Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5011 | 18 de Fevereiro de 2021

GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA: Mais de 780 candidatos participaram do processo seletivo; resultado será divulgado nesta sexta-feira (19/02)

O processo seletivo do Curso de Graduação Tecnológica em Gestão de Cooperativas EAD, realizado virtualmente nos dias 7,10,11 e 14 de fevereiro, contou com a participação de 787 candidatos, de um total de 1.177 inscritos. Foram três horas de prova, composta de 40 questões objetivas de múltipla escolha e uma redação. Inicialmente seriam apenas dois dias de exames, mas foi necessário abrir mais dois dias para atender à grande demanda. A lista dos classificados será divulgada nesta sexta-feira (19/02) nos portais do Sistema Ocepar (www.paranacooperativo.coop.br) e Isae (www.isaebrasil.com.br). As aulas iniciam no dia 1º de março.

Grande procura - “O curso lançado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR), em parceria com o Isae, apresentou uma procura surpreendente. Consideramos um excelente resultado pois demonstra o interesse das pessoas em buscar melhor formação, além da confiança nos programas desenvolvidos pelo Sescoop/PR junto com os nossos parceiros, que são fonte de conhecimento”, afirma a gerente de Desenvolvimento Cooperativo do Sescoop/PR, Maria Emília Pereira.

Apoio - Ainda de acordo com ela, devido ao grande interesse do público, o Sescoop/PR vai apoiar os candidatos que obtiverem os melhores resultados e sejam funcionários contratados em cooperativas registradas ao Sistema Ocepar. Ao todo, serão 250 bolsas de estudos, com 65% de subsídio no valor da mensalidade. “A formação no ensino superior como educação fundamental, visando o crescimento profissional e pessoal, tem um importante significado para quem procura estar melhor colocado no mercado de trabalho. O Sescoop/PR vem buscando cumprir seu papel, promovendo a profissionalização das pessoas nas cooperativas, levando e elevando a educação e o conhecimento, contribuindo, dessa forma, para o desenvolvimento contínuo do cooperativismo”, destaca Maria Emília.

A distância - O Curso de Graduação Tecnológica em Gestão de Cooperativas terá encontros quinzenais ao vivo via internet e provas presenciais duas vezes por semestre nos polos regionais. O conteúdo foi desenvolvido pelo Isae e a formação tem duração de quatro semestres. Os professores possuem conhecimento de mercado sobre o cooperativismo e haverá tutoria técnica e acadêmica, com suporte e acompanhamento em tempo real do progresso dos alunos. 

 

formacao folder 18 02 2021

GETEC: Informe nº 7 apresenta expectativas de mercado sobre indicadores econômicos

getec destaque 18 02 2021A Gerência de Desenvolvimento Técnico da Ocepar (Getec) divulgou, nesta quarta-feira-feira (17/02), mais uma edição do Informe Expectativas de Mercado, com base nas informações do Boletim Focus, do Banco Central (BC), levantadas com instituições financeiras sobre as projeções relativas à economia nacional, contemplando o Produto Interno Bruto (PIB), IPCA (Índice de Preços ao Consumidor), taxa Selic e câmbio para 2021, 2022 e 2023.

Clique aqui para conferir o Informe Expectativas de Mercado Semanal

 

UNIPRIME: Cooperativa distribui R$ 52 milhões em sobras

uniprime 18 02 2021Com um resultado de R$ 52 milhões, mais de 26 mil cooperados da Uniprime receberam, no último dia 12, as sobras referentes ao exercício do ano de 2020, cujo valor foi dividido proporcionalmente à movimentação de cada um. “Analisando o cenário e a rentabilidade, podemos dizer com muito orgulho que o resultado foi excepcional”, comemora o presidente do Conselho de Administração, Alvaro Jabur. Mesmo em um ano atípico em razão da pandemia, a Uniprime ampliou sua carteira de produtos em 2020, tanto de captação quanto de empréstimos, além de ter reduzido taxas, isentado juros no cheque especial, entre outras medidas, sempre com o intuito de apoiar seus cooperados no enfrentamento da crise. “Para 2021, continuaremos firmes em nosso propósito de contribuir com a vida financeira das pessoas”, conclui o presidente do Conselho. (Imprensa Uniprime)

 

INTEGRADA: Agrotec 2021 contou com participantes do Brasil e exterior

integrada 18 02 2021A 4ª edição do Agrotec, evento técnico de maior expressão da Integrada, foi transmitida ao vivo num formato inovador, 100% digital. Os participantes tiveram a oportunidade de “caminhar” pela Unidade de Difusão Tecnológica, em um ambiente virtual 360°. O tour incluiu visitas em stands de 25 empresas parceiras, que também disponibilizaram conteúdo em vídeo e para impressão.

Equipe técnica - O evento contou com uma equipe técnica altamente qualificada para demonstrar o que há de mais atual em inovação no campo. Foram 8 estações divididas pelas áreas de cultivo experimental de soja da Unidade de Difusão Tecnológica, em Assaí (PR), demonstrando as cultivares de alta produtividade, as técnicas de manejo e agricultura de precisão.

Acessos - A plataforma teve milhares de acessos, com participantes de diversas regiões do Brasil e de outros países, como França, Estados Unidos, Paraguai, Colômbia, Itália, Holanda e Canadá. Todo o conteúdo de orientação técnica, a palestra do consultor Paulo Roberto Garollo, e os vídeos institucionais e materiais informativos das empresas parceiras estarão disponíveis para acesso por 30 dias, até 4 de março.

Acima das expectativas - Edson de Oliveira, superintendente de insumos e técnica, disse que o evento digital superou as expectativas, tanto dos cooperados como de fornecedores. “Recebemos mensagens de muitos parceiros avaliando o evento de forma positiva, principalmente pelo conteúdo disponibilizado pela nossa equipe técnica”, frisou.

Interatividade - O gerente técnico, Wellington Furlaneti aprovou a iniciativa de realizar um dia de campo de maneira inovadora. “Por ser o primeiro no modelo digital conseguimos atender a expectativa do público. Gostaram muito da possibilidade de interatividade e da qualidade técnica das apresentações”, avaliou.

Cooperados e produtores - Entre os cooperados e produtores rurais, o novo formato do Agrotec também atendeu as expectativas.

Participação remota - A engenheira agrônoma e produtora rural Paula Pinheiro Sanches de Almeida destacou a importância de colocar a tecnologia a serviço da produtividade e dos agricultores. "A nova geração de produtores rurais, na qual eu me incluo, valoriza muito eventos que possibilitam a participação de maneira remota, que viabilizam a vivência de campo mesmo através das telas”, comentou.

Conteúdo - A agrônoma também ressaltou o conteúdo do evento digital. “A qualidade e o nível dos palestrantes e das filmagens do evento foram excelentes e a interface do site ficou muito dinâmica e fácil de ser explorada. Foi como estar, de fato, em um dia de campo. Que a conectividade, enaltecida nesses tempos de COVID-19, venha pra ficar”, finalizou.

Satisfação - Mesmo com saudade de se reunir com outros produtores e caminhar pela lavoura experimental da UDT, como fez em outras edições do Agrotec, o cooperado Aldo Salvetti, da Regional Ubiratã, ficou satisfeito com o conteúdo abordado. “Foram excelentes módulos, desde uma rotação de culturas, nodulação da soja, herbicidas, fungicidas, cultivares de soja e outros. Achei importante, já nos preparando para a nova safra que é a do milho safrinha, a palestra sobre cigarrinha. Parabéns a todos os envolvidos”, avaliou.

Safra super - Romildo Birelo, gerente de sementes, apresentou a Safra Super, a semente especial da Integrada. Com índices de germinação acima de 90% e vigor de 80%, a Safra Super apresenta um desenvolvimento superior, com alto teor de nutrientes, por conta do processo de tratamento a campo, onde é feita a aplicação de fertilizantes para melhorar a fixação de nitrogênio, fundamental para a formação de proteínas.

Outra vantagem - Outra vantagem da Safra Super é que são comercializadas por número de sementes, em bags com 4 milhões ou sacas com 200 mil sementes, que otimizam os custos de produção, evitam sobras ou faltas, e trazem mais segurança ao produtor na hora de escolher os insumos que serão utilizados em sua área.

Boas práticas de solo - Em outra estação, o coordenador técnico Rodrigo Fragas falou sobre as boas práticas para a correção de solo, ressaltando a importância das técnicas para o sucesso da produção. O engenheiro agrônomo fez uma demonstração em uma área preparada para que o agricultor pudesse visualizar os níveis de solo e o sistema radicular das plantas.  

Duas práticas fundamentais - Fragas reforçou a necessidade de implantação de duas práticas fundamentais para a correção de solo: a calagem, que consiste na aplicação de calcário para elevar os níveis de cálcio e magnésio nos primeiros 20 cm do solo, equilibrando o PH, e a gessagem, que atua em camadas além dos 20 cm do solo, fornecendo cálcio e enxofre sem alteração no PH.

Melhoria - Essas práticas melhoram as condições para o desenvolvimento do sistema radicular das plantas e um maior aproveitamento dos fertilizantes que serão aplicados.

Rotação de cultura - A Rotação de Culturas também teve destaque durante o dia de campo digital da Integrada. O coordenador técnico Vanildo J.P. Pinto demonstrou duas parcelas de plantio de soja, uma onde foi realizada a rotação com milho, e outra onde não houve a rotação. A diferença no desenvolvimento da planta e na produtividade chega a 25% nas áreas onde foi realizado plantio do milho verão a cada três safras. A rotação de culturas contribui para maior fertilidade do solo, maior facilidade no controle das ervas daninhas, melhor controle de pragas e doenças na cultura subsequente.

Inoculante na cultura da soja - Durante o Agrotec 2021 foram mostrados os efeitos benéficos da interação planta e bactéria, relacionando com uma análise econômica do uso das diversas modalidades de inoculantes e coinoculantes.

Potencialização - Além de detalhar o processo de inoculação, o coordenar técnico Franciel Dierings também falou da potencialização da coinoculação, quando utilizada em conjunto Bradyrhizobium e Azospirillum, esta última gênero de bactéria promotora de crescimento.

Indispensável - A inoculação das sementes de soja é uma prática indispensável para o aumento da produtividade e da saúde da planta e do solo. A Integrada possui em seu portfólio, sementes de soja com inoculantes prontas para o plantio.

Plantas daninhas e controle de doenças O engenheiro agrônomo Rodrigo Ambrósio falou sobre o controle das plantas daninhas na soja, demonstrando na prática os resultados do controle químico utilizando diferentes tratamentos, como por exemplo a interação de herbicidas de diversos mecanismos de ação. As estratégias de controle de doenças da soja também foram destaque no Agrotec 2021. O engenheiro agrônomo Douglas da Silva explicou a importância de escolher o fungicida adequado de acordo com o alvo, com a cultivar e “time” de aplicação.

Portfólio de cultivares integrada - A grande novidade para a safra 2021/2022 foi a liberação, pela Comissão da União Europeia, do uso da tecnologia Intacta 2 Xtend, que apresenta resistência aos herbicidas glifosato e ao dicamba, além da resistência a mais duas espécies de lagartas: a Helicoverpa armigera e a Spodoptera eridania.

Apresentação - Durante o Agrotec 2021, o coordenador técnico Emerson Damico e o engenheiro agrônomo Jean Alvarez apresentaram 25 cultivares de soja produzidas pela Integrada, além de 3 lançamentos com a biotecnologia I2X – Intacta Xtend, cultivares que prometem um novo patamar de produtividade, e resistência ampla a lagartas que atingem a soja.

Unidades - A Cooperativa Integrada possui três unidades de beneficiamento de sementes localizadas em Londrina, Santa Cecília do Pavão e Mauá da Serra. Além da alta qualidade genética, a Integrada também oferece aos cooperados e produtores a tecnologia do tratamento industrial de sementes, que assegura uniformidade no tratamento da semente e mais segurança no manejo, com menos perigos de contaminação e menor risco de impacto ambiental.

Palestra técnica - cigarrinha do milho - O consultor e engenheiro agrônomo Paulo Roberto Garollo foi o convidado para a palestra técnica do Agrotec 2021, abordando os métodos de controle da cigarrinha o milho e a diminuição da ocorrência de enfezamentos. Garollo enfatizou a necessidade do manejo adequado, da aplicação de defensivos nos momentos corretos e seguindo a orientação do produto, além de escolher os híbridos com melhor tolerância a doença.

Futuro - É pensando no futuro, que o AgroTec 2021 - Agroexcelência apresentou essa nova experiência da inovação no campo. Para rever todo o conteúdo, acesse: www.agrotecintegrada.com.br. (Imprensa Integrada)

 

COAMO I: Lançada a Revistinha Coamo Kids

O cooperativismo é antes de tudo uma filosofia de vida e tem na participação das pessoas a sua essência para transformação de vidas e das próprias comunidades. Com o objetivo de preparar a Coamo para as próximas gerações e apresentar às crianças, filhos e netos de cooperados e colaboradores em toda sua área de ação, os ideais cooperativistas de uma forma lúdica, com linguagem específica e atrativa, a Coamo lançou dia 15 de fevereiro a primeira edição da revistinha Coamo Kids. O projeto faz parte das ações inseridas no plano de atividades da cooperativa por meio da Assessoria de Cooperativismo, como forma de propagação dos princípios deste importante movimento de desenvolvimento econômico-social, além de inserir seus participantes no universo da cooperação visando a preparação para o futuro.

Formato - A revistinha Kids que está sendo distribuída aos filhos de cooperados é uma forma divertida de interação com esse público, mostrando em histórias de quadrinhos criativas, o fascinante sistema cooperativista, pelo qual seus pais e familiares se desenvolvem nas atividades agrícola e pecuária.

Periodicidade - Com periodicidade trimestral, a revistinha Coamo Kids irá contar em cada edição como funciona uma cooperativa e como deve ser o ato de cooperar. Para isso são utilizados diálogos descontraídos e relatos de uma turminha muito especial, formada por seis personagens infantis, criados com base nas características de cooperados e funcionários, e no dia a dia da cooperativa. E em busca da realização de seus sonhos, eles se aventuram no mundo da filosofia cooperativista.

Linguagem acessível - Para o assessor de Cooperativismo da Coamo, engenheiro agrônomo José Ricardo Pedron Romani, a revistinha Coamo Kids será uma importante ferramenta de integração da garotada. “A revistinha vai trazer muita informação e nos ajudar a envolver este público infantil. As crianças gostaram muito, gerou bastante interesse e com certeza vai criar muita expectativa a cada edição”, diz.

Fortalecimento - O idealizador e presidente do Conselho de Administração da Coamo, engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini diz que a revistinha irá ajudar a fortalecer a filosofia cooperativista. “Foi uma iniciativa que está sendo bem aceita pelas crianças e cooperados, sendo uma maneira de contar um pouco sobre tudo o que fazemos na Coamo e o quanto é importante o cooperativismo. Por meio dessa da revistinha Coamo Kids vamos gerar mais curiosidade nas crianças sobre o trabalho que desenvolvemos”, observa Gallassini.

