Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5019 | 02 de Março de 2021

PRC200: Novo planejamento estratégico do cooperativismo paranaense será apresentado nas pré-assembleias

Com a meta financeira de R$ 100 bilhões alcançada no ano passado, o cooperativismo paranaense concluiu o Plano Paraná Cooperativo 100 (PRC100), o planejamento estratégico do setor, e agora parte para outro desafio, o PRC200, cujo objetivo é preparar o caminho para que as cooperativas do Paraná alcancem R$ 200 bilhões de faturamento nos próximos anos. O novo plano será apresentado pelo Sistema Ocepar às lideranças cooperativistas nas pré-assembleias, que serão realizadas virtualmente na semana que vem.

Prestação de contas - Os eventos são destinados a fazer a prestação de contas de 2020 da entidade e discutir o plano de trabalho para 2021. As pré-assembleias devem contar com a participação de conselheiros de administração e fiscal, gestores, representantes dos comitês educativos, de mulheres e jovens, entre outros.

Datas - Os encontros começam no dia 8 de março, no Núcleo Centro-Sul, tendo como anfitriãs as cooperativas Bom Jesus e Sicredi Integração; dia 9, no Núcleo Oeste, a C.Vale será a anfitriã; dia 10, com os Núcleos Norte e Noroeste, e a Unimed Londrina como anfitriã, e dia 11, no Núcleo Sudoeste, com seis cooperativas sediadas em Pato Branco como anfitriãs. As reuniões ocorrerão das 13h30 às 16h30, com os Núcleos Centro-Sul, Oeste e Norte e Noroeste. Com o Núcleo Sudoeste, será das 8h30 às 11h30. No dia 5 de abril, o Sistema Ocepar promove a sua Assembleia Geral Ordinária. 

Informações - Mais informações com Neuza Oliveira ou Daniele Luana (secretaria@sistemaocepar.coop.br / 41 - 99278 0739 ou 99151 2148).

Clique aqui para se inscrever

 pre assembleia folder alterado 02 03 2021

 

EDUCAÇÃO: Aula inaugural abre ano letivo do curso de graduação tecnológica em gestão de cooperativas

Na noite desta segunda-feira (01/03), foi realizada a aula inaugural do curso de graduação tecnológica em gestão de cooperativas. Desenvolvido pela Faculdade Isae Brasil, em parceria com o Sescoop/PR (Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo), o curso terá encontros quinzenais via internet e provas presenciais duas vezes por semestre nos polos regionais, com duração de dois anos (quatro semestres). O evento virtual de lançamento reuniu os novos estudantes, professores, e representantes das instituições parceiras. A abertura foi feita pelo presidente do Isae, Norman Arruda Filho, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, o professor Antonio Freitas, pró-reitor da Fundação Getulio Vargas, e a coordenadora de graduação em gestão de cooperativas, Nelita Buzzi.

Qualificação - Segundo o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, a qualificação das pessoas que atuam no cooperativismo é uma condição fundamental para o contínuo desenvolvimento do setor. “As cooperativas geram oportunidades e, por meio destas oportunidades, as pessoas obtêm melhor renda e qualidade de vida. Mesmo num momento difícil como o atual, o cooperativismo paranaense manteve seus investimentos e gerou mais de 10 mil empregos diretos em 2020. Para que esse ciclo de expansão prossiga, a preparação das pessoas é essencial”, disse o dirigente, dando boas-vindas aos alunos da graduação.

Parceria - O presidente do Isae Brasil lembrou da parceria da instituição com o cooperativismo paranaenses, e os inúmeros programas educacionais desenvolvidos em cooperação como o Sescoop/PR. “Temos uma relação de aprendizado e identificação de demandas das cooperativas. Desta forma, nasceu a ideia da graduação tecnológica, com a capacidade que temos de fazê-la de forma integrada, em sinergia com as equipes do Sescoop e das cooperativas. Essa parceria se traduz em benefícios e inovação, com a possibilidade de avaliação constante dos resultados”, afirmou Norman Arruda Filho.

Sescoop/PR- Segundo o superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, a instituição identificou uma demanda de pessoas que atuam em cooperativas e não têm curso de graduação ou desejam aprimorar seus conhecimentos sobre o cooperativismo. “O Isae, que é um parceiro de longa data, nos apresentou o programa de graduação tecnológica em gestão de cooperativas, que após alguns ajustes foi lançado. Ficamos surpresos com a grande aceitação e o número próximo a 1.200 inscritos no processo de vestibular online”, afirmou. “O Sescoop/PR vai apoiar os 250 primeiros colocados no vestibular, que terão subsídio de 65% nos custos com as mensalidades. É uma oportunidade ímpar para que estes estudantes ampliem seus conhecimentos em cooperativismo e possam se posicionar melhor no mercado de trabalho”, disse Boesche.

Capacidades - De acordo com o Isae, 740 estudantes foram aprovados no processo de vestibular para o curso de graduação tecnológica em gestão de cooperativas. Os estudantes formados estarão aptos para atuarem em cargos de gerência em organizações focadas no cooperativismo. Dentre muitos ensinamentos, o profissional sairá da graduação preparado para criar, implantar, planejar e administrar atividades voltadas ao cooperativismo. Sempre visando o desenvolvimento econômico e social dos associados. O graduado em Gestão de Cooperativas atua no gerenciamento dos mais variados setores da organização, aplicando métodos e tecnologias específicas e construindo um ambiente democrático, participativo e justo para todos. 

{vsig}2021/noticias/03/02/educacao/{/vsig}

SENGE/PR: Superintendente da Fecoopar participa de live sobre novas concessões de rodovias

senge pr 02 03 2021O superintendente da Fecoopar, Nelson Costa, participou, na noite desta segunda-feira (01/03), de uma live promovida pelo Sindicato dos Engenheiros do Paraná – Senge/PR para debater sobre as novas concessões de pedágios das rodovias no estado. Além de Costa, participaram os deputados integrantes da Frente Parlamentar do Pedágio na Assembleia Legislativa, Requião Filho e Homero Marchese. Durante uma hora, os participantes trataram sobre as audiências públicas realizadas pela Assembleia, degrau tarifário, aumento das praças de pedágios, transparência e valor mínimo das novas tarifas. O evento foi coordenado por Leandro Grassmann, do Senge/PR.

 

MÍDIA: Leite é tema de reportagem na rádio CBN de Curitiba

midia 02 03 2021Com o tema “efeito muçarela: como a pecuária do leite sobrevive à pandemia”, foi ao ar, na semana passada, na rádio CBN Curitiba, uma reportagem sobre a importância da cadeia produtiva do leite no setor cooperativista paranaense. “O leite está presente em vários produtos na casa do brasileiro. Ele movimenta a indústria de queijos, manteigas e derivados. Com grande parte da produção destinada à fabricação de muçarela, fornecida para restaurantes e pizzarias locais e de São Paulo, a pecuária leiteira foi um dos setores que sofreu no início da pandemia de Covid-19 e precisou se adaptar às novas tendências de consumo. O setor, que reúne diversos pequenos produtores, contou com a ajuda do cooperativismo para sobreviver”, destaca a reportagem.

Frimesa - Um dos entrevistados foi o presidente da Cooperativa Central Frimesa, com sede em Medianeira (PR) e membro da diretoria da Ocepar, Valter Vanzela. A cooperativa, além da produção de carnes, tem atuação na fabricação de derivados do leite, processando um milhão de litros por dia e gerando produtos de valor agregado, como o queijo muçarela.

Witmarsum - Quem também participou como entrevistado, foi o presidente da cooperativa Witmarsum, com sede na Colônia de mesmo nome, localizada no município de Palmeira (PR), Artur Sawatzky. A cooperativa mantém uma fábrica que produz queijos, incluindo o muçarela. O diretor-presidente, Artur Sawatzky, conta que a unidade emprega 33 pessoas e produz cerca de 30 toneladas por mês. Hoje, após quase um ano de pandemia, o setor da pecuária leiteira já se reinventou, mas permanece observando as oscilações do mercado. Para Artur, nesse cenário, o cooperativismo é um estímulo para que os produtores tenham geração de renda e não desistam.

Conseleite - Por ano, o Paraná produz cerca de 4,4 bilhões de litros de leite, sendo o segundo maior produtor do país, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O secretário executivo do Conseleite Paraná – conselho paritário entre produtores e indústria do leite – o zootecnista Guilherme Souza Dias cita que quase metade da produção é destinada à fabricação de queijo, como o muçarela. Segundo ele, a pandemia provocou uma migração no consumo e fez com que o ano de 2020 fosse bastante atípico para atividade leiteira.

Ocepar- Conforme o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), uma grande parcela da produção leiteira tem origem nas cooperativas do segmento no Estado, detentor de oito agroindústrias, concentradas nas microrregiões dos Campos Gerais e do Sudoeste.

