PREMIAÇÃO: Paraná lidera ranking do Prêmio 500 Maiores do Sul

O Paraná superou o Rio Grande do Sul e passou a liderar os principais indicadores da premiação 500 maiores do Sul, tradicional ranking do Grupo Amanhã, realizado em parceria com a consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC). As 186 empresas do estado que figuraram entre as 500 maiores apresentaram maior soma de receitas, de patrimônios e em lucros. Em razão disso, o estado ficou com o maior VPG, principal critério de classificação desde 1991, quando foi desenvolvido o ranking.

Presenças - A cerimônia de premiação ocorreu nesta quinta-feira (07/11), no ExpoUnimed, em Curitiba, com a presença do governador Carlos Massa Ratinho Junior, e do vice-governador, Darci Piana. Também estiveram presentes lideranças empresariais dos três estados do Sul do país, entre as quais, o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, os diretores da organização Frans Borg (Castrolanda) e Jorge Hashimoto (Integrada), e representantes das cooperativas listadas no ranking. Antes da premiação, os convidados assistiram à palestra “Brasil de Amanhã: Desestatizar para Crescer”, ministrada por Salim Mattar, Secretário Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercado.

Cooperativas - Das 186 empresas ranqueadas, 22 são cooperativas paranaenses. São elas: Coamo, C.Vale, Cocamar, Copacol, Castrolanda, Integrada, Frísia, Frimesa, Unimed Curitiba, Coopavel, Coasul, Copagril, Capal, Credicoamo, Unimed Maringá, Unimed Londrina, Unimed Cascavel, Unimed Ponta Grossa, Sicoob Ouro Vede, Unimed Paraná, Unimed Costa Oeste e Sicoob Sul.

Top 10 Paraná – As cooperativas também marcam presença entre as 10 companhias localizadas no Paraná com maior Valor Ponderado de Grandeza (VPG), que é a soma do patrimônio, receita líquida e resultado líquido do exercício. Compõem o ranking da Revista Amanhã, pela ordem: Copel (R$ 14,2 bilhões), Coamo (R$ 8,2 bilhões), Klabin (R$ 7,2 bilhões), Rumo (R$ 6,8 bilhões), Itaipu Binacional (R$ 6,4 bilhões), Renault (R$ 6,3 bilhões), Fertipar (R$ 4,7 bilhões), Sanepar (R$ 4,6 bilhões), Kirton Bank (R$ 4,4 bilhões) e C.Vale Cooperativa Agroindustrial (R$ 4,2 bilhões).

Pujança - Em entrevista ao canal Amanhã TV, em que comenta a presença das cooperativas entres as maiores empresas do Sul do Brasil, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, disse que o cooperativismo hoje é um grande modelo de desenvolvimento econômico e social, e que sua missão é atender, principalmente, os pequenos e médios produtores. “Nós temos uma função importante de organizar economicamente esses produtores para que eles tenham acesso ao mercado”, comentou. Segundo Ricken, o cooperativismo tem participação em mais de 50% de tudo o que se produz na Região Sul. “Transformar a produção primária dos agricultores, agregando valor, e colocar toda essa produção no mercado nacional e internacional é a grande missão que nós temos”, disse.

Clique aqui e confira a integra da entrevista em que o presidente do Sistema Ocepar fala sobre a pujança do cooperativismo na Região Sul do País.

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn