Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5002 | 03 de Fevereiro de 2021

FORMAÇÃO: Sescoop/PR lança curso de graduação tecnológica em Gestão de Cooperativas

O Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) está lançando o Curso de Graduação Tecnológica em Gestão de Cooperativas EAD, em parceria com o Isae. A formação é destinada a empregados das cooperativas paranaenses. As aulas iniciam no dia 22 de fevereiro. Um processo seletivo será realizado no formato online, no dia 11 de fevereiro, às 19h, e no dia 14 de fevereiro, às 14h. Serão três horas de prova. O candidato deverá responder 40 questões objetivas de múltipla escolha e fazer uma redação. Serão classificados os 120 primeiros colocados no vestibular. Clique aqui para se inscrever no processo seletivo.

Enem - Quem realizou o Exame do Ensino Médio (Enem) entre os anos de 2017 e 2020 pode ingressar na graduação sem a necessidade de fazer o vestibular. Basta enviar o relatório de notas do Enem para graduacao@isaebrasil.com.br.

A distância - O Curso de Graduação Tecnológica em Gestão de Cooperativas terá encontros quinzenais ao vivo via internet e provas presenciais duas vezes por semestre nos polos regionais. O conteúdo foi desenvolvido pelo Isae e a formação tem duração de quatro semestres. Os professores possuem conhecimento de mercado sobre o cooperativismo e haverá tutoria técnica e acadêmica, com suporte e acompanhamento em tempo real do progresso dos alunos.

 

formacao folder 03 02 2021

TRABALHO: Portaria prorroga prazos de vigência de normas regulamentadoras ligadas à saúde e segurança

trabalho 03 02 2021O Ministério da Economia publicou, por meio da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (03/2), a Portaria SEPRT/ME nº 1.295, prorrogando para o dia 2 de agosto de 2021 a vigência de quatro Normas Regulamentadoras (NRs) ligadas à saúde e segurança do trabalho. São elas, a NR nº 01, que trata das Disposições Gerais e Gerenciamento de Riscos Ocupacionais; a NR 07, sobre o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO); a NR 09, que dispões sobre Avaliação e Controle das Exposições Ocupacionais a Agentes Físicos, Químicos e Biológicos; e a NR 18, que aborda as Condições de Segurança e Saúde no Trabalho na Indústria da Construção.

Positivo - “De modo geral, a prorrogação do prazo de vigência das NRs citadas na Portaria vem ao encontro dos anseios das cooperativas paranaenses, principalmente quanto às adequações do Programa de Gerenciamento de Riscos, que necessitam de mais tempo para serem implementadas”, afirma o assessor jurídico e sindical da Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar), Graziel Pedrozo de Abreu. Já em relação às NRs 07 e 09, a medida não causa grande impacto, pois elas, em sua maioria, promovem apenas ajustes nas regras, de acordo com profissionais das cooperativas consultadas sobre o assunto.

Clique aqui para conferir na íntegra a Portaria SEPRT/ME nº 1.295

FOTO: Jornal O Presente

 

PDGC: Novo ciclo começa dia 8 de fevereiro

pdgc destaque 03 02 2021O ciclo 2021 do Programa Nacional de Desenvolvimento da Gestão das Cooperativas (PDGC) começa no próximo dia 8 de fevereiro e, a partir deste ano, com uma novidade: inovação no sistema. A ideia é simples: deixá-lo mais ágil e amigável para os usuários. As melhorias do novo sistema foram realizadas de forma colaborativa com representantes de cooperativas e unidades estaduais, fruto de um trabalho realizado em fevereiro do ano passado. Dentre as novas funcionalidades estão, por exemplo:

• Integração com outras plataformas do Sistema OCB, como o SouCoop;

• Possibilidade de realizar a autoavaliação de forma coletiva na cooperativa, ou seja, dando responsabilidade ao gestor do processo na cooperativa;

• As Centrais e Federações poderão realizar a gestão de forma sistêmica de suas singulares, desde que autorizado;

• Acesso a mais um serviço disponibilizado pelo Sescoop: o Diagnóstico Assistido, que consiste em orientação e transferência de conhecimento de práticas e evidências entre os responsáveis pelo processo na cooperativa.

Sistema antigo - Vale destacar que o sistema antigo continuará disponível para fins de consulta de ciclos anteriores, até que todo o histórico seja migrado em definitivo para o novo ambiente.

Números - Em 2020, mesmo com os efeitos da pandemia e apesar não ser o ano de realização do prêmio, a participação das cooperativas surpreendeu. No total, 1003 coops aderiram ao PDGC. Isso significa que elas estão num processo contínuo de melhoria, o que demonstra maturidade ao trilhar um caminho de fortalecimento dos negócios. O recorde foi em 2019, quando 1013 cooperativas participaram. Confira a distribuição dos números, considerando os ramos:

pdgc tab I 03 02 2021

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

Regiões - Considerando as regiões do país, o resultado é o seguinte:

pdgc tab II 03 02 2021

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Excelência em Gestão - A unidade nacional do Sescoop confirmou a realização da quinta edição do Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão - 2021. O período de inscrição vai do dia 8/2 a 30/4. Ela deve ser efetivada já no novo sistema do PDGC.

Mudanças - Segundo Susan Vilela, gerente de Desenvolvimento Organizacional do Sescoop, uma das mudanças que envolvem essa edição do prêmio diz respeito às visitas realizadas às cooperativas. “Visando à segurança e a saúde dos participantes, algumas alterações foram necessárias, como a etapa de visitas. Elas serão realizadas de forma virtual. Com esse novo jeito de visita, além de garantir o bem-estar dos cooperados, colaboradores de cooperativa e dos especialistas que estarão envolvidos no processo, será possível aumentar o número de cooperativas avaliadas”, explica a gerente.

Selo de Excelência - As coops que participarem desse novo ciclo de premiação e obtiverem o índice mínimo definido pela Banca Julgadora, receberão um selo de excelência, certificando que foram avaliadas e possuem processos de excelência. Esse selo poderá ser utilizado como estratégia de marketing, por exemplo.

Destaque - Outra novidade para o prêmio deste ano é o Destaque Busca pela Excelência. Serão escolhidas cooperativas das cinco regiões do Brasil para receberem menção honrosa, visando valorizar a participação daquelas que se empenham em melhorar seus processos de gestão e governança. Essa novidade é dirigida às coops que ainda não foram reconhecidas, mas que estão muito próximas desse reconhecimento.

Regulamento - O regulamento e o site com mais informações serão disponibilizados no dia 8 de fevereiro. (OCB)

 

CÂMARA: Athur Lira afirma que 2021 será um ano de aprovação de leis

camara deputados 03 02 2021O novo presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP), disse nesta terça-feira (02/02) que 2021 será um dos períodos mais produtivos na aprovação de leis e tomadas de decisões no Congresso Nacional – “um momento crucial na história do país”.

Democratização - “Vamos democratizar a Casa, desconcentrar o poder da presidência e fortalecer as instâncias colegiadas para criar um ambiente de previsibilidade. Todas as quintas-feiras teremos reunião dos partidos com seus líderes e dos líderes com o presidente para termos uma pauta pública, de forma que se saiba sempre na semana seguinte o que será votado, o nome do relator da matéria, sem retaliação e nem censura”, destacou.

Reformas - Lira destacou a importância de aprovar as reformas tributária e administrativa ainda no primeiro semestre de 2021. “A reforma administrativa emite um sinal positivo para que novos investimentos sejam feitos no país. Penso que devemos entregar essas reformas ainda no 1º semestre,” disse o deputado.

Pauta prioritária - A reforma tributária é uma pauta prioritária do setor cooperativista e promete simplificar impostos e desburocratizar o ambiente de negócios. Para o presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), deputado Evair de Melo (PP), ainda mais importante, é incluir na Constituição a aplicação do adequado tratamento tributário das sociedades cooperativas. “Precisamos garantir, por exemplo, que a incidência dos tributos recaia sobre o cooperado, onde se fixa a riqueza, e não na cooperativa, evitando assim a duplicidade de cobrança”, afirmou.

Convergência - Evair também destacou a importância da convergência entre a Frencoop, o Parlamento e o governo federal. “Nós temos muita confiança na mesa diretora da Câmara liderada pelo deputado Arthur Lira e tenho certeza que na agenda do presidente o cooperativismo estará certamente presente para o Brasil continuar avançando ainda mais”.

Cooperativismo - O cooperativismo é uma ferramenta importante para o país e, segundo o parlamentar, para se desenvolver depende de outras plataformas tributárias e administrativas. “O Lira é um deputado que honra os compromissos, estamos animados, confiantes. O governo também tem esse entendimento e o momento é agora, até para recuperação e organização econômica nos pó-pandemia e é pelo cooperativismo que vamos avançar”, disse.

Outras propostas - Segundo o presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, o setor espera conseguir priorizar também a tramitação de outras propostas relevantes como as que garantem maior conectividade rural; permitem a participação das cooperativas no mercado de seguros brasileiro; modernizam a legislação para atuação das cooperativas de crédito; e possibilitem a renegociação, recuperação judicial e extrajudicial das cooperativas em geral. (OCB)

 

COCAMAR: Entrevista com Líderes do Agro tem Zico na 5ª feira

cocamar 03 02 2021A tradicional e sempre aguardada conversa dos finais de tarde de quinta-feira (04/02), na série Entrevista com Líderes do Agro, conduzida pelo conhecido Marcelo Prado, da Mprado Consultoria Empresarial, terá como convidado nesta semana o vice-presidente de Negócios da Cocamar, José Cícero Aderaldo, o Zico.

Transmissão ao vivo - Programada para às 17h30 desta quinta-feira (04/02), a entrevista será transmitida ao vivo pelo canal da MPrado e da plataforma Notícias Agrícolas no Youtube.

Temas - Além do desempenho da Cocamar em 2020 – cujo faturamento de R$ 7,049 bilhões foi 52% maior que o do exercício anterior – Aderaldo vai falar sobre sua visão de mercado, cooperativismo, perspectivas para a colheita da safra 2020/21 que começa no final deste mês e outros assuntos relacionados ao agronegócio brasileiro.

Personalidade - Todas as semanas uma personalidade do setor é convidada a dialogar com Prado e a série Entrevista com Líderes do Agro conta com o acompanhamento de grande número de formadores de opinião.

Acesso - Para acompanhar: https://youtu.be/kIkhErSxsJI. (Imprensa Cocamar)

 

INTEGRADA: Controle de plantas daninhas, pragas e doenças terão destaque no Agrotec 2021

As plantas daninhas precisam ser controladas nas lavouras para evitar efeitos diretos, como a competição por nutrientes causando baixo rendimento da cultura, e também os efeitos indiretos, como o aumento do custo de produção, dificuldades na colheita e hospedagem de pragas e doenças.

Manejo integrado - Como forma de prevenção é indicado o manejo integrado de plantas daninhas, adotando um conjunto de medidas para evitar a proliferação. O controle químico é uma das ferramentas de manejo. O problema é que muitas são resistentes à herbicidas.

Abordagem - O engenheiro agrônomo Rodrigo Ambrósio vai abordar sobre eficiência do controle químico utilizando diferentes tratamentos, como por exemplo a interação de herbicidas de diversos mecanismos de ação.

Estratégias de controle - As estratégias de controle de doenças da soja também serão destaques no Agrotec 2021. O engenheiro agrônomo Douglas da Silva explicará a importância de escolher o fungicida adequado de acordo com o alvo, com a cultivar e “time” de aplicação.

Diferença - Também será demonstrada a diferença de controle se a aplicação não foi feita no momento correto. “Com nosso portfólio amplo de cultivares e conhecimento técnico, temos condições de indicar a melhor recomendação para cada situação, levando segurança e eficiência ao nosso cooperado”, salienta Ambrósio. (Imprensa Integrada)

Agrotec 2021 - Agroexcelência|Tecnologia a Serviço da Produtividade

Evento 100% digital

Dia: 4 de fevereiro de 2021

Horário: a partir das 8:30hrs

Programação completa, acesse:

http://agrotecintegrada.com.br/home/

 

integrada 03 02 2021

SICOOB OURO VERDE I: Cooperados são remunerados com juros ao capital social

sicoob ouro verde I 03 02 2021Em dezembro, o Sicoob Ouro Verde distribuiu aos cooperados juros sobre capital próprio, num total de mais de R$ 3 milhões. O valor é referente aos resultados da cooperativa, que são revertidos em remuneração monetária e distribuídos de forma proporcional ao número de ações que cada cooperado possui no Sicoob Ouro Verde. Ou seja, quanto maior o capital, maior a remuneração sobre ele.

Normas - Conforme as normas legais, os juros sobre o capital não podem ser creditados na conta corrente, mas são disponibilizados na conta capital e somente podem ser resgatados nas condições estatutárias. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

SICOOB OURO VERDE II: Uma tonelada de ração arrecadada no Drive Thru do Bem é entregue para entidades

No dia 5 de dezembro, o Sicoob Ouro Verde participou de uma ação de intercooperação do Drive Thru do Bem, iniciativa que contou com a participação da Integrada Cooperativa Agroindustrial e da Transpocred.

Alimentos - Na ação, foram arrecadados alimentos, que foram doados às famílias atendidas pelo Provopar.

Ração - Outra doação recebida foi de uma tonelada de ração doada pela Cooperativa Integrada Agroindustrial, que na última semana foi entregue para três ONGs que são cooperadas do Sicoob Ouro Verde e que atuam nas cidades de: Bauru (SP) - Arca da Fé, Santa Mariana (PR) - Viva o Bicho e de Santo Antônio da Platina (PR) - Mundo Cão.

Agradecimento - O representante da ONG Mundo Cão, Mauro Solero, ressalta a importância das doações e agradece o esforço dos colaboradores da agência de Santo Antônio da Platina, que conhecem e acompanham o trabalho da instituição. “Muitos animais serão alcançados com este gesto que parece simples, mas é algo que podemos potencializar de uma forma tremenda e nos ajudará a fazer mais e melhor”, afirma.

Impacto - A supervisora de atendimento da agência de Bauru, Andrea Radigonda, destaca o impacto da ação. “Fico feliz em fazer parte e trabalhar em um lugar preocupado com a comunidade como um todo”, ressalta.

Gratificante - Segundo o gerente da agência do Sicoob Ouro Verde de Santa Mariana, Alex Guirardelli, todos ficaram muito felizes em fazer parte da ação e da entrega. “É gratificante saber que tanto nossa comunidade como nossa empresa têm um trabalho sério e honesto, além de um grande propósito, que cada vez mais se solidifica e faz toda diferença”, comenta. (Imprensa Sicoob Unicoob)

{vsig}2021/noticias/02/03/sicoob_ouro_verde_II/{/vsig}

UNIMED LONDRINA: Edição de 2021 da campanha Eu Ajudo na Lata já começou

A Unimed Londrina iniciou oficialmente a 9ª edição da campanha Eu Ajudo na Lata. Já conhecida pelo público londrinense, a campanha consiste em arrecadar lacres de alumínio, que posteriormente são comercializados e têm a renda revertida na compra de cadeiras de rodas para instituições beneficentes.

Ilece - O Instituto Londrinense de Educação para Crianças Excepcionais (Ilece) é uma das seis instituições que receberam doações na edição de 2020, sendo contemplados com cinco cadeiras de rodas. “Disponibilizamos as cadeiras às famílias que estejam necessitando delas temporariamente. Para prezar pelo bom uso do equipamento, buscamos atender as solicitações com um controle de entrega junto ao nosso setor de assistência social”, explica a assistente social do Ilece Cafezal, Adriana Martinelli Casagrande.

Hábito - O hábito de arrecadar lacres de alumínio já fazia parte da cultura da instituição, porém foi intensificado pela campanha da Cooperativa, salienta a diretora do Ilece Cafezal, Suely Camargo Melhado. “A campanha da Unimed foi extremamente importante. Nossa instituição foi beneficiada positivamente em vários aspectos, seja no engajamento que a iniciativa causou nas pessoas para arrecadarem os lacres, como também na doação das cadeiras de rodas que beneficiou e continua beneficiando muitas pessoas”, complementa Suely.

Campanha - Esta edição da campanha segue até o dia 31 de agosto. As instituições que desejam ser beneficiadas com as doações ou querem se tornar pontos de coleta dos lacres têm até o dia 18 de fevereiro para se inscreverem na política de participação da campanha. O documento está disponível no site www.unimedlondrina.com.br.

Sucesso - A campanha do ano passado foi considerada um sucesso pela equipe da Unimed Londrina. “Com a arrecadação de 2020, conseguimos doar 26 cadeiras de rodas que foram entregues para seis instituições beneficentes de Londrina e região”, relembra Fabianne Piojetti, gerente de Sustentabilidade da cooperativa.

Desafio maior - Contudo, o desafio será maior em 2021. “Manter o ritmo de doações em meio à pandemia é o próximo passo. Para isso precisamos juntar cada lacre de latinha e toda ajuda é bem-vinda”, convida Fabianne.

Serviço - Os lacres de alumínio podem ser entregues na Sede Administrativa da Unimed Londrina (Av. Ayrton Senna, 1065), Clínicas Multiprofissional e Oncologia e Aplicação de Medicamentos (Av. Ayrton Senna, 555), Unimed Saúde (Av. Santos Dumont), Clínica de Vacinas (R. Souza Naves, 999) e escritórios regionais de Cambé, Ibiporã, Rolândia, Arapongas e Assaí. Por causa da pandemia do novo coronavírus, as doações não devem ser entregues no Pronto Atendimento. (Imprensa Unimed Londrina)

TRIGO: Começa a movimentação para a safra de inverno

trigo 03 02 2021A safra de soja ainda nem acabou e os produtores começam a movimentação na procura por sementes para os cultivos de inverno. O trigo deve continuar sendo a opção mais atrativa após alcançar a maior produção dos últimos 20 anos.

Área - Na última safra, a área de trigo cresceu 14,8% no Brasil com relação ao ano anterior, com uma produtividade 5,4% maior, resultando no maior volume de produção desde o ano 2000 (veja no gráfico da Conab). O preço também favoreceu a triticultura com crescimento constante ao longo de 2020, fechando o ano próximo a R$ 70,00 a saca de 60kg.

Produção de sementes- De acordo com a Apassul (Associação dos Produtores de Sementes e Mudas do RS), hoje já são mais de 89 mil hectares aprovados para a produção de sementes de trigo no Rio Grande do Sul (dados do Sigef - Sistema de Gestão da Fiscalização do Mapa), um aumento de 18% em comparação à safra anterior. “Estes números demonstram o sentimento do produtor de sementes para incrementar o trigo no portfólio. Mesmo que nem toda a produção de sementes seja comercializada, certamente o mercado está aquecido, principalmente em função dos preços que tornam o trigo uma opção rentável além das vantagens no sistema de produção”, avalia o diretor administrativo da Apassul, Jean Cirino.

Paraná - No Paraná, maior estado produtor do cereal nas últimas safras, os produtores aguardam a colheita da soja para decidir se investem no trigo ou optam pelo plantio tardio do milho safrinha. Mas, segundo a Apasem (Associação Paranaense dos Produtores de Sementes e Mudas), o setor já observa a antecipação pela procura de sementes de trigo: “Estamos vendo uma antecipação no mercado de sementes. A procura pelo trigo, que antes acontecia no mês de março, neste ano começou em janeiro”, conta o Diretor Executivo da Apasem, Jhony Möller. Ele acredita que o Paraná deverá repetir a área de trigo do ano passado, acima de um milhão de hectares.

Cotação - Acompanhando o aumento nas cotações do trigo, o valor da semente também sofreu alteração: conforme números do Deral/PR, os preços recebidos pelo produtor de trigo no Paraná tiveram alta de 30,5% de janeiro a novembro de 2020, enquanto o preço da semente subiu 16% no mesmo período.

Cultivares - Na publicação Informações Técnicas para Trigo e Triticale – safra 2020 estão indicadas 230 cultivares de trigo para as diferentes regiões produtoras no Brasil. Como escolher? O pesquisador da Embrapa Trigo, Pedro Scheeren, recomenda que o produtor avalie as cultivares direto na propriedade, reservando uma área para experimentar algumas opções disponíveis no mercado, já que o desempenho das cultivares pode variar nas diferentes regiões produtoras. “Na escolha da cultivar é preciso observar primeiro suas características agronômicas e a resistência às doenças. Mas devemos considerar sempre onde e como será cultivada a variedade escolhida, desde o ambiente, clima e solo, até a capacidade de investimento na lavoura, bem como o potencial de rendimento esperado na área com o manejo planejado, sem esquecer da liquidez daquela cultivar no mercado regional” explica o pesquisador. Segundo ele, apesar do momento de preços em alta nos grãos, o produtor deve garantir o equilíbrio da lavoura, priorizando cultivares com melhor sanidade e uso eficiente de nutrientes, fatores que permitem economizar em fertilizantes e fungicidas, que representam os principais custos da lavoura.

trigo tabela 03 02 2021

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Portfólio - A Embrapa dispõe de um portfólio variado de cultivares de trigo para todo o Brasil. Para a Região Tritícola Centro-sul (PR e Sul de SP) são indicadas as cultivares BRS Sanhaço, BRS Gralha-Azul, BRS Sabiá e BRS Atobá. Na Região do Cerrado, com irrigação, são recomendadas as cultivares BRS 254, BRS 264 e BRS 394, enquanto para o Cerrado no sequeiro, são indicadas as cultivares BRS 404 e BRS 264 (somente para MG). Na Região Sul (RS, SC e Sul do PR), são indicados os trigos: BRS Reponte e BRS Belajoia, para a produção de grãos; BRS Pastoreio e BRS Tarumã para produção de forragem animal.

Resultados - Veja aqui os resultados do ensaio estadual de cultivares de trigo, com dados de Coxilha, RS. O pesquisador da Embrapa Trigo lembra que os triticultores estão com bons materiais para alcançar os melhores resultados no campo: “O volume de produção de trigo no Brasil cresceu na última safra tanto em função do clima, quanto do potencial produtivo das cultivares. Por exemplo o trigo BRS Reponte, que tem alcançado sucessivos recordes de produtividade em sistema de sequeiro no Rio Grande do Sul, ou o trigo irrigado BRS 264 que foi recorde nacional pelo segundo ano em Goiás”, ressalta Pedro Scheeren.

Experiência do produtor - A expectativa de preços altos levou o produtor Gean Bender a trocar a cobertura de aveia pelo trigo na última safra, investindo em 550 hectares na Granja Ouroverde que administra com a família em Giruá, RS. O escalonamento contou com três cultivares de ciclos diferentes, o que evitou perder toda a lavoura para a geada no mês de agosto. Uma das apostas foi a cultivar BRS Reponte, cultivada em 180 hectares (ha), resultando no rendimento de 61 sacos por hectare na média das lavouras. “Mesmo em anos de intempéries, o produtor consegue uma boa produtividade com cultivares mais rústicas e de alto rendimento”, explica o assistente técnico Vicente Victor, da Sementes Victor, com sede em Giruá, RS, e destaca: “Sem dúvidas, no cenário atual, investir no trigo é um negócio muito mais vantajoso do que deixar apenas uma cultura de cobertura no inverno”.

Reservado - No norte do Rio Grande do Sul, a família Rigon reserva, no mínimo, 50% da lavoura para o cultivo de trigo, aumentando a área todos os anos: nos anos 70 era 100 ha; anos 80 passou para 500 ha; anos 90 foram 1.000 ha; anos 2000 subiu para 1.800 ha; 2010 foram 2.500 ha; e em 2020 atingiu os 4.500 ha com trigo. “Nunca deixamos de plantar trigo, independente do mercado. Se não retornar dinheiro com a venda dos grãos, a palhada com certeza vai gerar lucro no verão”, avalia o produtor Roberto Rigon, de Seberi, RS.

Por que plantar trigo? - Observando a série histórica da Conab é possível considerar que a cotação do trigo no mercado nacional nem sempre é atrativa para o produtor. Contudo, o investimento no cereal de inverno não deve ser calculado de forma isolada e sim avaliado no sistema de produção verão/inverno. Um estudo da Embrapa, conduzido nas safras 2017/18 e 2018/19 em Londrina, no PR, mostrou que o cultivo de trigo no inverno pode resultar em um aumento superior a 50% na produtividade da soja em relação ao pousio. “A palhada do trigo reduziu o estresse hídrico na soja durante o enchimento de grãos, além de reduzir a temperatura do solo, enquanto que as raízes da cultura de inverno permitiram maior infiltração de água no solo”, explica o pesquisador da Embrapa Soja Henrique Debiasi.

Experimento - Na Embrapa Trigo, em Passo Fundo, RS, o cultivo do trigo foi a base de um experimento para avaliar a infiltração de água no solo. “Após dois anos de intervenção física e química no solo, a taxa de infiltração de água passou de 13 mm/hora para 80 mm/hora. Em 120 dias de implantação da cultura do trigo, as raízes já alcançavam 1,3 metros de profundidade, melhorando a estrutura do solo para disponibilidade de água às plantas em período de estiagem”, explica o analista de transferência de tecnologia Jorge Lemainski. “Isso prova que a melhor safra de verão começa no inverno”, conclui.

Mais - Saiba mais sobre o trabalho “Desempenho da soja cultivada em sucessão à aveia preta e trigo” assistindo ao vídeo pelo link: https://www.youtube.com/watch?v=ilM3p4fgTb0&feature=emb_logo. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Trigo)

 

SUSTENTABILIDADE: Novo bioinseticida da Embrapa combate pragas nas lavouras de soja, milho e algodão

Um pesticida composto por uma mistura inédita de dois isolados da bactéria Bacillus thuringiensis (Bt) é o mais novo bioproduto indicado para controlar a lagarta-do-cartucho, Spodoptera frugiperda, e a falsa-medideira, Chrysodeixis includens. O Acera - nome comercial - foi desenvolvido com tecnologia Embrapa e concebido em parceria com a Ballagro Agro Tecnologia, empresa que o comercializará.

Características - A Bacillus thuringiensis (Bt) é uma bactéria que produz proteínas com propriedades tóxicas específicas para insetos e que são inofensivas para humanos e outros vertebrados. Diferentemente de pesticidas químicos, é inócuo para o meio ambiente. O produto deve ser pulverizado sobre as folhas, e, ao comê-las, as lagartas são afetadas pela ação dessas proteínas.

Vantagem - “A grande vantagem desse produto biológico à base de Bt é que ele não afeta o meio ambiente, não intoxica aplicadores, não mata os inimigos naturais das pragas e não polui rios e nascentes, contribuindo para a sustentabilidade”, destaca o pesquisador da Embrapa Fernando Hercos Valicente, desenvolvedor e responsável pela tecnologia na Empresa.

Registro - “O Acera foi registrado para o controle dessas duas espécies de lagarta e poderá ser usado em culturas como soja, milho, algodão e diversas outras”, complementa o pesquisador, ao revelar que os dois isolados de Bt usados como matéria-prima do bioproduto vieram da coleção da Embrapa Milho e Sorgo (MG).

Pragas resistentes - “A cada ano, por questões complexas diversas, observa-se um aumento da resistência das principais pragas controladas por cultivares transgênicas. Consequentemente, ocorre a ampliação do uso do controle químico em complemento aos transgênicos, na tentativa de reduzir perdas na produção agrícola. Tudo isso acarreta prejuízos econômicos, sociais e ambientais expressivos”, relata Valicente, ao explicar que por reunir duas cepas da bactéria Bt, com modos de ação distintos e complementares, o Acera dificulta o aparecimento de resistência das lagartas ao produto.

Alternativa - Por esses motivos, o cientista acredita que o uso de novos inseticidas microbiológicos é uma importante alternativa para o controle da lagarta-falsa-medideira e da lagarta-do-cartucho, especialmente para os cultivos de milho, soja e algodão, nos quais o ataque da praga é mais expressivo. “Os bioinseticidas também contribuem para a sustentabilidade dos cultivos. Pela sua especificidade biológica, atacam somente os insetos-alvo, promovem maior equilíbrio da biodiversidade em comparação aos químicos, favorecendo a manutenção de inimigos naturais no campo”, explica o cientista. Os inimigos naturais são insetos que ajudam a controlar as pragas, e quando é empregado o controle químico na lavoura, eles também são afetados.

Defensivos biológicos - Em 2020, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) registrou 95 defensivos de baixo impacto. Esse é o maior número de registros de produtos desse perfil em um mesmo ano.

Sustentável - Os biopesticidas são importantes ferramentas para tornar a agricultura brasileira ainda mais sustentável. Atualmente, soma-se um total de 411 produtos de baixo impacto disponíveis para os produtores. (Mapa)

>> Leia aqui a íntegra da reportagem

FOTOS: Fernando Valicente / Embrapa Milho e Sorgo e Sebastião José de Araújo / Embrapa

{vsig}2021/noticias/02/03/sustentabilidade/{/vsig}

FPA: Sérgio Souza é o novo presidente da Frente Agropecuária

fpa 03 02 2021O novo presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária tomou posse nesta terça-feira (02/02). O deputado Sérgio Souza (MDB-PR) substitui o deputado Alceu Moreira (MDB-RS) e estará à frente do grupo até o fim de 2022. A vice-presidência do colegiado será exercida pelo senador Zequinha Marinho (PSC-PA).

Missão - “A missão da frente é proteger o setor que tanto gera empregos, renda, impostos e responde por 50%, de forma direta e indireta, do PIB desse País”, disse Sérgio Souza.

Pautas prioritárias - Eleito em dezembro do ano passado, o novo presidente também listou pautas prioritárias da frente, entre elas, a regularização fundiária, o licenciamento ambiental e a regulamentação do uso de defensivos agrícolas.

Titularidade - “[A regularização fundiária] vai dar título a quem tem direito, mas trará responsabilidade a quem tiver o título, no que diz respeito à utilização do solo de maneira ilegal”, defendeu o parlamentar. A regularização, segundo Souza, também permitirá identificar quem de fato desmata ilegalmente no Brasil.

Custos - O deputado também criticou os custos do licenciamento ambiental no País que, segundo ele, consumiu 25% dos recursos gastos na construção da usina de Belo Monte.

Agradecimento - Antes de passar o cargo ao novo presidente, Alceu Moreira agradeceu aos presentes e ressaltou o desempenho do setor agropecuário brasileiro. “[Nós] tocamos essa roda dentada chamada Brasil e é da nossa força que esse povo depende.”

Importância - A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que também já presidiu a Frente da Agropecuária (2018), destacou a importância do colegiado. “Nós estamos juntos para um novo momento para que as pautas do agro possam caminhar. Acho que é isso que os produtores e brasileiros esperam de nós.”

Grupo suprapartidário - A Frente parlamentar é uma associação de deputados de vários partidos para debater um assunto determinado. Para ser criada, a frente deve registrar um requerimento com o apoio de pelo menos 1/3 de membros do Poder Legislativo. A Frente da Agropecuária é integrada por 241 deputados e 39 senadores. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Reprodução / YouTube

 

LEGISLAÇÃO TRABALHISTA: Termina dia 18 de fevereiro o prazo de envio de contribuições para simplificação das normas

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia (Seprt-ME) recebe, até o próximo dia 18, as sugestões para a elaboração das propostas de decreto e de portarias que consolidarão a legislação trabalhista infralegal. As contribuições podem ser enviadas pelo endereço https://www.gov.br/participamaisbrasil/me-secretaria-de-trabalho.

Objetivo - A proposta a ser apresentada tem como objetivo simplificar e adequar os atuais normativos que tratam de procedimentos, programas e condições de segurança e saúde no trabalho, além de disposições relativas à legislação trabalhista, à inspeção do trabalho, às políticas públicas e às relações de trabalho. A iniciativa é parte do esforço de desburocratização da máquina pública, iniciado em 2019 pela nova gestão do governo.

Abrangência - A portaria sobre legislação trabalhista, inspeção, políticas públicas e relações de trabalho abrange mais de 120 normas atuais referentes a assuntos como carteira de trabalho, registros profissional e sindical de empregados, e mediação, entre outros. Já a portaria sobre segurança e saúde no trabalho reúne mais de 40 normas sobre temas como procedimentos de avaliação de equipamentos de proteção individual; programa de alimentação do trabalhador; exames toxicológicos e locais de repouso de motoristas profissionais do transporte rodoviário de cargas e coletivo de passageiros; e regras de aplicação das normas regulamentadoras, entre outros.

Consulta pública - Em conjunto com a Casa Civil, também foi lançada a consulta pública referente à proposta de decreto que consolida a legislação trabalhista, incluindo a forma de pagamento da gratificação de atal, o trabalho rural, o vale-transporte, o programa de alimentação do trabalhador, e o programa empresa cidadã, entre outros. Esta última consulta estará aberta para contribuições até 19 de fevereiro de 2021.

Dúvidas - Todas as dúvidas em relação à participação e ao processo da consulta pública poderão ser enviadas para o e-mail assessoriastrab@mte.gov.br. (Ministério da Economia)

CONGRESSO NACIONAL: Cerimônia de abertura do ano legislativo será realizada nesta quarta-feira

congresso nacional 03 02 2021A abertura do ano legislativo está marcada para esta quarta-feira (03/02), às 16 horas, e será conduzida pelo presidente do Congresso Nacional – que é o presidente do Senado –, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e pelo presidente da Câmara dos Deputados, deputado Arthur Lira (PP-AL).

A cerimônia - A sessão solene de abertura do ano legislativo é presidida pelo presidente do Congresso e tem início com a leitura da mensagem enviada pelo Poder Executivo ao Legislativo. Neste ano, há expectativa de que o próprio presidente da República, Jair Bolsonaro, compareça à cerimônia.

Supremo - Em seguida, o presidente do Congresso passará a palavra ao presidente do Supremo Tribunal Federal ou seu representante para proceder à leitura da mensagem do Judiciário. Ao final, o presidente do Congresso, senador Rodrigo Pacheco, encerra a sessão.

Mesa - A Mesa da solenidade é composta pelos presidentes do Congresso e da Câmara; pelo portador da mensagem do Poder Executivo; pelo portador da mensagem do Poder Judiciário; e por integrantes da Mesa do Congresso.

Chegada - Antes da abertura dos trabalhos, o evento tem início com a chegada dos presidentes das duas Casas ao Palácio do Congresso, onde, ao pé do mastro da bandeira nacional, é executado o Hino Nacional pela Banda do Batalhão da Guarda Presidencial, simultaneamente à salva de 21 tiros de canhão.

Revista às tropas - O presidente do Congresso segue em revista às tropas, acompanhado pelo comandante das Forças Armadas. Ao fim da revista, os presidentes se reencontram no início da rampa e passam pelos Dragões da Independência para entrar no Congresso. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Jefferson Rudy / Agência Senado

 

CÂMBIO: Dólar fecha no menor valor em uma semana após eleições no Congresso

cambio 03 02 2021No dia seguinte à escolha dos novos presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, o dólar teve forte queda e fechou no menor valor em uma semana. A bolsa chegou a encostar em 120 mil pontos, mas perdeu o fôlego e encerrou com pequena alta.

Cotação - O dólar comercial encerrou esta terça-feira (02/02) vendido a R$ 5,355, com queda de R$ 0,095 (-1,74%). A divisa operou em baixa durante todo o dia, chegando a cair para R$ 5,34 na mínima da sessão, por volta das 14h. A cotação fechou no menor nível desde 26 de janeiro, quando encerrou a R$ 5,327.

Ações - No mercado de ações, o dia foi marcado por ganhos. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 118.234 pontos, com alta de 0,61%. Por volta das 11h30, o indicador chegou a 119,8 mil pontos, com 1,95% de valorização, mas não sustentou os ganhos durante a tarde.

Vitória - A vitória de Arthur Lira (PP-AL) para a presidência da Câmara e de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para comandar o Senado foi bem recebida pelos mercados. Nesta quarta-feira (03/02), começam as negociações para destravar a pauta de votações e definir as prioridades do governo, que incluem a votação do Orçamento de 2021 e a continuidade da reforma administrativa.

Ambiente externo - O ambiente externo também ajudou. A queda de novos casos de covid-19 pela terceira semana consecutiva nos Estados Unidos e a perspectiva de aprovação de um pacote de estímulos de US$ 1,9 trilhão para a economia norte-americana impulsionaram as bolsas em Wall Street. Uma forte injeção de dólares na economia global favorece as moedas de países emergentes, como o Brasil. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

PARANAGUÁ: Chuvas provocam paralisação em parte das operações portuárias

paranagua 03 02 2021O volume de chuva registrado em janeiro deste ano, em Paranaguá, foi 356,4% maior que no mesmo mês de 2020. A água que, no tempo e na medida certa, favorece o desenvolvimento do campo, acaba provocando paralisações em parte das operações portuárias.

Levantamento - Segundo o levantamento da Portos do Paraná, as paralisações somaram 12,6 dias (mais de 302 horas) no mês. O tempo é cerca de 82% maior que os 6,9 dias (pouco mais de 165 horas) registrados em janeiro do ano passado. Os números consideram o embarque de graneis como soja, milho e farelo.

Grãos - “Em portos do mundo todo, não é possível operar grãos com tempo úmido. A natureza da carga não permite e a qualquer sinal de chuva, os navios atracados paralisam as operações. Os porões só voltam a abrir quando o comandante do navio tem segurança de que a carga não será molhada e não corre o risco de estragar”, explica o diretor de Operações da empresa pública, Luiz Teixeira da Silva Junior.

Granéis importados - Não é apenas o embarque dos graneis sólidos que são impactados pela chuva, alguns desembarques de granéis importados também são paralisados. Dos fertilizantes, por exemplo, apenas a ureia opera com garoa.

Contêineres - As operações que seguem mesmo debaixo de chuva são as dos contêineres, de veículos, de carga geral (com exceção de papéis e sacaria), sal e dos graneis líquidos (feita em tubulações e tanques fechados).

Custos - Os usuários dos portos do Paraná não pagam pelo período que o navio fica atracado no cais, paralisado pela chuva. “Nos boletins diários dos navios, são anotados o tempo que a embarcação permaneceu parada devido ao mau tempo. No fechamento, são descontados esses períodos. O usuário não paga, apesar do atraso nas operações e na produtividade”, explica Teixeira.

Alternativa - Ainda de acordo com o diretor, não existe, no mundo, uma alternativa para seguir com as operações portuárias, mesmo com chuva. O jeito, segundo ele, é ser mais produtivo e ainda mais eficiente para aproveitar os tempos operacionais e alcançar os resultados. “Com ou sem chuva, as cargas estão chegando. A gente segue com as operações, aqui no planejamento e na coordenação. Tem que seguir funcionando para não represar”, completa.

Operações - O diretor da Associação dos Terminais do Corredor de Exportação de Paranaguá (Atexp), André Maragliano, conta que a chuva impacta, mas os reflexos não são significativos nesse momento de entressafra, em que o embarque da soja ainda não é intenso.

Manutenções corretivas - “Aproveitamos o período para finalizar a manutenções corretivas e preventivas para que tenhamos um ano com total disponibilidade dos equipamentos. Os embarques de soja devem começar a partir da segunda semana de fevereiro e durante o ano a chuva não tem um impacto tão grande. Isso porque a estatística da chuva em Paranaguá não é diferente da chuva nos outros portos mais próximos, como São Francisco do Sul e de Santos”, completa o operador.

Volume - Segundo o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), este ano, em janeiro, foram 563,2 milímetros de chuva registrada em Paranaguá. Nos 31 dias de janeiro, em 2020, foram 123 milímetros. (Agência de Notícias do Paraná)

Paralisação do Corredor de Exportação, por chuva, em 2020

Janeiro – 6,9 dias

Fevereiro – 12 dias

Março – 4,3 dias

Abril – 3,1 dias

Maio – 2,7 dias

Junho – 11,7 dias

Julho – 6,1 dias

Agosto – 8 dias

Setembro – 6,7 dias

Outubro – 9,7 dias

Novembro – 6,8 dias

Dezembro – 6,1 dias

 

PARANÁ: Estado revoga ponto facultativo e suspende festividades de Carnaval

parana 03 02 2021

Além de revogar o ponto facultativo no Executivo Estadual durante o Carnaval, o Governo do Paraná suspendeu, em todo o território do Estado, festas ou eventos comemorativos de Carnaval. A suspensão inclui prévias carnavalescas e similares, sejam elas promovidas por entes públicos ou pela iniciativa privada. 

Decreto - O detalhamento da regra foi publicado no Decreto 6766, assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior. A norma também determina o reforço da fiscalização estadual em todos os municípios do Paraná, para garantir que eventos de Carnaval não sejam promovidos. 

Expediente normal - Com a decisão, todos os órgãos da administração pública estadual direta e indireta terão expediente normal nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro. O texto altera o Decreto 6.554, publicado em 17 de dezembro, que definiu o calendário de feriados e estabeleceu os dias de recesso e pontos facultativos de 2021. (Agência de Notícias do Paraná)

 

SAÚDE I: Mortes por Covid somam mais de 226 mil e casos, 9,2 milhões

O número de pessoas que não resistiram à covid-19 no Brasil subiu para 226.309. Em 24 horas, foram registradas 1.210 mortes. Há ainda 2.888 óbitos em investigação no país. Já o total de pessoas infectadas pelo coronavírus desde o início da pandemia chegou a 9.283.418. Em 24 horas, foram confirmados pelas autoridades sanitárias 54.096 novos casos.

Atualização - Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta terça-feira (02/02). O balanço é produzido a partir de informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Acompanhamento - Há, ao todo, 896.180 pessoas com casos ativos da doença em acompanhamento por profissionais de saúde e 8.160.929 pacientes já se recuperaram.

Estados - Na lista de estados com mais mortes estão São Paulo (53.455), Rio de Janeiro (30.004), Minas Gerais (15.126), Rio Grande do Sul (10.778) e Ceará (10.486). As unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (857), Acre (876), Amapá (1.066), Tocantins (1.391) e Rondônia (2.281).

Casos - Em número de casos, São Paulo também lidera (1.794.019), seguido por Minas Gerais (740.972), Bahia (592.770), Santa Catarina (581.352) e Paraná (556.304). (Agência Brasil)

 

saude I tabela 03 02 2021

SAÚDE II: Estado ultrapassa marca de 10 mil mortes pela Covid-19

saude II 03 02 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (02/02) mais 4.301 novos diagnósticos de Covid-19 e 97 óbitos em decorrência da doença. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 552.125 casos confirmados e 10.063 mortos pela infecção causada pelo novo coronavírus. Há ajustes de casos confirmados ao final do texto.

Período - Os casos confirmados no informe desta terça-feira se referem a pacientes que estão com a doença ou estiveram doentes entre 20 de março de 2020 e dois de fevereiro de 2021. Os casos por data de confirmação do diagnóstico, ou encerramento (fechamento) do caso no sistema estão distribuídos nos meses: fevereiro de 2021, com 2.105 diagnósticos, e janeiro de 2021, com mais 2.054.

Demais - Os demais são referentes ao ano de 2020 nos meses de março (um caso), abril (um), maio (um), junho (quatro), julho (14), agosto (cinco), setembro (3), outubro (seis), novembro (34) e dezembro (72). O detalhamento completo está no arquivo csv.

Internados - Nesta terça-feira havia 1.349 pacientes com diagnóstico confirmado internados: 1.127 pacientes em leitos SUS (584 em UTI e 543 em enfermaria) e 222 em leitos da rede particular (94 em UTI e 128 em enfermaria).

Exames - Há outros 1.162 pacientes internados, 471 em leitos UTI e 691 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A Secretaria Estadual da Saúde informa a morte de mais 97 pacientes. São 38 mulheres e 59 homens, com idades que variam de 21 a 99 anos. Os óbitos ocorreram entre 19 de abril de 2020 e 02 de fevereiro de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (8), Maringá (5), São José dos Pinhais (5), Cianorte (4), Ponta Grossa (4), Campo Mourão (3), Castro (3), Almirante Tamandaré (2), Arapongas (2), Campo Largo (2), Cascavel (2), Cornélio Procópio (2), Guarapuava (2), Mandirituba (2), Pinhalão (2), Sarandi (2), Telêmaco Borba (2).

Uma morte - A Secretaria da Saúde registra, ainda, a morte de uma pessoa em cada um dos municípios de Alto Paraná, Andirá, Antonina, Arapoti, Assis Chateaubriand, Campina da Lagoa, Campo Magro, Cantagalo, Carambeí, Chopinzinho, Conselheiro Mairinck, Faxinal, Floraí, Florestópolis, Foz do Iguaçu, Foz do Jordão, Goioxim, Grandes Rios, Guaratuba, Ibiporã, Itambé, Jacarezinho, Jaguariaíva, Lapa, Loanda, Maripá, Medianeira, Nova Tebas, Palmas, Paraíso do Norte, Paranaguá, Paranavaí, Pato Branco, Piraí do Sul, Pontal do Paraná, Realeza, Rondon, Salto do Lontra, Santo Antônio do Caiuá, São Mateus do Sul, Sertaneja, Sertanópolis, Tamarana, Terra Rica e Umuarama.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 4.179 casos de residentes de fora, sendo que 78 pessoas foram a óbito.

Ajustes - Exclusões:

Total de exclusão: 3 casos residente e 4 não residente no Paraná. 5 óbitos de residentes no Paraná

Um óbito confirmado (M,58) no dia 08/07/2020 em Nova Aurora foi excluído por erro de notificação

Um óbito confirmado (M,61) no dia 20/09/2020 em Itaperuçu foi excluído por erro de notificação

Um caso e óbito confirmado (F,71) no dia 29/06/2020 em Araucária foi excluído por erro de notificação

Um caso e óbito confirmado (M,62) no dia 08/07/2020 em Araucária foi excluído por erro de notificação

Um caso e óbito confirmado (F,33) no dia 19/06/2020 em Itaperuçu foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,52) no dia 11/12/2020 em Xique-Xique (Ba) foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (M,55) no dia 11/12/2020 em Xique-Xique (Ba) foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,54) no dia 08/09/2020 em Acu (RN) foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,14) no dia 08/01/2021 em Ji-Paraná (Ro) foi excluído por erro de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o boletim completo clicando  AQUI

 

SAÚDE III: Com mais de 158 mil vacinados, Paraná aplica 66% das doses disponíveis

saude III 03 02 2021O Paraná vacinou 158.780 pessoas contra a Covid-19 até esta terça-feira (02/02). O número representa 66,4% das 238.871 doses distribuídas a todos os 399 municípios do Estado. Ou seja, considerando a capacidade atual com base nas remessas enviadas pelo Governo Federal, o Estado imunizou dois em cada três paranaenses.

Mais de 80% - Treze das 22 regionais que formam o sistema público de saúde do Paraná já ultrapassam o índice de 80% de vacinados. Seis delas, Irati (4ª RS), Campo Mourão (11ª RS), Cianorte (13ª RS), Jacarezinho (19ª RS), Telêmaco Borba (21ª RS) e Ivaiporã (22ª RS) romperam a barreira dos 90%.

Aplicações- As aplicações foram feitas em trabalhadores de saúde, pessoas em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), pessoas com deficiência severa e indígenas.

Preliminar - O balanço parcial é preliminar e foi divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde a partir de um levantamento interno realizado com as regionais e os respectivos municípios. A expectativa é que nos próximos dias o sistema integrado do Ministério da Saúde, Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), funcione corretamente para divulgação de dados.

Módulo especial - O DataSUS, sistema macro no qual está o SI-PNI, desenvolveu um módulo especial para receber os dados de todos os estados e que contempla informações como registro de vacinados, público-alvo, origem e lote de vacinas.

Divisão - De acordo com o boletim da Secretaria da Saúde, as 158.780 aplicações da primeira dose da vacina contra o coronavírus foram divididas entre 141.862 trabalhadores da saúde (89,3%), 9.233 idosos em asilos e profissionais cuidadores (5,8%), 7.397 indígenas (4,6%) e 188 pessoas com deficiência severa. São 8.346 novas imunizações em relação ao balanço de segunda-feira (01/02).

Doses - O Paraná recebeu 411.300 doses enviadas pelo Ministério da Saúde. Foram 265.600 (1º lote) e 19.600 (2º lote) doses da CoronaVac/Instituto Butantan e mais 86.500 doses da vacina produzida pela Universidade de Oxford em parceria com o Laboratório AstraZeneca/Fiocruz.

Distribuição - A Secretaria da Saúde já distribuiu 238.871 para aplicação da primeira dose no público prioritário já definido. A outra parte do imunizante, no caso da CoronaVac, está estocado no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), como medida de segurança e melhor condições sanitárias.

Balanço - As Regionais de Saúde que mais imunizaram em números absolutos foram Curitiba e Região Metropolitana (2ª RS), com 39.968 pessoas; Maringá (15ª RS), com 12.979; Londrina (17ª RS), com 12.393; Cascavel (10ª RS), com 11.259; Guarapuava (5ª RS), com 7.473; e Ponta Grossa (3ª RS), com 6.909.

Mesmo número - As Regionais de Paranaguá, Irati, Maringá e Cornélio Procópio permanecem com o mesmo número de imunizados porque não atualizaram o banco de dados até as 10 horas desta terça-feira.

Destaques - Proporcionalmente à quantidade de doses recebidas, os destaques foram Cianorte (13ª RS), com 97,5%, e Campo Mourão (11ª RS), com 97,1%.

Por Regional - Confira o balanço de aplicação por Regional de Saúde:

1ª RS – Paranaguá – 2.394 (53,4% das 4.480 doses recebidas).

2ª RS – Metropolitana – 39.968 (50,3% das 79.421 doses).

3ª RS – Ponta Grossa – 6.909 (68,4% das 10.090 doses).

4ª RS – Irati – 2.285 (93,6% das 2.440 doses).

5ª RS – Guarapuava – 7.473 (87,6% das 8.530 doses).

6ª RS – União da Vitória – 2.271 (89,7% das 2.530 doses).

7ª RS – Pato Branco – 5.782 (88,5% das 6.530 doses).

8ª RS – Francisco Beltrão – 5.036 (87,1% das 5.780 doses).

9ª RS – Foz do Iguaçu – 6.047 (62,1% das 9.730 doses).

10ª RS – Cascavel – 11.259 (79% das 14.240 doses).

11ª RS – Campo Mourão – 5.644 (97,1% das 5.810 doses).

12ª RS – Umuarama – 4.265 (82,6% das 5.160 doses).

13ª RS – Cianorte – 2.233 (97,5% das 2.290 doses).

14ª RS – Paranavaí – 4.298 (83,1% das 5.170 doses).

15ª RS – Maringá – 12.979 (72,4% das 17.910 doses).

16ª RS – Apucarana – 5.631 (76,7% das 7.340 doses).

17ª RS – Londrina – 12.393 (47,2% das 26.240 doses).

18ª RS – Cornélio Procópio – 4.453 (85,8% das 5.190 doses).

19ª RS – Jacarezinho – 5.039 (90,7% das 5.550 doses).

20ª RS – Toledo – 6.380 (79,7% das 8.000 doses).

21ª RS – Telêmaco Borba – 2.600 (94,2% das 2.760 doses).

22ª RS – Ivaiporã – 3.441 (93,5% das 3.680 doses).

TOTAL – 158.780 vacinados (66,4% das 238.871 doses distribuídas).

(Agência de Notícias do Paraná)

 

SAÚDE IV: Dados de beneficiários de planos de saúde podem ser consultados em conta única do Governo Federal

saude IV 03 02 2021A partir do dia 2 de fevereiro, os beneficiários de planos de saúde podem consultar seus dados cadastrais, enviados pelas operadoras à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), acessando uma conta única do Governo Federal disponível no endereço http://acesso.gov.br.

Obrigação - Por lei, os planos de saúde são obrigados a fornecer à ANS informações do beneficiário, tais como: nome completo, data de nascimento, nome completo da mãe, nº do CPF e nº do Cartão Nacional de Saúde (CNS), assim como dados relativos ao plano de saúde contratado.

LGPD - A consulta a esses dados já era possível por meio da ferramenta Comprova, disponível no portal da ANS, mas passará a ser feita por meio da conta única do Governo Federal como forma de aperfeiçoar a segurança dos dados e atender às medidas relativas à proteção de dados preconizadas pela Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). “Consideramos que a migração é um ganho para o beneficiário, que continuará a ter acesso às informações cadastrais e estará seguro de que a ANS atende às determinações da LGPD”, afirma o diretor-adjunto da diretoria de Desenvolvimento Setorial, Daniel Pereira. Ele explica ainda que, em breve o beneficiário poderá consultar um histórico com todos os vínculos que já teve com planos de saúde, incluindo os já cancelados.

Transformação digital - A iniciativa também é fruto das ações da ANS no projeto institucional de Transformação Digital, na linha de integração com login único do governo, visando a simplificação dos acessos.

Procedimentos - Como acessar seus dados:

1. Acesse o https://www.ans.gov.br/COMPROVA

2. O sistema verificará se o usuário está autenticado, em caso negativo, será redirecionado para a página http://acesso.gov.br

3. Após a identificação do usuário, o COMPROVA identifica os planos ativos do consumidor, que poderá visualizar os dados cadastrais junto à operadora e os dados do seu plano de saúde;

4. Caso alguma informação esteja incorreta, o consumidor poderá entrar em contato com a operadora e solicitar a correção.

Comprovante - Também é possível emitir um comprovante com os dados cadastrais para cada plano de saúde com o contrato ativo que o beneficiário possua.

Acesso - Caso deseje emitir ou validar um comprovante, acesse a página do Comprova. (ANS)

 


Versão para impressão


RODAPE