Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4936 | 27 de Outubro de 2020

COVID-19: Início da formação do Programa de Liderança na Inovação é um dos destaques do comunicado 145

covid 19 destaque 27 10 2020O Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar emitiu, na manhã desta terça-feira (27/10), o comunicado 145 que traz, entre os destaques, o início da formação de 50 cooperativistas, ocorrido nesta segunda-feira (26/10), dentro do Programa de Liderança na Inovação, promovido pela entidade em parceria com o MIT - Massachusetts Institute of Technology. Confira abaixo todas as informações do boletim.

1. O Sistema Ocepar, por meio do Sescoop/PR, iniciou no dia 26 de outubro, o Programa de Liderança na Inovação em parceria com o MIT - Massachusetts Institute of Technology. São 50 lideranças cooperativistas que estão participando da turma online.

2. No dia 26 de outubro, o Sistema Ocepar realizou formação online sobre crédito rural: fundamentos e elaboração de projetos para cooperados.

3. O Ministério da Economia, por meio da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, no dia 27 de outubro, publicou a Portaria nº 22.677, que aprova a nova redação da Norma Regulamentadora nº 31 - Segurança e Saúde no Trabalho na Agricultura, Pecuária, Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura. Para acessar a portaria, clique aqui.

4. O Governo Federal, no dia 26 de outubro, publicou o Decreto nº 10.531, que institui a Estratégia Federal de Desenvolvimento para o Brasil no período de 2020 a 2031. Clique aqui para acessar o Decreto nº 10.531.

O Comitê - O Sistema Ocepar constituiu o Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 com objetivo de monitorar, receber, avaliar e comunicar seus públicos sobre as informações mais recentes ligadas à disseminação e precauções que devem ser tomadas diante da epidemia da doença. O grupo é formado pela Diretoria Executiva, coordenações de Gestão Estratégica e de Comunicação Social, com assessoramento jurídico e colaboração da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa). Desde que o trabalho remoto foi adotado pela instituição, em 20 de março, os integrantes se reúnem diariamente, por meio de videoconferência, para analisar cenários e discutir o andamento das atividades visando atender as demandas das cooperativas. O Comitê tem ainda divulgado os comunicados para informar as principais ações de interesse do cooperativismo paranaense que estão sendo executadas pelo Sistema Ocepar nesse período de pandemia.

 

COMUNICA COOP: Fórum com profissionais de Comunicação das cooperativas do PR é nesta terça-feira

destaque informe 21 10 2020Mais de 110 profissionais da área de Comunicação das cooperativas do Paraná estão inscritos para participar, nesta terça-feira (27/10), do Fórum Digital Comunica Coop, que será realizado a partir das 14h pela plataforma Microsoft Teams. O evento será aberto pelo presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken. Depois, a especialista Marlene Marchiori, que é pesquisadora, escritora, palestrante e mentora, irá ministrar uma palestra. Haverá ainda um diálogo com os participantes e troca de experiências em relação à gestão da comunicação nas cooperativas paranaenses. O evento tem encerramento previsto para às 16h.

Planejamento - O Fórum terá continuidade no dia 10 de novembro, com o objetivo de discutir o planejamento de programas de comunicação estratégica, com base no PRC200, o planejamento estratégico do cooperativismo paranaense, e, ainda, por que planejar programas, desenvolvimento de mentoria e troca de conhecimentos.

Informações - Mais informações sobre o evento pelo e-mail jornalismo@sistemaocepar.coop.br ou pelo fone (41) 3200 1150.

 

 

 

COOPAVEL: 300 empresas já confirmaram presença no 33º Show Rural

coopavel 27 10 2020Trezentas empresas dos mais diferentes segmentos ligados ao agronegócio já confirmaram participação na 33ª edição do Show Rural Coopavel. O evento, um dos três maiores do mundo voltado à disseminação de novas tecnologias para o campo, vai ser realizado de 1º a 5 de fevereiro de 2021, em Cascavel, no Oeste do Paraná.

Grande evento - “Faremos, como nas edições anteriores, um grande evento e com o melhor em novidades para produções de alta performance e com grandes resultados”, afirma Dilvo. Os preparativos para o evento já começaram. Uma das principais características desta edição será o aspecto misto: presencial e com força total nos canais de mídias sociais – Facebook, Instagram e Youtube.

Atrações - Além de empresas de máquinas e implementos agrícolas e de cultivares, híbridos e completa linha de insumos, a 33ª edição confirma a realização de outras atrações importantes. Entre elas do Show Rural Digital, focado em tecnologias e novas soluções para o agronegócio, e do Show Rural Pecuário e Ovinocultura, com o melhor de raças para produção de leite e carne. Uma das novidades será a entrega de um amplo pavilhão para expositores da agricultura familiar, resultado de parceria com o IDR (Instituto de Desenvolvimento Rural, que integra o Emater e o Iapar).

Cuidados - Em função da pandemia do coronavírus, inúmeros cuidados vão ser adotados para garantir a segurança de quem for ao centro de tecnologia para conhecer as novidades, diz o coordenador geral Rogério Rizzardi. “Elaboramos e vamos colocar em prática um cuidadoso plano de contingência. Diversas medidas serão observadas, entre elas o uso obrigatório de máscara em todo o percurso, aferição da temperatura corporal, distribuição de álcool em gel, realização de eventos apenas ao ar livre e acionamento de bebedouros com o pé”. (Imprensa Coopavel)

 

BOM JESUS: Evento digital aproxima o campo experimental dos cooperados

bom jesus 27 10 2020A pandemia da Covid-19 trouxe o distanciamento social como uma das medidas de prevenção à mitigação ao vírus. Mas a tecnologia embarcada hoje em plataformas de comunicação auxilia o produtor a estar dentro do campo, mas no conforto da sua casa e com segurança. Nesta segunda-feira (26/10), iniciou o Dia de Campo de Inverno 2020 da Cooperativa Bom Jesus, sendo 100% digital.

Abertura - Luiz Roberto Baggio, diretor-presidente da Bom Jesus, fez a abertura do evento, falando sobre a importância das culturas de inverno para os cooperados da região, as tecnologias embarcadas na cooperativa e no aparato técnico para as propriedades e visão de mercado, destacando a liderança do Paraná no plantio de trigo. Severino Giacomel, gerente técnico da cooperativa, apresentou o campo experimental, destacando a importância das pesquisas da Bom Jesus para a região sudeste paranaense e, agora, planalto norte catarinense. Felipe Andrade, assessor de Comunicação da Bom Jesus, comentou sobre como funciona a plataforma e os conteúdos especiais que o Dia de Campo de Inverno proporcionará.

Primeiro conteúdo - O primeiro conteúdo especial é com o diretor secretário, Marcelo Kosinski, que trata do tema "Culturas de Inverno: Importância no Mercado e Uso das Culturas na Propriedade". Acesse bj.coop.br/diadecampo e cadastre-se! Todos os dias têm conteúdos especiais para os cooperados. (Imprensa Bom Jesus)

 

CASTROLANDA: Produção de ração animal expande com organização e estratégia

castrolanda 27 10 2020A produção de ração animal nacional deve alcançar no final de 2020 um volume de 80,5 milhões de toneladas, com crescimento de aproximadamente 4% em relação a 2019. Os dados do Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações) relacionados ao crescimento do setor, indicam o bom momento das proteínas animais e o desenvolvimento do setor. O fato, de acordo com a entidade, se dá por alguns motivos, entre eles os novos mercados que o país tem conquistado para a carne no exterior, assim como, a produção e demanda interna.

Projeção - Na Cooperativa Castrolanda a projeção para este ano é que o crescimento seja de 12%. Muito deste resultado se dá devido a inauguração da Unidade de Produção de Leitões (UPL II) em Piraí do Sul/PR e, consequentemente, o crescimento de suínos na cadeia da cooperativa como um todo.

Adequação - Com aumento de produção, a Fábrica de Rações da unidade em Castro/PR está se adequando aos novos volumes. A linha de ração que contava com duas peletizadoras, recebeu um investimento de aproximadamente 770 mil reais para inserção de mais um equipamento na linha de produção. “O que faz com que a gente consiga atender as demandas do nosso produtor e manter o volume industrializado para nossos clientes. Para efeito explicativo, no ano passado produzimos 167 mil toneladas de ração para suínos. Com essa adequação a nossa estimativa é produzir aproximadamente 204 mil toneladas de rações de suíno até o fim de 2020, sendo 110 mil toneladas para a Castrolanda”, destaca o Coordenador de Produção da Fábrica de Rações, Tasso Roquete. O projeto, já em funcionamento, equalizará a capacidade produtiva da unidade.

Investimento - Investimentos na linha de produção foram realizados para suprir as demandas da unidade. O gestor da área, Mauro Cezar de Faria destaca ainda que os recursos têm sido empregados também em automação, rastreabilidade e controle de qualidade na entrada de matéria-prima e ração. “Nós temos a busca contínua por atualização tecnológica. Faz parte do plano de investimentos da área para aumentar a capacidade de produção para suínos e bovinos. Com isso, conseguimos ampliar a prestação de serviços para atender à necessidade dos produtores e dos parceiros de negócios”, afirma o Gerente.

Nutrição que dá resultado - Os gastos com nutrição podem representar entre 65% e 80% das despesas na criação. Com isso, a busca é permanente por soluções inovadoras e que tragam resultados aos cooperados e clientes. Há mais de 40 anos produzem produtos de qualidade, com todo suporte nutricional que os animais precisam. O cooperado Roelof Rabbers, da Fazenda Onça, utiliza as Rações Castrolanda desde 1978. “Sou fiel aos produtos da cooperativa. Tenho muita confiança na equipe e estou muito satisfeito com os resultados entregues”.

Interesse - “É de total interesse que nossos cooperados e parceiros recebam a ração de melhor qualidade. Não faz sentido entregar um produto que não preze pela excelência. Nós realmente cuidamos para recebam a ração com ótimos níveis nutricionais, ingredientes adequados e de qualidade”, afirma Tasso.

Objetivo - O grande objetivo é alinhar tecnologia de produção com a otimização dos resultados no campo. “Buscamos cada dia conseguir ser mais competitivos no mercado. O trabalho integrado entre todos os elos da cooperativa é essencial. Isso sempre, alinhado à Cultura Castrolanda e nossos valores que permeiam todos os negócios”, finaliza o gerente.

Sobre a Castrolanda - O compromisso com a transformação faz parte do DNA da Castrolanda. Uma cooperativa que transforma vidas, negócios e a comunidade ao redor. Com 68 anos de história, a Cooperativa Castrolanda é formada por mais de 1100 cooperados no Estado do Paraná e interior de São Paulo.

Unidades de negócios - Com 3,5 bilhões de reais de faturamento e aproximadamente 3500 colaboradores, possui unidades de negócios divididas em operações agrícola, carnes, leite, batata e administração e industrial - carnes, leite, batata e cerveja. O objetivo das áreas de negócio é coordenar, desenvolver e fomentar as atividades dos cooperados, seguir presente em todos os elos da cadeia produtiva, agregar valor através das indústrias e crescer com sustentabilidade. (Imprensa Castrolanda)

 

COCAMAR: A forte expansão da Corretora de Seguros

cocamar 27 10 2020Em seu segundo ano de atuação, a Corretora de Seguros da Cocamar vem registrando expressivo crescimento de suas atividades. Recentemente foi finalizado mais um ciclo de contratações do seguro agrícola, dessa vez para a safra de verão 2020/21, na qual registrou-se um crescimento de 57% em área segurada.

Crescimento - São 150 mil hectares protegidos pelas 2,6 mil apólices de seguro, enquanto o valor em risco segurado saltou para R$ 525 milhões, um crescimento de quase 100% na comparação com a safra anterior. Já o valor coberto médio por hectare passou de R$ 2,8 mil para R$ 3,4 mil (24,3% a mais), o que, segundo o gerente da Corretora, André Barberá, se deve em grande parte a elevação dos preços fixados nas apólices, que subiram 22%.

Geral - Somando as demais culturas, de 2019 para 2020 o número de apólices cresceu de 3,2 mil para 4,6 mil (42%), a área segurada em hectares evoluiu de 153,7 mil para 227,4 mil (48%) e a importância segurada total expandiu de R$ 362,3 milhões para R$ 680 milhões.

Produtos personalizados - Conforme explica Barberá, estão sendo oferecidos benefícios em seguro agrícola aos cooperados por meio de produtos personalizados. Entre eles: Cocamar ILPF, específico para áreas implantadas no sistema de cultivo integração lavoura-pecuária-floresta; Cocamar MCPC, para áreas de primeiro e segundo ano de cultivo pós pastagem, cana, mandioca, solo tipo 1 (arenoso) – “especialmente importante, pois está havendo expansão nessas regiões, onde o seguro agrícola viabiliza e garante segurança”, afirma; Cocamar Vip – que toma como referência o histórico de produtividade do cooperado na cooperativa, assegurando uma cobertura maior; Cocamar Usinas –customizado para cooperados que participam do projeto de reforma de áreas de canaviais em parceria com usinas paulistas; Cocamar Irrigada – para cooperados que possuem sistema de irrigação, excluindo o evento seca da cobertura e o tornando mais barato. A corretora passou a prestar atendimento, também, à concessionária Cocamar John Deere para Máquinas e Implementos.

Indenizações - Barberá informa também que a corretora em 2020 intermediou um volume de indenizações no montante de mais R$ 20 milhões. “Mais do que números estamos levando proteção e tranquilidade para nossos cooperados e segurança financeira para a cooperativa” completou. (Imprensa Cocamar)

 

INTEGRADA: Nenhuma nuvem no céu

integrada 27 10 2020Os meteorologistas apontam para o final deste ano um forte esfriamento das águas do Oceano Pacífico. O fenômeno, denominado La Niña, já tem influenciado o clima no Hemisfério Sul, mais precisamente as regiões produtoras de grãos do Brasil e Argentina, que resulta em chuvas mais espaçadas durante a semeadura da soja.

Live - O tema foi o assunto principal da última transmissão online (Live) do consultor da MBAgro, Alexandre Mendonça de Barros, que ocorreu no dia 22 de outubro. Mediado pelo superintendente da área comercial, João Bosco de Souza Azevedo, Barros apontou a situação do clima, do mercado atual e da safra de soja.

América do Sul - “A América do Sul está no centro do debate mundial, pois o cenário climático está confuso”, alerta o consultor. Dados meteorológicos apontam que o La Niña terá influência até março de 2021. As chuvas tardias no cerrado brasileiro e no sul do Brasil exemplificam bem essa instabilidade, na opinião do consultor.

Grãos - Para o mercado de grãos, a situação requer uma certa atenção. Barros afirma que o rebanho suíno chinês, maior parceiro comercial do Brasil, está se recuperando. Isso pede uma maior quantidade de farelo de soja. “Além disso, na medida que o nosso Produto Interno Bruto (PIB) voltar a crescer, veremos uma demanda adicional por carne, o que exigirá ainda mais farelo de soja e milho.

Conta apertada - A conta está apertada para o Brasil. O aumento das exportações, principalmente pela China, poderá fazer o Brasil ter que comprar soja para dar conta da demanda dos mercados. Só neste ano, de janeiro a dezembro, o País deverá exportar 88 milhões de toneladas de soja. Em 2019, foram exportados 78.858 milhões de toneladas.

Alta dos preços - Para uma safra de 126 milhões de toneladas (2019/20) restam 38 milhões de toneladas, mas a demanda interna, calcula Barros, é de 40 milhões de toneladas. Somado ao cenário climático preocupante para a safra 2020/21, a bolsa de Chicago tem registrado alta no valor das commodities em dólar. O cenário de alta nos preços no Brasil também não é diferente. Mas Alexandre segue otimista com relação à próxima safra. Mesmo com as incertezas do clima, o volume estimado em 133 milhões de toneladas ainda se sustenta.

Apresentação completa- Confira a apresentação completa no canal do Youtube da Integrada:  

https://youtu.be/gw53MtXLgHM. (Imprensa Integrada)

 

C.VALE: 20º Seminário da Mulher será realizado na quinta-feira

"Especialmente Mulher" será o tema da palestra que a consultora motivacional Patrícia Santos abordará na 20ª edição do Seminário da Mulher. O encontro ocorrerá de forma digital, pelo canal da cooperativa no Youtube, nesta quinta-feira (29/10), a partir das 14 horas. O evento é destinado as associadas, esposas, filhas e netas de cooperados.

Acesso - De acordo com a analista de cooperativismo, Mirna Klein Fúrio, para ter acesso ao evento basta clicar no link https://www.youtube.com/channel/UCu4WjCdlCKI5jcsJxcens-w. O seminário tem apoio da Bayer e do Sescoop/PR. (Imprensa C.Vale)

 

cvale folder 27 10 2020

CRESOL: Projeto é desenvolvido com foco nos jovens

cresol 27 10 2020A Cresol iniciou neste mês de outubro o projeto Juventude Conectada, desenvolvido com o objetivo de fomentar o relacionamento da Cresol com o público jovem, instigando o desenvolvimento pessoal e profissional dos participantes.

Online - Nesta edição, em razão da pandemia do Covid-19, as atividades do projeto acontecem de forma online, com uma jornada de aprendizagem e formação cooperativista com foco nas competências técnicas e comportamentais dos jovens com evidência nas dinâmicas do mercado de trabalho, sejam elas para a inserção dos jovens no mercado de trabalho, em seus empregos, ou em seus empreendimentos.

Participação - Mais de 250 jovens, de 13 estados diferentes, participam do projeto que tem previsão de término para março de 2021. Serão aproximadamente seis meses de ações semanais que irão compreender, ao final, 110 horas de atividades em encontros online, como em lives, webinars e workshops. Além desses momentos, os participantes desenvolvem ações extras na semana.

Momentos de conexão - Alzimiro Thomé, presidente do Sistema Cresol Baser e do Cresol Instituto, disse que o projeto irá ter muitos momentos de conexão que contribuirão para a formação dos participantes. “Queremos que os jovens sejam os agentes de transformação de suas vidas e que com o conhecimento absorvido ao longo do curso possam replicar as boas ações para outros jovens e outras pessoas”, destacou Thomé. O presidente também falou sobre a nova mudança na metodologia de trabalho nesta edição do projeto. “Temos uma equipe qualificada por trás do projeto, que pensa e desenvolve as ações de uma forma simples e com uma linguagem adequada, onde a cada semana novos conteúdos são abordados e geram importantes reflexões entre os participantes”, disse.

Engajamento - Além de ter um conteúdo voltado a educação cooperativista, financeira e profissional, o projeto tem como estratégia para engajar e valorizar os participantes trabalhar a aprendizagem por meio da gamificação. Durante a jornada, a interação e participação dos jovens contabilizam pontos que serão ranqueados para que concorram a prêmios.

Sobre a Cresol - Com 25 anos de história, a Cresol é hoje um sistema sólido que se destaca entre as principais cooperativas de crédito do Brasil. Recentemente, a Cresol chegou à marca de 600 mil famílias cooperadas espalhadas por 25 estados brasileiros. Cada cooperativa trabalha para o desenvolvimento econômico e social dos seus cooperados, proporcionando soluções financeiras com sensibilidade e eficiência para que todos realizem seus sonhos, propósitos e negócios. (Imprensa Cresol)

 

SICREDI FRONTEIRAS: Cooperativa promove palestra com executivo do Vale do Silício

sicredi fronteiras 27 10 2020No dia 15/10, quinta-feira, Dia Internacional das Cooperativas de Crédito, a Sicredi Fronteiras PR/SC/SP proporcionou aos seus associados e comunidade em geral, uma palestra com Vinícius David, executivo tecnológico que trabalha há mais de 10 anos no mercado americano. Este foi mais um evento na agenda de aniversário dos 30 anos da cooperativa, que serão comemorados no dia 29 de dezembro.

Conteúdo - O evento ocorreu às 19h e foi transmitido pelos canais oficiais da Sicredi Fronteiras no Youtube e no Facebook. Durante uma hora e meia, Vinícius David falou sobre transformação digital, liderança e inovação, trazendo uma nova visão sobre as corporações modernas, mostrando o novo modelo de gestão nas empresas e falando sobre como o jovem, bem como as organizações, podem se transformar nesse momento pós-digital, focado no valor único de cada colaborador dentro de uma corporação.

Perguntas - Após findada a palestra, Vinícius David permaneceu mais uma hora na plataforma respondendo às perguntas realizadas pelos membros do Comitê Jovem da Cooperativa: Renan Tumelero, de Palma Sola/SC, Rita de Cássia Conti de Pranchita/PR e Nádia Oliveira de Almeida, de Bragança Paulista/SP.

Compromisso - De acordo com José César Wunsch, presidente da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, o evento reforçou o compromisso da cooperativa em ir além da oferta serviços financeiros, oferecendo momentos como esta palestra, que transforma, informa e contribui para a melhora da qualidade de vida dos associados e das suas comunidades.

Futuro - “Estamos vivendo a 5ª Revolução Industrial, o momento pós-digital que nos requer muito exercício da nossa mente e de nosso pensamento. Precisamos atualmente entregar a mesma luz, o mesmo resultado, porém de maneiras diferentes. Nós do Sicredi sempre tivemos a consciência de que tudo ocorre através do ser humano. É necessário que as empresas, as corporações acreditem, invistam e profissionalizem as pessoas, dando ao final desse processo o espaço e a liberdade para que o mesmo contribua com o desenvolvimento da empresa através do seu trabalho e também de suas ideias. Na Sicredi Fronteiras, nós trabalhamos assim: se surge um pensamento, uma ideia que pode transformar vidas, auxiliar no crescimento e desenvolvimento da comunidade, não importa de onde ele vem, não importa o cargo que essa pessoa ocupa na Cooperativa, essa ideia será acatada e será executada porque é isso que nos move, foi isso que nos trouxe até aqui e será isso que nos levará para o futuro”, afirma Wunsch.

Agradecimento - Já Vinícius David parabenizou a Cooperativa Sicredi Fronteiras pelos seus 30 anos de história e agradeceu a oportunidade de poder conversar e falar mais sobre o seu trabalho. “Obrigado Cooperativa Sicredi Fronteiras pela confiança, pelas carinhosas palavras e pela oportunidade criada para que eu respondesse às perguntas dos membros do Comitê Jovem e do Comitê de Inovação. Espero que todos os associados possam ver a vocação e missão que essa cooperativa tem. Aproveitem as ações de comemoração os 30 anos, assim como desejo que aproveitem as de 60 anos e assim em diante, pois sabemos que essa é uma instituição sólida e perene, na qual se pode confiar. Espero que possamos nos encontrar novamente em breve”, afirmou Vinícius.

*Fale com Vinícius David em www.viniciusdavid.com

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

EVENTO: Seminário Desafios da Liderança Brasileira no Mercado Mundial da Soja inicia nesta terça-feira

evento 27 10 2020O II Seminário: Desafios da Liderança Brasileira no Mercado Mundial da Soja terá início nesta terça-feira (27/10), a partir das 14h, e segue até o dia 28 de outubro, em formato digital, com transmissão via Radar da Tecnologia, canal da Embrapa Soja no Youtube. O evento é gratuito e as inscrições estão disponíveis no site do evento: veja o link de acesso: https://www.seminariodesafiosdasoja.com.br/.

Realização - O evento é realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Soja), a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), a Associação das Empresas Cerealistas do Brasil (ACEBRA), a Organização das Cooperativas do Brasil (OCB) e o Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações).

Competividade - O objetivo do Seminário é discutir os principais temas relativos à competitividade da soja brasileira no cenário mundial, com ênfase nas questões técnicas para produção e armazenamento do grão e ainda para a manutenção da qualidade da oleaginosa. O Brasil é hoje líder mundial na produção de soja com 125,8 milhões de toneladas e também o maior exportador do grão, com estimativa de 81 milhões de toneladas comercializadas ao mercado externo até o final de 2020, segundo dados da Abiove.

Estratégias mais assertivas - “Queremos debater as estratégias mais assertivas para preparar o setor no sentido de manter a liderança do Brasil na produção de soja e derivados, garantindo qualidade do produto e ampliando a competitividade da cadeia produtiva da soja”, explica Marcelo Álvares de Oliveira, pesquisador da Embrapa Soja e um dos organizadores do evento. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

SERVIÇO

Evento Digital: II Seminário: Desafios da Liderança Brasileira no Mercado Mundial da Soja

Data: 27 e 28 de outubro

Local: Radar da Tecnologia, canal da Embrapa Soja no Youtube

Inscrição aqui: https://www.seminariodesafiosdasoja.com.br/

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Balança comercial registra superávit de US$1,579 bi na quarta semana de outubro

A balança comercial brasileira registrou superávit de US$1,579 bilhão e corrente de comércio de US$7,628 bilhões, na quarta semana de outubro de 2020 – com cinco dias úteis –, como resultado de exportações no valor de US$4,604 bilhões e importações de US$ 3,025 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (26/10), pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.

Total do ano - No ano, as exportações totalizam US$170,824 bilhões e as importações, US$123,858 bilhões, com saldo positivo de US$46,966 bilhões e corrente de comércio de US$294,682 bilhões.

Análise do mês - Nas exportações, comparadas a média diária até a quarta semana de outubro de 2020 (US$893,76 milhões) com a de outubro de 2019 (US$889,86 milhões), houve crescimento de 0,4%, em razão do amento nas vendas de produtos da Indústria de Transformação (+ 2,7%) e da Indústria Extrativista (+ 11,9%). Por outro lado, houve diminuição nas vendas em Agropecuária (- 20,1%).

Crescimento - O crescimento das exportações foi puxado, principalmente, pelo aumento nas vendas dos seguintes produtos da Indústria de Transformação: Açúcares e melaços (+ 133,3%); Aeronaves e outros equipamentos, incluindo suas partes (+ 51,4%); Ouro, não monetário, excluindo minérios de ouro e seus concentrados, (+ 31,3%); Álcoois, fenóis, fenóis-álcoois, e seus derivados halogenados, sulfonados, nitrados ou nitrosados (+ 83,0%) e Celulose (+ 15,3%). No que se refere à Indústria Extrativista, o crescimento das exportações se deve, principalmente, ao aumento das vendas dos seguintes produtos: Minério de ferro e seus concentrados (+ 45,3%); Minérios de cobre e seus concentrados (+ 41,1%) e Fertilizantes brutos, exceto adubos (+ 41,8%).

Média diária - Nas importações, a média diária até a quarta semana de outubro de 2020 (US$595,22 milhões) ficou - 23,1% abaixo da média de outubro do ano passado (US$773,97 milhões). Nesse comparativo, caíram os gastos, principalmente, com a Agropecuária (- 2,0%), com a Indústria Extrativa (- 42,8%) e com os produtos da Indústria de Transformação (- 22,8%).

Queda - A queda das importações foi puxada, principalmente, pela diminuição dos gastos com a compra dos seguintes produtos da Indústria de Transformação: Obras de ferro ou aço e outros artigos de metais comuns (- 74,2%); Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (- 50,7%); Torneiras, válvulas e dispositivos semelhantes para canalizações, caldeiras, reservatórios, cubas e outros recipientes (- 46,7%); Partes e acessórios dos veículos automotivos (- 39,5%) e Adubos ou fertilizantes químicos, exceto fertilizantes brutos (- 17,2%).

Indústria Extrativista - Em relação à Indústria Extrativista, a queda das importações foi puxada, principalmente, pela diminuição dos gastos com os seguintes produtos: Minérios de cobre e seus concentrados ( -75,7%); Carvão, mesmo em pó, mas não aglomerado ( -34,7%); Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos, crus ( -31,4%); Gás natural, liquefeito ou não ( -29,7%) e Outros minérios e concentrados dos metais de base ( -74,7%). Por fim, em relação aos produtos agropecuários, a queda da importação se deve, principalmente, ao Trigo e centeio, não moídos ( -12,2%); Látex, borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais ( - 36,9%); Pescado inteiro vivo, morto ou refrigerado (- 24,2%); Produtos hortícolas, frescos ou refrigerados (- 9,5%) e Matérias vegetais em bruto (- 20,1%). (Ministério da Economia)

Confira os dados completos da balança comercial

BC: Banco Central inicia nesta terça penúltima reunião do ano para definir taxa Selic

bc 27 10 2020 O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) inicia nesta terça-feira (27/10), em Brasília, a penúltima reunião de 2020 para definir a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 2% ao ano, seu mínimo histórico. Nesta quarta-feira (28/10), ao fim do dia, após a segunda parte da reunião, será anunciada a nova taxa.

Última - A última reunião deste ano será nos dias 8 e 9 de dezembro. Segundo a pesquisa mais recente do BC ao mercado financeiro, a expectativa é que a Selic se mantenha em 2% ao ano até o final de 2020. Para o fim de 2021, estima-se que a taxa básica chegue a 2,75% ao ano.

Reuniões - O Copom reúne-se a cada 45 dias. No primeiro dia do encontro são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas das economias brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. No segundo dia, os membros do Copom, formado pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

Referência - A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic). O Banco Central atua diariamente por meio de operações de mercado aberto – comprando e vendendo títulos públicos federais – para manter a taxa de juros próxima ao valor definido na reunião.

Alterações anteriores - Ao manter a Selic no mesmo patamar, o Copom considera que as alterações anteriores nos juros básicos foram suficientes para chegar à meta de inflação, objetivo que deve ser perseguido pelo BC.

Tendência - Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo. Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Meta de inflação - A meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,5% e o superior, 5,5%. Para 2021, a meta é 3,75%, também com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Instituições financeiras - As instituições financeiras consultadas pelo BC projetam inflação maior que o piso da meta, em 2020. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é 2,99%, este ano. Para 2021, a estimativa é 3,10%. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

ECONOMIA: Petrobras reduz preços de gasolina e diesel a partir desta terça-feira

A Petrobras divulgou nesta segunda-feira (26/10) novos reajustes para o preço dos combustíveis nas refinarias. O preço da gasolina terá queda de 5%, enquanto para o diesel (S10 e S500), a redução será de 4%. Os novos valores passam a vigorar a partir desta terça-feira (27/10).

Preço médio - De acordo com a assessoria de imprensa da companhia, com a redução de 4,0% (ou R$ -0,07 por litro), o preço médio do diesel da Petrobras para as distribuidoras passa a ser de R$ 1,69 por litro. No acumulado do ano, a redução do preço é de 27,3 %.

Gasolina - Já para a gasolina, com a redução de 5% (ou R$ -0,09 por litro), o preço médio da Petrobras para as distribuidoras passa a ser R$ 1,66 por litro. No acumulado do ano, a redução chega a 13,7 %.

Reajustes - A gasolina teve 35 reajustes em 2020, até agora, sendo 16 aumentos e 19 reduções. Para o diesel, foram 28 reajustes no total, dos quais 13 foram aumentos e 15 diminuições de preços. (Agência Brasil)

ECONOMIA: Confaz divulga nova tabela de preços médios de combustíveis

economia II 2710 2020O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) divulgou nova tabela de Preços Médios Ponderados ao Consumidor Final (PMPF) de combustíveis em todo o país.

Produtos - A tabela traz o preço de onze produtos nas 27 unidades da federação e foi publicada na edição desta segunda-feira (26/10) do Diário Oficial da União (DOU).

Validade - Os novos valores passam a valer dia 1º de novembro. O PMPF é usado pelos estados como base para calcular o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), mas não define os preços na bomba de combustível dos postos. (Agência Brasil)

FOTO: Andreas160578 / Pixabay

 

 

ECONOMIA: Juros do cheque especial sobem e taxas do rotativo caem em setembro

economia III 27 10 2020Os clientes de bancos pagaram juros maiores no cheque especial e taxas mais baixas no rotativo do cartão de crédito em setembro, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (26/10) pelo Banco Central (BC).

Alta - A taxa de juros do cheque especial para as pessoas físicas subiu 1,3 ponto percentual em setembro, comparada a agosto, e chegou a 114,2% ao ano. Em 2020, os juros do cheque especial caíram 133,4 pontos percentuais, em boa parte por causa do teto de 8% ao mês (151,8% ao ano) estabelecido pelo Banco Central em janeiro.

Segunda mais cara - Apesar de estar menor, a taxa do cheque especial é a segunda mais cara entre as modalidades de crédito para as famílias, e a recomendação do BC é que só seja usado em situações emergenciais.

Medidas - Em 2018, os bancos anunciaram uma medida de autorregulamentação do cheque especial. Com as novas regras, os correntistas que utilizam mais de 15% do limite do cheque durante 30 dias consecutivos passaram a receber a oferta de um parcelamento, com taxa de juros menor que a do cheque especial definida pela instituição financeira.

Cartão de crédito- A taxa média do rotativo do cartão de crédito caiu 0,3 ponto percentual em relação a agosto, chegando a 309,9% ao ano. A taxa média é formada com base nos dados de consumidores adimplentes e inadimplentes e é a mais cara entre as modalidades de crédito.

Adimplente - No caso do cliente adimplente, que paga pelo menos o valor mínimo da fatura do cartão em dia, a taxa chegou a 268,6% ao ano em setembro, diminuição de 1,7 ponto percentual em relação a agosto. A taxa cobrada dos clientes que não pagaram ou atrasaram o pagamento mínimo da fatura (rotativo não regular) subiu 1,6 ponto percentual, indo para 336,8% ao ano.

Crédito - O rotativo é o crédito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartão. O crédito rotativo dura 30 dias. Após esse prazo, as instituições financeiras parcelam a dívida.

Mesma taxa- Em abril de 2018, o Conselho Monetário Nacional (CMN) definiu que clientes inadimplentes no rotativo do cartão de crédito passem a pagar a mesma taxa de juros dos consumidores regulares. Essa regra entrou em vigor em junho do mesmo ano. Mesmo assim, a taxa final cobrada de adimplentes e inadimplentes não será igual porque os bancos podem acrescentar à cobrança os juros pelo atraso e multa.

Parcelamento - Na modalidade de parcelamento das compras pelo cartão de crédito, a taxa chegou a 142,1% ao ano em setembro, com aumento de 4,3 pontos percentuais.

Crédito não consignado - A taxa de juros do crédito pessoal não consignado chegou a 69,6% ao ano em setembro, com recuo de 0,7 ponto percentual em relação a agosto. A taxa do crédito consignado (com desconto em folha de pagamento) recuou 0,4 ponto percentual, indo para 18,5% ao ano no mês passado.

Taxa média- De acordo com o BC, a taxa média de juros para pessoa física caiu 1 ponto percentual em setembro para 38% ao ano. A taxa média das empresas ficou em 11,4% ao ano, queda de 0,7 ponto percentual.

Inadimplência - A inadimplência do crédito, considerados atrasos acima de 90 dias, caiu 0,2 ponto percentual para pessoas físicas e 0,1 ponto para pessoas jurídicas, passando para 4,6% e 1,5%, respectivamente.

Crédito livre- Esses dados são do crédito livre, em que os bancos têm autonomia para emprestar o dinheiro captado no mercado e definir as taxas de juros cobradas dos clientes.

Direcionado - No caso do crédito direcionado (empréstimos com regras definidas pelo governo, destinados, basicamente, aos setores habitacional, rural, de infraestrutura e ao microcrédito) os juros médios para as pessoas físicas caíram 0,1 ponto percentual para 7% ao ano. A taxa média cobrada das empresas caiu 0,7 ponto percentual para 6,7% ao ano.

Percentual - A inadimplência das pessoas físicas no crédito direcionado permaneceu em 1,4% e a das empresas caiu 0,7 ponto percentual para 1,5%.

Saldo dos empréstimos - Em setembro, o estoque de todos os empréstimos concedidos pelos bancos ficou em R$ 3,809 trilhões, com expansão de 1,9% em relação a agosto, de 5,1% no ano e de 13,1% em 12 meses. Esse saldo do crédito correspondeu a 52,8% de tudo o que o país produz - o Produto Interno Bruto (PIB) -, com aumento de 0,9 ponto percentual em relação a agosto. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

SISTEMA FINANCEIRO: CMN aprova regulação simplificada para projetos inovadores

A partir do próximo ano, empresas poderão testar projetos inovadores para o sistema financeiro com regulações e acompanhamento diferenciados. O Banco Central (BC) e o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovaram nesta segunda-feira (26/10) a implementação do sandbox regulatório, nome dado ao ambiente simplificado de regulação.

Primeiro ciclo de inscrições - Em entrevista coletiva, a chefe adjunta do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro, Paula Leitão, informou que o primeiro ciclo de inscrições de empresas deverá ser aberto no primeiro semestre de 2021. O BC editará uma norma definindo os requisitos simplificados para o primeiro ciclo.

Um ano - A princípio, as empresas ficarão no sandbox regulatório por um ano, renovável por mais um ano, dependendo da complexidade do produto testado. Caso seja necessário, o BC poderá estender a permanência no ambiente simplificado por um terceiro ano, informou a chefe adjunta do BC.

Monitoramento - Em comunicado, o BC informou que avaliará constantemente os resultados obtidos e monitorará os riscos de cada projeto. A autoridade monetária pode impor restrições e até proibir a inovação caso identifique algum problema. No entanto, o produto inovador poderá receber aval para comercialização em larga escala caso a experiência seja bem sucedida.

Divulgação - As empresas autorizadas e os projetos em inspeção no primeiro ciclo do sandbox regulatório serão divulgados pelo BC. Os detalhes de cada modelo de negócio, no entanto, não serão informados ao público.

Concorrência - Segundo Paula, o ambiente simplificado de regulação integra a agenda institucional do órgão para aumentar a concorrência e estimular a entrada de novos modelos de negócios no sistema financeiro brasileiro. (Agência Brasil)

 

CÂMBIO: Dólar fecha em leve queda após recuperação do crédito em setembro

cambio 27 10 2020Num dia de tensões no mercado externo e de divulgação de dados econômicos no Brasil, o dólar encerrou com leve queda depois de uma sessão volátil. A bolsa de valores também caiu, mas conseguiu manter-se acima dos 100 mil pontos.

Cotação - O dólar comercial fechou esta segunda-feira (26/10) vendido a R$ 5,612, com recuo de R$ 0,015 (-0,27%). A cotação alternou momentos de alta e de baixa ao longo da sessão. Na máxima do dia, por volta das 9h50, chegou a R$ 5,66.

Mercado internacional -A divisa foi influenciada pelo mercado internacional. A proximidade das eleições norte-americanas, na próxima semana, e a segunda onda de casos de covid-19 na Europa abalaram os mercados. Neste fim de semana, a Espanha entrou em estado de emergência e a França anunciou recorde de novos casos diários.

BC - No entanto, o dólar passou a cair depois que o Banco Central (BC) divulgou os dados do crédito no Brasil em setembro. Apesar de as taxas médias do cheque especial terem subido no mês passado, os juros de diversas modalidades de crédito caíram, o estoque de crédito na economia brasileira aumentou 1,9%. A inadimplência também caiu, sugerindo o início de um ciclo de recuperação econômica.

Ações - No mercado de ações, o índice Ibovespa, da B3, encerrou a segunda-feira aos 101.017 pontos, com queda de 0,24%. O indicador chegou a subir 0,52% durante a manhã, mas reverteu o movimento. Depois de cair 1,48% por volta das 14h30, o índice desacelerou a queda até fechar próximo da estabilidade. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

 

BALANÇO: Paraná lidera ranking nacional com 57 mil empregados pelas Agências do Trabalhador

balanco 27 10 2020O Paraná lidera o ranking nacional de pessoas colocadas no mercado de trabalho pelas Agências do Trabalhador. De janeiro a setembro de 2020 foram colocados 56.964 empregados com carteira assinada. O balanço é da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego do Ministério da Economia e foi enviado à Secretaria da Justiça, Família e Trabalho. O resultado do Paraná está 145% acima do segundo colocado, que é São Paulo, com 23.194 colocados. Ceará ficou em terceiro, com 20.270, seguido de Minas Gerais com 14.402 e Bahia com 12.380 novos trabalhadores.

Potencial - “A liderança do Paraná é disparada e confirma mais uma vez o potencial do nosso Estado de gerar oportunidades para a população”, diz o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “O Governo do Estado vem atuando fortemente para dar suporte à retomada da economia, com linhas de crédito para empreendedores, programa de proteção de empregos para jovens, programa de valorização dos produtos paranaenses, obras de infraestrutura, que criam novas vagas em todas as regiões”, destaca. “E é importante ressaltar que mesmo durante a pandemia tivemos inúmeros anúncios de novos investimentos produtivos no nosso Estado, dos mais diversos segmentos”.

Trabalho ativo - O secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, destaca que os números do Paraná ainda correspondem a 30% do total do resultado do País de 189.715 colocados pelos postos da rede do Sistema Nacional de Emprego (Sine).

Reflexo - “Este é um reflexo direto do esforço do governo Ratinho Junior para atrair empresas e da gestão pró ativa de captação de novas vagas de emprego que é desenvolvida pelas Agências do junto às empresas”, explica.

Atendimento - Existem hoje 216 Agências do Trabalhador no Paraná, que são vinculadas à Secretaria da Justiça, Família e Trabalho do Paraná, o que facilita o acesso ao mercado de trabalho. “Nas agências todos os atendimentos são prestados por meio da intermediação de mão de obra, ou seja, os profissionais fazem todo o acompanhamento para a procura de vaga que se enquadre ao perfil do candidato e seleciona para encaminhamento da entrevista até a contratação”, explica a chefe do Departamento do Trabalho e Estimulo à Geração de Renda da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, Suelen Glisnki.

Colocações - Levantamento feito pela Secretaria, na semana passado, mostrou que de março a setembro, período mais intenso da pandemia e da retração da economia, foram colocados no mercado 39.666 pessoas.

Contratações - A rede de Supermercados Condor - uma das diversas empresas que são parcerias das Agências do Trabalhador - não parou durante a pandemia e continuou contratando. “Neste ano atípico, muitas pessoas perderam emprego, ou tiveram que mudar sua forma de trabalho. Nós contratamos de março a setembro aproximadamente 2 mil pessoas nos setores de operador de caixa, padeiros, confeiteiros, dentre outros”, destacou a gestora de RH do Condor Super Center, Charmoniks Maria da Graça Heuer.

Decretos - Ela reforçou, ainda, que a empresa está atendendo a todos os decretos estaduais e municipais relacionados à pandemia do novo coronavírus. “Somos considerados serviços essenciais e por isso não paramos e continuamos firmes disponibilizando vagas de emprego. Hoje, por exemplo, temos mais de 100 vagas abertas ainda para fechar no mês de outubro”.

Procura de vagas - Para consultar as vagas disponíveis na sua cidade, basta acessar o aplicativo Sine Fácil que pode ser baixado gratuitamente pela Play Store ou Apple Store, ou pelo site empregabrasil.mte.gov.br. Para acessar o Sine Fácil é necessário um Qrcode que pode ser solicitado diretamente no site da Secretaria da Justiça, Famílias e Trabalho pelo Chat do Trabalhador.

Presencial - Também é possível buscar atendimento presencial nas Agências do Trabalhador que estão atendendo ao público, mediante agendamento prévio no site www.justica.pr.gov.br/trabalho. (Agência de Notícias do Paraná)

 

ALEP: Em reunião de comissão, presidente da OAB analisa propostas de modificações nas taxas de cartórios

alep 27 10 2020O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil - seção do Paraná (OAB-PR), Cássio Telles, participou nesta segunda-feira (26/10) da reunião da Comissão Especial criada pela Assembleia Legislativa do Paraná para analisar os projetos de autoria do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) que propõem alterações e atualizações nas tabelas de custas dos cartórios. Ele criticou as emendas apresentadas ao projeto que modificam as propostas iniciais do TJ-PR. Telles apresentou uma comparação das alterações feitas pelas emendas. Na visão dele, as mudanças aumentam muito os valores do serviço e terão impactos profundos na sociedade.

Excesso nos valores - “Em algumas custas, achamos que há um excesso nos valores apresentados. É preocupante. Não dá para transferir para a população os custos do momento difícil que o País está passando. Neste caso, não estamos tratando de categorias de assalariados, estamos falando de um serviço público”, argumentou Teles. Para o presidente da OAB, a situação social e econômica brasileira não permite aumento de taxas no momento. “Estamos com 60 milhões de brasileiros vivendo com auxílio do governo, o desemprego está em escalada, empresas fechando as portas, pandemia. Todos temos de fazer um sacrifício. Um aumento agora vai dificultar a vida dos paranaenses”, salientou.

Próxima reunião - Na próxima reunião, previamente marcada para terça-feira (17/11), os membros da Comissão deverão ouvir representantes da Associação dos Notários e Registradores do Estado do Paraná (Anoreg-PR). Os projetos de lei 886/2019, 887/2019, 888/2019, 889/2019 e 891/2019 foram retirados da pauta de votações para serem discutidos pelo grupo de trabalho, presidido pelo deputado Anibelli Neto (MDB). A relatoria coube ao deputado Tadeu Veneri (PT).

Divisão - Para o presidente do grupo, a tramitação dos projetos causou uma grande discussão e dividiu os parlamentares. “Nosso trabalho nesta Comissão é ouvir a sociedade sobre o assunto para termos a conclusão dos trabalhos o antes possível. Mais uma vez, a Assembleia assume o protagonismo da situação”, avaliou o Anibelli. Já o deputado Tadeu Veneri lembrou que os serviços tiveram reajustes no passado. “É importante deixarmos claro que não estamos tratando de taxas que estão sem reajuste há 50 anos. Houve muitas atualizações”, ponderou Veneri, que disse esperar apresentar seu relatório na Comissão até o final do mês de novembro.

Solução - O líder do Governo na Assembleia, deputado Hussein Bakri (PSD), lembrou que a discussão não é questão de Governo, mas que vai ser tratada com seriedade pela base. “Buscamos aqui fazer aqui algo correto e justo. Queremos encontrar uma solução boa para todas as partes”, disse. O deputado, Galo (PODE), que também participou do encontro, disse que está satisfeito com a preocupação da OAB com o assunto. “Temos pessoas, funcionários e pequenos cartórios que dependem do vai ser decidido por esta Comissão”, salientou.

Mais integrantes - Também faze parte da Comissão os deputados: Paulo Litro (PSDB), vice-presidente, Do Carmo (PSL), e Alexandre Curi (PSB).

Projetos - Os projetos de lei 886/2019, 887/2019, 888/2019 e 889/2019 tratam de alterações nas tabelas de custas de atos de tabeliães; de registro civil das pessoas naturais; de registro de imóveis; e de registro de títulos e documentos, e civil das pessoas jurídicas. De acordo com o TJ-PR, essas normas são regidas pela Lei Estadual 6.149/1970 e, por mais que tenham sido atualizadas ao longo dos anos, não tiveram o alcance de adequá-las a todas as inovações tecnológicas e exigências das normativas posteriores.

PL 891/2019 - O projeto de lei 891/2019 prevê o reajuste do Valor de Referência de Custas (VRCEXT) e a alteração das Tabelas do Regimento de Custas estabelecidos na mesma Lei Estadual 6.149/1970. De acordo com a proposta do TJ-PR, o VRCEXT passará a vigorar no valor de R$ 0,198. Isso significa, diz o texto, um reajuste de 2,59% representado pela variação do IPCA de outubro de 2018 a setembro de 2019. O objetivo, afirma o TJ-PR, é a manutenção e melhoria dos serviços prestados no foro extrajudicial. (Assessoria de Comunicação da Alep)

FOTO: Jaime Martins / Alep

 

SAÚDE I: Brasil tem mais 263 mortes e 15.726 novos casos de Covid-19

saude I destaque corona 27 10 2020Desde o início da pandemia, o país acumula 5.409.854 casos confirmados de covid-19. Em 24 horas, foram registrados 15.726. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (26/10) no site sobre coronavírus do Ministério da Saúde. O número de óbitos teve o acréscimo de 263 e o total chega a 157.397.

Recuperados - De acordo com o Ministério da Saúde, 4.865.930 pessoas que tiveram covid-19 conseguiram se recuperar da doença. Isso representa 89,94% do total de infectados.

Em tratamento - Atualmente, 386.527 pacientes estão em tratamento em todo o país.

Estados mais afetados por covid-19 - O estado de São Paulo acumula 1.092.843 casos confirmados de covid-19 e 38.753 mortes.

Minas - Minas Gerais tem 349.512 casos confirmados desde o início da pandemia. Desse total, foram registradas 8.779 mortes. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, 318.216 pessoas se recuperaram da doença. Atualmente, 22.517 pacientes estão em acompanhamento.

Bahia - Na Bahia, dos 345.949 casos confirmados acumulados, 331.649 já são considerados recuperados, 6.803 encontram-se ativos e 7.497 tiveram óbito confirmado.

Rio de Janeiro - O Rio de Janeiro chegou a 302.746 casos confirmados de covid-19, com 20.213 mortes. Há outros 447 óbitos em investigação e 278.383 pacientes se recuperaram da doença. (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

 

SAÚDE II: Boletim registra 696 novos casos e cinco óbitos pelo coronavírus

saude II 27 10 2020A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (26/10) mais 696 casos confirmados e cinco mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 206.065 casos e 5.058 mortes em decorrência da doença. Há ajuste de caso confirmado detalhado ao final do texto.

Internados - Nesta segunda-feira (26/10) eram 699 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19. Destes, 571 ocupam em leitos SUS (262 em UTI e 309 em leitos clínicos/enfermaria) e 128 em leitos da rede particular (39 em UTI e 89 em leitos clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 797 pacientes internados, 386 em leitos UTI e 411 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais cinco pacientes. Todos estavam internados. São duas mulheres e três homens com idades que variam de 41 a 68 anos. Os óbitos ocorreram entre 24 e 25 de outubro.

Residência - Os pacientes que foram a óbito residiam em Ponta Grossa, Balsa Nova, Tijucas do Sul, Campo Largo e Itaperuçu.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 2.186 casos de pessoas que não moram no Estado – 49 foram a óbito.

Ajustes - Exclusões:

Um caso confirmado no dia 22/10 na Lapa foi excluído por duplicidade de notificação.

Um caso confirmado no dia 20/10 em Campo Largo foi excluído por duplicidade de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo

 

SAÚDE III: Ações de enfrentamento da dengue são intensificadas nesta semana

saude III 27 10 2020A Secretaria de Estado da Saúde promove, nesta semana, ações de enfrentamento à dengue, abrangendo as 22 Regionais da Saúde, gestores municipais e técnicos que atuam na Atenção Primária e na Urgência e Emergência, e estão diretamente envolvidos no atendimento a pacientes com doença. O objetivo é manter a mobilização contra a dengue, com alinhamento de protocolos entre as áreas técnicas e apresentação, ao Ministério da Saúde, do Plano de Ação para o Enfrentamento no Paraná para o período epidemiológico 2020/2021.

Maior epidemia - “No período anterior de monitoramento, encerrado no final de julho deste ano, tivemos a maior epidemia da doença no Paraná, com mais de 227 mil casos e 177 óbitos e, no período atual, com três meses de acompanhamento, temos 848 casos e três óbitos. Por isso, a atuação permanente no Estado com integração das áreas técnicas da Sesa”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

Encontro técnico - Nesta segunda-feira (26/10), equipes da diretoria de Atenção e Vigilância em Saúde da secretaria participaram de encontro técnico online com a Secretaria de Atenção Especializada do Ministério da Saúde para a discussão de apoio do Governo Federal às atividades na área da assistência, previstas pelo Paraná.

Alinhamento - “O momento é de alinhamento, integração e diálogo”, explicou a diretora da Sesa, Maria Goretti David Lopes. “Por isso a apresentação de nosso planejamento de combate à dengue e também o nosso pedido de apoio ao ministério”.

Ações - Entre as ações, a secretaria estadual inicia nesta terça-feira (27) um ciclo de webconferências sobre diagnóstico e manejo clínico ao paciente com dengue. Nos dias 27 de outubro e 04 e 11 de novembro os encontros serão dirigidos aos trabalhadores da Atenção Primária. Um segundo ciclo acontecerá em 19 e 26 de novembro e 3 de dezembro para os profissionais que atuam na Urgência e Emergência.

Ciclos - “Serão dois ciclos para atingirmos maior número de profissionais que estão na porta de entrada do sistema de saúde. Médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem participarão das discussões online quando atingiremos os 399 municípios do Estado”, explicou Maria Goretti.

Temas - Entre os temas das conferências, estão: identificação de sintomas, critérios de agilidade no internamento de possíveis casos de dengue, diagnóstico laboratorial, condições de comorbidades associadas, estadiamento clínico e alta do paciente.

Reunião integrada - Ainda nesta semana, de 28 a 30, a Secretaria da Saúde promove em Maringá uma reunião técnica integrada para alinhamento das estratégias de controle da doença, com a presença do secretário Beto Preto.

Estratégias - No evento, com a participação de representantes do Ministério da Saúde, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems), Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass) e Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), serão debatidas estratégias complementares ao Plano Estadual de Ação para o Enfrentamento da Dengue, Zika Vírus e Chikungunya. Também haverá visitas à central de Ultra Baixo Volume (UBV) do Estado, unidades de serviço de saúde (Upa UBS) e Vigilância Municipal.

Ministério - No encontro desta segunda-feira, Ângela Ribeiro Vargas, representante da Secretaria de Atenção Especializada do Ministério da Saúde e da Força Nacional do SUS, disse que encaminhará as demandas de apoio do Paraná. “Parabenizamos o Estado pela iniciativa de integrar as ações da atenção primária e vigilância nas ações da dengue. Com certeza será um diferencial no combate à dengue. Com este Plano de Enfrentamento 2020/2021, o Paraná apresenta um olhar de resolutividade e cuidado fundamentais para a saúde da população”, destacou. (Agência de Notícias do Paraná)

 

ARTIGO: Cooperativismo de crédito, crescimento com propósito e foco no ser humano

artigo 27 10 2020* Lotário Luiz Dierings

Nos últimos anos, marcas em todo o mundo têm percebido no propósito a força necessária para conquistar consumidores e sobreviver em tempos de crise. Esse movimento também está ligado à força do consumidor mais consciente e, que cada vez mais, vem buscando se conectar com organizações alinhadas aos seus princípios. A recente pesquisa “Global Consumer Pulse”, da Accenture Strategy, demonstrou que 83% dos brasileiros preferem empresas que possuem propósitos equiparados aos seus valores.

No entanto, uma atuação baseada em princípios e voltada ao desenvolvimento das comunidades não é uma novidade. No Brasil, há mais de 115 anos, o cooperativismo de crédito vem demonstrando como é possível crescer de maneira transparente, com foco no ser humano e na cooperação entre pessoas, garantindo o fomento e a distribuição de riquezas, geração de empregos e crescimento econômico e social. É a tal economia colaborativa ou peer to peer, como se fala atualmente.

Nos municípios onde atua, o cooperativismo de crédito incrementa o Produto Interno Bruto (PIB) per capita em 5,6%, além de criar 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumentar o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%. Os números e o tamanho do impacto positivo gerado pelo setor foram descritos na pesquisa “Benefícios Econômicos do Cooperativismo de Crédito na Economia Brasileira”, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). O estudo ainda apontou que cada R$ 1,00 em crédito concedido pelas cooperativas gera R$ 2,45 em renda entre os demais agentes e atividades da economia brasileira, resultando em crescimento do PIB.

Os benefícios do movimento têm sido percebidos por mais pessoas que, ao se associarem, estão contribuindo para a promoção do ciclo virtuoso proposto pelo cooperativismo de crédito. Em todo o mundo, já são mais de 85 mil instituições financeiras cooperativas, que reúnem 291 milhões de associados de 118 países, de acordo com o Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (WOCCU). No Brasil, mais de 10,9 milhões de pessoas são associadas ao movimento. Somente o Sicredi, primeira instituição financeira cooperativa do país, já reúne mais de 4,6 milhões de associados em 23 estados e no Distrito Federal.

Pessoas que já descobriram na prática os conceitos de ajuda mútua e de crescimento para todos, propostos há mais de 100 anos pelo cooperativismo de crédito. Os associados têm participação nos resultados positivos da sua cooperativa, a partir da utilização de produtos e serviços. Como dono do negócio, cada associado tem participação ativa na gestão, com benefícios diretos e indiretos da atuação da instituição em sua região.

Com tanto impacto positivo gerado, o cooperativismo de crédito vem demonstrando que esse modelo é mais atual do que nunca e, por isso, tem ganhado força nos últimos anos: atuação baseada em propósito, cooperação e solidariedade para uma sociedade mais ética, colaborativa e sustentável.

*Lotário Luiz Dierings é presidente da Sicredi Iguaçu PR/SC/SP

FOTO: Shameersrk / Pixabay

 


Versão para impressão


RODAPE