cabecalho informe

COVID-19: Cooperativas voltam a se reunir com a ministra Tereza Cristina por videoconferência

Lideranças cooperativistas do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Minas Gerais voltaram a se reunir com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, com o secretário de Política Agrícola, Eduardo Sampaio Marques, e com o secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Tollstadius Leal, por videoconferência, na manhã desta quarta-feira (25/03). Os presidentes do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, e do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, o secretário de Agricultura do Paraná, Norberto Ortigara, e o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, também participaram da reunião virtual, cujo objetivo foi discutir as demandas apresentadas na videoconferência realizada no dia 18 de março, e fazer avaliação das dificuldades enfrentadas pelo setor com o Covid-19, o novo coronavírus.

Avaliação - A ministra Tereza Cristina fez um breve relato de todas as medidas que foram tomadas pelo governo até o momento no sentido de diminuir o impacto do Covid-19 no setor do agronegócio brasileiro. “Estamos mobilizados, praticamente 24 horas por dia, para dar continuidade aos trabalhos do ministério. Pregamos a harmonia entre o governo federal, prefeitos e governadores, para que ações localizadas não venham prejudicar a continuidade na produção de alimentos, fundamental para este momento crítico que vivemos. O que não podemos e não vamos deixar acontecer é o desabastecimento. Estamos contando, neste sentido, com o importante apoio das cooperativas para que as atividades continuem dentro dos protocolos de segurança, preservando sempre a vida dos funcionários”. Para exemplificar esta sua preocupação, a ministra citou a decisão de um promotor do município de Canarana, Mato Grosso, que determinou a paralisação da colheita. “São situações que não podem acontecer, temos que ter um trabalho coeso e conjunto com todos os poderes para que o setor de produção não pare de produzir alimentos”, destacou a ministra.

Demandas - Tereza Cristina procurou tranquilizar os participantes da videoconferência, compartilhando o andamento de algumas das propostas apresentadas pelo setor e assegurou que o Ministério está empenhado em encontrar soluções para as questões levantadas pelas cooperativas e produtores rurais. “Nós vamos correr atrás das demandas de vocês”, frisou. Ela informou que ainda hoje irá participar de outra videoconferência organizada pela Confederação Nacional dos Municípios e que terá a participação do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. “Estarão participando prefeitos de várias regiões do país e vamos ver e a gente consegue, minimamente, harmonizar procedimentos entre os prefeitos e os Estados no que toca ao abastecimento no Brasil”, afirmou.

Sistema Ocepar - Na sua participação na videoconferência, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken manifestou a principal preocupação do setor neste momento: a falta de liquidez de algumas cooperativas, que estão pagando aos cooperados no recebimento da atual safra. “Devido à pandemia do Covid-19, o setor já antecipou 80% da comercialização da safra. Nesta mesma época, em anos anteriores, seria de apenas 50%. Muitos produtores que não são filiados a cooperativas estão procurando o setor para vender a safra, pois algumas cerealistas reduziram suas atividades”. O dirigente sugeriu à ministra para que seja conversado com o Banco Central no sentido de que realize ações junto ao sistema financeiro para que neste momento sejam disponibilizados recursos para fluxo de caixa. “Este é um dinheiro que retornará em breve e, neste momento crítico, é de suma importância”, frisou. “Uma das propostas é recriar a linha emergencial de crédito às cooperativas de produção agropecuária, via Procap-Agro giro. Nos moldes das medidas emergenciais adotadas pós crise de liquidez do mercado americano, conhecida como a ‘crise do subprime’, em 2008, altamente eficaz e com repercussões muito positivas para economia, sugerimos a estruturação das operações de financiamento via Procap-Agro, a exemplo daquela regulamentada pela Circular nº 90, de 12 de agosto de 2009, do BNDES, com alterações no limite de crédito e taxas de juros”, destacou Ricken. (Veja a íntegra das propostas no link abaixo)

Participações - Participaram da videoconferência com a ministra Tereza Cristina, dirigentes das cooperativas do Paraná: Frimesa, C.Vale, Copacol, Lar, Coamo, Copagril, Coopavel, C.Vale, Bom Jesus, Integrada, Unium – Castrolanda, Frísia e Capal, e das cooperativas Cooxupé, de Minas Gerais, Aurora e Ocesc, de Santa Catarina, e Fecoagro, do Rio Grande do Sul, e técnicos das entidades.

Clique aqui para conferir na íntegra o documento com as propostas das cooperativas

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias