Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4697 | 01 de Novembro de 2019

FÓRUM DE MERCADO: Debate sobre acordos comerciais, mercado de grãos e clima reúne 70 profissionais das cooperativas do PR

 

Setenta profissionais de 19 cooperativas dos ramos agropecuário, crédito e trabalho participaram, nesta quinta-feira (31/10), do Fórum de Mercado do Cooperativismo Paranaense promovido pelo Sistema Ocepar, na sede da Cooperativa Coamo, em Campo Mourão, na região Centro-Oeste do Estado. “Nesta reunião, abordamos a temática do cenário de acordos comerciais para o Brasil, as perspectivas para o mercado de soja, milho e trigo, e as projeções climáticas para a safra 2019/2020”, esclarece o analista da Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar, Maiko Zanella.

 

Abertura e palestrantes - O evento foi aberto pelo presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, e pelo superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti. Entre os palestrantes estiveram o diretor da Agroconsult, André Pessôa, o meteorologista Luiz Renato Lazinski, que trabalhou durante anos no Instituto Nacional de Meteorologia INMET/Mapa, na área de agrometeorologia, e o coordenador da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Carlos Wagner.

Nova indústria - O presidente da Coamofalou sobre a nova planta industrial que está sendo instalada em Dourados, no Mato Grosso do Sul. O empreendimento constará de uma indústria de processamento de soja para 3.000 toneladas por dia, produção de farelo e óleo, e uma refinaria para 720 toneladas por dia de óleo de soja refinado, equivalente a 15 milhões de sacas do grão por ano. A produção dos cooperados da região é suficiente para atender a demanda da indústria. Gallassini comentou também sobre as mudanças de administração da cooperativa, que passará a ter um presidente-executivo e um Conselho de Administração a partir da Assembleia Geral de 2020. A proposta já foi aprovada na assembleia deste ano e trará ganhos na gestão da Coamo.

Comércio exterior - O coordenador da Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Mapa, Carlos Wagner, fez uma contextualização doBrasil perante outros países exportadores de produtos agropecuários e mostrou o quanto o país ainda pode crescer no mercado internacional. De acordo com Wagner, o Ministério não está poupando esforços para levar o país a um novo patamar de participação no comércio global, principalmente em produtos com maior valor agregado. O foco de sua apresentação foi o acordo do Mercosul com a União Europeia, que trará muitos benefícios para os produtos comercializados e deverá ser concretizado nas próximas etapas das negociações.

Formação de preços - Ao falar sobre os fundamentos para a formação dos preços da soja para os próximos meses, o diretor da Agroconsult, André Pessôa, destacou que os EUA e a China estão ensaiando um acordo que provavelmente fará o comércio de soja entre os dois países aumentarem. Além disso, os problemas sanitários com suínos na China fizeram com que a demanda daquele país pelo produto diminuísse, já que é utilizado principalmente na elaboração de rações para os animais. Na avaliação de Pessôa, estes fatores, aliados com o câmbio, terão influência nas cotações do grão em Chicago e no Brasil. O palestrante também discorreu a respeito do milho, que possui uma demanda crescente por produção e deverá ter resultados satisfatórios.

Clima - O meteorologista Luiz Renato Lazinskicomentou a respeito do clima no Paraná, destacando que estamos em um ano neutro, caracterizado pelas chuvas esporádicas, desuniformes e em grande quantidade num curto período de tempo. São chuvas que não são as ideais para a agricultura. Ele disse ainda que, a partir da semana que vem, o clima deve melhorar no Estado, mas ainda não o suficiente para recuperar a capacidade de campo geral. Os modelos meteorológicos preveem que o clima neutro deve perdurar ainda ao longo do ano que vem, o que gera preocupações com a segunda safra de milho.

Agradecimento - Para finalizar, o superintendente da Ocepar, Robson Mafioletti, agradeceu a Coamo pela parceria na realização do evento e destacou a importância das informações apresentadas no dia para a tomada de decisão nas cooperativas.

{vsig}2019/noticias/11/01/forum_mercado/{/vsig}

SISTEMA OCB: Começa o trabalho do GT de Inovação

 

sistema ocb 01 11 2019A inovação é um elemento fundamental para impulsionar e manter a competitividade no cooperativismo. Por isso, o Sistema OCB realizou, nos dias 24 e 25 de outubro, a primeira reunião presencial do recém-formado Grupo de Trabalho, nomeado GT InovaCoop. O GT foi criado em atendimento a uma das diretrizes aprovadas durante o 14º Congresso Brasileiro do Cooperativismo (CBC).

 

Integrantes - Composto por representantes de oito cooperativas, da unidade nacional, de unidades estaduais e da Faculdade de Tecnologia do Cooperativismo (Escoop), o GT InovaCoop tem status de consultivo e propositivo.

 

Fazendo história - A iniciativa foi celebrada pelos participantes. Para Alessandra Cassol, representante da Coopercarga, este é um momento histórico para o cooperativismo. “Estar presente neste momento de construção do futuro do cooperativismo do Brasil é extremamente impactante e relevante. Acredito que a gente dá um passo que vai ficar na história da OCB, das cooperativas, e vai ser fundamental pra que a gente possa ser competitivo e sustentável ao longo dos próximos anos”, afirmou.

 

Transformação - Para Eduardo Sleiman, da Unimed do Brasil, o movimento de inovação e transformação são extremamente importantes para o cooperativismo. “Acho que incluir vários atores em todos os segmentos num único local, a fim de discutir e pôr em prática as soluções para dificuldades, iniciativas e o propósito da transformação do cooperativismo, eu acho que foi muito importante. E o fomento do movimento de cooperação e, no nosso caso o Sistema Unimed, que é de cooperação aberta, eu acho que vem a calhar com o que está acontecendo!”

 

Ações para 2020 - O GT Inovacoop deve se reunir presencialmente três vezes por ano. Também serão feitas algumas videoconferências, conforme a necessidade de discussão dos assuntos.

 

Primeira etapa - Nesta primeira etapa, o grupo concentrou o trabalho nas propostas a serem implementadas em 2020. Foram mapeadas ações para fomentar inovação nas cooperativas do Brasil como sensibilização de lideranças, capacitação para inovação e ações que facilitem a conexão com o ecossistema de inovação.

 

Próximo encontro - O próximo encontro já está marcado para o dia 28 de novembro e vai ocorrer durante o Cooptech — evento que vai discutir a inovação no cooperativismo. Lá, os membros do GT Inovação vão validar as propostas que foram discutidas agora, em Brasília, e pautá-las para 2020.

 

CBC - Realizado em maio deste ano, o 14º CBC aprovou um conjunto de diretrizes prioritárias, com intuito de pensar o futuro do cooperativismo, abordando temas como: comunicação; governança e gestão; inovação; intercooperação; mercado; representação. E do conjunto de diretrizes para o futuro do cooperativismo, consta a criação de um Grupo de Trabalho permanente pra debater a inovação no setor. (Informe OCB)

INTEGRADA: Entre as 10 mais do Paraná

 

integrada 01 11 2019A Integrada foi classificada entre as 10 Melhores Empresas Para Trabalhar no Paraná, de acordo com a avaliação do instituto Great Place To Work (GPTW). A pesquisa, que já havia creditado a cooperativa na primeira etapa como um Excelente Lugar Para Trabalhar, entrou na segunda fase para classificar as melhores instituições do Estado.

 

Premiação - A entrega do prêmio ocorreu na última quarta-feira (30/10), em Curitiba, e foi recebido pelo diretor presidente da Integrada, Jorge Hashimoto. Entre as grandes empresas paranaenses, a Integrada ficou em 9° lugar. Hashimoto dedicou a conquista a cada colaborador da cooperativa. “São os colaboradores que, diariamente, que dedicam esforços para atender da melhor forma possível os nossos cooperados e clientes”, destaca.

 

Colaboradores - Hashimoto reforça que todos os colaboradores, sem exceção, são responsáveis por esta grande organização formada por mais de 10 mil cooperados. De um total de 1.750 colaboradores, mil foram selecionados de forma aleatória pelo Instituto GPTW para responderem à pesquisa.

 

Avaliação - O instituto avalia anualmente o índice de satisfação dos profissionais e o clima organizacional. Para o rankeamento das Melhores Empresas Para Trabalhar, também são consideradas as boas práticas de gestão de pessoas, descritas pelos especialistas de Recursos Humanos em um relatório. O Instituto GPTW tem uma atuação global e se estende para mais de 50 países. (Imprensa Integrada)

CRESOL: Cooperativa é premiada como uma das melhores empresas de grande porte para trabalhar no PR

 

cresol 01 11 2019A Cresol acaba de ser eleita pela Great Place to Work (GPTW) como uma das dez melhores empresas para trabalhar no Paraná em 2019. O anúncio foi feito na noite da última quarta-feira (30), no Torres Eventos, em Curitiba (PR), com a presença das melhores empesas de pequeno, médio e grande porte do Guia de 2019.

 

Categoria - A Cresol ficou em 7ª lugar na categoria ‘Empresas de Grande Porte’ (com mais de mil funcionários). Essa foi a primeira vez que a instituição participou do ranking das melhores empresas para trabalhar no Paraná, o qual premiou 70 empresas paranaenses em 2019, sendo 10 de porte grande, 45 de porte médio e 15 de porte pequeno. A 10ª edição do ranking contou com 207 empresas inscritas, representando mais de 104 mil funcionários.

 

Valorização dos profissionais - “Acreditamos que colaboradores felizes e satisfeitos entregam soluções eficientes aos nossos cooperados. Esse prêmio representa as ações que desenvolvemos com nossos colaboradores, com foco na valorização dos profissionais que são a base da instituição”, disse Alzimiro Thomé, Presidente da Cresol Baser. “Estar no ranking é a segunda conquista do ano, pois já fomos certificados como um excelente lugar para trabalhar, e a Cresol não vai parar por aqui, com certeza novas conquistas virão por meio de ações que buscam reconhecer ainda mais a Cresol como uma empresa que se preocupa com seus colaboradores, assim como com seus cooperados”, destacou.

 

Sobre a Cresol - O Sistema Cresol nasceu há 24 anos em Francisco Beltrão, interior do Paraná, e hoje possui mais de 1800 colaboradores que atuam em dez estados brasileiros. Sempre aprimorando o ambiente de trabalho dos seus profissionais, seja na central, sedes administrativas ou nas agências, a Cresol também incentiva a formação, com capacitações, cursos presenciais e à distância por meio da plataforma Cresol Ead, além de contar com diversos benefícios aos colaboradores.

 

Sobre o Great Place to Work - O GPTW é uma autoridade global no mundo do trabalho e especialista em transformar organizações em um Great Place to Work, ajudando as empresas a aproveitar o melhor das pessoas e atingir resultados excepcionais e, acima de tudo, sustentáveis. Além disso, oferece consultoria para empresas que querem colocar as pessoas no centro da estratégia de negócios e certifica e reconhece os melhores ambientes de trabalho em mais de 50 países no mundo. (Imprensa Cresol)

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Reconhecida mais uma vez como uma das melhores empresas para trabalhar

 

Depois de ser reconhecida na categoria nacional como uma das dez melhores cooperativas de crédito para trabalhar, a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP foi novamente premiada pelo ranking do renomado instituto internacional GPTW (Great Place to Work), desta vez na listagem das empresas do Estado do Paraná. A premiação foi realizada na noite de quarta-feira (30/10), em Curitiba (PR).

 

Pesquisa - Para que uma empresa receba a certificação, uma pesquisa é aplicada junto aos colaboradores que, por sua vez, avaliam o ambiente, o índice de confiança, o trabalho em equipe e o orgulho no desempenho das atividades. O ranking desenvolvido pelo GPTW, autoridade global em pesquisa de clima organizacional fundado há mais de 25 anos nos Estados Unidos, traz em sua marca o prestígio e o reconhecimento internacional por desenvolver as pesquisas das Melhores Empresas para Trabalhar em 60 países (América do Norte, América Latina, Europa, África, Oceania e Ásia), impactando mais de 12 milhões de funcionários todos os anos.

 

Orgulho - “Temos muito orgulho de participar do ranking das melhores empresas para trabalhar. Agradeço e parabenizo a cada um de nossos colaboradores de todas as nossas áreas de atuação por fazerem com que sejamos reconhecidos em uma listagem nacional e regional por uma instituição tão importante no cenário corporativo internacional. No Sicredi, prezamos muito pelo relacionamento e ter um bom ambiente de trabalho é fundamental para levarmos o que temos de melhor aos nossos associados, pois eles são a razão da existência da nossa Cooperativa”, frisou o presidente da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Jaime Basso.

 

Reconhecimento - A gerente da área de Gestão de Pessoas da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Elisângela Mancini, reforçou a sensação de orgulho por mais esse reconhecimento. “Saber que nossos colaboradores se sentem felizes em fazer parte da nossa Cooperativa e por estarem construindo essa história conosco é algo que não tem explicação. O meu muito obrigada a todos por essa construção, pois se temos boas práticas de gestão que estão sendo reconhecidas, é porque as mesmas estão sendo aplicadas e vivenciadas por cada um deles”.

 

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri é uma cooperativa com 31 anos de história, mais de 136 mil associados, distribuídos em 77 agências. A Cooperativa atua nas regiões Oeste e Noroeste do Paraná e Capital e Abcd Paulista. A instituição se destaca pelo atendimento aos associados e pela preocupação com o desenvolvimento da comunidade.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2019/noticias/11/01/sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

 

SICOOB UNICOOB I: Central está entre as melhores empresas para trabalhar no Paraná

 

sicoob unicoob I 01 11 2019O ranking com as 70 empresas paranaenses que se destacaram na pesquisa de clima organizacional do Instituto Great Place to Work (GPTW) em 2019 foi anunciado na noite de quarta-feira (30/10), durante cerimônia realizada em Curitiba. Pela primeira vez o Sicoob Central Unicoob aparece na lista, no 43º lugar da categoria médias empresas e é uma das melhores empresa para trabalhar no Paraná.

 

Troféu - O troféu foi entregue ao diretor de Gestão, Marcio Gonçalves, que participou do evento acompanhado de outros cinco colaboradores, que representaram as equipes da Central. O diretor-presidente do Sicoob Central Unicoob, Marino Delgado, parabenizou a todos os colaboradores pelo trabalho e dedicação ao Sicoob e pediu que todos comemorem a conquista.

 

Importante - “Não é para qualquer empresa esse reconhecimento. Resta agora melhorarmos a cada ano a nossa posição no ranking. Essa primeira etapa foi muito importante, porque nos declara como um ambiente onde as pessoas trabalham felizes. Vamos continuar zelando para que continuemos sempre sendo referência nacional”, ressalta.

 

Privilégio - A assistente de projetos Edimara Camilo Knabben, que acompanhou a premiação, lembrou que a maior parte do dia é dedicada ao trabalho e estar em uma empresa que se preocupa em garantir um ambiente mais agradável é um privilégio. “Esse prêmio também é uma realização pessoal, porque me sinto bem em estar em um lugar em que os colaboradores são valorizados e eu faço parte disso”, afirma.

 

Reconhecimento - A premiação deste ano reconheceu 70 instituições paranaenses, sendo 10 grandes, 45 médias e 15 pequenas. Ao todo, foram 207 companhias inscritas e avaliadas. Elas representam diversos setores e reúnem uma comunidade de 104.484 funcionários.

 

Sicoob Unicoob– Além da Central, cinco cooperativas do sistema também foram ranqueadas e estiveram presentes no evento. São elas: Sicoob Credicapital (22º lugar), Sicoob Integrado (39º lugar), Sicoob Ouro Verde (8º lugar), Sicoob Metropolitano (3º lugar) e Sicoob Três Fronteiras. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB UNICOOB II: Cinco cooperativas filiadas à Central estão entre As Melhores Empresas para Trabalhar no PR

 

Por mais um ano, as cooperativas do Sicoob Unicoob são destaque no ranking das Melhores Empresas para Trabalhar no Paraná, promovido pelo Instituto Great Place to Work (GPTW). Entre as 70 organizações premiadas na noite do último dia 30, estão cinco cooperativas singulares filiadas ao Sicoob Unicoob.

 

Sicoob Metropolitano - Uma delas é o Sicoob Metropolitano, que aparece entre as três melhores. A cooperativa, com sede em Maringá (PR), já figura na lista desde 2011. Segundo o diretor de Mercado, Vandelan Pedro da Silva, a premiação é reflexo de uma gestão voltada aos colaboradores, cooperados e sociedade.

 

Cuidar das pessoas -“Nosso dever é cuidar das pessoas e, principalmente, proporcionar autoconhecimento para que cada um possa encontrar o seu propósito de vida e ser feliz. Para que isso aconteça, desenvolvemos diversas ações que permitem ao colaborador se desenvolver tanto profissionalmente, quanto pessoalmente. O resultado dessa gestão com foco em pessoas é manter conosco os melhores profissionais do mercado, atendendo nossos cooperados com excelência, promovendo o cooperativismo e gerando resultados que são reinvestidos na sociedade”, explica ele.

 

Sicoob Ouro Verde - Outra cooperativa destaque no Ranking Paraná é o Sicoob Ouro Verde, em 8º lugar. Essa é a segunda vez que a cooperativa de Londrina (PR) ocupa um lugar no ranking estadual. Entre os diversos programas desenvolvidos pela singular, o gerente de Desenvolvimento Humano do Sicoob Ouro Verde, Julio Cezar Cruz da Trindade, destaca o olhar humano do Conselho de Administração e da Diretora Executiva, que reconhecem o engajamento dos colaboradores e investem em práticas para tornar o ambiente de trabalho diferenciado, próspero e acolhedor.

 

Agradecimento - “Agradeço aos nossos líderes, que acreditam e multiplicam nossos valores entre as equipes, estimulando o melhor de cada um. Agradeço também aos nossos colaboradores, que são os protagonistas e vestem a camisa ao levar diariamente o poder do cooperativismo aos nossos cooperados”, ressalta.

 

Sicoob Credicapital - Em 22º lugar na lista, está o Sicoob Credicapital, de Cascavel (PR). No ranking pela segunda vez, a cooperativa também adota a ideia de que os colaboradores são o centro da gestão. Por isso, desenvolve diversas práticas para garantir um ótimo ambiente de trabalho. “São as pessoas que fazem a empresa, elas que constroem a cultura e garantem resultados. Por isso, um dos maiores destaques na pesquisa de clima é o orgulho que os colaboradores têm de fazer parte do Sicoob Credicapital”, afirma o diretor, Valdir Pacini.

 

Sicoob Três Fronteiras - Com sede em Foz do Iguaçu, o Sicoob Três Fronteiras ocupa o 27º lugar no ranking. Para o diretor Superintendente, Dirceu Luiz Tessaro, ser reconhecido pelo GPTW em dois rankings (Paraná e Instituições Financeiras) é muito gratificante. “Esse título reforça que nossa cooperativa está no caminho certo, humanizando as relações financeiras também com o público interno”, comenta.

 

Sicoob Integrado - O Sicoob Integrado de Pato Branco (PR), presente pelo segundo ano no ranking, foi o 39º colocado. O diretor de Mercado, Marcinei Coterli, parabenizou todos os colaboradores pela conquista e por contribuírem em fazer da singular uma empresa melhor a cada dia. “Espero que continuemos assim e peço que todos continuem contribuindo constantemente para que o Sicoob Integrado melhore cada vez mais e possamos mais que conquistar prêmios, conquistar uma melhor qualidade de vida para todos”, ressalta.

 

Sicoob Central Unicoob - Além das cinco cooperativas premiadas, o Sicoob Central Unicoob também foi destaque. Pela primeira vez no ranking, a Central conquistou o 43º lugar. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/11/01/sicoob_unicoob_II/{/vsig}

SICREDI I: Lançado portal que ajuda na escolha de investimentos

 

sicredi I 01 11 2019Com o objetivo de desmistificar o mercado de investimentos, o Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 4 milhões de associados e atuação em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal, lança o hotsite Investindo Juntos. O novo site é direcionado para o público interessado em aplicar recursos, mas tem dúvidas sobre qual a opção mais adequada.

 

Conhecimento qualificado - Com a iniciativa, o Sicredi espera levar, de forma simples e direta, conhecimento qualificado para as pessoas sobre os diversos tipos de aplicações disponíveis no mercado atualmente, além de aumentar a visibilidade do seu portfólio de produtos de investimentos. Ao acessar o novo portal, as pessoas responderão algumas perguntas rápidas que servem para traçar o seu perfil de investidor (conservador, moderado ou arrojado). Com base nesses dados, elas receberão conteúdos específicos que ajudam a tomar a decisão sobre qual é o melhor tipo de investimento para fazer o dinheiro render ainda mais.

 

Vídeos - Além de um e-book de investimentos, os conteúdos incluem uma série especial composta por vídeos com informações sobre produtos de investimentos, sugestões de produtos indicados para cada objetivo e dicas de diversificação de carteira. O jornalista, escritor e apresentador de TV, Pedro Andrade, será o responsável por fazer a apresentação dos vídeos. 

 

Ativos - Além de possuir classificação excelente nos ratings do setor, como a Moody’s, S&P Global e FitchRatings, o Sicredi administra hoje mais de R$ 109 bilhões em ativos e oferece aos investidores a segurança do Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito sobre os depósitos realizados. Atualmente, a Gestora de Recursos do Sicredi administra mais de R$ 33 bilhões em fundos próprios de investimentos e previdência, além de disponibilizar produtos de parceiros.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

SICREDI II: Educadores se inspiram em Leonardo Da Vinci para encarar desafios da sala de aula

 

"Quando a aula sai exatamente como foi programada pelo professor é porque ela não deu certo". Com essa provocação, o educador Miguel Thompson comparou a sala de aula com o oceano e inspirou mais de 600 educadores do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro, que estiveram reunidos no Summit Educação – Programa A União Faz a Vida, promovido pela Central Sicredi PR/SP/RJ, nos dias 29 e 30 de outubro, na Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), em Curitiba.

 

Personalidades - Além dele, também participaram do evento personalidades como o jornalista e escritor Marcos Piangers; Jean Sigel, da Escola de Criatividade; a pedagoga e mestre em Educação, Laura Monte Serrat Barbosa; e o vice-presidente de Educação da Pearson Brasil, Juliano Costa. A metáfora com os mares feita por Thompson se deve às mudanças provocadas pela tecnologia: "atualmente, as crianças são, além de curiosas e inquietas, como sempre foram, ansiosas e imediatistas. Por isso, o professor precisa estar preparado para reviravoltas e tempestades, a exemplo do que acontece quando navegamos".

 

Desafios - E, nessa onda de mudanças, os participantes debateram sobre os desafios da educação, além de compartilharem informações e reflexões sobre o desenvolvimento das iniciativas realizadas com base na metodologia do Programa A União Faz a Vida (PUFV) - principal iniciativa de responsabilidade social da instituição financeira cooperativa.

 

Perspectiva - Na abertura do evento, o presidente nacional do Sicredi e da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Dasenbrock, destacou o importante papel da iniciativa. "A perspectiva ativa do Programa é fundamental. O Summit Educação nasceu da necessidade de criarmos momentos de troca, tão necessários quando se trabalha com educação. As experiências e reflexões promovidas durante o evento são essenciais para a formação continuada dos professores e educadores”, enfatizou.

 

Exposição - O evento também proporcionou aos convidados a apreciação da exposição Leonardo Da Vinci – 500 Anos de Legado, que veio para Curitiba exclusivamente para o Summit. A mostra contou com cerca de 50 peças entre pinturas e códigos, máquinas e desenhos. As réplicas interativas do que foi produzido por Da Vinci ajudaram a demonstrar como o artista aperfeiçoava suas habilidades a partir da curiosidade em busca por conhecimento. "Algo essencial para quem trabalha com educação", completou Dasenbrock.

 

Valorização - Também na cerimônia de abertura, Marcos Piangers falou sobre a importância de valorizar os professores, algo que o Programa A União Faz a Vida faz por meio de capacitações como a realizada esta semana e também com as ações junto às secretarias municipais de educação. "O ser humano se desenvolve muito melhor com o 'olho no olho', algo que aprendemos na sala de aula e que não deveríamos jamais esquecer. Virtudes como colaboração, valorização do ser humano e amor ao próximo, que aprendemos com nossos professores, jamais deveriam ser esquecidas", completou a assessora de Desenvolvimento do Cooperativismo da Central Sicredi PR/SP/RJ, Alyne Lemes.

 

Reflexão - De acordo com ela, o objetivo de trazer a exposição de Da Vinci foi gerar a reflexão sobre o tema educação e o legado do artista. “Todas as pessoas, em específico os educadores presentes, têm um pouco dele no seu DNA. Vivemos em um mundo onde, cada vez mais, as pessoas curiosas e questionadoras (como foi o artista) conseguem fazer mais conexões e acabam por se destacar no mercado. Portanto, a metodologia desenvolvida pelo PUFV e também utilizada neste evento busca reforçar essas características, já que os projetos nascem dentro da sala de aula por intermédio dos alunos”, disse.

 

Sobre o Programa A União Faz a Vida - O Programa A União Faz a Vida é uma das principais iniciativas de responsabilidade social do Sicredi. No ano passado, somente a Central Sicredi PR/SP/RJ teve mais de 2,8 mil projetos realizados nas diversas instituições de ensino públicas que adotaram a metodologia ativa do programa - denominada de "escola sem muros". Desde que foi implantado, o PUFV já beneficiou 285 mil crianças e adolescentes, de mais de 1,9 mil escolas em 369 cidades de sete estados, contando com o trabalho de quase 25 mil educadores.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2019/noticias/11/01/sicredi_II/{/vsig}

SICREDI UNIÃO PR/SP: Começam os eventos de culminância do programa A União faz a Vida

 

Um dos momentos mais esperados para as escolas participantes do programa A União faz a Vida, já começou. As apresentações dos alunos – chamadas de Evento de Culminância – em que eles apresentam em forma de peças teatrais, dança, canto, - um resumo dos trabalhos desenvolvidos ao longo do ano, têm datas marcadas na grande maioria das cidades atendidas pelo programa.

 

Astorga - Na Regional Norte do Paraná, Astorga fez seu evento nesta quinta-feira (31/10), às 19h15, no Salão Parorquial (Praça Jamssem nº10), reunindo todas as escolas atendidas no município. 

 

Educação integral - O programa “A União Faz a Vida” é a principal iniciativa de responsabilidade social do Sicredi e contribui para a educação integral de crianças e adolescentes, com base nos princípios da cooperação e da cidadania. Por meio de uma metodologia de projetos, os estudantes deixam o papel de receptores de conhecimento e tornam-se protagonistas do processo de aprendizagem. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

SICREDI FRONTEIRAS: Cooperativa inaugura segunda agência em Bragança Paulista

 

Na noite de quarta-feira (30/10), a cooperativa Sicredi Fronteiras inaugurou a sua segunda agência na cidade de Bragança Paulista (SP). Cerca de 260 pessoas estiveram presentes, entre eles, as seguintes autoridades: vereador Paulo Mário de Arruda de Vasconcellos – Representando o Prefeito Municipal - Jesus Adib Abi Chedid; vice-prefeito de Bragança Paulista, Amauri Sodré da Silva – representando o deputado - Edmir Chedid; presidente da cooperativa Sicredi Fronteiras, José César Wunsch; vices-presidentes da cooperativa, Paulo Alencar da Silva e Jorge Luiz Hoppe;  diretora executiva da cooperativa Sicredi Fronteiras, Adriana Mêes, conselheiros de administração: Ivan Pavan, Sérgio Sartori, Nilo Sagin, César Augusto Tedesco, Sidnei José Giusti, Moacir José Moltocaro, Arnildo Borner e Fábio Vendramin; conselheiro fiscal, Ricardo Casanova, Pe. Edson Marcelo Falsarela e o gerente regional de desenvolvimento, Sérgio Roberto Jordani.

 

Estrutura - Localizada na Rua Cândido Rodrigues, nº 179, no centro de Bragança Paulista, a agência possui mais de 1038m², que foram pensados para entregar aos colaboradores e associados, o que há de melhor, em termos de comodidade e segurança.

 

Expansão - A Sicredi Fronteiras já possui 2.700 associados em Bragança e o objetivo com esta nova agência é continuar o processo de expansão, contribuindo também para o crescimento do município. 

 

Receptividade - O presidente da cooperativa, José César Wunsch, agradece aos associados pela receptividade que tiveram com o Sicredi, ao escolhê-lo como a sua instituição financeira. “Estamos preparados para atender as necessidades do associado e as demandas de crescimento da cooperativa. Pretendemos continuar fazendo história, procurando inovar e ser pioneiros em projetos que valorizam o associado, que valorizam o ser humano. Nascemos da cooperação e crescemos pela cooperação, de pessoas para pessoas”, conclui Wunsch. (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SP)

 

{vsig}2019/noticias/11/01/sicredi_fronteiras/{/vsig}

SICOOB OURO VERDE: Rodada de palestras trata sobre prevenção do câncer de mama

 

Buscando promover a conscientização de colaboradores e cooperados a respeito da prevenção do câncer de mama, o Sicoob Ouro Verde promoveu uma rodada de palestras em diversas cidades que integram sua área de atuação no Paraná e também no Amapá. Entre os dias 18 e 30 de outubro, médicos e enfermeiros convidados pela cooperativa falaram sobre o assunto nas cidades Londrina, Rolândia, Cornélio Procópio e Macapá.

 

Compartilhamento - Durante as palestras, mulheres que já enfrentaram a doença também compartilharam suas experiências. Uma delas foi a analista de Crédito, Cristiane de Jesus Vanzela, que falou um pouco sobre como foi o processo de descoberta do câncer e como é importante conhecer os cuidados e os tratamentos. “Contando a minha experiência com a doença eu pude servir de exemplo para dar força às mulheres que passam por isso ou que tem algum familiar passando pelo tratamento”, afirma.

 

Autoexame - A gerente de Negócios da agência de Rolândia, Keili Regina Micheletti Ferrari, explica que sempre foi uma mulher que, rigorosamente de ano em ano, fazia a mamografia, mas não sabia da importância do autoexame. “Em 2017, minha irmã foi diagnosticada com câncer de mama e foi na prática que entendi melhor sobre o assunto. Aprendi a identificar os sintomas, os tratamentos, os efeitos colaterais e o principal de tudo, a dar apoio e acompanhamento em cada fase do tratamento. Por isso, sempre alerto que o diagnóstico precoce ainda é o melhor remédio para a cura desta doença”, reforça. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2019/noticias/11/01/sicoob_ouro_verde/{/vsig}

INS 76 E 77: Produtor que não cumprir com normas terá leite descartado

 

in 01 11 2019A Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento alerta os produtores de leite e proprietários de laticínios para a necessidade de manter o cumprimento das Instruções Normativas 76 e 77. As instruções entraram em vigor dia 1º de maio, mas a partir desta sexta-feira (01/11) poderá ocorrer o descarte do leite coletado, caso não esteja em conformidade com a legislação do Ministério da Agricultura.

 

Adapar - Não haverá um aperto na fiscalização que já está em andamento, diz Marisa Koloda Heinning, gerente do Serviço de Inspeção do Paraná (SIP) da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). “Passados seis meses da entrada da legislação em vigor, temos disponíveis as primeiras métricas que aferem a limpeza e qualidade do leite e conferem se as instruções normativas estão sendo seguidas ou não”.

 

Descarte - A partir de 1º de novembro, inicia o período de descarte do leite que não está em conformidade com a legislação. Conforme as métricas que estão sendo acompanhadas, o leite que apresentar uma média superior a 300 UFC/ML (Unidade de Formação de Colônia por milímetro) ou 500 mil células somáticas por ml no caso do leite cru refrigerado, será descartado. A fiscalização vai ocorrer nos laticínios.

 

Fiscalização - A Adapar fiscaliza em torno de 76 laticínios de médio porte que comercializam seus produtos no território paranaense, sendo que a maioria apresenta procedimentos em conformidade com a legislação, disse a gerente da Adapar. Segundo ela, esses laticínios estão atentos ao cumprimento das Instruções Normativas e seguem fazendo os exames periódicos e colocando as informações em planilhas.

 

SIM e SIF - Os laticínios e indústrias que comercializam seus produtos somente no município são fiscalizados pelo SIM (Serviço de Inspeção Municipal). E os estabelecimentos que colocam seus produtos no território nacional e para exportação são fiscalizados pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF) do Ministério da Agricultura.

 

Esforço - O esforço da Adapar é continuar com a fiscalização atenta para que o leite produzido no Paraná continue sendo referência nacional em qualidade e quantidade. Segundo o IBGE, o Paraná é o segundo maior produtor de leite do País com uma produção de 4,4 bilhões de litros em 2018.

 

SIP/POA - Em relação aos laticínios fiscalizados pelo SIP/POA (Serviço de Inspeção do Paraná de Produtos de Origem Animal), caso não sigam as novas normas do Ministério da Agricultura serão autuados, avisou a gerente da Adapar.

 

Instruções Normativas - As INs 76 e 77 tratam basicamente da qualidade do leite entregue na indústria. Os produtores devem entregar o leite a temperatura de 4º C, para evitar a proliferação de bactérias.

 

Índices - O leite entregue na indústria deve apresentar também índices mínimos de 3% de gordura, 2,9% de proteína e 4,3% de lactose. São essas as métricas que estão sendo acompanhadas pelos exames periódicos que devem ser feitos pelos laticínios.

 

Normas específicas - Também os laticínios devem seguir normas específicas que constam nas instruções normativas. O leite recebido deve estar na temperatura mínima de 7º C (ou até 9º C, excepcionalmente).

 

Capacitação - Segundo o engenheiro agrônomo Hernani Alves da Silva, gerente operacional de Desenvolvimento Rural da Emater, os encontros de treinamento e capacitação de produtores e indústrias no Paraná têm sido um sucesso. Eles são focados em orientar o produtor e indústria e fazer o controle de células somáticas – que é a mastite – e o controle bacteriano total que é basicamente a higiene no processo de ordenha e limpeza dos equipamentos utilizados.

 

Encontros - Para orientar os produtores, a Emater do Paraná promoveu 179 encontros entre seminários, reuniões técnicas e encontros, que envolveram a capacitação e treinamento de 11.577 pessoas entre produtores e representantes de laticínios. Foram realizados eventos em todas as regiões do Estado.

 

Laranjeiras e Umuarama - Um encontro em Laranjeiras do Sul nesta quarta-feira (29), promovido pela Emater e Adapar, reuniu mais de 400 produtores e 7 indústrias da região. Em Umuarama, uma semana antes, o mesmo encontro reuniu mais de 300 produtores de leite.

 

Temas - Nestes eventos, basicamente foram tratados a questão legal das Instruções Normatizas e as boas práticas agropecuárias: conjunto de atividades, procedimentos e ações adotadas na propriedade rural com a finalidade de obter leite de qualidade e seguro ao consumidor e que englobam desde a organização da propriedade, instalações e equipamentos, além da formação e capacitação dos responsáveis pelas tarefas cotidianas. (Agência de Notícias do Paraná)

 

AGROPECUÁRIA: Parcerias com municípios vão reforçar defesa sanitária animal

 

agropecuaria 01 11 2019A suspensão da vacinação contra a febre aftosa nos rebanhos do Paraná e a necessidade de ampliar a defesa sanitária nos municípios foram os destaques da apresentação do secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, nesta quinta-feira (31/10), no encontro Governo 5.0, em Foz do Iguaçu. Promovido pelo Governo do Estado, o evento reúne prefeitos, vereadores, secretários e técnicos das administrações municipais. O vice-governador Darci Piana acompanhou a apresentação do secretário.

 

Novos mercados - O novo status sanitário, que culminará no selo de área livre de vacinação em 2021, permitirá ao Paraná alcançar novos mercados na cadeia de exportação das carnes. Com o fim da vacinação, o Paraná inicia campanha de cadastramento obrigatório de todos os animais de produção, com vigilância sanitária redobrada, que começa nesta sexta-feira (01/11). A medida acontecerá duas vezes por ano, nos meses de maio e novembro, e ficará a cargo da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), com apoio dos municípios.

 

Mensagem - “Menos dinheiro e mais parcerias são as principais mensagens para os prefeitos. Agricultura é pesquisa, assistência, inovação e sanidade. Temos que apoiar quem mais precisa no campo, com ambientes sanitariamente corretos, além da preocupação com os mais vulneráveis”, afirmou Norberto Ortigara. “Nosso agronegócio ganhará novo status nos próximos anos, vamos subir de patamar, e precisamos estar preparados para esse momento”.

 

Fortalecimento - O secretário também destacou as ações do Estado para o fortalecimento das pequenas cooperativas e associações familiares, e as novas estruturas da fruticultura, silvicultura e horticultura. “Temos que desenvolver tudo aquilo que coopera para que o Estado e municípios tenham agendas comuns, somando reforços, recursos e técnicos. Agricultura trata de gente que precisa de apoio para se fortalecer cada vez mais”, complementou.

 

Preocupação - Ortigara também citou a preocupação com quem ainda não se alimenta direito no Estado e a compra, com distribuição simultânea, a partir de 2020, de cozinhas comunitárias, restaurantes populares e três merendas nas escolas.

 

Agricultura familiar - “Planejamos o crescimento da agricultura familiar e o incentivo aos orgânicos. O Paraná se comprometeu a utilizar 100% de alimentos orgânicos nas merendas até 2030. Há uma atenção humana e técnica, uma força de todos os poderes”, afirmou o secretário. “Os nossos programas pensam no desenvolvimento social e sustentável”.

 

Energia - Ele ainda citou o programa Paraná Trifásico, de modernização do sistema elétrico na área rural e que envolve R$ 2,1 bilhões e a implantação de 25 mil quilômetros de rede trifásica em todo o Estado. Também lembrou a introdução qualificada da irrigação no campo e o apoio às grandes cooperativas para aumentar a industrialização dos alimentos. “Temos uma visão muito ampla do desenvolvimento rural. O Estado não é apenas um financiador, mas a soma de recursos humanos e financeiros permite uma agenda mais positiva. A agricultura é muito cara a todos os paranaenses, e nós estamos fazendo ela ser ainda mais pujante para o Paraná”, asseverou.

 

Mais cidades - Ortigara também afirmou que o governador Carlos Massa Ratinho Junior estabeleceu como meta usar parte dos R$ 351 milhões do programa Paraná Mais Cidades para aumentar a trafegabilidade das estradas rurais, fundamentais para o escoamento das produções agrícolas e da pecuária. (Agência de Notícias do Paraná)

ADAPAR: Agência esclarece dúvidas sobre atualização de rebanhos no Paraná

 

adapar 01 11 2019Todos os animais que transitam pelo Estado do Paraná com interesse econômico, necessitando, portanto, da Guia de Trânsito Animal (GTA), precisam ter o cadastro atualizado até 30 de novembro. A atualização do rebanho é um procedimento obrigatório, previsto no Decreto Estadual n.º 12.029/2014, e que era feito para o rebanho bovino e bubalino no período da vacinação da febre aftosa. Com a suspensão da vacina (Instrução Normativa n.º 47), o processo semestral de atualização do rebanho continua para esses pecuaristas e se estende para outros produtores de animais. Com o objetivo de esclarecer algumas dúvidas sobre a atualização de rebanhos no Paraná, divulgamos o material produzido pela Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), em formato de perguntas e respostas.

 

O que devo declarar na campanha de atualização de rebanhos? 

Todos os animais de produção existentes na sua propriedade rural, ou seja, caixas de abelha, peixes, bois, búfalos, caprinos, ovinos, aves, cavalos, mulas, jumentos e suínos. 

 

Quando devo fazer esta atualização de rebanho? 

As campanhas de atualização de rebanho serão realizadas em 2 momentos do ano, 1º a 31 de maio e 1º a 30 de novembro. 

 

Tenho no meu CPF/CNPJ, 3 propriedades ativas cadastradas, como faço?

O sistema de atualização de rebanho vai demonstrar cada uma de suas propriedades cadastradas. Você deve entrar em cada uma delas e atualizar todas as espécies conforme o formulário pedirá, dentro do período da campanha. 

 

Sou um produtor pessoa jurídica, como faço para atualizar meu rebanho? 

Você deverá informar para a Adapar através do formulário específico o CPF que será o responsável pela exploração, após isso os passos são os mesmos da exploração pessoa física, onde acessará o sistema com os dados do CPF informado. 

 

Caso eu cometa algum erro ou engano no momento da atualização de rebanho, posso arrumar? 

Não, somente os servidores da Adapar (fiscais médicos veterinários, assistentes de fiscalização e administrativos) podem realizar correções ou ajustes, desde que devidamente justificados. Se isto ocorrer, dirija-se a Unidade Local da Adapar de sua jurisdição. Nestes casos não será possível ir ao Escritório de Atendimento do Município ou sindicatos para realizar a correção. 

 

O saldo do meu rebanho é 0 (zero), devo atualizar mesmo assim? 

Sim. Todas as propriedades, mesmo com saldo zerado de animais, devem realizar a atualização do rebanho durante o período da campanha. 

 

Se eu fizer a atualização em novembro, preciso fazer em maio também? 

Sim, a atualização deve ser feita em todas as etapas da campanha de atualização cadastral, que ocorrem nos meses de maio e novembro. 

 

Posso emitir GTA no período da campanha de atualização? 

Sim. Não haverá bloqueio para emissão de GTA durante o período da campanha, exceto para participação de animais em eventos (feiras, exposições, cavalgadas, etc.), para esta finalidade só será emitida GTA após a atualização da espécie a ser movimentada. 

 

Posso emitir GTA normalmente após o período da campanha? 

Sim, a emissão de GTA será feita normalmente desde que o produtor/proprietário tenha realizado, a atualização de todas as espécies cadastradas em cada propriedade, dentro do período da campanha. 

 

Perdi o prazo da campanha de atualização. E agora? 

Procure a Unidade Local da Adapar para orientações. 

 

Não tenho bovinos na minha propriedade, devo atualizar meu rebanho? 

Sim, a atualização é OBRIGATÓRIA para todas as espécies de animais de produção. 

 

Onde posso fazer a atualização de rebanho? 

Você tem as seguintes opções: de forma on line no seu computador, no sindicato rural, no Escritório de Atendimento do Município – EAM ou na Unidade Local da Adapar. Basta escolher qual a melhor opção. 

 

Como posso fazer a atualização de rebanho? 

Acessando o endereço eletrônico http://www.produtor.adapar.pr.gov.br/comprovacaorebanho e seguindo as orientações que estão descritas. Além disso, há vídeos tutoriais na página da Adapar (www.adapar.pr.gov.br) com o passo a passo bem detalhado. Mas não esqueça de fazer dentro do prazo da campanha, caso contrário, você estará com pendências na Adapar e poderá ser penalizado.

(Com informações da Adapar)

PUCPR: Universidade inaugura novo Setor de Bovinocultura Leiteira com Ordenha Robotizada

 

A Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) acaba de implantar a ordenha robotizada no novo Setor de Bovinocultura Leiteira da Fazenda Experimental Gralha Azul (Fega). A tecnologia, exclusiva em uma universidade no Brasil, permite que novos estudos sejam desenvolvidos em meio acadêmico para contribuir com a sociedade e os produtores.

 

Direcionamento - O sistema promove o direcionamento de ordenha das vacas de forma voluntária pelos animais, melhorando a qualidade e a produção do leite. Vale lembrar que a leiteria prioriza o bem-estar das vacas, não apenas com a finalidade de alta produção. “Através da alimentação e da própria pressão natural do leite, conseguimos condicionar as vacas para que entrem voluntariamente no robô. Com a aquisição, aumentaremos de duas para três ordenhas por dia”, afirma Carlos Eduardo Camargo, coordenador do curso de Medicina Veterinária da PUCPR. 

  

Realidade - Com a tecnologia, os estudantes podem ainda ter acesso a uma realidade semelhante à do mercado profissional, além de participarem de todas as etapas do processo da produção. “Temos uma cultura em que o estudante coloca a mão na massa. Desde o primeiro ano ele participa. Então, quando ele sair da Universidade, já estará habituado com as tecnologias de ponta que funcionam lá fora”, explica Carlos Eduardo.

 

Pesquisas científicas desenvolvidas na Fega - Destaca-se o projeto do estudo que utilizou mulas como “barrigas de aluguel” entre os anos de 2014 e 2018. Utilizando a transferência de embriões de éguas em mulas - que são animais estéreis - o trabalho foi pioneiro em estudar gestação desses animais.

 

Técnica cirúrgica - Também na Fega, uma técnica de cirurgia veterinária inovadora pode salvar a vida de equinos que nascem com má formação nos ossos: chamada de ostectomia em cunha, a técnica é inédita em cavalos – muito usada em cachorros, ela nunca havia sido adaptada para equinos, que têm uma estrutura óssea diferente dos cães. 

 

Primeiro lugar - O Curso de Medicina Veterinária da PUCPR ficou em primeiro lugar dentre as universidades privadas do Brasil pelo conceituado Ranking Universitário da Folha de São Paulo de 2018.

 

Sobre a PUCPR - A Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), com 60 anos de tradição, é considerada a melhor instituição de ensino superior paranaense e uma das melhores do Brasil no ranking da Times Higher Education. Parte do Grupo Marista, que atua nas áreas da educação, saúde e solidariedade, a PUCPR é uma instituição católica privada sem fins lucrativos e que tem como missão proporcionar uma formação integral a cidadãos globais, desenvolvendo competências técnicas e comportamentais que preparam para atuação nos mais variados contextos. Atualmente a Universidade oferta mais de 120 cursos de graduação, 150 cursos de Educação Continuada e 16 programas de Stricto Sensu que compreendem diversas áreas do conhecimento distribuídas nos câmpus Curitiba, Maringá, Londrina e Toledo. https://www.pucpr.br/. (Assessoria de Imprensa da PUCPR)

 

{vsig}2019/noticias/11/01/pucpr/{/vsig}

ENERGIA ELÉTRICA I: Conta de luz para os brasileiros em 2020 pode ter aumento de 2,42%

 

energia eletrica I 01 11 2019As contas de luz dos consumidores de todo o país poderão ter um aumento médio de 2,42% em 2020. O aumento consta de uma consulta pública aberta na quarta-feira (30/10) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre o orçamento para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), um dos subsídios pagos pelos consumidores de energia.

 

Orçamento - Em 2020, a Aneel aprovou um orçamento para a CDE de R$ 22,453 bilhões, um aumento de 11% em relação ao orçamento deste ano, de R$ 20,208 bilhões. Desse montante, a parte paga pelos consumidores teve um aumento de 27% e deve passar de R$ 16,238 bilhões para R$ 20,645 bilhões.

 

Conjunto de despesas - A CDE é formada por um conjunto de despesas que inclui subsídios ao consumidor de fonte de energia incentivada (eólica e solar); irrigação na agricultura; subsídios ao carvão mineral nacional; os subsídios para produção de energia termelétrica nos sistemas isolados, por meio da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC); subsídios para a universalização do acesso à energia por meio do programa Luz para Todos; os descontos da tarifa social de baixa renda; entre outros.

 

Custos da CCC - A agência disse que esse incremento para 2020 foi ocasionado pelo acréscimo nos custos da CCC, que teve um aumento de 20% e ficou em R$ 7,586 bilhões. O valor tem relação com o aumento do diesel usado nas termelétricas que atendem pontos isolados, e que não estão no Sistema Interligado Nacional (SIN). Também há a previsão de restos a pagar referente a um possível déficit da conta em 2019, e pela constituição de um fundo de reserva técnica, de R$ 500 milhões.

 

Explicação - “O aumento da CCC é explicado, entre outros, pela impossibilidade da importação de energia da Venezuela para atendimento à carga de Boa Vista (RR), e pela desverticalização da Amazonas Energia S.A., com a transferência dos ativos de geração e do contrato de gás natural para a Amazonas GT”, disse a Aneel.

 

TCU - O valor final do orçamento da CDE depende ainda de uma decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), que determinou a retirada da CDE de custos de subsídios que não estejam diretamente relacionados as políticas públicas do setor elétrico, como benefícios concedidos a atividades de irrigação na agricultura, por exemplo.

 

Redução - Caso o tribunal confirme a determinação, a redução de 20% na quota paga pelos usuários representará uma redução de R$ 4,4 bilhões no orçamento da CDE.

 

Contribuições - Os interessados em participar da consulta pública podem enviar contribuições até o dia 29 de novembro. (Agência Brasil)

ENERGIA ELÉTRICA II: Consumo cresce 0,6% em setembro, diz EPE

 

energia eletrica II 01 11 2019O consumo de energia no Brasil em setembro alcançou 39.183 gigawatts-hora (GWh), alta de 0,6% em relação a igual mês de 2018, informou nesta quinta-feira (31/10) a Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

 

Acumulado até setembro - No acumulado do ano até setembro, o consumo alcançou 358.260 GWh, com alta de 1,1% ante o observado nos primeiros nove meses do ano. Nos últimos 12 meses encerrados em setembro, o consumo somou 478.651 GWh, um crescimento de 1,2% em relação a igual período anterior.

 

Por segmento - Apesar do crescimento do consumo total do país, o segmento industrial registrou

nova queda. O volume consumido pelas indústrias somou 13.791 GWh no nono mês do ano, um recuo de 2,2% ante igual mês do ano passado.

 

Demanda industrial - Segundo a EPE, a demanda industrial no terceiro trimestre, de 41.954 GWh, configurou uma redução de 2,8% frente a igual período de 2018. “É o quarto trimestre sucessivo de queda”, destacou a estatal de estudos energéticos.

 

Residencial - Já o segmento residencial apresentou aumento de 2,1% em setembro, ante igual mês do ano passado, totalizando 11.365 GWh. Na mesma comparação, o setor de comércio e serviços apresentou alta de 3,1%, para 7.251 GWh. (Agência Brasil)

ECONOMIA: Produção industrial cresce 0,3% de agosto para setembro

economia I 01 11 2019A produção da indústria brasileira teve um crescimento de 0,3% na passagem de agosto para setembro. Esta é a segunda taxa positiva do indicador, que acumula alta de 1,5% no período de dois meses. Os dados, da Pesquisa Industrial Mensal, foram divulgados nesta sexta-feira (01/11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Comparação - Na comparação com setembro do ano passado, houve alta de 1,1%. Já na média móvel trimestral, teve crescimento de 0,4%. Por outro lado, a indústria acumula quedas de 1,4% no acumulado do ano e no acumulado de 12 meses.

Crescimento - Na passagem de agosto para setembro, três das quatro grandes categorias econômicas tiveram crescimento: bens de consumo duráveis (2,3%), bens de consumo semi e não duráveis (0,5%) e bens intermediários, isto é, os insumos industrializados usados no setor produtivo (0,2%). Já os bens de capital, isto é, as máquinas e equipamentos, tiveram queda de 0,5%.

Expansão na produção - Onze das 26 atividades pesquisadas mostraram expansão na produção. Entre elas, a indústria de veículos automotores, reboques e carrocerias, que cresceu 4,3%, revertendo um recuo de agosto (-2,4%).

Impactos positivos - Outros impactos positivos relevantes vieram de confecção de artigos do vestuário e acessórios (6,6%), bebidas (3,5%), produtos de metal (3,7%), móveis (9,4%), equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (3,0%) e produtos de borracha e de material plástico (1,4%).

Queda - Entre os 14 ramos que tiveram queda na produção, os desempenhos de maior impacto foram observados em impressão e reprodução de gravações (-28,6%), indústrias extrativas (-1,2%), máquinas e equipamentos (-2,8%), produtos farmoquímicos e farmacêuticos (-4,6%), coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-0,8%) e produtos do fumo (-7,7%). (Agência Brasil)

 


Versão para impressão


RODAPE