Link - Acesse o link para ouvir a reportagem na íntegra: https://cbncuritiba.com/efeito-mucarela-pecuaria-do-leite/

 

CSLL: MP 1.034 altera alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido; confira

csll 02 03 2021O governo federal publicou na noite desta segunda-feira (01/03), em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), a Medida Provisória (MP) nº 1.034, com alterações na alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) para as pessoas jurídicas do setor financeiro. Veja abaixo como ficou:

• Altera para 20% até 31/12/2021, e volta para 15% em 1º/01/2022, para as PJ de seguros privados e de capitalização;

• Altera para 20% até 31/12/2021, e volta para 15% em 1º/01/2022, para as cooperativas de crédito;

• Altera para 25% até 31/12/2021, e volta para 20% em 1º/01/2022, para os bancos de qualquer espécie.

IPI - O coordenador de Desenvolvimento Cooperativo do Sistema Ocepar, Devair Mem, lembra ainda que a MP limita a isenção de IPI na aquisição de veículos novos por pessoas portadoras de deficiência física, no valor até R$70.000,00, por um período de quatro anos.

Crédito presumido - “A MP possibilita ainda calcular crédito presumido de Pis e Cofins às alíquotas de 0,65% e 3,0% respectivamente, até 31 de dezembro de 2025 à pessoa jurídica fabricante dos produtos destinados ao uso em hospitais, clínicas, consultórios médicos e campanhas de vacinação, relacionados no anexo da MP”, acrescenta.

Clique aqui e confira na íntegra a MP nº 1.034

 

RODOCOOP: Cooperativa apresenta relatório da diretoria e aprova planejamento para 2021

Na última sexta-feira (26/02), a Rodocoop – Cooperativa de Transportes e Serviços Rodoviários realizou a Assembleia Geral Ordinária (AGO) para prestação de contas aos associados sobre o exercício de 2020 e para aprovar o planejamento para 2021. O evento foi promovido no auditório Dr. Oripes Rodrigues Gomes, na sede da Cocari, em Mandaguari (PR), e transmitido a associados e convidados pela plataforma Microsoft Teams.

Assembleia virtua - Para manter a segurança dos participantes, todas as medidas de contenção à Covid-19 determinadas pelo município de Mandaguari foram atendidas. De modo a promover clareza sobre a modalidade de realização da assembleia e forma de participação, foram enviadas mensagens aos cooperados a respeito da possibilidade de realizar a AGO virtualmente e, posteriormente, os associados receberam a confirmação e orientações para participação na assembleia virtual, cuja votação ocorreu por aclamação.

Avaliação - Para o presidente da Rodocoop, Marcos Trintinalha, a realização da AGO foi muito bem sucedida. “Realmente foi uma AGO diferente. Devido aos protocolos de segurança para evitar o contágio pela Covid-19, foi necessário realizar a assembleia de forma virtual, embora apreciemos o formato presencial”, sublinhou.

Bons resultados - O presidente falou também sobre os motivos que levaram a cooperativa a alcançar bons resultados. “Foi um ano excelente para a Rodocoop, graças ao desenvolvimento do agronegócio e à dedicação dos nossos cooperados em fazer o transporte de alimentos, percebendo a grande responsabilidade que tinham em mãos. Em contrapartida, a sociedade ofereceu respaldo a eles. Todos cooperaram para que nosso trabalho acontecesse da melhor forma possível”, observou.

Agradecimentos - Trintinalha registrou os agradecimentos em nome da cooperativa. “É o momento de agradecer a Deus, por ter nos permitido que tivéssemos um bom ano, apesar de tudo, e aos nossos cooperados e colaboradores, pelo trabalho e dedicação. Pedimos também a Deus que nos dê força e saúde para conduzir os trabalhos neste ano e que, enfim, a pandemia se encerre, de modo que possamos retomar o contato pessoal com cooperados e familiares, pois o cooperativismo também está fundamentado nesse cuidado com a família do associado. Tenho uma alegria imensa de poder fazer parte dessa cooperativa desde o princípio. Estamos até hoje trabalhando e verificamos o crescimento e as melhorias implementadas a cada dia”, disse.

Orgulho em pertencer - O conselheiro fiscal Anderson de Freitas integra a Rodocoop há cerca de dez anos. “Me sinto satisfeito pela transparência e pela dedicação que a cooperativa adota no relacionamento com os cooperados. Meu pai também fez parte da Rodocoop, atuando desde o início. Gostaria de agradecer a todos os membros, diretores, gerentes, equipe e dizer que tenho muito orgulho em pertencer à cooperativa”, declarou.

Cooperativa estruturada - O diretor conselheiro Adilson Rogério Macedo é cooperado desde o início da Rodocoop, em 2006, e acompanhou o crescimento da cooperativa. “Foi um começo de muita luta, pois iniciamos em uma sala simples e ainda não tínhamos um terreno. Juntamente com o José Thomé Júnior e o Dr. Marcos Trintinalha, aos poucos, fomos realizando conquistas. Certamente, hoje somos uma cooperativa forte, que precisa lutar para alcançar mais objetivos, mas que já está estruturada”, ressaltou.

Segurança - Macedo falou também sobre o sentimento de segurança proporcionado pela cooperativa aos caminhoneiros a partir das instalações e do atendimento ofertados. “Temos o ponto de abastecimento, lavatórios de caminhões, locais de descanso para os motoristas e pátio seguro para pernoite, que são grandes benefícios para nós. É visível que os cooperados sentem o apoio da cooperativa. Temos também um grupo no WhatsApp em que podemos enviar nossas demandas e pelo qual somos prontamente atendidos”, pontuou.

Trabalho conjunto - O gerente da cooperativa, José Thomé Júnior, comentou que este é um momento de emoção em decorrência do sucesso alcançado. “Nosso sucesso é uma conquista não só da cooperativa, mas também do crescimento dos cooperados, da adaptação dos colaboradores, que confiam na direção e na gestão da Rodocoop. Os cooperados, apesar de todos os desafios enfrentados no último ano, trabalharam com a sinergia própria do cooperativismo, que permitiu a transposição de todas as dificuldades. Estamos colhendo frutos desse trabalho, sempre focados em fazer algo a mais para nossos cooperados. Desejamos que a cooperativa continue crescendo junto aos seus associados e agradecemos a compreensão de seus familiares nos momentos em que é necessário estender o expediente, principalmente na época de safra”, acrescentou.

Disponibilidade - O representante da Cooperativa Central Aurora Alimentos, Gilmar Gruber, falou sobre a parceria com a Rodocoop, que acontece há aproximadamente seis anos. “Gostaríamos de agradecer à cooperativa, diante deste último ano atípico, que nos atendeu todas as vezes em que precisamos antecipar ou postergar alguns abates. Parabenizamos pelos números apresentados, que demonstram que a cooperativa está evoluindo, cumprimentamos os novos membros eleitos e desejamos sucesso à Rodocoop. Esperamos que nossa parceria se estenda por muito tempo”, completou.

Referência - Jessé Aquino Rodrigues, do Sistema Ocepar-Sescoop/PR, falou aos participantes diretamente de Curitiba/PR. “Parabenizamos a Rodocoop pelos resultados e gostaríamos de dizer que a cooperativa é referência para nós, representando o setor junto à OCB, levando pleitos, e por todo o trabalho feito junto às cooperativas de transporte a nível nacional, que facilita em muito a nossa atuação. Destacamos que a transparência habitual da Rodocoop é fundamental para o desenvolvimento da cooperativa e que a intercooperação é muito positiva para o sistema. Também é importante destacar o seu diferencial quanto às instalações oferecidas ao cooperado e também a gestão, que faz com que a cooperativa cresça em faturamento e reverta esses resultados em benefício dos associados”, disse.

Conselho Fiscal - Durante a AGO, foram eleitos os novos integrantes para o Conselho Fiscal 2021: Alex José dos Santos, Anderson de Freitas e Valdeci Penteado da Rosa, para membros efetivos; e Mauro Aparecido Boscardin, Alexandre Luiz Lima e Carlos Joaquim D. Sposito, para suplentes. Os membros que encerraram seus mandatos receberão homenagens pelos serviços prestados à Rodocoop, sendo eles: Celso Machado Lessa, Anderson Aredes Nogueira, Elidio Donizete Rodrigues e Pedro Tonão.

Aniversário - No dia 7 de fevereiro, a cooperativa completou 15 anos de atuação, celebrados com a certeza de que esta é uma cooperativa forte, cuja credibilidade faz com que um número cada vez maior de pessoas e empresas acreditem no seu trabalho.

Balanço - O ano de 2020 trouxe desafios para diversos setores da economia, ainda assim, a Rodocoop conseguiu alcançar excelentes resultados. “Completamos o exercício de 2020 com motivos para comemorar e agradecer, pois, apesar de tudo o que enfrentamos a nível nacional e mundial, foi possível realizar a antecipação de sobras no fim do ano, com devolução de 2% do valor do óleo diesel para aqueles que abasteceram na cooperativa e de 1% do frete que os associados realizaram”, destacou o presidente da cooperativa em mensagem no relatório da diretoria.

Conquistas - Durante o exercício de 2020, conforme planejamento, foi iniciado o serviço de carregamento de fertilizantes oriundos de Paranaguá/PR, expandindo as opções de oportunidades para os associados. Também foi realizada a implantação da estrutura para lavagem, lubrificação e troca de óleo, incluindo um lavador de caminhão de última geração. Além disso, houve investimento para o reaproveitamento de 80% da água utilizada na lavagem, que retorna após passar por um sistema de tratamento altamente moderno. Outra ação adotada foi a captação da água pluvial, que posteriormente é filtrada e segue para o sistema de utilização nas lavagens de veículos.

Expansão - Consolidando a ida para o Cerrado, foram inaugurados os entrepostos em Cristalina/GO e em Guarda-Mor/MG, fazendo fretes de grãos e agroquímicos para a Cocari. A partir desta intercooperação, a Rodocoop chegou à região dos Campos Gerais, alcançando maior número de associados. Atuando para concretizar objetivos, a Rodocoop trabalha também em intercooperação com a Aurora e a Colari e junto aos demais clientes, dentre eles, a Cervejaria Petrópolis. (Imprensa Rodocoop)

{vsig}2021/noticias/03/02/rodocoop/{/vsig}

INTERCOOPERAÇÃO: Cooperativas de lácteos dos Campos Gerais fecham 2020 com mais de R$ 2 bilhões de faturamento

unium 02 03 2021As cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, representadas pela marca institucional Unium, fecharam o ano de 2020 com novas conquistas, apesar das dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19. Com 1.114 colaboradores divididos entre três Unidades de Beneficiamento de Leite (em Castro, Ponta Grossa e Itapetininga), a produção de lácteos atingiu um volume de produção de 3,541 milhões de litros por dia em 2020.

Mudança de consumo - Para o gerente comercial da Castrolanda, Egidio Maffei, os bons resultados do setor são reflexo da mudança de consumo dos brasileiros. “Foi notável o aumento no consumo de leite e derivados no ano de 2020, impulsionados, principalmente, pelo auxílio emergencial, pelo crescimento do home office e das refeições em casa, e esse aumento teve impacto direto na indústria. Além disso, a Unium segue investindo em tecnologia e expansão para aumentar cada vez mais sua capacidade de produção”, ressalta.

Investimento - Em 2020, a Unium investiu mais de R$18 milhões na estrutura de lácteos. “O investimento na indústria e o aumento no consumo andam juntos. Quanto mais nos dedicamos ao ciclo produtivo e à qualidade dos produtos, mais seremos reconhecidos, tanto nas prateleiras dos supermercados como pelas empresas parceiras para as quais industrializamos”, explica Maffei.

Projetos para 2021 - Para este ano, a expectativa é desenvolver ainda mais a área. “Dentro da Unium, o ramo de lácteos é um carro forte e o objetivo, ano após ano, é ganhar ainda mais reconhecimento e qualidade para os produtos. Em 2021 já começamos com uma conquista importante, que foi a renovação da certificação internacional FSSC 22000”, conta.

Renovada - Essa certificação, concedida pela Bureau Veritas – organização mundial responsável por indicar padrões relacionados à comercialização, respeito ao meio ambiente e segurança dos alimentos -, foi renovada para a Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL) da Unium em Itapetininga/SP.

Auditoria - A indústria recebeu a validação após auditoria realizada na primeira quinzena de 2021 e traz credibilidade a toda cadeia envolvida, visto que 95% da produção da cooperativa é destinada a multinacionais e empresas nacionais de grande porte. O reconhecimento global é baseado no sistema de gestão e trata das exigências para produtos acabados e os processos.

UBL Ponta Grossa - A Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL) Ponta Grossa/PR, também está direcionando esforços para que, ao longo de 2021, conclua o seu processo de certificação na FSSC 22.000. Já a Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL) de Castro/PR, que atualmente já possui a FSSC 22.0000, deve passar pela recertificação até abril deste ano.

Parcerias - Além disso, outro destaque para o sucesso do setor são as parcerias e relações comerciais entre empresas. “A Unium conta os maiores players do mercado de lácteos como parceiros comerciais como multinacionais e grandes empresas nacionais de referência na área. E essa parceria e troca de experiências trazem ainda mais força para todas as envolvidas”, finaliza o gerente.

Sobre a Unium - Marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, a Unium representa os projetos em que as cooperativas paranaenses atuam em parceria. Conta com três marcas de lácteos: Naturalle – com produtos livres de aditivos -, Colônia Holandesa e Colaso. No setor de grãos, a Unium tem a marca Herança Holandesa – farinha de trigo produzida em uma unidade totalmente adequada à ISO 22000, com elevados padrões de exigência.Além disso, fazem parte dos negócios a Alegra, indústria de alimentos derivados da carne suína, e a Energik, usina de produção de energia sustentável, todas reconhecidas pela qualidade e excelência. Mais informações: http://unium.coop.br/. (Imprensa Unium)

 

CONFAZ: Indefinição sobre Convênio 100 preocupa coops

O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), composto por secretários de Fazenda dos 26 estados e Distrito Federal, decidiu adiar, na sexta-feira (26/02), a decisão sobre a prorrogação ou não dos Convênios 100/1997 e 52/1991. A decisão será tomada na próxima reunião do colegiado, prevista para o dia 12 de março.

Isenção tributária - Instituído em 1997, o convênio 100 prevê isenção tributária em operações internas e redução da base de cálculo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na comercialização interestadual de fertilizantes e sementes em 30%, e de defensivos agrícolas em até 60%. O Convênio 52 estabelece um imposto menor sobre máquinas e equipamentos agrícolas. A vigência de ambos continua em vigor, em princípio, até 31 de março.

Insegurança - A indefinição sobre a prorrogação causa insegurança para cooperativas agro, uma vez que o fim dos convênios pode gerar uma alta acentuada dos custos de produção. O aumento das alíquotas finais do ICMS pode superar duas vezes o valor atual.

Impacto - Em 2020, o agronegócio brasileiro apresentou crescimento de 4,1% nas exportações e foi responsável por praticamente metade das vendas internacionais do Brasil.

Estudo - Estudo da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) aponta que o fim do convênio representará um aumento estimado da carga tributária para o setor de R$ 40 bilhões anuais, acarretando a inviabilidade da produção de diversas culturas na cadeia produtiva, afetando em especial os agricultores de pequeno e médio porte. (OCB)

AGRÁRIA: Atividades presenciais do Dia de Campo de Verão são canceladas

agraria 02 03 2021A Cooperativa Agrária Agroindustrial e a Fapa (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária), organizadoras do Dia de Campo de Verão, respeitando os decretos 6.983/21, do Estado do Paraná, e 8.543/21, do Município de Guarapuava, optaram, na última sexta-feira (26/02), pelo cancelamento da programação presencial do evento, que estava agendada para os dias 03 e 04 de março de 2021.

Medidas internas- Desde o início da pandemia no Brasil, a Agrária tem adotado medidas internas e obedecido os protocolos estabelecidos pelas autoridades, com o intuito de preservar a saúde de seus cooperados, colaboradores e parceiros, e mitigar as possibilidades de contágio da Covid-19.

On-line- Entendendo a relevância das informações difundidas pelos pesquisadores da Fapa e palestrantes convidados, e em respeito às empresas que acreditam no evento, a Agrária e a Fapa irão manter a exibição das palestras do Dia de Campo de Verão, que já estavam previstas para o formato on-line.

Acesso - As palestras continuarão nos dias 03 e 04 de março, no período da tarde. Para assisti-las, basta acessar o canal da Agrária no Youtube (Cooperativa Agrária Agroindustrial) ou o site do evento diadecampodeverao.com.br. (Imprensa Agrária)

 

SICREDI: Instituição financeira cooperativa chega ao Amapá com inauguração de agência em Macapá

sicredi 02 03 2021Dando seguimento ao plano de expansão pelo território nacional, promovendo o desenvolvimento das regiões, o Sicredi inaugurou, no início de fevereiro, sua primeira agência no estado do Amapá, localizada na capital Macapá. A agência é ligada à cooperativa Sicredi Norte, sediada na cidade de Belém, no Pará.

Presença - Com a abertura, a instituição financeira cooperativa passa a estar presente em 24 estados brasileiros e no Distrito Federal, oferecendo mais de 300 serviços financeiros atrelados aos diferenciais do cooperativismo de crédito.

Estratégia - A entrada em um novo estado faz parte da estratégia de expansão do Sicredi no Norte e Nordeste, que tem buscado fortalecer o modelo de cooperativismo nessas regiões, levando seus benefícios às comunidades locais. “Nossa chegada em Macapá reforça a estratégia do Sicredi de ampliar sua presença nacional e atuação regional, que agora fica mais completa com esse importante estado. Estamos muito satisfeitos em levar o modelo de atuação do Sicredi e seus benefícios como participação nos resultados e direito a voto para as decisões da cooperativa aos cidadãos macapaenses, e queremos cada vez mais nos engajar com a comunidade local para atender suas necessidades”, explica João Tavares, presidente executivo do Banco Cooperativo Sicredi.

Aumento - O Sicredi prevê um aumento de 19,4% no número de associados correntistas e de 32,5% nas operações de crédito ao final de 2021 em toda a região Norte e Nordeste, e a inauguração em Macapá contribui também para esse cenário. “Além de contribuirmos, por meio de nossas soluções, para uma melhor relação das pessoas com as finanças, colaboramos com o aquecimento da economia de Macapá e seu entorno”, diz Tavares. Um estudo encomendado pela instituição financeira à Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), publicado em 2020, concluiu que o cooperativismo de crédito incrementa o PIB per capita dos municípios em 5,6%, cria 6,2% mais vagas de trabalho formal e aumenta o número de estabelecimentos comerciais em 15,7%.

Empreendedorismo - A inauguração de uma agência do Sicredi, portanto, estimula o empreendedorismo e o desenvolvimento de economias locais. O impacto agregado em 1,4 mil cidades que passaram a contar com uma ou mais cooperativas durante o período do estudo foi de mais de R$ 48 bilhões em um ano. As cooperativas também foram responsáveis pela criação de 79 mil novas empresas e pela geração de 278 mil empregos.

Apoio ao desenvolvimento - “Como instituição financeira cooperativa, ficamos felizes em poder cumprir o nosso papel em apoiar o desenvolvimento econômico e social de Macapá, através da oferta de soluções financeiras que contribuem para a melhoria de vida das pessoas e estimulam os negócios locais. Continuaremos com nosso plano de expansão na Região Norte de maneira intensa, com a previsão de abrir mais quatro agências e dois Postos de Atendimento na Grande Belém e cidades do interior ainda este ano”, comenta O diretor-presidente da Sicredi Norte, Napoleão Almeida.

Localização - A agência Macapá fica localizada na Rua General Rondon, número 1.385, esquina com Av. FAB, e funciona de segunda a sexta-feira, das 08h30 às 16h.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,8 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI UNIÃO PR/SP: Cooperativa doa computadores para escola

sicredi uniao 02 03 2021Os associados da agência Londrina Bandeirantes da Sicredi União PR/SP, por meio da agência Bandeirantes, de Londrina (PR), fez a doação de 10 computadores para o Instituto de Educação Infantil e Juvenil (IEIJ). A entrega foi feita na tarde de sexta-feira (26/02), dois dias antes de a escola completar 48 anos. “Foi um belo presente”, comenta a diretora pedagógica do Instituto, que funciona em sistema cooperativo, Kyoko Watanabe.

Material didático - Os computadores serão utilizados tanto pelos professores quanto pelos alunos. Segundo a diretora, todo o material didático é construído pelos professores, de acordo com o trabalho realizado junto aos alunos. “Utilizamos muito esses computadores para pesquisa e os nossos já estavam bastante defasados”, comenta. Os alunos também utilizam os computadores para as aulas de informática e programação computacional. A presidente da Associação de Pais da Escola, Adriana Carla Balbino Rissi, observa que a escola precisava muito deste avanço tecnológico, mas não teria recursos financeiros para a aquisição de novos equipamentos nesse momento.

Presença - A entrega foi acompanhada, remotamente, pela fundadora da escola, Luiza Cavazotti; e presencialmente pela gerente Regional da Sicredi União PR/SP, Carla Sonoda; pela gerente da agência Bandeirantes, Suelen Lopes; e também pelo consultor da escola Mário Nei Paccagnan, quem ajudou na relação entre o Instituto e a cooperativa de crédito.

Educação - “Com essa doação, estamos apoiando a educação, que é um dos pilares do cooperativismo. “Existe algo mais importante e transformador que a educação?”, comentou. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI ALIANÇA: Evento online será realizado em comemoração ao Dia Internacional da Mulher

A Sicredi Aliança PR/SP realizará, no dia 8 de março, data em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, um evento online especialmente preparado para elas. A escritora, fundadora do movimento Mulheres Positivas, curadora da plataforma SOS Mulheres, responsável pelos APPs BandNews, BandSports, Terra Viva, AgroMais, entre outros, Fabi Saad, abordará a temática “Você em sua melhor versão”.

Convite - “Todos os anos realizamos um grande evento para celebrar essa data que é tão importante. Em virtude do cenário atual não será possível nos reunirmos. Nem por isso, deixaremos de comemorar. A tecnologia permite que cada uma possa acompanhar no conforto da sua casa. Desde já deixamos o convite. A palestrante proporcionará uma noite bastante especial e todas estão convidadas a prestigiar”, destacou o presidente do Conselho de Administração da Sicredi Aliança PR/SP, Adolfo Freitag.

Aberto ao público - Não é necessário se inscrever para participar. O evento é aberto ao público e poderá ser assistido no canal Sicredi Aliança PR/SP no Youtube ou diretamente no link: https://www.youtube.com/watch?v=q_X-kgelYPU&feature=youtu.be. (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

 

sicredi alianca 02 03 2021

 

SICOOB VALE SUL: Reunião preparatória soma mais de 5 mil pessoas

sicoob vale sul 02 03 2021Mais de 5 mil pessoas acompanharam a reunião preparatória para Assembleia Geral Ordinária (AGO) do Sicoob Vale Sul, na quinta-feira passada (25/02), com 21.129 mil visualizações e 11.503 inscrições para participar do sorteio de prêmios. Devido às restrições impostas pelo coronavírus, o encontro aconteceu on-line e teve como objetivo apresentar os números e resultados da cooperativa em 2020.  

Agradecimento - O presidente do Sicoob Vale Sul, João Bactista Manfroi, agradeceu a presença de todos que assistiram à transmissão e destacou que a cooperativa trabalha contribuindo com a prosperidade econômica e social dos cooperados e comunidades, além de assegurar a entrega das melhores soluções financeiras.  

Resultados sustentáveis - “Nossos resultados financeiros são igualmente sustentáveis e crescem a cada ano, permitindo investir cada vez mais na melhoria dos nossos produtos e serviços. E fazemos isso sem renunciar valores e colocando em prática nosso propósito de conectar pessoas para promover justiça financeira e prosperidade”, afirma.  

Espaço - Ao final da reunião, o presidente e os conselheiros abriram espaço para que os cooperados fizessem perguntas e tirassem dúvidas.  

Sorteio - Na reunião, os participantes puderam se inscrever para concorrer à diversos prêmios. O sucesso foi tanto que rendeu 11.503 inscrições. Em virtude desse grande volume de inscrições, só foi possível realizar o sorteio e validar na sexta-feira (26/02). A lista completa dos ganhadores está disponível no site e nas páginas do Sicoob Vale Sul no Facebook (SicoobValeSul) e Instagram (@sicoobvalesul). (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

UNIMED CURITIBA: Cards são criados para marcar o Dia Mundial do Elogio

Dia 1.º de março é comemorado o Dia do Elogio e, para incentivar a valorização dos talentos entre os colaboradores da Unimed Curitiba e empresas do grupo, a cooperativa lançou uma ação com o mote “o seu jeito de cuidar merece todos os elogios”. Foram criados cards com elogios para serem compartilhados entre os colegas para emocionar, gerar mais momentos de interação, mesmo à distância, e reconhecimento entre líderes, liderados e equipes de trabalho. (Imprensa Unimed Curitiba)

{vsig}2021/noticias/03/02/unimed_curitiba/{/vsig}

COMÉRCIO EXTERIOR: Corrente de comércio sobe 8,2% e chega a US$ 31,21 bilhões em fevereiro

comercio exterior 02 03 2021O Brasil registrou uma corrente de comércio de US$ 31,21 bilhões em fevereiro, com aumento de 8,2% pela média diária, em relação ao mesmo mês do ano passado. As exportações cresceram 3,9% e somaram US$ 16,18 bilhões, enquanto as importações subiram 13,4% e totalizaram US$ 15,03 bilhões. Assim, a balança comercial registrou superávit de US$ 1,15 bilhão, com diminuição de 50,4%. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (1º/3) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia.

Acumulado - No acumulado de janeiro e fevereiro, em comparação a igual período do ano anterior, a corrente de comércio subiu 9,6%, atingindo US$ 61,95 bilhões. As exportações cresceram 8,5%, somando US$ 30,99 bilhões, e as importações aumentaram 10,7% e totalizaram US$ 30,96 bilhões, gerando um superávit de US$ 30 milhões, o que representou uma redução de 95,6% em relação ao primeiro bimestre de 2020.

Impulso - As exportações foram impulsionadas pelo aumento das vendas de 3,5% na Indústria de Transformação e 13,8% na Indústria Extrativa, com recuo de 10,8% na Agropecuária. O aumento na Indústria de Transformação foi puxado por maiores embarques de açúcar, farelos de soja, produtos siderúrgicos, aeronaves e óleos vegetais.

Destaque - Já na Indústria Extrativa, o destaque foi o minério de ferro, que teve um preço de exportação 75,6% superior em fevereiro, em relação ao preço de fevereiro do ano passado. Houve também aumento de 10,9% no volume embarcado. Assim, a alta das exportações desse produto no mês foi de 95%, em valor. “É uma demanda aquecida, que favorece os embarques da indústria extrativa e os preços dos produtos exportados”, explica o subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, Herlon Brandão.

Agropecuária - As vendas da Agropecuária, por outro lado, caíram 10,8%. Quedas assim, tanto em fevereiro quanto no acumulado deste ano, são motivadas por efeitos sazonais, com destaque para a situação da safra agrícola. “As exportações da Agropecuária caíram, principalmente, pela redução de 33,1% na exportação de soja, em fevereiro. Temos uma safra tardia neste ano, o que faz com os embarques aconteçam mais à frente”, comenta Brandão.

Soja - Ele prevê maiores volumes de soja embarcados a partir de março, ao contrário de 2020, quando desde janeiro houve embarques mais significativos da oleaginosa. Lembra, também, que houve crescimento das vendas de outros produtos, como milho e algodão bruto, o que reduz os efeitos da queda da soja. “O milho teve aumento de mais de 150% no valor exportado”, frisa o subsecretário.

Importações - Já do lado da importação, houve crescimento das compras da Indústria de Transformação (12,4%), que representa 90% do que o Brasil adquire do exterior, e da Agropecuária (14,9%). Esse aquecimento é influenciado por vários fatores, com destaque para uma demanda maior por importados como eletroeletrônicos, adubos, fertilizantes e produtos farmacêuticos. Também houve importação de energia elétrica, no total de US$ 340 milhões, da Argentina.

Nacionalização de plataformas - Outro fator que influenciou a alta das importações, segundo apurou a Secex, foi a nacionalização de plataformas de petróleo, no valor total de US$ 1,4 bilhão em fevereiro e, aproximadamente, US$ 2,8 bilhões no acumulado do bimestre. “O regime Repetro se encerrou em 31 de dezembro de 2020, dando lugar ao Repetro-Sped. Isso fez com que um grande movimento de nacionalização de equipamentos ocorresse até o fim do ano passado, mas algumas operações ainda foram desembaraçadas neste primeiro bimestre. Então, temos algum efeito das plataformas, distorcendo os dados nesse período”, avalia Brandão.

Recuperação econômica - Ele afirma que o aumento das importações pode estar ligado à recuperação da atividade econômica. “Acredito que esse movimento esteja dentro desse contexto de melhor atividade econômica, mas ainda há muita instabilidade. É difícil saber se isso vai se manter, mas observamos a importação de produtos como insumos eletroeletrônicos, adubos e fertilizantes, que denotam uma necessidade da indústria por insumos para atender a sua demanda”, diz.

Incertezas - Brandão ainda vê incertezas sobre os possíveis impactos de uma nova onda de Covid-19, mas destaca que o comércio, tanto mundial quanto brasileiro, “está em um bom momento” e que o próprio índice de atividade da Organização Mundial do Comércio (OMC) “está em um patamar superior ao pré-Covid”.

Expectativa mantida - A expectativa da Secex para exportações e importações em 2021, portanto, está mantida, com previsão de crescimento de 5% nas duas pontas e com “saldo comercial robusto”. De acordo com Brandão, o comércio exterior brasileiro tem se mostrado muito estável nos últimos anos e foi resiliente no ano passado, principalmente nas exportações.

Resiliência - Essa resiliência, acredita o subsecretário, deve se manter neste ano. “Há uma grande necessidade por bens importados para complementar a produção, principalmente insumos. Por outro lado, a exportação brasileira é muito necessária no mundo – principalmente alimentos – e agora, nesse momento de recuperação da economia mundial, temos o insumo industrial, que é o minério de ferro, que é base de várias cadeias industriais”, justifica. (Ministério da Economia)

Acesse os principais dados da balança comercial

FOTO: Pixabay

 

CÂMBIO: Dólar fecha praticamente estável a R$ 5,60

cambio 02 03 2021Após as turbulências dos últimos dias, o mercado financeiro iniciou a semana com trégua. O dólar ensaiou uma queda, mas fechou praticamente estável. A bolsa fechou com leve alta.

Cotação - O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (01/03) vendido a R$ 5,601, com recuo de R$ 0,005 (-0,87%). A cotação chegou a cair para R$ 5,55 na mínima da sessão, perto das 13h, mas a queda desacelerou até a divisa fechar próxima da estabilidade.

Ações - No mercado de ações, o dia foi parecido. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 110.335 pontos, com alta de 0,27%. Na máxima do dia, por volta das 14h50, o indicador chegou a subir 2,18%, mas perdeu força até fechar próximo da estabilidade.

Cenário externo - No cenário externo, o mercado foi influenciado pela redução dos rendimentos dos títulos de dez anos do Tesouro norte-americano, considerados os investimentos mais seguros do mundo. Depois de atingirem máximas em 12 meses na semana passada, os juros desses papéis começaram o mês em queda. Juros mais baixos dos títulos dos Estados Unidos reduzem a fuga de recursos de países emergentes, como o Brasil.

Pacote de estímulos - Paralelamente, o avanço na votação do pacote de estímulos de US$ 1,9 trilhão do governo do presidente Joe Biden deu impulso aos mercados. No sábado, a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou o texto, que segue para o Senado. A injeção de mais dólares na economia global reduz as pressões sobre as economias emergentes.

Expectativa - No Brasil, o mercado continuou na expectativa em torno das negociações da proposta de emenda à Constituição (PEC) emergencial, que introduzirá medidas de corte de gastos para compensar a recriação do auxílio emergencial. O parecer do senador Márcio Bittar (MDB-AC) deverá ser lido nesta terça-feira (02/03).

Petrobras - A troca de comando na Petrobras também pesou. Nesta segunda-feira (01/03), a estatal anunciou o quinto aumento neste ano para os combustíveis, o que indica que, por enquanto, a mudança de presidente não interferiu na política de preços da companhia. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

TRIBUTOS: Bolsonaro zera PIS e Cofins do diesel e do gás de cozinha

tributos 02 03 2021O presidente da República editou, na noite desta segunda-feira (01/03), um decreto e uma medida provisória que zera as alíquotas da contribuição do Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS) e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) incidentes sobre a comercialização e a importação do óleo diesel e do gás liquefeito de petróleo (GLP) de uso residencial. A medida foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União.

Validade - Em relação ao diesel, a diminuição terá validade durante os meses de março e abril. Quanto ao GLP, ou gás de cozinha, a medida é permanente. A redução do gás somente se aplica ao GLP destinado ao uso doméstico e embalado em recipientes de até 13 quilos. “As duas medidas buscam amenizar os efeitos da volatilidade de preços e oscilações da taxa de câmbio e das cotações do petróleo no mercado internacional”, informou a Secretaria-Geral da Presidência da República.

Aumento - Para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, como forma de compensação tributária, também foi editada uma medida provisória aumentando a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das instituições financeiras, alterando as regras de Imposto sobre os Produtos Industrializados (IPI) para a compra de veículos por pessoas com deficiência e encerrando o Regime Especial da Indústria Química (Reiq).

Crédito presumido - “Para que o final do Reiq não impacte as medidas de combate à Covid-19, foi previsto um crédito presumido para as empresas fabricantes de produtos destinados ao uso em hospitais, clínicas, consultórios médicos e campanhas de vacinação que utilizem na fabricação desses produtos insumos derivados da indústria petroquímica, o que deve neutralizar o efeito do fim do regime para essas indústrias, que vigorará até o final de 2025”, informou a Secretaria-Geral.

Novas regras - As novas regras do IPI entram em vigor imediatamente. O aumento da CSLL e o final do Reiq entrarão em vigor em 1º de julho.

Redução - As medidas de redução do PIS e da Cofina no diesel e no GLP resultarão em uma redução da carga tributária de R$ 3,67 bilhões em 2021 neste setor. Para 2022 e 2023, a diminuição da tributação no gás de cozinha implicará em uma queda de arrecadação de R$ 922,06 milhões e R$ 945,11 milhões, respectivamente. (Agência Brasil)

FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

 

ENERGIA ELÉTRICA: Sancionada lei que altera regras do setor para conter tarifas

energia eletrica 02 03 2021O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que remaneja recursos no setor elétrico para permitir a redução de tarifas de energia elétrica. A Lei 14.120/21 foi publicada na edição desta terça-feira (02/03) do Diário Oficial da União.

Transferência - Entre outros pontos, a norma transfere para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), entre 2021 e 2025, 30% dos recursos que as concessionárias de energia elétrica são obrigadas a aplicar em programas de pesquisa e desenvolvimento (P&D) e de eficiência energética. Verbas para projetos contratados ou iniciados serão preservadas.

Subsídios - A CDE é responsável por vários subsídios presentes na conta de luz paga pelos consumidores. Os recursos recebidos serão usados para minimizar potenciais aumentos tarifários por causa dos efeitos da pandemia. Atualmente, há R$ 3,4 bilhões não utilizados em projetos de P&D e eficiência energética, que poderão ser direcionados para a CDE.

Origem - A lei tem origem na Medida Provisória 998/20, aprovada pelo Câmara dos Deputados. O texto foi relatado pelo deputado Léo Moraes (Pode-RO).

Compensação - A lei contém outros pontos voltados para o setor elétrico. O texto, por exemplo, garante compensação às usinas leiloadas entre 2015 e 2017 que tiveram impacto na geração de energia por conta do período de seca – o chamado risco hidrológico.

Repactuação - O texto também permite a repactuação do modelo de contratação e do preço da energia elétrica a ser gerada pela usina de Angra 3; disciplina o desligamento de consumidores inadimplentes do mercado livre; e reorganiza, em termos societários, as estatais do setor nuclear – Nuclep (Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A) e Indústrias Nucleares do Brasil S/A (INB).

Região Norte - Há medidas específicas na nova lei para os estados da região Norte. O texto dispensa os consumidores de pagar pelos empréstimos fornecidos às distribuidoras da região na época em que elas estavam sob controle temporário da União, período que precedeu a privatização. Os empréstimos foram bancados pela Reserva Global de Reversão (RGR), um encargo cobrado da conta de luz.

Reserva de capacidade - Outra mudança importante é a determinação de que todos os consumidores, livres e cativos, vão arcar com os custos decorrentes da contratação de reserva de capacidade. Trata-se de energia contratada em leilões da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para suprir o sistema em situações de ocorrência de interrupções ou reduções temporárias na geração de energia elétrica.

Dispositivo - A contratação de energia de reserva funciona como um dispositivo de segurança energética. Pela lei, será cobrado um encargo dos consumidores, com base na proporção do consumo de energia elétrica.

Veto - O presidente Jair Bolsonaro vetou o dispositivo incluído pelo Congresso Nacional que alterava o prazo de início de outorga das usinas em operação em 1º de setembro de 2020, sem multas aplicadas pela Aneel. A nova regra previa que a outorga seria contada a partir do início de operação comercial da primeira unidade geradora (turbina).

Prazo - Hoje, o prazo de outorga começa a contar da emissão de licenciamento ambiental ou assinatura de ato de outorga. Bolsonaro alegou que a mudança retiraria “um incentivo central” para aceleração da conclusão da obra e da entrada em operação do empreendimento por parte do agente titular da outorga. Também afirmou que a regra se constituía numa extensão da outorga.(Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Jaelson Lucas / Agência de Notícias do Paraná

 

PREÇOS AO PRODUTOR: Preços na indústria iniciam 2021 com alta de 3,36% em janeiro

precos ao produtor destaque 02 03 2021Os preços da indústria subiram 3,36% em janeiro de 2021 frente a dezembro de 2020. A taxa é bem maior que a apresentada na passagem de novembro para dezembro, de 0,39%, e representa a segunda maior alta da série histórica, iniciada em janeiro de 2014, atrás apenas de outubro de 2020 (3,41%). Com o resultado, o acumulado dos últimos 12 meses alcançou 22,96%.

IPP - Os dados são do Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a variação dos preços de produtos na “porta da fábrica, sem impostos e frete”, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação, divulgado nesta terça-feira (02/03) pelo IBGE.

Janeiro - Em janeiro, todas as 24 atividades apresentaram elevação de preços, contra 17 em dezembro. Destaque para o setor das indústrias extrativas, que teve a maior alta (10,70%) e também foi a maior influência no resultado geral (0,59 ponto percentual). “É um segmento muito volátil, que voltou a ter alta após duas quedas, por conta da desvalorização do real frente ao dólar e do comportamento do óleo bruto de petróleo e do mercado internacional de minério de ferro”, explica o gerente da pesquisa, Manuel Souza Neto. No acumulado dos últimos 12 meses, o setor tem alta de 52,91%, a maior entre todas as 24 atividades.

Metalurgia - Outra atividade que teve alta destacada na pesquisa foi metalurgia, a segunda maior (6,10%) do mês e a terceira em influência (0,40 ponto percentual). O aumento de preços em janeiro foi o maior de toda a série do IPP, cuja pesquisa no tocante à indústria de transformação iniciou em janeiro de 2010. O acumulado nos últimos 12 meses foi de 38,42%, também o maior da série.

Resultados - “Esses resultados estão ligados à combinação dos grupos siderúrgicos (produtos de aço) e do grupo de materiais não ferrosos (cobre, ouro e alumínio), que têm comportamentos de preços diferenciados”, ressalta o gerente. O primeiro é afetado pelos preços do minério de ferro e pelo excedente de aço no mundo. Apesar deste excedente, a valorização do dólar frente ao real, de 29,1% nos últimos 12 meses e de 4,1% em janeiro, junto ao aumento dos preços do minério de ferro permitiram um acréscimo de preços do aço nacional. Já o grupo de materiais não ferrosos tem valores que costumam apresentar seus resultados ligados às cotações das bolsas internacionais.

Petróleo e álcool - Segunda em influência (0,45 p.p.) e terceira maior alta no geral, a atividade de refino de petróleo e produtos de álcool (5,30%) tem seu resultado ligado aos produtos derivados do óleo bruto de petróleo, como gasolina e o óleo diesel. Já o biodiesel, entre os quatro produtos que mais influenciaram o resultado do mês, foi o único cujos preços diminuíram: “Isso se deve à menor demanda ou, o que é importante para o produto, à baixa compra em leilão promovido pela ANP (Agência Nacional do Petróleo)”, explica Manuel. (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Licia Rubinstein/Agência IBGE

 

precos ao produtor 02 03 2021

 

LEGISLATIVO: Relatório da receita para o Orçamento de 2021 deve estar pronto até quinta-feira

legislativo 02 03 2021O relatório da receita do Orçamento (PLN 28/20) de 2021, previsto inicialmente para ser entregue nesta terça-feira (02/03), deve ser finalizado até a próxima quinta (04/03). O novo prazo foi dado pelo relator, deputado Beto Pereira (PSDB-MS).

Aprovação - Em entrevista ao programa Painel Eletrônico, da Rádio Câmara, o parlamentar ressaltou a necessidade de aprovar o Orçamento de 2021 ainda em março, para dar agilidade ao Poder Executivo na execução dos gastos públicos. Ele acrescentou, no entanto, que os prazos são apertados para a apresentação de emendas, dos relatórios setoriais de despesas e do relatório da receita.

Pandemia - Outra preocupação, segundo o deputado Beto Pereira, é como atender a demanda por gastos decorrentes da pandemia do coronavírus: “Vamos conversar com o relator geral, o senador Márcio Bittar (MDB-AC), justamente para entender de que forma nós vamos compatibilizar a necessidade de mais recursos com um orçamento que tem algumas limitações. Nós temos uma lei de teto de gastos que deve ser respeitada, nós temos alguns outros entraves que precisam ser observados e não podem, de forma nenhuma, ser esquecidos.”

Números atualizados - O Orçamento para este ano deveria ter sido votado até o final do ano passado. O relator da receita explica que o atraso acabou levando à possibilidade de comparar as previsões de arrecadação de impostos e de inflação, por exemplo, com os totais efetivamente apurados neste início de ano.

Oficiais - “Nós já temos números que foram oficiais de receita. Então a gente já tem a publicação de quanto realmente a União arrecadou em janeiro e não uma previsão orçamentária. Então modificações para tornar o número mais confiável vão ocorrer nessa proposta que será votada ainda em março.”

Maiores que o previsto - Os números registrados em janeiro, tanto de arrecadação quanto de inflação, segundo o relator, foram maiores do que o previsto. Ele espera, até o meio de março, já ter os dados referentes ao primeiro bimestre do ano. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Pablo Valadares / Câmara dos Deputados

 

SAÚDE I: Mortes somam mais de 255 mil e casos, quase 10,6 milhões

O número de pessoas que não resistiram à covid-19 no Brasil subiu para 255.720. Em 24 horas, foram registradas 778 mortes. Há ainda 2.811 óbitos em investigação no país. Já o total de pessoas infectadas pelo coronavírus desde o início da pandemia chegou a 10.587.001. Em 24 horas, foram confirmados pelas autoridades sanitárias 35.743 novos casos.

Atualização - Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite desta segunda-feira (01/03). O balanço é produzido a partir de informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Acompanhamento - Há, ao todo, 874.181 pessoas com casos ativos da doença em acompanhamento por profissionais de saúde e 9.457.100 pacientes já se recuperaram.

Estados- Na lista de estados com mais mortes estão São Paulo (59.546), Rio de Janeiro (33.093), Minas Gerais (18.598) e Rio Grande do Sul (12.4700). As unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.012), Roraima (1.100), Amapá (1.142), Tocantins (1.532) e Rondônia (2.870).

Casos - Em número de casos, São Paulo também lidera (2.044.699), seguido por Minas Gerais (883.105), Bahia (686.057), Santa Catarina (675.577) e Paraná (650.236). (Agência Brasil)

 

saude tabela 02 03 2021

SAÚDE II: Boletim registra mais 3.196 casos de Covid-19. Foram aplicadas 401.290 doses da vacina

saude II 02 03 2021A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (01/03) 3.196 novos casos de Covid-19 e 17 óbitos pelo novo coronavírus. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Paraná soma 645.621 casos e 11.598 mortes em decorrência da doença.

Meses - Os casos divulgados nesta data são de janeiro (4), fevereiro (3.103) e março (82) de 2021 e dos seguintes meses de 2020: julho (1), setembro (1), novembro (3) e dezembro (2).

Vacina - Até a manhã desta segunda-feira, o Paraná aplicou 401.290 doses da vacina contra a Covid-19 – 298.809 da primeira dose e 102.481 da segunda. Portanto, 298.809 pessoas já foram vacinadas no Estado.

Doses - Até o momento o Paraná recebeu 706.200 doses do Governo Federal.

Confira da distribuição das imunizações.

Internados - Nesta segunda-feira eram 1.634 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19. Destes, 1.440 ocupam leitos SUS (657 UTI e 783 clínicos/enfermaria) e 194 da rede particular (84 UTI e 110 clínicos/enfermaria).

Exames - Há outros 2.016 pacientes internados, 711 em leitos UTI e 1.305 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 17 pacientes. São 9 mulheres e 8 homens com idades que variam de 41 a 99 anos. Os óbitos ocorreram entre 24 de fevereiro e 1º de março de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Foz do Iguaçu (5), Coronel Vivida (2) e Guaratuba (2), além do registro de uma morte em cada um dos seguintes municípios: Cruzeiro do Oeste, Dois Vizinhos, Guairacá, Imbituva, Piraí do Sul, Rio Branco do Ivaí, Sengés e Tijucas do Sul.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria de Estado da Saúde contabiliza 4.615 casos de pessoas que não moram no Estado – 88 foram a óbito. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo.

 

SAÚDE III: Secretários de Saúde pedem mais rigor nas medidas de restrição

saude conass 02 03 2021Os secretários estaduais de Saúde divulgaram nesta segunda-feira (01/03) uma carta aberta à nação em que pedem maior rigor nas medidas de restrição das atividades não essenciais, incluindo restrição total nas localidades onde a ocupação de leitos estiver acima de 85% e houver tendência de elevação no número de casos e óbitos por covid-19.

Pleitos - No documento, os membros do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) solicitaram a proibição de eventos presenciais como shows, congressos, atividades religiosas, esportivas e similares em todo o país. O conselho também requer a suspensão das aulas presenciais em todos os níveis da educação do país e toque de recolher nacional de segunda a sexta, das 20h até as 6h, e durante os fins de semana. O documento solicita também o fechamento de praias e bares, a adoção de trabalho remoto e o aumento da testagem contra a doença.

Reconhecimento - O Conass pede o reconhecimento legal do estado de emergência sanitária e a viabilização de recursos extraordinários para o Sistema Único de Saúde (SUS) e a implementação imediata de um plano nacional de comunicação para reforçar a importância das medidas de prevenção e esclarecer a população.

Plano Nacional - “Entendemos que o conjunto de medidas propostas somente poderá ser executado pelos governadores e prefeitos se for estabelecido no Brasil um ‘Pacto Nacional pela Vida’ que reúna todos os poderes, a sociedade civil, representantes da indústria e do comércio, das grandes instituições religiosas e acadêmicas do País, mediante explícita autorização e determinação legislativa do Congresso Nacional”, finaliza a carta.

Ministério - A Agência Brasil entrou em contato com o Ministério da Saúde para comentar a carta do Conass e aguarda posicionamento. (Agência Brasil)

FOTO: Marcelo Camargo / Agência Brasil

 

SAÚDE IV: Setor de planos de saúde registra o maior número de beneficiários desde dezembro de 2016

saude III 02 03 2021A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou, nesta segunda-feira (01/03), nova edição do Boletim Covid-19 com dados sobre a utilização dos planos de saúde durante a pandemia. São apresentadas informações assistenciais e econômico-financeiras coletadas até janeiro junto a uma amostra de operadoras, além da prévia da evolução do número de beneficiários em planos de assistência médica relativa a esse mês, número de exames relacionados à Covid-19 realizados pelos planos de saúde e demandas dos consumidores recepcionadas pela ANS através de seus canais de atendimento.    

Monitoramento - O objetivo da publicação é monitorar a evolução de indicadores relevantes do setor de planos de saúde durante o período da pandemia, subsidiando análise qualificada da agência reguladora e prestando mais informações à sociedade.  

Clique aqui para acessar a publicação.

Indicadores assistenciais - Na parte relativa aos indicadores assistenciais, são informados a ocupação de leitos, os atendimentos em pronto-socorro que não geraram internação e autorizações emitidas para procedimentos eletivos fora do ambiente hospitalar, entre outros dados que apontam as principais tendências em relação à utilização de serviços de saúde durante a pandemia. Os indicadores econômico-financeiros analisam a sinistralidade observada através do fluxo de caixa das operadoras - movimento de entrada (recebimentos) e saída (pagamentos) de recursos em um dado período - e a inadimplência, ou seja, o não pagamento de obrigações no prazo estabelecido. Confira a seguir as informações detalhadas.    

Evolução de beneficiários - O número preliminar de beneficiários em planos de assistência médica registrado em janeiro segue a tendência de crescimento que vinha sendo observada desde julho de 2020. Foram 47,7 milhões de beneficiários em planos de assistência médica na prévia de janeiro, com aumento de 0,16% em relação a dezembro.  

Maior desde dezembro - O número é o maior registrado desde dezembro de 2016 - antes disso, foi superado em dezembro de 2016, quando foram registrados 47.771.437 milhões de beneficiários. A evolução crescente de beneficiários demonstra a importância do setor e evidencia o interesse dos brasileiros no acesso à saúde suplementar.

Modalidades - De março (início da pandemia) a janeiro, o aumento ocorreu em todas as modalidades de contratação do plano, sendo que o maior percentual foi verificado nos coletivos por adesão (1,68% a mais em relação a março). Considerando o tipo de contratação do plano e a faixa etária do beneficiário, observa-se que a variação foi positiva para os beneficiários acima de 59 anos em todos os tipos de contratação ao longo dos meses de março de 2020 até janeiro deste ano. Destaca-se também, no período, o aumento de beneficiários em planos individuais e familiares.

Informações assistenciais - Em janeiro, a taxa de ocupação geral de leitos (com e sem UTI) nos hospitais da amostra ficou em 68%, assim como em dezembro, abaixo do observado para o mesmo mês em 2020 (71%). Essa informação considera a ocupação tanto para o atendimento à Covid-19 quanto para demais procedimentos não relacionados à doença, e engloba leitos comuns e de UTI dos hospitais próprios das operadoras da amostra, que representam aproximadamente 10,5% do total de leitos disponíveis na rede assistencial de planos privados. Houve um aumento na alocação de leitos dos hospitais da amostra para atendimento à Covid-19, passando de 29% para 32%. Esse aumento foi mais expressivo na proporção de leitos com UTI alocados para Covid-19, passando de 41% em dezembro para 48% em janeiro. Vale destacar, ainda, o aumento das internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave, atípico para a época, com crescimento de 483% em relação a janeiro de 2020.

Pronto-socorro - A quantidade de atendimentos em pronto-socorro que não geraram internações segue apresentando retomada lenta e gradual. Em janeiro, houve um crescimento de 1,4% em relação ao mês anterior, mesmo assim, ainda abaixo do observado antes do início da pandemia.  

SADT - A busca por atendimentos de Serviços de Apoio Diagnóstico Terapêutico (SADT) – que permite avaliar a tendência quanto à utilização de procedimentos eletivos fora do ambiente hospitalar – em janeiro ficou 4,7% abaixo do observado em janeiro de 2020. No entanto, observou-se retorno do volume de exames e terapias fora do ambiente hospitalar ao patamar observado antes da pandemia.

Exames - Os dados sobre a realização de exames contemplam informações coletadas até novembro e têm como fonte os dados do Padrão TISS (Troca de Informação de Saúde Suplementar). Nesse mês, foram contabilizados 351.678 exames para detecção de Covid-19 do tipo Pesquisa de RT-PCR e 52.810 testes do tipo sorológico. Destaca-se ainda que, em novembro, o número de exames realizados voltou a subir, interrompendo a queda iniciada em agosto de 2020.  

Alteração - Cabe ressaltar que os números do mês de novembro apresentados no boletim ainda sofrerão alteração à medida que as cobranças forem encaminhadas dos prestadores de serviços às operadoras e, posteriormente, para a ANS.    

Informações econômico-financeiras - Essa edição do boletim mostra que, em janeiro, houve redução das despesas assistenciais e do pagamento de mensalidades em relação a dezembro de 2020. No entanto, o índice de sinistralidade permaneceu estável e igual a dezembro de 2020 (79%), porém ligeiramente superior ao nível histórico para o primeiro trimestre, ao se comparar com o primeiro trimestre dos últimos anos.

Mensalidades - Quanto às informações sobre pagamento de mensalidades, a exemplo dos períodos em que o final do mês ocorreu no final de semana, o indicador de inadimplência apresentou alta. Isso pode ser explicado pelo fato de as receitas ingressarem apenas no mês subsequente ao fechamento do fluxo de caixa, agravando o resultado do indicador. Logo, considerando que não houve variação expressiva da receita com contraprestações, acredita-se que esta variação se deve à postergação dos pagamentos para o primeiro dia útil de fevereiro, de forma semelhante ao que se observou nos meses de maio e outubro de 2020.  

Demandas dos consumidores - Em janeiro, houve queda de 18,8% em relação ao mês anterior no número de reclamações (sobre todos os temas) registradas nos canais de atendimento da ANS, totalizando 9.196 demandas. No comparativo com janeiro de 2020, a redução foi de 39,1%, mas estável em relação a janeiro de 2019. As queixas relacionadas especificamente à Covid-19 também apresentaram queda, passando de 1.048 em dezembro para 874 em janeiro.  

Percentuais - Do total de reclamações sobre Covid-19 registradas em janeiro, 46% dizem respeito a dificuldades relativas à realização de exames e tratamento; 27% se referem a outras assistências afetadas pela pandemia; e 27% são reclamações sobre temas não assistenciais (contratos e regulamentos, por exemplo).  

Registros - De março até janeiro, foram registradas 17.048 reclamações e 19.913 pedidos de informações sobre Covid-19. Cabe esclarecer que essa classificação considera o relato do consumidor ao cadastrar sua demanda na ANS, sem análise de mérito sobre eventual infração da operadora ou da administradora de benefícios à Lei 9.656/98 e seus normativos ou aos termos contratuais.    

Mediação - As demandas de reclamação dos consumidores passam pela mediação de conflitos realizada através da Notificação de Intermediação Preliminar (NIP), conforme definição prevista na Resolução Normativa nº 388/2015. A mediação possibilita que as operadoras reparem sua conduta irregular e resolvam os problemas dos beneficiários, evitando, assim, a abertura de processo administrativo e judicial.  

Índices elevados - A NIP vem atingindo índices elevados de resolutividade, alcançando em 2020 (até outubro) patamares superiores a 90%, inclusive em relação às demandas relacionadas à Covid-19.

Resolução - Já o percentual de resolução das reclamações relativas aos testes para detecção da Covid-19 ficou em 93% para os exames de RT-PCR e 92,4% para os exames sorológicos. Esse dado informa que a maioria das reclamações apresentadas foram solucionadas no âmbito da mediação promovida pela Agência.      

Acesso - No portal da ANS, é possível acessar o monitoramento diário das demandas sobre Covid-19. Clique aqui e confira.

Confira as outras edições do Boletim Covid-19.  

Sobre os dados   - Para a análise dos indicadores assistenciais, a ANS considerou informações coletadas junto a uma amostra de 49 operadoras que possuem rede própria hospitalar. Para os índices econômico-financeiros, foram analisados dados de 94 operadoras para o estudo de fluxo de caixa e 93 para análise de inadimplência. Juntas, as operadoras respondentes para esses grupos de informação compreendem 74% dos beneficiários de planos de saúde médico-hospitalares.      

Oficiais - Adicionalmente, na construção do boletim, para estes e demais indicadores relacionados a demandas de consumidores e variação da base de beneficiários, foram utilizados dados oficiais da ANS, entre eles, o Documento de Informações Periódicas (DIOPS), o Sistema de Informações de Fiscalização (SIF) e o Sistema de Informação de Beneficiários (SIB). (ANS)

 

SAÚDE V: ANS define novas coberturas dos planos de saúde

saude IV 02 03 2021A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) aprovou, na quarta-feira passada (24/02), a Resolução Normativa (RN) que atualiza o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde. Com isso, estão definidos os novos exames e tratamentos que passam a fazer parte da lista obrigatória dos planos de saúde. São 69 novas coberturas, além de outras alterações, que ampliam e qualificam a assistência aos beneficiários. A Resolução Normativa que estabelece a nova lista de procedimentos entrará em vigor no dia 1º/04/2021.

Processo - O diretor-presidente substituto da ANS, Rogério Scarabel, destaca que esse ciclo de atualização do Rol seguiu um processo que, além de bastante criterioso, também foi inovador, pois trouxe uma série de aprimoramentos que vão resultar em ganhos para o consumidor e para o setor em geral. “O novo Rol de Procedimentos é fruto de diversas inovações em termos de processo de trabalho e de conteúdo. A qualidade das discussões técnicas realizadas, a ampliação da participação da sociedade, a transparência dada a todo o processo e o conjunto robusto de elementos analisados para definição dos procedimentos incorporados qualificou a tomada de decisão por parte da Diretoria Colegiada da ANS e permitiu ganhos importantes para a sociedade”, avalia o diretor.

Acréscimo - A partir dessa atualização, 69 coberturas estão sendo acrescentadas ao Rol dos planos de saúde, sendo 50 relativas a medicamentos e 19 referentes a procedimentos como exames, terapias e cirurgias. Na lista de medicamentos, estão 19 antineoplásicos orais que contemplam 28 indicações de tratamento para diversos tipos de câncer; 17 imunobiológicos com 21 indicações para tratamento de doenças inflamatórias, crônicas e autoimunes, como psoríase, asma e esclerose múltipla; e 1 medicamento para tratamento de doença que leva a deformidades ósseas. Na lista dos procedimentos estão exames, terapias e cirurgias para diagnóstico e tratamento de enfermidades do coração, intestino, coluna, pulmão, mama, entre outras.

Outras - Outras atualizações que não envolvem ampliação de cobertura fazem parte desse ciclo de revisão, entre as quais alterações em DUTs e aprimoramento de termos descritivos de procedimentos já elencados no Rol. Com isso, a Agência busca melhorar a redação e consolidar regras previstas em entendimentos já divulgados.

Avaliação - “Para chegarmos à tomada de decisão quanto aos procedimentos que devem ser incluídos, avaliamos um conjunto de critérios, entre os quais os benefícios clínicos comprovados, o alinhamento às políticas nacionais de saúde e a relação custo/efetividade. Feita essa rigorosa análise, os procedimentos incorporados são aqueles nos quais os ganhos coletivos e os resultados clínicos são os mais relevantes para o conjunto dos pacientes”, explica o diretor Rogério.

Primeira vez - Nesse sentido, pela primeira vez no processo de revisão do Rol foram utilizados, de modo sistematizado, dados de saúde e informações financeiras para a análise crítica das avaliações econômicas e para as estimativas de impacto orçamentário de cada tecnologia. Diante de um cenário de aumento dos custos em saúde e escassez de recursos, fenômeno que acontece mundialmente, o aprimoramento da utilização de informações econômicas no processo de atualização do Rol é fundamental para a tomada de decisão para a incorporação racional de novas tecnologias, em especial, aquelas de alto custo individual ou com grande frequência de uso, contribuindo para a garantia da sustentabilidade do setor de saúde suplementar. O conhecimento e os dados adquiridos nesse ciclo de atualização do Rol são insumos para a melhoria da qualidade de elaboração dos estudos de impacto orçamentário e análise crítica por parte da ANS, assim como promove qualificação das bases de dados utilizadas, em especial a utilização do TISS – Troca de Informações na Saúde Suplementar - para compor parte dessas avaliações.

Reuniões técnicas - Outros aspectos relevantes nesse processo de revisão do Rol foram as intensas reuniões técnicas realizadas para debater as propostas – 27 no total -, o apoio técnico e metodológico de instituições especializadas em Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS) para análise dos materiais, a transparência ao longo de todas as etapas e o amplo e detalhado conjunto de documentos disponibilizados à sociedade durante a consulta pública.

Validade - A Resolução Normativa que estabelece a nova lista de coberturas entrará em vigor no dia 1º/04/2021. Esse tempo é necessário para que as operadoras de planos de saúde se adequem à norma. O Rol de Procedimentos é válido para os beneficiários de planos de saúde contratados a partir de 02 de janeiro de 1999, os chamados planos novos, e para os usuários de planos contratados antes dessa data, mas que foram adaptados à Lei dos planos de saúde.

Consulta pública - A ampliação da participação social no processo de atualização do Rol foi um dos destaques desse ciclo de revisão das coberturas obrigatórias. A sociedade civil pôde participar em dois momentos: na fase inicial, mediante submissão de propostas de atualização através e formulário eletrônico; e posteriormente, na etapa de Consulta Pública, em que os interessados puderam contribuir para as propostas que foram submetidas à avaliação.

Contribuições - No período em que a consulta pública esteve aberta (de 08/10/2020 a 21/11/2020), a ANS recebeu 30.658 contribuições, um aumento de 500% em relação à última consulta pública para revisão da lista de coberturas, realizada em 2017, que teve 5.259 contribuições. Do total de sugestões recebidas, 50% (15.242) foram relativas a procedimentos; 47% (14.481) a medicamentos; e os 3% restantes relacionados a alterações em temos descritivos, no texto da Resolução Normativa e sobre as atualizações extraordinárias realizadas em 2020 por conta da pandemia de Covid-19. A maior parte das contribuições foi encaminhada por profissionais de saúde, seguido de pacientes e familiares, amigos ou cuidadores de pacientes.

Planilha - A ANS disponibiliza, em seu portal na internet, a planilha de todas as contribuições recebidas e a Nota Técnica nº 3, contendo a análise realizada.

Clique aqui para acessar todas as informações relacionadas à consulta pública 

 

Links - Clique nos links abaixo e confira as notas técnicas e anexos pertinentes ao tema:

(ANS)

 

                        PROCEDIMENTOS INCORPORADOS

1Antineoplasicos orais - final

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2Imunobiologicos - final

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3Procedimentos final

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4DUTs - final

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Versão para impressão


RODAPE