Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5003 | 04 de Fevereiro de 2021

SICREDI: Instituição financeira cooperativa disponibiliza R$ 6,9 bilhões para pré-custeio da safra 2021/22

sicredi 04 02 2021Com foco em dar suporte ao agronegócio – setor que fechou 2020 com saldo positivo de 9% no PIB agropecuário mesmo em um período atípico, de pandemia – o Sicredi vai destinar R$ 6,9 bilhões em créditos para o pré-custeio da Safra 2021/22. O pré-custeio está disponível para associados do campo que pretendem antecipar a compra de insumos para suas lavouras, garantindo maior rentabilidade dos negócios.

Motor da economia - “O agronegócio tem sido um dos principais motores da economia brasileira, mesmo durante os momentos de maior dificuldade, e esse movimento de antecipação do custeio da próxima safra é importante para que os produtores tenham mais tranquilidade para planejar sua produção. Temos um laço muito forte com o campo, buscando sempre apoiar os produtores rurais em suas necessidades e disponibilizar recursos para o chamado pré-custeio é mais uma forma bastante relevante de fazer isso” o diretor executivo de Crédito do Banco Cooperativo Sicredi, Gustavo Freitas.

Representatividade - O Sicredi é uma das instituições financeiras com maior representatividade no agronegócio, tendo sido a segunda instituição financeira que mais liberou crédito rural no ciclo de Plano Safra 2019/2020, com mais de R$ 20 bilhões concedidos. A instituição atende desde grandes produtores a médios e pequenos, especialmente aqueles ligados à agricultura familiar.

Desempenho Plano Safra 2020/21 - Até dezembro de 2020, o Sicredi disponibilizou para o Plano Safra 2020/2021 R$ 15,3 bilhões em crédito rural, totalizando 136.488 operações. O valor representa aumento de 23% em relação ao ano-safra anterior. Do montante, R$ 9,9 bilhões (65%) foram destinados ao custeio, R$ 4,6 bilhões (30%) para investimentos (incluindo investimentos com recursos de BNDES), e R$ 758,6,2 milhões (5%) para comercialização e industrialização.

Programas - Já por programa, a instituição financeira cooperativa destinou R$ 3,9 bilhões via Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), R$ 3,1 bilhões via Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural) e R$ 8,3 bilhões para produtores de maior porte ou programas de investimento (como Agricultura de Baixo Carbono, Inovagro, Moderagro, entre outros).

Expectativa - A expectativa é finalizar o Plano Safra 2020/21 com R$ 22,9 bilhões disponibilizados em crédito rural, alta de 12% em relação ao ciclo anterior, em mais de 221 mil operações, sendo R$ 17,5 bilhões para operações de custeio, comercialização e industrialização e R$ 5,4 bilhões para operações de investimento que viabilizam o financiamento de benfeitorias, máquinas e equipamentos e novas tecnologias permitindo aos produtores aumentar sua produtividade e reduzir custos de produção.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,8 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI FRONTEIRAS Agência de Cajamar (SP) é inaugurada com cerimônia em formato de live

O Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 4,9 milhões de associados e presente em 23 estados brasileiros e no Distrito Federal – inaugurou, em 2 de fevereiro, sua primeira agência no município de Cajamar/SP. Localizada na Av. das Amoreiras, nº 47, bairro Portais, a agência pertence à Cooperativa de Crédito Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, que atua em 57 municípios, com mais de 72 mil associados e 36 agências, administrando R$ 2,2 bilhões em ativos e patrimônio líquido de R$ 243 milhões.

Live - A cerimônia de inauguração foi realizada no formato de live (transmissão ao vivo), nos canais oficiais da Sicredi Fronteiras no Facebook e Youtube, diretamente da sede administrativa da Sicredi Fronteiras, em Capanema/PR, que interagiu instantaneamente com os convidados presentes na agência de Cajamar/SP.

Presenças - Estiveram presentes na sede administrativa: o presidente da Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, José César Wunsch; a diretora executiva, Adriana Conceição Barros Mêes e o diretor de operações, Fábio Júnior Câmera.

Cajamar - Em Cajamar, estiveram presentes: o vice-prefeito do município, Moacir Pedro da Silva; vereador Cleber Candido Silva; Presidente da Associação Comercial de Cajamar, Masatochi Yahiro; Diácono da Paróquia São Paulo Apósto, Mauro Nunes; Diretor Instituto de Previdência Social de Cajamar, Marcelo Ribas; Gerente Regional de Desenvolvimento da Cooperativa, Sérgio Roberto Jordani; gerente da agência Sicredi de Cajamar, Glaison Peres e empresários locais.

Protocolo - Seguindo o protocolo de cuidados de prevenção da proliferação do Covid – 19, todos os convidados mantiveram o distanciamento necessário, usaram máscaras e microfones individualizados.

Receptividade - Em seu discurso, José César Wunsch, presidente da Sicredi Fronteiras, agradeceu pela receptividade da sociedade de Cajamar e afirma que a cooperativa buscará atender a comunidade dentro dos mais modernos padrões de agência do Sicredi.

Orgulho - “Com população de mais de 78 mil habitantes, Cajamar foi eleita a 39ª melhor cidade para se viver. Estamos muito orgulhosos em inserir aqui o modelo cooperativista, onde não há clientes, e sim donos do negócio, pois, quando nos instalamos em um município, temos sempre o propósito de colocarmos à disposição desta comunidade, mais de 300 produtos e serviços de natureza financeira de uma forma cooperativa. Mas nosso propósito vai além disso, nós nos envolvemos com a sociedade e nos desenvolvemos com ela e procuramos também desenvolvê-la através de ações no campo econômico, social, cultural, ambiental e educacional e não será de diferente maneira em Cajamar”, comenta o presidente.

Passo importante - Segundo o gerente da agência de Cajamar, Glaison Peres, este é mais um passo importante para a Cooperativa Sicredi Fronteiras. “O Sicredi é uma instituição financeira com mais de 118 anos de história, e eu e minha equipe daremos o máximo para fazer da agência um sucesso, trazendo orgulho para a Cooperativa e para os nossos associados. Vamos construir juntos uma bela e próspera história, porque gente que coopera, cresce”, afirmou o gerente.

Para se associar - Para tornar-se associado, acesse: https://www.sicredi.com.br/site/seja-associado ou vá até a agência da Sicredi Fronteiras mais próxima de você. Lembrando que a cooperativa já está realizando atendimento ao público na agência de Cajamar.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,9 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 23 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Sicredi Fronteiras PR/SC/SP)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

{vsig}2021/noticias/02/04/sicredi_fronteiras/{/vsig}

SICOOB METROPOLITANO: Cooperada de Maringá ganha R$ 20 mil na campanha Poupança Premiada

sicoob metropolitano 04 02 2021Começar o ano com R$ 20 mil a mais na poupança é um sonho, que se tornou realidade para a cooperada do Sicoob Metropolitano, Emanuelli Marini Silva, premiada na campanha “Poupança Premiada”.

Entrega simbólica - Ela, que mora fora do Brasil, estava de férias em Maringá (PR) quando foi pega de surpresa ao fazer um saque na agência onde tem conta. O prêmio seria retirado pela mãe de Emanuelli, que ainda não tinha sido avisada. Porém, como a cooperada apareceu na agência de surpresa, a gerente da unidade viu a oportunidade perfeita para uma entrega simbólica.

Agradecimento - Emanuelli comemorou o prêmio e disse que está muito feliz em fazer parte do Sicoob Metropolitano. “Sempre fui muito bem atendida por todos. Queria agradecer a todos e dizer que é um prazer fazer parte dessa cooperativa", afirma. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

COPACOL: Cooperados recebem sobra recorde e já planejam onde vão usar o dinheiro extra

copacol 04 02 2021Os pagamentos da segunda parcela das sobras foram feitos nesta quarta-feira (03/02) pela Copacol (Cooperativa Agroindustrial Consolata), por meio de depósitos nas contas bancárias ativas dos cooperados – igual na primeira parcela, em dezembro.

Valor total - Ao todo são R$ 120 milhões – valor considerado recorde na cooperativa – que também reflete na economia de toda a região. Ao todo, a cooperativa conta com 6.271 cooperados e 11.261 colaboradores. São 20 Unidades de Recebimento de Grãos no Oeste e no Sudoeste do Estado.

Planos - Os cooperados já planejam como vão investir o recurso. Marino Silva atua com piscicultura e bovinocultura de leite, agradece a cooperativa pela distribuição das sobras. “É um prazer imenso fazer parte da família Copacol. Essa sobra só é paga por cooperativas sérias, que valorizam os cooperados, seus colaboradores e parceiros. A diretoria tem meu respeito e minha admiração. Esse dinheiro veio em boa hora, vou pagar contas para não pagar juros altos”.

Apoio - Vilmar Grando, que atua com avicultura, também enaltece o apoio da cooperativa. “Temos aviário financiado e no passado tivemos muitas dificuldades em pagar prestação, estávamos em uma firma particular e chegamos à beira da falência. Hoje com a Copacol ajudando estamos indo muito bem, conseguindo pagar as prestações e fazendo as reformas necessárias. Estamos muito contentes”.

Depósito em conta - Quem não tiver conta registrada na cooperativa deve ligar na Unidade. E quem precisar ir até a Unidade deverá manter todos os cuidados para evitar a contaminação pelo Covid-19, com uso de máscara, aplicação de álcool em gel nas mãos, aferição de temperatura e distanciamento mínima de dois metros. (Imprensa Copacol)

 

INTEGRADA: Agro Tec 2021 vai mostrar as principais cultivares para a safra 2021/2022

A grande novidade para a safra 2021/2022 foi a liberação, pela Comissão da União Europeia, do uso da tecnologia Intacta 2 Xtend, que apresenta resistência aos herbicidas glifosato e ao dicamba, além da resistência a mais duas espécies de lagartas: a Helicoverpa armigera e a Spodoptera eridania.

Apresentação - Durante o Agrotec 2021, o coordenador técnico Emerson Damico e o engenheiro agrônomo Jean Alvarez irão apresentar 25 cultivares de soja produzidas pela Integrada, além de 3 lançamentos com a biotecnologia I2X – Intacta Xtend, cultivares que prometem um novo patamar de produtividade, e resistência ampla a lagartas que atingem a soja.

Unidades de beneficiamento - A Cooperativa Integrada possui três unidades de beneficiamento de sementes localizadas em Londrina, Santa Cecília do Pavão e Mauá da Serra. Além da alta qualidade genética, a Integrada também oferece aos cooperados e produtores a tecnologia do tratamento industrial de sementes, que assegura uniformidade no tratamento da semente e mais segurança no manejo, com menos perigos de contaminação e menor risco de impacto ambiental.

Inoculante na cultura da soja - A inoculação das sementes de soja é uma prática indispensável para o aumento da produtividade e da saúde da planta e do solo. A utilização de microrganismos vivos que atuam em simbiose com a planta, aumenta a capacidade de fixar o nitrogênio retirado do ar, possibilitando a redução de custos com adubação.

Bactérias - Bactérias do gênero Bradyrhizobium, quando infectam a planta, formam pequenos nódulos no sistema radicular, aumentando a capacidade de obtenção de nutrientes. Os inoculantes são insumos com valores acessíveis e fáceis de se encontrar, por isso é importante serem aplicados todos os anos.

Processo - Além de detalhar o processo de inoculação, o coordenar técnico Franciel Dierings também irá tratar da potencialização da coinoculação, quando utiliza em conjunto Bradyrhizobium e Azospirillum, esta última gênero de bactéria promotora de crescimento.

Efeitos benéficos - Durante o Agrotec 2021, serão mostrados os efeitos benéficos da interação planta e bactéria, relacionando com uma análise econômica do uso das diversas modalidades de inoculantes e coinoculantes. (Imprensa Integrada)

AgroTec 2021 - Agroexcelência|Tecnologia a Serviço da Produtividade

Evento 100% digital

Dia: 4 de fevereiro de 2021

Horário: a partir das 8h30

Programação completa, acesse:

https://agrotecintegrada.com.br/

 

integrada 04 02 2021

CAPAL: Tec Campo Verão 2021 ganha versão online

Tradicional evento realizado pela Capal Cooperativa Agroindustrial, o Tec Campo Verão 2021 acontecerá no dia 25 de fevereiro, às 16h. A novidade nesta edição é a realização totalmente virtual, devido à pandemia de Covid-19.

Elo - O Tec Campo é um elo entre os cooperados da Capal e os resultados de pesquisas agrícolas, desenvolvidas pela Fundação ABC, entidade que é referência em estudos agropecuários no Brasil. No evento, são apresentados, por exemplo, o desempenho do cultivo de soja nas regiões do Paraná e São Paulo, Estados onde a cooperativa está presente.

Vídeos - Durante o encontro online, serão transmitidos vídeos gravados com os pesquisadores da Fundação ABC, direto do campo, mostrando os temas Fitotecnia (técnica de cultivo de plantas), Forragens e Grãos, Fitopatologia (doenças), Solos e Entomologia (insetos).

Interação - O produtor poderá interagir por mensagens durante a live, inclusive tirar dúvidas com os profissionais da Capal e da Fundação ABC, que estarão presentes.

Exclusivo - O Tec Campo é um evento exclusivo para associados Capal.

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a Capal conta atualmente com mais de 3,2 mil associados, distribuídos em 14 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 65% das operações da cooperativa, produzindo mais de 734 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, trigo, milho e café. A área agrícola assistida ultrapassa os 153 mil hectares. O volume de leite negociado mensalmente é de 12 milhões de litros, proveniente de 320 produtores. Além disso, a cooperativa comercializa mais de 31 mil toneladas de suínos vivos. (Imprensa Capal)

UNIMED CASCAVEL: Gestão de Pessoas da cooperativa inspira indústria farmacêutica Prati-Donaduzzi

unimed cascavel 04 02 2021O setor de Gestão de Pessoas da Unimed Cascavel foi visitado por representantes da área de Recursos Humanos da indústria de medicamentos Prati-Donaduzzi, na manhã de 29 de janeiro, para uma troca de experiências. Luís Enrique Pitarello, gerente de RH, e Aline Gorris, supervisora de Desenvolvimento Humano Organizacional da Prati-Donaduzzi, foram recebidos pelo presidente da cooperativa, Danilo Galletto, pela superintendente Administrativa e de Mercado, Luciana Lazzari, e pela coordenadora de Gestão de pessoas da Unimed Cascavel, Rozinha Campos Filha. “Foi uma satisfação receber os profissionais de uma empresa tão conceituada de nossa região. Esse tipo de troca de experiência, que o mundo corporativo chama de benchmarking,é uma prática muito rica para o fortalecimento das ações de Gestão de Pessoas,” disse a coordenadora.

Atenção - Vários aspectos chamaram a atenção dos representantes da Prati-Donaduzzi, sendo dois deles destacados pelo gerente de RH da indústria:

• Jeito de Cuidar Unimed: Iniciativa que reforça o respeito e a empatia no relacionamento.

• RH Integra: Presença da equipe de Gestão de Pessoas nos setores da Unimed Cascavel, em momentos específicos, para ouvir as demandas dos colaboradores.

Exemplo - “A gente sempre procura buscar empresas que possam nos servir de exemplo. Entendemos que nossas pessoas precisam ser bem cuidadas e vemos na Unimed Cascavel algumas práticas que podem nos auxiliar ainda mais. Por isso, o objetivo é realmente essa troca, ou seja, trazer alguma coisa que a gente pratica na organização e colher na Unimed algumas boas práticas que possam melhorar a vida dos nossos colaboradores”, resume Luís Enrique Pitarello.

Troca de experiências - A Unimed Cascavel acredita que a troca de experiências incentiva a busca pela qualidade e está alinhada ao conceito do cooperativismo. “A forma como fomos recebidos foi espetacular, desde o momento em que marcamos esse benchmarking. As pessoas aqui foram muito solícitas e nos ofereceram um excelente tratamento”, acrescenta Pitarello.

Clima organizacional - Ao fim da visita, a coordenadora de Gestão de Pessoas da cooperativa de saúde reforçou a gestão do clima organizacional priorizada pela Unimed: “Na visita, foi possível evidenciar as práticas que nos permitiram estar por seis anos no guia das melhores empresas para se trabalhar. Embora tenhamos realidades distintas, espero ter contribuído com nossos visitantes”, finalizou Rozinha Campos Filha. (Imprensa Unimed Cascavel)

 

AGRICULTURA: Mapa entrega prêmio Selo Mais Integridade nesta sexta-feira

agricultura 04 02 2021O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) entrega nesta sexta-feira (05/02), às 9h30, o prêmio Selo Mais Integridade para empresas e cooperativas do agronegócio que implementam políticas de integridade, ética, responsabilidade social e sustentabilidade ambiental.

Participação - A premiação terá a participação da ministra Tereza Cristina, do secretário executivo do Mapa, Marcos Montes; do chefe da Assessoria Especial de Controle Interno do Mapa, Cláudio Torquato; do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas; do ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário; do presidente da Apex-Brasil, Sergio Segovia e do presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Márcio Lopes.

Terceira edição - Esta é a terceira edição da entrega do selo. Neste ano, 19 empresas do setor agropecuário serão premiadas, sendo que quatro delas receberão a premiação pela segunda vez e oito, pela terceira vez.

Atos normativos - Na ocasião, serão assinados dois atos normativos.

Transmissão - A premiação ocorrerá no auditório da Apex-Brasil e será transmitida pelo canal do Youtube do Mapa e da Apex-Brasil.

Pioneiro - O Mapa foi pioneiro entre os ministérios do Governo Federal na implementação de um selo setorial alinhado ao Programa de Fomento à Integridade da Controladoria-Geral da União. (Mapa)

SERVIÇO:

Premiação Selo Mais Integridade

Data: 5/2/2021

Horário: 9h30

Transmissão pelo Youtube

https://bit.ly/youtube-mapa

https://bit.ly/36VNGdF

 

MONITORAMENTO: Com menos emissões de poluentes, Paraná registra melhora na qualidade do ar

monitoramento 04 02 2021As 11 estações de Monitoramento da Qualidade do Ar no Paraná, pertencentes ao do Instituto Água e Terra (IAT), atualmente ativas, indicam uma redução nos níveis de poluição em 2020, quando comparado com o ano de 2019. Os equipamentos mostraram queda na emissão de gases poluentes na atmosfera. A queda foi de 10% em média no ano, chegando a cerca de 40% no período de março a agosto. O monitoramento do mês de janeiro de 2021 seguiu a classificação de boa qualidade, mantendo o mesmo nível do ano passado.

Fatores - Entre os fatores que influenciaram a melhora estão a menor circulação de veículos e a diminuição de atividades nas fábricas, devido à pandemia do novo coronavírus. As medições são diárias e realizadas pelo IAT, órgão vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo.

Poluente - Poluente é toda e qualquer substância presente no ar que, pela sua concentração, possa torná-lo impróprio, nocivo ou ofensivo à saúde, inconveniente ao bem-estar público, danoso aos materiais, à fauna e à flora, ou prejudicial à segurança, ao uso e gozo da propriedade e às atividades normais da comunidade.

Origem - A geração de poluição acontece por atividades das indústrias, usinas termoelétricas e também por veículos automotores, trens, aviões e embarcações marítimas. De acordo com o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, o monitoramento da qualidade do ar é parte do trabalho de fiscalização do poder público.

Produção - “O ser humano é quem produz grande parte dos resíduos que podem poluir o ar. Temos procurado manter o equilíbrio para encontrar caminhos e soluções, elaborar regras e mudar a legislação com o objetivo de melhorar a vida da população paranaense”, disse Nunes.

Selo- Ele lembrou, ainda, que com o Selo Clima Paraná, o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento urbano e do Turismo, premia, todo ano, empresas paranaenses que decidem voluntariamente medir, divulgar e reduzir a pegada de carbono - emissões de dióxido de carbono (CO2), o mais importante gás de efeito estufa, causador do aquecimento global e das mudanças climáticas.

Participação - No ano passado, as boas práticas ambientais foram entregues a 46 empresas, com recorde de participação em seis anos. “As empresas que têm o selo da sustentabilidade, hoje, estão fadadas ao sucesso”, afirmou o secretário.

Monitoramento - O monitoramento da qualidade do ar é feito por meio da medição do nível de poluição, o que ocorre através da quantificação das principais substâncias poluentes presentes no ar. O IAT elabora relatórios com índices mensais e anuais com os resultados, disponíveis no site www.iat.pr.gov.br.

Escala - De acordo com a medição, a escala do índice da qualidade do ar pode ter reconhecimento bom, regular, inadequado, ruim ou péssimo. “Quando atingimos o índice bom, como atualmente, significa que a qualidade do ar está satisfatória e que oferece pouco ou nenhum risco à saúde da população”, afirmou o gerente de Monitoramento e Fiscalização do IAT, Álvaro Cesar de Góes.

Estações - Atualmente, são seis estações de monitoramento do ar na Região Metropolitana de Curitiba (RMC) e cinco no Interior do Estado, nos municípios de Ponta Grossa, Paranaguá, Londrina, Maringá e Cascavel. Juntas, elas formam a Rede Estadual de Monitoramento da Qualidade do Ar.

Estado monitora fumaça de chaminés - O Paraná é um dos únicos estados com medição das emissões atmosféricas em chaminés, vilões da qualidade do ar, principalmente nas indústrias que possuem caldeiras, fornos, secadores ou qualquer equipamento que lance na atmosfera gases ou partículas.

Queima - Quando derivados de madeira são queimados, dióxido de enxofre, óxidos de nitrogênio e outros poluentes são liberados. O problema se agrava quando os parâmetros ultrapassam os valores estabelecidos em legislações vigentes.

Aferições - “As medições são para aferir se os lançamentos estão dentro dos parâmetros e limites estipulados pela Resolução Sema 016/2014, que define critérios para o Controle da Qualidade do Ar como um dos instrumentos básicos da gestão ambiental”, afirmou João Carlos de Oliveira, técnico do IAT.

Vistorias - De acordo com ele, o Instituto realizou, no ano passado, apenas nove vistorias em chaminés, uma demanda pequena em comparação a outros anos. “Foram poucas vistorias devido, principalmente, à pandemia, quando indústrias reduziram a produção e algumas chegaram até a parar em determinados períodos do isolamento social”, disse.

Resíduos - Segundo a chefe regional do IAT em Cascavel, Marlise da Cruz, a população precisa se conscientizar e descartar resíduos sólidos de maneira correta, evitando a queima. “Identificamos que em grandes centros urbanos, como Cascavel, existe a queima da capa dos fios de aparelhos eletrônicos velhos, a fim de aproveitar o cobre. Essa queima produz o pior poluente, que é o dióxido de carbono”, explicou.

Plásticos - A queima de plásticos, como garrafas PET, também produz o mesmo efeito na atmosfera e provoca fumaça que atrapalha a vida da população. “O monitoramento de chaminés e fumaças nos dá parâmetros para identificar a origem da poluição”, completou Marlise. (Agência de Notícias do Paraná)

 

MERCADO FINANCEIRO: Bolsa sobe e fecha no melhor nível em 15 dias

mercado financeiro 04 02 2021Pelo terceiro dia seguido, a bolsa de valores fechou em alta. O indicador alcançou o melhor nível em 15 dias, mas está distante do recorde registrado no início de janeiro. O dólar alternou altas e baixas, mas fechou com pequena valorização.

Ibovespa - O índice Ibovespa, da B3, fechou esta quarta-feira (03/02) aos 119.719 pontos, com alta de 1,26%. O indicador operou com ganhos durante toda a sessão, chegando a superar os 120 mil pontos no início da tarde.

Nível - O Ibovespa está no nível mais alto desde o dia 19. No entanto, o índice ainda está 4,3% abaixo do recorde de 125.077 pontos registrados em 8 de janeiro.

Câmbio - No mercado de câmbio, o dólar comercial encerrou o dia vendido a R$ 5,37, com valorização de R$ 0,015 (+0,29%). A cotação operou em baixa na maior parte da manhã, chegando a cair para R$ 5,32 na mínima do dia, por volta das 9h45. No entanto, voltou a subir durante a tarde. Na máxima da sessão, por volta das 13h30, a divisa chegou a R$ 5,39.

Articulações - O mercado financeiro reflete as articulações para destravar a pauta econômica após as eleições que definiram o comando da Câmara dos Deputados e do Senado. Hoje, os novos presidentes da Câmara, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, disseram que qualquer avaliação sobre a retomada do auxílio emergencial respeitará o teto de gastos.

Exterior - No caso da bolsa de valores, o clima no exterior contribuiu para a melhora. A queda de novos casos de covid-19 nos Estados Unidos e o avanço da vacinação em diversos países voltaram a animar os investidores nesta quarta. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO I: Congresso reabre trabalhos com foco na pandemia e na pacificação institucional

legislativo I 04 02 2021A pandemia de covid-19 deu o tom da solenidade de abertura dos trabalhos de 2021 no Congresso Nacional, nesta quarta-feira (03/02). A referência à doença, que já matou mais de 227 mil brasileiros, esteve presente nos discursos das autoridades e na própria organização do evento, que marcou a retomada das atividades do Poder Legislativo. Na rápida cerimônia, a máscara foi item de uso obrigatório para todos os participantes. A sessão solene no Plenário também contou com um reduzido número de convidados este ano, para evitar aglomeração. Além disso, foram seguidas várias outras medidas para prevenir o contágio pelo vírus, como a distância mínima segura mantida entre os militares presentes.   

Recepção - O rito de abertura do 3º ano legislativo da 56ª legislatura começou com a recepção dos novos presidentes do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, e da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. Ambos foram eleitos na segunda-feira (01/02).

Bolsonaro - O presidente da República, Jair Bolsonaro, também compareceu ao Congresso Nacional, em um gesto pela aproximação entre os Poderes. Mais cedo, ele havia se reunido com os chefes das duas Casas legislativas para discutir as prioridades para o país em 2021. A vacinação urgente de todos os brasileiros contra a covid- 19 é um dos itens principais da pauta do Parlamento para o retorno regular das atividades e a recuperação da economia.

Cerimônia - A cerimônia externa ocorreu no gramado em frente à rampa de acesso ao Palácio do Congresso, com execução do Hino Nacional, hasteamento das bandeiras, salva de 21 tiros de canhão acionados pelo 32º Grupo de Artilharia de Campanha, e a revista à tropa.

Salão Negro - Logo após, os presidentes do Senado e da Câmara se dirigiram ao Salão Negro, onde eram aguardados pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, e por integrantes da Mesa do Congresso, líderes partidários e demais parlamentares.

Metas - Em seguida, o presidente do Congresso Nacional deu início à sessão solene para o anúncio das metas dos chefes dos três Poderes.   

Pacificação - Antes da leitura da mensagem presidencial, houve um início de tumulto no Plenário. Um grupo de deputados da oposição interrompeu aos gritos o pronunciamento de Jair Bolsonaro, com gritos de “genocida” e “fascista”.

Resposta - Os protestos foram respondidos por apoiadores do governo, que entoaram a palavra “mito” repetidas vezes.

Situação - A situação foi apaziguada por Rodrigo Pacheco que, na condição de presidente do Congresso, pediu aos parlamentares o “respeito à livre manifestação de pensamento” e “amor à divergência”. “Vamos dar uma oportunidade à pacificação deste país. Que saia deste Congresso Nacional o exemplo para a nação. A pacificação da sociedade brasileira não acontecerá se não houver a pacificação das instituições”, disse.  

Satisfação - Já o presidente da República começou o discurso destacando a satisfação de estar de volta ao Congresso. E como resposta aos protestos em Plenário, referiu-se à disputa pela reeleição. “Nos encontramos em 2022”, disse Bolsonaro.

Crise sanitária - Ao prestar contas da sua gestão no último ano, Jair Bolsonaro ressaltou o impacto da crise sanitária causada pela pandemia no Brasil e declarou que o governo atuou para “salvar vida e empregos, com um olhar especial para os mais vulneráveis “.  

Auxílio emergencial - Entre as ações implementadas para o enfrentamento da covid-19, o presidente elencou o auxílio emergencial para mais de 68 milhões de brasileiros, recursos em torno de R$ 160 bilhões para manter as operações do Sistema Único de Saúde (SUS), e acesso ao crédito para as micros, pequenas e médias empresas. “O governo federal se encontra preparado e estruturado em termos financeiros, organizacionais e logísticos para executar o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19. Com isso, seguimos enviando todos os esforços para o retorno à normalidade na vida dos brasileiros”, afirmou Bolsonaro.

Atenção - Ao defender uma atuação das autoridades “mais coordenada, integrada, harmônica e fulcrada no espírito público”, o chefe do Executivo pediu a atenção do Congresso para as propostas de reformas administrativa e tributária, privatizações e pacto federativo.

Democracia - O ministro Luiz Fux destacou os desafios impostos pela pandemia que ainda precisam ser enfrentados com o esforço das instituições unidas e a defesa da democracia.

Atuação - O representante do STF acrescentou que o Poder Judiciário brasileiro atuará sempre ao lado do Executivo e Legislativo, de maneira independente e harmônica. Fux propôs a busca de soluções por meio do diálogo para o fortalecimento da democracia constitucional e para o desenvolvimento nacional.

Passageiros - “Nós, homens e mulheres, somos passageiros nas funções que ocupamos. No entanto, os feitos em prol do fortalecimento das instituições, da democracia e das liberdades humanas e de imprensa não conhecem tempo nem espaço, porquanto são atemporais e universais — disse.

Vacinas - Na mensagem aos congressistas, o deputado Arthur Lira, se solidarizou com familiares, amigos e colegas das vítimas do coronavírus no Brasil.

Ação imediata - O presidente da Câmara ressaltou a necessidade de ação imediata para minimizar as consequências da emergência sanitária na economia, que comprometeu o emprego e a renda. Para isso, ele também defendeu a união de esforços entre os Poderes para facilitar a oferta de vacinas e o amparo aos mais necessitados, além do acolhimento de novas opções de vacinas já disponíveis.

Dramática - “A luta continua dramática: se, por um lado, o engenho humano produziu, em tempo recorde, uma arma eficaz contra o vírus, por outro lado, sabemos que o desafio de vacinar toda a população mundial não é tarefa que possa ser levada a cabo em poucos meses”, avaliou.

LOA - Lira lembrou ainda que aguardam deliberação a proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA) e 24 vetos presidenciais sobre diversos temas. A votação é necessária para destrancar a pauta do Congresso Nacional, e abrir caminho para “outros temas urgentes para a sociedade”.

Pluralismo - O senador Rodrigo Pacheco foi o último a se pronunciar. Ele reforçou a importância do pluralismo de ideias no Congresso Nacional. Também condenou a política movida “por arroubos do momento ou por radicalismos” e conclamou a “superação dos extremismos”. “É a sociedade que, a cada quatro anos, vai às urnas e dá, livremente, o tom que deseja que prevaleça aqui no Parlamento. A nós, cabe ter a sensibilidade e o respeito a essa expressão”, ponderou.

Pautas comuns - Pacheco ressaltou que o Parlamento está focado na definição de pautas comuns que “apontam para a necessidade de mudanças estruturais para o futuro do Brasil”. “Além da reforma tributária e da reforma administrativa, precisamos avançar na segurança pública, no combate à corrupção, na melhoria da eficiência da prestação jurisdicional, na preservação do meio ambiente em equilíbrio com o necessário desenvolvimento econômico, nos direitos das mulheres, entre outros grandes temas!”, defendeu.

Prioridades - Para o senador, com o advento da pandemia, a pauta prioritária deve ser voltada para a saúde pública, o desenvolvimento social e o crescimento econômico do Brasil. “Precisamos continuar produzindo para abastecer as famílias brasileiras, gerar renda interna, além de continuar atendendo os mercados estrangeiros, que compram nossa produção, o que retorna em riquezas para nosso país”, concluiu o presidente. (Agência Senado)

FOTO: Marcos Oliveira / Agência Senado

 

LEGISLATIVO II: Primeira sessão deliberativa tem na pauta MPs de vacinas e do setor elétrico

legislativo II 04 02 2021O Plenário do Senado deve se reunir pela primeira vez em 2021 nesta quinta-feira (04/02), às 16h, para analisar a medida provisória que remaneja recursos no setor elétrico para permitir a redução de tarifas de energia. Segundo o texto da MP 998/2020, 30% do montante que as concessionárias de energia elétrica são obrigadas a aplicar em programas de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e de eficiência energética — hoje há R$ 3,4 bilhões não utilizados — deverão ser transferidos para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), entre 2021 e 2025, a fim de diminuir potenciais aumentos tarifários por causa dos efeitos da pandemia.

Modificada - A proposta foi modificada na Câmara, por isso tornou-se o Projeto de Lei de Conversão (PLV) 42/2020. O relator no Senado, Marcos Rogério (DEM-RO), explicou que o texto também corrige distorções que prejudicam Rondônia e Acre, quanto ao pagamento das cotas da CDE. Segundo o senador, seu foco é encontrar uma alternativa para a alteração feita pelos deputados que beneficia a companhia energética de Minas Gerais (Cemig), em relação ao alongamento de outorgas, mas que tem potencial de prejudicar outros estados.

Lacuna - “A modificação que foi feita para favorecer a Cemig vai interferir em outros objetivos e interesses de outras companhias, como é o caso da [companhia] de São Paulo. A gente está tentado equacionar o texto de maneira a sanar essa lacuna, esse vácuo legal com relação à Cemig, mas sem que isso represente algum prejuízo para outra companhia Brasil afora. Nosso esforço é fazer um relatório que não implique mudança substancial de mérito para evitar que a MP tenha que voltar à Câmara. O esforço é fazer um relatório que ajuste o que seja possível ajustar, mas pela via de emenda de redação ou de outro instrumento. O esforço está sendo grande para encontrar um caminho de solução que não importe em caducidade [da MP]”, explicou o senador na terça-feira (02/02).

Vigência - A MP perde a vigência na próxima terça-feira (09/02).

Covax - O outro item em pauta é a MP 1.003/2020, que autoriza o Brasil a integrar o projeto Covax Facility, uma aliança internacional que pretende garantir o acesso dos países a uma vacina contra a covid-19. Os deputados alteraram o texto na Câmara, que se converteu no PLV 43/2020.

Adesão - De acordo com a medida, a adesão do Brasil ao Covax Facility tem como objetivo “proporcionar o acesso do país a vacinas seguras e eficazes contra a covid-19, sem prejuízo à eventual adesão futura a outros mecanismos ou à aquisição de vacinas por outras modalidades”. O governo brasileiro não fica obrigado a adquirir as vacinas por meio do projeto: a compra é opcional e “dependerá de análise técnica e financeira para cada caso”.

Regras - Ainda segundo o texto, as regras definidas pela Lei de Licitações (Lei 9.666, de 1993) “não serão aplicáveis” na eventual aquisição dos imunizantes por meio do Covax Facility. No entanto, a compra deve levar em conta “elementos técnicos”, como preço e atendimento de exigências sanitárias. São R$ 2,5 bilhões liberados para o Fundo Nacional de Saúde na forma de créditos extraordinários, aporte exigido para a adesão ao Covax Facility e que será usado para custear a compra de vacinas, eventuais tributos e custos operacionais do programa.

Inserção - Os deputados inseriram no texto determinação para que, no caso das vacinas autorizadas, seja dispensada a assinatura de quaisquer termos de responsabilidade ou de consentimento por parte das pessoas, mesmo se a regra constar de outras normas.

Validade - A medida perde a validade em 3 de março. (Agência Senado)

FOTO: Pedro França / Agência Senado

 

SAÚDE I: Mortes somam 227.563 mil e casos chegam a 9,3 milhões

O número de pessoas que não resistiram à covid-19 subiu para 227.563. Nas últimas 24 horas, foram registradas 1.254 mil mortes.

Infectados - Já o total de pessoas infectadas pelo coronavírus desde o início da pandemia chegou a 9.339.420. Entre terça e quarta-feira (02 e 03/02), foram confirmados pelas autoridades de saúde 56.002 diagnósticos positivos de covid-19.

Atualização - Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta quarta-feira. O balanço é produzido a partir das informações fornecidas pelas secretarias estaduais de Saúde sobre casos e mortes.

Acompanhamento - Ainda há 874.993 pessoas com casos ativos em acompanhamento por profissionais de saúde. Mais 8.236.864 pessoas se recuperaram da doença.

Estados - Na lista de estados com mais mortes, São Paulo ocupa a primeira posição (53704), seguido por Rio de Janeiro (30172), Minas Gerais (15315), Rio Grande do Sul (10.826) e Ceará (10.556). As Unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (871), Acre (879), Amapá (1.069), Tocantins (1.397) e Rondônia (2.216).

Casos - Em número de casos, São Paulo também lidera (1.80 milhão), seguido por Minas Gerais (746.9 mil), Bahia (596.14 mil), Santa Catarina (584.53 mil) e Paraná (558.77 mil). (Agência Brasil)

 

saude I tabela 04 02 2021

SAÚDE II: Secretaria divulga mais 2.478 infecções e 52 óbitos em decorrência do coronavírus

saude II 04 02 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quarta-feira (03/02) mais 2.478 novas infecções e 52 mortes em decorrência da Covid-19 no Paraná. Os dados acumulados do monitoramento da doença mostram que o Estado soma 554.577 casos confirmados e 10.111 mortos desde o início da pandemia.

Meses - Os casos divulgados nesta quarta-feira são de fevereiro (1.660) e janeiro de 2021 (713) e dos seguintes meses de 2020: maio (1), junho (1), julho (3), agosto (2), setembro (3), outubro (4), novembro (13) e dezembro (78).

Internados - O informe relata que há 1.330 pacientes com diagnóstico confirmado internados. São 1.108 pacientes em leitos SUS (600 em UTI e 508 em enfermaria) e 222 na rede particular (94 em UTI e 128 em enfermaria).

Exames - Há outros 1.236 pacientes internados - 487 em leitos UTI e 749 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 52 pacientes. São 23 mulheres e 29 homens, com idades que variam de 32 a 96 anos. Os óbitos ocorreram entre 11 de agosto de 2020 e 03 fevereiro de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Ponta Grossa (5), Araucária (4), Curitiba (4), Cambará (2), Colombo (2), Foz do Iguaçu (2), Goioerê (2), Santa Terezinha de Itaipu (2),

Uma morte- Também foi registrada a morte de uma pessoa em cada um desses municípios: Apucarana, Arapongas, Assis Chateaubriand, Boa Esperança, Campo Largo, Carlópolis, Cascavel, Cianorte, Diamante do Norte, Fernandes Pinheiro, Figueira, Ibaiti, Jataizinho, Laranjeiras do Sul, Mamborê, Maringá, Matinhos, Nova Olímpia, Nova Tebas, Paiçandu, Palmeira, Prudentópolis, Santa Isabel do Ivaí, Santo Antônio do Sudoeste, São Carlos do Ivaí, São Mateus do Sul, Tamarana, Tapira e Wenceslau Braz.

Fora do Paraná - O monitoramento registra 4.193 casos de residentes de fora, sendo que 79 pessoas foram a óbito.

Ajustes - Exclusões

Total de exclusões: 26 casos e 4 óbitos de residentes no Paraná

Um caso confirmado (F, 25 anos) no dia 31/05/2020 em Rondon foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F, 25 anos) no dia 05/06/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F, 22) no dia 05/06/2020 em Rondon foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (M, 40) no dia 06/06/2020 em Rondon foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,53) no dia 16/06/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,19) no dia 20/06/2020 em Rondon foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,90) no dia 22/06/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso e óbito confirmados (M,63) no dia 22/06/2020 em Jussara foram excluídos por erro de notificação

Um caso confirmado (F,36) no dia 26/06/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (M,17) no dia 26/06/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,19) no dia 27/06/2020 em Rondon foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,48) no dia 29/06/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,48) no dia 29/06/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (M,48) no dia 01/07/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso e óbito confirmados (M,61) no dia 02/07/2020 em Araucária foram excluídos por erro de notificação

Um caso confirmado (M,23) no dia 03/07/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,32) no dia 03/07/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,19) no dia 03/07/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (M,33) no dia 04/07/2020 em Rondon foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,20) no dia 05/07/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,34) no dia 07/07/2020 em Rondon foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (M,63) no dia 26/07/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um caso e óbito confirmados (F,79) no dia 21/05/2020 em Araucária foram excluídos por erro de notificação

Um caso confirmado (M,25) no dia 03/11/2020 em Rondon foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,49) no dia 02/01/2021 em Mariluz foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,54) no dia 01/07/2020 em Jussara foi excluído por erro de notificação

Um óbito confirmado (M,23) no dia 30/12/2020 em Guamiranga foi excluído por erro de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando AQUI.

 

SAÚDE III: Paraná alcança a marca de 163 mil vacinados contra a Covid-19

saude III 04 02 2021O Paraná atingiu nesta quarta-feira (03/02) a marca de 163.106 pessoas vacinadas contra a Covid-19. O número representa 68,2% das 238.871 doses distribuídas até o momento pelo Governo do Estado aos 399 municípios paranaenses.

Índice - De acordo com o balanço divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde, 15 das suas 22 regionais no Paraná já ultrapassam o índice de 80% de vacinados. Oito delas, Irati (4ª RS), União da Vitória (6ª RS), Francisco Beltrão (8ª RS), Campo Mourão (11ª RS), Cianorte (13ª RS), Jacarezinho (19ª RS), Telêmaco Borba (21ª RS) e Ivaiporã (22ª RS) romperam a barreira dos 90%.

Conclusão - Campo Mourão, Irati e Cianorte estão bem próximos de fechar esse primeiro momento de vacinação – as aplicações foram feitas em trabalhadores de saúde, pessoas em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), pessoas com deficiência severa e indígenas.

Preliminar - O balanço parcial é preliminar e foi divulgado pela Secretaria da Saúde a partir de um levantamento interno realizado com as regionais e os respectivos municípios. A expectativa é que nos próximos dias o sistema integrado do Ministério da Saúde, Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), funcione corretamente para divulgação de dados.

Módulo especial - O DataSUS, sistema macro no qual está o SI-PNI, desenvolveu um módulo especial para receber os dados de todos os estados e que contempla informações como registro de vacinados, público-alvo, origem e lote de vacinas.

Divisão - Segundo o boletim, as 163.106 aplicações da primeira dose da vacina contra o coronavírus foram divididas entre 146.235 trabalhadores da saúde (89,6%), 9.274 idosos em asilos e profissionais cuidadores (5,6%), 7.397 indígenas (4,5%) e 200 pessoas com deficiência severa. São 4.326 novas imunizações em relação ao balanço de terça-feira (02).

Doses - O Paraná recebeu 391.700 doses para imunização contra a Covid-19 enviadas pelo Ministério da Saúde. Foram 265.600 (1º lote) e 39.600 (2º lote) doses da Coronavac/Instituto Butantan e 86.500 doses da Universidade de Oxford em parceria com o Laboratório AstraZeneca/Fiocruz.

Encaminhamento - A Secretaria da Saúde já encaminhou aos municípios 238.871 para aplicação da primeira dose no público prioritário já definido. A segunda parte do imunizante, no caso da CoronaVac, produzida em parceria com o Instituto Butantan, começou a ser distribuída na terça-feira (02). São mais 132.779 doses, destinadas para as regionais de Paranaguá (1ª RS), Pato Branco (7ª RS), Francisco Beltrão (8ª RS), Foz do Iguaçu (9ª RS), Cascavel (10ª RS), Toledo (20ª RS) e os municípios da região de Curitiba. Na próxima semana a distribuição irá alcançar as demais regiões do Estado.

Balanço - As Regionais de Saúde que mais imunizaram em números absolutos foram Curitiba e Região Metropolitana (2ª RS), com 41.226 pessoas; Londrina (17ª RS), com 13.551; Maringá (15ª RS), com 12.979; Cascavel (10ª RS), com 11.398; Ponta Grossa (3ª RS), com 8.232; e Guarapuava (5ª RS), com 7.473.

Destaques - Proporcionalmente à quantidade de doses recebidas, os destaques foram Cianorte (13ª RS), com 98,7%, Campo Mourão (11ª RS), com 97,1% e Irati (4ª RS), com 95,8%.

Aplicação - Confira o balanço de aplicação por Regional de Saúde:

1ª RS – Paranaguá – 2.394 (53,4% das 4.480 doses recebidas).

2ª RS – Metropolitana – 41.226 (51,9% das 79.421 doses).

3ª RS – Ponta Grossa – 8.232 (81,5% das 10.090 doses).

4ª RS – Irati – 2.338 (95,8% das 2.440 doses).

5ª RS – Guarapuava – 7.473 (87,6% das 8.530 doses).

6ª RS – União da Vitória – 2.303 (91% das 2.530 doses).

7ª RS – Pato Branco – 5.782 (88,5% das 6.530 doses).

8ª RS – Francisco Beltrão – 5.238 (90,6% das 5.780 doses).

9ª RS – Foz do Iguaçu – 6.047 (62,1% das 9.730 doses).

10ª RS – Cascavel – 11.398 (80% das 14.240 doses).

11ª RS – Campo Mourão – 5.644 (97,1% das 5.810 doses).

12ª RS – Umuarama – 4.265 (82,6% das 5.160 doses).

13ª RS – Cianorte – 2.262 (98,7% das 2.290 doses).

14ª RS – Paranavaí – 4.298 (83,1% das 5.170 doses).

15ª RS – Maringá – 12.979 (72,4% das 17.910 doses).

16ª RS – Apucarana – 5.841 (79,5% das 7.340 doses).

17ª RS – Londrina – 13.351 (50,8% das 26.240 doses).

18ª RS – Cornélio Procópio – 4.453 (85,8% das 5.190 doses).

19ª RS – Jacarezinho – 5.161 (92,9% das 5.550 doses).

20ª RS – Toledo – 6.380 (79,7% das 8.000 doses).

21ª RS – Telêmaco Borba – 2.600 (94,2% das 2.760 doses).

22ª RS – Ivaiporã – 3.441 (93,5% das 3.680 doses).

TOTAL – 163.106 vacinados (68,2% das 238.871 doses distribuídas).

(Agência de Notícias do Paraná)

 

 

SAÚDE IV: Anvisa retira obrigação de testes no Brasil para autorização de vacina

saude IV 04 02 2021A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nesta quarta-feira (03/02) o fim da exigência de estudos da fase 3 em andamento no Brasil para autorização emergencial de vacinas no país. Esta é a principal mudança trazida na atualização do guia para uso emergencial de imunizantes contra a covid-19. São os estudos da fase 3 que mostram o percentual de eficácia da vacina, quantas doses devem ser aplicadas, além da avaliação de eventuais reações adversas.

Estratégia - "Essa atualização faz parte da estratégia regulatória do Brasil de favorecer acesso. Ela está apartada de qualquer discussão que seja fora do âmbito técnico, para que o Brasil garanta que tenha acesso a vacinas com qualidade, eficácia e segurança", disse a diretora da Anvisa, Meiruze Freitas, durante coletiva de imprensa para comunicar as alterações.

Exigência - Com a mudança, a norma da Anvisa segue exigindo estudo de desenvolvimento clínico da vacina na fase 3, mas agora ele não precisa estar sendo conduzido no Brasil. O guia passa a contar com a seguinte redação: "A vacina deve preferencialmente possuir um Dossiê de Desenvolvimento Clínico de Medicamento (DDCM) anuído pela Anvisa e o ensaio clínico fase 3, pelo menos, em andamento e em condução no Brasil". No caso de fase 3 realizada no exterior, caberá ao laboratório requerente apresentar os dados brutos do estudo, fazer o acompanhamento dos participantes dos testes para avaliação de eficácia por, pelo menos, um ano e apresentar demonstração de que os estudos pré-clínicos e clínicos foram conduzidos conforme as diretrizes aceitas nacional e internacionalmente. O prazo de análise para vacinas sem estudo de fase 3 desenvolvido no Brasil será de até 30 dias.

Critério - "A vacina com estudo de fase 3 aqui no Brasil ou no exterior vai ter que seguir o mesmo critério de segurança, qualidade e eficácia. A única diferença vai ser a necessidade de apresentar dados que permitam que nós tenhamos confiança no estudo no exterior e que esse estudo mostre que a vacina serve para a população brasileira. E nós como agência reguladora vamos assegurar isso", afirmou Gustavo Mendes, gerente-geral de medicamentos da Anvisa.

Duas vacinas - Até agora, no Brasil, existem duas vacinas com autorização de uso emergencial: a Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac; e o imunizante desenvolvido pela farmacêutica AstraZeneca, em parecia com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A flexibilização nas regras do pedido de uso emergencial pode beneficiar, por exemplo, o laboratório União Química, que está à frente da produção da vacina russa Sputnik V no Brasil. O imunizante ainda aguarda autorização de estudo fase 3 no país, mas agora não dependerá mais desse pré-requisito para encaminhar o pedido.

Expectativa - De acordo com Meiruze Freitas, a expectativa é que a nova redação do guia para uso emergencial amplie a oferta de vacinas no país. "A gente ainda não recebeu isso diretamente de nenhuma empresa, mas eu espero fortemente que tenha impacto. Isso certamente possibilitaria para a Moderna, Novavax e um monte de outras vacinas, dentro inclusive do portfólio da Covax Facility ". (Agência Brasil)

FOTO: Pixabay

SAÚDE V: Brasil receberá 10,6 milhões de doses de vacina pela Covax Facility

A Covax Facility, aliança da Organização Mundial da Saúde (OMS) para ajudar os países em desenvolvimento a ter acesso a vacinas contra a covid-19 anunciou, nesta quarta-feira (03/02), a primeira previsão de distribuição dos imunizantes. A previsão do consórcio é de que o Brasil receba 10,6 milhões de doses da vacina AstraZeneca/Oxford ainda no primeiro semestre de 2021.

Parceria - A iniciativa será realizada numa parceria com a Coalizão para Inovações em Preparação para Epidemias (CEPI), com a Aliança Gavi, que coordena a união global por vacinas. Segundo comunicado das entidades, a projeção é que sejam enviadas ao país 10.672.800 doses da vacina, mas a entrega dependerá de fatores como a disponibilidade do imunizante, aceitação dos países, logística, entre outros. O início das entregas está previsto para este mês ainda. De acordo com o comunicado, no primeiro lote serão entregues de 35% a 40% das doses. Em uma segunda etapa, a entrega ficará entre 65% e 60% das vacinas.

Contratação - Em nota, o Ministério da Saúde afirma que, para minimizar riscos e maximizar ganhos de adesão ao consórcio, o Brasil optou por contratar doses de vacinas para o equivalente a 10% da população brasileira, com distribuição de acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, o que totaliza 42,5 milhões de doses. “As tratativas com a AstraZeneca tiveram início nesta terça-feira (02/02) e, sem dúvidas, a nossa parceria com o laboratório facilita as conversas para que o acesso às vacinas seja o mais rápido possível, diminuindo o contágio e deixando mais pessoas protegidas”, afirmou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Projeção - De acordo com o comunicado do consórcio, a projeção é sejam enviadas 330 milhões de doses das vacinas da Pfizer/BioNTech e Oxford/AstraZeneca na primeira metade de 2021 para 145 países integrantes da aliança, que reúne mais de 150 nações. "O objetivo de compartilhar a distribuição provisória com os países, mesmo no ambiente de abastecimento global altamente dinâmico de hoje, é fornecer aos governos e aos sistemas de saúde as informações de que precisam para planejar seus programas nacionais de vacinação. As alocações finais serão publicadas oportunamente”, disse a aliança. (Agência Brasil)

ARTIGO: Lar doce lar

*Juliana Olivieri Refundini

Todos nós, em algum momento da vida, paramos para pensar: vale a pena financiar meu imóvel ou é melhor guardar dinheiro para pagá-lo a vista? Bem, a resposta é complexa pois depende muito do seu perfil e da sua capacidade para guardar dinheiro.

Muitas vezes, nos organizamos para o futuro e constituímos poupanças para nossos sonhos, mas eles demoram a chegar! O crédito imobiliário passa, então, a ser uma ferramenta que você pode usar para acelerar a realização do sonho.

Para buscar este tipo de crédito no mercado, é preciso tomar algumas precauções, como entender bem qual é a taxa que remunera seu contrato, além de saber com base em qual indicador (como Selic, IPCA, entre outros) é essa taxa. Vale lembrar que o crédito imobiliário é sempre composto parte por uma taxa fixa ao ano, parte por um indicador (de reajuste), já que são créditos de longo prazo.

A dica é analisar muito bem qual é o momento que sua família vive: é, de fato, o melhor momento para assumir um crédito de longo prazo? E mais: fixar sua moradia no local escolhido será apropriado para vocês?

Desde o ano passado, o mercado de financiamento imobiliário está aquecido, muito em virtude da queda na taxa de juros. Mas, você sabe por que esse crédito também ficou mais em conta? As instituições financeiras precisam fomentar suas carteiras de crédito e a concorrência acirrada entre elas beneficiaram a queda.

Também é verdade que, historicamente, em momentos de crise, muitos investidores buscam imobilizar seus investimentos por receio quanto às incertezas do cenário. Este movimento aumenta significativamente a procura por imóveis. Por outro lado, a alta oferta no mercado imobiliário resulta na queda do preço, tornando a opção de aquisição de seu imóvel muito mais viável.

Em outras palavras: uma tempestade perfeita.

Diante deste cenário, você pode neste momento conseguir taxas muito mais atrativas, ao mesmo tempo em que o preço do imóvel do seu sonho fica mais acessível, fazendo com que a parcela do financiamento caiba no seu bolso.

Lembre-se de organizar suas finanças, contando com as novas despesas que o novo imóvel vai lhe trazer, como a parcela em si do financiamento, mais impostos, seguros e manutenções.

É claro que pagar um imóvel a vista sempre é a melhor opção, porque te dá o famoso poder de barganhar no preço. Mas, como nem sempre queremos ou podemos esperar até acumular este valor, o crédito imobiliário é um benefício excelente – e, agora, estamos em um ótimo momento para isso.

Gostaria de saber sobre outro assunto da área financeira? Fale com a gente através do e-mail: contato@uniprimebr.com.br.

*Juliana Olivieri Refundini é colaboradora Uniprime e profissional com Certificação CFP®.


Versão para impressão


RODAPE