Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4933 | 22 de Outubro de 2020

ENCONTRO DE NÚCLEOS: Lideranças cooperativistas do Norte e Noroeste debatem planejamento e representação política do setor

Na tarde desta quarta-feira (21/10), o Encontro Digital de Núcleos Cooperativos prosseguiu com a terceira reunião regional, que contou com a presença de 84 lideranças do setor no Norte e Noroeste do Paraná. Os participantes, representando 21 cooperativas dos ramos agropecuário, crédito, saúde, transporte e trabalho e produção de bens e serviços, debateram questões que impactam o cooperativismo, entre elas a representação política, o planejamento estratégico, as ações do Sistema Ocepar em treinamento e qualificação, por meio do Sescoop/PR (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo), e na área sindical, através da atuação da Fecoopar (Federação das Cooperativas do Paraná). As cooperativas Coagru e Unitá foram as anfitriãs do evento e apresentaram os trabalhos que estão realizando, o modelo de negócios, a intercooperação e seus resultados econômicos e sociais.

Presenças - O evento foi aberto pelos coordenadores do Núcleo Norte e Noroeste, respectivamente, Jorge Hashimoto (presidente da Integrada), e Luiz Lourenço (presidente do Conselho de Administração da Cocamar e diretor da Ocepar). O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, apresentou a pauta de discussões e deu início à programação do Encontro. Presentes ao evento, o presidente do Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), Márcio Lopes de Freitas, o superintendente Renato Nóbile e a gerente geral Tânia Zanella. Participaram ainda os diretores da Ocepar Wellington Ferreira (presidente do Sicredi União PR/SP), Wilson Cavina (presidente da Sicoob Central Unicoob), Yuna Bastos (conselheira do Sicredi União PR/SP), além de Marcos Antonio Trintinalha (Cocari), Luciano Ferreira (Unicampo) e Akio Cyoia (Integrada) conselheiros do Sescoop/PR. Também presentes ao evento, o presidente executivo da Coamo, Airton Galinari, e o presidente da Cocari, Vilmar Sebold.

Intercooperação - O presidente da Coagru, Áureo Zamprônio, e o vice-presidente Cavalini Carvalho, fizeram uma apresentação sobre o trabalho desenvolvido pela cooperativa e também pela central de cooperativas Unitá, resultado de um projeto de intercooperação, e seus impactos econômicos e sociais na região Noroeste. Depois, o professor do Isae/FGV, Robson Gonçalves, ministrou palestra sobre “Cenários econômicos para os negócios cooperativos” e os superintendentes da Ocepar, Robson Mafioletti, do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, e da Fecoopar, Nelson Costa, apresentaram os trabalhos realizados pelas entidades e o plano de ação em elaboração para 2021.

OCB - A gerente geral do Sistema OCB, Tânia Zanella, falou sobre as ações da entidade, em especial os trabalhos de acompanhamento e defesa política do cooperativismo no Congresso Nacional, com o apoio da Frencoop – Frente Parlamentar do Cooperativismo. A Ocepar apresentou vídeo produzido especialmente para as reuniões do Encontro de Núcleos, para mostrar aos cooperativistas o que já foi realizado em prol do setor em Brasília. A última reunião do Encontro vai acontecer na tarde desta quinta-feira (22/10), com lideranças do Sudoeste do Paraná, tendo as cooperativas Coasul e Sicredi Iguaçu como anfitriãs.

Participações - Os três eventos já realizados até o momento, com a mediação do coordenador de Comunicação do Sistema Ocepar, o jornalista Samuel Milléo Filho, reuniram 354 lideranças cooperativistas, de 63 cooperativas de cinco ramos distintos. “Essa é uma das principais vantagens de promover as reuniões de forma digital, ou seja, propiciar a oportunidade de participação a um número maior de lideranças”, destacou Milléo.

{vsig}2020/noticias/10/22/encontro_nucleos/{/vsig}

COVID-19: Confira os destaques do comunicado 142 do Comitê de Acompanhamento

covid 19 destaque 22 10 2020A possibilidade de suplementação de recursos do Plano Safra 2020/21, principalmente para programas de investimento, foi debatida entre representantes do cooperativismo e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), nesta quarta-feira (21/10). Esse é um dos destaques do comunicado 142, emitido na manhã desta quinta-feira (22/10) pelo Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar. O boletim informa também sobre a realização do Encontro de Núcleos Cooperativos, entre outros itens. Confira abaixo.

1. O Sistema Ocepar, no dia 22 de outubro, realizará o quarto Encontro de Núcleos Cooperativos, de forma digital, com o Núcleo Sudoeste. Serão tratados assuntos estratégicos para o desenvolvimento contínuo das cooperativas paranaenses. Clique aqui para inscrição.

2. No dia 21de outubro, o Sistema Ocepar realizou a terceira reunião do Encontro de Núcleos Cooperativos, com cooperativistas das regiões Norte e Noroeste. As cooperativas anfitriãs foram a Coagru e a Unitá e houve a participação 80 lideranças

3. O Sistema Ocepar, por meio do Sescoop/PR, no dia 21 de outubro, iniciou a 21ª turma do Programa de Compliance do Cooperativismo Paranaense na cooperativa Unimed Oeste do Paraná.

4. No dia 21 de outubro, o Sistema OCB, em conjunto com o Sistema Ocepar e representantes das cooperativas agropecuárias, realizou reunião com o BNDES, para discutir a possibilidade da suplementação dos recursos, especialmente no Moderagro, Inovagro, Pronamp Investimentos e Pronaf Tratores e Colheitadeiras, referente ao Plano Safra 2020-2021.

5. A Fecomercio, no dia 22 de outubro, a partir das 18h, irá realizar evento online Brasil Futuro Econômico, com a participação do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, em parceria com a Federação das Câmaras de Comércio Exterior (FCCE). Inscrições no link https://webinar.fcce.org.br/futuro-economico-brasil.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

WEBINAR: Ricken participa de evento com o vice-presidente da República Hamilton Mourão, nesta quinta-feira

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), em parceria com a Federação das Câmaras de Comércio Exterior (FCCE), promove, nesta quinta-feira (22/10), às 18h, uma webinar sobre o contexto político-econômico do Brasil. Participam o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, o vice-governador do Paraná e presidente da Fecomérico PR, Darci Piana, e o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. O evento terá o formato de mesa redonda, com seis entrevistadores que farão perguntas ao vice-presidente, entre eles, Darci Piana. Faça sua inscrição gratuitamente para participar desse evento online e exclusivo, clicando no link: https://webinar.fcce.org.br/futuro-economico-brasil.

 

webinar 22 10 2020

 

LIVE: Evento com adidos agrícolas vai debater oportunidades para cooperativas e agronegócio no mercado internacional

Duas lives serão realizadas com adidos agrícolas de diversos países, nos dias 27 de outubro e 12 de novembro, com o propósito de debater as oportunidades existentes no mercado internacional para as cooperativas e para o agronegócio brasileiro. O primeiro evento contará com profissionais que atuam na União Europeia, Estados Unidos, Arábia Saudita e África do Sul e terá ainda a participação do professor da USP e da FGV, Marcos Fava Neves. A live ocorre das 10h às 12h15. O segundo encontro será com adidos da China, Japão, Índia, Indonésia e Coreia do Sul, das 8h às 10h30, e terá como palestrante o professor do Insper, Marcos Jank.

Transmissão ao vivo – Ambas as lives serão transmitidas ao vivo pelo canal do Sistema Ocepar no Youtube, pela TV Paraná Cooperativo, e contarão ainda com as presenças dos presidentes dos Sistemas Ocepar e OCB, José Roberto Ricken e Márcio Lopes de Freitas, respectivamente, da Fetaep, Marcos Brambilla, do diretor da Faep, Luiz Eliezer Ferreira, e dos secretários de Estado da Agricultura, Norberto Ortigara, e de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes, representando as entidades promotoras dos eventos.

Atribuições – Segundo o Ministério da Agricultura, atualmente o Brasil conta com 24 adidos agrícolas ativos lotados em 22 países, sendo que Pequim e Bruxelas possuem dois adidos. Uma vaga em Genebra, na Suíça, encontra-se em aberto e deverá ser preenchida ainda este ano. Eles desempenham missões permanentes de assessoramento junto às representações diplomáticas brasileiras no exterior e têm o papel de identificar oportunidades, desafios e possibilidades de comércio, investimentos e cooperação para o agronegócio brasileiro.

 

live I 22 10 2020

 

live II 22 10 2020

FÓRUM: Sistema Ocepar reúne profissionais de RH nesta sexta-feira

Nesta sexta-feira (23/10), das 9h às 17h40, o Sistema Ocepar vai reunir virtualmente os profissionais de Recursos Humanos das cooperativas do Paraná para desfrutar de uma intensa programação que contempla a realização de dois painéis com a participação de especialistas de diversas áreas: o primeiro vai tratar sobre o papel do RH frente à governança e outro abordará os entraves trabalhistas, sucessos e fracassos pós reforma trabalhista e Covid-19.

Cases - Haverá ainda a apresentação de cases, com representantes das empresas Volvo, Ebanx, Klabin e GRPCom. O Fórum será encerrado com uma palestra magna ministrada pela consultora de empresas e professora da Fundação Dom Cabral e Insper, Leni Hidalgo, que vai falar sobre a transformação que a crise pode nos trazer.

Informações - Mais informações sobre o evento com os agentes de Desenvolvimento das cooperativas. O Fórum é realizado por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) e conta com o apoio da seção paranaense da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-PR).

SERVIÇO

Fórum dos Profissionais de RH 2020

Público: Profissionais de RH das cooperativas paranaenses

Data: 23/10, das 09h às 17h40

forum atual 22 10 2020

IBEF-PR: Entrega do Prêmio Equilibrista será dia 29 de outubro

O Instituto Brasileiro de Executivos e Finanças (Ibef-PR) promove, no dia 29 de outubro, às 19h, a cerimônia de entrega do Prêmio Equilibrista, com uma estrutura montada em estúdio para receber fisicamente os profissionais premiados. O evento online será transmitido pelas plataformas digitais para todo o país e terá ainda em sua programação uma palestra ao vivo com o fundador da Localiza e ex-secretário de Desestatização, Desinvetimento e Mercados, José Salim Mattar Júnior. As inscrições podem ser feitas gratuitamente pelo link: http://equilibrista.ibefpr.com.br.

Lar - A Cooperativa Lar foi a grande vencedora do Prêmio, nas categorias Equilibrista e Revelação. O superintendente administrativo e financeiro Clédio Roberto Marschall é o ganhador do Prêmio Equilibrista e o gerente financeiro Marcelo Afonso Riedi vai receber o Prêmio Revelação de Finanças.

 

IBEF 22 10 2020

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: Coop é destaque em live sobre programa Floresta + Carbono

desenvolvimento sustentavel 22 10 2020Quem é cooperativista sabe bem o quanto o nosso modelo de negócio gera oportunidades e tem crescido por ter como um dos seus norteadores o desenvolvimento sustentável. Mas agora, diversos outros setores têm olhado para o cooperativismo e enxergado nele um exemplo de como preservar as florestas brasileiras sem deixar de garantir a subsistência das comunidades que vivem nessas regiões.

Live - E, para debater sobre o programa Floresta + Carbono e a importância de se reconhecer a atuação dos produtores rurais - entre eles os cooperados - que têm iniciativas de preservação do meio ambiente, o Canal Rural realizou, na terça-feira (20/10), a live “Floresta + Carbono: preservação e renda na Amazônia”. Durante a transmissão ao vivo o secretário de Amazônia e Serviços Ambientais do Ministério do Meio Ambiente, Joaquim Álvaro Leite, destacou o papel fundamental das cooperativas para o desenvolvimento do programa.

Boa organização - Para o secretário, as cooperativas têm uma boa organização e estão aptas a desenvolverem programas que valorizem os produtores cooperados que promovem iniciativas de preservação do meio ambiente. “As cooperativas vão ter um papel importantíssimo, especialmente nas regiões com alto dinamismo econômico”, destacou. Álvaro Leite ainda completou: “se ao voar de avião eu ganho milhas, porque ao conservar florestas eu não ganho nada? Como eu não faço isso virar uma realidade? O programa Floresta + vem pra isso, porque eu preciso de um programa de fidelização baseado em conservação”.

Especificidades - Já o consultor da OCB, Leonardo Papp, destacou que, além do importância de se valorizar o trabalho das cooperativas em prol do meio ambiente, é fundamental que a legislação também leve em consideração as especificidades do modelo de negócio cooperativista. “Geralmente programas com pagamentos por serviços ambientais, com muita dificuldade, conseguem remunerar um pouco aqueles que desempenham uma atividade ambientalmente adequada. Se nós não tivermos o tratamento adequado [ao ato cooperativo] parte desse recurso pode ficar retido, pode não chegar na ponta, por conta de incidência tributária. A gente tem essa dificuldade acontecendo em outros programas de fomento e a regulamentação desse programa precisa dar conta disso”, ressaltou Papp.

Pagamentos por serviços ambientais - O debate em torno do pagamento por serviços ambientais é antigo e agora está integrado ao programa Floresta + Carbono. O objetivo é recompensar financeiramente produtores, cooperativas, indústrias e demais atores do setor produtivo e da sociedade civil que desenvolverem iniciativas de preservação ou recuperação ambiental em suas propriedades.

Participante - Além do secretário do MMA e do consultor da OCB, também participou do debate o presidente do Fórum Nacional de Atividades de Base Florestal, Frank Almeida. (Canal Rural / OCB)

Para assistir a íntegra da live, clique aqui.

 

 

BR MAIS COOPERATIVO: Mapa lança edital de intercooperação

parceria II 22 10 2020O apoio mútuo e a troca de experiências entre cooperativas é um dos pilares do movimento cooperativista. Com intercooperação, todos os envolvidos ganham e crescem mais. Por isso, o incentivo a essa prática agora também fará parte das políticas de Estado voltada ao cooperativismo.

Edital - Nesta quarta-feira (21/10), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) anunciou o lançamento de um edital dentro do programa Brasil Mais Cooperativo, com foco na intercooperação. A iniciativa será promovida em parceria com a OCB e com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA).

Lançamento oficial - O edital do Projeto Eixo Intercooperação será lançado oficialmente na próxima segunda-feira, 26/10, às 17h, na live Agro Intercoopera, realizada pela OCB e transmitida em seu canal do YouTube. Durante o evento será explicado o passo a passo para inscrição no edital e todas as informações necessárias para as cooperativas participarem.

Intercooperar para crescer - O objetivo do Projeto Eixo Intercooperação é selecionar 24 cooperativas do Nordeste, registradas e regulares na OCB, preferencialmente da agricultura familiar e que estejam localizadas na região do semiárido ou do Agronordeste.

Mentoria - Após a seleção, essas cooperativas vão receber uma espécie de mentoria de outras cooperativas que estão mais avançadas em aspectos importante para os negócios, como o acesso a mercados, gestão e governança e aprimoramento de processos.

Jornada - As coops beneficiadas pelo projeto vão trilhar uma jornada que passa por uma série de etapas, acompanhadas de perto por especialistas, para aprimorarem sua atuação e gestão.

Live Agro Intercoopera - Para ajudar as cooperativas que têm interesse em se inscrever no edital, a OCB vai realizar uma live onde será abordada a importância da intercooperação para o desenvolvimento das coops brasileira, além de trazer o detalhamento sobre o projeto e o processo seletivo.

Presenças - O evento contará com a presença do presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, do secretário de Agricultura familiar e Cooperativismo do Mapa, Fernando Schwanke, e do representante do IICA no Brasil, Christian Fisher.

Acesse - Participe! Acesse bit.ly/live-coop-agro e se inscreva gratuitamente para acompanhar!

 

COCAMAR: Mais confiantes, produtores semeiam a safra

As chuvas recentes serviram, enfim, de gatilho para a semeadura da safra de verão 2020/21 nas regiões atendidas pela Cocamar – norte e noroeste do Paraná, oeste de São Paulo e sul do Mato Grosso do Sul.

Variação - Na terça-feira (20/10), 15% da área total estavam concluídos. Como as chuvas variaram bastante de intensidade de um lugar para outro, a operação não segue um padrão. Até domingo (25/10), a expectativa do Departamento Técnico é que 30% a 40% estejam semeados.

Máquinas novas - O período é sempre de intensa movimentação. Neste ano, muitos produtores estão realizando a semeadura com o parque de maquinários e equipamentos renovado. Diante dos bons resultados com as colheitas e as oportunidades oferecidas pelo mercado, investimentos foram canalizados para a incorporação de novas tecnologias. Os pátios das concessionárias estão vazios.

Plantadeiras - A família Damazio, em São Jorge do Ivaí, região de Maringá, adquiriu plantadeiras de última geração, adequadas ao avanço da agricultura de precisão que implementam em suas terras. São unidades modelo RowComander da John Deere que, por meio de sensores, fazem o desligamento automático ao trafegar sobre linhas já semeadas. Com isso, garantem economia de sementes e o aproveitamento de cada metro quadrado nos talhões. Se quiser, o proprietário pode acompanhar tudo por meio do aparelho celular.

Vale a pena- “Estamos tendo uma boa economia de sementes”, afirmou Leonardo Damazio, que foi visitado na terça-feira (20/10) pela equipe do Rally Cocamar da Produtividade. Cultivando 700 hectares em companhia do irmão Eduardo, Leonardo diz que para crescer é preciso estar atualizado em matéria de tecnologias. “Vale a pena investir, o retorno é garantido e geralmente vem até antes do que a gente imagina.”

Verticalizar - Os Damazio planejam suas atividades para verticalizar a produção, elevar os níveis de produtividade e racionalizar custos. “Comprar mais terra ficou impraticável, está muito caro, então o caminho é produzir mais com o que temos”, afirma Leonardo, que é engenheiro agrônomo e tem 31 anos.

Rápido - Na terça-feira, em São Jorge do Ivaí, 40% dos 27,5 mil hectares do município estavam semeados, segundo o gerente Bernélio José Orsini. A permanecer nesse ritmo, a semeadura deve ser finalizada rapidamente.

Sustentável - Em Ivatuba, também na região de Maringá, o percentual já semeado era de 30 a 35% na quarta-feira, quando da passagem do Rally. Desta vez o produtor Ângelo Celestino não investiu em novas máquinas, mas nos últimos anos ele estruturou-se com o que havia de melhor – tratores, plantadeiras, colheitadeira e pulverizador, todos John Deere. Bem cuidada, a frota está impecável. “Gosto de tudo bem arrumado”, diz Ângelo, de 85 anos, que há 21 deu os primeiros passos no cultivo sustentável nos 193,6 hectares da Fazenda Estrela, ao adotar um bem planejado programa de rotação de culturas. Com isso, entra ano, sai ano, o produtor se sobressai entre as maiores produtividades de sua região.

Consórcio - A sustentabilidade, aliás, é algo do qual Gladimir Perin Clemens, de 50 anos, do mesmo município, não abre mão. São 150 hectares onde ele faz no inverno o consórcio de milho e capim braquiária para proteger o solo e garantir um bom plantio direto. Tanto ele quanto Ângelo devem terminar a semeadura nos próximos dias.

Sucessão - As trajetórias desses três produtores apresentam um ponto em comum. Jovens ainda e bem preparados, Leonardo e Eduardo Damazio sucedem ao pai José na gestão da propriedade, enquanto Ângelo conta com a parceria do filho Sidnei e da filha Tânia na condução da propriedade. Já Gladimir está encaminhando o filho João Henrique, de 16, que diz gostar da atividade rural e pensa em cursar agronomia. “Eu comecei a trabalhar aos 16 anos e estou aqui até hoje, firme”, sorri o produtor.

Acompanhamento - O Rally foi acompanhado em São Jorge do Ivaí e Ivatuba do supervisor técnico em agricultura de precisão da concessionária Cocamar John Deere, Bruno Guidi, e do especialista em agricultura de precisão, André Aguilera.

Sobre o Rally Cocamar de Produtividade - Patrocinam a edição 2020/21 do Rally Cocamar de Produtividade: Basf, Fairfax Brasil Seguros Corporativos, Viridian Fertilizantes, Sicredi União PR/SP e Zacarias Chevrolet (principais), Texaco Lubrificantes, Estratégia Ambiental, Cocamar Máquinas, Cocamar Irrigação, Nutrição Cocamar e Zoetis (institucionais), com o apoio do Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), Aprosoja-PR e cooperativa de serviços de agronomia Unicampo. (Imprensa Cocamar)

{vsig}2020/noticias/10/22/cocamar/{/vsig}

BOM JESUS: Diretoria realiza reuniões com conselheiros

Durante a pandemia, a Cooperativa Bom Jesus realizou diversas ações de mitigação aos riscos que a Covid-19 poderia causar aos associados, clientes, funcionários e fornecedores. Com isso, tomou diversas medidas de distanciamento social nas unidades, disponibilizou álcool em gel a todos e realizou limpeza constante dos ambientes para evitar proliferação do vírus. Importante salientar que a Bom Jesus sempre considerou a saúde de todos em primeiro lugar e, com a movimentação do agronegócio, na qual foi colocado como essencial pelo governo federal para a vida dos brasileiros, não parou e participou da campanha nacional "#OAgroNãoPara".

Gestão - Em relação à gestão da cooperativa, a diretoria da Bom Jesus, representada por Luiz Roberto Baggio, diretor-presidente; Milton Antonio Locatelli, diretor vice-presidente; e Marcelo Luis Kosinski, diretor-secretário, tomando todos os cuidados de prevenção à pandemia, continuou realizando reuniões com o Conselho de Administração e Conselho Fiscal para as tomadas de decisões em prol da cooperativa. Uma delas ocorreu com representantes Eduardo Pachek (São Mateus do Sul), Antonio Trajanowski (Quitandinha), Floriano Mica (Palmeira) e Sergio Klemba (Araucária), além de gerências da Bom Jesus.

Total - Ao todo, foram realizadas sete reuniões com Conselho de Administração e Fiscal nos últimos meses, com a adoção de medidas de distanciamento social, uso de álcool em gel e higienização do ambiente. (Imprensa Bom Jesus)

{vsig}2020/noticias/10/22/bom_jesus/{/vsig}

COCARI: Conheça o novo slogan da cooperativa

cocari 22 10 2020O slogan de uma instituição é uma frase curta que resume a sua identidade. Para representar melhor a cooperativa, que em 58 anos construiu uma trajetória de sucesso graças ao seu compromisso com o associado e à sua versatilidade, surgiu a necessidade de também mudar esta pequena frase que diz muito sobre a Cocari.

Atualização - De acordo com o presidente da cooperativa, Vilmar Sebold, trata-se de um gesto de reconhecimento do protagonismo conquistado pelas mulheres e pelos jovens no trabalho do agronegócio. “Nós vivemos momentos de desafios e de grandes mudanças e há muito tempo dizemos que tudo muda. Neste momento, a nossa proposta é modernizar o slogan da Cocari. Tornar o slogan que, historicamente, foi ‘Sempre ao lado do homem do campo’, em um novo, agora mais inclusivo. Queremos envolver a família do nosso associado. O que propomos é que o nosso slogan passe a ser então ‘Sempre ao lado das famílias do agro’. Entendemos que a participação das mulheres e dos jovens nos negócios da família vem crescendo a cada dia e reconhecemos este fato a partir da inclusão das famílias do agro também no slogan”, disse.

Inclusão - A mudança vem para consolidar a atitude de inovação e serviço, sempre presente na história da Cocari, que trabalha priorizando o interesse dos cooperados. A partir de agora, a cooperativa contará com este novo slogan para acolher todas as famílias que são a nossa razão de ser.

Vídeo - Assista ao vídeo produzido sobre este marco na história da cooperativa: https://www.youtube.com/watch?v=ol3mYn5hpQQ. (Imprensa Cocari)

 

SICREDI PLANALTO DAS ÁGUAS: Live Cooperativa do Bem arrecada recursos para projeto social

Com o objetivo de arrecadar recursos para construção de uma sala de música para crianças e adolescentes com vulnerabilidade social, atendidos de forma gratuita pelo Projeção (Projeto Jovens em Ação, para conhecer acesse: https://abser.org.br/), a cooperativa Sicredi Planalto das Águas PR/SP (mais especificamente a agência de Entre Rios), com apoio da Agrária e Cooperaliança, três entidades locais, se uniram para realizar a Live Cooperativa do Bem.

Atração - A iniciativa teve como grande atração a tradicional banda Original Donauschwaben Musikanten (Músicos Suábios do Danúbio). A mobilização foi amplamente divulgada no Distrito de Entre Rios (pertencente ao município de Guarapuava) e, no dia 6 de setembro, um domingo, véspera de feriado, foi realizada a Live Cooperativa do Bem, com conteúdo valorizando a contribuição das cooperativas com o desenvolvimento de onde estão presentes e abordando toda a questão história da colonização de Entre Rios (para acompanhar a programação da noite, acesse: https://youtu.be/RiK3M-a1iUM).

Adesão - A ação teve grande adesão por parte de toda a comunidade, o resultado foi a arrecadação de mais de R$ 15 mil para o objetivo. “Agradecemos o apoio das cooperativas Agraria, CooperAliança, DataFibra Internet, Floricultura Haus Hom e a Banda Original que abrilhantou essa noite histórica”, complementa o gerente da Agência Sicredi de Entre Rios, Lucas Pereira. (Sicredi Planalto das Águas PR/SP)

{vsig}2020/noticias/10/22/sicredi_planalto_aguas/{/vsig}

SICREDI VALE DO PIQUIRI: Programa Crescer ensina sobre cooperativismo a associados

O programa Crescer, há 11 anos na Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, cria oportunidades para que os associados conheçam em detalhes o modelo de negócio cooperativista e possam, no futuro, participarem de maneira mais efetiva na gestão. Para difundir esse conhecimento, a cooperativa realizou em evento online na noite da última terça-feira (20/10) e reuniu cerca de 800 pessoas. O encontro foi conduzido pelo presidente, Jaime Basso, pelo diretor executivo, Moacir Niehues, e pela gerente de desenvolvimento do cooperativismo, Cláudia Bonatti.

Agradecimento - “Aproveito a oportunidade para agradecer a todos os participantes por tirarem um tempo para falarmos desse movimento tão importante, de abrangência mundial, que é o cooperativismo. A cooperação é o que faz a diferença no mundo”, comenta Jaime Basso.

Objetivos - Cláudia Bonatti explica sobre os objetivos do programa. “Compartilhamos informação e mostramos a diferença do nosso modelo de negócio em comparação ao sistema financeiro tradicional. É sempre positivo reunir os associados e conversar sobre o empreendimento, além de possibilitar que eles tirem dúvidas. Esse programa prepara os associados para que eles possam contribuir ainda mais com a cooperativa no futuro. Foi maravilhoso contar com um número expressivo de participantes de todas as agências. Isso é incrível para o cooperativismo.”

Importância - O associado Robson Vieira Lopes, de Janiópolis (PR), destaca a importância dos assuntos tratados. “Aprender é muito bom e saber sobre o cooperativismo então, é melhor ainda. Todos nós podemos contribuir com o nosso crescimento pessoal a ainda colaborar com o próximo. Como costumo dizer, os cursos que o Sicredi oferece sempre nos surpreende e só tenho a agradecer pelo convite.”

Aprendizagem - O programa Crescer é composto de vários percursos de aprendizagem, com conteúdo organizado por rotas temáticas. O primeiro deles é o Boas-Vindas, realizado no momento do ingresso do novo associado. Depois, vem a rota Associados, quando os participantes recebem um certificado e estão aptos para o próximo, que aborda temas relacionados a liderança dentro do modelo cooperativo. Há ainda outros percursos de aprendizado disponíveis para quando o associado se tornar coordenador de núcleo e conselheiro da cooperativa.

Sobre a Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP - A Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, uma das 108 cooperativas do Sicredi, conta com 32 anos de história e mais de 159 mil associados. A área de atuação da cooperativa abrange 43 cidades no estado do Paraná e 8 cidades no estado de São Paulo, incluindo a capital paulista e cidades vizinhas do grande ABCD. São 88 espaços de atendimento, sendo 52 no Paraná e 36 em São Paulo (sicredi.com.br/vale-piquiri/).

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,7 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP)

{vsig}2020/noticias/10/22/sicredi_vale_piquiri/{/vsig}

SISDAGRO: Inmet lança aplicativo com informações meteorológicas para o setor agrícola

sisdagro 22 10 2020O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) lançou a versão do aplicativo SISDAGRO (Sistema de Suporte à Decisão na Agropecuária) para celular. O aplicativo foi desenvolvido para apoiar usuários do setor agrícola em suas decisões de planejamento e manejo agropecuário. A plataforma atende aos técnicos agropecuários, produtores do setor agrônomo, bem como gestores governamentais que executem políticas públicas voltadas ao setor agrícola.

Informações - O sistema oferece informações meteorológicas registradas em uma rede de Estações do Inmet, bem como de dados obtidos por modelos de previsão numérica do tempo, referentes às variáveis: temperatura, precipitação, umidade relativa do ar, velocidade e direção do vento e radiação solar.

Mais - Além disso o usuário poderá acompanhar:

Graus Dia: O crescimento e desenvolvimento de cultivos, assim como o desenvolvimento de pragas estão relacionados com a temperatura do meio ambiente, sendo esta relação, baseada no conceito de graus-dia.

Conforto Térmico Bovino: O animal exige do meio em que habita condições satisfatórias para que seus processos fisiológicos não sejam afetados negativamente, repercutindo no rendimento obtido na produção de carne, leite, ovos, lã etc.

Geada - Além do monitoramento Agrometeorológico, o SISDAGRO conta com a previsão de condições favoráveis à formação de geada, sendo classificadas como forte, moderada e fraca.

Versão - A versão já está disponível para o sistema Android e, em breve, estará disponível para IOS. (Mapa)

 

ALEP: Comissão de Obras aprova o nome de Reinhold Stephanes para diretor-presidente da Agepar

alep 22 10 2020Os deputados membros da Comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicação da Assembleia Legislativa do Paraná sabatinaram e aprovaram por unanimidade o nome do ex-ministro e ex-secretário estadual Reinhold Stephanes para assumir o cargo de diretor-presidente da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná (Agepar). A reunião foi realizada de forma remota na tarde desta quarta-feira (21/10) e comandada pelo deputado Tião Medeiros (PTB), presidente da Comissão. Para os parlamentares, o indicado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior cumpriu as formalidades regimentais e legais com a arguição pública.

Processo constitucional - A sabatina é um processo constitucional em que o Poder Legislativo valida os nomes indicados pelo governador. Votaram pela aprovação do nome de Reinhold Stephanes os deputados Galo (PODE), Do Carmo (PSL), Delegado Fernando Martins (PSL), Jonas Guimarães (PSB) e Delegado Recalcatti (PSD). Durante a sabatina, os parlamentares questionaram o candidato acerca de temas como a nova concessão de pedágio, os marcos regulatórios do gás e do saneamento básico, além dos desafios da Agência para os próximos anos.

Perguntas - Stephanes respondeu às perguntas dos deputados e, ao final do encontro, o nome dele foi aprovado pelos presentes. O novo diretor-presidente da Agepar se disse preparado para assumir a função. “Recebi o convite para organizar, estruturar e gerenciar a nova Agepar, criando instrumentos para o desenvolvimento do Estado. A função é importante e me considero capaz de desempenhá-la. Meu comprometimento é atuar com transparência e muito diálogo”, garantiu.

Fundamental - Para o presidente da Comissão, deputado Tião Medeiros, a escolha é fundamental. “Este é um momento importante para a vida da Agepar, de definição de como ela vai atuar nos próximos anos, principalmente na questão do marco regulatório do saneamento e da crise hídrica, quando a discussão da água será relevante. A Agência também terá um papel importante em relação ao pedágio, pois há o encerramento dos contratos e aprovação pela Agepar para novos editais, que vão reger e disciplinar os próximos 25 anos de concessão. Portanto, o que se define agora é fundamental por muito tempo, por isso Agepar tem todo esse papel importante”, disse.

Agepar - O funcionamento da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados do Paraná foi regulamentado pela Lei Complementar nº 222, de 05 de maio de 2020. O órgão é responsável pela regulação, normatização, controle, mediação e fiscalização dos serviços públicos concedidos pelo Estado e praticados por empresas privadas ou mistas, como concessionárias e empresas de saneamento básico e de gás canalizado.

Condições - Para exercício do cargo, os diretores da Agepar deverão satisfazer, simultaneamente, as seguintes condições: ser brasileiro; residir no Estado do Paraná durante o período de mandato; possuir reputação ilibada e insuspeita idoneidade moral; possuir formação universitária e elevado conceito no campo de especialidade do cargo para o qual será nomeado; não ter desempenhado, nos últimos doze meses anteriores a sua nomeação, atividades profissionais em empresas reguladas pela Agência.

Transmissão - A reunião on-line foi transmitida ao vivo pela TV Assembleia (canais 10.2 em TV aberta e 16 da Claro/Net) e pelo site e redes sociais do Legislativo. (Assessoria de Comunicação da Alep)

 

IBGE: Um em cada quatro adultos do país estava obeso em 2019; Atenção Primária foi bem avaliada

ibge 22 10 2020O percentual de pessoas obesas em idade adulta no país mais do que dobrou em 17 anos, indo de 12,2%, entre 2002 e 2003, para 26,8%, em 2019. No mesmo período, a proporção da população adulta com excesso de peso passou de 43,3% para 61,7%, representando quase dois terços dos brasileiros. Os dados são do segundo volume da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) 2019, divulgada nesta quarta-feira (21/10) pelo IBGE, e que é uma parceria com o Ministério da Saúde.

Comparação - A comparação foi feita com as edições 2002-2003 e 2008-2009 da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) e com edição anterior da PNS, em 2013, para as pessoas com 20 anos ou mais de idade. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a avaliação antropométrica nutricional de adultos deve ser feita a partir da relação entre peso e altura. Para a OMS, quem tem o Índice de Massa Corporal (IMC) abaixo de 18,5 kg/m² pode ser classificado com déficit de peso. Já os que têm o IMC igual ou acima de 25kg/m² podem ter excesso de peso e, igual ou acima de 30 kg/m², obesidade.

Avanço - Segundo a técnica do IBGE Flávia Vinhaes, os dados da PNS retratam o avanço do excesso de peso e da obesidade na população brasileira nos últimos anos. “O percentual tanto da obesidade quanto do excesso do peso vem subindo. Em ambos os sexos, o excesso de peso avançou e a obesidade mais que dobrou”, diz a pesquisadora.

18 anos ou mais - Considerando o grupo com 18 anos ou mais, 25,9% estavam obesos em 2019, o que representa 41,2 milhões de pessoas. Cerca de 96 milhões de pessoas, ou 60,3% da população nesse grupo etário, estavam com excesso de peso. “A obesidade é um subgrupo do excesso de peso, então as pessoas obesas também estão inclusas no grupo que está com excesso de peso”, explica Flávia.

Medidas antropométricas - O estudo também investigou as medidas antropométricas de adolescentes entre 15 e 17 anos que foram selecionados em uma subamostra dos domicílios da pesquisa. O percentual de excesso de peso para os adolescentes desse grupo foi de 19,4%, o que representa 1,8 milhão de pessoas. A prevalência foi maior entre adolescentes do sexo feminino (22,9%) do que no masculino (16%). Em relação à obesidade, o percentual ficou em 6,7%, sendo 8% para o sexo feminino, e 5,4% no sexo masculino.

Grupos de idade - Cerca de 7,4 milhões de pessoas (33,7%) de 18 a 24 anos estavam com excesso de peso em 2019. Já quando se observa o grupo da faixa de idade entre 40 e 59 anos, essa prevalência sobe para 70,3%, o que representa 39,5 milhões de pessoas.

Prevalência - “Com o avanço dos grupos de idade, a prevalência vai aumentando, mas ela diminui na faixa de idade de 60 anos ou mais. Isso para ambos os sexos. A gente observa que as mulheres têm mais prevalência que os homens em excesso de peso, exceto na faixa de 25 a 39 anos, em que os homens têm o percentual mais elevado”, diz a pesquisadora. Em 2019, a obesidade atingia 29,5% das mulheres e 21,8% dos homens, enquanto o sobrepeso afetava 62,6% das mulheres e 57,5% dos homens.

60 anos ou mais - A técnica destaca que a obesidade cresce conforme o avanço das faixas de idade, exceto no grupo de pessoas com 60 anos ou mais. “Em relação à obesidade, a gente observa esse mesmo movimento, à medida que a idade vai avançando, a prevalência aumenta. Na faixa de idade de 60 ou mais, o percentual recua. Observamos também que as mulheres têm maior prevalência de obesidade que os homens em todos os grupos de idade”, completa.

Déficit de peso - A pesquisa também analisou o déficit de peso na população brasileira. O déficit de peso no grupo de pessoas com 18 anos ou mais foi de 1,6% em 2019. “A interpretação de déficit de peso é que abaixo de 5% seriam características normais de uma população. Se tivermos um percentual abaixo disso, não é caracterizado como déficit, mas como característica de pessoas que têm o biotipo magro”, explica a pesquisadora.

Homens - A prevalência de déficit de peso foi maior entre os homens em quase todos os grupos de idade, exceto entre as pessoas de 60 anos ou mais. O percentual de déficit de peso das mulheres desse grupo ficou em 2,9%, enquanto o dos homens foi de 2,2%.

Atenção Primária à Saúde é avaliada com nota 5,9 - Pela primeira vez, a PNS abordou o tema Atenção Primária à Saúde (APS). O público-alvo do estudo foram moradores com 18 anos ou mais que tiveram pelo menos dois atendimentos com o mesmo médico em Unidades Básicas de Saúde (UBS) ou Unidades de Saúde da Família (USF). As respostas deles a um questionário foram usadas para calcular o Escore Geral da APS, que varia de 0 a 10. No Brasil, o escore obtido foi de 5,9.

Qualidade - “Sempre que o escore médio é acima de 6,6, ou seja, dois terços de 10, você diz que aquele serviço tem uma orientação para ser de qualidade. É um ponto de corte. Se você tem um valor abaixo disso, não quer dizer que você está muito distante dessa qualidade. Com 5,9, eu diria que o Brasil está em uma trajetória de qualidade para esse público-alvo”, explica o professor associado da Faculdade de Medicina da UFRJ, Luiz Felipe Pinto, que foi consultor da pesquisa.

Características - O estudo também investigou características como sexo, grupos de idade, cor ou raça e estado conjugal dos usuários de Atenção Primária à Saúde. Das pessoas que utilizaram alguns dos serviços da APS nos últimos seis meses que antecederam a entrevista, 69,9% eram mulheres, 60,9% eram pretas ou pardas, 65% tinham cônjuges e 35,8% estavam entre 40 e 59 anos. (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Charles de Moura / PMSJC

grafico1-PNS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

grafico2-PNS

COMÉRCIO EXTERIOR: Camex prorroga até o final do ano a lista de bens com tarifa zero para auxiliar no combate à Covid-19

O Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex), por meio da Resolução nº 104/2020, decidiu prorrogar, até 31 de dezembro de 2020, a vigência da Resolução nº 17/2020, que zera a tarifa de importação que incidiria sobre itens essenciais ao combate à Covid-19.

Ajustes - Com base em análises realizadas pelo Ministério da Saúde, foram promovidos ajustes à lista, com a exclusão, a partir do dia 1º de novembro, de itens para os quais o governo considerou que já existem condições adequadas de suprimento no mercado nacional. A lista completa dos itens excluídos consta da Resolução Gecex nº 103/2020. Esse movimento é resultado do aumento, pela indústria brasileira, da produção de itens essenciais ao combate à pandemia.

Na lista - Como resultado, continuarão com tarifa zero, até 31 de dezembro, uma ampla lista de 479 medicamentos, equipamentos hospitalares, itens de higiene pessoal e outros insumos utilizados no combate à Covid-19.

Gecex - O Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) é o núcleo executivo colegiado da Camex, responsável por definir alíquotas dos impostos de importação e exportação, fixar medidas de defesa comercial, internalizar regras de origem de acordos comerciais, entre outras atribuições.

Integrantes - Segundo o Decreto 10.044/2019, o Gecex é integrado pela Presidência da República, pelos ministérios da Economia; das Relações Exteriores; e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (Ministério da Economia)

BALANÇO: Gastos do governo com pandemia chegam a R$ 38,2 bi na saúde e R$ 2,7 bi na cultura

balanco 22 10 2020O governo federal gastou R$ 38,2 bilhões até o dia 20 de outubro em ações de saúde relacionadas à emergência causada pela pandemia de Covid-19. O total representa quase um terço do que foi gasto em 2019 com as ações regulares do setor, segundo comparação feita pela Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados.

Proporção - A proporção é semelhante à do gasto geral com a pandemia até agora, R$ 456 bilhões, em relação à despesa primária regular do governo federal, de R$ 1,5 trilhão em 2020.

Acompanhamento - A Consultoria de Orçamento faz um acompanhamento diário da execução do chamado "orçamento de guerra", um orçamento extra para o combate à pandemia.

Ritmo - A execução se acelerou nos últimos meses e alguns programas estão em dia, como o auxílio ao setor cultural, que já pagou R$ 2,7 bilhões de um total de R$ 3 bilhões.

Turismo - Já o auxílio ao setor de turismo, que tem R$ 5 bilhões, só repassou 15% até agora. Esse apoio seria dado em empréstimos para capital de giro. O Ministério do Turismo informou que já empenhou mais de R$ 1,68 bilhão para apoiar as empresas do setor e que está trabalhando para atingir 100% dos recursos.

Idosos - Apesar de ter um valor bem menor, a ajuda de R$ 200 milhões para instituições de longa permanência para idosos não teve nenhuma execução. O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos informou que foi feita uma habilitação das instituições e que a lista final será anunciada nesta quinta-feira (22/10).

Auxílio emergencial - A maior parcela do orçamento foi para o auxílio emergencial de R$ 600. Do total de R$ 605 bilhões do "orçamento de guerra", foram destinados R$ 322 bilhões ao auxílio emergencial.

Bolsa Família - O consultor Ricardo Volpe, da Consultoria de Orçamento da Câmara, afirmou que os gastos com o auxílio correspondem a dez anos de recursos do Bolsa Família a valores de 2019. "Cerca de 58 milhões de brasileiros receberam as primeiras parcelas de R$ 600. Com a mudança do benefício para R$ 300, com regras mais rígidas, melhoria de cadastro para evitar desvios e a própria legislação neste sentido, foi reduzido o total para 42 milhões [de beneficiários]”, disse Volpe.

Estados e empresas - Para empresas, as ações emergenciais somaram R$ 140 bilhões para capital de giro, manutenção de empregos e outros programas. Já a ajuda aos estados e municípios, além dos aportes específicos para a saúde, foi de R$ 60 bilhões até agora (desse total, R$ 10 bilhões foram para compensar a queda de receitas).

Estados - “Há estados que receberam mais recursos de compensação do que sua receita ordinária do ano anterior. Pelos critérios aprovados, resultou que alguns municípios brasileiros e inclusive alguns estados – como Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, que não tiveram queda tão grande de atividade por serem agrícolas – receberam mais. Receberam mais somando aquilo que eles arrecadam e o que receberam de aporte da União, mais do que eles tiveram de receita em 2019”, explicou o consultor Ricardo Volpe.

São Paulo - O estado e os municípios de São Paulo receberam R$ 12,7 bilhões do total do auxílio aos entes federativos. O menor repasse foi para Roraima, de R$ 448 milhões. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

SAÚDE I: Brasil tem 24.818 novos casos em 24 horas

O boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta quarta-feira (21/10), mostra que em 24 horas, 24.818 novos diagnósticos de covid-19 foram confirmados. Também foram registrados mais 566 óbitos.

Total - Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o país contabilizou 5.298.772 casos confirmados de covid-19. Até o momento,155.403 óbitos causados por essa doença foram registrados.

Recuperados - Dados do ministério mostram que 4.756.489 brasileiros se recuperaram da doença. Atualmente, 386.880 pacientes estão em tratamento.

SP ultrapassa 1,073 milhão de casos de coronavírus - Balanço divulgado na tarde de hoje (21) pela Secretaria estadual da Saúde informou que o estado de São Paulo tem, até este momento, 1.073.261 casos confirmados do novo coronavírus, com 38.371 mortes. Do total de casos diagnosticados, 965.058 pessoas já estão recuperadas da doença.

Internados - Atualmente, há 7.287 pessoas internadas em todo o estado em casos suspeitos ou confirmados do novo coronavírus. Desse total, 3.184 pessoas estão internadas em unidades de terapia intensiva (UTI). A taxa de ocupação de leitos de UTI é de 40,5% no estado, mesma taxa observada na Grande São Paulo. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 22 10 2020

SAÚDE II: Paraná ultrapassa 200 mil infectados pela Covid-19

saude II 22 10 2020O Paraná chegou a 200.952 infectados pela Covid-19. A doença levou a óbito 4.986 paranaenses, segundo boletim da Secretaria de Estado da Saúde divulgado nesta quarta-feira (21/10). Neste informe são relatados mais 1.168 novos casos e 35 óbitos. Há ajuste de caso confirmado detalhado ao final do texto.

Internados - Boletim desta quarta-feira relata que 707 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 579 pacientes em leitos SUS (268 em UTI e 311 em enfermaria) e 128 em leitos da rede particular (39 em UTI e 89 em enfermaria).

Exames - Há outros 856 pacientes internados, 404 em leitos UTI e 452 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - Os 35 pacientes que foram a óbito, relatados neste informe, estavam internados. São 17 mulheres e 18 homens, com idades que variam de 40 a 113 anos. Os óbitos ocorreram entre 12 de julho e 20 de outubro.

Residência - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (6), Maringá (3), Araucária (2), Bandeirantes (2), Campo Largo (2), Cascavel (2), Pinhais (2) e São José dos Pinhais (2). A Secretaria da Saúde confirma também um óbito em cada um dos municípios de Castro, Colombo, Foz do Iguaçu, Guaraqueçaba, Ivatuba, Londrina, Mandirituba, Marialva, Missal, Nova Prata do Iguaçu, Rio Negro, São José das Palmeiras, Sertaneja e Uraí.

Fora do Paraná- O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 2.098 casos de residentes de fora, 49 pessoas foram a óbito.

Ajustes - Um caso confirmado no dia 18/08 em Foz do Iguaçu foi transferido para Goiânia/GO. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o boletim completo AQUI.

 

SAÚDE III: Não há intenção de compra de vacina chinesa, diz secretário

saude III 22 10 2002O Ministério da Saúde atualizou nesta quarta-feira (21/10) as informações sobre a vacina CoronaVac, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan. O secretário executivo da pasta, Elcio Franco, realizou pronunciamento, transmitido pela TV Brasil, para prestar esclarecimentos sobre a carta de intenções para aquisição da vacina do Butantan-Sinovac/Covid-19.

Programa de Imunização - "Qualquer vacina, quando estiver disponível, certificada pela Anvisa, e adquirida pelo Ministério da Saúde, poderá ser oferecida aos brasileiros por meio do Programa Nacional de Imunizações, e no que depender desta pasta, não será obrigatória", informou o secretário executivo.

Sem compromisso - Segundo o secretário, não houve qualquer compromisso com o governo do estado de São Paulo no sentido de aquisição de vacina contra a covid-19. “Tratou-se de um protocolo de intenção entre o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan, sem caráter vinculante, por se tratar de um grande parceiro do Ministério da Saúde na produção de vacinas para o Programa Nacional de Imunizações [PNI].

Iniciativa - Franco esclareceu que é “mais uma inciativa para tentar proporcionar vacina segura e eficaz para a nossa população, neste caso como uma vacina brasileira” e se estiver disponível antes da vacina da AztraZeneca/Oxford ou da Covax. “Não há intenção de compra de vacinas chinesas”, ressaltou.

Análise técnica - O secretário reforçou que qualquer vacina depende de análise técnica e aprovação da Anvisa, pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) e pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) do Sistema Único de Saúde (SUS). Franco reafirmou que quando qualquer vacina estiver disponível, certificada pela Anvisa e adquirida pelo Ministério da Saúde, ela será oferecida aos brasileiros por meio do PNI e, “no que depender desta pasta, não será obrigatória”.

CoronaVac - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (21/10) que o governo federal não comprará a vacina CoronaVac. De acordo com ele, antes de ser disponibilizada para a população, a vacina deverá ser “comprovada cientificamente” pelo Ministério da Saúde e certificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). (Agência Brasil)

 

SAÚDE IV: ANS divulga nova edição do Boletim Covid-19

saude IV 22 10 2020A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) disponibiliza uma nova edição do Boletim Covid-19 com informações sobre a utilização dos planos de saúde durante a pandemia de Coronavírus. O informativo reúne dados assistenciais e econômico-financeiros coletados até setembro junto a uma amostra de operadoras e apresenta a evolução do número de beneficiários, exames relacionados à Covid-19 realizados na saúde suplementar e as demandas dos consumidores recepcionadas pela ANS no período. O objetivo do boletim é monitorar a evolução de indicadores relevantes do setor durante o período da pandemia, subsidiando análise qualificada da Agência Reguladora e prestando mais informações à sociedade.  

Clique aqui para acessar a publicação.

Tendências - Os indicadores assistenciais apontam as principais tendências em relação à utilização de serviços de saúde hospitalares durante a pandemia e suas implicações nas despesas das operadoras. São apresentados números sobre ocupação de leitos, atendimentos em pronto-socorro que não geraram internação e autorizações emitidas para procedimentos eletivos fora do ambiente hospitalar. Já os indicadores econômico-financeiros analisam a sinistralidade observada através do fluxo de caixa das operadoras - movimento de entrada (recebimentos) e saída (pagamentos) de recursos em um dado período - e a inadimplência, ou seja, o não pagamento de obrigações no prazo estabelecido.

Base de beneficiários - O boletim também apresenta informações sobre a variação da base de beneficiários de planos de saúde, com detalhamentos da evolução do número de vínculos por tipo de contratação e por faixa etária; o número de exames de detecção de Covid-19 e de imagem de tórax realizados no período; e dados sobre reclamações dos consumidores registradas pelos canais de atendimento da ANS.

Conjuntura - De maneira geral, a análise dos dados e indicadores coletados e apresentados no Boletim Covid-19 desde o início do monitoramento até o momento não aponta para uma conjuntura de desequilíbrios de ordem assistencial ou econômico-financeira no setor. Confira, a seguir, as principais informações.

Evolução de beneficiários - A evolução de beneficiários reflete o movimento de adesões e cancelamentos de planos de saúde diante da pandemia e é uma informação relevante, já que impacta tanto em despesas assistenciais quanto na receita das operadoras. Esta edição do boletim traz os números preliminares de beneficiários em planos de assistência médica registrados em setembro, antecipando as informações completas que serão divulgadas no início do próximo mês através da Sala de Situação.

Crescimento - Em setembro, foi confirmada a tendência de crescimento que vinha sendo verificada nos meses anteriores: o setor registrou 47.118.643 beneficiários em planos de assistência médica, um aumento de 0,4% no comparativo com o mês anterior e de 0,27% em relação ao mesmo período de 2019, atingindo o maior patamar do período em destaque na análise (desde janeiro de 2019). Quando analisada a evolução no período de março a setembro de 2020, por tipo de contratação do plano, comparando com o mesmo período do ano passado, observou-se que os coletivos por adesão apresentaram crescimento de 1,01% em 2020; os planos individuais ou familiares registraram aumento de 0,05%; e os coletivos empresariais tiveram queda de 0,15%, no comparativo com o mesmo período de 2019.

Tipo de contratação - Considerando o tipo de contratação do plano e a faixa etária do beneficiário, observa-se que a taxa de crescimento de beneficiários acima de 59 anos foi positiva em todos os tipos de contratações em 2020 (março a setembro). O maior aumento ocorreu nos coletivos empresariais (1,68%), seguido dos individuais ou familiares (1,29%) e dos coletivos por adesão (0,93%).

Condizente - Esse resultado é condizente com a conjuntura da pandemia, indicando que a população mais vulnerável se esforça para preservar ou ampliar a cobertura assistencial e os efeitos da crise econômica e do desemprego prejudicam a manutenção dos planos para a população em idade ativa.

Informações assistenciais - Em setembro, a taxa geral de ocupação de leitos manteve-se semelhante ao mês anterior, com 64% de ocupação, ante 65% registrada em agosto, e continua abaixo da taxa de ocupação de setembro de 2019 (74%), mantendo o padrão verificado desde março. Essa informação considera a ocupação tanto para o atendimento à Covid-19 quanto para demais procedimentos não relacionados à doença e engloba leitos comuns e de UTI. Já taxas de leitos alocados e ocupados para Covid-19 (com ou sem UTI) em setembro seguiram tendência de queda. Em setembro, a taxa de ocupação ficou em 54%, ante 57% registrado em agosto; e a taxa de alocação ficou em 23% (em agosto foi de 28%).

Consultas em pronto-socorro - A quantidade de consultas em pronto-socorro que não geraram internações segue apresentando retomada gradual. Em setembro, houve um crescimento de 8% em relação a agosto, mas ainda abaixo do observado antes do início da pandemia, o que pode refletir mudança na organização das operadoras no que diz respeito à forma de acesso aos serviços de saúde, indicando que a demanda de atendimento pode estar sendo absorvida pela Atenção Primária, inclusive quanto à facilidade de acesso às consultas médicas por telessaúde. Pode indicar, ainda, mudança de comportamento dos próprios beneficiários, quanto ao risco de contaminação da ida ao pronto socorro, buscando formas de acesso mais adequadas às suas necessidades de saúde.  

SADT - A busca por atendimentos de Serviços de Apoio Diagnóstico Terapêutico (SADT) também segue a retomada gradual e, a partir de setembro, voltou ao patamar anterior ao início da pandemia. Nesse mês, foi verificada variação positiva de 9% em relação a agosto. Já os custos por diária em internações (com ou sem UTI) mantiveram-se estáveis em relação ao mês anterior. A informação está detalhada na Nota Técnica que acompanha o boletim.

Exames - Os dados sobre a realização de exames contemplam informações coletadas até o final de julho e têm como fonte os dados do Padrão TISS (Troca de Informação de Saúde Suplementar). Nesse mês, houve estabilidade no número de testes para detecção de Covid-19 do tipo RT-PCR e expressivo aumento da quantidade de testes sorológicos – movimento que se deve à incorporação do exame no Rol ocorrida temporariamente naquele mês.

Julho - Em julho, foram contabilizados 214.747 exames para detecção de Covid-19 do tipo Pesquisa de RT-PCR e 30.902 testes do tipo sorológico. Desde o início da pandemia, foram realizados 585.381 exames do tipo RT-PCR e 32.989 sorológicos. Também foram realizados 19.252 testes de outros tipos para detecção de vírus respiratórios, como tomografia computadorizada de tórax e radiografia de tórax.

Informações econômico-financeiras - Em setembro, a sinistralidade (mediana) ficou em 73%, leve crescimento em relação a agosto (71%). A elevação ocorreu devido ao aumento das despesas assistenciais, mas ainda abaixo do patamar histórico. As contraprestações pagas pelos beneficiários tiveram um pequeno aumento em setembro comparado a agosto, voltando para mais próximo da média histórica recente.

Inadimplência - Os dados relativos à inadimplência, tanto para planos individuais ou familiares quanto para coletivos, não tiveram alteração em relação ao mês anterior e continuam próximos dos níveis históricos. Em setembro, o percentual geral ficou em 7%, mesmo índice do mês anterior. Nos planos individuais, também não houve variação em relação a agosto, tendo sido registrado 11% de inadimplência. Nos coletivos, o índice foi de 4% (em agosto foi de 5%).  

Demandas dos consumidores - O número de demandas registradas pelos consumidores através dos canais de atendimento da ANS tem mantido relativa estabilidade nos últimos três meses. Em setembro, foram registradas 14.597 reclamações, aumento de 4% em relação a agosto. Se consideradas apenas as reclamações de natureza assistencial, observamos que em setembro foram contabilizadas 10.099, aumento de 9,7% em comparação ao mês anterior.  

Demandas específicas - Em relação às demandas relacionadas especificamente à Covid-19, o boletim informa que, de março até setembro, foram registrados 16.503 pedidos de informações e 12.631 reclamações sobre o tema. Do total de reclamações, 59% dizem respeito a dificuldades relativas à realização de exames e tratamento; 26% se referem a outras assistências afetadas pela pandemia; e 15% são reclamações sobre temas não assistenciais (contratos e regulamentos, por exemplo). Cabe esclarecer que essa classificação considera o relato do consumidor, ao cadastrar sua demanda na ANS, sem análise de mérito sobre eventual infração da operadora ou da administradora de benefícios à Lei 9.656/98 e seus normativos ou aos termos contratuais.

Mediação de conflitos - É importante destacar que as demandas de reclamação dos consumidores passam pela mediação de conflitos realizada através da Notificação de Intermediação Preliminar (NIP), conforme definição prevista na Resolução Normativa nº 388/2015. A mediação possibilita que as operadoras reparem sua conduta irregular e resolvam os problemas dos beneficiários e evitando, assim, a abertura de processo administrativo e judicial.

Resolutividade - Entre os meses de março e julho de 2020, a NIP alcançou 92,7% de resolutividade, considerando todas as demandas cadastradas na ANS no período que foram passíveis de mediação, bem como 91,3% de resolutividade quando consideramos somente as demandas relacionadas à Covid-19. Esse dado informa que a maioria das reclamações apresentadas foram solucionadas no âmbito da mediação promovida pela Agência.

Portal - No portal da ANS, é possível acessar o monitoramento diário das demandas sobre Covid-19. Clique aqui e confira.

Confira as outras edições do Boletim Covid-19.

Sobre os dados - Para a análise dos indicadores assistenciais, a ANS considerou informações coletadas junto a uma amostra de 51 operadoras que possuem rede própria hospitalar. Para os índices econômico-financeiros, foram analisados dados de 99 operadoras também selecionadas via amostragem, de acordo com a relevância da base de beneficiários. Juntas, as operadoras respondentes para estes dois grupos de informação compreendem 74% dos beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares.

Dados oficiais - Adicionalmente, na construção do boletim, para estes e demais indicadores relacionados a demandas de consumidores e variação da base de beneficiários, foram utilizados dados oficiais da ANS, entre eles, o Documento de Informações Periódicas (DIOPS), o Sistema de Informações de Fiscalização (SIF) e o Sistema de Informação de Beneficiários (SIB). (ANS)

 

SAÚDEV: Secretaria confirma 848 casos de dengue no Paraná

saude V 22 10 2020O boletim quinzenal da dengue divulgado na terça-feira (20/10) pela Secretaria de Estado da Saúde totaliza 848 casos, são 107 a mais que o informe anterior, do dia 6 de outubro.

Monitoramento - O atual período de monitoramento começou em agosto deste ano e seguirá até julho de 2021. Neste momento, os casos confirmados de dengue atingem 26 municípios; em 111 os casos são autóctones, ou seja, a infecção pelo vírus da dengue ocorreu na cidade de residência.

Circulação - “Existe circulação do vírus no Estado e o Governo do Paraná está atento alertando os gestores municipais e apoiando ações de combate”, disse o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

Enfrentamento - Segundo ele, este enfrentamento não depende apenas dos órgãos governamentais, por isso reitera que a participação da população é fundamental para a eliminação dos criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. “A melhor forma de combate é com a remoção de recipientes que possam acumular água nos ambientes internos e externos dos domicílios”, afirmou Beto Preto.

Dados - O informe publicado na terça-feira confirma uma morte por dengue no município de Cambé; um homem de 69 anos, portador de diabetes e hipertensão arterial. A morte foi confirmada por exame laboratorial.

Grave - Cinco municípios apresentam casos de dengue grave: Foz do Iguaçu, com 5 casos, e Marmeleiro, Assaí, Cambé e Jataizinho com um único caso.

Notificações - O Paraná tem 6.490 notificações para a dengue, que ocorreram em 277 municípios.

Ação - Em parceria com as Regionais de Saúde e secretarias municipais de Saúde a Defesa Civil, a Secretaria vem realizando mutirões de limpeza em vários municípios, principalmente nos que apresentam maior número de casos. No último final de semana as ações aconteceram em Cambé e Londrina.

Próximos municípios - Os próximos municípios já agendados pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil são Paranaguá e Apucarana e ainda cidades da região de Foz do Iguaçu. (Agência de Notícias do Paraná)

 


Versão para impressão


RODAPE