Imprimir
cabecalho informe

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 5041 | 01 de Abril de 2021

JUBILEU DE OURO I: Ocepar completa 50 anos nesta sexta-feira (02/04)

1jubileu I 01 04 2021Nesta sexta-feira (02/04), o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar) completa 50 anos. São cinco décadas de história em defesa do cooperativismo paranaense e de atuação voltada à promoção do desenvolvimento sustentável do setor, trabalho que hoje é realizado juntamente com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) e Federação e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar). Juntas, as três entidades compõem o Sistema Ocepar e, no dia a dia, se empenham em viabilizar as demandas das 217 cooperativas filiadas, para que elas tenham condições de oferecer a melhor prestação de serviços a todos os cooperados existentes no Estado.

Funções - “Eu vejo que a Ocepar tem três grandes funções. A primeira é de organização, que é somar forças, articular e planejar. O nome da Ocepar é Sindicato e Organização das Cooperativas do Paraná. Então, esse é o trabalho mais importante. Na sequência, vem a defesa dos interesses das cooperativas, que também é fundamental, e a articulação com os poderes Legislativo e Executivo, entidades parceiras e órgãos do governo. E, por último, e não menos importante, a capacitação profissional. Hoje, o cooperativismo possui 116 mil funcionários e 2,5 milhões de cooperados. Temos que ter um poderoso sistema de formação dessa gente. E isto o Sescooo/PR nos proporciona. E, para completar, a Fecoopar fornece suporte às cooperativas na área sindical", afirma o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken.

Evolução - Tudo começou em 2 de abril de 1971, quando 34 cooperativas fundaram a Ocepar, durante Assembleia Geral ocorrida em Curitiba. Ao longo dessa jornada, o cooperativismo paranaense evoluiu muito e, somente em 2020, alcançou R$ 115,7 bilhões de faturamento, montante 32,1% superior ao do exercício anterior. Num ano tão atípico e difícil, marcado pelo início da pandemia do novo coronavírus, as cooperativas do Paraná se mantiveram firmes e mostraram à sociedade a relevância do trabalho que realizam, por meio de atividades essenciais, como a produção de alimentos, a assistência à saúde, o acesso ao crédito, o transporte de cargas, o fornecimento de energia. Elas não pararam, apesar das dificuldades, e contribuíram para assegurar o abastecimento e o bem-estar da população.

Ramos - As cooperativas do Paraná atuam em sete diferentes ramos, entre as quais há 59 agropecuárias; 56 de crédito; 37 de saúde; 35 de transportes; 15 de infraestrutura; 11 de trabalho e produção de bens e serviços e quatro de consumo. Enquanto o ramo agro responde por 86,48% do faturamento do setor, o ramo crédito detém 90,77% do total de cooperados. Já o ramo saúde tem mais de 2,2 milhões de beneficiários no Estado. O cooperativismo paranaense também é um grande gerador de oportunidades. No ano passado, o setor abriu 10.341 novas vagas, chegando a 117.929 empregos diretos, ou seja, crescimento de 9,6%. Comparando com o cenário nacional, este índice no Brasil, de acordo com o Caged, foi de 0,29% e no Paraná de 1,85%.

Planejamento - Todo o avanço alcançado até hoje pelo cooperativismo paranaense é baseado numa característica marcante do trabalho realizado pela Ocepar desde a sua origem: o planejamento das atividades. Foram vários projetos e planos de ação executados durante esses 50 anos, com grandes resultados. Em 2021, inicia-se mais uma fase desse processo, a implementação do Plano Paraná Cooperativo 200, o PRC200, cuja meta financeira é atingir R$ 200 bilhões de faturamento nos próximos anos. “Num primeiro momento parece ousado, pois representa o dobro do PRC100, que finalizamos em 2020, ultrapassando todos os objetivos. Mas o cooperativismo já demonstrou que tem grande capacidade e nós queremos, por meio do PRC200, fornecer o suporte necessário para que nossas cooperativas avancem ainda mais e continuem contribuindo para promover o desenvolvimento econômico e social, não somente das comunidades onde estão inseridas, mas de todo o Estado. Essa é a nossa contribuição para a sociedade. O cooperativismo soma, faz com que cada um possa crescer junto, não exclui ninguém e, assim, todos saem fortalecidos”, acrescenta Ricken.

Agradecimento - “E, nesse momento em que completamos 50 anos, queremos aproveitar para agradecer todos que estão ligados direta ou indiretamente ao cooperativismo paranaense: aos ex-presidentes, que deixaram seu legado e nos possibilitaram dar continuidade a essa história. Nada disso seria possível se não fosse o altruísmo de pessoas como o Guntolf van Kaick, Benjamin Hammerschimit, Wilson Thiesen, Dick de Geus, João Paulo Koslovski e vários outros que levaram em frente este trabalho. Cada um, na sua época, fez a sua parte para que cooperativismo se tornasse o que é hoje. Também, o nosso agradecimento aos dirigentes das cooperativas, funcionários, cooperados, entidades parcerias, OCB, parlamentares que integram a Frencoop, autoridades estaduais e federais, às equipes de trabalho da Ocepar, Sescoop/PR e Fecoopar, enfim, nós só conseguimos chegar até aqui porque podemos contar com o apoio de muitas pessoas que, como nós, estão comprometidas com o cooperativismo e atuam pelo seu desenvolvimento”, finaliza Ricken.

 

 

JUBILEU DE OURO II: AGO comemorativa será realizada na segunda-feira; cooperativas filiadas devem se inscrever para participar

2jubileu I 01 04 2021Na segunda-feira (05/04), o Sistema Ocepar promove a sua Assembleia Geral Ordinária (AGO), que será comemorativa aos 50 anos de fundação da Ocepar. O evento será realizado por meio da plataforma Zoom e as cooperativas filiadas à entidade devem efetivar suas inscrições para participar e registrar o seu voto, por meio do endereço eletrônico: https://bit.ly/3tQH354. Após a confirmação do cumprimento dos requisitos estatutários, será enviado, por e-mail, um link de acesso à plataforma, que é individual e intransferível.

Transmissão - Os demais interessados poderão acompanhar a AGO pelo canal da TV Paraná Cooperativo no Youtube, que estará transmitido ao vivo o evento, das 14h às 16h30. Depois, às 17h, também irá transmitir a sessão solene remota que ocorrerá na Assembleia Legislativa do Paraná em homenagem ao cinquentenário da Ocepar.

PRC200 - Além da comemoração do Jubileu de Ouro da Ocepar, outro destaque da AGO será o Plano Paraná Cooperativo 200 (PRC200), o novo planejamento estratégico do cooperativismo paranaense. Após concluir o PRC100, no ano passado, com a meta de faturamento do setor atingindo mais de R$115 bilhões, o desafio agora é chegar aos R$ 200 bilhões nos próximos anos.

Mais informações - Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail secretaria@sistemaocepar.coop.br.

 

JUBILEU DE OURO III: Senge e Sindaspp parabenizam Ocepar pelo cinquentenário

jubileu III 01 04 2021O Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná (Senge-PR) e o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações, Pesquisas de Curitiba (Sindaspp) encaminharam uma carta parabenizando a Ocepar pelo aniversário de 50 anos da entidade. Na data em que comemora o jubileu, as entidades destacam que, por meio de projetos pioneiros de sucesso, o cooperativismo serve frequentemente de inspiração para iniciativas semelhantes no país, sendo fundamental para o Paraná. A carta com a data do dia 31 é assinada pelo presidente do Senge-PR, Leandro Grassmann, pelo coordenador-geral do Sindaspp, Ivo Petry Sobrinho, e pelo coordenador administrativo e financeiro do Sindaspp, Murilo Zanello Milléo.

Clique aqui para conferir na íntegra a carta

 

RÁDIO PR COOPERATIVO: Entrevista histórica com o primeiro e o atual presidente relata a trajetória de 50 anos da Ocepar

van kaick e ricken  01 04 2021

O Sindicato e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar) completa, nesta sexta-feira (02/04), 50 anos de história. Para marcar a data, a Rádio Paraná Cooperativo  bateu um papo com o primeiro e o atual presidente da casa: Guntolf van Kaick e José Roberto Ricken, respectivamente. Eles lembraram fatos que levaram à constituição da Ocepar, falaram do crescimento da Ocepar como entidade de organização, defesa, aprendizado e representação política do cooperativismo, projetaram a Ocepar do futuro, considerando as inovações tecnológicas, apontaram desafios e oportunidades, homenagearam o trabalho dos cooperativistas pioneiros e outros ex-presidentes da Ocepar e deixaram uma mensagem aos 2,5 milhões e meio de cooperados no Paraná. Foi uma conversa histórica sobre uma das entidades representativas mais importantes do país. Ouça aqui.

RÁDIO PR COOPERATIVO:

Entrevista histórica com o primeiro e o atual presidente da Ocepar relata a trajetória de 50 anos da Ocepar

EXCELÊNCIA EM GESTÃO: Para Cocamar, Prêmio SomosCoop contribui para demonstrar ao mercado o grau de competividade das cooperativas

excelencia gestao 01 04 2021

O cooperativismo é um modelo de negócio diferenciado, baseado em princípios e valores próprios, mas que também necessita estar constantemente empenhado em aumentar sua qualidade e competividade. Nesse sentido, o Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão destaca, entre todas as cooperativas do país, aquelas que estão avançando por meio da adoção e desenvolvimento de boas práticas de identidade cooperativista, governança e gestão. É um processo que envolve um alto grau de avaliação, cujo resultado também dá a dimensão ao mercado sobre como os empreendimentos cooperativos estão sendo conduzidos, de acordo com a gerente de Gestão, Qualidade e Processo da Cocamar Cooperativa Agroindustrial, Fernanda Braz Volpato Czusz. 

Patamar - “Além do reconhecimento da melhoria dos processos da cooperativa, essa iniciativa do Sescoop é importante porque demonstra para o mercado que as cooperativas estão se desenvolvendo cada vez mais e que aplicamos as melhores práticas de gestão e governança, nos colocando num patamar igual ou melhor do que muitas empresas de mercado”, afirma Fernanda. 

Premiada - A Cocamar é uma das quatro cooperativas paranaenses premiadas em 2019. Ela participa do Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão desde 2015, mas concorreu pela primeira vez em 2017, quando foi reconhecida na faixa Prata, no nível de maturidade “Primeiros passos”. “Depois, fomos reconhecidos em 2019, na faixa Ouro, no nível de maturidade “Compromisso com a excelência”, ressalta Fernanda. 

Melhoria constante - De acordo com ela, o que motiva a Cocamar a participar do Prêmio é a busca pelo aprimoramento constante dos processos da cooperativa e a garantia de que estão trabalhando com as melhores práticas de gestão e governança do mercado, o que tem gerado resultados positivos. “Com certeza, após a premiação, percebemos que somos capazes de colocar em prática o que há de melhor no mercado. O prêmio acaba sendo um estímulo para buscarmos inovações e melhorias nos nossos processos”, afirma. “Nós recomendamos que outras cooperativas participem, pois o programa e o prêmio nos desafiam a buscar o nosso melhor e continuar evoluindo sempre, além disso, o reconhecimento gera satisfação e motivação de todo o time”, acrescenta a gerente. 

O Prêmio - O Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão é promovido pelo Sescoop Nacional a cada dois anos. As inscrições da edição 2021 foram abertas no dia 8 de fevereiro e irão até o dia 30 de abril, por meio do site http://excelencia.premiosomoscoop.coop.br/. Podem participar todas as cooperativas singulares, centrais ou federações registradas e regularizadas com o Sistema OCB.

 

Avaliação - No Prêmio, as cooperativas são avaliadas por meio de instrumentos de diagnósticos de governança e gestão, de acordo com sua categoria e nível de maturidade, que são três: Primeiros Passos para a Excelência – aplicável às cooperativas que estão em estágio inicial de um programa de melhoria da gestão; Compromisso com a Excelência – aplicável às cooperativas que estão em estágios iniciais de evolução do seu sistema de gestão e começando a medir e perceber melhorias nos seus resultados e Rumo à Excelência – aplicável às cooperativas cujo sistema de gestão está em franca evolução e cujos resultados já demonstram competitividade. 

PEGCoop - No Paraná, o Sistema Ocepar promove o Programa de Excelência da Gestão do Cooperativismo Paranaense – PEGCoop para dar suporte às cooperativas do estado nessa área e a Cocamar é uma das fazem parte dessa iniciativa. “A participação no programa tem sido fundamental e é a garantia de que estamos no caminho certo. A ajuda que o Sistema Ocepar nos dá é essencial na busca de ferramentas e casos práticos. Além disso, conseguimos tirar nossas dúvidas e enxergar o programa com mais clareza”, afirma Fernanda. “Como resultado, conseguimos conectar diversas iniciativas existentes na cooperativa, superando a dificuldade que tínhamos antes em manter, reconhecer e registrar várias atividades que desenvolvemos”, frisa. 

Troca de experiências - Em sua avaliação, o programa poderia ser incrementado com a troca de experiências, seja entre as próprias cooperativas, ou entre cooperativas e empresas de mercado. “Isso possibilitaria conhecer mais práticas que estão sendo aplicadas e nos ajudaria a visualizar novas formas de fazer e aprimorar ainda mais os nossos processos”, finalizou a gerente de Gestão da Cocamar.

Evolução - Além da Cocamar, outras 51 cooperativas paranaenses já aderiram ao PEGCoop. “O objetivo do programa é viabilizar a evolução das práticas de gestão e de governança, incentivando a melhoria contínua para ampliar a competitividade, maximizar os resultados e transformar os modelos de negócios das cooperativas, tornando-os cada vez mais eficientes e resilientes”, esclarece o coordenador de Gestão Estratégica do Sescoop/PR, Alfredo Benedito Kugeratski Souza, que é responsável pelo programa paranaense.

Mais - Os interessados em saber mais sobre o Prêmio SomosCoop Excelência em Gestão e obter mais destalhes ligados ao PEGCoop podem entrar em contato com o coordenador de Gestão Estratégica do Sescoop/PR, Alfredo Benedito Kugeratski Souza, pelo e-mail: gestaoestrategica@sistemaocepar.coop.br.

NOTA DE PESAR: Ocepar lamenta falecimento de diretor da Coaprocor

nota pesar 01 04 2021Faleceu nesta terça-feira (30/03) o diretor da Coaprocor (Cooperativa Agroindustrial de Produtores de Corumbataí do Sul e Região), João Batista Campos. Cooperado desde a fundação, em 2009, ele participou de diversos momentos importantes para a consolidação da cooperativa e era o responsável pela preparação das sementes de maracujá da Coaprocor e do projeto de folha de aroeira, que fornecem matéria-prima para a indústria de cosméticos Natura, parceira estratégica dos negócios da cooperativa. João lutava, há cerca de um ano, contra um câncer de fígado. Tinha 54 anos e deixa esposa e dois filhos. O Sistema Ocepar lamenta o falecimento do líder cooperativista.

Superação - Em 2014, a reportagem da Revista Paraná Cooperativo contou a história de superação dos pequenos produtores de Corumbataí do Sul, que superaram dificuldades por meio do cooperativismo e da diversificação produtiva. João Batista Campos foi um dos agricultores entrevistados e relatou a experiência de diversificar a produção com a fruticultura, para amenizar os problemas que estavam tendo com a cultura cafeeira. “Reaproveitei a estrutura do café, só que agora adaptada para a secagem de sementes de maracujá. No começo havia certa dúvida por ser uma novidade. Mas eu tentei e deu certo”, disse à reportagem.

ONU - Em 2015, a matéria sobre a Coaprocor foi premiada com o 2º lugar no Prêmio FAO de Jornalismo sobre Agricultura Familiar. No ano seguinte, a ONU escolheu duas imagens da reportagem, feitas pelo jornalista e fotógrafo Ricardo Rossi, para compor a exposição “Cooperativas: O poder de agir para um futuro sustentável”, na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Uma das fotos retratava João Batista Campos, com as sementes de maracujá em suas mãos, mostrando os resultados da secagem e reaproveitamento do produto, destinado à fabricação de cosméticos.

 

 

FORBES: Coops estão entre as 100 maiores do agro brasileiro

 

forbes 01 04 2021Vinte e uma cooperativas fazem parte da lista das 100 maiores do agronegócio brasileiro (2020), que acaba de ser divulgada pela Forbes. Entre elas estão as paranaenses Coamo, C.Vale, Lar, Cocamar, Copacol, Agrária, Castrolanda, Integrada, Frísia, Frimesa Coopavel, Coasul e Copagril.

 

Demonstrativos financeiros - Para a elaboração da lista, que teve como base informações de demonstrativos financeiros das empresas, da agência Standard & Poor’s, da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e da empresa de informações financeiras Economatica, foram consideradas empresas com faturamento no Brasil de pelo menos R$ 1 bilhão em 2019.

 

Grau de atuação - Segundo a Forbes, foi considerado também o grau de atuação de cada empresa ou grupo no agronegócio brasileiro, ainda que sua atividade principal tenha relação indireta com a produção agropecuária nacional. (Com informações da OCB)

 

FOTO: Cleverson Beje / ANPR

  

 

 

forbes 01 04 2021

 

 

LICENCIAMENTO AMBIENTAL: OCB e deputado Neri Geller debatem propostas

 

meio ambiente 01 04 2021O deputado Neri Geller (MT) se reuniu nesta quarta-feira (31/03) com a equipe técnica da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) para debater as propostas do Projeto de Lei (PL) 3729/2004, que trata do licenciamento ambiental no Brasil. Membro da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), o parlamentar destacou que irá contar com a participação da OCB como um dos pontos focais para o avanço do debate.

 

Convergência - “Estamos trabalhando com muita intensidade e ouvindo diversos setores da sociedade civil organizada, bem como membros do governo federal para buscarmos a maior convergência possível para a norma. Nesse contexto, as considerações da OCB têm muita relevância para amadurecer o debate e buscar esse texto de equilíbrio e que traga maior eficiência ao processo de licenciamento e proteção ambiental”, afirmou Geller.

 

Contribuição - Fabíola Motta, gerente de Relações Institucionais da OCB declarou que a organização tem interesse em contribuir e que o projeto é um dos temas prioritários da agenda institucional do cooperativismo. As sugestões propostas têm como objetivo o desenvolvimento sustentável e, para isso, contam com duas diretrizes básicas: a proteção do meio ambiente e a eficiência do processo de licenciamento ambiental.

 

Diretrizes - “Acreditamos que o projeto deva tratar de diretrizes gerais de procedimento, assegurando autonomia para estados e municípios na implementação da política. Além disso, consideramos importante adequar as exigências de licenciamento às características dos empreendimentos, para que não existam cobranças excessivas para aqueles de pequeno porte ou baixo potencial poluidor. Também consideramos importante dar maior previsibilidade na análise dos procedimentos de licenciamento por parte dos órgãos públicos”, explicou o consultor ambiental da OCB, Leonardo Papp.

 

Tratamento adequado - Outra prioridade da OCB é conferir tratamento adequado para as atividades agropecuárias, considerando como não sujeitas a licenciamento ambiental aquelas que já tenham prestado informações ambientais nos demais cadastros existentes e que contenham obrigações ambientais decorrentes diretamente da legislação.

 

Votação - O objetivo do deputado é que o projeto seja votado ainda no primeiro semestre deste ano. “Temos cerca de R$ 130 bilhões em investimentos travados em decorrência do excesso de normas, decretos, portarias estaduais e resoluções existentes. Precisamos simplificar esse processo e garantir segurança jurídica para que a legislação seja cumprida com rigor e eficiência”.

 

Projetos - Ainda segundo o parlamentar, as discussões sobre o licenciamento ambiental envolvem projetos de infraestrutura, desde o saneamento básico até o asfaltamento de rodovias e confinamentos de grande porte. “Por isso, a importância de criar uma lei geral que permita destravar projetos importantes para o desenvolvimento do país, como estradas, ferrovias, redes de energia elétrica, entre outros”, completou. (OCB)

 

FOTO:  Assessoria C.Vale

 

LEGISLAÇÃO: Nova Lei de Falências preserva ato cooperativo

 

O Congresso Nacional reconheceu as especificidades e resguardou os créditos decorrentes do ato cooperativo ao derrubar, no dia 18 de março, o item 2 do veto 57/20 apresentado pelo governo federal à atualização da Lei de Falências (14.112/2020). A norma trata da recuperação judicial de empresas em dificuldades, do parcelamento e do desconto para pagamento de dívidas tributárias e possibilita aos credores apresentar plano de recuperação dos devedores.

 

Exclusão - O parágrafo 13, constante no artigo sexto da referida Lei, exclui dos efeitos da recuperação judicial dos contratos e obrigações decorrentes dos atos cooperativos. “É preciso considerar que as sociedades cooperativas são regidas por legislação própria e por princípios específicos desse modelo de negócio. Um deles é o da dupla qualidade de seus cooperados que assumem tanto a posição de usuários dos serviços prestados como o de donos do negócio”, explica o deputado Evair de Melo (ES), presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo.

 

Realidade distinta - Segundo o parlamentar, esse princípio da dupla qualidade dos cooperados representa uma realidade distinta da vivenciada pelas empresas tradicionais. “Nelas, os interesses do devedor e do credor são opostos. No ambiente cooperativista, ao contrário, os interesses são paralelos e complementares”, acrescenta.

 

Risco - Ainda de acordo com Evair, o não reconhecimento do ato cooperativo poderia representar risco de dissolução da cooperativa no esforço de tentar preservar a saúde financeira e econômica dos seus cooperados. “Além disso, poderia gerar situações de quebra de confiança e de conflito entre cooperativa e cooperados o que, certamente, não era a intenção da proposta”.

 

Impactos evitados - De acordo com o presidente da OCB, Márcio Lopes de Freitas, é importante destacar que a preservação do ato cooperativo na nova lei evitou impactos negativos não apenas para as cooperativas, mas para todo o setor produtivo. “Caso o veto fosse mantido teríamos algumas consequências importantes como, por exemplo, o aumento do custo do crédito, a queda no incentivo ao financiamento e o aumento da burocratização para acesso aos recursos. Isso sem contar a insegurança jurídica e os casos de judicialização que, com certeza, se multiplicariam”.

 

Transações internas - Freitas também destaca que o dispositivo mantido na lei não se aplica a todo e qualquer negócio celebrado pela sociedade cooperativa, mas apenas as transações internas, realizadas com seus próprios cooperados, ou seja, os que são denominados como atos cooperativos. (OCB)

PESQUISA: Sescoop intensifica preparativos do sexto EBPC

 

pesquisa 01 04 2021Os preparativos para a sexta edição do Encontro Brasileiro de Pesquisadores em Cooperativismo (EBPC) estão a todo vapor. O evento incentiva estudos que promovam a projeção e a compreensão de cenários e tendências, bem como do tratamento das relações de interdependência e seus efeitos em uma cooperativa. Com tema Ações coletivas e resiliência: inovações políticas, socioeconômicas e ambientais, o encontro será realizado em formato digital, em decorrência da pandemia do novo coronavírus, entre os dias 2 e 6 de agosto.

 

Participação - O EBPC é aberto a todos os interessados em compreender e fortalecer as cooperativas enquanto organizações econômicas e sociais que promovem o desenvolvimento inclusivo. Dentro deste público, destacam-se os pesquisadores, gestores de cooperativas, dirigentes, profissionais do sistema de aprendizagem e representação e elaboradores de políticas públicas.

 

Trabalhos - São bem-vindos trabalhos de pesquisadores, vinculados ou não a Universidades, que têm as cooperativas como objeto de estudo e as abordem em diferentes áreas do conhecimento. Os posicionamentos dos profissionais das cooperativas e do Sistema OCB e as visões dos formuladores de políticas públicas e suas expertises contribuirão para o debate e construção do conhecimento.

 

Parceria - Essa será a primeira vez que o Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural (SOBER) e o EBPC ocorrem de forma conjunta e simultânea. A ideia é aproximar os públicos dos dois eventos e fortalecer o debate sobre as produções científicas voltadas para o campo e para todos os ramos do cooperativismo brasileiro.

 

Sociedade Científica - A SOBER é uma Sociedade Científica, Cultural e Educacional com mais de 60 anos, e tem por finalidade desenvolver as ciências sociais rurais (Administração, Economia, Extensão, Comunicação e Sociologia Rural), e suas correlatas, fornecendo também subsídios para a implementação de políticas públicas voltadas para os setores agrícola, agroindustrial e para áreas rurais. Isso ocorre por meio da intensa e contínua discussão da produção intelectual de seus associados e pelas contribuições às políticas para agricultura.

 

Trajetória - Essa trajetória de pesquisa e debate foi marcada pelas mudanças econômicas, pelas alterações no marco político e institucional, pelas políticas de ciência e tecnologia e de desenvolvimento agrícola e, sobretudo, pelos paradigmas e visões dominantes na economia, na administração e na sociologia rural.

 

Submissão dos trabalhos - Outra data muito importante é o prazo-limite para o envio dos trabalhos a serem selecionados para apresentação no encontro. O prazo para submissão termina no dia 18 de abril. Serão permitidos no máximo quatro autores por trabalho e, cada autor só poderá figurar em, no máximo, quatro trabalhos.

 

Grupos de Trabalho - A SOBER possui 13 Grupos de Trabalho (GTs) para a discussão de diferentes temas relacionados ao meio rural no Brasil. Assim, os pesquisadores que investigam o cooperativismo, independente do ramo, deverão submeter seus trabalhos ao GT 6, que é o grupo de trabalho específico do EBPC, e está dividido em cinco eixos temáticos:

GT 6.1 Identidade e cenário jurídico

GT 6.2 Educação e Aprendizagem

GT 6.3 Governança, gestão e inovação

GT 6.4 Capital, finanças e desempenho

GT 6.5 Impactos econômicos, sociais e ambientais

 

Modalidades - As submissões podem ser feitas em três modalidades: artigo completo, resumo expandido e sessão organizada (SORG).

 

Regras - Os trabalhos aprovados para o 6º EBPC terão isenção da taxa de inscrição para os autores que forem realizar a apresentação oral no evento. Para conferir todas as regras de submissão, basta acessar: www.even3.com.br/soberebpc2021. (OCB)

 

SICOOB OURO VERDE: AGO é realizada em formato on-line; mais de R$ 4,3 mi são distribuídos entre os cooperados

 

Colocando em prática o segundo princípio do cooperativismo, que é a gestão democrática, no último dia 24 o Sicoob Ouro Verde realizou sua Assembleia Geral Ordinária com a participação de delegados e cooperados.

 

Deliberação - Além de apresentar os números de 2020, o objetivo da reunião foi deliberar sobre temas importantes para a cooperativa, como a prestação de contas dos órgãos de administração, acompanhada do parecer do Conselho Fiscal e realizar a destinação das sobras apuradas, entre outros assuntos.

 

Votação - Totalmente on-line, a AGO teve também votação para aprovação da prestação de contas da cooperativa, realizada pelo app Moob. Ao todo, participaram 84 dos 90 delegados.

 

Determinações estatutárias - Seguindo as determinações estatuárias, após a destinação ao Fundo de Assistência Técnica Educacional e Social (Fates), ao Juros sobre Capital e à Reserva legal, mais de R$ 4,3 milhões foram divididos entre os cooperados.

 

Oportunidades - Segundo o presidente, Roberto Cremonez, dentro da cooperativa todos estão motivados e em busca de oportunidades. “Aqui todos estão atrás de um objetivo em comum. Agradeço aos nossos colaboradores e sei que estamos alinhados e coesos para atingir nossas metas”, afirma. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2021/noticias/04/01/sicoob_ouro_verde/{/vsig}

SICREDI ALIANÇA: Encerrado o processo assemblear, com eleição de novos conselheiros e destinação de R$ 6 milhões em resultados

 

sicredi alianca 01 04 2021Quanto mais você participa da sua cooperativa mais você e sua cooperativa ganham, pois no nosso modelo de negócio colaborativo, esta é a principal característica. Neste sentido, a Sicredi Aliança PR/SP finalizou recentemente seu processo assemblear onde foram apresentadas as ações desenvolvidas em 2020, eleitos os novos membros do Conselho de Administração e Conselho Fiscal; e feita a aprovação da destinação dos resultados. A cooperativa distribuiu neste dia 31/03 mais de R$6 milhões em cota capital aos seus associados. O valor recebido pode ser conferido no aplicativo Sicredi ou na agência com os gestores de conta.

 

Transparência - Conforme o presidente do Conselho de Administração, Adolfo Rudolfo Freitag, a apresentação dos dados promove a transparência da gestão e poder distribuir um resultado tão positivo aos associados em um ano atípico é mérito da confiança do quadro social. “O ano de 2020 foi muito diferente de tudo que já vivemos nestes 35 anos. Comemoramos o aniversário da Sicredi Aliança PR/SP de uma forma diferente do planejado inicialmente, mas não deixamos de celebrar. Nossas assembleias aconteceram de forma online, também diferentemente do imaginado. Tivemos que nos adaptar ao momento e prosseguimos nosso trabalho sempre com foco em oferecer o melhor e estar ao lado do associado. Deixamos aqui também um agradecimento aos 6.854 associados que participaram das assembleias, exercendo seu direito de votar e traçar o futuro da cooperativa”, considerou. “Também aproveitamos para agradecer aos membros do Conselho de Administração e Conselho Fiscal por todo o trabalho realizado no período, bem como nos quatro anos de gestão”, finalizou.

 

Distribuição do resultado - O diretor executivo, Fernando Barros Fenner, evidencia que a distribuição do resultado reforça o discurso e a prática de que o associado é dono da cooperativa. “Tivemos muitas conquistas em 2020 incluindo as constatações em nossas pesquisas de satisfação, que mostram que estamos no caminho certo. Esses feedbacks são muito importantes pois a partir dele traçamos as estratégias, pensando sempre em ser a principal instituição financeira do nosso associado e em bem atendê-lo. Poder entregar ao associado a sua participação no resultado é mais uma forma de reforçar esse compromisso. O ‘cashback’ - termo moderno utilizado para representar o dinheiro que volta - está na cota capital de cada associado, conforme suas movimentações financeiras. Foram mais de R$ 9 milhões que ficaram com nossos associados: R$3,5 milhões pagos em dezembro em juros ao capital e agora mais R$6 milhões em distribuição de resultados. Agradecemos a todos pela confiança neste ciclo e estamos nos preparando para o ciclo que se inicia, seguindo nosso Planejamento Estratégico”, destacou.

 

Eleição - Durante o processo assemblear foram eleitos os novos membros dos Conselhos Fiscal e de Administração, sendo:

 

Conselho de Administração para a gestão 2021-2025:

- Presidente: Adolfo Rudolfo Freitag

- Vice-Presidente: Ildo Vorpagel Hoffmann

- Conselheiros: Carlos Salamon, Erich Syperreck, Ivete Schoffen, Laércio Cipriano e Mauro Herthal

 

Conselho Fiscal para a gestão 2021-2023:

- Conselheiros efeitos: Ivete Krüger, Verner Weiss e Sandra Rieger

- Conselheiros suplentes: Aurelio Maldaner, Eloisa Eckstein e Delmir Ohlweiller

 

Nova diretoria de negócios - A partir de então, a Sicredi Aliança PR/SP também conta com uma nova diretoria de negócios. Assume tal função com atuação focada na área de abrangência da cooperativa no estado de São Paulo, Fábio André Heinrich, com vasta experiência em gerência de agência e que anteriormente ocupava a função de Superintendente Regional na região de atuação em São Paulo.

 

Relatório - Se você não conseguiu participar das assembleias mas deseja conhecer as ações realizada em 2020, confira nosso relatório:

https://www.sicredi.com.br/media/filer_public/2021/02/25/projeto.pdf. (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

 

FRÍSIA: Cooperativa doa equipamentos para hospital em Tibagi e reforça a mobilização do cooperativismo contra a Covid-19

 

frisia 01 04 2021Uma ampla mobilização do cooperativismo da região dos Campos Gerais está fortalecendo o combate à covid-19 e proporcionando melhor atendimento aos pacientes do Paraná. A Frísia realizou, nesta semana, a doação de dois respiradores e um monitor multiparamédicos ao Hospital Luiza Borba Carneiro, localizado em Tibagi, e que tem convênio com o governo do Estado. É esperada a chegada de mais um equipamento respirador nas próximas semanas. A ação soma-se às doações realizadas pela Coopagrícola e pelo sistema de intercooperação Unium, formado pelas cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, que contemplaram o Hospital Municipal de Ponta Grossa, com apoio da terceira regional de saúde do Paraná.

 

Empenho - O secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, agradeceu o empenho da Frísia para o atendimento às vítimas do coronavírus. “Obrigado à iniciativa privada e aos empreendedores que têm se colocado ao lado do governo do Paraná para fazer o atendimento acontecer em todas as regiões do Estado. A Frísia também nos ajudou com dois respiradores e um monitor multiparamédico para o hospital de Tibagi. A vocês, nosso muito obrigado e que Deus nos abençoe para ultrapassar logo esse momento tão difícil”, destacou Beto Preto.

 

Tibagi - Tibagi, que fica localizada a 210 km de Curitiba, assim como outras regiões do Paraná, já teve caso de paciente ir a óbito sem ter conseguido vaga de transferência. A secretária municipal de Saúde, Natasha Dutko, afirmou que a crise sanitária provocada pela covid-19 atingiu “de forma muito dura” Tibagi, aumentando a demanda de atendimentos e sobrecarregando o serviço hospitalar.

 

Agradecimento - “Como secretária de Saúde e como tibagiana, em nome da Prefeitura Municipal, agradeço de coração todo o empenho por parte da cooperativa Frísia. Esses equipamentos serão extremamente úteis e vem para melhorar o atendimento aos nossos pacientes. A maior vantagem é que esses respiradores poderão ser usados tanto fixo, dentro do leito, quanto portátil, para transferências, um avanço na qualidade dos atendimentos. Quando as pessoas se unem em um esforço coordenado, sonhos acontecem e esperanças são renovadas. Gratidão à toda equipe da cooperativa Frísia”, afirmou Dutko.

 

Outras doações- Nesta semana, a intercooperação Unium doou para o sistema de saúde de Ponta Grossa quatro respiradores e quatro monitores. Além deles, a cooperativa Coopagrícola doou um respirador também para o município.

 

Parceria - Responsável pelas Relações Sociais e Cooperativismo da Frísia, Luciano Tonon lembra que o cooperativismo e as cooperativas são parceiros do poder público, principalmente em desafios como o atual. “As doações são parte de uma mobilização das cooperativas para amenizar os desafios que a covid-19 está impondo a nossa população. Essas ações são prioritárias para o cooperativismo e exemplificam a aplicação do sétimo princípio, voltado para o trabalho e o interesse nas comunidades”, lembra Tonon.

 

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial - Fundada em 1925, a Frísia é a cooperativa mais antiga do Paraná e segunda do Brasil. Localizada na região dos Campos Gerais, tem sua produção voltada ao leite, carne e grãos, principalmente, trigo, soja e milho. A cooperativa é resultado da união do trabalho de todos os cooperados e colaboradores; da diversificação da produção, englobando a produção leiteira, de grãos e de proteína animal; e da alta qualidade do que é feito e comercializado, com animais de excelente genética, rastreamento e investimento em tecnologia, infraestrutura e mão de obra. Os valores da cooperativa são Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA). (Imprensa Frísia)

 

C.VALE: Abertas as inscrições para Jovem Aprendiz Industrial

No período de 31 de março a 20 de abril, a C.Vale estará com as inscrições abertas para o processo seletivo da oitava turma do Programa Jovem Aprendiz. A cooperativa, em parceria com o Sescoop, vai contratar mais 90 jovens com idade entre 14 e 22 anos, que estejam cursando ou tenha concluído o ensino médio.

Inscrições - As inscrições poderão ser feitas diretamente na Agência do Trabalhador de Palotina (PR), e no site da cooperativa: https://www.cvale.com.br/site/trabalhe-na-cvale/seja-um-colaborador, clicando na aba Jovem Aprendiz.

Etapas - Os candidatos passarão por etapas de seleção que consistem na apresentação dos documentos (fotocópia da carteira de identidade, CPF, comprovante de residência e histórico escolar de 2021), prova de conhecimentos gerais e entrevista individual.

Contratação - Os selecionados serão contratados para desenvolver tarefas de Auxiliar Industrial Aprendiz com uma carga horária de 20 horas semanais, remuneração mensal pelo salário mínimo hora, mais vale alimentação e plano odontológico com custeio de 70% pela cooperativa.

Aulas - Os jovens também terão aulas na Uespar sobre temas relacionados ao cooperativismo e ao mercado de trabalho. As atividades serão sempre no contraturno escolar (7h30min às 11h30min ou das 13h30min às 17h30min) nas áreas industriais da C.Vale, em Palotina (PR).  (Imprensa C.Vale)

 

cvale folder 01 04 2021

COOPAVEL I: Cordius tem lançamentos indicados ao PR e MS

coopavel I 01 04 2021Variedades indicadas para o Paraná e Mato Grosso do Sul são apresentadas pela Cordius na versão digital do Show Rural Coopavel. A empresa é a marca de licenciamento de sementes de soja da Corteva, uma das grandes do segmento no mundo. O vídeo técnico produzido pela companhia e que está no ar traz lançamentos e variedades já consagradas.

