cabecalho informe

GOVERNO: Márcio Nunes afirma que comandará a secretaria do “equilíbrio”

Durante concorrida solenidade realizada na manhã desta terça-feira (12/02) no Palácio Iguaçu, em Curitiba, o governador Ratinho Júnior deu posse ao novo secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Márcio Nunes. No seu discurso, Nunes reafirmou o compromisso do governo em realizar um trabalho que possa atender às questões ambientais, mas sem prejudicar o setor produtivo. “Faremos uma gestão do diálogo, onde realizaremos um trabalho conjunto com o Ministério Público do Meio Ambiente, com a Ocepar, a Faep e todas as demais entidades do setor produtivo para que possamos desenvolver ainda mais nosso estado de forma racional e equilibrada. A secretaria passará a se chamar (após aprovação do Projeto de Lei pela Alep) de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, mas se eu pudesse escolher um nome para ela, diria que será a secretaria do equilíbrio”, enfatizou.

Função - Márcio afirmou que a sua função frente a pasta “será para mostrar que o Paraná é um dos estados que mais pode crescer e se desenvolver e cuidar da natureza. É neste equilíbrio que nós vamos caminhar: do respeito às leis que estão em vigência no país e no Paraná. Sabemos que temos que simplificar procedimentos, para que eles possam, logo ali na frente, alavancar crescimento, desenvolvimento e melhoria da vida das pessoas. Não criar uma indústria de demandas judiciais, de celeumas, disputas, não. Estamos vindo com as mãos limpas, coração cheio de esperança e com a cabeça cheia de sonhos. Sei que nossas ações poderão influenciar e muito as futuras gerações do Paraná. Não é retórica, é fato!”, frisou Nunes.

Parcerias - Márcio Nunes se comprometeu em dar condições para que o Paraná viva um novo ciclo positivo e, para isso, ele afirmou que precisa, “mais do que o apoio de toda a sociedade paranaense, dos funcionários públicos, do judiciário e Ministério Público e também, de lideranças como o Ricken, da Ocepar, Ágide, da Faep, o G-7 e demais entidades do setor produtivo paranaense”. “Somente assim seremos reconhecidos como um estado que respeita o desenvolvimento sustentável. Este trabalho em conjunto, num novo patamar poderá dar condições para que empresas aqui se instalem e respeitem as leis o meio ambiente. Teremos muito cuidado com a natureza e seremos muito firmes com aqueles que cometerem crimes em cima das agilidades dos procedimentos que iremos dar. Esses irão pagar muito caro. O grande problema do nosso estado não são aquelas empresas ou produtores que estão percorrendo um árduo caminho atrás de um licenciamento ambiental, e sim aqueles que estão à margem da sociedade, estão clandestinos, esses sim serão penalizados”, finalizou.

Ratinho Júnior - O governador Ratinho Júnior afirmou durante a posse de Márcio Nunes que o desenvolvimento econômico e social do estado passa pela questão do meio ambiente. “É onde começa tudo, a ponte para buscar investimentos para o Paraná. Sem sombra de dúvida, será um grande desafio para o Márcio e sua equipe. Nenhuma empresa, seja pequena ou grande se instala aqui se não tiver a licença ambiental. No Paraná e no Brasil a licença ambiental passou a ser sinônimo de coisa errada. O técnico que dava uma licença para o funcionamento de uma empresa ele já era questionado, mesmo tecnicamente estando tudo certo. Porque acabaram colocando o viés ideológico dentro de decisões técnicas. Com esta nova secretaria, iremos resgatar o corpo técnico, modernizando a atual legislação para que tenha acima de tudo apenas as decisões técnicas e corretas. Quando você fala de meio ambiente e fala de agronegócio, você está falando de paixões. E, muitas vezes, a paixão só trabalha com o coração e não com o cérebro. Nós temos que trabalhar com decisões técnicas no agronegócio e no meio ambiente. Não podemos mais concordar que se demore tanto para dar uma licença ambiental. Não quero dizer que vamos sair daqui dando licença para todo mundo, afinal, temos que ter critérios. Mas demorar um prazo de um ano ou dois para expedir uma licença não é ser criterioso ou rígido. Isso é incompetência! A licença pode ser dada em 60 dias, mas ela também pode ser negada em 60 dias. Temos que ser ágeis em nossas decisões”, frisou o governador.

Presenças - Lideranças do G7, grupo que reúne as federações das principais entidades representativas do setor produtivo paranaense, entre as quais o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, Ágide Meneguette, da Faep, Gláucio Geara, da ACP, e Coronel Malucelli da Fetranspar, além de Vítor Tioqueta, do Sebrae, prestigiaram a posse do novo secretário e sua equipe. Na ocasião também foram empossados o presidente do Instituto Água e Terra, Everton Souza; o presidente do Simepar, Eduardo Alvin Leite; o presidente da Agência Paraná Desenvolvimento, Eduardo Bekin; e o presidente da Paraná Turismo, João Jacob Mehl.

Leprevost - Depois, às 11h, também tomou posse o secretário de Estado da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, no auditório do Museu Oscar Niemeyer.

Clique nos links abaixo para acessar na íntegra os discursos 

Márcio Nunes

Ratinho Júnior

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias