Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4723 | 11 de Dezembro de 2019

GESTÃO ESTRATÉGICA: Sistema Ocepar discute plano de metas 2020

Essencialidade e relevância. Estes são os pontos elementares que prosseguem norteando as atividades do Sistema Ocepar, com o propósito de promover o desenvolvimento do cooperativismo paranaense, de acordo com o presidente da organização, José Roberto Ricken, que abriu, na manhã desta quarta-feira (11/12), em Curitiba, a reunião de apresentação do Plano de Metas para 2020. “Essa é a linha que temos que seguir. É importante que cada área se questione sobre a essencialidade e a relevância do trabalho que estamos promovendo para melhorar cada vez mais o cooperativismo do Paraná”, salientou.

Diretrizes estratégicas - Na sequência, Ricken elencou as diretrizes estratégicas que deverão ser seguidas pelas três entidades que integram o Sistema Ocepar (Ocepar, Sescoop/PR e Fecoopar) ao longo do ano que vem. Ao todo são oito, entre as quais, fortalecer a representação e defesa política e institucional do Sistema Ocepar; consolidar a profissionalização da gestão e da equipe interna; disponibilizar produtos e serviços personalizados e aderentes às necessidades das cooperativas; aprimorar o relacionamento e a comunicação com as cooperativas; divulgar o cooperativismo paranaense para a sociedade, entidades públicas e demais interessados; apoiar as cooperativas no desenvolvimento de projetos para aumentar a participação de mercado; contribuir com a modernização dos modelos de gestão e governança visando assegurar a perenidade das cooperativas e incentivar projetos de intercooperação para promover o crescimento do cooperativismo paranaense.

Desdobramentos e pesquisa - O presidente também discorreu sobre os desdobramentos estratégicos advindos dessas diretrizes e comentou a respeito da segunda pesquisa de clima organizacional conduzida pela Great Place to Work (GPTW), da qual o Sistema Ocepar participou neste ano. “De forma geral, melhoramos muito e estamos acima da média em relação a outras empresas. Mas ainda temos como avançar e vamos utilizar o resultado desse levantamento para melhorar o ambiente interno de trabalho”, acrescentou.

Apresentação - Segundo o coordenador de gestão estratégica, Alfredo Benedito Kugeratski Souza, o Plano de Metas de 2020 do Sistema Ocepar soma ao todo 281 metas estratégicas e 1.703 ações planejadas pela Ocepar, Sescoop/PR e Fecoopar. Dando sequência à reunião, os gerentes e coordenadores de cada área destacaram os propósitos, desafios e ações que deverão ser executadas no ano que vem, alinhadas ao mapa estratégico da entidade.

Inovação - O encontro foi encerrado com a participação da analista do Sescoop/PR, Ketlyn Sharon Zipperer Mali, que tratou sobre o Programa de Inovação do Cooperativismo Paranaense, lançado em 2018, por meio do qual 493 pessoas, entre profissionais das cooperativas e do Sistema Ocepar, receberam treinamento concluído neste ano, contabilizando 192 horas de capacitação. Ela também mostrou o trabalho realizado internamente com o objetivo de promover a cultura da inovação e os próximos passos para o ano que vem. Uma das ações programadas é o Encontro Estadual de Inovação, que será realizado dia 28 de janeiro de 2020, com a expectativa de reunir 300 pessoas em Curitiba.

{vsig}2019/noticias/12/11/gestao_estrategica/{/vsig}

 

 

VISITA: Comitiva do Uruguai vem ao Paraná conhecer como atuam as cooperativas de crédito

O cooperativismo de crédito é um dos ramos de maior expansão do sistema cooperativista do Paraná. Com gestão moderna e fortes investimentos em tecnologia e ampliação da rede de atendimento, as 56 cooperativas do ramo registradas no Sistema Ocepar devem encerrar o ano com aumento de 13,9% no faturamento, 26,9% no número de cooperados e 24,1% no de funcionários, segundo projeções da Gerência de Desenvolvimento Cooperativo do Sistema Ocepar.

Uruguai - Como a atuam, o modelo de gestão que adotam e os resultados obtidos pelas cooperativas de crédito do estado, chamou a atenção das cooperativistas do Uruguai. Na tarde desta terça-feira (10/12), uma comitiva com 15 representantes de cooperativas de crédito daquele país esteve na sede do Sistema Ocepar, em Curitiba.  Eles estavam acompanhados por Adilson Félix de Sá (gerente de Desenvolvimento) eGilson Nogueira Farias (gerente de Negócios), ambos da Central Sicredi PR/SP/RJ. O grupo foi recebido pelos superintendentes Leonardo Boesche (Sescoop/PR), Nelson Costa (Fecoopar) e Robson Mafioletti (Ocepar). Também participaram da apresentação do cooperativismo de crédito paranaense a gerente de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR), Maria Emília Pereira Lima, o coordenador de Desenvolvimento Cooperativo, João Gogola Neto, e os analistas Emerson Barcik e Moisés Knaut Tokarski.

{vsig}2019/noticias/12/11/visita{/vsig}

AFOCA: Associação promove ação solidária de Natal no Centro Municipal Infantil Vila Nori, em Curitiba

Nesta terça-feira (10/12), integrantes e voluntários da Associação dos Funcionários do Sistema Ocepar – Afoca, estiveram no Centro Municipal de Educação Infantil Vila Nori, do bairro Pilarzinho, em Curitiba, para a entrega dos presentes de Natal. Numa mobilização feita junto aos funcionários do Sistema Ocepar, foi possível presentear 45 crianças, de quatro e cinco anos. A iniciativa foi realizada em parceria com os Correios, por meio da campanha Cartinha do Papai Noel.

 

afoca 11 12 2019

 

 

SELO MAIS INTEGRIDADE: OCB e Mapa assinam acordo de cooperação

A Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) firmaram um acordo de cooperação para divulgar o Selo Mais Integridade, entre as coops do país. A assinatura ocorreu nesta terça-feira (10/11), em Brasília, durante a premiação das empresas ganhadoras do Selo na edição de 2019. O evento contou com a participação da ministra Tereza Cristina e do presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, além de outras autoridades.

Reconhecimento - Criado no ano passado, o selo reconhece as empresas e cooperativas do agronegócio que adotam práticas de integridade sob a ótica da responsabilidade social, sustentabilidade, ética e ainda o comprometimento em inibir a fraude, suborno e corrupção.

Em 2019 - Neste ano, 16 organizações foram premiadas, sendo que dez delas receberam o selo pela segunda vez. A empresa ganhadora pode usar a marca do Selo Mais Integridade em seus produtos, sites comerciais, propagandas e publicações. Em 2018, foram 11 ganhadoras.

Boas práticas - A ministra destacou que cada vez mais o mercado exige um agronegócio alinhado com boas práticas de integridade. “Ainda mais neste momento em que o Brasil está abrindo mercados no exterior. Há estudos que comprovam que as empresas de todos os setores perdem de 3% a 5% de seu faturamento com fraudes, subornos e atos de corrupção de todo gênero. Temos convicção de que o fomento às ações de integridade, como o Selo Mais Integridade, pode ser um diferencial para o futuro do país”, disse.

Como funciona - Para receber o selo, a empresa ou cooperativa precisa comprovar que tem programa de compliance, código de ética e conduta, canais de denúncia efetivos, ações com foco na responsabilidade social e ambiental e promover treinamentos para melhoria da cultura organizacional.

Obrigações trabalhistas - É preciso também estar em dia com as obrigações trabalhistas e não ter multas relacionadas ao tema nos últimos dois anos, não ter casos de adulteração ou falsificação de processos e produtos fiscalizados pela Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa, ter ações de boas práticas agrícolas enquadradas nas metas de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e não ter cometido crimes ambientais (nos últimos 24 meses).

Análise - A documentação dos interessados é analisada pelo Comitê Gestor do Selo, composto por representantes de instituições públicas e privadas, que concede a premiação. (Com informações do Mapa)

 

PREMIADAS EM 2019

Agrícola Xingu S/A

Citri Agroindustrial S/A

Mig Plus Agroindustrial Ltda

Três Corações Alimentos S/A

Trow Nutrition Brasil Nutrição Animal Ltda

Usina Monte Alegre Ltda

Adama Brasil S/A

Adecoagro Vale do Ivinhema S/A

Baldoni Produtos Naturais Comércio Indústria Ltda-ME

Compass Minerals América do Sul Indústria e Comércio S/A

Iharabras S/A Indústrias Químicas

Indústria e Comércio de Alimentos Supremo Ltda

Rio Branco Alimentos S/A

Rivelli Alimentos S/A

Trop Frutas do Brasil Ltda

 

{vsig}2019/noticias/12/11/selo/{/vsig}

CRÉDITO: OCB e BNDES debatem estratégias

 

Os presidentes Márcio Lopes de Freitas, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), e Gustavo Montezano, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), se reuniram na segunda-feira (09/12), em Brasília, para debater possibilidades de apoio do banco às cooperativas. O BNDES é um importante parceiro das cooperativas, quando o assunto diz respeito à linhas de crédito.

 

Pauta - A pauta da reunião incluiu a apresentação de dados do Anuário do Cooperativismo Brasileiro, bem como da contribuição das cooperativas para o PIB nacional. Além de falarem sobre os resultados positivos de parcerias anteriores, os presidentes também discutiram sobre o futuro.

 

Estratégias - “Ficamos muito satisfeitos com a atenção do presidente Gustavo, que se colocou à disposição das cooperativas para pensar, em conjunto, nas estratégias de desenvolvimento sustentável do movimento cooperativista brasileiro. Vale destacar que o BNDES é um dos grandes parceiros do nosso setor e, também, que muitos dos avanços registrados nos últimos anos foram possíveis com o apoio da instituição financeira”, avaliou Márcio Freitas. (Informe OCB)

SICOOB UNICOOB: Assinada parceria com Governo do Paraná para financiar Trator Solidário

sicoob unicoob 11 12 2019Uma parceria firmada no último dia 3, entre o Sicoob Unicoob e a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná, irá possibilitar que as 259 agências do maior sistema financeiro cooperativo do país espalhadas pelo estado participem do programa Trator Solidário.

Itens - Destinado a pequenos produtores rurais, o programa permite financiar um trator, colhedora ou pulverizador a preços mais acessíveis, até 15% mais baratos em relação aos de mercado. Para dar mais condições de atendimento ao agricultor familiar, o Sicoob vai disponibilizar até R$ 80 milhões para financiar a compra de máquinas e implementos para as safras 2019/20 e 2020/21.

Aquisições - Com esse valor, o diretor do Departamento de Economia Rural (Deral) e da Secretaria da Agricultura e Abastecimento, Salatiel Turra, calcula que poderão ser adquiridos até 200 tratores, 30 pulverizadores e 50 colhedoras.

Assinaturas - O convênio foi assinado pelo secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara; o diretor de Gestão do Sicoob Unicoob, Márcio de Souza Gonçalves; o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Alves das Neves e pelo presidente do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Natalino Avance de Souza.

Propósito - Para Márcio, a parceria está muito ligada ao propósito do Sicoob Unicoob, que é humanizar as relações financeiras. “A nossa missão é promover o cooperativismo financeiro, ajudando a comunidade onde atuamos de maneira sustentável”, afirmou.

Programa - O programa Trator Solidário é executado pelo governo do Paraná há 12 anos, sendo responsável pelo faturamento de 13 mil tratores nesse período. No início, o programa financiava apenas tratores de pequeno porte. Recentemente passou a financiar também colhedoras e pulverizadores.

Juros e carência - Em um arranjo firmado entre a Secretaria da Agricultura e Abastecimento, fábricas de tratores e equipamentos e instituições financeiras, é possível financiar a compra dessas unidades com taxas de juros do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) de 4,6% ao ano com prazo de financiamento de até sete anos e 14 meses de carência para pagar. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB METROPOLITANO: Cooperativa inaugura mais quatro agências no estado de São Paulo

sicoob metropolitano 12 11 2019Nesta semana, o Sicoob Metropolitano promove a inauguração de mais quatro agências localizadas em cidades do interior de São Paulo. Nesta quarta-feira (dia 11/12), serão entregues os pontos de atendimento de Campinas e de Sumaré. Já na quinta-feira (12/12), entram em funcionamento as unidades de Americana e Limeira.

Espaços diferentes - Com instalações modernas, as novas agências possuem espaços diferentes daqueles tradicionalmente encontrados nas instituições financeiras. Além de receber atendimento sobre as soluções financeiras oferecidas pela cooperativa os cooperados poderão, por exemplo, utilizar os espaços de coworking e salas para videoconferência.

Marco - O gerente da agência de Sumaré, Cláudio Fintelman, diz que a chegada do Sicoob Metropolitano na cidade representa um marco importante para a disseminação da cultura do cooperativismo na região. “Com a nova agência, poderemos atender pequenos produtores, empreendedores e empresários da pequena e média indústria, além dos pequenos e médios empresários varejistas, um segmento pouco valorizado pelos grandes bancos”, afirma.

Expansão - “A expansão tem sido muito importante não apenas para o cooperativismo de crédito, mas também para as empresas da região que passam a contar com taxas mais justas e um atendimento humanizado”, ressalta o gerente Regional de Expansão da cooperativa, Milton Henrique Brazan.

Endereço - Confira o endereço das novas agências do Sicoob Metropolitano:

• Campinas: Av. Papa Paulo VI, 804 – Jardim do Trevo

• Sumaré: Rua José Maria Miranda, 909 – Centro

• Americana: Av. de Cillo, 580 (pavimento inferior), quadra L - Vila Pavan

• Limeira: Av. Fabrício Vampré, 254 - Jardim Piratininga

(Imprensa Sicoob Unicoob)

 

INSTITUTO SICOOB: Sicoob Sul e Bancoob apoiam projeto do grupo Especialistas da Alegria

sicoob sul 11 12 2019O grupo Especialistas da Alegria foi mais uma vez um dos selecionados pelo Edital Cooperação para o Desenvolvimento, iniciativa promovida pelo Instituto Sicoob. Com isso, o projeto que já recebeu o patrocínio do Bancoob em 2019, continuará recebendo em 2020.

Visitas - Formado por palhaços voluntários, o grupo visita exclusivamente pacientes adultos, idosos, acompanhantes e colaboradores do Hospital Oncológico Erasto Gaertner, de Curitiba (PR). As visitas acontecem quatro dias da semana, todos os meses do ano, incluindo feriados e datas comemorativas.

Melhorias - Segundo a voluntária do projeto, Flávia Bertoldi, com o patrocínio recebido foi possível realizar melhorias e custear despesas que até então, eram bancadas pelos próprios participantes, como estacionamento, jaleco, figurino, sapato e a maquiagem dos palhaços.

Lanches - “Além disso, agora eles recebem lanches e a passagem de ônibus. No quesito formação, também houve um ganho imenso, pois acreditamos que para realizar um voluntariado de qualidade, precisamos respeitar e estudar a arte da palhaçaria. Com isso pudemos contar com uma diretora artística nos acompanhando o ano todo, além de trazer formadores renomados e referências”, explica.

Palestras - Com o apoio recebido, o grupo promoveu palestras para as escolas públicas sobre a importância da arte circense. “Realizamos 20 "Palhestras", levando arte e cultura a alunos que muitas vezes não tem condições de acesso. Tudo isso só foi possível graças ao apoio do Sicoob Sul e Bancoob. Agradeço por olhar nosso projeto com carinho e perceber que fazemos a diferença no meio em que atuamos”, afirma.

Ações do Instituto Sicoob - A Pessoa de Apoio Estratégico (PAE) no Sicoob Sul, Regiane Carla Noronha, complementa que além das atividades desenvolvidas conforme o projeto no edital, os Especialistas da Alegria participam em ações do Instituto Sicoob na singular. “Em ações com nossos colaboradores e em eventos vinculados ao Sicoob Sul, percebemos que sua participação traz muita alegria e acolhimento junto a todos os envolvidos. Eles nos fazem muito bem", ressalta. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB INTEGRADO: Convenção anual reúne colaboradores da região de São Paulo

Nos dias 29 e 30 de novembro, o Sicoob Integrado promoveu uma convenção anual com os colaboradores que atuam no Estado de São Paulo. Realizado no Hotel Red Roof Inn, em Jundiaí, o evento teve como objetivo promover a integração e a confraternização entre os gerentes e colaboradores das agências e escritórios de negócios instalados na região. A convenção serviu também para apresentar as metas estabelecidas para o ano de 2020 e os desafios para os novos pontos de atendimento que serão abertos.

Dinâmicas - No dia 29, foram realizadas diversas dinâmicas comandadas pelo diretor de Mercado, Marcinei Coterli, que ressaltaram a importância do cooperativismo, propósito e excelência com os gerentes. No final do dia, os colaboradores se reuniram para uma confraternização.

Apresentação - Já dia 30, a programação começou com uma apresentação do presidente do Conselho de Administração, Alcir Luiz Freisleben, que falou sobre o projeto de expansão da cooperativa. Na sequência, os colaboradores assistiram uma palestra motivacional do professor João Carlos de Oliveira, que rendeu muita reflexão e risadas. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2019/noticias/12/11/sicoob_integrado/{/vsig}

SICOOB CREDICAPITAL: Equipamentos são doados para aulas de informática e eletrônica

sicoob credicapital 11 12 2019Em outubro, o Sicoob Credicapital doou diversos equipamentos eletrônicos para o Centro Estadual de Educação Profissional Pedro Boaretto Neto (CEEP), de Cascavel (PR). Ao todo, foram entregues 10 computadores, quatro monitores, mais de 40 teclados e mouses, diversos cabos, uma digitalizadora e 15 telefones analógicos.

Projeto - Os materiais serão utilizados pelo CEEP em um projeto interno chamado AmbientAção, que visa implantar um plano de gerenciamento de resíduos sólidos em suas instalações. Os equipamentos e peças recebidas são triados e encaminhados para a realização de atividades de ensino, como aulas práticas e desenvolvimento de projetos dos Cursos Técnicos em Eletrônica, Eletromecânica e Informática. Os materiais não utilizados são destinados para reciclagem (partes plásticas e metálicas) ou para empresa especializada no descarte de resíduos eletrônicos (partes eletrônicas).

Interesse pela comunidade - O supervisor de TI, Maycon Vinicius da Luz, explica que com ações como esta, o Sicoob Credicapital cumpre um dos princípios do cooperativismo, que é o interesse pela comunidade. Além disso, ainda promove a responsabilidade socioambiental. “Com a doação, contribuímos para o bem do meio ambiente e também para o desenvolvimento da nossa comunidade, pois os alunos têm a oportunidade de fazer cursos de informática e eletrônica de forma gratuita”, afirma. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICREDI: Relatório de Sustentabilidade 2018 vence 21ª edição do prêmio Abrasca

O Relatório de Sustentabilidade 2018 do Sicredi foi o vencedor do Prêmio Abrasca 2019 na categoria Empresas de Capital Fechado. Esta foi a primeira vez que a instituição inscreveu sua publicação na premiação, que tem o objetivo de incentivar o aprimoramento da elaboração de relatório com maior clareza, transparência, qualidade e quantidade de informações. A cerimônia de entrega do prêmio ocorreu no dia 5 de dezembro, em evento realizado em São Paulo.

Orgulho - “O resultado é motivo de muito orgulho para todos e é um reflexo do trabalho de transparência que temos realizado ao longo dos últimos anos. O relatório integra nossa Política de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental e evidencia o impacto positivo que geramos na prática nas regiões em que atuamos. O documento, ainda, reforça nossa estratégia e nosso compromisso com os princípios do cooperativismo e do tema sustentabilidade" afirma o Superintendente de Sustentabilidade do Sicredi, Olaf Brugman.

Apoio - Criado em 1999 pela Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca), a premiação tem o apoio de outras entidades de classe como Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec), Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef), entre outras instituições.  

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.800 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

SICREDI PARANAPANEMA: Evento é realizado em prol do fortalecimento regional do Instituto Bourbon

sicredi paranapanema 11 12 2019Promover o desenvolvimento, a inclusão, enriquecimento cultural e a melhoria da qualidade de vida das pessoas e da comunidade onde estão inseridos são bandeiras defendidas pelo Instituto Bourbon de Responsabilidade Socioambiental e, também, pelo Sicredi.

Evento - No final de novembro, as instituições parceiras realizaram um evento informativo de interesse social reunindo empresários e outros convidados da comunidade para conhecerem algumas das ações sociais do Instituto Bourbon e Sicredi, as quais impactam positivamente milhares de crianças, adolescentes e adultos na região.

Palestra - À noite, com a presença de cerca de 100 pessoas, no salão de eventos Alambary, no Bourbon Cambará Hotel, em Cambará (PR), foi apresentada uma palestra da auditora fiscal da Receita Estadual do Paraná, Marta Jandira Quaglia Gambini, que explicou como a doação de cupons e notas fiscais sem inserção de CPF podem beneficiar os projetos e ações que o Instituto Bourbon promove na comunidade.

Detalhes e benefícios - Palestrou também Norma Aparecida de Almeida, contadora com notável conhecimento sobre Imposto de Renda (IR), que pode compartilhar os detalhes e benefícios gerados ao destinar parte do IR para o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, e assim também beneficiar diretamente entidades locais, no caso o Instituto Bourbon.

Parceria - Para o gerente de Relacionamento, Haraon Bertacini, a parceria recém firmada só enaltece a atuação das duas instituições na promoção da melhoria da qualidade de vida das pessoas. “O Instituto realiza um trabalho louvável! Atua diretamente na educação de qualidade, tema este também defendido pelo Sicredi. Investimos muito em ações, programas e projetos de educação em todo o Brasil. Nosso propósito é, junto com o Instituto Bourbon, fazer o bem, desenvolver pessoas e gerar oportunidades, trabalho e renda”.

Educação e cultura - Para o diretor do Instituto Bourbon, João Antonio Tinelli, a educação e a cultura são as chaves do sucesso para que essas crianças, adolescentes e jovens tenham um futuro melhor e o poder de transformar vidas. “A missão do Instituto Bourbon é promover o potencial transformador das pessoas por meio do desenvolvimento integral dos alunos que aqui passam”. Tinelli ainda convida a todos a juntarem a essa causa que impacta tantas pessoas e contribui com desenvolvimento da comunidade: “Acesse o nosso site para saber mais sobre o nosso trabalho e junte-se a nós nessa causa!” finalizou.

Formas de doar - Para quem deseja contribuir com o Instituto, as doações podem ser realizadas das seguintes formas:

1. Imposto de Renda: basta destinar parte do seu IR (até 6%) a pagar ou a restituir aos projetos e programas oferecidos pelo Instituto, via depósito na conta do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente – CNPJ 19.403.266/0001-03 | Banco 001 | Agência: 0317-4 | Conta corrente: 29.319-9.

2. Nota Paraná: Destinação das notas fiscais sem CPF através do site, aplicativo Nota Paraná, depósito da nota em urnas disponibilizadas pelo Instituto nos estabelecimentos comerciais ou entrega pessoalmente das notas no Instituto ou no Hotel Bourbon Cambará.

3. Doação voluntária direta: Basta efetuar um depósito ou transferência financeira para a conta corrente do Instituto Bourbon de Responsabilidade Socioambiental no Sicredi. Para os associados do Sicredi, é possível ainda fazer programações automáticas de transferências mensais. Banco 748 | Agência: 0717 | Conta corrente: 1027-3.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.700 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Paranapanema PR/SP)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI UNIÃO PR/SP: Cooperativa apoia feirão de seminovos no final de semana

sicredi uniao 11 12 2019Quem quiser terminar o ano de carro seminovo em Maringá (PR), terá uma chance especial neste final de semana. É que a Sicredi União apoia o Feirão Bandeira Verde, com mais de 400 automóveis à venda. O feirão acontecerá em nove lojas que ficam na avenida Alexandre Rasgulaeff, próximas à avenida Mandacaru.

Atendimento - No sábado (14/12), o atendimento será das 8 às 18 horas e no domingo, das 9 às 13 horas. Uma equipe da Sicredi União estará a postos para a aprovação de crédito na hora, com taxas atrativas e possibilidade de financiamento em até 60 meses.

Participantes - Participarão do feirão Auto Mix, Auto Sport, Automotiva, Elite, Inova, JL, Lottus, Motoroma e R2. As lojas estarão identificadas. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

COAMO: Caminhões que transportam a linha de alimentos ganham novo layout

A frota de caminhões da Coamo está com novo layout. O foco está em impulsionar a comunicação da atual campanha das Margarinas Coamo, que estão com novo design e mais vitaminas. Ao todo são 61 caminhões com a nova plotagem, que transportam os Alimentos Coamo, comercializados por meio das marcas de confiança Coamo, Primê, Anniela e Sollus. Para a divulgação foram definidas três artes, uma para cada margarina: Coamo Família, Coamo Extra Cremosa e Coamo Light. Além disso, o layout dos caminhões apresenta ao consumidor que os alimentos produzidos pela Coamo são de confiança, uma vez que, são produzidos por uma cooperativa com qualidade e segurança.

Novidade - Quanto a novidade da linha de Margarinas Coamo, consagrada e bem conceituada pelos consumidores, está no novo formato dos potes e nova identidade visual, além da adição de Vitaminas A, D e E e Ômega 3 na formulação das Margarinas Coamo Família, Coamo Cremosa e Coamo Light, envasadas em potes de 500 gramas. Uma evolução para as margarinas que são queridas e elogiadas por quem as degusta e em diversas pesquisas de mercado.

Identidade atrativa - De acordo com o diretor de Planejamento e Criação da agência G/ PAC, Juca Pacheco, as novas embalagens estão com uma identidade atrativa, que aproxima os consumidores da marca. “A primeira estratégia foi humanizar todas as embalagens, trazendo fotos de pessoas em momentos descontraídos com a família ou praticando atividade física, transmitindo a felicidade e o bem-estar que desejamos comunicar. Também foram desenvolvidos novos grafismos, com elementos que transmitem movimento, suavidade e leveza, em sintonia com o mood fotográfico escolhido. Depois, um novo formato levemente retangular ganhou forma para trazer mais modernidade e ergonomia para as embalagens.”

Objetivo - O gerente Comercial dos Alimentos Coamo, Wagner Schneider explica o objetivo da mudança. “Nosso foco está na expansão de mercado, conquista de novos clientes e consumidores com apresentação estética e sempre moderna, com sabor, aroma e qualidade diferenciada para despertar atratividade no consumidor final.” Schneider ainda revela que a mudança traz benefícios também na exposição das margarinas nos pontos de vendas (PDV’s). “Nossos clientes terão um produto mais atrativo, com melhor exposição no PDV, mais destaque e atratividade. Portanto, a embalagem e apresentação é a chave para conquistar novos clientes e fortalecimento da marca.”

Origem da matéria-prima - O superintendente Comercial da Coamo, Alcir José Goldoni ainda acrescenta que as Margarinas Coamo permanecem com a origem da matéria-prima reconhecida e rastreada. “A qualidade dos Alimentos Coamo começa na escolha das sementes que serão germinadas nos campos dos mais de 28 mil associados da Coamo. São sementes desenvolvidas pela Coamo para atender os mais diversos mercados, e passam por um rigoroso controle de qualidade, assistência técnica em todas as etapas de produção, aliados à tecnologia empregada no campo, que proporciona uma matéria-prima de alta qualidade para a produção das Margarinas Coamo. A tudo isso, agregamos mais benefícios à saúde do consumidor. A Coamo e o seu associado, que é o dono da cooperativa, pensam no cliente e no consumidor em todas as etapas da produção dos Alimentos Coamo”, afirma Goldoni.

Mais informações - Para outras informações e consulta técnica de cada alimento, acesse os sites da cooperativa: www.coamo.com.br ou www.alimentoscoamo.com.br. Curta também a fanpage dos Alimentos Coamo, onde você encontra deliciosas receitas de família para curtir e compartilhar. (Imprensa Coamo)

{vsig}2019/noticias/12/11/coamo/{/vsig}

COPAGRIL: Poços artesianos precisam de documentação específica para perfuração e uso da água

Indiscutivelmente a água é nosso bem mais importante e valioso, um recurso natural que não pode ser substituído e constitui o principal elemento em nossa cadeia de produção. A água é essencial para a vida e existência do homem, animais, plantas e seres vivos. Contudo, o uso legal - regulamentado e outorgado da água - é ainda mais importante para o produtor rural. Seja na pecuária ou agricultura, em todas as atividades a legalização do direito de uso de água é fator determinante para conformidade com a lei e o modelo produtivo.

Modelos - Nas propriedades rurais podemos elencar os quatro modelos principais de abastecimento de água, são elas: água proveniente de mina, poço raso (cacimba), rede pública e poço artesiano. Todos passam por regulamentações e cuidados de responsabilidade do proprietário rural no uso consciente e legal da água, no entanto, o poço artesiano merece uma atenção a mais no controle, perfuração e especialmente na documentação, como a outorga de direito de uso da água.

Poço artesiano- Existem algumas confusões e problemas que são identificados pelos órgãos reguladores e também assistenciais principalmente em relação ao documento de concessão de uso da água, como explica o chefe do escritório regional do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) em Toledo, Taciano Cesar Freire Maranhão. “Observamos que existem grandes confusões que ainda são causadas em relação ao documento de uso da água de poço artesiano. Existe a anuência prévia de perfuração e a outorga de uso. Como o nome já diz, a primeira é apenas válida para a etapa de perfuração e a outra é a concessão propriamente dita para usar a água do poço”, explica Taciano.

Outorga - Essa confusão é ainda mais prejudicial ao produtor rural porque é a outorga de direito de uso que regulamenta a atividade diária, é ela que valida o uso para a produção pecuária e o seu uso no dia a dia. Bem como, é a documentação legal exigida para a licença ambiental, seja renovação e/ou ampliação, além de ser o documento padrão de programas e empresas financeiras. “Temos observado que vários produtores têm apenas a anuência prévia de perfuração e não a outorga de direito de uso. Um problema que só é percebido quando o produtor precisa renovar a licença ou adquirir algum recurso no banco”, explicam Maycon Zimermann e Ana Paula Maciel, que atuam no setor Ambiental da Copagril.

Autorização correta - Conforme eles comentam, em muitos casos o proprietário rural desconhece que não está com a autorização correta. Isso acontece porque, em várias situações, o produtor contrata uma empresa de perfuração e esta fica encarregada de todos os trâmites legais de perfuração e uso do poço artesiano. “O proprietário contrata a empresa e quando recebe os documentos desconhece as exigências. Por exemplo, a anuência prévia é apenas para os procedimentos de perfuração, ou seja, depois do poço perfurado ele [proprietário] precisa, em 60 dias, do documento de outorga, que é um documento diferente e fundamental para a regulamentação legal do uso da água do poço”, diz o chefe do IAP de Toledo ao chamar a atenção do proprietário para a atenção devida em relação à empresa contratada e os procedimentos de perfuração.

Procedimento adequado - Taciano ainda explica que a perfuração e o uso do poço artesiano compõem uma série de cuidados e atenção, de modo que evite a poluição e sujeira no poço, contribuindo com a manutenção da qualidade e fornecimento da água. “Precisamos ficar atentos, o proprietário especialmente, porque quando é feita uma perfuração, primeiro é preciso um laudo técnico com um estudo geológico adequado, a perfuração e o encapsulamento [vedação do poço] devem ser feitos de forma profissional e correta, o poço deve ser isolado e o uso e vazão respeitados conforme liberação e ainda um controle regular de qualidade da água”, alerta Taciano, que também lembra que uma perfuração inadequada, falta de cuidados na manutenção e preservação e a ausência do documento de outorga são suscetíveis a notificação (multa) e até mesmo embargo do poço, comprometendo o fornecimento de água para consumo e produção.

Assistência técnica - A equipe da Assessoria Ambiental da Copagril lembra que vários dos associados fazem o uso de poços artesianos para a produção agropecuária, grande parte deles também para o consumo humano, por isso a atenção na perfuração e o cuidado na manutenção do poço são importantes. “O produtor deve ficar atento, estar com a documentação e o poço devidamente regulamentado garante um trabalho mais tranquilo, mais segurança e reforça o nosso comprometimento com um sistema de produção ambientalmente correto, com respeito aos recursos naturais”, confirma a equipe. Maycon e Ana também explicam que “o poço que não possui outorga de direito vigente não consta no sistema do Estado, desta forma se algum vizinho em um raio de 200 metros perfurar e regularizar o poço, pode impedir a regularização daquele que não possui a documentação, mesmo que perfurado anteriormente”.

Disponibilidade - A equipe da Copagril está disponível para mais esclarecimentos e, também, acompanhamento dos associados por meio Assessoria Ambiental e Engenharia nos telefones (45) 3284-7515 e 3284-7628, também por mensagem via aplicativo de celular (Whatsapp) no número (45) 99825-7281. (Imprensa Copagril)

{vsig}2019/noticias/12/11/copagril/{/vsig}

AGRONEGÓCIO: Vendas externas do setor somam mais de US$ 8 bilhões em novembro

agronegocio 11 12 2019As exportações do agronegócio somaram US$ 8,21 bilhões em novembro deste ano. O valor significou alta de 1% em relação ao total exportado em novembro de 2018 (US$ 8,13 bilhões). O crescimento ocorreu em função da expansão do quantum exportado (6%), enquanto o índice de preço das exportações caiu 4,7%. Segundo a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), as vendas externas do agronegócio representaram 46,6% do valor total exportado pelo Brasil, que foi de US$ 17,60 bilhões (-16%).

Importações - As importações de produtos do agronegócio, por sua vez, tiveram queda de 8,6% em novembro, com redução do valor adquirido de US$ 1,18 bilhão em novembro de 2018 para US$ 1,08 bilhão para o mesmo mês de 2019.

Carnes - As exportações de carnes subiram 22,1% em novembro, passando de US$ 1,28 bilhão para US$ 1,56 bilhão em 2019. A demanda chinesa por carnes impulsionou as vendas no mês passado, totalizando US$ 685,94 milhões.

PSA - De acordo com nota da Secretaria, a forte demanda de carnes pela Ásia tem relação com a peste suína africana (PSA), doença que afeta o rebanho suíno asiático desde setembro de 2018. Segundo informações da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), foram eliminados 7,7 milhões de suínos em países asiáticos em função da contaminação pelo vírus da PSA.

Recorde - A exportações de carne bovina foram recorde de valor e volume para os meses de novembro com expansão do valor exportado em 36,9% em comparação a novembro de 2018, o que resultou em US$ 844,56 milhões vendidos ao exterior no mês passado.

Valores - As exportações de carne de frango foram de US$ 530,74 milhões em novembro de 2019 (+3%). Já as vendas de carne suína subiram 43,5% no mesmo período, chegando a US$ 148,39 milhões. A China também foi a principal importadora de carnes de frango e suína brasileira, com US$ 123,88 milhões (frango) ou 23,3% do total exportado e US$ 74,09 milhões (suínos) ou 50% do valor exportado pelo Brasil em novembro.

Cereais - As exportações de cereais, farinhas e preparações continuam subindo influenciadas pelas vendas de milho. O setor exportou US$ 780,12 milhões (+13,9%), sendo o milho responsável por US$ 722,54 milhões (+13,7%), ou o equivalente a 4,29 milhões de toneladas.

Algodão - Os embarques de algodão também tiveram desempenho favorável em novembro, com US$ 412 milhões (+12,3%).

Suco de laranja - O suco de laranja foi outro produto com destaque nas vendas externas com incremento de 174,4%, com embarques de US$ 241,25 milhões. (Mapa)

Confira a nota e o resumo da Balança Comercial do Agronegócio 

 

Confira o Agrostat - Sistema de Estatísticas de Comercio Exterior do Agronegócio Brasileiro

 

 

REGULARIZAÇÃO: MP moderniza e simplifica a regularização fundiária e incentiva a preservação ambiental

terras 11 12 2019O Governo Federal deu início ao processo para regularização definitiva das ocupações em terras da União. Nesta terça-feira (10/12), o presidente Jair Bolsonaro assinou, em cerimônia no Palácio do Planalto, a Medida Provisória (MP) que simplifica e moderniza a análise necessária para a concessão de títulos, destinados, em sua maioria, a pequenos produtores - com destaque para os assentados. Ao mesmo tempo, a MP determina que os beneficiados cumpram o Código Florestal, transformando-os em parceiros no combate ao desmatamento ilegal.

Beneficiários - A MP da Regularização Fundiária deve beneficiar cerca de 300 mil famílias instaladas em terras da União há pelo menos cinco anos. A área média dos terrenos a serem regularizados é de 80 hectares, considerados pequenas propriedades. Além de toda a documentação necessária para a regularização, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) utilizará ferramentas de georreferenciamento e sensoriamento remoto para concluir processos de titulação, garantindo eficiência na análise de documentos e rigor no cumprimento de normas fundiárias e ambientais.

Grande satisfação - Após assinar a Medida Provisória, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que esse foi um momento de grande satisfação e ressaltou que seu governo está resolvendo questões, como a regularização fundiária, que estavam há anos esquecidas. "Em tendo mais meios de trabalhar, o produtor vai produzir mais. Aqueles que não tinham como conseguir recursos, ao ter meios de consegui-los, vai produzir algo na sua propriedade", afirmou o presidente acrescentando que cada vez mais o país precisa do campo para crescer e garantir a segurança alimentar mundial.

Parceiros - A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) destacou que a MP transforma os produtores rurais em parceiros na recuperação ambiental, pois todos terão de aderir às exigências do Código Florestal para garantir a titularidade da terra. “Se não cumprir o CAR [Cadastro Ambiental Rural], que exige de 20% a 80% de preservação, caso da Amazônia, perde o título. Então nós certamente teremos mais e mais aliados contra o desmatamento ilegal. É um ‘combo’: titulação e preservação”.

Novo patamar - Ela também afirmou que, com o título, os assentados são colocados em um novo patamar de inclusão produtiva, pois passam a ter acesso ao crédito e à tecnologia. “O pequeno produtor não estará mais condenado a produzir apenas para a subsistência; terá condições de prosperar e de vender sua produção para o mercado interno e até para o externo. Terá enfim oportunidade de fazer parte da pujança que o agro trouxe para a nossa economia. Este é um compromisso que temos no Ministério da Agricultura e do qual não abro mão”, disse a ministra.

Casa Civil- O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ressaltou que a titulação da terra é a "Lei Áurea dos produtores rurais brasileiros". Segundo ele, a regularização fundiária da Amazônia foi um dos primeiros compromissos assumidos pelo presidente Jair Bolsonaro. "É isso que o governo Bolsonaro está entregando para Amazônia, para o Brasil e para o mundo", afirmou.

Reconhecimento - Ao apresentar as regras da MP, o presidente do Incra, Geraldo Melo Filho, destacou que a regularização fundiária inicia o reconhecimento do direito de milhares de produtores rurais. "O nosso país sempre foi de cada brasileiro, mas hoje graças a determinação de Vossa Excelência começamos a reconhecer o direito de tantas pessoas de serem oficialmente donas do seu pedaço de Brasil”.

Documentos - O secretário Especial de Assuntos Fundiários do Mapa, Nabhan Garcia, disse, aos jornalistas, que o produtor terá de apresentar uma série de documentos para comprovar que é o titular da terra. Segundo ele, o processo de titulação será informatizado, usando imagens de satélite, o que permitirá uma emissão mais ágil do documento. O secretário enfatizou que a regularização não ocorrerá em áreas que estejam em terras indígenas, quilombolas, unidades de conservação e locais em litígio.

Entrega - Na cerimônia, o presidente e a ministra Tereza Cristina entregaram título ao produtor rural Onias Inácio dos Santos, de Marabá (PA), para simbolizar o início da implantação da regularização fundiária.

Homenagem - O ex-ministro da Agricultura Alysson Paulinelli, que criou a Embrapa, foi homenageado pelo presidente durante o evento. Paulinelli elogiou a gestão do presidente e do trabalho da ministra Tereza Cristina. "Nós que trabalhamos no setor agrícola, que conseguimos transformar o país nesta potência de hoje, reconhecemos neste ato um dos atos mais justos que o governo fez ao produtor brasileiro: a regularização de suas terras", disse.

Presenças - Participaram da cerimônia o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, e o líder do governo na Câmara dos Deputados, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), além de governadores e parlamentares.

MP da Regularização Fundiária - Para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a MP traz três benefícios básicos: resolve definitivamente antigos problemas fundiários, regulariza a questão ambiental e coloca os assentados em um patamar de inclusão produtiva, permitindo que os agricultores ampliem sua produção além da subsistência.

Incra - Segundo o Incra, há no país 9.469 assentamentos ocupando uma área de quase 88 milhões de hectares. Do total de assentamentos, implantados desde 1970, com a criação do instituto, apenas 5% foram consolidados neste período e somente 6% dos assentados receberam o título definitivo da terra. Mais de 700 mil famílias não possuem a titulação e, por isso, não têm acesso a políticas públicas de estímulo à produção, como crédito rural.

Adesão - A regularização coloca os produtores como parceiros na recuperação de áreas de preservação ambiental, pois serão obrigados a cumprir as exigências do Código Florestal para garantir a titularidade da terra. Para isso, terão que aderir ao Cadastro Ambiental Rural (CAR), que determina a preservação de até 80% da propriedade na Amazônia Legal, por exemplo, e aderir ao Programa de Regularização Ambiental (PRA), se comprometendo a recuperar áreas degradadas de sua terra.

Impedimento - A MP também impede a concessão da terra caso o terreno esteja em áreas específicas, como unidades de conservação, terras indígenas e quilombolas, e coloca outras restrições à posse, como não ser proprietário de outro imóvel, fracionamento fraudulento, conflito de fronteira (terras sobrepostas), ou haver denúncia de trabalho escravo.

CCIR Digital - A ministra anunciou também a criação do Certificado de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR) Digital, desenvolvido em parceria com o Serpro. A ideia é que o processamento da Declaração de Cadastro Rural passe a ser automática pelo sistema, com a emissão digital do CCIR no final do processo. A CCIR é o documento que comprova o cadastramento do imóvel rural junto ao Incra, e é indispensável para transferir, arrendar, hipotecar, desmembrar, partilhar e obter financiamento bancário. (Mapa)

 

INDÚSTRIA: Com a maior taxa do País, produção do Paraná cresce 6,9%

industria 11 12 2019A produção industrial do Paraná é a maior do Brasil em 2019. A taxa de crescimento foi de 6,9% até outubro, em comparação com mesmo período do ano passado, conforme dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (10/12). É o melhor resultado dos últimos oito anos. No País, o desempenho foi negativo, de -1,1%.

Sinal de confiança - Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o índice é um sinal da confiança dos empresários e da capacidade de atração de investimentos. “É um número que nos deixa muito motivados e mostra a força econômica do Paraná. O índice de 6,9% de janeiro a outubro representa o maior crescimento disparado do País”, afirmou.

Evolução expressiva - A pesquisa do IBGE também aponta evolução expressiva da indústria paranaense no comparativo entre outubro de 2018 e o mesmo mês deste ano. A variação foi de 9,4%. No acumulado de doze meses, a produção fabril do Estado aumentou 5,9%, enquanto na comparação de outubro sobre setembro o parque industrial não oscilou.

Investimentos - Ratinho Junior destacou que a determinação do governo é buscar investimentos que fortaleçam a produção paranaense, que gerem mais oportunidades de emprego e renda. Ele citou que quase R$ 18 bilhões foram atraídos para o Estado em 2019 e disse que a tendência é de aumento. “Para manter esse ritmo econômico há um grande volume de novas indústrias chegando ao Paraná”, acrescentou.

Cooperativas - Na sexta-feira (06/12), por exemplo, as cooperativas anunciaram R$ 3,5 bilhões em investimentos, lembrou o governador. “Há um esforço em abrir o Estado para que as empresas venham para cá e gerem emprego, além da reconhecida força do paranaense, da nossa mão de obra, que ajuda muito esse processo”, complementou.

Maior do País - O crescimento industrial paranaense em 2019 foi impulsionado pela produção de veículos automotores, reboques e carrocerias (27,7%) e alimentos (8,9%) - maiores índices setoriais do País. É o melhor resultado desde 2010 no setor automotivo e o melhor da série histórica (desde 2002) na indústria alimentícia. Além disso, houve alta nos segmentos de máquinas e equipamentos (13,9%), produtos de metal (12,3%) e da indústria da transformação (6,9%).

Comparativo - No comparativo com outubro do ano passado, houve crescimento de 39,8% na fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias e 19,5% na fabricação de alimentos. Os resultados também são os mais significativos desde 2007 e 2006, respectivamente.

Razões - Francisco Castro, pesquisador do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), aponta como motivos do crescimento a qualidade da produção local, com recepção no mercado global, a abertura de novos mercados para alimentos e a diversificação da indústria paranaense.

Alimentos - “O setor de alimentos vem se recuperando da quebra das safras e há crescimento no setor de carnes, impulsionado pelo potencial de venda para países asiáticos com novas medidas sanitárias”, pontuou. “Além do crescimento do setor de papel e celulose, o que mostra que o Paraná tem capacidade de diversificação. Esses fatores levam a cenário ainda mais otimista para os próximos meses.”

Ano - Entre janeiro e outubro de 2019, frente a igual período do ano anterior, Paraná (6,9%) e Rio Grande do Sul (3,7%) apontaram os avanços mais elevados. Amazonas (2,9%), Goiás (2,8%), Santa Catarina (2,6%), Ceará (1,2%), Rio de Janeiro (0,9%) e São Paulo (0,4%) também registraram taxas positivas no período.

Queda - Houve queda, no entanto, em sete dos quinze locais pesquisados, o que ajudou a puxar o índice nacional para baixo (-1,1%). Registraram números negativos Espírito Santo (-14%), Minas Gerais (-4,6%), Região Nordeste (-4%), Mato Grosso (-3,6%), Bahia (-2,8%), Pernambuco (-2,6%) e Pará (-1,3%).

Doze meses - Entre novembro de 2018 e outubro de 2019 (acumulado dos últimos doze meses), a indústria paranaense cresceu 5,9% e apresentou alta frente ao dado encerrado em setembro, de 5,2%. Apenas cinco locais apontaram maior dinamismo, segundo o IBGE: Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo e Mato Grosso, além do Paraná. A indústria nacional recuou -1,3% no período.

Outubro-outubro - Na comparação com outubro de 2018, o setor industrial nacional mostrou crescimento de 1%, com sete locais apontando resultados positivos. O Paraná cresceu 9,4%, segundo melhor resultado do País, atrás apenas de Goiás (11,2%). Também cresceram Amazonas, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso e Pernambuco.

Setembro-outubro - Em outubro de 2019, na série com ajuste sazonal, sete dos quinze locais pesquisados mostraram taxas positivas, acompanhando o crescimento (0,8%) da indústria nacional – o Paraná não oscilou. Os avanços mais acentuados foram os de Goiás e do Amazonas.

Estado projeta fechar ano com R$ 20 bilhões anunciados - O Governo do Estado já soma R$ 17,96 bilhões em investimentos privados anunciados, em negócios que deverão gerar 14 mil novos empregos, mas a expectativa é encerrar 2019 com anúncios na casa de R$ 20 bilhões. O resultado é fruto do trabalho realizado pela Invest Paraná, agência estadual responsável pela prospecção de novos negócios e atração de empresas.

Resultado - O balanço é resultado dos anúncios de larga escala da Klabin, Grupo Madero, cooperativas, e indústrias alimentícias e automobilísticas, e das rodadas nacionais e internacionais de negociações com investidores (Paraná Day).

Otimismo - O ano de 2020 deve ser ainda mais promissor para a indústria, aponta pesquisa da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep). Segundo a consulta anual da entidade sobre práticas e expectativas, 80% dos industriais do Estado estão otimistas - 70% preveem aumento das vendas, 57% esperam melhorias na conjuntura econômica e 49% apostam em abertura de novos mercados.

Mostra - A mostra coletada representa 50,8 mil estabelecimentos industriais de todos os portes (micro, pequena, média e grande) e de 37 segmentos, que geram 765 mil empregos no Estado. Refletindo a expectativa positiva para 2020, 82% dos empresários pretendem realizar investimentos.

Estratégias - Ao serem questionados sobre as estratégias mais relevantes para suas empresas, 52% dos entrevistados pela pesquisa apontaram que o desenvolvimento de novos negócios será a prioridade em 2020. Outros 42% pretendem aumentar o foco no cliente, e 39% têm planos de incorporar novos produtos ao seu portfólio. (Agência de Notícias do Paraná)

 

INFRAESTRUTURA: Mutirão com investimento de R$ 100 milhões vai recuperar rodovias

infraestrutura 11 12 2019O Governo do Paraná vai destinar R$ 100 milhões para a recuperação de diversas rodovias em todo o Estado. A maior parte do investimento será destinada às regiões Norte e Noroeste, dentro do mutirão que será implantado ainda neste ano pela Secretaria de Estado da Infraestrutura e Logística. O repasse de recursos foi determinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e anunciado nesta terça-feira (10/12), durante reunião do secretariado, no Palácio Iguaçu.

Recursos - Os recursos virão do governo federal como parte do que cabe ao Paraná no leilão de petróleo do pré-sal, realizado em novembro. “As rodovias do Paraná necessitam de investimento, por isso a determinação. Pegamos o Estado com estradas sucateadas, então demora certo tempo para colocar tudo em ordem. Mas estamos atentos”, afirmou o governador.

Total investido - Ratinho Junior ressaltou que já foram investidos desde o início do ano e até o momento R$ 500 milhões na recuperação da malha viária estadual. A prioridade, disse ele, é garantir mais conforto e segurança para o usuário. “A infraestrutura tem sido uma das nossas grandes prioridades”, enfatizou.

Opção - O secretário da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex explicou que a opção pelo Norte e Noroeste se deve ao fato de a região concentrar o maior número de estradas danificadas, segundo levantamento do Departamento de Estrada e Rodagem do Paraná (DER-PR). “São rodovias que ficaram abandonadas por algum tempo, com os investimentos sendo priorizados para as áreas urbanas”, disse.

Balanço - Na reunião, Sandro Alex fez uma apresentação das realizações da Secretaria da Infraestrutura e Logística em 2019. Além da melhoria da malha viária do Estado, ele ressaltou ações importantes que saíram do papel neste ano, com destaque para o programa de aviação regional Voe Paraná e o início do novo processo de concessões de rodovias, em parceria com o governo federal.

Retomada - O secretário também citou a retomada de obras estruturantes com a efetivação dos acordos de leniência entre o Ministério Público e as permissionárias que administram atualmente as praças de pedágio no Paraná. Os acordos permitirão mais de R$ 500 milhões em investimento. “O grande objetivo, um dos pilares do governo, é fortalecer a infraestrutura. Avançamos, mas ainda há muito o que fazer”, afirmou Sandro Alex.

Novo pedágio - O secretário lembrou que a partir de 2021 o Paraná terá uma nova formatação de pedágio, com as concessões de rodovias saltando de 2,5 mil quilômetros para 4,1 mil quilômetros, com a criação de um Anel de Integração remodelado.

Modelagem moderna - Ele explicou que o objetivo é garantir uma modelagem moderna de concessão. “O que estamos propondo no lote de concessões do Paraná, que é o maior do Brasil, é uma modelagem com menores tarifas, que garanta valor justo para os usuários e investimentos importantes”, destacou.

Híbrida - A proposta é utilizar uma modelagem híbrida, que prevê a menor tarifa com a maior outorga, para evitar que empresas aventureiras se ancorem no preço da tarifa e não consigam cumprir o que está previsto na licitação. Também está previsto um modelo em que o usuário que utiliza mais as rodovias pague tarifas menores, o chamado Desconto ao Usuário Frequente (DUF).

Trechos - O novo programa de concessões rodoviárias passará a funcionar seguindo a lógica dos pedágios federais que já funcionam no Estado, unindo corredores em formato de mosaico. Entre as ligações, destaque para o elo Guaíra-União da Vitória e o reforço na ligação com São Paulo pelo Norte Pioneiro.

Outros pontos - Outros pontos importantes da lista de concessões são as modernizações da PR-323, entre Maringá e Guaíra, uma demanda antiga do setor produtivo do Estado; e da PR-280, que corta o Sudoeste e é uma ligação muito usada no transporte entre o Brasil e a Argentina.

Contratos - Os contratos com as atuais concessionárias foram assinados em 1997 e se encerram em 2021. O polígono geométrico interliga Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, Cascavel, Foz do Iguaçu, Campo Mourão, Maringá, Paranavaí, Londrina e Paranaguá.

Voe Paraná - O Voe Paraná reconectou 12 cidades do Interior a Curitiba. É o maior programa de aviação regional da Gol no País. Serão 70 voos semanais neste primeiro momento, com possibilidade de aumentar o fluxo em função da demanda e do ingresso de Apucarana e Guarapuava na lista.

Municípios - São atendidos atualmente os seguintes municípios: Arapongas, Paranavaí, Guaíra, Paranaguá, Campo Mourão, Cianorte, Telêmaco Borba, Cornélio Procópio, União da Vitória e Francisco Beltrão.

Presenças - Participaram da reunião do secretariado o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Hussein Bakri; e os vice-líderes Tiago Amaral e Soldado Adriano José. (Agência de Notícias do Paraná)

 

LEGISLATIVO: Congresso aprova plano plurianual para os próximos quatro anos

legilativo 11 12 2019O Congresso Nacional aprovou nesta terça-feira (10/12) o Plano Plurianual (PPA) para o período 2020-2023 (PLN 21/19). O texto aprovado é o substitutivo do relator do projeto, senador Oriovisto Guimarães (Pode-PR). A proposta seguirá para sanção.

Emendas - Durante a análise na Comissão Mista de Orçamento (CMO), o relator incorporou ao texto, total ou parcialmente, 326 das 542 emendas apresentadas. As demais 216 ou foram inadmitidas ou acabaram rejeitadas.

Primeira infância - O projeto do PPA foi encaminhado ao Congresso pelo Poder Executivo. Segundo o governo do presidente Jair Bolsonaro, o objetivo do PPA é priorizar as políticas públicas para a primeira infância. “O projeto trouxe essa visão, e vários programas espelham a importância conferida à criança”, afirmou Oriovisto Guimarães. “Apesar do cenário fiscal desfavorável, houve acolhimento de uma emenda que garante os recursos necessários à ampliação desse atendimento”, ressaltou.

Diretrizes - O Plano Plurianual estabelece, de forma regionalizada, as diretrizes, os objetivos e as metas da administração pública para as despesas de capital e outras delas decorrentes e para as relativas aos programas de duração continuada. As demais leis orçamentárias (como LDO e LOA) seguem essas linhas gerais do PPA.

Total - No total, a proposta do governo Bolsonaro representa ações no valor de R$ 6,8 trilhões no período de quatro anos e estabelece cinco eixos principais – econômico, social, infraestrutura, ambiental e institucional –, mais a estratégia de defesa, consubstanciados em 13 diretrizes e 15 temas.

Modelo conceitual - O senador Oriovisto Guimarães concordou com a estrutura do modelo conceitual enviado pelo Poder Executivo – que inovou em relação ao atual PPA, aprovado no governo Dilma Rousseff. No total, estão previstos 66 programas e 61 metas quantificáveis. O atual PPA é bem mais extenso, com 54 programas, 304 objetivos e 1.136 metas.

Crítica - Na reunião desta terça da Comissão Mista de Orçamento, o deputado Edmilson Rodrigues (Psol-PA) criticou o modelo adotado para o próximo Plano Plurianual. Segundo ele, ao resumir demais o PPA, não houve a definição dos objetivos e das metas que serão buscados. “Do jeito que está, o governo Bolsonaro pode fazer o que quiser”, reclamou.

Principais pontos - O relator criou três novos programas, por meio de desmembramento de outros, nas áreas de educação especial, educação infantil e prevenção e controle do desmatamento e dos incêndios nos diferentes biomas nacionais. Também definiu que órgãos e entidades do governo deverão elaborar planejamentos estratégicos alinhados ao PPA 2020-2023.

Eleição - Oriovisto Guimarães manteve os critérios de eleição dos projetos prioritários para 2020-2023. Mas elevou de R$ 16,5 bilhões para R$ 54 bilhões os investimentos previstos. Para tanto, foram aprovadas total ou parcialmente 216 das 330 emendas que tratavam desses temas. Parte desses recursos, conforme o parecer, poderão ser objeto de emendas parlamentares impositivas.

Limite - Além de propor mudanças na governança do PPA, o relator limitou em 25% do valor da carteira a possibilidade de o Poder Executivo alterar a lista desses investimentos prioritários. Ele sugeriu ainda que o Congresso Nacional passe a exigir, além dos relatórios sobre os resultados alcançados, a defesa desses dados, pelos gestores do governo, perante a Comissão Mista de Orçamento. (Agência Câmara)

 

ANS: Brasil tem 47,2 milhões de beneficiários de planos de saúde

ans 11 12 2019Dados divulgados na sexta-feira passada (06/12) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) revelam que, em outubro, o Brasil registrou 47.255.912 beneficiários em planos de assistência médica. Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve leve oscilação positiva, de 71,2 mil usuários.

Unidades da federação- O levantamento mostra que 15 unidades da federação registraram crescimento, e os níveis mais expressivos foram observados nos estados de Minas Gerais, do Rio de Janeiro e de Goiás. A ANS ressalta, porém, que os números não são definitivos e podem sofrer algumas modificações retroativas em função das revisões efetuadas pelas operadoras.

Planos odontológicos- O número de usuários de planos exclusivamente odontológicos também cresceu, mantendo a trajetória de evolução que está em cursos nos últimos anos. Em outubro deste ano, foram registrados 25.677.129 usuários, cerca de 1,5 milhão a mais do que outubro de 2018. Os estados com os avanços mais significativos estão no Sudeste: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. (Agência Brasil)

 

 

PESQUISA: WhatsApp é principal fonte de informação do brasileiro

pesquisa 11 12 2019Uma pesquisa realizada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado mostrou o WhatsApp como principal fonte de informação dos entrevistados: 79% disseram receber notícias sempre pela rede social.

Usuários - O ambiente possui mais de 136 milhões de usuários no Brasil, sendo a plataforma mais popular juntamente com o Facebook.

Outras fontes - Depois do Whatsapp, outras fontes foram citadas, misturando redes sociais e veículos tradicionais na lista dos locais onde os brasileiros buscam se atualizar. Apareceram canais de televisão (50%), a plataforma de vídeos Youtube (49%), o Facebook (44%), sites de notícias (38%), a rede social Instagram (30%) e emissoras de rádio (22%). O jornal impresso também foi citado por 8% dos participantes da sondagem e o Twitter, por 7%.

Televisão - No caso da televisão, o percentual foi maior entre os mais velhos: 67% dos consultados com mais de 60 anos disseram se informar sempre por esse meio, contra 40% na faixa entre 16 a 29 anos.

Youtube - Já o Youtube apareceu como mais popular entre os mais jovens. Os que afirmaram ver vídeos sempre na plataforma chegaram a 55% na faixa de 16 a 29 anos, contra 31% entre os com 60 anos ou mais.

Instagram - No caso do Instagram, a diferença é ainda maior. Entre os jovens, 41% relataram buscar informações sempre na rede social. Já na faixa dos 60 anos ou mais, o índice caiu para apenas 9%.

Hábitos - A pesquisa também avaliou os hábitos dos entrevistados nas redes sociais. O tipo de ação mais comum foi a curtida de publicações, ato realizado sempre por 41% dos participantes da sondagem. Em seguida, vieram compartilhamento de posts (20%), publicar conteúdos (19%) e comentar mensagens de outros (15%).

Método - A pesquisa ouviu 2.400 pessoas com acesso à internet em todos os estados e no Distrito Federal. As entrevistas foram realizadas por telefone no mês de outubro. A amostra foi composta de modo a buscar reproduzir as proporções da população, como as de gênero, raça, região, renda e escolaridade. Segundo os autores, o nível de confiança é de 95%, com margem de erro de dois para mais ou para menos. (Agência Brasil)

 

ARGENTINA: Em posse, Fernández fala em reerguer economia e cita relação com Brasil

argentina 11 12 2019O novo presidente da Argentina, Alberto Fernández, assumiu o cargo que ocupará pelos próximos quatro anos e fez um discurso em que celebrou a democracia, no qual recordou que há 36 anos assumia o primeiro presidente eleito do país, Raul Alfonsin, colocando fim à ditadura militar.

Aprendizado - “Aprendemos que a debilidade e deficiência da democracia só resolve com mais democracia. Por isso, reivindico o compromisso democrático, da convivência com os argentinos apesar das diferenças que possam existir”, afirmou.

Convocação - “Venho a convocar a unidade de toda a Argentina em favor um novo contrato social, fraterno e solidário, porque este é um tempo de emergência no qual primeiro temos que atender os mais necessitados, e depois os demais. Vamos começar pelos últimos para chegar a todos”, disse Fernández.

Temas - O presidente falou longamente sobre a situação da economia, a pobreza, o desemprego e aperto das famílias e das empresas e prometeu oferecer um sistema de crédito não bancário com baixas taxas. “A economia familiar está asfixiada por alto nível de endividamento. As PMEs estão em dificuldade e temos grande capacidade ociosa”, disse, apontando que apresentará um “acordo básico de solidariedade e emergência” com trabalhadores, empresários e cidadãos do campo.

Aviso - No discurso, Fernández também avisou que seu governo não seguirá o projeto de lei de orçamento enviado pelo ex-presidente Mauricio Macri. “Não daremos tratamento do orçamento do governo de Mauricio Macri para 2020 porque os números não correspondem à realidade”, anunciou.

Economia produtiva - “Devemos voltar a desenvolver uma economia produtiva para gerar capacidade de pagamento. É preciso ressaltar que o governo anterior deixou a Argentina em uma situação virtual de default”, comentou Fernández, em relação à dívida argentina.

Dívida - Neste contexto, reiterou que seu governo vai “encarar a dívida externa, mas para poder pagar primeiro temos que crescer”. Também deixou claro que terá uma “relação construtiva e cooperativa com o Fundo Monetário internacional (FMI) e com os credores privados”.

Sem capacidade - Segundo Fernández, a Argentina “tem vontade de pagar, mas não tem capacidade. Queremos resolver o problema da dívida e para isso temos que trabalhar responsavelmente e não com planos que não podemos cumprir”.

Relações internacionais - Sobre a relações internacionais, o novo presidente argentino declarou que o objetivo é que estas sejam maduras e que seu governo pretende ampliar o comércio com todos os países. “A chancelaria terá como foco atrair investimentos estrangeiros ao país. Queremos fortalecer a América Latina e o Mercosul”, afirmou.

Brasil - Em seu pronunciamento, Fernández fez menção direta ao Brasil, principal parceiro comercial da Argentina. “Particularmente com o Brasil, temos que construir uma agenda ambiciosa, produtiva e estratégica, com uma relação que vai além de qualquer diferença pessoal ou ideologia que quem governa nesta conjuntura”, afirmou.

Paz - Aos líderes mundiais em geral, Fernández apontou que “o único caminho possível é o da paz e da diplomacia”. Fernández ainda defendeu a unidade regional e citou os crescentes protestos contra a desigualdade e a agenda de medidas liberais nos países sul-americanos, como Chile e Colômbia mais recentemente.

América Latina unida - “Continuarei apostando por uma América Latina unida, para inserir com sucesso e com dignidade no mundo”, afirmou. ”Sabemos que se trata de um mundo altamente complexo. Com graves problemas e desequilíbrios econômicos. Cresceram em vários países movimentos autoritários, tem havido golpes de Estado e, ao mesmo tempo, crescem reclamações citadas contra o neoliberalismo e a desigualdade social.”

Defesa - O novo presidente disse que, em qualquer cenário, a Argentina fará a defesa dos princípios de paz, de defesa da democracia e de pleno vigor dos direitos humanos. “Defenderemos a liberdade e autonomia dos povos para decidir seus próprios destinos.”

Mulheres - Sobre os direitos das mulheres, Fernández afirmou que fará todos os esforços necessários para estejam em um “primeiro plano”. “’Nem uma menos’ deve ser uma bandeira de toda a sociedade e de todos os poderes da República. É dever do Estado reduzir drasticamente a violência contra as mulheres até a sua erradicação”, disse, numa referência ao movimento feminista que luta contra os assassinatos de mulheres e pela igualdade de direitos.

Ilhas Malvinas - Fernández também fez referência a sensível questão da soberania das ilhas Malvinas (Falklands para o Reino Unido). “Reafirmamos nosso mais firme compromisso com o cumprimento da Cláusula Transitória Primeira da Constituição Nacional e trabalharemos incansavelmente para potencializar a legítima reivindicação pela soberania sobre as ilhas Malvinas, Georgias do Sul e Sandwich do Sul e pelos espaços marítimos e insulares correspondentes”, afirmou. “Trabalharemos por uma resolução pacífica e sobre a base do diálogo. Não há mais lugar para colonialismos no século 21.” (Valor Econômico)

 

OPINIÃO: Engenharia para a vida

opiniao 11 12 2019*Ricardo Rocha

Neste dia 11 de dezembro, comemoramos o Dia do Engenheiro. São 86 anos desde a regulamentação dessa profissão que escolhi para minha vida, na década de 1980. Mesmo com mais de 30 anos de atuação, ainda me surpreendo com os avanços e inovações que estão ligados às engenharias, que têm em comum a missão nobre de promover melhorias para nossa sociedade, a partir de conhecimento e técnicas aplicadas.

Tenho visto histórias de vida e o reflexo das transformações de nosso mundo por meio dessa profissão. E o Paraná tem sempre um capítulo de destaque nessa trajetória da engenharia - por exemplo, quando teve a primeira engenheira civil do Brasil, Enedina Alves Marques, dando início a um processo de igualdade de oportunidades para homens e mulheres. Formada em 1945 e reconhecida como uma das maiores engenheiras do país, Enedina tem em sua trajetória obras grandiosas como a usina Capivari-Cachoeira, em Antonina, considerada a maior central hidrelétrica subterrânea do sul do país.

Ainda antes dela e até mesmo antes da regulamentação da profissão em 1933, tivemos muitos engenheiros formados pela então Escola de Engenharia criada em 1912, passando depois para Faculdade de Engenharia e finalmente integrando a grade de cursos ofertados pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Por muito tempo, o Paraná foi o responsável pela formação de muitos engenheiros em toda a América Latina, que era carente de oferta de cursos nessa área. Até 1970, por exemplo, só havia a formação de engenheiros no Paraná na nossa capital, sendo o início dos anos 70 do século XX o marco de expansão de escolas de engenharia no interior, inicialmente em Londrina, Maringá e Ponta Grossa.

A escassez de oferta fez com que nosso Estado atraísse mentes brilhantes e desenvolvesse líderes de visão e ação, como o engenheiro civil Bento Munhoz da Rocha Neto que, além de ter sido considerado uma referência nessa área, tornou-se um dos mais importantes governadores do Estado, responsável pelas obras do Centro Cívico em Curitiba, com a edificação do Palácio Iguaçu, do Palácio da Justiça, da Biblioteca Pública do Paraná e do Teatro Guaíra, além de ser um dos fundadores da Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel).

Hoje, a engenharia segue formando líderes que transformam nossas cidades, nossos campos, nossas casas, promovendo o desenvolvimento e o processo de melhoria contínua em nossas vidas, em nosso planeta. Só no Paraná, são cerca de 83 mil engenheiros registrados, trabalhando pelo progresso acelerado que temos visto em nosso dia a dia. Com apoio de muita inovação, situações que costumavam ter soluções morosas e dispendiosas são tratadas com a velocidade e a sustentabilidade que essa nossa era digital pede.

A energia limpa, que substituirá o uso de petróleo, será realidade em 15 anos. Segundo a consultoria britânica Wood Mackenzie, 2035 será o ano de virada, em que as fontes renováveis de energia – eólica, hídrica, solar – serão prioritárias em qualquer área, do transporte, passando pelo comércio, construção, até a indústria. Para haver condições de mercado para essa transformação, os engenheiros têm trabalhado em soluções mais inovadoras e disruptivas que em qualquer outro momento de nossa história.

Na construção civil, são as construtechs (startups do setor) que estão revolucionando o jeito de construir e de morar, com sistemas de chave digital, montagem de casas e prédios com processo industrial e tantas outras alternativas que mudarão para sempre esse setor.

As transformações são rápidas. A engenharia caminha na mesma velocidade da revolução 4.0 que está impactando nossa existência e nosso jeito de viver. Os engenheiros que não integrarem as novas tecnologias a suas entregas ficarão obsoletos. Mas há uma questão central que não mudou, nem mudará jamais, não importa a velocidade que o mundo estiver girando: é a essência da engenharia, de qualquer engenharia, que é e pra sempre será a qualidade de vida do ser humano em nosso planeta . Tem sido assim desde o início dessa profissão e enquanto houver vida, haverá um engenheiro para que ela seja aproveitada em seu melhor.

*Ricardo Rocha é engenheiro civil e presidente do Crea-PR

 


Versão para impressão


RODAPE