Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5027 | 12 de Março de 2021

PRÉ-ASSEMBLEIAS: O Sistema Ocepar se reinventou em 2020, diz presidente Ricken

 

Nesta sexta-feira (12/03), completa um ano desde que Sistema Ocepar realizou seu último evento presencial. Na ocasião, uma reunião de Núcleos com dirigentes cooperativistas do estado. Na mesma data, foi registrada a primeira morte por Covid-19 no Brasil. Passado um ano, a organização trabalha 100% de forma remota e não há expectativa de retorno ao presencial, ao menos a curto prazo, em função da propagação rápida e letal da Covid-19. Os números assustam: mais de 2 mil mortos por dia e um total de 270 mil vítimas desde o início da pandemia.

 

Adaptação - “Nesses 12 últimos meses, tivemos que nos reinventar, assim como todas as cooperativas. Nosso plano de trabalho foi refeito e adaptado para uma realidade que pegou a todos de surpresa”, disse o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, ao abrir, na manhã desta quinta-feira (11/03), a última das quatro reuniões da pré-Assembleia da entidade em formato virtual. Participaram cerca 70 cooperativistas do Núcleo Sudoeste. A reunião teve como anfitriãs seis cooperativas sediadas em Pato Branco: Cooperatradição, Transcooper, Uniprime do Iguaçu e Unimed Pato Branco.

 

Prestação de contas - A série de reuniões realizada nos núcleos cooperativos, conjuntamente com a reunião descentralizada das diretorias da Ocepar, Sescoop/PR e da Fecoopar, reuniu 70 cooperativas, de cinco ramos (agropecuário, crédito, saúde, transporte, trabalho e produção de bens e serviços), totalizando 517 participações. O objetivo foi apresentar um balanço das atividades do Sistema Ocepar no último ano e apresentar o plano de trabalho para 2021 das três casas que integram o Sistema Ocepar: o Sindicato e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Paraná (Sescoop/PR) e a Federação das Cooperativas do Paraná (Fecoopar).

 

Fase preparatória - “Estas reuniões são uma preparação para a Assembleia Geral Ordinária do Sistema Ocepar. Apresentamos uma síntese do nosso plano de trabalho para que os dirigentes cooperativistas possam opinar. Todas as sugestões serão incluídas para validação na AGO, que acontecerá no dia 5 de abril, ocasião em que também será comemorado os 50 anos da Ocepar”, disse Ricken. O secretário de Estado da Agricultura, Norberto Ortigara, participou dos encontros desta semana, representando o governador Ratinho Junior.

 

Participações - “O cooperativismo está conseguindo se sobressair, apesar das dificuldades. Mantemos as atividades, tendo sempre compreensão em relação à segurança e cuidado com a saúde, bem como a necessidade de apoiar os associados neste momento tão difícil”, ressaltou o coordenador do Núcleo Sudoeste, diretor da Ocepar e presidente da Sicredi Parque das Araucárias, Clemente Renosto. Também participaram da reunião, o vice-coordenador de núcleos e presidente da Coopertradição, Julinho Tonus, os integrantes do Conselho Fiscal da Ocepar, a dra. Wemilda Marta Fregonese e Paulo Pinto de Oliveira Filho, e o conselheiro fiscal da Fecoopar e presidente do Sincoopar Sudoeste, Nelson de Bortoli. As apresentações das cooperativas anfitriãs foram realizadas por Fernando Tonus (Coopertradição), Cesar Souza (Uniprime Iguaçu), dr. Antonio Motizuki (Unimed Pato Branco).

 

PRC 200 - Após a apresentação das atividades da Ocepar, Sescoop/PR e Fecoopar, o presidente José Roberto Ricken trouxe informações sobre o PRC 200, o novo planejamento estratégico do cooperativismo paranaense. “Atingimos a meta do PRC 100 e agora lançamos um novo desafio que tem como visão principal investir no crescimento do setor e evidenciar para a sociedade que a nossa vocação é a cooperação. É isto o que nos move e nos fortalece”, destacou o dirigente. “Somos grandes do ponto de vista econômico e social, competitivos, atuamos com profissionalismo, e buscamos inovar sempre para oferecer o melhor para nossos cooperados e clientes. Esta mensagem tem que ser propagada. Paralelo a isso, vamos investir em inovação e em pessoas, com treinamentos, capacitação e formação profissional. Daí sim teremos uma estrutura que vai nos levar para frente e para a meta dos R$ 200 bilhões em faturamento”, concluiu.

Covid - O momento delicado que o país atravessa também foi citado. “As cooperativas querem ajudar, porque as pessoas estão morrendo e gostaríamos muito que o Sistema Ocepar seja o nosso porta voz, levando para o governo e órgãos competentes, esta nossa vontade de ajudar a combater essa terrível doença. Precisamos de vacinas urgente”, destacou o presidente da Coopertradição, Julinho Tonus. “O sistema de saúde está em colapso. Hospitais lotados e profissionais esgotados.  Precisamos unir forças para enfrentar essa situação. Temos que focar nas vacinas são necessárias, mas também fazer algo agora, para evitar que mais pessoas morram até que a imunização ocorra”, reforçou a presidente da Unimed Francisco Beltrão, a médica Wemilda Marta Fregonese.

{vsig}2021/noticias/03/12/pre_assembleia/{/vsig}

RECONHECIMENTO: Inscrições ao Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão estão abertas até 30 de abril

 

reconhecimento 12 03 2021A cada dois anos, o Sescoop promove o Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão, com o objetivo de reconhecer as cooperativas de todo o país que se destacam por promover o aumento da qualidade e da competitividade de suas atividades e estão avançando por meio da adoção e desenvolvimento de boas práticas de identidade cooperativista, governança e gestão. As inscrições da edição 2021 foram abertas no dia 8 de fevereiro e irão até o dia 30 de abril, por meio do site http://excelencia.premiosomoscoop.coop.br/.

Participação - Podem participar todas as cooperativas singulares, centrais ou federações registradas e regularizadas com o Sistema OCB.

Avaliação - O Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão usa os mesmos instrumentos de avaliação dos diagnósticos de governança e gestão. Cada cooperativa é avaliada de acordo com a sua categoria e nível de maturidade. Aquelas que alcançarem a pontuação definida pela Banca Julgadora recebem o Selo da Excelência. Entre as cooperativas com selo, serão premiadas as que obtiverem os maiores índices. A cooperativa que apresentar as melhores práticas de Governança será eleita Destaque Governança Cooperativista.

Premiadas - Na última edição do Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão, realizada em 2019, foram premiadas 56 cooperativas brasileiras, entre as quais as paranaenses C.Vale, Unimed Cascavel, Unimed Londrina e Cocamar.

Excelência - Segundo o coordenador de Gestão Estratégica do Sescoop/PR, Alfredo Benedito Kugeratski Souza, a expectativa é de que um bom número de cooperativas paranaenses participe do Prêmio neste ano. Na avaliação dele, isso é importante, especialmente porque valoriza e reconhece o trabalho que as cooperativas estão realizando nesta área, com apoio do Sistema Ocepar. “É a consequência do empenho delas em melhorar a cada dia as práticas de gestão e governança”, destaca. No Paraná, as cooperativas contam com o apoio do Programa de Excelência da Gestão do Cooperativismo Paranaense - PEGCoop, lançado em 2016, a partir da implementação do PRC 100, no pilar Governança e Gestão, que tem como objetivo “evoluir as práticas de gestão e de governança, incentivando a melhoria contínua para ampliar a competitividade, maximizar os resultados e transformar os modelos de negócios das cooperativas, tornando-os cada vez mais eficientes e resilientes”, esclarece Souza. O Programa de Excelência conta atualmente com a adesão de 52 cooperativas paranaenses.

Mais - Os interessados podem entrar em contato com coordenador de Gestão Estratégica do Sescoop/PR, Alfredo Benedito Kugeratski Souza, para se informar sobre o Prêmio de Excelência em Gestão e obter mais destalhes ligados ao PEGCoop pelo e-mail: gestaoestrategica@sistemaocepar.coop.br.

 

FORMAÇÃO: Profissionais da Coacipar são capacitados em gestão de processos

 

Nesta quinta e sexta-feira (11 e 12/03), as equipes das áreas tático e estratégica da Coacipar - Cooperativa de Agricultura Familiar e Solidária do Paraná estão sendo orientadas sobre o lançamento de novos produtos, abrangendo o desenvolvimento da gestão por processos. Esse é o tema do segundo módulo do Programa de Desenvolvimento Regional, implementado em parceria com o Sistema Ocepar, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR).

Conteúdo - Ao todo são oito horas de capacitação, realizada em formato virtual, por meio da plataforma Google Meet, com a participação de gestores e diretores da cooperativa. O professor Jameson Emanoel Moreira, da Velg Assessoria Empresarial, está abordando os seguintes conteúdos: Definição de cadeia de valor (fluxo de valor), Estruturação do roadmap de processos (projeto de priorização), Mapeamento de processos AS IS (entendimento, padronização e diagnóstico funcional), Modelagem de processos TO BE (identificação oportunidades e necessidades de melhoria), Definição de papeis e responsabilidades (RACI) e Estruturação de indicadores de performance (KGIs e KPIs).

Treinamento - O Programa contempla a realização de três módulos, somando 24 horas/aula de treinamento. O próximo ocorrerá no dia 16 de março e vai abordar o tema “Gestão de custos”, tendo como instrutor Celson Salviato, da Scelta Office Management. A formação começou nos dias 4 e 5 de março, tratando de “Plano de negócios”, com a instrutora Vivian Schlemm de Albuquerque, da Kreativ Factory Consultoria e Treinamento Ltda.

 

O Programa- O Programa de Desenvolvimento Regional foi idealizado e construído pelo Sescoop/PR, envolvendo as coordenações de profissionalização e monitoramento e a equipe de analistas das regiões Norte e Noroeste, em conjunto com a diretoria da Cooperativa Coacipar e instrutores contratados para o treinamento. O objetivo é capacitar as equipes tático e estratégica da Coacipar nos conceitos necessários para lançamento de novos produtos, abrangendo o desenvolvimento de plano de negócios, gestão por processos e gestão de custos, a fim de melhorar seu posicionamento no mercado.

 

Coacipar - Com sede em Paranavaí, a Coacipar é uma das cooperativas que atuam na produção de laranja, que está concentrada nas regiões Norte e Noroeste do Paraná, em razão das condições climáticas. Ela atua nos municípios de Alto Paraná, Atalaia, Cianorte, Corumbataí do Sul, Flórida, Floraí, Guairaçá, Nova Esperança, Paranavaí, Presidente Castelo Branco e Rolândia.

 

Certificação - A Coacipar possui a certificação internacional de Fair Trade (Comércio Justo), o que possibilita uma melhor negociação no preço pagos aos seus cooperados e ainda abriu as portas do mercado europeu e asiático para o suco da cooperativa. Devido a certificação, toda a produção é vendida para a Citri Agroindustrial S.A, que destina a matéria-prima para a produção do suco FCOJ ou NFC. Depois, a empresa exporta e realiza fechamento de safra com a Coacipar.

 

Histórico - Em 1995, um grupo de produtores de laranja decidiu criar a Associação dos Citricultores do Paraná (Acipar), como forma de unir forças para impulsionar seu negócio. Em 1999, a Acipar obteve a certificação da Fairtrade Labelling Organizations International (FLO), uma certificadora internacional, referente ao selo de comércio justo. Em 2011, os produtores decidiram criar a Coacipar (oficialmente estabelecida em 23 de fevereiro de 2012).

 

{vsig}2021/noticias/03/12/formacao/{/vsig}

COVID-19 I: Confira os novos destaques da área destinada ao coronavírus no Portal PR Cooperativo

covid I 12 03 2021A Área Covid-19 do Portal Paraná Cooperativo é atualizada toda sexta-feira com as notícias que foram destaques durante a semana no Informe Paraná Cooperativo e na Rádio Paraná Cooperativo. Lá, é possível acessar também os comunicados do Comitê de Acompanhamento e Prevenção da Covid-19 do Sistema Ocepar. Há ainda uma seção de perguntas e respostas, com esclarecimentos relativos à pandemia. Clique aqui e confira.

 

COVID-19 II: Saúde envia 37 ventiladores pulmonares para a região Oeste

 

A Secretaria de Saúde do Paraná enviou para o Oeste do Estado, nesta quinta-feira (11/03), 37 ventiladores pulmonares doados por 11 cooperativas paranaenses da região que foram mobilizadas por meio do Sistema Ocepar. Os equipamentos serão utilizados para equipar leitos de UTI no tratamento da Covid-19.

 

União de forças - “Os recursos são finitos e no atual cenário todos os esforços da rede pública e privada têm sido de grande ajuda para unirmos forças no combate a esta doença que tem se alastrado cada dia mais em todo o mundo. Estamos enviando estes ventiladores para viabilizar a abertura de novos leitos no Oeste do Estado, considerando a grande demanda por leitos exclusivos de atendimento ao coronavírus na região”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

 

Ocupação dos leitos - De acordo com a Regulação de Leitos Estadual, a macrorregião Oeste chegou a 90% de ocupação dos leitos de UTI Adulto, contando com apenas 28 leitos disponíveis para atendimento. Cerca de 260 pessoas aguardavam internação em leito exclusivo até a manhã desta quarta-feira (10/03).

 

Situação preocupante - “A situação é preocupante em todo o Paraná. O Governo do Estado tem atuado em todos os sentidos para garantir a assistência hospitalar a todos os pacientes, mas infelizmente não há como conter o avanço desta doença sem a colaboração de todos. Por isso, reforçamos a importância de retomar os cuidados básicos de higiene, distanciamento e isolamento”, ressaltou o secretário.

 

Doação - Os equipamentos totalizam um investimento de R$ 2,2 milhões. Onze cooperativas participaram desta ação: Lar, C.Vale, Copacol, Coopavel, Frimesa, Copagril, Primato, Sicredi Vale do Piquiri Abcd PR/SP, Sicredi Nossa Terra PR/SP, Sicredi Progresso PR/SP e Sicredi Aliança PR/SP.

 

Agradecimento - “Agradecemos a colaboração das cooperativas nesta rede de solidariedade que tem fortalecido o sistema hospitalar do Estado e ajudado a salvar vidas”, finalizou Beto Preto. (Com informações da Agência de Notícias do Paraná)

 

FOTOS: Américo Antonio / Sesa

 

{vsig}2021/noticias/03/12/covid_19/{/vsig}

 

 

FALECIMENTO I: Sistema Ocepar lamenta morte do cooperativista Eudes Aquino

falecimento I 12 03 2021O presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, lamentou a morte do médico nefrologista Eudes de Freitas Aquino, ocorrido na última terça-feira (09/03). Natural de Natal, Rio Grande do Norte, Eudes, 72 anos, era mestre e doutor em Clínica Médica (Nefrologia). Foi também presidente da Unimed Brasil, da Unimed Piracicaba (SP), da Federação São Paulo – da qual era atualmente assessor da presidência, e um dos criadores da Federação Intrafederativa Centro Paulista, a qual presidiu. Desempenhou fundamental papel como membro do board da Aliança Cooperativa Internacional (ACI), do Conselho Administrativo do Sescoop/SP, e foi primeiro vice-presidente da Cooperativa das Américas (região da ACI) e vice-presidente da Organização Internacional das Cooperativas de Saúde - IHCO.

Pesar - "Com tristeza, perdemos mais uma importante liderança do cooperativismo brasileiro. Com certeza, deixa um importante legado de realizações no sistema, em especial no cooperativismo de saúde, onde desempenhou várias funções de liderança. Nossos mais profundos sentimentos a seus familiares, amigos e colegas", frisou Ricken. Em nota, o presidente da Unimed Brasil, o paranaense Orestes Pulin, afirmou: “Exímio defensor do cooperativismo, Eudes escreveu uma história admirável nos anos em que esteve ao nosso lado, marcando profundamente todos os que tiveram o privilégio de contar com sua sabedoria, experiência e amizade.”.

Revista PR Coop - Em outubro de 2009, Eudes Aquino, então presidente da Unimed Brasil, foi o entrevistado especial da revista Paraná Cooperativo, editada pela Comunicação Social do Sistema Ocepar. A edição da época tinha como matéria de capa o importante trabalho realizado pelas cooperativas do ramo saúde no Brasil. Na época a maior preocupação de Eudes era que o Sistema Unimed fosse reconhecido pelo que é: uma cooperativa de médicos. Sem essa distinção, o governo quer colocar a gente na vala comum, junto com empresas mercantis. Tudo isso paira sobre o cooperativismo como uma sombra, um terror....Não queremos benesse, nem dos órgãos tributários federais e nem tão pouco da ANS. Queremos somente ser reconhecidos como cooperativas que somos, para termos o adequado tratamento tributário, e não o tratamento massificado, diante do qual a gente se sente injustiçado e alvo dele”.  E completou em uma das respostas da entrevista: “as cooperativas funcionam dentro da extrema legalidade. É um segmento organizado que não tem nenhuma evasiva fiscal e nem contábil. E por elas crescerem muito e girarem muitos recursos, viraram alvo dessa política extrativista do governo federal”.

Íntegra - Veja na íntegra esta entrevista de Eudes Aquino a revista Paraná Cooperativo neste link: http://www.paranacooperativo.coop.br/ppc/images/Comunicacao/2017/revista/2009/rev_N53_out_2009.pdf

 

FALECIMENTO II: Coopavel lamenta morte do arcebispo Dom Mauro

A Coopavel lamenta profundamente a morte do arcebispo metropolitano Dom Mauro Aparecido dos Santos, ocorrida na noite desta quinta-feira (11/03), em Cascavel (PR). Aliado dos produtores rurais, Dom Mauro tinha relações intensas com o Show Rural Coopavel, cabendo a ele nos últimos anos a celebração da missa de abertura do evento.

Legado - Dom Mauro deixa um grande legado de amor, dedicação e espiritualidade às comunidades de Cascavel e da região. Somos muito gratos por suas palavras e exemplos. Que, ao lado do Criador, Dom Mauro encontre a paz e o descanso eterno. No dia 3 de fevereiro de 2020, Dom Mauro, após a realização da tradicional missa de abertura do Show Rural Coopavel, realizou a benção da Casa Paraná Cooperativo, inaugurada naquele ano para receber milhares de cooperativistas do Brasil. Na ocasião, ele disse: “esse ambiente simboliza o gesto de dar as mãos, de somar pela produção que alimenta o homem e as suas famílias”. (

{vsig}2021/noticias/03/12/coopavel/{/vsig}

 

FOTO: Myckael Allan

 

COOPERATIVISMO: Panorama Coop traz análises da semana sobre os principais fatos de interesse do setor

cooperativismo 12 03 2021Desde março de 2020, o Sistema OCB publica, semanalmente, análises sobre vários temas e seus impactos para as cooperativas. São informações que tratam de política, economia, reforma tributária, pleitos do cooperativismo em tramitação no Congresso Nacional, normativos e medidas tributárias publicadas pelo governo. Neste ano, essas análises passaram a ser divulgadas por meio do Panorama Coop, uma newsletter atualizada todas as quintas-feiras. Liderança e protagonismo feminino são os destaques da edição desta semana. Como países, cooperativas e outras organizações comandadas por mulheres têm se destacado em gestão e resultados? A OCB preparou uma análise especial sobre esse cenário e selecionou histórias de lideranças femininas no coop, além de iniciativas desenvolvidas pelo setor. Veja também atualizações sobre a PEC Emergencial e a Reforma Tributária. Há ainda um artigo sobre o tema “Mulheres” e outras notícias que falam sobre sustentabilidade. Confira!

Análise econômica - Na análise desta semana, mostramos como países liderados por mulheres têm sido assertivos no combate à pandemia. Um exemplo que comprova a força e a capacidade de lideranças femininas. Mesmo com tantos desafios, elas têm se destacado cada vez mais no mercado de trabalho, com crescimento potencial nos cargos de gestão. E o cooperativismo está no caminho certo, sempre em busca de uma maior participação feminina em posição de chefia. Confira histórias e ações que mostram como isso tem acontecido, e como cooperativas lideradas por mulheres têm conduzido os negócios com resiliência durante a crise. Acesse a Análise Econômica

Clique aqui e acesse todas as análises anteriores!

Análise tributária - A Câmara dos Deputados aprova esta semana a PEC Emergencial. O trecho aprovado pelas duas Casas irá para promulgação. Assim, seguindo a agenda reformista, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJC) irá trabalhar na Reforma Administrativa, enquanto o relatório da Reforma Tributária deverá ser apresentado na semana que vem. “É importante que a Câmara dos Deputados termine a votação da PEC Emergencial ainda hoje para avançarmos em outros assuntos, como as reformas administrativa e tributária. A expectativa é que o relatório da reforma tributária seja apresentado já na próxima semana”, afirmou o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira.

Protagonismo feminino - É hora de assumir definitivamente nosso papel. O Dia Internacional da Mulher é uma data emblemática por dar visibilidade à situação das mulheres no mundo e tornar pública a busca pela efetivação dos seus direitos. Mas, em pleno no século XXI, é notório também que esses direitos precisam ser discutidos e assegurados diariamente e, principalmente, de forma mais intensa, quando violados.

Leia mais!

Clique aqui para conferir o Panorama Coop na íntegra

CREDICOAMO: Cooperativa tem melhor ano de sua história com sobras de R$ 120 milhões

credicoamo 12 03 2021Centenas de associados da Credicoamo Crédito Rural Cooperativa participaram, na tarde deste 11 de março de 2021, da 31ª Assembleia Geral Ordinária e 1ª Assembleia Digital. Conectados em toda a área de ação da cooperativa nos Estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, eles aprovaram as contas do Exercício 2020 e a destinação das sobras. A sobra líquida e o lucro líquido gerados pelos produtos e serviços totalizou o montante de R$120,02 milhões, com crescimento de 21,86% sobre o ano anterior. A partir desta sexta-feira, 12 de março, nas 46 agências da Credicoamo, os cooperados irão receber o valor das suas sobras proveniente da movimentação nas operações em 2020.

Coordenação - O engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, idealizador e presidente do Conselho de Administração da Credicoamo, conduziu os trabalhos da Assembleia Geral na mesa principal ocupada também pelo vice-presidente do Conselho de Administração Cláudio Franciscio Bianchi Rizzatto e do secretário Ricardo Accioly Calderari, e os presidentes Executivos da Credicoamo, Alcir José Goldoni e da Coamo, Airton Galinari.

Canais digitais - O ano de 2020 foi marcado pela implantação do novo sistema de governança corporativa, aprovado em Assembleia de associados, pelo qual o Conselho de Administração define as estratégias e a Diretoria Executiva faz a sua gestão. Os impactos da pandemia do coronavírus na economia como um todo, exigiram da Credicoamo várias medidas de prevenção, desde a alteração de horário de trabalho a procedimentos operacionais, para garantir a saúde dos funcionários, associados, parceiros e familiares. “Nesse sentido, focamos os canais digitais como a principal ferramenta de atendimento aos associados e as ações desenvolvidas resultaram num crescimento de 75,5% das contas cadastradas e com mais de 575 mil operações realizadas”, informa   Alcir José Goldoni, presidente Executivo da Credicoamo.

Desempenho - Apesar da redução das taxas de juros o desempenho econômico e financeiro da Credicoamo no exercício de 2020, apresentou receita global de R$ 193,62 milhões, resultado de 15.425 operações de crédito no montante de R$ 2,27 bilhões, com crescimento de 24,73%. Esta performance está distribuída nas diversas linhas de financiamento. O ativo total administrado atingiu o montante de R$ 3,84 bilhões representando um crescimento de 20,54% e o patrimônio líquido de R$ 854,84 milhões, representando uma evolução de 16,23%, em relação ao ano de 2019.

Fatos - Entre as ações que marcaram as atividades da Credicoamo em 2020, destacam-se o termo de intercooperação da Credicoamo com a Coamo buscando uma melhor sinergia para atendimento das demandas dos associados; o lançamento da Credicoamo Poupança Feliz; a disponibilização do PIX (Sistema de Pagamentos Instantâneo) e o lançamento de novas linhas de crédito e a reestruturação dos canais de comunicação do associado com a sua cooperativa de crédito – Central de Atendimento e Ouvidoria.

Ranking - De acordo com o ranking divulgado pelo Banco Central do Brasil, entre as 426 instituições financeiras que atuaram no crédito rural em 2020, compreendendo bancos e cooperativas de crédito, a Credicoamo melhorou seu posicionamento passando de 16ª para 14ª instituição em valor financiado, de 10ª para 9ª em número de operações contratadas e, para nossa satisfação a Credicoamo é a 1ª cooperativa singulares de crédito.

Balanço Social - A missão da Credicoamo é agregar renda às atividades do associado por meio de soluções sustentáveis e desenvolver a região e sociedade onde ela está localizada. A Credicoamo encerrou o ano com 20.922 associados, representando um crescimento de 5,11%, e o quadro de funcionários encerrou o ano com 292 colaboradores. Quanto ao recolhimento de tributos, em 2020 foram recolhidos tributos e taxas no valor R$ 23,56 milhões.

Ano histórico - O presidente do Conselho de Administração José Aroldo Gallassini destaca que vários foram os desafios apresentados em 2020, mas com a compreensão e participação ativa dos associados, todos foram vencidos. “Tudo aliado à aplicação das diretrizes corporativas da cooperativa e o sentimento de pertencimento dos associados, que estão cada vez mais transformando a sua cooperativa de crédito em seu domicílio financeiro. Em todos os aspectos, podemos considerar 2020 como o melhor ano da Credicoamo em seus 31 anos de atividades.” (Imprensa Coamo)

 

SICREDI: Entre as instituições que mais liberaram recursos ao agronegócio, segundo rankings do BNDES e Febraban

sicredi 12 03 2021O Sicredi, instituição financeira cooperativa com mais de 4,8 milhões de associados e atuação em 24 estados brasileiros e no Distrito Federal, mais uma vez obteve destaque no ranking de desembolsos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em 2020. A lista tem como objetivo identificar o desempenho das instituições financeiras nas operações indiretas, isto é, aquelas em que o BNDES participa indiretamente no repasse de recursos por meio de um agente financeiro credenciado.

Primeiro lugar - A instituição conquistou o 1º lugar no total de operações indiretas realizada para Pessoa Física (PF) e nos repasses dos Programas Agrícolas do Governo Federal, com destaque para a 1ª posição em concessões de crédito para o Pronaf Investimento, para o Inovagro, para o Moderagro e para o Pronamp Investimento. No total das Operações Indiretas do BNDES, o Sicredi ocupou o 2° lugar.

Ranking Febraban - Além do reconhecimento pelo BNDES, a instituição também se destacou no ranking da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) sobre Crédito Rural, referente a valores concedidos no ano passado. Na lista, o Sicredi se tornou a 2º maior instituição financeira na concessão de crédito destinado ao agronegócio no fechamento de 2020. O saldo da carteira de crédito para o setor alcançou R$ 31,5 bilhões, representando 9,04% do saldo total concedido por todas as instituições no período.

Relacionamento - O bom desempenho do Sicredi nas colocações é reflexo do relacionamento muito próximo e diferenciado da instituição com os associados do campo, que permite conhecer a realidade e atender as necessidades dos agricultores de maneira personalizada nas cinco regiões brasileiras.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI FRONTEIRAS: Iniciada a distribuição dos resultados aos associados

sicredi fronteiras 12 03 2021A Sicredi Fronteiras PR/SC/SP realizou, na noite de 22 de fevereiro, a sua primeira assembleia digital, sendo a primeira da cooperativa e também pioneira no Sistema Sicredi a constituir uma assembleia 100% online. Já a Assembleia Geral Ordinária (AGO) reuniu os coordenadores de núcleo, também de forma digital, no dia 8 de março, quando foram deliberados os assuntos tratados em assembleia com os associados.

Crescer juntos - Segundo José César Wünsch, presidente da Sicredi Fronteiras, 2020 foi de muitas adversidades no mundo todo e poder apresentar um resultado positivo no final do ano, mostra o quanto a cooperativa e os associados podem crescer juntos.

Participação efetiva - “Graças a essa participação efetiva dos nossos associados, a Cooperativa conseguiu concluir 2020 com mais de 5 mil novos cooperados, chegamos a 2,2 bilhões em recursos administrados e crescemos mais de 50% na carteira de crédito, isso nos possibilitou no dia 9 de março, iniciarmos a distribuição dos resultados”, afirma o presidente.

Diferencial - A distribuição dos resultados é um diferencial ofertado aos associados das cooperativas de crédito integrantes do Sistema Sicredi, que incentivam o desenvolvimento social e econômico de todas as regiões onde atuam nesses mais de 118 anos de história e têm sempre no associado a sua principal razão de ser.

Região - Ao participar da economia local, o associado faz com que os recursos sejam investidos na própria região, criando assim um Ciclo Virtuoso, com a geração de resultados e crescimento para o associado, para a região e para a Cooperativa que também se desenvolve.

Resultados gerados - Conforme Paulo Vinícius Padilha, gerente de captação da Sicredi Fronteiras, um dos reflexos do desenvolvimento das cooperativas são os resultados gerados a partir dos negócios realizados com seus associados. “Por isso falamos que o associado Sicredi ganha três vezes. Primeiro por ter acesso a todos os produtos e serviços financeiros com preço justo e um atendimento diferenciado, segundo porque os resultados dos negócios gerados ficam na região e desenvolvem a economia local, e terceiro e não menos importante: o associado por ser ao mesmo tempo usuário e dono da cooperativa, ou seja, ele faz parte dos resultados gerados”, conclui Padilha.

Valores - Neste ano, no dia 9 de março, os cooperados que já receberam no dia 19 de dezembro, R$ 1,9 milhão referente aos juros ao capital, também receberam o valor de R$ 10,5 milhões, depositados em suas poupanças, o que corresponde a 30% do resultado de 2020.

Canais - Confira a sua participação nos resultados da cooperativa através do Internet Banking, App Sicredi ou vá até a sua agência.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 4,9 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.900 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br). (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP)

*Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI UNIÃO PR/SP: Campanha promove solidariedade, sorteia prêmios e dá “fôlego” para projetos assistenciais

sicredi uniao 11 03 2021Por definição simples e pura, solidariedade é o ato de ajudar o próximo, seja esse auxílio material ou emocional. Na prática, entretanto, a aplicação do termo vai muito além da contribuição financeira ou do alívio da consciência de quem doa ou se doa. Ser solidário é, também, ser altruísta e empático, permitindo-se sentir a necessidade do outro para, de alguma forma, tentar ajudá-lo.

Satisfação - Se por um lado a solidariedade é importante para aqueles que enfrentam alguma dor ou necessidade, por outro ela pode ser gratificante para quem ajuda. Quando um indivíduo colabora ou coopera com outro é tomado por sentimentos de satisfação, utilidade e pertencimento. Dessa forma, o bem pode ser multiplicado na vida de quem colabora e também na daqueles que foram tocados pelo gesto de cooperação.

Corrente do bem - E foi assim, baseadas neste amplo conceito de solidariedade, que 400 mil pessoas adquiriram cupons da Campanha União Solidária, realizada respectivamente pelo Lions Clube Paranavaí, Lions Clube de Londrina Igapó e Rotary Club de Piracicaba. A ação tem o apoio das cooperativas Sicredi União PR/SP e Cocamar, que doaram os prêmios sorteados ao final da campanha.

Prêmios - Iniciada em março de 2020 e encerrada em fevereiro de 2021, com o sorteio de três carros modelo Fiat Mobi e 21 motocicletas Honda CG 160 Start, a ação arrecadou R$ 4 milhões nesta edição. O valor foi angariado graças ao empenho e envolvimento de 466 entidades, de 131 municípios nos dois estados. Todo o dinheiro arrecadado foi revertido integralmente para os 528 projetos sociais participantes.

Instituições também ganham - Esse foi o terceiro ano consecutivo da campanha, que acontece nas três regiões de atuação da Sicredi União PR/SP: norte e noroeste do Paraná e Centro e Centro-leste Paulista, no interior de São Paulo. As instituições que venderam os cupons premiados também ganharam uma motocicleta. Em cada região foram sorteados um carro e sete motos pela Loteria Federal.

Entrega - Os prêmios serão entregues, na Regional Norte da Sicredi União PR/SP, na terça-feira (16/03), em solenidade virtual, às 9 horas. Apenas os ganhadores e representantes das entidades ganhadoras irão às agências para receber os prêmios de forma simbólica. Participaram da solenidade, por meio de plataforma eletrônica, o presidente da cooperativa Wellington Ferreira, e o diretor executivo Rogério Machado; e os presidentes de Lions e Rotary que realizaram a campanha.

Premiados - Na Regional Norte, o ganhador do Fiat Mobi foi Hélio Gomes, de Itapeva, que adquiriu um cupom da Associação Assistencial Meimei. “Foi uma surpresa enorme e muito boa”, conta ele, que comprou 10 bilhetes de um amigo voluntário da associação “para ajudar”. Quando soube que tinha ganhado o carro achou que fosse trote. “Foi a primeira vez que ganhei alguma coisa”, comemora.

Incremento - Se para Hélio a alegria foi grande, para a Associação a ajuda dele e de centenas de outros que contribuíram ao adquirir um cupom, foi essencial para o incremento e manutenção do trabalho realizado. Criada em 2003, a Associação tem orgulho do trabalho realizado até hoje. Mais de cinco mil adolescentes entre 14 e 18 anos, a grande maioria encaminhada pelo Centro Regional de Assistência Social (CRAS) e também, em número menor, pelo programa de Liberdade Assistida, já foram atendidos pela associação. “Hoje, vemos muitos de nossos ex-alunos trabalhando no serviço público, outros como gerentes de RH, escrivães, advogados, fisioterapeutas, entre tantas outras profissões”, relata Ademar Manoel de Jesus, orientador social da associação, localizada na cidade de Itaberá (SP), com cerca de 20 mil habitantes.

Projeto - Segundo Ademar, a entidade, havia muito tempo, tinha o projeto de equipar uma sala de jogos para ajudar tanto no aprendizado quanto no entretenimento dos adolescentes atendidos. E tirá-lo do papel parecia ainda mais distante desde que iniciou a pandemia e as colaborações foram reduzidas.

Sonho realizado - Com a campanha União Solidária, a entidade, que hoje atende 210 jovens, conseguiu angariar R$ 8.880,00. Com o dinheiro, adquiriu jogos de tabuleiro, que ajudam no desenvolvimento do raciocínio; um aparelho de TV, playstation, rack, tapetes e pufs coloridos, proporcionando um ambiente agradável, confortável e que, segundo Ademar, irá despertar maior interesse dos alunos, além de auxiliar nas aulas. “Não teríamos conseguido esse feito se não fosse a Campanha União Solidára”, destaca ele. Além dos recursos, a associação, por ter vendido o bilhete premiado, ganhou também uma moto, que se transformará em recursos para ajudar a manter a entidade. “Nossa ideia é fazer rifa e investir os recursos na entidade. Com a queda na arrecadação, até porque não conseguimos realizar nossos eventos para arrecadar dinheiro, estamos precisando muito de fundos para a continuidade dos trabalhos”, conta ele.

Alvorada do Sul - Lidiane Sposi, moradora de Alvorada do Sul (PR), contemplada no sorteio com uma das motocicletas, conta que na medida do possível ela e sua família prestam apoio a entidades assistenciais, não olhando a quem ajudam, mas sim, a quem realmente precisa. “Em dezembro soubemos da campanha e como já conhecíamos os trabalhos realizados pela entidade vendedora dos cupons, imediatamente compramos dois deles. Para nossa surpresa, agora fevereiro, recebemos uma ligação informando que havíamos sido sorteados, e que a instituição que ajudamos também foi igualmente premiada. Ficamos muito felizes, não apenas por causa do prêmio, mas porque quando plantamos a semente do bem sempre somos recompensados de alguma maneira”, relata.

Ampliação - Ao adquirir os cupons, Lidiane colaborou com a Associação Obras Sociais Olimpia Ferreira, que assiste 45 crianças e adolescentes. “A campanha foi muito importante para nós, pois com o valor arrecadado pretendemos ampliar nosso espaço de atendimento e construir mais um banheiro”, esclarece Jéssica Vieira de Carvalho, presidente da entidade.

Ibiporã - Neyde Zacheo, que é professora em Ibiporã (PR), comprou três cupons e também costuma adquirir rifas para ajudar a igreja e entidades locais. Ele diz que muitas vezes nem olha os prêmios que serão sorteados, compra mesmo para ajudar os mais necessitados. “Desta vez não foi diferente. Comprei um cupom e depois comprei mais dois para colaborar com a Capela Nossa Senhora de Guadalupe, que está precisando construir salas de catequese para as crianças. Fiquei muito feliz por ter sido contemplada, mas também porque, além de ser beneficiada com a arrecadação da venda de cupons, a capela também ganhou uma motocicleta”, declara.

Cambé - A participação do pintor Isaias Geraldo da Silva na Campanha União Solidária, também foi motivada pela cooperação. Ele explica que há cerca de sete anos colabora sempre que pode com a Instituto Renovando Vidas, da cidade de Cambé (PR), onde mora. “Achei a ideia da campanha excelente. Quando soube que, além de concorrer aos prêmios, a entidade também poderia ganhar, não pensei duas vezes. Tem gente que joga dinheiro fora com festas, bebidas e outras coisas dispensáveis, então por que não ajudar quem precisa, lutar um pouco pelo nosso próximo? Estou muito emocionado por ter proporcionado essa ajuda ao instituto e ansioso para receber minha moto”, revela entre risos.

Suplementos - De acordo com Áurea Oliveira, presidente da Instituto Renovando Vidas, a campanha é extremamente importante para a entidade porque eleva as doações feitas à unidade assistencial, que conta com a colaboração da comunidade para cumprir com seus compromissos. Áurea explica que o valor arrecadado com a venda dos cupons será destinado à aquisição de suplementos alimentares para crianças e idosos acamados, que dependem de sonda para se alimentar. Como o custo desse tipo de alimento é alto, a instituição toma a frente da assistência até que a Secretaria de Saúde do município venha a atender essas famílias.

Sobre a campanha - A ‘União Solidária’ tem apoio do Sicredi União PR/SP, mas cabe ao Lions e ao Rotary organizar as entidades, selecionar os beneficiados e distribuir os cupons da campanha para venda, de acordo com os projetos inscritos e aprovados no site www.campanhauniaosolidaria.com.br, além de realizar o sorteio. O objetivo da campanha é que as entidades vendam os cupons e, com os recursos obtidos, possam investir em seus projetos de transformação social. Os valores arrecadados são aplicados integralmente na finalidade apresentada e, ao final campanha, a entidade tem que fazer a prestação de contas do seu projeto que pode ser voltado para as áreas social, educacional, esportiva, pets, saúde, meio ambiente, cultura, entre outros. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICOOB OURO VERDE: Cooperativa realiza reunião preparatória e apresenta resultados de 2020

sicoob ouro verde 12 03 2021No dia 3 de março, o Sicoob Ouro Verde realizou sua reunião preparatória para Assembleia Geral Ordinária. O encontro foi on-line e reuniu cerca de 2 mil cooperados do Paraná, São Paulo e do Amapá, estados de atuação da cooperativa. Durante o evento, foi feita uma antecipação dos números da cooperativa que serão apresentados na AGO, no dia 24 de março. Entre esses resultados está o crescimento de 24% no número de agências, que agora são um total de 47 e o atingimento da marca de 49 mil cooperados (27% a mais).

Operações de crédito - Em operações de crédito, a cooperativa chegou a mais de R$ 982 milhões, resultado 52% maior do que em 2019 e mais de R$ 1,4 bilhões em ativos totais, além de mais de R$ 1 bilhão em Recursos Administrados, um aumento de 36%.

Momento importante - O diretor-presidente do Sicoob Ouro Verde, Elisberto Torrecillas, comentou que o momento é muito importante, pois é a hora de compartilhar, acumular e comemorar. “Em 2020, encontramos muitos obstáculos, mas todos foram superados. Mesmo com as dificuldades, buscamos saídas para proteger o nosso cooperado”, afirma.

Novas estratégias - Para presidente do Conselho de Administração, Roberto Cremonez, os desafios do ano passado contribuíram para que a cooperativa crescesse e traçasse novas estratégias para lidar com o mercado. “Foi um ano complicado, mas de muito aprendizado e resultado positivo. Nós nos superamos”, ressalta.

Solidariedade - Para cada acesso que a cooperativa teve na transmissão, o Sicoob Ouro Verde irá doar R$ 5 reais para o Hospital do Câncer de Londrina. Com 2 mil acessos, a doação será de R$ 10 mil. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

COOPAGRÍCOLA: Evento agro digital será realizado de 15 a 22 de março

Em ritmo de pandemia, estamos construindo formas de permanecer presentes no mercado e atender à demanda de informações dos produtores rurais. De 15 a 22 de março, será realizado o Dia de Campo Virtual Coopagricola. Nos anos anteriores, o evento aconteceu presencialmente com tour pelas estações de cultivares, palestras técnicas, balcão de negócios e variados modelos de interações com o público, mas em virtude das precauções necessárias, nesta edição, está acontecendo virtualmente.

Inovações - As empresas estão se reconstruindo no formato digital para se sobressair no mercado, trazendo inovações para os produtores em geral. Este foi o caso da Coopagricola, que estará apresentando de uma forma diferente as soluções agrícolas durante esta semana.

Palestras - O evento conta com palestras de variados assuntos do mercado agrícola como manejo de doenças, pragas e plantas daninhas, desempenho de cultivares, negociações de barter e muito mais.

Acesso - Toda a comunidade pode ter acesso ao conteúdo durante os dias de evento com inscrição gratuita através do site (www.diadecampo.coopagricola.com.br). (Imprensa Coopagrícola)

coopagricola 12 03 2021

CAPAL: Desafio de Rua e Expoleite são cancelados

capal 12 03 2021A diretoria-executiva da Capal Cooperativa Agroindustrial anuncia o cancelamento do Desafio de Rua e da Expoleite. As medidas são necessárias devido à pandemia de Covid-19 como forma de evitar a aglomeração de pessoas. As edições de 2020 também já tinham sido canceladas para reduzir a propagação da doença.

Desafio - Realizado no dia 1º de maio, o Desafio de Rua iria para a sétima edição e visa o incentivo de práticas esportivas, promoção de vidas saudáveis e melhoria dos hábitos dos participantes. O evento mobiliza moradores de Arapoti (PR) e de outros 15 municípios no Paraná e em São Paulo com corrida nas modalidades de 5 e 10 quilômetros, além de caminhada de 3 quilômetros.

Expoleite - Já a Expoleite, uma das mais tradicionais feiras de pecuária leiteira do Brasil, iria para a 48ª edição. O evento anual, que também é realizado em Arapoti, reúne milhares de pessoas ao longo de três dias, com realização de palestras técnicas, Clube de Bezerra – para incentivar a criação dos animais por crianças, fomentando a sucessão na administração de propriedades rurais –, exposição de produtos e serviços e julgamento do plantel da raça Holandesa dos cooperados.

Ações - Desde o início da pandemia, em março de 2020, Capal, cooperados e colaboradores realizam ações para preservar a saúde, adotando medidas que reduzem o impacto da doença.

Sobre a Capal Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1960, a Capal conta atualmente com mais de 3,2 mil associados, distribuídos em 21 unidades de negócios, nos estados do Paraná e São Paulo. A cadeia agrícola responde por cerca de 65% das operações da cooperativa, produzindo mais de 734 mil toneladas de grãos por ano, com destaque para soja, trigo, milho e café. A área agrícola assistida ultrapassa os 153 mil hectares. O volume de leite negociado mensalmente é de 12 milhões de litros, proveniente de 320 produtores. Além disso, a cooperativa comercializa mais de 31 mil toneladas de suínos vivos. (Imprensa Capal)

 

UNIUM: Mulheres celebram mês de março com aumento de participação no cooperativismo

Sara Jacobi, produtora de suínos e cooperada da Frísia, no Paraná, começou sua caminhada no setor em 2016. “Eu entrei nesse ramo há cinco anos e foi por sucessão familiar. Na época, meu pai estava reformando e ampliando os barracões e, por isso, eu aceitei o desafio de trabalhar nessa área”, conta. Ela é uma das 5.256.000 cooperadas no país e contribui para a produção da Alegra, indústria de derivados da carne suína localizada em Castro.

Superação - Para Sara, a palavra que resume o dia a dia no setor é superação. “Os desafios não são poucos e, para seguir em frente, é preciso manter o foco e realmente gostar de trabalhar com isso. Nem sempre os resultados são imediatos, mas com persistência e acompanhando tudo de perto, torna-se uma atividade prazerosa”, explica. Como cooperada da Frísia, Sara faz parte do projeto de intercooperação da Unium, marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal e que representa os projetos em que as cooperativas paranaenses atuam em parceria.

Indústria - Além das cooperadas, o setor também conta com colaboradoras que fazem parte do dia a dia das indústrias, responsáveis por transformar o material que vem da produção dos cooperados em produtos para o mercado. Para a supervisora do laboratório da Fundação ABC, instalado na indústria de trigo da Unium, Viviane Kochinski, atingir o cargo que ocupa atualmente é uma vitória. “Tenho como conquista chegar onde cheguei com comprometimento e seriedade. Toda mulher busca seu espaço e sabemos que nem todo ambiente proporciona isso, infelizmente. Mas no ambiente de trabalho em que atuo, jamais senti distinção, pelo contrário, sinto valorização”, ressalta.

Potencial - Já para a coordenadora administrativa da Unidade de Beneficiamento de Leite de Ponta Grossa, Kathiane Keroline Dias, o segredo para que mulheres cheguem mais longe é a descoberta do potencial de cada uma. “Existem mulheres fortes e existem mulheres que ainda não descobriram a sua força. Hoje, um dos principais desafios da sociedade é a empatia, pois temos que entender que cada pessoa possui dificuldades e problemas diferentes, e nós devemos nos colocar no lugar delas para ajudar e colaborar da melhor forma possível para a descoberta do potencial de cada uma”, explica.

Valores do cooperativismo - Para as mulheres e, principalmente, aquelas ligadas ao setor cooperativista, março é um mês especial. Além da celebração do Dia Internacional da Mulher, que traz à tona a luta por igualdade, também é comemorado o Dia da Integração Cooperativista. A data celebra valores do cooperativismo que reforçam o papel do modelo que promove o desenvolvimento sustentável da comunidade. As cooperativas se destacam por serem geridas de forma democrática e participativa, de acordo com o que pretendem seus associados, e assim criando um ambiente colaborativo e plural, que abre espaço para a participação de todos.

Sobre a Unium - Marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, a Unium representa os projetos em que as cooperativas paranaenses atuam em parceria. Conta com três marcas de lácteos: Naturalle – com produtos livres de aditivos -, Colônia Holandesa e Colaso. No setor de grãos, a Unium tem a marca Herança Holandesa – farinha de trigo produzida em uma unidade totalmente adequada à ISO 22000, com elevados padrões de exigência. Além disso, fazem parte dos negócios a Alegra, indústria de alimentos derivados da carne suína, e a Energik, usina de produção de energia sustentável, todas reconhecidas pela qualidade e excelência. Mais informações: http://unium.coop.br/. (Imprensa Unium)

{vsig}2021/noticias/03/12/unium/{/vsig}

COCARI: Cooperativa passará por transição da direção na segunda-feira (15)

A partir de segunda-feira (15/03), a Cocari passa por mudança na direção da cooperativa, conforme anúncio feito pelo presidente Vilmar Sebold no dia 12 de fevereiro, em reunião promovida na Associação Atlética da cooperativa, em Mandaguari (PR), em que informou sobre o encerramento de seu ciclo profissional na Cocari por motivos de saúde.

Agradecimento - Na última terça-feira (09/03), Vilmar Sebold despediu-se em sua coluna semanal no Informativo Cocari. “Só tenho a agradecer aos produtores, colaboradores, fornecedores, entidades financeiras, pesquisadores, prestadores de serviços, enfim, a todos aqueles com quem nos relacionamos ao longo destes mais de vinte anos de trabalho na Cocari. Juntos, vencemos muitos desafios e muitos e ainda maiores desafios existem e surgirão, entretanto, com esforço, responsabilidade, respeito e união, acredito profundamente que as vitórias serão obtidas e acumuladas. Cumprindo seu Estatuto Social, agora a Cocari terá novos líderes, que irão construir sua parte na história e acredito com muita esperança que eles continuarão a merecer o mesmo apoio e confiança até o momento recebidos. Muito obrigado, sempre!”, destacou Sebold.

Diretores interinos - Conforme definiu o Conselho de Administração, assumem, como presidente interino da Cocari, o Marcos Antonio Trintinalha, que já atuava como vice-presidente e, João Carlos Obici, como vice-presidente, até então diretor executivo da Cocari. A decisão será levada para ser ratificada pelos associados na Assembleia Geral Extraordinária (AGE), que precederá a Assembleia Geral Ordinária (AGO) no dia 29 de março deste ano.

Formação sucessória - Com experiência adquirida principalmente ao longo dos últimos anos, dentro de um processo de formação sucessória da cooperativa, Marcos Trintinalha comenta que a linha de gestão da cooperativa deve prosseguir. “Vamos continuar da mesma forma com que a cooperativa vem trabalhando, promovendo desenvolvimento, com seriedade, incentivo à participação dentro do processo e o objetivo claro de fazer o melhor para a cooperativa e seus cooperados”, disse.

Proposta de trabalho - Trintinalha destacou que a prioridade dentro de uma cooperativa é trabalhar com o associado, verificar do que ele necessita e, a partir daí, propor aquilo que a cooperativa pode fazer dentro dos princípios que regem o cooperativismo. “Este é o cenário de trabalho que buscaremos sempre. Vamos analisar cada reivindicação para verificar sua necessidade e então agir. Da mesma forma, atuaremos em todas as áreas da cooperativa. A Cocari não tem razão de existir se não estiver trabalhando em prol do associado. Se o associado está bem, a cooperativa também estará. As ideias devem ser desenvolvidas e trabalhadas de maneira conjunta”, avaliou.

Mensagem - A direção interina acaba de concluir visitas feitas a todas as unidades do Paraná e, na próxima semana, iniciará as visitas às unidades de Goiás e Minas Gerais, em contato direto com os respectivos gerentes. “Nossa proposta é trabalhar forte na questão do associado, trazendo-o para participar mais ativamente da cooperativa, de modo que ele se sinta realmente dono dela”, reforçou. Trintinalha deixou uma mensagem aos associados, colaboradores e instituições parceiras da cooperativa. “Gostaria de dizer que o processo continua, contamos com o potencial da equipe já formada para trabalhar na cooperativa com toda transparência e seriedade com que a Cocari vinha sendo conduzida”, destacou. “Continuem acreditando em nosso trabalho e entregando a sua safra sob os nossos cuidados, pois já estamos aqui há muito tempo. Aos nossos colaboradores, vamos trabalhar ainda mais para que a cooperativa seja cada vez mais forte. Aos nossos parceiros, fornecedores e agentes financeiros, sigam trabalhando conosco, porque sabemos que vamos crescer – e muito – se Deus nos permitir conduzir esta grande cooperativa”, disse.

Quem somos - Com a perspectiva voltada para o futuro, nossa cooperativa investe no preparo dos colaboradores, que atualmente somam mais de 1.500 profissionais, trabalhando para crescer junto a mais de 8.400 cooperados em três estados brasileiros, sendo eles: Paraná, Goiás e Minas Gerais. O comprometimento de nossa equipe e a confiança de nossos cooperados permitiram que a Cocari apresentasse faturamento de aproximadamente R$ 2,8 bilhões em 2020. (Imprensa Cocari)

{vsig}2021/noticias/03/12/cocari/{/vsig}

LAR: Cooperativa esclarece acidente na unidade industrial de Cascavel

lar 12 03 2021A Cooperativa Lar emitiu uma nota de esclarecimento sobre o acidente ocorrido na noite de quinta-feira (11/03), por volta das 20h, em um local externo nas dependências do abatedouro de Cascavel (PR), quando houve a explosão de um galão de ácido peracético, produto comum em frigoríficos, utilizado no processo de higienização de caixas de frango. A cooperativa explica as providências que foram tomadas. Segundo a nota, “o evento liberou o forte odor típico da substância, que se espalhou para áreas próximas e envolveu principalmente a sala de cortes, rapidamente evacuada pelas equipes de funcionários da cooperativa treinadas e preparadas para agir em situações dessa natureza”, esclarece a cooperativa. “Como não poderia ser diferente, logo após a evacuação da indústria, foi determinada a suspensão do abate e a liberação dos colaboradores para retornarem às suas casas. Por sua vez, as equipes de liderança e segurança da unidade entraram imediatamente em ação para conduzir um amplo e meticuloso trabalho de higienização, limpeza e ventilação das instalações para a retomada normal das atividades na manhã desta sexta-feira (12/03)”, informa ainda a Lar na nota.

Clique aqui e confira na íntegra a nota de esclarecimento da Lar

 

COCAMAR: Coral participa de festival online

cocamar I 12 03 2021 O Coral Cocamar é um dos 49 grupos do país e do exterior inscritos no 2º Festival Internacional de Corais (FIC) que será promovido no formato online a partir deste sábado (13/03) e até terça-feira (16/03) em Petrópolis, região serrana do estado do Rio de Janeiro.

Capital - A realização, a mais importante do gênero no Brasil, acontece na cidade que é reconhecida como a capital estadual do canto coral e também a sede do Canarinhos, um dos mais famosos grupos brasileiros.

Habituados - Para o Coral Cocamar, a participação em eventos online já não é novidade. Em 2020, diante da impossibilidade de se reunir, devido a pandemia, ele inovou com apresentações em que todos os integrantes estavam em suas respectivas residências. Áudios e vídeos foram gravados individualmente com o aparelho celular e, na sequência, agrupados em estúdio, o que surpreendeu o público.

Redes sociais - Quem tiver interesse poderá acompanhar as apresentações diárias do FIC nas redes sociais do evento. (Imprensa Cocamar)

 

 

 

PGPM: Governo reajusta preços mínimos da laranja e do trigo

pgpm 12 03 2021 A partir de julho deste ano, os preços mínimos para laranja in natura, o trigo em grão e semente de trigo sofrerão reajustes. O novo valor da caixa de 40,8 kg da laranja in natura na safra 2021/2022 é de R$ 17,76, alta de 14,36%.

Reajuste - O trigo em grão e a semente de trigo tiveram um reajuste de 11,04%, para o período de julho deste ano até junho de 2022. O trigo em grão, pão tipo 1, ficou estabelecido em R$ 48,18/sc 60 kg, para a Região Sul (Para as demais classes e tipos do trigo e demais regiões do Brasil, será corrigido pela variação de 11,04%).

Semente - E a semente de trigo, em R$ 1,98 (unidade), válido para os estados da região Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Portaria - A decisão consta da Portaria Nº 47, publicada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no Diário Oficial da União desta quinta-feira (11). A medida foi discutida na última reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), na semana passada.

PGPM - Esses produtos fazem parte da Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), que é uma importante ferramenta para diminuir oscilações na renda dos produtores rurais e assegurar uma remuneração mínima, atuando como balizadora da oferta de alimentos, incentivando ou desestimulando a produção e garantindo a regularidade do abastecimento nacional. (Mapa)

FOTO: Klaus Beyer / Pixabay

 

pgpm tabela 12 03 2021

 

SAFRA DE INVERNO: Agricultura incentiva uso de áreas para cultivo de trigo

safra inverno 12 03 2021A Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento e o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater emitiram uma Nota Técnica incentivando o uso de áreas para o plantio de trigo no inverno. A orientação inclui as cultivares mais adequadas e visa garantir renda ao produtor caso haja impossibilidade de semeadura do milho segunda safra.

Produção e consumo - Os técnicos registram que o Brasil colhe cerca de 6,2 milhões de toneladas de trigo anualmente. A liderança é paranaense, responsável pela metade da produção. No entanto, o consumo é de 11,8 milhões de toneladas. Em razão disso, somente no ano passado, o País importou 6,8 milhões de toneladas, “acarretando o envio de recursos financeiros escassos para o exterior, os quais deixam de ser utilizados no Brasil e na cadeia produtiva deste importante cereal de inverno.”

Área plantada - O Paraná cultiva cerca de 5,5 milhões de hectares com soja. No inverno, o milho segunda safra ocupa 2,28 milhões hectares dessa área, enquanto o trigo fica restrito a 1,12 milhão de hectares. “Fica evidente que a área de trigo ou de outros cereais de inverno, como a aveia e o triticale, poderia ser significativamente expandida em detrimento do pousio”, afirma a Nota Técnica.

Rentabilidade - Ela registra, ainda, os problemas climáticos que atrasaram o desenvolvimento da soja e sua colheita. Com isso, também a semeadura do milho safrinha no período mais propício foi afetada. “Uma opção para os agricultores que estão enfrentando o problema da semeadura do milho segunda safra, dentro do prazo estabelecido pelo Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), é o cultivo de cereais de inverno”, sugerem os técnicos.

Alternativa - Nesse sentido, o trigo é a principal alternativa, encaixando perfeitamente no período de abril a outubro, dependendo da região, em sucessão à soja. Além disso, também promove a rotação de culturas e auxilia na proteção contra erosão, retém a umidade e reduz a temperatura do solo, favorecendo processos biológicos e químicos.

Retorno financeiro - “Some-se a isso a possibilidade de um retorno financeiro de exceção, uma vez que desde 2007 a cultura do trigo não apresentava uma rentabilidade tão alta”, acrescenta o documento. De acordo com dados do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, em novembro de 2020, a rentabilidade chegou a 49%. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Jaelson Lucas / Arquivo AEN

 

VAREJO: Vendas variam -0,2% em janeiro, com metade das atividades em queda

ibge destaque 12 03 2021O volume de vendas do comércio varejista no país ficou estável em janeiro, na comparação com dezembro de 2020, variando em -0,2%. Na comparação com janeiro do ano passado, o varejo registrou -0,3%, primeira taxa negativa após sete meses consecutivos de taxas positivas. O indicador acumulado nos últimos 12 meses ficou em 1,0%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta sexta-feira (12/03), pelo IBGE.

Atividades - Das oito atividades investigadas, quatro tiveram taxas negativas frente a dezembro, influenciando o resultado de janeiro. Entre elas, hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, setor de maior peso do varejo, recuou 1,6%. Outras quedas vieram de livros, jornais, revistas e papelaria (-26,5%), tecidos, vestuário e calçados (-8,2%) e móveis e eletrodomésticos (-5,9%). Já combustíveis e lubrificantes (-0,1%) ficaram estáveis.

Artigos - Por outro lado, os setores de outros artigos de uso pessoal e doméstico (8,3%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (2,6%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (2,2%) impactaram positivamente o indicador na passagem de dezembro para janeiro.

Capacidade de consumo menor - “Com a diminuição do aporte de recursos do auxílio emergencial, a partir de outubro, a capacidade de consumo das famílias diminuiu, com impacto direto no comércio, levando os indicadores à estabilidade em novembro (-0,1%), uma queda em dezembro (-6,2%), e, agora, outra estabilidade em janeiro (-0,2%)”, afirmou o gerente da PMC, Cristiano Santos.

Ampliado - No comércio varejista ampliado, que inclui, além do varejo, veículos e materiais de construção, o volume de vendas caiu 2,1% em janeiro, frente a dezembro, sendo o segundo mês com resultado negativo seguido. Essa queda foi puxada pelo setor de veículos, motos, partes e peças (-3,6%), enquanto material de construção variou positivamente (0,3%).

Janeiro - “Janeiro foi um mês de repique da pandemia, com restrições de funcionamento de estabelecimentos comerciais em alguns estados, que refletiram de maneira mais forte no setor de veículos. Veículos tem o segundo maior peso no comércio, e já vinha de uma queda em dezembro (-3,3%)”, comentou Santos.

Comparação - Na comparação com janeiro de 2020, o comércio varejista ampliado caiu 2,9%, primeiro resultado negativo após seis meses de variações positivas. O indicador acumulado nos últimos doze meses sinalizou intensificação na perda de ritmo na passagem de dezembro (-1,4%) para janeiro (-1,9%).

Vendas caem 29,7% em janeiro no Amazonas devido ao agravamento da pandemia no estado O gerente da PMC observa, ainda, que o comércio varejista teve variações negativas em 23 das 27 unidades da federação em janeiro. O menor resultado veio do Amazonas, onde as vendas caíram 29,7%, mais que o triplo de outros estados, na comparação com dezembro de 2020.

Agravamento - “Com o agravamento da pandemia em janeiro no estado, foi decretado um lockdown, que fechou todo o comércio novamente, assim como aconteceu em março de 2020. Isso fez os indicadores do comércio do Amazonas caírem bastante no período”, explica Cristiano Santos.

Região - Regionalmente, as outras maiores quedas do varejo ficaram com Rondônia (-9,1%), Ceará (-4,9%), Mato Grosso (-4,2%) e Santa Catarina (-4,1%). Por outro lado, os únicos quatro estados que tiveram aumento nas vendas, em janeiro, foram Minas Gerais (8,3%), Tocantins (3,7%), Acre (1,1%) e Mato Grosso do Sul (0,8%). (Agência IBGE de Notícias)

FOTO: Eduardo Peret / Agência IBGE Notícias

ibge 12 03 2021

 

 

ECONOMIA: BC prorroga alíquota reduzida de compulsório sobre recursos a prazo

economia 12 03 2021Por mais sete meses, os bancos continuarão a recolher menos recursos para o Banco Central (BC). A autoridade monetária prorrogou até o fim de outubro a alíquota reduzida de 17% de compulsório sobre recursos a prazo.

Mudança - Em março de 2020, a alíquota passou de 20% para 17% como forma de ajudar a economia no início da pandemia de covid-19. Originalmente, o compulsório voltaria a 20% em abril. Agora, voltará em novembro.

Parte dos depósitos - O compulsório representa a parte dos depósitos que os bancos são obrigados a recolher ao Banco Central. Quanto menor o percentual, maior a quantidade de recursos disponíveis para os bancos emprestarem, estimulando o crédito.

Economia - Em nota, o BC informou que a prorrogação do compulsório reduzido poderá injetar cerca de R$ 40 bilhões na economia. Segundo o comunicado, as dificuldades atuais para os bancos captarem recursos levou à extensão da ajuda. Atualmente, existem cerca de R$ 205 bilhões de compulsório sobre recursos a prazo no Banco Central, remunerados pela taxa Selic (juros básicos da economia).

Decisão - “A atual decisão pela continuidade da vigência da alíquota temporária levou em conta a persistência conjuntural nas restrições de liquidez para a captação bancária que, neste momento, recomendam a manutenção dos atuais níveis de liquidez no Sistema Financeiro Nacional. Dessa forma, espera-se que o mercado de crédito possa seguir seu normal funcionamento, sem restrições adicionais”, informou a nota do BC.

Transição - O BC notificou que pretende criar um mecanismo de transição em novembro, quando o compulsório de 20% retornar. A elevação da alíquota será associada a um mecanismo de dedução mediante depósitos de ativos elegíveis para as novas Linhas Financeiras de Liquidez (LFL), que entrarão em funcionamento no fim deste ano.

Abate - Por meio desse mecanismo, o banco poderá abater do compulsório sobre recursos a prazo os ativos associados às LFL. Cada instituição vai fazer um pré-depósito para essas linhas, com o saldo podendo ser deduzido do volume a ser recolhido para o BC. (Agência Brasil)

FOTO: Banco Central do Brasil

 

CÂMBIO: Dólar cai para R$ 5,54 e fecha no menor nível em duas semanas

cambio 12 03 2021Influenciada por fatores domésticos e internacionais, a cotação do dólar caiu para abaixo de R$ 5,60 e fechou no menor nível em duas semanas. A bolsa subiu pelo terceiro dia seguido e aproximou-se dos 115 mil pontos.

Cotação - O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (11/03) vendido a R$ 5,543, com recuo de R$ 0,11 (-1,94%). A cotação operou em queda durante toda a sessão e está no menor nível desde 25 de fevereiro, quando estava em R$ 5,514.

Ações - No mercado de ações, o dia foi marcado pela euforia. O índice Ibovespa, da B3, encerrou a sessão aos 114.984 pontos, com alta de 1,96%. O indicador subiu durante toda a sessão, chegando a ultrapassar os 115 mil pontos por volta das 17h30, antes de desacelerar levemente.

Mercado doméstico - No mercado doméstico, dois fatores levaram ao otimismo no mercado financeiro. O primeiro foi a aprovação, em segundo turno na Câmara dos Deputados, da proposta de emenda à Constituição (PEC) emergencial. O texto permite a recriação do auxílio emergencial no valor de R$ 44 bilhões com medidas de ajuste fiscal no médio e no longo prazo, como compensação.

BC - O segundo fator foi a intervenção do Banco Central (BC), que leiloou US$ 1 bilhão em contratos de swap cambial (venda de dólares no mercado futuro). Mesmo num dia em que a moeda norte-americana estava em queda, o BC atuou para derrubar as compras de dólares no mercado futuro, que poderiam pressionar o câmbio para cima, mesmo após a previsão de o Comitê de Política Monetária (Copom) elevar a taxa Selic na reunião da próxima semana.

Cenário internacional - No cenário internacional, o otimismo prevaleceu nos mercados externos após a divulgação de que os pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos ficaram abaixo do esperado e com a sanção da ajuda de US$ 1,9 trilhão pelo presidente Joe Biden. Além de estimular a recuperação da crise provocada pela pandemia de covid-19, o pacote injetará dólares em todo o planeta, favorecendo países emergentes, como o Brasil. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

FOTO: Pixabay

 

LEGISLATIVO: Câmara aprova PEC Emergencial em 2º turno

legislativo 12 03 2021A Câmara dos Deputados concluiu, no início da madrugada desta sexta-feira (12/03), a votação em segundo turno da PEC Emergencial. No total, foram três dias de votações (incluindo primeiro e segundo turnos).

Auxílio emergencial - A Proposta de Emenda à Constituição 186/19 permite ao governo federal pagar, em 2021, um novo auxílio emergencial aos mais vulneráveis, com R$ 44 bilhões por fora do teto de gastos; e impõe mais rigidez na aplicação de medidas de contenção fiscal, controle de despesas com pessoal e redução de incentivos tributários.

Promulgação - Uma análise da consultoria da Câmara deve recomendar a promulgação da PEC sem necessidade de retorno ao Senado.

Destaques - Na sessão desta quinta-feira (11/03), o Plenário aprovou somente dois destaques surgidos de acordo entre os partidos da base aliada e o governo na votação da matéria em primeiro turno.

Retirada - Com a aprovação desses destaques, foi retirada da PEC a proibição de promoção funcional ou progressão de carreira de qualquer servidor ou empregado público. Essa proibição era um dos pontos criticados pela bancada de militares e policiais.

Servidores - A mudança beneficia servidores da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, inclusive no caso de se decretar estado de calamidade pública de âmbito nacional.

Acordo - O acordo evitou a retirada de outras restrições maiores, como de aumento de salários e de novas contratações, por meio de outro destaque que acabou sendo rejeitado na quarta-feira (10/03).

Outros pontos - Segundo o relator, deputado Daniel Freitas (PSL-SC), chegar a esse acordo foi importante para preservar outros pontos da PEC. “As progressões e promoções de todas as categorias ficam garantidas, e não somente das forças de segurança”, explicou, ressaltando o papel de deputados ligados às forças de segurança na busca do acordo.

Oposição - Para o líder do PT, deputado Bohn Gass (PT-RS), a mudança deveu-se à atuação da oposição. “Foi o nosso destaque não aprovado que fez o governo negociar, e conseguimos fazer com que as progressões e as promoções não ficassem congeladas”, afirmou.

Regra de ouro - O valor total gasto com o auxílio poderá até ser maior, mas somente os R$ 44 bilhões poderão ficar de fora do teto de gastos (Emenda Constitucional 95, de 2016) e da meta de resultado primário (estimada em déficit de R$ 247 bilhões).

Captação - A captação de recursos para o auxílio com títulos públicos não precisará seguir a regra de ouro, que proíbe o governo de contrair dívidas para o pagamento de folha salarial e manutenção de órgãos públicos e de programas sociais, entre outros compromissos.

Pagamentos - A primeira leva de pagamentos do auxílio chegou a R$ 292 bilhões para cerca de 68 milhões de pessoas, em duas rodadas: na primeira, foram pagas parcelas de R$ 600 por cinco meses; na segunda, chamada de “auxílio residual”, foram parcelas de R$ 300 durante quatro meses e com um público-alvo menor.

2021 - Para 2021, segundo o governo, o auxílio será de R$ 175 a R$ 375 por quatro meses (março a junho). Para a família monoparental dirigida por mulher, o valor será de R$ 375; para um casal, R$ 250; e para o homem sozinho, de R$ 175.

Fundos mantidos - Em relação ao texto original, destaque do PDT aprovado em primeiro turno retirou toda a parte que proibia a vinculação de qualquer receita pública a fundos específicos. Foram registrados 302 votos para manter o texto, mas o mínimo são 308. Houve 178 votos a favor do destaque.

Constituição - Com isso, a Constituição Federal continua com a redação atual no dispositivo que proíbe apenas a vinculação de impostos aos fundos, com algumas exceções. A criação de novos fundos será proibida se seus gastos puderem ser alcançados por meio da vinculação de receitas orçamentárias.

Contenção fiscal - Para a União, medidas de contenção de despesas com pessoal e com isenções tributárias serão acionadas quando for atingido um gatilho relacionado às despesas obrigatórias.

Estados, DF e municípios - No caso de estados, Distrito Federal e municípios, por causa da autonomia federativa, as medidas serão facultativas. Mas se os órgãos e poderes do ente federado não adotarem todas as medidas, o estado ou município em questão ficará impedido de obter garantia de outro ente federativo (normalmente da União) para empréstimos (internacionais, por exemplo), além de não poder contrair novas dívidas com outro ente da Federação ou mesmo renegociar ou postergar pagamentos de dívidas existentes.

Lei complementar - A PEC 186/19 prevê ainda que uma lei complementar sobre sustentabilidade da dívida poderá autorizar a aplicação dessas restrições. Na lei devem ser definidos, por exemplo, níveis de compatibilidade dos resultados fiscais com a trajetória da dívida e planejamento de venda de estatais para reduzir seu montante.

Superávit - Entretanto, outro artigo relacionado ao tema continua no texto aprovado, permitindo ao Executivo usar, até o fim de 2023, o superávit financeiro dos seus fundos públicos para pagar a dívida pública.

De fora - Ficam de fora os fundos públicos de fomento e desenvolvimento regionais e, como o trecho da Constituição sobre vinculação não foi mudado, também não podem ser usados o Fundeb e os fundos de atividades da administração tributária.

Validade - A medida vale inclusive para estados e municípios, mas se o ente federado não tiver dívida pública para amortizar, o dinheiro será de livre aplicação.

Aprovação - Em dezembro de 2020, a Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei complementar (PLP 137/20) que autorizou o governo a usar o superávit acumulado de 2019 relativo a 26 fundos setoriais para combater a pandemia ou suportar queda de arrecadação.

Restrições para a União - Atualmente, o novo regime fiscal (EC 95) existe apenas para o governo federal e prevê a aplicação dessas medidas quando um órgão ou Poder passar do limite de despesas primárias na execução do orçamento de determinado ano. Essas despesas são limitadas à correção pelo IPCA desde 2017.

Acionamento - Com a PEC, as medidas, ampliadas pelo texto, mas com exceções, serão acionadas se o projeto de lei do orçamento federal indicar que a despesa primária obrigatória (pessoal e previdência, por exemplo) passar de 95% da despesa primária total (inclui investimentos). As vedações são aplicáveis especificamente para o órgão ou Poder que passar desse limite e valerão durante todo o ano em que o orçamento for executado.

Poder Executivo - O Poder Executivo é o que está mais próximo desse índice, com 92,4%, e a estimativa é que chegue a 95% em 2024.

Vedações - Entre as vedações estão a criação de cargo que implique aumento de despesa; a realização de concurso público para vagas novas; e a adoção de medida que implique reajuste de despesa obrigatória acima da variação da inflação.

Exceção - No caso do aumento de salários, de benefícios indenizatórios ou de criação ou aumento de outras vantagens, o texto da PEC inclui uma exceção para aqueles determinados por sentença judicial transitada em julgado ou por lei anterior ao início da aplicação das medidas de contenção de despesas, como o aumento concedido aos militares em 2019.

Pessoal temporário - Quanto à contratação de pessoal, novas exceções serão acrescentadas ao texto constitucional, permitindo a admissão temporária de pessoal e a reposição de temporários para prestação de serviço militar e de alunos de órgãos de formação de militares.

Benefícios e incentivos - Para o Poder Executivo, haverá ainda a proibição de conceder benefícios e incentivos tributários, renegociar dívidas e criar programas ou linhas de financiamento vinculadas a subsídios.

Estados e municípios - Os mesmos tipos de proibições serão aplicáveis aos estados e municípios, facultativamente, toda vez que uma apuração bimestral indicar que, nos 12 meses anteriores, a despesa corrente (despesas de custeio, exceto investimentos e de capital) chegar a 95% da receita corrente (receitas de tributos e transferências).

Limite - Das 27 unidades da Federação, apenas Rio Grande do Sul (98,27%), Minas Gerais (96,9%) e Rio Grande do Norte (95,7%) atingiram esse limite.

Estadual - Ao Poder Executivo estadual, o texto permite o uso das medidas para seu orçamento quando o índice chegar a 85%. Isso será feito por meio de ato submetido ao Poder Legislativo, que terá 180 dias para votá-lo. Se o prazo estourar ou o ato for rejeitado, todas as ações tomadas com base nele serão consideradas válidas. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Najara Araújo / Câmara dos Deputados

 

SAÚDE I: Brasil registra mais 2.333 mortes e 75.412 infectados

Pelo 2º dia seguido, o Brasil registrou mais de duas mil mortes por covid-19. Segundo balanço do Ministério da Saúde, entre ontem e hoje foram confirmados mais 2.233 óbitos por complicações da doença. O resultado não superou o recorde de quarta-feira (10/03), de 2.286.

Óbitos - O número de pessoas que desde o início da pandemia morreram por complicações do novo coronavírus chegou a 272.889. Ainda há 2.943 mortes em investigação por equipes de saúde. Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente.

Infectados - O número de pessoas infectadas desde o início da pandemia totalizou hoje 11.277.717. Entre quarta e quinta-feira (10 e 11/03), foram registrados 75.412 novos casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus.

Balanço diário - A informação está no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta quinta-feira (11/03). A atualização é produzida a partir das informações levantadas pelas autoridades estaduais e locais de saúde sobre casos e mortes provocados pela covid-19.

Recuperadas - O número de pessoas recuperadas chegou a 9.958.566. Já a quantidade de pessoas com casos ativos, em acompanhamento por equipes de saúde, ficou em 1.046.262.

Estados - O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (63.010), Rio de Janeiro (34.083), Minas Gerais (20.087), Rio Grande do Sul (14.363) e Paraná (13.159). Já as Unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.094), Amapá (1.169), Roraima (1.216), Tocantins (1.623) e Sergipe (3.072).

Vacinação - Até o início da noite desta quinta-feira, haviam sido distribuídas 18,2 milhões de doses de vacinas. Deste total, foram aplicadas 10,5 milhões de doses, sendo 7,9 milhões da 1ª dose (3,7% da população brasileira) e 2,5 milhões da 2ª dose (1,1% da população brasileira). (Agência Brasil)

 

saude I tabela 12 03 2021

SAÚDE II: Estado tem mais 4.336 casos de Covid-19. Já foram aplicadas 600.421 doses da vacina

saude II 12 03 2021 A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quinta-feira (11/03) mais 4.336 novos casos e 99 mortes pela Covid-19. Os dados do monitoramento mostram que o Paraná soma 740.955 diagnósticos e 13.053 mortos em decorrência da doença, desde o início da pandemia. Há ajustes ao final do texto.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta quinta-feira são de março (3.282), fevereiro (369) e janeiro (183) de 2021 e dos seguintes meses de 2020: março (2), abril (11), maio (14), junho (41), julho (79), agosto (60), setembro (54), outubro (24), novembro (53) e dezembro (164).

Vacina - O Paraná já aplicou 600.421 doses da vacina contra a Covid-19. São 450.589 da primeira e 149.832 da segunda dose, até o final da manhã desta quinta-feira. Portanto, 450.589 paranaenses já foram vacinados.

Doses - Ao todo, o Estado recebeu 1.001.600 mil doses do Governo Federal até o momento.

Clique AQUI.

Internados - O informe registra que 2.348 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 1.929 em leitos SUS (829 em UTI e 1.100 em enfermaria) e 419 em leitos da rede particular (209 em UTI e 210 em enfermaria).

Exames - Há outros 2.523 pacientes internados, 829 em leitos UTI e 1.694 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. São pacientes das redes pública e particular, considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual informa a morte de mais 99 pacientes. São 45 mulheres e 54 homens, com idades que variam de 23 a 97 anos. Três óbitos ocorreram em 2020 (setembro, outubro e dezembro) e os demais entre 5 de janeiro e 10 de março de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam Arapongas (9), Cascavel (7), Foz do Iguaçu (7), Itaperuçu (4), Londrina (4), Maringá (4), Rolândia (4), Almirante Tamandaré (3), Guarapuava (3), Paranavaí (3), Ponta Grossa (3), Telêmaco Borba (3), Assis Chateaubriand (2), Campo Mourão (2), Coronel Vivida (2), Cruz Machado (2), Curitiba (2), Guaratuba (2), Matinhos (2), Palotina (2), São José dos Pinhais (2) e Toledo (2).

Uma morte - A Secretaria da Saúde registra, ainda, a morte de uma pessoa que residia nos municípios de Alto Paraná, Andirá, Antonina, Bela Vista do Paraíso, Cornélio Procópio, Figueira, Goioxim, Guaíra, Ipiranga, Jacarezinho, Mandaguari, Mauá da Serra, Munhoz de Melo, Piên, Quedas do Iguaçu, Reserva do Iguaçu, Sabáudia, Santa Fé, Santa Isabel do Ivaí, Santa Lúcia, Santa Terezinha de Itaipu, Teixeira Soares, Tijucas do Sul, Uraí e Vera Cruz do Oeste.

Fora do Paraná - O monitoramento da Saúde 4.943 casos de residentes de fora. Destes, 106 pessoas foram a óbito.

Ajustes - Total de exclusões: 6 casos de residentes no Paraná:

Um caso confirmado (F,49) no dia 07/06/2020 em Abatiá foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (M,50) no dia 30/06/2020 em Abatiá foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,15) no dia 25/09/2020 em Abatiá foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,48) no dia 06/10/2020 em Abatiá foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,38) no dia 19/12/2020 em Abatiá foi excluído por erro de notificação

Um caso confirmado (F,28) no dia 11/01/2021 em Congonhinhas foi excluído por erro de notificação. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando AQUI.

 

SAÚDE III: Paraná já imunizou 11% do grupo prioritário no combate à Covid-19

saude III 12 03 2021O Paraná alcançou nesta quinta-feira (11/03) a marca de 450.589 pessoas vacinadas contra a Covid-19. O número representa 11,2% do grupo considerado prioritário pelo Plano Estadual de Vacinação, contingente que abrange 4.019.115 paranaenses e que deve ser totalmente imunizado até o fim de maio.

Cálculo - O cálculo é diferente do utilizado sobre a população geral e leva em consideração que o Estado só tem recebido doses para vacinar o grupo prioritário.

Doses aplicadas - De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde foram aplicadas 600.421 doses, levando em conta as duas ações que garantem a proteção por completo. O quantitativo significa 60% do total de doses encaminhadas ao Estado pelo Ministério da Saúde. Entre imunizantes da CoronaVac/Butantan e AstraZeneca/Oxford, o Paraná recebeu 1.001.600 vacinas.

Salas - “São 1.850 salas de aplicação espalhadas pelo Paraná. As doses ainda não são suficientes para proteger todos, mas estão chegando. São mais de um milhão de vacinas enviadas pelo Governo Federal desde janeiro. E a perspectiva é que agora em março, até o fim do mês, completemos mais um milhão”, destacou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Grupos prioritários - Definido pelo Ministério da Saúde, o recorte que abriu o processo de vacinação no País em janeiro foi replicado no Paraná e é composto por pessoas com 60 anos ou mais, institucionalizadas ou não; população indígena em terras demarcadas; trabalhadores de saúde; pessoas em situação de rua; trabalhadores da força de segurança e salvamento; pessoas com comorbidades; trabalhadores educacionais e da assistência social; pessoas institucionalizadas com deficiência; pessoas com deficiência permanente severa; quilombolas, povos e comunidades tradicionais ribeirinhas; caminhoneiros; trabalhadores do transporte coletivo rodoviário e ferroviário de passageiros; trabalhadores do transporte aéreo; trabalhadores portuários; população Privada de Liberdade (exceto trabalhadores de saúde e segurança); e trabalhadores do sistema prisional.

Agilidade - Beto Preto ressaltou que o Estado tem atuado com agilidade na distribuição, fazendo com que os imunizantes cheguem aos municípios, muitas vezes, em menos de 24 horas. “Por isso, reforço o apelo aos prefeitos e secretários municipais da saúde para que não deixem doses para trás. Vacinem e vacinem com rapidez, especialmente os mais idosos”, afirmou o secretário. “São eles que mais sofrem com a doença. Os mais idosos representam 77% das mortes decorrentes do coronavírus”.

Nova remessa - O Governo do Paraná começou a distribuir na quarta-feira (10/03) um novo lote de vacinas contra a Covid-19. São 79.630 doses do imunizante CoronaVac, produzido pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo.

Metade - A remessa é formada pela metade do lote encaminhado na terça-feira (09/03) pelo Governo Federal, com 74.300 aplicações, e mais um residual com 5.530 doses do conjunto de imunizações da semana passada.

Marca - Com a carga desta semana, formada por 148.600 aplicações da vacina CoronaVac, o Estado ultrapassou a marca de 1 milhão de doses recebidas, chegando a 1.001.600 vacinas. O lote vai permitir ao sistema público de saúde começar a imunizar idosos com uma faixa etária mais baixa, a partir dos 75 anos. “A expectativa é que uma nova quantia, parecida com essa, seja enviada ao Paraná até o início da próxima semana”, disse Beto Preto.

Boletim - Segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde divulgado nesta quinta-feira (11/03), o Paraná soma 740.955 casos e 13.053 mortes pelo novo coronavírus. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: Gilson Abreu / AEN

 


Versão para impressão


RODAPE