Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5010 | 17 de Fevereiro de 2021

SISTEMA OCB I: Entidade debate limite de fornecimento de coops autorizadas

sistema ocb I logo 17 02 2021Reforçar a necessidade de revogação dos termos do Decreto nº 6.160/2002, que limitam a expansão do fornecimento de energia pelas cooperativas autorizadas somente a novas unidades consumidoras classificadas como rural. Este foi o tema da reunião entre representantes do Sistema OCB e a diretora do Departamento de Gestão do Setor Elétrico do Ministério de Minas e Energia, Fabiana Cepeda, ocorrida na sexta-feira passada (12/02).

Encaminhamentos - Como principais encaminhamentos, a diretora Fabiana se comprometeu em debater internamente alternativas e sinalizou a possibilidade de abertura de uma consulta pública para a elaboração de um novo decreto, que libere as cooperativas autorizadas a fornecer energia a todas as classes de consumidores. As entidades cooperativistas se colocaram à disposição do MME para colaborar na breve solução do tema.

Participação - A reunião foi organizada pelo próprio MME, por solicitação da OCB, e contou com a participação de: Jorge Luiz Barbosa (FECOERMS), Danilo Roque Pasin (FECOERESP), José Zordan (INFRACOOP), Marco Olívio Morato (OCB), Rosa School (Aspar MME), Fabiana Cepeda (MME) e o deputado Luiz Ovando (MS). (Sistema OCB)

 

SISTEMA OCB II: Compensação ambiental é tema de reunião no MMA

Representantes do Sistema OCB foram recebidos pelo Secretário da Amazônia e Serviços Ambientais do Ministério do Meio Ambiente, Joaquim Álvaro Pereira Leite, na última quinta-feira (11/02), para apresentarem as premissas cooperativistas para a boa implementação dos Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA) no Brasil. Dentre os destaques, estiveram as preocupações e os caminhos a serem percorridos para regulamentação eficiente da Lei nº 14.119/2021, que instituiu a Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais (PNPSA).

Protagonismo - O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, ressaltou o protagonismo do cooperativismo em produção sustentável. “Temos infinitos exemplos de preservação, recuperação e geração de ativos ambientais, por isso, desde sempre fomos e somos parceiros do Ministério para buscar soluções no que tange à identificação e à devida compensação por esses serviços prestados, principalmente pelo produtor rural na preservação ambiental”.

Papel privado - O líder cooperativista destacou, ainda, o papel privado no financiamento de uma economia verde. “Praticamente todos querem investir e contribuir para o financiamento de uma economia verde. Basta organizar e normatizar que as pessoas, empresas e cooperativas vão vir. E nós estamos aqui para ajudar no que for preciso”, enfatizou o presidente do Sistema OCB.

Benefício ambiental - O advogado consultor da OCB, Leonardo Papp, apresentou as principais premissas do cooperativismo para a regulamentação da Política Nacional de Pagamentos Por Serviços Ambientais, que deve levar em conta processos eficientes de habilitação e mensuração do benefício ambiental a ser contemplado pelo PSA, prevendo que o crédito fique com quem realmente protege o meio ambiente. Ele comentou, ainda, que é necessária a atuação em fóruns internacionais para mostrar a realidade da produção agropecuária brasileira, que é uma das mais sustentáveis do mundo.

Pimenta-do-reino - Na oportunidade, também foi apresentado o case da cooperativa Camta, de Tomé Açú, no Pará, pelo consultor Raul Monteiro Jr. A cooperativa é referência em práticas sustentáveis na cultura da pimenta-do-reino, e parte de sua produção é exportada para a Europa.

Principais projetos - O secretário Joaquim Álvaro por sua vez apresentou os principais projetos do MMA no âmbito dos pagamentos por serviços ambientais e a estrutura pensada para a regulamentação da PNPSA. Agradeceu a reunião e disse que o MMA está de portas abertas para cooperativismo, e ainda conta com a colaboração na busca de soluções para a eficiente regulamentação da política.

Encaminhamentos - Como encaminhamentos da reunião o Secretário solicitou o agendamento de reuniões para debater mais profundamente os temas: projeto-piloto com a CAMTA; a regulamentação de PNPSA; agenda internacional (Conferência de Glasgow); e a realização de webinário com o Secretário para dirigentes de cooperativas com foco nos mecanismos de PSA. (Sistema OCB)

COCARI: Cooperativa anuncia mudanças na diretoria

Na manhã da sexta-feira passada (12/02), diretores, superintendentes e gerentes da Cocari reuniram-se na Associação Atlética da cooperativa, em Mandaguari (PR), para receber o comunicado de que Vilmar Sebold, motivado por questões pessoais, de ordem de saúde, encerrará oficialmente suas atividades à frente da presidência na cooperativa no próximo dia 14 de março, data em que completa 42 anos de atuação no sistema cooperativista.

Comunicado oficial - Em comunicado oficial, Sebold falou sobre os anos dedicados ao cooperativismo e agradeceu o apoio profissional recebido nesta trajetória. “Quero agradecer profundamente toda distinção que recebi ao longo dos mais de 50 anos de trabalho e, de forma especial, aos 42 anos que me dedico ao cooperativismo brasileiro. Encerrarei meu ciclo profissional na Cocari, uma vez que acredito que o exercício do cargo de presidente exige plenas condições físicas para fazer frente aos constantes desafios e assim liderar o expressivo contingente de pessoas físicas e jurídicas vinculadas aos negócios da cooperativa, à qual me dediquei nos últimos 21 anos de trabalho. Quanto a mim, vou seguir as recomendações médicas e buscar uma vida mais saudável. Por favor, peço o mesmo apoio que sempre recebi, agora para aqueles que continuarão a conduzir os destinos da Cocari”, solicitou.

Presidente interino - Conforme determina o Estatuto Social da cooperativa, o Conselho de Administração definiu como presidente interino Marcos Antonio Trintinalha e como vice-presidente interino, João Carlos Obici. Os nomes serão referendados em Assembleia Geral Extraordinária (AGE), a ser realizada no dia 29 de março de 2021.

Trajetória - Trintinalha começou a trabalhar na Cocari em 1988, como engenheiro agrônomo. Em 1999, foi convidado a fazer parte do Conselho Fiscal, como suplente. No ano seguinte, foi eleito conselheiro fiscal efetivo. Enquanto exercia a função de conselheiro, aprofundou os conhecimentos, com mestrado e doutorado. Em 2005 passou a atuar como gerente da Divisão de Sementes e Tecnologia e, em 2008, foi eleito para o Conselho de Administração, para exercer a função de diretor executivo, dentro de uma linha sucessória que estava sendo implementada. No ano de 2012, foi eleito vice-presidente da Cocari. Trintinalha já foi presidente da Apasem – Associação Paranaense dos Produtores de Sementes e Mudas, participou de Conselhos de importantes instituições e desde 2014 está à frente da presidência da Rodocoop – Cooperativa de Transportes e Serviços Rodoviários.

Liderança jovem - João Carlos Obici entrou para a Cocari participando da Liderança Jovem. Formou-se em Direito e Ciências Contábeis e exerceu carreira na área jurídica até o ano de 2012, quando foi eleito diretor executivo em Assembleia Geral da Cocari. (Imprensa Cocari)

{vsig}2021/noticias/02/17/cocari/{/vsig}

PRIMATO: Assembleia Geral aprova contas de 2020 e elege nova diretoria

primato 17 02 2021A Primato Cooperativa Agroindustrial promoveu, na última sexta-feira (12/02), na Associação da cooperativa, em Toledo (PR), a Assembleia Geral do exercício 2020. Foram aprovadas as contas do ano passado, assim como a eleição da nova diretoria executiva para o mandato 2021/2024, e o novo quadro de conselho de administração e fiscal. Houve também mudança no estatuto, principalmente no que diz respeito à Lei de Proteção de Dados.