Portfólio - O promotor de licenciamento da Cordius para o Paraná e Mato Grosso do Sul, Álvaro Rodrigues Duarte, informa que o portfólio da empresa é amplo e oferece características especiais aos produtores rurais. A C2531E é o primeiro lançamento para a região Sul com a tecnologia Enlist, que auxilia no manejo das principais ervas daninhas e é tolerante, entre outros, ao glifosato. Cultivar do grupo 5.3 de maturação, conta com bom pacote fitossanitário, estabilidade e caixa produtiva elevada.

Segunda safra - Outro lançamento é o C2600IPRO, que tem grau 6.1 de maturação. É uma cultivar indicada ao produtor que visa a segunda safra, podendo ser utilizada para fazer abertura de plantio no cedo. Segundo Álvaro ela conta com boa sanidade foliar e de raiz e tem tolerância às principais fitofteras e excelente caixa produtiva. Já a C2530RR tem 5.4 de maturação e ciclo indicado especialmente para o Sul. Com tecnologia RR, possui bom pacote fitossanitário de raiz e aérea, além de tolerância a nematoides de galha e cisto. A C2530RR tem estabilidade e excelente caixa produtiva e é recomendada para transição em regiões de altitude.

Maturação - A C2570rr tem 5,7 de grau de maturação. É recomendada para regiões mais altas, acima de 500 metros. Trata-se de um material de média e alta fertilidade desenvolvida para áreas de integração lavoura e pecuária, que tem elevado grau de pisoteio. Já a C2626IPRO tem grupo de maturação 6.1, e excelente ciclo principalmente ao Sul do Mato Grosso do Sul. A variedade apresenta ótimos resultados e estabilidade mesmo ao lado de materiais de ciclo mais longo, segundo Álvaro. É indicada para plantio em outubro, de olho na segunda safra. No Paraná, a variedade pode ser plantada no cedo. Tem sanidade boa de raiz e foliar e traz, nos ensaios de lançamento feitos desde 2020, caixa produtiva bastante alta.

Novidades - As novidades da versão online do Show Rural Coopavel podem ser assistidas nos seguintes endereços: youtube.com/showruralagro e www.showrural.com.br. “Esses conteúdos estão à disposição de agricultores e técnicos a qualquer hora e podem ser facilmente acessados de qualquer lugar do mundo”, diz o coordenador geral do evento, o agrônomo Rogério Rizzardi. (Imprensa Coopavel)

 

COOPAVEL II: Adama apresenta herbicida e fungicida na versão digital do Show Rural Coopavel

coopavel II 01 04 2021Dois nomes conhecidos e consagrados entre os agricultores são apresentados pela Adama na versão digital do Show Rural Coopavel. Todas as novidades do evento, que também se reinventa devido às consequências da pandemia, podem ser acompanhadas nos seguintes endereços youtube.com/showruralagro e no www.showrural.com.br.

Produtos - Os produtos apresentados pela Adama são o Araddo e o Cronnos e quem fala das características dos ambos é o agrônomo de Desenvolvimento de Mercado Rafael Gai. “Temos um amplo portfólio à disposição dos produtores rurais, desenvolvido com o melhor das tecnologias para proteção, maior produtividade e otimização de custos nas lavouras”. E tudo isso, conforme Rafael, para levar ao campo um dos princípios mais importantes disseminados pela Adama, uma das maiores empresas do seu segmento, que é a simplicidade à agricultura.

Características - O herbicida Araddo tem como principais aspectos eficiência, espectro de controle e segurança. Sua alta eficiência surpreende no manejo de dissecações de controle de plantas daninhas de folhas largas e estreitas. É o único do mercado em espectro. Com ele, o produtor não precisa fazer misturas de produtos, o que garante mais eficiência e controle em sua área. O Araddo pode ser aplicado e então feita a semeadura em seguida com total tranquilidade e sem nenhum risco de fito-toxidade para a soja, segundo Rafael.

Alta performance - O fungicida Cronnos, por sua vez, é de alta performance e veio para o mercado em um cenário de manejo de resistência de doenças. “Precisávamos de um produto que conferisse espectro de controle e sua tecnologia traz moderna formulação líquida que facilita a aplicação e não causa entupimentos de filtros e bicos de pulverização. Tem proteção tripla. O Cronnos também foi testado por diversas instituições de pesquisa e acabou consagrado como o melhor produto do consórcio antiferrugem nas duas últimas safras. Ele ainda traz incremento de 2,4 sacas por hectare de produtividade quando comparado a outros fungicidas que estão no mercado, afirma Rafael Gai. (Imprensa Coopavel)

 

COPACOL: Tilápia é a escolha ideal para pratos saborosos na Páscoa

copacol 01 04 2021O feriado prolongado está chegando e que tal preparar um prato nutritivo, saudável e muito saboroso? Se você quer um almoço diferenciado e delicioso, aposte nessa receita de filé de Tilápia Copacol à parmegiana! Tomate, alho, orégano e muito queijo fazem parte deste prato incrível que com certeza sua família vai amar.

Tilápia Copacol - Sabor, qualidade e praticidade são sinônimos para a Tilápia Copacol, presente na mesa de milhões de brasileiros. A espécie de peixe é uma opção saudável para quem deseja conservar as tradições religiosas, na Semana Santa, e também durante a comemoração da Páscoa. Para muitos religiosos, esse é um momento de reflexão, e em família poder rever atitudes em relação ao próximo.

INGREDIENTES:

2 Filés de Tilápia Copacol

Sal e pimenta-do-reino a gosto

2 dentes de alho

2 tomates sem sementes

Azeite de oliva

50 g de purê de tomate

Orégano

50 ml de água

1 colher de sopa de molho inglês

50 g de queijo parmesão ralado

100 g de queijo muçarela fatiado

Papel alumínio

MODO DE PREPARO:

Tempere os filés de tilápia com sal e pimenta. Reserve.

Pique o alho e os tomates. Reserve.

Em uma panela com azeite doure o alho, coloque o tomate picado, tempere com sal e pimenta, refogue bem, junte o purê de tomate, o orégano, o molho inglês e a água, cozinhe por 5 minutos. Reserve.

Coloque o peixe em uma forma untada com azeite, cubra com papel alumínio e leve para assar por 15 minutos.

Retire o papel alumínio e coloque o molho sobre o peixe, polvilhe com queijo parmesão, cubra com a muçarela e salpique o orégano, leve ao forno em temperatura moderada e deixe assar até derreter o queijo.

Mais receitas - A Copacol coopera com pratos sempre deliciosos, proporcionando os melhores momentos em família, o ano inteiro. Receitas perfeitas a base de peixes estão disponíveis em nosso portal www.diadepeixe.com.br. Acesse e se surpreenda com a versatilidade e o sabor da tilápia.

Saúde na mesa - A tilápia está entre as queridinhas dos brasileiros. Ela é fácil de harmonizar com acompanhamentos e bebidas. Além disso, possui proteínas de alto valor nutritivo, sais minerais, vitaminas e ácidos graxos importantes para o nosso organismo, como o Ômega-3, além de ter baixo teor calórico. A proteína é rica em selênio, um mineral antioxidante que tem a capacidade de reduzir a atividade dos radicais livres, diminuindo a mutação das células e evitando o surgimento de câncer. (Imprensa Copacol)

 

UNIMED PONTA GROSSA: HGU promove ação sobre segurança do paciente

unimed ponta grossa 01 04 2021A área de Provimento em Saúde do Hospital Geral Unimed (HGU), por meio do Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) e Gestão de Risco, promove, nesta quarta e quinta-feira (31/03 e 01/04), uma ação interna para os colaboradores do hospital.

Segurança do Paciente - No primeiro dia de abril, comemora-se o Dia Nacional de Segurança do Paciente e a enfermeira coordenadora de Provimento em Saúde, Idiamara Rech Castilho, explica que a ação faz parte das políticas de educação continuada da instituição.

Benefícios - “A cultura de segurança do paciente fortalecida traz benefícios para nossos pacientes e também ao nosso profissional. Nosso objetivo é oferecer um cuidado de qualidade e seguro, resultando em melhoria da saúde de quem recebe nossos cuidados”.

Presença - De forma itinerante, as equipes marcaram presença em todas as áreas assistenciais e administrativas do HGU, reforçando a importância das seis metas internacionais de segurança, esclarecendo dúvidas e entregando brindes.

Estratégica - “Essa ação é considerada estratégica para a minimização de eventos adversos evitáveis na assistência à saúde dos pacientes e a conscientização geral em prol da segurança de todos”, ressalta Idiamara.

Seis Metas Internacionais - Foram criadas em 2006, pela Joint Commission International (JCI), uma instituição sem fins lucrativos, responsável pela acreditação hospitalar nos Estados Unidos. O objetivo das metas é garantir e disseminar as melhores práticas, de padrão global, que reduzem a exposição a riscos, garantindo a segurança dos pacientes.

Processos - Os processos de segurança do paciente também são umas das principais premissas da Organização Nacional de Acreditação (ONA), pela qual o HGU é certificado em nível pleno.

Quais são - As seis metas são: 1) identificar corretamente o paciente; 2) melhorar a comunicação entre os profissionais de saúde; 3) melhorar a segurança na prescrição, no uso e na administração de medicamentos; 4) assegurar cirurgia em local de intervenção, procedimento e paciente corretos; 5) higienizar as mãos para evitar infecções; e 6) reduzir o risco de quedas e úlceras por pressão. (Imprensa Unimed Ponta Grossa)

 

UNIMED LONDRINA: Por que tomar a vacinar da gripe durante a pandemia da Covid-19?

Nunca foi tão importante tomar a vacina da gripe, ainda mais em plena pandemia da Covid-19. A imunização contra a doença pode auxiliar na maior proteção contra outras infecções advindas da gripe, no rápido diagnóstico dos sintomas do novo coronavírus e na diminuição da procura por atendimento médico.

Intensificada - "Desde a pandemia da H1N1, em 2009 - nada comparada a atual pandemia de Sars-Cov-2 – a vacinação para influenza foi intensificada, baseada nas cepas prevalentes a cada ano”, afirma a infectologista e médica intensivista do Hospital Universitário (HU) de Londrina, Claudia Carrilho. “Isso evitou um grande número de infecções, de óbitos e índice de absenteísmo no trabalho", complementa.

Imunização - A médica reforça que a imunização contra a gripe deve ser feita nos próximos meses. Isso porque entraremos na época da influenza sazonal cuja circulação do vírus da gripe no outono-inverno se intensifica. "Todas as pessoas com indicação de receber a vacina anual da gripe devem se vacinar para sua proteção, para proteção de quem convive junto, para não piorar a sobrecarga do sistema de saúde e para não confundir o diagnóstico frente a um quadro gripal, pois fica mais fácil descartar a infecção da Covid-19 em pessoas imunizadas", orienta.

Diferentes cepas - O vírus da gripe contém diferentes cepas que podem evoluir para casos graves cujo tratamento depende de estruturas como a UTI. "Pensando que é uma doença prevenível e com possibilidade de tratamento, pois existem anti-virais para influenza, é muito importante toda forma de prevenção, pois a gripe pode sim evoluir para formas graves, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)", alerta a infectologista.

Combate às doenças - Carrilho destaca que a imunização é fundamental no combate às doenças infecciosas e que a saúde pública do Brasil foi muito beneficiada com a aplicação de vacinas. "Toda forma de prevenção é válida e as vacinas em geral sempre foram importantes aliadas da saúde pública, desde a erradicação de doenças – como poliomielite, sarampo, varíola - como a redução importante de casos, como varicela, pneumonia, hepatite, meningite e também influenza", enumera.

Intervalo - Para as pessoas que tomaram ou irão tomar a vacina da Covid-19, Claudia informa que é necessário respeitar um intervalo de duas semanas entre cada uma dessas vacinas - seja a primeira ou segunda dose do imunizante contra a Covid-19.

Campanha - A campanha de vacinação contra a gripe na rede pública está prevista para começar na segunda quinzena de abril. Na Clínica de Vacinas da Unimed Londrina, clientes e não clientes da operadora já podem fazer a reserva e o agendamento da aplicação da vacina no site www.unimedlondrina.com.br. A dose disponível na clínica é a tetravalente (protege contra quatro tipos de vírus da gripe) e o valor é de R$ 120. (Imprensa Unimed Londrina)

ABIMAQ: Setor de máquinas e equipamentos cresce 18% em fevereiro

abimaq 01 04 2021Com receita de R$ 13,8 bilhões, o setor de máquinas e equipamentos registrou crescimento de 18% em fevereiro em comparação com o mesmo mês de 2020, segundo balanço divulgado nesa quinta-feira (31/03) pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

Alta - Nos primeiros dois meses de 2021 a alta ficou em 27,4% em relação ao primeiro bimestre do ano passado.

Tendência de crescimento - Segundo o presidente executivo da Abimaq, José Velloso, a indústria de máquinas tem apresentado uma tendência constante de crescimento desde abril do ano passado. “Alguns meses crescendo mais outros menos, mas sempre crescendo”, destacou durante a apresentação dos dados.

Patamar baixo - Velloso pondera, no entanto, que essa expansão acontece a partir de um patamar baixo. “Nós ainda estamos 22% abaixo do que era a média de 2010 a 2013”, compara. “Nos últimos cinco anos a taxa de investimento no Brasil é muito pequena”, acrescenta.

Previsão - Para este ano, a previsão da associação é de que o setor de bens de capital registre uma alta de 13%. Esse crescimento deve ser puxado, de acordo com o presidente executivo da Abimaq, por setores que têm apresentado grande atividade nos últimos meses. “Você tem setores de infraestrutura que estão indo bem, especialmente construção de estradas”, exemplificou.

Setores - Entre os setores que estão aquecidos, Velloso também citou o de saneamento e energia. “O marco do saneamento é recente e a gente tem um otimismo muito grande no setor de saneamento”, acrescentou em referência a nova legislação que regulamenta os serviços de água e esgoto, abrindo mais espaço para iniciativa privada, aprovada no ano passado.

Exportação e emprego - As exportações de máquinas tiveram queda de 24,3% em fevereiro em comparação com o mesmo mês de 2020, totalizando US$ 599,5 milhões. Para o presidente executivo da Abimaq, as vendas para o exterior estão prejudicadas pelo desarranjo provocado pela pandemia, que reduziu as rotas de comércio e tem dificultado até a distribuição de contêineres.

Postos de trabalho - O número de postos de trabalho na indústria de bens de capital cresceu 10,6% em fevereiro em relação ao mesmo mês do ano passado, com 337,7 mil pessoas empregadas. (Agência Brasil)

FOTO: Mustang Joe / Pixabay

 

ECONOMIA: Correntistas podem gerenciar limites do Pix no aplicativo do banco

economia 01 04 2021A partir desta quinta-feira (01/04), os clientes poderão gerenciar os limites do Pix no próprio aplicativo da instituição financeira. Atualmente, o correntista pode personalizar apenas os limites para a TED e o cartão de débito, procedimento que indiretamente define os limites das operações via Pix.

Mudança - A qualquer momento, o correntista pode pedir para mudar os limites atuais de movimentação. Se for para reduzir, a instituição financeira é obrigada a acatar o pedido instantaneamente. O aumento do limite fica a critério da instituição, após avaliação do perfil do cliente.

Máximo - Em março, o Banco Central (BC) tinha igualado os limites máximos do Pix aos da transferência eletrônica direta (TED). Para compras, valia até agora o limite máximo do cartão de débito.

Teto - Apesar da personalização, haverá um teto de movimentação definido pela instituição financeira. Os valores levarão em conta o horário, o dia da semana, o canal usado e a titularidade da conta, com o objetivo de garantir a segurança do usuário.

Lista de contatos -Também a partir desta quinta, os usuários do Pix podem integrar as listas de contato de seus celulares à ferramenta. Segundo o BC, objetivo é facilitar a identificação de quem cadastrou o número de celular como chave Pix, simplificando ainda mais o pagamento com a funcionalidade.

Informação - Desde o último dia 22, as instituições participantes do Pix tiveram de informar a possibilidade de que outros usuários tenham conhecimento da existência de sua chave Pix vinculada ao número de celular e ao e-mail. Segundo o BC, a medida teve como objetivo permitir que o usuário pedisse a exclusão de sua chave Pix, se assim desejasse.

Dados cadastrais - Outra novidade, que entra em funcionamento em abril, é que os usuários finais podem, em caso de mudança no nome, pedir a alteração do nome completo, do nome empresarial ou do título do estabelecimento, sem a necessidade de excluir e registrar novamente a chave. Para o BC, isso vai facilitar, por exemplo, o ajuste quando uma pessoa alterar o nome após o casamento ou uma empresa alterar o nome fantasia do estabelecimento.

Vínculo - O BC também autorizou que o usuário final pessoa natural possa solicitar o vínculo de seu nome social à chave Pix.

Instantaneidade - Sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, o Pix permite a transferência de recursos entre contas bancárias 24 horas por dia. As transações são executadas em até 10 segundos, sem custo para pessoas físicass. Para usar o Pix, o correntista deve ir ao aplicativo da instituição financeira e cadastrar as chaves eletrônicas, que podem seguir o número do celular, o e-mail, o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), para pessoas físicas, ou o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), para empresas.

Chave aleatória - O usuário também pode gerar uma chave aleatória, com um código de até 32 dígitos ou mesmo usar os dados da conta corrente. Cada chave eletrônica está associada a uma conta bancária. Pessoas físicas podem ter até cinco chaves por conta. Para pessoas jurídicas, o limite sobe para 20. (Agência Brasil)

FOTO: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

CÂMBIO: Dólar tem maior queda diária em três semanas e fecha março em R$ 5,62

Depois de um mês de forte volatilidade, o dólar teve a maior queda diária em três semanas e encerrou março praticamente estável em relação a fevereiro. A bolsa de valores registrou leve queda nesta quarta-feira (31/03), mas fechou o mês com alta de 6%, o primeiro desempenho positivo do ano.

Cotação - O dólar comercial encerrou o dia vendido a R$ 5,629, com recuo de R$ 0,133 (-2,31%). Essa foi a maior queda diária desde o último dia 10, quando a divisa tinha caído 2,39%. Com o forte recuo de hoje, a moeda norte-americana encerrou março com alta de apenas 0,5%, embora tenha se aproximado de R$ 5,80 no último dia 9.

Desvalorização - Em 2021, a divisa acumula desvalorização de 8,45%. O real registra o terceiro pior desempenho entre as principais moedas de países emergentes, atrás apenas do peso argentino e da lira turca.

Ações - No mercado de ações, o índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 116.634 pontos, com leve recuo de 0,08%. O indicador subiu durante a manhã, mas inverteu o movimento e passou a cair à tarde. Na hora final de negociação, o ritmo de queda diminuiu, até o índice fechar praticamente estável.

Fatores - O dólar foi ajudado por fatores externos e internos. No mercado internacional, aumentou o apetite por risco em mercados emergentes, como o Brasil. Paralelamente, a proximidade do início das exportações de soja levou investidores a apostar na queda do câmbio tendo em vista a entrada de divisas nos próximos meses.

Orçamento - As negociações em torno de vetos de pontos do Orçamento que podem resultar na violação do teto de gastos também interferiram no mercado financeiro. Hoje, o relator do Orçamento, senador Márcio Bittar (MDB-AC), informou que pretende cancelar R$ 10 bilhões de emendas parlamentares aprovadas no texto para recompor despesas obrigatórias, como as da Previdência Social. (Agência Brasil, com informações da Reuters)

IR: Câmara aprova projeto que amplia prazo para entrega do Imposto de Renda até 31 de julho

ir 01 04 2021O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (31/03) o Projeto de Lei 639/21, do deputado Rubens Bueno (Cidadania-PR), que prorroga, até 31 de julho deste ano, o prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda de 2021. O prazo atual acaba em 30 de abril. A proposta segue para análise do Senado.

Cronograma - Segundo o substitutivo do relator, deputado Marcos Aurélio Sampaio (MDB-PI), o cronograma de restituições não mudará, com o primeiro lote sendo entregue em 31 de maio. O texto autoriza ainda o pagamento da cota única ou das cotas vencidas até 31 de julho sem acréscimo de juros ou penalidade de qualquer natureza.

Necessidade - Para Rubens Bueno, a prorrogação é necessária devido ao aumento das restrições decretadas na tentativa de conter o contágio pela Covid-19. O deputado lembrou que muitas pessoas precisam circular nas ruas para buscar notas fiscais e documentos, pondo-se em risco de contaminação. Bueno observou ainda que vários contabilistas declararam apoio ao projeto. "Quem já declarou vai receber a restituição a partir de maio", destacou.

Ano passado - Em 2020, a prorrogação do prazo foi feita por meio de instrução normativa da Receita Federal, que passou o prazo final para 30 de junho. Na ocasião, o cronograma de restituição permaneceu o mesmo também, fazendo com que o primeiro lote fosse liberado em 29 de maio, antes do prazo final de entrega.

Prioridade - A legislação garante prioridade de restituição a idosos a partir de 60 anos, pessoas com deficiência e professores, desde que a fonte principal de renda tenha sido o magistério.

Agravamento da crise - O relator observou que a crise decorrente da pandemia está atualmente no pior estágio. "Grande parte da sociedade e do governo federal não contava com o agravamento recente. O número crescente de mortes tem exigido ações mais rígidas para limitar a locomoção dos cidadãos e de funcionamento das atividades produtivas."

Entregues - Marcos Aurélio Sampaio notou que mais de 9 milhões de declarações já foram entregues, e muitos contribuintes vão seguir o prazo original. "A proposta não vai prejudicar a arrecadação", comentou.

Número do recibo - O deputado Marcel Van Hattem (Novo-RS) sugeriu que os contribuintes fossem também desobrigados de apresentar o número do recibo da declaração do ano anterior. No entanto, a modificação não foi acatada pelo relator. "É uma burocracia a mais, que inclusive gera problemas na Receita", comentou Marcel Van Hattem. "Muitos perdem o número e não têm mais acesso à declaração anterior."

Atualização da tabela - Já o deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS) cobrou a atualização da tabela do Imposto de Renda. (Agência Câmara de Notícias)

FOTO: Arte / Secom

 

SAÚDE I: Brasil registra 3.869 novas mortes, maior número em 24h

No segundo recorde seguido de mortes por covid-19 registradas em 24 horas, o Brasil alcançou 3.869 óbitos entre terça e quarta-feira (30 e 31/03).

Total - Na terça-feira (30/03), o país registrou 3.780 falecimentos registrados. Com as novas vítimas acrescidas às estatísticas, o total de vidas perdidas para a pandemia chegou a 321.515. Na terça, o total era de 317.646.

Investigação - Ainda há 3.495 mortes em investigação por equipes de saúde. Isso porque há casos em que o diagnóstico sobre a causa só sai após o óbito do paciente.

Casos confirmados - A soma de casos confirmados foi a segunda maior em 24 horas, com 90.638, atrás apenas do dia 25 deste mês, quando foram computadas 100.158 pessoas contaminadas com o novo coronavírus. Ontem, a soma de pessoas infectadas até o momento estava em 12.658.109.

Recuperadas - O número de pessoas recuperadas subiu para 11.169.937. Já a quantidade de pacientes com casos ativos, em acompanhamento por equipes de saúde, ficou em 1.257.295.

Estados - O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (74.652), Rio de Janeiro (36.727), Minas Gerais (24.332), Rio Grande do Sul (19.736) e Paraná (16.717). Já as Unidades da Federação com menos óbitos são Acre (1.262), Amapá (1.302), Roraima (1.341), Tocantins (2.032) e Sergipe (3.501).

Vacinação - Até o início da noite desta quarta, haviam sido distribuídos 34,9 milhões de doses de vacinas. Deste total, foram aplicados 18,5 milhões de doses, sendo 14,3 milhões da primeira dose e 4,1 milhões da segunda dose. (Agência Brasil)

 

saude I tabela 01 04 2021

SAÚDE II: Estado registra mais 3.059 casos e 196 óbitos pela Covid-19

saude II 01 04 2021 A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta quarta-feira (31/03) mais 3.059 casos e 196 mortes pela Covid-19 no Paraná. Os dados acumulados do monitoramento mostram que o Estado soma agora 840.728 diagnósticos e 16.600 óbitos em decorrência da doença.

Meses - Os casos confirmados divulgados nesta quinta-feira são de março (2.850), fevereiro (46) e janeiro (69) de 2021 e dos seguintes meses de 2020: junho (3), julho (1), agosto (1), setembro (15), outubro (30), novembro (10) e dezembro (34).

Vacina - A Secretaria da Saúde possui um vacinômetro atualizado em tempo real à medida que os municípios inserem o número de doses aplicadas no sistema.

Internados - O informe da Saúde relata que 2.859 pacientes com diagnóstico confirmado estão internados. São 2.214 em leitos SUS (943 em UTI e 1.271 em enfermaria) e 645 em leitos da rede particular (322 em UTI e 323 em enfermaria).

Exames - Há outros 2.761 pacientes internados, 958 em leitos UTI e 1.803 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão nas redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

Óbitos - A secretaria estadual da Saúde informa a morte de mais 196 pacientes. São 82 mulheres e 114 homens, com idades que variam de 1 a 100 anos. Os óbitos ocorreram de 21 de dezembro de 2020 a 31 de março de 2021.

Municípios - Os pacientes que foram a óbito residiam em Londrina (19), Foz do Iguaçu (15), Arapongas (11), Paranaguá (11), Curitiba (10), Maringá (10), Ponta Grossa (9), Araucária (8), Guarapuava (8), Cascavel (7), São José dos Pinhais (7), Telêmaco Borba (5), Pato Branco (4), Francisco Beltrão (3), Guaíra (3), Mandirituba (3), Rio Branco do Sul (3), Almirante Tamandaré (2), Califórnia (2), Cambará (2), Candói (2), Imbituva (2), Itambé (2), Marechal Cândido Rondon (2), Palmas (2), Pinhão (2), Prudentópolis (2), Rolândia (2) e Umuarama (2).

Uma morte - A Secretaria da Saúde registra, ainda, a morte de uma pessoa que residia em cada um dos municípios de Alto Piquiri, Ampére, Astorga, Bandeirantes, Campo Mourão, Clevelândia, Coronel Domingos Soares, Cruz Machado, Diamante do Sul, Faxinal, Fazenda Rio Grande, Foz do Jordão, Ibema, Itaipulândia, Itambaracá, Mallet, Mandaguaçu, Mandaguari, Marilândia do Sul, Marilena, Nova Santa Barbara, Paraíso do Norte, Paulo Frontin, Pinhais, Planalto, Pontal do Paraná, Rio Bom, Sabáudia, Santa Isabel do Ivaí, São Jorge D'Oeste, São Miguel do Iguaçu, Terra Roxa, Toledo, União da Vitoria, Vitorino e Wenceslau Braz.

Fora do Paraná - O monitoramento da Secretaria da Saúde registra 5.377 casos de residentes de fora e 117 pessoas foram a óbito. (Agência de Notícias do Paraná)

Confira o informe completo clicando AQUI.

 

SAÚDE III: Governo do Paraná confirma adesão ao movimento Unidos pela Vacina

saude III 01 04 2021O governador Carlos Massa Ratinho Junior confirmou nesta quarta-feira (31/03) a adesão do Paraná ao movimento Unidos pela Vacina. O projeto reúne diferentes organizações, entre entidades públicas e privadas, com o objetivo de acelerar o processo de vacinação no País.

União de forças - “Esse é o momento de unir forças e buscar soluções para os muitos problemas que temos enfrentado por causa do aumento do número de casos de Covid-19. Especialmente agora, com essa nova cepa, que já demonstrou ser muito mais transmissível”, afirmou Ratinho Junior.

Pesquisa - O movimento já fez uma grande pesquisa de campo em todo o Paraná, levantando algumas necessidades dos 399 municípios, com apoio do Governo do Estado. Entre os pontos, por exemplo, se verificou que 80 cidades necessitam de mais insumos e apoio na logística para aplicação das vacinas, pontos que podem ser viabilizados pela iniciativa privada e pela agilidade nas aquisições.

Estoque - A Secretaria de Estado da Saúde tem estoque suficiente para atender as demandas das cidades em relação a itens essenciais como agulhas, seringas e máscaras, entre outros, mas deixou aberta a possibilidade de adesão da iniciativa privada para complementar as necessidades dos municípios com a entrega de termômetros e caixas térmicas, por exemplo.

Manifestação - O estudo revelou, ainda, que metade dos municípios manifestou o desejo de ampliar o alcance da comunicação, facilitando a orientação da população em relação à importância da imunização. Ficou pactuado o compromisso conjunto na elaboração de campanhas e materiais de divulgação que facilitem e amplifiquem a necessidade da vacinação e de outras medidas sanitárias de prevenção ao coronavírus.

Esperança - “A vacina é a nossa esperança. Lançamos a campanha de domingo a domingo e temos obtidos excelentes resultados, é um sucesso. Aumentou muito o número de vacinados no Estado”, ressaltou o governador.

Um milhão- Nesta semana o Paraná atingiu 1 milhão de pessoas vacinadas. Nesta quarta-feira (31/03), o Vacinômetro aponta 1.083.289 primeiras doses e 231.740 doses de reforço, completando a imunização.

Movimento - O movimento Unidos pela Vacina quer facilitar a distribuição do imunizante contra a Covid-19 para todos os brasileiros até setembro. A ideia é apoiar o Sistema Único de Saúde (SUS) com soluções de logística e compra de insumos. O movimento é coordenado pelo Grupo Mulheres do Brasil, que tem mais de 75 mil participantes.

Entidades - No Paraná, o projeto conta com o apoio de entidades como Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Associação Comercial do Paraná (ACP), OAB-PR, Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap) e Sistema Ocepar, entre outros. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: AEN

 

SAÚDE IV: Medidas restritivas seguem em vigor no Estado até o dia 15 de abril

saude IV 01 04 2021O Governo do Estado prorrogou por mais 15 dias as medidas restritivas de enfrentamento da pandemia que vigoram desde o dia 10 de março. O decreto 7.230/21, assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior nesta quarta-feira (31/03), estende o período de restrição até as 5 horas do dia 15 de abril e traz algumas mudanças, como, por exemplo, a permissão para que shopping centers e comércio não essencial possam atender aos sábados nas modalidades delivery e drive thru.

Curitiba e RM - As regras só não se aplicam a Curitiba e Região Metropolitana, onde continua em vigor, até 5 de abril, o Decreto 7.194/2021, com regramento próprio.

Números da pandemia - A manutenção de medidas de restrição reflete os números da pandemia no Estado e a necessidade de conter a transmissão do coronavírus. Nesta quarta-feira a Secretaria de Estado da Saúde registrou mais 196 mortes e 3.059 casos. A taxa de ocupação nas UTIs exclusivas para atendimento de pacientes adultos com Covid-19 é de 95%. No total, o Paraná soma 840.728 diagnósticos e 16.600 óbitos em decorrência da doença.

Mudanças - O novo decreto altera algumas regras do anterior. A partir de agora, atividades comerciais de rua não essenciais, galerias e centros comerciais e de prestação de serviços não essenciais em municípios com mais de 50 mil habitantes poderão funcionar das 10 horas às 17 horas, de segunda a sexta-feira, com limitação de 50% de ocupação, e sábado exclusivamente nas modalidades delivery e drive thru, das 10 horas às 17 horas.

Regulamentação municipal - Os municípios com menos de 50 mil habitantes devem seguir a regulamentação municipal.

Shoppings - Os shopping centers poderão abrir ao público das 11 horas às 20 horas, de segunda a sexta-feira, com limitação de 50% de ocupação, e no sábado apenas nas modalidades delivery e drive thru, no mesmo horário.

Restrições - Continua proibida a circulação de pessoas entre as 20h e 5h. Ficam de fora desta regra apenas os profissionais e veículos vinculados a atividades essenciais. Também continua proibida a venda e consumo de bebidas alcóolicas em espaços de uso público e coletivo no mesmo horário, em todos os dias da semana.

Bares, restaurantes e lanchonetes - Bares, restaurantes e lanchonetes só podem abrir para o público de segunda a sexta-feira das 10h às 20h, com ocupação máxima de 50%. No entanto, na modalidade de delivery, podem funcionar sem restrição de dia e horário.

Suspensas - O decreto mantém suspensas atividades que causem aglomerações, como casas de shows, circos, teatros, cinemas e museus; os destinados a eventos sociais e atividades correlatas em espaços fechados, como casas de festas, de eventos, incluídas aquelas com serviços de buffet; os estabelecimentos destinados a mostras comerciais, feiras, eventos técnicos, congressos e convenções; bares, casas noturnas e correlatos; além de reuniões com aglomeração de pessoas, encontros familiares e corporativos.

Outras atividades - As atividades religiosas devem seguir a regulamentação da Secretaria da Saúde publicada em 26 de fevereiro, especificada na Resolução 221/2021. Segundo o documento, os templos, igrejas e outros espaços devem realizar suas atividades de forma preferencialmente virtual. Em casos de atividades presenciais, deve-se respeitar o limite de 15% da ocupação.

Aulas presenciais - Já as aulas presenciais da rede estadual, embora não constem do decreto, continuam suspensas. O cronograma do retorno será definido pela Secretaria de Estado da Educação e do Esporte. (Agência de Notícias do Paraná)

FOTO: José Fernando Ogura / AEN

 

SAÚDE V: Novas coberturas dos planos de saúde entram em vigor

saude V 01 04 2021Começam a valer nesta quinta-feira (01/04), com a entrada em vigor da Resolução Normativa (RN) nº 465/2021, as novas coberturas obrigatórias dos planos de saúde. A RN atualiza o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, que define a lista de consultas, exames e tratamentos que os planos de saúde são obrigados a oferecer, conforme segmentação assistencial - ambulatorial, hospitalar com ou sem obstetrícia, referência ou odontológico.

Clique aqui e confira a Resolução

Acrescentadas - Com a atualização, 69 coberturas foram acrescentadas ao Rol de Procedimentos. Fazem parte da lista 19 medicamentos orais que cobrem 28 indicações para tratamento de diversos tipos de câncer; 17 imunobiológicos com 21 indicações para tratamento de doenças inflamatórias, crônicas e autoimunes, como psoríase, asma e esclerose múltipla; 1 medicamento para tratamento de doença que leva a deformidades ósseas; e 19 procedimentos entre exames, terapias e cirurgias para diagnóstico e tratamento de enfermidades do coração, intestino, coluna, pulmão, mama, entre outras.

Diretrizes - Há, ainda, outras atualizações que envolvem alterações em Diretrizes de Utilização (DUTs) e aprimoramento de termos descritivos de procedimentos já elencados no Rol que objetivam melhorar a redação e consolidar regras previstas em entendimentos já divulgados.

Inovações - O novo Rol de Procedimentos é fruto de diversas inovações em termos de processo de trabalho e de conteúdo. A qualidade das discussões técnicas realizadas, a ampliação da participação da sociedade, a transparência dada a todo o processo de revisão e o conjunto robusto de elementos analisados para definição dos procedimentos incorporados qualificou a tomada de decisão por parte da Diretoria Colegiada da ANS e permitiu ganhos importantes para a sociedade.

Validade - O Rol de Procedimentos é válido para os beneficiários de planos de saúde contratados a partir de 02 de janeiro de 1999, os chamados planos novos, e para os usuários de planos contratados antes dessa data, mas que foram adaptados à Lei dos planos de saúde. Clique aqui para mais informações.

Sobre o processo de revisão - Para definir os novos procedimentos que passam a fazer parte da lista de coberturas, a ANS avaliou um conjunto de critérios, entre os quais os benefícios clínicos comprovados, o alinhamento às políticas nacionais de saúde e a relação entre o custo e a efetividade das tecnologias. Os procedimentos incorporados são aqueles nos quais os ganhos coletivos e os resultados clínicos são os mais relevantes para o conjunto dos pacientes.

Reuniões técnicas - Outros aspectos relevantes nesse processo de revisão do Rol foram as intensas reuniões técnicas realizadas para debater as propostas de atualização – 27 no total -, o apoio técnico e metodológico de instituições especializadas em Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS) para análise dos materiais, a transparência ao longo de todas as etapas e o amplo e detalhado conjunto de documentos disponibilizados à sociedade durante o processo de Consulta Pública.

Consulta pública - A ampliação da participação social no processo de atualização do Rol foi um dos destaques desse ciclo de revisão das coberturas obrigatórias. A sociedade civil pôde participar em dois momentos: na fase inicial, mediante submissão de propostas de atualização através e formulário eletrônico; e posteriormente, na etapa de Consulta Pública, em que os interessados puderam contribuir para as propostas que foram submetidas à avaliação.

Contribuições - No período em que a consulta pública esteve aberta (de 08/10/2020 a 21/11/2020), a ANS recebeu 30.658 contribuições, um aumento de 500% em relação à última consulta pública para revisão da lista de coberturas, realizada em 2017, que teve 5.259 contribuições. Do total de sugestões recebidas, 50% (15.242) foram relativas a procedimentos; 47% (14.481) a medicamentos; e os 3% restantes relacionados a alterações em temos descritivos, no texto da Resolução Normativa e sobre as atualizações extraordinárias realizadas em 2020 por conta da pandemia de Covid-19. A maior parte das contribuições foi encaminhada por profissionais de saúde, seguido de pacientes e familiares, amigos ou cuidadores de pacientes.

Planilha - A ANS disponibiliza, em seu portal na internet, a planilha de todas as contribuições recebidas e a Nota Técnica nº 3, contendo a análise realizada.

Mais - Saiba mais sobre a Consulta Pública clicando aqui. (ANS)

 

                          Procedimentos incorporados

I20210331medicamentos-antineoplasicos-orais

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

II20210331procedimentos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

III20210331alteracoes-dut

 

 

 

 

 

 

 

 


Versão para impressão


RODAPE