DIA MUNDIAL DO LEITE II: Brasil está entre os cinco maiores produtores do mundo

Nesta segunda-feira (01/06) foi celebrado o Dia Mundial do Leite. A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO/ONU) instituiu a data, em 2001, para incentivar o consumo do alimento em mais 85 países que comemoram a ocasião. O Brasil está entre os cinco maiores produtores mundiais, com 34 bilhões de litros, sendo Minas Gerais, o maior produtor nacional.

Consumo - Em termos de consumo, o Brasil ocupa a 65ª posição no ranking de consumo mundial de produtos lácteos, com uma média anual de 169 litros por pessoa. Essa quantidade está abaixo do ideal estabelecido pelas Nações Unidas, que é de 200 a 220 litros por ano. Além disso, segundo a entidades do setor, há espaço para aumento de consumo, principalmente no que se refere a queijos.

PRODUÇÃO NO BRASIL (mil litros)

1º lugar - Minas Gerais (26,4%): 8.939.159

2º lugar - Paraná (12,5%): 4.375.422

3º lugar - Rio Grande do Sul (12,5%): 4.242.293

4º lugar - Goiás (9,1%): 3.084.080

5º lugar - Santa Catarina (8,8%): 2.970.654

Cooperativismo - Segundo o Censo das Cooperativas de Leite 2015, 160 cooperativas responderam voluntariamente o questionário, aplicado em parceria com a Embrapa Gado de Leite. Todas as regiões do Brasil participaram do Censo, sendo que a distribuição por regiões foi a seguinte: 48% das cooperativas na região Sudeste, seguida da região Sul com 27%, Centro-Oeste com 19%, Nordeste com 4% e o Norte com 2%.

Produtividade - O censo apontou que 47% dos cooperados produzem até 100L/dia e que 5% produzem mais de 1.000 L/dia. É importante observar ainda que 48% do leite produzido pelos cooperados provêm de propriedades com mais de 500 L/dia.

Associados - Em 2015, 70,5 mil produtores estavam associados a uma cooperativa; 29,8 mil na região Sul, 29,3 mil na região Sudeste, 6,8 mil na região Centro-Oeste, 4,2 mil na região Nordeste e 520 na região Norte.

Live - Nesta segunda, o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas participou de uma live com o tema: O futuro do leite e o leite do futuro.

Industrialização - De acordo com o Censo Agropecuário de 2017, realizado pelo IBGE, 49% da produção inspecionada é originada de produtores associados a uma cooperativa.

Plantas - Dentro do sistema cooperativista, as plantas processadoras possuem capacidade instalada de mais de 28 milhões de litros por dia. A região Sul se destaca com a maior capacidade instalada, com 14,1 milhões/dia, seguida do Sudeste com 11,8 milhões de litros/dia. Em 2015, em todo o Brasil, o aproveitamento dessa capacidade era de 53%, com destaca para a região Sul onde o aproveitamento da capacidade instalada foi de 59%, seguido do Centro-Oeste com 50% e do Sudeste com 49%.

Faturamento - De acordo com o Censo das Cooperativas de Leite, em 2015 foi da ordem de R$ 7,4 bilhões por ano. Os destaques entre os produtos são: o leite UHT com 38% das vendas, seguido do leite em pó com 15%, o leite pasteurizado com 12% e os queijos com 11%. O trabalho do Censo demonstrou que há espaço para o crescimento de faturamento do setor através do aumento da oferta de produtos com maior valor agregado.

Atuação - O Sistema OCB em 2019 manteve sua forte atuação em defesa da cadeia produtiva de leite e derivados, tanto participando dos principais fóruns oficiais para debate do tema, como também realizando parcerias estratégicas para o desenvolvimento do corpo técnico de suas cooperativas. (Informe OCB)

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn