cabecalho informe

AGRONEGÓCIO: Arábia Saudita suspende importação de frango de 33 frigoríficos do Brasil

 

agronegocio 23 01 2019A Arábia Saudita, maior importadora de carne de frango do Brasil, desabilitou cinco frigoríficos da lista dos exportadores brasileiros para o país árabe. Dos 58 frigoríficos habilitados a exportar para a Arábia Saudita, restaram, portanto, apenas 25 com autorização, mas nem todos efetivamente vendem ao país. Entre as unidades descredenciadas pelos árabes estão frigoríficos da BRF e JBS, empresas bastante atuantes no setor. O governo brasileiro recebeu uma mensagem dos árabes comunicando o descredenciamento.

 

Represália - De acordo com pessoas do setor de avicultura, suspeita-se que a retirada de empresas brasileiras do mercado da Arábia Saudita possa ser o começo das barreiras econômicas colocadas devido à intenção de transferir a embaixada brasileira para Jerusalém. A Arábia Saudita ficou com 14% das exportações de carne de frango do Brasil no ano passado. A China, segunda maior importadora, ficou com 11%.

 

Situação delicada - A embaixada do Brasil em Israel está localizada na cidade de Tel Aviv , internacionalmente reconhecida como a capital do país. Há mais de 100 anos, árabes e judeus travam uma intensa batalha para assumir Jerusalém como a capital da Palestina e de Israel, respectivamente. Por isso, a transferência da embaixada é um movimento que pode ser interpretado como o reconhecimento, por parte do Brasil, de que Jerusalém é a capital de Israel, e não da Palestina – uma decisão considerada polêmica e que pode até ser prejudicial. Para países do Oriente Médio, como a Arábia Saudita, a iniciativa é tida como uma provocação

 

Nota - Por meio de nota, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) confirmou que a Arábia Saudita mantém a autorização de 25 plantas frigoríficas de carne de frango, entre 58 habilitadas para exportar ao país árabe. As empresas autorizadas constam em uma lista divulgada pelas autoridades sauditas.  As razões informadas para a não-autorização das demais plantas habilitadas decorrem de critérios técnicos.  Planos de ação corretiva estão em implementação para a retomada das autorizações. A ABPA está em contato com o governo brasileiro para que, em tratativa com o Reino da Arábia Saudita, sejam resolvidos os eventuais questionamentos e incluídas as demais plantas. (Folha de São Paulo e IG)

(Foto: Ueslei Marcelino/Reuters/Agência Brasil)

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias