Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4931 | 20 de Outubro de 2020

ENCONTRO DE NÚCLEOS I: Mais de 100 líderes cooperativistas do Centro-Sul do Paraná participam de evento digital do Sistema Ocepar

Um total de 110 cooperativistas da região Centro-Sul do Paraná acompanharam, na tarde desta segunda-feira (19/10), o Encontro Digital de Núcleos Cooperativos. O evento foi o primeiro de uma série de quatro reuniões descentralizadas que também acontecem nesta semana com lideranças do cooperativismo do Oeste, Norte/Noroeste e Sudoeste. Realizado de forma virtual, devido à pandemia da Covid-19, o encontro tem como objetivo fortalecer a aproximação entre o Sistema Ocepar e as cooperativas, alinhando estratégias para a defesa e expansão do setor, com espaço para a discussão das demandas específicas de cada região. A Frísia foi a anfitriã do evento, apresentando aos demais participantes uma explanação sobre a história e o modelo de negócios da cooperativa.

Alinhar estratégias- “O Encontro de Núcleos, em sua primeira edição digital, mantém o mesmo propósito desde que passou a ser realizado, na década de 1990, que é dialogar abertamente com as lideranças do cooperativismo do Paraná, ouvindo e conhecendo as demandas de cada região, assim como também alinhando estratégias e debatendo temas de relevância para o setor, como perspectivas da economia e cenários políticos do país”, explicou o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, que abriu o evento, juntamente com o vice-coordenador do Núcleo Centro-Sul e diretor da Ocepar, Jorge Karl, presidente da Cooperativa Agrária Agroindustrial.

Presenças- O presidente do Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), Márcio Lopes de Freitas, o superintendente Renato Nobile e a gerente geral Tânia Zanella acompanharam o evento, juntamente com o presidente da Frísia, Renato Greidanus, o presidente da Unimed Paraná, Paulo Roberto Fernandes Faria, o diretor da Ocepar, Frans Borg (Castrolanda), o conselheiro do Sescoop/PR e diretor da Fecoopar, Luiz Roberto Baggio, que preside a cooperativa Bom Jesus, além dos conselheiros fiscais Erik Bosch (presidente da Capal) e Artur Sawatzky (presidente da Witmarsum), e Popke Ferdinand Van der Vinne (presidente da Sicredi Campos Gerais), membro do conselho fiscal da Ocepar. Também presente, o diretor da Ocepar, Wilson Cavina, presidente do Sicoob Central Unicoob.

Homenagem - Antes de iniciar a reunião, os participantes fizeram um minuto de silêncio em homenagem ao líder cooperativista Mário Lanznaster, presidente da Cooperativa Aurora, falecido no último domingo (18/10), em Chapecó (SC). Na sequência, o superintendente da Frísia, Mario Dykstra, fez uma explanação sobre a cooperativa, e o professor do Isae/FGV, Robson Gonçalves, ministrou palestra sobre “Cenários econômicos para os negócios cooperativos”.

Planejamento - Depois, o presidente do Sistema Ocepar José Roberto Ricken, em conjunto com o superintendente Robson Mafioletti, apresentou os pilares e o cronograma para a implantação do novo planejamento estratégico do cooperativismo do Paraná, o PRC 200. O superintendente da Fecoopar (Federação das Cooperativas do Paraná), Nelson Costa, e o superintendente do Sescoop/PR (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo), Leonardo Boesche, apresentaram os trabalhos realizados pelas respectivas entidades em 2020.

OCB - Na sequência, a gerente geral da OCB, Tânia Zanella, falou sobre as ações da entidade, em especial os trabalhos de acompanhamento e defesa política do cooperativismo no Congresso Nacional, com o apoio da Frencoop – Frente Parlamentar do Cooperativismo. Devido ao modelo virtual, sem necessidade de deslocamentos, o que favoreceu a presença de um número maior de cooperativistas, a primeira reunião da 56ª edição do Encontro de Núcleos teve recorde de participantes no Centro-Sul.

Reuniões - Na tarde desta terça-feira (20/10), o evento prossegue com representantes do Oeste e a Frimesa será a cooperativa anfitriã. Na quarta-feira (21/10), haverá a participação das lideranças no Norte e Noroeste, tendo como anfitriãs a Unitá e a Coagru. A série encerra na quinta-feira (22/10), com participantes do Sudoeste, tendo a Coasul e o Sicredi Iguaçu como anfitriãs.

ENCONTRO DE NÚCLEOS II: Vídeo produzido pelo Sistema Ocepar mostra atuação da bancada paranaense na Frencoop

 

encontro frencoop 20 10 2020O Programa de Educação Política parana.coop+10, coordenado e lançado pelo Sistema Ocepar em 2018, contribuiu para a eleição de uma bancada parlamentar comprometida com a defesa das demandas das cooperativas paranaenses. Atualmente, a Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop) atua no Congresso Nacional com a participação de 14 deputados federais e dois senadores paranaenses. No total, a Frente conta com a participação de 303 parlamentares. Este vídeo, produzido especialmente para as reuniões do Encontro de Núcleos Cooperativos, que acontecem nesta semana, mostra um pouco do que já foi realizado em Brasília em prol do setor cooperativista liderado pelo Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), em Brasília. Clique aqui para conferir.

 

 

 

COVID-19: Confira os destaques do comunicado 140 do Comitê de Acompanhamento

covid 19 destaque 20 10 2020A realização, nesta semana, do Encontro Digital de Núcleos Cooperativos é um dos destaques do comunicado 140 do Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar, emitido nesta segunda-feira (19/10). Ainda de acordo com o boletim, o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) agendou para o dia 29 de outubro uma reunião para deliberar sobre os convênios de ICMS números 52/1991 e 100/1997. Veja abaixo.

1. O Sistema Ocepar está realizando, de 19 a 22 de outubro, o Encontro de Núcleos Cooperativos, de forma digital, para tratar de assuntos estratégicos para o desenvolvimento contínuo das cooperativas paranaenses. Clique aqui para inscrição.

2. No dia 16 de outubro, o Sistema Ocepar realizou Fórum de Energia, com o objetivo de discutir oportunidades de investimentos em projetos de geração ou aquisição de energia a longo prazo. Na reunião foram apresentados para as cooperativas dois modelos de geração, sendo o primeiro projeto na área de sistema fotovoltaico e o segundo projeto em sistema eólico.

3. No dia 18 de outubro, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, participou do webconferência do RIC Rural Summit 2020, com o tema Agronegócio e Cooperativismo, Reinicialização do Mundo.

4. O Grupo G7, formado pelas entidades empresariais do Paraná, no dia 16 de outubro, realizou reunião ordinária para tratar de assuntos de interesse dos setores produtivos.

5. O Confaz agendou para o próximo dia 29 de outubro reunião para deliberar sobre os convênios dos ICMS nos 52/1991 e 100/1997.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

UNIMED CASCAVEL: Modelo de APS da cooperativa é selecionado para projeto-piloto da ANS

A Unimed Cascavel está entre as 19 operadoras do Brasil selecionadas para um projeto-piloto de Atenção Primária em Saúde (APS). É mais um incentivo que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) dá para todo o país, estimulando a adoção de um modelo de atendimento em que a APS seja a porta de entrada para um cuidado voltado à promoção da saúde e à prevenção de doenças. A lista das operadoras escolhidas, que faziam parte de um grupo total de 47 inscritas, foi divulgada no dia 14 de outubro.

Projeto-piloto - O Projeto Cuidado Integral à Saúde é uma parceria da ANS com o Institute for HealthCare Improvement (IHI), a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade – SBMFC e o Hospital Alemão Oswaldo Cruz – HAOC. A Iniciativa faz parte do Programa de Certificação de Boas Práticas em Atenção à Saúde (PCBP) e é uma fase preparatória para a solicitação da certificação em APS. Serão 36 meses com o objetivo de acompanhar e consolidar as experiências de operadoras que estejam implementando ou que já tenham implementado um modelo de APS.

Modelo - “A Unimed Cascavel já tem desde 2013 um modelo de APS, que a gente chama de Atenção Personalizada à Saúde. Já em 2015, a cooperativa lançou o plano Unimed Personal, intensificando esse modelo com a inauguração do Centro de Atenção à Saúde (CAS). Agora, em 2020, a singular está expandindo o modelo para toda a carteira de beneficiários, não só para os do plano Personal. Isso significa que qualquer cliente da cooperativa que queira ter um atendimento diferenciado, com um médico de família, poderá acessar o CAS de Cascavel ou de Cafelândia”, explica Luciana Cavalli, coordenadora de Atenção Personalizada à Saúde da Unimed Cascavel. Em todos esses anos, a cooperativa tem reforçado os pilares da APS no atendimento aos pacientes:

1 • Acesso

Diz respeito à disponibilidade. Esse pilar assegura o paciente o contato com o médico de referência e com a equipe multiprofissional em visitas periódicas e em qualquer necessidade, mesmo em horários não comerciais.

2 • Coordenação do cuidado

Organiza e gerencia os cuidados em saúde, mesmo quando tais atendimentos forem realizados em outros níveis de atenção.

3 • Continuidade do cuidado

Refere-se a manter o vínculo com o indivíduo ao longo do tempo, de maneira que novas demandas, quando surgirem, possam ser resolvidas de maneira mais eficiente e efetiva.

4 • Integralidade

Este pilar garante atendimento integral às necessidades de saúde do indivíduo, considerando todos os aspectos biológicos, psicológicos e sociais.

Importante passo - “Termos sido selecionados pela agência que regulamenta nosso setor, por meio de um criterioso processo de adesão das operadoras ao programa de certificação em APS, representa mais um importante passo da atenção primária da Unimed Cascavel rumo à ampliação da população assistida pelo nosso Centro de Atenção à Saúde. Estar entre as 19 Operadoras do país nos faz reafirmar um compromisso com a qualidade, em que seremos medidos, acompanhados e monitorados pela ANS, com a obrigatoriedade de cumprir as metas dos indicadores e requisitos previamente estabelecidos. Isso é um audacioso desafio, acrescenta Cristiane Ezequiel, gerente de Promoção à Saúde da Unimed Cascavel.

Compromisso - Para Danilo Galletto, diretor-presidente da cooperativa, a inclusão da operadora neste seleto grupo é encarada com uma reafirmação do compromisso com a qualidade dos serviços oferecidos pela singular: “A nossa seleção é resultado de todo o trabalho que a Unimed Cascavel vem desenvolvendo para construir esse modelo tão elogiado no Brasil e no mundo. Isso representará um crescimento com sustentabilidade, além da melhoria do cuidado oferecido aos nossos beneficiários, uma vez que esse é o grande foco da Unimed Cascavel”, finaliza Galletto. (Imprensa Unimed Cascavel)

{vsig}2020/noticias/10/20/unimed_cascavel/{/vsig}

UNIUM: Consumo de trigo aumentou 15% durante pandemia

unium 20 10 2020O crescimento do consumo de pães, massas e biscoitos durante a pandemia aumentou em 15% a demanda por trigo no Brasil. É o que aponta o levantamento da Abimapi (Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados). Com o bom momento do cereal no mercado nacional, o estado do Paraná, maior produtor brasileiro de trigo, projeta uma safra recorde, entre 3,2 e 3,3 milhões de toneladas colhidas em 2020 - um aumento de 76% em relação ao ano passado.

Cooperativas - Dono da maior capacidade de moinhos instalada no país, com cerca de 60 unidades, o estado é responsável por quase 50% de todo o trigo produzido e possui alguns dos maiores players do setor alimentício. Em 2015, três indústrias cooperativas (Frísia, Castrolanda e Capal) implantaram na região dos Campos Gerais um moinho responsável por abastecer a produção de 25 tipos diferentes de farinha de trigo.

Abastecimento - O coordenador de negócios do moinho de trigo da Unium, marca institucional do grupo de cooperativas, Cleonir Vitorio Ongaratto, explica que o ‘boom’ de consumo não interferiu no abastecimento, já que o setor paranaense deve apresentar um acréscimo de 1,6 milhão de toneladas de trigo nesta safra. “Mesmo com a chegada da pandemia, o setor de produção de alimentos seguiu o ritmo normal, já que, além de essencial, precisou atender ao aumento de demanda dos varejistas. No caso do moinho, a boa estrutura e o planejamento antecipado possibilitaram atender a essa necessidade do mercado”, afirma Ongaratto.

Tratamento do trigo - A Unium conta com sua marca própria de farinha de trigo - Herança Holandesa - que passa por diversos processos até chegar ao consumidor final, desde sua originação e segregação, até o melhoramento e rastreabilidade, com qualidade atestada por análises de umidade, pH, alveografia, farinografia, amido danificado, cor, cinzas, número de queda, glúten, extensiografia, microscopia e micotoxinas. A alta tecnologia proporciona a produção de 25 tipos de farinha de trigo para a comercialização nos setores industrial e varejista, entre elas a Herança Holandesa Premium, Herança Holandesa Tradicional e Precisa.

Qualidade final - “Com uma farinha dita tradicional, você consegue fazer qualquer tipo de alimento oriundo do trigo, mas a qualidade final sempre é perceptível, seja pela dona de casa ou por uma empresa do ramo alimentício. Cada tipo de farinha de trigo tem seu mercado indicado e seu grau de pureza”, acrescenta o coordenador da Unium.

Leite e carne suína - Além de forte atuação no segmento de cereais, a Unium conta com o processamento diário de 3,4 milhões de litros de leite e um volume de carne suína produzida que ultrapassa 113 mil toneladas ao ano, assim como mais de 129 mil toneladas de trigo processadas em 2019.

Sobre a Unium - Marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, a Unium representa os projetos em que as cooperativas paranaenses atuam em parceria. Todas as marcas reunidas pela Unium, inclusive a Alegra, são reconhecidas pela qualidade e excelência. A Unium também conta com três marcas de lácteos: Naturalle – de produtos livres de aditivos -, Colônia Holandesa e Colaso. No setor de grãos, a Unium conta com a marca Herança Holandesa – farinha de trigo produzida em uma unidade totalmente adequada à ISO 22000, o que a qualifica com elevados padrões de exigência. (Imprensa Unium)

 

CASTROLANDA: Jovem cooperativista participa de encontro internacional sobre o futuro do agronegócio

O festival Youth World Food Day, realizado de maneira virtual na última sexta-feira (16/10), em comemoração ao Dia Mundial da Alimentação, contou com a participação de profissionais, empresas e jovens ligados aos sistemas agroalimentares em todo mundo. Entre eles, Júlio Netto, Diretor Vogal da Comissão dos Jovens Cooperativistas da Castrolanda, que integrou um painel específico direcionado as perspectivas dos agricultores para os próximos anos.

Transformação - Júlio tem 19 anos, é estudante de agronomia, produtor rural que atua na produção de soja, milho, trigo e feijão no interior de São Paulo. Durante sua participação, o filho de cooperado da Castrolanda, enfatizou que é necessária uma transformação, buscando soluções inovadoras e indo além de questões técnicas. “No Brasil nossa agricultura está em constante crescimento. Vemos uma grande evolução nos investimentos em tecnologia e inovação. O que nós jovens precisamos fazer é ampliar esse acesso e garantir melhores resultados”, destacou.

Intercâmbio - O espaço, destinado ao intercâmbio entre profissionais agroalimentares, serviu para importantes levantamentos sobre os gargalos, adversidades e como (novas) coalizões podem ser iniciadas e fortalecidas. Em uma abordagem interativa que se desenrolou durante todo o dia, soluções inovadoras e discussões sobre os desafios para fortalecer os esforços e, coletivamente, alcançar mais impacto, fizeram parte do cronograma do encontro.

Comparativo - O convidado, inclusive, fez um comparativo com a preocupação dos consumidores de outros países. “Consigo observar que aqui, diferente de países como Holanda e Estados Unidos, por exemplo, ainda não há uma preocupação tão grande com a segurança dos alimentos e a sustentabilidade.”

Covid - Como não poderia passar, também fez parte das tratativas o impacto da Covid-19 e as medidas adotadas para minimizar os prejuízos da pandemia. Em uma análise bastante sólida, o jovem produtor destacou o forte impacto nos food services, o aumento do desemprego e a queda no PIB no país. Entretanto, ponderou também sobre a força do agronegócio, que se mantém como expoente da economia nacional. “O agro não parou e continuamos com o constante trabalho e crescimento. Na Castrolanda e nas propriedades, todas as medidas de segurança foram adotadas para prevenir a Covid, deste modo, os setores continuaram a receber nossos produtos – grãos, leite e carnes”. A participação no evento foi organizada pelas áreas de Inovação e Relacionamento com o Cooperado da Castrolanda.

Sobre a Castrolanda - O compromisso com a transformação faz parte do DNA da Castrolanda. Uma cooperativa que transforma vidas, negócios e a comunidade ao redor. Com 68 anos de história, a Cooperativa Castrolanda é formada por mais de 1100 cooperados no Estado do Paraná e interior de São Paulo.

Faturamento - Com 3,5 bilhões de reais de faturamento e aproximadamente 3500 colaboradores, possui unidades de negócios divididas em operações agrícola, carnes, leite, batata e administração e industrial - carnes, leite, batata e cerveja.

Objetivo - O objetivo das áreas de negócio é coordenar, desenvolver e fomentar as atividades dos cooperados, seguir presente em todos os elos da cadeia produtiva, agregar valor através das indústrias e crescer com sustentabilidade. (Imprensa Castrolanda)

{vsig}2020/noticias/10/20/castrolanda/{/vsig}

AGRÁRIA: Mais de duas mil pessoas acompanharam o conteúdo técnico do WinterShow 2020

O encerramento do WinterShow 2020 ocorreu na última quinta-feira (15/10), mas seu conteúdo técnico continua repercutindo nas plataformas digitais. Até o momento, as três seções de palestras apresentadas pelo evento contabilizam, somadas, mais de duas mil visualizações.

Mudanças - Promovido pela Cooperativa Agrária e pela Fapa (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária), o WinterShow, conhecido como o maior evento de cereais de inverno do Brasil, passou por algumas mudanças para a sua 17ª edição. Foram mantidas as visitas aos expositores e às parcelas onde são desenvolvidas as pesquisas da Fundação. Como medida de prevenção à pandemia da Covid-19, a programação de palestras foi toda realizada de forma online.

Democratização - Na avalição do Coordenador Administrativo da Fapa e da Assistência Técnica da Agrária, Márcio Mourão, a alternativa de disponibilizar o conteúdo técnico do WinterShow através das plataformas digitais ajudou a democratizar o acesso aos conteúdos abordados no evento. “A questão digital nos abriu um novo número de visitantes, que dificilmente conseguiriam acompanhar visitas a campo”, disse.

Importante - Para o cooperado Holger Gutfreund, o WinterShow é extremamente importante no desenvolvimento de culturas como cevada e trigo. “O evento é muito importante para nós, cooperados, para a sustentabilidade das culturas de inverno. Como somos uma das poucas regiões produtoras de cevada, o WinterShow ajuda a divulgar a cultura e adaptá-la às nossas características”, afirmou.

Agricultura - No encerramento do evento, o Diretor Presidente da Agrária, Jorge Karl, lembrou que, apesar das mudanças causadas pela pandemia, a agricultura seguiu com o seu ritmo de atividades, por isso a decisão da cooperativa em manter a realização do WinterShow. “Foi um evento diferente, mas que preservou seu conteúdo. Pudemos ter contato com o nosso público, mesmo de maneira online, porque os resultados gerados pelas pesquisas precisam chegar a quem está no campo”, destacou.

Patrocínio - O WinterShow 2020 teve o patrocínio ouro da Oro Agri, o patrocínio prata do Sicredi e patrocínio bronze da Rocha Terminais Logísticos e Portuários e do Sindicato Rural de Guarapuava.

Como foi o último dia de evento - O último dia de palestras do WinterShow 2020 começou com a participação do professor do curso de Agronomia da Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste) Cristiano Pott. O docente abordou os resultados iniciais do Projeto de Manejo e conservação do Solo na Região Centro-sul do Paraná. Na sequência, o pesquisador da Fapa Rodrigo Ferreira fez um relato sobre como os fenômenos atmosféricos interferem no clima da região.

Professor - Quem também falou ao público foi o professor da UFSJ (Universidade Federal de São João Del-Rei), Brenner Marra. Em sua palestra, ele mostrou ao público o incremento de tecnologias para a produção de bioinsumos.

Palestra - Coube ao palestrante Maurício Louzada realizar a última palestra do 17º WinterShow. Em uma conversa cheia de referências à formação do Distrito de Entre Rios (sede da Cooperativa Agrária), Louzada brindou o público com uma palestra motivacional sobre a importância de estar preparado para as transformações do dia a dia. (Imprensa Agrária)

{vsig}2020/noticias/10/20/agraria/{/vsig}

BOM JESUS: Dia de Campo de Inverno 2020 será em plataforma digital

bom jesus 20 10 2020A Cooperativa Bom Jesus é pioneira em trazer tecnologias para a agropecuária da região sudeste paranaense - e agora também no planalto norte catarinense – e, com a pandemia, apresenta um novo formato de evento para levar mais informações para os cooperados e produtores em geral. O Dia de Campo de Inverno 2020 será em formato digital em uma plataforma fácil de acessar e com todas as tecnologias que os cooperados poderão acessar. São 17 empresas parceiras que compõe o evento, apresentando tecnologias voltadas as culturas de trigo e cevada.

Conteúdos Especiais - A novidade fica por conta dos Conteúdos Especiais. A diretoria e equipe técnica da Cooperativa Bom Jesus falará sobre manejo das culturas de inverno com vídeos todos os dias! O primeiro vídeo especial será com o Diretor Secretário da Bom Jesus, Marcelo Luis Kosinski, com o tema "Culturas de Inverno: Importância no Mercado e Uso das Culturas na Propriedade".

Abertura - O Dia de Campo de Inverno 2020 será aberto ao público de maneira online no dia 26 de outubro, a partir das 8h00. A abertura do evento será feita por Luiz Roberto Baggio, Diretor Presidente da Cooperativa Bom Jesus, e Severino Giacomel, Gerente Técnico, em uma live transmitida na plataforma do Dia de Campo de Inverno e também pelo canal da Cooperativa Bom Jesus no Youtube (clique aqui e acesse).

Mais informações - Em breve mais informações sobre o acesso e como será feito o evento. (Imprensa Bom Jesus)

 

COOPAVEL: Embrapa confirma participação no Show Rural e lança o Mercosoja 2021

coopavel 20 10 2020A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) é uma das mais antigas parceiras da Coopavel na realização do Show Rural. Em visita ao coordenador do evento, Rogério Rizzardi, e à gerente Adriana Gomes, na manhã desta segunda-feira (19/10), pesquisadores da Embrapa confirmaram a participação da empresa no Show Rural Coopavel 2021 e aproveitaram para falar do lançamento e realização do 9º Congresso Brasileiro de Soja/Mercosoja 2021.

Evento técnico - Rizzardi e Adriana recepcionaram o pesquisador de Entomologia, Adeney de Freitas Bueno, o pesquisador de Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas Adilson de Oliveira Júnior e o pesquisador de Sementes e Biotecnologia Fernando Henning. O Congresso Brasileiro de Soja/Mercosoja 2021 é um dos maiores eventos técnicos nacionais destinados a aprofundar sobre uma das principais commodities produzidas no País.

Produção mundial - Com 119,9 milhões de toneladas produzidas nesta safra, o Brasil volta a superar os Estados Unidos e lidera a produção mundial da oleaginosa. O evento organizado pela Embrapa será realizado em Foz do Iguaçu no período de 28 de junho a 1º de julho de 2021. “Ficamos muito felizes com o anúncio, porque esse importante debate acontecerá em Foz, no Oeste do Paraná, considerada uma das grandes produtoras nacionais de soja”, de acordo com Rizzardi.

Parceria antiga - A Embrapa é uma das instituições que participam desde a primeira edição do Show Rural Coopavel, inaugurado em 1989. “E a participação dela é sempre marcante, porque traz o melhor em termos de resultados de pesquisas e estudos aos nossos visitantes”, pontua o presidente da Coopavel Dilvo Grolli. E na 33ª edição do Show Rural, de 1 a 5 de fevereiro de 2021, não será diferente. A Embrapa virá com força total. Tratará inúmeras informações e também fará o lançamento de novas soluções e cultivares aos produtores rurais. (Imprensa Coopavel)

 

COPAGRIL: Produtores rurais realizam o planejamento da safrinha 2021

copagril 20 10 2020A produção do campo está sujeita a muitos fatores de produção e alguns deles não são controláveis, como é o caso do clima, mas outros podem ser planejamos e executados para melhorar o potencial produtivo, como a escolha de sementes e insumos adequados. Contudo, se engana quem acha que isso é feito de uma hora para outra. Há produtor rural que já tem tudo planejado e está sempre de olho nas melhores ferramentas para a safra atual e as futuras. Assim, o planejamento da safra revela-se um fundamental aliado na hora de produzir.

Planejamento - Produtores rurais da área de ação da Copagril já começaram a cultivar a safra de verão 2020/2021 e mais do que isso, também iniciaram o planejamento para a safrinha 2021. Essa estratégia é muito importante para a escolha e aquisição dos insumos com antecedência, explica o engenheiro agrônomo da Copagril, Paulo Brunetto. “Esse trabalho antecipado facilita no planejamento da próxima safrinha 2021, pois o produtor colheu recentemente a safrinha atual e ainda consegue lembrar facilmente dos insumos que utilizou e com quais obteve bons resultados”, explica.

Campanha - E, nesse momento de planejamento para a safrinha 2021, a Copagril realiza a Campanha de Vendas Safrinha 2021, que tem como objetivo disponibilizar em tempo hábil os insumos desejados pelos cooperados e clientes, haja visto que alguns insumos podem não estar mais disponíveis no mercado nos períodos próximos à semeadura. “Além de garantir a disponibilidade do produto, a campanha também oportuniza preços e condições diferenciadas”, completa o profissional da Copagril.

Disponível - A equipe técnica da Copagril está disponível para orientar os cooperados e clientes sobre o planejamento da Safrinha 2021 e a campanha de venda segue em todas as Unidades Copagril. (Imprensa Copagril)

 

COCAMAR: Fornecedor, uma nova categoria de produtor que já nasce grande

Uma categoria ainda relativamente nova de produtor rural começa a ganhar dimensão com as oportunidades oferecidas por usinas no interior de São Paulo e outras regiões do país. Em recente viagem pela região oeste do estado vizinho, o Rally Cocamar de Produtividade 2020/21 foi saber como é isso.

Produzir para as usinas - O fornecedor, como é chamado no meio sucroenergético o arrendatário de terras que se especializa na produção de matéria-prima para as usinas, vai ganhando espaço com a tendência de essas companhias reduzirem sua operação na área agrícola para concentrar esforços e investimentos em suas estruturas industriais.

Já nasce grande - Assim, a figura do fornecedor – que nem sempre possui terras, mas cultiva grandes extensões com apurada visão empresarial e as mais avançadas tecnologias – vai se tornando comum.

Nova Agro - Sediado em Presidente Prudente (SP), o engenheiro agrônomo Fabiano Pontes fez carreira como diretor em usinas e há três anos, vislumbrando a oportunidade, decidiu começar o próprio negócio: fundou a Nova Agro para produzir cana em terras arrendadas junto a indústrias do setor. Pontes cultiva 14 mil hectares na soma das áreas em três estados, distribuídas pelo Pontal do Paranapanema, no oeste paulista, a região de Astorga, no norte do Paraná, e ao redor de Naviraí, ao sul do Mato Grosso do Sul.

Reduzir - Segundo ele, algumas usinas começam a diminuir sua presença na produção de matéria prima, mas devem, por questão estratégica, preservar uma participação de 40%, cuidando de canaviais num raio de até 40 quilômetros de distância das unidades industriais.

Mais uma oportunidade - Além do potencial para continuar crescendo como fornecedor no segmento canavieiro, Pontes se deparou mais recentemente com uma nova oportunidade para diversificar os negócios e avançar ainda mais rápido: o programa de renovação de áreas de cana e pastagens que vem sendo implementado pela Cocamar no Pontal do Paranapanema.

Todos ganham - Neste ano a cooperativa de Maringá (PR) arrendou cerca de 20 mil hectares de três usinas – Cocal, Atvos e Umoe Bioenergy, situadas respectivamente em Paraguaçu Paulista, Teodoro Sampaio e Sandovalina – e repassou para um grupo de 70 produtores cooperados que selecionou em seu quadro, para fazer a rotação com soja. Um bom negócio para todos: além da economia, as usinas ganham com a recuperação da fertilidade do solo e o consequente aumento da produtividade dos canaviais; os produtores, por sua vez, têm a chance de ampliar suas áreas de cultivo de soja, ao passo que a Cocamar, responsável pela organização dessa nova fronteira e a prestação de orientação técnica nas lavouras, se beneficia ao fornecer os insumos e receber a produção, cumprindo a função social de gerar mais renda aos cooperados.

Soja, um bom negócio - Pontes, que já havia arrendado 1,4 mil hectares junto a Atvos, em Teodoro Sampaio, incorporou mais 1 mil hectares no mesmo município, disponibilizado pelo programa da cooperativa. Ele conta que, até algum tempo, tinha receio de investir na renovação dos canaviais com soja, por ser esta uma cultura sem tradição na região. No entanto, quando soube que a iniciativa se encontra ancorada na Cocamar, não hesitou em participar. “Fazer a reforma das áreas com soja é atraente, também, pela rentabilidade que a cultura oferece no momento”, afirma.

Rotação - A cada cinco anos, quando termina o ciclo natural da cana, as áreas passam por uma rotação com a finalidade de recuperar a fertilidade do solo e também de quebrar o ciclo de pragas e doenças. “É uma limpeza”, diz Pontes, que planejou suas atividades para renovar 15% de canaviais a cada ano.

Apostar na oleaginosa - “Com a segurança oferecida pelo programa eu pretendo, a partir de agora, fazer toda essa renovação com soja”, acrescenta o produtor. Ele informa que vem se estruturando para, nos próximos anos, ter condições de cultivar entre 4 a 5 mil hectares com a oleaginosa. Segundo Pontes, depois de passar pela rotação, o solo possibilita que o canavial tenha um aumento médio de produtividade de 10% durante o novo ciclo.

Velocidade - Coordenador do programa da Cocamar, o gerente de negócios Marco Antônio de Paula comenta que a adesão à iniciativa de produtores de grande porte como Fabiano Pontes, tende a imprimir ainda mais velocidade à expansão da renovação das áreas de canaviais e pastagens. “O potencial de crescimento é muito grande”, afirma. Além do interesse das usinas em oferecer cada vez mais terras para a reforma de canaviais, um estudo da própria cooperativa aponta que somente nas regiões vizinhas de solos arenosos do noroeste do Paraná, oeste de São Paulo e sul do Mato Grosso do Sul, haveria ao menos sete milhões de hectares, grande parte dos quais ocupados por pastagens – em sua maioria degradados.

Revitalizar as áreas - “De um lado, há enormes extensões de pastagens com baixo retorno econômico, conduzidas com práticas ultrapassadas. De outro, temos a solução para revitalizar essas áreas com modernas tecnologias e ampliar substancialmente a média de produtividade da pecuária”, enfatiza de Paula.

Interesse - Ele comenta que a segurança e os resultados oferecidos pelo programa de renovação de áreas de canaviais e pastagens conduzido pela Cocamar e seus parceiros, têm atraído um número cada vez maior de produtores interessados em aderir.

Forte expansão - O histórico do próprio programa deixa isso claro. No ciclo 2019/20, quando foi realizado como piloto, eram 5,2 mil hectares e 19 produtores. Nesta temporada 2020/21, já são 25 mil hectares entre áreas de cana e pastos e a tendência é que continue avançando em escala geométrica nos próximos anos.

Sobre o Rally Cocamar de ProdutividadePatrocinam a sexta edição do Rally Cocamar de Produtividade: Fairfax Brasil Seguros Corporativos, Viridian Fertilizantes, Sicredi União PR/SP, Basf e Zacarias Chevrolet (principais), Texaco Lubrificantes, Estratégia Ambiental, Cocamar Máquinas, Cocamar Irrigação, Nutrição Cocamar e Zoetis (institucionais), com o apoio do Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), Aprosoja-PR e cooperativa de serviços de agronomia Unicampo. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2020/noticias/10/20/cocamar/{/vsig}

COCARI: Live Vida em Equilíbrio, nesta terça, traz médicos convidados para falar sobre saúde e bem-estar

Abrindo espaço para o debate sobre a saúde e o bem-estar das famílias, os Núcleos Femininos da Cocari prepararam, para esta terça-feira (20/10), às 19h30, a live Vida em Equilíbrio, um evento com médicos convidados que irão tirar dúvidas enviadas pelas redes sociais da cooperativa sobre estes temas.

Assuntos - Participarão do bate-papo representantes dos Núcleos, que farão perguntas à Daniel Bolognese e à Monia Lusia Felício sobre a prevenção ao câncer de mama e de colo do útero, dentro da campanha anual pela saúde da mulher, Outubro Rosa. Além disso, os profissionais convidados abordarão questões de saúde emocional no enfrentamento da pandemia de coronavírus.

Acesso à informação - O analista de Cooperativismo, Hugo Carnelossi, falou sobre o valor de promover o acesso da comunidade a informações que ajudem a manter medidas de cuidado com a saúde física e ainda se estabilizar emocionalmente. “Pensando sempre nos associados, colaboradores, comunidade e na família cooperativista e reforçando o 7° princípio do cooperativismo, o Interesse pela Comunidade, a Cocari vem buscando realizar várias ações para ficar cada vez mais próxima da família do campo, mesmo em momento de pandemia. O objetivo deste evento é contribuir com a promoção da qualidade de vida dos cooperados, colaboradores, comunidade e toda família cooperativista, por meio da orientação sobre saúde e hábitos saudáveis”, resumiu.

Interação - Durante a transmissão, o público vai concorrer a brindes da Cocari e poderá participar do debate fazendo perguntas aos profissionais da saúde nos perfis @cocaricoop nas redes sociais da cooperativa. Envie sua pergunta, reúna a família e aproveite o encontro! (Imprensa Cocari)

cocari 20 10 2020

 

 

SICOOB CREDICAPITAL: Cooperativa expande área de atuação e inaugura escritório de negócios em Poá (SP)

sicoob credicapital 20 10 2020Seguindo seu plano de expansão, o Sicoob Credicapital inaugurou um escritório de negócios no município de Poá, em São Paulo. O início das atividades foi marcado por um café da manhã realizado no último dia 13 de outubro, na Associação Comercial de Poá (Acipoá).

Apresentação - Além da inauguração, o evento teve como objetivo apresentar o cooperativismo de crédito e o sistema Sicoob aos convidados, entre eles o atual prefeito de Poá, Gian Lopes e o presidente da Acipoá, Rodolfo Zaharansky.

Expectativa grande - Para a gerente da agência, Gilmara Alves, a expectativa é grande, considerando que o município não contava com uma instituição financeira cooperativa. “Vamos apresentar à população esse modelo de negócio que traz ganhos para o associado e também para a comunidade de modo geral”, ressalta.

Expectativas - Para o diretor de Mercado, Waldemar Paetzold, expandir a área de atuação do Sicoob Credicapital para São Paulo gera grandes expectativas. Ele relata que, atualmente, a cooperativa possui escritórios de negócios em São Paulo capital, Itaquaquecetuba e agora em Poá e que até o final do ano irá inaugurar outros dois, em Ferraz de Vasconcelos e Arujá. “São Paulo é um mundo novo para nós, mas estamos muito confiantes em poder apresentar o cooperativismo de crédito e o modo como trabalhamos para a população dessas cidades”, afirma.

Atendimentos - Os atendimentos no Escritório de Negócios acontecem de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, no espaço localizado na Rua Doutor Silvio Barbosa, 89, na Associação Comercial de Poá.

Sobre a cooperativa - O Sicoob Credicapital possui quase 20 anos de atuação no cooperativismo de crédito, com 30 postos de atendimentos localizados em cidades do Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. Ao todo são mais de 38 mil cooperados. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Associado de Boa Esperança (PR) é o segundo premiado em campanha

A campanha Investir, Cooperar e Ganhar, exclusiva para associados da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, continua premiando àqueles que investem em capital social na cooperativa. O segundo sorteado é o Bruno C.O., de Boa Esperança (PR), que levou para casa uma moto BMW G310 zero quilômetro. “Estou muito contente por ganhar esse prêmio. Realmente não esperava e fiquei muito surpreso com tudo isso”, comemora Bruno.

Momento de alegria - O gerente da agência, Lucas dos Santos Mazetti, conta que esse é um momento de alegria para a cooperativa. “Estamos entregando a segunda moto dessa promoção tão importante por fomentar a economia local e estou muito feliz por ser de um associado de nossa cidade”.

Entrega especial - “Essa é uma entrega muito especial para nós, pois o Bruno foi contemplado justamente no mês em que o Sicredi completa dois anos em Boa Esperança. Investir em capital social é importante para o Sicredi e também para o associado, que concorre a prêmios e têm os recursos gerados pela cooperativa direcionados para a região”, completa o gerente regional de desenvolvimento Cirineu Varolo.

Exclusiva - A promoção Investir, Cooperar e Ganhar é exclusiva da Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP. A campanha teve início em agosto e, além de Bruno, já premiou uma associada da agência Rudge Ramos em São Bernardo do Campo (SP). A cada R$ 100 depositados em conta capital, o associado recebe um cupom para concorrer a uma moto por mês. Ao final da campanha, em março de 2021, serão sorteados três carros zero quilômetro: uma Amarok e duas Fiat Toro. Para mais informações, acesse: www.sicredi.com.br/promocao/investircooperareganhar/.

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, uma das 108 cooperativas do Sicredi, conta com 32 anos de história e mais de 159 mil associados. A área de atuação da cooperativa abrange 43 cidades no estado do Paraná e 8 cidades no estado de São Paulo, incluindo a capital paulista e cidades vizinhas do grande ABCD. São 88 espaços de atendimento, sendo 52 no Paraná e 36 em São Paulo (sicredi.com.br/vale-piquiri/).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,7 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

{vsig}2020/noticias/10/20/sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

COMÉRCIO EXTERIOR: Balança comercial registra corrente de comércio de US$ 6,266 bilhões na terceira semana de outubro

comercio exterior 20 10 2020A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 0,682 bilhão e corrente de comércio de US$ 6,266 bilhões, na terceira semana de outubro de 2020 – com quatro dias úteis –, como resultado de exportações no valor de US$ 3,474 bilhões e importações de US$ 2,792 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (19/10), pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.

Total - No ano, as exportações totalizam US$ 166,285 bilhões e as importações, US$ 120,833 bilhões, com saldo positivo de US$ 45,452 bilhões e corrente de comércio de US$ 287,118 bilhões.

Análise do mês - Nas exportações, comparadas a média diária até a terceira semana de outubro de 2020 (US$ 887,39 milhões) com a de outubro de 2019 (US$ 889,86 milhões), houve queda de - 0,3%, em razão da diminuição nas vendas em Agropecuária (-17,2%). Por outro lado, houve amento nas vendas de produtos da Indústria de Transformação (+1,9%) e na Indústria Extrativista (7,5%).

Queda - A queda nas exportações foi puxada, principalmente, pela diminuição nas vendas dos seguintes produtos agropecuários: Soja ( - 36,6%); Algodão em bruto ( - 25,1%); Animais vivos, não incluído pescados ou crustáceos ( - 53,0%) ; Milho não moído, exceto milho doce ( - 1,3%) e Frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas ( - 4,9%). Nas importações, a média diária até a terceira semana de outubro de 2020 (US$ 590,78 milhões) ficou -23,7% abaixo da média de outubro do ano passado (US$ 773,97milhões). Nesse comparativo, caíram os gastos, principalmente, com a Agropecuária (- 0,8%), com a Indústria Extrativa ( - 37,5%) e com os produtos da Indústria de Transformação ( - 23,7%).

Produtos - A queda das importações foi puxada, principalmente, pela diminuição dos gastos com a compra dos seguintes produtos da Indústria de Transformação: Obras de ferro ou aço e outros artigos de metais comuns ( - 80,3%); Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos,( - 49,8%); Adubos ou fertilizantes químicos, exceto fertilizantes brutos, ( - 24,4%); Torneiras, válvulas e dispositivos semelhantes para canalizações, caldeiras, reservatórios, cubas e outros recipientes ( - 41,3%) e Partes e acessórios dos veículos automotivos ( - 43,9%).

Indústria Extrativista - Em relação à Indústria Extrativista, a queda das importações foi puxada, principalmente, pela diminuição dos gastos com os seguintes produtos: Minérios de cobre e seus concentrados ( - 78,7%); Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus ( - 37,8%); Carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado ( - 23,4%); Outros minérios e concentrados dos metais de base ( - 81,6%) e Fertilizantes brutos, exceto adubos ( - 36,7%).

Itens - Por fim, em relação aos produtos agropecuários, a queda da importação se deve, principalmente, ao Látex, borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais ( - 48,2%); Pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado ( - 22,3%); Milho não moído, exceto milho doce ( - 21,6%); Produtos hortícolas, frescos ou refrigerados ( - 8,8%) e Matérias vegetais em bruto ( - 20,9%). (Ministério da Economia)

FOTO: Pixabay

Confira os dados completos da balança comercial

 

DEFESA SANITÁRIA: Adapar alerta produtores sobre prazos para a atualização de rebanhos

defesa sanitaria 20 10 2020A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) alerta os produtores rurais que a Campanha de Atualização dos Rebanhos de 2020 será encerrada no dia 30 de novembro. A atualização é obrigatória e quem não fizer não poderá obter a Guia de Trânsito Animal (GTA), documento que permite a movimentação de animais entre propriedades e para abate nos frigoríficos.

Etapa única - A Campanha de Atualização de Rebanhos de 2020 teve início em 1º de maio e este ano está sendo realizada em uma etapa única, devido à pandemia do novo Coronavírus. Os produtores podem fazer a atualização no sistema online, conforme portaria da Adapar número 78/2020, que inclui todas as espécies de animais de produção, visando garantir a rastreabilidade e a sanidade de todo o rebanho.

Propriedades - Segundo a Adapar, 230 mil propriedades no Paraná devem atualizar seus rebanhos. Ao todo, são 9 milhões de bovinos, 6 milhões de suínos, 20 mil aviários, 200 mil cavalos. Até agora pouco mais de 40% dos cadastros foram atualizados.

Substituição - A atualização do rebanho substitui as campanhas de vacinação contra febre aftosa que vinham sendo feitas duas vezes por ano. A última campanha de vacinação no Paraná foi em maio de 2019. O gerente de Saúde Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias esclarece que os produtores continuam com o compromisso de informar o inventário animal duas vezes ao ano.

Como fazer- “Neste ano, em função da pandemia, a campanha de maio foi emendada com a de novembro. O produtor pode atualizar o seu rebanho online, ou presencialmente em sindicatos rurais, prefeituras ou unidades locais da Adapar. Esse modelo de campanha começou desde que houve a suspensão da vacinação no Paraná, em 2019”, afirmou.

Prazos - O produtor tem até o dia 30 de novembro para fazer a atualização do rebanho sem ser penalizado. Mas a Adapar alerta que, após 31 de outubro o produtor que não atualizar o rebanho já terá dificuldades em obter a GTA.

Bloqueio - Isso porque ela estará bloqueada para quem não estiver com o cadastro em dia. Mas quem precisa do documento poderá fazer a atualização na hora, sem prejuízo da movimentação do rebanho. A GTA somente será emitida após a atualização de todas as espécies animais existentes na propriedade. Essa situação será permitida até 30 de novembro.

Outras penalidades - A partir de 1º de dezembro, o produtor que não atualizar o rebanho estará sujeito a outras penalidades previstas na legislação, como a autuação e o pagamento de multa, que pode variar de acordo com a quantidade de animais não declarados. A multa vai incidir sobre cada animal não declarado a partir de 1 UPF – Unidade Padrão Fiscal, que atualmente vale aproximadamente R$ 100,00 cada unidade.

Sistema - O acesso ao sistema está disponível no site da Adapar, ou de forma direta por meio do link www.produtor.adapar.pr.gov.br/comprovacaorebanho. Para realizar a comprovação, o produtor (CPF) deve estar cadastrado na Central de Segurança do Estado do Paraná. Nos casos de necessidade de ajuste no cadastro inicial (correção de e-mail, etc.), o telefone de contato é o (41) 3200-5007.

Unidades Locais - Para realizar a atualização presencial, o produtor pode ir até uma das Unidades Locais da Adapar, Sindicatos Rurais ou Secretarias Municipais de Agricultura.

Área livre - O Paraná é reconhecido nacionalmente como Área Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação, desde 1º de setembro deste ano, conforme Instrução Normativa (52/2020) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A medida deixou o Estado mais perto do reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). O Ministério já formalizou o pedido à OIE, que está avaliando o relatório do Paraná.

Reconhecimento internacional - “A meta agora é conquistar o reconhecimento internacional, que se aprovado pela OIE, deverá ocorrer em maio de 2021. A conquista possibilitará a abertura de novos mercados e a atração de investimentos para as cadeias de suíno, peixe, frango, leite e bovinocultura de corte”, afirma o médico veterinário Walter Riberete, Coordenador do programa Paraná Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação. (Agência de Notícias do Paraná)

 

POLÍTICA I: Governador se reúne com bancada para discutir emendas federais

politica I 20 10 2020O governador Carlos Massa Ratinho Junior e os secretários estaduais se reuniram virtualmente nesta segunda-feira (19/10) com os deputados federais para discutir projetos de interesse do Paraná e estreitar o diálogo sobre a vinculação das emendas parlamentares ao Orçamento da União de 2021 a programas e obras prioritárias ao Estado.

Geração de empregos e comércio local - Uma das prioridades discutidas foi a necessidade de alocar recursos em projetos que fomentem a geração de empregos e o comércio local. Também foram debatidas alternativas de investimentos na área social para solucionar gargalos habitacionais e para o fortalecimento das redes de saúde e educação, além de recursos para apoio ao agronegócio.

Discussões setoriais - O encontro antecede as discussões setoriais que acontecerão nos próximos dias, quando os representantes do Governo do Paraná e o chefe do Escritório de Representação em Brasília, Rubens Bueno II, apresentarão o portfólio de projetos planejados em todas as áreas para 2021.

Planejamento logístico e estratégico - A conversa preliminar teve como objetivo discutir a utilização dos recursos dentro do planejamento logístico e estratégico do Estado, e propor que os investimentos estejam alinhados com o plano de retomada da economia depois da pandemia do novo coronavírus.

Parceria - O governador destacou que a reunião teve como objetivo ampliar a parceria estabelecida desde 2019 com o governo federal e os representantes do Estado em Brasília para a realização de projetos estratégicos para o Paraná em áreas como infraestrutura, desenvolvimento social, agricultura, educação, segurança pública, saúde e ensino superior.

Contrapartida - Ratinho Junior também disse que o governo estadual pretende manter a concessão de contrapartidas financeiras às emendas defendidas pela bancada federal, a exemplo do realizado em 2019/2020 para transporte escolar e aquisição de maquinário agrícola.

Parceira - “A bancada tem sido grande parceira do Paraná em todas as áreas. Estamos trabalhando juntos para consolidar aquilo que é bom para o Estado”, ressaltou o governador. “Essa foi uma oportunidade de discutir o Orçamento, de entender as prioridades da bancada e fazer sugestões para ver onde é mais estratégico liberar os recursos”, afirmou Ratinho Junior.

Desafios - Segundo ele, o ano de 2021 trará grandes desafios para os gestores públicos, mas o governo paranaense quer fortalecer a parceria com os parlamentares. “Para o ano que vem teremos limitações financeiras em função da crise, mas a ideia é construir contrapartidas com a bancada para ampliar os recursos destinados nas emendas”, disse.

Obras públicas - O secretário do Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge, acrescentou que aos investimentos conquistados pela bancada federal se somarão recursos estratégicos do próprio Estado dentro do objetivo de transformar o Paraná num hub logístico.

Exemplos - Ele citou os financiamentos para obras públicas nas rodovias estaduais, o projeto de revitalização do Litoral, aportes em infraestrutura urbana e nos portos e investimentos estratégicos da Sanepar e da Copel. Esse pacote, destacou o secretário, ajudará o Paraná a atrair investidores e facilitará a integração das cadeias comerciais.

Banco Mundial - Bernardo Jorge afirmou que o Estado busca recursos junto ao Banco Mundial, priorizando ações que gerem emprego. Ele citou projetos de novas moradias, pavimentações de estradas rurais, apoio às cooperativas familiares, aquisição de equipamentos para agroindústrias e a recuperação de escolas. “Tudo aquilo que for obra civil gera muito emprego”, destacou o secretário.

Recuperação econômica - O secretário também adiantou que uma equipe de técnicos do Estado está finalizando um planejamento para estimular a recuperação da economia paranaense. “Nos próximos dias vamos apresentar o plano de retomada econômica. Esses pedidos estão dentro desse contexto”, disse.

Lista estadual - Estão na lista estadual de projetos a manutenção das políticas de aquisições de equipamentos e viaturas para segurança pública, transporte escolar e agronegócio, além de prioridades específicas, como custeio para as Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) disponibilizadas para enfrentamento da Covid-19.

Demandas - Também integram as demandas a contratação de estudos para obras na infraestrutura na costa Oeste e no Litoral; investimentos em pesquisa e sanidade agropecuária; e apoio para aumentar a integração entre universidades estaduais e empresas, com implementações de parcerias com grandes e pequenas indústrias, e microempreendedores individuais.

Apoio conjunto - Governo e parlamentares debateram ainda o apoio conjunto para reformas estruturais das escolas estaduais que farão parte do programa de colégios cívico-militares e construção de novos condomínios dos idosos.

Programa - O primeiro pedido faz parte de um programa que será implementado no ano que vem em municípios com mais de dez mil habitantes. Há expectativa de atingir até 200 unidades no primeiro momento. O segundo tópico prevê novos recursos para complexos de atendimento à terceira idade em mais cidades. O Viver Mais Paraná deve alcançar pelo menos 21 municípios nessa primeira fase.

Viaturas e armamento - O reforço na segurança inclui a compra de viaturas e de armamento para as polícias, e na educação a aquisição de ônibus escolares para aposentar veículos com quase vinte anos de uso.

Infraestrutura - Cinco projetos de infraestrutura também foram discutidos: pavimentação de 50,5 quilômetros na BR-153, próximo a Imbituva; pavimentação entre Campo Mourão e Roncador, na BR-158; pavimentação entre Iporã e Goioerê, na BR-272, no Oeste, criando um corredor entre Guaíra e Campo Mourão; além de dois Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA).

Integração - O primeiro para aumentar a integração da região da capital com o Litoral e o Porto de Paranaguá e o outro de uma ponte sobre o Rio Paraná em Porto São José, atraindo um novo naco da produção agrícola do Mato Grosso do Sul.

Destinação - Para 2021, serão destinados ao Estado pelo menos R$ 265 milhões em recursos da bancada paranaenses, além de cerca de R$ 16 milhões de emendas individuais, segundo o deputado federal Toninho Wandscheer, líder da bancada paranaense.

Investimentos - Esses recursos se somam a investimentos que estão em andamento, fruto de liberações passadas, como os R$ 73 milhões em ônibus do transporte escolar e os R$ 79 milhões para maquinário agrícola, além de R$ 24 milhões para consórcios de Saúde.

Avaliação - “Queremos avaliar e ver as necessidades mais importantes do Governo do Estado. O orçamento do ano que vem é bastante limitado, mas sempre faremos o que é mais importante para o Paraná. Vamos nos reunir e avaliar esses pedidos democraticamente”, afirmou Wandscheer. “Vivemos um momento de união e estamos trabalhando juntos para ajudar o Estado”.

Presenças - Participaram do encontro o vice-governador Darci Piana; os secretários Guto Silva (Casa Civil), Beto Preto (Saúde), Renato Feder (Educação e Esporte), Romulo Marinho Soares (Segurança Pública), Sandro Alex (Infraestrutura e Logística), Norberto Ortigara (Agricultura e Abastecimento); o superintendente-geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona; o diretor-geral do DER-PR, Fernando Furiatti; o chefe do Escritório de Representação do Paraná em Brasília, Rubens Bueno II; e os deputados federais. (Agência de Notícias do Paraná)

 

POLÍTICA II: Brasil e EUA concluem acordos para facilitação de investimentos

politica II 20 10 2020O presidente Jair Bolsonaro disse,nesta segunda-feira (19/10), que representantes do Brasil e dos Estados Unidos concluíram, há poucos dias, as negociações de três acordos demandados por empresários dos dois países, de facilitação de comércio, boas práticas regulatórias e anticorrupção. “Esse pacote triplo será capaz de reduzir burocracias e trazer ainda mais crescimento ao nosso comércio bilateral, com efeitos benéficos também para o fluxo de investimentos”, disse.

Novas oportunidades de negócios - Bolsonaro participou da abertura da conferência de negócios US-Brazil Connect Summit nesta segunda-feira, de forma virtual, e convidou os investidores a examinarem a carteira de negócios do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), de concessões e privatizações do governo federal. Ele destacou as novas oportunidades de negócios no país, com a abertura do mercado brasileiro de gás natural e o fortalecimento na área de biocombustíveis, “essenciais nesse processo de reforma de nossa matriz energética”.

Potencial - Para o presidente, “há um enorme potencial” na agenda de cooperação entre os dois países, e, diversas áreas de interesse comum. “Para o futuro, vislumbramos um arrojado acordo tributário, um abrangente acordo comercial e uma ousada parceria entre nossos países para redesenhar as cadeias globais de produção”, afirmou.

Acordo - Durante seu discurso, o presidente também falou sobre a assinatura de acordo na área de Defesa, com a abertura de novas oportunidades de cooperação entre as Forças Armadas e as indústrias de ambos os países. “Esse é o primeiro acordo da modalidade que os EUA firmam com um país da América do Sul, o que também demonstra a disposição do lado americano em aprofundar a relação bilateral”, ressaltou.

OCDE - No mesmo sentido, Bolsonaro disse que a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) é “um firme propósito do Estado brasileiro, para o qual temos muito nos empenhado, tanto em nível técnico quanto político”, com o apoio do governo dos EUA. “O ingresso do Brasil na OCDE irá gerar efeitos positivos para a atração de investimentos nacionais e internacionais e será mais uma evidência da nossa disposição em assumir compromissos e responsabilidades compatíveis com a importância do nosso país no sistema internacional.”

Aproximação - De acordo com Bolsonaro, sua aproximação com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, inaugurou “uma nova etapa no relacionamento entre as duas maiores economias e democracias do hemisfério”.

Prioridade - “A prioridade que o Brasil confere a essa relação é clara e sincera. Desde o início de meu governo, visitei os EUA em quatro oportunidades, e em todos estive com o presidente Trump”, afirmou.

Setor privado - Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), os acordos são pedra fundamental para futuro livre comércio entre os dois países e para evitar a dupla tributação. Na avaliação da entidade, embora não tratem de acesso a mercados, os acordos abordam temas de última geração e possibilitam a economia de custos e a ampliação da competitividade na relação entre os dois países.

Competividade e eficiência - “A redução da burocracia, dos custos de transação e dos atrasos desnecessários relacionados ao fluxo comercial de bens, a partir de medidas de facilitação de comércio, proporcionará maior competitividade e eficiência às operações comerciais realizadas entre os dois países”, informou em nota. “Por outro lado, o estabelecimento de boas práticas regulatórias reconhecidas contribuirá para promover maior transparência, coerência e segurança jurídica para a atividade econômica, com a consequente redução de custos e o estímulo ao crescimento e criação de empregos”.

Intercâmbio - Em 2019, o intercâmbio de bens e serviços entre Brasil e Estados Unidos foi superior a US$ 100 bilhões em 2019. (Agência Brasil)

FOTO: Carolina Antunes / PR

 

SENADO: CI aprova indicações para Autoridade de Proteção de Dados; nomes vão a Plenário

senado 20 10 2020O nome de Waldemar Gonçalves Ortunho Junior foi aprovado na Comissão de Infraestrutura (CI), nesta segunda-feira (19/10), para assumir o cargo de diretor-presidente da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). Foram 13 votos favoráveis e 1 contrário à indicação. Foi admitido o nome de Miriam Wimmer, também por 13 votos a 1, para o Conselho Diretor da agência, composto por 5 integrantes. As indicações seguem para avaliação do Plenário.

Primeira composição - O Senado está confirmando a primeira composição da diretoria da ANPD. A nova agência foi criada com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD - Lei 13.709, de 2018) e seus diretores terão mandato de quatro anos. No entanto, nesta primeira diretoria instalada, os mandatos vão variar de dois a seis anos, para proporcionar renovação. O de Waldemar Ortunho será o maior, durará seis anos, e o de Míriam, o menor, dois anos.

Regulamentação - Alguns dos principais desafios da nova agência serão, além de mostrar à sociedade seu papel e o impacto dela para a vida do cidadão, regulamentar a LGPD, com a execução de uma política nacional de proteção de dados pessoais de privacidade.

Publicidade - A intenção também é dar publicidade à norma, para que a população conheça seus direitos e os requisitos da lei. A agência deverá estabelecer um canal para denúncias, reclamações e acompanhamentos de demanda, explicou o indicado à presidência da ANPD, ao responder questionamentos dos internautas por meio do portal e-Cidadania.

Foco - A forma como grandes empresas como Facebook e Google lidam com esses dados também será foco da agência, completou Míriam Wimmer. Ela lembrou que o Marco Civil da Internet e a LGPD determinam a aplicabilidade da jurisdição brasileira ainda que os dados estejam localizados no exterior.

Sabatinas - Waldemar Gonçalves Ortunho Junior é engenheiro eletrônico, graduado pelo Instituto Militar de Engenharia, com pós-graduação em engenharia elétrica pela Universidade de Brasília (UnB), e em pedagogia, pela Universidade de Quito, no Equador. É oficial do Exército formado pela Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) e o atual presidente da Telebras (Telecomunicações Brasileiras S.A.), cargo que ocupa desde janeiro de 2019. Atua há 40 anos nas áreas de tecnologia da informação (TI), telecomunicações, radiodifusão e informática nos Ministérios da Defesa e das Comunicações.

Mudanças - Em sua exposição, Waldemar frisou que a regulamentação da LGPD, objeto da atuação da ANPD, precisa acompanhar as mudanças deste século, do uso da internet, para que o Brasil não fique para trás na corrida da inovação. De acordo com ele, a agência também lidará com assuntos como compartilhamento e portabilidade de dados, com diretrizes sobre como interpretar a lei. O indicado frisou que a gestão da agência deve atuar não para “parar o uso dos dados, mas garantir que sejam compartilhados com responsabilidade”.

Importância - O relator de sua indicação, senador Acir Gurgacz (PDT-RO), ressaltou a importância dessa agência e do trabalho a ser feito por seus integrantes, importante até mesmo para o trabalho das outras agências reguladoras.

Dia especial- “Hoje é um dia especial, dia que vai marcar a história do nosso país. Nós estamos dando o passo último para a instalação da ANPD. É uma agência de proteção de dados muito importante nos tempos de hoje e, com certeza, daqui para frente terá uma importância cada vez maior, pois a proteção de dados é, de fato, algo importante para o nosso país, seja em nível de governo ou na iniciativa privada”, observou.

Wimmer - Miriam Wimmer é brasileira nata, nascida em Londres, Inglaterra. Tem graduação em direito, além de especialização e mestrado em direito público e doutorado em comunicação. Leciona sobre o tema da proteção de dados e direito digital em várias instituições de ensino superior. É servidora da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) desde 2006, atuou no Comitê Gestor da Internet brasileira (CGI.br) e atualmente é diretora de Políticas para Telecomunicações e Acompanhamento Regulatório no Ministério das Comunicações. Sua indicação foi relatada pelo senador Jaques Wagner (PT-BA).

Participação - Em sua exposição, Miriam lembrou ter participado desde o início da construção de  políticas públicas e marcos jurídicos importantes ligados à internet e à proteção de dados, como o Marco Civil da Internet, o Plano Nacional de Internet das Coisas e a própria LGPD, “legislação complexa que reconhece a importância dos dados como insumo para os negócios da economia digital e o reconhecimento de que os dados são uma projeção da personalidade humana e, portanto, precisam ser protegidos”, opinou.

Desafio - Ela destacou que Brasil vai enfrentar um gigantesco desafio, com a interpretação e regulamentação da LGPD nos próximos anos.

Pontos pendentes - “A LGPD possui dezenas de pontos pendentes de regulamentação, e esse deve ser um dos principais desafios da ANPD nos seus primeiros anos de existência. Vale lembrar que esse esforço de regulamentação é essencial para que o Brasil possa se inserir em cadeias globais de valor. A economia digital é uma economia global, e a regulamentação do capítulo da LGPD dedicado a transferências internacionais é urgente e essencial para que o Brasil possa, de maneira competitiva, participar desses fluxos globais”, avaliou. (Agência Senado)

FOTO: Edilson Rodrigues / Agência Senado

 

SAÚDE I: Brasil tem mais 271 óbitos e 15.383 novos casos em 24h

O boletim epidemiológico do Ministério da Saúde - divulgado nesta segunda-feira (19/10) - mostra que foram registrados 15.383 novos casos de covid-19 no Brasil. Desde o início da pandemia, o país acumula 5.250.727 casos confirmados do novo coronavírus.

Mortes - O número de mortes teve um acréscimo de 271 óbitos em 24 horas e elevou o total para 154.176.

Recuperados - De acordo com Ministério da Saúde, 4.681.659 brasileiros já se recuperaram da covid-19. Atualmente 414.892 pacientes estão em tratamento. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 20 10 2020

SAÚDE II: Paraná tem 1.135 novos diagnósticos e 14 mortes pela Covid-19

saude II 20 10 2020O Paraná tem mais 1.135 diagnósticos confirmados de Covid-19 e 14 mortes em decorrência da doença, segundo informe da Secretaria de Estado da Saúde divulgado nesta segunda-feira (19/10). Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Estado soma 198.578 casos e 4.889 óbitos pela infecção causada pelo novo coronavírus. Há ajuste de caso confirmado detalhado ao final do texto.

Internados - Segundo o boletim, 643 pacientes com diagnóstico de Covid-19 estavam internados nesta segunda-feira: 532 pacientes em leitos SUS (268 em UTI e 264 em enfermaria) e 111 em leitos da rede particular (38 em UTI e 73 em enfermaria).

Exames - Há outros 894 pacientes internados, 398 em leitos UTI e 496 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - Os 14 pacientes que tiveram óbito relatado neste informe estavam internados. São seis mulheres e oito homens, com idades que variam de 42 a 92 anos. Os óbitos ocorreram entre 02 e 19 de outubro.

Residência - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (3), Francisco Beltrão (3), Castro (2), Foz do Iguaçu (2). Também foi confirmado um óbito em cada um dos municípios de Almirante Tamandaré, Curiúva, Palmital e Tijucas do Sul.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 2.090 casos de residentes de fora, sendo que 48 pessoas foram a óbito.

Ajustes - Exclusões: Um caso confirmado no dia 25/09 em Londrina foi excluído por duplicidade de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando AQUI 

 


Versão para impressão


RODAPE