Ligação - Presente no lançamento da revistinha Coamo Kids em Campo Mourão, Dulce Santiago, esposa de cooperado, entende que a revistinha será um elo entre as crianças e a cooperativa. “A Coamo sempre nos surpreende, colocando a família em primeiro lugar. Essa revista será uma ligação importante entre a cooperativa e as crianças. Vai valorizar ainda mais essa convivência, é um projeto muito bacana que nos deixa emocionados porque traz não só o cooperado para a cooperativa, mas também a esposa e filhos.”

Turminha - A revistinha Coamo Kids conta com seis personagens infantis São eles: Lili é a líder da turminha, e a principal personagem. Mora no sítio, é estudiosa, gosta de ser a primeira da classe e têm objetivo de ser agrônoma e cooperada da Coamo como seus pais. Dinho é morador da cidade e sonha trabalhar na Coamo com o seu pai, que já é funcionário. Adora fazer cálculo e ficou com nota 10 em matemática em todos os bimestres do ano letivo anterior. Também morador na cidade, Gael quer ser jogador de futebol quando crescer. De personalidade cativante foi campeão de torcida na Copa Coamo em que seu pai foi goleador da competição. A youtuber da turma Lari é irmã do Gael. Ela quer ter muitos seguidores em seu canal, ama cantar e desenhar e assistir desenhos. Martin é outro que mora no campo e quer ser fazendeiro como os pais. Muito brincalhão, gosta de contar histórias, criar brincadeiras e pregar peça nos amigos. O cãozinho Pirata completa a trupe. É o companheiro inseparável de Martin e faz a alegria de toda a turminha. Mascote de estimação de todos, gosta de rastrear, farejar e correr com Martin. (Imprensa Coamo)

{vsig}2021/noticias/02/18/coamo/{/vsig}

COAMO II: Mensagem do presidente do Sistema Ocepar apresentada na AGO é divulgada para os cooperados

coamo II 18 02 2021A Coamo está divulgando o vídeo com a mensagem do presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, para a diretoria, cooperados e funcionários da Coamo, apresentada durante a Assembleia Geral Ordinária da cooperativa, realizada no último dia 12 de fevereiro. O material está sendo está reproduzido para os cooperados através das mídias sociais da cooperativa e o áudio será utilizado no Informativo Coamo, programa de rádio veiculado em 31 emissoras de rádio no PR, SC e MS.

Receitas - Em 2020, a Coamo registrou R$ 20,003 bilhões em receita global. O valor representa um crescimento de 43,2% em relação ao ano anterior. Esse foi o melhor resultado dos 50 anos da cooperativa, celebrado em novembro do ano passado. A sobra líquida atingiu o montante de R$ 1,109 bilhão, um crescimento de 40,0% em relação ao ano anterior. (Com informações da Coamo)

Clique aqui para conferir na íntegra o vídeo

 

 

UNIMED CURITIBA: Um ano de pandemia: como estão suas emoções?

Quase um ano após o início da pandemia, questões envolvendo a saúde física, emocional e mental das pessoas têm sido prioridade. Neste Tempo de Cuidar, a Unimed Curitiba promove mais uma edição do Diálogo Saudável para provocar uma reflexão sobre como as pessoas têm dado continuidade às suas rotinas em 2021, como se sentem quando ficam off-line ou desligam as telas, e como têm lidado com o cenário de inseguranças e mudanças decorrentes do enfrentamento da pandemia, como a vacina e as novas variantes do coronavírus.

Transmissão - Transmitido ao vivo pelo Facebook da Unimed Curitiba (www.facebook/UnimedCuritiba) nesta sexta-feira (19/02), a partir das 11h, o Diálogo Saudável, conduzido pela jornalista Mira Graçano, contará com a presença do médico cooperado da Unimed Curitiba especialista em psiquiatria Gustavo Sehnem e a psicóloga Jenima Prestes Vilches (colaboradora da Unimed Curitiba) para ensinar técnicas para diminuir o medo e a ansiedade, dar dicas para estimular hábitos mais saudáveis, orientar sobre a importância do autocuidado físico e mental para passar por esse momento de forma leve, buscando minimizar os efeitos da pandemia e encontrando formas de lidar com as pressões emocionais. Acompanhe! (Imprensa Unimed Curitiba)

unimed curitiba 18 02 2021

 

COMÉRCIO EXTERIOR: Balança comercial tem déficit de US$ 0,72 bilhão em fevereiro

comercio exterior 18 02 2021A balança comercial brasileira registra déficit de US$ 0,72 bilhão em fevereiro, até a segunda semana do mês, enquanto a corrente de comércio diminuiu 0,3%, pela média diária, alcançando US$ 15,98 bilhões. Comparado a fevereiro de 2020, as exportações caíram 11,9% e somaram US$ 7,63 bilhões. Já as importações cresceram 13,4% e totalizaram US$ 8,35 bilhões, segundo resultado parcial do mês divulgado nesta quarta-feira (17/02) pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia (Secex/ME).

Valor - Somente na segunda semana de fevereiro, a corrente de comércio foi de US$ 7,478 bilhões. As exportações no período alcançaram US$ 3,946 bilhões e as importações, US$ 3,532 bilhões, o que resultou em um superávit de US$ 0,414 bilhão.

No ano - No ano a corrente de comércio é de US$ 46,722 bilhões, com as exportações somando US$ 22,437 bilhões e as importações, US$ 24,285 bilhões. O saldo está negativo em US$ 1,848 bilhão.

Exportações - Nas exportações, comparada a média diária até a segunda semana de fevereiro de 2021 (US$ 762,91 milhões) com a de fevereiro de 2020 (US$ 865,69 milhões), houve queda de 11,9%, em razão da diminuição nas vendas em Agropecuária (-43,4%) e em produtos da Indústria de Transformação (-11,7%). Por outro lado, subiram as vendas na Indústria Extrativista (7,3%).  

Produtos - A diminuição das exportações na Agropecuária foi puxada, principalmente, pela queda nas vendas de Soja ( -79,2%); Frutas e nozes não oleaginosas, frescas ou secas (-12,6%); Animais vivos, não incluído pescados ou crustáceos ( -56,7%); Lã e pelos em bruto ( -51,9%) e Arroz com casca, paddy ou em bruto ( -99,8%).

Transformação - Já na Indústria de Transformação, as principais reduções ocorreram nas vendas de Óleos combustíveis de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos (-62,3%); Torneiras, válvulas e dispositivos semelhantes para canalizações, caldeiras, reservatórios, cubas e outros recipientes ( -74,9%); Carne bovina fresca, refrigerada ou congelada ( -24,7%); Obras de ferro ou aço e outros artigos de metais comuns ( -53,5%) e Carnes de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas ( -12,9%).

Importações - Nas importações, a média diária no acumulado de fevereiro de 2021 (US$ 835,16 milhões) ficou 13,4% acima da média de fevereiro do ano passado (US$ 736,52 milhões). Nesse comparativo, aumentaram as compras, principalmente, na Agropecuária (6,0%) e com produtos da Indústria de Transformação (+15,1%), enquanto houve redução na Indústria Extrativista (-12,8%).  

Aumento- O aumento das importações da Indústria de Transformação foi impulsionado pela entrada de Plataformas, embarcações e outras estruturas flutuantes (+ 39.950,5%); Adubos ou fertilizantes químicos, exceto fertilizantes brutos, (+ 67,8%); Medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários (+ 33,7%); Válvulas e tubos termiônicos, de cátodo frio ou fotocátodo, diodos, transistores (+ 29,5%) e Alumínio (+ 142,9%).

Maiores aumentos - Na Agropecuária, os maiores aumentos de compras do exterior foram de Milho não moído, exceto milho doce (+ 270,2%); Cacau em bruto ou torrado (+ 64,0%); Látex, borracha natural, balata, guta-percha, guaiúle, chicle e gomas naturais (+ 18,1%); Arroz com casca, paddy ou em bruto (+ 679,6%) e Tabaco em bruto (+139,4%). (Ministério da Economia)

Veja os principais resultados da balança comercial

FOTO: Pixabay

 

 

SOJA: Nota técnica do IDR-Paraná viabiliza que produtores acionem seguro

soja 18 02 2021Os produtores do Estado que estão tendo a produção comprometida em função do abortamento da vagem da soja podem acionar o seguro contratado para cobrir os prejuízos. O Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná) publicou nota técnica nesta terça-feira (16/02), que deve ser apresentada para solicitar a cobertura. Técnicos relatam que há casos de perda total da colheita.

Situação semelhante - Situação semelhante foi registrada na safra 2017/18. As condições que favorecem o abortamento de vagens estão previstas no Zoneamento Agrícola de Riscos Climáticos (Zarc) e, por isso, é possível acionar o seguro.

Causas - O abortamento de vagens está ligado a fatores técnicos relacionados à implantação e condução das lavouras — época de semeadura e condições gerais do solo, por exemplo —, com os eventos meteorológicos e, ainda, com a própria genética da planta. “É uma resposta fisiológica da planta frente a condições adversas de ambiente”, explicam os técnicos.

Condições climáticas - Sobre as condições climáticas, o comunicado lembra a “anomalia de precipitação” em janeiro, mês em que se observou um volume de chuvas bem acima da média histórica em diversas regiões do Estado.

Dias chuvosos - Além do volume, o comunicado assinala também a grande quantidade de dias chuvosos consecutivos, como aconteceu em Guarapuava, onde choveu em 24 dos 31 dias de janeiro. Segundo a nota, essa situação pode causar saturação dos solos, o que reduz a respiração das raízes e compromete a absorção de macro e micronutrientes.

Fotossíntese - O céu encoberto por muitos dias, e a consequente diminuição da radiação solar, interfere ainda na fotossíntese com reflexos negativos na formação e enchimento de grãos.

Assinaturas - Assinam a nota técnicas Edivan José Possamai e Ivan Bordin, coordenadores estaduais de grãos (extensão e pesquisa), juntamente com Pablo Ricardo Nitsche, coordenador da área de agrometeorologia do IDR-Paraná. (Agência de Notícias do Paraná)

Acesse a nota técnica.

 

PLANTIOS FLORESTAIS: Vídeo sobre manejo de formigas será lançado pela Embrapa Florestas e Epagri

plantios florestais 18 02 2021O vídeo sobre o manejo de formigas cortadeiras em plantios florestais de pínus e eucalipto, resultado da parceria das duas instituições públicas de pesquisa, será lançado, no dia 1º de março, às 14 horas, no canal da Embrapa no Youtube. Para o evento de lançamento, irão participar secretário da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural de Santa Catarina, Altair Silva, o chefe geral da Embrapa Florestas, Erich Schaitza, a presidente da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Edilene Steinwandter, e o pesquisador da Epagri-Embrapa Florestas Wilson Reis Filho. O vídeo que será lançado busca abordar os principais aspectos e formas de combate desta que é considerada a principal praga dos plantios florestais.

Prejuízos - Os prejuízos causados pelas formigas cortadeiras começam já na fase inicial dos plantios de pínus e eucalipto, e podem ser irreversíveis por causa da fragilidade das mudas. As plantas jovens e adultas também sofrem com as desfolhas intensas e constantes, que podem afetar significativamente o volume final de madeira. Para realizar o controle efetivo das formigas cortadeiras é fundamental conhecer as diferenças e características de cada gênero, assim como o momento e a forma correta de ação. Acompanhe o evento em www.youtube.com/Embrapa. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Florestas)

 

FOCUS: Mercado aumenta projeção para taxa básica de juros em 2021

focus 08 02 2021A expectativa do mercado financeiro é que a taxa básica de juros, a Selic, suba em 2021 e encerre o ano em 3,75%. Na semana passada, essa estimativa era de 3,50%, de acordo com o boletim Focus desta quarta-feira (17/02), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos.

Próximos anos - Para o fim de 2022, a estimativa é que a taxa básica fique em 5%. E para o fim de 2023 e 2024, a previsão é 6% ao ano. A Selic, estabelecida atualmente em 2% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom), é o principal instrumento utilizado pelo BC para alcançar a meta de inflação.

Aumento - Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Entretanto, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Redução - Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Inflação - A previsão das instituições financeiras para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA - a inflação oficial do país) variou de 3,60% para 3,62%. Para 2022, a estimativa de inflação é de 3,49%. Tanto para 2023 como para 2024 as projeções são de 3,25%.

Abaixo da meta - O cálculo para 2021 está abaixo da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior, 5,25%.

PIB e dólar - Já a estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia caiu de 3,47% para 3,43% em 2021. Para o próximo ano, a expectativa para Produto Interno Bruto (PIB) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - é de crescimento de 2,50%, a mesma previsão há 147 semanas consecutivas. Em 2023 e 2024, o mercado financeiro também continua projetando expansão do PIB em 2,50%.

Dólar - A expectativa para a cotação do dólar permanece em R$ 5,01, ao final deste ano. Para o fim de 2022, a previsão é que a moeda americana fique em R$ 5. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

CÂMBIO: Dólar ultrapassa R$ 5,40 em volta de feriado de carnaval

cambio 18 02 2021Na volta do feriado prolongado de carnaval, o dólar subiu e voltou a superar R$ 5,40. A bolsa de valores fechou acima de 120 mil pontos e atingiu o melhor nível em quase um mês, impulsionada por commodities (bens primários com cotação internacional).

Cotação - O dólar comercial encerrou a quarta-feira de cinzas (17/02) vendido a R$ 5,415, com alta de R$ 0,04 (+0,76%). A divisa operou em alta durante toda a sessão e fechou no maior valor desde 5 de fevereiro (R$ 5,449).

Ações - O mercado de ações teve um dia de ganhos. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 120.356 pontos, com alta de 0,78%. O indicador operou em baixa durante a manhã, mas reagiu a partir das 15h, até fechar no melhor nível desde 19 de janeiro. Ações de empresas ligadas à commodities puxaram a alta, num dia de poucos negócios.

Auxílio emergencial - No Brasil, o mercado continua atento às negociações para a recriação do auxílio emergencial. Na última sexta-feira (12/02), o ministro da Economia, Paulo Guedes, e os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, anunciaram avanços nas discussões. Em troca da extensão do benefício, seriam votadas duas propostas de emenda à Constituição que restituiriam a cláusula de calamidade pública e teriam medidas de cortes de gastos obrigatórios.

Inflação - A cotação do dólar foi influenciada ainda pela divulgação dos índices de inflação nos Estados Unidos e no Reino Unido, que vieram maiores que o esperado em janeiro. Inflação mais alta em países desenvolvidos aumenta a rentabilidade de títulos públicos de economias avançadas, o que provoca a fuga de recursos de mercados emergentes. Isso pressiona o câmbio em países como o Brasil. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

CENSO 2021: IBGE abre mais de 204 mil vagas temporárias para trabalhar na organização e coleta de dados

censo 2021 18 02 2021O IBGE publicou, nesta quinta-feira (18/02), dois editais para contratar temporariamente 204.307 pessoas para trabalhar na organização e na coleta do Censo Demográfico 2021. São oferecidas 181.898 vagas para recenseador, 16.959 para agente censitário supervisor (ACS) e 5.450 para agente censitário municipal (ACM) em 5.297 municípios do país. Os quadros de distribuição das vagas estão disponíveis para consulta no site do Cebraspe, empresa organizadora dos processos seletivos.

Inscrições - As inscrições para ACM e ACS começam nesta sexta-feira (19/02) e vão até 15 de março. Já para recenseador, as inscrições serão realizadas de 23 de fevereiro a 19 de março. Para concorrer à função de recenseador, o candidato deve ter nível fundamental completo, e para ACM e ACS, ensino médio concluído. No ato da inscrição, o candidato poderá escolher a área de trabalho e em qual cidade realizará a prova. A taxa de inscrição (R$ 39,49 para ACM e ACS, e R$ 25,77 para recenseador) poderá ser paga pela internet ou fisicamente em qualquer banco ou casa lotérica.

Vagas temporárias - As vagas são temporárias e os contratos terão duração prevista de três meses para a função de recenseador e de cinco meses para ACM e ACS, podendo ser renovados de acordo com as necessidades do IBGE e a disponibilidade orçamentária. A contratação temporária é regida pela Lei nº 8.745/1993.

Recenseador terá simulador para estimar remuneração - Os recenseadores são os profissionais que visitarão todos os domicílios do país, entrevistando seus moradores. Eles serão remunerados por produtividade, de acordo com a quantidade de residências visitadas e pessoas recenseadas, considerando ainda a taxa de remuneração de cada setor censitário, o tipo de questionário preenchido (básico ou amostra) e o registro no controle da coleta de dados.

Simulador - No hotsite do Censo 2021 haverá um simulador em que os candidatos poderão estimar a remuneração a ser obtida, com base nos valores pagos por setor censitário nas diferentes localidades do país. A jornada de trabalho recomendável para os recenseadores é de, no mínimo, 25 horas semanais.

Salário para agente censitário varia de R$ 1.700 a R$ 2.100 - São oferecidas 5.450 vagas para agente censitário municipal (ACM) e 16.959 vagas para agente censitário supervisor (ACS). Essas duas funções estão no mesmo processo seletivo e exigem escolaridade de nível médio completo.

Nível médio - Para as vagas de nível médio, os mais bem colocados em cada município ocuparão a vaga de ACM, que será o responsável pela coordenação da coleta do Censo 2021 naquela cidade. Já o ACS supervisiona as equipes de recenseadores. As remunerações dessas duas funções são de R$ 2.100 para ACM e R$ 1.700 para ACS, com jornada de 40 horas semanais, sendo oito horas diárias.

Benefícios - Além do salário, ACM e ACS terão direito a auxílio-alimentação, auxílio-transporte, auxílio pré-escola, férias e 13º salário proporcionais, de acordo com a legislação em vigor e conforme o estabelecido no edital.

Ideal é que recenseador more próximo de onde vai trabalhar - As vagas dos dois processos seletivos estão distribuídas entre 5.297 municípios de todos os estados do país. Nos municípios maiores e em áreas remotas, as vagas são oferecidas por áreas de trabalho específicas. Essas áreas podem abranger bairros, favelas, localidades de difícil acesso, aldeias indígenas ou comunidades quilombolas, por exemplo. Por isso, o ideal é que os recenseadores aprovados no processo seletivo sejam moradores das próprias localidades onde vão trabalhar, para economia de custos com deslocamentos e maior produtividade nas visitas domiciliares.

Com datas diferentes, candidatos podem participar dos dois processos seletivos As provas serão realizadas em todos os municípios onde houver vagas. Elas serão aplicadas no dia 18 de abril para ACM e ACS, e no dia 25 de abril para recenseadores. Essa diferença de datas permite ao candidato participar dos dois processos seletivos. O cronograma detalhado de ambos os processos seletivos está disponível nos editais.

ACM de ACS - Os candidatos a ACM e ACS farão prova objetiva de caráter eliminatório e classificatório, com 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Raciocínio Lógico Quantitativo, 5 questões de Ética no Serviço Público, 15 questões de Noções de Administração / Situações Gerenciais e 20 questões de Conhecimentos Técnicos. O conteúdo programático está disponível no edital.

Recenseador - Já os candidatos a recenseador farão prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, com 10 questões de Língua Portuguesa, 10 questões de Matemática, 5 questões sobre Ética no Serviço Público e 25 questões de Conhecimentos Técnicos. O conteúdo também está no edital.

Tempo - As provas para ACM, ACS e recenseador terão duração de quatro horas e serão aplicadas no turno da tarde. Os gabaritos preliminares serão divulgados no dia seguinte a aplicação das provas, a partir das 19 horas, no site do Cebraspe. O resultado final está previsto para 27 de maio.

Protocolos sanitários contra a Covid-19 no dia da prova - No dia da prova, os candidatos deverão estar munidos de caneta esferográfica cor preta de material transparente, comprovante de inscrição e documento original com foto. Protocolos sanitários de prevenção da Covid-19 serão divulgados detalhadamente em edital específico sobre os locais de prova, exigindo o uso obrigatório de máscaras, o distanciamento seguro entre candidatos e aplicadores de prova, disponibilização de álcool em gel em todos os locais de prova, medidas para evitar aglomerações e respeito às legislações locais. O candidato que descumprir as medidas de proteção será eliminado do processo seletivo e terá sua prova anulada.

Treinamento para recenseador é eliminatório - Além da prova, os recenseadores receberão treinamento presencial e à distância, de caráter eliminatório e classificatório, com duração de cinco dias e carga horária de oito horas diárias. Para a parte presencial, também serão adotados protocolos sanitários contra a Covid-19.

Frequência - Os candidatos que tiverem no mínimo 80% de frequência no treinamento farão jus a uma ajuda de custo. As contratações ocorrem logo em seguida. O trabalho de campo do Censo 2021 começa em agosto.

Adiamento do Censo em 2020 e cancelamento da seleção - Com o adiamento do Censo para 2021 devido à pandemia de Covid-19, os processos seletivos para ACM, ACS e recenseadores abertos em 2020 foram cancelados. Quem se inscreveu na seleção do ano passado não está com a inscrição garantida para os processos seletivos deste ano. É preciso fazer nova inscrição e pagar a taxa para garantir a participação na nova seleção.

Reembolso - Desde maio do ano passado, os inscritos na seleção cancelada podem solicitar o reembolso da taxa de inscrição através da Central de Atendimento do IBGE, pelo telefone 0800 721 8181. A ligação é gratuita. Basta informar nome e CPF para confirmação do cadastro e dados bancários (banco, nº da agência e conta bancária), em que seja o titular, para o recebimento do valor. Em janeiro, o IBGE iniciou a terceira fase de restituição da taxa de inscrição.

Censo 2021 vai visitar todos os municípios brasileiros - A partir de agosto até outubro deste ano, cerca de 213 milhões de habitantes, em aproximadamente 71 milhões de endereços, serão visitados pelos recenseadores nos 5.570 municípios do país. A pesquisa revelará entre outras informações, as características dos domicílios, identificação étnico-racial, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, deficiência, migração interna ou internacional, educação, deslocamento para estudo, trabalho e rendimento, deslocamento para trabalho, mortalidade e autismo. Realizado a cada dez anos, o Censo Demográfico é a principal fonte de referência para o conhecimento das condições de vida da população em todos os municípios do país. (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Simone Mello / Agência IBGE Notícias

 

LEGISLATIVO I: Conta de energia pode ficar mais barata com novo marco regulatório do setor

legislativo I 18 02 2021Encaminhado para a Câmara na quarta-feira (10/02), o projeto do novo marco do setor elétrico (PLS 232/2016) tramitou por quase cinco anos no Senado. Uma das 35 prioridades do governo para este ano, a proposta abre caminho para a expansão do mercado livre de energia. Além disso, permite a portabilidade da conta de luz entre as distribuidoras, o que, segundo senadores e especialistas do setor, pode trazer vantagens para o consumidor como a redução na tarifa

Migração - Atualmente, somente grandes consumidores  ou consumidores especiais — com carga igual ou superior a 500 quilowatts (kW) — podem migrar do chamado “mercado cativo” para o mercado livre e escolher de qual gerador contratarão a energia elétrica que consomem. Segundo a Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel), o mercado responde por 30% da energia consumida no país. O projeto permite que em um prazo de 42 meses após a sanção da lei todos os consumidores, independentemente do porte, tenham esse direito. 

Portabilidade - Uma palavra que começou a ficar conhecida no Brasil com a abertura do mercado de telefonia e já é uma realidade em outras áreas como no sistema bancário, a chamada portabilidade também passará a ser aplicada ao setor elétrico. Mas as características são distintas conforme destaca o consultor legislativo do Senado Rutelly Marques da Silva. 

Concorrência - “Não haverá concorrência entre empresas de distribuição para transportar a energia elétrica até a casa do consumidor, porque o setor de distribuição é um monopólio natural. Mas haverá concorrência entre geradores e comercializadores para vender a energia elétrica que a distribuidora monopolista entregará na casa do consumidor. Portanto, o mercado será livre, em termos negociais, na comercialização de energia elétrica e permanecerá sendo regulado no segmento de transporte”, disse o consultor à Agência Senado. 

Tendência - Segundo  ele, a tendência é que a energia fique mais barata para o consumidor. “O fato de o consumidor poder escolher o gerador ou comercializador junto ao qual comprará a sua energia elétrica tende a reduzir o preço da energia elétrica; não deve reduzir o preço do transporte. Ao final, o custo final (energia + transporte) tende a ser menor. Mas, é muito difícil estimar um valor porque hoje a energia elétrica no mercado livre é mais barata do que no mercado regulado em virtude de várias distorções, como a presença de subsídios”, avaliou.

Opinião compartilhada - A opinião é compartilhada pelo relator do projeto, senador Marcos Rogério (DEM-RO), autor do substitutivo aprovado. “Os consumidores vão decidir se privilegiam uma fonte de energia ou se privilegiam o preço. Poderão moldar o contrato e o perfil de consumo a suas necessidades. A concorrência entre os que vendem energia deve reduzir o preço para o consumidor, tornar o fornecimento mais eficiente e elevar a produtividade das empresas”, afirmou Marcos Rogério durante a votação da proposta na Comissão de Infraestrutura. 

Transparência - Para evitar que o consumidor seja enganado em relação aos preços, o projeto  prevê que na fatura das distribuidoras seja informado, de forma separada, sobre o valor da energia elétrica fornecida e do valor do transporte de forma a garantir transparência. É como se o consumidor passasse a ter duas faturas: uma relacionada à energia elétrica gerada para atendê-lo, paga ao gerador, e outra referente ao serviço de transporte, paga à distribuidora. Hoje, na prática, o consumidor já paga essas duas faturas para a distribuidora. 

Proteção - “Essa é uma proteção ao consumidor. Se for mais barato, ele migra para o mercado livre; se o preço for maior, ele continua comprando a energia elétrica da distribuidora. Ademais, consumidores poderão contratar energia elétrica segundo as suas necessidades. Por exemplo, um consumidor pode aceitar pagar mais caro pela energia durante a noite se o gerador o comercializador aceitar um preço menor durante o dia, de forma que o seu gasto total seja reduzido. Então, o consumidor terá ciência se o preço que um gerador ou comercializador está lhe oferecendo é maior ou menor do que o preço da energia elétrica vendida pela distribuidora”, apontou o consultor.

Atendimento - Mesmo nesse caso, o consumidor ainda será atendido pela distribuidora de energia elétrica que hoje fornece a energia elétrica por ele consumida. Isso porque a distribuidora é quem continuará entregando a energia elétrica. E Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) seguirá responsável por fixar o custo do transporte.

Empoderamento - Além do preço, Rutelly Marques considera que o direito de escolher a origem da energia é outro fator de “empoderamento” do consumidor, que poderá decidir continuar a comprar energia elétrica da distribuidora (mercado regulado) ou se, por exemplo, passa a comprar energia elétrica de usina de fonte alternativa (solar, eólica, biomassa ou pequenas centrais hidrelétricas).

Escolha - “Considerar apenas o efeito no preço, embora seja algo essencial, não permite enxergar a extensão do PLS. A liberdade conferida aos consumidores permitirá que eles escolham a fonte de geração que desejam valorizar. Assim, consumidores que querem valorizar uma determinada fonte poderão escolhê-la ainda que pagando um preço maior; consumidores que desejam valorizar empresas que, por exemplo, tenham políticas sociais inclusivas, poderão fazê-lo. Ou seja, as empresas que desejam vender energia elétrica serão estimuladas a entenderem as necessidades e preferências dos consumidores e fornecer soluções alinhadas a tais necessidades e preferências. O consumidor passará a ter um papel muito mais importante do que tem hoje. Ele será, usando um termo da moda, ‘empoderado’”, avaliou. 

Subsídios - O novo marco regulatório do setor elétrico também prevê a redução de subsídios, estimados em R$ 22 bilhões em 2020. Apenas os descontos com as tarifas de uso dos sistemas elétricos de transmissão (Tust) e de distribuição (Tusd) concedidos a fontes incentivadas (como solar, eólica, termelétricas a biomassa e pequenas centrais hidrelétricas) somam R$ 3,6 bilhões. Para o consultor legislativo, ao reduzir distorções, o projeto protege a população de menor poder aquisitivo. 

Distorções - “O setor elétrico tem várias distorções que prejudicam o seu funcionamento eficiente e que transferem renda de pessoas de menor poder aquisitivo para aquelas de maior poder aquisitivo. Essas distorções estão em vários subsídios, em vários arranjos que alocam em alguns a conta de custos que deveriam ser assumidos por todos. O PLS busca reduzir tais distorções, alocando custos e riscos de forma mais isonômica”, argumentou. 

Migração - Para evitar novas distorções, o projeto prevê o compartilhamento, entre distribuidoras, dos custos com a migração de consumidores para o mercado livre. Pelo modelo atual, as companhias são obrigadas a contratar toda a carga de energia elétrica para atender seus consumidores. Segundo Marcos Rogério, a migração em larga escala para o mercado livre pode fazer com que as distribuidoras tenham excesso de energia elétrica contratada ou fiquem com uma carteira de contratos mais caros. Ele sugere a criação de um tributo pago por todos os consumidores para “repartir de forma isonômica” os eventuais custos das distribuidoras com a migração

Repartição - Marcos Rogério propõe ainda uma alteração na regra para a repartição da renda hidráulica, valor devolvido pelas hidrelétricas aos consumidores do mercado regulado. Ele adverte que, em algumas situações, os usuários não chegam a receber a diferença entre o preço de venda da energia elétrica e o custo amortizado das usinas. É o que ocorre, por exemplo, nas licitações.

Comparação - “No caso de licitação de usina, 70% da energia elétrica é destinada ao mercado regulado, a uma tarifa previamente definida. Mas a renda hidráulica nesse caso é destinada aos cofres da União, na forma de bonificação de outorga, e o consumidor de energia elétrica acaba pagando por essa bonificação. É como se o vencedor da licitação tomasse empréstimo em um banco para pagar a outorga e a prestação fosse paga pelos consumidores”, comparou o senador durante a votação da proposta na CI.

Prorrogação de contratos - O projeto estabelece ainda que, na prorrogação de contratos das usinas, dois terços da renda hidráulica sejam destinados à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) para redução da conta de luz para o consumidor. Apenas um terço iria para o Tesouro Nacional.

Tramitação - Apresentado em 2016 pelo então senador Cassio Cunha Lima, o projeto passou por aprimoramentos na Casa. O texto final é resultado de discussões e consultas públicas que o Ministério de Minas e Energia realizou entre 2016 e 2017 e de audiências públicas que a Comissão de Serviços de Infraestrutura promoveu durante o ano de 2019. O substitutivo do senador Marcos Rogério (DEM-RO) foi aprovado em março de 2020 pela CI e seguiria imediatamente para a Câmara dos Deputados. No entanto, o senador Jean Paul Prates (PT-RN) apresentou recurso para discutir presencialmente, em Plenário, algumas alterações para aperfeiçoar a proposta antes do encaminhamento à Câmara dos Deputados.

Aceleração - No início deste ano, Jean Paul Prates apresentou requerimento para acelerar a tramitação do projeto em razão da continuidade da pandemia e da falta de previsão para o retorno dos trabalhos presenciais. Assim, a tramitação no Senado chegou ao fim no dia 10 e a proposta avançou para a análise dos deputados. Para Jean Paul, será possível aperfeiçoar o texto na Câmara.

Mais importante - “Chegamos a um ponto em que seguir com a tramitação tornou-se mais importante do que realizar melhorias no texto. Agora caberá a Câmara dos Deputados realizar os aprimoramentos no texto, dando continuidade ao processo legislativo”, apontou o senador. (Agência Senado)

FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom / ABr

 

LEGISLATIVO II: Proposta amplia condições de pagamento de empréstimos do Pronampe

legislativo 18 02 2021O Projeto de Lei 125/21 amplia o prazo de pagamento (de 36 para 60 meses) e o de carência (de 8 para 12 meses) dos empréstimos do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). O texto tramita na Câmara dos Deputados.

Alteração - A proposta altera a Lei 13.999/20, que criou o programa. O Pronampe foi uma iniciativa do Congresso Nacional que possibilitou acesso ao crédito em condições especiais a microempresas e empresas de pequeno porte do País.

Efeitos da pandemia - Autor do projeto, o deputado Vicentinho Júnior (PL-TO) afirma que os efeitos da pandemia ainda estão presentes no mercado, com possibilidade de novos choques sobre o setor privado, o que justifica as mudanças no programa.

Dificuldade - “Entendemos que o setor econômico ainda enfrentará muita dificuldade para sua retomada de estabilização e crescimento. O projeto de lei será mais uma medida para auxiliar as empresas diante de tão grave crise financeira”, disse. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Najara Araújo / Câmara dos Deputados

 

SAÚDE I: Mortes passam de 242 mil e casos somam quase 10 milhões

O número de pessoas que não resistiram à covid-19 no Brasil subiu para 242.090. Em 24 horas, foram registradas 1.150 mortes. Há ainda 2.776 óbitos em investigação no país.

Pessoas infectadas - Já o total de pessoas infectadas pelo coronavírus desde o início da pandemia chegou a 9.978.747. Em 24 horas, foram confirmados pelas autoridades sanitárias 56.766 novos casos.

Atualização - Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta quarta-feira (17/02). O balanço é produzido a partir de informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Acompanhamento - Há, ao todo, 786.207 pessoas com casos ativos da doença em acompanhamento por profissionais de saúde e 8.950.450 pacientes já se recuperaram.

Estados - Na lista de estados com mais mortes estão São Paulo (56.960), Rio de Janeiro (31.701), Minas Gerais (17.109) e Rio Grande do Sul (11.479). As unidades da Federação com menos óbitos são Acre (940), Roraima (995), Amapá (1.116), Tocantins (1.461) e Rondônia (2.586).

Casos - Em número de casos, São Paulo também lidera (1.938.712), seguido por Minas Gerais (816.901), Bahia (639.227), Santa Catarina (622.727) e Paraná (601.554). (Agência Brasil)

 

whatsapp image 2021-02-17 at 20.04.07

SAÚDE II: Mais de 597 mil paranaenses já foram infectados pela Covid-19

saude II 18 02 2021Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19, feito pela Secretaria Estadual da Saúde, mostram que o Paraná soma 597.164 casos confirmados e 10.817 mortos em decorrência da doença, desde o início da pandemia. O informe desta quarta-feira (17/02) divulga mais 4.077 infecções e 59 óbitos. Há ajustes ao final do texto.

Retroativos - Dos casos confirmados e divulgados neste boletim, 1.655 são retroativos, exclusivamente de Curitiba. Este total é resultante do alinhamento de informações entre a Secretaria Estadual da Saúde, a Secretaria da Saúde de Curitiba e o Ministério Público do Paraná.

Sistema - O MP solicitou ao município que passe a utilizar o sistema Notifica Covid-19, desenvolvido pelo Estado, para informar os dados, assim como os 398 municípios paranaenses estão fazendo desde o início da pandemia. Esse processo continuará sendo realizado até eliminar a discrepância do número de casos e óbitos nos informes de Curitiba e do Paraná. A Secretaria da Saúde também vai editar uma Resolução formalizando a previsão de notificação oficial ao sistema estadual.

Meses - Os casos divulgados nesta quarta-feira são de fevereiro (2.325) e janeiro (395) de 2021 e dos seguintes meses de 2020: maio (1), junho (2), agosto (4), setembro (3), outubro (5), novembro (23) e dezembro (1.319).

Vacina - O Paraná já aplicou 293.283 doses de vacina contra a Covid-19. São 267.652 da primeira dose e 25.631 da segunda dose, até o final da manhã desta quarta-feira. Ao todo, o Estado recebeu 538.900 doses do Governo Federal até o momento.

Clique AQUI

Internados - O boletim relata que há 1.514 pacientes com diagnóstico confirmado internados. São 1.268 pacientes em leitos SUS (659 em UTI e 609 em enfermaria) e 246 em leitos da rede particular (109 em UTI e 137 em enfermaria).

Exames - Há outros 1.407 pacientes internados, 465 em leitos UTI e 942 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 59 pacientes. São 22 mulheres e 37 homens, com idades que variam de 37 a 94 anos. Os óbitos ocorreram entre 6 de abril de 2020 a 17 de fevereiro de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (19), Ponta Grossa (5), Londrina (4), Paranaguá (2), Pato Branco (2) e Piraí do Sul (2). A Secretaria registra, ainda, a morte de uma pessoa em cada um dos municípios de Almirante Tamandaré, Arapoti, Araucária, Assis Chateaubriand, Cambará, Campo Magro, Campo Mourão, Carambeí, Cerro Azul, Cianorte, Cornélio Procópio, Coronel Vivida, Formosa do Oeste, Francisco Beltrão, Guarapuava, Jaguariaíva, Matinhos, Palmeira, Palotina, Pitanga, Santa Terezinha de Itaipu, São José dos Pinhais, Tapejara, Telêmaco Borba e Xambrê.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 4.390 casos de residentes de fora, sendo 85 pessoas foram a óbito.

Ajustes - Exclusões – Total de exclusões: 28 casos residente no Paraná.

Um caso confirmado (M,26) no dia 14/08/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,27) no dia 20/08/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,41) no dia 27/08/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,51) no dia 27/08/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,81) no dia 27/08/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,39) no dia 29/08/2020 em Saudade do Iguaçu foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,54) no dia 12/09/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,57) no dia 17/09/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,27) no dia 19/09/2020 em Saudade do Iguaçu foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,38) no dia 22/09/2020 em Vitorino foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,40) no dia 25/09/2020 em Chopinzinho foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,37) no dia 02/10/2020 em Saudade do Iguaçu foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,37) no dia 03/09/2020 em Rio Bonito do Iguaçu foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,29) no dia 04/09/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,26) no dia 05/10/2020 em Cascavel foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,29) no dia 05/11/2020 em Saudade do Iguaçu foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,55) no dia 06/11/2020 em CHOPINZINHO foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,35) no dia 23/11/2020 em Chopinzinho foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,23) no dia 24/11/2020 em Chopinzinho foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,29) no dia 27/11/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,17) no dia 01/12/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,33) no dia 02/12/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,27) no dia 04/12/2020 em Chopinzinho foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,36) no dia 10/12/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,14) no dia 14/12/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,40) no dia 17/12/2020 em Coronel Vivida foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (M,23) no dia 21/12/2020 em Chopinzinho foi excluído por erro de notificação;

Um caso confirmado (F,56) no dia 26/12/2020 em Chopinzinho foi excluído por erro de notificação.

(Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando AQUI

 

SAÚDE III: Sesa confirma cinco casos de infectados com a variante brasileira da Covid-19

saude III 18 02 2021A Secretaria de Estado da Saúde foi comunicada pela Fiocruz do Rio de Janeiro, no final da tarde de terça-feira (16/02), da confirmação de cinco pessoas contaminadas com a variante brasileira do coronavírus (P1). Os casos são importados de Manaus, sendo que quatro pessoas passaram por atendimento em Curitiba e uma em Campo Largo.

Repasse - Assim que a Secretaria da Saúde recebeu a comunicação, via Laboratório Central do Estado (Lacen), a informação foi imediatamente repassada para as secretarias municipais de saúde e instituições de saúde que participaram do atendimento para o desencadeamento de medidas preventivas, como rastreamento de possíveis novos infectados e acompanhamento da situação. Ainda na noite de terça-feira, o histórico dos casos foi apurado em conjunto pela Secretaria da Saúde, Lacen e secretarias municipais.

Transmissão local - A Secretaria Estadual da Saúde informa que não há transmissão local. Até o momento, o Lacen já enviou 28 amostras positivas para a Covid-19 à Fiocruz, que é o laboratório nacional responsável pelos exames de sequenciamento genético das amostras de possíveis casos de contaminação pela variante. Das 28 amostras encaminhadas positivas, 5 foram confirmadas com a nova cepa. Cerca de 70 estão em análise.

Casos - As pessoas com casos confirmados da variante brasileira foram atendidas, já passaram pelo período de isolamento e passam bem.

Os casos são:

- Homem, 47 anos, vindo de Manaus, voo comercial no dia 17 de janeiro, atendido inicialmente na UPA Campo Comprido, foi internado em 18 de janeiro, no IMCP, e alta no dia 23. Já retornou para Manaus.

- Mulher, 73 anos, vinda de Manaus, voo comercial no dia 17de janeiro, atendida no INC, foi internada em 17 de janeiro, com alta no dia 28. Paciente segue em Curitiba para investigação de outros problemas de saúde;

- Homem, 68 anos, vindo de Manaus, voo comercial, no dia 17 de janeiro, atendido no mesmo dia 17 na UPA do Campo Comprido; segue sendo acompanhado por infectologista rede privada em teleconsulta;

- Mulher, 56 anos, vinda de Manaus, voo comercial no dia 15 de janeiro, atendida no dia 17 de janeiro, na UPA Campo Comprido, segue acompanhada por infectologista rede privada em teleconsulta.

- Homem, 22 anos, vindo de Manaus, no dia 18 de janeiro, foi atendido no Hospital do Rocio, em Campo Largo e teve alta no dia 25.

Ações - O Paraná é o 13º estado a apresentar casos confirmados de infecção pela variante brasileira P1. “O Estado está atento a esta investigação”, diz o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. “O Lacen e a Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde vêm fazendo um trabalho grandioso, seguindo os padrões implantados pelo Ministério da Saúde e pelo COE Paraná, e já estabelecidos em notas técnicas”, afirma. As Notas Técnicas são a MS nº 59/2021 e Nota Orientativa do COE 01/2021).

Medidas de cuidados - “Reafirmo, com a chegada da variante ao Paraná, é fundamental que as pessoas continuem com as medidas de cuidado, etiqueta respiratória, higienização das mãos. Mas principalmente, evitem aglomerações, pois esta nova cepa se mostrou ainda mais transmissível”, enfatiza o secretário.

Reunião - Ainda pela manhã desta quarta-feira (17/02), a Secretaria Estadual da Saúde, com sua equipe técnica, realizou uma reunião com o Ministério da Saúde, representantes da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Curitiba e direção do Laboratório Central do Estado para discussão dos casos confirmados e implantação de medidas preventivas de investigação. (Agência de Notícias do Paraná)

 

SAÚDE IV: Mais 230,7 milhões de doses de vacina serão entregues até julho

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentou nesta quarta-feira (17/02) um cronograma em que prevê a distribuição de cerca de 230,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 até julho. O anúncio foi feito durante reunião virtual com governadores, informou a pasta.

Negociações - Na programação apresentada, o ministro incluiu as negociações com os laboratórios União Química/Gamaleya e Precisa/Bharat Biotech, que podem garantir ao Brasil a chegada da vacina russa Sputnik V e da indiana Covaxin, respectivamente. A previsão, de acordo com a pasta, é que o contrato com os dois laboratórios seja assinado ainda nesta semana. Os dois imunizantes ainda não possuem pedido de uso emergencial aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Lista - “[No cronograma] listamos todos os laboratórios com os quais o ministério vem trabalhando, com instituições como o Butantan e a Fiocruz já com compras e contratos executados, com previsões de entrega perto de 300 milhões de doses. Com os demais laboratórios contratados, chegamos a 450 milhões de doses [de vacinas] no total", afirmou o ministro Pazuello.

Próximas entregas - As próximas entregas aos estados acontecem ainda em fevereiro: serão 2 milhões de doses da AstraZeneca/Fiocruz, importadas da Índia, e 9,3 milhões da Sinovac/Butantan, produzidas no Brasil. Em março, a pasta também aguarda a chegada de 18 milhões de doses da vacina do Butantan e mais 16,9 milhões da vacina da AstraZeneca.

Cronograma - A assessoria do Ministério da Saúde informou o seguinte cronograma sobre a entrega das vacinas no país:

saude IV tabela I 18 02 2021

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

saude IV tabela II 18 02 2021

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

saude IV tabela III 18 02 2021

  

saude IV tabela IV 18 02 2021

 

 

 

 

 

 

  

saude IV tabela V 18 02 2021

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

FOTO: Tomaz Silva / Agência Brasil

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Versão para impressão


RODAPE