Início Sistema Ocepar Comunicação Informe Paraná Cooperativo Últimas Notícias REUNIÃO INSTITUCIONAL II: Cenários do cooperativismo, do ramo transporte e da Coopercaf são apresentados aos gestores da cooperativa

 

 

cabecalho informe

REUNIÃO INSTITUCIONAL II: Cenários do cooperativismo, do ramo transporte e da Coopercaf são apresentados aos gestores da cooperativa

O Sistema Ocepar promoveu, na tarde desta terça-feira (27/07), mais uma reunião institucional virtual, desta vez com a Cooperativa de Transportes Rodoviários de Cafelândia (Coopercaf). O presidente Edson Luiz Zonta, juntamente com demais integrantes da diretoria e com o contador Marcelio Aparecido Koehler, prestigiou a apresentação da situação econômico-financeira da Coopercaf, feita por meio de indicadores e comparativos com outras cooperativas paranaenses do mesmo ramo e região. Esse acompanhamento de desempenho é realizado pela Coordenação de Monitoramento do Sescoop/PR, com o propósito de manter a qualidade da gestão. O cenário consolidado do cooperativismo paranaense e do ramo transporte também estiveram em pauta no encontro.

Abertura - “É uma satisfação estar conversando com os colegas da Coopercaf. Vocês realizam um trabalho importante na região Oeste, em parceria com a Copacol e demais cooperativas, e são uma referência na área de transporte”, afirmou o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, na abertura da reunião. Ele também destacou que, mesmo de forma remota, a entidade vem atuando intensamente para atender as demandas e necessidades do cooperativismo. “A nova concessão das rodovias do Paraná é um assunto que tem grande impacto para as cooperativas de transporte. E nós não queremos mais sofrer com o modelo atual, muito ruim, tanto para o usuário, como para o transportador. Agora, estamos negociando forte com o governo Bolsonaro, com o ministro Tarcísio de Freitas e com o govenador Ratinho Junior, para que saia uma concessão mais adequada, em que o que for pago seja investido nas obras ou aplicado em boa parte das melhorias”, ressaltou.

Sanidade - Ainda de acordo com Mafioletti, o reconhecimento internacional de área livre de febre aftosa sem vacinação e de bloco isolado e livre de Peste Suína Clássica (PSC), concedido ao Paraná em maio pela Organização Mundial de Saúde Animal, também deve favorecer o ramo transporte. “Essa questão sanitária foi um avanço enorme e vamos poder exportar suínos para o Japão, Coreia e México, por exemplo. O governador esteve no México na semana passada e isso vai abrir novos mercados para os nossos produtos”, frisou. Ele lembrou ainda dos investimentos que estão sendo feitos pela Frimesa, que vai aumentar o abate de suínos, e de outras empresas que estão expandindo seus negócios em diversas áreas, como lácteos e também em carnes, o que deve aumentar a movimentação de cargas. “A turma está investindo no Paraná porque está enxergando oportunidades de negócios importantes. Então, vamos aproveitar isso”, acrescentou. O superintendente finalizou colocando o Sistema Ocepar à disposição da Coopercaf. “A Ocepar, o Sescoop/PR e a Fecoopar só existem porque têm vocês lá na ponta. Nós estamos aqui para servi-los da melhor forma possível, com informações, estudos, viabilizando os pleitos. Em nome do presidente Ricken, desejo uma boa reunião e estamos sempre de portas abertas a vocês.”

A Coopercaf - No Paraná, há 35 cooperativas de transporte registradas no Sistema Ocepar. A Coopercaf, sediada em Cafelândia, no Oeste do Paraná, é a quarta maior do ramo em faturamento no Estado. Ela atingiu R$ 31,2 milhões em 2020, valor 42,15% superior ao obtido no exercício anterior, que foi de R$ 22 milhões. A cooperativa possui 195 associados, 9 funcionários e uma frota de 205 veículos, entre bi-trens, carretas, trucks, entre outros. A cooperativa encerrou o ano passado contabilizando R$ 6,09 milhões de patrimônio líquido, R$ 7,1 milhões em ativos, sobras de R$ 1,5 milhão e R$ 520,2 mil em impostos recolhidos. O volume transportado de cargas aumentou 13,2% entre os anos de 2019 e 2020, passando, nesse período, de 1,14 milhão de toneladas para 1,29 milhão de toneladas, predominantemente de grãos.

Quebra de safra - O presidente da Coopercaf disse que há uma certa indefinição sobre os resultados que a cooperativa deve obter até o final do ano, devido às frustrações de safra que vêm ocorrendo por causa de problemas climáticos e que estão impactando no transporte de grãos. “Até agora estávamos conseguindo manter o mesmo faturamento do ano passado, mas daqui para frente não temos uma linha concreta para seguir. Vamos ver o que vai acontecer”, disse Zonta. A cooperativa tem optado por manter as atuais atividades, mas pretende ampliar os negócios, com cautela. “Temos conversado com a diretoria para tentar novos horizontes, mas estamos indo devagar, com os pés no chão”, completou o dirigente.

Participações - A reunião institucional com a Coopercaf foi coordenada pelo analista Jesse Aquino Rodrigues, que apresentou os dados consolidados do cooperativismo paranaense e do ramo transporte, referentes a 2020. Já os indicadores e as análises dos resultados da cooperativa ficaram a cargo de Rodrigo Gandara Donini. Houve ainda a participação do coordenador de Desenvolvimento Cooperativo, Devair Antonio Mem, que fez uma explanação sobre os projetos de reforma tributária em tramitação no Congresso Nacional e da mobilização do Sistema Ocepar, em conjunto com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), visando ampliar o entendimento dos parlamentares sobre o adequado tratamento tributário ao ato cooperativo e assegurar que as cooperativas não sejam prejudicadas com tributações indevidas.

 

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to LinkedIn

Últimas Notícias