostra um crescimento de 0,10% em relação ao mês anterior e o emprego formal vem mantendo sua trajetória de crescimento de emprego. O desempenho é resultado da geração de 1.781.308 admissões e 1.739.845 desligamentos no mês de julho, os maiores para o período. No acumulado do ano, ocorreu expansão de 2,29% no nível de emprego, equivalente ao acréscimo de 907.214 postos de trabalho. Já nos últimos 12 meses, o aumento foi 918.193 postos, elevação de 2,32%.

Setores - Entre os oito setores de atividade, seis aumentaram o nível de emprego, sendo a agricultura que obteve a maior taxa de crescimento, com 18.133 novas vagas (1,08%), seguida do setor de serviços com 11.234 postos (0,07%), e da indústria da transformação, com 7.154 postos (+0,09%). A construção civil com 4.899 (0,15%), o comércio com 1.545 (0,02%) e a administração pública com 55 postos (0,01%) também apresentaram desempenho positivo. (Agência de Notícias do Paraná)

BRASIL: Economia cresceu 2,5% no 1º semestre, diz Serasa

A atividade econômica brasileira cresceu 2,5% no primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período de 2012. O aumento foi puxado pela agropecuária, do lado da oferta, e pelos investimentos, na parte da demanda. No acumulado em 12 meses, a atividade registrou aceleração de 1,6% para 1,8%, segundo dados do Indicador Serasa Experian de Atividade Econômica. O desempenho dos seis primeiros meses do ano foi melhor que a alta de 0,6% verificada no primeiro semestre de 2012 (ante o mesmo período de 2011), mas inferior ao observado nos primeiros semestres de 2011 e 2010.

Oferta - Pelo lado da oferta, o resultado da atividade foi impulsionado pela agropecuária, que teve expansão de 12,8% ante o primeiro semestre de 2012, devido à grande safra de grãos. A atividade industrial exibiu crescimento de apenas 0,7% no período. O setor de serviços teve alta de 2,2%.

Demanda agregada - Pelo lado da demanda agregada, a formação bruta de capital fixo (medida do que é investido em máquinas, equipamentos e na construção civil), com alta de 6,5% no semestre foi o principal impulso da atividade.

Consumo agregado - O consumo das famílias, prejudicado pela alta da inflação, cresceu 2,5%, e o do governo, 1,1%. (Valor Econômico)

MERCADO FINANCEIRO: Fed frustra expectativas e deixa mercado confuso

mercado financeiro 22 08 2013Ainda não foi desta vez. Os mercados em todo o mundo esperavam que o Federal Reserve (Fed), o banco central dos Estados Unidos, confirmasse para setembro o início da retirada dos estímulos monetários que a instituição vem concedendo à economia americana desde 2008. Divulgada nesta quarta-feira (21/08), a ata da última reunião do Fed, realizada em julho, desautorizou os prognósticos e acenou para um provável início em dezembro.

Reticente - O Fed se revelou mais reticente sobre a maturidade necessária das condições econômicas para o início do fim do programa de compra mensal de títulos e deixou o mercado desnorteado sobre o momento em que o fará - o que tem provocado, desde o fim de maio, grande instabilidade em todo o mundo.

Repercussão - Depois da divulgação do documento, os índices da Bolsa de N. York terminaram o dia em baixa. No Brasil, o real se desvalorizou 2,33%, chegando a R$ 2,45, maior cotação desde 9 de dezembro de 2008. O juro futuro voltou a subir, para 11,86% ao ano nos contratos com vencimento em janeiro de 2017. O Ibovespa teve leve baixa de 0,20%.

Aposta - Apesar da mudança de sinalização do Fed, boa parte do mercado segue colocando suas fichas na previsão de que o início da retirada dos estímulos será em setembro. Isso mostra que a comunicação ainda é confusa, como se passa desde que Bernanke deu o primeiro sinal das intenções do Fed, em 22 de maio. Se o foco do BC americano era justamente "gerenciar" as expectativas, desde então o que se vê é uma variedade enorme de opiniões, muitas vezes díspares.

Projeção - A ata explicou que o PIB dos EUA no primeiro trimestre foi mais fraco que o esperado. O Fed continua acreditando em uma aceleração no segundo semestre e que o PIB se fortaleça em 2014 e 2015. Essa projeção se baseia nos "menores efeitos contracionistas vindos da política fiscal, aumento na confiança de consumidores e famílias, melhoras adicionais no acesso ao crédito e política monetária acomodatícia". (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


Assessoria de Imprensa do Sistema Ocepar - Tel: (41) 3200-1150 / e-mail: imprensa@ocepar.org.br