Novo presidente - A partir do evento, Ilmo Werle Welter se despede após três mandatos à frente da cooperativa. O novo presidente é Anderson Léo Sabadin, com o vice-presidente Cezar Luiz Dondoni e como diretor secretário Alison Petermann.

Evento - A Assembleia Geral iniciou às 14h e teve a frente de honra composta pelos diretores, conselheiros e autoridades presentes. Na sequência foi composta a mesa com o presidente, vice-presidente e secretário, que iniciaram os trabalhos. Os gerentes de divisão apresentaram suas estruturas e os resultados de cada segmento. Marcio Jose Bach, gerente de originação apresentou sobre os fomentos e também representou o gerente de industrialização Juliano Millnitz, que estava em viagem à trabalho. Na sequência Adriano Arrosi de Oliveira, o gerente de marketing, comunicação, serviço e inovação apresentou a estrutura, dados e as projeções para 2021. Para representar o gerente de gente e gestão, Carlos Hech que também estava em viagem à trabalho, o diretor executivo Anderson Sabadin apresentou os números. Leandro Chiella, auditor interno falou sobre o compliance.

Vídeo - Um vídeo contextualizou todos os números e acontecimentos relativos a 2020 e na sequência foi iniciado a apreciação e votação dos dados do ano passado. Houve aprovação unânime sobre os resultados de 2020, orçamento para 2021, eleição do novo conselho de administração e fiscal, assim como para as questões da Primato junto à Frimesa.

Resultados - Os resultados da cooperativa em 2020 demonstram um crescimento de 82% no resultado líquido em relação a 2019. O faturamento da Primato foi de R$ 747.314.223, com um resultado líquido de R$ 21.019.055. Confira todos os números do exercício 2020:

-Produção de Leite: 39.096.56 litros

-Produção de Suínos: 36.821.018 quilos

-Primato Carnes: 1.007 toneladas

-Marcas Próprias: R$ 8.686.948,00

-Faturamento Indústria: R$ 146.914.422,00

-Faturamento Agropecuária: R$ 62.632.408,00

-Faturamento Supermercados: R$ 222.664.146,00

-Cooperados Ativos: 8771

-Colaboradores:1252

-Faturamento: R$ 747.314.223,00

-Resultado Líquido: R$ 21.019.055,00

-Sobras: R$ 6.009.509,00

Sobras - No ano de 2020 as sobras alcançadas foram de R$ 6.009.509. O cálculo terá como base as atividades desempenhadas pelo cooperado, assim como a quantidade de produtos entregues à cooperativa.

Valores - Desta forma, fica assim definido: a cada litro de leite o cooperado terá R$ 0,02. Por sua vez, na pecuária de corte será de R$ 12,50 (cabeça); na suinocultura a engorda terá R$ 2,50 (cabeça), leitão R$ 1,00 (cabeça) e creche R$ 0,50 por animal. Além disso, na parte de grãos, cada cooperado terá R$ 1,00 por saca de milho e R$ 2,50 por saca de soja fixada. Além da produção entregue à cooperativa, o cooperado também tem benefícios nas unidades de negócio, sendo que nos supermercados cada um terá 2% de participação, assim como nos insumos agropecuários o percentual também será de 2%. Este formato visa otimizar o trabalho do nosso cooperado e trazer incentivos para aumentarmos nossa produção, fidelidade e impulsionarmos a marca de nossos produtos.

Proposta - Durante a Assembleia, a proposta do conselho de administração foi 50% em cota capital e 50% em crédito para compras nas agropecuárias e negócios da cooperativa. No momento da votação, houve a sugestão de um cooperado para que fosse 50% em crédito para compras e 50% em dinheiro em conta (que está disponível a partir do dia 12 de fevereiro) na qual foi a votação e aprovado pela maioria dos presentes.

Gestão 2021/2024 - Durante a Assembleia houve a eleição do conselho de administração e conselho fiscal:

Conselho de Administração

-Presidente – Anderson Léo Sabadin

-Vice-Presidente – Cezar Luiz Dondoni

-Diretor Secretário – Alisson Petermann

-Conselheira: Edit Weber

-Conselheiro: Elias Garcia

-Conselheiro: Elton Alceu Endler

-Conselheiro: Gilberto Luis Heinen

-Conselheiro: Marcelo Tracz

-Conselheiro: Maurício Dolinski

Conselho Fiscal

-Conselheiro: Delton Hoffmann

-Conselheiro: Marcelo Gozzi

-Conselheiro: Rudi Werle Welter

-Conselheira: Tatiana Mazzarollo Pasinatto

-Conselheiro: Vanderlei Thiago Weiss

-Conselheiro: Vinícius Reolon Scuzziato

Homenagem - Ao final da Assembleia, a nova diretoria executiva finalizou os trabalhos e aprovou os últimos temas da assembleia. Houve também homenagem a Ilmo Werle Welter, pelos três mandatos à frente da cooperativa. “Neste momento fico até emocionado de pensar que chega ao fim o meu ciclo na diretoria da cooperativa, mas seguirei firme como cooperado. A decisão foi difícil, mas neste momento preciso estar com a família para tocarmos nossas atividades e negócios. Desejo todo o sucesso para a nova diretoria executiva e conselhos. Muito obrigado”, disse Ilmo Werle Welter.

Gratidão - Moacir Scuzziatto também deixa o cargo de secretário. “Tenho apenas duas palavras a dizer. Gratidão e obrigado”, destacou.

Agradecimento - “Fico muito triste pela saída do Ilmo da diretoria, mas compreendo muito bem os motivos. Uma pessoa transparente e que apesar de ser mais novo que eu, me ensinou muito sobre cooperativismo e estaremos sempre conectados. Muito obrigado Ilmo”, exclamou o vice-presidente da Primato Cezar Luiz Dondoni.

Nova etapa - “Hoje inicia uma nova etapa na vida de todos nós. Ao Ilmo, muito obrigado por tudo que fez pela Primato e por todos que tiveram o prazer de conviver com você. Fará parte agora do conselho de ex-presidentes junto com o Edemar Rockenbach e o Moacir Scuzziatto. Muito obrigado”, destacou o novo presidente da Primato, Anderson Sabadin.

Pioneiros - “Não podemos esquecer dos pioneiros que iniciaram a então Cooperlac. Vejo que nos sacrificamos lá atrás por um objetivo e, quando vemos os números da Primato, temos certeza de que valeu a pena. Ao Ilmo, obrigado pela sua dedicação. Ao Anderson, que conheço desde menino, sucesso na nova empreitada”, enalteceu o ex-presidente da Primato, Edemar Rockenbach.

Presença - Ao todo foram 99 cooperados presentes e 55 convidados na Assembleia Geral da Primato. (Imprensa Primato)

 

CAPAL: Faturamento cresce 39,5% e chega a R$ 2,06 bilhões

capal 17 02 2021A Capal, cooperativa com sede em Arapoti (PR) e atuação em 85 municípios do Paraná e São Paulo, acaba de consolidar os resultados referentes a 2020, os maiores em seus 60 anos de existência. Em 2020, em comparação com o ano anterior, a cooperativa teve aumento de 39,48% do faturamento bruto, de R$ 1,474 bilhão para R$ 2,056 bilhões. Este é o terceiro ano consecutivo em que a Capal apresenta crescimento no faturamento bruto. O resultado líquido mais do que dobrou: de R$ 55,473 milhões (2019) para R$ 113,914 milhões (alta de 105,35%). O balanço será aprovado pelos associados na Assembleia Geral Ordinária (AGO), no dia 03/03/2021, na Associação dos Funcionários da Capal (Asfuca), em Arapoti (PR).

Incremento - No período, o quadro de cooperados teve incremento 4,18%, passando de 3.130 para 3.261 produtores rurais, assim como a operação da cooperativa que passou a contar com 815 funcionários e estagiários, 68 a mais (9,1%) do que os 747 atuantes em 2019.

Produção de alimentos - “Apesar do momento que estamos atravessando, que é muito triste em função da pandemia, a produção de alimentos, atividade essencial para garantir a alimentação da população, alcançou índices históricos em termos de resultado, e que dificilmente serão repetidos”, diz o Presidente do Conselho de Administração, Erik Bosch.  

Sementes - Outro número que chama a atenção no fechamento do ano da Capal é o de sementes comercializadas, são mais de 136 mil toneladas, representando um incremento de 65% frente ao volume negociado em 2019. Isso devido ao recente investimento na aquisição e uma Unidade de Beneficiamento de Sementes em Wenceslau Braz (PR). O Negócio Sementes deve crescer ainda em 2021, inclusive a Unidade já está recebendo investimentos para ampliação da sua capacidade de armazenagem.

Produção - Além da produção de grãos, leite e de suínos, os cooperados da Capal atuam na área de sementes e de café. São 21 unidades de negócios nos dois estados. A sua agroindústria opera com as linhas de ração (para suínos, bovinos e aves), suplementos (gado de corte e leiteiro) e ração para cães (à base de carne e vegetais). Ao lado das cooperativas paranaenses Frísia e Castrolanda, a Capal integra o sistema de intercooperação sob o selo Unium, e industrializa produtos lácteos (marcas Colônia Holandesa, Colaso e Naturalle), de trigo (Herança Holandesa e Precisa) e carne suína (Alegra), com unidades em Ponta Grossa (PR), Castro (PR) e Itapetininga (SP).

Evolução - Fundada com o nome Cooperativa Agropecuária Arapoti Ltda., em 19 de setembro de 1960, hoje Capal Cooperativa Agroindustrial, iniciou suas atividades com 21 produtores rurais holandeses. Atualmente, seus mais de 3 mil cooperados estão entre os melhores criadores e expositores de bovinos da raça Holandesa do Brasil, com alta qualidade genética e excelência no manejo (conquistando inclusive prêmios das associações brasileira e paranaense de criadores da raça Holandesa - ABCBRH e APCBRH).

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a Capal conta atualmente com mais de 3,2 mil associados, distribuídos em 14 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 65% das operações da cooperativa, produzindo mais de 734 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, trigo, milho e café. A área agrícola assistida ultrapassa os 153 mil hectares. O volume de leite negociado mensalmente é de 12 milhões de litros, proveniente de 320 produtores. Além disso, a cooperativa comercializa mais de 31 mil toneladas de suínos vivos. (Imprensa Capal)

 

COAMO: Cooperativa inova na apresentação das Demonstrações Financeiras do exercício 2020

As Demonstrações Financeiras expressam a real situação econômico-financeira de uma instituição e são apresentadas em eventos com a participação dos seus associados e dirigentes. Na Assembleia Geral Ordinária (AGO) realizada dia 11 de fevereiro, a Coamo apresentou aos seus cooperados dentro da Ordem do Dia, informações contábil-financeiras elaboradas em bases que permitiram a comparação com o exercício anterior. Depois, os dados foram disponibilizados no site www.coamo.com.br para acesso de gestores, cooperados, fornecedores, instituições financeiras e educacionais, e comunidade onde a Coamo está inserida.

Balanço em audiovisuais - Dentro do processo de aprimoramento gradual e contínuo, há vários anos por meio da gerência Financeira, a Coamo vem mostrando evolução na forma de apresentação do Balanço nas assembleias gerais. “Primeiro foram os slides com gráficos para melhor entendimento e há dois anos aprimoramos as apresentações com as Demonstrações sendo repassadas por meio de audiovisuais, de uma forma didática e fácil para melhor compreensão dos cooperados”, explica Alcir Sebastião Ribeiro, chefe do departamento Contábil e também Contador da Coamo.

Novos Formato - Acessando o site www.coamo.com.br (clicando em Demonstrações Financeiras), os gestores, cooperados, fornecedores, instituições financeiras e educacionais, e comunidade terão acesso as duas novas formas de apresentações das Demonstrações Financeiras do Exercício 2020 da Coamo, nas versões “Estática” e “Revista”. “A inovação é resultado de um plano de melhoria da gerência Financeira por intermédio do departamento Contábil na busca de meios para tornar a informação contábil mais transparente e fácil de entendimento para os cooperados, para àqueles que não possuem formação na ciência contábil e àqueles também especialistas da área”, informa Rafael Kazuo Yamamoto Guirao, encarregado de Custos e Análise Contábil, da gerência Financeira.

Serviço - Para conhecer, acesse www.coamo.com.br de clique no Menu em Demonstrações Financeiras. (Imprensa Coamo)

{vsig}2021/noticias/02/17/coamo/{/vsig}

COPACOL: Cooperativa investe em modernização de tecnologia e avança em eficiência e competitividade

copacol 17 02 2021A agilidade é fator determinante para gerar economia nas operações, eficiência nas atividades e a conquista de novos mercados. Do atendimento aos cooperados, passando pela produção, processamento, industrialização até chegar ao consumidor final, as plataformas do sistema de gestão empresarial são ferramentas essenciais para a integração, a rastreabilidade e a segurança dos processos.

Crescimento sustentável - Visionária na implantação de novas tecnologias, a Copacol (Cooperativa Agroindustrial Consolata), cresce de forma sustentável e em 2020 deu um importante passo na modernização da sua plataforma, com a implantação da nova versão do SAP HANA. “Como membro do time que implantou o SAP na Copacol em 2000, foi uma satisfação fazer parte deste momento, em que a Copacol e a SAP reforçam esta parceria de sucesso. Com a nova versão do SAP, a Copacol inicia um novo ciclo de modernização dos sistemas, inovação e otimização dos processos”, relata Marcos Alessandro Silva, superintendente Administrativo e Financeiro.

Atualização - Frente as constantes transformações no cenário digital e as novas demandas dos negócios, o sistema SAP da Copacol passou por uma importante atualização. Em janeiro de 2021, entrou em operação a nova versão do SAP HANA, que utiliza tecnologia de banco de dados em memória com alto desempenho, projetado para processar grande volume de dados, aumentando assim significativamente a performance na emissão de documentos, no atendimento aos clientes internos e externos, nos fechamentos e na extração de informações para suportar a tomada de decisões. “Após planejamento e detalhamento do projeto, foram iniciadas as atividades de migração para a nova versão do SAP, sendo concluídas em dezembro de 2020. A Copacol foi uma das primeiras cooperativas a utilizar o SAP no Brasil e, com esta atualização, a plataforma fica preparada para executar novas e importantes ferramentas, trazendo maior eficiência e dinamismo para os processos e negócios da cooperativa”, explica Paulo Roberto Anzolin, gerente de TI.

Data center - Também foram realizados investimentos na infraestrutura de data center, com aquisição de modernos servidores e equipamentos de rede de alta velocidade, para suportar e garantir a melhor performance para a nova versão do SAP.

Projeto - Alinhado ao planejamento estratégico, o projeto ocorreu ao longo do ano de 2020, com a participação e o compromisso de todos os setores da cooperativa, resultando em uma implantação de sucesso. “Nossa proposta é levar produtos e serviços de qualidade aos nossos consumidores. Para que isso aconteça, contamos com um sistema eficiente em nossas operações. Com este investimento em tecnologia da informação, continuamos a oferecer um serviço ágil e prático no atendimento aos cooperados e também nas atividades internas da Cooperativa”, afirma o diretor presidente, Valter Pitol. (Imprensa Copacol)

 

INTEGRADA: Inaugurada primeira loja de máquinas da cooperativa em São Paulo

A Integrada Máquinas e Equipamentos começou a operar em Ourinhos (SP) na sexta-feira passada (12/02). Localizada de forma estratégica na rodovia Raposo Tavares, km 379, é a quarta loja de maquinários agrícolas da cooperativa Integrada e a primeira fora do estado do Paraná, contando com um espaço privilegiado de 4.900 metros quadrados.

Conceito - Trata-se de uma loja conceito da marca Kuhn, maior fabricante de implementos agrícolas do mundo, há 193 anos no mercado. A inauguração contou com a presença do gerente comercial da Kuhn no Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, Ruberval Brazorotto.

Parceria - “A nossa parceria com a Integrada é sólida e este projeto era um sonho antigo. Estamos com uma grande expectativa com a chegada desse modelo de loja na região de Ourinhos, e acredito que em breve seremos líderes de vendas aqui também”, comentou.

Aquisição - Recentemente a marca adquiriu a Khor, referência na fabricação de carretas e escarificadores nacionais, formando uma linha completa de pulverizadores, plantio, preparo de solo, colheita e distribuição. A nova unidade também representa marcas fortes no mercado: Vence Tudo, maior fabricante de plataformas de milho nacional; Mepel, maior fabricante nacional de tanques para preparo de calda; e ainda marcas como Rotoplastyc, Baldan, Nogueira, Indutar e Grazmec.

Oficina - O espaço oferece ainda uma oficina completa para revisões e assistência técnica formada por profissionais treinados na fábrica. A loja ainda conta com um portfólio de peças das marcas Kuhn, Khor, Vence Tudo, Mepel, além de pneus Goodyear, óleos e lubrificantes Texaco.

Vantagens - "Para o cooperado as vantagens são muitas. Mas destacamos a garantia e procedência das melhores marcas de máquinas e equipamentos do mercado, condições comerciais com prazos safras, banco de fábrica, suporte de profissionais treinados e nosso diferencial que é o atendimento personalizado, como todo os cooperados merecem”, explica o gerente comercial André Silveira.

Expansão - O diretor secretário da Integrada Sergio Otaguiri esteve na inauguração e comentou a expansão da Integrada entre os produtores do interior de São Paulo. “Estamos nos aproximando cada dia mais dos agricultores da região, com cooperados que valorizam o desenvolvimento das lavouras, sempre com inovação, equipamentos de ponta e sustentabilidade. E é essa nossa missão, levar estes valores para todos os produtores associados”, comentou.

Marco - Para o superintendente de insumos e técnica, Edson de Oliveira, a nova loja é um marco para a Integrada na expansão da sua atuação. "A chegada da loja nesta localidade vai proporcionar facilidades aos produtores que não vão mais precisar se deslocar até as lojas de Londrina, Maringá, Cornélio Procópio e Ubiratã, facilitando, inclusive, para os cooperados da Regional Cambará (PR). Estamos muito satisfeitos com mais essa conquista."

A Integrada Cooperativa Agroindustrial - A Integrada Cooperativa Agroindustrial foi fundada em Londrina (PR), há 25 anos, por um grupo de agricultores confiantes no sistema cooperativista. Ao longo dessas décadas, se tornou uma das principais cooperativas do Brasil, com 65 unidades de recebimento distribuídas em notórias áreas produtoras dos estados do Paraná e São Paulo.

Presença - Presente em 50 municípios, a Integrada conta com mais de 10 mil cooperados e 1.850 colaboradores, dedicados a impulsionar a força do agronegócio no país. Atuante na agroindústria, venda de insumos, assistência técnica e recebimento da produção agrícola, a Integrada atua nos mercados de soja, milho, trigo, café, laranja, entre outras culturas. A maior parte de seu faturamento vem da comercialização de grãos. Em 2020, faturou R$ 4,4 bilhões, posicionando-se entre as onze maiores cooperativas do país, segundo ranking Melhores e Maiores da Revista Exame e reconhecida como um excelente lugar para trabalhar pelo Instituto GPTW - Great Place to Work. Neste ano, está em vigor o novo planejamento estratégico, ciclo 2021-2025, com foco na valorização das pessoas, eficiência dos processos e inovação. (Imprensa Integrada)

Visite a nova Loja de Máquinas Integrada-KUHN

Endereço: Rodovia Raposo Tavares, km 379, Ourinhos - SP

Telefone: (14) 3302-3550

{vsig}2021/noticias/02/17/integrada/{/vsig}

 

COCAMAR: Safratec teve mais de 7 mil acessos por dia

cocamar 17 02 2021Concluída na sexta-feira (12/02), a primeira edição digital do Safratec Cocamar – que havia sido colocada no ar no dia 01/02 –, obteve o número de acessos de 84.051. Em doze dias, o site do evento foi visitado, em média, por 7.004 pessoas/dia, quantidade que superou as expectativas dos organizadores, demonstrando a boa aceitação desse formato entre produtores, técnicos e demais profissionais interessados.

Sucesso - Proporcionalmente, o Safratec repetiu o sucesso do Dia de Campo de Inverno – a primeira realização técnica digital da cooperativa, promovida em meados do ano passado, que teve 130 mil acessos. A diferença é que enquanto a plataforma do Dia de Campo permaneceu quase um mês disponível, o Safratec ficou pouco mais de uma semana.

Forma híbrida - Para o gerente executivo técnico da cooperativa, Renato Watanabe, o aprendizado com tais realizações tem sido grande. “É uma nova e interessante forma de levar informações aos produtores que tem dado certo”, cita, salientando que no modelo anterior, em três dias, o Safratec reunia quase 7 mil produtores líderes em suas regiões. De agora em diante, mesmo quando a pandemia for controlada e seja possível retomar os eventos técnicos presenciais, a tendência é que os mesmos sejam realizados na forma híbrida – mantendo o digital, que ajuda a difundir as informações entre um número bem maior de pessoas.

Facilidade - “Com o evento digital podemos alcançar um público bem maior sem depender de deslocamento”, ressalta o engenheiro agrônomo Rodrigo Sakurada, coordenador técnico da cooperativa e do Safratec. “Com um ou dois cliques e em 20 minutos você já assiste ao menos a dois materiais”, cita.

Desafio - Na visão de Sakurada, o desafio está em conseguir transmitir a mensagem num espaço mais curto de tempo. Presencialmente, quando as pessoas sentam em uma estação técnica, elas estão dispostas a permanecer ali por 20, 40 minutos ou até uma hora. Mas quando se leva isso para o modelo digital e passa dos 10 a 15 minutos, fica maçante e há o risco de as pessoas não terminarem de assistir o conteúdo.

Visual - “Temos que conseguir fazer com que o conteúdo seja visual, isto é, que elas consigam entender e enxergar aquilo que está sendo exposto, dentro de um curto espaço de tempo", afirma Sakurada. A solução é reduzir a quantidade de informações que estão sendo transmitidas e focar naquilo que vai ficar como mensagem principal. "Temos que transformar 40 ou 50 minutos em 10 e ainda assim levar uma informação de qualidade para o produtor, o que, felizmente, estamos conseguindo fazer.” A tendência, conforme o coordenador do Safratec, é continuar fazendo isso nos próximos eventos e contemplar as pessoas que não tiveram a oportunidade de participar presencialmente.

Eficiente - Rafael Franciscatti, representante técnico de vendas da empresa parceira Basf, uma das participantes do Safratec Digital, comenta que o modelo adotado é impactante e eficiente na transferência de tecnologias, podendo ser acessado de uma forma segura. “Conversando com cooperados mais jovens, percebi que os mesmos acessaram a plataforma”, cita. “A gente pode ver e rever, pode estudar o conteúdo, não fica distraído com outras coisas, como acontece num evento presencial”. Em contrapartida, segundo Franciscatti, as pessoas de mais idade não acessam tanto. “A gente gosta da presença humana nos eventos, mas vai ser preciso complementar com a plataforma digital, reforçando e detalhando o que foi mostrado fisicamente. Ou seja, o produtor visita o evento de maneira presencial e depois vai poder rever tudo em casa, com calma, acessando as informações na plataforma digital.

Novos caminhos - Um dos pesquisadores participantes de trabalhos apresentados no Safratec, o prof. Marcelo Batista, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), afirma que o “excelente resultado” obtido pelo formato digital revela que está sendo possível encontrar novos caminhos para levar informação aos produtores, apesar do distanciamento imposto pela pandemia.

Anual - Promovido anualmente na Unidade de Difusão de Tecnologias (UDT) da Cocamar em Floresta, sempre no final de janeiro, o Safratec é a principal mostra tecnológica do agronegócio regional, que acontece há 36 anos consecutivos, apresentando inovações e com a participação de uma centena de empresas e instituições parceiras. (Imprensa Cocamar)

 

COTRIGUAÇU: Selo de qualidade GPTW é conquistado pela primeira vez

cotriguacu 17 02 2021A Cotriguaçu Cooperativa Central, pela primeira vez, aplicou a pesquisa de clima em todas as suas Unidades de Negócios com a GPTW no final de 2020, e já conquistou a certificação Great Place To Work, e passa a fazer parte do grupo das melhores empresas para trabalhar. O selo de qualidade é concedido pelo instituto internacional de consultoria GPTW, uma organização que atua em 90 países. Para a Cotriguaçu, o sucesso de uma organização não se constrói sozinho, por isso a diretoria agradeceu a todos os colaboradores que contribuíram para essa conquista, e reforçou o compromisso de construir juntos uma cooperativa cada vez melhor. (Com informações da Cotriguaçu)

 

UNIMED CASCAVEL: Metas para 2021 são apresentadas no KickOff de Mercado

unimed cascavel 17 02 2021A Unimed Cascavel definiu várias missões para este ano tão desafiador. Entre elas, mostrar para cada vez mais pessoas o quanto vale a pena contar com os planos da maior cooperativa de saúde do mundo. A segurança de quem já é beneficiário (a) é comprovada por mais de 90 mil pessoas contratantes, mas esse quadro pode ser ampliado, levando a excelência em cuidados para um número ainda maior de vidas.

Lançamento das metas - Por um lado, a qualidade do produto é o principal diferencial. Por outro, o novo cenário criado pela pandemia de Covid-19 é o primeiro desafio a ser vencido pelas equipes comerciais da cooperativa. Por isso, um evento inspirador foi realizado no dia 10 de fevereiro, para marcar o lançamento das metas de venda para o ano.

Participação - O KickOff de Mercado 2021 teve a participação das equipes de Mercado da própria Unimed Cascavel, além de empresas parceiras que também comercializam os planos da Cooperativa. Em comum, todos os profissionais tiveram uma plataforma virtual para acompanhar o evento, realizado de forma remota.

Foco - “Há exatamente um ano, a doença causada pelo novo coronavírus ainda nem tinha nome. O Brasil ainda nem tinha casos, mas quem trabalha com a venda de planos da Unimed Cascavel já tinha como meta ultrapassar a marca de 90 mil vidas na nossa carteira de beneficiários. As semanas foram passando, as pessoas sumindo das ruas, o comércio fechando as portas e a palavra ‘impossível’ parecia definir o futuro dos negócios. Mas existe uma matemática popular que acerta sempre e que diz: ‘quanto maior o desafio, maior a vitória’. E foi com esse foco que, no fim do ano passado, ultrapassamos a marca de 90 mil beneficiários, mesmo diante de tamanho desafio encarado pelas economias do mundo inteiro. A partir dessa experiência, temos a consciência do potencial do produto Unimed e do quanto as pessoas podem se beneficiar dele”, comenta Humberto Golfieri Junior, diretor de Mercado da Unimed Cascavel na gestão 2018-2021.

Inspiração - Durante o KickOff, a força de vendas da Unimed Cascavel assistiu a uma live em que foi entrevistado o gerente Comercial e de Novos Negócios da Unimed Porto Alegre, Felipe Busin. “Tendo um excelente produto para oferecer e novos recursos para efetuar a venda, é possível bater metas e levar o conceito Unimed de excelência em saúde para as pessoas. Para os consultores comerciais que estão diante do público, a dica é realizar o trabalho com felicidade, pois ser feliz é um grande diferencial para o sucesso”, disse o palestrante. Busin também traçou um panorama para o ramo da saúde em 2021. “Por mais que empresas concorrentes se unam para tentar ter a qualidade e a força da Unimed, é a excelência do nosso serviço que serve de balizadora para as operadoras de saúde. As pessoas sabem disso.”

Números - Após a entrevista, foram apresentados os números da área de Mercado relativos a 2020 e as metas para 2021. “O ano de 2020 serviu para entendermos que podemos nos reinventar com muita frequência. E foi desta forma, inovando e atuando com muita garra, que a Cooperativa atingiu a sua meta de vidas, ultrapassando a marca de noventa mil clientes. Nosso agradecimento a todas as equipes, internas ou mesmo parceiros, que tornaram essa conquista possível e, com isso, a certeza de que mesmo tendo um 2021 com muitos obstáculos, mantendo a determinação, a intercooperação e os bons relacionamentos, o resultado será imbatível!”, avalia e incentiva Luciana Lazzari, superintendente Administrativa e de Mercado da Unimed Cascavel.

Mudança de cenário - “O cenário de saúde suplementar no Brasil está sofrendo uma forte mudança, devido à pandemia e à forte participação de fundos de investimentos no setor. Por sua vez, a Unimed Cascavel tem estruturado cada vez mais a força de vendas e o atendimento diferenciado para os beneficiários que confiaram sua saúde a nós. O grande desafio para 2021 na área de Mercado da Cooperativa é, diante desse cenário, proporcionar uma experiência ímpar na aquisição e utilização do plano de saúde para nossos clientes. Para isso, confio muito na equipe e nos parceiros comerciais que temos!”, finaliza Márcio Fonseca, gerente de Mercado da Unimed Cascavel. (Imprensa Unimed Cascavel)

 

FOMENTO: BRDE atinge R$ 58,7 bilhões em projetos financiados no PR; contrato nº 60 mil é assinado com a Integrada

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) atingiu a marca de R$ 58,7 bilhões em projetos financiados no Paraná e 60 mil projetos em toda a história do banco.

Integrada- O contrato assinado no número 60 mil foi com a Integrada Cooperativa Agroindustrial, empresa sediada em Londrina e presente em 49 municípios do Paraná e São Paulo. Para os seus mais de 10 mil cooperados, a Integrada comercializa insumos, presta assistência técnica, recebe, armazena e comercializa produção de grãos, além de agregar valor através da industrialização. O valor repassado pelo BRDE à cooperativa foi de R$ 10 milhões, no programa Funcafé.

Marco - “Esse é um marco para o banco. Chegar a 60 mil projetos financiados é a prova de como o BRDE tem apoiado empresas paranaenses a inovar, gerar empregos e fomentar a economia paranaense”, afirma o vice-presidente e diretor de Operações do BRDE, Wilson Bley.

Estocagem - O Funcafé serve para a estocagem de café, já que a cooperativa atua no Norte Pioneiro do Estado, onde a maioria dos produtores são de pequeno e médio porte. “Ajudamos no beneficiamento e processamento do café para esses cafeicultores com produção menor. Isso possibilita que aqueles que não têm estrutura suficiente, continuem comercializando seu produto”, diz o diretor-presidente da Integrada Cooperativa Agroindustrial, Jorge Hashimoto.

Produção - Segundo o diretor, a cooperativa é responsável por 15% de toda a produção de café do Paraná e, por isso, é tão importante ter o BRDE como um de seus parceiros. “O BRDE tem sido um grande aliado desde o início da Integrada para ampliação do nosso negócio. Assim, estamos cada vez mais gerando empregos e girando a economia local”.

Ampliação - De acordo com Wilson Bley, o BRDE pretende ampliar cada vez mais sua atuação em empresas e projetos que construam e projetem inovação ao Estado. Uma prova disso são os resultados do banco até 2020. O total somado de contratos celebrados pelo BRDE até ano passado é igual a R$ 58,7 bilhões (em valores atualizados pelo IGPDI). “Nós provamos que somos um banco que acredita no potencial dessas empresas. Por isso, queremos cada vez mais fazer parte da história delas”, acrescenta Bley. (Agência de Notícias do Paraná)

{vsig}2021/noticias/02/17/fomento/{/vsig}

VBP: Valor Bruto da Produção pode atingir R$ 1 trilhão até o fim deste ano

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) está estimado em R$ 1,002 trilhão para este ano de 2021. Houve um acréscimo real de 11,8% em relação ao ano passado (R$ 896,7 bilhões). As lavouras projetam valores de R$ 688,4 bilhões e a pecuária de R$ 314,5 bilhões. O acréscimo em relação ao ano de 2020 foi de 15,2% nas lavouras e 5,1% na pecuária. Os dados incluem as estatísticas atualizadas de janeiro deste ano.

Fatores - “Dois fatores são decisivos para este resultado: preços agrícolas favoráveis para grande parte dos produtos e boas previsões para a safra deste ano”, analisa José Garcia Gasques, coordenador da pesquisa do VBP e coordenador geral de avaliação de Políticas e Informação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Desempenho favorável - Desempenho favorável vem sendo apresentado pelo amendoim, com acréscimo de 4,9% no faturamento, arroz 9,6%, batata-inglesa 6,8%, cacau 14,9%, laranja 5,9%, mandioca 5,6%, milho 23,2% e soja 30,3%. Na pecuária, os destaques são os aumentos de 9,9% no VBP de carne bovina, 22,5% na carne de frango e 5% em leite. Os maiores valores do VBP são os de milho com R$ 126 bilhões e soja R$ 326,8 bilhões.

Grupo de produtos - Um grupo importante de produtos tem apresentado queda no valor da produção, são eles: café (-28,4%), cana-de-açúcar (-1,8%), tomate (-7%), trigo (-3,7%), e ovos (-10,1%). De acordo com Gasques, esses recuos nesses produtos é uma combinação de preços mais baixos e produção menor. "Mas no café a redução de valor pode ser atribuída principalmente a redução de 33,6% da produção do café arábica”, explica. Segundo o IBGE, essa lavoura ainda ressente-se da seca ocorrida em 2020. “Observamos, ainda que a cana de açúcar tem tido redução sistemática no valor da produção nos últimos cinco anos. Isso afeta os resultados de São Paulo e de outros estados, onde a cana é relevante”, salienta.

Liderança - Os cinco produtos que lideram o VBP são soja, milho, cana-de-açúcar e algodão, que representam 83,3% do VBP das lavouras.

Resultados regionais - Os resultados regionais mostram impactos positivos do VBP. “Tomando alguns estados, onde a soja é o produto mais relevante, nota-se que em Mato Grosso, essa cultura representa 61,5% do VBP das lavouras; no Paraná 58%, e no Rio Grande do Sul, 64%. Na região do Matopiba, que compreende o bioma Cerrado dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, a soja representa 43,4% do faturamento da região” explica Gasques.

O que é VBP - O VBP mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. Calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil.

Valor real- O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas. A periodicidade é mensal com atualização e divulgação até o dia 15 de cada mês. (Mapa)

>> Resumo do VBP 

>> VBP regional 

>>  VBP completo 

 

vbp tabela 17 02 2021

LEGISLATIVO: Projeto cria linha de crédito para pequenos e médios produtores rurais

 

legislativo 17 02 2021O Projeto de Lei 348/21 cria uma linha especial de crédito para financiar investimentos feitos por pequenos e médios produtores rurais, com recursos dos fundos constitucionais de financiamento e do Orçamento federal. O texto tramita na Câmara dos Deputados.

 

Pronaf e Pronamp - A nova linha financiará iniciativas de agricultores enquadradas no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp).

 

Condições de financiamento - As condições de financiamento são: taxa efetiva de juros de 3% ao ano para os beneficiários do Pronaf e 4,5% ao ano para os do Pronamp; prazo de pagamento não inferior a dez anos, incluídos dois anos de carência; limite de financiamento, a cada ano agrícola, de R$ 50 mil; e risco assumido integralmente pelos fundos constitucionais e instituições financeiras.

 

Estruturação - “As condições propostas contribuirão para uma maior estruturação dos sistemas produtivos dos pequenos e médios produtores rurais”, avalia o deputado Zé Silva (Solidariedade-MG), autor do projeto.

 

Subvenção econômica - Conforme o texto, os financiamentos poderão receber subvenção econômica na forma de equalização de taxa de juros (exceto os concedidos pelos fundos constitucionais).

 

Anater - Os agricultores terão direito a serviços de assistência técnica e extensão rural fornecidos por entidades credenciadas junto à Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater). (Agência Câmara de Notícias)

 

FOTO:Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

 

CREA-PR: Conselho tem R$ 2 mi em Edital de Chamamento Público

 

crea pr 17 02 2021O Conselho de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) recebeu 17 projetos de Entidades de Classe de todo o Estado que deverão ser contemplados na primeira fase do edital de chamamento de 2021, que repassa recursos para execução de projetos de interesse do Sistema Confea/Crea em comunhão com as ações de atualização profissional e de inovação nas atividades afetas ao sistema profissional. Os projetos da primeira etapa foram inscritos até dia 1º de fevereiro. Agora, o Crea-PR está recebendo, até o dia 23 de abril, propostas para a segunda fase. Este edital tem um diferencial em relação às edições anteriores que é a possibilidade de realização de eventos on-line – uma adaptação necessária por conta do momento de pandemia e uma inovação que facilita a participação de interessados.

 

Coronavírus - O coronavírus também impactou no processo do edital do ano passado. Com números sempre crescentes de projetos inscritos – 60 em 2017, 76 em 2018, e 82 em 2019 – 2020 contabilizou 56 propostas recebidas. Também por conta dos impactos da Covid-19, as 15 entidades beneficiadas pelo edital do ano passado conseguiram aditivar seus prazos para execução de 25 projetos e remanejar o orçamento na ordem de R$ 614 mil, para 2021. “Para este ano temos um orçamento de R$ 2 milhões. Para a primeira fase do edital de fomento recebemos 17 propostas de sete Entidades de Classe, que totalizam R$ 542 mil. Para essa segunda etapa, aberta em fevereiro, temos cerca de R$ 1,5 milhões para novos projetos”, explica o gerente do Departamento de Relações Institucionais (DRI) do Crea-PR, Claudemir Marcos Prattes. “Em meio a esta pandemia que afeta diretamente a vida de todos os profissionais, a perspectiva de realização de mais de 40 propostas e mais de R$ 1milhão em investimentos que serão ampliados durante a segunda etapa é algo que nos traz otimismo e um cenário altamente posítivo”, reforça Prattes.

 

Campo de atuação - A expectativa é de que o ajuste feito neste ano no edital aumente o campo de atuação dos eventos selecionados pela comissão que avalia os projetos. “Se antes tínhamos projetos de palestras e seminários para 25 ou 50 profissionais, hoje temos ações que podem ser muito mais abrangentes - com discussões amplificadas - com a possibilidade de realização dos eventos on-line. A tecnologia teve de ser inserida para resolver um problema, mas deverá ser uma grande ferramenta de apoio ao desenvolvimento de ações e ideias”, avalia o presidente da Comissão Técnica de Seleção de Projetos, Engenheiro Mecânico Silmar Brunatto van der Broocke.

 

Apeam - A Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais (Apeam) é uma das entidades já beneficiadas pelos editais de fomento do Crea-PR. De revistas especializadas a eventos nacionais, a instituição pôde ampliar sua atuação e chamar a atenção de engenheiros para assuntos importantes para a classe e para o Estado. “A Revista Paranaense de Engenharia Ambiental já está em sua terceira edição, com a parceria do Crea-PR por meio de seus editais de fomento. Também desenvolvemos há cerca de dois anos o aplicativo Engenharia Ambiental Web, que é uma inovação tecnológica que podemos oferecer a nossos associados”, afirma o presidente da Apeam, Luiz Guilherme Grein Vieira.

 

Segunda fase - A segunda fase do Edital de Chamamento para 2021 está disponível no site do Crea-PR na aba Entidades de Classe. As propostas devem ser encaminhadas por meio do Acesso Restrito das Entidades de Classe - também disponível no site do Crea-PR.

 

Destinação - Desde a publicação do primeiro Edital de Chamamento em 2017, o Crea-PR já destinou R$ 7,2 milhões para projetos de Entidades de Classe, por meio de seus editais de fomento. (Assessoria de Imprensa do Crea-PR)

 

SAÚDE I: Óbitos passam de 240 mil e casos somam quase 10 milhões

 

O balanço divulgado nesta terça-feira (16/02) pelo Ministério da Saúde registra 55.271 novos diagnósticos de covid-19 em 24 horas. Agora já são 9.921.981 o número de pessoas infectadas pela doença desde o início da pandemia no país.

 

Mortes - As mortes pelo novo coronavírus (covid-19) ao longo da pandemia superam 240 mil. Em 24 horas, as autoridades de saúde notificaram 1.167 novos óbitos, totalizando 240.940.

 

Acompanhamento - O balanço apontou também 797.850 pacientes em acompanhamento e 8.883.191 que já se recuperaram da doença.

 

Estados - Os estados com mais mortes são São Paulo (56.702), Rio de Janeiro (31.630), Minas Gerais (16.903), Rio Grande do Sul (11.407) e Ceará (10.850). As unidades da Federação com menos óbitos são Acre (932), Roraima (995), Amapá (1.112), Tocantins (1.458) e Rondônia (2.561). (Agência Brasil)

 

saude I tabela 17 02 2021

SAÚDE II: Mortes por Covid-19 chegam a 10.758. Paraná vacinou 257.305

 

saude II 17 02 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (16/02) 7.983 casos confirmados e 78 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus.

 

Retroativos - Dos casos confirmados divulgados nesta terça-feira (16/02), 4.878 são retroativos e exclusivamente de Curitiba. Este total é resultante do alinhamento de informações entre a Sesa, a Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba e o Ministério Público do Paraná, que solicitou ao município que passe a utilizar o sistema NotificaCOVID-19, desenvolvido pelo Estado, para informar os dados, assim como os 398 municípios paranaenses estão fazendo desde o início da pandemia.

 

Processo - Esse processo continuará sendo realizado até eliminar a discrepância do número de casos e mortes nos informes de Curitiba e do Paraná.

 

Resolução - A Sesa também vai editar uma Resolução formalizando a previsão de notificação oficial ao sistema estadual.

 

Dados acumulados - Já os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 593.115 casos confirmados e 10.758 mortos em decorrência da doença. Há ajustes ao final do texto.

 

Meses - Os casos são de fevereiro (3.252) e janeiro (682) de 2021 e dos seguintes meses de 2020: março (4), abril (14), maio (34), junho (97), julho (338), agosto (318), setembro (241), outubro (480), novembro (1.346) e dezembro (1.177).

 

Vacina - O Paraná vacinou 257.305 pessoas contra a Covid-19, conforme dados divulgados na última segunda-feira (15). As informações ainda de hoje não foram ainda atualizadas no sistema.

 

Total - Ao todo, o Estado recebeu 538.900 doses do Governo Federal até o momento.

Clique aqui.

 

Internados - 1.504 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 1.258 pacientes em leitos SUS (645 em UTI e 613 em leitos clínicos/enfermaria) e 246 em leitos da rede particular (109 em UTI e 137 em leitos clínicos/enfermaria).

 

Exames - Há outros 1.384 pacientes internados, 467 em leitos UTI e 917 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos.

 

Mortes - A secretaria estadual informa a morte de mais 78 pacientes. São 42 mulheres e 38 homens, com idades que variam de 32 a 102 anos. Os óbitos ocorreram entre 27 de abril de 2020 a 16 de fevereiro de 2021.

 

Municípios - Os pacientes que morreram residiam em Curitiba (30), Londrina (5), Guaratuba (3), Maringá (3), Ampere (2), Apucarana (2), Campina da Lagoa (2), Ponta Grossa (2) e Umuarama (2).

 

Uma morte - A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Alto Piquiri, Andirá, Campo Morão, Carambeí, Cascavel, Castro, Coronel Vivida, Curiúva, Doutor Camargo, Foz do Iguaçu, Guaíra, Imbau, Lobato, Mandaguaçu, Pato Branco, Quatro Barras, Santa Fé, Santo Antonio do Sudoeste, São Jeronimo da Serra, São Jorge D’Oeste, Sarandi, Sengés, Siqueira Campos, Tamarana, Tijucas do Sul, Toledo e Wenceslau Braz.

 

Fora do Paraná - O monitoramento registra 4.379 casos de residentes de fora, 84 pessoas foram a óbito.

 

Exclusões - Total de exclusão: 3 casos residente no Paraná. 3 óbitos residente no Paraná.

Um caso confirmado (F,33) no dia 01/09/2020 em Honório Serpa foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,81) no dia 04/01/2021 em Honório Serpa foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,49) no dia 04/01/2021 em Honório Serpa foi excluído por erro de notificação;

Um óbito confirmado (M,25) no dia 02/02/2021 em Pato Branco foi excluído por erro de notificação;

Um óbito confirmado (F,51) no dia 11/12/2020 em Bandeirantes foi excluído por erro de notificação;

Um óbito confirmado (M,47) no dia 21/07/2020 em Curitiba foi excluído por erro de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

 

Confira o informe completo clicando aqui.

 

SAÚDE III: Governo compra mais 54 milhões de doses de vacina contra Covid-19

 

saude III 17 02 2021O Ministério da Saúde informou nesta terça-feira (16/02), em Brasília, ter garantido mais 54 milhões de doses da vacina CoronaVac contra a covid-19. Acrescentou ter assinado novo contrato com o Instituto Butantan, que desenvolve o imunizante em parceria com o laboratório Sinovac.

 

Distribuição - A previsão, considerando os 46 milhões de doses já contratadas, é distribuir aos estados 100 milhões da vacina até setembro.

 

Mais doses - Segundo o ministério, além da CoronaVac, o Brasil receberá mais 42,5 milhões de doses de vacinas fornecidas pelo Consórcio Covax Facility até dezembro. Também foram contratadas mais 222,4 milhões de doses de vacina contra covid-19 em produção pela Fundação Oswaldo Cruz, e parte desses imunizantes já começou a ser entregue mês passado.

 

Contratos - A previsão do Ministério da Saúde é assinar, nos próximos dias, contratos de compra com a União Química. Entre os meses de março e maio, o laboratório deve entregar dez milhões de doses da vacina Sputnik V.

 

Precisa Medicamentos - O ministério também espera contratar da Precisa Medicamentos mais 30 milhões de doses da Covaxin, também entre março a maio.

 

Cronograma de entregas

 

Consórcio Covax Facility

Entregas de 42,5 milhões de doses:

Março: 2,65 milhões de doses da AstraZeneca

Até Junho: 7,95 milhões de doses da AstraZeneca

O consórcio, coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), funciona como um centro de distribuição internacional de vacinas. O Brasil receberá, ainda, aproximadamente mais 32 milhões de vacinas contra a covid-19 produzidas por laboratórios de sua escolha até o final do ano, conforme cronogramas estabelecidos exclusivamente por esse consórcio.

 

Fundação Butantan – Corodonavac/Sinovac

Entregas de 100 milhões de doses:

Janeiro: 8,7 milhões - entregues

Fevereiro: 9,3 milhões

Março: 18,1 milhões

Abril: 15,93 milhões

Maio: 6,03 milhões

Junho: 6,03 milhões

Julho: 13,55 milhões

Agosto:13,55 milhões

Setembro: 8,8 milhões

 

Fundação Oswaldo Cruz – Oxford/Astrazeneca

Entregas de 222,4 milhões de doses:

Janeiro: 2 milhões - entregues

Fevereiro: 4 milhões

Março: 20,7 milhões

Abril: 27,3 milhões

Maio: 28,6 milhões

Junho: 28,6 milhões

Julho: 1,2 milhões

 

A partir da incorporação da tecnologia da produção do IFA (Insumo Farmacêutico Ativo), a Fiocruz deverá produzir e entregar mais 110 milhões de doses no segundo semestre de 2021.

 

União Química - Sputnik V/Instituto Gamaleya

Entrega de 10 milhões de doses (importadas da Rússia) – Previsão de assinatura de contrato esta semana.

Março: 800 mil entregues 15 dias após a assinatura do contrato

Abril: 2 milhões entregues 45 dias após a assinatura do contrato

Maio: 7,6 milhões entregues 60 dias após a assinatura do contrato

 

A partir da incorporação da tecnologia da produção do IFA, a União Química deverá passar a produzir mais oito milhões de doses por mês.

 

Precisa Medicamentos – Covaxin/Bharat Biotech

Entrega de 20 milhões de doses importadas da Índia – Previsão de assinatura de contrato esta semana.

Março: 8 milhões - 4 milhões mais 4 milhões de doses entregues entre 20 e 30 dias após a assinatura do contrato

Abril: 8 milhões - 4 milhões mais 4 milhões de doses entregues entre 45 e 60 dias após a assinatura do contrato

Maio: 4 milhões entregues 70 dias após a assinatura do contrato

(Agência Brasil)

 

FOTO: Pixabay

 

ARTIGO: Pensar dói e dá trabalho

artigo 17 02 2021* Eloi Zanetti

Certa vez ouvi o jornalista Juca Kfuri explicar o procedimento tático da nossa seleção: “Aqueles dois que estão lá na frente são apenas carregadores de bola. A seleção precisa é de jogadores pensadores e não de carregadores de bola.” Saudades do Gerson e do Didi, eles, sim sabiam conduzir as partidas com inteligência - jogadores estrategistas fazem uma diferença enorme no jogo. O rei do boxe Cassius Clay era outro estrategista refinado, fez uma brilhante carreira vencendo lutadores muito mais fortes do que ele pensando em como iria conduzir suas lutas. E na Fórmula Um não vi ninguém pensar melhor a corrida e o campeonato do que Emerson Fittipaldi. E nas empresas será a mesma coisa?

Sobram títulos faltam pensadores.

Onde estão os pensadores das empresas, os estrategistas? Num momento em que sobram títulos de MBAs e diplomas de doutores, faltam pensadores, principalmente, os do óbvio e da simplicidade. Vi uma empresa sofrendo constantes prejuízos na entrega dos seus produtos, porque os carregadores de caminhão, freteiros, pisavam em cima das caixas e quebravam algumas peças. Compradores e vendedores estavam roucos de tanto clamar por uma solução, mas nada. Ninguém se dava ao trabalho de pensar em resolver o problema. Depois de muito tempo recolhendo produtos quebrados das lojas, passando por todo o processo de devolução e prejuízos enormes, o presidente da empresa se dispôs a ir à linha de produção e em cinco minutos encontrou a solução. Apenas um calço, um simples calço, no lugar certo resolveu de vez o assunto. Será que ninguém poderia ter pensado nisto antes? Uma solução tão óbvia.

Quando você pede para alguém pensar por você está transmitido poder a ele.

A maior parte das pessoas tem preguiça de pensar e delega esta tarefa para outros porque pensar exige concentração, disposição para a criatividade, dá trabalho e cansa. Então se voltam para a ação e não para a atividade do pensar. Pular de uma atividade que exige ação para a atividade do pensar é como pular de uma esteira rolante para o chão fixo. Você cai.

Um dos limitantes nas atividades do pensamento no ambiente empresarial é a interrupção contínua do trabalho que está sendo realizado. Sempre há alguém ou algum assunto para nos tirar da linha do pensamento. São os telefones, os visitantes, as reuniões e as redes sociais. Ora, nosso cérebro funciona como um circuito elétrico e cada vez que você corta o fluxo ele tem que voltar e fazer tudo de novo, ligar as sinapses na ordem do raciocínio interrompido e recomeçar a trilha. Por isso, se você quer ser um pensador, procure isolamento, aprenda a arte da concentração e peça para não te interromperem. Quando for trabalhar numa estratégia, seja ela de vendas, de marketing ou de produtos procure o delírio, isto é, pense sobre tudo o que for possível e impossível. É na quantidade que você vai chegar à qualidade. Thomas Edison, um grande pensador, dizia: para se ter uma boa ideia tenha muitas.

Gerentes e pequenos empresários mais focados na ação do que na estratégia do negócio.

Tenho observado que gerentes, pequenos e médios empresários ficam mais focados nas atividades que exigem ação e acabam por não ter tempo nem energia para pensar nas estratégias de vendas e de negócios. É justamente no trabalho da estratégia que serão julgados.

Os temas inovação e criatividade estão com toda força no ambiente empresarial. E só se faz inovação em uma empresa se ela souber atrair bons pensadores e criativo. Se alguém gosta de pensar e propor soluções inovadoras onde trabalha e não tem o merecido apoio, com certeza irá sair da empresa e mudar e com certeza para a concorrência. E aí é que está o grande desafio – saber reter boas cabeças no seu time.

*Eloi Zanetti é consultor em marketing, comunicação corporativa, criatividade e vendas / eloizanetti@gmail.com

 


Versão para impressão


RODAPE